Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana"

Transcrição

1 Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana Temos uma abordagem singular para a segurança alimentar em África...

2 FAO/ Isaac Kasamani A visão O Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana é uma nova forma de enfrentar os desafios da fome e da pobreza em África. mais fortes da África para apoiar iniciativas nacionais e regionais, orientado para a captação de recursos e intercâmbio de conhecimentos. FAO/ Isaac Kasamani O Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana será fundamental na construção da Geração Fome Zero em África, a primeira geração com as ferramentas e a capacidade de acabar com a fome. FAO/Fulvio Cenci O principal objetivo do Fundo é o de reforçar a segurança alimentar em todo o continente, apoiando os países e as suas organizações regionais na erradicação da fome e da malnutrição. É um mecanismo singular de financiamento que reúne recursos de economias Lançado oficialmente em 2013, com uma contribuição total de 40 milhões de dólares americanos, principalmente da Guiné Equatorial e Angola, o Fundo está a ajudar pessoas em mais de 36 países africanos. Eu acredito que todos nós nos apercebemos do crescente empenho politico em África no sentido de erradicar a fome e a vontade de transformar esse compromisso em ações concretas. Mas este processo deve ser liderado pelos governos José Graziano da Silva, Diretor-Geral da FAO

3 Os nossos projetos: República Centro Africana Oportunidades de resiliência dos meios de subsistência das comunidades rurais afectadas por conflitos, no país. Sudão do Sul Apoio ao programa de susistência em condições de emergência no Sudão do Sul Malawi Abordagem integrada para desenvolver resiliência nas comunidades vulneráveis aos choques climáticos num dos distritos mais afectados no Malawi Mali Dar emprego aos jovens para a redução da pobreza rural Etiópia Apoio aos meios de subsistência e redução da pobreza através da diversificação económica e oportunidades de trabalho digno para as comunidades rurais Níger Apoio à iniciativa 3N (Nigeriens Nourish Nigeriens Nigerienses Alimentam Nigerienses ) nas comunidades de convergência Burundi, Quénia, Ruanda e Uganda Promover a diversificação agrícola orientada para a nutrição, para combater a malnutrição e promover oportunidades de emprego para jovens na África Oriental Camarões, Chade, Congo, Gabão, Guiné Equatorial e São Tomé e Príncipe Reforçando a segurança alimentar no meio urbano na África Central, através de uma melhor disponibilidade de alimentos produzidos localmente. Angola, Botswana, Madagáscar, Moçambique, Namíbia, África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe Reforçando o controle de ameaças à segurança alimentar, pragas de plantas e animais e doenças, para a produção agrícola e comércio na África Austral Burkina Faso, Costa do Marfim, Gana, GuinéBissau, Nigéria e Senegal criando oportunidades de emprego digno para os jovens através de sistemas aquícolas sustentáveis e cadeia de valor da mandioca na África Ocidental Guiné Apoio à resiliência dos meios de subsistência das famílias afectadas pelo Ebola Libéria Resposta de emergência para mitigar o impacto da doença causada pelo vírus do Ebola na segurança alimentar e atividade agrícola familiar na Libéria Serra Leoa Recuperação PósEbola do projeto de agronegócio na Serra Leoa Iniciativa Africana de Cooperação Sul-Sul para a Agricultura e Segurança Alimentar Benin, Camarões, Malawi e Níger Melhoramento das oportunidades de emprego para a juventude rural em África/ NEPAD

4 Valor investido no projecto USD Beneficiários Apoio ao programa de subsistência no Sudão do Sul Resultados Sebastian Liste/NOOR for FAO Um exemplo de investimento No âmbito deste programa várias atividades foram realizadas para apoiar beneficiários afetados por conflitos, deslocados e malnutridos. Algumas das atividades incluíam: ) Vacinação e tratamento de gado em todo o país,incluindo a vacinação de animais em áreas de elevado risco de doenças ) Esquema de vales-alimentares beneficiando 70 fornecedores de vegetais e peixe FAO/Jose Cendon ) d istribuição de kits de sobrevivência de emergência para famílias Ao término do projeto mais de beneficiários foram abrangidos. Mais do que o inicialmente previsto. Alimah, Sudão do Sul FAO/SAMIR BOL Nós, como os africanos, devemos aprender a apoiar-nos uns aos outros e tentarmos aprender a estar não apenas no lado de quem recebe, mas também no lado de quem doa

