Evapotranspiração e Produtividade da Cultura da Cana-de- Açúcar Irrigada

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Evapotranspiração e Produtividade da Cultura da Cana-de- Açúcar Irrigada"

Transcrição

1 Evapotranspiração e Produtividade da Cultura da Cana-de- Açúcar Irrigada Rodollpho A. S. Lima*,Marcos A. L. dos Santos*, Pedro L. V. S. Sarmento*, Adolpho E. Q. Rocha*, Klebson S. Brito*, Marlon da Silva*, Gilson. Moura Filho**, Guilherme. B. Lyra**, José. L. Souza**, Iêdo Teodoro**. * Graduando do curso de Agronomia da Universidade Federal de Alagoas **Professor da Universidade Federal de Alagoas ABSTRACT: The irregularities of the rain coupled with the cultivation of varieties with low response to the use of irrigation are the main limiting factors of the agricultural productivity in the Brazilian Northeast. Therefore, an experiment was conducted in the Rio Largo-AL region to analyze the water conditions and yield crop of nine varieties RB of sugar cane irrigated by drip irrigation. In the eleven months of cultivation rained 1,886 mm, the crop evapotranspiration was 1,421 mm and the effective rainfall was 879 mm. The varieties RB92579, RB98710 and RB yielded 138, 129 and 125 t ha -1 respectively. And the less productive were RB (88 t ha -1 ) and RB (91 t ha -1 ). In order to meet the crop water requirement of sugar cane in 11 months of cultivation was necessary a irrigation depth of 808 mm. The varieties with the better response at irrigation were: RB92579, RB98710 and the RB Keywords: Varieties, Rainfall, Drip Irrigation. 1 - INTRODUÇÃO O País que possui a maior produção de cana-de-açúcar no mundo é o Brasil que na safra 2008/2009 produziu 569 milhões de toneladas de cana. Essa produção gerou 31 milhões de toneladas de açúcar e 27 milhões de litros de etanol (UNICA 2010). A agroindústria da cana brasileira gera 4,5 milhões de empregos diretos e indiretos que movimenta recursos da ordem de 51 bilhões de reais por ano, correspondente a 1,76% do PIB nacional (Jornal cana, 2010) A precipitação pluvial, nas regiões brasileiras que produzem cana-de-açúcar, é muito variável e má distribuída, sendo esse o principal fator limitante da produtividade e consequentemente dos rendimentos agroindustriais dessa cultura. Para o crescimento e desenvolvimento potencial da cana ser atingido, a mesma necessita de1500 mm a 2500 mm anuais (Doorembos & Kassan, 1979). Na zona canavieira de alagoas chove em média mm por ano. Porém, 72 % dessa chuva (1397 mm) ocorre durante a estação chuvosa que vai de abril a agosto e nos outros seis meses (de setembro a março) chove apenas 28 % (540 mm). Isso indica uma alta probabilidade de ocorrência de deficiências hídricas e certamente reduções de produtividade e renovações precoces dos canaviais (SINDAÇUCAR-AL 2010). A irrigação pode mitigar ou anular os efeitos danosos da deficiência hídrica (Farias et al., 2007). Portanto, o incremento de produtividade pode ser obtido através do manejo eficiente da irrigação que depende, dentre outros fatores, da estimativa correta da evapotranspiração da cultura (ETc) a ser irrigada e do sistema de irrigação utilizado. As características genéticas das plantas cultivadas também influenciam significativamente a eficiência da irrigação porque algumas variedades são mais responsivas às lâminas de irrigação.

2 A ETc pode ser determinada através de medidas diretas e indiretas. As medidas diretas podem ser feitas por meio de lisímetros e do balanço de água no solo e as medidas indiretas são realizadas através de equações ou modelos, gravimetria e evaporímetros (Biscaro, 2007). A equação recomendada pela FAO (Food Agriculture Organization), como padrão, para estimativa da evapotranspiração é a de Penmam-Montheth (Allen et al., 1998). Nesse contesto realizou-se um trabalho de campo com o objetivo de analisar as condições hídricas em que foram cultivadas nove variedades RB de cana-de-açúcar irrigadas por gotejamento e suas respectivas produtividades agrícolas. 2 - MATERIAL E MÉTODOS: O trabalho foi conduzido no Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal de Alagoas CECA\UFAL (09 28``02`S; 35 49``43` W, 127 m), em Rio Largo AL, no período de 20 de fevereiro de 2009 a 22 de janeiro de 2010, numa cultura de cana-de-açúcar de terceira folha. O cultivo foi feito em um Latossolo Amarelo coeso argissólico, de textura média / argilosa. O delineamento estatístico utilizado foi blocos casualizados com quatro repetições e nove tratamentos: variedades RB92579, RB863129, RB931003, RB93509, RB72454, RB867515, RB951541, RB98710 e RB As parcelas de 9 linhas de 15 metro, plantadas em espaçamento duplo de 1,4 x 0,4 metros (média de 0,9 metros). A adubação foi realizada por fertirrigação através do injetor tipo venture, entre os meses de junho e novembro, com os seguintes níveis: 103, 16 e 116 Kg.ha -1 de N, P 2 O 5 e KCl, respectivamente. A quantidade de água a ser aplicada foi determinada em função da evapotranspiração da cultura (ETc) calculada pela multiplicação da evapotranspiração referencial (ETo) pelo coeficiente da cultura da FAO (Allen 1998). A ETo foi estimada pelo método de Perman- Monteith FAO, com os dados obtidos em estação automática de aquisição de dados localizada a 300 metros do experimento. Rn=Saldo de radiação (MJ.m -2 dia -1 ), G=Fluxo de calor no solo (MJ.m -2 dia -1 ), U 2 =Velocidade do vento a 2 m de altura (m s -1 ), es=pressão de saturação do vapor d água do ar (kpa), e s =pressão do vapor d água do ar (kpa), =Inclinação da curva da pressão do vapor saturado x temperatura do ar(kpa C -1 ), γ = Coeficiente psicométrico, T = temperatura média do ar. A irrigação foi feita por gotejamento subsuperficial, com fita gotejadora de 22 mm espaçada em 1,8 metros, com gotejadores a cada 0,5 metros e vazão de 1,0 L h-¹. 3 RESULTADOS E DISCUSSÃO A precipitação pluvial em 2009 foi mm e nos onze meses de cultivo da canade-açúcar choveu 1886 mm. A evapotranspiração total da cultura foi mm (media de 4,25 mm dia -1 ), porém, a chuva efetiva somou apenas 879 mm (Figura 1). Para suprir a deficiência hídrica da cultura foi aplicada uma lâmina bruta de 808 mm. Dessa forma, a soma da lâmina bruta com a precipitação pluvial efetiva foi bem superior a ETc porque depois de efetuada a última rega com a aplicação do inibidor de crescimento radicular (trifuralina) para encerrar a irrigação, no primeiro decêndio de janeiro de 2010, houve uma chuva de aproximadamente

