Modularidade - Fun ções e Procedimentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modularidade - Fun ções e Procedimentos"

Transcrição

1 Modularidade - Fun ções e Procedimentos José Gustavo de Souza Paiva Problema Em diversas situa ções, é preciso executar uma tarefa específica diversas vezes em um programa, variando apenas os dados de entrada dessa tarefa Exemplo: Combinação simples C n, p n! p!( n p)! 1

2 Problema Outros exemplos : Mostrar mensagens na tela Zerar um vetor Fazer uma operação matricial Modularização: divisão de um programa em módulos responsáveis por tarefas específicas Modularização Motivações Evitar repetição de código Dividir e estruturar melhor a resolução de um problema Aumentar a legibilidade do c ódigo Benefícios Manutenção mais simples, pois os m ódulos são (idealmente) independentes e menores Elaboração e testes em separado Reutilização do módulo em outros programas 2

3 Sub-rotinas Blocos de instruções que realizam alguma tarefa espec ífica Seu código é carregado uma vez, e pode ser utilizado diversas vezes no programa Vantagens Evitar que os blocos do programa fiquem grandes demais e, por conseqüência, mais difíceis de entender Facilitar a leitura do programa-fonte Separar o programa em partes (blocos) que possam ser logicamente compreendidos de forma isolada Permitir o reaproveitamento de c ódigo já construído (por você ou por outros programadores) Evitar que um trecho de c ódigo seja repetido v árias vezes dentro de um mesmo programa Permitir a alteração (manutenção) de um trecho de c ódigo de uma forma mais rápida (é preciso alterar apenas dentro da fun ção que se deseja) Sub-rotinas O fluxo de um programa é normalmente seqüencial, e o programa é executado no estilo top-down A utilização de uma sub-rotina pode, entretanto, desviar o fluxo do programa O programa pára o que está fazendo, executa o código correspondente ao código da sub-rotina, e depois volta para a primeira instrução subsequente 3

4 Sub-rotinas em C Todo programa escrito na linguagem C tem pelo menos uma sub-rotina Ela se chama main, e representa o programa principal Toda vez que um programa escrito em C é executado, a primeira sub-rotina a ser executada é a função main Dentro da sub-rotina main, é possível chamar outras sub-rotinas que realizem tarefas relativas ao programa Sub-rotinas em C A linguagem C possui muitas sub-rotinas pr é- definidas em bibliotecas que acompanham o compilador Exemplos printf scanf pow sqrt Os códigos destas sub-rotinas est ão definidos dentro de bibliotecas, chamadas com o comando #include O programador pode criar novas sub-rotinas, e utilizá-las dentro do código onde foram definidas 4

5 Sub-rotinas em C As sub-rotinas dividem-se em Funções: retornam um valor, uma resposta ao programa Procedimentos: não retornam valores para o programa Na linguagem C, ambas as sub-rotinas são definidas como fun ções Sub-rotinas em C Construção de sub-rotinas em C O tipo de retorno da sub-rotina define se ela é uma função ou um procedimento Procedimentos possuem sempre tipo void Funções possuem sempre tipos definidos, tais como int, float, char, etc. 5

6 Sub-rotinas em C Pode-se atribuir qualquer nome para uma função/procedimento em C, desde que n ão seja um nome reservado da linguagem Duas funções não podem ter o mesmo nome no mesmo programa Uma função pode possuir par âmetros Parâmetros são informações necessárias para a realização da tarefa definida na fun ção Os parâmetros são definidos como uma lista na função Para cada parâmetro, especifica-se um tipo e um nome qualquer Exemplo de função em C Definição Chamada 6

7 Funções em C O resultado de uma fun ção é sempre uma expressão Como tal, uma fun ção pode ser chamada dentro de outra Exemplo de Procedimento em C Definição Chamada 7

8 Função int main() O programa principal é uma função especial, que possui um tipo fixo (int) e é invocada automaticamente pelo sistema operacional quando este inicia a execu ção do programa Quando utilizado, o comando return informa ao sistema operacional se o programa funcionou corretamente ou n ão O padrão é que um programa retorne zero caso tenha funcionado corretamente ou qualquer outro valor caso contr ário Variáveis Globais e Locais Uma variável é chamada local se ela foi declarada dentro de uma fun ção ou bloco de código Nesse caso, ela existe somente dentro desse escopo, e após o término da execução do mesmo, a variável deixa de existir Uma variável é chamada global se ela for declarada fora de qualquer fun ção ou bloco de código (ou seja, no mesmo lugar onde registros, tipos enumerados e funções são declarados) Essa variável é visível em todas as fun ções, qualquer função pode alterá-la e ele existe durante toda a execução do programa 8

