FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino"

Transcrição

1 FACULDADE NOVOS HORIZONTES Plano de Ensino CURSO: TURMA Graduação em Engenharia Civil ESTRUTURA CURRICULAR: DISCIPLINA: Geologia de Engenharia CÓD. DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: 60 HA SEMESTRE: PROFESSOR ELABORADOR: Carlos Augusto Malachias Filho EMENTA: Apresentação dos Principais Fenômenos Geológicos Geologia Estrutural Propriedades Geotécnicas das Formações Geológicas Intemperismo Investigação do subsolo Propriedades Tecnológicas das Rochas Hidrogeologia Geologia de Túneis Geologia de Barragens. OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM: Identificar, descrever e explicar a estrutura da Terra e os principais grupos de minerais e de rochas que a compõem, determinando aqueles que ocorrem no Brasil e em Minas Gerais. Identificar, descrever e explicar a Tectônica de placas e os processos orogenéticos. Determinar e avaliar qual a influência destes processos na evolução da paisagem da superfície da Terra e sobre a ocorrência de terremotos, vulcões, gêiseres, hidrotermalismo, etc. Determinar a história geológica de uma determinada região, com base em princípios estratigráficos. Avaliar a importância da estratigrafia na determinação da posição das camadas geológicas em subsuperfície. Distinguir os tipos de deformação que um sólido pode sofrer e qual sua influência na formação de estruturas tectônicas. Determinar as principais estruturas geológicas existentes em uma região e sua origem. Identificar, descrever e explicar os principais métodos de investigação do subsolo e quais as informações que podem ser obtidas em cada um. Determinar qual método é mais apropriado para uma obra de engenharia específica. Avaliar a relação custo X benefício para utilização de um determinado método em uma obra de engenharia. Identificar, distinguir e explicar os principais processos responsáveis pelo intemperismo e sua importância em engenharia. Identificar um perfil de intemperismo e avaliar sua influência sobre o comportamento esperado frente às solicitações impostas por uma obra de engenharia. Identificar, explicar e distinguir as principais propriedades tecnológicas das rochas. Avaliar se uma rocha pode ser utilizada para um determinado fim em uma obra de engenharia. Determinar qual (is) propriedades são importantes de se determinar em cada tipo específico de obra de engenharia, otimizando custos. Identificar e explicar a importância da água subterrânea para o abastecimento de água, no Brasil e no mundo. Descrever o ciclo hidrológico e a movimentação de água em subsuperfície. Identificar e interpretar a relação entre camadas geológicas e água subterrânea em uma determinada região. Desenvolver um sistema de rebaixamento de água, através de uma bateria de poços de bombeamento. Identificar e avaliar a influência do bombeamento na posição da água subterrânea e sua influência ao longo do tempo. Avaliar possíveis contaminações de aqüíferos e sua recuperação. Identificar, descrever, distinguir e explicar os principais problemas de estabilidade em uma escavação de um túnel, decorrentes da geologia. Identificar, descrever e explicar os principais métodos de escavação em solo e rocha e suas aplicações. Propor um programa de investigação capaz de informar sobre o estado e posição das rochas e solos em subsuperfície. Desenvolver e avaliar soluções para problemas específicos em uma escavação subterrânea. Identificar, descrever e explicar os elementos de uma barragem e sua função. Identificar, descrever e explicar quais os critérios geológicos para escolha de um eixo de uma barragem e do tipo de material a ser utilizado em sua construção. Identificar situações geológicas desfavoráveis à estabilidade de uma barragem. Propor e otimizar um programa de investigação do subsolo capaz de fornecer os dados necessários à elaboração de um projeto e à construção do empreendimento. Determinar e avaliar quais as condições geológicas mais favoráveis para a construção de uma barragem. 1.COGNITIVA: COMPETÊNCIAS ENFATIZADAS: Espera-se que o aluno seja capaz de assimilar as ideias fundamentais e seja capaz de assimilar informações e os conceitos fundamentais da matéria, tornando-se apto a relacioná-los à prática, adquirindo a capacidade de compreender, descrever e justificar o uso dos conceitos da disciplina.

2 2.FUNCIONAL: 3.COMPORTAMENTAL: 4. ÉTICA Competência Funcional: adquirir a base teórica para as disciplinas subsequentes relativas aos cálculos de mecânica dos solos e fundações Espera-se que o aluno seja capaz de desenvolver uma maior consciência de seu papel como estudante e futuro profissional, principalmente no tocante ao bom desempenho de sua futura profissão. Competência Ética: desenvolver a compreensão da responsabilidade do engenheiro no que se refere aos corretos cálculos estruturais. PROGRAMA ANALÍTICO DA DISCIPLINA GEOLOGIA DE ENGENHARIA 1. Principais Fenômenos Geológicos 1.1. Tempo Geológico 1.2. Estrutura da Terra 1.3. Minerais e Rochas 1.4. Tectônica de Placas 1.5. Orogênese 1.6. Principais Estratigráficos 2. Geologia Estrutural 2.1. Estruturas Sedimentares Primárias 2.2. Tipos de Deformação 2.3. Elementos e Classificação de Juntas e Falhas 2.4. Elementos e Classificação de Dobras 3. Propriedades Geotécnicas das Formações Geológicas 3.1. Rochas Sedimentares 3.2. Rochas Ígneas 3.3. Rochas Metamórficas 4. Intemperismo 4.1. Intemperismo Físico 4.2. Intemperismo Químico 4.3. Perfis de Intemperismo 5. Investigação do Subsolo 5.1. Fases de Estudo em Projetos de Engenharia 5.2. Programação de Programas de Investigação 5.3. Métodos Diretos 5.4. Métodos Semi-Diretos 5.5. Métodos Indiretos 6. Propriedades Tecnológicas das Rochas 6.1. Propriedades Químicas 6.2. Propriedades Físicas 6.3. Propriedades Geológicas 6.4. Propriedades Geomecânicas 7. Hidrogeologia 7.1. Ciclo Hidrológico 7.2. Movimentação das Águas Subterrâneas 7.3. Lei de Darcy 7.4. Relação Geologia X Água Subterrânea 7.5. Relação Geologia X Poluição 7.6. Poços 7.7. Contaminação das Águas Subterrâneas 8. Geologia de Túneis 8.1. Introdução 8.2. Geologia no Projeto e Construção de Túneis 8.3. Métodos de Escavação e Estabilização 8.4. Casos Práticos 9. Geologia de Barragens 9.1. Elementos de Uma Barragem 9.2. Forças Atuantes em Uma Barragem 9.3. Classificação de Barragens 9.4. Condicionantes Geológicos