3 100 mm. A previsão de colheita do experimento era para o segundo decêndio de fevereiro de Mas, por conta de um incêndio acidental, a colheita foi realizada no dia 22/01/2010. No segundo e terceiro decêndio de fevereiro e durante o mês de março de 2009 a precipitação pluvial foi bem superior à evapotranspiração da cultura, por isso a cana só foi irrigada nos primeiros decêndios de abril, como consta na Figura 1. Em seguida, do terceiro decêndio de abril até o final de setembro, o volume de água precipitado foi sempre maior do que o evapotranspirado, de modo que no primeiro decêndio de outubro, o solo ainda tinha umidade próxima à capacidade de campo. Por isso, a irrigação só foi reiniciada no segundo decêndio de outubro de Os valores mais baixo da ETc foram observados no período de maio a junho (média de 2,8 mm dia -1 ) e a maior demanda hídrica da cultura (em torno de 6,2 mm dia -1 ) aconteceu a partir do segundo decêndio de outubro até o final de dezembro de Nas condições de irrigação plena, com a demanda hídrica das plantas totalmente atendida, a produtividade agrícola média da cultura, na safra estudada (3ª folha) foi 110 t ha -1. Ressaltando-se que a cana foi colhida com 11 meses devido ao incêndio acidental. Portanto, em circunstâncias normais, com a colheita aos doze meses, haveria um aumento de pelo menos 10 toneladas de cana e os rendimentos médios poderiam chegar a aproximadamente 120 toneladas de colmos por hectare. As variedades mais produtivas foram: a RB92579, a RB98710 e a RB que produziram 138, 129 e 125 t ha -1 respectivamente (Figura 2). Na região de Jaú SP, Gava et al. (2008) em cultivo irrigado por gotejamento, produziu 141 t ha - 1 com a variedade RB As menores produções foram 88 e 91 t ha -1 das variedades RB e RB931003, na mesma ordem. A amplitude da produtividade foi de 50 t ha -1, diferença de 56,7 % entre o maior e o menor rendimento por unidade de área. Figura 1. Irrigação (I), precipitação pluvial (P) e evapotranspiração da cultura (ETc) da cana-de-açúcar, na região de Rio Largo-AL, no período de fevereiro de 2009 a Janeiro de 2010.

4 Figura 2. Produtividade agrícola, em toneladas de colmo por hectare (TCH) - de variedades de cana-de-açúcar, na região de Rio Largo-AL. 4 - CONCLUSÃO Para atender a demanda hídrica da cultura da cana-de-açúcar nos 11 meses de cultivo foi necessária uma lâmina bruta de irrigação de 808 mm. Agradecimentos As variedades mais produtivas foram: a RB92579, a RB98710 e a RB NETAFIM/CNPq (CT-hidro /03-2, Universal /2007-2)/RIDESA-PMGCA- UFAL, FAPEAL E USINAS ASSOCIADAS. 5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALLEN, R.G.; PEREIRA, L.S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop evapotranspiration: Guidelines for computing crop water requirements. Rome: FAO p. (FAO. Irrigation end Drainage Paper, 56). BISCARO G. A., Meteorologia Agrícola Básica, 1ª. Ed., UNIGRAF Gráfica e Editora União Ltda.2007 DOOREMBOS, J.; KASSAN, A. H. Yield response to water. Roma: FAO p. ( FAO irrigation and drenage:, paper 33).

5 FARIAS, C. H. A.; FERNANDES, P.D.; DANTAS NETO, J.; GHEIY, H. R. Eficiência no uso da água na cana-de-açúcar sob diferentes lâminas de irrigação e níveis de zinco no litoral paraibano. Eng. Agríc., Jaboticabal, v.28, n.3, p , jul./set GAVA, G. J. G.; SILVA, M. A.; CRUZ, J. C. S.; JERÔNIMO, E. M. OLIVEIRA, M. W.; KRONTAL, Y.; VERED, E.; AGUIAR, F. L.; PEDROSO, D. B. Produtividade e atributos tecnológicos de três cultivares de cana-de-açúcar irrigadas por gotejamento subsuperficial. Anais do 9º Congresso Nacional da STAB. 2008, P JORNAL CANA. Disponível em: < Acessado em: 10 de maio de SINDAÇUCAR SINDICATO DA INDÚSTRIA DO AÇUCAR E DO ÁLCOOL NO ESTADO DE ALAGOAS Boletim da safra 2008/ Acesso em: 09/05/2010. UNICA UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR, Disponível em: < Acessado em: 09 de maio de 2010.

Variáveis Meteorológicas e Produtividade Agroindustrial da Cana de-açúcar

Variáveis Meteorológicas e Produtividade Agroindustrial da Cana de-açúcar Variáveis Meteorológicas e Produtividade Agroindustrial da Cana de-açúcar Anderson R. A. Gomes*,*Pedro L. V. S. Sarmento * ; Carlos A. Diniz * ; Marcos A. L. dos Santos*; Leopoldo A. Sá*, Adriano B. Moura*,

Leia mais

Balanço Hídrico e Produtividade da Cana-de-açúcar em Cultivo de Sequeiro

Balanço Hídrico e Produtividade da Cana-de-açúcar em Cultivo de Sequeiro Balanço Hídrico e Produtividade da Cana-de-açúcar em Cultivo de Sequeiro Anderson R. A. Gomes*, Leopoldo A. Sá*, Rodollpho A. S. Lima*, Adriano B. Moura*, Fellipe J. A. Oliveira*, Artur V. V. S. Maia*,

Leia mais

PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS

PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS PRECIPITAÇÃO PLUVIAL E EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CANA-DE- AÇÚCAR NA REGIÃO DE RIO LARGO-ALAGOAS Kleyton Danilo da Silva Costa 1, Klebson Santos Brito 2, Iêdo Teodoro 3, José Dantas Neto 4 1 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

