PRODUTO EDUCACIONAL A EXPERIMENTAÇÃO EM ELETRICIDADE: UMA ESTRATÉGIA FACILITADORA DA APRENDIZAGEM DE TÓPICOS DE FÍSICA ABORDADOS NO ENSINO MÉDIO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUTO EDUCACIONAL A EXPERIMENTAÇÃO EM ELETRICIDADE: UMA ESTRATÉGIA FACILITADORA DA APRENDIZAGEM DE TÓPICOS DE FÍSICA ABORDADOS NO ENSINO MÉDIO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DEPARTAMENTO DE FÍSICA Programa de Pós-Graduação Profissional em Ensino de Física PRODUTO EDUCACIONAL A EXPERIMENTAÇÃO EM ELETRICIDADE: UMA ESTRATÉGIA FACILITADORA DA APRENDIZAGEM DE TÓPICOS DE FÍSICA ABORDADOS NO ENSINO MÉDIO Luciano Sedraz Silva São Cristovão - SE 2015

2 2 PRODUTO EDUCACIONAL O produto educacional originado com essa pesquisa consiste em um Kit Didático composto de um manual de montagem e um DVD com os vídeos dos experimentos. Este material foi confeccionado a partir das atividades desenvolvidas na Oficina de Eletricidade com 12 alunos da terceira série do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe, em São Cristóvão. A proposta desse kit é mostrar aos professores e alunos que é possível ensinar e aprender Física de maneira contextualizada, motivadora e significativa, utilizando para isto a experimentação, ferramenta fundamental no processo de ensino e aprendizagem da referida disciplina. A ideia inicial do produto educacional era a confecção de um manual de montagem contendo experimentos simples de fenômenos elétricos. Porém, durante as aulas, um aluno sugeriu que fizéssemos a filmagem de um experimento. Segundo ele, com as imagens capturadas durante a execução das atividades, os colegas conseguiriam compreender melhor tais fenômenos. Desta forma, unimos as duas ideias e criamos um Kit Didático. Vale ressaltar que com as instruções presentes no Kit, professores e alunos do ensino médio poderão repetir os experimentos e até aprimorá-los. Para visualização dos vídeos do DVD basta acessar o endereço eletrônico: https://www.youtube.com/ e em seguida digitar na barra de procura Experimentação em eletricidade Prof. Luciano Sedraz. Quanto ao manual de montagem ficará disponível na biblioteca do Colégio de Aplicação da UFS a partir da segunda quinzena do mês de julho de A seguir as figuras C.1 e C.2 mostram as interfaces do DVD.

3 3 Figura C.1 Tela do menu inicial do DVD Figura C.2 Tela do menu Experimentos Como podemos observar nas figuras C.1 e C.2, os menus são interativos, ou seja, você poderá escolher a opção: iniciar o filme (com essa ação será exibido completamente o vídeo); experimentos (será exibido apenas o experimento selecionado) e créditos (aparece a relação dos alunos participantes da Oficina, os nomes dos idealizadores do projeto, agência financiadora, trilha sonora tipografia).

4 4 No início de cada experimento é apresentado a lista de materiais (figura C.3) utilizados nos experimentos. De acordo com a realidade da escola, os materiais poderão ser substituídos por outros que apresentam propriedades semelhantes e até mesmo pode-se complementar o kit. Figura C.3 Tela do Experimento 01 MANUAL DE MONTAGEM O manual de montagem do Kit didático contém cinco roteiros para experimentação em eletricidade. Vale a pena ressaltar que durante a realização das atividades é necessário que os alunos adotem algumas medidas de segurança para evitar acidentes. Recomendamos os seguintes cuidados: usar sempre um calçado fechado; usar luvas de borracha ou couro; não tocar nos condutores (fios), principalmente nas emendas; durante a montagem do experimento desligue-o da fonte de alimentação (tomada); não utilizar objetos metálicos para manipular os materiais do experimento; aguardar as orientações do professor para cada um dos experimentos; não realizar as atividades com as mãos ou corpo molhados; não usar adornos (pulseiras, anéis, correntes e relógios) durante a experimentação. A seguir, iremos apresentar cada um dos cinco roteiros dos experimentos realizados pelos alunos na Oficina de Eletricidade.

5 5 EXPERIMENTO 01: CONDUTORES E ISOLANTES ÁREA DO CONHECIMENTO Física CONTEÚDO Eletricidade; condutores e isolantes; corrente elétrica. OBJETIVO(S) Definir condutores e isolantes elétricos; Classificar alguns materiais como condutores ou isolantes elétricos. DESCRIÇÃO A presença de condutores e isolantes de eletricidade é muito comum no nosso cotidiano. Os primeiros são todos os corpos ou substâncias que conduzem facilmente a corrente elétrica. Já os isolantes elétricos, pelo fato de possuírem enormes quantidades de elétrons livres impedem a passagem da corrente elétrica. Este experimento tem a finalidade de classificar objetos em condutores ou isolantes, a partir da observação da passagem da corrente elétrica conforme a figura C.5. MATERIAL UTILIZADO: 15 cm de condutor elétrico (1,5mm²); 01 porta-pilhas; 01 pilha de 1,5V; 01 lâmpada de lanterna de 1,5V; 01 fita adesiva; Objetos auxiliares Pregos, arame, clips e alfinete (metais); Réguas e canudos (plásticos); 01 borracha escolar; 01 placa de vidro;