3 9.5. Geologia no Projeto e Construção de Barragens 9.6. Injeções PLANO DE AULAS DA DISCIPLINA AULAS DATA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 08/02/16 Carnaval 09/02/16 Carnaval 15/02/16 Não haverá aula 12/03 ou 19/03 (Sábado) Visita à obra Vespasiano MG. 16/02/16 Não haverá aula 12/03 ou 19/03 (Sábado) Visita à obra Vespasiano MG. 01/02 22/02/16 Apresentação Pessoal e do Plano de Ensino - Distribuição dos Trabalhos Práticos (Investigação do Subsolo) Apresentação da Bibliografia 03/04 23/02/16 Principais Fenômenos Geológicos - Tempo Geológico - Estrutura da Terra - Minerais e Rochas 05/06 29/02/16 Tectônica de Placas - Orogênese - Principais Estratigráficos 07/08 01/03/16 Geologia Estrutural - Estruturas Sedimentares Primárias - Tipos de Deformação 09/10 07/03/16 Elementos e Classificação de Juntas e Falhas - Elementos e Classificação de Dobras 11/12 08/03/16 Propriedades Geotécnicas das Formações Geológicas - Rochas Sedimentares Rochas ígneas - Rochas Metamórficas 13/14 12 ou 19/03/16 (Sábado) Visita à obra Vespasiano MG. 15/16 14/03/16 Intemperismo - Intemperismo Físico - Intemperismo Químico 17/18 15/03/16 Intemperismo Químico - Perfis de Intemperismo 19/20 21/03/16 Investigação do Subsolo - Fases de Estudo em Projetos de Engenharia - Programação de Programas de Investigação - Métodos Diretos - Métodos Semi-Diretos - Métodos Indiretos 21/22 22/03/16 Trabalho prático Investigação Subsolo (50 min apresentação em PowerPoint) 15 pontos Trabalho Grupo 01 Métodos Indiretos Geofísicos (Gravimétricos Magnéticos) 23/24 28/03/16 Trabalho Grupo 02 Métodos Indiretos Geofísicos (Elétricos Sísmicos) 25/26 29/03/16 27/28 04/04/16 Trabalho Grupo 03 Métodos Diretos Manuais (Poços Trincheiras Trado Manual Simples) / Mecânicos (Sondagem à Percussão) Trabalho Grupo 04 Métodos Diretos Mecânicos (Sondagem Rotativa) 29/30 05/04/16 Trabalho Grupo 05 Métodos Diretos Mecânicos (CPTU Cone Prenetration Test Com medida de poro-pressão) 31/32 11/04/16 Trabalho Grupo 06 Métodos Diretos Mecânicos (PMT Pressiômetro de Menárd) 33/34 12/04/16 Propriedades Tecnológicas das Rochas - Propriedades Químicas - Propriedades Físicas 35/36 18/04/16 Propriedades Tecnológicas das Rochas - Propriedades Geológicas 37/38 19/04/16 Propriedades Tecnológicas das Rochas - Propriedades Geomecânicas 39/40 25/04/16 Revisão 41/42 26/04/16 PROVA INTERMDIÁRIA 30 pontos 43/44 02/05/16 Solos Residuais e Sedimentares 45/46 03/05/16 Propriedades Gerais dos Solos 47/48 09/05/16 Índices Físicos SOLOS 49/50 10/05/16 Índices Físicos SOLOS

