Relatório de Gestão de Riscos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão de Riscos"

Transcrição

1 Relatório de Gestão de Riscos Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos nas resoluções 4.090, 3.464, 3.721, e 3.988, do Conselho Monetário Nacional.

2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO INSTITUCIONAL PAPEIS E RESPONSABILIDADES ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO DE RISCOS RISCO DE CRÉDITO RISCO DE LIQUIDEZ RISCO DE MERCADO RISCO OPERACIONAL GESTÃO DE CAPITAL RISCO DE SOCIOAMBIENTAL... 6

3 1. Introdução Em atendimento às normas legais e a transparência de informações ao mercado, a SAX Financeira apresenta através deste relatório as informações sobre a sua estrutura e responsabilidades na gestão dos riscos (liquidez, mercado, operacional, crédito e capital). A SAX reconhece a importância da transparência na divulgação das informações referentes a esta atividade, fortalecendo a instituição e contribuindo para a solidez do sistema financeiro nacional e a sociedade em geral. 2. Institucional A SAX Financeira, uma empresa sobre o controle indireto da Marisa Lojas S/A ( Lojas Marisa ), foi criada em Maio de 2005, com inicio da operação de Empréstimo Pessoal através do Cartão Marisa em Maio de Em Agosto de 2008, desvinculou o produto Empréstimo Pessoal Saque Tá Na Mão do Cartão Marisa e iniciou a captação de clientes através de seu correspondente no país Lojas Marisa. Em Agosto de 2011 iniciou a operação de Empréstimo Pessoal através da modalidade de recebimento por Cheque. Em Junho de 2012 iniciou a operação do Empréstimo Consignado para funcionários do Grupo Marisa. 3. Papeis e responsabilidades Diretoria Responsável pela Gestão de Riscos garantir a estrutura de gerenciamento de riscos, estabelecendo as políticas, estratégias, procedimentos e normas para medir, monitorar e controlar a exposição aos riscos, através das seguintes responsabilidades: Aprovar políticas institucionais; Assegurar que a gerência sênior execute os procedimentos necessários para a eficiente gestão dos riscos; Estabelecer apetite ao risco; Aprovar e supervisionar os planos de contingência; Assegurar recursos suficientes para implementação da estrutura de gestão de riscos. Gerência de Estratégias de Riscos assegurar a análise, acompanhamento e controle dos riscos em conformidade com as diretrizes estabelecidas pela alta administração e órgãos reguladores, através das seguintes responsabilidades: Emitir, tempestivamente, relatórios de exposições aos riscos controlados e mitigados; Avaliar e emitir parecer, sob a ótica de riscos, previamente ao lançamento de produtos e serviços. Avaliar e propor à alta administração, os limites de exposições por tipo de riscos associado. Controlar o cumprimento dos limites estabelecidos; Auditoria Interna assegurar a realização de avaliação independente e de assessoramento da administração, voltada para o exame e avaliação da adequação, eficiência e eficácia dos sistemas de controle, bem como da qualidade do desempenho das áreas, em relação às atribuições e aos planos, às metas, aos objetivos e às políticas definidas pela alta administração; 1

4 Compliance assegurar que a gestão dos negócios seja executada em conformidade com as diretrizes estabelecidas tanto pela alta administração, quanto aos regulamentos emanados por órgãos oficiais, para que as regras internas e os controles vigentes sejam conhecidos e cumpridos. 4. Estrutura do Gerenciamento de Riscos A estrutura de gestão de riscos organizacional da Sax Financeira foi definida de acordo a natureza e complexidade dos produtos, serviços, atividades, processos e sistemas da instituição. As políticas que suportam a área de Gestão de Riscos visam obter o controle dos riscos consolidados inerentes aos produtos vigentes, bem como a apuração do capital necessário para suportar as atividades. É objetivo da área de Gestão de Riscos identificar, mensurar, controlar e mitigar os riscos associados à Instituição, utilizando as melhores práticas de mercado e requeridas pelos Órgãos Reguladores Risco de crédito É a possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos ou remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação. A estrutura de gerenciamento de risco de crédito é formada por 4 (quatro) setores principais, responsáveis pela identificação, mensuração, controle e mitigação dos riscos. Gestão de Carteira A gestão da carteira de crédito ocorre pelo acompanhamento periódico de relatórios com informação sobre: perfil sócio demográfico do proponente ao crédito, indicadores de inadimplência, saldo de carteira e informações de mercado. Cobrança A Sax Financeira possui estrutura de Gestão de Cobrança, responsável pelas assessorias de cobrança que atuam pelos procedimentos de recuperação do crédito. Esta estrutura está dividida em: Estratégia Responsável pela definição de estratégias das ações de contato com os clientes, geração e análise de informações gerenciais e projetos. Cobrança Interna (atraso curto) Responsável pela gestão dos serviços de Atendimento de Cobrança ativa e receptiva Cobrança Externa (atraso longo) Responsável pela gestão das Assessorias de Cobrança que atuam com operações pré-perda (menos de 360 (trezentos e sessenta) dias de atraso) 2

