Aspectos políticos e econômicos da África SUMÁRIO DE AULA. Objetivos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos políticos e econômicos da África SUMÁRIO DE AULA. Objetivos"

Transcrição

1 CLUBE MILITAR DEP. CULTURAL DIV. DE CURSOS SERAPREP / CM UNIDADE ÁFRICA ASSUNTO ASPECTOS POLÍTICOS E ECONÔMICOS DA ÁFRICA OBJETIVOS II. 07 à II. 13 ORIENTADOR Cel Benedito da Silva SERRA Junior SUMÁRIO DE AULA Objetivos Caracterizar o espaço africano, em especial posição, orografia, hidrografia, litoral, vegetação e clima, destacando as grandes regiões africanas e a organização e ocupação desse espaço; Identificar os principais países africanos que mantém relações internacionais com o Brasil; Caracterizar a estrutura política dos principais países africanos que mantém relações internacionais com o Brasil; Explicar a estrutura econômica dos principais países africanos que mantém relações internacionais com o Brasil; Caracterizar a participação dos principais países africanos que mantém relações internacionais com o Brasil nos organismos de segurança mundial e regionais; Apresentar tendências e atitudes dos principais países africanos que mantém relações internacionais com o Brasil, com relação à política externa brasileira; Analisar as possibilidades atuais e futuras de comércio exterior entre os países africanos e o Brasil. a. África A África encontra-se à margem da globalização. Não por opção política, mas por causa defasagem econômica. A cada ano, o continente vê aumentar o abismo que o separa do mundo desenvolvido. Por quê? Não existe uma explicação única. Mas, paradoxalmente, o principal motivo da atual exclusão africana foi sua inclusão forçada no circuito global do passado. Até a Segunda metade do século xx, o continente esteve sob o domínio das potências colonialistas européias. Imensas riquezas naturais foram-lhe subtraídas (inclusive seres humanos transformados em escravos e trazidos para a América entre os séculos XVI e XIX). Seus grupos étnicos foram divididos e separados em colônias ou agrupados contra a vontade em Territórios comuns. O trauma desses processos ainda não foi superado. Por esse e outros fatores, a África responde por menos de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, tem Quase metade da população vivendo abaixo da linha da pobreza (com renda inferior a 1 dólar por dia) e está sendo devastada por uma epidemia de AIDS. Disputas por recursos minerais e rivalidades étnicas provocaram, nos últimos 40 anos dezenas de conflitos armados, que mataram milhões de pessoas e causaram migrações 38 E.H.

2 maciças. Para reverter esse quadro desolador, os países do continente criaram, em julho 2002, a União Africana, inspirada na União Européia. Ela prevê a implementação programas de desenvolvimento. E acena com a futura eliminação das fronteiras. Porém enorme carga de problemas torna esse objetivo difícil de ser alcançado. b. As duas Áfricas. O continente africano, com cerca de 30 milhões de km 2, tem duas sub-regiões claramente delimitadas: a África Branca ou Setentrional e a África Negra, ou Subsaariana. O limite natural entre ambas é o deserto do Saara. Os cinco países da África Branca têm características físicas e humanas semelhantes às do Oriente Médio. Seu clima é desértico e a região é ocupada desde o século VII por povos árabes, responsáveis pela difusão do islamismo e da língua e da cultura árabes. A porção mais ocidental, conhecida como Magreb ( poente em árabe), a África Branca compreende o Marrocos, a Argélia, a Tunísia, a Líbia e o Egito. A África Subsaariana, bem mais extensa, reúne a maioria da população, predominantemente negra. Nessa região concentram-se alguns dos principais problemas econômicos e sociais do planeta. Índices alarmantes de desnutrição são registrados na Somália (75%), Burundi (66%) e República Democrática do Congo (64%). Lá também vivem 28,5 dos 40 milhões de portadores do vírus HIV no mundo em no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), feito pela ONU, as 27 últimas colocações, de um total de 173, pertencem a nações africanas situadas, na maioria, ao sul do Saara. Outro flagelo da região são as guerras civis que opõem diferentes grupos étnicos e os ciclos aparentemente intermináveis de golpes e contragolpes de Estado. c. População Enquanto os desertos são praticamente despovoados, o vale do rio Nilo, por exemplo, apresenta densidade média superior a 800 hab / km 2. E há centros urbanos intensamente povoados como Cairo, Argel e Cidade do Cabo. Verifica-se o predomínio das religiões nativas (aparentadas com o candomblé do Brasil) nos países ao sul do Saara e do islamismo nas nações do norte. Existem também importantes enclaves cristãos como os da Etiópia (um dos países de cristianização mais antigos do mundo) e outros decorrentes da colonização européia. Há enorme diversidade lingüística: as línguas e os dialetos locais, do tronco africano, convivem com idiomas introduzidos pelos europeus, em especial o inglês, o francês e o africâner (uma corruptela do holandês falado no século XVII). d. Economia A África é o continente menos desenvolvido do mundo. Os poucos pólos de desenvolvimento se devem à exploração mineral (África do Sul, Líbia, Nigéria e Argélia) e, em menor escala, à industrialização (África do Sul). A África do Sul é a maior extratora de minérios do continente e detém, sozinha, quase um quarto do PIB africano. O continente continua a ser essencialmente agrícola. Monoculturas de exportação (café, cacau, algodão, amendoim etc) alternam-se com lavouras de subsistência. Por isso, cerca de 90% da receita de exportação da África provém da mineração. Na extração de petróleo e gás natural destacam-se a Líbia, a Nigéria e a Argélia. A África registrou decréscimo da renda per capita (de -0,8% a -1,2%) entre 1970 e 1995 (dados do Banco mundial). 1. OCUPAÇÃO E ORGANIZAÇÃO A história africana consigna a presença de diversas civilizações nativas, desde a egípcia até os reinos negros de Gana, Mali, Shongai e outros. 39 E.H.

3 A partir do século XV, teve início a colonização européia que compreendeu três fases: a primeira, de caráter meramente mercantilista entre os séculos XV e XVIII, consistiu na ocupação de pontos do litoral onde se instalavam entrepostos e feitorias de apoio ao comércio; a segunda fase, a partir do século XVIII, foi marcada pela ocupação territorial de forma desordenada e visando apenas à exploração de recursos naturais. o choque de interesses dos colonizadores levaria à Conferência de Berlim (Dez Fev. 1885) que redundou na partilha da África, feita de forma despótica, sem considerar a organização e a situação dos povos nativos. Essa partilha (3ª fase) prevaleceu até a independência dos países africanos, ocorrida, em sua maioria, após a Segunda Guerra Mundial, e foi responsável, em boa parte, pelos inúmeros conflitos que ainda afligem o continente. A partir de então, as jovens nacionalidades africanas vêm lutando para superar o subdesenvolvimento econômico e os antagonismos políticos que deterioram, ainda mais, o já fragilizado tecido social herdado da colonização. 2. PAÍSES Total: 53 - África do Sul, Angola, Argélia, Benin, Botsuana, Burkina Fasso, Burundi, Cabo Verde, Camarões, Chade, Comores, Congo, Costa do Marfim, Djibuti, Egito, Eritréia, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Lesoto, Libéria, Líbia, Madagáscar, Malauí, Mali, Marrocos, Maurício, Mauritânia, Moçambique, Namíbia, Níger, Nigéria, Quênia, República Centro-Africana República Democrática do Congo, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Seicheles, Somália, Suazilandia, Sudão, Tanzânia, Togo, Tunísia, Uganda, Zâmbia, Zimbábue. 3. ASPECTOS SOCIAIS a. Etnias, línguas e religiões: Na África do Norte, predominam os árabes, egípcios e berberes. A língua principal é o árabe e a religião, o islamismo. Na África Subsaariana, a maioria da população está classificada em dois grupos etnolingüísticos: os bantos (regiões central e meridional) e os sudaneses (região ocidental). A estes dois grandes conjuntos, somam-se minorias negras, além de brancos e asiáticos. Existe, aí, uma grande variedade de línguas e dialetos nativos convivendo com idiomas europeus. No campo religioso, o islamismo e o cristianismo dividem as preferências com os cultos animistas praticados por boa parte da população nativa. O islamismo, que é predominante na África do Norte, avança através do Saara e do litoral do Índico, alcançando maioria em vários países subsaarianos, inclusive na Nigéria, o mais populoso da África. O islamismo político, cujos seguidores são denominados fundamentalistas, é o movimento que apresentou nos últimos 15 anos, o maior crescimento no continente africano. Iniciado com a Revolução Islâmica no Irã no final dos anos 70, esse movimento pretende implantar, nos países cuja população é muçulmana, regimes islâmicos de governo. Nesse regime, a ação governamental fica subordinada aos códigos morais e religiosos estabelecidos no Corão, o livro sagrado dos muçulmanos. b. Demografia: O contingente populacional africano atinge 750 milhões de habitantes e apresenta um crescimento médio de 2,6 a 3,0 %, as mais altas taxas do mundo. Sua distribuição é irregular, 40 E.H.