4 51/52 16/05/16 Exercícios Índices Físicos Atividade Complementar 5 pontos (Gerenciamento de Aprendizagem) 53/54 17/05/16 Exercícios Índices Físicos Atividade Complementar 5 pontos (Gerenciamento de Aprendizagem) 55/56 23/05/16 Hidrogeologia - Ciclo Hidrológico - Movimentação das Águas Subterrâneas - Lei de Darcy -Relação Geologia X Água Subterrânea 57/58 24/05/16 Hidrogeologia - Relação Geologia X Poluição - Poços - Contaminação das Águas Subterrâneas 59/60 30/05/16 Geologia de Túneis - Introdução - Geologia no Projeto e Construção de Túneis - Métodos de Escavação e Estabilização 61/62 31/05/16 Geologia de Túneis - Métodos de Escavação e Estabilização - Casos Práticos 63/64 06/06/16 Geologia de Túneis - Casos Práticos 65/66 07/06/16 Geologia de Barragens - Elementos de uma Barragem - Forças Atuantes em uma Barragem 67/68 13/06/16 Geologia de Barragens - Classificação de Barragens - Condicionantes Geológicos 69/70 14/06/16 Geologia de Barragens - Geologia no Projeto e Construção de Barragens - Injeções 71/72 20/06/16 Geologia de Barragens - Geologia no Projeto e Construção de Barragens - Injeções 73/74 21/06/16 Revisão 75/76 27/06/16 Revisão 77/78 28/06/16 PROVA FINAL 30 PONTOS 79/80 29/06/16 PROVA SUPLETIVA 30 PONTOS 80/81 08/07/16 EXAME FINAL As aulas serão expositivas, utilizando quadro e apresentação em PowerPoint. O desenvolvimento do curso conterá estudos de casos SISTEMA DE AVALIAÇÃO: As aulas serão expositivas, utilizando quadro e apresentação em PowerPoint. O desenvolvimento do curso conterá estudos de casos DATA ATIVIDADE VALOR Trabalhos Práticos 15 pontos Gerenciamento de aprendizagem 10 pontos Primeira Prova 30 pontos Projeto Interdisciplinar 15 pontos Prova Final 30 pontos TOTAL DE PONTOS A SEREM DISTRIBUIDOS 100 PONTOS BIBLIOGRAFIA BÁSICA (3): Chiossi, Nivaldo José (2013) Geologia de Engenharia 3ª Edição - Editora Oficina de Textos Popp, José Henrique (2010) Geologia Geral 6ª Edição Editora Ltc Schnaid, Fernando (2000) Ensaios de Campo e suas Aplicações à Engenharia de Fundações Editora Oficina de Textos BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR (10): ABGE (1998) Geologia de Engenharia. Ed. USP. São Paulo. Guidicini, et al. (1976) - Estabilidade de Taludes Naturais e de Escavação. Ed. Edgar Blücher. São Paulo. Leinz, V. L. (1983) - Geologia Geral. Ed. Nacional. São Paulo. Maciel Filho, C. L. (1994) - Introdução à Geologia de Engenharia. CPRM/UFSM.

5 OBSERVAÇÕES GERAIS: Os Trabalhos Práticos são preparatórios para as provas, deverão ser apresentados em PowerPoint em tempo de 50 minutos e serão pontuados o conteúdo, apresentação e pontualidade. A não apresentação do Trabalho Prático acarretará na perda total da pontuação distribuida. PROFESSOR DA DISCIPLINA: INSTITUCIONAL: Carlos Augusto Malachias Filho APROVAÇÃO: DIRETOR DE GRADUAÇÃO: PROFº TUELI RODRIGUES TAVARES COORDENADOR DE CURSO: PROFa MARIA DA GLÓRIA BRÁZ

Programa Analítico de Disciplina CIV331 Geologia de Engenharia

Programa Analítico de Disciplina CIV331 Geologia de Engenharia 0 Programa Analítico de Disciplina CIV1 Geologia de Engenharia Departamento de Engenharia Civil - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas:

Leia mais

Plano de Ensino Estabilidade das Construções

Plano de Ensino Estabilidade das Construções Rua Erechim, 860 Bairro Planalto CEP: 9880-000 - Panambi/RS Plano de Ensino Estabilidade das Construções IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES INTEGRADO AO ENSINO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ENGENHARIA CIVIL GEOTÉCNICA /2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ENGENHARIA CIVIL GEOTÉCNICA /2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ENGENHARIA CIVIL GEOTÉCNICA - 2011/2 Apresentação Conteúdo programático Introdução: A Mecânica dos Solos na Engenharia Civil Marita Raquel P. C. Curbani maritarpc@gmail.com

Leia mais

1ª ETAPA - ESTUDOS. Estudos de Viabilidade. Hidrológico Quedas (rio) Geológico

1ª ETAPA - ESTUDOS. Estudos de Viabilidade. Hidrológico Quedas (rio) Geológico 1ª ETAPA - ESTUDOS Estudos de Viabilidade Hidrológico Quedas (rio) Geológico Exemplo de Possibilidade de Locação de PCH s Estudo de Quedas Tipologia das Áreas de Barragens Projeto Básico são definidas

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO Código Unidade 040 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso Etapa Sem. / Ano 4045-1 Ciências Biológicas

Leia mais

MECÂNICA DE SOLOS. Exemplos de obras geotécnicas. Engenharia Civil. Engenharia Civil. Engenharia Civil. Engenharia Civil UTFPR - CURITIBA

MECÂNICA DE SOLOS. Exemplos de obras geotécnicas. Engenharia Civil. Engenharia Civil. Engenharia Civil. Engenharia Civil UTFPR - CURITIBA MECÂNICA DE Área da engenharia que estuda os fundamentos do comportamento mecânico dos solos (deformabilidade, resistência ao cisalhamento,...), fazendo uso da aplicação das leis da Mecânica e da Hidráulica.?

