Relatório Mundial de Saúde 2006

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Mundial de Saúde 2006"

Transcrição

1 170 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. Estado-Membro População total (000) Taxa de crescimento anual (%) ESTIMATIVAS DE POPULAÇÃO Razão de dependência ( 100) Porcentagem da pop. com idade 60 anos EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCIMENTO(ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE(A CADA 1000) Menores de 5 anos (taxa de mortalidade de menores de 5 anos) Taxa de fertilidade total Ambos os sexos Ambos os sexos Incerteza 2004 Incerteza 1 Afeganistão Albânia Argélia Andorra Angola Antígua e Barbuda Argentina Armênia Austrália Áustria Azerbaijão Bahamas Bahrein Bangladesh Barbados Belarus Bélgica Belize Benin Butão Bolívia Bósnia- Herzegovina Botsuana Brasil Brunei Bulgária Burkina Faso Burundi Camboja Camarões Canadá Cabo Verde República Centro-Africana Chade Chile China Colômbia Ilhas Comores Congo Ilhas Cook Costa Rica Costa do Marfim Croácia Cuba Chipre República Tcheca

2 anexo tabela EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER (ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE (A CADA 1000) Abaixo de 5 anos de idade (taxa de mortalidade de menores de 5 anos b ) Entre 15 e 60 anos (taxa de mortalidade adulta) Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza

3 172 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos Estado-Membro República Popular Democrática da Coréia República Democrática do Congo População total (000) Taxa de crescimento anual (%) ESTIMATIVAS DE POPULAÇÃO Razão de dependência ( 100) Porcentagem da pop. com idade 60 anos EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCIMENTO(ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE(A CADA 1000) Menores de 5 anos (taxa de mortalidade de menores de 5 anos) Taxa de fertilidade total Ambos os sexos Ambos os sexos Incerteza 2004 Incerteza Dinamarca Djibuti Dominica República Dominicana Equador Egito El Salvador Guiné Equatorial Eritréia Estônia Etiópia Fiji Finlândia França Gabão Gâmbia Geórgia Alemanha Gana Grécia Granada Guatemala Guiné Guiné - Bissau Guiana Haiti Honduras Hungria Islândia Índia Indonésia Irã, República Islâmica do Iraque Irlanda Israel Itália Jamaica Japão Jordão Cazaquistão Quênia Kiribati Kuwait Quirguistão

4 anexo tabela EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER (ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE (A CADA 1000) Abaixo de 5 anos de idade (taxa de mortalidade de menores de 5 anos b ) Entre 15 e 60 anos (taxa de mortalidade adulta) Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza

5 174 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. Estado-Membro População total (000) Taxa de crescimento anual (%) ESTIMATIVAS DE POPULAÇÃO Razão de dependência ( 100) Porcentagem da pop. com idade 60 anos EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCIMENTO(ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE(A CADA 1000) Menores de 5 anos (taxa de mortalidade de menores de 5 anos) Taxa de fertilidade total Ambos os sexos Ambos os sexos Incerteza 2004 Incerteza 93 Laos Látvia Líbano Líbano Libéria Líbia Lituânia Luxemburgo Madagascar Malawi Malásia Maldivas Mali Malta Ihas Marshall Ilhas Mauritânia Maurício México Micronésia, Estados Federados Mônaco Mongólia Marrocos Moçambique Mianmar Namíbia Nauru Nepal Países Baixos Nova Zelândia Nicarágua Níger Nigéria Niue Noruega Omã Paquistão Palau Panamá Papua-Nova Guiné Paraguai Peru Filipinas Polônia Portugal Qatar República da Coréia

6 anexo tabela EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER (ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE (A CADA 1000) Abaixo de 5 anos de idade (taxa de mortalidade de menores de 5 anos b ) Entre 15 e 60 anos (taxa de mortalidade adulta) Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza

7 176 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. Estado-Membro População total (000) Taxa de crescimento anual (%) ESTIMATIVAS DE POPULAÇÃO Razão de dependência ( 100) Porcentagem da pop. com idade 60 anos EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCIMENTO(ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE(A CADA 1000) Menores de 5 anos (taxa de mortalidade de menores de 5 anos) Taxa de fertilidade total Ambos os sexos Ambos os sexos Incerteza 2004 Incerteza 139 República Moldova Romênia Federação Russa Ruanda São Cristovão e Nevis Santa Lúcia São Vicente e Granadinas Samoa San Marino São Tomé e Príncipe Emirados Árabes Unidos Senegal Sérvia e Montenegro Seychelles Serra Leoa Cingapura Eslováquia Eslovênia Ilhas Salomão Somália Africa do Sul Espanha Sri Lanka Sudão Suriname Suazilândia Suécia Suíça República Árabe Síria Tajikistan Tailândia ex República Iusgolava da Macedônia Timor Leste Togo Tonga Trinidad e Tobago Tunísia Turquia Turcomênia Tuvalu Uganda Ucrânia Emirados Árabes Unidos Reino Unido

