SISTEMA DE ALERTA DE ENCHENTES NA BACIA DO RIO DOCE: 17 ANOS DE OPERAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE ALERTA DE ENCHENTES NA BACIA DO RIO DOCE: 17 ANOS DE OPERAÇÃO"

Transcrição

1 SISTEMA DE ALERTA DE ENCHENTES NA BACIA DO RIO DOCE: 17 ANOS DE OPERAÇÃO Elizabeth Guelman Davis 27 de maio de 2014

2 Sistema de Alerta de Enchentes na Bacia do Rio Doce Um sistema de alerta antecipado, apoiado em dados hidrometeorológicos, que visa reduzir os prejuízos causados por cheias nas principais cidades ribeirinhas na bacia do rio Doce

3 Localização da Bacia Área: km2 (86% MG) População: 3.1 M hab (70% urbana), 222 municípios) Precipitação média annual: 900 a 1500mm Vazões específicas : 5 a 35 l/s/km2 Vazão média anual na foz: 900m3/s

4 Histórico do Sistema de alerta contra enchentes na bacia do rio Doce Cheia Criação de Grupo Interministerial Década de 80 - instalação de rede telemétrica Década de 90 - instalação de balizas de satélite Cheia Workshop em Governador Valadares 1997/1998 a 2013/2014.

5 População Beneficiada Município Unidade de Federação População Rio Aimorés Minas Gerais Doce Antônio Dias Minas Gerais Piracicaba Baixo Guandu Espírito Santo Doce Colatina Espírito Santo Doce Conselheiro Pena Minas Gerais Doce Coronel Fabriciano Minas Gerais Piracicaba Galiléia Minas Gerais Doce Governador Valadares Minas Gerais Doce Ipatinga Minas Gerais Piracicaba Linhares Espírito Santo Doce Nova Era Minas Gerais Piracicaba Ponte Nova Minas Gerais Piranga Resplendor Minas Gerais Doce Timóteo Minas Gerais Piracicaba Tumiritinga Minas Gerais Doce TOTAL Fonte: IBGE, Sinopse do censo demográfico de 2010

6 Pontos de monitoramento BA

7

8 INMET ESCELSA SAMARCO NEOENERGIA SANEAR CENIBRA CEMIG CPTEC BELGO VALE NOVELIS SAEE OBSERVADORES ANA CPRM IGAM WEB SITE DO SISTEMA DE ALERTA POLICIA MILITAR DEFESA CIVIL PREFEITURA CORPO DE BOMBEIRO POPULAÇÃO

9 FLUXOGRAMA Estações telemétricas Estações convencionais Observadores Usinas hidrelétricas COTAS e CHUVA COTAS COTAS VAZÕES RECEPÇÃO DE DADOS VERIFICAÇÃO E ARMAZENAMENTO PREVISÃO PREVISÃO HIDROLÓGICA HIDROLÓGICA E METEOROLÓGICA PUBLICAÇÃO DE RESULTADOS Filtros Equações e Modelos Banco de dados hidrológicos

10 Transmissão das informações Boletim Diário s Fax Internet

11 Estudos de planície de inundação

12 Mapa das áreas inundadas para diferentes cotas na estação pertencente à ANA Governador Valadares Santa Rita JKIII Jardim Alice JKI Sta Terezinha São Paulo São Pedro Universitário

13 Planície de inundação de Colatina Rio Pancas Rio Santa Maria Legenda Seçoes topobatimétricas Seçoes topobatimétricas com seção de réguas

14 Comportamento da bacia do rio do Doce durante o período chuvoso de dezembro/2013

15 Sistemas atmosféricos (11 a 27/12/2013)

16 Evolução do período chuvoso

17 Evolução do período chuvoso (mapas de anomalia)

18 1,00 m 2,0m 20/12 2,80 m 4 dias fora da calha 16 dias fora da calha 7 dias fora da calha 4,00 m 11 dias fora da calha

19 Atividades realizadas

20 Campanhas de medições hidrológicas

21 Campanhas de medições hidrológicas m3/s m3/s

22 Levantamento das marcas de cheia 40 Série de cotas horárias da Estação Colatina CBO (código ) em Colatina (Dezembro de 2013) Cota (m) Estação Cota de Alerta Cota de Inundação /12/ /12/2013 Cotas horárias

23 Levantamento das marcas de cheia

24 Levantamento das marcas de cheia PONTO A B C D E F G H COORDENADAS (DATUM SIRGAS 2000) Estação: ESTAÇÕES E ENTORNO LEVANTAMENTO DA LINHA DE CHEIA Município: COLATINA- ES Roteiro: 30 Código: TODAS AS SEÇÕES Rio: DOCE/SANTA MARIA/PANCAS Data: 21/12/2013 Equipe: EMÍLIA/JOSÉ JULIO/FRANCISCO/MARLON/AVILMAR/JOÃ OLEÃO Hora inicial: 08:00 Hora final: 12:30 SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO I SIM NÃO IDENT. PINTURA TIPO DO PONTO MARCADO Ponte Lance Pilar Lance Parede Lance Lance ALTURA ATINGIDA(m) OBSERVAÇÕES 0,31 Junto à ponte BR-259 no sentido Colatina Velha. Marcação realizada na sapata da ponte. 7,56 Rua Pedro Epichin nº2473. Marcação realizada com prego no lance ( ). 7,61 7,82 Rua Pedro Epichin nº1927. Marcação realizada com prego em pilar de concreto nos fundos da residencia. Avenida Beira Mar. Fundos 8º Batalhão da Polícia Militar do Espirito Santo. Marcação realizada com prego no lance ( ). 7,34 Avenida Rio Doce nº 446. Marcação realizada na parede da residência. 7,18 6,90 Avenida rio doce, frente da APAE de Colatina. Marcação realizada com prego no lance ( ). Av. Rio doce. Seguir sentido clube associação da vale, fundos da quadra de futebol. Marcação realizada com prego no lance ( ) Parede 0,22 Rua Cassiano Castelo n 111 com Calçadão Geraldo Pereira no centro da cidade. Parede 0,00 Ponto limite da mancha de inundação do dia 19/12/2013. Rua Cassiano Castelo n 26 no centro da cidade.

