Qualidade e Eficiência Energética

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade e Eficiência Energética"

Transcrição

1 Fabio Balesteros, Engenharia de Aplicação, 2010 Qualidade e Eficiência Energética September 2, 2010 Slide 1

2 Introdução A cada dia aumenta-se a preocupação com a produtividade dos sistemas elétricos. Economia de energia Qualidade de energia Consumir com Produtividade e Qualidade September 2, 2010 Slide 2

3 Introdução Para a otimização do uso da energia elétrica o extinto DNAEE, hoje denominado ANEEL, estabeleceu algumas alterações. Através da resolução número 479 de 20 de março de 1992, o novo fator de potência passou de 0,85 a 0,92 September 2, 2010 Slide 3

4 Introdução O apagão e o racionamento ocorridos nos anos de 2000 a 2002, mostraram a fragilidade dos sistemas elétricos do brasileiros Sendo assim despertou-se uma consciência de consumir eletricidade com produtividade. Novos investimentos no setor elétrico evitarão que tenhamos novos apagões no Brasil. September 2, 2010 Slide 4

5 Introdução As concessionárias Estima-se que 10% da energia produzida é perdida da geração até o consumo final Nos cabos de transmissão cerca de 16% da potência é considerada reativa, gerando grandes perdas de lucros para a concessionária. September 2, 2010 Slide 5

6 Os desafios atuais de energia Crescimento da demanda Europa e América do Norte 31% China 195% Oriente Médio Índia IEA forecast e África 131% 282% Crescimento da demanda por eletricidade September 2, 2010 Slide 6

7 Os desafios atuais de energia Crescimento da demanda - Brasil Crescimento da demanda por eletricidade será de 137% nos próximos 20 anos September 2, 2010 Slide 7 Fonte : Ernst & Young Brasil e da FGV Projetos

8 Objetivo Descriminar quais os problemas de qualidade de energia existentes nos sistemas elétricos; Quais seriam as soluções aplicáveis. September 2, 2010 Slide 8

9 Problemas Existentes Baixo Fator de Potência; Com ou sem variação de carga Com ou sem presença de harmônicas Elevado nível de correntes harmônicas; Queima de equipamentos e parada de produção Quedas e picos de tensão Desequilibrio de correntes devido a cargas monofasicas mal-distribuidas September 2, 2010 Slide 9

10 Baixo Fator de Potência Antes de conhecermos as soluções, precisamos entender qual a raiz deste problema: Energia Reativa Q - kvar Existem 3 tipos de potências Potência Ativa (W) - Potência que realmente é transformada em algum fenômeno (realiza trabalho útil) Potência Reativa (VAr) - Potência necessária para produzir campos eletromagnéticos. (não realiza nenhum trabalho) Energia Ativa P - kw September 2, 2010 Slide 10

11 Baixo Fator de Potência Energia Aparente S - kva Potência Aparente (VA) - Somatória VETORIAL, da potência Ativa e potência Reativa Fator de potência - Fisicamente representa o cosseno do ângulo de defassagem entre a tensão e a corrente. Por definição é a porcentagem da potência total fornecida que efetivamente é utilizada, gerando trabalho. Cos ϕ September 2, 2010 Slide 11

12 Baixo Fator de Potência Potência Reativa - VAr Potência Aparente - VA Potência Ativa - W September 2, 2010 Slide 12

13 Vantagens de um bom Fator de Potência Redução da Corrente Consumida pela Rede Transformadores e cabos de distribuição ( I) Redução da perda Joule (RI²) cabos transformadores dispositivos de proteção Redução da Queda de tensão cabos transformadores Acréscimo da Potência Ativa disponível nos terminais das Fontes Eliminação da multa September 2, 2010 Slide 13

14 Vantagens de um bom Fator de Potência Transformadores e Cabos ( I) Corrente traçada da rede Redução do fator de: cos φ = 1, In = 100% (corrente útil requerida) Para o mesmo kw, In é reduzido em 27%, quando o Fator de Potência aumenta de 0.7 para % September 2, 2010 Slide 14

15 Vantagens de um bom Fator de Potência Alterando o Fator de Potência, alteramos diretamente a corrente. Carga de 100 kw em 380 Vca Fator de Potência 1 0,9 0,8 0,7 0,6 I (A) 152,11 169,02 190,14 217,31 253,52 Se aumentarmos o Fator de Potência, a corrente automaticamente cai, diminuindo as secções dos cabos e o stress das máquinas indutivas (transformadores, motores e outras máquinas) September 2, 2010 Slide 15

16 Vantagens de um bom Fator de Potência Liberação de Energia nas Fontes S trafo =1000 KVA Ue = 380V P=150 kw cos φ = 0.95 P=800 kw cos φ = ,95 September 2, 2010 Slide 16

17 Vantagens de um bom Fator de Potência 0,92 indutivo 1 0,92 capacitivo Conforme a determinação, o órgão regulador ANEEL (Agência Nacional Energia Elétrica), existem limites mínimos e máximos a serem aplicados para o Fator de Potência conforme a portaria número 456 Mínimo 0,92 Indutivo Máximo 0,92 Capacitivo O F.P. que traz o máximo retorno é 0,95 September 2, 2010 Slide 17

18 Principais causadores de baixo Fator de Potência Motores de Indução operando em vazio Transformadores operando em vazio ou com pequenas cargas Lâmpadas de descarga Grande quantidade de pequenos motores operando continuamente Cargas especiais Fornos a Arco Máquinas de solda Equipamentos eletrônicos September 2, 2010 Slide 18