8 anexo tabela EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER (ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE (A CADA 1000) Abaixo de 5 anos de idade (taxa de mortalidade de menores de 5 anos b ) Entre 15 e 60 anos (taxa de mortalidade adulta) Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza

9 178 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. 183 Estado-Membro República Unida da Tanzânia População total (000) Taxa de crescimento anual (%) ESTIMATIVAS DE POPULAÇÃO Razão de dependência ( 100) Porcentagem da pop. com idade 60 anos EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCIMENTO(ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE(A CADA 1000) Menores de 5 anos (taxa de mortalidade de menores de 5 anos) Taxa de fertilidade total Ambos os sexos Ambos os sexos Incerteza 2004 Incerteza Estados Unidos da América Uruguai Uzbequistão Vanuatu República Bolivariana da Venezuela Vietnã Iêmen Zâmbia Zimbábue a Ver notas explicativas para fontes e métodos b Taxa de mortalidade de menores de 5 anos é a probabilidade (expressa 1000 nascidos vivos) de uma criança nascida em um ano específico morre antes de chegar à idade de cinco anos, tendo em conta as taxas de mortalidade por idade do momento.

10 anexo tabela EXPECTATIVA DE VIDA AO NASCER (ANOS) PROBABILIDADE DE MORTE (A CADA 1000) Abaixo de 5 anos de idade (taxa de mortalidade de menores de 5 anos b ) Entre 15 e 60 anos (taxa de mortalidade adulta) Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza 2004 Incerteza

11 180 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 2 Indicadores selecionados de razões dos gastos com saúde, Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. Gastos totais com saúde como % do produto interno bruto Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais com saúde b Gastos particulares com a saúde, como % do total de gastos com saúde b Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais do governo Estado-Membro Afeganistão Albânia Argélia Andorra Angola Antígua e Barbuda Argentina Armênia Austrália Áustria Azerbaijão Bahamas Bahrein Bangladesh Barbados Belarus Bélgica Belize Benin Butão Bolívia Bósnia- Herzegovina Botsuana Brasil Brunei Bulgária Burkina Faso Burundi Camboja Camarões Canadá Cabo Verde República Centro-Africana Chade Chile China c Colômbia Ilhas Comores Congo Ilhas Cook Costa Rica Costa do Marfim d Croácia Cuba Chipre República Tcheca Rep. Pop. Democ. da Coréia República Democrática do Congo Dinamarca Djibuti Dominica República Dominicana Equador Egito El Salvador

12 anexo tabela Gastos totais com saúde como % do produto interno bruto Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais com saúde Gastos particulares com a saúde, como % do total de gastos com saúde Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais do governo Estado-membro Afeganistão Albânia Argélia Andorra Angola Antígua e Barbuda n/a n/a n/a n/a n/a Argentina Armênia n/a n/a n/a Austrália Áustria Azerbaijão n/a n/a n/a n/a n/a Bahamas Bahrein Bangladesh Barbados Belarus n/a Bélgica Belize n/a n/a n/a n/a n/a Benin n/a n/a n/a n/a n/a Butão Bolívia Bósnia- Herzegovina n/a n/a n/a n/a n/a Botsuana n/a n/a n/a n/a n/a Brasil Brunei n/a n/a n/a n/a n/a Bulgária Burkina Faso Burundi n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a Camboja Camarões n/a n/a n/a n/a n/a Canadá Cabo Verde República Centro-Africana n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a Chade n/a n/a n/a n/a n/a Chile China c Colômbia Ilhas Comores Congo n/a n/a n/a n/a n/a Ilhas Cook Costa Rica Costa do Marfim d n/a n/a n/a n/a n/a Croácia Cuba Chipre República Tcheca Rep. Pop. Democ. da Coréia República Democrática do Congo n/a n/a n/a n/a n/a Dinamarca Djibuti n/a n/a n/a n/a n/a Dominica n/a n/a n/a n/a n/a República Dominicana Equador Egito El Salvador

13 182 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 2 Indicadores selecionados de razões dos gastos com saúde, Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas oficiais dos Estados-Membros, que podem usar métodos alternativos rigorosos. Gastos totais com saúde como % do produto interno bruto Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais com saúde b Gastos particulares com a saúde, como % do total de gastos com saúde b Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais do governo Estado-Membro Guiné Equatorial Eritréia Estônia Etiópia Fiji Finlândia França Gabão Gâmbia Geórgia Alemanha Gana Grécia Granada Guatemala Guiné Guiné-Bissau Guiana Haiti i Honduras Hungria Islândia Índia Indonésia Irã, República Islâmica do Iraque f Irlanda Israel Itália Jamaica Japão Jordão g Cazaquistão Quênia Kiribati Kuwait Quirguistão Laos Látvia Líbano Lesoto Libéria Líbia Lituânia Luxemburgo Madagascar Malawi Malásia Maldivas Mali Malta Ilhas Marshall Mauritânia Maurício México