6 6 01 pedaço de papelão; 01 pedaço de arame de solda; 01 bocal de caneta; 01 pedaço de fita de tecido. MONTAGEM DA EXPERIÊNCIA Corte dois pedaços de aproximadamente 7,5 cm de condutor (1,5 mm²); Usando o porta-pilhas e a fita adesiva, prenda uma ponta do condutor no polo positivo e a outra extremidade a rosca da lâmpada; Prenda a ponta do outro pedaço do condutor no polo negativo e a outra extremidade no ponto metálico existente na parte inferior da lâmpada. Dessa forma, ela deverá acender; Acrescente ao circuito do procedimento anterior um objeto auxiliar da lista de materiais. Repita essa operação com todos os objetos e observe se a lâmpada irá acender. Figura C.5 Experimento 01 Condutores e isolantes MATERIAL DE APOIO:

7 7 SUGESTÕES Utilizar o simulador condutores e isolantes como ferramenta facilitadora da aprendizagem. Disponível no endereço eletrônico abaixo:

8 8 ÁREA DO CONHECIMENTO EXPERIMENTO 02: EFEITO JOULE Física CONTEÚDO Eletricidade; condutores; corrente elétrica e efeito Joule. OBJETIVO(S): Observar o efeito Joule; Identificar as consequências do efeito Joule. DESCRIÇÃO Ao encostar os fios na palha de aço, fecha-se um circuito elétrico, devendo então os elétrons passar pela esponja de aço, devido à força eletromotriz que os empurra do polo negativo ao positivo. Porém a resistência da palha de aço é bastante alta, fazendo com que os elétrons se choquem com os átomos da palha, esquentando-a. No caso da palha de aço, esse aumento de temperatura é brusco, fazendo com que faísque e possa queimar. MATERIAL UTILIZADO: Porta pilhas; 02 pilhas AA; 02 pedaços de condutores de espessura 1 mm²; 01 pedaço de palha de aço. MONTAGEM DA EXPERIÊNCIA Coloque as pilhas no porta-pilhas obedecendo as polaridades, pegue a palha de aço, faça um pequeno arco com pequena densidade de fios e fique esfregando as extremidades a uma distância de aproximadamente um centímetro (1 cm), até que a palha de aço comece a faiscar conforme a figura C.6. Por medida de

9 9 segurança, realize esse experimento num lugar afastado da rede elétrica e de materiais inflamáveis. Figura C.6 Experimento 02 Efeito Joule MATERIAL DE APOIO: SUGESTÕES Discutir com os alunos a relação existente entre o experimento e o funcionamento do chuveiro elétrico.

10 10 EXPERIMENTO 03: FRITADOR DE SALSICHAS ÁREA DO CONHECIMENTO Física CONTEÚDO Eletricidade; condutores; corrente elétrica, efeito Joule e resistência elétrica. OBJETIVO(S): Observar o efeito Joule; Identificar as consequências do efeito Joule. Montar um circuito elétrico simples; Verificar a queda de potencial elétrico ao longo da salsicha utilizando lâmpadas de LED. LED é a sigla para diodos emissores de luz. DESCRIÇÃO Neste experimento vamos verificar a passagem da corrente elétrica através de um condutor iônico. Para isso, vamos utilizar uma salsicha associada em série com uma lâmpada incandescente. Durante esse processo observaremos a manifestação do efeito Joule na salsicha, provocando assim o aquecimento desse alimento. Observe a figura C.7. MATERIAL UTILIZADO: 2m de condutor elétrico (diâmetro igual a 1,5 mm²); Uma placa de forro PVC (10 cm x 50 cm); 3 lâmpadas de LED; Uma salsicha de cachorro quente; Fita isolante; 1 bocal de lâmpada incandescente; 2 pregos para telha de Eternit; Lâmpadas incandescentes de 40 W e 60 W. MONTAGEM DA EXPERIÊNCIA

11 11 Fixar os dois pregos na placa de PVC, separados por uma distância de 10cm; Fixar o bocal na placa de PVC, deixando uma distância de 20cm dos pregos; Ligar a extremidade de um pedaço (25 cm) de fio a um dos pregos e a outra a um dos polos do bocal da lâmpada; Fixar no outro prego um pedaço (50 cm) de fio; Fixar no outro polo do bocal da lâmpada um pedaço (50 cm) de fio; Prenda a salsicha nos pregos; Enrosque a lâmpada de 40 W no bocal para fechar o circuito; Substitua a lâmpada de 40 W por outra de 60 W e verifique o que acontece; Coloque as lâmpadas de LED na salsicha. Figura C.7 Experimento 03 Fritador de salsichas MATERIAL DE APOIO: SUGESTÕES Utilizar outros alimentos como, por exemplo, vegetais para verificar o que com o brilho da Lâmpada.

12 12 EXPERIMENTO 04: LÂMPADA DE GRAFITE ÁREA DO CONHECIMENTO Física CONTEÚDO Eletricidade; condutores; corrente elétrica, efeito Joule, resistência elétrica e 2ª Lei de Ohm. OBJETIVO(S): Observar o efeito Joule; Identificar as consequências do efeito Joule. Construir uma lâmpada utilizando grafite; Verificar as características da Lei de Ohm. DESCRIÇÃO Neste experimento vamos construir uma lâmpada usando grafite. Este material suporta altas temperaturas, normalmente é usada como matéria prima para produzir um recipiente em forma de pote chamado de cadinho. Com essa atividade vamos comprovar a baixa resistência elétrica, ou alta condutividade da grafite de um lápis. Para isso, vamos fazer passar uma corrente elétrica pelo pedaço de grafite provocando assim o seu aquecimento devido o efeito joule. Observe a figura C.8. MATERIAL UTILIZADO: Uma fonte de alimentação de 12V ou 08 pilhas D; 2 conectores do tipo jacaré; Pontas de grafite com espessuras 0,3 mm², 0,5 mm², 0,7 mm² e 0,9 mm². MONTAGEM DA EXPERIÊNCIA Fixe os conectores na fonte de alimentação; Prenda a ponta de grafite nos conectores;