19 Como evitar as perdas por baixo F.P.? Alguns métodos / equipamentos podem melhorar o Fator de Potência Modificando a rotina operacional Motores Síncronos Capacitores September 2, 2010 Slide 19

20 Custos de correção de Fator de Potência Praticamente, as soluções com motores síncronos e a alteração da rotina operacional, não são adotadas devido ao seu alto custo A mais utilizada, que traz o melhor custo benefício é a instalação de capacitores September 2, 2010 Slide 20

21 Solução para o Baixo Fator de Potência Seqüência ideal para a realização de um estudo de fator de potência: Obtenção dos dados ; Análise da conta de energia; Verificação da melhor solução; Verificação do local mais adequado para instalação. September 2, 2010 Slide 21

22 Solução para o Baixo Fator de Potência Localização do capacitor no sistema Os capacitores podem ser instalados em vários locais nos sistema elétrico: 1 : Capacitores para correção de toda planta 2 : Capacitores para o barramento principal 3 : Capacitores para alimentar várias cargas 4 : Capacitores individuais para cada carga Localização do Capacitor 1 2 e 3 4 Aprox. técnica Flexibilidade Economias de Energia Custo por kvar Baixo Médio Alto September 2, 2010 Slide 22

23 Distorção Harmônica Harmônicos tensão/corrente é um fenomêno em baixa fequência, o range é entre Hz 5 th harmônica: frequência = 5 x fundamental; e.g. 5 x 50 Hz Fundamental + Quinta (H5) + sétima (H7) + décima terceira (H13) + décima quinta (H15) September 2, 2010 Slide 23

24 Distorção Harmônica Normalmente são encontradas e associadas a equipamentos com acionamentos estáticos Inversores Fontes chaveadas Cargas não lineares September 2, 2010 Slide 24

25 Problemas causados pela Harmônica As harmônicas ímpares são que causam os grandes problemas nas instalações elétricas. Aquecimento Perda de proteção dos dispositivos Queima de equipamentos sensíveis Aumento da queda de tensão Estudos de Fator de Potência necessitam da verificação do percentual de harmônicas (Risco do Banco de Capacitores entrar em ressonância com os Harmônicos) September 2, 2010 Slide 25

26 Problemas causados pela Harmônica Existem histórico de queima de capacitores ou de sistemas eletrônicos, o qual a causa seja o elevado nível de distorção harmônica, precisamos tomar certas precauções quanto a ressonância da instalação com os capacitores; A ressonância neste circuito, tem sérias conseqüências como elevação da tensão, além de problemas operacionais; September 2, 2010 Slide 26

27 Queima de equipamentos e parada de produção Nos casos onde, sem a instalação dos capacitores, estiverem ocorrendo problemas gerados pelo elevado nível de distorção harmônica, se faz necessário a correção ou melhor a eliminação dessas. Isto pode ser realizado de duas formas: Filtro fixo (Passivo) Filtro Auto-ajustável (Ativo) September 2, 2010 Slide 27

28 Como o Filtro Ativo Trabalha? Rede de MT Rede de BT Outras cargas Carga geradora harmônicas Filtro September 2, 2010 Slide 28

29 Como o Filtro Ativo Trabalha? Rede Corrente da carga com harmônicas Carga September 2, 2010 Slide 29

30 Como o Filtro Ativo Trabalha? Rede Corrente de carga com harmônicas Filtro Ativo Corrente Compensada Carga September 2, 2010 Slide 30

31 Como o Filtro Ativo Trabalha? Rede Fundamental pura Corrente da carga com harmônicas Corrente Compensada Carga Filtro Ativo September 2, 2010 Slide 31

32 ,3-1, ,3-1, ,3-1, Como o Filtro Ativo Trabalha? Corrente da carga com harmônicas + = Corrente compensada Fundamental pura September 2, 2010 Slide 32

33 Principais tecnologias Controle de fator de potencia e harmonicos - RESUMO Com a correção de fp e a consequente redução de corrente, teremos maior disponibilidade da fonte para alimentar mais cargas e a perda pelo efeito Joule se reduz bastante = redução de corrente em 10% equivale a redução de perda em 20 % Quanto menos harmonicos, menor a corrente da carga e melhor o fator de potencia real September 2, 2010 Slide 33

34 Outras Tecnologias para melhorar a eficiência Motores de alta eficiência Um motor de alta eficiência (3% a mais do que o padrão de eficiência*) pode economizar 23,000 kwh, valor que corresponde a 11.5 tons de CO2, em um ano de operação contínua Acionamentos de velocidade variável Um drive pode reduzir o consumo de energia de motores que acionam bombas, ventiladores e transportadores em até 50% base instalada de acionamentos da ABB impediu a emissão de até 140 milhões de tons de CO2 em 2008 September 2, 2010 Slide 34

35 Principais Tecnologias Automação predial Tecnologia que monitora as atividades humanas e controla a temperatura: luz; persianas; aquecimento; ventilação e ar condicionado; segurança e vigilância; gerenciamento de energia O consumo de energia para iluminação de prédios pode ser reduzido em até 30% ( lampadas de menor consumo, uso de iluminação natural) O consumo de energia para aquecimento e ventilação pode ser reduzido em até 20% September 2, 2010 Slide 35

36 Principais Tecnologias Automação predial Tecnologia que monitora as atividades humanas e controla a temperatura: desligamento de cargas em determinado horário ( HORARIO DE PONTA ), sensores de presença e fotoelétricos, temporização de funcionamento, controle PID, programaçào horária. September 2, 2010 Slide 36