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

Mercado de Trabalho... 5

Mercado de Trabalho... 5 Introdução... 3 Geologia... 4 Mercado de Trabalho... 5 O curso... 7 O que você pode fazer... 8 Opiniões dos estudantes... 10 Bibliografia... 11 Durante esse trabalho, você irá ver um pouco sobre a faculdade

Leia mais

MECÂNICA DOS SOLOS I (TEC-00259)

MECÂNICA DOS SOLOS I (TEC-00259) MECÂNICA DOS SOLOS I (TEC-00259) Apresentação Prof. Manoel Isidro de Miranda Neto Eng. Civil, DSc (Teoria, Aplicações e Laboratório) ENGENHARIA GEOTÉCNICA A boa engenharia pressupõe economia e segurança

Leia mais

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Curso de Construção Civil Disciplina: Geologia em Engenharia Ano: 4to Professor: Dr. Silva Pereira Ginga (PhD)

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : GEOLOGIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 207 Optativos: 16. 1º Semestre

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : GEOLOGIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 207 Optativos: 16. 1º Semestre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:10:03 Curso : GEOLOGIA

Leia mais

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2017

GRADE HORÁRIA 1º SEMESTRE DE 2017 1 º Período - 1 º Semestre Turno: Noite Sala: N º de Alunos: Introdução ao Cálculo Química Geral Introdução ao Cálculo Introdução à Engenharia Geometria Analítica e Álgebra Linear Introdução ao Cálculo

Leia mais

Investigações Geotécnicas Parte 2

Investigações Geotécnicas Parte 2 Investigações Geotécnicas Parte 2 FUNDAÇÕES SLIDES 04 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com Sondagens Rotativas e mistas Uso de conjunto motomecanizado Penetração e rotação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA GERAL DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO CURSOS QUE ATENDE DEPARTAMENTO ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

FUNDAÇÕES. Apresentação do Plano de Curso e diretrizes da disciplina. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt. Fundações SLIDES 01

FUNDAÇÕES. Apresentação do Plano de Curso e diretrizes da disciplina. Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt. Fundações SLIDES 01 Apresentação do Plano de Curso e diretrizes da disciplina FUNDAÇÕES Fundações SLIDES 01 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com Prof. Douglas Magalhães A. Bittencourt, M.Sc. a)

Leia mais

Grade curricular do curso de graduação em Geologia da Universidade Federal do Espírito Santo

Grade curricular do curso de graduação em Geologia da Universidade Federal do Espírito Santo 1 ENG 05501 Álgebra Linear e Geometria Analítica - Obr 30-30-0 3 60 1 ENG 05504 Cálculo I - Obr 30-30-0 3 60 1 ZOO 05228 Química Básica - Obr 15-0-30 2 45 1 DPV 05631 Ecologia Básica - Obr 60-0-0 4 60

Leia mais

Pré-requisito: Física Geral e Experimental III/ Mecânica Geral

Pré-requisito: Física Geral e Experimental III/ Mecânica Geral C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 Componente Curricular: Resistência dos Materiais Código: ENGP 372 Pré-requisito: Física

Leia mais

UFABC- Universidade Federal do ABC- PROEXT 2011/2012. Gestão de Riscos Geológicos em Ambiente Urbano: Escorregamentos e Processos Correlatos

UFABC- Universidade Federal do ABC- PROEXT 2011/2012. Gestão de Riscos Geológicos em Ambiente Urbano: Escorregamentos e Processos Correlatos UFABC- Universidade Federal do ABC- PROEXT 2011/2012 Gestão de Riscos Geológicos em Ambiente Urbano: Escorregamentos e Processos Correlatos 2º OFICINA: SOLUÇÕES DE ESTABILIZAÇÃO CLÁUDIA PAIVA FATORES CONDICIONANTES

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Metas Curriculares de Ciências Naturais 7º Ano e Projeto Educativo 3º CICLO CIÊNCIAS

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Engenharia Civil

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Engenharia Civil Disciplina: Geotecnia II C.H. Teórica: 40 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Engenharia Civil Período Letivo: Série: Periodo: 2 sem/2014 5ª Série Não definido C.H. Outras: 20 Semestre de Ingresso: 2º

Leia mais

CONTEÚDOS OBJETIVOS TEMPO AVALIAÇÃO

CONTEÚDOS OBJETIVOS TEMPO AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 201-2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Metas Curriculares de Ciências Naturais de 8º ano, Projeto Educativo 3º Ciclo. Ciências Naturais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL GRADE CURRICULAR DO CURSO DE GEOLOGIA TURNO: DIURNO 1º SEMESTRE - 1º ANO.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL GRADE CURRICULAR DO CURSO DE GEOLOGIA TURNO: DIURNO 1º SEMESTRE - 1º ANO. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA CAMPUS CAÇAPAVA DO SUL GRADE CURRICULAR DO CURSO DE GEOLOGIA TURNO: DIURNO 1º SEMESTRE - 1º ANO Coordenador pro tempore: Prof. Dr. Marco Antonio Fontoura Hansen Sistema

Leia mais

BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL. Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental

BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL. Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental EXPOSIÇÃO ÁGUA BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental Prospecção de águas subterrâneas com o uso de métodos geofísicos Vagner

Leia mais

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA SCET- Geológica e de Minas IST 2007 ANTES DE INVESTIGAR A VIABILIDADE DE UM PROJECTO, EM PARTICULAR QUANDO EXISTE UM SISTEMA DE

Leia mais

A UTILIZAÇÃO PRÁTICA DE ENSAIOS ESPECIAIS DE CAMPO

A UTILIZAÇÃO PRÁTICA DE ENSAIOS ESPECIAIS DE CAMPO A UTILIZAÇÃO PRÁTICA DE ENSAIOS ESPECIAIS DE CAMPO Prof. Dr.Antônio Sérgio Damasco Penna DAMASCO PENNA ENGENHARIA GEOTÉCNICA ENSAIOS ESPECIAIS DE CAMPO Ensaio de penetração de cone estático com medidas