25

26 Repercussão do Sistema de Alerta

27 Comentários finais Metas Aumentar a antecedência de alerta Reduzir o erro no cálculo das vazões Ampliar o número de municípios atendidos Modernização dos equipamentos de coleta e transmissão dos dados

28 Obrigado Relatório técnico disponível no site: _eventos_criticos_ pdf

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM Sistema de Alerta de Cheias na Bacia do Rio Doce Elizabeth Guelman Davis Pesquisadora em Geociências 30/10/2013 Missão "Gerar e difundir o conhecimento geológico e hidrológico

Leia mais

Previsão de vazões na bacia do rio Doce. Eber José de Andrade Pinto 21 de setembro de 2007

Previsão de vazões na bacia do rio Doce. Eber José de Andrade Pinto 21 de setembro de 2007 Previsão de vazões na bacia do rio Doce Eber José de Andrade Pinto 21 de setembro de 2007 Caracterização da Região Localização - Região Sudeste Área de drenagem 83.400km² - (86% em MG e 14% no ES) Municípios

Leia mais

Boletim do Sistema de Alerta Hidrológico da. Bacia do rio Doce

Boletim do Sistema de Alerta Hidrológico da. Bacia do rio Doce Boletim do Sistema de Alerta Hidrológico da Belo Horizonte, 21 de Janeiro de 2016 às 10:00h. Bacia do rio Doce Boletim Extraordinário Na tabela abaixo seguem as previsões dos níveis dos rios monitorados

Leia mais

PERÍODO DE OBSERVAÇÃO:

PERÍODO DE OBSERVAÇÃO: EDIÇÃO 04 PERÍODO DE OBSERVAÇÃO: 10 a 17 de janeiro de 2017 O Boletim Informativo Rio Doce tem como objetivo disponibilizar informações atualizadas dos rios afetados pelo rompimento da Barragem de Fundão

Leia mais

Sistema de Alerta da Bacia do rio Doce

Sistema de Alerta da Bacia do rio Doce Sistema de Alerta da Bacia do rio Doce Belo Horizonte, 26 de novembro de 2015 às 19:30 h. Previsão da turbidez A CPRM está utilizando um modelo simplificado para a previsão de Turbidez na calha do rio

Leia mais

Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO

Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO BACIA DO RIO DOCE MAR/2015 SEMAD - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Secretário Luiz Sávio de Souza Cruz IGAM

Leia mais

SISTEMA DE ALERTA RELATÓRIO TÉCNICO DO PERÍODO CRÍTICO DE GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS.

SISTEMA DE ALERTA RELATÓRIO TÉCNICO DO PERÍODO CRÍTICO DE GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SISTEMA DE ALERTA F DE ENCHENTES DA D BACIA DO RIO DOCE RELATÓRIO TÉCNICO DO 0 PERÍODO CRÍTICO DE 00 DEZEMBRO DE 2013 0 Elaboração:

Leia mais

Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO

Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM INFORMATIVO BACIA DO RIO DOCE OUT/2014 SEMAD - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Secretário Alceu José Torres Marques IGAM

Leia mais

MONITORAMENTO ESPECIAL DA BACIA DO RIO DOCE

MONITORAMENTO ESPECIAL DA BACIA DO RIO DOCE MONITORAMENTO ESPECIAL DA BACIA DO RIO DOCE RELATÓRIO I DEZEMBRO/2015 CPRM SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL MONITORAMENTO ESPECIAL DA BACIA DO RIO DOCE RELATÓRIO 01: Acompanhamento da onda de cheia Primeira

Leia mais

PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS

PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS PLANEJAMENTO E MONITORAMENTO DE EVENTOS HIDROMETEOROLÓGICOS EXTREMOS SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Palestrante: Jeane Dantas de Carvalho Instituto Mineiro de Gestão das Águas

Leia mais

Análise da Comunidade Fitoplanctônica. do Rio Doce e afluentes. GIAIA 2ª Expedição à Bacia do Rio Doce (30/03 a 08/04/16)

Análise da Comunidade Fitoplanctônica. do Rio Doce e afluentes. GIAIA 2ª Expedição à Bacia do Rio Doce (30/03 a 08/04/16) Análise da Comunidade Fitoplanctônica do Rio Doce e afluentes GIAIA 2ª Expedição à Bacia do Rio Doce (30/03 a 08/04/16) Equipe de campo 2ª Expedição GIAIA Drª Flávia Bottino MSc. Vinícius Rodrigues Grad.