Avaliação de Elementos Agrometeorológicos e Produtividade de Cana-de-Açúcar

Avaliação de Elementos Agrometeorológicos e Produtividade de Cana-de-Açúcar Avaliação de Elementos Agrometeorológicos e Produtividade de Cana-de-Açúcar Rodollpho A. S. Lima*, Anderson R. A. Gomes*, Leopoldo A. Sá*, Klebson S. Brito*, Marlon da Silva*, Lucas A. Holanda**, Givaldo

Leia mais

CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA POR GOTEJAMENTO

CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA POR GOTEJAMENTO CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA POR GOTEJAMENTO LUCAS A. HOLANDA 1, IÊDO TEODORO 2, JOSÉ LEONALDO DE SOUZA 3, GERALDO VERÍSSIMO S. BARBOSA 2, GIVALDO DANTAS SAMPAIO

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO, CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE CANA-DE- AÇÚCAR EM ALAGOAS

BALANÇO HÍDRICO, CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE CANA-DE- AÇÚCAR EM ALAGOAS BALANÇO HÍDRICO, CRESCIMENTO E PRODUTIVIDADE DE CANA-DE- AÇÚCAR EM ALAGOAS Magno L. Abreu 1, Iêdo Teodoro 2, Guilherme B. Lyra 2, Ricardo Araújo Ferreira Junior 3, Rômulo P. Ramos 3, Givaldo Dantas Neto

Leia mais

DÉFICIT HÍDRICO, EVAPOTRANSPIRAÇÃO REAL CULTURA E PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA DA CANA-DE-AÇÚCAR.

DÉFICIT HÍDRICO, EVAPOTRANSPIRAÇÃO REAL CULTURA E PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA DA CANA-DE-AÇÚCAR. DÉFICIT HÍDRICO, EVAPOTRANSPIRAÇÃO REAL CULTURA E PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA DA CANA-DE-AÇÚCAR. celo Augusto da Silva Soares 1 ; Lekson Rodrigues Santos 2 ; Arthur Luan dias Cantarelli 3 ; Augusto César Ferreira

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ Francisco Solon Dantas Neto (1); Tarcísio Da Silveira Barra (1) Eng.º Agrº, Pós-graduação em Agrometeorologia, DEA/UFV, CEP:

Leia mais

PERFILHAMENTO INICIAL DE CINCO VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO DEFICITÁRIA PLANTADAS EM SISTEMA MPB

PERFILHAMENTO INICIAL DE CINCO VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO DEFICITÁRIA PLANTADAS EM SISTEMA MPB XLIV Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola - CONBEA 2015 Hotel Fazenda Fonte Colina Verde - São Pedro - SP 13 a 17 de setembro de 2015 PERFILHAMENTO INICIAL DE CINCO VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR

Leia mais

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Water management in organic cultivation of banana nanica PINTO, José Maria. Embrapa Semiárido, Petrolina, PE, jmpinto@cpatsa.embrapa.br; GALGARO, Marcelo.

Leia mais

1 de 5 21/10/2010 14:28 Pré-visualização do trabalho Código do trabalho 68 CRESCIMENTO DA GRAMA BERMUDA (CYNODON DACTYLON) SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO LEONARDO DE ANDRADE MOREIRA 1 ANTONIO CARLOS

Leia mais

MATÉRIA SECA, PRODUTIVIDADE E USO DA ÁGUA PELO MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO

MATÉRIA SECA, PRODUTIVIDADE E USO DA ÁGUA PELO MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO MATÉRIA SECA, PRODUTIVIDADE E USO DA ÁGUA PELO MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO Ricardo Barbosa Gomes de Morais 1 ; Lekson Rodrigues Santos 1 ; Jeferson Miguel Dias Santos 2 ; Marcelo Augusto

Leia mais

Classificação de Frutos de Melão Amarelo Goldex Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação no Período Chuvoso.

Classificação de Frutos de Melão Amarelo Goldex Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação no Período Chuvoso. Classificação de Frutos de Melão Amarelo Goldex Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação no Período Chuvoso. Maria José Tôrres Câmara 1 ; Maria Zuleide de Negreiros 1 ; José Francismar

Leia mais

REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES APPLICATION OF WATER FOR IRRIGATION OF CORN IN THE SÃO MATEUS, ES

REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES APPLICATION OF WATER FOR IRRIGATION OF CORN IN THE SÃO MATEUS, ES REQUERIMENTO DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DO MILHO NA REGIÃO SÃO MATEUS, ES R.A.Sales 1, C. Oliveira 2, C.A. Spadeto³, R.P. Posse 4 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo estimar o requerimento de irrigação

Leia mais

RESUMO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVOS

RESUMO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVOS II Congresso Brasileiro de Plantas Oleagisas, Óleos, Gorduras e Biodiesel PROBABILIDADE DA PRECIPITAÇÃO SUPRIR A EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CULTURA DA SOJA PARA SIMULAÇÕES DE SEMEADURAS EM DECÊNDIOS NA REGIÃO

Leia mais

QUALIDADE INDUSTRIAL DA CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO E PARCELAMENTO DE NITROGÊNIO

QUALIDADE INDUSTRIAL DA CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO E PARCELAMENTO DE NITROGÊNIO QUALIDADE INDUSTRIAL DA CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO E PARCELAMENTO DE NITROGÊNIO G. da C. Gouveia Neto 1 ; C. H. de A. Farias 2 ; P. D. Fernandes 3 ; J. Dantas Neto 3 ; D. A. Xavier 4 RESUMO: Objetivou-se

Leia mais

REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE (ETo) THE METHOD OF PENMAN-MONTHEITH FOR DIFFERENT ALAGOAS STATE MUNICIPALITIES

REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE (ETo) THE METHOD OF PENMAN-MONTHEITH FOR DIFFERENT ALAGOAS STATE MUNICIPALITIES ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ETo) PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTHEITH PARA DIFERENTES MUNICÍPIOS DO ESTADO DE ALAGOAS J. C. SILVA 1 ; T. F. CIRILO ; L. A. SANTOS; D. F. LIMA; D. P. dos SANTOS

Leia mais

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global

XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO Eficiência nas cadeias produtivas e o abastecimento global Fatores de correção para a evapotranspiração de referência estimada para uso no software IrrigaFácil Paulo

