MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS"

Transcrição

1 MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS

2 Definição Mapas geológicos Mapa geológico é aquele que mostra a distribuição dos tipos de rochas e das estruturas geológicas como fraturas, falhas, dobras, posição das camadas, etc. Cada tipo de rocha existente numa determinada área ou grupo de tipos de rochas, é separado de outro por linhas cheias, as quais são chamadas linhas de contato..

3

4

5 Definição Mapas geológicos O mapa geológico é sempre acompanhado por uma coluna estratigráfica que apresenta ordenadamente, por idade, as formações geológicas, da mais nova à mais antiga, de cima para baixo.

6 Definição Mapas geológicos Principais símbolos Legendas Geológicas: Os símbolos mais usuais para representação da litologia, ou seja, das camadas geológicas podem ser vistos na figura ao lado

7 Mapa geológico da região do rio Tietê, estado de São Paulo, abrangendo Tietê, Laranjal Paulista e Conchas

8 Definição Mapas geológicos Constituem a melhor maneira de representar a distribuição espacial das rochas na crosta terrestre, especialmente quando associados às sessões geológicas.

9 Definição Sessões geológicas As sessões geológicas representam um corte teórico na crosta terrestre, num plano vertical, representando a distribuição das rochas neste plano.

10 Mapa geológico Construção Um mapa geológico pode ser construído ou a partir de um mapa topográfico, no qual são colocados os dados geológicos, ou a partir de fotografias aéreas. No Brasil, até o momento, existe uma grande deficiência de mapas geológicos, o que obriga certos projetos prioritários a executarem a curto prazo, um mapa geológico precário que permita a sua execução. Ex.: as barragens construídas ultimamente no país, o projeto do metrô de São Paulo, etc., para os quais não havia mapas geológicos adequados.

11 Os peritos apontam que foram cinco os fatores determinantes para o desmoronamento. Entre eles estão a seqüência de explosões para a abertura do túnel no solo de rocha podre, o fato da construtora não ter reforçado as paredes do túnel após os sinais de instabilidade, a não conclusão das tirantes (estruturas de sustentação) e a profundidade da escavação (se fosse 20 metros mais baixa, a característica do solo seria melhor e os riscos menores).

12 Mapa geológico

13 Mapa geológico Importância A existência de um mapa geológico facilita enormemente um projeto de engenharia, uma vez que, por exemplo, para um traçado de uma rodovia, de um túnel ou de uma barragem, será possível antecipar certos problemas, por simples consulta ao mapa antes mesmo da ida dos geólogos e engenheiros ao campo.

14 SITUAÇÃO 1: TÚNEL SEMPRE NAS MESMAS CAMADAS HORIZONTAIS. ESTA SITUAÇÃO É DESFAVORÁREL, POIS PODE OCORRER DESPLACAMENTO DO TETO POR AÇÃO DE FLEXÃO. SITUAÇÃO 2: TÚNEL CORTA CAMADAS DIFERENTES, MERGULHANTES. SITUAÇÃO DESFAVORÁVEL, POIS COM A ESCAVAÇÃO AS PLACAS DE ROCHAS TENDEM A SER DESCALÇADAS, ORIGINANDO GRANDES DESMORONAMENTOS. GEOLOGIA DE TÚNEIS SITUAÇÃO 3: TÚNEL ATRAVESSA CAMADAS VERTICAIS DIFERENTES. ESTA É UMA SITUAÇÃO FAVORÁVEL, POIS NÃO HÁ DESCALÇAMENTO DAS PLACAS DE ROCHA NA ESCAVAÇÃO.

15 SITUAÇÃO 4: TÚNEL ATRAVESSA AS MESMAS CAMADAS MERGULHANTES. SITUAÇÃO DESFAVORÁVEL. SITUAÇÃO 5: TÚNEL ATRAVESSA AS MESMAS CAMADAS VERTICAIS. SITUAÇÃO DESFAVORÁVEL, POIS AS LAJES SÃO DESCALÇAS DURANTE A ESCAVAÇÃO. O DESMORONAMENTO É MENOR DO QUE QUANDO SÃO ENCONTRADAS CAMADAS HORIZONTAIS. SITUAÇÃO 6: TÚNEL ATRAVESSA CAMADAS MERGULHANTES DUAS VEZES. A SITUAÇÃO É DESFAVORÁVEL

16 Mapa geológico

17 Mapa geológico

18 Mapa geológico Representação A representação dos tipos de rochas num mapa geológico pode ser feita através de símbolos adequados ou cores apropriadas. A separação entre cada tipo de rocha é feita através de linhas cheias. Quando a separação é duvidosa, usa-se linha tracejada.

19 Mapa geológico Representação Direção de uma camada é a linha resultante da interseção do plano da camada com um plano horizontal.

20 Mapa geológico Representação Mergulho de uma camada é o ângulo formado pelo plano da camada com o plano horizontal. Ângulo de mergulho

21 Mapa geológico Representação A determinação da direção de uma camada no campo é feita por meio da bússola e do ângulo de mergulho, através do inclinômetro.