5 e pós-perda (após 360 (trezentos e sessenta) dias de atraso) com maior dificuldade de recuperação e contatos; e As estratégias de cobrança deverão ser definidas de acordo com as características de cada produto e objetivo. MIS A área de MIS (Management Information System) é responsável pelo desenvolvimento, atualização e acompanhamento dos principais relatórios gerenciais, com o objetivo de suportar a gestão estratégica do negócio de risco de crédito. Modelagem A área de modelagem tem como papel fundamental desenvolver modelos estatísticos para todo ciclo de crédito: concessão, manutenção, cobrança e recuperação de créditos. O objetivo principal da modelagem é encontrar a maior acuracidade possível entre bons e maus pagadores. A carteira de crédito da SAX Financeira é composta integralmente para pessoas físicas com perfil sócio demográfico similar aos clientes do correspondente no país Lojas Marisa Risco de liquidez Entende-se como liquidez a capacidade de uma instituição de honrar os seus compromissos financeiros no vencimento, incorrendo em pouca ou nenhuma perda. Se uma única instituição falha neste compromisso, todo o sistema financeiro pode sofrer repercussões. Por isso a gestão de liquidez tem um papel vital para quaisquer instituições do mercado financeiro e de capitais, como um conjunto de processos que visam a garantir a capacidade de pagamento da instituição, considerando o planejamento financeiro, os limites de riscos e a otimização dos recursos disponíveis. A gestão do risco de liquidez não implica somente na análise do fluxo de caixa, mas sim nas variáveis que são significantes para determinar: Entradas: prazo médio de recebimento, linhas de limite para captação de recursos no mercado, novas vendas de produtos financeiros; e Saídas: relação do custo operacional com a receita financeira e prazo médio de pagamento dos recursos captados. Toda e qualquer alteração nas variáveis descritas acima, é obrigatório a avaliação do risco de liquidez pela área de Gestão de Riscos. As definições abaixo são as ações necessárias no processo de gestão do risco de liquidez. Colchão de Liquidez: 3

6 o O colchão mínimo de liquidez foi estabelecido mediante análise de entradas e saídas da série histórica dos últimos anos; Medição e monitoramento das necessidades líquidas de financiamento: o Instrumentos de medição (Fluxo de caixa, Índices de liquidez, etc.); o Classificação das categorias de produtos; o Simulações com cenários hipotéticos. Revisão constante das premissas adotadas. Gerenciamento do acesso ao mercado: o Análise da liquidez dos ativos e passivos. Plano de contingência para situações de stress de liquidez: o Monitoramento e avaliação; o Identificação da crise; o Comunicação interna; e o Ações retificadoras Risco de mercado De acordo com a Resolução CMN 3.464, risco de mercado é definido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da flutuação nos valores de mercado de posições detidas por uma instituição financeira. A estrutura organizacional de gerenciamento de Risco de Mercado foi definida de acordo a natureza e complexidade dos produtos, serviços atividades, processos e sistemas da instituição. Entre os eventos de risco de mercado, incluem-se variação: a) Cambial: refere-se à possibilidade de perdas em decorrência de oscilações nas taxas de câmbio, ou seja, consiste no risco de que o valor de um instrumento financeiro flutue devido a mudanças na taxa de câmbio; b) Das taxas de juros: refere-se ao risco de perdas em função de oscilações observadas nas taxas de juros; c) Dos preços das ações: refere-se ao risco oriundo do movimento de preço de uma ação; d) Dos preços de mercadorias (commodities): refere-se ao risco devido à oscilação dos preços de produtos. Devido as característica de suas operações, a Sax está sujeita ao risco de mercado de taxa de juros. O gerenciamento de risco de mercado consiste no monitoramento diário de calculo do (Value At Risk), análise de cenários de stress e avaliação de backtesting para mitigar se as metodologias utilizadas estão de acordo com as diretrizes determinadas pela alta administração e órgãos reguladores. 4