37 Outras Tecnologias para melhorar a eficiência Robótica Os robôs da ABB têm aplicações energeticamente eficientes (p/ex.: lavadores, pintura) Os robôs aumentam a produtividade, reduzem a quantidade de recursos necessários incluindo energia por unidade produzida Os robôs são cada vez mais utilizados na produção de painéis fotovoltaicos, ajudando a indústria solar a tornar-se mais competitiva Os próprios robôs tornaram-se energeticamente eficientes: têm peso reduzido, reutilização da energia de frenagem September 2, 2010 Slide 37

38 Outras Tecnologias para melhorar a eficiência HVDC e FACTS HVDC (corrente contínua de alta tensão ) Entre 7-8% da energia elétrica é perdida no aquecimento durante a transmissão e distribuição Aumentar a tensão da transmissão num fator 2 pode, teoricamente, reduzir as perdas elétricas num fator de 4 FACTS (sistema de transmissão de corrente alternada) Aumentar a capacidade das linhas de transmissão, reduzindo a necessidade de desenvolver nova infraestrutura Melhorar a qualidade da tensão September 2, 2010 Slide 38

39 Outras Tecnologias para melhorar a eficiência Gerenciamento de Redes O desafio das concessionárias é produzir apenas a quantidade de energia que é necessária e manter a tensão mais alta possível Distribuir o excesso de energia, ou permitir que a tensão reduza as perdas de energia O gerenciamento da rede permite que as concessionárias façam o monitoramento e controle de suas redes de apenas uma sala de controle, em tempo real Concessionárias podem definir o comportamento das redes para promover a operação de forma mais eficiente e segura As perdas são minimizadas pelo controle dos níveis de tensão na rede de transmissão September 2, 2010 Slide 39

40 Matriz Energética Primária Brasileira No Brasil, mais de 45% da oferta interna de energia, provém de fontes renováveis, enquanto a média mundial é de 14% e a média dos países desenvolvidos é de apenas 6% Nota: * Inclui lenha, carvão vegetal e outras renováveis. Fonte: EPE / MME 2009 September 2, 2010 Slide 40

41 Energia Renovável Energia Eólica Oportunidades em energia eólica tecnologia ABB Transformadores Subestação Compacta (também pode ser usada offshore). Conversores (converte energia intermitente para armazenamento, altera frequência das redes convencionais) Eletrônica de Potência (controle dos fluxos de energia instáveis ) HVDC Light (conexão subterrânea ou subaquática com a rede) Painéis e disjuntores Produtos de controle Transformadores Geradores de imã permanente (sem manutenção) Compensação estática VAR September 2, 2010 Slide 41

42 Energia renovável - Energia solar Todas as energias renovaveis são derivadas de uma forma ou outra da energia solar. Portanto o sol tem um potencial enorme para se tornar a fonte mais direta de energia renovavel.ele fornece, em tres dias, a energia equivalente a toda a reserva fossil subterranea Tem sido a fonte de energia renovavel a milhões de anos e agora tem um papel de liderança em fornecer esta energia a toda a sociedade num futuro proximo. September 2, 2010 Slide 42

43 Energia renovável - Energia solar No coração do sistema e gerenciando seu uso, está um eficiente inversor que converte a corrente continua para corrente alternada de alta qualidade e livre de impactos ambientais, para ser conectadas na rede elétrica. Soluções : Grandes fabricas Predios comerciais Predios residenciais September 2, 2010 Slide 43

44 Objetivo cumprido Quais seriam as soluções aplicáveis: Controle do fator de potencia Controle de harmonicos Controle de demanda Automação predial focando na economia ( iluminação, consumo de água, programação horária ). Motores mais eficientes Bombas e ventiladores com velocidade variável Energias alternativas September 2, 2010 Slide 44

45

Fator de Potência e Harmônicas

Fator de Potência e Harmônicas Fator de Potência e Harmônicas Filippe Dolgoff, 25 de outubro de 2014 Correção de fator de potência e harmônicas em instalações elétricas de baixa tensão Capacitores e Controladores Conteúdo Fator de potência

Leia mais

- Para se aumentar a quantidade de líquido (W), para o mesmo copo de chopp, deve-se reduzir a quantidade de espuma (VAr). Desta forma, melhora-se a

- Para se aumentar a quantidade de líquido (W), para o mesmo copo de chopp, deve-se reduzir a quantidade de espuma (VAr). Desta forma, melhora-se a 6. FATOR DE POTÊNCIA O fator de potência é uma relação entre potência ativa e potência reativa, conseqüentemente energia ativa e reativa. Ele indica a eficiência com a qual a energia está sendo usada.

Leia mais

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100.

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100. Consumo Consumo refere-se à energia consumida num intervalo de tempo, ou seja, o produto da potência (kw) da carga pelo número de horas (h) em que a mesma esteve ligada. Analisando graficamente o exemplo

Leia mais

Potência ativa (W): é a que realmente produz trabalho, isto é, faz os motores e os transformadores funcionarem.