14 anexo tabela Gastos totais com saúde como % do produto interno bruto Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais com saúde Gastos particulares com a saúde, como % do total de gastos com saúde Gastos gerais do governo com saúde como % dos gastos totais do governo Estado-membro Guiné Equatorial Eritréia Estônia n/a n/a n/a n/a n/a Etiópia Fiji Finlândia França Gabão n/a n/a n/a n/a n/a Gâmbia n/a n/a n/a n/a n/a Geórgia Alemanha Gana n/a n/a n/a n/a n/a Grécia n/a n/a n/a n/a n/a Granada n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a Guatemala Guiné Guiné-Bissau Guiana n/a n/a n/a n/a n/a Haiti i n/a n/a n/a n/a n/a Honduras Hungria Islândia Índia Indonésia Irã, República Islâmica do Iraque f n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a Irlanda Israel Itália Jamaica Japão Jordão g Cazaquistão n/a n/a n/a n/a n/a Quênia Kiribati n/a Kuwait Quirguistão n/a n/a n/a n/a n/a Laos Látvia Líbano Lesoto n/a n/a n/a n/a n/a Libéria Líbia Lituânia Luxemburgo Madagascar n/a n/a n/a n/a n/a Malawi Malásia Maldivas Mali Malta Ilhas Marshall n/a n/a n/a n/a n/a Mauritânia Maurício n/a n/a n/a n/a n/a México

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS Lista da ONU Países-membros das Nações Unidas Segue-se a lista dos 192 países-membros das Nações Unidas, de acordo com a ordem alfabética de seus nomes em português, com as

Leia mais

Voltagens e Configurações de Tomadas

Voltagens e Configurações de Tomadas Afeganistão C, D, F 240 V África Central C, E 220 V África do Sul C, M, 230 V Albânia C, F, L 230 V Alemanha C, F 230 V American Samoa A, B, F, I 120 V Andorra C, F 230 V Angola C 220 V Anguilla A, B 110

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/12/2016) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/12/2016) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 08/04/2016) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 08/04/2016) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das Resolução nº 1.818, de 19 de setembro de 2009. Altera o valor das diárias definidos pela Resolução nº 1.745, de 26 de janeiro de 2005, e dispõe sobre demais assuntos. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no

Leia mais

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso PAIS CODIGO ACESSO DDI AFEGANISTAO 93 N AFRICA DO SUL 27 S ALASCA 1 S ALBANIA 355 S ALEMANHA 49 S ANDORRA 376 S ANGOLA 244 S ANGUILLA 1 S ANT.HOLANDESAS 599 S ANTIGUA 1 S ARABIA SAUDITA 966 S ARGELIA 213

Leia mais

AMNISTIA INTERNACIONAL. LISTA DOS PAÍSES ABOLICIONISTAS E RETENCIONISTAS (31 de Dezembro de 2008) Embargado para 24 de Março de 2009

AMNISTIA INTERNACIONAL. LISTA DOS PAÍSES ABOLICIONISTAS E RETENCIONISTAS (31 de Dezembro de 2008) Embargado para 24 de Março de 2009 Embargado para 24 de Março de 2009 Público AMNISTIA INTERNACIONAL LISTA DOS PAÍSES ABOLICIONISTAS E RETENCIONISTAS (31 de Dezembro de 2008) 24 de Março de 2009 ACT 50/002/2009 SECRETARIADO INTERNACIONAL,

Leia mais

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade

Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade Política de Escopo Geográfico de Certificação de Produtor para o Comércio Justo Fairtrade 19.01.2015 Objetivo O objetivo do escopo geográfico da Fairtrade International é determinar em quais países as

Leia mais

Anexo estatístico do desenvolvimento humano

Anexo estatístico do desenvolvimento humano Anexo Estatístico Anexo estatístico do desenvolvimento humano Guia do leitor 129 Legenda dos países e classificações do IDH, 2011 132 Tabelas estatísticas 133 Notas técnicas Cálculo dos índices de desenvolvimento

Leia mais

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Sistema AFRICANO INTERAMERICANO EUROPEU Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Organização da Unidade Africana (OUA) (54) África do Sul, Angola, Argélia, Benim, Botswana, Burkina Faso,

Leia mais

Relatório sobre o Desenvolvimento Humano 2002

Relatório sobre o Desenvolvimento Humano 2002 a Página da Educação www.apagina.pt Relatório sobre o Desenvolvimento Humano 2002 O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) acaba de publicar o seu Relatório sobre o Desenvolvimento Humano

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília Mensagem eletrônica n. º 206/2016-SIC/DIREX/PF Prezada Senhora, 1. Trata-se de requerimento de informação protocolado

Leia mais

Edital n. 07/2016 SRI Para concessão de apoio à participação de Docentes da UFRN em atividades docentes no exterior A Secretaria de Relações