Leia mais

EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE. Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP

EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE. Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: 11-3129-5317 Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP AGRADECIMENTOS AO SINDICATO DOS ENGENHEIROS PELA VIABILIZAÇÃO

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 03 - FEVEREIRO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio São Francisco em Três Marias. Foto de Soraya

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 05 - MARÇO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio Urucuia em Buritis - março/2013 Rio Urucuia

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL ACOMPANHAMENTO DA ESTIAGEM NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL BOLETIM Nº 11 - JUNHO Área de Atuação da Superintendência Regional da CPRM de Belo Horizonte 2015 Rio da Perdição em Tapiraí Jusante - março/2013

Leia mais

Desenvolvimentos na previsão hidrológica de cheias por conjunto no Brasil e aplicações potenciais em sistemas operacionais de alerta

Desenvolvimentos na previsão hidrológica de cheias por conjunto no Brasil e aplicações potenciais em sistemas operacionais de alerta Desenvolvimentos na previsão hidrológica de cheias por conjunto no Brasil e aplicações potenciais em sistemas operacionais de alerta Javier Tomasella Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres

Leia mais

capa Dupla função Foto: Chico Ferreira Reservatórios geram energia e controlam cheias

capa Dupla função Foto: Chico Ferreira Reservatórios geram energia e controlam cheias Dupla função Foto: Chico Ferreira Reservatórios geram energia e controlam cheias 8 Revista FURNAS - Ano XXXVI - Nº 372 - Fevereiro 2010 texto Gleice Bueno estação chuvosa chegou mais cedo e mais forte.

Leia mais

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL CPRM DIRETORIA DE HIDROLOGIA E GESTÃO TERRITORIAL DHT

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL CPRM DIRETORIA DE HIDROLOGIA E GESTÃO TERRITORIAL DHT SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL CPRM DIRETORIA DE HIDROLOGIA E GESTÃO TERRITORIAL DHT Franco Turco Buffon Pesquisador em Geociências Engenheiro Hidrólogo RESIDÊNCIA DE PORTO VELHO - REPO MOTIVAÇÃO: MOTIVAÇÃO:

Leia mais

PREVISÃO DE CURTO PRAZO DE NÍVEIS NO RIO ACRE NO MUNICIPIO DE RIO BRANCO-AC COM MODELOS HIDROLÓGICOS EMPÍRICOS NA ENCHENTE DE 2015

PREVISÃO DE CURTO PRAZO DE NÍVEIS NO RIO ACRE NO MUNICIPIO DE RIO BRANCO-AC COM MODELOS HIDROLÓGICOS EMPÍRICOS NA ENCHENTE DE 2015 PREVISÃO DE CURTO PRAZO DE NÍVEIS NO RIO ACRE NO MUNICIPIO DE RIO BRANCO-AC COM MODELOS HIDROLÓGICOS EMPÍRICOS NA ENCHENTE DE 2015 Franco Turco Buffon 1 *; Francisco de Assis dos Reis Barbosa 2 ; Hérculys

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE ANÁLISE DA MAGNITUDE DAS CHEIAS DO MÉDIO RIO DOCE: CLASSIFICAÇÃO E ESTUDO DE CASO DE CHEIA PRONUNCIADA Fábio Monteiro Cruz 1 ; Renata Lisboa Ferreira 2 ; Daniela

Leia mais

14/08/2015. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ. Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri

14/08/2015. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ. Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri 14/08/2015 Boletim Diário da Sala de Situação PCJ Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri Dados Pluviométricos das Bacias PCJ CHUVA ACUMULADA EM 24 HORAS NAS BACIAS PCJ 13/08/2015 7h00min

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011 BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 11 a 20 de Janeiro de 2011 I. DIAGNÓSTICO Comportamento das Chuvas O segundo decêndio de janeiro foi caracterizado por chuvas fortes e recorrentes, principalmente no

Leia mais

GESTÃO DE RESERVATÓRIOS NA CRISE HÍDRICA O Caso da UHE Três Marias

GESTÃO DE RESERVATÓRIOS NA CRISE HÍDRICA O Caso da UHE Três Marias GESTÃO DE RESERVATÓRIOS NA CRISE HÍDRICA O Caso da UHE Três Marias SUMÁRIO 1- Caracterização 2- A abordagem adotada 3- Conclusões e Sugestões Análise das últimas estações chuvosas 2011/2012 2012/2013 2013/2014

Leia mais

ANEXO F LISTA DE MUNICÍPIOS DA BACIA DO RIO DOCE

ANEXO F LISTA DE MUNICÍPIOS DA BACIA DO RIO DOCE ANEXO F LISTA DE MUNICÍPIOS DA BACIA DO RIO DOCE UF Município Abre Campo Acaiaca Açucena Afonso Cláudio Água Boa Águia Branca Aimorés Alpercata Alto Jequitibá Alto Rio Doce Alto Rio Novo Alvarenga Alvinópolis

Leia mais

Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão

Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão Fernando Henrique Shuffner Neto Diretor de Geração e Transmissão Maio de 2008 1/XX AUTOMAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO REPOTENCIAÇÃO

Leia mais

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA Comitê de Meio Ambiente COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA CTC ÚNICA "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" AS MUDANÇAS DO CLIMA E A CRISE HÍDRICA A Organização das

Leia mais

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DA SUB-BACIA HIDROGRAFICA DO CÓRREGO DO CERRADÃO

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DA SUB-BACIA HIDROGRAFICA DO CÓRREGO DO CERRADÃO CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DA SUB-BACIA HIDROGRAFICA DO CÓRREGO DO CERRADÃO FLORÊNCIO, Ágatha Cristine 1 ; VALE, Monnike Yasmin Rodrigues do ²; MORAIS Welmys Magno de³,paula, Heber Martins de 4 Palavras chave:

Leia mais

PROJETO CRISE - UMA TENTATIVA DE REDUZIR O PROB~~ DAS ENCHENTES NO VALE DO ITAJAf

PROJETO CRISE - UMA TENTATIVA DE REDUZIR O PROB~~ DAS ENCHENTES NO VALE DO ITAJAf 263 PROJETO CRISE - UMA TENTATIVA DE REDUZIR O PROB~~ DAS ENCHENTES NO VALE DO ITAJAf Autores BEATE FRANK (1) HÉLIO DOS SANTOS SILVA (1) CLÁUDIO LOESCH (1) ADEMAR CORDERO (1) Resumo: Idealizado após a

Leia mais

27/01/2017. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ

27/01/2017. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ 27/01/2017 Boletim Diário da Sala de Situação PCJ 22222222222222 SALA DE SITUAÇÃO PCJ Dados Pluviométricos das Bacias PCJ CHUVA ACUMULADA EM 24 HORAS NAS BACIAS PCJ 26/01/2017 7h00min às 27/01/2017 7h00min

Leia mais

BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO. Monitoramento e Atendimento a Fauna Atingida por Rejeito no Rio Doce. C.N.P.J / /

BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO. Monitoramento e Atendimento a Fauna Atingida por Rejeito no Rio Doce. C.N.P.J / / BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO Monitoramento e Atendimento a Fauna Atingida por Rejeito no Rio Doce Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos C.N.P.J. 13.094.626/0001-56 / www.ipram-es.org.br

Leia mais

27/01/2016. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ. Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri

27/01/2016. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ. Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri 27/01/2016 Boletim Diário da Sala de Situação PCJ Carla Ávila Ísis Franco Jamil Natale Talita Cassieri Dados Pluviométricos das Bacias PCJ CHUVA ACUMULADA EM 24 HORAS NAS BACIAS PCJ 26/01/2016 7h00min

Leia mais

As Precipitações 2009/2010 na BAT destacando os dias 08/12/2009 e 21/01/2010

As Precipitações 2009/2010 na BAT destacando os dias 08/12/2009 e 21/01/2010 As Precipitações 2009/2010 na BAT destacando os dias 08/12/2009 e 21/01/2010 Mario Thadeu Leme de Barros Professor Titular de Recursos Hídricos da Escola Politécnica da USP Instituto de Engenharia 11 de

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011 I. DIAGNÓSTICO Comportamento das Chuvas BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DECENDIAL 01 a 10 de Fevereiro de 2011 Ausência de chuva e forte calor marcaram o primeiro decêndio de fevereiro em Minas Gerais, ampliando

Leia mais

SEJA BEM-VINDO A PEDRA AZUL

SEJA BEM-VINDO A PEDRA AZUL SEJA BEM-VINDO A PEDRA AZUL Município pertencente ao Circuito Turístico Vale do Jequitinhonha Esse é o nosso Vale. Pura inspiração! ATENDIMENTO AO TURISTA: Sulamita Interlocutora do Município Telefone:

Leia mais

BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO. C.N.P.J / /

BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO. C.N.P.J / / BOLETIM DIÁRIO DE INFORMAÇÃO Monitoramento e Atendimento a Fauna Atingida por Rejeito no Rio Doce Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos C.N.P.J. 13.094.626/0001-56 / www.ipram-es.org.br

Leia mais

BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS

BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS A QUESTÃO DA ÁGUA NO NORDESTE BACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORDESTE POTENCIALIDADES / DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS JOAQUIM GONDIM Superintendente de Usos Múltiplos da ANA Brasília, 14/08/2008 O NORDESTE

Leia mais

13/01/2017. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ

13/01/2017. Boletim Diário da Sala de Situação PCJ 13/01/2017 Boletim Diário da Sala de Situação PCJ Dados Pluviométricos das Bacias PCJ CHUVA ACUMULADA EM 24 HORAS NAS BACIAS PCJ 12/01/2017 7h00min às 13/01/2017 7h00min Rede telemétrica do CIIAGRO e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE úmero da Estação: EM - 01 PREFEITURA MUICIPAL DE JOIVILLE Piraí do Ar (Máxima e Mínimas); 5 - Radiação Solar; 6 - Chuvas 7094561 LOG 708672 Terreno de Propriedade da Fundação Municipal do Desenvolvimento

Leia mais

Data: 07/11/2015 ESTADO DE MINAS GERAIS MUNICIPIO DE MARIANA

Data: 07/11/2015 ESTADO DE MINAS GERAIS MUNICIPIO DE MARIANA Data: 07/11/2015 ESTADO DE MINAS GERAIS MUNICIPIO DE MARIANA 1. Histórico Na tarde de quinta-feira, dia 05/11/15, duas barragens se romperam no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central

Leia mais

1 RELATÓRIO HIDROMETEOROLÓGICO PERÍODO CHUVOSO 2014/2015

1 RELATÓRIO HIDROMETEOROLÓGICO PERÍODO CHUVOSO 2014/2015 1 RELATÓRIO HIDROMETEOROLÓGICO PERÍODO CHUVOSO 2014/2015 2 SEMAD - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Secretário Luiz Sávio de Souza Cruz IGAM Instituto Mineiro de Gestão

Leia mais

Panorama hídrico no estado do Acre: diagnóstico, perspectivas e impactos potenciais relacionados à situação de seca.