Potência ativa (W): é a que realmente produz trabalho, isto é, faz os motores e os transformadores funcionarem. Fator de Potência e sua correção A energia elétrica consumida em uma instalação industrial é composta basicamente por duas parcelas distintas, que são: BANCO DE CAPACITORES Nota: Energia consumida por

Leia mais

H7- Analisar o fator de potência de um motor. Prof. Dr. Emerson S. Serafim

H7- Analisar o fator de potência de um motor. Prof. Dr. Emerson S. Serafim H7- Analisar o fator de potência de um motor. Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 Quais são as causas do BAIXO fator de potência? Motores SUPERdimensionados ou com POUCA carga. Lâmpadas de descarga: fluorescentes,

Leia mais

Sitec Power Soluções em Energia ENERGIA REATIVA E FATOR DE POTÊNCIA

Sitec Power Soluções em Energia ENERGIA REATIVA E FATOR DE POTÊNCIA ENERGIA REATIVA E FATOR DE POTÊNCIA O QUE É ENERGIA ATIVA E REATIVA? Sim, mas apesar de necessária, a utilização de Energia Reativa deve ser a menor possível. O excesso de Energia Reativa exige condutores

Leia mais

Teoria Princípio do Capacitor

Teoria Princípio do Capacitor Teoria Princípio do Capacitor Um capacitor consiste de dois pratos eletrodos isolados de cada lado por um dielétrico médio. As características de um capacitor são dependentes da capacitância e da tensão.

Leia mais

ENGEMATEC CAPACITORES

ENGEMATEC CAPACITORES ENGEMATEC CAPACITORES CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Confiança e economia na qualidade da energia. Equipamentos Elétricos e Elêtronicos de Potência Ltda 2 MODELOS DOS CAPACITORES TRIFÁSICOS PADRONIZADOS

Leia mais

Afinal, o que Gerenciamento de Energia tem a ver com Automação Industrial?

Afinal, o que Gerenciamento de Energia tem a ver com Automação Industrial? Afinal, o que Gerenciamento de Energia tem a ver com Automação Industrial? Por Murilo Riet Correa* Da forma como vamos mostrar aqui (com controlador inteligente) tem tudo a ver com automação industrial.

Leia mais

Excelência no uso da Energia Elétrica Abordagem de Problemas e Soluções. G.T. Capacitores

Excelência no uso da Energia Elétrica Abordagem de Problemas e Soluções. G.T. Capacitores Excelência no uso da Energia Elétrica Abordagem de Problemas e Soluções 1 Excelência no uso da Energia Elétrica 1- Conceito 2- Legislação atual em Baixa Tensão 3- Visão de Futuro/ Tendência Mundial 4-

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética www.siemens.com.br/eficiencia-energetica Siemens Ltda. Av. Mutinga, 3800 05110-902 Pirituba São Paulo - SP Eficiência Energética www.siemens.com.br/eficiencia-energetica Sustentabilidade e Eficiência Energética

Leia mais

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2014

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2014 CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2014 CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) - Objetivo: Manter o FP 0,92 Q

Leia mais

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA LIVRETO EXPLICATIVO LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA DEZEMBRO/2009 ELABORADO POR: CLÁUDIO F. DE ALBUQUERQUE ENG ELETRICISTA EDITADO POR: NELSON FUCHIKAMI LOPES ENG ELETRICISTA Índice 1 O que

Leia mais

EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES)

EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES) EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES) Baixos valores de fator de potência são decorrentes de quantidades elevadas de energia reativa. Essa condição resulta em aumento na corrente total que

Leia mais

Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48)

Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48) Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores CA-CC Monofásicos Controlados Prof.: Eduardo Simas eduardo.simas@ufba.br

Leia mais

A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor

A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor 1 A Solução de Problemas com Harmônicos em um Cliente Industrial: Uma Cooperação entre Concessionária e Consumidor Flávio R. Garcia(*), Tércio dos Santos e Alexandre C. Naves SADEFEM S/A Ernesto A. Mertens,

Leia mais

DEMANDA Sob Controle. Halten Soluções Técnicas. Elaborado por : Ronaldo Paixão 24-8124-1598 / 24-2245-6401 www.halten.com.br ronaldo@halten.com.

DEMANDA Sob Controle. Halten Soluções Técnicas. Elaborado por : Ronaldo Paixão 24-8124-1598 / 24-2245-6401 www.halten.com.br ronaldo@halten.com. DEMANDA Sob Controle Halten Soluções Técnicas Elaborado por : Ronaldo Paixão 24-8124-1598 / 24-2245-6401 www.halten.com.br ronaldo@halten.com.br INTRODUÇÃO Para a adoção de estratégias para a otimização

Leia mais

CORREÇÃO DO FATOR DE POTËNCIA

CORREÇÃO DO FATOR DE POTËNCIA MINI - CURSO CORREÇÃO DO FATOR DE POTËNCIA DIMENSIONAMENTO / INSTALAÇÃO BANCOS DE CAPACITORES Equipe de Engenharia de Aplicação Capítulo I Correção do Fator de Potência 1 Introdução 1.1 - Efeitos Fundamentais

Leia mais

Como reduzir sua conta de energia elétrica

Como reduzir sua conta de energia elétrica Como reduzir sua conta de energia elétrica Com REDULIGHT você tem energia de melhor qualidade e economiza até 25% na conta Saiba como O que é e como funciona o filtro REDULIGHT O Redulight é um Filtro

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos Instalação de Banco de Capacitores em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.008 2ª Folha 1 DE 9 26/10/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I QUALIDADE DE ENERGIA 1-Introdução ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I Desde o princípio do método de transmissão de energia elétrica utilizando CA, ou ondas senoidais, o aparecimento de componentes harmônicas é um

Leia mais

Faturamento de Reativo pelas Concessionárias de Energia Elétrica

Faturamento de Reativo pelas Concessionárias de Energia Elétrica Faturamento de Reativo pelas Concessionárias de Energia Elétrica Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP: 91040-600 Porto Alegre RS Brasil Fone: (51)2131-2407