22 Mapa geológico Tipo de mapas geológicos Em nosso curso estudaremos somente mapas geológicos com camadas homogêneas, isto é, camadas de rocha que possuam mais ou menos a mesma espessura e com mergulho constante. Assim considerando, três casos são possíveis: camadas horizontais, camadas verticais, camadas inclinadas.

23 Classificação dos mapas geológicos Mapas geológicos com camadas horizontais Nesse caso, os limites ou contatos entre as diversas camadas, possuem contorno paralelo ou coincidente com as curvas de nível.

24 Classificação dos mapas geológicos Mapas geológicos com camadas verticais Nesse caso, essas camadas são delimitadas no mapa geológico por duas retas paralelas, que interceptam as curvas de nível.

25 Classificação dos mapas geológicos Mapa geológico com camadas inclinadas Esse caso não é tão elementar como os dois anteriores. Os contatos ou limites entre as camadas interceptam as curvas de nível segundo linhas irregulares (seu contorno nunca é representado por retas paralelas).

26 Mapa geológico - Considerações O mapa geológico representa a distribuição das formações seccionadas pela superfície topográfica. Na sua interpretação, no entanto, deve-se considerar que eles não apresentam o estado de alteração das rochas constituintes das formações nem tampouco a existência ou não de solos sobre elas. Alguns mapas de maior detalhe apresentam as chamadas formações superficiais que são normalmente depósitos detríticos, em encostas ou vales, sem denominação formal.

27 Mapa geotécnico A necessidade de representação da crosta de alterações e solos, bem como a de outros detalhes, induziu à elaboração dos mapas geotécnicos.

28 Mapa geotécnico Definição: Mapa geotécnico é um tipo de mapa geológico que fornece uma representação geral de todos aqueles componentes de um ambiente geológico de significância ao planejamento do solo e para projetos, construções e manutenções, quando aplicados a engenharia civil e de minas (UNESCO, 1976).

29 Importância O conhecimento do meio físico é de suma importância para a melhor utilização e ocupação do solo, principalmente em áreas urbanas, onde o crescimento acelerado das cidades exige a ocupação rápida de novas áreas, nem sempre as mais adequadas. Mapa geotécnico Deslizamento de terra Salvador BA

30 Mapa geotécnico Importância Os estudos geológicos e geotécnicos constituem ótimos instrumentos de análise do meio físico. Deslizamento de terra Angra dos Reis/ RJ

31 Mapa geotécnico Importância O mapeamento geotécnico tem sido usado nos mais diferentes países, como uma ferramenta que ajuda a definir e fiscalizar a ocupação territorial das regiões, de uma maneira ajustada tecnicamente e respeitando as áreas de interesse ambiental e as condições necessárias para que a população desfrute-as sem alterar as suas condições básicas de vida (ZUQUETTE E GANDOLFI, 1987-b).

32 Mapa geotécnico Importância Os mapas geotécnicos são adequados para o planejamento da ocupação urbana, em planos diretores ou loteamentos, e mesmo da ocupação rural. Usam-se nestes casos escalas 1: a 1: Não dispensam, entretanto, a investigação própria para cada obra que for construída nessas áreas mapeadas. Figura 1 - Recorte do mapa de Zoneamento de Uso e Ocupação do Solo de Várzea Grande, indicando a Zona de Conservação e Proteção Ambiental na cor verde (Fonte: Proposta de Zoneamento de Uso e Ocupação do Solo, VERTRAG, 2007)

33

34 Distribuição espacial das classes de solos predominantes no Estado de Mato Grosso. Fonte: compilado de IBGE/Embrapa Solos (2001). Mapa geotécnico

35 Mapa geotécnico Importância Obras que ocupam ou influenciam grandes áreas como estradas, barragens, centrais nucleares, também tem um subsídio importante nos mapas geotécnicos em escalas médias 1: a 1: A investigação geológica, para tais obras, levará a mapas de maior escala 1:5.000 a 1:500.

36 Mapa geotécnico Unidades de mapeamento Os princípios de classificação de rochas e solos para mapeamento geotécnico, conforme a UNESCO (1976) são os seguintes: tipo geotécnico, tipo litológico, complexo litológico e sequência litólica

João Alberto Oliveira Diniz Adson Brito Monteiro Fernando Antônio Carneiro Feitosa Marcos Alexandre de Freitas Frederico Cláudio Peixinho

João Alberto Oliveira Diniz Adson Brito Monteiro Fernando Antônio Carneiro Feitosa Marcos Alexandre de Freitas Frederico Cláudio Peixinho João Alberto Oliveira Diniz Adson Brito Monteiro Fernando Antônio Carneiro Feitosa Marcos Alexandre de Freitas Frederico Cláudio Peixinho Pesquisadores em Geociências Representação gráfica mostrando os

Leia mais

O TRAÇADO DE UMA ESTRADA

O TRAÇADO DE UMA ESTRADA O TRAÇADO DE UMA ESTRADA Projeto de uma estrada O traçado de uma estrada 2 Projeto de uma estrada O traçado de uma estrada 3 Projeto de uma estrada Projeto geométrico Projeto de terraplenagem Pavimentação