4 mercê da fisiografia do continente e do processo de ocupação. O continente vive um processo de urbanização acelerado, devido ao êxodo rural, que agrava o desemprego e as condições de vida nas cidades. As maiores cidades africanas são: Cidade do Cabo, Johanesburgo, Durhan e Pretória (na África do Sul), Luanda (em Angola), Argel (na Argélia), Douala (em Camarões), Abidjan (na Costa do Marfim), Cairo, El Giza e Alexandria (no Egito), Adis-Abeba (na Etiópia), Conocri (na Guiné), Antanarivo (em Madagáscar), Casa Blanca e Rabat (em Marrocos) Lagos e Ibadan (na Nigéria), Nairobi (no Quênia), Kinshasa (na República Democrática do Congo), Dacar (no Senegal), Omdurman (no Sudão), Dar Es Salaam (na Tanzânia), Harare (no Zimbábue) c. Educação: A África Subsaariana apresenta o maior índice de analfabetismo do mundo aliado ao menor índice de educação superior. d. Subnutrição: A África Subsaariana apresenta o maior índice de subnutrição do mundo. e. Saúde: A África Subsaariana apresenta o maior índice de mortalidade infantil do mundo. f. Qualidade de vida: Os menores índices de IDH do mundo registram-se na África, em Serra Leoa, Níger, Burundi e Moçambique. g. Condições de vida: Em geral, são precárias as condições de vida no continente. O quadro é um pouco melhor na África do Norte mas, mesmo lá, existem bolsões de extrema pobreza, particularmente no Egito. Na África Subsaariana, há sérias deficiências nos setores alimentar, educacional, sanitário e habitacional. Grandes contingentes populacionais vivem em condições sub-humanas e são vítimas da forme, do analfabetismo e das doenças. 4. ASPECTOS POLÍTICOS África do Sul - É o país com maior número de portadores do HIV com conseqüência direta na condição política e econômica do país. A África Subsaariana detém 70% de todos os aidéticos do planeta. - Apartheid Angola - Em paz após a morte de Jonas Savimbi em abril de MPLA X UNITA firmam um cessar fogo após 30 anos de guerra civil (1 milhão de mortes). Argélia Fundamentalismo islâmico de responsabilidade do Grupo Islâmico Armado (GIA). Marrocos Problema com o Saara Ocidental (região ao sul do Marrocos) disputado entre o Marrocos (pretende anexar esse território) e a Frente Polisário (pretende a independência da região). 41 E.H.

5 República Democrática do Congo Em paz. As tropas de Ruanda e Uganda retiraram-se em outubro de 2002 da RDC (2,5 milhões de mortos). Ruanda Guerra civil entre hutus e tutsis em 1994; massacre dos hutus com mortes. Os responsáveis por esse genocídio estão sendo julgados por tribunais internacionais. Egito Fundamentalismo islâmico de responsabilidade da Irmandade Muçulmana do Egito. 5. ECONOMIA AFRICANA a. Recursos naturais: ricas florestas, já em adiantado processo de devastação; fauna diversificada, que dinamiza o turismo, importante fonte de renda no continente; extraordinário potencial em recursos minerais, já, em parte, objeto de aproveitamento. b. Produção mineral: 1) Energéticos: Carvão: África do Sul, Malani, Marrocos, Moçambique, Namíbia, Níger, Nigéria, Suazilândia Petróleo: Angola, Argélia (um dos maiores produtores mundiais), Benin, Camarões (principal produto), Congo, Costa do Marfim, Egito, Gabão, Guiné Equatorial, Líbia (base da economia), Nigéria (responde por 90% das exportações), República Democrática do Congo, Tunísia Gás natural: Argélia, Congo, Costa do Marfim, Egito, Guiné Equatorial, Líbia, Nigéria 2) Metais preciosos: Ouro: África do Sul, (maior produtor mundial), Burkina Fasso, Burundi, Costa do Marfim, Etiópia, Gana (produção entre os dez mais importantes do mundo), Guiné, Libéria, Mali, Mauritânia, Namíbia, Quênia, Serra Leoa, Sudão, Tanzânia, Uganda, Zimbábue; Prata: Mali, Zimbábue; Platina: África do Sul; Diamantes: África do Sul, Angola, Botsuana, Costa do Marfim, Gana, Guiné, Lesoto, Libéria, Moçambique, Namíbia, República Centro Africana, República Democrática do Congo (líder mundial na produção), Serra Leoa (principal atividade econômica), Suazilândia, Tanzânia Pedras semi-preciosas: Madagáscar Pedras preciosas: Madagáscar Rubi: Quênia Safira: Quênia Esmeralda: Zimbábue 3) Ferrosos: Ferro: África do Sul, Angola, Argélia, Egito, Libéria, Mali, Mauritânia (uma das maiores reservas do mundo) Moçambique, Namíbia, Nigéria, Zimbábue; Manganês: Angola, Egito, Gabão, Gana, Guiné, Namíbia; 42 E.H.

6 4) Não-ferrosos: Cobre: Angola, Botsuana, Namíbia, República Democrática do Congo, Zâmbia, Zimbábue; Níquel: Botsuana, Zimbábue; Bauxita: Gana Guiné, Moçambique, Serra Leoa; Chumbo: Namíbia (2º produtor mundial), Zâmbia, África do Sul; Cobalto: República Democrática do Congo, Zâmbia; Zinco: Namíbia, Zâmbia; Manganês: África do Sul Cromo: África do Sul, Zimbábue Titânio: África do Sul Antimônio: África do Sul Mercúrio: Argélia Estanho: Burundi, Nigéria Urânio: Lesoto, Namíbia, Níger (base da economia) Cromita: Madagáscar, Sudão Grafite: Madagáscar c. Produção não mineral Mármore Benin Calcário Benim, Camarões, Djibuti, Eritréia, Etiópia, Malani, Quênia, Somália, Uganda. Natrão Botsuana, Chade Pozolana Cabo Verde Areia Camores, Djibuti, Etiópia Cascalho Camores, Djibuti Pedra Camores, Djibuti, Eritreia, Etiópia Sal Djibuti, Moçambique, Quênia, Senegal, Somália, Sudão, Tanzânia Fosfato Egito, Mali, Marrocos (uma das principais do mundo), Togo, Tunísia. Gipsita Etiópia, Mauritânia, Níger Fosfato de Cálcio Senegal Guano - Scicheles d. Mineração: Ocupa um lugar importante na economia africana. É controlada, em grande parte, por empresas estrangeiras. e. Agropecuária: Na África do Norte, a maior produção agropecuária ocorre no vale do rio Nilo e na costa mediterrânea. Na África do Subsaariana, destacamos dois tipos de exploração agrícola: a de subsistência, praticada pelos nativos de forma ainda rudimentar, com pouco uso de tecnologia, baixo índice de mecanização e ocupando as terras menos férteis. Como resultado, o rendimento é baixo; a de exportação, com melhor rendimento, praticada por empresas, em sua maioria estrangeiras, usando as melhores terras e com elevado índice de tecnologia e mecanização. Esse quadro e mais a irregularidade das chuvas explicam a baixa produtividade na agropecuária de subsistência e a conseqüente incapacidade para atender a demanda de alimentos. 43 E.H.