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Workshop Etapa BRASÍLIA CEB CEB 01 UPS 150 kva IGBT/IGBT BASEADO NAS INFORMAÇÕES DO DIAGRAMA UNIFILAR APRESENTADO, DEFINIR: 1 - Corrente nominal

Leia mais

Demanda e Fator de Potência. Qualidade e Eficiência Energética

Demanda e Fator de Potência. Qualidade e Eficiência Energética Demanda e Fator de Potência Qualidade e Eficiência Energética 4 Agenda Agenda Qualidade e Eficiência Energética 7 Legislação sobre Eficiência Energética Plano Nacional de Energia ISO 51000 Sistemas de

Leia mais

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM Geradores de turbinas eólicas O aerogerador converte a energia mecânica em energia elétrica. Os aerogeradores são não usuais, se comparados com outros equipamentos geradores conectados a rede elétrica.

Leia mais

ENTENDENDO O FATOR DE POTÊNCIA

ENTENDENDO O FATOR DE POTÊNCIA ENTENDENDO O FATOR DE POTÊNCIA Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP: 91040-600 Porto Alegre RS Brasil Fone: (51)2131-2407 Fax: (51)2131-2469 engenharia@cp.com.br

Leia mais

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA A tensão alternada senoidal é a qual utilizamos em nossos lares, na indústria e no comércio. Dentre as vantagens, destacamos: Facilidade de geração em larga escala; Facilidade

Leia mais

TÉCNICAS DE PROJETO DE BANCOS AUTOMÁTICOS PARA CORREÇÃO DE FATOR DE POTÊNCIA

TÉCNICAS DE PROJETO DE BANCOS AUTOMÁTICOS PARA CORREÇÃO DE FATOR DE POTÊNCIA TÉCNICAS DE PROJETO DE BANCOS AUTOMÁTICOS PARA CORREÇÃO DE FATOR DE POTÊNCIA BOLETIM TÉCNICO 19/07 1. POR QUE CORRIGIR O FATOR DE POTÊNCIA? A correção de fator de potência é importante, em primeiro lugar,

Leia mais

Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética

Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética Sistemas para Gerenciamento de Energia Fundação Santo André 25/03/08 Por: Eng. André F. Obst Depto. de Eficiência Energética Objetivo Entender

Leia mais

Gerenciamento de Energia

Gerenciamento de Energia Gerenciamento de Energia Mapa do Cenário Brasileiro Capacidade total de quase 88.500MW; Geração de 82.000MW; Transmissão de 80.000Km maiores que 230kV; mais de 530 usinas e subestações; 47 milhões de consumidores.

Leia mais

Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva

Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva Conceitos e definições para correção do fator de potência através de carga capacitiva anobra de capacitores Na ligação de capacitores a uma rede ocorre um processo transitório severo até que seja atingido

Leia mais

Medidas de mitigação de harmônicos

Medidas de mitigação de harmônicos 38 Apoio Harmônicos provocados por eletroeletrônicos Capítulo XII Medidas de mitigação de harmônicos Igor Amariz Pires* A maneira mais comum de mitigar harmônicos é por meio da utilização de filtros. O

Leia mais

Compensação. de Factor de Potência

Compensação. de Factor de Potência Compensação de Factor de Potência oje em dia, praticamente todas as instalações eléctricas têm associadas aparelhos indutivos, nomeadamente, motores e transformadores. Este equipamentos necessitam de energia

Leia mais

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PEA - Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Eletrotécnica Geral Lista de Exercícios 2 1. Condutores e Dispositivos de Proteção 2. Fornecimento

Leia mais

Correção de Fator de Potência Guia para o Engenheiro de Fábrica

Correção de Fator de Potência Guia para o Engenheiro de Fábrica Correção de Fator de Potência Guia para o Engenheiro de Fábrica Engecomp Sprague Capacitores Ltda. O que é fator de potência? Características especiais das cargas indutivas A maioria das cargas dos modernos

Leia mais

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los 1/ 9 Imprimir PROJETOS / Energia 20/08/2012 10:20:00 Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los Na primeira parte deste artigo vimos que a energia

Leia mais

CATÁLAGO TÉCNICO SOLUÇÕES EM ECONOMIA DE ÁGUA E ENERGIA.

CATÁLAGO TÉCNICO SOLUÇÕES EM ECONOMIA DE ÁGUA E ENERGIA. CATÁLAGO TÉCNICO MODELO TRIFÁSICO MODELO BIFÁSICO FILTRO REDU-LUZ O que é SISTEMA REDU-LUZ Trata-se de filtro de linha capacitivo, montado em caixa ABS, encapsulado em resina inífoga (não propagadora de

Leia mais

Podem-se destacar alguns equipamentos responsáveis pelo baixo fator de potência nas instalações elétricas:

Podem-se destacar alguns equipamentos responsáveis pelo baixo fator de potência nas instalações elétricas: 4. FATOR DE POTÊNCIA Um baixo fator de Potência pode vir a provocar sobrecarga em cabos e transformadores, aumento das perdas do sistema, aumento das quedas de tensão, e o aumento do desgaste em dispositivos

Leia mais

SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DE ENERGIA REATIVA EM TEMPO REAL LIVRE DE TRANSIENTES - ELSPEC

SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DE ENERGIA REATIVA EM TEMPO REAL LIVRE DE TRANSIENTES - ELSPEC SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DE ENERGIA REATIVA EM TEMPO REAL LIVRE DE TRANSIENTES - ELSPEC Submetemos a vossa apreciação informações sobre o sistema de compensação de energia reativa em tempo real, livre de