Edital n. 07/2016 SRI Para concessão de apoio à participação de Docentes da UFRN em atividades docentes no exterior A Secretaria de Relações Edital n. 07/2016 SRI Para concessão de apoio à participação de Docentes da UFRN em atividades docentes no exterior A Secretaria de Relações Internacionais e Interinstitucionais da Universidade Federal

Leia mais

16 de maio de Gráfico 1 Total das Exportações Brasileiras /2001(f.o.b.)*

16 de maio de Gráfico 1 Total das Exportações Brasileiras /2001(f.o.b.)* 16 de maio de 22 As exportações brasileiras têm crescido substancialmente desde 1981 com diversificação observada no período de 1995 a 2. Baseado em dados anuais obtidos da aliceweb (http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/default.asp),

Leia mais

2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL

2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL 2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL O QUE É O ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL? Substituir pela versão em português 2 POR QUE USAR O ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL? Substituir pela versão em português 3 DEFINIÇÃO DE

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 3.643, DE 26 DE OUTUBRO DE 2000. Dispõe sobre diárias do pessoal civil da Administração Pública Federal direta, indireta e fundacional,

Leia mais

Algeria Algeria Business Multimedia (ABM), Azlan, Silicon 21, Southcomp Polaris Comztek, Interdist, Westcon Africa

Algeria Algeria Business Multimedia (ABM), Azlan, Silicon 21, Southcomp Polaris Comztek, Interdist, Westcon Africa DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS DA CISCO Para fins deste programa, a seguir está uma lista de distribuidores autorizados da Cisco para Mercados emergentes onde a Empresa participante deverá adquirir produtos

Leia mais

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha 1. edestinos.com.br 2. Dicas de viagem Última atualização: 30.09.2016 Passagens aéreas Bagagem Check-in e serviço de bordo Como reservar passagens aéreas Saúde durante a viagem FAQ Passageiras grávidas

Leia mais

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai IX-5 Lista de Consulado Geral e s em Kansai 1. Consulado Geral, e consulado em Kansai Consulado Geral Endereço Telefone Australia Ed. Twin 21 MID Tower 16º andar, 06-6941-9271 Consulado Geral da Austrália

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

POLIONU LISTA DE PAÍSES

POLIONU LISTA DE PAÍSES AGH Bolívia 2 Brasil 2 Chile 2 China 2 Colômbia 2 Cuba 2 Equador 2 Espanha 2 Estados Unidos da América 2 França 2 Honduras 2 Israel 2 Itália 2 México 2 Nigéria 2 Panamá 2 Peru 2 Reino Unido 2 Senegal 2

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil País Afeganistão África do Sul Albânia Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Austrália

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O N.º 007, DE 08 DE JUNHO DE 2009

R E S O L U Ç Ã O N.º 007, DE 08 DE JUNHO DE 2009 R E S O L U Ç Ã O N.º 007, DE 08 DE JUNHO DE 2009 Normatiza critérios e define procedimentos relativos a autorização de viagem, ao adiantamento de numerário e à prestação de contas com deslocamento à serviço

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

DOU 04/10/1995. Art. 1 Os arts. 2, 6 e 13 do Decreto n 343, de 19 de novembro de 1991, passam a vigorar com as seguinte redação:

DOU 04/10/1995. Art. 1 Os arts. 2, 6 e 13 do Decreto n 343, de 19 de novembro de 1991, passam a vigorar com as seguinte redação: DECRETO Nº 1.656, DE 03 DE OUTUBRO DE 1995. (Obs.: Os artigos 2º ao 5º e os anexos deste Decreto foram revogados pelo Decreto nº 3.643, de 29 de outubro de 2000.) DOU 04/10/1995 Dá nova redação aos Artigos

Leia mais

A sua capacidade jurídica e o estatuto internacional da organização são reconhecidos por um acordo de sede celebrado com o Conselho Federal Suíço.

A sua capacidade jurídica e o estatuto internacional da organização são reconhecidos por um acordo de sede celebrado com o Conselho Federal Suíço. UNIÃO INTERPARLAMENTAR A União Interparlamentar foi criada em 1894 mas as suas origens remontam a 1889, quando, por iniciativa do Reino Unido e da França, se celebrou a primeira Conferência Interparlamentar

Leia mais

COMISSÃO DE PREVENÇÃO AO CRIME E JUSTIÇA CRIMINAL ATC ANDORRA 1990 1943 AUSTRÁLIA 1985 1984 1967 ÁUSTRIA 1968 1950 1950 AZERBAIJÃO 1998 1993

COMISSÃO DE PREVENÇÃO AO CRIME E JUSTIÇA CRIMINAL ATC ANDORRA 1990 1943 AUSTRÁLIA 1985 1984 1967 ÁUSTRIA 1968 1950 1950 AZERBAIJÃO 1998 1993 COMISSÃO DE PREVENÇÃO AO CRIME E JUSTIÇA CRIMINAL ANEXOS Lista dos países de todas as categorias: abolicionistas para todos os crimes; abolicionistas para os crimes ordinários; abolicionistas de fato e