7 f. Indústria e Tecnologia: Atividades ainda incipientes na África. O país mais industrializado é a África do Sul, seguida do Egito e dos grandes produtores de petróleo. Nos demais, a industrialização restringe-se, praticamente, à mineração e a setores de pequena exigência tecnológica, como o têxtil e o alimentício. Há projetos em andamento nos setores químico, metalúrgico e mecânico, alguns já em produção, mas têm pouco peso no quadro geral da economia africana. g. Energia: A África tem elevado potencial energético, graças às reservas de hidrocarbonetos, carvão e urânio e às possibilidades de aproveitamento hidrelétrico. A demanda vem crescendo devido à urbanização e a algumas iniciativas industriais. O grande problema é a carência de investimentos. Apesar disso, um grande projeto hidrelétrico foi implantado em Moçambique, a Usina de Cabora Bassa, nas corredeiras do rio Zambeze, atendendo a uma vasta região da África Austral. h. Transportes: A rede africana é deficiente, por razões fisiográficas, históricas e financeiras: relevo acidentado; rios de leitos sinuosos, irregulares e interrompidos; litoral desfavorável; desinteresse do colonizador na implantação de vias terrestres interiores e de integração; por fim, a pequena capacidade de investimento local e o aporte insuficiente de capitais estrangeiros. i. Comunicações: O setor apresenta um desempenho melhor que o de transportes, talvez por ser de mais fácil implantação. Há, porém, ainda muito o que melhorar. As áreas de radiodifusão e telefonia são as que têm recebido maiores investimentos. Um grande obstáculo ao crescimento do setor é a absoluta dependência de importação de equipamento e tecnologia. j. Força de trabalho: Predomina a mão-de-obra desqualificada e de baixo rendimento, motivado pelas precárias condições sociais de grande parte da população. O problema é mais sério na África Subsaariana, particularmente naqueles países em que a desorganização política e sócio-econômica atinge níveis mais elevados (Angola, Moçambique, Libéria, R D Congo etc). A África do Sul pode ser considerada exceção, devido às melhores condições de saúde e educação, embora apresente, também, graves problemas sociais. k. Comércio: O comércio africano é pouco desenvolvido, representando uma parcela insignificante do comércio mundial. O intercâmbio interno é dificultado pela carência de vias de transporte e pelas más condições financeiras, além da produção concorrente, particularmente no setor agropecuário. O comércio com outras áreas consiste na exportação de produtos primários e na importação de alimentos, bens industriais e serviços. É particularmente direcionado para a Europa. 44 E.H.

8 l. Características gerais da economia africana: amplo domínio do setor primário; neocolonialismo (forte ligação econômica com as ex-metrópoles); baixa renda per capita ; desigual distribuição de riqueza; déficits comerciais crônicos; dívida externa crescente. m. Comércio com o Brasil: 1) Aspectos favoráveis: posição relativa; antecedentes históricos; identidades culturais; recursos minerais africanos; estágios de desenvolvimento diferentes 2) Aspectos desfavoráveis: 1º. instabilidade política (em determinados países); 2º. fortes vínculos com as ex-metrópoles; 3º. estagnação econômica; 4º. dificuldades creditícias; 5º. recursos vegetais concorrentes. 6. ATUAÇÃO EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS a. Na ONU: limitada aos interesses africanos; ainda muito influenciada pelos ex-colonizadores; dissociada, em face das diferenças políticas e econômicas que separam os países africanos; considerável importância numérica (53 países). b. Na OUA: luta pela unidade africana (ainda sem resultados); criação de uma consciência negra; busca do desenvolvimento econômico e social (também, sem resultados práticos); Apesar dos modestos resultados obtidos, a Organização para a Unidade Africana tem significativa importância como foro de discussão dos problemas africanos. 7. ATITUDE EM RELAÇÃO AO BRASIL muito variável, não havendo, porém, antagonismos insuperáveis; O intercâmbio comercial e de serviços e a presença de empresas brasileiras em solo africano constituem fator de aproximação; A presença brasileira nas forças de paz da ONU atua, também, como fator favorável a um maior entendimento entre os dois lados; A Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul, embora sem apresentar resultados práticos, pode ser o início de uma cooperação maior com os países da África Atlântica; A Comunidade dos Povos de Língua Portuguesa, ainda pouco efetiva, pode ser, futuramente, uma ponte Brasil-África; a concorrência na exportação de produtos tropicais pode gerar pontos de fricção. 45 E.H.

9 Quaisquer que sejam as dificuldades atuais, a África segue sendo uma importante prioridade diplomática para o Brasil. 8. A IMPORTÂNCIA DA ÁFRICA PARA O BRASIL A proximidade do continente africano e o condomínio do Atlântico Sul. A posição estratégica da África em relação aos demais continentes e às rotas marítimas entre Atlântico e o Índico. A importância política desse continente caracterizada pela presença de 53 países. O contingente humano de, aproximadamente, 750 milhões de habitantes. O Grande potencial em recursos naturais. Hoje, os países com maior aproximação com o Brasil são: Angola, África do Sul, Nigéria Moçambique. 9. O MERCOSUL E A ÁFRICA Existem interesses iniciais entre o MERCOSUL e o continente africano os países do sul da África: África do Sul, Namíbia, Botsuana e Lesoto. PAÍSES QUE FALAM PORTUGUÊS Angola Cabo verde Guine Bissau Moçambique São Tomé e Príncipe PAÍSES DA COSTA ATLÂNTICA Marrocos Mauritânia Senegal Gâmbia Guiné Bissau Guiné Serra Leoa Libéria Costa do Marfim Gana Togo Benin Nigéria Camarões Guiné Equatorial Gabão Congo R D C Angola Namíbia África do Sul São Tomé e Príncipe Cabo Verde DESTAQUES EM ECONOMIA Camarões petróleo Líbia petróleo é a base da economia Argélia um dos maiores produtores de petróleo do mundo. Gana um dos maiores produtores de ouro do mundo RDC líder na produção mundial de diamantes Serra Leoa produção de diamantes é a principal atividade econômica Mauritânia uma das maiores reser-vas de ferro do mundo Namíbia segundo produtor mundial de diamantes, jazidas de cobre e níquel. Níger urânio é a base da economia Marrocos uma das principais reser-vas do mundo de fosfato Angola - 60% do PIB é da exploração do petróleo África do Sul maior PIB do continente; principal produtor de ouro BIBLIOGRAFIA DE APOIO (1) Nota de aula do Cel Francisco da Ressurreição de CASTRO (2) Almanaque Abril de 2002 (3) Geografia dos Continentes (ÁFRICA) de Hélio Carlos Garcia e Tito Márcio Garavello editora Scipione 1997 EXERCÍCIO DE APLICAÇÃO 46 E.H.