9 Variáveis Globais Variáveis Globais e Locais É possível declarar vari áveis locais com o mesmo nome de vari áveis globais Neste caso, a vari ável local esconde a variável global 9

10 int quadrado(){ int num, quad; scanf("%d", &num); quad = num * num; return (quad); Exemplo [2] int main(){ int result; printf("digite o numero: "); result = quadrado(); printf("quadrado do numero: %d", result); return 0; Exemplo [2] int quadrado(){ int num, quad; scanf("%d", &num); quad = num * num; return (quad); Erro! int main(){ printf("digite o numero: "); quad = quadrado(); printf("quadrado do numero: %d", quad); return 0; 10

11 Parâmetros Chamada por valor: é passado uma c ópia da variável para a subrotina Qualquer alteração feita no parâmetro não reflete em altera ção no argumento Chamada por refer ência: é passado o endereço da variável para a subrotina Ambas as variáveis apontam para o mesmo endereço de memória Todas as alterações realizadas no parâmetro refletem em altera ções no argumento Parâmetros Parâmetros passados por valor s ão declarados como variáveis comuns float f1(int a, float b, int c) Parâmetros a, b, c são passados por valor Parâmetros passados por refer ência devem ser passados como ponteiros, utilizando o símbolo * antes do nome do parâmetro float f2(int *a, float b, double *c) Parâmetros a e c são passados por refer ência, parâmetro b é passado por valor void p2(int *n, float a[]) Parâmetros n, a são passados por referência Nesse caso, o acesso dentro das fun ções deve ser feito respeitando a nota ção de ponteiro 11

12 Exemplo - Parâmetros por Valor [2] #include <stdio.h> int quadrado(int x){ int q = x * x; return (q); int main(){ int num, result; printf( Digite um numero: ); scanf( %d, &num); result = quadrado(num); printf( \nresultado: %d, result); return 0; Exemplo - Parâmetros por Valor [2] #include <stdio.h> void quadrado(int x){ x = x * x; int main(){ int num; printf( Digite um numero: ); scanf( %d, &num); printf( \nvalor antes: %d, num); quadrado(num); printf( \nvalor depois: %d, num); return 0; 12

13 Exemplo - Parâmetros por Valor [2] #include <stdio.h> float media(float a, float b){ return ((a+b)/2); int main(){ float x, y, med; printf("digite dois valores:"); scanf("%f %f", &x, &y); med = media(x,y); printf("a media eh %f :,med); return 0; Exemplo - Parâmetros por Referência 13

14 Parâmetros: Comparação [3] Arrays como parâmetros [2] Para utilizar arrays como par âmetros de funções alguns cuidados simples s ão necessários Arrays são sempre passados por refer ência para uma função A passagem de arrays por refer ência evita a cópia desnecessária de grandes quantidades de dados para outras áreas de memória durante a chamada da fun ção 14

15 Arrays como parâmetros [2] Geralmente utiliza-se um segundo par âmetro (variável inteira) para passar para a fun ção o tamanho do array separadamente Quando passamos um array por par âmetro, independente do seu tipo, o que é de fato passado é o endereço do primeiro elemento do array Ex: void imprime (int m[5], int n); Observação: Ao passar um elemento de um vetor, ele é passado por valor Exercícios [3] Considere o código abaixo usando passagem por referência. Analise-o e explique o resultado mostrando passo a passo as altera ções ocorridas no vetor a void incrementa(int *x, int *y){ *x = *x + (*y); (*y)++; int main(){ int a[] = {1,2,3; for (int i=0; i<3; i++){ incrementa(&a[i],&a[1]); printf("\n %d",a[i]); 15