Leia mais

O TRAÇADO DE UMA ESTRADA

O TRAÇADO DE UMA ESTRADA O TRAÇADO DE UMA ESTRADA Projeto de uma estrada O traçado de uma estrada 2 Projeto de uma estrada O traçado de uma estrada 3 Projeto de uma estrada Projeto geométrico Projeto de terraplenagem Pavimentação

Leia mais

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico Trabalho prático de Reconhecimento Geológico LOCALIZAÇÃO Av. Duarte Pacheco Local de encontro - Bombas da TOTAL- Oeste das Amoreiras Obras Geotécnicas Mestrado Integrado em Engenharia Civil (4º Ano) Instituto

Leia mais

ESTAÇÃO CAMPO BELO DA LINHA 5 DO METRO DE SÃO PAULO: ESTUDO DO COMPORTAMENTO. (Fonte: Metrô São Paulo)

ESTAÇÃO CAMPO BELO DA LINHA 5 DO METRO DE SÃO PAULO: ESTUDO DO COMPORTAMENTO. (Fonte: Metrô São Paulo) ESTAÇÃO CAMPO BELO DA LINHA 5 DO METRO DE SÃO : (Fonte: Metrô São Paulo) OBJETIVO Identificar as possíveis causas dos deslocamentos observados e não previstos, durante a escavação da Estação METODOLOGIA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA SEDIMENTAR E AMBIENTAL GEOMORFOLOGIA E FOTOGEOLOGIA FORMAS DE RELEVO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA SEDIMENTAR E AMBIENTAL GEOMORFOLOGIA E FOTOGEOLOGIA FORMAS DE RELEVO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA SEDIMENTAR E AMBIENTAL GEOMORFOLOGIA E FOTOGEOLOGIA FORMAS DE RELEVO morfoestruturas Prof.: André Negrão Classificação das formas

Leia mais

2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio.

2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio. CAPÍTULO 11 TÚNEIS Histórico 2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio. 200 DC Túneis dos aquedutos romanos construídos

Leia mais

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TELHADOS. 1. Introdução

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TELHADOS. 1. Introdução MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA Professora Deise Maria Bertholdi Costa Disciplina CD027 - Expressão Gráfica I Curso Engenharia

Leia mais

MOVIMENTOS DE MASSA. (Bacia do Quitite, Jacarepaguá- RJ, 02/1996)

MOVIMENTOS DE MASSA. (Bacia do Quitite, Jacarepaguá- RJ, 02/1996) MOVIMENTOS DE MASSA (Bacia do Quitite, Jacarepaguá- RJ, 02/1996) MOVIMENTOS DE MASSA Classificação e Fatores Condicionantes Importância Diversidade de Enfoques Classificação dos Movimentos de Massa Principais

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP.

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. João Osvaldo Rodrigues Nunes (joaosvaldo@fct.unesp.br), Melina Fushimi (melinafushimi@yahoo.com.br) Universidade Estadual Paulista

Leia mais

Aula 5 Desenho Topográfico

Aula 5 Desenho Topográfico Aula 5 Desenho Topográfico Disciplina: Geometria Descritiva 2CC Prof: Gabriel Liberalquino Soares Lima ESTRADAS ESTRADA: Obra que se destina à circulação de veículos. automóveis = estrada de rodagem trens

Leia mais

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia. Interpretação de imagens e confecção de mapas

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia. Interpretação de imagens e confecção de mapas Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Interpretação de imagens e confecção de mapas Prof. Dr. Ailton Luchiari Prof. Dr. Reinaldo Paul Pérez Machado Interpretação de imagens e confecção de mapas Etapas

Leia mais

ESTABILIDADE DE TALUDES

ESTABILIDADE DE TALUDES ESTABILIDADE DE TALUDES Taludes de uma mina Taludes de um canal Escavação de um talude para construção de uma auto-estrada 1. Para que serve a análise da estabilidade de taludes? Desenhar taludes mediante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Cartografia Sistemática e Temática (IAD319) Prof. pablosantos@ufba.br 02 a Aula CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA

Leia mais

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA SCET- Geológica e de Minas IST 2007 ANTES DE INVESTIGAR A VIABILIDADE DE UM PROJECTO, EM PARTICULAR QUANDO EXISTE UM SISTEMA DE

Leia mais

PHA ( ) PHP ( ) Iº DIEDRO: PVI ( ) IIIº DIEDRO:

PHA ( ) PHP ( ) Iº DIEDRO: PVI ( ) IIIº DIEDRO: GEOMETRIA DESCRITIVA UNIDADE 01 GEOMETRIA DESCRITIVA PLANO DE PROJEÇÃO PHA ( ) PHP ( ) Iº DIEDRO: PVS ( ) IIº DIEDRO: PVI ( ) IIIº DIEDRO: LT ( ) IVº DIEDRO: 1 GEOMETRIA DESCRITIVA UNIDADE 01 Linha Terra

Leia mais

Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita. Professor Leandro Signori

Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita. Professor Leandro Signori Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita Professor Leandro Signori Conteúdos constantes no edital Noções básicas de cartografia: Orientação: pontos cardeais; Localização: coordenadas

Leia mais

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino CURSO: TURMA Graduação em Engenharia Civil ESTRUTURA CURRICULAR: DISCIPLINA: Geologia de Engenharia CÓD. DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: 60 HA SEMESTRE: 2016-1 PROFESSOR

Leia mais

INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS

INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA ARQUITETURA E URBANISMO / AGRONOMIA / ENGENHARIA CIVIL PROF. LUIZ MIGUEL DE BARROS LUIZMIGUEL.BARROS@YAHOO.COM.BR O QUE É TOPOGRAFIA??? Grego Português Topos Lugar, ambiente Graphen

Leia mais

AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1

AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1 AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1 O QUE É PETROFÍSICA? O termo petrofísica foi introduzido por Archie (1950) para descrever o estudo das propriedades físicas das rochas que dizem respeito à distribuição

Leia mais

Orientação, Coordenadas Geográficas Projeção UTM Universal transversa de Mercator

Orientação, Coordenadas Geográficas Projeção UTM Universal transversa de Mercator Prof. Dra. Mariana Soares Domingues Orientação, Coordenadas Geográficas Projeção UTM Universal transversa de Mercator ACH1056 Fundamentos de Cartografia O verbo orientar está relacionado com a busca do

Leia mais

Desenho Auxiliado por Computador

Desenho Auxiliado por Computador UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA ENE073 Seminários em Eletrotécnica Desenho Auxiliado por Computador (CAD - Computer Aided Design) Prof. Flávio Vanderson Gomes E-mail: flavio.gomes@ufjf.edu.br Aula

Leia mais

Disciplina: Cartografia Geoambiental

Disciplina: Cartografia Geoambiental Disciplina: Cartografia Geoambiental Professor: Me. Diego Alves de Oliveira Outubro de 2013 Amanhã, dia 24 de outubro de 2013, não haverá aula. Atividade programada: Elaboração de resumo do artigo: SANN,

Leia mais

CAPÍTULO 09 - ESTRUTURAS GEOLÓGICAS

CAPÍTULO 09 - ESTRUTURAS GEOLÓGICAS 1. INTRODUÇÃO CAPÍTULO 09 - ESTRUTURAS GEOLÓGICAS Forma e posicionamento dos corpos rochosos estruturas geológicas e são representadas por dobras, falhas, fraturas, xistosidade e acamamento das rochas

Leia mais

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO GENERALIDADES Fotogrametria => é o processo de derivação de informação métrica de um objeto através de medições feitas em fotografias desse objeto Foto-interpretação =>

Leia mais

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO 1ENGENHARIA O PROJECTO (I) O Projecto corresponde à preparação da realização depois de decidido o que é que se quer fazer (planeamento); especifica-se como é que se vai fazer (resolvendo problemas que

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS EXA 519. Prof. Dr. Ardemirio de Barros Silva

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS EXA 519. Prof. Dr. Ardemirio de Barros Silva SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS EXA 519 Prof. Dr. Ardemirio de Barros Silva abarros@uefs.br barros@ige.unicamp.br A CARTOGRAFIA É CONSIDERADA COMO A CIÊNCIA E A ARTE DE EXPRESSAR, POR MEIO DE

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÕES I. Prof. MsC. Roberto Monteiro

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÕES I. Prof. MsC. Roberto Monteiro FACULDADE DE TECNOLOGIA DE ALAGOAS ENGENHARIA CIVIL FUNDAÇÕES I Prof. MsC. Roberto Monteiro CONCEPÇÃO DE OBRAS DE FUNDAÇÕES Pof. Msc. ROBERTO MONTEIRO INTRODUÇÃO Comentário Inial O estudo de concepção

Leia mais

NOTA DE AULA CURVAS DE NÍVEL e REPRESENTAÇÃO DO RELEVO

NOTA DE AULA CURVAS DE NÍVEL e REPRESENTAÇÃO DO RELEVO NOTA DE AULA CURVAS DE NÍVEL e REPRESENTAÇÃO DO RELEVO Adaptado do Manual de Cartografia do IBGE Escala e Curva de Nível Objetivos da Aula: - Apresentar as principais características a ser analisadas no

Leia mais

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados.

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados. Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos slide 1 reservados. Definição e Pré- Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado O principal pré-requisito para fazer

Leia mais

Mercado de Trabalho... 5

Mercado de Trabalho... 5 Introdução... 3 Geologia... 4 Mercado de Trabalho... 5 O curso... 7 O que você pode fazer... 8 Opiniões dos estudantes... 10 Bibliografia... 11 Durante esse trabalho, você irá ver um pouco sobre a faculdade

Leia mais

rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA

rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA TOPOS significa lugar GRAPHEN significa descrição Pode-se dizer que a TOPOGRAFIA é a ciência que trata do estudo da representação detalhada de uma porção da superfície terrestre.