7 A área de gestão de riscos monitora e controla os tipos, valores e prazos de papéis aplicados pela área de Tesouraria, em consonância com a política vigente Risco operacional O risco operacional, nos termos do artigo 2º da Resolução CMN nº 3.380/2006, é a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos. Abrange, ainda, a possibilidade de perdas decorrentes de eventual inadequação ou ineficiência de contratos firmados pela Sax Financeira, bem como sanções em razão de descumprimento de normas e indenizações por danos a terceiros (o denominado risco legal ). O Gerenciamento do Risco Operacional auxilia a instituição no crescimento focado na melhoria dos processos e controle de performance, minimizando perdas operacionais e otimizando a efetividade dos controles. O Gerenciamento do Risco Operacional é utilizado não somente para cumprimento de requerimento regulatório, mas também como um direcionador para ganhos financeiros sustentáveis. A metodologia dos trabalhos para monitorar o Risco Operacional consiste: Avaliação periódica dos riscos: identificação dos ricos, impacto financeiro e probabilidade de ocorrência, controles. Avaliação de novos produtos e alterações em produtos ou serviços existentes Monitoramento de Perdas Operacionais: registro mensal das perdas decorrentes de falhas nas atividades. Mapeamento de processos: mapear os processos da SAX em fluxograma e prover acompanhamento anual para atualização Gestão de Capital O gerenciamento de capital é um processo contínuo de monitoramento e controle do capital mantido pela instituição; avaliação da necessidade de capital para fazer face aos riscos a que a instituição está sujeita; e planejamento de metas e de necessidade de capital, considerando os objetivos estratégicos da instituição. No gerenciamento de capital, as instituições devem adotar uma postura prospectiva, antecipando a necessidade de capital decorrente de possíveis mudanças nas condições de mercado. O capital da instituição deverá ser suficiente para cobrir além do PRE para riscos de crédito, mercado e operacional (hoje exigidos), também outros riscos relacionados ao planejamento estratégico da instituição. 5

8 A área de gestão de riscos deve monitorar o plano de capital, aprovado pela alta administração. Através das seguintes rotinas: Acompanhamento do Plano Estratégico da instituição; Acompanhamento do Plano de Capital; Apuração do PR e PRE; Indicadores de nível de endividamento, de receitas e de rentabilidade. Informes a Alta Administração das posições do capital Risco de Socioambiental É aquele apresentado pela possibilidade de ocorrência de perdas das instituições decorrentes de danos socioambientais, de acordo com a Resolução CMN 4.327/14. É responsabilidade da área de gestão de riscos adotar metodologias de controlar e mitigar as vulnerabilidades e fragilidades que estão expostas ao risco socioambiental, através das seguintes rotinas: Monitorar adequadamente a carteira ativa; Registrar, em consonância com as práticas de Risco Operacional, as possíveis materializações de riscos nocivos ao socioambiental; Na avaliação de novos produtos e serviços ser um item importante na prévia avaliação. 6

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS NOVEMBRO / 2016 1. ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1 INTRODUÇÃO O gerenciamento de riscos da Biorc Financeira é acompanhado constantemente pela Diretoria, sendo

Leia mais

1. INTRODUÇÃO ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO DE RISCOS ATIVIDADES...

1. INTRODUÇÃO ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO DE RISCOS ATIVIDADES... ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO DE RISCOS... 2 3. ATIVIDADES... 3 Risco de Crédito... 4 Risco Operacional... 5 Risco de Mercado... 6 Risco de Liquidez... 6 Gestão de Capital...

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO

SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE RISCOS DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE RISCOS 1. Gerenciamento de Riscos Atendendo recomendação do Banco Central do Brasil, conforme Resoluções BACEN

Leia mais

Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos

Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos 1. Apresentação A Política Integrada de Gestão de Riscos da SENSO constitui um conjunto de princípios, diretrizes e responsabilidades

Leia mais

Dezembro/2014. Limite Operacional Acordo de Basiléia

Dezembro/2014. Limite Operacional Acordo de Basiléia Dezembro/2014 Limite Operacional Acordo de Basiléia O Banco Central do Brasil (BACEN), através da Resolução nº 4.193/13, instituiu a apuração do Patrimônio de Referência Exigido (PRE), mínimo requerido

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 1 1 INTRODUÇÃO O presente relatório tem por objetivo atender ao determinado na Circular 3.477 emanada pelo Banco Central do Brasil.