10 ÁFRICA A África é uma região prioritária para o Brasil por razões estratégicas e pelos objetivos comuns nos campos político, econômico e social, além da identidade histórica e cultural. Existe um potencial de interesses, ainda pouco explorado, no relacionamento de nosso país com os países africanos, particularmente com os que se situam na vertente atlântica daquele continente. Do estudo das realidades brasileira e africana, identificar as possibilidades de incremento das relações do Brasil com os países da África e, em conclusão, citar os benefícios que, a longo prazo, esse relacionamento poderá trazer para o nosso país. IDÉIAS PERTINENTES AO ASSUNTO (PEDIDOS) LAMPEJO INICIAL 1. REALIDADE BRASILEIRA (Estudo mental) a. Aspectos Psicossociais longo período de colonização predatória; presença de três raças distintas que se miscigenaram e aculturaram; criação de uma mentalidade tolerante e pacífica; unidade lingüística; sincretismo religioso; graves problemas sociais, particularmente nos setores de saúde, educação e habitação; grandes desigualdades sociais. b. Aspectos Políticos regime democrático consolidado; política externa caracterizada pelo universalismo, a cooperação internacional e a defesa da paz. c. Aspectos Econômicos relativa abundância de recursos naturais, em que pese a carência de alguns insumos do reino mineral (petróleo, carvão e metais não-ferrosos); agropecuária, em geral, pujante, embora apresentando desequilíbrios resultantes de problemas climáticos, má distribuição fundiária e níveis diferenciados de modernização; tradição extrativista, nos reinos vegetal e mineral; parque industrial bem estruturado, complexo e de elevada capacitação, podendo ser considerado o mais importante entre os países em desenvolvimento; carência de alta tecnologia em alguns setores; setor de serviços bastante desenvolvido; mercado interno proporcionalmente pequeno, em virtude da má distribuição de renda; comércio exterior dinâmico, diversificado e geograficamente abrangente; carência de capitais para investimentos e financiamentos. 47 E.H.

11 2. REALIDADE AFRICANA (Estudo mental) a. Aspectos Psicossociais colonização predatória; separação profunda entre o elemento colonizador branco e o nativo, negro; grande diversidade lingüística; grande diversidade religiosa; ressentimentos profundos em relação ao elemento colonizador; fronteiras nacionais herdadas do período colonial, estabelecidas arbitrariamente, resultando na criação de países com sérios problemas de coesão e identidade; graves carências nos setores alimentar, habitacional, sanitário e educacional; sérios desequilíbrios sociais. b. Aspectos Políticos fronteiras nacionais herdadas do período colonial, estabelecidas arbitrariamente, resultando na criação de países com sérios problemas de coesão e identidade; tendência atual de democratização, com a convocação de assembléias constituintes, eleições livres e aperfeiçoamento das instituições; não obstante, permanência de instabilidade em alguns países (Libéria, Serra Leoa, Nigéria, Zaire, Angola, Moçambique, Sudão); Conseqüentemente, o continente vive uma etapa de transformações e incertezas. c. Aspectos Econômicos notável potencial de recursos naturais, particularmente no setor mineral (Gana, Guiné, Gabão, Nigéria, Zaire, Angola, Namíbia e África do Sul, só para citar países africanos da vertente atlântica); prevalência de monoculturas de exportação, com razoável grau de modernização; agricultura de subsistência praticada, ainda, de forma rudimentar; insuficiente produção de alimentos; má distribuição de terras; grande extensão de solos pobres e de climas impróprios para a atividade agrícola; na África do Sul, diferentemente, a agropecuária atingiu elevado grau de modernização e produtividade (particularmente devido ao clima mais favorável e ao modelo de colonização diferente); baixos níveis de industrialização, com exceção da África do Sul; carência geral de tecnologia industrial, mesmo daquelas mais simples; mercado interno proporcionalmente pequeno, em virtude da má distribuição de renda; baixa capacidade no setor de serviços, inclusive no de construção civil; carência de capitais para investimentos e financiamentos; fraco desempenho no comércio internacional; presença permanente de déficits comerciais, agravando o endividamento externo. 3. POSSIBILIDADES DE INCREMENTO DAS RELAÇÕES BRASIL X ÁFRICA a. Campo Psicossocial intensificação do intercâmbio cultural, particularmente com os países africanos de língua oficial portuguesa; treinamento de recursos humanos; cooperação técnica, particularmente em programas nas áreas de educação e saúde (Ex: programas de educação à distância, campanhas de erradicação de endemias); programas de melhoria da administração pública. 48 E.H.

12 b. Campo Político intensificação das relações bilaterais, partindo daqueles países com que temos maiores afinidades; dinamização da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul, com vistas à intensificação de esforços conjuntos destinados a fazer, do oceano comum, uma área de cooperação efetiva propícia ao desenvolvimento e à segurança dos países ribeirinhos; criação de mecanismos de defesa dos interesses comuns nos foros internacionais; concretização da criação da Comunidade dos Povos de Língua Oficial Portuguesa. c. Campo Econômico cooperação técnica e prestação de serviços nos setores de agropecuária, energia, transporte, comunicações, construção civil, prospecção de petróleo, exploração de diamantes e outros; exportação de alimentos; exportação de produtos industrializados; exportação de material militar; importação de insumos do setor mineral, particularmente petróleo e metais nãoferrosos. d. Campo Militar cooperação e troca de experiências (como já ocorre, no setor naval, com a Namíbia e Cabo Verde), inclusive, aproveitando a participação de contingentes militares brasileiros nas forças de paz da ONU em território africano (Angola, Moçambique). 4. BENEFÍCIOS A LONGO PRAZO a África poderá se constituir, de fato, numa via de expansão da política externa brasileira; garantia de estabilidade no Atlântico Sul; estreitamento dos laços culturais, políticos e econômicos com os países africanos; apoio à defesa dos interesses brasileiros nos foros internacionais; ampliação das opções internacionais da economia brasileira, através do comércio e de projetos conjuntos com países africanos; fortalecimento da projeção internacional do Brasil. 49 E.H.

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar ATIVIDADE º 23 SITE PADOGEO.COM/8ºAOS EXERCÍCIOS 2 - COTIETE AFRICAO - POPULAÇÃO Resposta Correta Analise as frases se Verdadeiras ou Falsas a partir do texto "E a população africana? Como está distribuída?"

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 1 Que imagem você tem quando se fala em África? Pense rápido! O modo como a África é vista ou a imagem que dela nos é dada para consumo constitui uma África dos quatro

Leia mais

Nesta unidade. Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p.