16 Exercícios Escreva uma fun ção C chamada media, que recebe três notas e calcula a m édia Escreva uma fun ção C chamada media2, que recebe quatro par âmetros, sendo os tr ês primeiros as notas e o último um parâmetro de retorno, contendo o resultado. Este último parâmetro deve ser passado como refer ência Defina uma função troca, que permute o valor de uma variável do tipo double por outra, ambas passadas por refer ência Exercícios Crie um programa em C que contenha um procedimento que recebe como entrada uma nota e imprime na tela se o aluno passou ou foi reprovado (nota menor que 7). O programa principal dever á fazer a leitura da nota informada pelo usu ário Escreva uma fun ção chamada find_abs que aceite um número real do tipo double passado para ela, calcule seu valor absoluto, e mostre o valor absoluto. O valor absoluto é o próprio número se for positivo, e o negativo do n úmero se o número for negativo 16

17 Exercícios Faça uma função em C que receba um conjunto de valores e retorne o maior entre eles Faça uma função que mostre na tela os elementos de um vetor, que é passado como parâmetro Faça uma função que recebe um vetor X(15) de inteiros, por parâmetro, e retorna a quantidade de valores pares em X Faça uma função que recebe, por par âmetro, uma matriz A(6,6) e retorna a soma dos elementos da sua diagonal principal Referências 1. Baranauskas, J. A., Notas de Aula de Sub-algoritmos: Funções e Procedimentos, dispon ível em: 2. Paiva, E. R., Slides de Modulariza ção da disciplina de Oficina de Programa ção, Faculdade de Computa ção, Universidade Federal de Uberl ândia 3. Vidigal, M. A., Slides de Programa ção Procedimental, Faculdade de Computa ção, Universidade Federal de Uberlândia, disponível em 17

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: funções Prof. Renato Pimentel 1 Subprogramas Subprograma: programa que auxilia o programa principal na realização de uma determinada

Leia mais

Subprogramas. Prof. Carlos Lopes

Subprogramas. Prof. Carlos Lopes Subprogramas Prof. Carlos Lopes Motivação Escreva um programa C capaz de calcular a combinação de n valores tomados p a p. Para realizar este cálculo, você deverá utilizar a seguinte fórmula: C n n! p

Leia mais

LINGUAGEM C: FUNÇÕES FUNÇÃO 04/07/2017. Funções são blocos de código que podem ser nomeados e chamados de dentro de um programa.

LINGUAGEM C: FUNÇÕES FUNÇÃO 04/07/2017. Funções são blocos de código que podem ser nomeados e chamados de dentro de um programa. LINGUAGEM C: FUNÇÕES Prof. André Backes FUNÇÃO Funções são blocos de código que podem ser nomeados e chamados de dentro de um programa. printf(): função que escreve na tela scanf(): função que lê o teclado

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação. Sumário. Modularização de Algoritmos. Agradecimentos. Modularização de Algoritmos e Funções em C

Introdução à Ciência da Computação. Sumário. Modularização de Algoritmos. Agradecimentos. Modularização de Algoritmos e Funções em C Agradecimentos Introdução à Ciência da Computação e Funções em C Parte dos slides a seguir são adaptações dos originais: de A. L. V. Forbellone e H. F. Eberspächer do Prof. Rudinei Goularte Prof. Ricardo

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

Tipos Básicos. Operadores de Incremento e Decremento. Operador Sizeof. Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas

Tipos Básicos. Operadores de Incremento e Decremento. Operador Sizeof. Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas Tipos Básicos Quantos valores distintos podemos representar com o tipo char? Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 03/03/2010 Operadores de Incremento e Decremento ++ e -- Incrementa ou decrementa

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo

Linguagem C. Programação Estruturada. Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo Programação Estruturada Linguagem C Modularização (Funções) Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Introdução Por que usar funções? Escopo de Variáveis Declarando uma

Leia mais

Programação de Computadores I Funções de Repetição da Linguagem C PROFESSORA CINTIA CAETANO

Programação de Computadores I Funções de Repetição da Linguagem C PROFESSORA CINTIA CAETANO Programação de Computadores I Funções de Repetição da Linguagem C PROFESSORA CINTIA CAETANO Comando WHILE O comando while executa um bloco de comandos enquanto a condição testada for verdadeira (diferente

Leia mais

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Tipos Básicos Quantos valores distintos podemos representar com o tipo char? Operadores de Incremento e Decremento ++ e -- Incrementa ou decrementa