Panorama hídrico no estado do Acre: diagnóstico, perspectivas e impactos potenciais relacionados à situação de seca. São José dos Campos, 23 de setembro de 2016 Panorama hídrico no estado do Acre: diagnóstico, perspectivas e impactos potenciais relacionados à situação de seca. Sumário Executivo O quadro hídrico atual

Leia mais

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo 15/12/2015 - Vitória/ES AGENDA A CESAN Principais resultados alcançados Cenário hídrico Ações e projetos futuros 52 municípios atendidos 72 % da população

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

ESTADO DO TOCANTINS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL Meio Ambiente e Recursos Hídricos ESTADO DO TOCANTINS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL INFORMAÇÃO HIDROMETEOROLÓGICA DO ESTADO DO TOCANTINS Boletim da Defesa

Leia mais

DESASTRES NATURAIS e METEOROLOGIA Monitoramento, previsão e alerta. Chou Sin Chan

DESASTRES NATURAIS e METEOROLOGIA Monitoramento, previsão e alerta. Chou Sin Chan Ministério da Ciência e Tecnologia Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos DESASTRES NATURAIS e METEOROLOGIA Monitoramento, previsão e alerta Chou Sin

Leia mais

ANEXO III CRONOGRAMAS

ANEXO III CRONOGRAMAS ANEXO III CRONOGRAMAS 1 Cronograma Físico Com base nas quantidades de serviços previstas e no cronograma físico do Programa de Monitoramento Hidrometeorológico do empreendimento Sapiens Parque, estabeleceu-se

Leia mais

Influência do fenômeno El Niño na bacia hidrográfica do Rio Paraná

Influência do fenômeno El Niño na bacia hidrográfica do Rio Paraná Influência do fenômeno El Niño na bacia hidrográfica do Rio Paraná Cláudio Renato dos Santos Lizardo Graduando em Engenharia Civil Centro Universitário Uniritter crlizardo@uol.com.br Orlando Cremonti Filho

Leia mais

Por que falar em Segurança de Barragens?

Por que falar em Segurança de Barragens? Por que falar em Segurança de Barragens? Por que falar em Segurança de Barragens? SEGURANÇA TOTAL Riscos inerentes à construção de uma barragem: NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE RISCOS NULOS INEXISTÊNCIA DE RISCO

Leia mais

Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios

Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios Estudos dos impactos da agricultura na quantidade e qualidade da água no solo e nos rios Universidade Federal de Santa Maria Professores: Jean P.G. Minella, José Miguel Reichert, Dalvan J. Reinert Universidade

Leia mais

1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014

1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014 1. CLIMATOLOGIA E PREVISÃO DA PRECIPITAÇÃO PARA JUL/AGO/SET/2014 A climatologia da precipitação para os meses de Julho, Agosto e Setembro (Figura 1) mostra que os volumes de chuva neste trimestre variam

Leia mais

SEJA BEM-VINDO A COMERCINHO

SEJA BEM-VINDO A COMERCINHO SEJA BEM-VINDO A COMERCINHO Município pertencente ao Circuito Turístico Vale do Jequitinhonha Esse é o nosso Vale. Pura inspiração! ATENDIMENTO AO TURISTA: Cassiano Dias Interlocutor do Município Telefone:

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE MODELAGEM HIDRÁULICA UNIDIMENSIONAL DAS ZONAS URBANAS INUNDÁVEIS EM COLATINA / ES

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE MODELAGEM HIDRÁULICA UNIDIMENSIONAL DAS ZONAS URBANAS INUNDÁVEIS EM COLATINA / ES XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE MODELAGEM HIDRÁULICA UNIDIMENSIONAL DAS ZONAS URBANAS INUNDÁVEIS EM COLATINA / ES Marlon Marques Coutinho 1 & Éber José de Andrade Pinto RESUMO Uma das aplicações

Leia mais

Continuidade do Sistema de Coleta de Dados

Continuidade do Sistema de Coleta de Dados Continuidade do Sistema de Coleta de Dados Bolsista PCI: Aurea A. S. Simões (INPE) Supervisão: Wilson Yamaguti (INPE) Participação: Bruno Braz (INPE) Mario Marcos Quintino da Silva (Coord. ETE até 2012)

Leia mais

TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO

TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE RECURSOS HÍDRICOS TABELA DAS PRECIPITAÇÕES MENSAIS NO ESTADO DO PARÁ RELATÓRIO TÉCNICO Belém-PA 2013 1 TABELA DAS PRECIPITAÇÕES

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 02 de março de 2016 Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação acumulada durante a estação seca de abril

Leia mais

Vulnerabilidade Social e doenças gastrointestinais associadas com estação de chuva em São Paulo, Brasil

Vulnerabilidade Social e doenças gastrointestinais associadas com estação de chuva em São Paulo, Brasil Vulnerabilidade Social e doenças gastrointestinais associadas com estação de chuva em São Paulo, Brasil Doris Jimena Roncancio Benítez Orientadora: Profa. Dra. Adelaide Cássia Nardocci Marco de Referencia

Leia mais

HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15

HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15 HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15 IMPORTÂNCIA DA ÁGUA A água é um recurso natural fundamental ao ser humano, uma das principais fontes de vida. Necessárias são posturas

Leia mais

ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL

ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL Período: Janeiro a Maio de 2011 Fortaleza, 24 de junho de 2011 1 Introdução

Leia mais

A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015

A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015 A escassez de água para abastecimento em Minas Gerais Fev/2015 As concessões de água no Estado 853 municípios SISTEMA DE ABASTECIMENTO DA RMBH COPASA: Concessões em COPANOR: Concessões em Total concessões

Leia mais

Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012

Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012 Balanço das chuvas anômalas sobre estados de MG, RJ e ES no início da estação chuvosa 2011/2012 Todos os anos a Região Sudeste do Brasil é atingida por eventos extremos de chuva, que ocorrem principalmente

Leia mais

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias Descrição geral - Trabalho técnico de Economia, Engenharia, Ciências do Meio Ambiente, Estatística, Geografia, Ciências Sociais

Leia mais

OFÍCIO Nº 175/2015/CBH-DOCE Governador Valadares, 21 de dezembro de 2015.