Leia mais

Capacitores: Instalação e Correção do Fator de Potência

Capacitores: Instalação e Correção do Fator de Potência Capacitores: Instalação e Correção do Fator de Potência I. CONSIDERAÇÕES GERAIS 3 I.1 CONCEITOS BÁSICOS 3 I.2 CONSEQÜÊNCIAS DO EXCESSO DE ENERGIA REATIVA (KVAR) 4 II. CAPACITORES 7 III. INSTALAÇÃO DE BANCO

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

Novo Medidor Eletrônico

Novo Medidor Eletrônico Novo Medidor Eletrônico Neste material, você encontra todas as informações sobre o novo equipamento que vai medir o consumo de energia elétrica da sua instalação. bandeirante Instalação do medidor eletrônico

Leia mais

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão Smart Grid Trends & Best Practices 17 e 18 de Outubro de 2013 Salvador-BA Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes Djalma M. Falcão Redes Elétricas Inteligentes

Leia mais

14 TARIFAS ENERGIA ELÉTRICA

14 TARIFAS ENERGIA ELÉTRICA 14.1 Introdução. 14 TARIFAS ENERGIA ELÉTRICA A Tarifa de energia elétrica tem como meta servir de referência sobre o custo da eletricidade para os consumidores. Uma tarifa justa deve refletir reais custos

Leia mais

CORRECÇÃO DO FACTOR DE POTÊNCIA DE UMA INSTALAÇÃO ELÉCTRICA

CORRECÇÃO DO FACTOR DE POTÊNCIA DE UMA INSTALAÇÃO ELÉCTRICA CORRECÇÃO DO FACTOR DE POTÊNCIA DE UMA INSTALAÇÃO ELÉCTRICA Sobre o custo da energia eléctrica inside, consideravelmente, a penalização por baixo factor de potência (Cos ϕ) de acordo com o contrato com

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Instalações Elétricas Industriais CAPÍTULO 01 INTRODUÇÃO Flexibilidade: admitir mudanças nas localizações dos equipamentos,

Leia mais

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Procurando reduzir gastos com energia? Por que não aumentar a produtividade ao mesmo tempo? Reduzir os custos operacionais usando a energia com eficiência

Leia mais

3 Potência Reativa. 3.1. Definição

3 Potência Reativa. 3.1. Definição Potência Reativa 25 3 Potência Reativa A previsão de potência reativa tem significância técnica e econômica, pois o balanço de reativos em um Sistema de Energia Elétrica muitas vezes exige a instalação

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010 3 - Sistemas em Corrente Alternada Carlos Marcelo Pedroso 18 de março de 2010 1 Considerações sobre Potência e Energia A potência fornecida a uma carga à qual está aplicada um tensão instantânea u e por

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 17 Procedimentos para Correção do Fator de Potência 05/04 1 Descrições Gerais 1.1 Determinação Nacional Visando a otimização do consumo racional de energia elétrica gerada no país,

Leia mais

Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais

Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais 01) Considerando a figura abaixo, determine: a) Tensão de pico; b) Tensão pico a pico; c) Período; d) Freqüência. 02) Considerando a

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

GUIA DE APLICAÇÃO DE CAPACITORES BT

GUIA DE APLICAÇÃO DE CAPACITORES BT GUIA DE APLICAÇÃO DE Neste guia você tem um resumo detalhado dos aspectos mais importantes sobre aplicação de capacitores de baixa tensão para correção do fator de potência. Apresentando desde conceitos

Leia mais

Transformadores trifásicos

Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Por que precisamos usar transformadores trifásicos Os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 1 Componente Curricular: Práticas de Acionamentos Eletrônicos PAE 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 OBJETIVO: 1) Efetuar a programação por meio de comandos de parametrização para

Leia mais

Produtos & Serviços. Banco de Capacitores

Produtos & Serviços. Banco de Capacitores HV Denki Engenharia Apresentação A HV Denki é um empresa de engenharia com foco na Eficiência e na Qualidade de Energia, tem como objetivo oferecer aos seus clientes a melhor opção de solução, assim como

Leia mais

Webinar ABB - Voltimum Softstarter Especificação, Aplicação e Vantagens

Webinar ABB - Voltimum Softstarter Especificação, Aplicação e Vantagens ABB Produtos Baixa Tensão Seminário online Economia de energia através de Inversores de frequência e seu funcionamento Webinar ABB - Voltimum Softstarter Especificação, Aplicação e Vantagens Por: José

Leia mais

Correção do Fator de Potência

Correção do Fator de Potência Correção do Fator de Potência Prof. Roberto V. Maffei Prof. João Gilberto A. Chagas Filho Chapecó, 2015. 1 Elaboração: Roberto V. Maffei Revisão: João Gilberto A. Chagas Filho Propriedade da Unidade Central

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net Tecnologia para minimizar o consumo das indústrias. Sustentabilidade para maximizar a qualidade de vida das pessoas. O sol é uma

Leia mais

LINHA VOLT/X-POWER. Catalogo Produto 600 700 1200 1400VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda

LINHA VOLT/X-POWER. Catalogo Produto 600 700 1200 1400VA. Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Catalogo Produto LINHA VOLT/X-POWER 600 700 1200 1400VA Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: www.engetron.com.br As informações contidas neste

Leia mais

Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores)

Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores) Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina Eletrônica de Potência (ENGC48) Tema: Conversores de Corrente Contínua para Corrente Alternada (Inversores)