Leia mais

Relatório de Gestão de Risco. Relatório de Gestão de Riscos

Relatório de Gestão de Risco. Relatório de Gestão de Riscos Relatório de Gestão de Riscos 1. INTRODUÇÃO O presente relatório tem como objeto apresentar as informações quantitativas e qualitativas referentes às práticas de gestão de riscos da Agiplan Financeira

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DO CAPITAL. Março de 2013.

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DO CAPITAL. Março de 2013. Março de 2013. CONTEÚDO I. INTRODUÇÃO... 3 II. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 3 III. RISCO DE MERCADO... 3 IV. RISCO DE CRÉDITO... 4 V. RISCO OPERACIONAL... 4 VI. GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 6 VII. RESPONSABILIDADES

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS O ICBC do Brasil Banco Múltiplo S/A considera de suma importância o processo de gerenciamento de riscos, pois utiliza-o para agregar valor aos seus negócios, proporcionar

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS RELATÓRIO PÚBLICO ANUAL SCANIA BANCO - 2017 Scania Banco S.A. (CNPJ: 11.417.016/0001-10) Av. José Odorizzi, 151 - End. Interno (P11-02) São Bernardo do Campo SP CEP:

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS - ORIGINAL ASSET MANAGEMENT Índice A) OBJETIVOS 3 B) APROVAÇÃO 3 C) ABRANGÊNCIA 3 D) DISPOSIÇÕES GERAIS 3 1. DEFINIÇÕES 3 2. ESTRUTURA DE CONTROLE E DIRETRIZES

Leia mais

KPR INVESTIMENTOS LTDA.

KPR INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS KPR INVESTIMENTOS LTDA. CNPJ/MF 23.361.939/0001-87 NIRE 35.229.490.246 São Paulo POLÍTICA DE CONTROLE DE RISCOS 1. O presente Capítulo dispõe acerca da política de controle

Leia mais

Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital

Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital 2º Trimestre 2013 Sumário Introdução... 03 1. Sobre o Gerenciamento de Riscos... 04 1.1. Risco de Mercado... 04 1.2. Risco de Liquidez... 05 1.3. Risco de Crédito...

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito 1. DEFINIÇÃO E TIPOS DE RISCO DE CRÉDITO A Resolução nº 3.721/09, do Conselho Monetário Nacional, definiu Risco de Crédito como a possibilidade de ocorrência

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 2º Semestre de 2016 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Semestre de 2016 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado 1. DEFINIÇÃO DE RISCO DE MERCADO Em conformidade com as disposições da Resolução nº 3.464/07, do Conselho Monetário Nacional, define-se como risco de mercado

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi

Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras Geridos pelo Sicredi Política de ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 2.1 Fatores de Risco Relevantes... 3 2.1.1 Risco de Mercado... 3 2.1.2 Risco de Liquidez... 4 2.1.3 Risco de Crédito e Contraparte... 4 2.1.4 Risco

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Riscos

Estrutura de Gerenciamento de Riscos Estrutura de Gerenciamento de Riscos Estrutura de Gerenciamento de Riscos A Realize Crédito, Financiamento e Investimento (Realize CFI) tem como missão ser a melhor experiência em soluções financeiras

Leia mais

COOPERATIVAS DE CRÉDITO RURAL COM INTERAÇÃO SOLIDÁRIA SISTEMA CRESOL SICOPER

COOPERATIVAS DE CRÉDITO RURAL COM INTERAÇÃO SOLIDÁRIA SISTEMA CRESOL SICOPER COOPERATIVAS DE CRÉDITO RURAL COM INTERAÇÃO SOLIDÁRIA SISTEMA CRESOL SICOPER ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS SISTEMA CENTRAL CRESOL SICOPER Passo Fundo RS 2016 Versão 1.0 Cooperativa Central de Crédito

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 2º Trimestre de 2012 Conteúdo 1. OBJETIVO 3 2. INTRODUÇÃO 3 3. GERENCIAMENTO DE RISCOS 3 3.1. RISCO DE CRÉDITO 4 MENSURAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 4

Leia mais

Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos

Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos 1. Definição de Risco Operacional Gerenciamento de Risco Operacional De acordo com a Resolução do CMN (Conselho Monetário