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 6 - Vulcanismo Os vulcões como geossistemas Os depósitos vulcânicos Os estilos de erupção e as formas de relevo vulcânico

SUMÁRIO. Capítulo 6 - Vulcanismo Os vulcões como geossistemas Os depósitos vulcânicos Os estilos de erupção e as formas de relevo vulcânico SUMÁRIO Capítulo 1 - Estruturando um planeta O método científico As teorias e as práticas modernas da Geologia A origem de nosso sistema planetário A Terra primitiva: formação de um planeta em camadas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Disciplina: Ciências Naturais A TERRA EM TRANSFORMAÇÃO: Unidade Temática e. Conteúdos DINÂMICA EXTERNA DA TERRA

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Disciplina: Ciências Naturais A TERRA EM TRANSFORMAÇÃO: Unidade Temática e. Conteúdos DINÂMICA EXTERNA DA TERRA PLANIFICAÇÃO ANUAL Disciplina: Ciências Naturais 7.º Ano Unidade Temática e Domínio/Subdomínio Objetivos/Metas N.º de Aulas previstas por período Conteúdos DINÂMICA EXTERNA DA TERRA Paisagens geológicas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 6118; NBR 6120; NBR 7191; NBR 8681; NBR

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 6118; NBR 6120; NBR 7191; NBR 8681; NBR DISCIPLINA: Estrutura de Concreto Armado II Ementa: Introdução às fundações superficiais: Alicerce corrido; Sapatas quadradas; Sapatas retangulares; Sapatas conjugadas. Introdução às fundações profundas:

Leia mais

Plano de Ensino de FUNDAÇÕES TURMAS A03 e B02

Plano de Ensino de FUNDAÇÕES TURMAS A03 e B02 Plano de Ensino de FUNDAÇÕES TURMAS A03 e B02 1. Ementa Tipos de fundações. Capacidade de carga na ruptura e estimativa de recalques de fundações superficiais e profundas: métodos teóricos e semi-empíricos.

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 7º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Objectivos / Competências Compreender que a pertence a um sistema planetário dependente

Leia mais

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL. Profª Aline Cristina Souza dos Santos

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL. Profª Aline Cristina Souza dos Santos CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Profª Aline Cristina Souza dos Santos (alinecris16@hotmail.com) ESTRUTURA SOLO GEOLOGIA GEOTECNIA MECÂNICA DAS ROCHAS MECÂNICA DOS SOLOS

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2016/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

Plano de Ensino de GEOTECNIA I TURMAS A02 e C01 PRELEÇÃO

Plano de Ensino de GEOTECNIA I TURMAS A02 e C01 PRELEÇÃO Plano de Ensino de GEOTECNIA I TURMAS A02 e C01 PRELEÇÃO 1. Ementa Fundamentos de geologia de engenharia. Estudo das propriedades físicas e classificação dos solos. Compactação. Pressões geostáticas e

Leia mais

P L A N O D E C U R S O. Objetivos Gerais: Estudar o solo como material de construção e como material para estruturas.

P L A N O D E C U R S O. Objetivos Gerais: Estudar o solo como material de construção e como material para estruturas. D E PA RTA M E N T O D E E N G E N H A R I A E N G 1 0 8 1 - G E O T E C N I A I T U R M A C 0 1 3 Ementa: P L A N O D E C U R S O Fundamentos de geologia de engenharia. Estudo das propriedades físicas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I Aula 00 Apresentação da Disciplina Augusto Romanini Sinop - MT 2017/1

Leia mais

ANÁLISE GLOBAL DE GEORRECURSOS LEGISLAÇÃO PORTUGUESA DL 90/90

ANÁLISE GLOBAL DE GEORRECURSOS LEGISLAÇÃO PORTUGUESA DL 90/90 ANÁLISE GLOBAL DE GEORRECURSOS LEGISLAÇÃO PORTUGUESA DL 90/90 Seminário Ciências de Engenharia 2007 - Eng. Geológica e Mineira - SCE - Geológica e Mineira Recursos Naturais Bens naturais que o Homem utiliza

Leia mais

Prospecção Geotécnica

Prospecção Geotécnica Prospecção Geotécnica Define-se como o conjunto de operações que visam a determinação da natureza e características do terreno, sua disposição e acidentes com interesse para a obra/projecto a realizar.

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES A Conteúdo: Aula 1: Rochas e minerais: o que são? Tipos de rocha. Aula 2: O solo. 2 A Habilidades: Aula 1: Entender o que são rochas e como elas se formam. Saber diferenciar as rochas de acordo com os

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGIAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL GEOTECNIA I Aula 01 Augusto Romanini Sinop - MT 2017/2 Versão: 2.0 AULAS Aula

Leia mais

2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio.