Leia mais

Conceitos Básicos mapa

Conceitos Básicos mapa Cartografia Conceitos Básicos Entende-se por mapa a representação gráfica convencional, geralmente plana e em pequena escala, de áreas relativamente extensas, como acontece nos mapas dos atlas. Para tal,

Leia mais

CÁLCULO DE VOLUMES E DIAGRAMA DE BRÜCKNER (OU DIAGRAMA DE MASSAS)

CÁLCULO DE VOLUMES E DIAGRAMA DE BRÜCKNER (OU DIAGRAMA DE MASSAS) Capítulo 18 CÁLCULO DE VOLUMES E DIAGRAMA DE BRÜCKNER (OU DIAGRAMA DE MASSAS) 18.1. CÁLCULO DE VOLUMES Para o engenheiro projetista de estradas, uma das principais metas durante a elaboração de um projeto

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO

DESENHO ARQUITETÔNICO DESENHO ARQUITETÔNICO ESCALAS REPRESENTAÇÃO DE DESENHO Aula 3 Profs. Arq. Eduardo Francisco Balceiro Arq. Elizabeth Correia Curso arquitetura e urbanismo CEUNSP - SALTO PROJETO ARQUITETÔNICO LINHAS A NBR

Leia mais

Geógrafo Frank Gundim Assessora Especial de Planejamento do DER-RJ

Geógrafo Frank Gundim Assessora Especial de Planejamento do DER-RJ DER-RJ Geógrafo Frank Gundim Assessora Especial de Planejamento do DER-RJ O uso inapropriado do meio ambiente aceleram e ampliam alguns processos. Por exemplo, as inundações são agravadas pelo desmatamento

Leia mais

CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016

CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016 CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016 NAVEGAR É PRECISO 2500 A.C. uma das primeiras representações de mapa, produzido na região da mesopotâmia. NAVEGAR É PRECISO Mapa do Salmo (1260) e Mappe-Monde (1707),

Leia mais

Levantamento de Solos. Vanderlei Rodrigues da Silva

Levantamento de Solos. Vanderlei Rodrigues da Silva Levantamento de Solos Vanderlei Rodrigues da Silva Introdução - Variabilidade pedológica fenômeno natural resultante da interação dos diferentes fatores e processos de formação e suas interrelações com

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1 Escalas Recife, 2014 Definição de Escala É a relação matemática constante entre o comprimento de uma linha

Leia mais

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos PROJETOS ARQUITETÔNICOS

Leia mais

ANÁLISE DE CONTEÚDO GEOLÓGICO ENCONTRADO EM CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO

ANÁLISE DE CONTEÚDO GEOLÓGICO ENCONTRADO EM CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO ANÁLISE DE CONTEÚDO GEOLÓGICO ENCONTRADO EM CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO Simone Andrea Furegatti sifuregatti@sigmanet.com.br Universidade Estadual de Campinas Instituto de Geociências

Leia mais

Que formas conheces de representação da Terra?

Que formas conheces de representação da Terra? Que formas conheces de representação da Terra? Desde sempre o Homem sentiu necessidade de representar os lugares que ia conhecendo e tudo aquilo que contribuía para a sua sobrevivência. Dessa necessidade

Leia mais

Representações da superfície terrestre

Representações da superfície terrestre Representações da superfície terrestre Representações da superfície terrestre Formas de representação Formas de representação Mapas mentais Representações da imagem mental que cada um adquire de uma determinada

Leia mais

Por que as paisagens possuem características únicas?

Por que as paisagens possuem características únicas? Por que as paisagens possuem características únicas? GEOGRAFIA 6 Anos Ensino Fundamental II Profª Bruna Andrade http://www.youtube.com/watch?v=yqt9pezurb0 Os elementos que compõe as paisagens são responsáveis

Leia mais

Noções iniciais de Desenho Geométrico

Noções iniciais de Desenho Geométrico INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Noções iniciais de Desenho Geométrico Professor: João Carmo INTRODUÇÃO O desenho é a maneira de expressar graficamente a FORMA

Leia mais

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 O QUE VIMOS AULA PASSADA?? Traçados das projeções - VF Traçados das projeções - VS Traçados das projeções - VS Traçados das projeções - VS Traçados das projeções VLE

Leia mais

1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto.

1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto. 1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto. a) A realização de mapeamentos temáticos muito detalhados requer a utilização de produtos de sensoriamento remoto de alta resolução

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016

INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista. Nome: DATA: 09/11/2016 INSTITUTO FEDERAL DE BRASILIA 4ª Lista MATEMÁTICA GEOMETRIA ANALÍTICA Nome: DATA: 09/11/016 Alexandre Uma elipse tem centro na origem e o eixo maior coincide com o eixo Y. Um dos focos é 1 F1 0, 3 e a

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS GEOLOGIA Nome: BI: Classificação: CHAMADA DE ATENÇÃO:

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto arquitetônico faz parte do conjunto de estudos, desenhos e especificações que definem uma edificação. Além da parte de arquitetura, a edificação

Leia mais

GEOGRAFIA 2013/2014 LOGO DOCENTE: PEDRO MOREIRA.