Nesta unidade. Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p. Frente B Unidade 4 África Nesta unidade Formação do território africano. Colonização e independência. Clima e vegetação. População e economia. Regiões. p. 86 Prof. Luiz Gustavo - Profão Capítulo 2 África:

Leia mais

A ECONOMIA AFRICANA. Níveis de desenvolvimento econômico (183)

A ECONOMIA AFRICANA. Níveis de desenvolvimento econômico (183) A ECONOMIA AFRICANA CARACATERÍSTICA: (182) - Matéria prima (agrícola, minério e petróleo) - Petróleo = destaque mundial (8% da produção mundial) Onde? Subsolo rico = onde? O quê? (figura da página 182)

Leia mais

As relações diplomáticas Brasil África

As relações diplomáticas Brasil África As relações diplomáticas Brasil África Secretário André Baker Méio Chefe da Divisão da África I (África Ocidental) Ministério das Relações Exteriores Estrutura da apresentação 1. INTRODUÇÃO 2. LAÇOS HISTÓRICOS

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Atividades para Estudos Autônomos Área de Ciências Humanas Disciplina: Ano: 8º - Ensino Fundamental Professores: Joyce de Lima e Carlos Afonso Data: 9 / 10 / 2017 o Aluno(a): N : Turma: VERIFIQUE A PUBLICAÇÃO

Leia mais

A ocupação africana e suas consequências

A ocupação africana e suas consequências A ocupação africana e suas consequências Introdução Contato europeus X africanos: século XV (criação de entrepostos comerciais no litoral, áreas de descanso e atracadouro). Período marcado pelo povoamento

Leia mais

Países marcados pela cultura islâmica

Países marcados pela cultura islâmica Países marcados pela cultura islâmica Referem-se ao conjunto de países que falam o árabe e se distribuem, geograficamente, do oceano Atlântico, a oeste, até o mar Arábico, a leste, e do mar Mediterrâneo,

Leia mais

PROFª. MÔNICA GUIMARÃES GEOGRAFIA - 8º ANO

PROFª. MÔNICA GUIMARÃES GEOGRAFIA - 8º ANO PROFª. MÔNICA GUIMARÃES GEOGRAFIA - 8º ANO CARACTERÍSTICAS NATURAIS E CULTURAIS CARACTERÍSTICAS NATURAIS DO CONTINENTE AFRICANO A ÁFRICA APRESENTA ASPECTOS FÍSICOS DIVERSOS: RIOS CAUDALOSOS; EXTENSOS

Leia mais

Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil

Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil Africanidades: alguns aspectos da História Africana dos Negros no Brasil, travessia dos escravizados e o constrangimento de seres humanos à condição de objetos Africanidades: alguns aspectos da História

Leia mais

Aumenta o número de países democráticos na África

Aumenta o número de países democráticos na África Planejamento Aumenta o número de países democráticos na África Em dez anos, subiu de 11 para 48 o número de países africanos democráticos. Esse avanço fez com que alguns países começassem a atuar com maior

Leia mais

PEP/ ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

PEP/ ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 PEP/ 2017-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Comparar a distribuição atual da população da região Sudeste com a região Norte do Brasil, na expressão

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Geografia Série: 8 a - Ensino Fundamental Professora: Joyce de Lima Atividades para Estudos Autônomos Data: 03 / 10 / 2016 Aluno(a): N o : Turma:

Leia mais

A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos

A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos A África na agenda econômica do Brasil Comércio e Investimentos Ministro Nedilson Jorge Diretor do Departamento da África Ministério das Relações Exteriores CEBRI 22 de novembro 2011 Estrutura da apresentação

Leia mais

Localização. à Ásia na sua extremidade nordeste pelo. Seus pontos extremos distam: Norte-Sul: km, da ; Oeste-Leste: 7.

Localização. à Ásia na sua extremidade nordeste pelo. Seus pontos extremos distam: Norte-Sul: km, da ; Oeste-Leste: 7. Localização Parte integrante do separada da Europa pelo, a África está e ligase à Ásia na sua extremidade nordeste pelo. Seus pontos extremos distam: Norte-Sul: 8.000 km, da ; Oeste-Leste: 7.400 km, no

Leia mais

Comunicado de imprensa

Comunicado de imprensa Afrobarómetro 6ª Ronda Novos dados de toda a África Maputo, Moçambique 1 de Março de 2016 Comunicado de imprensa Afrobarómetro: Africanos são tolerantes em relação à religião, etnia, nacionalidade e HIV,

Leia mais

Dividir para dominar

Dividir para dominar ÁFRICA Contexto histórico África século XV: -Grandes navegações -Estabelecimento de feitorias na África A partir do século XIX: -Colonialismo europeu -Partilha da África (Conferência de Berlim, em 1885)

Leia mais

Banda Larga - Definià à o Tecnica

Banda Larga - Definià à o Tecnica Banda Larga - Definià à o Tecnica O que e Banda Larga? (Broadband) Banda Larga refere-se à telecomunicação que fornece múltiplos canais de dados por cima de um meio de comunicações único, tipicamente usando

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Lista de Exercícios Recuperação do 3º Bimestre Geografia Nome: Nº.: Ano: 9 º ano Ensino Fundamental 1. Observe o mapa abaixo e marque as alternativas que contêm

Leia mais

ÁFRICA: DE MUNDO EXÓTICO A PERIFERIA ESQUECIDA. PROF.: ROBERT OLIVEIRA -

ÁFRICA: DE MUNDO EXÓTICO A PERIFERIA ESQUECIDA. PROF.: ROBERT OLIVEIRA - ÁFRICA: DE MUNDO EXÓTICO A PERIFERIA ESQUECIDA Regiões Africanas Problemáticas O MAGREB Corresponde a porção oeste (ocidental) do Norte da África. Onde encontramos os seguintes países: Marrocos, Tunísia

Leia mais

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA. Quinquagésima sessão Ouagadougou, Burkina Faso, 28 de Agosto - 2 de Setembro de 2000

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA. Quinquagésima sessão Ouagadougou, Burkina Faso, 28 de Agosto - 2 de Setembro de 2000 WORLD HEALTH ORGANIZATION REGIONAL OFFICE FOR AFRICA ORGANISATION MONDIALE DE LA SANTE BUREAU REGIONAL DE L'ÁFRIQUE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE SEDE REGIONAL AFRICANA COMITÉ REGIONAL AFRICANO Quinquagésima

Leia mais

ÁFRICA: DA COLONIZAÇÃO A INDEPENDÊNCIA. Módulo 28 - Frente 03 (segunda parte) página 194 a 196 ( segunda parte)

ÁFRICA: DA COLONIZAÇÃO A INDEPENDÊNCIA. Módulo 28 - Frente 03 (segunda parte) página 194 a 196 ( segunda parte) ÁFRICA: DA COLONIZAÇÃO A INDEPENDÊNCIA Módulo 28 - Frente 03 (segunda parte) página 194 a 196 ( segunda parte) Desde o século XVI, devido ao tráfico de escravos, os europeus já conheciam e exploravam algumas

Leia mais

ACTA FINAL. AF/ACP/CE/2005/pt 1

ACTA FINAL. AF/ACP/CE/2005/pt 1 ACTA FINAL AF/ACP/CE/2005/pt 1 AF/ACP/CE/2005/pt 2 Os plenipotenciários de: SUA MAJESTADE O REI DOS BELGAS, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA CHECA, SUA MAJESTADE A RAINHA DA DINAMARCA, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos Povos, difusão de ideais nacionalistas e oposição as metrópoles. Movimentos nacionalistas - formação de

ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos Povos, difusão de ideais nacionalistas e oposição as metrópoles. Movimentos nacionalistas - formação de HISTÓRICO E CONTEXTO Conferencia de Berlim (1884/5) Imperialismo e Neocolonialismo (Século XIX): Potencias Europeias impõe seu domínio sobre África e Ásia. ONU (1945) - estimular a autodeterminação dos

Leia mais

Nome: N.º: telefone: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM Disciplina:

Nome: N.º: telefone:   PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM Disciplina: Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2015 Disciplina: MateMática Prova: desafio nota: QUESTÃO 11 Reutilizando embalagens que provavelmente iriam para o lio,

Leia mais

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Paulo Tafner I n st itut o T eot ônio Villela I T V Br a sília N ov embro