13 13 Conecte a fonte de alimentação a uma tomada e observe o que acontece; Retire a fonte da tomada. Em seguida, por medida de segurança espere dois minutos e substitua a ponta por outra de espessura diferente; Substitua as pontas (inteiras) por outras que tenham metade do comprimento inicial; Repita os passos anteriores alterando o comprimento e a espessura das pontas de grafite. Figura C.8 Experimento 04 Lâmpada de grafite MATERIAL DE APOIO: SUGESTÕES Utilizar os simuladores da 1ª e 2ª Leis de Ohm como ferramenta facilitadora da aprendizagem. Disponível no endereço eletrônico abaixo: https://phet.colorado.edu/pt_br/ Montar um debate sobre eficiência energética com a finalidade de discutir a importância do consumo racional de energia elétrica na escola e nas residências dos alunos.

14 14 EXPERIMENTO 05: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES ÁREA DO CONHECIMENTO Física CONTEÚDO Eletricidade; condutores; corrente elétrica, efeito Joule, resistência elétrica e associação de resistores. OBJETIVO(S): Montar circuitos elétricos; Classificar os circuitos elétricos em série, paralelo e misto; Identificar as características de cada circuito. DESCRIÇÃO Para a construção deste experimento é necessário definir previamente circuitos elétricos. Um circuito elétrico é um conjunto de aparelhos interligados eletricamente de forma apropriada. É constituído, pelo menos, por um gerador elétrico, que fornece a energia, por uma carga (ou receptor), que recebe energia e por condutores elétricos que interligam os aparelhos. Nessa atividade o que vai determinar o tipo do circuito (série, paralelo e misto), será a quantidade de caminhos que a corrente elétrica terá para percorrer. Observe a figura C.8. MATERIAL UTILIZADO: 2,5 m de condutor elétrico (1,5 mm²); 01 placa de madeira (10 cm X 80 cm); 06 lâmpadas incandescentes de 60 W; 06 bocais de porcelana para lâmpadas; 01 fita isolante; 01 interruptor simples + tomada; 08 parafusos para madeira;

15 15 01 chave de fenda. MONTAGEM DA EXPERIÊNCIA Prenda os 6 bocais na placa de madeira utilizando os parafusos para fixação; Fixe o interruptor na placa de madeira com auxílio de 2 parafusos; Instale o condutor entre os bocais (soquetes) e o interruptor, conforme a figura C.9; Enrosque as 6 lâmpadas nos bocais; Instale o interruptor em série a tomada; Utilize a fita isolante nas emendas para evitar descargas elétricas; Alimente o circuito conectando-o a uma tomada previamente escolhida. Figura C.9 Experimento 05 Associação de resistores MATERIAL DE APOIO: SUGESTÕES Utilizar o simulador circuitos elétricos como ferramenta facilitadora da aprendizagem. Disponível no endereço eletrônico abaixo:

Objeto de aprendizagem

Objeto de aprendizagem 3ª Ciências 4º Ano E.F. Objeto de aprendizagem O que é eletricidade? - Interação entre ímãs e entre cargas elétricas forças de atração e de repulsão. Perceber a existência de cargas elétricas. Objetivos

Leia mais

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência. Oficina de Eletricidade e Magnetismo

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência. Oficina de Eletricidade e Magnetismo Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência Oficina de Eletricidade e Magnetismo AUTORIA: Welington Cerqueira Júnior e Glênon Dutra Observe a Figura

Leia mais

#03 PROJETO MESA DE GRAVAÇÃO PEQUENA

#03 PROJETO MESA DE GRAVAÇÃO PEQUENA A mesa de gravação de matrizes de serigrafia é um equipamento fundamental para quem quer gravar suas próprias telas. Este equipamento existe em diversos modelos, com preços e recursos técnicos. A intenção

Leia mais

O gerador elétrico. Leia com atenção o experimento descrito a seguir:

O gerador elétrico. Leia com atenção o experimento descrito a seguir: A U A UL LA O gerador elétrico Atenção Leia com atenção o experimento descrito a seguir: O objetivo deste experimento é conseguir acender uma lâmpada sem que ela esteja ligada a uma pilha ou tomada. Para

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV006 Lanterna de LED Ensino Fundamental Direitos Reservados = Newton C. Braga 1 Prof. Ventura Ensina Tecnologia Lanterna de LED Nosso simples projeto consiste

Leia mais

Laboratório de Ciências

Laboratório de Ciências Laboratório de Ciências 1º Aula CORRENTE ELÉTRICA MATERIAL A SER UTILIZADO: 1 conjunto para balanço de corrente com imã 1 aro de metal com agulha imantada (bússola) 1 fio de aço inox solução de bicarbonato

Leia mais

1. Objetivo Tem por finalidade estabelecer os procedimentos para a utilização do aparelho de detector de tensão ao contato e por aproximação.

1. Objetivo Tem por finalidade estabelecer os procedimentos para a utilização do aparelho de detector de tensão ao contato e por aproximação. 1/5 1. Objetivo Tem por finalidade estabelecer os procedimentos para a utilização do aparelho de detector de tensão ao contato e por aproximação. 2. Aplicação Distribuição. 3. Documentos de referência

Leia mais

Exercícios Práticos - Anos Anteriores

Exercícios Práticos - Anos Anteriores Exercícios Práticos - Anos Anteriores Indução Magnética Neste experimento você demonstrará que um motor (de um toca CD/DVD) poderá ser utilizado para gerar corresnte elétrica e, portanto, acender um LED.