Leia mais

TABELA INTERNACIONAL DE DESTINOS TABELA PADRÃO SP

TABELA INTERNACIONAL DE DESTINOS TABELA PADRÃO SP Afeganistão R$ 0,64 Bangladesh, Chittagong R$ 1,41 Catar R$ 0,97 África do Sul R$ 0,64 Bangladesh, Dhaka R$ 1,41 Cazaquistão R$ 0,64 África do Sul Celular R$ 1,30 Bangladesh, Sylhet R$ 1,41 Chad R$ 4,26

Leia mais

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 5/9/2016

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 5/9/2016 Uzo Original Destino Preço por Minuto/SMS/MMS Voz Todas as redes nacionais 0,193 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,145 SMS Todas as redes nacionais 0,098 SMS (tarifa reduzida) Todas as redes

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 486, DE 30 DE SETEMBRO DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 486, DE 30 DE SETEMBRO DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 486, DE 30 DE SETEMBRO DE 2016 Dispõe sobre o pagamento de Diárias Nacionais e Internacionais, de Adicional de Deslocamento, de Indenização de Deslocamento e Alimentação, de

Leia mais

Benfica Telecom Tarifário 2014 em vigor a partir de 1/1/2014

Benfica Telecom Tarifário 2014 em vigor a partir de 1/1/2014 Benfica Telecom Destino preço por minuto / sms / mms Voz Todas as redes nacionais 0,190 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,084 SMS Todas as redes nacionais 0,095 SMS (tarifa reduzida) Todas

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 1 PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 2 17. TABELA DE VISTOS Apresentamos a seguir uma tabela

Leia mais

REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL

REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL Oi Móvel S/A, com sede no Setor Comercial Norte, Quadra 03, Bloco A, Edifício Estação Telefônica, Térreo, Parte 2, em Brasília, no Distrito Federal, inscrita

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

COMUNICAÇÃO PARA PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE ENTREGA DA DECLARAÇÃO MODELO 3 DE IRS RENDIMENTOS OBTIDOS NO ESTRANGEIRO

COMUNICAÇÃO PARA PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE ENTREGA DA DECLARAÇÃO MODELO 3 DE IRS RENDIMENTOS OBTIDOS NO ESTRANGEIRO DECLARAÇÃO (Art.º 60, n.ºs 3 e 4, do CIRS) COMUNICAÇÃO PARA PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE ENTREGA DA DECLARAÇÃO MODELO 3 DE IRS RENDIMENTOS OBTIDOS NO ESTRANGEIRO IRS MODELO 49 1 ANO A QUE RESPEITAM OS RENDIMENTOS

Leia mais

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS)

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) NACIONALIDADES Cód. Afeganistão 101 África do Sul 102 Albânia 103 Alemanha 104 Ando ra 105 Angola 106 Angui la 107 Antigua e Barbuda 108 Antilhas Holandesas

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.50% 9.00% 10.00% 10.50% 11.00%

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11.75% 13.00% 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.00% 8.50% 9.00%

Leia mais

Esta ação visa apoiar a modernização, a acessibilidade e a internacionalização do ensino superior nos Países Parceiros.

Esta ação visa apoiar a modernização, a acessibilidade e a internacionalização do ensino superior nos Países Parceiros. I n t e r n a t i o n a l C r e d i t M o b i l i t y Esta ação visa apoiar a modernização, a acessibilidade e a internacionalização do ensino superior nos Países Parceiros. Pretende também reforçar a

Leia mais

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 )

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Legend # Entrance allowed by presenting Civil Identity Card * - Maximum stay of 90 days every 180 days For more informations: Phone: +55 11 2090-0970

Leia mais

Brasil FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 11/09/12 11/10/12 11/11/12 11/12/12 11/01/13 11/02/13 11/03/13 11/04/13 11/05/13 11/06/13 11/07/13 11/08/13 11/09/13 11/10/13 11/11/13 11/12/13 11/01/14 11/02/14 11/03/14

Leia mais

L A E R T E J. S I L V A

L A E R T E J. S I L V A MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10)

Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) Níveis de Desenvolvimento Global (Extremos da Distribuição dos Países - 10/10) IDH País Pontuação Esperança de vida (anos) Média de anos de Anos de esperados RNBpc PPC em USD 2008 Posição no RNBpc menos

Leia mais

Principais Descobertas e Recomendações

Principais Descobertas e Recomendações Principais Descobertas e Recomendações A Pesquisa do Orçamento Aberto 2008, uma avaliação compreensiva da transparência orçamentária em 85 países, revela que o estado da transparência orçamentária ao redor

