Filo Echinodermata (Equinodermos)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Filo Echinodermata (Equinodermos)"

Transcrição

1 Do grego echinos: espinhos; derma: pele. O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar)

2 Do grego echinos: espinhos; derma: pele O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) -Echinoidea (ouriço-do-mar e bolachada-praia)

3 Do grego echinos: espinhos; derma: pele O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) -Echinoidea (ouriço-do-mar e bolachada-praia) -Holothuroidea (holotúrias e pepinos-domar)

4 Do grego echinos: espinhos; derma: pele O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) -Echinoidea (ouriço-do-mar e bolachada-praia) -Holothuroidea (holotúrias e pepinos-domar) -Crinoidea (lírios-do-mar)

5 Do grego echinos: espinhos; derma: pele O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) -Echinoidea (ouriço-do-mar e bolachada-praia) -Holothuroidea (holotúrias e pepinos-domar) -Crinoidea (lírios-do-mar) -Ophiuroidea (serpentes-do-mar)

6 -Triblásticos -Celomados -Não segmentados -Simetria bilateral (larva) e radial secundária (adultos) -Deuterostômios -Endoesqueleto interno de origem mesodérmica Do ponto de vista evolutivo, as duas últimas características aproximam os equinodermos dos animais cordados, também deuterostômios e com a presença de endoesqueleto

7

8

9 Adultos -Hábito de vida: possuem um aspecto bem primitivo, com espécies sésseis, como o lírio-domar, ou dotadas de locomoção muito lenta (os demais exemplares do filo). - Além disso, a cabeça não é diferenciada, o sistema nervoso e os órgãos sensoriais são muito rudimentares. O sistema circulatório é ausente ou muito reduzido. -Simetria radial (frequentemente pentarradial). Larvas -Hábito de vida: livre natantes e com simetria bilateral. Durante o desenvolvimento, o lado esquerdo cresce mais do que o direito, que é absorvido, resultando na simetria radial do adulto. Por esta razão, tal simetria é comumente chamada de simetria radial secundária.

10 Sistema Ambulacral (ou hidrovascular) -Característica exclusiva do filo -Trata-se de um sistema de tubos e bolsas cheias de água do mar. A água penetra no sistema através da placa madrepórica (ou madreporito), a qual se comunica com um ducto circular. Deste partem 5 ductos, que distribuem a água internamente ao corpo.

11 Sistema Ambulacral (ou hidrovascular) -Característica exclusiva do filo -Trata-se de um sistema de tubos e bolsas cheias de água do mar. Funcionamento do Sistema Ambulacral: A água penetra no sistema através da placa madrepórica (ou madreporito), a qual se comunica com um ducto (ou canal) circular. Deste partem 5 ductos (canais radiais), que distribuem a água internamente ao corpo. Dos Tal sistema é responsável por diversas canais funções radiais partem pequenas bolsas dos equinodermos, como musculosas chamadas ampolas, cada uma delas respiração, excreção, locomoção, fixação e associadas a um pé ambulacral, que pode ser captura de alimentos. projetado para fora do corpo.

12 Funcionamento do Sistema Ambulacral na locomoção Contração da ampola Ampola dilatada Distensão do pé ambulacral Canal radial Retração do pé ambulacral Válvula Substrato Contração da musculatura de sucção Adesão Distensão da ampola Glândulas de muco Contração do pé ambulacral

13 Presença de espinhos, pedicelárias e pápulas. - Espinhos: ligados ao esqueleto e recobertos por uma fina epiderme. -Pedicelárias: estruturas que removem detritos que aderem ao corpo, mantendo-o limpo.

14 Presença de espinhos, pedicelárias e pápulas. - Espinhos: ligados ao esqueleto e recobertos por uma fina epiderme. -Pedicelárias: estrutura que remove detritos que aderem ao corpo, mantendo-o limpo. -Pápulas: projeções da parede corporal revestidas por epiderme que aumentam a superfície de trocas gasosas

15 Sistema Digestório: completo -Digestão extracelular com absorção intestinal dos nutrientes e distribuição dos mesmos via líquido celomático. -Na maioria do equinodermos a boca fica na face inferior do animal, voltada para o substrato, enquanto o ânus fica na região superior.

