ACTA Nº. 1 - A. Assembleia Ordinária de Condóminos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACTA Nº. 1 - A. Assembleia Ordinária de Condóminos"

Transcrição

1 ACTA Nº. 1 - A Assembleia Ordinária de Condóminos Aos dezasseis dias do mês de Março de dois mil e doze, pelas vinte e uma horas, reuniram-se em primeira convocatória, do prédio urbano constituído em regime de propriedade horizontal, sito na Rua Manuel Teixeira Gomes, 55, em Carnaxide, para a realização de uma Assembleia previamente convocada pela actual administração, com a seguinte ordem de trabalhos: Apresentação, discussão e votação das contas do exercício de 2011; Apresentação, discussão e votação do orçamento ordinário para o ano 2012; Discussão e formas a adoptar para o pagamento das dividas antigas ao condomínio até ao 1º semestre de Também deverão ser analisadas as dívidas do 2º semestre que alguns condóminos estão a acumular Nomeação do futuro administrador residente, ou continuação do actual por mais um ano, configurando o processo antigo de nomeação automática de dois administradores no próximo exercício Segurança do prédio e obras urgentes em diversos equipamentos Discussão e tomada de acções a adoptar relativamente à utilização não autorizada e ilegal das arrecadações das fracções para fins comerciais Outros assuntos de interesse geral Estiveram presentes na reunião, os condóminos proprietários ou representados por procuração das fracções que constam e assinaram a lista de presenças anexa à presente acta Esteve igualmente presente a Senhora Ana Isabel Mateus Gomes, representante da empresa, Ineditatitude, Lda., com sede na Rua de Moçambique Bloco 11 2º D, Cascais Cascais, que exerceu a função de secretária da mesa da assembleia, e o Sr. Victor Trindade que exerceu a função de presidente da assembleia. Verificado que todos os condicionalismos e imperativos legais estavam cumpridos, estando presentes 780/1000 do capital total do condomínio, informou que a assembleia poderia aprovar validamente por maioria qualificada 2/3 dos condóminos presentes, pelo que declarou a sessão aberta O administrador em exercício o Sr. Victor Trindade proprietário da fracção do 3ºE, antes de dar inicio à ordem de trabalhos da convocatória, fez um balanço do trabalho efectuado e das dificuldade sentidas pela administração, em conseguir apurar os valores em divida por partes dos condóminos, evidenciou que os valores apurados tiveram por base a documentação existente (relatórios) e os extractos bancários, o resultado obtido foi o mapa (dividas acumuladas até ao 1º semestre de 2011), já entregue e do conhecimento de todos os condóminos Referiu que as quotizações do 1º semestre de 2012, não tinham sido liquidadas por 50% do condóminos, reforçou que o pagamento era necessário e fundamental para que o condomínio fizesse face as despesas correntes e necessárias para uma gestão eficaz do condomínio Página: 1/100

2 Apresentou a nova empresa que irá em 2012, efectuar a administração do condomínio, a Ineditátitude, empresa essa, que tinha sido recomendada, referiu que na acta anterior tinha ficado registado que a empresa a recrutar era a Loja do Condomínio, no entanto e como a ligação anterior não tinha sido positiva, analisadas as propostas solicitadas, a escolha recaiu na Ineditátitude, representada nesta assembleia pela Sra. Ana Isabel Gomes A administração tinha feito um levantamento das necessidades emergentes, concretamente: --- Reparação da rede de incêndios; Relativamente ao serviço de limpeza referiu que não pagou o subsídio de férias e natal e que este era um assunto a ser tratado nesta assembleia; O quadro eléctrico do edifício estava constantemente aberto e que se deveria de colocar uma chave para que fosse apenas aberto em caso de necessidade; Reparação das campainhas existentes apenas para as fracções habitacionais; Tendo perguntado se alguém pretendia usar da palavra, antes de se passar à discussão dos mesmos, o condómino do 1º D usou da palavra, referindo que quando adquiriu a sua casa, a primeira coisa que tinha feito, foi apresentar-se à administração, colocando para o efeito uma carta na caixa de correio, e que nunca obteve resposta, no entanto, tinha falado com um Sr. que se tinha apresentado como administrador do condomínio, que ainda não estava presente na assembleia, e que este lhe tinha dito que relativamente à utilização da arrecadação para outros fins, não havia problema dado que a D. Alice, antiga proprietária também o tinha feito, o presidente da assembleia perguntou ao Sr. Paulo Ferreira, se esse assunto podia ser tratado no ponto 7 da convocatória, tendo este concordado O presidente da assembleia perguntou se mais alguém pretendia usar da palavra, antes de se passar à discussão dos pontos da convocatória, ninguém o quis fazer, pelo que se passou de imediato aos respectivos pontos Ponto um Apresentação, discussão e votação das contas do exercício de 2011; Apresentadas as contas abaixo discriminadas: Ano de 2011 ( Balancete do 1º Semestre) Saldo transitado de ,80 Descrição Rreceitas Despesas Pagamentos de condóminos Renda Casa Porteira ( 6x 375, ) 2.250,00 Limpeza de escadas ( 6x 135, ) 810,00 Materiais de Limpeza 159,00 Água 32,22 Eléctricidade 1.721,30 Elevadores Gestão do Condomínio Página: 2/100

3 Materiais de manutenção geral Diversos Economato Pequenas obras 71,00 Eléctricista Saldos 2.250, ,52 543,52 Saldo a transitar para 2011 (2º Semestre ) ,28 Saldo Bancário real no extracto ,64 Valor a depositar pelo Sr. Pereira 96,64 Saldo correcto, final ,28 Falta pagar Junho à D. Fernanda 135,00 Saldo a transitar para 2011 (2º Semestre ) ,28 Ano de 2011 (Balancete do 2º Semestre) Saldo transitado d0 1ºSemestre ,64 Descrição Rreceitas Despesas Pagamentos de condóminos 2.155,95 Renda Casa Porteira ( 6x 375, ) 2.250,00 ( Movimentos a dinheiro) Limpeza de escadas ( 6x 135, ) 810,00 ( Movimentos a dinheiro) Materiais de Limpeza Depósito do Sr.Pereira 96,64 Água 42,02 Eléctricídade Quadro Geral 1.214,88 Casa da Porteira 336,67 Casa da Bomba 151,51 Elevadores 4.361,28 Gestão do Condomínio Materiais de manutenção geral Reparação tubagem de entrada prédio 250,00 Diversos Economato Pequenas obras 350,55 Electricista Saldos 4.502, , ,32 Saldo a transitar para ,32 Saldo Bancário real no extracto 9.368,32 Valor pago Sr. Castanheira 1º Semestre ,55 Saldo correcto, final 9.128,77 Falta pagar Dezembro à D. Fernanda 135,00 Saldo a transitar para 2011 (2º Semestre ) 8.993,77 Página: 3/100

4 Ano de 2011 Saldo transitado de ,80 Descrição Receitas Despesas Pagamentos de condóminos 2.155,95 Renda Casa Porteira ( 12x 375, ) 4.500,00 ( Movimentos a dinheiro) Limpeza de escadas ( 12x 135, ) 1.620,00 ( Movimentos a dinheiro) Materiais de Limpeza 159,00 Depósito do Sr.Pereira 96,64 Água 74,24 Electricidade 3.424,36 Elevadores 4.361,28 Gestão do Condomínio Materiais de manutenção geral Reparação tubagem de entrada prédio 250,00 Diversos Economato Pequenas obras 421,55 Electricista Saldos 6.655, , ,48 Saldo a transitar para 2011 (2º Semestre ) 9.234,32 Saldo Bancário real no extracto 9.368,32 Valor pago Sr. Castanheira 1º Semestre ,55 Saldo correcto, final 9.128,77 Falta pagar Junho à D. Fernanda 135,00 Saldo a transitado para ,77 As contas foram entregues e analisadas por todos condóminos presentes, bem como o extracto bancário à data do relatório ( ), e o extracto bancário à data da assembleia, apresentado como fonte de confirmação dos valores apresentados O presidente da assembleia perguntou aos presentes se tinham alguma questão a colocar relativamente as contas apresentadas do 1º semestre e 2º semestre de 2011, tendo o condómino do 8º DTO o Sr. Rui Vasquez, usado da palavra para solicitar esclarecimentos sobre a rubrica de electricidade, onde consta a existência de 3 contadores: quadro geral, casa da porteira e da casa da bomba, tendo perguntado, se era o condomínio que suportava o valor da electricidade da casa da porteira Página: 4/100