Leia mais

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina Respostas das sugestões de avaliação Unidade 4 1. a) A população americana se distribui de maneira irregular pelo seu território; ou seja, algumas regiões são mais povoadas que outras. b) Essa distribuição

Leia mais

Texto 3 - África: Regionalizações, aspectos econômicos e sociais

Texto 3 - África: Regionalizações, aspectos econômicos e sociais Texto 3 - África: Regionalizações, aspectos econômicos e sociais Existem diferentes critérios para regionalização do continente africano. Em termos geográficos e humanos, o continente apresenta duas regiões:

Leia mais

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade 19.01.2015 Objetivo O objetivo do escopo geográfico da Fairtrade International é determinar em quais países as

Leia mais

CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A "Zona D"

CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A Zona D CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE ÁFRICA COORDENAÇÃO INTER-REGIONAL PARA SEGURANÇA MARÍTIMA CENTRO DE COORDENAÇÃO MULTINACIONAL PARA A "Zona D" YAOUNDÉ / 11-14 de julho de 2017 Comandante Cyrille Serge

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana

Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana Temos uma abordagem singular

Leia mais

Crescimento a várias velocidades Perspectivas Económicas Regionais para a África Subsariana

Crescimento a várias velocidades Perspectivas Económicas Regionais para a África Subsariana Crescimento a várias velocidades Perspectivas Económicas Regionais para a África Subsariana Departamento de África Fundo Monetário Internacional Dezembro de 216 Plano geral A desaceleração Causas e consequências

Leia mais

Relatório Mundial de Saúde 2006

Relatório Mundial de Saúde 2006 170 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas

Leia mais

A OCEANIA. A OCEANIA é o menor de todos os continentes, circundado por águas de todos os lados, daí o nome;

A OCEANIA. A OCEANIA é o menor de todos os continentes, circundado por águas de todos os lados, daí o nome; A OCEANIA A OCEANIA é o menor de todos os continentes, circundado por águas de todos os lados, daí o nome; é um grande ARQUIPÉLAGO formado por ilhas de origem vulcânica ( Ilhas Altas ) e coralígenas (

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS (GEOGRAFIA) Professor: Eraldo Morais de Almeida ÁFRICA EM TODOS OS ASPECTOS

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS (GEOGRAFIA) Professor: Eraldo Morais de Almeida ÁFRICA EM TODOS OS ASPECTOS CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS (GEOGRAFIA) Professor: Eraldo Morais de Almeida ÁFRICA EM TODOS OS ASPECTOS OS DOIS MOMENTOS COLONIALISMO: As metrópoles pretendiam se estabelecer nesses lugares de

Leia mais

Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado. Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana. Abril de 2016

Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado. Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana. Abril de 2016 Desenvolvimento financeiro e crescimento sustentado Perspetivas Económicas Regionais para a África Subsariana Abril de 2016 Perguntas essenciais 1. Como o setor financeiro da África Subsariana desenvolveu-se

Leia mais

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão PROFº CLAUDIO F GALDINO CONTINENTE AFRICANO A África é um continente! Ela, assim como os demais continentes, é resultado da separação da PANGEA, devido aos

Leia mais

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS Lista da ONU Países-membros das Nações Unidas Segue-se a lista dos 192 países-membros das Nações Unidas, de acordo com a ordem alfabética de seus nomes em português, com as

Leia mais

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/07 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os fatos históricos, ocorridos durante as crises política, econômica e militar portuguesa/européia

Leia mais

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10)

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) IDH País Pontuação Esperança de vida (anos) Média de anos de Anos de esperados RNBpc PPC em USD 2008 Posição no RNBpc menos

Leia mais

A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO

A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO O PROCESSO DE COLONIZAÇÃO PORTUGUESES E ESPANHÓIS, LANÇARAM-SE AO MAR E OCUPARAM O CONTINENTE AMERICANO PARA ATENDER OS INTERESSES DA METRÓPOLE; OUTROS POVOS

Leia mais

Produção Agrícola Cereais, Leguminosas e Oleaginosas Mil Reais Mil reais

Produção Agrícola Cereais, Leguminosas e Oleaginosas Mil Reais Mil reais Produção Agrícola Cereais, Leguminosas e Oleaginosas 2007 30.448 Mil Reais 5.418.281 Mil reais Produção Agrícola Cereais, Leguminosas e Oleaginosas 2007 1.161.540 mil reais 1.238.307 Mil Reais QUESTÃO

Leia mais

Desafios e oportunidades da Graduação de PMA: O PNUD como Parceiro Estratégico no Processo de Graduação

Desafios e oportunidades da Graduação de PMA: O PNUD como Parceiro Estratégico no Processo de Graduação Desafios e oportunidades da Graduação de PMA: O PNUD como Parceiro Estratégico no Processo de Graduação Prof. Dr. Ayodele Odusola Economista-Chefe e Chefe da Equipa de Estratégia e Análise Escritório Regional

Leia mais

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim

VISTOS CONSULARES. Afeganistão Sim Sim. África do Sul Não Não. Albânia Sim Sim. Alemanha Não Não. Andorra Não Sim. Angola Sim Sim VISTOS CONSULARES - Você vai para o exterior? Uma das primeiras providências a ser tomada é procurar saber se o país de seu destino exige visto no passaporte junto à embaixada ou ao consulado para permitir

Leia mais

Níveis de desenvolvimento. Países. Professora: Rilvania Flôr.

Níveis de desenvolvimento. Países. Professora: Rilvania Flôr. Níveis de desenvolvimento. Países. Professora: Rilvania Flôr. O Nível de desenvolvimento dos países em sua maioria é medido pelo seu IDH. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Organização das Nações

Leia mais

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE:9º ALUNO(a): Lista de atividades P1 Bimestre IV Data da prova: 18/10/2016 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O MUNDO ÁRABE CONTEMPORÂNEO

REFLEXÕES SOBRE O MUNDO ÁRABE CONTEMPORÂNEO AULA 1: GEOGRAFIA FÍSICA, HUMANA E ECONÔMICA DO MUNDO ÁRABE Palestrante: Prof. Nelson Bacic Olic Programa: Localização e países componentes do Mundo Árabe Relevo e clima Recursos minerais e centros industriais

Leia mais

Declaração de Sharm El Sheikh de Lançamento da Zona de Comércio Livre Tripartida da COMESA-EAC-SADC

Declaração de Sharm El Sheikh de Lançamento da Zona de Comércio Livre Tripartida da COMESA-EAC-SADC Declaração de Sharm El Sheikh de Lançamento da Zona de Comércio Livre Tripartida da COMESA-EAC-SADC 1 DECLARAÇÃO PREÂMBULO NÓS, os Chefes de Estado e de Governo ou os Representantes devidamente Autorizados

Leia mais

Aspectos Gerais. Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab.

Aspectos Gerais. Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab. EUROPA Módulo 4 Aspectos Gerais Velho Mundo: Berço da civilização ocidental (Democracia e Capitalismo) Possui 7% das terras emersas (49 países) 10,5% da população mundial (superior a 745 milhões de hab.)

Leia mais

Imperialismo Marco Abreu dos Santos.