2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio. CAPÍTULO 11 TÚNEIS Histórico 2000 AC Babilônia Túnel sob o Rio Eufrates, com 1 km de extensão e seção de 3.6m a 4.5 m. Construção a céu aberto, com desvio do rio. 200 DC Túneis dos aquedutos romanos construídos

Leia mais

Serviço Educativo Municipal de Paredes. CIMOCB Centro de Interpretação das Minas de Ouro de Castromil e Banjas. Planificação

Serviço Educativo Municipal de Paredes. CIMOCB Centro de Interpretação das Minas de Ouro de Castromil e Banjas. Planificação Serviço Educativo Municipal de Paredes CIMOCB Centro de Interpretação das Minas de Ouro de Castromil e Banjas Planificação Guia da Atividade 1.º ciclo Área de Conhecimento: Estudo do Meio Duração: 1 dia

Leia mais

Ciclo hidrológico e água subterrânea. Água como recurso natural Água como agente geológico Clima Reservatórios Aquíferos

Ciclo hidrológico e água subterrânea. Água como recurso natural Água como agente geológico Clima Reservatórios Aquíferos Hidrogeologia Ciclo hidrológico e água subterrânea Água como recurso natural Água como agente geológico Clima Reservatórios Aquíferos RESERVATÓRIOS DO SISTEMA HIDROLÓGICO Total da água existente no

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática. FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( )concomitante ( )bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Sondosolo A base sólida da sua obra.

Sondosolo A base sólida da sua obra. Sondosolo A base sólida da sua obra. GEOTECNIA E ENGENHARIA LTDA Sondagens e Fundações Estacas Raiz, Hollow Auger e Injeções de Cimento para Consolidação As estacas Raiz são estacas moldadas in loco, utilizadas

Leia mais

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico

Trabalho prático de Reconhecimento Geológico Trabalho prático de Reconhecimento Geológico LOCALIZAÇÃO Av. Duarte Pacheco Local de encontro - Bombas da TOTAL- Oeste das Amoreiras Obras Geotécnicas Mestrado Integrado em Engenharia Civil (4º Ano) Instituto

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 9 Estruturas em rochas: Fraturas e Dobras Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Deformação em Rochas Deformação

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 7º ano de escolaridade A TERRA EM TRANSFORMAÇÃO Dinâmica Externa da Terra Paisagens geológicas

Leia mais

OBJETIVOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA. Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider

OBJETIVOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA. Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider OBJETIVOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider E-mail: emschneider@utfpr.edu.br O que são objetivos de ensino/aprendizagem? O que espero que meu aluno aprenda?

Leia mais

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA

Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Luis Edmundo Prado de Campos Professor Titular - Escola Politécnica da UFBA Comentários sobre a Norma NBR-11682 Estabilidade de Encosta Pouca contribuição da comunidade geotécnica na discussão, apesar

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO Ano letivo 2017-2018 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7º ANO Ano letivo 2016-2017 Conteúdos Domínios e subdomínios METAS CURRICULARES Objetivos e descritores Estratégias/Atividades Materiais/recursos Modalidades e critérios

Leia mais

Casos de Estudos Geotécnicos para Fundações de Aerogeradores em Subsolo Arenoso.

Casos de Estudos Geotécnicos para Fundações de Aerogeradores em Subsolo Arenoso. Casos de Estudos Geotécnicos para Fundações de Aerogeradores em Subsolo Arenoso. Prof. Marcos Fábio Porto de Aguiar, D.Sc. Instituto Federal do Ceará (IFCE) Universidade de Fortaleza (UNIFOR) Introdução

Leia mais

Click to edit Master title style

Click to edit Master title style Atos de Engenharia por Especialidade da Ordem dos Engenheiros Regulamento n.º 420/2015, de 20 de julho Lei n.º 40/2015, de 1 de junho Engenharia (EGM) Salomé Moreira Serviços Jurídicos da Ordem dos Engenheiros

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Química Geral e Inorgânica Código: FAR 201 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo:

Leia mais

Considerando o disposto no Estatuto e Regimento Geral da UFCG;

Considerando o disposto no Estatuto e Regimento Geral da UFCG; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 14/2010 Altera a estrutura curricular do Curso de Graduação em Engenharia de

Leia mais

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Geral e Inorgânica Código: FAR 201 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Autorizado pela Portaria MEC nº 276, de 30 de março de 2015 Componente Curricular: QUÍMICA GERAL E EXPERIMENTAL Código: Pré-requisito: ------ Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO. Ficha da Disciplina. Nome Dia da semana Hora. José Luís Pinho 6ª feira 14-16

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO. Ficha da Disciplina. Nome Dia da semana Hora. José Luís Pinho 6ª feira 14-16 Ficha da Disciplina Curso: ENGENHARIA CIVIL Ano Lectivo: 2004/2005 Disciplina: Hidráulica Aplicada II Ano Curricular: 4º U.C. 3 Responsável: José Luís Pinho Regime: Anual X Sem. Docentes: José Luís Pinho

Leia mais

Introdução à Engenharia Geotécnica

Introdução à Engenharia Geotécnica Introdução à Engenharia Geotécnica A Crosta Terrestre Vítor Pereira Faro vpfaro@ufpr.br Sidnei Helder Cardoso Teixeira s.teixeira@ufpr.br Agosto 2016 Introdução à Geologia Geologia Ciência da terra que

Leia mais

Novo Descobrir a Terra 7 Terra no espaço Terra em transformação - Areal Editores

Novo Descobrir a Terra 7 Terra no espaço Terra em transformação - Areal Editores Agrupamento de Escolas Guilherme Stephens - Marinha Grande Ano Lectivo 2010-2011 1- Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente 1.1-Ciência Produto da actividade humana 1.2-A Ciência e Conhecimento do Universo