5 O presidente da assembleia pediu ao Sr. Manuel Pereira, condómino do 8º Esq. para esclarecer uma vez, que estava a pare da situação, este explicou que o valor da electricidade era suportado pelo condomínio Foi unânime que o condomínio não deve suportar o valor da electricidade da casa da porteira, e que este valor deve ser suportado pelos arrendatários O condómino do 1ºD o Sr. Paulo Ferreira, perguntou o que estava abrangido pelo contador - quadro geral, e pelo contador casa da bomba, tendo sido esclarecido que o quadro geral era as luzes da entrada, patamares, elevadores e arrecadações e o contador da casa da bomba servia o sistema de incêndio O Condómino do 3º D Sr. Armando, questionou o valor elevado apresentado na rubrica de elevadores, tendo sido explicado pela administração, que foi feito o pagamento de facturas em atraso, tendo o proprietário do 1º E o Sr. José Carlos Costa referido que tinha sido feita uma reparação no elevador Em suma: O presidente da assembleia informou que a 31 de Dezembro de 2011: Saldo Bancário da conta à ordem era de: 9.368, Saldo bancário da conta poupança era de : 2.488, Saldo a transitar para 2012 é de : 8.993, O presidente da assembleia colocou a votação o relatório de contas de 2011, tendo este sido aprovado por unanimidade Ponto dois Apresentação, discussão e votação do orçamento ordinário para o ano Foi apresentado o seguinte orçamento: Custos Fixos C/IVA Efectivo Desvio Administração do Condomínio # 1.328,40 Limpeza 1.620, ,00 Contrato dos Elevadores # 978,46 979,00 Totais 2.598, ,40 Total Final Custos Estimados Manutenção dos elevadores (Peças) # 629,76 350,00 Manutenção e Pequenas Reparações 250,00 100,00 Reparações Estruturais Porta de Entrada Principal # 2.950,00 Sistema de Iluminação da Entrada # 162,00 Campainhas e Códigos de Acesso # 856,00 Página: 5/100

6 Materiais de Limpeza 159,00 159,00 Economato + Fotocópias # 50,00 Correio com resgistos # 18,14 Lampadas e outros # 50,00 Electricidade Quadro Geral # 2.658, ,81 Contador Casa da Porteira # 507,39 593,65 Contador da Bomba (Sistema de incêndios) # 258,16 302,05 SMAS Casa da Porteira Sala de Reuniões (água para limpezas) # 74,24 100,00 Totais 7.135, ,04 Previsão de Receitas Antigas Efectivo Desvio Quotizações Antigas Anteriores a º Semestre ,73 Quotização de º Semestre 1.959,96 Quotização º + 2º Semestre 8.710,92 Total Final Totais , , ,92 O presidente da assembleia explicou o orçamento previsional para 2012, tendo referido que já se encontrava reflectido, o valor dos orçamentos solicitados para reparações estruturais, nomeadamente: Porta de entrada principal Sistema de iluminação da entrada Campainhas e códigos de acesso Sendo que estes itens serão debatidos no ponto 5 da convocatória Após explicação de todas as rubricas, deu a palavra aos condóminos, tendo o condómino do 3ºD Sr. Armando referido que se deveria retirar do orçamento previsional para 2012, o valor das reparações estruturais, uma vez que o orçamento previsional só deve contemplar as despesas correntes e não despesas extraordinárias como as referidas Após troca de impressões, o presidente da assembleia colocou a votação esta alteração proposta, pelo 3º. D, tendo esta sido aprovada por unanimidade O condómino do 8º D, o Sr. Rui Vasquez usou da palavra, para referir que uma vez que o valor da electricidade da casa da porteira, vai ser suportado pelos arrendatários, este valor devia ser transferido para outra rubrica Página: 6/100

7 Colocado a votação a alteração proposta foi aprovado por unanimidade que o valor de 593,65 fosse transferido para a rubrica de manutenção e pequenas reparações A secretária da assembleia mencionou que a empresa que representava não cobrava despesas de economato e fotocópias, assim sendo, este valor deveria de ser retirado ou então reforçar outra rubrica O condómino do 2º D o Sr. José Carvalho, propôs que este valor fosse canalizado para rubrica de lâmpadas e outros O presidente da assembleia colocou a votação a proposta do 2ºD, tendo esta sido aprovado por unanimidade da transferência deste valor para a rubrica lâmpadas e outros O presidente da assembleia solicitou à secretária que apresenta-se em acta o novo orçamento com as alterações agora aprovadas O condómino do 6º D, o Sr. José Jorge referiu que se o condomínio coloca-se sensores o consumo de electricidade diminuía em cerca de 60% Orçamento de 2012 com as alterações efectuadas: CUSTOS FIXOS C/IVA Administração do Condomínio # 1.328,40 Limpeza 1.620, ,00 Contrato dos Elevadores # 978,46 979,00 Totais 2.598, ,40 CUSTOS ESTIMADOS Manutenção dos elevadores (Peças) # 629,76 350,00 Manutenção e Pequenas Reparações 250,00 693,65 Materiais de Limpeza 159,00 159,00 Correio com registos # 18,14 Lâmpadas e outros # 100,00 Electricidade Quadro Geral # 2.658, ,81 Contador da Bomba (Sistema de incêndios) # 258,16 302,05 SMAS Casa da Porteira 0,00 Sala de Reuniões (água para limpezas) # 74,24 100,00 Totais 6.628, ,10 PREVISÃO DE RECEITAS Antigas Quotizações Antigas Anteriores a º Semestre ,73 Quotização de º Semestre 1.959,96 Quotização º + 2º Semestre 8.710,92 Receita Casa da Porteira 5.093,65 Totais , , ,57 Página: 7/100

8 Colocado a votação o orçamento previsional para 2012, este foi aprovado por unanimidade reflectindo todas as alterações aprovadas anteriormente O presidente da assembleia levou à mesa as previsões de receitas para O condómino do 3º D, o Sr. Armando, usou da palavra para referir que faltava reflectir no mapa o valor da receita da casa da porteira Foi unânime que esse valor devia constar no orçamento de receitas, tendo sido solicitado que o mapa fosse alterado e deveria ser apresentado em acta já com o novo valor Colocado a votação o orçamento de receitas para 2012, este foi aprovado por unanimidade Ponto três Discussão e formas a adoptar para o pagamento das dividas antigas ao condomínio até ao 1º semestre de Também deverão ser analisadas as dívidas do 2º semestre que alguns condóminos estão a acumular O presidente da assembleia informou que a administração oportunamente entregou o mapa de dívidas antigas até ao final do 1º semestre de Referiu ainda, que o 9º D tinha sido recentemente adquirido tendo ficado com uma divida de 1.123,97. Relativamente ao 2º semestre de 2011, o valor das dívidas vai ser acumulado ao mapa de dívidas até ao 1º semestre de E o total de dívidas acumuladas é de aproximadamente de 63 mil euros Reforçou as razões do atraso dos pagamentos, pelo facto de se ter entregue a administração a uma empresa, que não cumpriu e criou uma situação de descontrolo de contas, e por esse e outros motivos, todos deixaram de pagar até ser apurado o valor correcto, a comissão/administração após análise de relatórios anteriores e dos extractos bancários tinha apurado os valores constantes no mapa O que deve ser feito? º Reconhecer a divida º Como pagar e que acções se devem tomar caso haja fracções em incumprimento Finalizou a sua exposição, referindo, que se todos pagarem, facilitava a actuação da administração O presidente da assembleia passou a palavra aos presentes: O condómino do 3º D, o Sr. Armando Banha usou da palavra, explicando que o princípio de uma administração não é ter fins lucrativos, e existindo actualmente um saldo positivo de cerca de 8 mil euros, mais a receita da casa da porteira, com o pagamento das quotizações acumulada/atrasadas de cerca de 63 mil euros, pergunta quem vai administrar e para onde vai o dinheiro. Não concorda, assim com o pagamento dos valores em atraso Propõe que caso optem por pagar esse valor reverta a favor dos condóminos O condómino do 1º E o Sr. José Carlos Costa, acha que se devia de pagar, e que as verbas deviam ser utilizadas em beneficio do prédio, como exemplo, mencionou a porta de entrada e elevadores O condómino do 2º D, o Sr. José Carvalho, aceita o que for aprovado pela assembleia Página: 8/100