Leia mais

Boletim Te cnico. Tema: BT002 Fontes para lâmpadas UV

Boletim Te cnico. Tema: BT002 Fontes para lâmpadas UV Boletim Te cnico Tema: BT002 Fontes para lâmpadas UV As fontes para lâmpadas ultravioleta são os circuitos de potência responsáveis pela alimentação das lâmpadas de média pressão. São também conhecidas

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 13. Unidade 1: Revisão de eletricidade básica. 1.1 Primeiras palavras... 17. 1.2 Problematizando o tema... 17

APRESENTAÇÃO... 13. Unidade 1: Revisão de eletricidade básica. 1.1 Primeiras palavras... 17. 1.2 Problematizando o tema... 17 ........... Sumário APRESENTAÇÃO.... 13 Unidade 1: Revisão de eletricidade básica 1.1 Primeiras palavras.... 17 1.2 Problematizando o tema... 17 1.3 Texto básico para estudos.... 17 1.3.1 Tensão Contínua

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 ANÁLISE DE DISTORÇÕES HARMÔNICAS Michelle Borges de Oliveira¹; Márcio Aparecido Arruda² ¹Universidade de Uberaba, Uberaba Minas Gerais ²Universidade de Uberaba, Uberaba Minas Gerais oliveiraborges.michelle@gmail.com;

Leia mais

INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES

INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES INDUTOR DE BLOQUEIO TRIFÁSICO PARA BANCO DE CAPACITORES A Energia Elétrica vem se tornando, cada vez mais, um bem muito importante para a Indústria e, sua utilização eficiente deve ser um objetivo importante.

Leia mais

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES PROJETOS DE HOSPITAIS SUSTENTÁVEIS EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES É importante destacar os benefícios de um edifício sustentável. Os green buildings podem ser definidos pelas seguintes

Leia mais

EFCIÊNCIA ENERGÉTICA

EFCIÊNCIA ENERGÉTICA 1 UNIVERSODADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI CENTRO DE TECNOLOGIA CT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROFESSOR: Dr. RAFAEL DE SOUSA MATIAS EFCIÊNCIA ENERGÉTICA GRUPO 02: ANDRÉ

Leia mais

ANALISADOR DE ENERGIA CEM 1000

ANALISADOR DE ENERGIA CEM 1000 ANALISADOR DE ENERGIA CEM 1000 MANUAL DE INSTRUÇÕES ANALISADOR DE ENERGIA CEM1000 1.- INTRODUÇÃO: O analisador de energia CIBER modelo CEM1000, mede, calcula e totaliza as principais grandezas elétricas

Leia mais

20 m. 20 m. 12. Seja L a indutância de uma linha de transmissão e C a capacitância entre esta linha e a terra, conforme modelo abaixo:

20 m. 20 m. 12. Seja L a indutância de uma linha de transmissão e C a capacitância entre esta linha e a terra, conforme modelo abaixo: ENGENHEIRO ELETRICISTA 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Um sistema de proteção contra descargas atmosféricas do tipo Franklin foi concebido para prover a segurança de uma edificação

Leia mais

Sistemas de Força Motriz

Sistemas de Força Motriz Sistemas de Força Motriz Introdução; Os Dados de Placa; Rendimentos e Perdas; Motor de Alto Rendimento; Partidas de Motores; Técnicas de Variação de Velocidade; Exemplos; Dicas CONSUMO DE ENERGIA POR RAMO

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

Qualidade de energia Correção de fator de potência e harmônicas em instalações elétricas

Qualidade de energia Correção de fator de potência e harmônicas em instalações elétricas Produtos de Baixa Tensão Qualidade de energia Correção de fator de potência e harmônicas em instalações elétricas Por: Talles Amaral Engenheiro de Aplicação Introdução Os equipamentos elétricos/eletrônicos

Leia mais

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO UTILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO UTILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS COMPENSAÇÃO DE REATIVOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO TILIZANDO COMPENSADORES ESTÁTICOS FIXOS Paulo H. O. Rezende, Fabrício P. Santilho, Lucas E. Vasconcelos, Thiago V. Silva Faculdade de Engenharia Elétrica,

Leia mais

Energia e produtividade para um mundo melhor Perfil do Grupo

Energia e produtividade para um mundo melhor Perfil do Grupo Energia e produtividade para um mundo melhor Perfil do Grupo Nossas tecnologias podem tornar invisível a transmissão de energia em alta tensão Nossos sistemas de monitoramento encontram vazamentos em redes

Leia mais

Correção do Fator de Potência e Redução da Distorção Harmônica em planta industrial por meio de Banco de Capacitor Dessintonizado.

Correção do Fator de Potência e Redução da Distorção Harmônica em planta industrial por meio de Banco de Capacitor Dessintonizado. Correção do Fator de Potência e Redução da Distorção Harmônica em planta industrial por meio de Banco de Capacitor Dessintonizado. Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar resultados obtidos de

Leia mais

TLA-Capacitores 1 NORMA PARA INSTALAÇÃO DE BANCO DE CAPACITORES EM BAIXA TENSÃO ÍNDICE PÁG.