Leia mais

COMPARISON OF REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE METHODS (ETO) THE MUNICIPALITY OF ARACAJU- SE

COMPARISON OF REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION ESTIMATE METHODS (ETO) THE MUNICIPALITY OF ARACAJU- SE COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA O MUNICÍPIO DE ARACAJU- SE A. N. de OLIVEIRA 1, A. P. C. da SILVA 2, C.B da SILVA 2, J. C. da SILVA 2, D. P. dos SANTOS

Leia mais

ESTIMATIVA DE SUCESSO DA AGRICULTURA DEPENDENTE DE CHUVA PARA DIFERENTES ÉPOCAS DE PLANTIO: UM ESTUDO DE CASO COM O MILHO EM TRÊS MUNICIPIOS DO PIAUÍ

ESTIMATIVA DE SUCESSO DA AGRICULTURA DEPENDENTE DE CHUVA PARA DIFERENTES ÉPOCAS DE PLANTIO: UM ESTUDO DE CASO COM O MILHO EM TRÊS MUNICIPIOS DO PIAUÍ ESTIMATIVA DE SUCESSO DA AGRICULTURA DEPENDENTE DE CHUVA PARA DIFERENTES ÉPOCAS DE PLANTIO: UM ESTUDO DE CASO COM O MILHO EM TRÊS MUNICIPIOS DO PIAUÍ Everaldo Rocha Porto 1. Fernando Luís Garagorry 2.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INICIAL DO CAJUEIRO SOB DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS

DESENVOLVIMENTO INICIAL DO CAJUEIRO SOB DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS DESENVOLVIMENTO INICIAL DO CAJUEIRO SOB DIFERENTES REGIMES HÍDRICOS N. S. da Silva 1 ; K. S. Alves 1 ; F. E. P. Mousinho 2 RESUMO: Este trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento do cajueiro através

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS MÉTODOS DE EVAPOTRANSPIRAÇAO DE REFERÊNCIA (ET0) PARA A REGIÃO AGRESTE DE ALAGOAS A. P. C. da SILVA 1 ; J. C. da SILVA 2 ; R. dos SANTOS 2 ; M. A. A. dos SANTOS 2 ;D. P.

Leia mais

ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE

ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE ESTAÇÃO METEOROLÓGICA CONVENCIONAL E AUTOMÁTICA NA ESTIMATIVA DA ETO EM OURICURI PE L.S. Fraga Júnior 1 ; L. M. Vellame 2 ; L. B. Marinho 3 ; R. P. Barbosa 4 RESUMO: O objetivo do estudo foi apresentar

Leia mais

Teste de Uma Nova Estratégia de Programação de Irrigação na Cultura Milho

Teste de Uma Nova Estratégia de Programação de Irrigação na Cultura Milho Teste de Uma Nova Estratégia de Programação de Irrigação na Cultura Milho Previous Top Next MORETHSON RESENDE 1 1Embrapa milho e Sorgo. Rodovia 424, km 45 cx. postal 151 CEP 35701 Sete Lagoas, MG. Email:

Leia mais

Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE

Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE Estimativa da ETo a partir de duas estações meteorológicas em Ouricuri-PE Maria Zélia de Souza S. Queiroz 1, Lucas M. Vellame 2 ; Maria do Socorro C. de Freitas 2 ; Geysse Kalynne S. Peixoto 3 1 Bolsista

Leia mais

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS Geraldo Magela da Silva (1), Geraldo Antônio Resende Macêdo (2), Édio Luiz da Costa (3), Heloísa Mattana Saturnino (3), Fúlvio Rodriguez

Leia mais

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Thiago Henrique Carvalho de Souza

Leia mais

Evapotranspiração da Cana-de-Açúcar cv. VAT Irrigada por Gotejamento Subsuperficial no Submédio do Vale São Francisco

Evapotranspiração da Cana-de-Açúcar cv. VAT Irrigada por Gotejamento Subsuperficial no Submédio do Vale São Francisco 93 Avaliação da Dinâmica da Água no Solo, da Evapotranspiração, Estado Hídrico... Evapotranspiração da Cana-de-Açúcar cv. VAT 90-212 Irrigada por Gotejamento Subsuperficial no Submédio do Vale São Francisco

Leia mais

AVALIAÇÃO DE LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DE PIMENTÃO CULTIVADO EM AMBIENTE PROTEGIDO

AVALIAÇÃO DE LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DE PIMENTÃO CULTIVADO EM AMBIENTE PROTEGIDO AVALIAÇÃO DE LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DE PIMENTÃO CULTIVADO EM AMBIENTE PROTEGIDO M. B. BRAGA 1 ; W.A. MAROUELLI 1 ; I. M. R. GUEDES 1 ; M. CALGARO RESUMO: Este trabalho teve como objetivo determinar

Leia mais

FUNÇÃO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ ARÁBICA, CULTIVAR CATUAÍ, SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO.

FUNÇÃO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ ARÁBICA, CULTIVAR CATUAÍ, SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO. FUNÇÃO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ ARÁBICA, CULTIVAR CATUAÍ, SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO. Marcelo G. e SILVA 1 E mail: mgsilva@uenf.br, Elias F. de SOUSA 1, Salassier BERNARDO 1, Maurício C. R. GOMES 2,

Leia mais

20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM

20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM 20 PRODUTIVIDADE DE HÍBRIDOS DE MILHO EM SEGUNDA SAFRA EM DOIS NÍVEIS DE TECNOLOGIA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de híbridos de milho em segunda

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS ( ) E ( ) PARA SOBRAL NO CEARÁ

DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS ( ) E ( ) PARA SOBRAL NO CEARÁ DETERMINAÇÃO DO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO EM DUAS DECADAS DISTINTAS (1973-198) E (003-01) PARA SOBRAL NO CEARÁ Juarez Cassiano de Lima Junior¹, Antonio Gebson Pinheiro¹, Joaquim Branco de Oliveira²,

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR: COMPORTAMENTO DE VARIEDADES EM PIRACICABA, SP 0

CANA-DE-AÇÚCAR: COMPORTAMENTO DE VARIEDADES EM PIRACICABA, SP 0 CANA-DE-AÇÚCAR: COMPORTAMENTO DE VARIEDADES EM PIRACICABA, SP 0 VIRGINIO BOVIC 2,3 ), JOSÉ CIONE ( 2 ) e ANTÓNIO PEREIRA DE CAMARGO ( 2 ' 3 ) RESUMO Na Estação Experimental de Piracicaba, do Instituto

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1

ARTIGO TÉCNICO SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1 SOFTWARE PARA CÁLCULO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA DIÁRIA PELO MÉTODO DE PENMAN-MONTEITH 1 J.C.Q. MARIANO 2 ; F.B.T. HERNANDEZ 3 ; G.O. SANTOS 4, A.H.C. TEIXEIRA 5 RESUMO: Este trabalho tem como

Leia mais

Comunicado 95 Técnico

Comunicado 95 Técnico Comunicado 95 Técnico ISSN 188-682 Julho, 9 Bento Gonçalves, RS Efeito da irrigação por microaspersão nas condições microclimáticas de vinhedos Marco Antônio Fonseca Conceição 1 Introdução Em regiões tropicais

Leia mais

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO 11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO ESTÁDIO R3 DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de diferentes fontes de potássio aplicados no estádio

Leia mais

Extração de Água do Solo pelo Sorgo Submetido a Estresse Hídrico Após seu Florescimento

Extração de Água do Solo pelo Sorgo Submetido a Estresse Hídrico Após seu Florescimento Extração de Água do Solo pelo Sorgo Submetido a Estresse Hídrico Após seu Florescimento Paulo Emílio P.de Albuquerque 1, Flávio D. Tardin 1 e Fredolino G. dos Santos 1 1 Pesquisadores A, Embrapa Milho

Leia mais

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE Marcos Antônio Drumond 1, José Barbosa dos Anjos 1, Máira Milani 2, Luiz Balbino Morgado 1, e José Monteiro

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Águas residuárias, Irrigação, Cultura da cenoura e beterraba.

PALAVRAS-CHAVE: Águas residuárias, Irrigação, Cultura da cenoura e beterraba. DETERMINAÇÃO DA DEMANDA HÍDRICA DAS CULTURAS CENOURA E BETERRABA, IRRIGADAS COM ÁGUA RESIDUÁRIA EM CONDIÇÕES DE CASA DE VEGETAÇÃO EM SÃO CRISTÓVÃO-SE. ¹Bayne Ribeiro Santos Doria, ²Larissa Oliveira Gama

Leia mais

Evaporação e Transpiração

Evaporação e Transpiração Evaporação e Transpiração Capítulo XII Objetivos:. Definir evaporação, transpiração e evapotranspiração 2. Definir a evapotranspiração de referência - ETo 3. Medir e estimar a ETo 4. Definir coeficiente

Leia mais

Coeficiente de cultivo do milho nos Tabuleiros Litorâneos do Piauí. Palavras-chave: Zea mays L., evapotranspiração, lisímetro de pesagem.

Coeficiente de cultivo do milho nos Tabuleiros Litorâneos do Piauí. Palavras-chave: Zea mays L., evapotranspiração, lisímetro de pesagem. Coeficiente de cultivo do milho nos Tabuleiros Litorâneos do Piauí 1 Edson A. Bastos 1, Milton J. Cardoso 1, Antônio Guaraná Mendes 2 Aderson Soares de Andrade Júnior 1, Francisco José de Seixas Santos

Leia mais

Manejo de Água na Cultura da Videira

Manejo de Água na Cultura da Videira Manejo de Água na Cultura da Videira José Monteiro Soares Tarcizio Nascimento Introdução A Figura 1 mostra um desenho esquemático correspondente ao manejo da água de irrigação de uma área cultivada. Nesta

Leia mais

Estimativas e Desempenho de Variedades. Eng. Agr. Jose Carlos Salata

Estimativas e Desempenho de Variedades. Eng. Agr. Jose Carlos Salata Estimativas e Desempenho de Variedades Eng. Agr. Jose Carlos Salata Estimativa de Cana Identificando o Canavial Banco de Dados das Áreas (Própria/Fornecedor) Fazenda Lote Talhão Área Estágio Variedade

Leia mais

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada

Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada São Mateus, ES 02 de setembro de 2016 Otimização do Uso da Água na Agricultura Irrigada Prof. Ds. Robson Bonomo Programa de Pós-graduação em Agricultura Tropical Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas

Leia mais

PERFILHAMENTO EM CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES MANEJOS HÍDRICOS SUGARCANE TILLERING UNDER DIFFERENT WATER MANAGEMENTS

PERFILHAMENTO EM CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES MANEJOS HÍDRICOS SUGARCANE TILLERING UNDER DIFFERENT WATER MANAGEMENTS PERFILHAMENTO EM CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES MANEJOS HÍDRICOS SUGARCANE TILLERING UNDER DIFFERENT WATER MANAGEMENTS Resumo Rodrigo Vezzani Franzé (1) João Vitor Tezori (2) André Luiz Pinto Queiroz (3)

Leia mais

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS E FORMA DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO CAFEEIRO

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS E FORMA DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO CAFEEIRO INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS E FORMA DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO CAFEEIRO 1 VALDINEY J. SILVA 1, HUDSON P. CARVALHO 2 e CLÁUDIO R. SILVA 3 1 Mestrando em Agronomia, Instituto de Ciências

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES REPOSIÇÕES HÍDRICAS E NITROGÊNIO EM CANA-PLANTA E CANA-SOCA

CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES REPOSIÇÕES HÍDRICAS E NITROGÊNIO EM CANA-PLANTA E CANA-SOCA CANA-DE-AÇÚCAR SOB DIFERENTES REPOSIÇÕES HÍDRICAS E NITROGÊNIO EM CANA-PLANTA E CANA-SOCA ANTONIO EVAMI CAVALCANTE SOUSA 1, NELMÍCIO FURTADO DA SILVA 2, FERNANDO NOBRE CUNHA 2, VITOR MARQUES VIDAL 2, MARCONI

Leia mais

Coeficientes de cultura e evapotranspiração da cultura do alho irrigado

Coeficientes de cultura e evapotranspiração da cultura do alho irrigado Coeficientes de cultura e evapotranspiração da cultura do alho irrigado Márcio José de Santana, Bruno Phelipe M. da Cunha Resende, Othon Carlos da Cruz, Amanda Letícia da Silveira Eng. Agrônomo, Dr. Engenharia

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.)

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.) EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTURA PARA DIFERENTES FASES DE DESENVOLVIMENTO DA CEBOLA (Allium cepa L.) GERTRUDES M. DE OLIVEIRA 1, IRAI M. S. SANTOS 2, REGIANE DE C. BISPO 2, CAIO B. DE A. LIMA

Leia mais

MELHORAMENTO DA CANA-DE-AÇÚCAR. II. EXPERIMENTOS REGIONAIS COM CLONES OBTIDOS EM 1964( 1 )

MELHORAMENTO DA CANA-DE-AÇÚCAR. II. EXPERIMENTOS REGIONAIS COM CLONES OBTIDOS EM 1964( 1 ) MELHORAMENTO DA CANA-DE-AÇÚCAR. II. EXPERIMENTOS REGIONAIS COM CLONES OBTIDOS EM 1964( 1 ) ANTONIO LAZZARINI SEGALLA, RAPHAEL ALVAREZ, HÉLCIO DE OLIVEIRA, Seção de Cana-de-Açúcar, TOSHIO IGUE, Seção de

Leia mais

COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO

COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO COEFICIENTES DE CULTURA PARA O ALHO IRRIGADO RESENDE, B.P.M.C. 1 ; SANTANA, M.J. de 2 ; SILVEIRA, A.L. da 3 ; TAVARES, W.A. 1 ; BARRETO, A.C. 2 ; CRUZ, O.C. 2 1 Estudante de Tecnologia de Irrigação e Drenagem

Leia mais

Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação de Regimes Hídricos no Potencial Hídrico Foliar da Cultura da Melancia

Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação de Regimes Hídricos no Potencial Hídrico Foliar da Cultura da Melancia Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação de Regimes Hídricos no Potencial Hídrico Foliar da Cultura da Melancia Edilson R. Gomes, Ramilos R. Brito, Raimundo N. F. Monteiro UNESP - Universidade Estadual

Leia mais

METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE CANA-DE-AÇÚCAR

METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE CANA-DE-AÇÚCAR UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA MELHORAMENTO GENÉTICO DE PLANTAS METODOLOGIA PARA SELEÇÃO DE FAMÍLIAS RB DA SÉRIE 07 NAS FASES INICIAIS DO MELHORAMENTO DE

Leia mais

DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A. Eng. Agr. Sergio M. Selegato

DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A. Eng. Agr. Sergio M. Selegato DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A Eng. Agr. Sergio M. Selegato Localização - Unidades Climático II Média Anual: 1.594,6 mm Climático III Média Anual: 1.315,2 mm Climático II

Leia mais

VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1

VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1 VARIAÇÃO DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA CALCULADA EM DIFERENTES INTERVALOS DE TEMPO ÁLVARO J. BACK 1 RESUMO: Valores de evapotranspiração de referência foram calculados em intervalos de um, cinco,

Leia mais

Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas

Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013. Belo Horizonte Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas Miquéias Gomes dos

Leia mais

XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo

XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo EDUCAR para PRESERVAR el suelo y conservar la vida en La Tierra Cusco Perú, del 9 al 15 de Noviembre del 2014 Centro de Convenciones

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO *

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BARRETO, A.C. 2 * Projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Leia mais

Irrigação do cajueiro. Fábio Rodrigues de Miranda

Irrigação do cajueiro. Fábio Rodrigues de Miranda Capítulo 4 Irrigação do cajueiro Fábio Rodrigues de Miranda Resumo: A irrigação do cajueiro-anão-precoce promove o aumento da produção e a melhoria da qualidade dos frutos. É uma prática economicamente

Leia mais

Dr. Estêvão Vicari Mellis

Dr. Estêvão Vicari Mellis Dr. Estêvão Vicari Mellis http://www.unica.com.br/dadoscotacao/estatistica/ SÃO PAULO 5 milhões de ha SOUTH AMERICA 664 milhões de t 8 milhões de ha BRAZIL 60% Produtividade Média 80 t/ha Intensiva Novas

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTIVO DA BANANA COM USO DE MODELO DE BALANÇO DE ENERGIA METRIC

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTIVO DA BANANA COM USO DE MODELO DE BALANÇO DE ENERGIA METRIC EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTIVO DA BANANA COM USO DE MODELO DE BALANÇO DE ENERGIA METRIC C. W. Oliveira 1 ; J. A. de Sá 2 ; V. de P. R. Silva 2 ; S. C. Costa 3 RESUMO: No manejo da água, no

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTES DE CULTIVO DO GIRASSOL IRRIGADO EM APODI, RN

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTES DE CULTIVO DO GIRASSOL IRRIGADO EM APODI, RN EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTES DE CULTIVO DO GIRASSOL IRRIGADO EM APODI, RN R. M. Maniçoba 1 ; J. Espínola Sobrinho 2 ; J. F. de Medeiros 2 ; E. G. Cavalcante Junior 3 ; T. K. de Melo 3 ; R. L. C. Nunes

Leia mais

MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO

MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO MÉTODOS DE ESTIMATIVA DIÁRIA DO DÉFICIT DE PRESSÃO DE SATURAÇÃO DO AR NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO ESTADO DE PERNAMBUCO M. T. Silva 1 ; H. A. de Almeida 2 ; D. L. de Araújo 3 ; A. de S. Santos 4 RESUMO: Com

Leia mais

Avaliação dos parâmetros dos colmos da cana-de-açúcar, segunda folha, submetida a níveis de irrigação e adubação

Avaliação dos parâmetros dos colmos da cana-de-açúcar, segunda folha, submetida a níveis de irrigação e adubação REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 5- Número 1-1º Semestre 2005 Avaliação dos parâmetros dos colmos da cana-de-açúcar, segunda folha, submetida a níveis de irrigação e adubação

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR: ANÁLISE BIOMÉTRICA DE CULTIVARES, ANO AGRÍCOLA 2012/2013. SUGARCANE: CULTIVARS BIOMETRIC ANALYSIS, CROP SEASON 2012/2013.

CANA-DE-AÇÚCAR: ANÁLISE BIOMÉTRICA DE CULTIVARES, ANO AGRÍCOLA 2012/2013. SUGARCANE: CULTIVARS BIOMETRIC ANALYSIS, CROP SEASON 2012/2013. CANA-DE-AÇÚCAR: ANÁLISE BIOMÉTRICA DE CULTIVARES, ANO AGRÍCOLA 202/203. SUGARCANE: CULTIVARS BIOMETRIC ANALYSIS, CROP SEASON 202/203. Maiara Paula de Oliveira () Kaio César Ragghianti (2) Bruno Fernandes

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO MELOEIRO CANTALOUPE

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO MELOEIRO CANTALOUPE INFLUÊNCIA DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO DO MELOEIRO CANTALOUPE J. N. da Silva 1 ; J. P. de Figueredo 2 ; L. F. de Figueredo 3 ; T. H. da Silva 2 ; R.Andrade 4 RESUMO: O melão é uma

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO MÉTODO DE KC DUAL (FAO-56) PARA A CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA POR GOTEJAMENTO

ADAPTAÇÃO DO MÉTODO DE KC DUAL (FAO-56) PARA A CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA POR GOTEJAMENTO Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.27, n.2, p.87-93, 202. ISSN - 00-756X - DOI: http://dx.doi.org/0.2722/00-756x.v27n02a02 ADAPTAÇÃO DO MÉTODO

Leia mais

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL Adeliano Cargnin 1, João Augusto Müller 1, Fernando Daminelli Araújo Mello 1, Cláudia Martellet Fogaça 1 ( 1 Embrapa

Leia mais

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹

Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ Uso da cama de Peru na substituição parcial ou total da adubação química na cultura da soja¹ L.C.Dias², W.S. Rezende³, M. R. Carbalial 4, L. A. Silva 5 Resumo Com o objetivo de se avaliar o efeito de produção

Leia mais

ART-01/12. COMO CALCULAMOS A EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ETo)

ART-01/12. COMO CALCULAMOS A EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA (ETo) Os métodos de estimativa da evapotranspiração estão divididos em métodos diretos, por meio do balanço de água no solo e pelos métodos indiretos, por meio do uso de dados meteorológicos. Os métodos diretos

Leia mais

MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA

MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA MÉTODOS DE MANEJO DA IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DA ALFACE AMERICANA VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BIULCHI, P.A. 2 ; VASCONCELOS, R.F. 3 1 Estudante de Agronomia do CEFET Uberaba MG, bolsista FAPEMIG, e-mail:

Leia mais

Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem

Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Fundamentos de Hidrologia, Irrigação e Drenagem Apresentação da Disciplina Também disponível

Leia mais

ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR. Uso de Variedades na Usina Jalles Machado. Rogério Bremm Gerente Corporativo

ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR. Uso de Variedades na Usina Jalles Machado. Rogério Bremm Gerente Corporativo ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR Uso de Variedades na Usina Jalles Machado Rogério Bremm Gerente Corporativo Localização PRECIPITAÇÃO (mm) Caracterização da Empresa Descrição 2010/2011

Leia mais

Coeficientes de cultura da cenoura nas condições edafoclimáticas 1

Coeficientes de cultura da cenoura nas condições edafoclimáticas 1 8 Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.7, n., p.8-8, Campina Grande, PB, DEAg/UFCG - http://www.agriambi.com.br Coeficientes de cultura da cenoura nas condições edafoclimáticas do Alto

Leia mais

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil Pedrosa, R. M. B.; Santos, J. S.; Albuqueruqe, W. G.; Farias, C. H. A.; Azevedo,

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1

BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1 BALANÇO HÍDRICO DA REGIÃO DE ILHA SOLTEIRA, NOROESTE PAULISTA 1 J.O. DAMIÃO 2 ; F. B. T. HERNANDEZ 3 ; G. O. SANTOS 4 ; J.L. ZOCOLER 5 RESUMO: O balanço hídrico é de grande importância para o planejamento,

Leia mais

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Ceres ISSN: 0034-737X ceresonline@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Pimenta de Figueiredo, Flávio; Gonçalves Oliveira, Flávio; Toledo Pereira, Marlon Cristian EFEITOS DE DIFERENTES LÂMINAS

Leia mais

COEFICIENTE DE CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA SUBSUPERFICIALMENTE EM LISÍMETRO DE DRENAGEM NO ESTADO DE GOIÁS. Apresentado no

COEFICIENTE DE CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA SUBSUPERFICIALMENTE EM LISÍMETRO DE DRENAGEM NO ESTADO DE GOIÁS. Apresentado no COEFICIENTE DE CULTIVO DA CANA-DE-AÇÚCAR IRRIGADA SUBSUPERFICIALMENTE EM LISÍMETRO DE DRENAGEM NO ESTADO DE GOIÁS 1 Gabriel G. G. Cardoso; 2 Romenig Marcos Oliveira Domingos 1 Tecgo. em Irrigação e Drenagem,

Leia mais

Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água

Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água Modelagem Hidro-Econômica na Bacia do Araguari para avaliação do impacto da produção de canade-açúcar e biocombustíveis no valor econômico da água PROF. GUILHERME FERNANDES MARQUES, PHD GUILHERME.MARQUES@UFRGS.BR

Leia mais

Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca

Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca Caracterização Climática do Sítio-Específico de Janaúba para a Fenotipagem de Cereais Visando Estudos de Tolerância à Seca Paulo E. P. de Albuquerque 1, Reinaldo L. Gomide 1, Camilo de L. T. de Andrade

Leia mais

14 AVALIAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES NA

14 AVALIAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES NA 14 AVALIAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES NA CULTURA DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar a eficácia dos herbicidas Boral, Classic, e Spider visando o manejo do complexo

Leia mais

SIMULAÇÃO DA PRODUTIVIDADE, EM UM MODELO APLICADO AO PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE IRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO CAFEEIRO 1

SIMULAÇÃO DA PRODUTIVIDADE, EM UM MODELO APLICADO AO PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE IRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO CAFEEIRO 1 SIMULAÇÃO DA PRODUTIVIDADE, EM UM MODELO APLICADO AO PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE IRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO CAFEEIRO 1 Jorge Luiz Moretti de Souza 2, José Antônio Frizzone 3 RESUMO: As funções de produção

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO

EFEITO DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EFEITO DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO NO CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO Adilson Rodrigues Soares 1 ; Everardo Chartuni Mantovani 2 ; Antônio Alves Soares 3 ; Maurício Bernardes Coelho 4 ; Alemar

Leia mais

Potencial produtivo da cana-de-açúcar sob irrigação por gotejamento em função de variedades e ciclos

Potencial produtivo da cana-de-açúcar sob irrigação por gotejamento em função de variedades e ciclos Potencial produtivo da cana-de-açúcar sob irrigação por gotejamento em função de variedades e ciclos Marcelo de A. Silva 1, Marcel T. Arantes 2, Andressa F. de L. Rhein 3, Glauber J. C. Gava 4 & Oriel