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr. Peter Drucker I. INTRODUÇÃO

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015 Política de Gerenciamento de Risco de Crédito Outubro 2015 Elaboração: Risco Aprovação: Comex Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3 4. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 2º Semestre de 2017 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS 07/03/2017 1 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes, estratégias e responsabilidades na Gestão de Riscos das Empresas Randon, assim como a conceituação, identificação e análise

Leia mais

DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL

DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL JANEIRO A DEZEMBRO DE 2012 SUMÁRIO DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL... 4 1. FINALIDADE... 4 2. RESPONSABILIDADE

Leia mais

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento.

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento. Histórico de Revisões Versão: 01 Data de Revisão: Histórico: Elaboração do Documento. Índice I. Objetivo... 1 II. Abrangência... 1 III. Documentação Complementar... 1 IV. Conceitos e Siglas... 2 V. Responsabilidades...

Leia mais

BM&FBOVESPA. Política de Gestão de Riscos Corporativos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013

BM&FBOVESPA. Política de Gestão de Riscos Corporativos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013 BM&FBOVESPA Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo Página 1 Última Revisão: março de 2013 Uso interno Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. REFERÊNCIA... 3 4. CONCEITOS...

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Capital

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Capital Estrutura de Gerenciamento de Risco de Capital BANCO CARGILL 1/7 O documento à seguir trata da estrutura de risco de capital, bem como seus principais processos e procedimentos. OBJETIVO O objetivo desta

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO NORTE INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL Versão 1.0 Vigência Agosto / 2016 Classificação das Informações [ X ] Uso Interno [ ] Uso Público Conteúdo

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Capital

Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital 1. DEFINIÇÃO DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL A Resolução nº 3.988/11 do Conselho Monetário Nacional, definiu o gerenciamento de capital como o processo contínuo de: I

Leia mais

GESTÃO DO RISCO DE MERCADO

GESTÃO DO RISCO DE MERCADO Estrutura de Gerenciamento do Risco de Mercado Atualização: FEV/2009 GESTÃO DO RISCO DE MERCADO O gerenciamento de risco de mercado envolve um conjunto de práticas que tem por objetivo identificar, mensurar,

Leia mais

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez -

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez - Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2011 - Risco de Liquidez - Sumário: 1. Introdução:... 3 2. Objetivo:... 3 3. Diretrizes de Gestão:... 3 4. Responsabilidades:... 4 4.1. Conselho de Administração:...

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Objetivo Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03

SUMÁRIO. 1. Objetivo Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03 SUMÁRIO 1. Objetivo...02 2. Estrutura do Gerenciamento de Riscos...03 2.1 Gerenciamento do Risco de Crédito...05 2.2 Gerenciamento do Risco Operacional...06 2.3 Gerenciamento do Risco de Mercado...07 2.4

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Riscos

Manual de Gerenciamento de Riscos Manual de Gerenciamento de Riscos 3 de junho de 2016 1. OBJETIVO Este manual tem por objetivo definir as diretrizes do gerenciamento de riscos aplicadas aos fundos de ações geridos pela SMARTQUANT, estabelecendo

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado - CPBofAML

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado - CPBofAML Estrutura de Gerenciamento de Risco de Mercado - CPBofAML Dezembro 2016 1 Ouvidoria Telefone: 0800-8862000 e-mail: ouvidoria_bamlbrasil@baml.com Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3400-18º Andar

Leia mais

Estrutura de gerenciamento de riscos

Estrutura de gerenciamento de riscos Estrutura de gerenciamento de riscos Relatório de acesso público 1 Sumário 5 6 8 10 13 Introdução Definições Estrutura de gerenciamento de riscos e capital Descrição da estrutura e responsabilidades Transparência

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA Conteúdo 1.Introdução...3 1.1. Os acordos de Basiléia...3 2.Gestão Integrada de Riscos e Capital...4 2.1. Estruturas

Leia mais

Política de Estrutura. de Gerenciamento de Capital

Política de Estrutura. de Gerenciamento de Capital Política de Estrutura de Gerenciamento de Capital Junho/2017 Sumário 1) Objetivo... 3 2) Conceituação/Definição... 3 3) Abrangência / Áreas Envolvidas... 3 4) Responsabilidades... 3 5) Diretrizes... 6

Leia mais

Política de Gestão de Riscos. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda.