5 Assumir o compromisso de: ) contribuir para erradicação a fome, a insegurança alimentar e a desnutrição em África; ) aumentar e melhorar o fornecimento de bens e serviços provenientes da agricultura, silvicultura e pesca de forma sustentável ; ) reduzir a pobreza rural; ) promover sistemas agrícolas e alimentares mais inclusivos e eficientes; ) aumentar a resiliência dos meios de subsistência das famílias africanas à ameaças e crises. Os países africanos contribuintes são os gestores do Fundo. Todas as contribuições financeiras são administrados por Representações da FAO em África, de acordo com as regras e rgulamentos financeiros da FAO, que garante plena transparência e prestação de contas. Junte-se a nós para construirmos a África a partir de dentro O nosso sucesso até agora prova que adotar uma abordagem diferente para resolver o problema da pobreza global é o que produz resultados. Os países africanos estão agora a tomar a liderança na construção da Geração Fome Zero. Com o sólido conhecimento técnico da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, os nossos principais financiadores (actualmente Guiné Equatorial e Angola) têm ajudado a fortalecer a região a partir de dentro: com recursos financeiros, cooperação sul-sul, apoiando programas e projetos, expandindo as boas práticas e transferindo conhecimento e tecnologia de um país africano para outro.

6 Quando contribuis para o fundo... ) A ssumes a liderança para ajudar os outros países A África está acordando para a realidade de que o desenvolvimento de África é responsabilidade do continente africanos na sua luta contra a fome; ) Participas numa das iniciativas mais importantes, liderada por africanos para africanos; ) Demonstras solidariedade com os povos irmãos, apoiando os mais pobres com os teus recursos e conhecimentos singulares; ) Mostras o caminho para que outros países africanos se tornem membros do Fundo Fiduciário de Solidariedade Africana. Como nos contactar Para contribuir para o fundo: Para consultas gerais: Jong-Jin Kim Escritório Regional da FAO para a África Tel: (+233) (0) Diretor da Divisão de Cooperação Sul-Sul e Mobilização de Recursos Departamento de Cooperação Técnica e Gestão de Programas Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) Tel: +(39) Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura I5456Pt/1/03.16 Com o apoio e contribuições dos governos da Guiné Equatorial e Angola Organização das Naçõe para a Alimentação e a

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS DEZ (10) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS DEZ (10) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis-Abeba (ETHIOPIE) P. O. Box 3243 Téléphone (251-11) 5517 700 Fax : 551 78 44 Website : www.africa-union.org CONSELHO EXECUTIVO Décima Segunda Sessão Ordinária

Leia mais

Banda Larga - Definià à o Tecnica

Banda Larga - Definià à o Tecnica Banda Larga - Definià à o Tecnica O que e Banda Larga? (Broadband) Banda Larga refere-se à telecomunicação que fornece múltiplos canais de dados por cima de um meio de comunicações único, tipicamente usando

Leia mais

Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável. Center for International Forestry Research

Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável. Center for International Forestry Research Preparando as florestas e a silvicultura para o desenvolvimento sustentável Center for International Forestry Research Quem somos O Centro Internacional de Pesquisa Florestal é uma organização global,

Leia mais

Mortalidade Infantil E Populações tradicionais. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Mortalidade Infantil E Populações tradicionais. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Mortalidade Infantil E Populações tradicionais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável OS ODM s Muito a celebrar... O Brasil alcançou a meta relacionada à mortalidade infantil. Mas com muita desigualdades

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros

Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Sistema AFRICANO INTERAMERICANO EUROPEU Organização Regional da qual faz parte Estados Membros Organização da Unidade Africana (OUA) (54) África do Sul, Angola, Argélia, Benim, Botswana, Burkina Faso,

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS COPATROCINADORES UNAIDS 2015 PMA O QUE É O PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS? As pessoas que vivem com HIV têm direito à alimentação e boa nutrição.

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP Leguminosas Sementes nutritivas para um futuro sustentável FAO, 2016 Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 14 de Abril de 2016 As leguminosas secas sempre

Leia mais

Fazendo Negócios em Cabo Verde

Fazendo Negócios em Cabo Verde Fazendo Negócios em Cabo Verde Svetlana Bagaudinova Especialista Sênior em Desenvolvimento do Sector Privado Leonardo Iacovone Economista Cabo Verde November 23-24, 2010 1 O que mede o Doing Business?