Leia mais

A Informação Agrometeorológica e o Manejo de Irrigação na Cultura da Videira

A Informação Agrometeorológica e o Manejo de Irrigação na Cultura da Videira A Informação Agrometeorológica e o Manejo de Irrigação na Cultura da Videira Magna Soelma Beserra de Moura Introdução O paradigma da agricultura x globalização sugere que o setor agrícola seja cada vez

Leia mais

ANALYSIS OF PRODUCTIVE PARAMETERS IN BANANA "PRATA CATARINA" ON THE CONDITIONS OF EDAPHOCLIMATIC THE CHAPADA DO APODI -CE

ANALYSIS OF PRODUCTIVE PARAMETERS IN BANANA PRATA CATARINA ON THE CONDITIONS OF EDAPHOCLIMATIC THE CHAPADA DO APODI -CE ANÁLISE DE PARAMETROS PRODUTIVOS NA BANANEIRA PRATA CATARINA SOBRE AS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DA CHAPADA DO APODÍ -CE F. K. K. Silva (IC)¹;L. F. Sousa (IC)² ; V. A. S. Lino (IC) 3 ; S. C. Costa (PQ)

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA UTILIZANDO A EQUAÇÃO DE PENMAN- MONTEITH COM DIFERENTES METODOLOGIAS PARA O CÁLCULO DA TEMPERATURA MÉDIA DIÁRIA DO AR

EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA UTILIZANDO A EQUAÇÃO DE PENMAN- MONTEITH COM DIFERENTES METODOLOGIAS PARA O CÁLCULO DA TEMPERATURA MÉDIA DIÁRIA DO AR 5 Agropecuária Técnica v. 31, n. 1, 010 ISSN 0100-7467 Areia, PB CCA-UFPB EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA UTILIZANDO A EQUAÇÃO DE PENMAN- MONTEITH COM DIFERENTES METODOLOGIAS PARA O CÁLCULO DA TEMPERATURA

Leia mais

Classificação de Frutos Melão Cantaloupe Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação.

Classificação de Frutos Melão Cantaloupe Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação. Classificação de Frutos Melão Cantaloupe Cultivado em Diferentes Coberturas do Solo e Lâminas de Irrigação. Saint Clair Lira Santos 1 ; José Francismar de Medeiros 1 ; Maria Zuleide de Negreiros 1 ; Maria

Leia mais

RESPOSTAS TÉCNICO-ECONÔMICAS DA CANA-DE- AÇÚCAR A NÍVEIS DE IRRIGAÇÃO E ADUBAÇÃO NITROGENADA

RESPOSTAS TÉCNICO-ECONÔMICAS DA CANA-DE- AÇÚCAR A NÍVEIS DE IRRIGAÇÃO E ADUBAÇÃO NITROGENADA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA RESPOSTAS TÉCNICO-ECONÔMICAS

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE Kc DE MELÃO E MELANCIA UTILIZANDO OS SOFTWARES SingleKcSIM E DualKcSIM

DETERMINAÇÃO DE Kc DE MELÃO E MELANCIA UTILIZANDO OS SOFTWARES SingleKcSIM E DualKcSIM DETERMINAÇÃO DE Kc DE MELÃO E MELANCIA UTILIZANDO OS SOFTWARES SingleKcSIM E DualKcSIM Andre Herman Freire Bezerra 1 ; Sérgio Luiz Aguilar Levien 2 ; Tayd Dayvison Custódio Peixoto 3 1 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN.

BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN. BALANÇO HÍDRICO CLIMÁTICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA A CIDADE DE SÃO PAULO DO POTENGI - RN Josenildo Teixeira da Silva, José Américo Souza Grilo Junior, Milton Bezerra do Vale, Pedro Vieira de Azevedo

Leia mais

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTIVO DA BANANEIRA CV. PACOVAN APODI NO TERCEIRO CICLO DE PRODUÇÃO

EVAPOTRANSPIRAÇÃO E COEFICIENTE DE CULTIVO DA BANANEIRA CV. PACOVAN APODI NO TERCEIRO CICLO DE PRODUÇÃO 23 Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.4, n.1, p.23 30, 2010 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br Protocolo 023.09 11/09/2009 Aprovado em 01/02/2010 EVAPOTRANSPIRAÇÃO

Leia mais

ESTIMATIVA DO BALANÇO DE RADIAÇÃO PARA O PERÍMETRO IRRIGADO DA RIBEIRA, ITABAIANA-SE.

ESTIMATIVA DO BALANÇO DE RADIAÇÃO PARA O PERÍMETRO IRRIGADO DA RIBEIRA, ITABAIANA-SE. ESTIMATIVA DO BALANÇO DE ADIAÇÃO PAA O PEÍMETO IIGADO DA IBEIA, ITABAIANA-SE. Tâmara ebecca Albuquerque de Oliveira (1), Iasmine Louise de Almeida Dantas (1), Gregorio Guirado Faccioli (2), Inajá Francisco

Leia mais

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1

COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Página 1650 COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE MAMONA (Ricinus communis L.), EM BAIXA ALTITUDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 1 Marcelo Abdon Lira 1 ; Máira Milani 2 ; Hélio Wilson Lemos de Carvalho 3 ; João

Leia mais

MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA

MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA MODELO DE HARGREAVES-SAMANI AJUSTADO AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA Anderson A.R. Santos 1, Rafael C. Delgado 2, Evaldo de P. Lima

Leia mais

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO Liv Soares Severino 1 ; João Luís da Silva Filho 1 ; João Batista dos Santos 2 ; Arnaldo Rocha de Alencar 1. (1)Embrapa Algodão: e-mail liv@cnpa.embrapa.br

Leia mais

Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio.

Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio. Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio. Geraldo M. de Resende; Nivaldo D. Costa Embrapa - Semi-Árido, C. Postal 23, 56302.970 Petrolina - PE. E-mail: gmilanez@ufla.br RESUMO

Leia mais

CURVA DE DEMANDA PELA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DE CANA-DE- AÇÚCAR

CURVA DE DEMANDA PELA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DE CANA-DE- AÇÚCAR CURVA DE DEMANDA PELA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO DE CANA-DE- AÇÚCAR Valmir de Albuquerque Pedrosa 1 RESUMO Este artigo detalha um método para a construção da curva de demanda pela água para irrigação de cana-de-açúcar.

Leia mais