Leia mais

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Métodos Computacionais Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Tópicos da Aula Hoje vamos detalhar funções em C Escrevendo funções Comando return Passagem de argumentos por valor Execução de uma função

Leia mais

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS Funções As funções são blocos de instruções que facilitam o entendimento do código. Porque usar funções? Para permitir o reaproveitamento de código já construído (por você ou por outros programadores);

Leia mais

Aula 1 Apresentação do Curso

Aula 1 Apresentação do Curso Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo SSC 502 Laboratório de Introdução a Ciência de Computação I Aula 1 Apresentação do Curso Responsável Prof. Seiji Isotani (sisotani@icmc.usp.br)

Leia mais

Funções em Linguagem C Parte II

Funções em Linguagem C Parte II Slides inicialmente preparados pelo Prof. Dr. Claudio Fabiano Motta Toledo Funções em Linguagem C Parte II Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1. Semestre 2017 Sumário Introdução a Ponteiros Escopo de Variáveis

Leia mais

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento --

1) Operadores de auto incremento ++ e auto decremento -- Aula 09 - Operadores de auto incremento e auto decremento, atribuição múltipla, atribuição na declaração, atribuição resumida e algumas regras de boa programação. 1) Operadores de auto incremento ++ e

Leia mais

Universidade Estadual do Maranhão Curso de Engenharia da Computação Mestrado em Engenharia da Computação e Sistemas

Universidade Estadual do Maranhão Curso de Engenharia da Computação Mestrado em Engenharia da Computação e Sistemas Notas de Aulas Sub-rotinas Prof. Dr. Luís Carlos Costa Fonseca São Luís 2013 Geralmente, problemas complexos exigem algoritmos complexos, mas sempre é possível dividir um problema grande em problemas menores.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C

PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C 1 Instruções de Entrada Entrada/Leitura de dados Introduzir um valor inteiro/real para X 2 Instruções de Entrada Entrada/Leitura de dados Introduzir um valor inteiro/real

Leia mais

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon Algoritmos e Programação Linguagem C Procedimentos e Funções Eliane Pozzebon Procedimentos e Funções Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento

Leia mais

1ª Lista de Exercícios

1ª Lista de Exercícios Universidade Federal do Rio de Janeiro Data: 26/04/05 Disciplina: Computação I 1ª Lista de Exercícios 1) Faça um programa, em pseudo-código, que peça ao usuário que informe n números reais e então calcule

Leia mais

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva.

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva. Linguagem C Funções André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Funções É uma coleção de comandos identificados por um nome (identificador); As funções executam ações e podem retornar valores; main, printf

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C. Prof. Msc. Luis Filipe Alves Pereira 2015

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C. Prof. Msc. Luis Filipe Alves Pereira 2015 INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Prof. Msc. Luis Filipe Alves Pereira 2015 INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 02/23 INTRODUÇÃO Criada em 1972 na AT&T Bell Labs É uma das linguagens mais populares. Existem poucas arquiteturas

Leia mais

2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais

2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais 2º Roteiro de Laboratório Estruturas condicionais Tópicos abordados 1. Estruturas if e if/ 1.1. Sintaxe 1.2. Exemplo: par_impar.c 2. Aplicação 2.1. Problema resolvido: [PR 1] 2.2. Problemas propostos:

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes?

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes? Introdução à Ciência da Computação Ponteiros em C Prof. Ricardo J. G. B. Campello Sumário Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Operações Ponteiros

Leia mais

Aula 9 Oficina de Programação Matrizes. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 9 Oficina de Programação Matrizes. Profa. Elaine Faria UFU Aula 9 Oficina de Programação Matrizes Profa. Elaine Faria UFU - 26 Variáveis Compostas Homogêneas O que uma variável composta homogênea? - Conjunto de variáveis do mesmo tipo - É chamada de forma geral

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C Profa. Elaine Faria UFU - 2017 Linguagem de Programação Para que o computador consiga ler um programa e entender o que fazer, este programa deve ser escrito

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS MÊS 04

LISTA DE EXERCÍCIOS MÊS 04 São José dos Campos, 05 de Junho de 2008 Disciplina: CES 10 Introdução à Computação. Semestre 2008-2º Período Professor: Carlos Henrique Quartucci Forster Estagiária: Michelle de Oliveira Parreira Instituto