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

Banda Larga - Definià à o Tecnica

Banda Larga - Definià à o Tecnica Banda Larga - Definià à o Tecnica O que e Banda Larga? (Broadband) Banda Larga refere-se à telecomunicação que fornece múltiplos canais de dados por cima de um meio de comunicações único, tipicamente usando

Leia mais

Brasil e o MDL. Situação Atual do MDL no Brasil e no Mundo. Britcham. São Paulo 30 de setembro de 2008

Brasil e o MDL. Situação Atual do MDL no Brasil e no Mundo. Britcham. São Paulo 30 de setembro de 2008 Brasil e o MDL Situação Atual do MDL no Brasil e no Mundo Britcham São Paulo 30 de setembro de 2008 Gustavo Mozzer Ministério da Ciência e Tecnologia Assessor Técnico da Secretária Executiva da Comissão

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Como não organizar todos os países do mundo?

Como não organizar todos os países do mundo? Como não organizar todos os países do mundo? A FIFA tem federações de 186 países independentes, de 19 regiões não independentes e das 4 regiões do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte (abreviado

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro ASSUNTO: CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES, BANCOS MULTILATERAIS DE DESENVOLVIMENTO E ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS Havendo necessidade de se estabelecerem critérios de classificação

Leia mais

Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional

Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional temas de economia aplicada 11 Estrutura Demográfica e Despesa com Previdência: Comparação do Brasil com o Cenário Internacional Rogério Nagamine Costanzi (*) Trata-se de fato amplamente conhecido que existe

Leia mais

Tabela de Tarifas BRASIL Em vigor a partir de 31 de dezembro de 2007* *Versão atualizada: 5 de Maio de 2008

Tabela de Tarifas BRASIL Em vigor a partir de 31 de dezembro de 2007* *Versão atualizada: 5 de Maio de 2008 Tabela de Tarifas BRASIL Em vigor a partir de 31 de dezembro de 2007* *Versão atualizada: 5 de Maio de 2008 ÍNDICE 1 Índice Como Preparar suas Remessas Selecione o Serviço..........................................

Leia mais

A Evolução da Abertura ao Exterior da Economia Portuguesa 1

A Evolução da Abertura ao Exterior da Economia Portuguesa 1 A Evolução da Abertura ao Exterior da Economia Portuguesa 1 Elsa de Morais Sarmento 2 Joaquim Reis 3 1. Introdução A economia mundial não poderia existir sem a interdependência entre os Estados. Este facto

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

5 A ajuda de custo será concedida ainda de acordo com as seguintes condições:

5 A ajuda de custo será concedida ainda de acordo com as seguintes condições: Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Programa de Pós-Graduação em Bioquímica Campus do Pici - Bloco 907 - CEP 60.451-970 Telefone +55 85 3366

Leia mais

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol)

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) 1. Fluxo do debate 1.1. No debate formal, o tempo limite para discurso será de 2 (dois) minutos. 1.2. Nos

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

Homossexualidade é crime em 75 países (actualizado) 22-Jun-2007

Homossexualidade é crime em 75 países (actualizado) 22-Jun-2007 Homossexualidade é crime em 75 países (actualizado) 22-Jun-2007 A homossexualidade é ainda punida por lei em cerca de 75 Estados. Em muitos países, a condenação pode ir além de dez anos de prisão; por

Leia mais

CB ( ) CCO (1943) Beijing (2015) CA (2018) CSW 7 (1953) ECOSOC (2016) CCW (2017) OEA (2017) CPP (1919) CDH (2018) COI (1973) CIJ (2018)

CB ( ) CCO (1943) Beijing (2015) CA (2018) CSW 7 (1953) ECOSOC (2016) CCW (2017) OEA (2017) CPP (1919) CDH (2018) COI (1973) CIJ (2018) CCW CDH REPRESENTAÇÃO OFICIAL NOME COMPLETO DA REPRESENTAÇÃO Afeganistão República Islâmica do Afeganistão 1 1 1 3 Islamic Republic of Afghanistan 1 1 República da África do Sul 1 1 1 1 1 1 1 7 África

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE 1 MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro leitor, a crise econômica acertou em cheio o Brasil em 215. Em meio a este complexo cenário, a avicultura e a suinocultura foram impactadas em diversos momentos ao longo

Leia mais

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso PAIS CODIGO ACESSO DDI AFEGANISTAO 93 N AFRICA DO SUL 27 S ALASCA 1 S ALBANIA 355 S ALEMANHA 49 S ANDORRA 376 S ANGOLA 244 S ANGUILLA 1 S ANT.HOLANDESAS 599 S ANTIGUA 1 S ARABIA SAUDITA 966 S ARGELIA 213

Leia mais

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 02-mar-2016

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 02-mar-2016 Preçário REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da REALTRANSFER, Instituição de Pagamento, S.A., contém o Folheto de Comissões