TLA-Capacitores 1 NORMA PARA INSTALAÇÃO DE BANCO DE CAPACITORES EM BAIXA TENSÃO ÍNDICE PÁG. ÍNDICE 1. OBJETIVO...2 2. RESPONSABILIDADES...2 3. CONCEITUAÇÃO...2 3.1 CAPACITOR...2 3.2 CARGAS NÃO LINEARES...2 3.3 BANCO CAPACITIVO...2 3.4 CARGA INSTALADA...2 3.5 POTÊNCIA ATIVA...2 3.6 POTÊNCIA...2

Leia mais

Introdução ao Sistema Elétrico

Introdução ao Sistema Elétrico Fundação Universidade INTRODUÇÃO Federal de Mato AO Grosso SISTEMA do Sul ELÉTRICO 1 Princípios de Eletricidade e Eletrônica Introdução ao Sistema Elétrico Universidade Federal de Mato Grosso do Sul FAENG

Leia mais

Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta. Schneider Electric Buildings/Eco Business fev/14

Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta. Schneider Electric Buildings/Eco Business fev/14 Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta 1 Schneider Brasil 2 Schneider Electric Brasil em números Líder global na gestão de energia 66 anos de presença local Mais de 5000 colaboradores 13

Leia mais

Introdução à Eletrônica de Potência

Introdução à Eletrônica de Potência Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Eletrônica de Potência Introdução à Eletrônica de Potência Florianópolis, setembro de 2012. Prof.

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS ELÉTRICAS DE SUBESTAÇÕES PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES Um transformador (ou trafo) é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência

Leia mais

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no Energia ao seu alcance Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no desenvolvimento de projetos elétricos, laudos,

Leia mais

Alexandre Arcon, M.Sc. ABINEE TEC 2007 Abril, 2007. Soluções para Qualidade e Eficiência em Transmissão de Energia

Alexandre Arcon, M.Sc. ABINEE TEC 2007 Abril, 2007. Soluções para Qualidade e Eficiência em Transmissão de Energia Alexandre Arcon, M.Sc. Gerente Eng. Subest. ABB PSS - Subestações Soluções para Qualidade e Eficiência em Transmissão de Energia ABINEE TEC 2007 Abril, 2007 Sumário Introdução: Qualidade e eficiência em

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

de Sistemas de Potência Aula 25 Compensação reativa Controles relacionados com a potência reativa disponíveis no sistema

de Sistemas de Potência Aula 25 Compensação reativa Controles relacionados com a potência reativa disponíveis no sistema Análise de Sistemas de Potência Aula 25 Compensação Reativa 7/06/2008 Compensação reativa O fluxo da potência reativa nos sistemas elétricos, está fortemente relacionado com a magnitude da tensão as perdas

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 4) «21. As Normas Regulamentares trazem especificações para diversas áreas técnicas a NR-10trata especialmente de qual área? a) Instalaçõeselétricasprediais.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM CENTRO DE TECNOLOGIA CT GRUPO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA E CONTROLE - GEPOC SEPOC 2010 FILTRO ATIVO DE POTÊNCIA SÉRIE PARALELO APRESENTADOR: MÁRCIO STEFANELLO,

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO DA COSTA 1, Cinthya Borges Lopes DA SILVA 2, Michele Gomes FERREIRA 3, João Marcelo Dias

Leia mais

3. Determinação dos condutores (CCMs, QDL, QGF, circuitos terminais, etc.);

3. Determinação dos condutores (CCMs, QDL, QGF, circuitos terminais, etc.); Instalações Elétricas Industriais Professor:Fábio Bertequini Leão Programa de Ensino ELE 1093 1 - Elementos de Projeto Formulação de um Projeto Elétrico Roteiro para elaboração de um Projeto Elétrico Industrial:

Leia mais

MMW01 e PFW01 Multimedidor de grandezas elétricas e Controlador automático do fator de potencia

MMW01 e PFW01 Multimedidor de grandezas elétricas e Controlador automático do fator de potencia MMW01 e PFW01 Multimedidor de randezas elétricas e Controlador automático do fator de potencia Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net MMW01 e PFW01 MMW01 - Multimedidor de

Leia mais

Economize energia e CO2 hoje As soluções estão prontas! 517milhões. de toneladas de CO2

Economize energia e CO2 hoje As soluções estão prontas! 517milhões. de toneladas de CO2 MAKING MODERN LIVING POSSIBLE Economize energia e CO2 hoje As soluções estão prontas! 517milhões de toneladas de CO2 poderiam ser economizadas se a Europa dobrasse o uso que faz de aquecimento distrital

Leia mais

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Filippe Pereira Dolgoff Engenheiro de Aplicação Produtos e Sistema de Baixa Tensão ABB 1 INTRODUÇÃO Um sistema elétrico

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

Figura 1 - Diagrama de Bloco de um Inversor Típico

Figura 1 - Diagrama de Bloco de um Inversor Típico Guia de Aplicação de Partida Suave e Inversores CA Walter J Lukitsch PE Gary Woltersdorf John Streicher Allen-Bradley Company Milwaukee, WI Resumo: Normalmente, existem várias opções para partidas de motores.

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

FLUXO HARMÔNICO EM PLANTA COMERCIAL NA PRESENÇA DE GRUPO GERADOR

FLUXO HARMÔNICO EM PLANTA COMERCIAL NA PRESENÇA DE GRUPO GERADOR Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica Curso de Engenharia Elétrica Curso de Engenharia de Controle e Automação FLUXO HARMÔNICO EM PLANTA COMERCIAL NA PRESENÇA

Leia mais

CONCEITO TÉCNICO Alltech Energia

CONCEITO TÉCNICO Alltech Energia CONCEITO TÉCNICO Alltech Energia O filtro de energia elétrica Alltech Energia é um equipamento denominado FILTRO PASSA FAIXA MICRO-PROCESSADO. Nosso equipamento é composto por três placas: uma CAPACITIVA,

Leia mais