9 O condómino do 3º E, o Sr. Victor Trindade, aceita o que for aprovado pela assembleia e propõe o pagamento do valor acumulado em 6 prestações O condómino do 5º D, a Sra. Alice Rosado, aceita o que for aprovado pela assembleia e concorda com a proposta do 3º E, o pagamento em 6 prestações O condómino do 5º E, o Sr. Fernando Castanheira tem tudo pago O condómino 8º E o Sr. Manuel Pereira propõe o pagamento em Julho Os condóminos do 6º D, 6º E e o 7º D, concordam com a proposta do 4º E, pagamento em 6 prestações O condómino do 7º D, o Sr. José Marcelino, pergunta se as quotas que já não estão dentro da validade, vão ser pagas O condómino do 7º E, o Sr. Joaquim Teodoro, paga a divida numa só vez O Condómino do 8º D, o Sr. Rui Vasquez, concorda com o pagamento em 6 vezes e que deve ser afixado periodicamente o mapa de pagamentos O Condómino do 9º D, o Sr. Ricardo Rosa, quer saber o valor real da sua divida, apesar de ter adquirido a fracção já com dívidas existentes, assume o pagamento das mesmas e aceita o fraccionamento das dívidas por 6 meses O presidente da assembleia colocou a votação o pagamento das dividas acumuladas em 6 prestações com inicio em Maio de Votos Contra: 3º D, 1º E, 5º D, 7ºD Votos a Favor: 1º D, 2º. D, 2º E, 3º E, 4º E, 5º E, 6º D, 6º E, 6º D, 7º E, 8º D, 8º. E. 9º D. 9º E -- Foi aprovado por unanimidade o pagamento das dívidas acumuladas em 6 prestações a partir de Maio de A administração ficou mandatada para agir judicialmente caso existam fracções em incumprimento Dividas Acumuladas: Fracção 1 D A fracção a 01 de Agosto de 2011 tinha o valor de 4.486,15 (quatro mil quatrocentos e oitenta e seis euros e quinze cêntimos) de quotas em atraso O atual proprietário da fracção em assembleia, informou que tinha adquirido a casa em Agosto de 2011, e que o pagamento deveria ser efetuado pelo anterior proprietário o Sr. Miguel Rodrigues Mateus Perdigão da Silva. A assembleia deliberou que caso o anterior proprietário fracção não efectua-se o pagamento, e a situação de incumprimento prevalece-se por mais 3 meses, que a administração deveria avançar para uma acção judicial com advogado, e juros de mora dos presentes montantes ao Sr. Miguel Rodrigues Mateus Perdigão da Silva Fracção 1 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.965,22 (quatro mil novecentos e sessenta e cinco euros e vinte e dois cêntimos) de quotas em atraso Página: 9/100

10 Fracção 2 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.702,35 (quatro mil setecentos e dois euros e trinta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 2 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.311,90 (quatro mil trezentos e onze euros e noventa cêntimos) de quotas em atraso Fracção 3 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.072,35 (quatro mil setenta e dois euros e trinta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 3 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.072,35 (quatro mil setenta e dois euros e trinta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Página: 10/100

11 Fracção 4 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 3.353,70 (três mil trezentos e cinquenta e três euros e setenta cêntimos) de quotas em atraso Fracção 4 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 3.114,15 (três mil cento e catorze euros e quinze cêntimos) de quotas em atraso Fracção 5 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 3.114,15 (três mil cento e catorze euros e quinze cêntimos) de quotas em atraso Fracção 5 E Página: 11/100

12 A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 239,55 (duzentos e trinta e nove euros cinquenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 6 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 5.988,75 (cinco mil novecentos e oitenta e oito euros e setenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 6 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 3.113,65 (três mil cento e treze euros e sessenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 7 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.311,90 (quatro mil trezentos e onze euros e noventa cêntimos) de quotas em atraso Página: 12/100

13 Fracção 7 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 3.593,75 (três mil quinhentos e noventa e três e sessenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 8 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.072,35 (quatro mil e setenta e dois euros e trinta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 8 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 1.197,75 (mil cento e noventa e sete euros e setenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Fracção 9 D A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 4.072,35 (quatro mil e setenta e dois euros e trinta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Página: 13/100

14 Fracção 9 E A fracção a 31 de dezembro de 2011 tinha o valor de 2.635,55 (dois mil seiscentos e trinta e cinco euros e cinquenta e cinco cêntimos) de quotas em atraso Ponto quatro Nomeação do futuro administrador residente, ou continuação do actual por mais um ano, configurando o processo antigo de nomeação automática de dois administradores no próximo exercício Foi nomeado por unanimidade como administrador externo, a empresa Ineditatitude Lda., com o NIPC nº , com sede na Rua de Moçambique bloco 11 2º D em Cascais. Para todos os devidos efeitos legais, a empresa Ineditatitude Lda., será representada pela Gestora Ana Isabel Mateus Gomes portadora do cartão do cidadão Nº Poderá a mesma representar o condomínio perante todas as autoridades administrativas e judiciais nomeadamente Câmaras Municipais, Juntas de Freguesias, Conservatórias do Registo Comercial e Predial, Repartições de Finanças, Julgados de Paz, Tribunais, instituições bancárias Foi eleito por unanimidade para administradores residentes, os condóminos: O Sr. Victor Trindade proprietário do 3º E, portador do cartão do cidadão nº , e o Sr. Joaquim Teodoro proprietário 7º E, portador do cartão do cidadão nº , As contas bancárias são movimentadas pelos administradores residentes Sr. Victor Trindade, o Sr. Joaquim Teodoro, através de cheque A conta bancária obriga sempre a duas assinaturas, as dos administradores residentes Ponto cinco Segurança do prédio e obras urgentes em diversos equipamentos O presidente da assembleia informou os presentes que tinha pedido orçamentos para: Reparação da porta de entrada principal Elevadores Sistema de Incêndios Campainhas e códigos de acesso Sistema de iluminação da entrada Reparação da porta principal O presidente da assembleia apresentou um desenho (ver anexo), da porta onde contempla a colocação de 20 caixas de correio e informou que a porta ficava com a largura idêntica a porta de entrada de uma fracção Página: 14/100

15 Campainhas e códigos de acesso O presidente da assembleia apresentou um orçamento para colocação de 19 campainhas com código de acesso na betoneira da porta de entrada do condomínio A assembleia trocou impressões e uma vez que estas obras eram para a segurança do condomínio deveria ser colocado também vídeo porteiro Sistema de iluminação da entrada O presidente da assembleia informou os presentes que se devia verificar/reparar o sistema de iluminação da entrada do edifício As obras referidas anteriormente foram consideradas prioritárias e urgentes O presidente da assembleia colocou a votação a realização das obras, tendo estas, sido aprovadas por unanimidade e que a sua realização devia de ser imediata Quanto ao elevador, sistema de incêndios e pintura do edifício foi deliberado a criação de uma comissão de acompanhamento para os elevadores que devem apresentar em assembleia o estudo e análise feita das várias soluções/propostas A comissão é composta por: O Sr. Joaquim Teodoro 7º. E O Sr. Victor Trindade 3º E O Sr. Armando banha 3º D O Sr. Ulisses Magno 2º E A assembleia solicitou que a administração agora eleita, tenha em consideração o seguinte: Gás ver a possibilidade de alteração da empresa fornecedora e quando deve ser efectuada a inspecção Ver a situação da coluna de electricidade do condomínio Bomba de incêndios deve ser substituída pela colocação de extintores no condomínio Ponto seis Discussão e tomada de acções a adoptar relativamente à utilização não autorizada e ilegal das arrecadações das fracções para fins comerciais O presidente da assembleia referiu que as arrecadações estavam a ser utilizadas para fins comercias, e que essa prática era ilegal, pelo que nesta assembleia teria que ser decidido o que fazer com a situação O presidente da assembleia passou a palavra ao Sr. Paulo Ferreira do 1º D, que informou que quando adquiriu a fracção do 1º E, a arrecadação, já era anteriormente utilizada para fins comercias, e que considerou uma mais-valia, sabe que não é legal, no entanto frisou que era prática anterior Reforçou o anteriormente dito, que quando chegou ou condomínio tinha feito uma carta à administração e nunca obteve resposta Cruzou-se com um condómino, perguntou-lhe quem era a administração do condomínio este respondeu que era ele, o Sr. Ulisses mais outras duas pessoas, o Sr. Paulo Ferreira, perguntou-lhe se existia algum problema no arrendamento da arrecadação, tendo este Página: 15/100

16 respondido que a arrecadação sempre esteve arrendada desde o tempo da D. Alice, que podia arrendar e na próxima assembleia seria debatido Mais informou, que o contrato que tem é legal com a duração de 5 anos e está registado nas finanças, e que tem clausulas que obrigatoriamente terão que ser cumpridas, caso contrário terá que pagar indemnizações Frisou que o que fosse decidido em assembleia seria da sua parte cumprido Após explicação, foi dada a palavra aos restantes condóminos para se pronunciarem O condómino do 3º D, o Sr. Armando passou a palavra O condómino do 1º E, referiu que ele também já tinha utilizado a sua arrecadação para outros fins, nomeadamente para escritório, quando adquiriu a casa a sua filha vivia na arrecadação. -- Não se sente lesado, não vê qualquer problema em esta, estar arrendada, o SPA não lhe causa qualquer transtorno, não se opõe, é certo que existe um precedente a D. Alice sempre arrendou o espaço, e agora o Sr. do 1º E está a ser lesado O Condómino do 9º D, referiu que não se sente lesado, se é uma questão de segurança como foi proposto um sistema de videoporteiro, ultrapassava-se essa questão O condómino do 1º D, esclareceu que o SPA funcionava apenas com marcação e aproveitou para referir que existiam outras ilegalidades no condomínio nomeadamente a casa da porteira. O condómino do 5º D, é contra por questões de segurança O condómino do 8º D, referiu que o título constitutivo do condomínio não permite a utilização das arrecadações para fins comerciais e também por uma questão de segurança, é contra O condómino do 7º D, referiu também que era contra por questões e segurança e há entrada e saída de muitas pessoas do edifício O condómino do 6º D, faz das suas palavras, as do 7º D O condómino do 2º D, usou da palavra e referiu que também ele tinha sido candidato a comprar a fracção do 1º E, que na altura lhe foi aliciada como escritório, por mero acaso encontrou o Sr. do 8º D, que o informou que no título constitutivo, esta estava destinada a arrecadação O condómina do 6º E, referiu que apesar do SPA trabalhar por marcações e à porta fechada, era contra, uma vez que legalmente não deve ser utilizado para fins comerciais O condómino do 3º E, a questão do arrendamento da arrecadação tem vindo a arrastar-se desde o tempo da D. Alice, como tantas outras situações (quotas), é uma questão de segurança, e para que esta, seja legal tem que ter a autorização da assembleia. È contra e que todos tinham o mesmo direito de fazer, o que quiserem com as suas arrecadações O condómino do 1º E, usou da palavra por achar que estávamos a extrapolar a questão da segurança, roubo, e referiu que o que aconteceu no condomínio não foi por estar ali um SPA. O condómino do 1º D, questionou se a casa da porteira pode ser alugada, está legal? Referiu também que as arrecadações também estão a ser utilizadas para outros fins e que já por duas vezes, foi avisar alguém que estava a ouvir musica às 2 da manhã numa arrecadação, e o barulho era incomodativo para quem estava a descansar O condómino do 2º D, propôs que administração devia de verificar qual a melhor forma de acabar com o arrendamento e encerrar o contrato Página: 16/100

17 O condómino do 1º D, informou os presentes que acaba com o uso ilegal da sua arrecadação no entanto tem um contrato celebrado, e no mínimo tem que dar dois anos Colocado, a votação foi aprovado que o 1º D, tem que acabar com contrato de arrendamento da arrecadação e enviar uma carta à administração até 31 de Março de 2012, informando quais as condições contratuais acordadas com o arrendatário e quando é que este vai ser encerrado Ponto sete Outros assuntos de interesse geral Foi aprovado que a administração agora eleita deveria de verificar qual a possibilidade de colocar fibra óptica no condomínio Foi levado à assembleia a situação do pagamento do subsídio de natal e o subsídio de férias à Sra. da Limpeza, o Sr. Victor, informou que não o tinha pago em 2011, porque não achava correcto, nem estava no contrato de prestação de serviços celebrado com o condomínio nada que referisse que se deveria pagar o subsídio de natal e férias, no entanto todos os administradores anteriores o tinha feito Após manifestada a sua opinião e troca de impressões entre os presentes foi colocado a votação o pagamento dos subsídios a Sra. da Limpeza tendo votado a favor: 8º E, 5ºE, 2ºE, 2ºD, 7ºE, 8ºD, 7ºD e o 6ºD, abstiveram-se: 9º D, 6ºE, 1º D e 5D, votos contra: 3ºE Foi aprovado por unanimidade o pagamento mensal de 157,50 correspondendo à seguinte formula 135 * 14 /12, a Sra. da limpeza Quanto ao contrato existente é legal, era melhor manter o existente não levantado problemas, onde não existem e poderão vir a existir Casa da porteira Foi levado a assembleia a situação da casa da porteira que não existia um contrato legal, que os arrendatários eram pessoas de bem e sempre honram com os seus compromissos Foi colocado a votação a celebração de um contrato de arrendamento, foi aprovado por unanimidade a legalização da casa da porteira A secretária da assembleia perguntou se não existia seguro do condomínio tendo sido informada que não Solicitou a todos que entregassem uma cópia do seu seguro à administração A administração ficou de apresentar na próxima assembleia de condóminos uma proposta de seguro colectivo e outra proposta só para partes comuns A condómina do 6ºE a Sra. Maria de Fátima Dias usou da palavra para louvar a comissão executiva, pelo trabalho que tiveram, pelo levantamento exaustivo das contas do condomínio, pelo número de horas despendidas em prol do condomínio, e na sua opinião, devia de ficar em acta uma menção de louvor pelo trabalho desempenhado Página: 17/100

18 Foi aprovado por unanimidade a colocação de uma menção de louvor à administração/comissão Os condóminos do condomínio Rua Manuel Teixeira Gomes nº. 55, louvam a administração cessante da forma competente e empenhada como exerceu as suas funções Nada mais havendo a tratar e ninguém mais tendo manifestado a intenção de usar da palavra, foi a presente reunião encerrada, pelas 02h20 do dia 17 de Março de 2012 e para constar se lavrou a presente acta que vai ser assinada por todos os condóminos presentes, sendo posteriormente enviada cópia aos ausentes por meio de carta registada Página: 18/100

ATA Nº Apresentação de contas do ano 2015;

ATA Nº Apresentação de contas do ano 2015; ATA Nº 13 Ao terceiro dia do mês de Fevereiro do ano de 2016, pelas 20 horas e 15 minutos, reuniram em Assembleia ordinária, os condóminos do prédio em regime de propriedade horizontal sito na Av. Abraão

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CÂMARA DE LOBOS

CÂMARA MUNICIPAL DE CÂMARA DE LOBOS ---------------------------- ACTA NÚMERO 24/2004---------------------------- Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, realizada em vinte e cinco de Novembro de dois mil e quatro. --- Aos