Imperialismo Marco Abreu dos Santos. Imperialismo Marco Abreu dos Santos marcoabreu@live.com www.professormarco.wordpress.com Conceito Imperialismo foi a disputa entre as potências capitalistas por colônias ou áreas de influência na Ásia,

Leia mais

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África GEOGRAFIA BÁSICA Características Gerais dos Continentes: África Atualmente temos seis continentes: África, América, Antártida, Europa, Ásia e Oceania. Alguns especialistas costumam dividir o planeta em

Leia mais

PERCURSO 18 México. Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS

PERCURSO 18 México. Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS PERCURSO 18 México Prof. Gabriel Rocha 8º ano - EBS 1 Regiões Naturais Localizado na América do Norte e na América Latina. É o terceiro maior país da América Latina e o quinto das Américas. É o terceiro

Leia mais

GEOPOLÍTICA DA ÁFRICA. Professor: Wisler Juliano 8º ano EFII Disciplina: Geografia

GEOPOLÍTICA DA ÁFRICA. Professor: Wisler Juliano 8º ano EFII Disciplina: Geografia GEOPOLÍTICA DA ÁFRICA Professor: Wisler Juliano 8º ano EFII Disciplina: Geografia DIVISÃO CULTURAL DO CONTINENTE ÁFRICA BRANCA OU SAARIANA ÁFRICA NEGRA OU SUBSAARIANA CONFLITOS NO CONTINENTE AFRICANO IMPERIALISMO

Leia mais

PEP/2017 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP/2017 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE PEP/2017 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 GEOGRAFIA-SAÚDE 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar a situação do saneamento básico nas áreas rurais da região Nordeste do Brasil, nas expressões

Leia mais

Professor (a): Sueli Onofre Nota: Valor da Prova: 5,0 Aluno (a): N.º Turma:

Professor (a): Sueli Onofre Nota: Valor da Prova: 5,0 Aluno (a): N.º Turma: Unidade: S. Bernardo Ensino Fundamental Prova Oficial de Geografia - CORREÇÃO 1 a Unidade Letiva - 2016 Ano: 9º Professor (a): Sueli Onofre Nota: Valor da Prova: 5,0 Aluno (a): N.º Turma: 1. O conceito

Leia mais

PROFESSOR CARLOS ALEX

PROFESSOR CARLOS ALEX PROFESSOR CARLOS ALEX América Andina Países: Chile, Peru, Bolívia, Equador, Venezuela e Colômbia. Localização: América do Sul Os países Andinos apresentam territórios com grandes trechos constituídos

Leia mais

AMÉRICA ANDINA E GUIANAS

AMÉRICA ANDINA E GUIANAS AMÉRICA ANDINA E GUIANAS América Andina Países Andinos Guianas Países das Guianas 1 América Andina Países:Chile, Peru, Bolívia, Equador, Venezuela e Colômbia. Localização: América do Sul Os países Andinos

Leia mais

Algeria Algeria Business Multimedia (ABM), Azlan, Silicon 21, Southcomp Polaris Comztek, Interdist, Westcon Africa

Algeria Algeria Business Multimedia (ABM), Azlan, Silicon 21, Southcomp Polaris Comztek, Interdist, Westcon Africa DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS DA CISCO Para fins deste programa, a seguir está uma lista de distribuidores autorizados da Cisco para Mercados emergentes onde a Empresa participante deverá adquirir produtos

Leia mais

Voltagens e Configurações de Tomadas

Voltagens e Configurações de Tomadas Afeganistão C, D, F 240 V África Central C, E 220 V África do Sul C, M, 230 V Albânia C, F, L 230 V Alemanha C, F 230 V American Samoa A, B, F, I 120 V Andorra C, F 230 V Angola C 220 V Anguilla A, B 110

Leia mais

África e Oriente Médio Perspectivas para 2013

África e Oriente Médio Perspectivas para 2013 África e Oriente Médio Perspectivas para 13 Janeiro - 13 Resumo Executivo As economias do Oriente Médio, Norte da África e África Subsaariana vêm apresentando um desempenho bastante favorável desde o começo

Leia mais

DEMOGRAFIA II Prof ª Gustavo Silva de Souza

DEMOGRAFIA II Prof ª Gustavo Silva de Souza DEMOGRAFIA II Prof ª Gustavo Silva de Souza POPULAÇÃO TOTAL - CRESCIMENTO POPULACIONAL - 1 DC - 250 milhões de habitantes 1650-500 milhões de habitantes 1850-1 bilhão de habitantes 1950-2,5 bilhões de

Leia mais

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia As Regiões Geoeconômicas do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia Aula XX AS REGIÕES GEOECONÔMICAS DO BRASIL A divisão regional oficial do Brasil é aquela

Leia mais

Os Imperialismos. Prof. Thiago História 1 Aula 35

Os Imperialismos. Prof. Thiago História 1 Aula 35 Os Imperialismos Prof. Thiago História 1 Aula 35 TECNOLOGIA x TRABALHADORES DIMINUIÇÃO DO CUSTO MENOR Nº DE TRABALHADORES MENOS CONSUMO 1ª GRANDE DEPRESSÃO DO CAPITALISMO SOLUÇÕES PARA CRISE A) Concentração

Leia mais

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Sistema AFRICANO INTERAMERICANO EUROPEU Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Organização da Unidade Africana (OUA) (54) África do Sul, Angola, Argélia, Benim, Botswana, Burkina Faso,

Leia mais

O COMPLEXO CENTRO-SUL

O COMPLEXO CENTRO-SUL Unidade 3 Capítulo 9 O COMPLEXO CENTRO-SUL Prof.º Luiz Fernando Wisniewski lfw.geografia@gmail.com COMPLEXO CENTRO SUL Apresenta 25% do território nacional e 68% da população absoluta do Brasil. O que

Leia mais

MUNDO ÁRABE CONTEMPORÂNEO: HISTÓRIA E GEOPOLÍTICA

MUNDO ÁRABE CONTEMPORÂNEO: HISTÓRIA E GEOPOLÍTICA AULA 1: GEOGRAFIA E HISTÓRIA DO MUNDO ÁRABE Apresentação: Prof. Dr. Aziz Ab`Saber (USP) e Profª Dra. Soraya Smaili (EPM/UFSP) PARTE I: GEOGRAFIA FÍSICA, HUMANA E ECONÔMICA DO MUNDO ÁRABE Palestrante: Prof.

Leia mais

Sexagésima sexta sessão Adis Abeba, República Federal Democrática da Etiópia, 19 a 23 de Agosto de 2016

Sexagésima sexta sessão Adis Abeba, República Federal Democrática da Etiópia, 19 a 23 de Agosto de 2016 22 de Agosto de 2016 COMITÉ REGIONAL PARA A ÁFRICA ORIGINAL: INGLÊS Sexagésima sexta sessão Adis Abeba, República Federal Democrática da Etiópia, 19 a 23 de Agosto de 2016 Ponto 21.3 da ordem do dia RELATÓRIO

Leia mais

Mineração e sua Importância na Economia Brasileira

Mineração e sua Importância na Economia Brasileira Mineração e sua Importância na Economia Brasileira 25 de novembro de 2010 2º CONGRESSO DE MINERAÇÃO DA AMAZÔNIA ANTONIO LANNES Área > 3 milhões Km² Brasil no Mundo Bangladesh Pop > 140 milhões Nigéria

Leia mais

Seminário Financiamento à Exportação Brasileira. 2 de Dezembro de 2014

Seminário Financiamento à Exportação Brasileira. 2 de Dezembro de 2014 Seminário Financiamento à Exportação Brasileira 2 de Dezembro de 2014 África: Nosso Cartão Postal 1 Visão Geral do Grupo Presença na África Estabelecido em 1862; ICBC, o maior banco chinês, detém participação

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL. 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO

REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL. 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL 62ª Sessão do Comité Executivo da União Parlamentar Africana RELATÓRIO INTRODUÇÃO Em obediência ao despacho de missão número 0164/03/GPAN/2013, exarado por Sua Excelência

Leia mais

EXPRESSÕES DO PODER NACIONAL

EXPRESSÕES DO PODER NACIONAL ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO CURSO DE PREPARAÇÃO E SELEÇÃO CP/ECEME 2013 EXPRESSÕES DO PODER NACIONAL EXPRESSÃO POLÍTICA A EXPRESSÃO POLÍTICA 1. SITUAÇÃO GEOPOLÍTICA 2. CONDICIONAMENTOS

Leia mais

Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações

Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações por Por Dentro da África - domingo, setembro 04, 2016 http://www.pordentrodaafrica.com/noticias/conheca-os-classificados-para-copa-africana-de [:pb]

Leia mais

Região Norte: Apresentação e aspectos físicos

Região Norte: Apresentação e aspectos físicos Região Norte Região Norte: Apresentação e aspectos físicos Região Norte e Amazônia Com uma superfície de 3.853.327 km 2, a Região Norte, definida pelo IBGE, corresponde a quase metade do território brasileiro.