Leia mais

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão Instituto de Física e Química Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física O USO DO SIMULADOR PhET PARA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF Introdução Associação de Resistores Em muitas aplicações na engenharia elétrica e eletrônica é muito comum fazer associações de resistores com o objetivo de

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA csjose@csjose.com.br Aluno(a) Nº Série: 3º Ensino Médio Turma 1ª Unidade Disciplina: FÍSICA Data / /. Professor(a) : Antônio Barreto O S e n h o r t e a b e n ç o e e t e g u a r d e v o l t e p a r a

Leia mais

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor.

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Respostas Questões relativas ao resultado Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Resposta: O valor encontrado

Leia mais

Prof. Renato. ETEC de Vila Formosa ETEC Prof. Camargo Aranha SESI Carrão. Física 1ª. Série. Aula 1

Prof. Renato. ETEC de Vila Formosa ETEC Prof. Camargo Aranha SESI Carrão. Física 1ª. Série. Aula 1 Aula 1 1. Apresentação (Conhecimento / Reconhecimento) 1.1 Pessoal Nome, Formação, Profissão, Residência... 1.2 Disciplina (Levantamento / Classificação) Física 1ª. Série 2ª. Série 3ª. Série Mecânica /

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA Professor: Vilson Mendes Lista de exercícios de Física I Lista 6 Associação de resistores ENSINO MÉDIO NOTA: Aluno (: Data SÉRIE/TURMA 3ª 1. Em cada um dos esquemas abaixo,

Leia mais

Física. Eletrodinâmica. Ano a ano ENEM

Física. Eletrodinâmica. Ano a ano ENEM ENEM 2013-2016 Física Eletrodinâmica Ano a ano ENEM 2 120 1,5 90 1 60 0,5 30 0 2013 2014 2015 2016 0 Eletrodinâmica - Parte 1 Total Questões Questão 01 - (ENEM/2013) O chuveiro elétrico é um dispositivo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF Introdução Associação de Resistores Em muitas aplicações na engenharia elétrica e eletrônica é muito comum fazer associações de resistores com o objetivo de

Leia mais

Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo

Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo Disciplina Eletrotécnica Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo Conceitos básicos Eletricidade Eletrostática Eletrodinâmica Cargas elétricas em repouso

Leia mais

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES)

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) Prof. Helton Luiz 2012 O QUE É NECESSÁRIO PARA QUE UM APARELHO ELÉTRICO FUNCIONE? Um brinquedo Um rádio Uma lanterna Uma lâmpada Estes aparelhos só

Leia mais

Observação: É possível realizar o experimento com apenas um multímetro, entretanto, recomenda-se um multímetro por grupo de alunos.

Observação: É possível realizar o experimento com apenas um multímetro, entretanto, recomenda-se um multímetro por grupo de alunos. Lista de Materiais 1 multímetro. 4 pilhas de 1,5V. 2 resistores com resistências da mesma ordem de grandeza. Exemplo: R1 = 270 Ω e R2 = 560 Ω. Lâmpada com soquete com bulbo esférico (6,0V-500 ma). Resistor

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELO: Obrigado por adquirir o. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o em local seguro para consultas futuras. Este aparelho

Leia mais

TEXTO DE APOIO AO PROFESSOR DE FÍSICA

TEXTO DE APOIO AO PROFESSOR DE FÍSICA TEXTO DE APOIO AO PROFESSOR DE FÍSICA A Utilização do Programa Crocodile Clips como um Facilitador do Processo de Ensino Aprendizagem em Eletrodinâmica Produto Educacional desenvolvido por: André da Paixão

Leia mais

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff Eletricidade Aula 4 Leis de Kirchhoff Fonte de Alimentação Vídeo 6 É um dispositivo capaz de fornecer energia elétrica para um circuito. A fonte de alimentação também pode ser chamada de gerador, e outras

Leia mais

Desenha a pilha, o fio e a lâmpada no momento em que a lâmpada acende.

Desenha a pilha, o fio e a lâmpada no momento em que a lâmpada acende. FICHA DE TRABALHO Nº1 Tenta acender uma lâmpada usando uma pilha e um fio. Desenha a pilha, o fio e a lâmpada no momento em que a lâmpada acende. Experimenta no Verão - Circuitos Eléctricos - 1 - Tenta

Leia mais

Experimento Prático N o 4

Experimento Prático N o 4 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Engenharia Área de Eletricidade Experimento Prático N o Eletricidade para Engenharia Lei de Ohm e Potência Elétrica L A B O R A T Ó R I O D E E L E T R I

Leia mais

Lei de Ohm: associação de resistores e capacitores

Lei de Ohm: associação de resistores e capacitores Lei de Ohm: associação de resistores e capacitores Na figura abaixo, exemplificamos um circuito simples, onde aplicamos uma fonte de energia (V), ligada a um resistor (R) e que resultará em uma corrente

Leia mais

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS Serão construídos dois suportes, um para a bobina transmissora, o qual será fixado na barra do detector de metal em posição vertical e outro, para a bobina receptora

Leia mais

Avaliação sobre Corrente Elétrica

Avaliação sobre Corrente Elétrica Avaliação sobre Corrente Elétrica Maria Christina O conceito de corrente elétrica em meios diferentes foi construído pelos alunos? O que falta? Objetivo da avaliação: Avaliar o progresso dos alunos na

Leia mais

Física Eletrodinâmica Fácil [20 Questões]

Física Eletrodinâmica Fácil [20 Questões] Física Eletrodinâmica Fácil [0 Questões] 01 - (ITA SP) Sendo dado que 1J = 0,39 cal, o valor que melhor expressa, em calorias, o calor produzido em 5 minutos de funcionamento de um ferro elétrico, ligado

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuito Elétrico Está associado à: Presença de corrente elétrica: agente que transfere energia da fonte (pilha) para o aparelho (lâmpada). O que é necessário para se

Leia mais

ELETROIMÃ. Parte I. 2. Observar as forças de origem magnética produzidas a partir de corrente elétrica e compará-las com um ímã.