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais 7ºAno

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais 7ºAno Período letivo 1º Competências Definir paleontologia. Apresentar uma definição de fóssil. Explicar os diversos processos de fossilização, recorrendo a actividades práticas. Relacionar a formação de fósseis

Leia mais

Investigações Geotécnicas Parte 1

Investigações Geotécnicas Parte 1 Investigações Geotécnicas Parte 1 FUNDAÇÕES SLIDES 03 Prof. MSc. Douglas M. A. Bittencourt prof.douglas.pucgo@gmail.com INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS Reconhecimento do subsolo Investigação preliminar Verificação

Leia mais

AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1

AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1 AGG 209 INTRODUÇÃO À PETROFÍSICA AULA 1 O QUE É PETROFÍSICA? O termo petrofísica foi introduzido por Archie (1950) para descrever o estudo das propriedades físicas das rochas que dizem respeito à distribuição

Leia mais

GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL MINERAIS E ROCHAS: ROCHAS ÍGNEAS E SEDIMENTARES

GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL MINERAIS E ROCHAS: ROCHAS ÍGNEAS E SEDIMENTARES GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL MINERAIS E ROCHAS: ROCHAS ÍGNEAS E SEDIMENTARES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Conhecer os tipos de rocha Compreender a formação das rochas ígneas e sedimentares

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: ENGENHARIA DE PETRÓLEO Campus: NITERÓI Missão O Curso de Engenharia de Petróleo da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnica

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO Curso: Engenharia Mecânica Período/Módulo: 1 o Período Disciplina/Unidade Curricular: Cálculo I Código: CE375

Leia mais

ANEXO I-D. Estudos Topográficos, Geológicos/Geotécnicos, Arqueológicos, Ambientais e de Interferência de Redes de Utilidades

ANEXO I-D. Estudos Topográficos, Geológicos/Geotécnicos, Arqueológicos, Ambientais e de Interferência de Redes de Utilidades MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE N. 003/2012 PARA APRESENTAÇÃO DE ESTUDOS DE VIABILIDADE TÉCNICA, AMBIENTAL, ECONÔMICO- FINANCEIRA, JURÍDICA E MODELAGEM DA LINHA DO METRÔ DE PORTO ALEGRE. ANEXO I-D Estudos Topográficos,

Leia mais

Engenharia Civil. 1º A 1º sem 2017 Noturno. Central 1S/2017 (Matriz G5) HORÁRIO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA. 1ª Aula 19:00 20:40

Engenharia Civil. 1º A 1º sem 2017 Noturno. Central 1S/2017 (Matriz G5) HORÁRIO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA. 1ª Aula 19:00 20:40 Engenharia Civil Semestre: Semestre: Período: 1º A 1º sem 2017 Noturno Central 1S/2017 (Matriz G5) Cálculo Instrumental Geometria Analítica Química Aplicada à Engenharia Algoritmos Computacionais Metodologia

Leia mais

APÊNDICE A.5 QUINTO SEMESTRE

APÊNDICE A.5 QUINTO SEMESTRE APÊNDICE A.5 QUINTO SEMESTRE INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CAMPUS PALMAS 1 IDENTIFICAÇÃO: Curso: Engenharia Civil Modalidade de: Bacharelado Unidade Curricular: Código

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO. CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Cornélio Procópio PLANO DE ENSINO CURSO Engenharia Elétrica MATRIZ 42 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução nº 79/06 aprovada pelo COEPP

Leia mais

CURRÍCULO PROFISSIONALIZANTE PARA OS CURSOS DE GEOLOGIA

CURRÍCULO PROFISSIONALIZANTE PARA OS CURSOS DE GEOLOGIA 14º CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA Rio de Janeiro, dezembro de 2013 CURRÍCULO PROFISSIONALIZANTE PARA OS CURSOS DE GEOLOGIA LUIZ FERREIRA VAZ TALITA DE OLIVEIRA MUZZI Artigo original apresentado

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA MECÃNICA / ENGENHARIA MECATRÔNICA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA MECÃNICA / ENGENHARIA MECATRÔNICA 1 UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA MECÃNICA / ENGENHARIA MECATRÔNICA ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS (Orientações para a realização das APS dos

Leia mais

Profissão em expansão no Brasil e no exterior

Profissão em expansão no Brasil e no exterior Profissão em expansão no Brasil e no exterior Ciência que estuda a Terra utilizando métodos e princípios físicos. Profissão que utiliza métodos e princípios físicos na pesquisa de recursos naturais (ex.

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Geral II Código: FAR-203 Pré-requisito: Química geral e Inorgânica Período Letivo: 2016.1

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 5 semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 5 semestre EMENTA 1 EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Química FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x

Leia mais

FONTES ENERGÉTICAS. Prof. Dr. Adilson Soares E- mail: Site:

FONTES ENERGÉTICAS. Prof. Dr. Adilson Soares E- mail: Site: FONTES ENERGÉTICAS Prof. Dr. Adilson Soares E- mail: adilson.soares@unifesp.br Site: www.geologia.wiki.br Revisão: Geologia Adilson_dinamica_global.ppt Tectônica de Placas Adilson_dinamica_global.ppt Dinâmica

Leia mais

Ensaios geofísicos. Introdução à Geotecnia

Ensaios geofísicos. Introdução à Geotecnia Ensaios geofísicos Introdução à Geotecnia Métodos geofísicos Métodos Campos de força Propriedades físicas Campos principais de aplicação Gravimétricos Magnéticos Elétricos Sísmicos Campo gravitacional

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Química Orgânica Farmacêutica I Código: FAR 202 Pré-requisito: Química Geral e Inorgânica Período

Leia mais

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA Segunda 18 às 20h Quarta 20 às 22h museu IC II Aula 9 Estruturas em rochas: Fraturas e Dobras Turma: 2016/01 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Deformação em Rochas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate.