GEOGRAFIA 2013/2014 LOGO DOCENTE: PEDRO MOREIRA. GEOGRAFIA 2013/2014 LOGO www.themegallery.com DOCENTE: PEDRO MOREIRA A Geografia 1. Etimologia (Grego) Geografia= geo + graphen Terra Descrever Definição de Geografia Geografia Física Humana Definição

Leia mais

Professora: Jordana Costa

Professora: Jordana Costa Professora: Jordana Costa Cartografia Cartografia, segundo a ABNT é definida como: A arte de levantamento, construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza. Função principal: Representar a realidade

Leia mais

PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO Segundo o DNER (1996) Um Projeto de Engenharia tem sua versão final intitulada Projeto Executivo e visa, além de permitir a perfeita execução da obra, possibilitar

Leia mais

Geometria Descritiva 28/08/2012. Elementos Primitivos da Geometria

Geometria Descritiva 28/08/2012. Elementos Primitivos da Geometria Geometria Descritiva Prof. Luiz Antonio do Nascimento ladnascimento@gmail.com www.lnascimento.com.br A Geometria, como qualquer outra ciência, fundamenta-se em observações e experiências para estabelecer

Leia mais

NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02. Lavra a Céu Aberto

NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02. Lavra a Céu Aberto NRM - Normas Regulamentadoras da Mineração - Especificidade na Indústria de Areia e Brita NRM 02 Lavra a Céu Aberto Introdução NRM 02 2.1 Generalidades 2.2 Bancadas e Taludes 2.3 Controle Topográficos

Leia mais

3.1. Geologia Regional

3.1. Geologia Regional 3 Modelo Geológico Um dos componentes mais importantes para a caracterização do maciço rochoso é o modelo geológico. O objetivo do modelo geológico é compreender os eventos geodinâmicos que aconteceram

Leia mais

A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO

A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO A ORIGEM DA TERRA CAPÍTULO 1 2º PERÍODO CONCEPÇÃO DO INÍCIO DA FORMAÇÃO DA LITOSFERA PANGEIA O INÍCIO DA SEPARAÇÃO DA PANGEA FÓSSEIS ENCONTRADOS POR WEGENER MODELO DO MOVIMENTO PROPOSTO POR WEGENER OS

Leia mais

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Comentários sobre a Norma NBR-11682 Estabilidade de Encosta Pouca contribuição da comunidade geotécnica na discussão, apesar

Leia mais

Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem. Introdução a Hidrologia de Florestas

Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem. Introdução a Hidrologia de Florestas INPE eprint: sid.inpe.br/eprint@80/006/08.04..54 v 006-08-05 Introdução a Hidrologia de Florestas Setembro 004 João Vianei Soares Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem Introdução a Hidrologia

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL DO MUNDO AO MILIONÉSIMO. ACH 1056 Fundamento de Cartografia Profª. Mariana Soares Domingues

CARTA INTERNACIONAL DO MUNDO AO MILIONÉSIMO. ACH 1056 Fundamento de Cartografia Profª. Mariana Soares Domingues CARTA INTERNACIONAL DO MUNDO AO MILIONÉSIMO ACH 1056 Fundamento de Cartografia Profª. Mariana Soares Domingues Séries cartográficas O que é uma série cartográfica? É a sistematização de um conjunto de

Leia mais

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA QUESTÕES INICIAIS O que vocês já sabem sobre o tema? O que justifica a presença de diversos tipos de relevo na crosta terrestre? Por que estudar esse tema? O que se entende

Leia mais

CARTOGRAFIA TEMÁTICA

CARTOGRAFIA TEMÁTICA CARTOGRAFIA TEMÁTICA O ponto de partida da cartografia temática é a definição de um tema. A elaboração de mapas temáticos exigirá atentar para duas questões básicas: quais são as variáveis visuais e quais

Leia mais

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO. Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO. Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro Estagiários: Ricardo Kwiatkowski Silva / Carlos André Batista de Mello ESCALAS - AULA 3 Precisão Gráfica É a menor grandeza

Leia mais

Geoprocessamento Introdução parte 2

Geoprocessamento Introdução parte 2 Geoprocessamento Introdução parte 2 Prof. D.Sc. João Paulo Bestete de Oliveira TOPOGRAFIA X GEODÉSIA Mas como foi dito a Topografia considera trechos de dimensões limitadas, logo uma outra aproximação

Leia mais

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Curso de Construção Civil Disciplina: Geologia em Engenharia Ano: 4to Professor: Dr. Silva Pereira Ginga (PhD)

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Conjuntos Propriedades das operações de adição e multiplicação: Propriedade comutativa: Adição a + b = b + a Multiplicação

Leia mais

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA SISTEMA DE REFERÊNCIA

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA SISTEMA DE REFERÊNCIA CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA SISTEMA DE REFERÊNCIA Elaboração e Organização: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher SISTEMA DE REFERÊNCIA Nomenclatura Séries Cartográficas Método de dividir uma área geográfica