Leia mais

(R ) 1 FREGUESIA DE FAZENDAS DE ALMEIRIM ACTA NÚMERO NOVENTA E NOVE DE DOIS MIL E NOVE

(R ) 1 FREGUESIA DE FAZENDAS DE ALMEIRIM ACTA NÚMERO NOVENTA E NOVE DE DOIS MIL E NOVE (R.2009.12.11) 1 FREGUESIA DE FAZENDAS DE ALMEIRIM --------ACTA NÚMERO NOVENTA E NOVE DE DOIS MIL E NOVE--------- --------Aos onze dias do mês de Novembro do ano de dois mil e nove, pelas dezanove horas,

Leia mais

ACTA Nº.28/2005 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA REALIZADA NO DIA 12 DE DEZEMBRO DE 2005

ACTA Nº.28/2005 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA REALIZADA NO DIA 12 DE DEZEMBRO DE 2005 ACTA Nº.28/2005 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BORBA REALIZADA NO DIA 12 DE DEZEMBRO DE 2005 Aos doze dias do mês de Dezembro do ano de dois mil e cinco, no Salão Nobre dos Paços do Município,

Leia mais

CÂMARA MU ICIPAL COVILHÃ

CÂMARA MU ICIPAL COVILHÃ CÂMARA MU ICIPAL DA COVILHÃ TEXTO DEFINITIVO DA ACTA Nº 18/07 Da reunião extraordinária realizada no dia 27 de Novembro de 2007, iniciada às 09:10 horas e concluída às 09:30 horas. Sumário: Abertura Aprovação

Leia mais

*************************************

************************************* CONTRATO Contrato nº: 228/2014 Ajuste Directo nº : 5410215/2014 Fornecimento de: Perfluoron Octane 100% Frs 5 Ml Firma: Optifar Importação e Exportação, Ld.ª Valor contratual: 17.327,50 (dezassete mil

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL COVILHÃ

CÂMARA MUNICIPAL COVILHÃ CÂMARA MUNICIPAL DA COVILHÃ TEXTO DEFINITIVO DA ACTA Nº 3-A/0 Da reunião extraordinária realizada no dia 2 de Novembro de 200, iniciada às 09:20 horas e concluída às 09:2 horas. Sumário: Abertura Aprovação

Leia mais

01 PAGAMENTOS DO MÊS ------ O Conselho de Administração deliberou aprovar as seguintes propostas de pagamento: ---------------

01 PAGAMENTOS DO MÊS ------ O Conselho de Administração deliberou aprovar as seguintes propostas de pagamento: --------------- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA EMPRESA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO HABISOLVIS REALIZADA NO DIA VINTE E SETE DO MÊS DE JUNHO DE DOIS MIL E TREZE. ------ Aos vinte e sete dias do mês de junho de dois mil e treze,

Leia mais

ASSUNTO: ARRENDAMENTO FRAÇÃO NA RUA RODRIGUES SAMPAIO

ASSUNTO: ARRENDAMENTO FRAÇÃO NA RUA RODRIGUES SAMPAIO CIRCULAR Nº 110/2012 (SA) RF/MS/RC Lisboa, 15 de Novembro de 2012 ASSUNTO: ARRENDAMENTO FRAÇÃO NA RUA RODRIGUES SAMPAIO Caro Associado, Como é do V/ conhecimento a APAVT é proprietária de uma fração sita

Leia mais

Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia Quarto Juízo Cível Processo Especial de Insolvência n.º /11.0 TYVNG

Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia Quarto Juízo Cível Processo Especial de Insolvência n.º /11.0 TYVNG Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia Quarto Juízo Cível Processo Especial de Insolvência n.º 1. 157/11.0 TYVNG AUTO DE ARROLAMENTO, APREENSÃO E INVENTÁRIO DE BENS ------Aos dezasseis dias do mês de Julho

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MAFRA CONTRATO N. 12/2015 REFORÇO DO ESPORÃO DA PRAIA DO SUL - ERICEIRA

CÂMARA MUNICIPAL DE MAFRA CONTRATO N. 12/2015 REFORÇO DO ESPORÃO DA PRAIA DO SUL - ERICEIRA Aos dez dias do mês de Março do ano dois mil e quinze, no edifício dos Paços do Município de Mafra, perante mim, Ana Maria Ferreira Loureiro Pereira Viana Taborda Barata, Licenciada em Direito, Directora

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A. ( Companhia ) convida seus

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOBAÇA

MUNICÍPIO DE ALCOBAÇA ------18/14 FORNECIMENTO DE FERRO -------------------------------------------------------- ------Aos trinta dias do mês de Maio de dois mil e catorze, no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Câmara Municipal

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ. Ata nº. 1 / 2014

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ. Ata nº. 1 / 2014 ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE REQUEIXO, NOSSA SENHORA DE FÁTIMA E NARIZ Ata nº. 1 / 2014 Ata da reunião da Assembleia de Freguesia de Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz, concelho e distrito de Aveiro,

Leia mais

M U N I C Í P I O D E C Â M A R A D E L O B O S C Â M A R A M U N I C I P A L

M U N I C Í P I O D E C Â M A R A D E L O B O S C Â M A R A M U N I C I P A L 75 54 M U N I C Í P I O D E C Â M A R A D E L O B O S ---------------------------- ACTA NÚMERO 24/2011 --------------------------- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CÂMARA DE LOBOS REALIZADA

Leia mais

Artigo 1.º. Artigo 2.º

Artigo 1.º. Artigo 2.º REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL, DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DO CONSELHO FISCAL DA PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA (PPA) Artigo 1.º 1. A eleição da Mesa da Assembleia Geral,

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS MINUTA DA ATA NR.8/2014 MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE ABRIL DO ANO DE DOIS MIL E QUINZE ---------------------------------------------------------------------- ---------

Leia mais

Contrato n.º 12/2015. É celebrado o presente contrato que se regerá pelo disposto nas cláusulas seguintes: Cláusula 1ª. Objeto do Contrato

Contrato n.º 12/2015. É celebrado o presente contrato que se regerá pelo disposto nas cláusulas seguintes: Cláusula 1ª. Objeto do Contrato CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA AS ATIVIDADES PRÁTICAS DOS ALUNOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE JOVENS DE PANIFICAÇÃO E PASTELARIA E DO CURSO PROFISSIONAL DE RESTAURAÇÃO DO AGRUPAMENTO

Leia mais

2. Os terrenos rústicos e a sua base de licitação, a que corresponde a 12,00 (doze euros) por hectare e por ano, são os seguintes:

2. Os terrenos rústicos e a sua base de licitação, a que corresponde a 12,00 (doze euros) por hectare e por ano, são os seguintes: Hasta pública (apresentação de proposta em carta fechada) para arrendamento rural agrícola de terrenos rústicos das Freguesias de Beirã, Santa Maria de Marvão, Santo António das Areias e São Salvador da

Leia mais

CÂMAR4 MUNICIPAL DE MAFRA

CÂMAR4 MUNICIPAL DE MAFRA CÂMAR4 MUNICIPAL DE MAFRA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE PREPARAÇÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DE REFEIÇÕES (ALMOÇOS E LANCHES) Aos quinze dias do mês de Dezembro do ano dois mil e catorze, no edifício dos Paços do Município

Leia mais

----- CONTRATO N.º 2-EOP/ EMPREITADA DE ARRANJO URBANÍSTICO DAS RUAS CENTRAIS E

----- CONTRATO N.º 2-EOP/ EMPREITADA DE ARRANJO URBANÍSTICO DAS RUAS CENTRAIS E ----- CONTRATO N.º 2-EOP/2011 ----------------------------------- ----- EMPREITADA DE ARRANJO URBANÍSTICO DAS RUAS CENTRAIS E ADJACENTES DA VILA DE CARREGAL DO SAL. -------------------------- ----- EUROS:

Leia mais

Reunião de 28/10/2009

Reunião de 28/10/2009 ACTA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO EXECUTIVO MUNICIPAL DE VILA DO PORTO, REALIZADA NO DIA 28 DE OUTUBRO DE 2009, APÓS A TOMADA DE POSSE OCORRIDA A 23 DE OUTUBRO E COM A COMPOSIÇÃO RESULTANTE DAS ELEIÇÕES DE 11

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO

CONTRATO DE FORNECIMENTO 1 CÂMARA MUNICIPAL MINUTA DE CONTRATO DE FORNECIMENTO Proc. n.º 22/2014-DPO/SP RECOLHA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, LIMPEZA URBANA E LAVAGEM, DESINFEÇÃO E MANUTENÇÃO DE CONTENTORES, NO MUNICÍPIO

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

CONCESSÃO DO PRÉDIO URBANO NA RUA DO ARNADO - COIMBRA TERMOS DE REFERÊNCIA

CONCESSÃO DO PRÉDIO URBANO NA RUA DO ARNADO - COIMBRA TERMOS DE REFERÊNCIA CONCESSÃO DO PRÉDIO URBANO NA RUA DO ARNADO - COIMBRA TERMOS DE REFERÊNCIA 1 TERMOS DE REFERÊNCIA REGRAS DO PROCEDIMENTO Artigo 1.º Finalidade Destinam-se os presentes TERMOS DE REFERÊNCIA a regular o

Leia mais

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas,

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas, ODONTOPREV S.A. Proposta de Destinação do Lucro Líquido do Exercício - Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a ser realizada em 25/03/2010 (art. 9º da Instrução CVM 481/2009) Senhores Acionistas,

Leia mais

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 39 000 000 euros Capital Próprio: (75.593.000) euros aprovado em Assembleia Geral de 28 de Setembro de 2012 Sede Social: Estádio

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA, REALIZADA EM 29 DE ABRIL DE 2010 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada às 10:00 (dez) horas

Leia mais

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM

BRF S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ / NIRE CVM 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: Realizada virtualmente no dia 29 do mês de junho de 2015, às 18h00min, conforme faculta o Parágrafo Segundo do Artigo 17 do Estatuto Social. 2. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MAFRA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, NA MODALIDADE DE AVENÇA

CÂMARA MUNICIPAL DE MAFRA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, NA MODALIDADE DE AVENÇA CÂMARA MUNICIPAL DE MAFRA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, NA MODALIDADE DE AVENÇA Entre o Município de Malta, pessoa colectiva n. 502 177 080, sediado na Praça do Município, 2644-001 Mafra, representado

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM Acta nº. 17/2010 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM 16.08.2010 LOCAL: ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

ACTA N.º

ACTA N.º -------------------------------------------------- ACTA N.º 1 ---------------------------------------------------- -----Aos dezanove dias do mês de Janeiro do ano de dois mil e seis, pelas quinze horas,

Leia mais

FREGUESIA DE ALVORNINHA

FREGUESIA DE ALVORNINHA 72 Aos seis dias do mês de dezembro do ano de dois mil e doze, nesta Freguesia de Alvorninha e edifício da Junta de Freguesia, compareceram os Senhores: Presidente Virgílio Leal dos Santos, Secretário

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE (MANDATO 2013-2017)

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE (MANDATO 2013-2017) (MANDATO 20132017) ATA DA QUARTA REUNIÃO DE 2014 Aos treze dias do mês de fevereiro do ano dois mil e catorze, pelas dez horas, em cumprimento de convocatória emanada nos termos do disposto no n.º 3 do

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

Neves Lopes, -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Neves Lopes, ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Livro 86 Folha ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS (2009-2013), DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CARREGAL DO SAL, REALIZADA NO DIA 26 DE ABRIL DO ANO DE 2012: ----------------------------------------------------------------

Leia mais

MINUTA DA ACTA n.º 19/2011

MINUTA DA ACTA n.º 19/2011 MINUTA DA ACTA n.º 19/2011 Minuta da Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, realizada no dia 16 DE AGOSTO DE 2011. Aos dezasseis dias do mês de Agosto de 2011, em

Leia mais

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta)

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta) FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF 00.924.429/0001-75 NIRE 313001187-9 (Companhia Aberta) ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 11 DE OUTUBRO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada

Leia mais

Cláusula Segunda Prazo O prazo para execução do presente contrato é 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias a contra da data da consignação.

Cláusula Segunda Prazo O prazo para execução do presente contrato é 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias a contra da data da consignação. CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRA PÚBLICA Nº 135/2016 0103/DOM/DEM/15 REPARAÇÕES DIVERSAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL EM ESCOLAS E JARDINS DE INFÂNCIA DO MUNICÍPIO DE OEIRAS Entre: Município de Oeiras, Pessoa Colectiva

Leia mais

Acta da Primeira Reunião da Assembleia de Freguesia de Enxames, realizada no dia 30 de Outubro de 2009.

Acta da Primeira Reunião da Assembleia de Freguesia de Enxames, realizada no dia 30 de Outubro de 2009. Acta da Primeira Reunião da Assembleia de Freguesia de Enxames, realizada no dia 30 de Outubro de 2009. ACTA DA PRIMEIRA REUNIÃO DE FUNCIONAMENTO DA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES MANDATO DE 2009/2013

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA ATA DE ABERTURA DO PROCESSO LICITATÓRIO MODALIDADE CARTA CONVITE Nº 5/2011 Aos onze dias do mês de outubro do ano de dois mil e onze, às dez, na sala de reuniões do Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa),

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO ENTRE: CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO Ida e Volta Portugal, Lda., com sede em Rua do Forte, pessoa colectiva número XXX, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o mesmo número,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO CAPITULO I ARTIGO 1.º (Denominação, natureza, sede e âmbito) 1. A Associação adopta a designação de Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros. 2. É uma

Leia mais

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei: Estima a Receita e fixa a Despesa do Município de Belém, para o exercício de 2016. O PREFEITO MUNICIPAL DE BELÉM, Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DE BELÉM estatui e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VILA FLOR PREÂMBULO A Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, diploma que estabelece, entre outros, o regime jurídico das autarquias locais, veio atribuir, no

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA Sociedade Comercial Orey Antunes, SA. (Sociedade Aberta) Sede: Rua dos Remolares, n.º 14, freguesia de São Paulo, concelho de Lisboa Capital Social: 10.000.000,00 (dez milhões

Leia mais

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE TRINTA DE SETEMBRO DE DOIS MIL E CATORZE NUMERO CINCO

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE TRINTA DE SETEMBRO DE DOIS MIL E CATORZE NUMERO CINCO ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE TRINTA DE SETEMBRO DE DOIS MIL E CATORZE NUMERO CINCO Aos trinta dias do mês de Setembro do ano de dois mil e catorze, pelas vinte e uma horas e trinta minutos, reuniu, na seda

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO PARA HABITAÇÃO COM PRAZO CERTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO PARA HABITAÇÃO COM PRAZO CERTO CONTRATO DE ARRENDAMENTO PARA HABITAÇÃO COM PRAZO CERTO Entre: Primeira Outorgante: [nome],[estado civil], residente[ ], titular do Cartão de Cidadão nº [ ]emitido pela República Portuguesa e válido até

Leia mais

Prestando Contas. Filiado à FASUBRA PRESTANDO CONTAS SINTUFES - BALANÇO PATRIMONIAL

Prestando Contas. Filiado à FASUBRA PRESTANDO CONTAS SINTUFES - BALANÇO PATRIMONIAL Prestando Contas JORNAL DO SINTUFES www.sintufes.org.br 1 INFORMATIVO ESPECIAL DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA UFES BALANÇO PATRIMONIAL 2014 - EDIÇÃO Nº 161 - MARÇO/ABRIL 2015 SINTUFES Filiado à FASUBRA

Leia mais

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015

LEI Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015 Orçamento do Estado 2016 Governo do Estado de São Paulo LEI Nº 16.083, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015 Orça a Receita e fixa a Despesa do Estado para o exercício de 2016. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO. Acta Assembleia Geral

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO. Acta Assembleia Geral SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO Acta Assembleia Geral ---- Aos dezassete dias do mês de Fevereiro do ano dois mil e doze, reuniu a Assembleia Geral da Santa Casa das Lajes do Pico, no auditório

Leia mais

2015/2016. Portefólio

2015/2016. Portefólio 2015/2016 Portefólio http://condosolutions.pt/ geral@condosolutions.pt 231 205 542 914 664 986 0 De JOAQUIM ANTÓNIO SERRANO DOS SANTOS JURISTA PORTEFÓLIO Apresentação... 2 1. Administração ou gestão...