Leia mais

Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África

Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África por Por Dentro da África - segunda-feira, novembro 09, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/parceria-global-quer-erradicar-o-casamento-precoce-na-africa

Leia mais

Telefone. operador. 1,70 1,70 Grátis Grátis Grátis Grátis Qualquer montante Permanentes

Telefone. operador. 1,70 1,70 Grátis Grátis Grátis Grátis Qualquer montante Permanentes Entrada em vigor: 01out2016 5.1. Ordens de transferência C/ operador Telefone S/ Internet e Mobile ATM Maq. Rede Interna 1. Transferências Internas / Nacionais Emitidas em euros 1.1 Para conta domiciliada

Leia mais

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS Lista da ONU Países-membros das Nações Unidas Segue-se a lista dos 192 países-membros das Nações Unidas, de acordo com a ordem alfabética de seus nomes em português, com as

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO PROFISSIONAL Síntese do Workshop Nacional sobre o Projecto de Centros de Excelência do Ensino Superior para África

Leia mais

O BEI em África, nas Caraíbas e no Pacífico: Resultados de 2015

O BEI em África, nas Caraíbas e no Pacífico: Resultados de 2015 O BEI em África, nas Caraíbas e no Pacífico: Resultados de 2015 2 Prioridades do BEI O BEI está empenhado em apoiar as políticas de desenvolvimento da UE no exterior da União Europeia. Ao abrigo do Acordo

Leia mais

Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações

Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações Conheça os classificados para a Copa Africana de Nações por Por Dentro da África - domingo, setembro 04, 2016 http://www.pordentrodaafrica.com/noticias/conheca-os-classificados-para-copa-africana-de [:pb]

Leia mais

África e Oriente Médio Perspectivas para 2013

África e Oriente Médio Perspectivas para 2013 África e Oriente Médio Perspectivas para 13 Janeiro - 13 Resumo Executivo As economias do Oriente Médio, Norte da África e África Subsaariana vêm apresentando um desempenho bastante favorável desde o começo

Leia mais

Sexagésima primeira sessão Yamoussoukro, Côte d Ivoire, 29 de Agosto 2 de Setembro de 2011

Sexagésima primeira sessão Yamoussoukro, Côte d Ivoire, 29 de Agosto 2 de Setembro de 2011 4 de Julho de 2011 COMITÉ REGIONAL AFRICANO ORIGINAL: INGLÊS Sexagésima primeira sessão Yamoussoukro, Côte d Ivoire, 29 de Agosto 2 de Setembro de 2011 Ponto 16 da ordem do dia provisória RELATÓRIO DOS

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural são uma

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Introduzindo o Programa Compreensivo para o Desenvolvimento da Agricultura em África (CAADP) PARCEIROS DE APOIO DO CAADP

Introduzindo o Programa Compreensivo para o Desenvolvimento da Agricultura em África (CAADP) PARCEIROS DE APOIO DO CAADP Introduzindo o Programa Compreensivo para o Desenvolvimento da Agricultura em África (CAADP) PARCEIROS DE APOIO DO CAADP Agricultura e o CAADP: Uma Nova Visão para a África Se quisermos fazer com que a

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

GUIA PRÁTICO. Quadro Integrado Reforçado (QIR) para o Desenvolvimento do Comércio nos Países Menos Avançados

GUIA PRÁTICO. Quadro Integrado Reforçado (QIR) para o Desenvolvimento do Comércio nos Países Menos Avançados GUIA PRÁTICO Quadro Integrado Reforçado (QIR) para o Desenvolvimento do Comércio nos Países Menos Avançados Onde trabalhamos Países : Afeganistão Angola Bangladeche Benim Burquina Faso Burundi Butão Cabo

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros 15.12.2016 2017/0000(INI) PROJETO DE RELATÓRIO que contém uma proposta de recomendação do Parlamento Europeu ao Conselho

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Cooperação Internacional com os países Africanos

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Cooperação Internacional com os países Africanos MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Cooperação Internacional com os países Africanos Setembro/2012 DIRETRIZES DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA 1. Baseada em valores clássicos: promoção

Leia mais

Projeto para a Implementação do Banco de Preços de Medicamentos da União das Nações Sul-americanas (UNASUL)

Projeto para a Implementação do Banco de Preços de Medicamentos da União das Nações Sul-americanas (UNASUL) SECRETÁRIA-GERAL DA UNASUL Ficha para a identificação de Iniciativas Conjuntas da UNASUL (PIC-UNASUL) I Nome do projeto: Implementação do Banco de Preços de Medicamentos da União das Nações Sul-americanas

Leia mais

Programa Cidade ustentáveis ONU

Programa Cidade ustentáveis ONU Programa Cidade ustentáveis ONU 10 passos para as Cidades Sustentáveis 1: Âmbito institucional e administrativo 2: Financiamento e recursos 3: Avaliação dos riscos múltiplos e perigos 4: Proteção da infraestrutura,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJC - POLÍCIA FEDERAL SERVIÇO DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO Brasília Mensagem eletrônica n. º 206/2016-SIC/DIREX/PF Prezada Senhora, 1. Trata-se de requerimento de informação protocolado

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso das Resolução nº 1.818, de 19 de setembro de 2009. Altera o valor das diárias definidos pela Resolução nº 1.745, de 26 de janeiro de 2005, e dispõe sobre demais assuntos. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no

Leia mais

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar

ATIVIDADE Nº 23 SITE PADOGEO.COM/8ºANOS EXERCÍCIOS 2 - CONTINENTE AFRICANO - POPULAÇÃO. A sua pontuação é 100%. Resposta Correta Verificar ATIVIDADE º 23 SITE PADOGEO.COM/8ºAOS EXERCÍCIOS 2 - COTIETE AFRICAO - POPULAÇÃO Resposta Correta Analise as frases se Verdadeiras ou Falsas a partir do texto "E a população africana? Como está distribuída?"

Leia mais

Nove áreas temáticas do programa

Nove áreas temáticas do programa Nove áreas temáticas do programa Com base no Plano de Ação FLEGT da União Europeia, a gerência do programa estabeleceu nove áreas temáticas apoiadas pelo programa. Sob cada tema, há uma lista indicativa

Leia mais

MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS. As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo das Américas nos comprometemos a:

MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS. As Chefes e os Chefes de Estado e de Governo das Américas nos comprometemos a: SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS OEA/Ser.E 14 a 15 de abril de 2012 CA-VI/doc.6/12 Rev.2 Cartagena das Índias, Colômbia 23 maio 2012 Original: espanhol MANDATOS DECORRENTES DA SEXTA CÚPULA DAS AMÉRICAS As Chefes

Leia mais

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África GEOGRAFIA BÁSICA Características Gerais dos Continentes: África Atualmente temos seis continentes: África, América, Antártida, Europa, Ásia e Oceania. Alguns especialistas costumam dividir o planeta em

Leia mais

Angola: Potencialidades

Angola: Potencialidades Angola: Potencialidades Regionais e Internacionais Sebastião Martins 21 de Abril de 2015 Índice 1. A República de Angola em Contexto 2. As Potencialidades Domésticas da República de Angola 2.1. Económicas

Leia mais

Principais Descobertas e Recomendações

Principais Descobertas e Recomendações Principais Descobertas e Recomendações A Pesquisa do Orçamento Aberto 2008, uma avaliação compreensiva da transparência orçamentária em 85 países, revela que o estado da transparência orçamentária ao redor

Leia mais

Working Paper Nº 04 POSIÇÃO DE ANGOLA EM VÁRIOS ÍNDICES INTERNACIONAIS

Working Paper Nº 04 POSIÇÃO DE ANGOLA EM VÁRIOS ÍNDICES INTERNACIONAIS Working Paper Nº 04 POSIÇÃO DE ANGOLA EM VÁRIOS ÍNDICES INTERNACIONAIS 2016 Autor Wilson Silva, Assistente de Investigação CEIC-UCAN CENTRO DE ESTUDOS E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVRESIDADE CATÓLICA

Leia mais

PROJETO 9: Capacitação Floresta Amazônica. Responsável: Dra. Alessandra Rodrigues. Apresentação: Dra. Lúbia Vinhas Chefe DPI/INPE

PROJETO 9: Capacitação Floresta Amazônica. Responsável: Dra. Alessandra Rodrigues. Apresentação: Dra. Lúbia Vinhas Chefe DPI/INPE PROJETO 9: Capacitação Floresta Amazônica Responsável: Dra. Alessandra Rodrigues Apresentação: Dra. Lúbia Vinhas Chefe DPI/INPE Projetos de Monitoramento da Amazônia Satélites e Resolução Espacial PRODES

Leia mais

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1 Como a África pode adaptar-se às mudanças climáticas? Os Clubes de Agricultores de HPP alcançam dezenas de milhares ensinando sobre práticas agrícolas sustentáveis e rentáveis e de como se adaptar a uma

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/12/2016) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/12/2016) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Iniciativa de Alfabetização para 0 Empoderamento

Iniciativa de Alfabetização para 0 Empoderamento Iniciativa de Alfabetização para 0 Empoderamento 2006-2015 O que é LIFE? A Iniciativa de Alfabetização para o Empoderamento (LIFE - Literacy Initiative for Empowerment) foi concebida como um marco estratégico

Leia mais

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida PREÂMBULO NÓS, os Chefes de Estado ou Governo de: República da África do Sul República de Angola República do Botswana República Democrática do Congo Reino

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 08/04/2016) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 08/04/2016) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Oportunidades na Cooperação. A União Europeia e a cooperação para o desenvolvimento nos países ACP

Oportunidades na Cooperação. A União Europeia e a cooperação para o desenvolvimento nos países ACP Oportunidades na Cooperação A União Europeia e a cooperação para o desenvolvimento nos países ACP Primeira empresa de consultoria em assuntos europeus com escritório em Bruxelas. - Public Affairs (Intelligence,

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) PARECER DA COMISSÃO SUBSTITUTIVO

Leia mais

AGRICULTORES FAMILIARES

AGRICULTORES FAMILIARES Temas para o Diálogo Brasil-África em termos de Segurança Alimentar, Combate à Fome e Desenvolvimento Rural Brasília, de 10 a 12 de maio de 2010 AGRICULTORES FAMILIARES Transferência de Tecnologia - Recursos

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA.

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA. Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA A01 Agricultura - aspectos gerais A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA B10 Geografia B50 História C EDUCAÇÃO, EXTENSÃO E INFORMAÇÃO C10 Educação

Leia mais

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE Titulo da Comunicação, Título da Comunicação Nome do Orador Empresa/Instituição Rede de Estradas Classificadas (DM. 03/2005)

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 6 GESTÃO DO RISCO E RESTABELECIMENTO DO POTENCIAL PRODUTIVO Ação 6.2 PREVENÇÃO E RESTABELECIMENTO DO POTENCIAL PRODUTIVO Enquadramento

Leia mais

Bases Sólidas: S Alfabetização para a vida. Destaques do Relatório EPT 2006

Bases Sólidas: S Alfabetização para a vida. Destaques do Relatório EPT 2006 Bases Sólidas: S Alfabetização para a vida Destaques do Relatório EPT 2006 A alfabetização é: Um direito que ainda é negado; Essencial para atingir a Educação para todos; Fenómeno social e individual;

Leia mais

11-14 anos de idade. Assunto. Preparação. Resultado de aprendizado

11-14 anos de idade. Assunto. Preparação. Resultado de aprendizado Educação Pode Transformar o Mundo P1 "A educação é um direito fundamental e não um privilégio. Eu quero ajudar as crianças a compreender o poder da educação e da sua capacidade de transformar vidas." Ayswarrya

Leia mais

Acordo de Paris é aprovado

Acordo de Paris é aprovado Acordo de Paris é aprovado Durante a COP 21, os 195 países membros da Convenção do Clima aprovaram, por consenso, o texto do novo acordo climático que substituirá o Protocolo de Quioto e passará a valer

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Gabinete de Estudos Princípios Gerais sobre a Iniciativa de Transparência na Indústria Extractiva (EITI) e sua Implementação em Moçambique Maputo, 23 de

Leia mais

E C O N Ô S O C E N T A L. Cultura e Tradição

E C O N Ô S O C E N T A L. Cultura e Tradição 3º. Seminário Responsabilidade Social com Foco nos Atores Interessados 7 a 8/10/2008 Biodiesel e Agricultura Familiar www.biodiesel.gov.b PNPB Pilares de Sustentação PNPB S O C I A L E C O N Ô M I C O

Leia mais

REFORÇAR O PAPEL DA MEDICINA TRADICIONAL NOS SISTEMAS DE SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA PARA A REGIÃO AFRICANA. Relatório do Secretariado RESUMO

REFORÇAR O PAPEL DA MEDICINA TRADICIONAL NOS SISTEMAS DE SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA PARA A REGIÃO AFRICANA. Relatório do Secretariado RESUMO 3 de Setembro de 2013 COMITÉ REGIONAL AFRICANO ORIGINAL: INGLÊS Sexagésima terceira sessão Brazzaville, República do Congo, 2-6 de Setembro de 2013 Ponto 10 da Ordem do Dia Provisória REFORÇAR O PAPEL

Leia mais

16 de maio de Gráfico 1 Total das Exportações Brasileiras /2001(f.o.b.)*

16 de maio de Gráfico 1 Total das Exportações Brasileiras /2001(f.o.b.)* 16 de maio de 22 As exportações brasileiras têm crescido substancialmente desde 1981 com diversificação observada no período de 1995 a 2. Baseado em dados anuais obtidos da aliceweb (http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/default.asp),

Leia mais

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A Assessoria de Planejamento (ASPLAN) está se dedicando à elaboração do Planejamento Estratégico da SEDESE. Este projeto surge como uma demanda do Secretário André Quintão para

Leia mais

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Seminário Pequenos Investimentos Produzir e vender com Qualidade e Segurança Luís Chaves 01 de setembro de 2016 Rio Maior 1. A Federação

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS. Prof. Dr. Helio Furtado

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS. Prof. Dr. Helio Furtado POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS Prof. Dr. Helio Furtado POLÍTICAS PÚBLICAS O aumento da longevidade e o rápido crescimento do peso relativo da população idosa, aliados às deficiências no sistema público

Leia mais

Desafios. Impactos nos pobres urbanos

Desafios. Impactos nos pobres urbanos Alimento para as cidades Nem as Metas de Desenvolvimento do Milênio nem as metas da Cúpula Mundial da Alimentação serão atingidas se não for dada a devida atenção às cidades e aos vínculos rural-urbanos.

Leia mais

FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA O EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS (O FUNDO)

FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA O EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS (O FUNDO) FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA O EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS (O FUNDO) SELECÇÃO PROVISÓRIA DOS PAÍSES ELEGÍVEIS PARA O FUNDO NO CONTEXTO DO 2º APELO PARA SUBMISSÃO DE PROPOSTAS 24 DE NOVEMBRO DE 2010

Leia mais

FAIRTRADE LABELLING INTERNATIONAL ORGANIZATION FUNDO DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOR

FAIRTRADE LABELLING INTERNATIONAL ORGANIZATION FUNDO DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOR FAIRTRADE LABELLING INTERNATIONAL ORGANIZATION FUNDO DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOR Diretrizes: 1. Nós o queremos Nós queremos ter certeza de que todos os produtores deavantajados, de pequenas propriedades,

Leia mais

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado Moçambique informação de negócios Oportunidades e Dificuldades do Mercado Outubro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Tecnologias de Informação e Comunicação 03 1.2 Formação Profissional 03 1.3 Produtos

Leia mais

Seminário Certificação e Fomento Florestal

Seminário Certificação e Fomento Florestal Programa Klabin Fomento Florestal Seminário Certificação e Fomento Florestal Diálogo Florestal Canoinhas SC Out 2012 Fomento Florestal Fomento Florestal tem o objetivo formar florestas produtivas em áreas

Leia mais

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DOCE NO MUNDO DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA DOCE E SALGADA 97,5 8% 22% 70% 2,5 Indústria Agricultura

Leia mais

Preçário UNICAMBIO - AGENCIA DE CAMBIOS, SA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 05-set-2016

Preçário UNICAMBIO - AGENCIA DE CAMBIOS, SA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 05-set-2016 Preçário UNICAMBIO AGENCIA DE CAMBIOS, SA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 05set2016 O Preçário completo [Unicâmbio Agência de Câmbios. S.A], contém

Leia mais

1. Descrever, conforme apresentado na lição, o conceito de Desastre.

1. Descrever, conforme apresentado na lição, o conceito de Desastre. GESTÃO DE DESASTRES Ações Inter e Multidisciplinares Objetivos: Ao final da lição, o aluno estará apto para: 1. Descrever, conforme apresentado na lição, o conceito de Desastre. 2. Enumerar, conforme descrito

Leia mais

Recomendação de políticas Fraude tecnológica e exploração em linha

Recomendação de políticas Fraude tecnológica e exploração em linha Recomendação de políticas Fraude tecnológica e em linha A oportunidade A computação em nuvem está revolucionando a forma como as pessoas trabalham, aprendem, interagem e brincam. A educação é apenas um