Leia mais

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai

IX-5 Lista de Consulado Geral e Embaixadas em Kansai IX-5 Lista de Consulado Geral e s em Kansai 1. Consulado Geral, e consulado em Kansai Consulado Geral Endereço Telefone Australia Ed. Twin 21 MID Tower 16º andar, 06-6941-9271 Consulado Geral da Austrália

Leia mais

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Tratados de Dupla Tributação Documento disponível em: www.ibc-madeira.com Convenções Celebradas por Portugal para Evitar a Dupla Tributação Europa

Leia mais

MATERIAL DE APOIO A BONECA E O SILÊNCIO, UMA OPORTUNIDADE PARA DISCUTIR O ABORTO

MATERIAL DE APOIO A BONECA E O SILÊNCIO, UMA OPORTUNIDADE PARA DISCUTIR O ABORTO O SILÊNCIO, UMA OPORTUNIDADE PARA DISCUTIR O ABORTO INTRODUÇÃO O aborto ainda é um tabu no Brasil. Considerado crime, só recebe amparo legal em casos de gravidez decorrente de estupro, gestação com risco

Leia mais

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Central de Atos TJMG Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Sumário 1 Introdução... 3 2 O modelo de arquivo... 3 3 Tabelas... 5 3.1 PAPEIS DA PARTE... 5 3.2 TIPO DE ATO... 5 3.3 PAÍSES... 6 1 Introdução

Leia mais

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO mensário estatístico - ALCOOL ETILICO CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

PRINCIPAIS RESULTADOS

PRINCIPAIS RESULTADOS PRINCIPAIS RESULTADOS O Relatório Monitor de Minas Terrestres 2005 revela que o Tratado de Erradicação das Minas Terrestres e o movimento pelo banimento das minas continua a obter bons progressos no caminho

Leia mais

1. Direitos de Cidadania:

1. Direitos de Cidadania: 1 Colégio Pedro II Campus São Cristóvão II Ciências Sociais 3ª Certificação 8º ano do Ensino Fundamental II - 2015 Nome: nº Equipe Docente: Alline Torres, Marília Márcia Silva, Paulo Victor Aniceto, Raquel

Leia mais

IEC - Comitês Nacionais e os Esquemas de Avaliação de Conformidade IEC - LARC

IEC - Comitês Nacionais e os Esquemas de Avaliação de Conformidade IEC - LARC IEC - Comitês Nacionais e os Esquemas de Avaliação de Conformidade IEC - LARC IEC 4Fundada em 1906 para promover a cooperação internacional em todas as questões de normalização e temas relativos na área

Leia mais

Tabela de Códigos de Nacionalidade

Tabela de Códigos de Nacionalidade Tabela de Códigos de Nacionalidade Código Nome do País 170 ABISSÍNIA 171 AÇORES 172 AFAR FRANCES 241 AFEGANISTÃO 093 ALBÂNIA 030 ALEMANHA 174 ALTO VOLTA 094 ANDORRA 175 ANGOLA 334 ANTÁRTICA FRANCESA 337

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Programa Erasmus Mobilidade Internacional Creditada (ICM - International Credit Mobility) Orientações para as Instituições de Ensino Superior

Programa Erasmus Mobilidade Internacional Creditada (ICM - International Credit Mobility) Orientações para as Instituições de Ensino Superior Programa Erasmus+ 2017 Mobilidade Internacional Creditada (ICM - International Credit Mobility) Orientações para as Instituições de Ensino Superior Quais são as prioridades da U.E.? Desde 2015, que os

Leia mais

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento

Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Envelhecimento populacional, previdência, desafogo fiscal, poupança, investimento e os desafios da produtividade e do crescimento Paulo Tafner I n st itut o T eot ônio Villela I T V Br a sília N ov embro

Leia mais

Emissões de CO 2 na geração de energia

Emissões de CO 2 na geração de energia Emissões de CO 2 na geração de energia São Paulo, 03 de junho de 2008 Danielle Magalhães Ministério da Ciência e Tecnologia Coordenação-Geral de Mudança Global de Clima Compromissos dos Países na Convenção-Quadro

Leia mais

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 13-dez-2016

Preçário. REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 13-dez-2016 Preçário REALTRANSFER Instituição de Pagamento, S.A. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da REALTRANSFER, Instituição de Pagamento, S.A., contém o Folheto de Comissões

Leia mais

Relatório Estatístico

Relatório Estatístico Relatório Estatístico 2003 ÍNDICE Pag. Preâmbulo. Residentes 5.. Evolução 6.. Evolução Global de 98 a 2003 7..2 Crescimento por Continente (2002/2003) 8..3 Crescimento por Grupos de Países (2002/2003)

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação - PROPI

Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação - PROPI INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação Programa Institucional de Apoio à Pesquisa EDITAL Nº 05/2016 Fomento à Participação em Eventos

