ILUMINAÇÃO CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO. Prof. Eng. Antonio Gebara José. Ir p/ primeira página

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ILUMINAÇÃO CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO. Prof. Eng. Antonio Gebara José. Ir p/ primeira página"

Transcrição

1 CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO Prof. Eng. Antonio Gebara José

2 CONCEITO DE CONFORTO (reposta fisiológica a estímulos ambientais) Luz = LUX Ruído = db(a) Temperatura = o C Umidade Relativa = % Sensações 1 o Nível de Conforto Resposta Fisiológica Ventos = m/s

3 CONFORTO LUMINOSO Luz Natural/Artificial Distribuição Contrastes Resposta Fisiológica

4 ABNT NBR ISO/CIE8995-1:2013 (SUBSTITUE A ANTIGA NBR-5413) Luz Natural/Artificial Distribuição Contrastes MIN. 300 lux MÁX. 750 lux Resposta Fisiológica

5 OBJETIVOS DA ILUMINAÇÃO Função - tipo de luz que o ambiente precisa. Ambientação do Espaço - criação de efeitos especiais

6 SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO Como a luz deverá ser distribuída pelo ambiente? Como a luminária irá distribuir a luz? Qual é a ambientação que queremos dar, com a luz, a este espaço?

7 SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO Principal ILUMINAÇÃO GERAL - distribuição matricial/lay out flexível ILUMINAÇÃO LOCALIZADA - área restrita/$ energia ILUMINAÇÃO DE TAREFA - próxima ao plano de trabalho/$ energia

8 SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO Secundário LUZ DE DESTAQUE - spots c/ 10x luz geral. LUZ DE EFEITO - jogos de fachos, sombra e contrastes. LUZ DECORATIVA - lustres antigos, arandelas coloniais e velas. LUZ ARQUITETÔNICA - sancas, corrimãos e cornijas. MODULAÇÃO - aumentar/diminuir a intensidade do sistema.

9 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS I RADIAÇÃO - ondas eletromagnéticas X comprimentos de onda. LUZ/CORES - combinação das cores primárias (RGB). POTÊNCIA TOTAL INSTALADA - somatória da potência (Kw). FLUXO LUMINOSO - radiação total da fonte luminosa (lm).

10 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS II EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - fluxo luminoso/watt (ne). EFICIÊNCIA LUMINÁRIA - fluxo luminoso/soma fluxos lâmpadas (nl). EFICIÊNCIA DO RECINTO - teto, paredes e piso (nr).

11 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS III FATOR DE UTILIZAÇÃO - nr/nl (Fu). FATOR DE DEPRECIAÇÃO - 20% boa Fd=0,8, 40% crítica Fd= 0,6.

12 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS IV NÍVEL DE ILUMINÂNCIA - fluxo luminoso/área (Lux) E= lm/m 2

13 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS V LUMINÂNCIA reflexo da área/olhos L=cd/m 2

14 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS VI a CURVA DE DISTRIBUIÇÃO LUMINOSA (CDL)

15 GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS VI b CURVA DE DISTRIBUIÇÃO LUMINOSA (CDL) S/ALETAS C/ALETAS

16 LUMINÁRIAS I São equipamentos que tem a função de distribuir de maneira adequada a luz emitida pelas lâmpadas sobre o plano de trabalho.

17 LUMINÁRIAS II Como Selecionar Luminárias Eficientes? Requisitos: Arquitetônicos Funcionais Controle de Ofuscamento Parâmetros: Rendimento Fator de Utilização X Ambiente

18 LUMINÁRIAS III

19 LUMINÁRIAS IV

20 LUMINÁRIAS V Iluminação de Interiores X Distribuição Luminosa

21 LÂMPADAS I incandescente

22 LÂMPADAS II a fluorescente

23 LÂMPADAS II b

24 LÂMPADAS II c fluorescente ÍNDICE REPRODUÇÃO COR I R C

25 LÂMPADAS II d fluorescente I R C

26 LÂMPADAS III

27 LÂMPADAS IV fluorescente compacta/reator

28 LÂMPADAS V

29 LÂMPADAS VI

30 REATORES I

31 REATORES I Reatores são equipamentos auxiliares necessários para o acendimento de lâmpadas de descarga (fluorescentes ou HID). Servem para limitar a corrente e adequar as tensões ao perfeito funcionamento das lâmpadas. Podem ser eletromagnéticos ou eletrônicos.

32 REATORES II O reator é elemento fundamental num projeto de iluminação: níveis de iluminação cintilações eficiência energética consumo ruídos e interferências

33 REATORES III A correta aplicação dos reatores garante melhor desempenho para os projetos elétrico e luminotécnico, contribuindo diretamente para a manutenção do fluxo luminoso e vida útil da lâmpada.

34 REATORES IV Eletromagnéticos Primeira geração de reatores. Conhecidos como reatores pesados Duas categorias: Partida Convencional e Rápida

35 REATORES V Eletrônicos Mais compactos Mais leves Consomem menos energia Aumentam a vida útil das lâmpadas Eliminam efeitos estroboscópicos São mais eficazes Apresentam versões diferenciadas de acendimento Luz com cor mais estável Partida rápida ou programada e instantânea

36 REATORES VI Eletrônicos Alto fator de potência Alta frequência (efeito estroboscópico e cintilação) Baixa carga térmica (economia de energia em 50%) Aumento de vida útil da lâmpada em 50% Possibilidade de dimerização Utilização de sistemas inteligentes Consumo de energia até - 70% versus eletromagnéticos

37 REATORES VII Fator Fluxo Luminoso (FFL) Por exemplo: Lâmpada Fluorescente de 32W Fluxo Luminoso Nominal de 2700 lumens Fator de Fluxo Luminoso (FFL) = 1,1 Resultado : 2970 lumens

38 REATORES VIII Fator de Eficácia do Reator (Rr) Por Exemplo: Lâmpada de 32W Super 84 Philips Fluxo Luminoso 2700 lumens Rr = Fluxo Luminoso Aplicado/Potência Total (lâmpada x 1,2) Resultado : Rr = 2700/38,4 = 70,31

39 REATORES IX Flicker Efeitos na Iluminação EMI Estroboscópico

40 REATORES X Flicker Provoca EMI (Interferência Magnética) provocando queda no Fator de Potência (FP) no sistema elétrico da iluminação.

41 REATORES XI EMI Interferência Magnética provocando queda no Fator de Potência (FP) no sistema elétrico da iluminação.

42 REATORES XII ESTROBOSCÓPICO Efeitos de Ilusão de Ótica Noturna, por exemplo, as rodas de um automóvel girando para trás.

43 REATORES XIII Influência na rede elétrica

44 ESTUDO DE CASO

45 50 m 15 m 5 m 20 m 15 m 6 m 12,5 m

46

47

48

49

50

51

52

53

54 Agradeço à Todos Cel. (11)

Resposta fisiológica do usuário Um determinado ambiente provido de luz natural e/ou artificial, produz estímulos ambientais, ou seja, um certo resulta

Resposta fisiológica do usuário Um determinado ambiente provido de luz natural e/ou artificial, produz estímulos ambientais, ou seja, um certo resulta Resposta fisiológica do usuário Um determinado ambiente provido de luz natural e/ou artificial, produz estímulos ambientais, ou seja, um certo resultado em termos de quantidade, qualidade da luz e sua

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA. LUMINÁRIAS PROJETO LUMINOTÉCNICO bases

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA. LUMINÁRIAS PROJETO LUMINOTÉCNICO bases Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA LUMINÁRIAS PROJETO LUMINOTÉCNICO bases Docente: Claudete Gebara J. Callegaro 2º semestre de

Leia mais

Sérgio Ferreira de Paula Silva

Sérgio Ferreira de Paula Silva Instalações Elétricas 1 Projeto de Instalações Elétricas Projetar uma instalação elétrica para qualquer tipo de prédio ou local consiste essencialmente em selecionar, dimensionar e localizar, de maneira

Leia mais

Introdução. A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial. 44% no setor comercial. 1% no setor industrial

Introdução. A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial. 44% no setor comercial. 1% no setor industrial Iluminação 1 Introdução A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial 44% no setor comercial 1% no setor industrial Iluminação pública é responsável por cerca

Leia mais

Faculdade de Engenharia. Luminotécnica. Departamento de Engenharia Elétrica. Prof. Luiz Sebastião Costa

Faculdade de Engenharia. Luminotécnica. Departamento de Engenharia Elétrica. Prof. Luiz Sebastião Costa Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Luminotécnica Prof. Luiz Sebastião Costa LUMINOTÉCNICA Iluminar - distribuir luz de acordo com a percepção humana Iluminação artificial não consideramos

Leia mais

Reatores. A importância do equipamento auxiliar. Da Redação PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS,

Reatores. A importância do equipamento auxiliar. Da Redação PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS, a u l a r á p i d a Foto: Getty Center - Los Angeles / Divulgação Lutron Reatores Da Redação A importância do equipamento auxiliar PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS, luz direta, luz indireta

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos

Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos Luminotécnica (Lâmpadas e Luminárias) Edcarlos Nunes Patrícia Lins Raphael Leite Thiago Santos 18/09/2011 1 Sumário Cálculo Luminotécnico:

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA REVISÃO DE CONCEITOS LÂMPADAS

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA REVISÃO DE CONCEITOS LÂMPADAS Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo CONFORTO AMBIENTAL: INSOLAÇÃO E ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO HÍBRIDA REVISÃO DE CONCEITOS LÂMPADAS Docente: Claudete Gebara J. Callegaro 2º semestre de 2014 ALGUNS

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS (IEI)

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS (IEI) INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS (IEI) Aula 3 Revisão de luminotécnica Prof.: Bruno Gonçalves Martins bruno.martins@ifsc.edu.br Prof. Bruno G. Martins Aula 2 Revisão luminotécnica RECAPITULANDO Revisão

Leia mais

Radiação visível - iluminação

Radiação visível - iluminação Iluminação Radiação visível - iluminação É a faixa do espectro eletromagnético capaz de ser detectada pelo olho humano. A sensibilidade do olho a esta região visível varia, dependendo do comprimento de

Leia mais

Aula: Projeto Luminotécnico

Aula: Projeto Luminotécnico Fonte: IGS, 2011 Aula: Projeto Luminotécnico Conteúdo programático Aula de hoje: Definição de Luminotécnica Grandezas e Conceitos Tipos de Iluminação Critérios de Desempenho do Principais Variáveis do

Leia mais

Conceitos Básicos. Introdução:

Conceitos Básicos. Introdução: LUMINOTÉCNICA Conceitos Básicos Introdução: Comparando a época que a luz artificial começou a ser utilizada com os dias atuais, constata-se que foi grande o passo dado pela indústria da iluminação no século;

Leia mais

Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica

Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica Lâmpadas e Comandos Iluminação - Grandezas de Luminotécnica; - Iluminação Incandecente; - Iluminação fluorescente; - Lâmpadas de descarga de alta pressão; - Interruptores. Conceitos básicos de luminotécnica

Leia mais

Projeto de Iluminação

Projeto de Iluminação LUMINOTÉCNICA Requisitos Básicos: Projeto de Iluminação Nível de Iluminamento: definir a iluminância em função da tarefa visual; Requisitos Básicos: Projeto de Iluminação Nível de Iluminamento: NBR 5413

Leia mais

GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS E MÉTODO DE LUMÉNS AULA 20

GRANDEZAS FOTOMÉTRICAS E MÉTODO DE LUMÉNS AULA 20 O que é luz? Luz Princípios Gerais Luz é a radiação eletromagnética capaz de produzir sensação visual. Fonte de luz radiação eletromagnética diferentes comprimentos de onda sensibilidade do olho espectro

Leia mais

Fluorescente Tubular T5

Fluorescente Tubular T5 Ampla e extensa gama de lâmpadas de alta eficiência, em diversos comprimentos, diâmetros e potências.excelente reprodução de cores, alto fluxo luminoso, melhor rendimento e vida mediana de até 24.000 horas,

Leia mais

GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS

GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS I GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS I 1 É A QUANTIDADE DE ENERGIA RADIANTE CAPAZ DE SENSIBILIZAR O OLHO HUMANO A UNIDADE DESTA GRANDEZA

Leia mais

PEA Usos Finais - Iluminação. Prof. Marco Antonio Saidel Prof. André Gimenes Arq. Juliana Iwashita

PEA Usos Finais - Iluminação. Prof. Marco Antonio Saidel Prof. André Gimenes Arq. Juliana Iwashita PEA 2520 Usos Finais - Iluminação Prof. Marco Antonio Saidel Prof. André Gimenes Arq. Juliana Iwashita Introdução Visão um dos sentidos mais importantes Influencia profundamente no desempenho de usuários

Leia mais

PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO.

PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO. PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO. 1. Levantamento de Informações 1.1.Projeto de arquitetura A escolha do projeto residencial 1.2. Lay out ocupação e uso do espaço Informações

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS

CONCEITOS FUNDAMENTAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS 03 GRANDEZAS LUMINOSAS GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS FLUXO LUMINOSO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA INTENSIDADE LUMINOSA ILUMINÂNCIA LUMINÂNCIA GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS FLUXO LUMINOSO

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01 REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA LUMINOTÉCNICO ANEXO 01 Responsabilidade e compromisso com o meio Ambiente SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO E OBJETIVO... 4 2. NORMALIZAÇÃO... 4 3. COMENTÁRIOS LUMINOTÉCNICOS:...

Leia mais

Sensibilidade Visual. Temperatura de Cor

Sensibilidade Visual. Temperatura de Cor Luminotécnica Fernando Augusto Lopes Corrêa Engº Eletricista CREA/PR 28.393-D Luz Radiação eletromagnética capaz de produzir uma sensação visual 1 Sensibilidade Visual Varia de acordo com o comprimento

Leia mais

Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados:

Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados: Informações Luminotécnicas

Leia mais

Iluminação: Conceitos e Projetos

Iluminação: Conceitos e Projetos Iluminação: Conceitos e Projetos Iluminação: Conceitos e Projetos A história da OSRAM está intimamente ligada à história da humanidade, suas relações e descobertas quanto à iluminação, pois sempre teve

Leia mais

Decore com luz e cor. Affinium LED String Kit Philips, solução flexível para iluminação decorativa

Decore com luz e cor. Affinium LED String Kit Philips, solução flexível para iluminação decorativa Decore com luz e cor Affinium LED String Kit Philips, solução flexível para iluminação decorativa Crie com luz Quando você escolhe Philips Affinium LED String Kit como solução em iluminação você tem mais

Leia mais

Projeto de Iluminação

Projeto de Iluminação Projeto de Iluminação Luz e o tempo A luz como energia, arquitetura como algo ligado a energia. A luz artificial como herdeira do fogo, em torno do qual nossos ancestrais se reuniam. Luzes e sombras mutantes

Leia mais

Aplicações: Galpões Armazéns Vias públicas Indústrias Restaurantes Iluminação externa e interna em geral

Aplicações: Galpões Armazéns Vias públicas Indústrias Restaurantes Iluminação externa e interna em geral A Sylvania possui uma ampla linha de lâmpadas de alta intensidade de descarga, indicadas para as mais diversas aplicações. Caracterizadas por altíssimo rendimento luminoso, possui modelos com excelente

Leia mais

Eletrotécnica. Introdução a luminotécnica

Eletrotécnica. Introdução a luminotécnica Eletrotécnica Introdução a luminotécnica Grandezas Fundamentais em Luminotécnica Luz: É o aspecto da energia radiante que um observador humano constata pela sensação visual, determinado pelo estímulo da

Leia mais

Lâmpadas fluorescentes compactas

Lâmpadas fluorescentes compactas LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS Lâmpadas fluorescentes compactas Mais luz, menor consumo e design três boas razões para optar pelas lâmpadas fluorescentes compactas da OSRAM. Elas consomem muito menos

Leia mais

ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO

ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO De acordo com as normas da ABNT, cada ambiente requer um determinado nível de iluminância (E) ideal, estabelecido de acordo com as atividades a serem ali desenvolvidas,

Leia mais

MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO

MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO Pode-se determinar o número de luminárias necessárias para produzir determinado iluminamento, das seguintes maneiras: 1ª Pela carga mínima exigida por normas; 2ª Pelo método

Leia mais

Lâmpadas Incandescentes

Lâmpadas Incandescentes Tipos de Lâmpadas Lâmpadas Incandescentes Gás Argônio / nitrogênio Filamento - Tungstênio Bulbo - vidro transparente ou leitoso Base latão, aluminio ou níquel - E-27 Lâmpadas Incandescentes Características:

Leia mais

Módulo Iluminação Artificial

Módulo Iluminação Artificial FAU / USP AUT 262 / 2 Sem. 2008 Módulo Iluminação Artificial (Parte 2) Prof. A. C. Mingrone Lâmpadas, Luminárias e Sistemas de Ilmuminação O resto de minha vida vou passar pensando sobre o que é a luz

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 6 Método dos Lumens Porto Alegre - 2012 Tópicos NBR 5413 Iluminância de interiores Método dos Lumens Exemplo de projeto Consumo

Leia mais

Luminotécnica. Iluminação: Conceitos e Projetos. Prof. Msc. Getúlio. Teruo Tateoki

Luminotécnica. Iluminação: Conceitos e Projetos. Prof. Msc. Getúlio. Teruo Tateoki Luminotécnica Iluminação: Conceitos e Projetos Conforto luminoso -O que todos nós queremos - arquitetos, engenheiros, decoradores de interiores, empresas fornecedoras de tecnologia, produtos e serviços

Leia mais

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012 Catálogo de Lâmpadas de LED V.2012.C06 Iluminação LED O mercado de iluminação está passando por mais uma revolução no que se refere à forma de emissão da luz elétrica, possibilitando novas aplicações e

Leia mais

Iluminação artificial: Tipos de lâmpada Sistemas de iluminação Exemplos

Iluminação artificial: Tipos de lâmpada Sistemas de iluminação Exemplos Iluminação artificial: Tipos de lâmpada Sistemas de iluminação Exemplos Exemplos de iluminância: Luz solar em dia claro (exterior)... 100.000lux Sala com janelas amplas, à luz do dia... 1.000lux Sala bem

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

MANUAL. Qualidade DO REATOR. DEMAPE Reatores para Iluminação Tel.: 55 (11) Fax.: 55 (11)

MANUAL. Qualidade DO REATOR.  DEMAPE Reatores para Iluminação Tel.: 55 (11) Fax.: 55 (11) Qualidade A DEMAPE oferece produtos e serviços com excelente qualidade, contínuo processo de melhoria e certificações de acordo com o INMETRO. MANUAL DO REATOR Segredo da qualidade Equipamentos, pesquisas,

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO ST8V-EM 17 W/ mm

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO ST8V-EM 17 W/ mm ST8V-EM 17 W/865 1200 mm SubstiTUBE Value Tubos LED económicos para balastros ferro-magnéticos AŔEAS DE APLICAÇÃO Iluminação em geral dentro de temperaturas ambiente de 20 +45 C Corredores, escadarias,

Leia mais

TECNOWATT Acendendo Emoções NATH ISTANIUM LED 2

TECNOWATT Acendendo Emoções NATH ISTANIUM LED 2 TECNOWATT Acendendo Emoções NATH ISTANIUM LED 2 www.tecnowatt.com.br NATH ISTANIUM LED 2 Os novos modelos de NATH Istanium LED 2 são a proposta da Simon para oferecer soluções de eficiência energética

Leia mais

Planejamento e projeto das instalações elétricas

Planejamento e projeto das instalações elétricas Planejamento e projeto das instalações elétricas 1) A energia elétrica fornecida aos consumidores residenciais é resultado da conexão do consumidor com: a) Sistema elétrico de geração; b) Sistema de compatibilidade

Leia mais

ST8A-EM 20 W/ mm

ST8A-EM 20 W/ mm ST8A-EM 20 W/830 1500 mm SubstiTUBE Advanced Tubos LED de alto desempenho para balastros ferro-magnéticos Aŕeas de aplicação _ Iluminação em geral dentro de temperaturas ambiente de 20 +50 C _ Iluminação

Leia mais

ST8AU-EM 16 W/ mm

ST8AU-EM 16 W/ mm ST8AU-EM 16 W/840 1200 mm SubstiTUBE Advanced Ultra Output Tubos LED para balastros ferromagnéticos Aŕeas de aplicação _ Iluminação em geral dentro de temperaturas ambiente de 20 +50 C _ Iluminação de

Leia mais

L E D C A T Á L O G O

L E D C A T Á L O G O L E D 20 16 C A T Á L O G O 2 C A T Á L O G O 2016 4 Com mais de 10 anos no mercado de importação, o Grupo Rio Cd traz ao mercado brasileiro a marca L&D. Com uma fábrica na China, oferecemos mais de 100

Leia mais

HE 21 W/840. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, elevada eficiência, com casquilho G5

HE 21 W/840. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, elevada eficiência, com casquilho G5 HE 21 W/840 LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, elevada eficiência, com casquilho G5 Aŕeas de aplicação _ Prédios públicos _ Escritórios _ Lojas _ Supermercados e lojas de departamentos

Leia mais

ILUMINAÇÃO LED. Residencial, Comercial e Industrial

ILUMINAÇÃO LED. Residencial, Comercial e Industrial ILUMINAÇÃO LED Residencial, Comercial e Industrial Catálogo 2017 www.jng.com.br LED BULBO - Durabilidade até 5x maior comparado a lâmpadas convencionais; - Economia de até 90% em comparação a lâmpadas

Leia mais

Segundo Mamede Filho (2002), existe três métodos para se determinar o número de luminárias

Segundo Mamede Filho (2002), existe três métodos para se determinar o número de luminárias 1 1. CÁLCULO DE ILUMINAMENTO Segundo Mamede Filho (2002), existe três métodos para se determinar o número de luminárias necessárias para produzir determinado iluminamento que são: métodos dos lumens; métodos

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA

INVERSOR DE EMERGÊNCIA INVERSOR DE EMERGÊNCIA O Inversor de Emergência trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação normal e emergência.

Leia mais

CATÁLOGO SLIM. lux.com.br

CATÁLOGO SLIM. lux.com.br LUZ É UMA RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA CAPAZ DE PRODUZIR SENSAÇÃO VISUAL. QUANDO A LUZ ATINGE UMA SUPERFÍCIE, PODE SER ABSORVIDA, REFLETIDA OU TRANSMITIDA. LUMENS X WATTS Lumen é a unidade de medida que mensura

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Linha de produtos Portal Lux 2017

APRESENTAÇÃO. Linha de produtos Portal Lux 2017 APRESENTAÇÃO Linha de produtos Portal Lux 2017 Todas as imagens contidas neste catálogo são meramente ilustrativas. Para mais informações de nossos produtos acesse: www.portallux.com.br A Portal Lux se

Leia mais

HE ES 25 W/865. Ficha técnica do produto

HE ES 25 W/865. Ficha técnica do produto HE ES 25 W/865 LUMILUX T5 HE ES Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, elevada eficiência, economia de energia, com casquilho G5 Aŕeas de aplicação _ Prédios públicos _ Escritórios _ Lojas _ Supermercados

Leia mais

Iluminação: Conceitos e Projetos

Iluminação: Conceitos e Projetos Iluminação: Conceitos e Projetos Iluminação: Conceitos e Projetos A história da OSRAM está intimamente ligada à história da humanidade, suas relações e descobertas quanto à iluminação, pois sempre teve

Leia mais

LÂMPADAS PARA ILUMINAÇÃO DE

LÂMPADAS PARA ILUMINAÇÃO DE Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica LÂMPADAS PARA ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Lâmpadas Lâmpadas Incandescentes Lâmpadas para Iluminação Pública e para Grandes

Leia mais

Luminárias para Interiores

Luminárias para Interiores a u l a r á p i d a Fotos: Divulgação Siteco Luminárias para Interiores Por Rinaldo Caldeira Pinto E suas fotometrias Quando pensamos em fotometrias de luminárias, logo nos vem à cabeça a idéia de uma

Leia mais

Lâmpadas fluorescentes compactas

Lâmpadas fluorescentes compactas LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS Lâmpadas fluorescentes compactas Mais luz, menor consumo e design três boas razões para optar pelas lâmpadas fluorescentes compactas da OSRAM. Elas consomem muito menos

Leia mais

Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares

Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES E CIRCULARES Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares As lâmpadas fluorescentes produzem mais de 70% da luz artificial em todo o mundo. Proporcionam excelente economia

Leia mais

Lâmpadas incandescentes

Lâmpadas incandescentes LÂMPADAS INCANDESCENTES Lâmpadas incandescentes Em 854, o mecânico alemão Heinrich Göbel construiu a primeira lâmpada incandescente usando fios de bambu carbonizados como filamento, que foram inseridos

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Maio / 2004 GEPEA/EPUSP GRUPO DE ENERGIA DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ENERGIA E AUTOMAÇÃO ELÉTRICAS DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

BRIKA. a luz sustentável PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções BRIKA

BRIKA. a luz sustentável PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções BRIKA BRIKA CARATeristÍcas LUMINária Estanquicidade global: IP 66 (*) Resistência ao choque: IK 08 (**) Tensão nominal: 230 V - 50 Hz Classe elétrica: I or II (*) Peso: from 2.8 to 4.7 kg Materiais: Corpo: Perfil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROJETO COMPLEMENTAR DE ILUMINAÇÃO PARA O PRÉDIO DO PROJETO FRONTEIRAS DO DIAGNÓSTICO E DAS TERAPIAS DAS DOENÇAS

Leia mais

Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng.

Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng. Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng. Por que a lâmpada Incandescente? Fonte: Revista Potência, n o 111, março2015, pg. 23. 2 Por que a Lâmpada

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Art. 1 o Os equipamentos objeto desta regulamentação

Leia mais

SÉRIE PAINÉIS ADVANCED OPTRONIC DEVICES (BRASIL) S/A» Características Painel de LED AOD. Aplicações Recomendadas. AL-PL Parâmetros

SÉRIE PAINÉIS ADVANCED OPTRONIC DEVICES (BRASIL) S/A» Características Painel de LED AOD. Aplicações Recomendadas. AL-PL Parâmetros A luz do Painel de LED AOD é uma das iluminações interiores de alta qualidade. A estrutura do painel com alumínio anodizado, além da proteção contra oxidação não só resolve o problema de dissipação de

Leia mais

MASTER LEDtube GA - A nova geração de iluminação tubular econômica

MASTER LEDtube GA - A nova geração de iluminação tubular econômica Lighting MASTER LEDtube GA - A nova geração de iluminação tubular econômica MASTER LEDtube GA A Philips MASTER LEDtube integra uma fonte de luz LED ao formato de lâmpada fluorescente tradicional. Seu desenho

Leia mais

SubstiTUBE Value. Ficha técnica da família de produto. Lâmpadas LED tubulares

SubstiTUBE Value. Ficha técnica da família de produto. Lâmpadas LED tubulares SubstiTUBE Value Lâmpadas LED tubulares Aŕeas de aplicação _ Escritórios _ Indústria _ Áreas de logística, unidades de transporte e corredores _ Supermercados e lojas de departamentos Benefícios do produto

Leia mais

ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO

ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO ILUMINAÇÃO LED Bulbo As lâmpadas LED tipo bulbo possuem formato de uma lâmpada incandescente e corpo em alumínio, apresentando economia de 70% e durabilidade muito elevada em relação as lâmpadas incandescentes.

Leia mais

Certificação de edificações

Certificação de edificações Certificação de edificações O consumo de energia elétrica nas edificações corresponde a cerca de 45% do consumo faturado no país. Potencial estimado de redução em 50% para novas edificações e de 30% para

Leia mais

Luz amiga do ambiente A ausência de metais pesados, chumbo e mercúrio tornam a tecnologia LED especialmente amiga do ambiente.

Luz amiga do ambiente A ausência de metais pesados, chumbo e mercúrio tornam a tecnologia LED especialmente amiga do ambiente. Tecnologia LED Valores da tecnologia LED Luz que não aquece, mas emociona. O LED é uma fonte de luz que não emite calor (não produz radiação infravermelha) e oferece a capacidade de personalizar o fluxo

Leia mais

SubstiTUBE Value. Ficha técnica da família de produto. Tubos LED económicos para balastros ferro-magnéticos

SubstiTUBE Value. Ficha técnica da família de produto. Tubos LED económicos para balastros ferro-magnéticos SubstiTUBE Value Tubos LED económicos para balastros ferro-magnéticos Aŕeas de aplicação _ Iluminação em geral dentro de temperaturas ambiente de 20 +45 C _ Corredores, escadarias, garagens _ Salas de

Leia mais

ÍNDICE LIVING... 3 DORMITÓRIO... 5 HOME THEATER... 7 SALA DE JANTAR... 8 COZINHAS BANHEIRO...

ÍNDICE LIVING... 3 DORMITÓRIO... 5 HOME THEATER... 7 SALA DE JANTAR... 8 COZINHAS BANHEIRO... ÍNDICE LIVING... 3 DORMITÓRIO... 5 HOME THEATER... 7 SALA DE JANTAR... 8 COZINHAS... 10 BANHEIRO... 12 Philips Lighting Pág. 2 / 13 LIVING O Living é, por excelência, a área nobre da casa e por isso deve

Leia mais

Automação Predial e Domótica

Automação Predial e Domótica Automação Predial e Domótica Sistemas de Iluminação Fabricia Neres Sistemas de Iluminação; Roteiro da Aula 1 Sistemas de Iluminação residencial É considerado sistema de iluminação elétrica todas as luminárias

Leia mais

catálogo de lâmpadas

catálogo de lâmpadas catálogo de lâmpadas uma ideia ligada em você LÂMPADAS LORENZETTI Acreditamos que a inovação das grandes ideias pode contribuir para um mundo sustentável. Para nós uma mudança simples de atitude aumenta

Leia mais

A. INTRODUÇÃO B. RADIAÇÃO VISÍVEL C. LUZ NATURAL E VISÃO D. DISPONIBILIDADE DA LUZ NATURAL E. DEFINIÇÕES E UNIDADES A LUZ NATURAL

A. INTRODUÇÃO B. RADIAÇÃO VISÍVEL C. LUZ NATURAL E VISÃO D. DISPONIBILIDADE DA LUZ NATURAL E. DEFINIÇÕES E UNIDADES A LUZ NATURAL A LUZ NATURAL A. INTRODUÇÃO B. RADIAÇÃO VISÍVEL C. LUZ NATURAL E VISÃO 1. LUZ VISÍVEL 2. VISÃO E CONFORTO VISUAL D. DISPONIBILIDADE DA LUZ NATURAL E. DEFINIÇÕES E UNIDADES Product training program http://www.osram.com/osram_com/tools

Leia mais

Disciplina: Instalações Elétricas Prediais

Disciplina: Instalações Elétricas Prediais Disciplina: Instalações Elétricas Prediais Parte 2 Sistemas de Iluminação: Luminotécnica Prof Msc Alex Vilarindo Menezes 1 Cronograma 1 Conceitos fundamentais da luminotécnica 2 Lâmpadas Classificação

Leia mais

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria.

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. DESCRIÇÃO Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. APLICAÇÕES Indicada para todas as áreas prediais,

Leia mais

BRIKA PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções

BRIKA PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções BRIKA BRIKA CARATeristÍcas LUMINária Estanqueidade global: IP 66 (*) Resistência ao choque: IK 08 (**) Tensão nominal: 230 V - 50 Hz Classe elétrica: I or II (*) Peso: from 2.8 to 4.7 kg Materiais: Corpo:

Leia mais

Lâmpadas incandescentes

Lâmpadas incandescentes ÍNDICE Lâmpadas incandescentes CLASSIC A 6.02 CLASSIC B 6.03 CLASSIC P 6.04 BELLALUX 6.05 CONCENTRA 6.06 CENTRA SEMÁFORO 6.07 Curva de distribuição luminosa / Soquete / Distribuição espectral 6.08 CLASSIC

Leia mais

CERTIFICADAS INMETRO

CERTIFICADAS INMETRO CERTIFICADAS INMETRO /// CERTIFICADAS Certificação é coisa séria! Por isso a GalaxyLED foi uma das primeiras empresas brasileiras a terem seus produtos certificados. Atualmente temos mais de 120 produtos

Leia mais

SAC LÂMPADAS SUPERLED SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ

SAC LÂMPADAS SUPERLED SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ SAC 0800-193130 LÂMPADAS SUPERLED SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ SOLUÇÕES FEITAS PARA VOCÊ EFICIÊNCIA ENERGÉTICA É O QUE SE BUSCA NOS DIAS DE HOJE E a Alumbra entende a importância de oferecer soluções que

Leia mais

Iluminação dos Corredores do Prédio de Engenharia Elétrica. Estudo Preliminar

Iluminação dos Corredores do Prédio de Engenharia Elétrica. Estudo Preliminar Iluminação dos Corredores do Prédio de Engenharia Elétrica Estudo Preliminar Introdução No presente estudo são apresentados os resultados obtidos na simulação de iluminação dos corredores do prédio de

Leia mais

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Métodos de cálculo simplificados

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL Métodos de cálculo simplificados Métodos de cálculo simplificados Paulo Scarazzato VÁLIDO PARA ESPAÇOS RELATIVAMENTE SIMPLES TETO BRANCO, PAREDES TONALIDADE MÉDIA, JANELAS, ETC. COM LUMINÁRIAS E EQUIPAMENTOS COMUNS EVITE PEÇAS CUSTOMIZADAS

Leia mais

Apêndice D Efeito Flicker em Fornos a Arco

Apêndice D Efeito Flicker em Fornos a Arco Efeito Flicker em Fornos a Arco 147 Apêndice D Efeito Flicker em Fornos a Arco D.1 INTRODUÇÃO Cintilação de luz é a impressão visual resultante das variações do fluxo luminoso nas lâmpadas elétricas causadas

Leia mais

ÍNDICE LINHA LED LUMINÁRIAS COB TECNOLOGIA E QUALIDADE LINHA LED SPOTS COB LINHA LED VERSÁTEIS LINHA LED SPOTS 30 31

ÍNDICE LINHA LED LUMINÁRIAS COB TECNOLOGIA E QUALIDADE LINHA LED SPOTS COB LINHA LED VERSÁTEIS LINHA LED SPOTS 30 31 CATÁLOGO LED ÍNDICE LINHA LED LUMINÁRIAS COB 22 25 TECNOLOGIA E QUALIDADE 04 05 LINHA LED SPOTS COB 26 29 LINHA LED VERSÁTEIS 06 09 LINHA LED SPOTS 30 31 LINHA LED GU10 10 11 LINHA LED RGB 32 33 LINHA

Leia mais

Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos

Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos Reatores Eletromagnéticos para s Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos Com baixas perdas. Longa durabilidade. Leves e compactos. Baixo nível de ruído e, em sua categoria, são os de menor peso e dimensões.

Leia mais

Linha de produtos 2016/17 Luz é OSRAM

Linha de produtos 2016/17 Luz é OSRAM www.ledvance.com.br Linha de produtos 2016/17 Luz é OSRAM Linha de produtos 2016/17 Licenciado a utilizar a marca OSRAM em iluminação geral www.ledvance.com.br LEDVANCE E VOCÊ VAMOS ILUMINAR O SEU NEGÓCIO

Leia mais

Projetos e Soluções. Iluminação Pública Novembro 2015

Projetos e Soluções. Iluminação Pública Novembro 2015 Projetos e Soluções Iluminação Pública Novembro 2015 O que é um LED? Basicamente, os LEDs (diodos emissores de luz) são componentes semicondutores, mesma tecnologia utilizada nos chips dos computadores,

Leia mais

LEDs versus lâmpadas convencionais

LEDs versus lâmpadas convencionais a r t i g o s versus lâmpadas convencionais Por Francis Bergmann Bley Viabilizando a troca Na última década, com o aprimoramento dos s na área de iluminação, os brasileiros, inclusive profissionais da

Leia mais

Dimensionamento de um sistema de iluminação a LED alimentado por painéis fotovoltaicos

Dimensionamento de um sistema de iluminação a LED alimentado por painéis fotovoltaicos Dimensionamento de um sistema de iluminação a LED alimentado por painéis fotovoltaicos Edwilson da Silva Souza Engenheiro Eletricista pelo Centro Universitário CESMAC. Marcos André dos Santos Ferreira

Leia mais

SÉRIE LÂMPADAS LED TUBULARES

SÉRIE LÂMPADAS LED TUBULARES A lâmpada tubular de LED AOD é um semicondutor de iluminação ecologicamente correto que possui uma série de vantagens sobre as lâmpadas tubulares convencionais, tais como, não piscam ao acender, luz suave

Leia mais

HO 54 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento

HO 54 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento HO 54 W/865 LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento Aŕeas de aplicação _ Indústria _ Prédios públicos _ Escritórios _ Túneis, passarelas subterrâneas _ Estacionamentos

Leia mais

MÓDULO V EFICIÊNCIA NO CONSUMO DA ENERGIA ELÉTRICA

MÓDULO V EFICIÊNCIA NO CONSUMO DA ENERGIA ELÉTRICA MÓDULO V EFICIÊNCIA NO CONSUMO DA ENERGIA ELÉTRICA Versião 2.0 Direitos Reservados PROCOBRE 2009 CONTEUDO Capítulo 1: Eficiência energética em sistemas elétricos. Capítulo 2: Avaliação técnico-econômica

Leia mais

A Iluminação Natural e Artificial em Edifícios Desportivos

A Iluminação Natural e Artificial em Edifícios Desportivos A Iluminação Natural e Artificial em Edifícios Desportivos António J.C. Santos Laboratório Nacional de Engenharia Civil Departamento de Edifícios - Núcleo de Acústica e Iluminação Workshop Eficiência Energética

Leia mais

Lâmpadas e luminotécnica

Lâmpadas e luminotécnica Lâmpadas e luminotécnica Conceitos gerais e projeto de luminotécnica Giovanni Manassero Junior Depto. de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Escola Politécnica da USP 15 de março de 2013 EPUSP

Leia mais

A marca ideal para todos os projetos de iluminação. Para mais informações acesse.

A marca ideal para todos os projetos de iluminação. Para mais informações acesse. A marca ideal para todos os projetos de iluminação. Para mais informações acesse. A Alumbra sabe que toda escolha é muito importante. Em cada etapa dos projetos de elétrica ou de iluminação, os mínimos

Leia mais

LINHA SLIM LIGHT V h IRC 70. Vida. Multi Tensão

LINHA SLIM LIGHT V h IRC 70. Vida. Multi Tensão LED LUMINÁRIAS 06 Catálogo de Produtos LUMINÁRIAS DE EMBUTIR LINHA SLIM LIGHT 0-240 V 25.000h 1 Ângulo de Abertura Drivers independentes, proporcionando maior segurança e exibilidade Multi-tensão Design

Leia mais

PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I

PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I 1 OBJETIVO DA DISCIPLINA A disciplina tem por objetivo apresentar as bases teóricas e as aplicações dos principais dispositivos, materiais e equipamentos

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005.

PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005. PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, E DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR, no uso da atribuição que lhes confere

Leia mais

Evolution LED MR11 Mini Dicróica STH3510 - pág. 04 MR16 Dicróica STH3320 - pág. 05 MR16 Dicróica STH3325 - pág. 06 MR16 Dicróica STH3300 - pág. 07 Power LED Bi-pino STH3030 - pág. 10 Halopin STH3041/42

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Missão Proporcionar soluções eficientes e de alta qualidade em iluminação, buscando a excelência no atendimento, inovação constante de nossos produtos, superando assim as expectativas

Leia mais