OFÍCIO Nº 175/2015/CBH-DOCE Governador Valadares, 21 de dezembro de 2015. OFÍCIO Nº 175/2015/CBH-DOCE Governador Valadares, 21 de dezembro de 2015. Exma. Sra. Izabella Mônica Vieira Teixeira Ministra do Meio Ambiente ASSUNTO: Encaminha proposição de estratégias para recuperação

Leia mais

SEJA BEM-VINDO A RUBIM

SEJA BEM-VINDO A RUBIM SEJA BEM-VINDO A RUBIM Município pertencente ao Circuito Turístico Vale do Jequitinhonha Esse é o nosso Vale. Pura inspiração! ATENDIMENTO AO TURISTA: Cláudio Ruys Interlocutor do Município Telefone: (33)

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

SISTEMA DE VIGILÂNCIA E ALERTA DE RECURSOS HÍDRICOS - SVARH

SISTEMA DE VIGILÂNCIA E ALERTA DE RECURSOS HÍDRICOS - SVARH SISTEMA DE VIGILÂNCIA E ALERTA DE RECURSOS HÍDRICOS - SVARH Green Business Week 2016 Felisbina Quadrado Diretora do Departamento de Recursos Hídricos maria.quadrado@apambiente.pt ÍNDICE DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DE JANEIRO E PROGNÓSTICO CLIMÁTICO PARA O TRIMESTRE FEVEREIRO, MARÇO E ABRIL DE 2011. I. DIAGNÓSTICO Em Minas Gerais, janeiro iniciou-se com chuvas fortes, frequentes e generalizadas,

Leia mais

BIOSFERA REGIÃO. Entidades de pesquisa, ensino e extensão ONG PAISAGEM EMPRESA FLORESTAL BACIA HIDROGRÁFICA. Comunidade local UMF

BIOSFERA REGIÃO. Entidades de pesquisa, ensino e extensão ONG PAISAGEM EMPRESA FLORESTAL BACIA HIDROGRÁFICA. Comunidade local UMF ASPECTOS AMBIENTAIS INTEGRADOS AO PROCESSO PRODUTIVO DA COLHEITA DE MADEIRA ENVIRONMENTAL ASPECTS INTEGRATED IN THE HARVESTING PRODUCTION PROCESS Paulo Henrique Dantas Coordenação de Meio Ambiente Industrial

Leia mais

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013.

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013. Estudo de Perfil do Consumidor Potencial Brasil - Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/ Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM SIMULAÇÃO HIDROLÓGICA E BALANÇO HÍDRICO DO RESERVATÓRIO POÇO DA CRUZ (PE) Alfredo Ribeiro Neto Cristiane Ribeiro de Melo Djalena Marques de Melo José Almir Cirilo Objetivo O objetivo deste trabalho é simular

Leia mais

ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS

ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS ORGANIZADO POR RUIBRAN JANUÁRIO DOS REIS GUIA DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS EM MINAS GERAIS Novembro. 2016 GUIA DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS EM MINAS GERAIS Novembro. 2016 FICHA CATALOGRÁFICA Elaborada pela

Leia mais

Precipitação I. Mario Thadeu Leme de Barros Renato Carlos Zambon

Precipitação I. Mario Thadeu Leme de Barros Renato Carlos Zambon Precipitação I Mario Thadeu Leme de Barros Renato Carlos Zambon Precipitações Fonte de água da bacia hidrográfica Condiciona o regime do rio (vazões médias, estiagens e cheias) Variações no tempo (sazonais,

Leia mais

Dr. André Cordeiro Alves dos Santos Drª. Eliane Pintor de Arruda Drª. Flávia Bottino

Dr. André Cordeiro Alves dos Santos Drª. Eliane Pintor de Arruda Drª. Flávia Bottino Análises realizadas in situ Análises físicoquímicas do Rio Doce e afluentes sob influencia dos Rejeitos provenientes no Rompimento da Barragem de Fundão da Empresa Samarco Dr. André Cordeiro Alves dos

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 18 de agosto de 2016. Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação média espacial, acumulada durante a estação

Leia mais

Monitoramento Hidrológico no rio São Francisco. Hydrological monitoring the San Francisco River

Monitoramento Hidrológico no rio São Francisco. Hydrological monitoring the San Francisco River Monitoramento Hidrológico no rio São Francisco Cristiane Ribeiro de Melo 1 * & Solange Cavalcanti de Melo 2 & Fábio Araújo da Costa 3 & Mercília Maria Farias de Barros 4 Resumo O presente trabalho tem

Leia mais

PROGRAMA DE LEVANTAMENTOS E MONITORAMENTO HIDROSSEDIMENTOLÓGICO DO RIO MADEIRA E DO FUTURO RESERVATÓRIO DA UHE SANTO ANTÔNIO

PROGRAMA DE LEVANTAMENTOS E MONITORAMENTO HIDROSSEDIMENTOLÓGICO DO RIO MADEIRA E DO FUTURO RESERVATÓRIO DA UHE SANTO ANTÔNIO UHE SANTO ANTÔNIO PROGRAMA DE LEVANTAMENTOS E MONITORAMENTO HIDROSSEDIMENTOLÓGICO DO RIO MADEIRA E DO FUTURO RESERVATÓRIO DA UHE SANTO ANTÔNIO RELATÓRIO DE ANDAMENTO RA 10 NOVEMBRO/2009 UHE SANTO ANTÔNIO