ELETROIMÃ. Parte I. 2. Observar as forças de origem magnética produzidas a partir de corrente elétrica e compará-las com um ímã. ELETROIMÃ Parte I Shizue Shimizu Introdução Uma bobina quando percorrida por corrente elétrica, constitui um ímã. Portanto, a corrente elétrica tem efeito magnético. Com esta experiência, vamos verificar

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos

Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Aula Prática 4 Caracterização de Dispositivos Eletrônicos Disciplinas: Física III (DQF 06034) Fundamentos de Física III (DQF 10079) Física Experimental II ( DQF 10441) Depto Química e Física CCA/UFES Estratégia:

Leia mais

FONTE DE ALIMENTAÇÃO REGULÁVEL

FONTE DE ALIMENTAÇÃO REGULÁVEL FONTE DE ALIMENTAÇÃO REGULÁVEL A fonte apresentada é de fácil montagem e baixo custo, sendo muito útil para o desenvolvimento de experimentos na bancada de eletrônica. O esquema apresentado permite uma

Leia mais

Módulo de Eletricidade Básica. Odailson Cavalcante de Oliveira IFRN- Campus João Câmara

Módulo de Eletricidade Básica. Odailson Cavalcante de Oliveira IFRN- Campus João Câmara Módulo de Eletricidade Básica Odailson Cavalcante de Oliveira IFRN- Campus João Câmara 1 O que esperar do curso? Identificar as principais grandezas elétricas, fazendo a devida relação entre as mesmas

Leia mais

1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do grupo, a série e a data em que foi elaborado.

1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do grupo, a série e a data em que foi elaborado. MODELO E NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DO PROJETO DA JORNADA CULTURAL 2015 O projeto a ser elaborado deve conter: 1- CAPA A capa deve conter o título do trabalho, o nome do colégio, o nome dos componentes do

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos - LAMATE

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos - LAMATE Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos - LAMATE Experiência 1 Chip 1 - Resistores e Propriedades dos Semicondutores Este roteiro destina-se

Leia mais

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS ELETRICIDADE ENSINO MÉDIO Aluno: Série: 3 a Professor: EDUARDO Disciplina: FÍSICA Data: ELETROSTÁTICA 1) (Unicamp-SP) Duas cargas elétricas Q 1 e Q 2 atraem-se quando colocadas próximas

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA

CÓPIA NÃO CONTROLADA INSTRUÇÕES DE TRABALHO OPERADOR CÓDIGO REVISÃO DATA PAG Nº IT 1 ou 2 4100.0065.00 0 18/08/15 1/7 ITR.PRO.046 FIGURA 1 FIGURA 2 FUSISTOR :1192.6010.00 CI: 1126.1820.00 PCI: 1180.0012.00 30 CM DE CABO PP

Leia mais

Adaptado, por José de Pinho Alves Filho, do Manual de construção de equipamentos, publicado pela SEE/PR, CECIPr

Adaptado, por José de Pinho Alves Filho, do Manual de construção de equipamentos, publicado pela SEE/PR, CECIPr GALVANÔMETRO 1 Santos Diez Arribas Departamento de Física ICEG Passo Fundo RS Alfredo Mullen da Paz Colégio de Aplicação UFSC Florianópolis SC Vários experimentos de Eletricidade deixam de ser realizados

Leia mais

2 Eletrodinâmica. Corrente Elétrica. Lei de Ohm. Resistores Associação de Resistores Geradores Receptores. 4 Instrumento de Medidas Elétricas

2 Eletrodinâmica. Corrente Elétrica. Lei de Ohm. Resistores Associação de Resistores Geradores Receptores. 4 Instrumento de Medidas Elétricas 2. Eletrodinâmica Conteúdo da Seção 2 1 Conceitos Básicos de Metrologia 4 Instrumento de Medidas Elétricas 2 Eletrodinâmica Corrente Elétrica Resistência Elétrica Lei de Ohm Potência Elétrica Resistores

Leia mais

Instalação do Rotary Attachment

Instalação do Rotary Attachment Instalação do Rotary Attachment Modo de instalação: 1 - Para a instalação do Rotary attachment desça a mesa de recorta até que fique no ponto mais baixo possível e desligue a laser. 2 - Coloque o Rotary

Leia mais

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 Técnico em Eletromecânica - Agosto o de 2009 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 Eletrostática: CONTEÚDO Átomo-Lei

Leia mais

Capítulo 7: Associação de Resistores

Capítulo 7: Associação de Resistores Capítulo 7: Associação de Resistores Os resistores podem ser associados basicamente de dois modos distintos: em série e em paralelo. Ambos os modos de associação podem estar presentes: temos um associação

Leia mais

Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513

Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513 Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513 Este kit é para utilização com o NetShelter VX, NetShelter SX, ou outros gabinetes padrão de 19 polegadas. Componentes Chave (2) Ímã (2)