Política de Gestão de Riscos. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. Política de Gestão de Riscos Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. 1 ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1 Introdução A presente Política de Risco tem por objetivo descrever a estrutura e metodologia

Leia mais

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Data Efetiva 12 de Agosto de 2016 Departmento Responsável Aprovado por Informação de Contato Diretoria de Riscos Gerente

Leia mais

Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob)

Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de

Leia mais

ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS ARTESIA GESTÃO DE RECURSOS S.A. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS São Paulo, 30 de maio de 2016 1. Introdução A presente Política de Gestão de Riscos ( Política ) estabelece procedimentos de controle e gerenciamento

Leia mais

Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Ano 2016

Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Ano 2016 1/9 Relatório da Estrutura de Gerenciamento Centralizado de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Ano 2016 I Apresentação 1. Aprimorando a harmonização, a integração

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos 2015

Relatório de Gestão de Riscos 2015 Relatório de Gestão de Riscos 2015 2/16 Sumário 1. Introdução... 3 2. Perfil da Instituição... 3 3. Estrutura de Gerenciamento de Riscos... 4 3.1 Gestão de Risco de Mercado... 5 3.1.1 Instrumentos de monitoramento

Leia mais

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1 Política Data da última atualização Controles Internos 30.11.2017 Área Responsável Versão Compliance 07 1. Objetivo Estabelecer as diretrizes relacionadas aos controles internos, bem como a estrutura de

Leia mais

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A Relatório de Gerenciamento de Risco Pilar III Departamento de Gestão de Risco Data: 31/12/2014 Página 1 de 7 Índice ICBC do Brasil... 1 Pilar III... 1 Introdução:...

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr. Peter Drucker I. INTRODUÇÃO

Leia mais

Política de Gestão de Riscos. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda

Política de Gestão de Riscos. Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda Política de Gestão de Riscos Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda 1 ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1 Introdução A presente Política de Risco tem por objetivo descrever a estrutura e metodologia

Leia mais

DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS)

DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS) DECLARAÇÃO DE APETITE AO RISCO (RISK APPETITE STATEMENT RAS) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS... 3 3 GESTÃO DE RISCOS... 3 3.1 TIPOS DE RISCOS E DIRETRIZES... 4 3.1.1 Risco de Mercado...

Leia mais

Estruturas de Gerencimento de Riscos

Estruturas de Gerencimento de Riscos Risco Operacional O Banco CNHI Capital trabalha de forma a atender a Resolução do Conselho Monetário Nacional 3.380, de 29 de junho de 2006, que dispõe sobre a implementação de estrutura para gerenciamento

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS Classificação das Informações 24/9/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA. - 1 - Sumário 1. Introdução... 3 2. Risco de Crédito... 4 3. Risco de Mercado... 4 4. Risco Operacional... 5 5. Risco de Liquidez...

Leia mais

Estrutura da Gestão de Risco Operacional

Estrutura da Gestão de Risco Operacional Conceito No Brasil a Resolução n.º 3380, emitida pelo BACEN em 29 de junho de 2006, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional, definiu como: A possibilidade de ocorrência de

Leia mais

GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL SUPERINTENDÊNCIA CORPORATIVA DE RISCOS - SURIC GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL Posição abril/2017 13/04/2017 Gerenciamento do O Conglomerado Prudencial do BMG considera a gestão do risco operacional

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL I. INTRODUÇÃO: O Risco Operacional pode ser entendido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falhas, deficiência ou inadequação de processos

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Introdução Com o objetivo de incentivar o gerenciamento de riscos e aproximar os conceitos de capital regulatório e econômico, o Comitê da Basiléia finalizou, em 2004, uma nova versão do acordo de capital,

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos. Angá Administração de Recursos

Política de Gerenciamento de Riscos. Angá Administração de Recursos Política de Gerenciamento de Riscos Angá Administração de Recursos 1. OBJETIVO Esta Política de Gerenciamento do Risco de Mercado da ANGÁ define um conjunto de controles, processos, ferramentas, sistemas

Leia mais

MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA.

MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA. MANUAL DE RISCO OPERACIONAL TERRA NOVA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE NEGOCIOS LTDA. 1 Sumário Introdução...3 Definições...3 Gerenciamento de Risco...3 Apoio ao Gerenciamento...4 Escopo de Atuação de Risco...4

Leia mais

Política de Gestão de Riscos Junho 2016

Política de Gestão de Riscos Junho 2016 Política de Gestão de Riscos Junho 2016 Elaboração: Risco Aprovação: Comex Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. IDENTIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO DOS RISCOS... 3 4.

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017

Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Política de Gerenciamento de Risco de Mercado Maio 2017 Elaboração: Risco Aprovação: Comitê Executivo Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL 1) Introdução A Diretoria da Grazziotin em atendimento ã Resolução 3988 de JUNH/2011, divulga sua Estrutura de Gerenciamento de Capital o compatível

Leia mais

GESTÃO DE CAPITAL 1. OBJETIVO

GESTÃO DE CAPITAL 1. OBJETIVO 1. OBJETIVO GESTÃO DE CAPITAL Estabelecer diretrizes para a gestão de capital com o objetivo de manter o capital ajustado aos riscos incorridos pela instituição, de forma compatível com a natureza das

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 2 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

POLITICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLITICA DE GESTÃO DE RISCOS POLITICA DE GESTÃO DE RISCOS ELDORADO DO SUL/ RS Dezembro/2016 Sumário 1. Apresentação 2. Introdução 2.1. Princípios de Basileia 2.2. Gerenciamento Integrado de Riscos 2.3. Princípios Gerais do Gerenciamento

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR

RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR 2015 RELATÓRIO DE RISCOS BANCO CATERPILLAR Dez / 2015 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E COMPLIANCE... 1 3. RISCO DE MERCADO... 3 4. RISCO DE LIQUIDEZ... 4 5. GESTÃO DE

Leia mais

Relatório Anual Gerenciamento de Risco Operacional

Relatório Anual Gerenciamento de Risco Operacional Relatório Anual 2015 Gerenciamento de Risco Operacional Sumário Introdução Estrutura de Risco Operacional Responsabilidades Metodologia de Gerenciamento Aprovação e Divulgação Conclusão 1 Introdução Em

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS CORPORATIVOS Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 7 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE...11 13/5/2016 Informação

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES... 7 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 10 13/5/2016 Informação

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito, Mercado e Operacional

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito, Mercado e Operacional Política de Gerenciamento de Risco Crédito, Revisão em: 18/10/2018 Publicação em: 18/10/2017 Versão 3.0 Política de Gerenciamento de Risco de Crédito, Mercado e Operacional Processos 2 de 10 Sumário 1.

Leia mais

anexo RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL

anexo RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL 2º Trimestre 2017 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL 1. INTRODUÇÃO 2. ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 3. GERENCIAMENTO DE CAPITAL

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ÍNDICE 1. GERENCIAMENTO DE RISCO 3 2. DEFINIÇÃO DE RISCO DE MERCADO 3 3. ANÁLISE DE RISCO DE MERCADO 3 4. ESTRUTURA PARA O GERENCIAMENTO DOS RISCOS 4 5. ESTRUTURA

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DIRETORIA DE RISCOS E PESQUISA

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DIRETORIA DE RISCOS E PESQUISA DIRETORIA DE RISCOS E PESQUISA Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E DE GOVERNANÇA INTERNA... 4 1.1 Diretoria de Riscos e Pesquisa... 6 2. TIPOLOGIA DOS RISCOS... 7 2.1 Risco de Mercado...

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Janeiro de 2018

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Janeiro de 2018 POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Janeiro de 2018 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. FATORES DE RISCO... 3 2.1. Risco de Mercado:... 3 2.2. Risco de Liquidez:... 3 2.3. Risco de Crédito:... 3 2.4. Risco Operacional:...

Leia mais

O Chief Risk Officer (CRO) responde diretamente ao Comitê de Risco, que é formado por executivos e sócios do Brasil Plural.

O Chief Risk Officer (CRO) responde diretamente ao Comitê de Risco, que é formado por executivos e sócios do Brasil Plural. POLÍTICA DE RISCOS Novembro de 2012 1. Risco O BRASIL PLURAL possui como filosofia ser conservador em sua atuação, preocupando se com a gestão eficiente dos riscos intrínsecos ao seu negócio. Para tanto,

Leia mais

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política

Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Morgan Stanley Administradora de Carteiras S.A. Estrutura de Gestão de Risco Política Data Efetiva 08 de Janeiro de 2018 Departmento Responsável Aprovado por Informação de Contato Diretoria de Riscos Gerente

Leia mais

Em sua estrutura de gerenciamento de risco, o Banco Ford atende aos requerimentos da Resolução 3.988/2012, com:

Em sua estrutura de gerenciamento de risco, o Banco Ford atende aos requerimentos da Resolução 3.988/2012, com: POLÍTICA DE GESTÃO DE CAPITAL 1 - Conceito O gerenciamento de capital é definido pela Resolução CMN nº 3.988, de 30 de junho de 2011 como o processo contínuo de: I- monitoramento e controle do capital

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS 7.4 CONTROLE DE RISCOS

GESTÃO DE RISCOS 7.4 CONTROLE DE RISCOS GESTÃO DE RISCOS 7.4 CONTROLE DE RISCOS Na presente Política Interna estão relacionados os critérios e parâmetros utilizados para gerenciamento dos tipos de riscos e seus pontos de controle que devem ser

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES 1. DO COMITÊ DE RISCO 2. DA GESTÃO DE RISCO 3. DO COMPLIANCE 4. DA GERÊNCIA DE ATIVOS 3. DOS TIPOS DE RISCO 1. DO RISCO DE

Leia mais

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12 Risco de Liquidez Resolução nº 4090/12 Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14 Um Investimentos S/A CTVM Objetivo Estabelecer as diretrizes para o gerenciamento dos riscos de liquidez a assegurar

Leia mais

Política de Gestão de Riscos. Código: P015. Elaboração: Riscos. Aprovação: Riscos/ Diretoria Vigente Desde: 06/2013

Política de Gestão de Riscos. Código: P015. Elaboração: Riscos. Aprovação: Riscos/ Diretoria Vigente Desde: 06/2013 Política de Gestão de Riscos Elaboração: Riscos Código: P015 Aprovação: Riscos/ Diretoria Vigente Desde: 06/2013 Versão: 1 Última Versão: 06/2016 1 Política de Gestão de Riscos O Grupo BR Partners possui

Leia mais

Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO

Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO Banco Safra S.A. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO 1/6 1. INTRODUÇÃO O Conglomerado Prudencial Safra caracteriza-se por seu histórico de conservadorismo, agilidade na adaptação à conjuntura

Leia mais

Circular 3477/2009. Aspectos Qualitativos Dez/13. II Aspectos Qualitativos da Estrutura de Gestão de Riscos

Circular 3477/2009. Aspectos Qualitativos Dez/13. II Aspectos Qualitativos da Estrutura de Gestão de Riscos Circular 3477/2009 Aspectos Qualitativos Dez/13 I - Introdução O objetivo deste relatório é divulgar informações referentes à gestão de risco e à adequação do Patrimônio de Referência (PR) do Banco CNH

Leia mais

Política institucional de gerenciamento de riscos de mercado e de liquidez

Política institucional de gerenciamento de riscos de mercado e de liquidez 1. Esta Política institucional de gerenciamento de riscos de mercado e de liquidez: a) é elaborada por proposta da área responsável pelo gerenciamento dos riscos de mercado e de liquidez do Banco Cooperativo

Leia mais

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A.

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A. RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional A estrutura para gestão de riscos do Banco Fidis deverá ser composta de Comitê de Cobrança e Risco, que é o órgão com responsabilidade de gerir o Risco de Crédito,

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Junho de 2016 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 2.1 Risco de Mercado... 3 2.2 Risco Operacional... 3 2.3 Risco de Liquidez... 4 3. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS ASPECTOS GERAIS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS ASPECTOS GERAIS 1. OBJETIVO Definir a Política de Gerenciamento do Capital - PGC para as empresas que compõem o conglomerado Fator, em cumprimento às disposições da Resolução do CMN Nº 3988/2011. 2. CANCELAMENTO / SUBSTITUIÇÃO

Leia mais

WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL )

WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL ) WESTERN UNION CORRETORA DE CÂMBIO S.A. E BANCO WESTERN UNION DO BRASIL S.A. ( WU BRASIL ) Relatório de Gerenciamento de Capital Data base 31/12/2016 WU Brasil Rua Tabapuã, 1227, 7º andar - Itaim Bibi 04533-014

Leia mais

Divisão de Gestão de Riscos 01/07/2016

Divisão de Gestão de Riscos 01/07/2016 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Diretoria de Governança, Risco e Compliance. 2 Abrangência 2.1 Esta Política aplica-se à BB Seguridade Participações S.A. ( BB Seguridade ou Companhia ) e suas subsidiárias

Leia mais