Leia mais

Centro Universitário Franciscano Curso de Sistemas de Informação Disciplina de algoritmos e programação II. Ponteiros

Centro Universitário Franciscano Curso de Sistemas de Informação Disciplina de algoritmos e programação II. Ponteiros Centro Universitário Franciscano Curso de Sistemas de Informação Disciplina de algoritmos e programação II Ponteiros Profa.: Simone Ceolin Slides (Prof.Tiago Rios da Rocha) Primeiro Semestre 2011 Sumário

Leia mais

Subprogramas. (ou Sub-rotinas) em C: Procedimentos e Funções. 2015/1 Programação Básica de Computadores (INF 09325)

Subprogramas. (ou Sub-rotinas) em C: Procedimentos e Funções. 2015/1 Programação Básica de Computadores (INF 09325) Subprogramas (ou Sub-rotinas) em C: Procedimentos e Funções 2015/1 Programação Básica de Computadores (INF 09325) Archimedes Detoni www.inf.ufes.br/~archimedesdetoni archimedesdetoni@inf.ufes.br Programa

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: funções Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: funções Prof. Renato Pimentel 1 Linguagem C: funções Definição: blocos de código que podem ser chamados de dentro de um programa.

Leia mais

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo ponteiros INF1005 -- Programação I -- 2016.1 Prof. Roberto Azevedo razevedo@inf.puc-rio.br ponteiros tópicos o que são ponteiros operadores usados com ponteiros passagem de ponteiros para funções referência

Leia mais

Encapsulamento de Código: Funções e Procedimentos

Encapsulamento de Código: Funções e Procedimentos Luciano Moraes Da Luz Brum Universidade Federal do Pampa Unipampa Campus Bagé email: lucianobrum18@gmail.com Encapsulamento de Código: Funções e Procedimentos Sumário Introdução à Funções e Procedimentos

Leia mais

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada.

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. e saída Biblioteca stdio.h Comandos Função scanf() Função gets() Função getchar() Material cedido pelo prof. Daniel Callegari scanf() Rotina de entrada que lê todos os tipos de dados. Protótipo: int scanf(const

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 04 Alocação Dinâmica Edirlei Soares de Lima Vetores - Declaração e Inicialização Declaração de um vetor: int meu_vetor[10]; Reserva um espaço de memória

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Passagem de Parâmetros e Estruturas. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Passagem de Parâmetros e Estruturas. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013 Passagem de Parâmetros e Estruturas Pedro O.S. Vaz de Melo A passagem de parâmetros Toda função define um processamento a ser realizado. Este processamento depende

Leia mais

Alocação Dinâmica em C

Alocação Dinâmica em C Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Alocação Dinâmica em C Profa Rosana Braga Adaptado de material preparado pela profa Silvana Maria Affonso de Lara

Leia mais

Métodos e Procedimentos. Prof. Jesus José de Oliveira Neto

Métodos e Procedimentos. Prof. Jesus José de Oliveira Neto Métodos e Procedimentos Prof. Jesus José de Oliveira Neto Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento é chamado. Métodos são procedimentos

Leia mais

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Variáveis e tipos Variáveis são simplesmente posições de memória que o compilador aloca ao programa Mas quantas posições

Leia mais

12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings

12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings 12 - Dados Estruturados Vetores, Matrizes e Strings Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante Vetores,

Leia mais

Faculdade de Computação

Faculdade de Computação Faculdade de Computação Programação Procedimental 1 o Laboratório de Programação C Prof. Cláudio C. Rodrigues 1. Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Linguagem C: Subprogramação

Linguagem C: Subprogramação Prof. Paulo R. S. L. Coelho paulo@facom.ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia GEQ007 Subprogramação Organização 1 Subprogramação 2 3 Passagem por Valor Passagem por Referência

Leia mais

Computação 2. Aula 5. Profª. Fabiany defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função

Computação 2. Aula 5. Profª. Fabiany defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função Computação 2 Aula 5 defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função Profª. Fabiany fabianyl@utfpr.com.br #define A diretiva #define define um identificador e uma string que o substituirá toda

Leia mais

Legibilidade do código fonte

Legibilidade do código fonte Sumário Legibilidade do código fonte Exemplos Normas Instrução switch Sintaxe e Semântica Exemplo Tipos enumerados Exemplo Programação 2007/2008 DEEC-IST 1 Legibilidade do código fonte Exemplo: Considere