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

Serviços Especiais de Correio Registado por País de Destino

Serviços Especiais de Correio Registado por País de Destino por País de Destino Última atualização: 8 junho de 2016 COD AF Afeganistão REST X ZA Africa do Sul REST X X AL Albania EUR X DE Alemanha (a) UE X 2.500 AD Andorra EUR X AO Angola REST X AG Antigua e Barbuda

Leia mais

DECRETO Nº , de 21 de dezembro de DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS, AJUDA DE CUSTO E PASSAGENS NO SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL, INCLUSIVE

DECRETO Nº , de 21 de dezembro de DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS, AJUDA DE CUSTO E PASSAGENS NO SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL, INCLUSIVE DECRETO Nº 26.478, de 21 de dezembro de 2001. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE DIÁRIAS, AJUDA DE CUSTO E PASSAGENS NO SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL, INCLUSIVE NAS AUTARQUIAS, FUNDAÇÕES PÚBLICAS, SOCIEDADES DE ECONOMIA

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS PROF. DE GEOGRAFIA: BIANCA 1º TRIM - GEOGRAFIA 2016 INTRODUÇÃO Para a formação dos blocos econômicos, os países firmam acordos comerciais, estabelecendo medidas que visam

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE

Leia mais

A) Lista dos países terceiros cujos nacionais devem possuir um visto para transporem as fronteiras externas. 1. Estados:

A) Lista dos países terceiros cujos nacionais devem possuir um visto para transporem as fronteiras externas. 1. Estados: Lista dos países terceiros cujos nacionais estão sujeitos à obrigação de visto para transporem as fronteiras externas e lista dos países terceiros cujos nacionais estão isentos dessa obrigação A) Lista

Leia mais

A DEMOGRAFIA E AS LEIS FUNDAMENTAIS DA ECONOMIA NÃO RESPEITAM A CONSTITUIÇÃO NENHUMA CONSTITUIÇÃO

A DEMOGRAFIA E AS LEIS FUNDAMENTAIS DA ECONOMIA NÃO RESPEITAM A CONSTITUIÇÃO NENHUMA CONSTITUIÇÃO Envelhecimento Populacional e seus impactos sobre a Previdência e considerações sobre incentivos (regras) e seus impactos nos gastos, na poupança e na produtividade Paulo Tafner INTITUTO TEOTONIO VILLELA

Leia mais

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016 I. COMUNICAÇÕES REALIZADAS EM TELEFONE PÚBLICO... 2 I.1. Comunicações Fixo-Fixo (de telefone público) 2 I.2. Comunicações Fixo PT-Prestador de serviço de voz através da internet [PT-VoIP] (de telefone

Leia mais

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS)

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) PT (115) DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) Este documento tem o propósito de informar rotarianos sobre opções de pagamento e dados necessários para recebimento de fundos do Rotary. Consulte a lista

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) MRE-DPR JANEIRO/2012

Leia mais

Telefone. operador. 1,70 1,70 Grátis Grátis Grátis Grátis Qualquer montante Permanentes

Telefone. operador. 1,70 1,70 Grátis Grátis Grátis Grátis Qualquer montante Permanentes Entrada em vigor: 01out2016 5.1. Ordens de transferência C/ operador Telefone S/ Internet e Mobile ATM Maq. Rede Interna 1. Transferências Internas / Nacionais Emitidas em euros 1.1 Para conta domiciliada

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/ PPGD/2012 Disciplina a concessão de Recursos do PROEX/CAPES para a participação

Leia mais

Index de Brochuras e Operadores. Index de Brochuras e Operadores

Index de Brochuras e Operadores. Index de Brochuras e Operadores ÁFRICA DO SUL Martins Soares África 31/10/04 ANGOLA Soltrópico Turismo em Português31/10/04 BOTSWANA CABO VERDE Club 1840 Cabo Verde 30/04/05 Entre Mares Cabo Verde 31/10/04 Lusanova Tours Cabo Verde 31/10/04

Leia mais

Aula 3 As quatro esferas da globalização Parte I

Aula 3 As quatro esferas da globalização Parte I Aula 3 As quatro esferas da globalização Parte I BARBOSA, A. F. O Mundo Globalizado. São Paulo: Ed. Contexto, 2001. Elaborado Prof. Fauzi Timaco Jorge Adaptado Profa. Rosely Gaeta 1/34 Elaborado Prof.

Leia mais

Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho 15ª Região Coordenadoria de Licitações Processo de Compra nº 0176/2016

Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho 15ª Região Coordenadoria de Licitações Processo de Compra nº 0176/2016 EDITAL DO PROCESSO DE COMPRA Nº 0176/2016 REEDIÇÃO 2 PREGÃO ELETRÔNICO Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviço Telefônico Fixo Comutado STFC, destinado ao tráfego de chamadas

Leia mais

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 Sumário Introdução... 14 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 1.1.1. Brasões de Armas da África do Sul... 18 1.1.2. Brasão de armas e Botswana... 23 1.1.3. Brasão de armas do Lesoto...

Leia mais