Leia mais

1) APRESENTAÇÃO 2) INDICADORES

1) APRESENTAÇÃO 2) INDICADORES 1) APRESENTAÇÃO BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO Pág: 1 / 10 O presente boletim visa apresentar as informações relativas ao Monitoramento de Resgate de Fauna Silvestre Impactada pelo Rompimento a Barragem de

Leia mais

Relatório Diário Automático

Relatório Diário Automático Relatório Diário Automático 01/Mar/2017 Este documento foi criado automaticamente pelo Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em Cachoeira Paulista, SP, Brasil. Envie comentários

Leia mais

CISTERNA tecnologia social: atendimento população difusa

CISTERNA tecnologia social: atendimento população difusa Precipitação / Evapotranspiração (mm) 180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 Semi- árido: REGIME IRREGULAR DE CHUVA: variação inter-anual e sazonal necessidade de armazenamento (GARANTIA DE SUPRIMENTO) Jan

Leia mais

ATLAS DE VULNERABILIDADE ÀS

ATLAS DE VULNERABILIDADE ÀS ATLAS DE VULNERABILIDADE ÀS INUNDAÇÕES DE MINAS GERAIS 2015 Pedro Engler Barbosa Gestor Ambiental Diretoria de Prevenção e Emergência Ambiental Belo Horizonte, 29 de setembro de 2015 Sumário da apresentação

Leia mais

Introdução. A importância da compreensão dos fenômenos meteorologicos Grande volume de dados

Introdução. A importância da compreensão dos fenômenos meteorologicos Grande volume de dados Introdução A importância da compreensão dos fenômenos meteorologicos Grande volume de dados Estações meteorológicas Imagens de satélite Radar Aeronaves, navios e bóias oceânicas Necessidade de rapidez

Leia mais

Gerenciamento das Microbacias: Victoria, Vieira e Pereira

Gerenciamento das Microbacias: Victoria, Vieira e Pereira O GERENCIAMENTO DE MICROBACIAS COM VOCAÇÃO AGRÍCOLA EM SANTA CATARINA: ESTUDOS AGROHIDROCLIMATOLÓGICOS INTEGRADOS "Modernización de Riegos y Uso de Tecnologías de Información" CYTED - Red Riegos y Tierras

Leia mais

Relatório de Avaliação Hidrológica

Relatório de Avaliação Hidrológica Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Monitoramento das Águas - DPMA/IGAM Cidade Administrativa - Edifício Minas 1º andar Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/n - Bairro Serra Verde Belo Horizonte/MG

Leia mais

PREVISÃO SAZONAL DE PRECIPITAÇÃO PARA O NORDESTE DO BRASIL - EMITIDA EM JAN/2014 PARA O PERÍODO ENTRE FEV E ABR/2014

PREVISÃO SAZONAL DE PRECIPITAÇÃO PARA O NORDESTE DO BRASIL - EMITIDA EM JAN/2014 PARA O PERÍODO ENTRE FEV E ABR/2014 PREVISÃO SAZONAL DE PRECIPITAÇÃO PARA O NORDESTE DO BRASIL - EMITIDA EM JAN/2014 PARA O PERÍODO ENTRE FEV E ABR/2014 JANEIRO 14 PREVISÃO SAZONAL DE PRECIPITAÇÃO PARA O NORDESTE DO BRASIL - EMITIDA EM JAN/2014

Leia mais

Geól. Agostinho Tadashi Ogura Laboratório de Riscos Ambientais LARA Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas CETAE

Geól. Agostinho Tadashi Ogura Laboratório de Riscos Ambientais LARA Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas CETAE ESTUDOS PRELIMINARES DE CORRELAÇÃO E PREVISIBILIDADE DE EVENTOS METEOROLÓGICOS EXTREMOS DEFLAGRADORES DE ACIDENTES DE MOVIMENTOS DE MASSA NA SERRA DO MAR Geól. Agostinho Tadashi Ogura Laboratório de Riscos

Leia mais

Prêmio Aprender na Cidade. Promovendo o livro e a leitura nos municípios da Estrada de Ferro Vitória a Minas

Prêmio Aprender na Cidade. Promovendo o livro e a leitura nos municípios da Estrada de Ferro Vitória a Minas Prêmio Aprender na Cidade Promovendo o livro e a leitura nos municípios da Estrada de Ferro Vitória a Minas Contexto Segundo dados do Ministério da Cultura e da Secretaria de Articulação institucional

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Semestre letivo

PLANO DE ENSINO. Semestre letivo Departamento de Engenharia Civil Disciplina : Hidrologia (HIA0001) Prof. Dr. Doalcey Antunes Ramos PLANO DE ENSINO Semestre letivo 2013-1 EMENTA: Ciclo hidrológico. Bacias hidrográficas. Precipitação.

Leia mais

Alturas mensais de precipitação (mm)

Alturas mensais de precipitação (mm) Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos AGUASPARANÁ - Instituto das Águas do Paraná Sistema de Informações Hidrológicas - SIH Alturas mensais de precipitação (mm) Estação: Município: Tipo: Altitude:

Leia mais

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos 1 Art. 115. As águas pluviais que escoam nos limites das propriedades não poderão aumentar as vazões do sistema de drenagem acima das condições naturais e as intervenções por edificações não poderão introduzir

Leia mais

A estação das chuvas. Elemento fundamental para a vida na Terra e recurso natural cada dia mais valioso, a água exige cuidados.