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador;

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador; 1 Microprocessador Um microprocessador é um circuito eletrônico capaz de realizar diversas tarefas conforme os comandos específicos. Para isso ele deve ler esses comandos da memória de programa (ROM) e

Leia mais

Material sobre Funções AEDS 1

Material sobre Funções AEDS 1 Material sobre Funções AEDS 1 1 Funções - revisão Funções definem operações que são usadas frequentemente Funções, na matemática, requerem parâmetros de entrada e definem um valor de saída 2 Funções -

Leia mais

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação Departamento de Ciência da Computação MAC2166 Introdução a Computação IME/USP Matrizes 1 Resumo: Matrizes são estruturas bi-dimensionais utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo. Para declarar

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CENTRO 06. Funções, variáveis, parâmetros formais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CENTRO 06. Funções, variáveis, parâmetros formais UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CENTRO 06 Disciplina: Linguagem de Programação C Profª Viviane Todt Diverio Funções, variáveis, parâmetros formais

Leia mais

Linguagem C (repetição)

Linguagem C (repetição) Linguagem C (repetição) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Exercício Escrever um programa que conte (mostre na tela) os números de 1 a 100. Comandos aprendidos até o momento: printf, scanf, getchar,

Leia mais

Computação 2. Diego Addan Aula 3. Funções

Computação 2. Diego Addan Aula 3. Funções Computação 2 Aula 3 Funções Diego Addan diegoaddan@gmail.com Funções Função é um subprograma que auxilia o programa principal através da realização de uma determinada subtarefa. As funções são chamados

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica Prof. Renato Pimentel 1 Ponteiros 2 Prof. Renato Pimentel 1 Ponteiros: introdução Toda a informação

Leia mais

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções Linguagem de Programação I Aula 10 Funções Da Aula Anterior Tipos de dados básicos e operadores em C Declaração de variáveis e modificadores de tipo Estruturas de Controle Arrays unidimensionais Geração

Leia mais

Algoritmos e Introdução à Programação. Lógica e Linguagem de Programação

Algoritmos e Introdução à Programação. Lógica e Linguagem de Programação Algoritmos e Introdução à Programação Lógica e Linguagem de Programação Prof. José Honorato Ferreira Nunes honoratonunes@softwarelivre.org http://softwarelivre.org/zenorato/honoratonunes Linguagem C Prof.

Leia mais

19 Vetores, Ponteiros e Funções

19 Vetores, Ponteiros e Funções 19 Vetores, Ponteiros e Funções Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Oobjetivodestaaulaérelacionarotipovetor com ponteiros eassimentendercomoutilizarvetorescomo parâmetros de funções. Ao final dessa

Leia mais

LP II Estrutura de Dados

LP II Estrutura de Dados LP II Estrutura de Dados Linguagem C Seleção e Repetição Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Estruturas de Seleção Simples Composta Aninhada Estruturas de

Leia mais

#include Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

#include <stdio.h> Void main() { printf( Cheguei!\n); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C #include Void main() { printf( Cheguei!\n"); } INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C ANTES DO C ERA A LINGUAGEM B B foi essencialmente uma simplificação da linguagem BCPL. B só tinha um tipo de dado, que

Leia mais

Estruturas de Dados. Módulo 4 Funções. 9/8/2005 (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1

Estruturas de Dados. Módulo 4 Funções. 9/8/2005 (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 Estruturas de Dados Módulo 4 Funções 9/8/2005 (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 Referências Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel, Introdução a Estruturas de Dados, Editora Campus (2004)

Leia mais

Linguagem C (Funções)

Linguagem C (Funções) 1. Sub-Rotinas em Linguagem C/C++ Um importante recurso apresentado nas linguagens de programação é a modularização, onde um programa pode ser particionado em sub-rotinas bastante específicas. A linguagem

Leia mais

Funções - Variáveis globais

Funções - Variáveis globais - Variáveis globais Variáveis globais são declaradas fora de todas as funções do programa. Elas são conhecidas e podem ser alteradas por todas as funções do programa. Quando uma função tem uma variável

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 INF1007: Programação 2 0 Revisão 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 Tópicos Principais Variáveis e Constantes Operadores e Expressões Entrada e Saída Tomada de Decisão Construção com laços