Leia mais

Declaração de Rio Branco

Declaração de Rio Branco Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF) Declaração de Rio Branco Construindo Parcerias e Garantindo Apoio para Florestas, o Clima e Meios de Vida Rio Branco, Brasil 11 de Agosto, 2014

Leia mais

Seguimento da última Conferência dos Ministros Africanos de Economia e Finanças (CAMEF II)

Seguimento da última Conferência dos Ministros Africanos de Economia e Finanças (CAMEF II) Distr.: Geral Data: 10 de Março 2008 COMISSÃO DA UNIÃO AFRICANA Terceira Sessão de CAMEF Primeira Reunião Conjunta Anual da Conferência da UA de Ministros de Economia e Finanças e Conferência da CEA de

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS QUINZE (15) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA

RELATÓRIO SOBRE A ELEIÇÃO DOS QUINZE (15) MEMBROS DO CONSELHO DE PAZ E SEGURANÇA DA UNIÃO AFRICANA LC 2053 AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone +251115-517700 Fax : +251115-517844 Website : www.africa-union.org CONSELHO EXECUTIVO Décima-Sexta Sessão

Leia mais

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO. Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO. Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016 ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E SANEAMENTO Prelector: Lionidio de Ceita 25 Julho 2016 Alterações Climáticas: Mito ou Realidade? O assunto das alterações climáticas tem sido amplamente discutido em termos políticos,

Leia mais

Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local. Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010

Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local. Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010 Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010 Estrutura da Apresentação Cenários de investimento e desenvolvimento O quadro de Moçambique Uma estratégia

Leia mais

Lei Nº , de 26 de junho de 2009

Lei Nº , de 26 de junho de 2009 Lei Nº 11.958, de 26 de junho de 2009 Altera as Leis nos 7.853, de 24 de outubro de 1989, e 10.683, de 28 de maio de 2003; dispõe sobre a transformação da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da

Leia mais

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 Introdução A África alcançou um ponto de viragem crítico na sua luta contra a malária este ano à medida que objectivos, estratégias e planos globais e regionais

Leia mais

Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997.

Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997. África do Sul Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997. É considerado um dos grandes pedagogos da atualidade e respeitado mundialmente. Embora suas idéias e práticas tenham sido objeto das mais diversas

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ONU MULHERES ENTIDADE DAS NAÇÕES UNIDAS PARA IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAMENTO DAS MULHERES

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ONU MULHERES ENTIDADE DAS NAÇÕES UNIDAS PARA IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAMENTO DAS MULHERES COPATROCINADOR UNAIDS 2015 ONU MULHERES ENTIDADE DAS NAÇÕES UNIDAS PARA IGUALDADE DE GÊNERO E EMPODERAMENTO DAS MULHERES COPATROCINADORES UNAIDS 2015 O QUE É A ONU MULHERES? A igualdade de gênero é obrigatória

Leia mais

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde Situação Alimentar e Nutricional no Brasil e no Mundo - O rápido declínio da desnutrição infantil no Brasil e o papel das políticas públicas na redução das desigualdades Coordenação-Geral da Política de

Leia mais

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 1 PETROBRAS Fundada em 1953, a partir de uma campanha popular O petróleo é nosso. Empresa integrada de energia Sociedade anônima de capital aberto

Leia mais

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha 1. edestinos.com.br 2. Dicas de viagem Última atualização: 30.09.2016 Passagens aéreas Bagagem Check-in e serviço de bordo Como reservar passagens aéreas Saúde durante a viagem FAQ Passageiras grávidas

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO DA SESSÃO MINISTERIAL

PROJECTO DE RELATÓRIO DA SESSÃO MINISTERIAL AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIA P. O. Box 3243 Telephone: 517 700 Fax: 5130 36 website: www. www.au.int PRIMEIRA REUNIÃO DO COMITÉ TÉCNICO ESPECIALIZADO (CTE) DE COMUNICAÇÕES

Leia mais

Encaminhado em 2013 para reduzir a incidência de malária em >75% até 2015 (vs. 2000)

Encaminhado em 2013 para reduzir a incidência de malária em >75% até 2015 (vs. 2000) P TRIMESTRE Introdução RELATÓRIO DE RESUMO DA ALMA: 2P o DE 205 No mês de Julho de 205, a Etiópia e a Comissão Económica das Nações Unidas para África vão ser os anfitriões da 3ª Conferência Internacional

Leia mais

Projeto de Intercâmbio e Cooperação dos Agricultores Nikkeis da América do Sul 2015 Plano do projeto