Leia mais

Poliedros 1 ARESTAS FACES VERTICES. Figura 1.1: Elementos de um poliedro

Poliedros 1 ARESTAS FACES VERTICES. Figura 1.1: Elementos de um poliedro Poliedros 1 Os poliedros são sólidos cujo volume é definido pela interseção de quatro ou mais planos (poli + edro). A superfície poliédrica divide o espaço em duas regiões: uma região finita, que é a parte

Leia mais

GEOLOGIA ESTRUTURAL Introdução e Conceitos Fundamentais

GEOLOGIA ESTRUTURAL Introdução e Conceitos Fundamentais GEOLOGIA ESTRUTURAL Introdução e Conceitos Fundamentais O engenheiro e o geólogo tem algo em comum??!! Engenheiro civil Geólogo estruturalista O engenheiro e o geólogo tem muito em comum??!! Engenheiro

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DO MATERIAL ROCHA - revisão

CLASSIFICAÇÃO DO MATERIAL ROCHA - revisão CLASSIFICAÇÃO DO MATERIAL ROCHA - revisão Notas: (FCUL) indica acetatos da FCUL, Prof Fernando Marques (FEUP) indica imagens das folhas de Geologia de Engenharia da FEUP CS e JS imagens do estágio de Cláudio

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês 1 Os exercícios deverão ser feitos no caderno. Leitura das págs. 91 e 93 do livro de Português

Leia mais

Interface entre Líquido e Sólido

Interface entre Líquido e Sólido Interface entre íquido e Sólido Vamos considerar as condições na interface entre um líquido e um sólido. A forma tomada pelo líquido é determinada pela relação entre as seguintes forças que atuam nas suas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (II)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (II) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2017 Aula 02 Projeção: tipos, vistas e diedros Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento de Engenharia Mecânica Escola de Engenharia de São

Leia mais

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra Geologia e conservação de solos Luiz José Cruz Bezerra SOLO É a parte natural e integrada à paisagem que dá suporte às plantas que nele se desenvolvem. Parte mais superficial e fina da crosta terrestre.

Leia mais

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Uma projeção cartográfica consiste num conjunto de linhas (paralelos e meridianos), que formam uma rede, sobre a qual são representados os elementos do mapa. Todos os mapas e/ou cartas são representações

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 5 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política

Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política iências Humanas E SUAS TEC ECNOLOGIAS Ficha de Estudo 96 Tema Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política Tópico de estudo Representação espacial Entendendo

Leia mais

Estruturas de Contenção Parte 1. Marcio Varela

Estruturas de Contenção Parte 1. Marcio Varela Estruturas de Contenção Parte 1 Marcio Varela Estruturas de Contenção Obras com estruturas de contenção Para a escolha da obra de contenção mais adequada de ser executada em uma determinada situação é

Leia mais

Cartografia Temática

Cartografia Temática Cartografia Temática Os mapas temáticos podem ser gerados por intituições públicas e privadas, especializadas em mapeamento. Servem para auxiliar o poder público e empresas privadas na tomada de decisões,

Leia mais

. Vistas ortográficas: desenhos resultantes das projeções ortogonais do objeto

. Vistas ortográficas: desenhos resultantes das projeções ortogonais do objeto 1 Curso: Engenharia Disciplina: Desenho Técnico Prof.ª Me. Aline Ribeiro PROJEÇÕES ORTOGONAIS 1. GEOMETRIA DESCRITIVA. Método desenvolvido por Gaspard Monge no século XVIII com o objetivo de representar

Leia mais

RESERVATÓRIO DE ÁGUA INDUSTRIAL DO CERRO DA MINA

RESERVATÓRIO DE ÁGUA INDUSTRIAL DO CERRO DA MINA GESTÃO, PROJETO, CONSTRUÇÃO E ENCERRAMENTO DE INSTALAÇÕES DE RESÍDUOS MINEIROS SEMINÁRIO RESERVATÓRIO DE ÁGUA INDUSTRIAL DO CERRO DA MINA Gonçalo Tavares goncalo.tavares@cenor.pt SUMÁRIO CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Lista5: Força e Movimento

Lista5: Força e Movimento Lista 5: Força e Movimento Lista revisada pelo prof. Hisataki Ano: 2_2015 Importante: i. Ler com muita atenção o enunciado duas ou mais vezes. ii. Colocar em um diagrama o enunciado da questão. Essa é

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. Estradas 1 Projeto geométrico

Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. Estradas 1 Projeto geométrico Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Faculdade de Ciências Exatas e Tecnológicas FACET Curso: Bacharelado em Engenharia Civil Estradas 1 Projeto geométrico Prof. Me. Arnaldo Taveira Chioveto O

Leia mais

Símbolos Ordenados. PONTOS LINHAS ÁREAS ORDEM relevo e outros, se manifestam de forma contínua no espaço ou no tempo, ou obedecem uma hierarquia de

Símbolos Ordenados. PONTOS LINHAS ÁREAS ORDEM relevo e outros, se manifestam de forma contínua no espaço ou no tempo, ou obedecem uma hierarquia de 14- Simbolização Cartográfica Manifestações Ordenadas Além das manifestações qualitativas, Símbolos Cartográficos Ordenados quantitativas e dinâmicas, alguns fenômenos espaciais, como os fatores climáticos