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês Os eercícios deverão ser feitos no livro. Resgatando conteúdos, tetos diversificados, proposto

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS DEZ (10) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS DEZ (10) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis-Abeba (ETHIOPIE) P. O. Box 3243 Téléphone (251-11) 5517 700 Fax : 551 78 44 Website : www.africa-union.org CONSELHO EXECUTIVO Décima Segunda Sessão Ordinária

Leia mais

AMÉRICA ANDINA e PLATINA

AMÉRICA ANDINA e PLATINA OBJETIVO 2016 1º ANO E.M. MÓDULO 24 AMÉRICA ANDINA e PLATINA Geograficamente, o fator mais significativo dessa região em termos de quadro natural é a CORDILHEIRA DOS ANDES. AMÉRICA ANDINA Ocorrem as maiores

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Caderno de Atividades 06 Os eercícios deverão ser feitos no livro. Resgatando conteúdos questões

Leia mais

Instituto Nossa Senhora das Dores. Aluno: Turma:81 Professor Jose Apolinário Fixação de Geografia-Simulado Assinatura do responsável:

Instituto Nossa Senhora das Dores. Aluno: Turma:81 Professor Jose Apolinário Fixação de Geografia-Simulado Assinatura do responsável: Nota: Valor: Instituto Nossa Senhora das Dores. Aluno: Turma:81 Professor Jose Apolinário Fixação de Geografia-Simulado Data: / /. Assinatura do responsável: A África no contexto mundial - Exercícios de

Leia mais

Teste Diagnóstico I Geografia

Teste Diagnóstico I Geografia Nome: Data: Alguns aspetos detetados: Conhecimentos prévios mal assimilados ou interiorizados. Dificuldades na interpretação de um pequeno texto. Dificuldades na interpretação de enunciados. Dificuldade

Leia mais

Trabalho de Geografia

Trabalho de Geografia INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO CRISTO REDENTOR Trabalho de Geografia Nomes: Acsiel, Cristian, Tiago, Volmir Nºs: 01,08,21,22 Cândido Godói, 17 de março de 2014 Introdução A África é um continente com,

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências Inglês

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências Inglês Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências Inglês 1 Fazer os exercícios no caderno. Livro Apoema: Páginas 187 e 188. Livro: pág. 107 (Exercício nº

Leia mais

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação Respostas das sugestões de avaliação Unidade 1 1. Não, pois a tabela revela que, nesse período, a maior produtividade industrial cabia aos Estados Unidos, tanto de carvão como de ferro e aço. Na tabela,

Leia mais

GEOGRAFIA 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Brasil: diversidades regionais. Brasil Divisão regional segundo o IBGE A REGIÃO SUDESTE

Brasil: diversidades regionais. Brasil Divisão regional segundo o IBGE A REGIÃO SUDESTE REGIÃO SUDESTE Brasil Divisão regional segundo o IBGE A REGIÃO SUDESTE A REGIÃO SUDESTE 10,8% do território nacional 80,3 milhões de habitantes 42,1% da população brasileira Concentra a maior parte da

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.1 Conteúdos Aspectos gerais dos

Leia mais

O potencial do futuro! BRICS

O potencial do futuro! BRICS O potencial do futuro! BRICS CONCEITOS E FUNDAMENTOS Em economia, BRICS é uma sigla que se refere a Brasil, Rússia, Índia, China, que se destacam no cenário mundial como países em desenvolvimento. O acrônimo

Leia mais

Organização do espaço geográfico na Rússia Marco Abreu dos Santos.

Organização do espaço geográfico na Rússia Marco Abreu dos Santos. Organização do espaço geográfico na Rússia Marco Abreu dos Santos marcoabreu@live.com www.professormarco.wordpress.com Características gerais É o país mais extenso do mundo com mais de 17 milhões de km²;

Leia mais

Estado e políticas sociais na América Latina. Aula 8 Política social em situações de fragilidade econômica e estatal. Prof.

Estado e políticas sociais na América Latina. Aula 8 Política social em situações de fragilidade econômica e estatal. Prof. Estado e políticas sociais na América Latina Aula 8 Política social em situações de fragilidade econômica e estatal Prof.: Rodrigo Cantu Crise do Estado de Bem-Estar nos países ricos? Manutenção (ou aumento)

Leia mais

ÁFRICA. Características Gerais

ÁFRICA. Características Gerais ÁFRICA Características Gerais Limites Territoriais: Norte: Mar Mediterrâneo Noroeste: Estreito de Gibraltar Nordeste: Mar Vermelho Oeste: Atlântico Leste: Índico Península do Sinai Canal de Suez Chifre

Leia mais

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas População portuguesa e de origem portuguesa residente no estrangeiro (estimativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Direcção Geral dos Assuntos

Leia mais

A DEMOGRAFIA E AS LEIS FUNDAMENTAIS DA ECONOMIA NÃO RESPEITAM A CONSTITUIÇÃO NENHUMA CONSTITUIÇÃO

A DEMOGRAFIA E AS LEIS FUNDAMENTAIS DA ECONOMIA NÃO RESPEITAM A CONSTITUIÇÃO NENHUMA CONSTITUIÇÃO Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre a Previdência e considerações sobre incentivos (regras) e seus impactos nos gastos, na poupança e na produtividade Paulo Tafner INTITUTO TEOTONIO VILLELA

Leia mais

ATIVIDADES ONLINE 8º ANO

ATIVIDADES ONLINE 8º ANO ATIVIDADES ONLINE 8º ANO 1) Durante o período do neocolonialismo, a África foi dividida em fronteiras artificiais de acordo com os interesses europeus. Portanto, grande parte dos conflitos existentes na

Leia mais

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão PROFº CLAUDIO F GALDINO CONTINENTE AFRICANO A África é um continente! Ela, assim como os demais continentes, é resultado da separação da PANGEA, devido aos

Leia mais

a) b) c) d) e) 3 2 1

a) b) c) d) e) 3 2 1 SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 7 ª TURMA(S):

Leia mais

Previdência no Brasil: desajustes, poupança, produtividade e reforma. Paulo Tafner

Previdência no Brasil: desajustes, poupança, produtividade e reforma. Paulo Tafner Previdência no Brasil: desajustes, poupança, produtividade e reforma Paulo Tafner CINDES 2017 Vitória, Setembro de 2017 Previdência Social: Fatos Trajetória do envelhecimento e dos gastos previdenciários

Leia mais

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO www.infoescola.com Revolução da técnica Introduz Forma eficiente de padronizar a mercadoria Menor tempo Menor custo Agrupamento de trabalhadores

Leia mais