Leia mais

Estruturas de Dados. Revisão de Funções e Recursão. Agradecimentos

Estruturas de Dados. Revisão de Funções e Recursão. Agradecimentos Estruturas de Dados Revisão de Funções e Recursão Prof. Ricardo J. G. B. Campello Agradecimentos Parte dos slides a seguir são adaptações dos originais em Pascal gentilmente cedidos pelo Prof. Rudinei

Leia mais

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C

Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C Algoritmos RESUMO - LINGUAGEM C 1 Sintaxe da linguagem C Componentes reconhecidos pela linguagem C (sintaxe da linguagem): tipos propriedades dos dados; declarações partes do programa, podendo dar significado

Leia mais

ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO

ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO ALGORITMOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com (66) 9953-7642 AULA 02 Revisão de conteúdos da aula passada Exercícios de revisão da aula 01 Estruturas condicionais

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Aula 7 Modularização Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Informática Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno Dividir

Leia mais

11 - Estrutura de um programa em C

11 - Estrutura de um programa em C 11 - Estrutura de um programa em C directivas para o compilador { main ( ) declarações instruções } -É possível utilizar comentários, exemplo: /* Comentário */ que não são traduzidos pelo compilador, pois

Leia mais

Introdução à Programação C

Introdução à Programação C Introdução à Programação C Fabio Mascarenhas - 2014.2 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/introc Recapitulando Um programa C é uma sequência de diretivas (#include e #define), declarações de funções auxiliares,

Leia mais

Estruturas de Dados. Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C

Estruturas de Dados. Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Estruturas de Dados Revisão de Ponteiros Prof. Ricardo J. G. B. Campello Sumário Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Operações Ponteiros e Arranjos

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais

2ª Licenciatura AED1 e PC1 Prof. Eduardo 1 1 MODULARIZAÇÃO

2ª Licenciatura AED1 e PC1 Prof. Eduardo 1 1 MODULARIZAÇÃO 2ª Licenciatura AED1 e PC1 Prof. Eduardo 1 1 MODULARIZAÇÃO A identificação de problemas mais complexos resultará no desenvolvimento de algoritmos também mais complexos para resolve-os. Uma abordagem eficiente

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Linguagem de Programação C Aula 08 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais 13 de novembro de 2009 Introdução O que é uma linguagem

Leia mais

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C.

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Olimpíadas de Informática Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Vetores(Arrays) Prof. Gemilson George gemilson@colegiogeo.com.br Blog: informaticageo.wordpress.com GEO.OBI Aula 05 Vetores

Leia mais

Funções Vetores Matrizes

Funções Vetores Matrizes Funções Vetores Matrizes Além dos tipos elementares (float, double, char, etc.), é possível também passar um vetor ou uma matriz como parâmetro de funções. Quando um vetor é passado como parâmetro, o que

Leia mais

C++ - Funções. Forma geral das funções C++

C++ - Funções. Forma geral das funções C++ C++ - Funções Conjunto de instruções para executar uma tarefa particular, agrupadas numa unidade com um nome para referenciá-las. O código é agregado ao programa uma única vez e pode ser executado muitas

Leia mais

Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica

Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica Estruturas de Dados Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica 1/9/2005 (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 Referências Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel, Introdução a Estruturas de Dados, Editora

Leia mais

Curso de C para Engenharias

Curso de C para Engenharias Aula 1 Cristiano Dalbem Dennis Balreira Gabriel Moreira Miller Biazus Raphael Lupchinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação Primeiro Programa Hello

Leia mais

Sub-rotinas. 2014/2 Programação Básica de Computadores (INF 09325) Freddy Brasileiro

Sub-rotinas. 2014/2 Programação Básica de Computadores (INF 09325) Freddy Brasileiro Sub-rotinas 2014/2 Programação Básica de Computadores (INF 09325) Freddy Brasileiro www.inf.ufes.br/~fbrasileiro fbrasileiro@inf.ufes.br Programa / Bibliografia 4. Sub-programas e funções 1. Funções e

Leia mais

Definição. Motivação para criação. Utilização de subrotinas. Características das subrotinas. Utilização de subrotinas ALGORITMOS

Definição. Motivação para criação. Utilização de subrotinas. Características das subrotinas. Utilização de subrotinas ALGORITMOS ALGORITMOS Definição Um conceito simples seria: Subrotinas (Procedimentos e Funções) Subrotina é um parcela de código computacional que executa uma tarefa bem definida, sendo que essa tarefa pode ser executada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Matrizes Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Definição Matriz é uma variável composta homogênea multidimensional. Conjunto de

Leia mais

Linguagem C: Ponteiros. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Ponteiros. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Ponteiros Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Ponteiros; Variáveis ponteiros; Operadores de ponteiros; Expressões com ponteiros; Atribuição de ponteiros; Aritmética de ponteiros; Comparação

Leia mais

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C.

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Olimpíadas de Informática Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Vetores(Arrays) Prof. Gemilson George gemilson@colegiogeo.com.br Blog: informaticageo.wordpress.com GEO.OBI Aula 05 Definição:

Leia mais

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07

Introdução a linguagem C. Introdução à Programação 06/07 Introdução a linguagem C Introdução à Programação 06/07 A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C A linguagem C foi criada, na década de setenta, por Dennis M. Ritchie; Apesar de se considerar uma linguagem de alto

Leia mais

Linguagem C: funções e ponteiros. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: funções e ponteiros. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: funções e ponteiros Prof. Críston Algoritmos e Programação Funções Recurso das linguagens de programação que permite dar um nome para um conjunto de instruções Facilita a reutilização de algoritmos

Leia mais

Linguagens de Programação I

Linguagens de Programação I Linguagens de Programação I Tema # 4 Operadores em C Susana M Iglesias FUNÇÕES ENTRADA-SAÍDA I/O printf(), utilizada para enviar dados ao dispositivo de saída padrão (stdout), scanf(), utilizada para ler

Leia mais

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios Curso de Graduação em Ciência da Computação Disciplina: Algoritmos Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que fica lendo números

Leia mais

Funções. Prof. Fabrício Olivetti de França

Funções. Prof. Fabrício Olivetti de França Funções Prof. Fabrício Olivetti de França Resposta do Exercício 4 while ( trocou ) { trocou = 0; for ( i=0; i

Leia mais

IFSP Campus Guarulhos

IFSP Campus Guarulhos IFSP Campus Guarulhos TLP Técnica e Linguagem de Programação Prof: Dennis Funções Dividir para conquistar... René Descartes, em seu tratado O discurso sobre o método, diz que uma das regras para atacar

Leia mais

Exercícios Repetição

Exercícios Repetição Curso de Engenharia de Controle e Automação Disciplina: Informática para a Automação Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 1.1 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Modularização: Funções em C

Modularização: Funções em C Modularização: Funções em C Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan Muitas vezes um problema grande pode ser resolvido mais facilmente se for dividido em pequenas partes. Tratar

Leia mais

5 - COMANDOS DE CONTROLE DE PROGRAMA Em C existem os comandos de decisões, os comandos de iteração (ou de laços) e os comandos de desvios.

5 - COMANDOS DE CONTROLE DE PROGRAMA Em C existem os comandos de decisões, os comandos de iteração (ou de laços) e os comandos de desvios. 3636363636363636363636363636363636363636363636363636 5 - COMANDOS DE CONTROLE DE PROGRAMA Em C existem os comandos de decisões, os comandos de iteração (ou de laços) e os comandos de desvios. 5.1 - Comandos

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação

Linguagem e Técnicas de Programação Linguagem C Função Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 07 Função 1 Conceitos As técnicas de programação dizem que, sempre que possível, evite códigos extensos, separando o mesmo em funções,

Leia mais

Algoritmos e Introdução à Programação. Lógica e Linguagem de Programação

Algoritmos e Introdução à Programação. Lógica e Linguagem de Programação Algoritmos e Introdução à Programação Lógica e Linguagem de Programação Prof. José Honorato Ferreira Nunes honoratonunes@softwarelivre.org http://softwarelivre.org/zenorato/honoratonunes Linguagem C Seleção

Leia mais

Introdução à Computação MAC0110

Introdução à Computação MAC0110 Introdução à Computação MAC0110 Prof. Dr. Paulo Miranda IME-USP Aula 2 Variáveis e Atribuições Memória Principal: Introdução Vimos que a CPU usa a memória principal para guardar as informações que estão

Leia mais