Leia mais

b) Quais os tipos de combustíveis são utilizados nessa usina para se produzir o calor?

b) Quais os tipos de combustíveis são utilizados nessa usina para se produzir o calor? Atividade de Ciências 5º ano 1- OBSERVE o esquema abaixo. a) EXPLIQUE como a energia elétrica é produzida nas usinas termelétricas. b) Quais os tipos de combustíveis são utilizados nessa usina para se

Leia mais

Turma: _3º ANO FG e TI

Turma: _3º ANO FG e TI COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2012 Disciplina: FÍSICA Ano: 2012 Professor (a): Marcos Vinicius Turma: _3º ANO FG e TI Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica Para qualquer máquina, em particular, para os aparelhos elétricos, definimos potência como a taxa de transformação ou conversão de energia na forma de calor outra forma de energia,

Leia mais

Medidas e materiais elétricos

Medidas e materiais elétricos UNIDADE 1 SEÇÃO 1 Medidas e materiais elétricos MATERIAIS CONDUTORES Seção 1 Título da Unidade de Ensino: e semicondutores Palavras-chave:, resistividade, condutividade, mobilidade eletrônica, bandas de

Leia mais

luminária em pvc

luminária em pvc 24 luminária em pvc www.dremel.com.br 25 gabarito na página: 90 1 ferramenta Dremel Série 300 1 broca de corte ref. 561 1 disco de corte EZ Lock ref. EZ476 1 acoplamento multiestação de trabalho ref. 2500

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO 1 LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO (Laboratório criado pelo prof. Dr. Ivanor Nunes de Oliveira e desenvolvido sob sua orientação) Foto 1. Laboratório de Eletricidade e Magnetismo 2 Trabalho de

Leia mais

Elementos básicos de um circuito eléctrico. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo de energia.

Elementos básicos de um circuito eléctrico. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo de energia. Elementos básicos de um circuito eléctrico Fonte de Energia Fornece energia ao circuito. Fios Condutores conduzem a corrente eléctrica. Receptores recebem a energia eléctrica e transformam-na noutro tipo

Leia mais

Alunos do 3º Ano do Ensino Médio 4 Bimestre de escolas estaduais

Alunos do 3º Ano do Ensino Médio 4 Bimestre de escolas estaduais OBJETIVO Esta sequencia didática abordara a temática magnetismo, tendo como objetivo a inserção da Física Quântica na explicação atômica da magnetização da matéria, utilizando para isso a evolução dos

Leia mais

1. COMO FUNCIONA O FORNO DE MICROONDAS?

1. COMO FUNCIONA O FORNO DE MICROONDAS? 1. COMO FUNCIONA O FORNO DE MICROONDAS? O que são microondas? Como cozer ou aquecer alimentos, através de microondas? Essas perguntas ou dúvidas serão esclarecidas no transcorrer dos trabalhos deste projeto.

Leia mais

PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX

PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX PROTOTIPAGEM ELETRÔNICA DO IMD PENTATRONIX 1) CONCEITO DE PROTOBOARD Fonte: Fritzing http://fritzing.org/home/ adaptado por Fátima Rosas. Protoboard ou matriz de contato é uma placa com diversos furos

Leia mais

ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II

ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II Prof. Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 02: Instalações Elétricas O Projeto O trabalho do Eletricista não é um processo Contínuo 1) Eletrodutos ou Conduítes 1) Eletrodutos

Leia mais

ESPECTRÔMETRO ÓPTICO. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 2(1): 31-36, abr

ESPECTRÔMETRO ÓPTICO. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 2(1): 31-36, abr ESPECTRÔMETRO ÓPTICO Norberto C. Ferreira IF USP São Paulo SP José de Pinho Alves Filho Depto de Física UFSC Florianópolis SC Introdução Quando se fala em espectrômetro óptico, imediatamente vem à mente

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores

Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores Lista de exercícios de física - 3º ano Leis de Ohm e associação de resistores 1. (Uerj 017) Pela seção de um condutor metálico submetido a uma tensão elétrica, atravessam 18 4,0 10 elétrons em 0 segundos.

Leia mais

Adaptando um apontador laser. Introdução. Materiais Necessários

Adaptando um apontador laser. Introdução. Materiais Necessários dução Adapte um apontador laser, usando materiais simples, para funcionar em um suporte fixo, com pilhas e ser ligado através de um interruptor. Ideal para demonstrações utilizando laser. Materiais Necessários

Leia mais

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. website:

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S.   website: UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS ENERGIA NA AGRICULTURA Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. Email: vigoderis@yahoo.com.br website: www.vigoderis.tk Pode ser gerada

Leia mais

Unidade 2 ELETRICIDADE. Físico químicas - 9º ano de escolaridade

Unidade 2 ELETRICIDADE. Físico químicas - 9º ano de escolaridade Físico químicas - 9º ano de escolaridade Unidade 2 ELETRICIDADE Compreender o que é a corrente elétrica. Conhecer as regras de segurança elétrica. Identificar os principais componentes de um circuito e

Leia mais

Centro Educacional ETIP

Centro Educacional ETIP Centro Educacional ETIP Atividade: Verificação de Aprendizagem 1 Trimestre/2014 Data: Professor: Leandro Nota: Valor : [0,0 2,0] Nome do(a) aluno(a): Nº Turma: INSTRUÇÕES Preencha corretamente o cabeçalho

Leia mais

Experimento 1 Associação de Capacitores. Este relatório deve ser entregue no dia 18/08 no horário da aula

Experimento 1 Associação de Capacitores. Este relatório deve ser entregue no dia 18/08 no horário da aula Eletricidade e Magnetismo II 2 o Semestre/ 2014 Experimento 1 Associação de Capacitores Nome: N o USP Este relatório deve ser entregue no dia 18/08 no horário da aula Informações Importantes! Antes de

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: SUNNY, SUNNY CONTR FHARO Obrigado por adquirir o. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o em local seguro para consultas

Leia mais

Atividade 1. Dispositivo que transforma alguma modalidade de energia em energia potencial elétrica.