A estação das chuvas. Elemento fundamental para a vida na Terra e recurso natural cada dia mais valioso, a água exige cuidados. 1 A estação das chuvas Elemento fundamental para a vida na Terra e recurso natural cada dia mais valioso, a água exige cuidados. É preciso preservar a sua qualidade, garantir a sua quantidade e respeitar

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO LEVANTAMENTO, SISTEMATIZAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES PROCESSAMENTO DE DADOS GEOGRÁFICOS...

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO LEVANTAMENTO, SISTEMATIZAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES PROCESSAMENTO DE DADOS GEOGRÁFICOS... 1 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 5 2. LEVANTAMENTO, SISTEMATIZAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES... 6 2.1 DESCRIÇÃO DO PRODUTO... 6 2.2 ATIVIDADES REALIZADAS NAS ETAPAS ANTERIORES... 6 2.3 ATIVIDADES REALIZADAS

Leia mais

URBANIZAÇÃO E DRENAGEM URNANA EM PORTO ALEGRE. Joel Avruch Goldenfum - IPH/UFRGS

URBANIZAÇÃO E DRENAGEM URNANA EM PORTO ALEGRE. Joel Avruch Goldenfum - IPH/UFRGS URBANIZAÇÃO E DRENAGEM URNANA EM PORTO ALEGRE Joel Avruch Goldenfum - IPH/UFRGS 1 Impactos da urbanização Cerca de 80% da população brasileira Problemas (Recursos Hídricos): degradação ambiental dos mananciais

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA INMET 5º DISME BELO HORIZONTE BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO DE MAIO E PROGNÓSTICO CLIMÁTICO PARA O TRIMESTRE JUNHO, JULHO E AGOSTO DE 2011. I. DIAGNÓSTICO Maio foi um mês seco e com temperaturas amenas em Minas Gerais. As chuvas foram

Leia mais

PROGRAMA MONITORAR CEIVAP. GTAOH, 12 de dezembro de 2016

PROGRAMA MONITORAR CEIVAP. GTAOH, 12 de dezembro de 2016 PROGRAMA MONITORAR CEIVAP GTAOH, 12 de dezembro de 2016 Qual objetivo do programa - MONITORAR??? Implantação da ação 2.2.1 do PAP Plano de Aplicação Plurianual. Instalar e/ou modernizar 22 estações de

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A UTILIZAÇÃO DOS VOLUMES MORTOS DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL

CRITÉRIOS PARA A UTILIZAÇÃO DOS VOLUMES MORTOS DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL CRITÉRIOS PARA A UTILIZAÇÃO DOS VOLUMES MORTOS DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160

Leia mais

MEIO FÍSICO. ÁREA DE INFLUÊNCIA Bacia de Drenagem para o Reservatório O rio Paranaíba

MEIO FÍSICO. ÁREA DE INFLUÊNCIA Bacia de Drenagem para o Reservatório O rio Paranaíba Qualidade da Água MEIO FÍSICO ÁREA DE INFLUÊNCIA Bacia de Drenagem para o Reservatório O rio Paranaíba Médias mensais de vazão entre os anos de 1931 e 2009 na estação da ANA 60012100 - Ponte Vicente Goulart.

Leia mais

Laudo Meteorolo gico de Evento Clima tico - Coelba: 19 de janeiro de 2016

Laudo Meteorolo gico de Evento Clima tico - Coelba: 19 de janeiro de 2016 Laudo Meteorolo gico de Evento Clima tico - Coelba: 19 de janeiro de 2016 Climatempo Meteorologia Março de 2016 Sumário 1. Descrição do Evento... 2 2. Abrangência do Evento... 5 3. Classificação COBRADE...

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos DESAFIOS PARA TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAUDE- MG Cenário resíduos de serviços de saúde em Minas Gerais Regulamentação

Leia mais

Informativo nº 04/ de julho de 2015

Informativo nº 04/ de julho de 2015 Prezado Participante, Completamos, ainda no mês de maio, mais de 24.000 participantes em nosso Movimento e o crescimento é contínuo. Continue participando e apoiando essa proposta, pois, juntos somos mais

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO José Ivaldo Barbosa de Brito, Departamento de Ciências Atmosféricas, Centro de Ciências e Tecnologia,

Leia mais

BOLETIM DIÁRIO-HIDROMETEOROLÓGICO- RO MONITORAMENTO DE ENCHENTES DA EQUIPE GESTORADA SEDAM - RONDÔNIA Editado em 14 de JANEIRO/ 2016 Versão 1.

BOLETIM DIÁRIO-HIDROMETEOROLÓGICO- RO MONITORAMENTO DE ENCHENTES DA EQUIPE GESTORADA SEDAM - RONDÔNIA Editado em 14 de JANEIRO/ 2016 Versão 1. GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL SEDAM BOLETIM DIÁRIO-HIDROMETEOROLÓGICO- RO MONITORAMENTO DE ENCHENTES DA EQUIPE GESTORADA SEDAM - RONDÔNIA Editado em 14

Leia mais

Local: (Cidade, Estado) Data: (Dia, Mês e Ano)

Local: (Cidade, Estado) Data: (Dia, Mês e Ano) Logo do Empreendedor e/ou Proprietário e/ou Logo do Autor do PAE Nome do Empreendedor e/ou Proprietário BARRAGEM PLANO DE AÇÃO DE EMERGÊNCIA - PAE Coordenador do PAE: (Nome) Fotografia Ilustrativa do Aproveitamento

Leia mais