Projeto de Intercâmbio e Cooperação dos Agricultores Nikkeis da América do Sul 2015 Plano do projeto Projeto de Intercâmbio e Cooperação dos Agricultores Nikkeis da 2015 Plano do projeto Junho de 2015 Chuo Kaihatsu Corporation (CKC) Escritório de Tóquio 3-13-5, Nishi-waseda, Shinjuku-ku, Tokyo 169-8612

Leia mais

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Além de integrar a missão e visão da FACISC, o Desenvolvimento Sustentável passa agora a ser uma de nossas Diretrizes de atuação. Desta forma, propondo a ampliação

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais PROJECTO DE RESOLUÇÃO Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exmo. Sr. Presidente do Governo Exma. Sra. e

Leia mais

Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas

Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas Seminário FMI e Sindicatos Aprofundando nosso diálogo e afinando nossas políticas Victor Lledó Representante Residente do FMI Hotel Avenida, Maputo, 17 de Novembro de 2010 Estrutura da apresentação O papel

Leia mais

A Cooperação Portuguesa

A Cooperação Portuguesa FICHA TEMÁTICA A Cooperação Portuguesa Março de 2015 Política de Cooperação para o Desenvolvimento A Cooperação para o Desenvolvimento é um vetor chave da política externa portuguesa, que assenta num consenso

Leia mais

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Sistemas Econômicos 2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Um sistema econômico pode ser definido como a forma na qual uma sociedade está organizada em termos políticos, econômicos e sociais para desenvolver as atividades

Leia mais

Adis Abeba, 4 e 5 de Abril de 2016

Adis Abeba, 4 e 5 de Abril de 2016 EA16863 88/88/9/10 Nações Unidas Conselho Económico e Social Comissão Económica para África Conferência dos Ministros Africanos de Finanças, Planeamento e Desenvolvimento Económico Quadragésima Nona Sessão

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial

Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial e Investimentos Divisão de Inteligência Comercial Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios Sudão do Sul Guia de Negócios SUDÃO

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra de Projetos 2011 Criando Identidade com Pontal do Paraná Protegendo a Maternidade Alimentando Vidas Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra Local de: Pontal do Paraná. Categoria do projeto:

Leia mais

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 POLÍTICA NACIONAL DA BIODIVERSIDADE Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 Os princípios estabelecidos na PNBio (20 ao todo) derivam, basicamente, daqueles estabelecidos na Convenção sobre Diversidade Biológica

Leia mais

O papel da DGAV na alimentação e na saúde

O papel da DGAV na alimentação e na saúde O papel da DGAV na alimentação e na saúde Fórum Nacional de Saúde Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Edifício Egas Moniz 27 junho 2014 Miguel Oliveira Cardo 2014 Acordo SPS World Trade Organization

Leia mais

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA Agenda 21 local : da teoria à prática Gina Rizpah Besen Psicóloga Mestre em Saúde Pública FSP-USP consultora em Gestão Ambiental rizpah@usp.br Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE 10 ELEMENTOS CHAVE Objetivo Apresentar o componente nutricional inserido na alimentação escolar Metodologia

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO 2017/2020

PROGRAMA DE GOVERNO 2017/2020 PROGRAMA DE GOVERNO EDUCAÇÃO A EDUCAÇÃO É PRIORIDADE EM NOSSO PLANO DE GOVERNO, ONDE SERÃO DESENVOLVIDAS AÇÕES DE APERFEIÇOAMENTO NA QUALIDADE DE ENSINO EM TODAS AS SUAS MODADLIDADES, CUMPRINDO TODAS AS

Leia mais

processo histórico produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema delegou

processo histórico produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema delegou Subdesenvolvimento O subdesenvolvimento é um processo histórico autônomo, uma outra forma de capitalismo produzido dentro das regras de expansão do próprio sistema, onde as diferenças estruturais são naturais

Leia mais

A sua capacidade jurídica e o estatuto internacional da organização são reconhecidos por um acordo de sede celebrado com o Conselho Federal Suíço.

A sua capacidade jurídica e o estatuto internacional da organização são reconhecidos por um acordo de sede celebrado com o Conselho Federal Suíço. UNIÃO INTERPARLAMENTAR A União Interparlamentar foi criada em 1894 mas as suas origens remontam a 1889, quando, por iniciativa do Reino Unido e da França, se celebrou a primeira Conferência Interparlamentar

Leia mais