Atividade 1. Dispositivo que transforma alguma modalidade de energia em energia potencial elétrica. Atividade 1 1) PROBLEMATIZAÇÃO: Se observarmos uma lanterna, um rádio ou alguns tipos de brinquedos, perceberemos que estes aparelhos só funcionam enquanto estão sendo alimentados por uma fonte de energia

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950 MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR EXTERIOR EMD 950 2 AVISOS O ar aspirado não deve ser canalizado por uma conduta já utilizada para evacuar fumos produzidos por aparelhos alimentados por outras fontes de energia

Leia mais

FORNO ELÉTRICO VCC-8028

FORNO ELÉTRICO VCC-8028 Manual de Instruções FORNO ELÉTRICO VCC-8028 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Leia atentamente as informações contidas neste manual antes de usar o aparelho. INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA: 1. Antes de utilizar o

Leia mais

Eletricidade CAP2. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Eletricidade CAP2. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Eletricidade CAP2 Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Grandezas elétricas fundamentais Tensão elétrica (DDP) O mesmo que voltagem ou d.d.p. (diferença

Leia mais

PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM

PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM Introdução No início do século XIX, Georg Simon Ohm verificou experimentalmente que, para alguns condutores, a relação entre a tensão aplicada (V) e a corrente elétrica (I)

Leia mais

EXPERIMENTO 2: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E A LEI DE OHM

EXPERIMENTO 2: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E A LEI DE OHM EXPERIMENTO 2: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E A LEI DE OHM 2.1 OBJETIVOS Ler o valor nominal de cada resistor através do código de cores. Medir as resistências equivalentes das associações Verificar o comportamento

Leia mais

TELE - VENDAS: (0xx41) FAX GRÁTIS:

TELE - VENDAS: (0xx41) FAX GRÁTIS: TELE - ENDAS: (0xx41) 2102-1100 - FAX GRÁTIS: 0800-704 2080 PROA DE LÂMPADAS Testando a Lâmpada Com a lâmpada fora do soquete, encoste uma ponta de prova no encaixe e a outra ponta no pólo como é mostrado

Leia mais

SÉRIE 55 Série 94 - Sumário bases para relé Série 55

SÉRIE 55 Série 94 - Sumário bases para relé Série 55 SÉRIE 55 Série 94 - Sumário bases para relé Série 55 94.04 Vide página 7 Módulo Base Relé Descrição Montagem 99.02 94.02 55.32 Base com conexão a parafuso Em painel ou trilho - Módulos de sinalização e

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE

EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE Revisão de Eletricidade (Física) do Ensino Médio A - Corrente e Tensão Elétrica 1. Numa seção reta de um condutor de eletricidade, passam 12 C a cada minuto. Nesse condutor,

Leia mais

Eletricidade Professor Pisciotta

Eletricidade Professor Pisciotta CONDUTORES E ISOLANTES Já foi mencionado que segurando uma barra de vidro por uma das extremidades e atritando a outra com um pano de lã, somente a extremidade atritada se eletriza. Isto significa que

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE EXPANSÃO DE LATÃO, AÇO E VIDRO

DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE EXPANSÃO DE LATÃO, AÇO E VIDRO Termodinâmica Expansão Térmica Expansão térmica de corpos sólidos DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE EXPANSÃO DE LATÃO, AÇO E VIDRO Medição da expansão térmica do comprimento respectivamente de um tubo de

Leia mais

PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM

PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM PRIMEIRA E SEGUNDA LEIS DE OHM Introdução No início do século XIX, Georg Simon Ohm verificou experimentalmente que, para alguns condutores, a relação entre a tensão aplicada (V) e a corrente elétrica (I)

Leia mais

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C DIFERENÇA DE POTENCIAL (DDP) CRIAR UMA DIFERENÇA ENTRE DOIS PONTOS. NUM DOS PONTOS HÁ EXCESSO E NO OUTRO FALTA DE ELETRONS QUANTO MAIOR A DIFERENÇA, MAIOR VAI

Leia mais

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) 5596 - Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos Fundamentais 1.1. Matéria......21 1.2. Circuito Elétrico...22 1.2.1. Dispositivo de Manobra...23

Leia mais

Resistência elétrica de uma barra (prismática ou cilíndrica) de área A e comprimento L

Resistência elétrica de uma barra (prismática ou cilíndrica) de área A e comprimento L Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Exatas Departamento de Física Física III Prof. Dr. Ricardo uiz Viana Referências bibliográficas: H. 28-4, 29-4, 29-6 S. 26-4, 27-2 T. 22-2 ula Resistores

Leia mais

Eletroquímica: construção de uma célula galvânica

Eletroquímica: construção de uma célula galvânica Eletroquímica: construção de uma célula galvânica 1. Introdução Uma corrente elétrica é o fluxo de elétrons por um circuito. Quando a corrente é gerada quimicamente, os elétrons saem de uma região em que

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui

Leia mais

Olimpíadas de Física Seleção para as provas internacionais. Prova Experimental B

Olimpíadas de Física Seleção para as provas internacionais. Prova Experimental B SOCIEDADE PORTUGUESA DE FÍSICA Olimpíadas de Física 2014 Seleção para as provas internacionais Prova Experimental B 24/Maio/2014 Olimpíadas de Física 2014 Seleção para as provas internacionais Prova Experimental