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS AULAS

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA CIVIL EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA CIVIL EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA CIVIL EMENTAS - 2016.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: CÁLCULO I DISCIPLINA: FÍSICA I Estudo do centro de Massa e Momento Linear. Estudo da Rotação. Estudo de Rolamento, Torque e Momento Angular.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Processos Mecânicos e Metalúrgicos de Fabricação Código da Disciplina: EPD 022 Curso: Engenharia de Produção

Leia mais

*Módulo 1 - IDENTIFICAÇÃO

*Módulo 1 - IDENTIFICAÇÃO 24 - REBAIXAMENTO DE NÍVEL DE ÁGUA SUBTERRÂNEA (para obras civis) Definição: O rebaixamento de nível de água é um procedimento que tem por objetivo manter o nível d água em uma determinada cota que permita

Leia mais

Geologia. Tecnologia de Informação e Comunicação. Escola Básica 2,3 Paulo da Gama. Amora, outobro Aluno: André Costa. Professor: Sérgio Heleno

Geologia. Tecnologia de Informação e Comunicação. Escola Básica 2,3 Paulo da Gama. Amora, outobro Aluno: André Costa. Professor: Sérgio Heleno Geologia Tecnologia de Informação e Comunicação Escola Básica 2,3 Paulo da Gama Amora, outobro 2016 Aluno: André Costa Professor: Sérgio Heleno Geologia Tecnologia de Inf-ormação e Comunicação Escola Básica

Leia mais

PESQUISA MINERAL I. Professora: Thaís Dornelas

PESQUISA MINERAL I. Professora: Thaís Dornelas PESQUISA MINERAL I Professora: Thaís Dornelas Unidade 05 PESQUISA MINERAL Conceitos básicos de prospecção mineral EMENTA Fundamentos da pesquisa mineral (conceitos básicos) Métodos de pesquisa mineral

Leia mais

PLANO DE DISCIPLINA NOME DO COMPONENTE CURRICULAR: LAVRA E BENEFICIAMENTO DE ROCHA ORNAMENTAL CURSO: TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE EM MINERAÇÃO

PLANO DE DISCIPLINA NOME DO COMPONENTE CURRICULAR: LAVRA E BENEFICIAMENTO DE ROCHA ORNAMENTAL CURSO: TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE EM MINERAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA NOME DO COMPONENTE CURRICULAR: LAVRA E BENEFICIAMENTO DE ROCHA ORNAMENTAL CURSO: TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE EM MINERAÇÃO SEMESTRE: 2º CARGA HORÁRIA: 4 A/S - 80 H/A 66,7 H/R

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DA RAINHA SANTA ISABEL 402643 Planificação Anual de Ciências Naturais 7º ano 2016-2017 Professoras : Catarina Coimbra /Manuela Pomar DOMÍNIOS/SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS/DESCRITORES

Leia mais

Determinação do nível d água do Sítio Controlado de Geofísica Rasa do IAG USP através do método de Sondagem Elétrica Vertical

Determinação do nível d água do Sítio Controlado de Geofísica Rasa do IAG USP através do método de Sondagem Elétrica Vertical Determinação do nível d água do Sítio Controlado de Geofísica Rasa do IAG USP através do método de Sondagem Elétrica Vertical Resumo O ano de 2014 tem apresentado um baixo índice de chuvas em diversas

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS

MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS Definição Mapas geológicos Mapa geológico é aquele que mostra a distribuição dos tipos de rochas e das estruturas geológicas como fraturas, falhas, dobras, posição das camadas,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Engenharia Civil Cabo Frio SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólidos conhecimentos tecnológicos

Leia mais

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 3. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil / UFOP

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 3. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil / UFOP BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 3 Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil / UFOP Análises da Estabilidade de Taludes de Barragens Escolha das Seções Críticas seção de altura

Leia mais

Demonstrativo das disciplinas e cargas horárias por módulo.

Demonstrativo das disciplinas e cargas horárias por módulo. CAMPUS SALVADOR Demonstrativo das disciplinas e cargas horárias por módulo. C.H.*/hora aula (50min.) Teorias do Turismo 60 Gestão Hoteleira I 30 36 Geografia Aplicada ao Turismo 30 36 História Aplicada

Leia mais

RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA / TRABALHO DE CAMPO

RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA / TRABALHO DE CAMPO Serviço Público Federal Ministério da Educação Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA / TRABALHO DE CAMPO 1. Identificação Curso: Graduação em Engenharia de

Leia mais

Estruturas de Contenção Apresentação da disciplina Definições Tipos de Estruturas de Contenções

Estruturas de Contenção Apresentação da disciplina Definições Tipos de Estruturas de Contenções Estruturas de Contenção Apresentação da disciplina Definições Tipos de Estruturas de Contenções Considerações Gerais Ementa Conteúdo Programático Avaliação Bibliografia APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA Considerações

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA. Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA. Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: Processos Criativos Código: CH Total: 30T 30P Pré-requisito: História

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: TÉCNICO EM QUÍMICA INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO FORMA/GRAU:(x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 03- Estágio Supervisionado III (60h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais