CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA"

Transcrição

1 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: OS CONSELHOS REGIONAIS E FEDERAL DE MEDICINA SÃO ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA E PORTANTO INTEGRANTES DO CADIN - CADASTRO INFORMATIVO DE CRÉDITOS NÃO QUITADOS DO SETOR PÚBLICO FEDERAL. AS ANUIDADES PAGAS AOS CONSELHOS REGIONAIS SÃO CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS, OU SEJA, RECURSOS PÚBLICOS. OS PROFISSIONAIS SUJEITOS AO PAGAMENTO DE ANUIDADES NOS CONSELHOS DE MEDICINA, QUANDO EM DÉBITO RELATIVO ÀS ANUIDADES VENCIDAS E NÃO PAGAS HÁ MAIS DE SESSENTA DIAS DEVERÃO TER SEUS NOMES INCLUSOS NO CADIN. OS ARTIGOS 6º E 7º DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº /97, BEM COMO OS ARTIGOS 4º, 5º, 6º E 7º DO DECRETO Nº 1.006/97 (O QUAL INSTITUI O CADIN) ESTÃO SUSPENSOS POR FORÇA DE MEDIDA LIMINAR DEFERIDA EM AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE, ATÉ O SEU JULGAMENTO FINAL. ORIGEM: CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA Referência: Protocolo CFM nº 4645/97 INTERESSADO: DR. A. J. M. N. - Presidente PARECER Nº 213/97 do Setor Jurídico Aprovado em Reunião de Diretoria do dia 18/9/1997. PARECER O Presidente do Conselho Regional de Medicina encaminha expediente a este CFM questionando a aplicabilidade aos Conselhos de Medicina da Medida Provisória nº , de 7 de agosto de 1997, a qual dispõe sobre o Cadastro Informativo dos créditos não quitados de órgãos e entidades federais. matéria suscitada. Este Setor Jurídico foi instado a se pronunciar acerca da Em remessa à Medida Provisória nº /97, temos que: Art. 1º - O Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (CADIN) passa a ser regulado por esta Medida Provisória. Art. 2º - O CADIN conterá relação das pessoas físicas e jurídicas que:

2 I - sejam responsáveis por obrigações pecuniárias vencidas e não pagas, há mais de sessenta dias, para com órgãos e entidades da Administração Pública Federal, direta e indireta; II - estejam com a inscrição nos cadastros inidcados, do Ministério da Fazenda, em uma das seguintes situações: a) suspensa ou cancelada no Cadastro de Pessoas Físicas - CPF; b) declarada inapta perante o Cadastro Geral de Contribuintes - CGC. 1º - Os órgãos e entidades a que se refere o inciso I procedrão, segundo normas próprias e sob sua exclusiva responsabilidade, às inclusões no CADIN, de pessoas físicas ou jurídicas que se enquadrem nas hipóteses preveistas neste artigo. 2º - Na data do registro, o órgão ou entidade responsável expedirá comunicação ao devedor dando ciência de sua inclusão no CADIN, fornecendo-lhe todas as informações pertinentes ao débito. 4º - Comprovado ter sido regularizada a situação que deu causa à inclusão no CADIN, o órgão ou entidade responsável pelo registro procederá, no prazo de cinco dias úteis, à respectiva baixa. 5º - A inclusão no CADIN sem a expedição da comunicação ou da notificação de que tratam os 2º e 3º, ou a não exclusão, nas condições e nos prazo previsto no 4º, sujeitará o responsável às penalidades cominadas pela Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 (Consolidação das Leis do Trabalho) Art. 5º -... Parágrafo único - Cada órgão ou entidade a que se refere o inciso I do art. 2º manterá, sob sua responsabilidade, cadastro contendo informações detalhadas sobre as operações ou situações que tenham registrado no CADIN, inclusive para atender o que dispõe o parágrafo único do art. 3º. Art. 6º - É obrigatória a consulta prévia ao CADIN, pelos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, direta e indireta para: I - realização de operações de crédito que envolvam a utilização de recursos públicos; II - concessão de incentivos fiscais e financeiros; III - celebração de convênios, acordos, ajustes ou contratos que envolvam desembolso, a qualquer título, de recursos públicos, e respectivos aditamentos. 2

3 Art. 7º - A existência de registro no CADIN há mais de trinta dias constitui fator impeditivo para a celebração de qualquer dos atos previstos no artigo anterior. Art. 9º -... Parágrafo único - O Ministro de Estado da Fazenda estabelecerá cronograma, prioridades e condições para a remessa, às unidades da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, dos débitos passíveis de inscrição em Divida Ativa da União e cobrança judicial. Art Os débitos de qualquer natureza para com a Fazenda Nacional poderão ser parcelados em até trinta parcelas mensais, a exclusivo critério da autoridade fazendária, na forma e condições previstas nesta Medida Provisória. Ab initio, vale ressaltar que os Conselhos de Fiscalização Profissional, na qualidade de entidades da Administração Pública Federal indireta estão submetidos à regra da Medida Provisória nº /97. Consoante a sobredita Medida Provisória, os profissionais sujeitos ao pagamento das anuidades nos Conselhos de Medicina, quando em débito relativamente às anuidades vencidas e não pagas há mais de sessenta dias terão seus nomes inclusos no CADIN, sendo expedida comunicação pelo respectivo CRM, dandolhe ciência de sua inclusão e fornecendo, inclusive, as informações acerca do débito. Quando regularizada a situação do devedor junto ao CRM, a respectiva baixa deverá ser processada no prazo de 5 dias úteis da regularização. Caso o devedor não seja comunicado de sua inclusão no CADIN, com a discriminação do débito que deu motivo ao registro, ou, em caso de regularização da situação, não seja promovida a respectiva baixa, o CRM ficará sujeito às penalidades cominadas pela Lei nº 8.112/90 e pelo Decreto -Lei nº 5.452/43 (CLT). Urge ressaltar, ainda, que as anuidades pagas pelos profissionais filiados às entidades de fiscalização profissional são contribuições sociais, portanto, recursos públicos. As pessoas físicas ou jurídicas incluídas no CADIN terão acesso às informações a elas referentes diretamente no Conselho Regional de Medicina respectivo. 3

4 Vale lembrar, que o Supremo Tribunal Federal deferiu liminar em Ação Direta de Inconstitucionalidade da Medida Provisória nº 1.442/96 (anterior à MP em análise) suspendendo a eficácia de seus artigos 6º e 7º, equivalentes aos mesmos artigos da MP nº /97. Assim, ambos os artigos estão suspensos até o julgamento definitivo da referida ADIN. Os citados artigos versam sobre a obrigatoriedade da consulta prévia ao CADIN para a celebração de convênios, acordos, ajustes ou contratos que envolvam o desembolso de recursos públicos e sobre o impedimento para celebração dos referidos convênios, acordos, ajustes e contratos quando há registro no CADIN há mais de trinta dias. Urge ressaltar, ainda que o Supremo Tribunal Federal deferiu liminar em Ação Direta de Inconstitucionalidade suspendendo os artigos 4º, 5º, 6º e 7º do Decreto Federal nº 1006 de 9/12/93, o qual institui o cadastro informativo dos créditos de órgãos e entidades federais não quitados - CADIN, em termos: Art. 4º - Nos casos em que houver registro no CADIN de obrigação de responsabilidade do interessado, o funcionário, empregado ou procurador, e o administrador ou dirigente competentes para emitir parecer sobre a matéria ou para deferir o pedido a que se referem os incisos do art. 3º deste Decreto, abster-se-á de dar prosseguimento ao exame do pleito, comunicando, por escrito, o fato a parte interessada. (Art. 3º - É obrigatória a consulta prévia ao CADIN, pelos órgãos e entidades que o integram para: I - a realização de operações de crédito, inclusive a concessão de garantias; II - a concessão de incentivos fiscais e financeiros; III - a celebração de convenios, acordos, ajustes ou contratos que envolvam desembolso, a qualquer título, de recursos financeiros; IV - outras hipoteses, a critério do Ministro da Fazenda. 1º - O disposto neste artigo não se aplica: I - à concessão de auxilios a municipios atingidos por calamidade pública decretada pelo Governo Federal, de que trata o Decreto nº de 28 de dezembro de 1990; II - as operações destinadas a composição e regularização dos créditos e obrigações objeto de registro no CADIN. 2º A não realização da consulta ao CADIN constitui falta grave, nos termos da Lei nº 8.112, de 12 de dezembro de 1990, e da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada eplo Decreto-Lei nº de 1º de maio de 1943; 3º - A Secretaria da Receita Federal consultará também o CADIN para efeito do disposto no artigo 7º, do Decreto -Lei nº de 23 de julho de 1986.) Art. 5º - Na hipótese de o interessado apresentar justificativa cabal referente ao não cumprimento da obrigação, sua aceitação é da exclusiva competência discricionaria do Ministro supervisor do órgão ou entidade. 4

5 Art. 6º - Para efeito da seleção de prioridades na administração dos recursos disponíveis e da análise e decisão dos pleitos, dar-se-a preferência a quem não seja responsável por obrigações não quitadas, a que se refere este Decreto. Art. 7º - Observado o disposto no art. 4º, o deferimento do pleito constituira tratamento excepcional, tendo como condição necessária, além da demonstração individualizada dos critérios técnicos usuais, a apresentação de parecer e decisão fundamentados e conclusivos, a critério da autoridade referida no art. 5º. CONCLUSÃO Ex positis, os Conselhos Regionais e Federal de Medicina, por se constituírem como entidades da Administração Pública Federal indireta, são integrantes do CADIN, e portanto, estão sujeitos aos ditames da Medida Provisória em comento. Convém lembrar que as anuidades pagas aos Conselhos Regionais são contribuições sociais, ou seja, recursos públicos. É o que nos parece, s.m.j. Brasília, 05 de setembro de Claudia G. Pena Nogueira de Queiroz Assessora Jurídica l:prot4645.sj 5

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR POSSIBILIDADE DO PROFISSIONAL MÉDICO EXERCER A ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR RESOLUÇÃO CFM Nº 1441/94. Referência: Protocolo CFM nº 905/95 ORIGEM:

Leia mais

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 13.869 DE 02 DE ABRIL DE 2012 Estabelece procedimentos a serem adotados pelos órgãos e entidades da Administração

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA imprimir Norma: RESOLUÇÃO Órgão: Conselho Federal de Medicina Número: 1980 Data Emissão: 07-12-2011 Ementa: Fixa regras para cadastro, registro, responsabilidade técnica e cancelamento para as pessoas

Leia mais

Boletim Informativo Novembro 2014 - Edição 64 Boletim Informativo Maio de 2013 - Edição 46

Boletim Informativo Novembro 2014 - Edição 64 Boletim Informativo Maio de 2013 - Edição 46 Boletim Informativo Novembro 2014 - Edição 64 Boletim Informativo Maio de 2013 - Edição 46 Administrativo»ANTAQ realiza consulta pública visando licitar terminais marítimos de passageiros dos Portos de

Leia mais

Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Dívida Ativa. Cartilha aos Órgãos de Origem 8/3/2013

Procuradoria Geral da Fazenda Nacional. Dívida Ativa. Cartilha aos Órgãos de Origem 8/3/2013 2013 Procuradoria Geral da Fazenda Nacional Dívida Ativa Cartilha aos Órgãos de Origem Esta cartilha tem por fim informar e explicar o que é a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional PGFN, quais créditos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. APROVA A PROPOSTA DE NORMA QUE DISPÕE SOBRE O PARCELAMENTO E A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS ADMINISTRADOS PELA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ANTAQ.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Aprova o Regulamento de Parcelamento de Créditos Não Tributários Administrados pela Agência Nacional de Telecomunicações Anatel

Leia mais

CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT

CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT 1 CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT DESIN DEPARTAMENTO SINDICAL Setembro 2011 2 Í N D I C E Introdução... 3 Lei nº 12.440, de 07/07/2011... 4 Alteração na CLT... 4 Alteração na

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE 1 A - PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS 1 Em regra, os créditos tributários junto à Fazenda Municipal de Porto Alegre podem ser pagos em até 24 (vinte e

Leia mais

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001

Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina - Resolução: 1626 de 23/10/2001 Ementa: Dispõe sobre as instruções para Registro de Empresas nos Conselhos de Medicina. Fonte: CFM O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS

SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS SUBSEÇÃO III DA HABILITAÇÃO E DA TRANSFERÊNCIA DE CRÉDITOS ACUMULADOS Art. 41. Será passível de transferência, desde que previamente habilitado, o crédito acumulado em conta-gráfica oriundo de ICMS cobrado

Leia mais

CARTA-CIRCULAR 2.826 --------------------

CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- Divulga relacao de operacoes e situacoes que podem configurar indicio de ocorrencia dos crimes previstos na Lei n. 9.613, de 03.03.98, e estabelece procedimentos

Leia mais

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Neste REFIS, somente débitos inscritos em Dívida Ativa; Débitos não inscritos poderão ser incluídos, se requerida a inscrição até 30/04/2012 diretamente no órgão de

Leia mais

REUNIÃO DA DIRETORIA APROVA O TEXTO DA PROPOSTA DE REFORMA E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL

REUNIÃO DA DIRETORIA APROVA O TEXTO DA PROPOSTA DE REFORMA E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL REUNIÃO DA DIRETORIA APROVA O TEXTO DA PROPOSTA DE REFORMA E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL A Diretoria da CBC aprovou o texto da proposta de reforma e consolidação do Estatuto Social que tem por objetivo

Leia mais

Indaga se devem tratar consultoria técnica como auditoria médica para tomarem providências.

Indaga se devem tratar consultoria técnica como auditoria médica para tomarem providências. PARECER CFM nº 7/15 INTERESSADO: Conselho Regional de Medicina do Estado do Paraná ASSUNTO: Consultoria técnica de auditoria à distância RELATOR: Cons. José Albertino Souza EMENTA: A prestação de serviços

Leia mais

Pagamentos Antecipados no Parcelamento da Lei n. 11.941/2009

Pagamentos Antecipados no Parcelamento da Lei n. 11.941/2009 Pagamentos Antecipados no Parcelamento da Lei n. 11.941/2009 Fere o princípio da proporcionalidade o pagamento da mesma prestação básica, acrescidas dos encargos leais, de uma modalidade de Parcelamento

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010

PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010 PARECER CREMEC Nº 18/2010 10/04/2010 PROTOCOLO 5688/09 E 0178/10 INTERESSADO: DR.ROBERTO AMAURI SILVA ASSUNTO: ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO PARECERISTA: Dra. Patrícia Maria de Castro Teixeira

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 924, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Programa de Parcelamento de Débitos Fiscais no âmbito do Sistema CFMV/ CRMVs, destinado à regularização de débitos de anuidades, multas, taxas, emolumentos

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.000/2012 (Publicada no D.O.U. 12 nov. 2012, Seção 1, p. 188)

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.000/2012 (Publicada no D.O.U. 12 nov. 2012, Seção 1, p. 188) RESOLUÇÃO CFM Nº 2.000/2012 (Publicada no D.O.U. 12 nov. 2012, Seção 1, p. 188) Fixa os valores das anuidades e taxas para o exercício de 2013 e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: RESIDÊNCIA MÉDICA. TÍTULO DE ESPECIALISTA. REGISTRO DO TÍTULO NO CRM. COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA-CNRM. COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA-COREME. REVOGAÇÃO E

Leia mais

CARTILHA DO CONTRIBUINTE

CARTILHA DO CONTRIBUINTE CARTILHA DO CONTRIBUINTE André Emmanuel Batista Barreto Campello Procurador da Fazenda Nacional Luiz Mário Nascimento Nogueira Chefe da Dívida Ativa da União/PFN/MA Introdução Trata-se de um pequeno guia

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011 Regulamenta a expedição da Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas CNDT e dá outras providências. O EGRÉGIO ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, em sessão

Leia mais

A execução fiscal só será extinta se quitados também os encargos da sucumbência, que se constituem de honorários advocatícios e custas processuais.

A execução fiscal só será extinta se quitados também os encargos da sucumbência, que se constituem de honorários advocatícios e custas processuais. Dúvidas e Esclarecimentos Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? À vista: Emitir DAE (Documento de Arrecadação Estadual) para pagamento à vista na sede da Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação. Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre:

Coordenação-Geral de Tributação. Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre: Fl. 27 Fls. 16 15 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 18 - Data 30 de julho de 2014 Origem DRF/DIVINOPÓLIS Assunto: Processo Administrativo Fiscal Ementa: Com base no art. 39

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004. (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005)

RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004. (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005) RESOLUÇÃO CFM N.º 1716/2004 (Publicada no D.O.U. de 19 Fev 2004, Seção I, pg. 205) (Modificada pela Resolução CFM nº 1773/2005) O Conselho Federal de Medicina, no uso das atribuições que lhe confere a

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP PROCESSO nº DISTRIBUIÇÃO POR DEPENDÊNCIA AO PROCESSO nº 90.0042414-3 MARÍTIMA SEGUROS S/A, pessoa jurídica de

Leia mais

LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009

LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009 ESTADO DO CEARÁ LEI Nº 14.505, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no DOE em 19/11/2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ. DISPÕE SOBRE A REMISSÃO, A ANISTIA E A TRANSAÇÃO DE CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS RELACIONADOS

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 3.256, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui o programa de recuperação de créditos tributários da fazenda pública municipal REFIM e dá outras providências. Piauí Lei: O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA,

Leia mais

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO.

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO. CAPÍTULO II DO PARCELAMENTO DE DÉBITO Art. 163. O débito decorrente da falta de recolhimento de tributos municipais poderá ser pago em até 96 (noventa e seis) parcelas mensais e sucessivas, observado o

Leia mais

REGISTROS. Certidão de nascimento ou casamento (cópia autenticada em cartório); Titulo eleitoral (cópia autenticada em cartório);

REGISTROS. Certidão de nascimento ou casamento (cópia autenticada em cartório); Titulo eleitoral (cópia autenticada em cartório); REGISTROS Registro Provisório: Para os bibliotecários que ainda não receberam o diploma. Declaração da Escola atualizada (uma dos últimos 02 meses), informando que o diploma encontra-se em fase de registro

Leia mais

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências.

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. EMENTA: Concede parcelamento de débitos fiscais com anistia

Leia mais

ADENDO LIVRO ICMS COMENTADO SP 3ª Edição

ADENDO LIVRO ICMS COMENTADO SP 3ª Edição ADENDO LIVRO ICMS COMENTADO SP 3ª Edição PG. 122 - substituir alinea c do inciso VII c) a entrega ou remessa de mercadoria ou bem originários do exterior sem as correspondentes autorizações: 1 - do órgão

Leia mais

Abrangência: Esse programa abrange:

Abrangência: Esse programa abrange: Condições a serem observadas para adesão ao programa de recuperação fiscal que concede condições especiais para o pagamento à vista e o parcelamento de débitos de qualquer natureza (Portaria Conjunta PGFN/RFB

Leia mais

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA INTRODUÇÃO Após a mobilização de vários setores da economia juntamente com as proposições formuladas pelo Congresso Nacional, foi publicada a Lei 12.996/2014,

Leia mais

LOCAL DE ENTREGA-ENDEREÇO CÓDIGO LOCAL DE ENTREGA ENDEREÇO CEP CIDADE ESTADO INFORMAÇÕES/EXIGÊNCIAS COMPLEMENTARES

LOCAL DE ENTREGA-ENDEREÇO CÓDIGO LOCAL DE ENTREGA ENDEREÇO CEP CIDADE ESTADO INFORMAÇÕES/EXIGÊNCIAS COMPLEMENTARES 15.03.2012 PAGINA 1 LISTA DE COMPRAS-SIMPLIFICADA Dispensa de Licitação :12/03543 Objeto: ADM. CENTRAL - Aquisição de software para Geração de Templates para o Joomla (criação de interfaces para o ambienta

Leia mais

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012.

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. Regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica no ISSQN, a forma e o prazo de recolhimento dos tributos municipais e respectivos acréscimos perante o Código

Leia mais

Resolução nº 24, de 30 de janeiro de 2002 (publicada no Diário Oficial da União de 4.2.2002)

Resolução nº 24, de 30 de janeiro de 2002 (publicada no Diário Oficial da União de 4.2.2002) Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE SCN Quadra 2 Projeção C, Brasília, DF CEP 70712-902 Tel.: (61) 426-8599 Fax: (61) 328-5523 cade@cade.gov.br Resolução nº 24, de 30

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 REGULAMENTO PARA ARRECADAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA O FUNDO DE UNIVERSALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009

Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009 Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009 Encaminhamos a Resolução nº 81 do Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, publicada no DOE de 4 de novembro de 2009, estabelecendo

Leia mais

Legenda: Portaria CAT 14 Portaria CAT 46 Portaria CAT 51 Portaria CAT 103

Legenda: Portaria CAT 14 Portaria CAT 46 Portaria CAT 51 Portaria CAT 103 Portaria CAT nº 14, de 10 de fevereiro de 2010 - DOE SP 11.02.2010 compilada com as alterações propostas pelas Portarias CAT 46, de 31.03.2010 DOE SP 01.04.2010, CAT 51, de 23.04.2010 DOE SP 24.04.2010

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.406/12 Dispõe sobre o Regime de Parcelamento de Débitos de Anuidades e Multas (Redam III) para o Sistema CFC/CRCs. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013.

PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013. Publicado no DOM n 1.528, de 14.06.2013 Dispõe sobre procedimentos para solicitações referentes ao Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Estabelece os critérios de concessão de acesso ao Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. O SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia

Conselho Federal de Farmácia RESOLUÇÃO Nº 566 DE 6 DE DEZEMBRO DE 2012 Ementa: Aprova o Regulamento do Processo Administrativo Fiscal dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia. O CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, no uso das atribuições

Leia mais

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010.

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. Disciplina as consignações em folha de pagamento no âmbito da Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso.

Leia mais

DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL José da Silva Pacheco SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Do projeto sobre parcelamento dos créditos tributários de devedores em recuperação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0019, DE 2 DE OUTUBRO DE 2001

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0019, DE 2 DE OUTUBRO DE 2001 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0019, DE 2 DE OUTUBRO DE 2001 Publicada no DOE(Pa) 03.10.01. Alterada pela IN 19/04. Revogada pela IN 19/10, efeitos a partir de 03.09.10. Define as mercadorias de que trata o art.

Leia mais

NOTA TÉCNICA N o 025/2013

NOTA TÉCNICA N o 025/2013 NOTA TÉCNICA N o 025/2013 Brasília, 04 de junho de 2013. ÁREA: TÍTULO: REFERÊNCIA: Jurídico Parcelamento de débitos dos Municípios com a Fazenda Nacional relativos ao Programa de Formação do Patrimônio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 71, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 71, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 71, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a instauração, a organização e o encaminhamento ao Tribunal de Contas da União dos processos de tomada de contas especial. O TRIBUNAL

Leia mais

O PRAZO DE PRESCRIÇÃO E AS CAUSAS IMPEDITIVAS

O PRAZO DE PRESCRIÇÃO E AS CAUSAS IMPEDITIVAS 1 2 3 4 O PRAZO DE PRESCRIÇÃO E AS CAUSAS IMPEDITIVAS Indaga-se: considerando que o CTN apenas tratou de causas de interrupção do prazo prescricional, o referido lapso temporal está sujeito também a causas

Leia mais

DECRETO Nº. 2.469 DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009

DECRETO Nº. 2.469 DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o procedimento de fiscalização para fins de SUSPENSÃO e CANCELAMENTO de Alvará de Funcionamento e INTERDIÇÃO em estabelecimentos empresariais e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013.

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais para o exercício de 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso das atribuições

Leia mais

Projeto Bolsa Piloto FAQ destinado aos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil

Projeto Bolsa Piloto FAQ destinado aos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Projeto Bolsa Piloto FAQ destinado aos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Como faço para concorrer a uma bolsa? O processo seletivo de alunos está sendo realizado pela Secretaria de Aviação Civil SAC/PR.

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001.

RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. RESOLUÇÃO CFP Nº 007/01 DE 01 DE JUNHO DE 2001. Aprova o Manual para Credenciamento de Cursos com finalidade de Concessão do Título de Especialista e respectivo registro. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA,

Leia mais

CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização / 2003 ( Anula a Anterior) ÍNDICE

CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização / 2003 ( Anula a Anterior) ÍNDICE ÁREA FISCAL Escrituração Fiscal. Assessoria geral de escrituração fiscal. Assessoria e atualização das legislações Federal, Estadual e Municipal. Assessoria nas Fiscalizações. CIRCULAR ICMS / IPI : Atualização

Leia mais

DECRETO N 29.240, DE 27 DE MARÇO DE 2008

DECRETO N 29.240, DE 27 DE MARÇO DE 2008 DECRETO N 29.240, DE 27 DE MARÇO DE 2008 * Publicado no DOE em 28/03/2008. ALTERA OS 14, 15 E 16 DO ART. 13 DO DECRETO Nº 24.569, DE 31 DE JULHO DE 1997, QUE DEFINEM CRITÉRIOS PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 Publicado no DOE (Pa) de 08.09.15. Revogada pela IN 17/15, efeitos a partir de 11.09.15. Estabelece procedimentos para a fruição do benefício fiscal

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR N 184 DE 20 DE AGOSTO DE 2015 Ementa: Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo da Procuradoria Geral do Município - PGM e dá outras providências. Autor: Prefeito Municipal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU LEI Nº 6.071, DE 17 DE MAIO DE 2.011 P. 44.656/09 Altera as redações dos artigos 96 e 98 da Lei Municipal nº 1.929, de 31 de dezembro de 1.975, acrescenta a estes outros dispositivos relacionados ao parcelamento

Leia mais

PROJETO DE LEI N 017/2014, de 11 de Abril de 2014.

PROJETO DE LEI N 017/2014, de 11 de Abril de 2014. 1 PROJETO DE LEI N 017/2014, de 11 de Abril de 2014. Institui o programa de recuperação de créditos municipais, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Piratuba, Estado de Santa Catarina, no

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA LEI Nº 2913, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2012. PUBLICADA NO DOE Nº 2110, DE 03.12.2012. Consolidada, alterada pela Lei nº: 3212, de 03.10.13 DOE nº 2312, DE 03.10.13. Autoriza a Procuradoria Geral do Estado de

Leia mais

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO Dec. 24.569/97(RICMS/CE), art. 843 ao 850. Art. 843. As mercadorias retidas poderão ser liberadas, no todo em parte, antes do trânsito

Leia mais

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES 1) artigo 1, parágrafo único: É facultado aos Municípios, às suas autarquias e fundações de direito público efetuarem a cobrança de suas dívidas

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489 Publicado no Diário Oficial Nº 8708 de 08/05/2012 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, e considerando o disposto na Lei

Leia mais

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO Esta Chamada Pública de Apoio Institucional visa à seleção de projetos a serem apoiados pelo CAU/BR na modalidade de Apoio à Assistência

Leia mais

Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 2, de 3 de fevereiro de 2011

Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 2, de 3 de fevereiro de 2011 Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 2, de 3 de fevereiro de 2011 DOU de 4.2.2011 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelo sujeito passivo para a consolidação dos débitos nas modalidades de pagamento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 002/2009

Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 002/2009 Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 002/2009 Dispõe sobre consignação em folha de pagamento em favor de terceiros, e dá outras providências.

Leia mais

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS DA LEI Nº 11.941/2009 - Considerações sobre a Reabertura de Prazo

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS DA LEI Nº 11.941/2009 - Considerações sobre a Reabertura de Prazo PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS DA LEI Nº 11.941/2009 - Considerações sobre a Reabertura de Prazo Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 22/10/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Reabertura

Leia mais

Dívidas não parceladas anteriormente

Dívidas não parceladas anteriormente Débitos abrangidos Dívidas não parceladas anteriormente Artigo 1º da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 6, de 2009 Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições dos arts.

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 4.448, DE 17 DE SETEMBRO DE 2013. Publicado no DOM n 1.555, de 18.09.2013. Institui o Programa de Recuperação de Créditos Tributários e não Tributários do Município de Teresina RETRIMT

Leia mais

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais, o valor da Unidade Financeira Municipal (UFM) e os preços do metro quadrado de terrenos

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ÓRGÃO ESPECIAL. RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N 1470/2011* (Alterada pelo Ato TST.GP Nº 772/2011 e Ato TST.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ÓRGÃO ESPECIAL. RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N 1470/2011* (Alterada pelo Ato TST.GP Nº 772/2011 e Ato TST. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ÓRGÃO ESPECIAL RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N 1470/2011* (Alterada pelo Ato TST.GP Nº 772/2011 e Ato TST.GP Nº 1/2012) Regulamenta a expedição da Certidão Negativa de Débitos

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PORTARIA N.º 3 DE 22 /11 /2005 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DA FAZENDA

Leia mais

ATO PGJ N. 034/2013 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ATO PGJ N. 034/2013 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS - Alterado o art. 6º pelo Ato-PGJ n. 23-2015, art. 1º. - Revogou expressamente o Ato-PGJ n. 19/2007, art. 24. ATO PGJ N. 034/2013 Estabelece normas e procedimentos para a efetivação de operação de crédito

Leia mais

RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS. Formas de retorno e garantia de direito

RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS. Formas de retorno e garantia de direito RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS Formas de retorno e garantia de direito Orientações sobre retenção http://www.mpas.gov.br A Lei nº 9.711 de 20 de novembro de 1998, que passou a vigorar a partir de fevereiro

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2014 O Município de Vale do Sol, RS, através do Prefeito Municipal. Sr. Clécio Halmenschlager, comunica aos interessados que está procedendo ao CREDENCIAMENTO de pessoas

Leia mais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais

CAPÍTULO I Das Organizações Sociais Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5026 DE 19 DE MAIO 2009 Dispõe sobre a qualificação de entidades como Organizações Sociais e dá outras providências. Autor: Poder Executivo O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011

RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011 RESOLUÇÃO Nº. 2000 27.04.2011 Estabelece os requisitos e procedimentos para a obtenção de apoio financeiro do CRMV-SP para a realização de eventos. O DO ESTADO DE SÃO PAULO - CRMV-SP, no uso de suas atribuições

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO LEI N.º 2.178, DE 02 DE JUNHO DE 2.014. *VERSÃO IMPRESSA ASSINADA Dispõe sobre o Programa de Recuperação e Estímulo à Quitação de Débitos Fiscais REFIS PORTO 2014 e dá outras providências. Eu, PREFEITO

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007

Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007 Diário Oficial da União Seção 01 DOU 15 de fevereiro de 2007 RESOLUÇÃO-RDC Nº 8, de 14 de fevereiro de 2007 Dispõe, em caráter excepcional, do parcelamento de débitos originários da taxa de fiscalização

Leia mais

FINVEST - FUNDO NACIONAL PARA INVESTIMENTOS REGULAMENTO. 2. Para efeito deste regulamento consideram-se investimentos:

FINVEST - FUNDO NACIONAL PARA INVESTIMENTOS REGULAMENTO. 2. Para efeito deste regulamento consideram-se investimentos: 1 FINVEST - FUNDO NACIONAL PARA INVESTIMENTOS REGULAMENTO OBJETIVO 1. O Fundo FINVEST, objetiva o suprimento parcial de recursos a FUNDO PERDIDO, conforme definido no presente regulamento, nos casos de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) REPÚBLICAFEDERATIVADOBRASIL 15deNovembro de 1889 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, DE 31 DE OUTUBRO DE 2007 (D.O.U. de 12 de novembro de 2007) Disciplina os procedimentos relativos ao registro das Conformidades

Leia mais

Movimentação de bens patrimoniais

Movimentação de bens patrimoniais pág.: 1/3 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos a serem observados pelos empregados quando da movimentação de bens patrimoniais móveis no âmbito da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta

Leia mais

2º Os débitos ainda não constituídos deverão ser confessados, de forma irretratável e irrevogável.

2º Os débitos ainda não constituídos deverão ser confessados, de forma irretratável e irrevogável. LEI COMPLEMENTAR Nº 171, DE 27 DE MAIO DE 2013. Autoriza o Poder Executivo Municipal a instituir o Programa de Recuperação Fiscal REFIS, no município de Sorriso, e dá outras providências. DILCEU ROSSATO,

Leia mais

A harmonia de procedimentos que deve existir entre os diversos Conselhos Regionais de Nutricionistas; CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO

A harmonia de procedimentos que deve existir entre os diversos Conselhos Regionais de Nutricionistas; CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO Página 1 de 1 RESOLUÇÃO CFN Nº 466/2010 Dispõe sobre a inscrição de Nutricionistas nos Conselhos Regionais de Nutricionistas, e dá outras providências O Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), no uso

Leia mais

PARECER Nº. 315/2013/GETRI/CRE/SEFIN

PARECER Nº. 315/2013/GETRI/CRE/SEFIN 1. RELATÓRIO: EMENTA: BASE DE CÁLCULO DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PROLEITE FATURAMENTO TOTAL É IGUAL AO TOTAL DE SAÍDAS, EXCETO AS SAÍDAS SUJEITAS À SUSPENSÃO. O contribuinte acima qualificado, nos termos do

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Lei Complementar nº 87 de 13 de setembro de 1996.... 4 3.2 Convênio ICMS

Leia mais

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo Autarquia Federal Lei nº 3.268/57

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo Autarquia Federal Lei nº 3.268/57 Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo Autarquia Federal Lei nº 3.268/57 CONSULTA nº 157.177/11 Assunto: Sistema sem registro no Brasil, com servidor hospedado em outro país, para conter

Leia mais

Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC

Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC Aos vinte e oito dias do mês de julho de dois mil e nove, reuniram-se no auditório da Junta Comercial do Estado de Santa Catarina (JUCESC), na cidade de Florianópolis,

Leia mais

O Governador do Estado do Rio de Janeiro Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Governador do Estado do Rio de Janeiro Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei nº 5.647, de 18.01.2010 - DOE RJ de 19.01.2010 Dispõe sobre forma de compensação de crédito inscrito em Dívida Ativa com precatórios vencidos, e dá outras providências. O Governador do Estado do Rio

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 01/2011 21/01/2011

PARECER CREMEC Nº 01/2011 21/01/2011 PARECER CREMEC Nº 01/2011 21/01/2011 PROCESSO-CONSULTA - Protocolos CREMEC Nºs 8433/10 e 9612/10 INTERESSADO Sra. Teonia Ferreira de Castro Gerência administrativa da CliniCamed Dra Adoneide Crispim da

Leia mais

CONGRESSO IBDT/AJUFE DE DIREITO TRIBUTÁRIO

CONGRESSO IBDT/AJUFE DE DIREITO TRIBUTÁRIO CONGRESSO IBDT/AJUFE DE DIREITO TRIBUTÁRIO Execução fiscal, colidências com o CPC e questões relacionadas às garantias. Execução Fiscal: especialidade e subsidiariedade Leonardo Buissa Freitas Execução

Leia mais

RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado)

RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado) RESOLUÇÃO AGE Nº 279, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011. (Texto Consolidado) Regulamenta o oferecimento e a aceitação de seguro garantia e da carta de fiança no âmbito da Advocacia Geral do Estado - AGE. O ADVOGADO-GERAL

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS 1ª pergunta: Quem paga a Contribuição Sindical Urbana CSU (imposto sindical)? a) Os profissionais liberais, entre

Leia mais