Leia mais

CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PÚBLICAS. (Contrato n.36/2014) Obras de Reparação no Edifício da Casa de Artes e Cultura do Tejo

CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PÚBLICAS. (Contrato n.36/2014) Obras de Reparação no Edifício da Casa de Artes e Cultura do Tejo MUNICÍPIO DE VILA VELHA DE RÓDÃO CÂiv1A1~A. 1S IUNICIPAL CONTRATO DE EMPREITADA DE OBRAS PÚBLICAS (Contrato n.36/2014) Obras de Reparação no Edifício da Casa de Artes e Cultura do Tejo No dia quatro de

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo

Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo REDE SOCIAL Conselho Local de Ação Social de Figueira de Castelo Rodrigo Regulamento Interno [9/04/2014] REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO

Leia mais

---- SESSÃO EXTRAORDINÁRIA NÚMERO CINCO ACTA NÚMERO DOZE

---- SESSÃO EXTRAORDINÁRIA NÚMERO CINCO ACTA NÚMERO DOZE ---- SESSÃO EXTRAORDINÁRIA NÚMERO CINCO.--------- ---- ACTA NÚMERO DOZE.--------------------------- ---- Aos trinta dias do mês de Novembro do ano de dois mil e quatro, nesta Vila de Estarreja e Salão

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA NACIONAL ACTA NÚMERO 11/XI/1.ª SL

COMISSÃO DE DEFESA NACIONAL ACTA NÚMERO 11/XI/1.ª SL COMISSÃO DE DEFESA NACIONAL ACTA NÚMERO 11/XI/1.ª SL Aos nove dias do mês de Fevereiro de dois mil e dez, pelas catorze horas e trinta minutos, reuniu a Comissão de Defesa Nacional (CDN), na sala cinco

Leia mais

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

CONTRATO DE ARRENDAMENTO CONTRATO DE ARRENDAMENTO Entre os abaixo assinados: PRIMEIRO(S) OUTORGANTE(S) - e marido/mulher casados no regime de, ele natural da freguesia de, concelho de, ela natural da freguesia de concelho de residentes

Leia mais

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA.

VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. VAA VISTA ALEGRE ATLANTIS, SGPS SA. Sociedade aberta Sede: Lugar da Vista Alegre, 3830-292 Ílhavo Matriculada na C.R.C. de Ílhavo - NIPC: 500.978.654 Capital social: 92.507.861,92 Euros -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta

Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta Invest Tur Brasil Desenvolvimento Imobiliário Turístico S.A. CNPJ nº 08.723.106/000125 NIRE 35.300.340.540 Companhia Aberta Ata da Assembléia Geral de Debenturistas da 1ª Emissão de Debêntures da Invest

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CÂMARA MUNICIPAL DE OURO BRANCO MG EXERCÍCIO DE 2014 DIRETRIZES CONTÁBEIS Tendo em vista as inovações da Contabilidade no Setor Público, o Poder Legislativo

Leia mais

Contratos de Desenvolvimento e Contrato Simples

Contratos de Desenvolvimento e Contrato Simples Contratos de Desenvolvimento e Contrato Simples Exmos. Encarregados de Educação, (Documento Explicativo) O presente documento, tem por objetivo esclarecer algumas dúvidas que eventualmente possam ter relativamente

Leia mais

E D I T A L AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO

E D I T A L AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO E D I T A L HORTÊNSIA DOS ANJOS CHEGADO MENINO, Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, faz saber, através do presente Edital, que nos termos do nº. 1, do artº. 56º. da Lei nº. 75/2013, de 12

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia Introdução Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012,

Leia mais

AN-------- Aos sete dias do mês de Fevereiro do ano de dois mil e onze, reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila

AN-------- Aos sete dias do mês de Fevereiro do ano de dois mil e onze, reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila AN-------- Aos sete dias do mês de Fevereiro do ano de dois mil e onze, reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e

Leia mais

Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia

Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia Processo de insolvência n.º 380/12.5 TYVNG 1º Juízo Insolvente: COOPERATIVA DE CONSTRUÇÃO REALIDADE, C.R.L. Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia AUTO DE RECEPÇÃO E ABERTURA DE PROPOSTAS ------No seguimento

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. ( Companhia ), COMUNICA aos seus acionistas

Leia mais

ESTATUTOS. Secção de Pediatria Ambulatória. da Sociedade Portuguesa de Pediatria

ESTATUTOS. Secção de Pediatria Ambulatória. da Sociedade Portuguesa de Pediatria ESTATUTOS Secção de Pediatria Ambulatória da Sociedade Portuguesa de Pediatria Braga 2009 Artigo 1º Designação Secção de Pediatria Ambulatória da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPA-SPP). Artigo 2º

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PRIMEIRA OUTORGANTE: Caixa Geral de Depósitos, S.A., pessoa colectiva n.º ,

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PRIMEIRA OUTORGANTE: Caixa Geral de Depósitos, S.A., pessoa colectiva n.º , CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA (Lote - UL ) ENTRE: PRIMEIRA OUTORGANTE: Caixa Geral de Depósitos, S.A., pessoa colectiva n.º 500960046, com sede na Av. João XXI, n.º 63, em Lisboa, com o capital social

Leia mais

APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS

APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS FORMULÁRIO DE CANDIDATURA I. Apoio à recuperação habitacional 1ª Candidatura Recandidatura POR FAVOR LEIA ATENTAMENTE O FORMULÁRIO DE

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA 1 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA ACTA Nº 19/2002 - JULHO --- DATA DA REUNIÃO: Vinte e três de Julho de dois mil e dois.----------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala das

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº / Companhia Aberta

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº / Companhia Aberta BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 Companhia Aberta ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, REALIZADA EM 27 DE FEVEREIRO DE 2008. 1. Data, Hora e Local: No dia 27 de fevereiro

Leia mais

Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto

Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 24 DE MARÇO DE 2015 Prolagos S.A. Concessionária de Serviços

Leia mais

DAF/ID Ata da reunião ordinária de 23 de Novembro de /13

DAF/ID Ata da reunião ordinária de 23 de Novembro de /13 ATA N.º 22 - REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA EM VINTE E TRÊS DE NOVEMBRO DE DOIS MIL E ONZE Aos vinte e três dias do mês de Novembro, do ano dois mil e onze, nesta Vila de Vieira do Minho, no Edifício dos

Leia mais

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes:

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes: CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS DE PRODUÇÃO DE DOCUMENTO DE DESIGN E ACOMPANHAMENTO DE PRODUÇÃO DE JOGO ESTRATÉGICO PARA A REDE DE CASTELOS E MURALHAS DO MONDEGO Valor: 34.000,00 Aos vinte e nove

Leia mais

CONTRATO DE ALUGUER E GESTÃO OPERACIONAL DE VIATURAS PARA A EEM - EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA S.A.

CONTRATO DE ALUGUER E GESTÃO OPERACIONAL DE VIATURAS PARA A EEM - EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA S.A. CONTRATO DE ALUGUER E GESTÃO OPERACIONAL DE VIATURAS PARA A EEM - EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA S.A. Entre: EEM Empresa de Eletricidade da Madeira, S.A. pessoa coletiva e matriculada na Conservatória

Leia mais

MUNICIPIO DE CELORICO DE BASTO. CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2012/07/16 Nº 16/2012 Fls.