Leia mais

Coordenadas Geográficas

Coordenadas Geográficas Coordenadas Geográficas Coordenadas Geográficas É a posição exata no globo terrestre Intersecção entre latitude e longitude Paralelos Linhas paralelas a Linha do Equador Trópico de Capricórnio Hemisfério

Leia mais

Desenho Técnico. Projeções Ortogonais 02. Prof. João Paulo Barbosa

Desenho Técnico. Projeções Ortogonais 02. Prof. João Paulo Barbosa Desenho Técnico Projeções Ortogonais 02 Prof. João Paulo Barbosa Representação de Arestas Ocultas Como a representação de objetos tridimensionais, por meio de projeções ortogonais, é feita por vistas tomadas

Leia mais

Elementos e Classificação das Rodovias Brasileiras

Elementos e Classificação das Rodovias Brasileiras Universidade Regional do Cariri URCA Pró Reitoria de Ensino de Graduação Coordenação da Construção Civil Disciplina: Estradas I Elementos e Classificação das Rodovias Brasileiras Renato de Oliveira Fernandes

Leia mais

3 Medidas, Proporções e Cortes

3 Medidas, Proporções e Cortes 3 Medidas, Proporções e Cortes 3.1 Garagens A Figura 3.1 apresenta algumas dimensões que podem ser usadas para projetos de garagens. Em geral, para projetos residenciais, podem-se usar as dimensões de

Leia mais

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos 3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos Nos itens a seguir serão abordados os aspectos geológicos e geotécnicos de maior interesse na área da Barragem de Terra da Margem Esquerda. 3.1. Características Gerais

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Cortes e seções. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Cortes e seções. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Cortes e seções Professor: João Carmo Introdução O recurso ao corte e à seção num desenho se dá, em geral, quando a peça a ser

Leia mais

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 6 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /08/2014 Bimestre: 2. Nome: 6 ANO B Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /08/2014 Bimestre: 2 Nome: 6 ANO B Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 3 1- (0,5) Embora haja dificuldade em oficializar a data do primeiro mapa

Leia mais

Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil

Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Universidade Privada de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Curso de Construção Civil Disciplina: Geologia de Engenharia Ano: 3ro Professor: Dr. Silva Pereira Ginga (PhD) Ano

Leia mais

MOVIMENTO DE ÁGUA NOS SOLOS TRAÇADO DE REDES DE FLUXO

MOVIMENTO DE ÁGUA NOS SOLOS TRAÇADO DE REDES DE FLUXO MOVIMENTO DE ÁGUA NOS SOLOS TRAÇADO DE REDES DE FLUXO 1 Movimento de Água nos Solos O estudo do fluxo de água em obras de engenharia é de grande importância: visa quantificar a vazão que percola no maciço;

Leia mais

GEOMETRIA. Esse quadradinho no ângulo O significa que é um ângulo reto e sua medida equivale a 90 graus.

GEOMETRIA. Esse quadradinho no ângulo O significa que é um ângulo reto e sua medida equivale a 90 graus. GEOMETRIA Ângulos É a abertura existente entre duas semi-retas que tem a mesma origem. Ângulo reto é formado por duas semi-retas perpendiculares, ou seja, uma horizontal e uma vertical sendo o ponto de

Leia mais

Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Tipos de Linhas, Legenda e Construção Geométricas Simples. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Linhas Norma ABNT NBR 8403 de 1994 As linhas são as formas de mostrar como objeto se caracteriza. Para cada

Leia mais

FUNDAMENTOS DO DESENHO TÉCNICO NORMAS E CONVENÇÕES

FUNDAMENTOS DO DESENHO TÉCNICO NORMAS E CONVENÇÕES FUNDAMENTOS DO DESENHO TÉCNICO NORMAS E CONVENÇÕES 1. INTRODUÇÃO Importância: Para o projetista ou Engenheiro a arte de representar um objeto ou fazer sua leitura através do Desenho Técnico é muito importante,

Leia mais

Curso de Engenharia Naval

Curso de Engenharia Naval Curso de Engenharia Naval Enviar via email, no formato CAD [formato DXF ou AutoCAD DWG (versão menos recente que a 2013) ], as duas épuras seguintes com a legenda indicando o autor do exercício. A margem

Leia mais

Prof. Breno Duarte Site:

Prof. Breno Duarte   Site: Prof. Breno Duarte Email: brenoldd@hotmail.com Site: www.fenemi.org.br/ifmec Desenho Técnico é a linguagem técnica e gráfica empregada para expressar e documentar formas, dimensões, acabamento, tolerância,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal do Triângulo Mineiro Laboratório de Cartografia e Geoprocessamento CARTOGEO/DEGEO/UFTM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal do Triângulo Mineiro Laboratório de Cartografia e Geoprocessamento CARTOGEO/DEGEO/UFTM ESCALA CARTOGRÁFICA Parte 1: questões para resolução na aula 1) Para obter, em um mapa, informação mais detalhada, qual das escalas a seguir é utilizada? a) 1/100. b) 1/1.000. c) 1/10.000. d) 1/100.000.

Leia mais