16 Sistema Digestório: completo -Os ouriços-do-mar possuem uma estrutura ventral dotada de 5 dentes calcários, muito fortes e afiados, denominada Lanterna-de-Aristóteles. Lanterna-de-Aristóteles (visão frontal)

17 Sistemas Respiratório e Excretor -As trocas ocorrem por meio de brânquias e o líquido celômico distribui oxigênio para as células do corpo. As brânquias também participam da eliminação de excretas.

18 Sistema Nervoso -Consiste em um anel circular do qual partem nervos radiais que se ramificam, inervando todo o corpo. -O sistema sensorial é rudimentar. Possui receptores químicos e táteis na região oral e dos pés ambulacrais.

19 Reprodução -Sexuada, animais dióicos, fecundação externa e desenvolvimento indireto, com uma ou mais formas de tipos larvais. -As larvas possuem simetria bilateral (nomes: plúteo em ouriços; bipinária e braquiolária nas estrelas). - Hábito de vida: livre natantes e com simetria bilateral. Durante o desenvolvimento, o lado esquerdo cresce mais do que o direito, que é absorvido, resultando na simetria radial do adulto. Por esta razão, tal simetria é comumente chamada de simetria radial secundária.

20

Filo Echinodermata (Equinodermos)

Filo Echinodermata (Equinodermos) Do grego echinos: espinhos; derma: pele. O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) Do grego echinos:

Leia mais

Sobre os Equinodermos

Sobre os Equinodermos Os equinodermos Equinodermos Equinodermos (equinos: espinhos; dermo: pele); Animais exclusivamente marinhos; Possuem de um endoesqueleto de calcário e muitas vezes com espinhos salientes; O endoesqueleto

Leia mais

Características gerais. Habitat e modo de vida

Características gerais. Habitat e modo de vida Filo Artropoda Características gerais Corpo segmentado, revestido por um exoesqueleto. Nas espécies terrestres ele é de quitina e nas marinhas de CaCO 3. Vantagens conferidas pelo exoesqueleto: Sustentação

Leia mais

Filo Echinodermata. Grego: echinos espinho, derma pele

Filo Echinodermata. Grego: echinos espinho, derma pele Filo Echinodermata Filo Echinodermata Grego: echinos espinho, derma pele Estrelas-do-mar, ofiuróides (serpentes-do-mar), ouriços-do-mar, bolachas-da-praia, pepinos-do-mar (holotúrias), lírios-do-mar e

Leia mais

META Apresentar a biologia, características anatômicas e morfológicas dos equinodermos

META Apresentar a biologia, características anatômicas e morfológicas dos equinodermos SUBFILO ECHINODERMATA META Apresentar a biologia, características anatômicas e morfológicas dos equinodermos OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: diferenciar os equinodermos, caracterizá-los e entender

Leia mais

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas.

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas. Os equinodermos constituem um grupo exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto calcário muitas vezes provido de espinhos salientes. Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial

Leia mais

CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI

CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI Do grego echinos: espinhos derma: pele constituem um grupo de animais exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto (endo = dentro) calcário

Leia mais

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Corpo segmentado (metamerizado) em anéis. Triblásticos, celomados, protostômio. Sistema digestório completo: boca e ânus. Mais de 200.000

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Com muita alegria iremos iniciar nossos estudos sobre os moluscos! O Corpo dos Moluscos ( corpo mole ): Na cabeça há a rádula (uma espécie de

Leia mais

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas Professora Débora Biologia Filo Poríferos Esponjas Filo Poríferos Características São todas

Leia mais

Exercícios de Moluscos a Equinodermos

Exercícios de Moluscos a Equinodermos Exercícios de Moluscos a Equinodermos Material de apoio do Extensivo 1. Que diferença característica permite considerar os moluscos mais complexos que os cnidários? a) Os cnidários apresentam apenas reprodução

Leia mais

Filo porifera. As esponjas

Filo porifera. As esponjas Filo porifera As esponjas Características gerais - Metazoa com nível celular de construção, sem tecidos verdadeiros; adultos assimétricos ou aparentemente com simetria radial. - Células totipotentes. Com

Leia mais

Filo dos Poríferos ou Espongiários

Filo dos Poríferos ou Espongiários Filo dos Poríferos ou Espongiários Animais primitivos com poros pelo corpo (esponjas aquáticas). Habitat aquático (marinho e dulcícola). Parazoários: ausência de tecidos verdadeiros. Sésseis (fixos ao

Leia mais

Moluscos. Prof. Fernando Belan

Moluscos. Prof. Fernando Belan Moluscos Prof. Fernando Belan Características gerais Enterozoários, triblásticos, celomados, protostômios, simetri bilateral. Sistemanervoso: ganglionar cerebral, visceral e pedal. Sistema digestório completo

Leia mais

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti MAMÍFEROS Capítulo 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MAMÍFEROS Aquáticos: Habitat: Mamíferos podem ser terrestres: Único mamífero que voa: Pelos Estratificada

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS CAMPUS DE BOTUCATU

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS CAMPUS DE BOTUCATU UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS CAMPUS DE BOTUCATU GUIA DE IDENTIFICAÇÃO DO FILO ECHINODERMATA CINTIA DUTRA HERRERO BOTUCATU 2010 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS

Leia mais

REINO ANIMALIA EU BIOLOGIA

REINO ANIMALIA EU BIOLOGIA REINO ANIMALIA Grupo Filo Exemplos Poríferos Cnidários (celenterados) Platelmintos Esponjas Hidras, águas vivas, corais, Plenárias, esquistossomo, tênias Invertebrados Nematelmintos (nematódeos) Áscaris,

Leia mais

FILOS DOS ANIMAIS. Poríferos - ok Cnidários - ok Platelmintos - ok Nematelmintos Em estudo Moluscos Anelídeos Artrópodes Equinodermos Cordados

FILOS DOS ANIMAIS. Poríferos - ok Cnidários - ok Platelmintos - ok Nematelmintos Em estudo Moluscos Anelídeos Artrópodes Equinodermos Cordados FILOS DOS ANIMAIS Poríferos - ok Cnidários - ok Platelmintos - ok Nematelmintos Em estudo Moluscos Anelídeos Artrópodes Equinodermos Cordados FILO NEMATODA (Nomes populares: nematelmintos, nemátodos ou

Leia mais

Nematódeos, artrópodes e equinodermos

Nematódeos, artrópodes e equinodermos Fabio Colombini Os nematódeos Podem ser encontrados no solo, na água doce e na água salgada. Nematódeos, artrópodes e equinodermos Têm sistema digestório completo. Nas fêmeas, a abertura posterior é o

Leia mais

Biomphalaria. Achatina fulica

Biomphalaria. Achatina fulica Reúne os animais de corpo com consistência macia e normalmente protegido por uma concha calcárea, que podem apresentam de poucos milímetros a vários metros; Seu corpo é dividido em três partes básicas:

Leia mais

Filo Porífera. Esponjas

Filo Porífera. Esponjas Filo Porífera Esponjas Filo Porifera Osculo Átrio Pinacócitos Amebócito poros Porocito Espícula Flagelo Esponja Mesogléia Coanócito Gonócito Pinacócito Espícula Átrio Póro Porócito Arqueócito Meio Externo

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com.br Representantes Representantes Características Diblásticos: ectoderme e endoderme Simetria:

Leia mais

Móds. 15 ao 18. Setor Prof. Rafa

Móds. 15 ao 18. Setor Prof. Rafa Móds. 15 ao 18 Setor 1423 Prof. Rafa Representantes: crustáceos, Representantes: crustáceos, insetos, Representantes: crustáceos, insetos, aracnídeos, Representantes: crustáceos, insetos, aracnídeos, quilópodes

Leia mais

São animais aquáticos Predominantemente marinhos Flutuantes (medusas) ou sésseis (pólipos) Simetria radial Cavidade gastrovascular Células urticantes

São animais aquáticos Predominantemente marinhos Flutuantes (medusas) ou sésseis (pólipos) Simetria radial Cavidade gastrovascular Células urticantes São animais aquáticos Predominantemente marinhos Flutuantes (medusas) ou sésseis (pólipos) Simetria radial Cavidade gastrovascular Células urticantes A água-viva, a caravela, a hidra e os corais são alguns

Leia mais

Zoologia dos Invertebrados Superiores Parte I: Moluscos. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho CCN / UESPI

Zoologia dos Invertebrados Superiores Parte I: Moluscos. Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho CCN / UESPI Zoologia dos Invertebrados Superiores Parte I: Moluscos Prof. Dr. Francisco Soares Santos Filho CCN / UESPI Quem são os Invertebrados Superiores? Conceitualmente são os animais triploblásticos com celoma.

Leia mais

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica 1- Características Embrionárias: Característica Tipo Simetria* Bilateral Tecidos Eumetazoa Tecidos embrionários Triblástico Celoma Celomado Origem do celoma Enterocelomado Blastóporo Deuterostômico Metameria

Leia mais

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo UNIDADE - I Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo Trabalho de Recuperação - Ciências Valor: 4,0 (Quatro) pontos 1. Leia as frases a seguir e analise-as

Leia mais

Filo Gnathostomulida - Zoologia de Invertebrados 2014/2

Filo Gnathostomulida - Zoologia de Invertebrados 2014/2 FILO GNATHOSTOMULIDA Giovane Arus Nádia Kroth HISTÓRIA 1956: descritas por Peter Axn como turbelários. 1969: considerados como filo por Rupert Riedl CARACTERÍSTICAS Gnathostomulida, o grego gnathos, queixo

Leia mais

6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica

6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica 6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica Unidade I Descobrindo os seres vivos Níveis de organização biológica Unidade I Descobrindo os seres vivos Hereditariedade: passagem dos genes

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria.

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. INTRODUÇÃO AOS BILATERIA META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: entender os planos e eixos corporais (diferença

Leia mais

Moluscos, animais de corpo mole

Moluscos, animais de corpo mole Moluscos, animais de corpo mole Animais com sistema circulatório, sistema respiratório e celoma verdadeiro Equipe de Biologia Relação filogenética do filo Mollusca http://www.vejaki.com.br/page/168/ Representantes

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

Moluscos, animais de corpo mole

Moluscos, animais de corpo mole Moluscos, animais de corpo mole Animais com sistema circulatório, sistema respiratório e celoma verdadeiro Equipe de Biologia Relação filogenética do filo Mollusca http://www.vejaki.com.br/page/168/ http://comdek888.wordpress.com/2010/05/19

Leia mais

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17,

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, algumas atividades devem estar prontas. Mas antes de

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com INVERTEBRADOS II ARTRÓPODES Características gerais Corpo segmentado Apêndices articulados coxa trocânter fêmur tíbia garras

Leia mais

Aula 15.1 Conteúdos: Artrópodes: Insetos, crustáceos, aracnídeos e miriápodes DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES

Aula 15.1 Conteúdos: Artrópodes: Insetos, crustáceos, aracnídeos e miriápodes DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 15.1 Conteúdos: Artrópodes: Insetos, crustáceos, aracnídeos e miriápodes 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Platelmintos, vermes achatados

Platelmintos, vermes achatados Platelmintos, vermes achatados Animais triblásticos, bilaterais, com cefalização e sistema excretório Equipe de Biologia Relação filogenética do filo platelmintos Planária como exemplo de platelminto Dorsal

Leia mais

Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes. Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular...

Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes. Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular... Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular... Exoesqueleto quitinoso Proteção contra agressões e desidratação

Leia mais

Aula 6: Sistema respiratório

Aula 6: Sistema respiratório Aula 6: Sistema respiratório Sistema respiratório Tem início no nariz e na boca e continua através das vias aéreas até os pulmões, onde ocorre a troca dos gases. Sistema respiratório - Funções Condução

Leia mais

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se Trocas gasosas nos seres multicelulares y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se forma como

Leia mais

As marés são causadas pela relação de força entre a gravidade da Terra, do Sol e da

As marés são causadas pela relação de força entre a gravidade da Terra, do Sol e da O que é a zona entre-marés? A zona entre marés é a área da costa que está sujeita à subida e descida da maré, isto é, fica a descoberto quando a maré baixa (baixa-mar) e submersa quando a maré sobe (preia-mar).

Leia mais

GABARITO DAS TAREFAS 1ª série 16ª semana 23 de SETEMBRO

GABARITO DAS TAREFAS 1ª série 16ª semana 23 de SETEMBRO GABARITO DAS TAREFAS ª série 6ª semana de SETEMBRO PORTUGUÊS A B C D E MATEMÁTICA A B C D E INGLÊS A B C D E HISTÓRIA A B C D E GEOGRAFIA A B C D E FÍSICA A B C D E QUÍMICA A B C D E BIOLOGIA A B C D E

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º ano ALUNO(a): Lista de Exercícios NOTA: No Anhanguera você é + Enem Questão 01) São divididos em áscon, sícon e lêucon: a) Cnidários. b) Platelmintos.

Leia mais

Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome;

Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome; Cap. 21 Artrópodes: Características e clasificação Apresentam metameria, com presença de fusão de segmentos (tagmas) que formam a cabeça,otóraxeoabdome; Presença de exoesqueleto(quitina) articulado; Cabeça

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Representantes Representantes Características Diblásticos: ectoderme e endoderme Simetria: Radial

Leia mais

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA OLIGOCHAETA Ancestral comum CLASSIFICAÇÃO TRADICIONAL ARTICULATA CORPO SEGMENTADO SISTEMA NERVOSO

Leia mais

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor.

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Sistemas: Digestório Incompleto Respiratório Difusão Nervoso Ganglionar Circulatório

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Níquel Náusea Autor: Fernando Gonsales Distribuição dos Invertebrados: 12,3% 87,7% Como são os artrópodes: O esqueleto destes animais é externo,

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO Entomologia Entomologia veterinária: é o estudo de insetos de importância veterinária, num sentido mais amplo que engloba inclusive os aracnídeos (carrapatos e ácaros). Filo Arthropoda O filo arthropoda

Leia mais

O humano e o ambiente

O humano e o ambiente Aula 01 O humano e o ambiente O ser humano é formado por um conjunto de células. Um conjunto de células forma os tecidos. Um conjunto de tecidos forma os órgãos. Um conjunto de órgão forma os sistemas.

Leia mais

1. Três: cabeça, tórax e abdômen (insetos) 2. Dois: cefalotórax e abdômen (aracnídeos)

1. Três: cabeça, tórax e abdômen (insetos) 2. Dois: cefalotórax e abdômen (aracnídeos) Silvestre 1. Metâmeros bem distintos na fase larvária. 2. Nos adultos se encontram fundidos. 3. Os metâmeros podem se apresentar agrupados em três regiões distintas (insetos) ou em duas (aracnídeos). 1.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS 2, 7 4, 7, 11 6, 7, 11 6, 8, 11 6, 9, 11 6, 9, 11 1, 3, 6, 9, 11 5, 6, 9, 10, 12 MOLUSCOS ARTRÓPODES ANELÍDEOS PLATELMINTOS

CARACTERÍSTICAS GERAIS 2, 7 4, 7, 11 6, 7, 11 6, 8, 11 6, 9, 11 6, 9, 11 1, 3, 6, 9, 11 5, 6, 9, 10, 12 MOLUSCOS ARTRÓPODES ANELÍDEOS PLATELMINTOS CARACTERÍSTICAS GERAIS AULA DE RECUPERAÇÃO DE INVERTEBRADOS - Prof. Maria Lúcia ª EM, 7, 7,, 7,, 8,, 9,, 9,,,, 9,,, 9, 0,. PATAS ARTICULADAS. CORPO COM POROS E SEM TECIDOS. EXOESQUELETO DE QUITINA. DIPLOBLASTICOS

Leia mais

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria Filo Platyhelminthes Características: Do grego, platy = plano + helmins = verme Animais de corpo alongado e achatado dorsoventralmente; Maioria aquática (marinhos e dulcícolas). Os terrestres vivem em

Leia mais

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento :::

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: Seres Invertebrados adsense1 Desde os protozoários, unicelulares e microscópicos, até os grandes polvos e lulas, que atingem vários metros de comprimento, os invertebrados formam uma ampla variedade de

Leia mais

Moluscos e anelídeos. Antes de estudar o capítulo PARTE II

Moluscos e anelídeos. Antes de estudar o capítulo PARTE II PARTE II Unidade D Capítulo 12 Moluscos e anelídeos Seções: 121 Filo Mollusca () 122 Filo Annelida (anelídeos) Antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela os temas principais do capítulo e marque um

Leia mais

Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II

Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II A A Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II A A Habilidade: Identificar a diversidade e abundância dos artrópodes. A A Crustáceos Coberto de crosta - exoesqueleto Dois pares de

Leia mais

AVES PROF. MARCELO MIRANDA

AVES PROF. MARCELO MIRANDA AVES Características gerais: - penas, membros anteriores modificados em asas, homeotermia(endotermia). Penas: estruturas que revestem e isolam termicamente o corpo, permitindo a manutenção da temperatura.

Leia mais

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva).

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). 01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). Considerando-se o vitelo das aves, podemos afirmar que, ao longo do desenvolvimento

Leia mais

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS Profª MSc Monyke Lucena Átomos Compostos químicos Célula Tecidos Órgão Sistema Organismo Os animais apresentam diferentes tipos de tecidos,

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - Moluscos Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - Moluscos Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - Moluscos Prof. Enrico Blota Biologia Reino Animal Moluscos Variam muito de tamanho, desde caracóis de 1 mm até lulas gigantes de 18 m. Os moluscos sofreram uma

Leia mais

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia Herpetologia Estudo dos répteis Prof. Pablo Paim Biologia Atualmente segundo a SBH são descritas para o Brasil 1026 espécies de anfíbios e 760 espécies de répteis. Anfíbios 988 Anuros; 1 Caudata; 33 Gymnophionas

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair SISTEMA CARDIOVASCULAR Prof. Jair FUNÇÕES Transporte de gases dos pulmões aos tecidos e dos tecidos aos pulmões Transporte dos nutrientes das vias digestivas aos tecidos Transporte de toxinas Distribuição

Leia mais

O quadro abaixo apresenta características de alguns filos animais. Analise-o.

O quadro abaixo apresenta características de alguns filos animais. Analise-o. BIOLOGIA - SEMI/NOITE PROF. SÓSTENEZ 10/05/2016 Questão 01 - (UNIMONTES MG) O quadro abaixo apresenta características de alguns filos animais. Analise-o. Assinale a alternativa que apresenta a sequência

Leia mais

a) Como é o sistema excretor desses animais? Quais são os órgãos responsáveis?

a) Como é o sistema excretor desses animais? Quais são os órgãos responsáveis? 1- (UNICAMP) A figura abaixo mostra uma situação jocosa referente à fragmentação de um invertebrado hipotético, em que cada um dos fragmentos deu origem a um indivíduo. Um exemplo real muito conhecido

Leia mais

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 52 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 52 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA GABARITO AV. PARCIAL DISCIPLINA: QUI. I e II / BIO. I e II COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 52 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA QUEM NÃO É O MAIOR TEM QUE SER O MELHOR Rua Frei Vidal, 1621 São João

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

O Sistema Respiratório. Humano

O Sistema Respiratório. Humano E.E.B.P Mansueto Boff O Sistema Respiratório Humano Nomes: Tiago, Marcos, Erik, Alexandro, Luciana, Andreína, Vanessa, Eduarda e Jaiane Matéria: Ciências Professor: Cladir Turma: 802 Concórdia, 20 de Agosto

Leia mais

UNIDADE IV Filo Porifera

UNIDADE IV Filo Porifera CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CAMPUS DE POMBAL UNIDADE IV Filo Porifera Prof. Dr. Sc. Ancélio Ricardo de Oliveira Gondim Em paz me deito e logo adormeço,

Leia mais

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados 1 FILO CNIDÁRIA Celenterados Cnidários 2 Do Grego (Cnid=urtiga), devido aos cnidócitos. Fósseis de Cnidários datam do Pré- Cambriano (600 milhões de anos) São organismos aquáticos. Podem ser solitários

Leia mais

Aluno(a): Código: 2 Rua T-53 Qd. 92 Lt. 10/11 nº 1356 Setor Bueno

Aluno(a): Código: 2 Rua T-53 Qd. 92 Lt. 10/11 nº 1356 Setor Bueno Aluno(a):_ Código: Série: 2ª Turma: Data: / / b) A amplitude máxima da onda estacionária resultante; 01. Entre os extremos de uma corda de comprimento 60 cm, estabelecese o estado estacionário, esquematizado,

Leia mais

4º FILO - NEMATELMINTOS

4º FILO - NEMATELMINTOS 4º FILO - NEMATELMINTOS Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio + helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos: Ascaris lumbricoides Necator americanus Ancilostomo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIENCIAS BIOLOGICAS 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Departamento / Setor Departamento de Ciências Fisiológicas Nome da Disciplina FISIOLOGIA HUMANA E

Leia mais

Anatomia do Sistema Digestório

Anatomia do Sistema Digestório Anatomia do Sistema Digestório O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso, ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. Apresenta as seguintes regiões;

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Reino Animalia Organização do corpo e principais filos São pluricelulares, eucariontes e heterótrofos Apresentam grande diversidade (1 milhão de espécies distribuídas

Leia mais

Desenvolvimento Embrionário

Desenvolvimento Embrionário DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Desenvolvimento Embrionário Profº. Nelson Jorge EMBRIOLOGIA Definições Etapas do Desenvolvimento Embrionário: Segmentação ou clivagem Mórula Blástula Gastrulação/Gástrula -

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas Gasosas em Seres Multicelulares -Trocas gasosas nas plantas -Trocas gasosas nos animais Prof. Ana Rita Rainho TROCAS GASOSAS NAS PLANTAS www.biogeolearning.com 1 Trocas gasosas nas plantas Nas plantas,

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO

FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO FISIOLOGIA HUMANA UNIDADE V: SISTEMA RESPIRATÓRIO Funções Troca de gases com o ar atmosférico; Manutenção da concentração de oxigênio; Eliminação da concentração de dióxido de carbônico; Regulação da ventilação.

Leia mais

REVISÃO SÓSTENEZ

REVISÃO SÓSTENEZ REVISÃO 13-08 - SÓSTENEZ 1. (unioeste 2016) Com relação ao desenvolvimento embrionário dos animais, assinale a alternativa CORRETA. A. Os amniotas que possuem o anexo embrionário denominado âmnio são os

Leia mais

Zoologia. Os Grandes Filos Animais

Zoologia. Os Grandes Filos Animais Zoologia Os Grandes Filos Animais Poríferos Aquáticos: marinhos dulcícolas Bentônicos (sésseis) Diblásticos e acelomados Simetria radial Digestão intracelular Ausência de sistemas funcionais Sustentação:

Leia mais

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REINO PROTOCTISTA Reino Protoctista - Protozoários Eucariontes, unicelulares (alguns coloniais) Vida livre e parasitária Relações Ecológicas: mutualismo

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 1ª Parte Cordados: diversidade, classificação e evolução Profa. Dra. Virgínia Sanches Uieda Departamento t de Zoologia - IB/UNESP/Botucatu

Leia mais

Ano: 8 Turma: 81 e 82

Ano: 8 Turma: 81 e 82 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2013 Disciplina: Ciências Professor (a): Felipe Cesar Ano: 8 Turma: 81 e 82 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Respiração celular Nos seres unicelulares as trocas ocorrem diretamente com o meio. Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas gasosas nas plantas Trocas gasosas

Leia mais

UERJ 2015 (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10)

UERJ 2015 (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) 1. (Questão 1) Nos vegetais, uma parede celular envolve a membrana plasmática. Cite o principal tipo de carboidrato que compõe a parede celular dos vegetais, bem

Leia mais

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B:

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B: valiação 1. baixo, temos a imagem de dois animais marinhos. mbos são muito simples estruturalmente. Observe ambos e responda aos questionamentos. Imagin/rchivo SM/ID/ES Imagin/rchivo SM/ID/ES a) Indique

Leia mais

Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma.

Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma. Possuem sistema circulatório. O sangue desloca-se por um sistema fechado de vasos e contém pigmentos respiratórios dissolvidos no plasma. Na minhoca, o pigmento respiratório é a hemoglobina, responsável

Leia mais

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais.

04) O filo porífera é representado pelas esponjas. Na figura, as letras A, B e C referem-se aos aspectos reprodutivos destes animais. Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 3º Disciplina: Ciências da Natureza/ Biologia Data da prova: 01) A digestão dos Poríferos (esponjas) é intracelular e realizada por células

Leia mais

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =)

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =) 7 ANO AULA DE CIÊNCIAS Professora Andressa =) 7 ANO Animais Invertebrados 1 Nematelmintos Linha evolutiva dos animais Simetria do corpo radial Animais sem tecidos Multicelularidade Animais com tecidos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 3º EM Biologia B Pedro Verdan Av. Dissertativa 25/05/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos.

Leia mais

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO

OS TECIDOS PROF LUIS BRUNO OS TECIDOS PROF.: LUIS BRUNO HISTOLOGIA E TECIDOS Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) é o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. Tecidos, é um conjunto de células

Leia mais

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: 1- OBSERVE o desenho abaixo e FAÇA o que se pede.

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: 1- OBSERVE o desenho abaixo e FAÇA o que se pede. Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: 1- OBSERVE o desenho abaixo e FAÇA o que se pede. a) ESCREVA em cima de cada seta qual a parte do corpo está indicada (tórax ou abdome). b) INDIQUE dois órgãos

Leia mais

UFSC. Resposta: = 24. Comentário

UFSC. Resposta: = 24. Comentário Resposta: 08 + 16 = 24 01. Incorreta. Existem nítidas variações nos índices pluviométricos entre as quatro regiões. 02. Incorreta. Bagé apresenta a distribuição pluviométrica mais regular entre todas.

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS

CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS Autora: Suzana Ursi CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS Contexto: Dentro do currículo tradicional da 6 a série (3 o ciclo do Ensino Fundamental) são apresentados alguns grupos animais (poríferos, cnidários, platielmintos,

Leia mais

Reino Plantae. Todos os seres incluídos no Reino Plantae são: EUCARIONTES PLURICELULARES AUTÓTROFOS

Reino Plantae. Todos os seres incluídos no Reino Plantae são: EUCARIONTES PLURICELULARES AUTÓTROFOS Reino Plantae Reino Plantae Todos os seres incluídos no Reino Plantae são: EUCARIONTES PLURICELULARES AUTÓTROFOS A clorofila encontra-se dentro dos plastos (também chamados de cloroplastos). Cloroplastos

Leia mais

10/6/2011. Histologia da Pele. Diagrama da Estrutura da Pele. Considerações Gerais. epiderme. derme

10/6/2011. Histologia da Pele. Diagrama da Estrutura da Pele. Considerações Gerais. epiderme. derme epiderme derme 10/6/2011 Histologia da Pele Considerações Gerais Maior órgão do corpo: 16% do peso total e 1,2 a 2,3 m 2 de superfície Composto por duas regiões: epiderme e derme Funções proteção: atrito,

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecido Epitelial Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecido Epitelial Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Tecidos Animais - Tecido Epitelial Prof. Enrico Blota Biologia Moléculas, células e tecidos - Tecidos animais Tecido epitelial Apresenta funções de revestimento, absorção de

Leia mais