CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO"

Transcrição

1 MARCAÇÕES RODOVIÁRIAS NA GAFANHA DA NAZARÉ MEMORIA DESCRITIVA DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente

2 ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Projeto Caraterização DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 1

3 INTRODUÇÃO O número de veículos e peões nas ruas do Concelho de ílhavo são cada vez mais, pelo que existiu necessidade de efetuar uma intervenção ao nível da sinalização, de modo a disciplinar todos os utilizadores destas vias e espaços. Deste modo, a implementação de uma nova sinalização rodoviária ou mesmo reforço da existente, reveste-se da maior importância, quer ao nível da segurança, quer ao nível urbano, dando assim suporte ao equilíbrio entre o Homem e o trânsito, nas suas diversas relações quotidianas. A Presente proposta Memória Descritiva refere-se ao Projeto de Marcações rodoviárias na Gafanha da nazaré 2016 na freguesia da Gafanha da Nazaré, concelho de Ílhavo e responde ao estudo solicitado pela Câmara Municipal de Ílhavo no âmbito das grandes opções do plano, designadamente no da sinalização rodoviária/semáforos. Esta empreitada surge essencialmente devido a execução de novas pavimentações na freguesia em questão no âmbito das obras de saneamento executadas em PROJETO O presente projeto resultou de uma analise as marcações existentes na Freguesia da Gafanha da Nazaré e teve como objetivo identificar as várias intervenções necessárias afim de dotar os principais arrumamentos com nova sinalização horizontal. A área intervencionada é essencialmente nas freguesia da Gafanha da Nazaré, Concelho de Ílhavo, tendo no entanto sido separada por troços com pavimentos novos (saneamento na Gafanha da Nazaré), ruas existentes onde as marcações se encontram maioritariamente apagadas, ruas de maior impacto e locais ou aglomerados com maior ou menor concentração de habitações. DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 2

4 Na elaboração do projeto procurou-se cumprir os cinco princípios fundamentais para a obtenção de uma sinalização bem concebida: Uniformidade Homogeneidade Simplicidade Continuidade Coerência A maioria das ruas do concelho tem vindo a transformar-se ao longo do tempo em vias de características urbanas. Este facto introduz a necessidade de sinalização de dimensões e características diferentes ao longo do seu desenvolvimento. O dimensionamento é feito, em geral, para a situação de via rural, com velocidades de circulação de até 90 km/h e Zonas urbanas (no essencial, zonas em que a faixa de rodagem é limitada por passeios) onde se adotou como velocidade de circulação 40 km/h <V< 60 km/h. Por questões de organização e apresentação do Projeto de Execução, dividiu-se em duas unidades principais, ruas e variantes. As ruas por sua vez também foram separadas de modo a poder identificar-se consoante tenham : novas infraestruturas, serem vias principais e vias secundárias. Na elaboração do projeto procurou manter-se a posição e as indicações da sinalização existente, de modo a não introduzir factores de novidade contrários a hábitos consolidados de circulação nas diversas zonas. O estudo foi elaborado de acordo com os princípios indicados no Código da Estrada e no Regulamento de Sinalização do Trânsito Decreto Regulamentar n.º 22-A/98 de 1 de Outubro. Igualmente serviram de referência ao estudo as Normas da ex-jae (Marcas rodoviárias e Sinalização Vertical de Orientação). DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 3

5 CARACTERIZAÇÃO SINALIZAÇÃO HORIZONTAL As marcas rodoviárias a utilizar constam de marcas longitudinais, marcas transversais (barras de paragem e passadeiras) e de outras marcas, nomeadamente raias oblíquas, triângulos de cedência de prioridade, inscrições STOP e setas de selecção. Todas estas marcas respeitam, quer nas características dimensionais quer nos critérios de aplicação, as Normas do EP (Norma de Marcas Rodoviárias - JAE 1995). Marcas Rodoviárias Utilizadas Linhas Longitudinais a) Linhas longitudinais contínuas Neste projecto utilizaram-se as linhas longitudinais contínuas desempenhando as seguintes funções: - separação absoluta das vias, em cada sentido, na dependência de zonas de proibição de ultrapassagem num dado ponto singular; - guias laterais para delimitação da faixa de rodagem; - delimitação de lugares de estacionamento. b) Linhas longitudinais descontínuas Foram utilizadas marcas deste tipo para: - separação das vias de tráfego; - delimitação das vias de abrandamento, aceleração e entrecruzamento; - pré-sinalização de aviso do surgimento de uma linha contínua de separação absoluta de vias. DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 4

6 Marcas Transversais Aqui se incluem as barras de paragem, com 0,60 m de largura e as passadeiras para peões. Estas podem ser de dois tipos: Constituídas por barras com 0,50 m de largura espaçadas da mesma distância e com um comprimento que em geral é de 4,0 m (em certos casos, por falta de espaço, este comprimento desce para 3,0 m). Constituídas por duas barras transversais com 0,30 m de largura, afastadas de 4,0 m (em certos casos, por falta de espaço, este comprimento desce para 3,0 m), usadas em zonas de atravessamento de peões reguladas por sinalização semafórica. Outras Marcas Prevêem-se zonas mortas materializadas por pintura de raias oblíquas, definindo áreas não utilizáveis, tendo por objectivo o de proteger um potencial ou real obstáculo físico, encaminhando ao mesmo tempo os veículos para além dessas áreas convergindo com o sentido de tráfego. Igualmente se previu a marcação no pavimento de triângulos de cedência de prioridade em associação aos respectivos sinais verticais bem como de inscrições de STOP. As setas de selecção adoptadas terão, em função do local onde são utilizadas, comprimentos de 5,0 m ou 6,0 m. Descrição das Soluções Adotadas As marcas consideradas foram as seguintes: G (0.15) Linhas brancas continuas de 0.15m de largura, para delimitação da faixa de rodagem (guias laterais). LBC (0.12) Linhas brancas continuas de 0.12m de largura, para separação absoluta de vias de sentido contrário e separação absoluta de vias nas zonas dos entroncamentos. DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 5

7 LBT (0.12) 2/5 ou 4/10 Linhas brancas tracejadas, com de 0.12 m de largura, com traços de 4,00 m espaçados de 10,00m ou linhas brancas tracejadas, com 0.12 m de largura, com traços de 2,00 m espaçados de 5,00 m, para separação de vias. LBT (0.12) 3/4 Linhas brancas tracejadas, com de 0.12 m de largura, com traços de 3,00 m espaçados de 4,00m para separação de vias. LBTa (0.12) 5/2 ou 2.5/1 Linhas brancas tracejadas de aviso, com 0.12 m de largura, com traços de 5,00 m espaçados de 2,00 m ou linhas brancas tracejadas de aviso, com 0.10 m de largura, com traços de 2,50 m espaçados de 1,00 m para separação de vias e, normalmente, antecedendo linhas contínuas. LBTc (0.30) 0.40/0.30 Linhas brancas tracejadas com 0.30m de largura, com traços de 0.40 m espaçados de 0.30 m, para linha de cedência de prioridade. LBT (0.10) 1/1 Linhas brancas tracejadas com 0.12 m de largura, com traços de 1.00 m espaçados de 1.00 m ou linhas brancas tracejadas com 0.10 m de largura, com traços de 1.00 m espaçados de 1.00 m, para permissão de atravessamento de linhas contínuas, em cruzamentos, entroncamentos ou em acessos a propriedades. Materiais a Utilizar Será utilizado material termoplástico retrorrefletor de aplicação a quente. Conforme o tipo de marca a realizar, na marcação a quente, será utilizado o processo spray ou manual por moldagem. As características destes materiais, bem como o modo de aplicação dos mesmos encontram-se definidos no Caderno de Encargos. DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 6

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente MEMORIA DESCRITIVA ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Projeto Caraterização DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente 1 INTRODUÇÃO O número de veículos

Leia mais

Manual de Boas Práticas em Sinalização Urbana

Manual de Boas Práticas em Sinalização Urbana www.prp.pt Manual de Boas Práticas em Sinalização Urbana Carlos de Almeida Roque Engenheiro Civil Estrada 2006 IV CONGRESSO RODOVIÁRIO PORTUGUÊS Estoril, 5 a 7 Abril 2006 1 Manual BPSU - Índice Introdução

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE ROTUNDAS

SINALIZAÇÃO DE ROTUNDAS SINALIZAÇÃO DE ROTUNDAS Introdução O recurso cada vez mais frequente à construção de rotundas e a recente definição de novas regras de circulação nestas intersecções, que impõem o dever de ceder passagem

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Alexandre Herculano Samora Correia

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Alexandre Herculano Samora Correia Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Prof. J. R. Setti Depto. de Engenharia de Transportes Escola de Engenharia de São Carlos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sinalização de trânsito

Prof. J. R. Setti Depto. de Engenharia de Transportes Escola de Engenharia de São Carlos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sinalização de trânsito Prof. J. R. Setti Depto. de Engenharia de Transportes Escola de Engenharia de São Carlos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Sinalização de trânsito Sinalização de trânsito: objetivos Organizar a circulação de veículos

Leia mais

04/11/2014. Curso de Engenharia Civil

04/11/2014. Curso de Engenharia Civil Curso de Engenharia Civil Disciplina: Engenharia de Tráfego Período: 6º semestre Professor: Luiz Antonio do Nascimento Email: ladnascimento@gmail.com Sinalização Utilizada para orientação e segurança dos

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Cerrado das Águas Vale Tripeiro - Benavente

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Cerrado das Águas Vale Tripeiro - Benavente Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Empreitada de Execução das Redes de Saneamento de Benavente EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 4º prolongamento

Empreitada de Execução das Redes de Saneamento de Benavente EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 4º prolongamento Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida Egas Moniz Samora Correia

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida Egas Moniz Samora Correia Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

DOCUMENTO BASE. de ROTUNDAS SINALIZAÇÃO DISPOSIÇÕES NORMATIVAS

DOCUMENTO BASE. de ROTUNDAS SINALIZAÇÃO DISPOSIÇÕES NORMATIVAS DISPOSIÇÕES NORMATIVAS SINALIZAÇÃO de ROTUNDAS DOCUMENTO BASE Trabalho realizado para o InIR pelo Eng. Carlos de Almeida Roque da empresa ACLIVE projectos de engenharia civil, lda ÍNDICE 1. Introdução...

Leia mais

Câmara Municipal de Águeda Pavimentação e Arranjos Urbanísticos do Estacionamento do Bairro do Redolho, na Borralha.

Câmara Municipal de Águeda Pavimentação e Arranjos Urbanísticos do Estacionamento do Bairro do Redolho, na Borralha. MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Memória Descritiva e Justificativa 1 1 - GENERALIDADES 1.1 - Denominação e Localização Refere-se a presente memória descritiva e justificativa ao projecto de execução

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida Egas Moniz troço até à Estrada das Sesmarias Samora Correia 9º prolongamento

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida Egas Moniz troço até à Estrada das Sesmarias Samora Correia 9º prolongamento Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA

SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA MANUAL DE PLANEAMENTO DAS ACESSIBILIDADES E DA GESTÃO VIÁRIA 12 SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA Carlos Manuel Rodrigues Professor Auxiliar da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Carlos de Almeida Roque

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E INFRA-ESTRUTURAS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E INFRA-ESTRUTURAS FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO Reconstrução de Muros de Suporte / 2010. 2. LOCALIZAÇÃO A obra desenvolveu-se em vários locais do Concelho de Coimbra, distribuídos pelas freguesias de Ceira, Eiras e Santa

Leia mais

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente 1. Existente - Descrição e justificação 1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente O arruamento é caraterizado na rede viária do Plano Diretor

Leia mais

4 Pintura e repintura de sinalização horizontal, (marcas

4 Pintura e repintura de sinalização horizontal, (marcas MAPA DE QUANTIDADES CÓDIGO DESIGNAÇÃO UNIDADES QUANTIDADE 1 Repintura de sinalização horizontal, (marcas rodoviárias), na Zona Escolar de Moimenta da Beira Av. Dr. João de Lima Gomes, Praceta de N.ª Sr.ª

Leia mais

PROJETO DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA

PROJETO DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA Projeto de Loteamento Urbano e dos Projetos das Obras de Urbanização da Zona de Localização Empresarial do Sabugal PROJETO DE INFRAESTRUTURA VIÁRIA MEMÓRIA DESCRITIVA REQUERENTE: CÂMARA MUNICIPAL DO SABUGAL

Leia mais

DOCUMENTO BASE. MARCAS RODOVIÁRIAS Dispositivos Retrorrefletores Complementares DISPOSIÇÕES NORMATIVAS

DOCUMENTO BASE. MARCAS RODOVIÁRIAS Dispositivos Retrorrefletores Complementares DISPOSIÇÕES NORMATIVAS DISPOSIÇÕES NORMATIVAS MARCAS RODOVIÁRIAS Dispositivos Retrorrefletores Complementares DOCUMENTO BASE Trabalho realizado para o InIR pelo Eng. Carlos de Almeida Roque da empresa ACLIVE projectos de engenharia

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida António Calheiros Lopes Benavente

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida António Calheiros Lopes Benavente Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Popular / EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 2º prolongamento prazo

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Rua Popular / EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 2º prolongamento prazo Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

Decreto-Regulamentar n.º 22-A/98 de 01OUT

Decreto-Regulamentar n.º 22-A/98 de 01OUT Regulamento de Sinalização de Trânsito Decreto-Regulamentar n.º 22-A/98 de 01OUT (Alterado pelo Decreto-Regulamentar n.º 41/2002, de 20AGO; Decreto-Lei n.º 39/2010, de 26ABR e Decreto-Regulamentar n.º

Leia mais

1. Objectivo Âmbito Definições Legislação e Procedimentos/Normas Aplicáveis Caracterização dos Trabalhos...

1. Objectivo Âmbito Definições Legislação e Procedimentos/Normas Aplicáveis Caracterização dos Trabalhos... Índice 1. Objectivo... 3 2. Âmbito... 3 3. Definições... 4 4. Legislação e Procedimentos/Normas Aplicáveis... 4 5. Caracterização dos Trabalhos... 4 6. Princípios Gerais... 4 6.1. Domínio de Implantação...

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 01. OBJECTIVO O presente estudo, solicitado pelo Município de Alfândega da Fé, tem por objectivo a definição do projecto de execução da BENEFICIAÇÃO DO CAMINHO MUNICIPAL

Leia mais

PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS. Preâmbulo

PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS. Preâmbulo PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE POSTURA MUNICIPAL DE TRÂNSITO DE OLVEIRA DE AZEMÉIS Preâmbulo A presente proposta de alteração da Postura Municipal de Trânsito, aprovada em Assembleia de Câmara de 15 de Junho

Leia mais

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida António Calheiros Lopes Benavente 3º prolongamento

Empreitada n.º Execução das Redes de Saneamento de Benavente Avenida António Calheiros Lopes Benavente 3º prolongamento Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

ANEXO 1 QUADRO II Sinais de cedência de passagem Sinais B1 B2 B3 e B4 B5 B6 B7 a B9 Forma Triângulo equilátero invertido. Octógono regular. Quadrada. Circular. Quadrada. Triângulo equilátero. Características

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Requalificação da Rede Viária do Concelho (Fase 1-2005) 2. LOCALIZAÇÃO cidade de Coimbra e freguesias do Município, nomeadamente, Almalaguês, Ameal,

Leia mais

Legislação e Segurança Rodoviária. Princípios Gerais do Código da Estrada

Legislação e Segurança Rodoviária. Princípios Gerais do Código da Estrada Legislação e Segurança Rodoviária Princípios Gerais do Código da Estrada 1 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS: Âmbito de aplicação do CE Liberdade de trânsito Realização de obras e utilização das vias públicas para

Leia mais

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

ALTERAÇÃO NA SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A FREGUESIA DA VILA DE SANTA CATARINA

ALTERAÇÃO NA SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A FREGUESIA DA VILA DE SANTA CATARINA ALTERAÇÃO NA SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A FREGUESIA DA VILA DE SANTA CATARINA SANTA CATARINA 1. Rua do Século XXI, junto á rotunda que liga Estrada Nacional 360 e Av. da Igreja. a) Colocação de um sinal

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO 19 JANEIRO 2017 ENQUADRAMENTO Reconhecendo a importância social e patrimonial dos bairros residenciais da coroa urbana de Viseu e elegendo como prioridade a qualidade de vida das

Leia mais

EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA EQUIPAMENTO DE INFORMAÇÃO ATIVADO PELOS VEÍCULOS

EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA EQUIPAMENTO DE INFORMAÇÃO ATIVADO PELOS VEÍCULOS A. Âmbito da Nota Técnica A presente Nota Técnica pretende estabelecer o enquadramento do Equipamento de Segurança: Equipamento de Informação Ativado pelos Veículos. O referido equipamento poderá ser instalado

Leia mais

recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas de transportes e

recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas de transportes e A Organização Mundial da Saúde (OMS) defende o uso da bicicleta como uma das medidas para melhorar a saúde pública mundial e recomenda aos governos a integração de planos de atividades físicas nas políticas

Leia mais

A sinalização desta via pública, informa-me que circulo: Na auto-estrada A25. Na estrada nacional A25. Na estrada nacional N16.

A sinalização desta via pública, informa-me que circulo: Na auto-estrada A25. Na estrada nacional A25. Na estrada nacional N16. A referência IC 17, colocada na sinalização indica: Que circulo no itinerário complementar nº 17. Que faltam 17 kms para o início da A1. Que me encontro no km 17, da via em que circulo. A sinalização com

Leia mais

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Dono de Obra AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. Entidade Executante Consórcio: PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. e PEOP Projecto e Execução de Obras Publicas, Lda. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO

Leia mais

A sinalização presente indica: Fim da estrada com prioridade. Mudança de direcção da via com prioridade. Proximidade de um cruzamento.

A sinalização presente indica: Fim da estrada com prioridade. Mudança de direcção da via com prioridade. Proximidade de um cruzamento. A referência IC 17, colocada na sinalização indica: Que circulo no itinerário complementar nº 17. Que faltam 17 kms para o início da A1. Que me encontro no km 17, da via em que circulo. A sinalização presente

Leia mais

Manual do Código da Estrada

Manual do Código da Estrada O condutor de um veículo em marcha deve manter entre o seu veículo e o que o precede a distância suficiente para evitar acidentes em caso de súbita paragem ou diminuição de velocidade deste. O condutor

Leia mais

00 EMISSÃO INICIAL 25/01/2015 EMILIANA PM. Rev Modificação Data Elaboração Verificação CONSÓRCIO PM

00 EMISSÃO INICIAL 25/01/2015 EMILIANA PM. Rev Modificação Data Elaboração Verificação CONSÓRCIO PM 00 EMISSÃO INICIAL 25/01/2015 EMILIANA PM Rev Modificação Data Elaboração Verificação CONSÓRCIO PM PJJ Malucelli Arquitetura S/S Ltda. MEP Arquitetura e Planejamento Ltda. Empreendimento HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Decreto Regulamentar n.º 41/2002 de 20 de Agosto

Decreto Regulamentar n.º 41/2002 de 20 de Agosto Decreto Regulamentar n.º 41/2002 de 20 de Agosto Altera o Regulamento de Sinalização do Trânsito, aprovado pelo Decreto Regulamentar n.º 22-A/98, de 1 de Outubro O Regulamento de Sinalização do Trânsito,

Leia mais

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA

PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Dono de Obra AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. Entidade Executante Consórcio: PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. e PEOP Projecto e Execução de Obras Publicas, Lda. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO

Leia mais

Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas

Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas 4º Congresso Rodoviário Português Auditoria de Segurança Rodoviária e Revisão de Projectos de Estradas Eng. João Lourenço Cardoso Laboratório Nacional de Engenharia Civil Estrutura Oportunidades para melhoria

Leia mais

VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS

VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS VII ENCONTRO TÉCNICO MAPAS DE RUÍDO E BARREIRAS ACÚSTICAS Funchal, 2 de Junho de 2005 Rute Roque (isofonia@mail.telepac.pt) 1 1 ELABORAÇÃO DE MAPAS DE RUÍDO MAPA DE RUÍDO - Descritor dos níveis de exposição

Leia mais

UI3. Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril. Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril

UI3. Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril. Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril UI3 Requalificação da Praça Velha Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril Acção 2. Rua Jornal do Fundão Rua 25 de Abril requerente Câmara Municipal do Fundão projecto de arquitectura Março 2010 ÍNDICE GERAL

Leia mais

NORMAS DE (RE) CONSTRUÇÃO DE PASSEIO

NORMAS DE (RE) CONSTRUÇÃO DE PASSEIO NORMAS DE (RE) CONSTRUÇÃO DE PASSEIO A - Condições gerais Na (re) construção do passeio, deverão ser observadas as seguintes condições gerais: 1. A obra deverá cumprir todas as disposições previstas no

Leia mais

O Uso de Lombas e Plataformas como Medidas de Acalmia de Tráfego

O Uso de Lombas e Plataformas como Medidas de Acalmia de Tráfego Estoril, 5 a 7 de Abril 2006 O Uso de Lombas e Plataformas como Medidas de Acalmia de Tráfego Ana Bastos Silva, Prof. Auxiliar Dep. Engª Civil da FCTUC da Universidade de Coimbra Alvaro Seco, Prof. Associado

Leia mais

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO. Actualização N.º 1

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO. Actualização N.º 1 CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO Actualização N.º 1 Código da Estrada Edição de Bolso 2 TÍTULO: AUTORES: CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO Actualização N.º 1 Texto da Lei EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA, SA

Leia mais

ANEXO II. Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos

ANEXO II. Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos I Normas Gerais ANEXO II Normas para aplicação de pavimentos táteis em espaços públicos 1 Para efeito das presentes normas entende -se por pavimento tátil os pavimentos que utilizam cumulativamente cor

Leia mais

Proposta da EmpresaMIRANVIAS - PINTURA E SINALIZAÇÃO, LDA.

Proposta da EmpresaMIRANVIAS - PINTURA E SINALIZAÇÃO, LDA. Proposta da EmpresaMIRANVIAS - PINTURA E SINALIZAÇÃO, LDA. MIRANVIAS - PINTURA E SINALIZAÇÃO, LDA. Zona Industrial do Camporês, Lote 19/20 - Apartado 75 3240-998 AVELAR miranvias@sapo.pt Exmo.(s) Sr.(s)

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E INFRAESTRUTURAS FICHA TÉCNICA. Aspeto do local antes da intervenção

DEPARTAMENTO DE OBRAS E INFRAESTRUTURAS FICHA TÉCNICA. Aspeto do local antes da intervenção 1. IDENTIFICAÇÃO FICHA TÉCNICA Ligação Praça 25 de Abril / Av. Fernando Namora 1ª fase. Aspeto do local antes da intervenção A obra desenvolve-se no espaço existente entre a Rua Monsenhor Nunes Pereira

Leia mais

Dimensionamento de Rotundas Procedimentos Normativos

Dimensionamento de Rotundas Procedimentos Normativos Estoril, 5 a 7 de Abril 2006 Dimensionamento de Rotundas Procedimentos Normativos Ana Bastos Silva, Prof. Auxiliar Dep. Engª Civil da FCTUC da Universidade de Coimbra Alvaro Seco, Prof. Associado Dep.

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA. Respostas para as suas dúvidas sobre as novas regras do Código da Estrada

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA. Respostas para as suas dúvidas sobre as novas regras do Código da Estrada 01 ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA Respostas para as suas dúvidas sobre as novas regras do Código da Estrada Índice Introdução 4 Bicicletas 5/6 Transporte de Crianças 7 Documentos 8 Pagamentos de Coimas

Leia mais

NOTAS PARA A REVISÃO DO REGULAMENTO DE SINALIZAÇÃO DO TRÂNSITO

NOTAS PARA A REVISÃO DO REGULAMENTO DE SINALIZAÇÃO DO TRÂNSITO NOTAS PARA A REVISÃO DO REGULAMENTO DE SINALIZAÇÃO DO TRÂNSITO Carlos de Almeida Roque 1 1 Director, Aclive, Projectos de Engenharia Civil, Lda. Largo Com. Augusto Madureira, 7-1.º Esq. 1495-012 Algés.

Leia mais

SINALIZAÇÃO DE INTERSEÇÕES RODOVIÁRIAS DE NÍVEL

SINALIZAÇÃO DE INTERSEÇÕES RODOVIÁRIAS DE NÍVEL SINALIZAÇÃO DE INTERSEÇÕES RODOVIÁRIAS DE NÍVEL GERARDO CELSO MESTRE GUERREIRO Dissertação submetida para satisfação parcial dos requisitos do grau de MESTRE EM ENGENHARIA CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM VIAS

Leia mais

Noções de Sinalização e Segurança Rodoviária

Noções de Sinalização e Segurança Rodoviária Noções de Sinalização e Segurança a Rodoviária Abordaremos... Vias Sinalização de Trânsito Horizontal Vertical Dispositivos auxiliares 2 Engenharia de Trânsito Objetivo Segurança Fluidez Conforto Significado

Leia mais

A manobra de inversão do sentido de marcha é permitida neste local?

A manobra de inversão do sentido de marcha é permitida neste local? A manobra de inversão do sentido de marcha é permitida neste local? Não, a sinalização existente na via não me permite efectuar a manobra. Sim, a sinalização existente na via permite-me efectuar a manobra.

Leia mais

SUMÁRIO. - Objetivos; - Classificação; - Sinalização vertical; - Sinalização horizontal; - Sinalização semafórica; - Outros sistemas

SUMÁRIO. - Objetivos; - Classificação; - Sinalização vertical; - Sinalização horizontal; - Sinalização semafórica; - Outros sistemas Sinalização Viária SUMÁRIO - Objetivos; - Classificação; - Sinalização vertical; - Sinalização horizontal; - Sinalização semafórica; - Outros sistemas OBJETIVOS Organizar a circulação de veículos e pessoas

Leia mais

A cor verde do sinal à minha direita indica-me que circulo: A distância indicada no sinal de aproximação de saída é relativa:

A cor verde do sinal à minha direita indica-me que circulo: A distância indicada no sinal de aproximação de saída é relativa: Teste n.º 1 Tema I Sinais de Indicação 1 cor verde do sinal à minha direita indica-me que circulo: Num itinerário principal. Numa autoestrada. Numa estrada nacional. 2 distância indicada no sinal de aproximação

Leia mais

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental.

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental. HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: PDM Lisboa 1994 Revisão do PDM Rede Primária ou Fundamental vias arteriais vias principais Rede estruturante (1º nível) Rede de Distribuição Principal (2º nível) Rede Secundária

Leia mais

DER/PR SRNORTE. Sinalização Horizontal de Curvas à Direita em Rodovias de Pistas Simples

DER/PR SRNORTE. Sinalização Horizontal de Curvas à Direita em Rodovias de Pistas Simples DER/PR SRNORTE Sinalização Horizontal de Curvas à Direita em Rodovias de Pistas Simples Engº Alex Severo Alves Mar - 2010 GERENCIAMENTO DE OPERAÇÃO DA VIA Outra Verdade Inconveniente Desde o advento do

Leia mais

Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta

Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta Estoril, 5 a 7 de Abril 2006 Medidas de Apoio ao Uso da Bicicleta Ana Bastos Silva, Dep. Engª Civil da FCTUC da Universidade de Coimbra João Pedro Silva, Dep. Engª Civil da ESTG, Instituto Politécnico

Leia mais

SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017

SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017 SESSÃO INFORMATIVA DESENVOLVIMENTO DO PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA CIDADE DE AVEIRO (PEDUCA) 10 DE JULHO DE 2017 IMPLEMENTAÇÃO DE TRAJECTO PARA BICICLETAS ENTRE A UNIVERSIDADE DE AVEIRO

Leia mais

PROPOSTA DE UNIFORMIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE SINALIZAÇÃO DE PROIBIÇÃO DE ULTRAPASSAGEM

PROPOSTA DE UNIFORMIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE SINALIZAÇÃO DE PROIBIÇÃO DE ULTRAPASSAGEM PROPOSTA DE UNIFORMIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE SINALIZAÇÃO DE PROIIÇÃO DE ULTRAPASSAGEM CARLOS DE ALMEIDA ROQUE Engenheiro civil. Director da Aclive, Projectos de engenharia civil, Lda. RESUMO Um dos princípios

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO PROVISÓRIA 3º Troço (Santo Amaro Cx123 a Cx124) (Comprimento total de 15,17 ml)

PLANO DE SINALIZAÇÃO PROVISÓRIA 3º Troço (Santo Amaro Cx123 a Cx124) (Comprimento total de 15,17 ml) Empreitada de: Saneamento Básico de Santo Amaro, Covão e Espinheiro: Redes Públicas de Drenagem de Águas Residuais (Fase 2) Dono de Obra: Município de Penela Início previsível dos trabalhos: 29/05/2017

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO Abril de 2013 IP 3 - Mortágua (EN 228) / Raiva (IC 6). Resumo do Plano de Acção ÍNDICE DE TEXTO Pág. 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS...

Leia mais

PROJETO DE SINALIZAÇÃO

PROJETO DE SINALIZAÇÃO Intervenção a realizar na Rua Afonso de Albuquerque, Amadora Pag. 1 de 8 1. Objetivo O objetivo deste projeto é definir a sinalização temporária de obras de acordo com as disposições regulamentares, nomeadamente

Leia mais

Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público

Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público GRUPO MUNICIPAL Requerimento Segurança de peões e veículos nas obras em curso no espaço público No pretérito dia 27 de setembro do corrente ano, foi aprovada por maioria na Assembleia Municipal de Lisboa

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 5 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CICLOTURISMO E UTILIZADORES DE BICICLETA PROPOSTA DE ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA PORTUGUÊS

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CICLOTURISMO E UTILIZADORES DE BICICLETA PROPOSTA DE ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA PORTUGUÊS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CICLOTURISMO E UTILIZADORES DE BICICLETA PROPOSTA DE ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA PORTUGUÊS A Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) tem como

Leia mais

Características de Visibilidade das Marcas Rodoviárias

Características de Visibilidade das Marcas Rodoviárias Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia Civil Características de Visibilidade das Marcas Rodoviárias Juliett da Silva Vicente Dissertação para obtenção do grau de Mestre

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA "EN364, KM 1+408, PONTE DO PORTO DE AREZ; EN4, KM 170+750, PH SOBRE A RIBEIRA DE MURES; EM245-1, KM 19+478, PASSAGEM SOBRE O C.F. REABILITAÇÃO/SUBSTITUIÇÃO" DESVIO DE TRÁFEGO

Leia mais

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE 1 - Introdução A construção de vias públicas com o objectivo primordial de maximizar o escoamento de grandes volumes de tráfego e o conforto dos ocupantes dos veículos, aliada aos progressos da industria

Leia mais

Estudo Prévio - ARRUAMENTO URBANO. Cardielos Rua da Azenha

Estudo Prévio - ARRUAMENTO URBANO. Cardielos Rua da Azenha índice das peças escritas memória descritiva arquitectura levantamento fotográfico Proposto Existente índice das peças desenhadas F00 Índice peças desenhadas F01 Enquadramento F02 Levantamento Topográfico

Leia mais

-----Na freguesia do Posto Santo:

-----Na freguesia do Posto Santo: ---------------------------------------EDITAL N.º 30/2010-------------------------------------- -----RAQUEL MARGARIDA PINHEIRO DA SILVA, Vereadora da de Angra do Heroísmo com competência subdelegada na

Leia mais

Manual de preenchimento dos formulários de trabalhos de execução de sinalização

Manual de preenchimento dos formulários de trabalhos de execução de sinalização Manual de preenchimento dos formulários de trabalhos de execução de sinalização Introdução Foram criados modelos alternativos dos mapas de execução trabalhos de sinalização vertical e horizontal. Estes

Leia mais

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia:

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia: ANÁLISE DE EMPREENDIMENTO PÓLO GERADOR DE TRÁFEGO (PGT) A análise pela SETTRANS dos PGT utiliza-se da seguinte metodologia: Projeto arquitetônico da edificação: além de observar, no que cabe, as leis de

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DO ESTEIRO DA MEDELA - COUTADA MEMÓRIA DESCRITIVA

REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA DO ESTEIRO DA MEDELA - COUTADA MEMÓRIA DESCRITIVA MEMÓRIA DESCRITIVA 1 1 GENERALIDADES Refere-se a presente memória descritiva ao projecto de execução da Requalificação da Estrada do Esteiro da Medela a construir na povoação da Coutada, no troço compreendido

Leia mais

EN2, KM , PONTE METÁLICA DE ABRANTES SOBRE O RIO TEJO. REABILITAÇÃO DA OBRA DE ARTE

EN2, KM , PONTE METÁLICA DE ABRANTES SOBRE O RIO TEJO. REABILITAÇÃO DA OBRA DE ARTE Inicio Agora EN2, KM 404+920, PONTE METÁLICA DE ABRANTES SOBRE O RIO TEJO. REABILITAÇÃO DA OBRA DE ARTE Direção de Gestão da Rede Rodoviária Centro Operacional Centro Sul Abrantes, 19 de julho de 2016

Leia mais

Teste n.º 3 Tema V. Vias de trânsito, condições ambientais adversas

Teste n.º 3 Tema V. Vias de trânsito, condições ambientais adversas Teste n.º 3 Tema V Vias de trânsito, condições ambientais adversas 1 O que se entende por via de trânsito? Via de comunicação terrestre do domínio privado aberta ao trânsito público. Via de tráfego resultante

Leia mais

Legislação e Segurança Rodoviária. Responsabilidade pela regularização, ordenamento e fiscalização do trânsito

Legislação e Segurança Rodoviária. Responsabilidade pela regularização, ordenamento e fiscalização do trânsito Legislação e Segurança Rodoviária Responsabilidade pela regularização, ordenamento e fiscalização do trânsito 1 Conteúdos Programáticos: Regularização, ordenamento e fiscalização do trânsito Ordens das

Leia mais

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23 Procedimento Página 1 de 23 RESUMO Este documento, que é uma norma técnica, fixa as condições que devem ser obedecidas no projeto e na execução de barreiras de segurança. ABSTRACT This document presents

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 8. Sinalização horizontal

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 8. Sinalização horizontal Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2.013 Aula 8 Sinalização horizontal Tópicos abordados nesta aula Legislação e normas de projeto Vantagem

Leia mais

Info MOSCAVIDE. Revitalização Urbana VILA DE facebook.com/municipiodeloures

Info MOSCAVIDE. Revitalização Urbana VILA DE facebook.com/municipiodeloures Info 01 Janeiro 2017 Revitalização Urbana VILA DE MOSCAVIDE revitalizacao_urbana@cm-loures.pt 800 100 107 Chamada gratuita 9:00 18:00 www.cm-loures.pt facebook.com/municipiodeloures Revitalização Urbana

Leia mais

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS 1 MEMÓRIA DESCRITIVA 1 GENERALIDADES Refere-se a presente memória descritiva ao estudo da infra-estrutura de drenagem de águas residuais associado à operação urbanística do Plano de Pormenor de Parte da

Leia mais

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção

Plano de Mobilidade de Praia da Vitória Propostas de Intervenção Plano de Mobilidade Plano de Mobilidade de Praia da de Praia da Vitória Vitória Propostas de Intervenção Propostas de Intervenção 16 11-09 Apresentação Resumo Diagnóstico Propostas de Intervenção Solução

Leia mais

Objectivos do Plano de Semaforização

Objectivos do Plano de Semaforização Objectivos do Plano de Semaforização Assegurar condições de escoamento seguro dos fluxos motorizados e pedonais tempos de espera aceitáveis para veículos e peões Evitar Formação de filas de espera que

Leia mais

A linha descontínua marcada no pavimento permiteme pisá-la ou transpô-la, apenas para efectuar manobras. Certo. Errado.

A linha descontínua marcada no pavimento permiteme pisá-la ou transpô-la, apenas para efectuar manobras. Certo. Errado. A linha descontínua marcada no pavimento permiteme pisá-la ou transpô-la, apenas para efectuar manobras. Certo. Errado. A luz amarela intermitente obriga-me a avançar: Com especial precaução Rapidamente.

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA SANESTRADAS, S.A. Penedo da Freira Conceição da Abóboda 2785-297 São Domingos de Rana Tel: 214 457 230 / Fax: 214 457 239 www.sanestradas.pt PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DONO DE OBRA SOCIEDADE DE GESTÃO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA REQUALIFICAÇÃO DA RUA GENERAL HUMBERTO DELGADO E TRAVESSA DA ALEGRIA RESENDE MEMÓRIA DESCRITIVA 3 /144 CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA A área de intervenção circunscreve-se a duas ruas, a Rua General Humberto Delgado

Leia mais

Inspecção de Marcas Rodoviárias, com equipamento estático e dinâmico

Inspecção de Marcas Rodoviárias, com equipamento estático e dinâmico , com equipamento estático e dinâmico SAFETRAFFIC / AFESP Coordenador da SC2 / CT 155 As Marcas desempenham um papel fundamental no guiamento dos condutores. Delimitam vias de circulação Separam sentidos

Leia mais

Legislação de Trânsito 1

Legislação de Trânsito 1 Legislação de Trânsito 1 Conhecer as premissas que regem o CTB, bem como seus órgãos e sistemas. Conhecer os direitos e deveres de um cidadão no trânsito. Introdução Regulamentação. Fundamentação do CTB.

Leia mais

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE 1. Mobilidade Urbana 1.1. Estacionamento na Zona. Proposta da Junta de Freguesia do Monte 1. Criar zonas de estacionamento público de forma a retirar

Leia mais

Zona urbana consolidada. Arruamento Santiago - Freguesia de Neiva

Zona urbana consolidada. Arruamento Santiago - Freguesia de Neiva Zona urbana consolidada Arruamento Santiago - Freguesia de Neiva ZONA URBANA CONSOLIDADA Município de Viana do Castelo Pedro Cardona, arq. Arruamento Santiago - Freguesia de Neiva ÍNDICE DAS PEÇAS ESCRITAS

Leia mais

Notas de aulas de Estradas (parte 9)

Notas de aulas de Estradas (parte 9) 1 Notas de aulas de Estradas (parte 9) Hélio Marcos Fernandes Viana Tema: Superlargura Conteúdo da parte 9 1 Introdução 2 Cálculo da superlargura 3 Distribuição da superlargura 2 1 Introdução Superlargura

Leia mais

às Vias de Comunicação

às Vias de Comunicação Vias de Comunicação Luís Picado Santos 1/24 Apresentação e Introdução Geral às Vias de Comunicação O ensino das vias de comunicação no DECivil Tipos de vias de comunicação Projecto, construção e manutenção

Leia mais

Loteamento da Quinta de S. Martinho

Loteamento da Quinta de S. Martinho Loteamento da Quinta de S. Martinho Memória descritiva e Justificativa 3ª alteração O loteamento da Quinta de S. Martinho foi aprovado em reunião de Câmara de 16/02/2000. Em reunião de Câmara de 02/05/2001

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE NORDESTE

REGULAMENTO DA COMISSÃO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE NORDESTE REGULAMENTO DA COMISSÃO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE NORDESTE A Câmara Municipal ao abrigo do artigo 241º da Constituição da República Portuguesa e no âmbito das competências previstas na Lei n.º

Leia mais

A indicação dada pelo sinal de mensagem variável:

A indicação dada pelo sinal de mensagem variável: Teste n.º 1 Tema I Sinais de proibição 1 indicação dada pelo sinal de mensagem variável: Não tem qualquer valor. Tem carácter facultativo. Tem carácter obrigatório. 2 proibição de transitar, imposta pelo

Leia mais

Disciplina: Vias de Comunicação. Parte I - Traçado em Planta (1/2)

Disciplina: Vias de Comunicação. Parte I - Traçado em Planta (1/2) Licenciatura em Engenharia Civil e em Engenharia do Território Disciplina: Vias de Comunicação Prof. Responsável: Prof. Paulino Pereira Parte I - Traçado em Planta (1/2) Instituto Superior Técnico / Licenciaturas

Leia mais

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MUNICÍPIO DE CASTELO BRANCO RELATÓRIO DE PROPOSTAS 1 EQUIPA TÉCNICA DA ESTCB Prof. Doutor Rui Amaro Alves (Coordenação) Arq. to José Carlos Mocito Eng.º Sílvio Castanheira

Leia mais