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO 22 4.2 Experimento 2: Resistência e Resistores, Voltagem, Corrente e Lei de Ohm 4.2.1 Objetivos Fundamentar os conceitos de resistência e resistor. Conhecer o código de cores, utilizado para especificar

Leia mais

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1 Diretoria Regional de Ensino de Araguaína Colégio Estadual Campos Brasil Tocantins - Brasil Um circuito elétrico pode ser definido como uma interligação de componentes básicos formando pelo menos um caminho

Leia mais

Roteiro para aula experimental

Roteiro para aula experimental 1. Introdução à eletrostática Resumo Roteiro para aula experimental Nesta aula prática vamos estudar os princípios básicos da eletrostática: carga elétrica, eletrização, o poder das pontas e a gaiola de

Leia mais

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria)

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria) Eletrodinâmica A eletrodinâmica está presente em praticamente todos os lugares da vida moderna. As instalações elétricas e suas lâmpadas, aquecedores fazem parte do cotidiano do homem moderno. Para exames

Leia mais

Energia e fenómenos elétricos

Energia e fenómenos elétricos Energia e fenómenos elétricos 1. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II. Estabelece a correspondência correta entre as grandezas elétricas e os seus significados.

Leia mais

PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL

PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL PLANOS DE AULA DO MATERIAL INSTRUCIONAL Professor: Alencar Material a ser aplicado a uma turma de 30 alunos do terceiro ano do Ensino Médio em seis períodos de 50 min cada. Plano para 1ª aula Objetivos

Leia mais

PLANO DE AULA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves

PLANO DE AULA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves PLANO DE AULA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Bento Gonçalves Projeto PIBID-IFRS-BG Área: Física Plano de Aula para Aplicação de Atividade Experimental com

Leia mais

Laboratório de Física UVV

Laboratório de Física UVV Laboratório de Física U 1/6 Comportamento xi de Dispositivos Elétricos Objetivos: Estudar o comportamento corrente x tensão de dispositivos elétricos; Opera fonte de corrente, tensão regulada. Material:

Leia mais

Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware

Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware Aprenda a montar seu computador Recomendações: Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware Colocação da Placa Mãe no Gabinete. Vamos pegar a placa-mãe sem nenhum periférico adicional

Leia mais

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan.

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan. Determinação da resistividade elétrica do Constantan Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Curitiba Departamento Acadêmico de Física Física Experimental Eletricidade Prof. Ricardo Canute Kamikawachi

Leia mais

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica. Página - 228

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica. Página - 228 CADERNO 3 Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica Página - 228 INTENSIDADE DA CORRENTE ELÉTRICA Agora que aprendemos o que é uma corrente elétrica, aprenderemos como determinar a sua intensidade,

Leia mais

(baseado em 6 avaliações)

(baseado em 6 avaliações) Experimento cadastrado por Helder de Figueiredo e Paula em 29/10/2009 Classificação Total de exibições: 7077 (até 25/09/2012) (baseado em 6 avaliações) Palavras-chave: Circuitos Elétricos; Fonte de Tensão

Leia mais

LEIA E GUARDE ESTAS INSTRUÇÕES

LEIA E GUARDE ESTAS INSTRUÇÕES INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA OS VENTILADORES DE TETO HUNTER UTILIZANDO OPÇÕES DE MONTAGEM À ESCOLHA DO USUÁRIO LEIA E GUARDE ESTAS INSTRUÇÕES ATENÇÃO: 1. Leia cuidadosamente todas as instruções antes

Leia mais

ROTEIRO AULA PRÁTICA UNIDADE 1. Medidas e materiais elétricos

ROTEIRO AULA PRÁTICA UNIDADE 1. Medidas e materiais elétricos ROTEIRO AULA PRÁTICA UNIDADE 1 Medidas e materiais elétricos DISPOSITIVOS SEMICONDUTORES Seção 1 Título da Unidade de Ensino: Materiais condutores e semicondutores Carga horária: 60 horas Palavras-chave:,

Leia mais

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1 Experimento 2 A emissão da luz por diferentes fontes Objetivo: Construir um modelo para a emissão de luz por uma fonte não puntiforme. Material utilizado! caixa escura! máscaras! fonte de luz 1 com lâmpadas

Leia mais

Guia do instalador e do usuário. Kit Porteiro 1.1

Guia do instalador e do usuário. Kit Porteiro 1.1 Kit Porteiro 1.1 Tabela de Referências: Referência Descrição com Teto. PRM721410T * Unidade Interna Branco. * Unidade Externa Grafite. PRM720901 Interfone Arbus 900 Branco. PRM720214T Unidade Externa de

Leia mais

Espectroscopia Atómica com uma Rede de Transmissão

Espectroscopia Atómica com uma Rede de Transmissão LABORATÓRIO DE FÍSICA ATÓMICA, ÓPTICA E FÍSICA DAS RADIAÇÕES Mestrado Integrado em Engenharia Física Tecnológica Espectroscopia Atómica com uma Rede de Transmissão 1. Objectivos O estudo de diversos espectros

Leia mais

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP

USO DO APARELHO DE TESTE DE EQUIPAMENTO AUXILIAR DE IP 1/5 1. Objetivo Estabelecer procedimentos para testes de reator, ignitor e polaridade com o aparelho de teste de equipamento auxiliar de IP, para execução de trabalhos de construção e manutenção em iluminação

Leia mais