MUNICIPIO DE CELORICO DE BASTO. CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2012/07/16 Nº 16/2012 Fls. MUNICIPIO DE CELORICO DE BASTO CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2012/07/16 Nº 16/2012 Fls. Aos dezasseis dias de Julho do ano de dois mil e doze, na sala de reuniões do 2º piso do Edifício dos Paços

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04 /2001-2ªSecção

RESOLUÇÃO Nº 04 /2001-2ªSecção RESOLUÇÃO Nº 04 /2001-2ªSecção INSTRUÇÕES Nº 01/2001 2ª S INSTRUÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO DAS CONTAS DAS AUTARQUIAS LOCAIS E ENTIDADES EQUIPARADAS, ABRANGIDAS PELO PLANO OFICIAL DE CONTABILIDADE

Leia mais

TCE EXERCÍCIO 2014 RESUMO DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA RECEITA / COTA FINANCEIRA

TCE EXERCÍCIO 2014 RESUMO DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA RECEITA / COTA FINANCEIRA RESUMO DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA RECEITA / COTA FINANCEIRA De acordo com a Lei n 951, de 22 de janeiro de 2014, foi destinado a esta Corte de Contas recursos na ordem de R$ 49.685.685,00 (quarenta

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 891/ CONFERE

RESOLUÇÃO Nº 891/ CONFERE RESOLUÇÃO Nº 891/2013 - CONFERE Corrige os valores máximos autorizados pela Lei nº 4.886, de 09.12.1965, com a alteração da Lei nº 12.246, de 27.05.2010, e fixa as anuidades para o exercício de 2014 que

Leia mais

Regulamento Gift Card Liga Surprise

Regulamento Gift Card Liga Surprise Regulamento Gift Card Liga Surprise A Sierra Portugal, S.A., (doravante Sierra Portugal) com sede na Torre Ocidente, Rua Galileu Galilei, n.º 2, 3º piso, freguesia de Carnide, concelho de Lisboa, matriculada

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA A VENDA E ARRENDAMENTO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO NOVO MERCADO DA PRAIA ANUNCIO

CONCURSO PÚBLICO PARA A VENDA E ARRENDAMENTO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO NOVO MERCADO DA PRAIA ANUNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA A VENDA E ARRENDAMENTO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO NOVO MERCADO DA PRAIA ANUNCIO 1. Identificação da entidade adjudicante Designação da entidade adjudicante: Câmara Municipal da Praia

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

PROCESSO DO BINGO. 24 de Agosto de Assinatura Memorando de Entendimento entre CFB e Casa da Sorte

PROCESSO DO BINGO. 24 de Agosto de Assinatura Memorando de Entendimento entre CFB e Casa da Sorte Processo do Bingo 1 PROCESSO DO BINGO Pela sua delicadeza e sensibilidade decidimos entregar aos senhores associados do Clube um documento autonomizado sobre este Processo do Bingo. Começamos por dizer

Leia mais

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2.

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2. TABELA I PLANILHA INFORMATIVA DE BENEFICIÁRIOS E PREÇOS ESTIMADOS DO GRUPO A TITULARES E DEPENDENTES LEGAIS NO PLANO BÁSICO A - ENFERMARIA - SUBITEM 3.2.1 DO TERMO DE REFERÊNCIA - BENEFICIÁRIOS - TITULARES

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DOS LEILÕES LEILÃO PÚBLICO DE IMÓVEIS DEFINIÇÕES

CONDIÇÕES GERAIS DOS LEILÕES LEILÃO PÚBLICO DE IMÓVEIS DEFINIÇÕES CONDIÇÕES GERAIS DOS LEILÕES LEILÃO PÚBLICO DE IMÓVEIS DEFINIÇÕES 1. LEILOEIRA: a sociedade comercial UON MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA, LDA., adiante designada por UON com sede na Avenida 24 de Julho, n.º 74/76,

Leia mais

MUNICÍPIO DE VINHAIS CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DATA: 2004/02/23 ACTA N.º 4/2004

MUNICÍPIO DE VINHAIS CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DATA: 2004/02/23 ACTA N.º 4/2004 MUNICÍPIO DE VINHAIS CÂMARA MUNICIPAL REUNIÃO ORDINÁRIA DATA: 2004/02/23 ACTA N.º 4/2004 Presenças:------------------------------------------------------------------------------------------------- José

Leia mais

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora O Conselho Geral da Universidade de Évora, adiante designado por Conselho Geral, é o órgão de governo previsto no n.º 1 da alínea a) do artigo 11.º

Leia mais

Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011

Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011 Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011 As Finanças estão a dar destaque à sua recente circular nº23/2011 de 3 de Outubro relativa à Sobretaxa extraordinária

Leia mais

DAF/ID Ata da reunião ordinária de 05 de dezembro de /10

DAF/ID Ata da reunião ordinária de 05 de dezembro de /10 ATA Nº 23 - REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA EM CINCO DE DEZEMBRO DE DOIS MIL E DOZE Aos cinco dias do mês de dezembro, do ano dois mil e doze, nesta Vila de Vieira do Minho, no Edifício dos Paços do Município,

Leia mais

ATA SETE/DOIS MIL E CATORZE Ao primeiro dia do mês de junho de dois mil e catorze, pelas quinze

ATA SETE/DOIS MIL E CATORZE Ao primeiro dia do mês de junho de dois mil e catorze, pelas quinze ATA SETE/DOIS MIL E CATORZE Ao primeiro dia do mês de junho de dois mil e catorze, pelas quinze horas e trinta minutos, na sede da Junta de Freguesia de Covelas, sita na Rua do Soutal, número sessenta

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O MUNICÍPIO DE MANTEIGAS E A FÁBRICA DA IGREJA PAROQUIAL DA FREGUESIA DE SÃO PEDRO DO CONCELHO DE MANTEIGAS

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O MUNICÍPIO DE MANTEIGAS E A FÁBRICA DA IGREJA PAROQUIAL DA FREGUESIA DE SÃO PEDRO DO CONCELHO DE MANTEIGAS PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O MUNICÍPIO DE MANTEIGAS E A FÁBRICA DA IGREJA PAROQUIAL DA FREGUESIA DE SÃO PEDRO DO CONCELHO DE MANTEIGAS Considerando que: a) nos termos do disposto no artigo 23º da Lei

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL ENA - AGÊNCIA DE ENERGIA E AMBIENTE DA ARRÁBIDA REGULAMENTO ELEITORAL --------- --------- CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA ASSEMBLEIA ELEITORAL Artº 1º Constituição da Assembleia Eleitoral A

Leia mais

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS (Nos termos do nº3 do artº 92º do Decreto-Lei nº 169/99, de 18/09) ------- Reunião de 2 de Dezembro de 2003 -------- ---- ARREMATAÇÃO DE BANCAS,

Leia mais

CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL

CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL Entre Hospital Garcia de Orta, E.P.E., com sede na Av. Torrado da Silva, Pragal, 2801-951 Almada, pessoa colectiva n.º 506 361 470, registada na

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA PRINCÍPIOS GERAIS O presente regulamento define as normas de funcionamento da Assembleia de Parceiros do Grupo de

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO MUNICIPIO DE CRAVINHOS LEGISLATIVO MUNICIPAL

ESTADO DE SÃO PAULO MUNICIPIO DE CRAVINHOS LEGISLATIVO MUNICIPAL ESTADO DE SÃO PAULO MUNICIPIO DE CRAVINHOS LEGISLATIVO MUNICIPAL RELATÓRIO DE CONTROLE INTERNO REFERÊNCIA 1º QUADRIM/2014 JANEIRO-ABRIL/2014 MAIO DE 2014 1. INTRODUÇÃO Atendendo ao que preceitua a Legislação

Leia mais

03_BES_Corporate Governance_13ABRIL 05/04/14 8:21 Page 320 Sugerimos bem estar

03_BES_Corporate Governance_13ABRIL 05/04/14 8:21 Page 320 Sugerimos bem estar Sugerimos bem estar RELATÓRIO CONTAS 2004 04 Informações Gerais 01 Acções do BES Em 31 de Dezembro de 2004 o capital social do Banco Espírito Santo encontrava-se representado por 300 000 000 acções com

Leia mais

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL (2014/2018) Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012, de 2 de Julho, o Conselho

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais