IGUALDADE SALARIAL PARA EMPREGADORES. Vale a pena! COMISSÃO PARA A IGUALDADE SALARIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IGUALDADE SALARIAL PARA EMPREGADORES. Vale a pena! COMISSÃO PARA A IGUALDADE SALARIAL"

Transcrição

1 IGUALDADE SALARIAL PARA EMPREGADORES Vale a pena! COMISSÃO PARA A IGUALDADE SALARIAL

2 O que é a Lei sobre a Igualdade Salarial? A Lei sobre a Igualdade Salarial (Pay Equity Act) (Lei) exige que os empregadores reconheçam e tomem medidas corretivas relativas à discriminação baseada no sexo, que possa existir nas suas práticas salariais, e que procedam a um ajustamento dos salários dos empregados que exercem profissões de predominância feminina, de modo que tais salários sejam, no mínimo, iguais aos dos empregados que exercem profissões de predominância masculina, se for estabelecido que o trabalho efetuado em ambas as categorias é de valor comparável no que diz respeito à aptidão, esforço, responsabilidade e condições de trabalho. Por que motivo a Lei é necessária? Na província do Ontário, as mulheres trabalhadoras recebem, em média, um salário 28% inferior ao dos homens, com base num trabalho a tempo completo exercido durante o ano inteiro [Estatísticas do Canadá, 2006]. Existem muitos fatores que contribuem para esta lacuna salarial, incluindo a discriminação baseada no sexo no ambiente laboral. O objetivo da Lei visa combater a discriminação entre sexos em matéria de remuneração salarial dos empregados que exercem profissões de predominância feminina. Sou obrigado a cumprir a Lei? Se for um empregador do setor público ou privado com um mínimo de 10 empregados e exercer a sua atividade no Ontário, é obrigado a dispor de práticas de remuneração que garantam a igualdade salarial. A Lei também abrange os empregados que exercem uma profissão a tempo completo ou parcial, incluindo os que exercem trabalho sazonal. Todavia, a Lei não abrange os estudantes que trabalham durante as férias. A Lei também não abrange os empregados que trabalham no Ontário para o governo federal ou para um setor regulamentado pelo governo federal (p. ex.: bancos, companhias aéreas, estações de correios e estações de televisão e rádio).

3 A igualdade salarial é a mesma coisa que o princípio de trabalho igual, salário igual? Não. O princípio de trabalho igual, salário igual significa que, se um homem e uma mulher desempenham o mesmo trabalho, devem receber o mesmo salário (de acordo com a Lei sobre as Normas de Emprego). A igualdade salarial compara empregos geralmente ocupados por mulheres com empregos diferentes, geralmente ocupados por homens. Como poderá comparar empregos diferentes? Vamos analisar um exemplo. No ambiente laboral, a categoria de emprego de secretária poderá exigir tipos e níveis de esforço físico diferentes, podendo as condições de trabalho ser muito diferentes das condições de trabalho referentes à categoria de emprego de guarda. Estas duas categorias de empregos poderão também envolver tipos e níveis diferentes de responsabilidade, esforço mental e aptidão. Todavia, quando esses quatro fatores são aplicados de uma maneira uniforme e não discriminatória em relação ao sexo para as duas categorias de empregos, o valor da categoria de emprego de secretária poderá ser igual ou superior ao da categoria de emprego de guarda. Neste caso, a Lei exige que a categoria de emprego de secretária tenha uma remuneração que seja, no mínimo, igual à da categoria de emprego de guarda. De que modo os empregos exercidos por mulheres são subestimados? Determinados aspetos do trabalho geralmente desempenhado por mulheres não são muitas vezes reconhecidos em matéria de remuneração salarial. Como exemplo, por vezes, as práticas de remuneração dos empregadores têm tendência a: Negligenciar as aptidões manuais exigidas para efetuar um trabalho de processamento de texto (categoria de emprego de predominância feminina), embora reconheçam e remunerem as aptidões manuais necessárias para efetuar reparações em máquinas (categoria de emprego de predominância masculina). Não valorizar o esforço físico que envolve o levantamento contínuo de produtos alimentares numa caixa (categoria de emprego de predominância feminina), embora reconheçam o esforço físico que envolve o levantamento de produtos no setor da manutenção (categoria de emprego de predominância masculina).

4 Não reconhecer as responsabilidades inerentes à prestação de cuidados infantis em creches (categoria de emprego de predominância feminina), embora valorizem as responsabilidades inerentes ao controlo das contas por um contabilista (categoria de emprego de predominância masculina). Como deverei proceder a fim de praticar a igualdade salarial? Os empregos estão agrupados em categorias. Cada categoria engloba empregos que apresentam práticas de recrutamento semelhantes, que implicam tarefas e responsabilidades semelhantes e que têm o mesmo plano de remuneração. Estas categorias são identificadas como sendo de predominância feminina, masculina ou sem predominância sexual. Em seguida, recolhem-se informações sobre o emprego relativamente às categorias de empregos de predominância feminina e masculina. O valor de cada categoria de emprego é determinado a partir dos quatro fatores exigidos por lei (a aptidão, o esforço, a responsabilidade e as condições de trabalho). Uma vez determinado o valor de todas as categorias, comparam-se ambas as categorias de empregos (de predominância feminina e masculina) e, nos casos em que os valores sejam comparáveis, a taxa da categoria de empregos de predominância feminina deverá ser, no mínimo, igual à taxa da categoria de empregos de predominância masculina. Se for inferior, o empregador terá de ajustar a taxa referente à categoria de empregos de predominância feminina. Quando deverei praticar a igualdade salarial? Um empregador do setor privado que tenha iniciado a sua atividade empresarial a partir de 1 de janeiro de 1988 com um mínimo de dez empregados ao serviço, ou um empregador do setor público cuja atividade tenha começado a partir de 1 de julho de 1993, deverão dispor de práticas de remuneração salarial que assegurem a igualdade salarial a partir do início da atividade e mantê-la para as categorias de empregos com predominância feminina. Para os empregadores do setor privado estabelecidos antes de 1 de janeiro de 1988 e para os empregadores do setor público estabelecidos antes de 1 de julho de 1993, a Lei estipulou um determinado período de tempo para que as suas práticas de remuneração salarial estejam em conformidade com a Lei e para dispersar quaisquer reajustamentos exigidos. Uma vez que a

5 conformidade tenha sido obtida num ou noutro caso, será preciso manter a igualdade salarial para as categorias de empregos de predominância feminina. Se é empregador, deverá praticar a igualdade salarial. Se é agente de negociação, você e o empregador não podem negociar práticas de remuneração salarial que, caso fossem aplicadas, constituiriam uma violação da Lei. Quem pode apresentar um pedido à Comissão? Um empregador Um empregado ou um grupo de empregados, bem como qualquer agente que represente um ou diversos empregados Um agente de negociação que represente um empregado ou um grupo de empregados poderá, em qualquer momento, queixar-se de alguma infração à Lei ou a alguma Ordem emitida pelo Gabinete para a Igualdade Salarial (Pay Equity Office) ou pelo Tribunal para a Igualdade Salarial (Pay Equity Hearings Tribunal) Obs.: Os empregados que tenham abandonado o seu posto de trabalho não perdem o direito a apresentar uma queixa em qualquer momento. De acordo com a Lei, não existe recurso para os empregados das categorias de empregos de predominância masculina ou sem distinção de sexo. Saberei se alguém apresentou uma queixa à Comissão? Qualquer empregado poderá apresentar pessoalmente uma queixa a título confidencial, podendo também apresentar uma queixa anónima. Para o efeito, terá de fazer-se representar por um agente. O empregador é notificado pela Comissão sobre a data de início da investigação. Obs.: A Comissão pode efetuar uma investigação às práticas de remuneração salarial do empregador sem ter recebido nenhuma queixa apresentada por qualquer empregado.

6 Os empregadores estão proibidos de impor quaisquer tipos de sanções aos empregados que apresentarem queixas ou que procurem informações sobre a igualdade salarial. Quais são as penalidades para os empregadores que não cumprirem a Lei? Existem penalidades financeiras para os empregadores ou os agentes negociadores que perturbarem a investigação de uma queixa relativa à igualdade salarial ou que exerçam atos de intimidação ou de discriminação contra qualquer pessoa que exerça os seus direitos ao abrigo da Lei sobre a Igualdade Salarial. Por que motivo vale a pena praticar a igualdade salarial? A igualdade salarial pode contribuir para a introdução de práticas salariais mais objetivas. O processo pode reforçar a compreensão dos empregos dentro da organização e definir os pontos fortes e fracos, bem como as possibilidades de melhorar a produtividade. A introdução de tais práticas pode representar o primeiro passo de uma estratégia de diversidade, revelando outras formas de discriminação que constituam obstáculos à participação do pessoal. Se os empregados e os sindicatos participarem no processo, os primeiros poderão compreender melhor o conjunto da estrutura e dos objetivos coletivos. Onde poderei obter mais informações ou assistência? A Comissão para a Igualdade Salarial existe para ajudar. Poderá enviar as suas perguntas por correio eletrónico para ou por telefone através do número geral ou do número grátis (Linha para deficientes auditivos (TTY): ou ). Também oferecemos formação grátis através de um seminário na Web. As inscrições poderão ser enviadas para O nosso sítio Web contem informações detalhadas sobre a igualdade salarial, bem como os procedimentos a seguir para apresentação de uma queixa. Visite

Uma questão de justiça

Uma questão de justiça IGUALDADE SALARIAL PARA EMPREGADOS Uma questão de justiça COMISSÃO PARA A IGUALDADE SALARIAL O que é a Lei sobre a Igualdade Salarial? A Lei sobre a Igualdade Salarial (Pay Equity Act) (Lei) exige que

Leia mais

Projeto de lei nº 430/XIII. Aprova medidas de transparência com vista à eliminação das desigualdades salariais entre homens e mulheres

Projeto de lei nº 430/XIII. Aprova medidas de transparência com vista à eliminação das desigualdades salariais entre homens e mulheres Projeto de lei nº 430/XIII Aprova medidas de transparência com vista à eliminação das desigualdades salariais entre homens e mulheres Exposição de Motivos As mulheres continuam a ser alvo de discriminação

Leia mais

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Lei n.º 29/2017 A Lei n.º 29/2017, de 30 de maio, veio transpor para a ordem jurídica interna a Diretiva 2014/67/UE, do Parlamento Europeu

Leia mais

Custos do trabalho de homens e mulheres: mitos e realidade. Laís Abramo, OIT Novembro 2014

Custos do trabalho de homens e mulheres: mitos e realidade. Laís Abramo, OIT Novembro 2014 Custos do trabalho de homens e mulheres: mitos e realidade Laís Abramo, OIT Novembro 2014 Quanto custam as mulheres? É muito frequente a noção de que os custos da mão de obra feminina são superiores aos

Leia mais

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015 O REGIME DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS NO ÂMBITO DA CONVENÇÃO E DA RECOMENDAÇÃO SOBRE O TRABALHO DECENTE PARA OS TRBALHADORAS E OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO

Leia mais

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho;

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho; RATIO LEGIS a SUL Medida Contrato-Emprego Por Carla Lima A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro, regula a criação da medida Contrato- Emprego, que consiste na concessão, à entidade empregadora, de um

Leia mais

A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012

A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012 A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012 Formação do contrato de trabalho O vínculo de emprego é uma relação jurídica de natureza contratual.

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO DE GÊNERO NO MERCADO DE TRABALHO. Bernadete Kurtz

DISCRIMINAÇÃO DE GÊNERO NO MERCADO DE TRABALHO. Bernadete Kurtz DISCRIMINAÇÃO DE GÊNERO NO MERCADO DE TRABALHO Bernadete Kurtz FERRAMENTAS CONTRA A DISCRIMINAÇÃO DA MULHER NAS RELAÇÕES DE TRABALHO Documentos Internacionais Legislação Brasileira Uso dos princípios Constitucionais

Leia mais

Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing)

Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing) Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing) REGULAMENTO DE COMUNICAÇÃO DE IRREGULARIDADES 1 Princípios Gerais A Caixa Económica Montepio Geral, nos termos do Regime Geral das Instituições

Leia mais

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2 3 Informação a todos os colaboradores sobre Direitos Humanos através de formações, orientações e materiais impressos Política de não represália na empresa Práticas

Leia mais

POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO

POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE E NÃO DISCRIMINAÇÃO A Petrol Industrial S/A está entre aquelas empresas que estão preocupadas com as questões trabalhistas, procurando adotar os Princípios de Direito

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO EM QUE CONSISTE A medida Contrato-Emprego é um apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho sem termo ou a termo certo, por prazo igual ou superior a 12

Leia mais

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B

6170/17 aap/ip 1 DGC 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de fevereiro de 2017 (OR. en) 6170/17 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações COHOM 16 CONUN 54 SOC 81 FREMP 11 n.º doc. ant.:

Leia mais

Projeto de Resolução n.º../xiii/2ª

Projeto de Resolução n.º../xiii/2ª Projeto de Resolução n.º../xiii/2ª Recomenda ao Governo a adoção de medidas com vista à eliminação das desigualdades salariais entre homens e mulheres As diferenças salariais entre mulheres e homens que

Leia mais

Semana Europeia do Desporto. É tempo de #BEACTIVE. Mensagens. Desporto

Semana Europeia do Desporto. É tempo de #BEACTIVE. Mensagens. Desporto É tempo de #BEACTIVE Mensagens Desporto É TEMPO DE É TEMPO DE UMA SOCIEDADE #BEACTIVE É UMA SOCIEDADE INCLUSIVA, FELIZ E SAUDÁVEL O desporto exerce uma atração universal e é benéfico tanto para o bem-estar

Leia mais

Campanha de Respeito à Mulher Seja protagonista desta causa!

Campanha de Respeito à Mulher Seja protagonista desta causa! Campanha de Respeito à Mulher Seja protagonista desta causa! Respeitar as mulheres: na vida, no trabalho e no movimento sindical. Garantir e lutar pelos direitos delas, que ainda são negados, excluídos

Leia mais

SEMINÁRIO TRABALHISTA TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SP 25/08/2017

SEMINÁRIO TRABALHISTA TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SP 25/08/2017 SEMINÁRIO TRABALHISTA TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SP 25/08/2017 Acordado sobre o legislado autorizado - art.611-a, CLT A CCT e o ACT têm prevalência sobre a Lei: 1) pacto quanto à jornada de trabalho

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA NO LOCAL DE TRABALHO ELECTROLUX

CÓDIGO DE CONDUTA NO LOCAL DE TRABALHO ELECTROLUX CÓDIGO DE CONDUTA NO LOCAL DE TRABALHO ELECTROLUX Declaração da Política Electrolux A Electrolux pretende ser a melhor empresa de eletrodomésticos do mundo na percepção de nossos clientes, empregados e

Leia mais

POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS

POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir uns para com os outros com espírito de fraternidade.

Leia mais

Estudo sobre a situação profissional dos jovens enfermeiros em Portugal. Ordem dos Enfermeiros

Estudo sobre a situação profissional dos jovens enfermeiros em Portugal. Ordem dos Enfermeiros EMPREGABILIDADE Rede de Jovens Enfermeiros Setº 2009 Estudo sobre a situação profissional dos jovens enfermeiros em Portugal Ordem dos Enfermeiros Rede de Jovens Enfermeiros Introdução No início de 2008,

Leia mais

Melhoria no mercado de trabalho não foi suficiente para garantir uma inserção menos desigual às mulheres

Melhoria no mercado de trabalho não foi suficiente para garantir uma inserção menos desigual às mulheres A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DO DISTRITO FEDERAL MARÇO - 2013 MARÇO - 2012 Melhoria no mercado de trabalho não foi suficiente para garantir uma inserção menos desigual às mulheres De maneira

Leia mais

CLÁUSULA 1ª. - VIGÊNCIA E DATA-BASE

CLÁUSULA 1ª. - VIGÊNCIA E DATA-BASE PAUTA NACIONAL DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DAS EMPRESAS DE TELEATENDIMENTO PARA NEGOCIAÇÃO COLETIVA UNIFICADA DOS SINDICATOS FILIADOS À FENATTEL DATA-BASE 1º DE JANEIRO DE 2015. CLÁUSULA 1ª. -

Leia mais

PLANO DE IGUALDADE DE GÉNERO PME INVESTIMENTOS SOCIEDADE DE INVESTIMENTO, S.A.

PLANO DE IGUALDADE DE GÉNERO PME INVESTIMENTOS SOCIEDADE DE INVESTIMENTO, S.A. PLANO DE IGUALDADE DE GÉNERO PME INVESTIMENTOS SOCIEDADE DE INVESTIMENTO, S.A. I. Introdução A promoção da igualdade de género constitui uma tarefa a cargo do Estado Português, estando inscrita com lugar

Leia mais

Convenção de Istambul

Convenção de Istambul CONVENÇÃO DO CONSELHO DA EUROPA PARA A PREVENÇÃO E O COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Convenção de Istambul LIVRE DO MEDO LIVRE DA VIOLÊNCIA QUAL É O OBJETIVO DA CONVENÇÃO?

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES

CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES SIGILO DAS INFORMAÇÕES respeitar a propriedade intelectual, segredos comerciais e outras informações confi denciais, exclusivas ou reservadas, e não devem fazer uso ou

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RECUPERAÇÃO JUDICIAL CLASSE I

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RECUPERAÇÃO JUDICIAL CLASSE I PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RECUPERAÇÃO JUDICIAL CLASSE I 1 O Grupo UTC ingressou com pedido de Recuperação Judicial? Quando? Resposta: Sim, no dia 17 de julho de 2017. 2 Onde foi ajuizado pedido de

Leia mais

Consulta pública. relativa ao projeto de guia do BCE sobre a avaliação da adequação dos membros dos órgãos de administração. Perguntas e respostas

Consulta pública. relativa ao projeto de guia do BCE sobre a avaliação da adequação dos membros dos órgãos de administração. Perguntas e respostas Consulta pública relativa ao projeto de guia do BCE sobre a avaliação da adequação dos membros dos órgãos de administração Perguntas e respostas 1 Qual é o objetivo do guia? O guia visa proporcionar transparência

Leia mais

Código de Conduta Empresarial. The Binding Site Group Limited. Março de 2017

Código de Conduta Empresarial. The Binding Site Group Limited. Março de 2017 Código de Conduta Empresarial The Binding Site Group Limited Março de 2017 Este Código de Conduta Empresarial se aplica a todos na Binding Site Group Limited, incluindo suas subsidiárias e filiais globais

Leia mais

A inserção das mulheres no mercado de trabalho do Distrito Federal

A inserção das mulheres no mercado de trabalho do Distrito Federal A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DO DISTRITO FEDERAL MARÇO - 2014 MARÇO - 2012 A inserção das mulheres no mercado de trabalho do Inúmeras têm sido as abordagens sobre a crescente presença feminina

Leia mais

Earnings Losses of Displaced Workers: Evidence from a Matched Employer-employee Dataset SUMÁRIO

Earnings Losses of Displaced Workers: Evidence from a Matched Employer-employee Dataset SUMÁRIO Earnings Losses of Displaced Workers: Evidence from a Matched Employer-employee Dataset Anabela Carneiro Faculdade de Economia da Universidade do Porto e CETE Pedro Portugal Banco de Portugal e Universidade

Leia mais

COMPROMISSO DOS ASSOCIADOS DA APESPE RH AO CÓDIGO DE CONDUTA DA EUROCIETT PARA O BOM FUNCIONAMENTO DO MERCADO LABORAL EUROPEU

COMPROMISSO DOS ASSOCIADOS DA APESPE RH AO CÓDIGO DE CONDUTA DA EUROCIETT PARA O BOM FUNCIONAMENTO DO MERCADO LABORAL EUROPEU COMPROMISSO DOS ASSOCIADOS DA APESPE RH AO CÓDIGO DE CONDUTA DA EUROCIETT PARA O BOM FUNCIONAMENTO DO MERCADO LABORAL EUROPEU Introdução Os serviços prestados pelas Agências Privadas de Emprego são uma

Leia mais

Código de conduta empresarial. The Binding Site Group Limited. Março de 2017

Código de conduta empresarial. The Binding Site Group Limited. Março de 2017 Código de conduta empresarial The Binding Site Group Limited Março de 2017 O presente Código de conduta empresarial aplica-se a todos na The Binding Site Group Limited, incluindo as suas subsidiárias e

Leia mais

Uma análise dos diferenciais salariais no Brasil

Uma análise dos diferenciais salariais no Brasil Uma análise dos diferenciais salariais no Brasil Ricardo Paes de Barros DIPES/IPEA Rosane Mendonça UFF/IPEA Gostaríamos de agradecer a toda a nossa equipe no IPEA pelo excelente trabalho de assistência

Leia mais

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 /2016

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 /2016 PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 /2016 FEDERACAO DOS TRABALHADORES, EMPREGADOS E EMPREGADAS NO COMERCIO E SERVICOS NO ESTADO DO CEARA - FETRACE, CNPJ n. 07.343.320/0001-93, neste ato representado(a)

Leia mais

Centro de Direitos Humanos Faculdade de Direito Universidade de Coimbra. Direito ao Trabalho. Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria

Centro de Direitos Humanos Faculdade de Direito Universidade de Coimbra. Direito ao Trabalho. Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Direito ao Trabalho Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Direito ao Trabalho (...) só se pode fundar uma paz universal e duradoura com base na justiça social (...) Constituição da Organização

Leia mais

Política de Depósitos e Levantamentos TeleTrade-DJ International Consulting Ltd

Política de Depósitos e Levantamentos TeleTrade-DJ International Consulting Ltd Política de Depósitos e Levantamentos TeleTrade-DJ International Consulting Ltd 2011-2017 TeleTrade-DJ International Consulting Ltd 1 Transferência Bancária: Quando efectuar um depósito através de Transferência

Leia mais

Política de Direitos Humanos no Local de Trabalho

Política de Direitos Humanos no Local de Trabalho Política de Direitos Humanos no Local de Trabalho Política de Direitos no Local de Trabalho Valorizamos o relacionamento que temos com os nossos funcionários. O sucesso do nosso negócio depende de cada

Leia mais

El Salvador Atualizado em:

El Salvador Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL El Salvador Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas que estejam ou tenham estado sujeitas à legislação de Portugal ou de El Salvador, referida no separador

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSP-MESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSP-MESP ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 REGIME DE TRABALHO CELETISTA Cláusula 1ª. REPOSIÇÃO SALARIAL. Os empregadores concederão a título de reposição salarial, o percentual correspondente a 5.62% (cinco

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro MEDIDA CONTRATO-EMPREGO PORTARIA N.º 34/2017, de 18 de janeiro A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro criou a medida Contrato-Emprego, a qual consiste na concessão, à entidade empregadora, de um apoio

Leia mais

Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres

Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MARÇO 2013 Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres De maneira geral, as mulheres

Leia mais

principais pontos da CLT que mudarão com a nova lei trabalhista

principais pontos da CLT que mudarão com a nova lei trabalhista principais pontos da CLT que mudarão com a nova lei trabalhista Acordo coletivo Convenções e acordos coletivos prevalecerão sobre a legislação em pontos como jornada de trabalho, intervalo, plano de carreira,

Leia mais

Igualdade de Género, e Não-discriminação.

Igualdade de Género, e Não-discriminação. 2016 Igualdade de Género, e Não-discriminação. INSTITUTO PORTUGUÊS DO SANGUE E DA TRANSPLANTAÇÃO, I.P. Igualdade de Género, e Não-discriminação. O IPST, I.P., está sujeito às normas legais previstas no

Leia mais

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO Contrato individual de trabalho é o acordo, tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego. Relação de emprego entre EMPREGADOR e EMPREGADO. DEFINIÇÃO LEGAL: O

Leia mais

RESUMO DA POLÍTICA DE CONFLITOS DE INTERESSE

RESUMO DA POLÍTICA DE CONFLITOS DE INTERESSE RESUMO DA POLÍTICA DE CONFLITOS DE INTERESSE 1. Introdução Este Resumo da Política de Conflitos de Interesse ("a Política") é-lhe fornecida (a si, o nosso cliente ou potencial cliente) em conformidade

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Término do contrato de trabalho. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Término do contrato de trabalho. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Término do contrato de trabalho Prof. Hermes Cramacon Resilição do contrato de trabalho Uma ou ambas as partes resolvem, sem justo motivo, romper o pacto laboral. Dispensa sem justa

Leia mais

Os trabalhadores e as trabalhadoras domésticas no mundo e a Convenção (Nº 189) da OIT

Os trabalhadores e as trabalhadoras domésticas no mundo e a Convenção (Nº 189) da OIT Os trabalhadores e as trabalhadoras domésticas no mundo e a Convenção (Nº 189) da OIT CES - Seminário sobre Apoio domiciliário e Trabalho doméstico: Perpectivas de emprego Lisboa, 29 de Novembro de 2013

Leia mais

PARECER N.º 438/CITE/2015

PARECER N.º 438/CITE/2015 PARECER N.º 438/CITE/2015 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora lactante, por extinção de posto de trabalho, nos termos do n.º 1 e da alínea c) do n.º 3 do artigo 63.º do Código do Trabalho,

Leia mais

(Órgão delegado do INE - Despacho conjunto de 24/11/1992) Rua Castilho, LISBOA Telefones Fax

(Órgão delegado do INE - Despacho conjunto de 24/11/1992) Rua Castilho, LISBOA Telefones Fax INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI 22/2008, DE 13 DE MAIO), DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 9853 VÁLIDO ATÉ 31/12 / 2009 INQUÉRITO AO IMPACTE DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS Alienação de Autorização de Produção Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP Página 1 de 8 Índice de Conteúdo CAPÍTULO I - CLÁUSULAS JURÍDICAS -... 3 ARTIGO 1º - OBJETO -... 3 ARTIGO 2º - PRAZO -...

Leia mais

BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI Nº 7.998/1990) Perguntas e respostas

BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI Nº 7.998/1990) Perguntas e respostas Secretaria de Políticas Públicas de Emprego Departamento de Emprego e Salário Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e Identificação Profissional. BOLSA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (LEI

Leia mais

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Acordo DIEESE/ OIT Apresentação A atividade teve como objetivos

Leia mais

TMDP Taxa Municipal de Direitos de Passagem. Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas

TMDP Taxa Municipal de Direitos de Passagem. Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas TMDP Taxa Municipal de Direitos de Passagem Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas TMDP Taxa Municipal de Direitos de Passagem Origem e regime da TMDP Questões suscitadas pelo regime da TMDP

Leia mais

Aula 12 Constituição Formal de Empresa

Aula 12 Constituição Formal de Empresa Considerações iniciais Todas as sociedades empresariais e entidades, independente do seu objeto social e porte econômico, estão sujeitas às regras estabelecidas pelo MTE, quando tiverem pessoas físicas

Leia mais

Pedido para Cuidado beneficente/assistência financeira

Pedido para Cuidado beneficente/assistência financeira Pedido para Cuidado beneficente/assistência financeira Caro Doente e Família: Para respeitar a nossa missão e valores fundamentais, estamos empenhados em fornecer cuidados de saúde às pessoas, quer estas

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

Orientações EBA/GL/2015/

Orientações EBA/GL/2015/ EBA/GL/2015/19 19.10.2015 Orientações sobre as notificações de passaporte de intermediários de crédito que intervenham em operações de crédito abrangidas pela Diretiva de Crédito Hipotecário 1 1. Obrigações

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros 15.12.2016 2017/0000(INI) PROJETO DE RELATÓRIO que contém uma proposta de recomendação do Parlamento Europeu ao Conselho

Leia mais

O desafio da Gestão de Recursos Humanos. Adriana Cristina Ferreira Caldana

O desafio da Gestão de Recursos Humanos. Adriana Cristina Ferreira Caldana O desafio da Gestão de Recursos Humanos Adriana Cristina Ferreira Caldana Minuto PWC CONCEITO ARH ou DGP? Função gerencial que visa à cooperação das pessoas para o alcance dos objetivos tanto organizacionais

Leia mais

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia Serviço Público Federal

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia Serviço Público Federal ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE PESSOA FÍSICA VIA CORREIO 1. Solicitar os boletos para recolhimento da taxa de inscrição de pessoa física, da taxa de expedição da habilitação e da anuidade (proporcional),

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Remuneração e salário. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Remuneração e salário Prof. Hermes Cramacon Remuneração Consiste na somatória da contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em pecúnia, seja em utilidades, com a quantia

Leia mais

2. Transcreve-se a seguir as informações constantes no Despacho: Solicito parecer jurídico em relação ao assunto.

2. Transcreve-se a seguir as informações constantes no Despacho: Solicito parecer jurídico em relação ao assunto. Parecer Jurídico nº 14/2015 Interessado: CAU/DF. Assunto: Questionamento sobre a obrigatoriedade do pagamento da contribuição sindical Ementa: Direito Administrativo. Questionamento sobre a obrigatoriedade

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA Prof. Antonio Daud

REFORMA TRABALHISTA Prof. Antonio Daud REFORMA TRABALHISTA Prof. Antonio Daud www.facebook.com/adaudjr @prof.antoniodaudjr VACATIO LEGIS Negociado x legislado O que pode negociar? O que não pode? Negociado x legislado Exercício Em quais dos

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. Recomendação 193. Genebra, 20 de junho de 2002. Tradução do Texto Oficial

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. Recomendação 193. Genebra, 20 de junho de 2002. Tradução do Texto Oficial CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO Recomendação 193 Recomendação sobre a Promoção de Cooperativas adotada pela Conferência em sua 90 ª Reunião Genebra, 20 de junho de 2002 Tradução do Texto Oficial

Leia mais

ZA5776. Flash Eurobarometer 341 (Gender Inequalities in the European Union) Country Questionnaire Portugal

ZA5776. Flash Eurobarometer 341 (Gender Inequalities in the European Union) Country Questionnaire Portugal ZA77 Flash Eurobarometer (Gender Inequalities in the European Union) Country Questionnaire Portugal FL - Women in the European Union - PT D Poderia dizer-me a sua idade? (ESCREVER - SE "RECUSA" CÓDIGO

Leia mais

Direitos dos Trabalhadores Domésticos na Irlanda

Direitos dos Trabalhadores Domésticos na Irlanda Direitos dos Trabalhadores Domésticos na Irlanda O que é um trabalhador doméstico? Em geral, de acordo com a legislação irlandesa, um trabalhador é definido como uma pessoa que exerce uma atividade vinculada

Leia mais

CARREIRAS DE JOVENS ENGENHEIROS NO BRASIL

CARREIRAS DE JOVENS ENGENHEIROS NO BRASIL CARREIRAS DE JOVENS ENGENHEIROS NO BRASIL RECENTE Bruno César Araújo Pesquisador do IPEA Nos anos 2000, valeu a pena ser engenheiro no Brasil. Esse cenário é bastante distinto do que aconteceu nos anos

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesu@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

Mercado de Trabalho da Grande Vitória: Principais Características da Última Década ( ) RELATÓRIO DE SETEMBRO/2008

Mercado de Trabalho da Grande Vitória: Principais Características da Última Década ( ) RELATÓRIO DE SETEMBRO/2008 Mercado de Trabalho da Grande Vitória: Principais Características da Última Década (1998-2007) RELATÓRIO DE SETEMBRO/2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DO ESPÍRITO SANTO Contrato de

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI 22/2008, DE 13 DE MAIO), DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10036 VÁLIDO ATÉ 31-12-2016 ANTES DE RESPONDER LEIA ATENTAMENTE AS

Leia mais

LBA NEWS. Direito Laboral. Janeiro de 2017

LBA NEWS. Direito Laboral. Janeiro de 2017 LBA NEWS Direito Laboral Janeiro de 2017 Contactos: Manuel Lopes Barata - manuellb@lopesbarata.com Diogo Lopes Barata - diogolb@lopesbarata.com Catarina Correia Soares cataricacs@lopesbarata.com Esta informação

Leia mais

Lei n.º 73/2017. Diário da República n.º 157/2017, Série I de

Lei n.º 73/2017. Diário da República n.º 157/2017, Série I de SEGUNDA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2017 Lei n.º 73/2017 Diário da República n.º 157/2017, Série I de 2017-08-16 Data de Publicação: 2017-08-16 Tipo de Diploma: Lei Número: 73/2017 Emissor: Assembleia da

Leia mais

MÓDULO 03 DIREITO CONSTITUCIONAL EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 04

MÓDULO 03 DIREITO CONSTITUCIONAL EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 04 Direitos Sociais. Questão 01 ESAF / ATRFB - 2012 O texto constitucional prevê o direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço à categoria dos trabalhadores domésticos. Questão 02 ESAF / ATRFB - 2012

Leia mais

Objetivos. Estabelecer requisitos básicos à admissão de um novo servidor, na medida em que subsidia programas de recrutamento e seleção de pessoal.

Objetivos. Estabelecer requisitos básicos à admissão de um novo servidor, na medida em que subsidia programas de recrutamento e seleção de pessoal. Objetivos A Principal finalidade do Plano de Cargos e Salários é de estabelecer políticas e procedimentos voltados à valorização do colaborador e de incentivo ao seu crescimento profissional. Os fundamentos

Leia mais

REGULAMENTO NACIONAL DE INTERMEDIÁRIOS

REGULAMENTO NACIONAL DE INTERMEDIÁRIOS REGULAMENTO NACIONAL DE INTERMEDIÁRIOS REGULAMENTO NACIONAL DE INTERMEDIÁRIOS 1 2 SUMÁRIO Título Página DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...4 REQUISITOS ESPECÍFICOS PARA REGISTRO E CADASTRO DE INTERMEDIÁRIOS...6

Leia mais

Enfrentamento aotráfico de Pessoas: Boas Práticas e Cooperação Jurídica. O trabalho forçado é a antítese do trabalho decente

Enfrentamento aotráfico de Pessoas: Boas Práticas e Cooperação Jurídica. O trabalho forçado é a antítese do trabalho decente Enfrentamento aotráfico de Pessoas: Boas Práticas e Cooperação Jurídica O trabalho forçado é a antítese do trabalho decente Trabalho Forçado Convenção sobre trabalho forçado, 1930 (29). todo trabalho ou

Leia mais

Padrão de Desempenho 2 V2 Condições de Emprego e Trabalho

Padrão de Desempenho 2 V2 Condições de Emprego e Trabalho Introdução 1. O Padrão de Desempenho 2 reconhece que a busca do crescimento econômico mediante a criação de empregos e a geração de renda deve ser contrabalançada com a proteção dos direitos básicos dos

Leia mais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais

Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais Professor: Joaquim Estevam de Araújo Neto Fone: (95) 99112-3636 - netobv@hotmail.com Protegido pela Lei nº 9.610/98 - Lei de Direitos Autorais 1 CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL Via de regra,

Leia mais

Termos e Condições da Oferta de Adoção do Cloud PBX para o Ano Fiscal de 2016 Revisto em 1 de Fevereiro de 2016

Termos e Condições da Oferta de Adoção do Cloud PBX para o Ano Fiscal de 2016 Revisto em 1 de Fevereiro de 2016 Página 1 de 5 Termos e Condições da Oferta de Adoção do Cloud PBX para o Ano Fiscal de 2016 Revisto em 1 de Fevereiro de 2016 O presente documento estabelece os detalhes da Oferta de Adoção do Cloud PBX

Leia mais

Conferência Internacional do Trabalho

Conferência Internacional do Trabalho Conferência Internacional do Trabalho PROTOCOLO À CONVENÇÃO 29 PROTOCOLO À CONVENÇÃO SOBRE TRABALHO FORÇADO, 1930, ADOTADA PELA CONFERÊNCIA EM SUA CENTÉSIMA TERCEIRA SESSÃO, GENEBRA, 11 DE JUNHO DE 2014

Leia mais

Empoderamento das Mulheres nos Sindicatos da CPLP

Empoderamento das Mulheres nos Sindicatos da CPLP Empoderamento das Mulheres nos Sindicatos da CPLP Lina Lopes Presidente da Comissão de Mulheres da UGT lina.lopes@ugt.pt/comissao.mulheres@ugt.pt Telephone +351 213 931 200/+351 912292471 Cabo Verde, 16

Leia mais

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS Janeiro 2017 O Orçamento Participativo das Escolas é um processo estruturado em várias etapas e que garante aos alunos a possibilidade de participarem ativamente no

Leia mais

MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA

MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA CONSTRUIR O FUTURO COM OS TRABALHADORES MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA Esta Moção define a estratégia e linhas orientadoras para o próximo mandato, tendo em linha de conta

Leia mais

ZA5780. Flash Eurobarometer 345 (Accessibility) Country Questionnaire Portugal

ZA5780. Flash Eurobarometer 345 (Accessibility) Country Questionnaire Portugal ZA780 Flash Eurobarometer (Accessibility) Country Questionnaire Portugal EB FLASH - Accessibility - PT D Poderia dizer-me a sua idade? (ESCREVER - SE "RECUSA" CÓDIGO '99') D Sexo Masculino Feminino PERGUNTAR

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015. Dispõe sobre a comercialização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no Estado de Goiás e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS, nos termos

Leia mais

ANEXO 01 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BENEFICIOS DE TODOS OS MEMBROS QUE COMPOEM O NÚCLEO FAMILIAR

ANEXO 01 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BENEFICIOS DE TODOS OS MEMBROS QUE COMPOEM O NÚCLEO FAMILIAR COORDENAÇÃO DE ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA CEP 64049-550, SG 14; Telefones: (86) 3215 5642/3 215 5645; Fax (86) 3215 5640; e-mail ANEXO 01 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BENEFICIOS DE TODOS OS MEMBROS

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA

SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA Projecto de Decreto Presidencial que Estabelece o Regime Jurídico de Vinculação e de Contribuição da Protecção Social

Leia mais

CAPITAL HUMANO REMUNERAÇÃO

CAPITAL HUMANO REMUNERAÇÃO CAPITAL HUMANO 1. Visão Geral A Grindrod reconhece que o seu sucesso está dependente do empenho e da aptidão dos seus trabalhadores. Esta política, em conjunto com as Políticas de Gestão de Desempenho

Leia mais

Contributo da CIP. A Proposta de Lei (doravante PL) em referência tem um duplo objetivo.

Contributo da CIP. A Proposta de Lei (doravante PL) em referência tem um duplo objetivo. Proposta de Lei n.º 54/XIII que visa a transposição para a ordem jurídica interna a Diretiva n.º 2013/55/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de novembro de 2013, a qual altera a Diretiva n.º

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

2016 Diagnóstico da situação de homens e mulheres na Parque Escolar, E.P.E.

2016 Diagnóstico da situação de homens e mulheres na Parque Escolar, E.P.E. 2016 Diagnóstico da situação de homens e mulheres na Parque Escolar, E.P.E. Diagnóstico da situação de homens e mulheres na Parque Escolar, E.P.E. Pág. 1/1 1. ENQUADRAMENTO Em cumprimento da Resolução

Leia mais

1. CARTA DA DIRETORIA

1. CARTA DA DIRETORIA 1. CARTA DA DIRETORIA A ADVANCE EMBALAGENS adota o presente Código de Conduta Empresarial com o objetivo de conduzir seus negócios embasando-se na obediência a princípios éticos e legais no relacionamento

Leia mais

Wage and Hour. Nós Podemos Ajudar

Wage and Hour. Nós Podemos Ajudar Wage and Hour Departamento de Trabalho dos E.U.A Divisiao de Salário e Horas Nós Podemos Ajudar Horas Salário Trabalho Infantil Horas Extras Manutenção de Registros Lei Davis-Bacon Imposição da Lei Trabalhista

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943

DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943 DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 01 DE MAIO DE 1943 Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, DECRETA: TÍTULO II DAS

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 1048/XII/3.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 1048/XII/3.ª Projeto de Resolução n.º 1048/XII/3.ª Recomenda ao Governo que ratifique a Convenção sobre Trabalho Digno para os Trabalhadores Domésticos e que tome as medidas adequadas à sua execução A Convenção n.º

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP

SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL DE ITU FILIADO A FESSPMESP 1 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 - CELETISTA Pelo presente instrumento particular de Acordo Coletivo de Trabalho de um lado o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Itu, entidade

Leia mais

Saiba Como Contribuir com a Previdência e Planejar Melhor Sua Aposentadoria

Saiba Como Contribuir com a Previdência e Planejar Melhor Sua Aposentadoria Saiba Como Contribuir com a Previdência e Planejar Melhor Sua Aposentadoria Palestrante Hilário Bocchi Junior www.bocchiadvogados.com.br hilariojunior@bocchiadvogados.com.br Sumário SISTEMA DE SEGURIDADE

Leia mais

Desenvolvimento curricular no Chile

Desenvolvimento curricular no Chile Desenvolvimento curricular no Chile Percurso de uma política Maximiliano Moder As principais mudanças curriculares nos últimos 50 anos. 1965. Reforma geral da educação 1980. Reforma geral da educação.

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

Tunísia Atualizado em: 12-11-2015

Tunísia Atualizado em: 12-11-2015 Tunísia Atualizado em: 12-11-2015 Esta informação destina-se a que cidadãos SEGURANÇA SOCIAL Trabalhadores que sejam nacionais de Portugal ou da Tunísia, que estejam ou tenham estado sujeitos à legislação

Leia mais