E ÁTIMA BERNARDES. Marie Claire O que você tem em mente quando dá o "boa-noite' para 40 milhões de brasileiros? Fátima Bernardes uanclu.tqucl.l ili/.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "E ÁTIMA BERNARDES. Marie Claire O que você tem em mente quando dá o "boa-noite' para 40 milhões de brasileiros? Fátima Bernardes uanclu.tqucl.l ili/."

Transcrição

1 E ÁTIMA BERNARDES Se A julgar pela quantidade de fâs e pelo tempo de exposição na TV, Fátima Bernardes não é uma jornalista é uma estrela. Afinal, ela aparece mais na TV do que qualquer protagonista de novela, e não pode mudar o penteado sem que uma enxurrada de cartas e s chegue ao estúdio do 'Jornal Nacional. Mas nenhuma versão seria tão falsa quanto a que desvinculasse a apresentadora de sua profissão. Moça nascida e criada no Méier, subúrbio do Rio de Janeiro, Fátima estudava balé dia e noite, sonhando com o posto de primeira-bailarina do Teatro Municipal do Rio. Um dia, trocou o sonho dos palcos pela paixão por jornalismo. Em quatro anos de profissão, foi para a TV Globo e, em 12 anos, virou âncora do "JN". Neste ano, Fátima brilhou quando deixou a bancada do telejornal durante 42 dias para cobrir a Copa do Mundo. Sua performance como repórter e até como comentarista de futebol foi elogiada por gente de todo tipo e escalão, de jogadores a torcedores. Casada há 12 anos com William Bonner, com quem divide a vida, a criação dos três filhos e a apresentação do "JN", ela conta aqui a ginástica que faz para conciliar todas as suas paixões e mais o enorme sucesso que faz Brasil afora. Estrela ou mulher normal? No caso de Fátima Bernardes, o superlativo parece ainda mais apropriado: "Sou normalíssima", diz, sem fazer pose. Por Lina de Albuquerque. Foto: Fernando Louza Marie Claire O que você tem em mente quando dá o "boa-noite' para 40 milhões de brasileiros? Fátima Bernardes uanclu.tqucl.l ili/. : '(IIIIII /)(II'd a lvala /!1???/!?ij.Çü (li) esili- (lio (IH :Iorllu/.\acioiia l", 01k/C. c' lê I,i' li?! (1!/ 1 til )C (Ir) verde pala crmclho, eti m dentro da casa da p' 1 )izem: "\*(>(:é labi para I0 mi- Eu olho eni volta. cejo trcs. (uni' ro, sete. Sahc ctiie o meu pri mcm > "Is - iii nte til) 'Jornal \aci( iflal 'l XIII filei' ai- EnLu 1 ('1 nccei a dar "lx 1:1-rir nie cï 111)0 1:17.11 no t'r>rieclor. 1_tu di:i ia ciiti "hoa-noi- ' UU no )ulro para miiha :mãe. uiinha irilià. ( ) ei gii ir III..' triai. go- II) cli, ouvir quando ill.tllt1i1 II1C ('Oflhie('e e ( tie sou cx:ltj mente do jeit( ) 1 te a pes- ia mi]lagin:i\ a. No tento rnu criar titula íura. Óh io que \j'ftfl) coisas que la- : /'ifl parte cia Liturgia do carg. vou :.Ii, lm'ciar ri 1 rn:i de 'rifle mii 1 i'mliis 1- ia ' "a sair.oiii: na i11,1 MC Recentemente, seu novo cabelo também virou assunto nacional. : EB 'i m r-. co mcli c.m- O a».'imjili do,.ii:i. \íciclei ri caldo : ixir nula mimedmd:m pi'dtica: agora nau perco temj'x) Iauc'ndr m esioi,.m, C SI) 1111,' imuaq tiar e (Sl( ronha. Eu 'i:ii >ia (pie 11( ) primeiros da ia tk'ar um 5 mci halx. pr r causa do rm drm usacli n m :iii.sanient >. \lenina. o mi rindi ei > ahaix. Se eu tivcx'.e a dimen- - "t( cli> (1U ia aci Iniciei. acho cjcic' lana cm mimsaiuic'i1t 110,11 inri IIj:IS de í Iga. Rirc'- 1 ij ate (pie Linha nasj xtli :1 cal )csa Cho- : a cols" ndi: "Por uc voei' ldz is- 'o' Iam 'c',mxflcuma: Qimc' ai vis i))ils 11111:1 "c'ii1:iil:) p1'1), lc'slilt:i(li 1 MC Você respondia assim, tão educadamente? Não houve um momento em que quis chutar o pau da barraca por conta desse tipo de interferência na sua vida? : FB 1 dei cm "i' c(mailsm):mr k:s mmmamielra 5i,. c".lrnl ('0111 vr,ntade cli,.' tinir unia Ii mmi> c' clir iiiiiauk grald. t mcliii r flemll sur de casa. Se sou capaz de criar algum tipo de expectativa em uma peoa. i'dr i tenho ri diluito de ser indelicada com c'la. ".íj i ai' : ".imlto in\':r 1k Ia ir mui () nleres's' do \c1 inhx'mcloa\ei tnit,tr mil e, - MC E muito exigente consigo mesma? FB I-:me n'tapo lxi ri.ini' i:ita.pn'ia k'r a lidar mmn'lhonon ',, mjdhc'i;mo I)i.':' ri 42

2 1 Ij 1 4 -,- ' &. t! / ' : ' ' yi/ vt /.. 1.1// 11 1 )J "-.,;... -/.\ 'li (II '1. 'K-

3 FÁT MA BERNARDES v.11 duas vezes fl1afli prineifxillllen- te [X) causa das crianças. ai fluiu 1 (TU i- (1, I)IIU tililil (lido e IlililI( ) 1)1)111 1 )Ci cliii() InuitI iiiiiii. \a< ) qiie( ) lutuflmme'nle l:i/er tifos el I)flut as :i )s ifleais fui II )'.e( II))I i Li- III liii lil)' eiii 1 1h11]) e :Ipre! tt11 ice MC O que você acha da "Otima Bernardes', sua charge eletrônica mostrada no "Casseta e Planeta'? FB.\c!c Iii\ml1 \dorem iliarge (:1 UlIale 1) IIft 0. liii lume (0j()Carifl1 ti u ia 1 ri Hiet e fim 1 inet 1 1 um.a e. em frei te da tela. Era Cliii) iiiedidi j)itj Hillzar eletricidade //isos!. 1 )epois eu pedi a ifl;mrioflete ele presente. \l:ts uma vez pedi p 1115 n!nt:lliii si ()iimisi 1 ole ele Xf Lis lx s ril( Ice) Is MC Você acha que contou com a sorte para virar uma apresentadora tão famosa? FB Isi esi ii II.] III Ii e li Lçlr ii ciii \iiii>' ihi(iiiletili). ele iiimil]st \ielj excimlpi( e flui m ei ocasião reecl)i [leelicli, ela clireti ra eli 1 um! ia acimdeuiia ele ha- te pan ;mcililxullamr empi) ele haitari- 1151' j)ii )jti( 1 CII) í/(i)711// e (1/715(1 O 1k) (k,lx, eleix 1]' lui ii )mralmi. Is e liquei 1.if( )s (OH11) rep()iler. \Si( 1 me SiVSi pela csilxxa fazer televisam e CU flefli Vil TI tu 111, l \. pt ir cau a di )S 1 hei Is hor;iriles pu\sdos comil si dança. Saísi di 1)5:1 çeelitihu c sii olt;mv:m para doritur. MC O que te levou para a televisão? FB Fui l)]. Ii III) 0111)1 eh)] ijile tfsiixilhsl- \.] 0:tillih]e)I 1 CII CUÍsO ele telejornalisia) tia!\ 1,,loIx). I'erisei: Puti > (]Iie rn fazer. Ei 1 semi pre Inc metei 1_li i tele 1cm cicie VI Xl pixle iuiaginar _li tinha feiu i Cultura inglesa. Alian(U Francesa, e tia,ca :iincla esosiva lazende) prova p.m ia eh ti kielt 'sm eli 1-lcd )ell Rieliers. 50 que, ria lioni ele rue inscrever, (lesçhri (lue II ial iiirs da 'l\ Glofx i era ria verelaek' um e 111(11 rs e Pi( II. O i u ii 10 iflsih il( Is drspu 1- lindo 2 \'mgas. AçaI,em elassiik,iel:m e (ide' ('TU :iqlmil( II) que CII CI] leria. [III 1)1 1]) I_'lllp( i. liii eontr,lt.iilsi pt'i ) RI IV. \ i ia >llieii, da a algm un,ms gafes, si. Isi errei ru sues. chutei a cane'li de entrevistacll 1 que riao parava de falar. \io esquiei) (lia primem vez que fui o chnr cima iehclj:u "Casamos depois de dois meses de namoro1 Foi a coisa is ousada que fo 1 (:1 ele Lcmciana )/si5!e-1. o Inc ela 1)11!) 55] eil 1 1 IS 1 hepoiiee MC Já deu branco no meio de entrevista? FB '.\.a \Li'. ]5t]ti lei. no nwi, ele III]),] ese le\ 1 lul] he.\ 1 e mli II is] de ler ml papel estava ((1(11) fl( lilistek e Lei a miiuha e'strnhi e7sn o (dd \Iore'ir:m. ( elc'i qei:mnd) ele tlmloum: "l)e tal lugar, lala ai) VI) si repolter Fsitiina Rernarek's. Olhei psui o papel e IiiO tuiha nada. Foi ai cume el )niecel a inipioviar Liii geral. se conto :ilgiiiiist (.1 >1551. nim 1 i511 lei. Lii Lmli (1 mm tleic'neia. i IJI 1 (ciii lo cicie fie prel ((um - psmr se si palavraé lx )nitsm ou niie Assiiim fica mimsiis n:ittii',ii. lle5mi1(m (iu;mfclo leio 1 telml7l])mllpte'r (cnn) fsmzer de uimii 'ili 1 1)1:115 e)' "4 MC Qual o maior sufoco que já passou no "Jornal Nacional'? FB s:,])5elli elis, ii;]) 1)Ih1( Iee b(ic,i li)) e' 1 icii( 1 e ei i tit Lle'i Ufls 1 ' scgumidos I CIela, i >Ihsmrtcic 1 1xinia eirmiera. No sabia di- 'cii 1111 (,!1 ie e''.t:m VSI 51(1 )ilte'ee'hidl 1. ' iueie' IS se'gimhleli ) etell11(isieie'. MC Como o Bonner entrou na sua vida? EB ii.iiil: ci] <1111 cci 'u! / 5 ')Iiouis (/IU I1'(l/Xll/I(l/Ul)l ate 1)921. ainda CI]) 0155)- da. Casei aos 2 anm s com um e'ngenhei- II 1 CII ii. 1 mias (1 ("sslilie'flt( deiri mu só emiti.ini). Se'psiíem e.' JCSil)e'i cassmtld() e cri] \-illianm no ano seguinte /.'eis ///eias i/qx;i_c (1(1 scx!/0ç[1o/ Quanek 1 :m gente o si ieçoum a nsmmuorsir. nic) s;ií ditendo p:mra ningcie'ni. Fiie'nios a o usa ele nune'irsm discreta, e (iim5mnei)si lul e- cmlii 5) est:íval mml s na s'and juil- 1)5. Nós só 1 ímci,mli>'mn los Si Unismo civil CifiCo aneis depois. Til 1 ('1151 ekitsm e-ri] 1 ]e' l( IlilOs 111)1- til Mc Quando vocês se deram conta de que estavam vivendo uma paixão? FB \c' e e soe» li) (. 1h II 5(1! \\illismni lime ligi>ui cui 11151' o dize'n.k 1 (Cle era SIIii\'u'l'sSíIi( 1 QlIem'isi que cli desse' para- -u ' P i ir ' I(ir O cmd mais famoso da W. Williarn Bonner e Fâtirna Bernardes na banca-ia da Jornal N-scrj; nlmce Nj uoit:m. loumos ISiIltSmr e. quando vi a e'suivsmtni>s nsnu(» Gl( 11)11, lii si flit 1 dançava fliais e estava e'steielaiieli 1(1 >rnalisiis e (lieiaueim la, (ouversei tanto ((III) opessai eh) jornal que iii 1 (1(1 seguinte Ille ligzmnuii pira sal 'er se eu pi mdia sul stltuir (III) iep(iier que tini a (IceI)mUeh 1 a pe'riia. \linha estrema t Ii ci)fll tinam ulaieri5i dc teiteliol di salsu 1. Fiquei umni tcnip(m iril:uiclm > fl( 15 1 )Inais ele 1 >airr( do l?fj. Na la r',i de entrevistar os fsuimilimtes dos presielisírios. eu disse aqui 1'stSiI 1 a ímrnilias--- -,\i:ms ai olhei m minha m mita e nai 1 havei ningumem11. As pesso:is tiilmam saidr > ele peru psmni \er as Iilnismgens IU )S eaiimmnl tmes di' vmclea e N:i la ira ti e que me 1< imglr: "AqUI estavam as t:mmnmlias " Nurima ei heriemra ele (::mriisisd. &Ii:iinei Lume'ism- rsitlm.il ), lógico (Fie fiquei presxuipsidsi clii cl 111(51V 175i1'SI () ifle'tis pais.\ Isis. no Natal. Ie'Ve'i o \\iiii:nii em i'asa, e ai ek' contl>im Pae1. lei '1 hi(' ('le' e 1)1 luic' nsu l'xle' 1151] llsisl5]i,i 11) isliilili.i I:]c la P l:il"ll:]h,l 111)15' 1)1,] I]Iiel)) MC E vocês foram morar juntos depois de dois meses de namoro? FB l,il'ie/ SIliliSi 51(1') Si Silris- 44

4 FÁTIMA BERNARD..ada que fiz na minha vida inteira IFdtinia namorou trés anos antes de casa> pela priiiwii'a ('ex]. A segunda foi ter as crianças mas isso foi uni risc i c:ilct i li i - do, h )rl:o )) I )is Ifl))ii>eIit( S uni que CII flao puse> Liflti 1 O' r6 e 1 MC Por que a demora para ter filhos? FB 1)1,., iiiran. i gente nal> (.ucha ihiesiïi() \ pnnieira vez que I)ellsiilios ciii ter k>i 11I,)_1, (1ia11(0 VOltei ki uol ici'tiiru cli Co; M;ts aí suniiam as diícukhides. l )ep k ilis Olimpíadas de %. fi )m( s in\ c.stigar 1" causas. O \\illiani ate p:uuu de fumar, rfl:t'- n'iesln( > :Ls,s 11 flio deu 1 'ma opv'ii fazei' uni tratamento de feiiiiizaço in viu' eiigiiviclii ulir um imervalo de uns don anos e qtieiii salx.' )k'pois tentar unia se - gim_li gravidez pekis vias nonliais. Na priilicifli teflt:itiv:i cokx'amos Ires emhii(. mas neriliiiiii vingou. Na segunda vez, co- 10)_amos (li_litro e vieram (is imigêmneus. Fies n:mseenmiil t_ m sek' meses e meio de 1, \iilgilulfl 1)wci.-,oli I1LLLS fazer tia- Limei Itt) e cn('en',u ir )s 1> assuflt) 1. MC A maternidade mudou a sua vida? FB,'\ niinui_m rui_lç_li (0111,) 5 kl 11,30 liii!- (11)11. s!iid( iu :i i'ei,içac 1 ('(iii).1 hil011),', Desde (pie lis crlincas nasceram. e CIII> se eu nvcsse perdid II dim'eito de morrer. Fiquei um pouco nmais medrosa. Pr lj,ssion:ilnmente, ç'( mriti >ti( 1 enfrentando riscos. Reconheço que flinx'i fui das pessi ias rua is oumsad is: cii jamais lu'ia uni passeio de helicóptero em volta do Cri'- ti> Redïidt ir. p r exenipli >. Fntrei em heliré)ptero inúmeras "ezes. mas Rira lazer i'epoilagcm. 'l*en110 niedo ali' dc IIVII), se i)iriel', LI),tidiiõ fl)iflç:l, MC Qual a sensação de voltar da maternidade com três filhos? FB A ir li 5l._'IiSAL,i( 1 1)1 5) 111_ti' t.i.i ni,iiunhl- (Lide -~"IiInenl iliifl Úll li>, Eu tive alta. nos (is l)ehês passaram ili:ns 2 lias ria til, Entao, quando pude ir para casa com i três, foi marvilhuso. Contratei uma hal ( tit' inc :ijudava na 111 Ira de :uiuinentai'. Eu fazia III)> ml xlíz im 1 enquant( 1 um ia ri( 1 lieii) xs outmi s recel s.ni m lifil i_'>m uplemenri ii. niamnacleira. Amamentei mie os 1 l ' 1 1 ir' ses. foi exatn.tivo, nus (;uiei'i:i toruks_'er 5'i'IC(hl( ) :ifetivt i. :mme 1' >i pie.'k's iil! 1,1111 li- ':ilo tinto i(_iiil)() ir) h )51)iilil MC Como é o seu relacionamento com o William Bonner? FB \iij>.1 i),ls'.,iiii 1' tini JI,> )íi:fti(> liii( ), (li rniii' ('flh.ltinito nlmo i'esi IIieii)i 15 um prolilema Oti i'oinmntiç;i (: (1 WilIi:iiii LIIul)eln. íscrevenioi, hiihetcs, rim 15 (EiIfl( IS presentes L'fli datas iilipoi'lifl tes. No tralimllu 1 nossa rel:iç'fi<i ano heni e tranqüila /Bonuer i > a/n'(sen(udu' A dl. 'u' ''Ioontra o marido e os trigêmeos Rodrigo, Laura e Beatz depois dias cobrindo a Copa do Mundo, em julho 2002: à dir,. Fátima em acho durante o mul Já cometi gc--iãfes do tipo chutar canela de entrevistado que falava demais" (' t'tli/0?-t'/.il'/i' (/1) '/1)1/1(11 Vacivual"j, 1.ti gil'( > que. imia VeZ ou outra, principalmente nos prinieiro Seis meses de :mdaptaç'io, cli j'm rue uesiionei: "Sei -a 1 uii.' estou insistindo muito na defesa de ia palita por ser casada ei >in ele? Seii te est( itt achando q uie temil II) O di reit( 1 de insistir uni pouco mais por ele ser (> nieu marido?". Se perceho que passei li limites, procuro me policiar. Mas o \\ 'il!i:i mii é tini chek (ltm)_' ouve. 1 )e u >d nu Id)),se',i mim! ia posiç':'m) i r çl ilem'i'nte. e. tk'k- que prev:m iecc. ((lis II) ileilil-'. MC Você defende muito a tese da imparcialidade jornalística, Dá para ser imparcial o tempo inteiro? FB Outro dia est:mvm :mlnus'aild() 1,' uni me) )ll1 x-m'gutnu )ti ciii (limei>> eu ia Votar 1 Ri O rcsmdente. Eu nn xlia dei_'laimr o mico somo. So tini n'sinto grupo de anuig( )s satx' sohi'e alguini:ms çlcterinin,mdas opiniões. Tudm o (lime Cli C 1) \X'illiani t:m - kmnr Is tem uni:i torça :issustad )ra. 1 xis- 1(n) pessoas ( iue de(.idem até o >li 1,11' i r, fiou is na nicsmila es,' >l:t uic )-" MC Como vai ficar a posição do telejornal com relação ao novo governa? FB N:io vai mlmdar em nada. \uiios ('Omitinuai' tazendo lmmii jornalismo de qumalidade. Nessas eleições, o 'JN" se mn mstroti isento o lei 1 i( i imiteiro, tanto uiuie 1,0i cli gi: mdli or iljs'ens eícumkis, como a revista "séja" e o ionial 0 tcnhi'i 1 (IIi(10 Liii 'Aiili(l.)jI i. i icsi)5) do MC A apresentadora Soninha defendeu publicamente a liberação da maconha e foi demitida da TV Cultura. Você nunca teria uma atitude semelhante? FB J:inm:iis. (oiiu ol'r,(lisi;,,'s: l>uinu:niisi,i 1' i,'t.çtlm.st,i: ei> k'teiillu o' di>('lt)' Ri- ii (Is iii) 1 ruo Nessa última Copa. as mulheres se sentiram vingadas por você ter viajada e o William ficado no Brasil cuidando das crianças? F B i o> )i)(ml >1.111> RI,' ei» IIIS ('j'si 5 o.k (li/endi) (>> li le"fli)( MC Você passou 42 dias viajando entre a Coréia e o Japão. As vezes, aparecia na TV até com cara de sono. A cobertura foi muito dura? FB \k'n>iia. eu.k' rllr,i ms h,i ILi i>,in!õ 1' iiici;t-ii) (iii'.iii'klli LR1.iS,i Ju.liuciJ'xim>d() (Li mïmeia -i'edonda. i\lms :ité mgimdeci :i 1 )euls rxr 46

5 FÁT MA BERNARDES ter nitialhaclo seni parar tbi a prinieira vez diu. fiquei longe d:ls fl:utiils d'. se 1,111 is- ',e tanio tt'tiliu, '_na uuitulti 1 MC Com tantas realizações, existe algum sonho que quer ver concretizado? F8 (Á)fliD jornalista 511)11 lu()jd Til a trine que pi issi Lei. E legal peri e!x- que traliallui em um veículo que estfi se na xlernizando e tomando-se diferente a cada dia. O que mais ssa querei? Além disso. nio Sou de flcar planejando o futuro Ah. esperi: di) ta 11111) de vista :. :uumenri um Oflht) dc Ver 15 meus riffio, ( ii1ji MC Há segredo para o sucesso de uma jornalista que hoje aparece mais na TV do que a atriz principal da novela? FB ( ) tive i,ihajh (- i vedei tdl ]iliacie pala)) pu1lko. 'san importa se tive um dia de cei, ou se me descahclei para apurar uma notícia: na ItI ra de apresentar o telcj( )rna 1 gi )st( 1 de ra nsnhiti r Iranqüilidade..,cho (iic' essa pre(cul)açio esni presente na minha vida desde que fazia balé /Fdtt,na esí,idin, Ixi/d c!ãsske dos 7 aos 21 am4 Aprendi cedo a lidar cd mi a ansiedade. ci m o jaio dc ;iclrenauna que jou,1 qi:aiudo :ilaumii.i o isa da *,... errado. Mas por trís do que aparece na tela existe muito esforço e dedk'aço. ia ndc) eu daneava era u iii p tuço patecido. Se esquecia a coreografia, olhapara o lado, dava um sorrismo e tc) Acordo por volta (le 1i3O, leio as notícias, chego na Globo is 1-tu e só saio hs 21h30. As vezes ainda vejo algum replay em casa Traixilho de 'o ia) '( )rnal que faço. E, quandi vai ao ar, parece iiido tào fi,ici!. Níic, quero mesmo que as pessoas fiquem aflitas achando que vou errar. Na hora que estou iii) ar, é para tuime tudo de certo. O problema é que o tua e meia acabo transferind ) esse linux lilaniemitu na a ntin! la vida tola. MC Isso pode ser bom? FB 1 O a ii nada \ent seninle existe uni públic() oii lilim o ttle laço. liii tenh a tendéncia de achar que tudo, qualquer coisa mesmo pxle ser feita. Me chateio uando algi n:0 da certo. No inmliallio isso é Otiiiio. Ireis no (liaa-dia é exigência demais. Por L,,so. costumcm fazer uni exercício au e mitriói : admitu puni mim mesma que alguma cm usa estí difícil e que nii vau dar vonta de fetem. "Eu tenho TPM bravas, fico comovida à toa e um pouco irritadiça" -\nics. x ir exemplo. cokxiva despertador ame nos finais de.semuiana, e selei irda':m dejx uis das 7110 me sentia culpada. Era e muni acordar antes ilos meus filhos. Paa-, de usar despertack)r e ach i unam cnn- (:iils1:mdcirluumratéassln)ris'eiuiuina h'lc Pode-se dizer que a "Ótima Bernardes" sofra de otimismo crônico? ER lii sou turista ia sl:uo. 'sal istumo II' dcprmi i imr. qu mantk sul m'u e ri ia is P r alisiedade dc querer fazer tudi. Tenh m ]VM 1 irava. e nesses perkx.lus íico comi riida e uni x >uc ) i m,itadioi.,\ lau hum nor a sitiei só cjuand m esu ai ei meu O nec, te- )) honiri us muito regradinla )S para me.ili rientai'. Ma.s niio da para dizer que a numdo vida fi cor-de-rosa. Minha família tim'mha poucos recursos, eu sempm'e precisei tiabalhar. Dei aula de balé dos 10 aos 21 III is, ensinem inge's para i'riinç'ms de préesci l:m. Morava no \-léier /su/nir/i0 J?io a/(í?k';roi, pegav:m to mis ônilius pari a f:i- cuklacle. Ntto tinha a menor condição de ter um carro. Trabalhava todos os finais de semana no Globo". sem Oilg;m nenhumma. Estudei em estola púlilica quase a vida inteira. Só nos últimos d mis anos fm,n pari ti 1 nstttlit( \lenirs ) dli.' ji'sii' 1x i'ijtle tiiili.i dlv ltd itv').im'.e II::') MC Por que escolheu o jornalismo? FB A pmi issao mui.' :iseiii:tv:m 's.i sei dizer por que, na() existe jum'mualista na laniilia. Em casa nunca se discutiu política. Meu pai lamuincio l3ernw'desl era suboficial da Aeron;íutica, e minha miime /Euwia'L dona de vms't Tenho apenas uma irmii, Vãnia, poucos anus mais nova, 's(')s duas fazíamos tlança. 1 )epois ela estudou química fa rniacêut iça e lii >ie tra hall ia nueia universidade na França. Eu gostava de la lar, de contar histórias. Também tinha nietus di:irios, ' ivia escrevendo. Chegimei até a pensar (lime algum olia ux sieria csci'e' cr si mbre danca. Eu e minha irnó leviiv: imticii» imnii \'idi m'niuit ii iuj )les. ii i.is s ire \olta.la pai'a ( ) estiud a MC Nunca foi adolescente rebelde? FB \iio Fim andava o mi a turma do e \ ajava para otuiras eitl.ides. tinha grup( de danca amador, participava de o 'ncursos, Nfio fui uma adolescente complicada. E tinha unia dcscimllxi ótima para Oito sair da linha: eu era bailarina. isso nauu me sentia atm'aída x r cigare is. ti n h:m lx ra pe 'a d )rm'nn'. procurava ter immmia tmlimiiemataç:o s:tu,l:ivel.acliu que me dava 1 ->Clll come a disciplina. 'li- \'e meu prin tei ri, na rm mradi 1 ia Ifli 1 anos, 1 )uravani ixiuco os meus primik'i- 11)5 nan muros, Se 1 )S riamfli )radc is reclamavatia dos l,'flsu( )5 nos 1 mais de semana n:m segunda-feira já estava romiupendo o relacic lnamento Era uma inste/a. o meti pai dizia: "Essa menina nimu \'a i casar come ningumétu'' So que iii sabia nui: iria d'usai. suei. Sele pie i.l1ils ter hall tainha MC Por que parou de dançar? FB l)mmr:tie :i Lauihi.1a1 li.' LI.' 1 ni,mlismni 1 d'li ainda flui u.ulgumis filis - na daitç:m. A academnia elli que eu dançava, veja só, cul wia as lérias do balé da ( ;l( mlx). 1, 11) dia fui citatimada puma gnu ar tini clipe ia mii o Julio tglesias e jurui miunca mais fizer :mquilo na minha vida. Siinplesmi lente mui) dava. Fim de dum mia antiga na Primam 1 o i'i/iin do Rio/e toda estiila mie lim'ano a. l:nm limo d'ali r desgmtmçaka eu offici para ac limilo tud e pcn.sei:''mu.'im 1 )eus, miim m estia lei tamati pau ser fundo de si iow de a ri sem'. Nada comitnm. mas eu umnagima;mva ser'.i piimmieira do (:1 rx i de 1 ule do 'l'eatr m li unicipal mil 1 Rio dej:iiie,m'i 1 Queria ser "a" li;milam'in:m. NIuo t:iiyí.ii.4i1 Tmiams mm mimecos

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa?

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa? Primeiro eu gostaria de saber.. eh se você tem namorado? Namorado, tenho não. Já tive muito mais agora faz treis meses que eu moro com um rapaz é um argentino qui qui primeiro quando eu conheci estava

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

EXERCÍCIOS TEATRAIS E BRINCADEIRAS MODELAR

EXERCÍCIOS TEATRAIS E BRINCADEIRAS MODELAR EXERCÍCIOS TEATRAIS E BRINCADEIRAS MODELAR Dois círculos, um interno, outro externo. Os integrantes do círculo interno ficarão com os olhos fechados, os do círculo externo irão "modelar" o corpo dos colegas,

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari 08. Camilo Alfredo Faigle Vicari Nascido em São Paulo, em 1976, é biólogo e estudante de mestrado na UNIFESP. Em 26 de agosto de 2010 recebi Camilo numa sala de reuniões da UNIFESP. Ele chegou às 18h e

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre 1 Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre paraplégico, cortando-o ao meio, assim como a sua cadeira

Leia mais

Entrevista com Entrevista com Max Matta, vocalista da banda Caps Lock

Entrevista com Entrevista com Max Matta, vocalista da banda Caps Lock Entrevista com Entrevista com Max Matta, vocalista da banda Caps Lock POUCA E BOAS DA MARI - Max, você, o Sté e o Carlinhos tocam juntos desde 2003. Em 2005, o Thiago entrou na banda, foi quando surgiu

Leia mais

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO.

ç h s p BALÃO - D D CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO CAI, CAI, BALÃO AQUI NA MINHA MÃO. NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO NÃO CAI NÃO CAI NA RUA DO SABÃO. leã IR ÍL é t ei le, ni e liõe e eent tiie eüenii. le 1 e 2, liõe enle tl i e nnte, filitn eni lfet. ei le etã lt à itetiã fíli ilái, eitin, e nei, e fe lie itetiente n e e ln, fen inteenõe e eee e l ln

Leia mais

CIFRAS - CUKA FRESCA

CIFRAS - CUKA FRESCA INTRODUÇÃO: D9 A/C# Bm7/11 G7+ D9 A/C# G7+ G/A A/C# CIFRAS - CUKA FRESCA EU VOU TE AMAR Bm7/11 G7+ G/A A/C# QUANDO SENTIR TRISTEZA E NÃO PUDER TE ACALMAR Bm7/11 G7+ G/A QUANDO HOUVER UM VAZIO QUE NÃO POSSA

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 Olá, amigos do Estratégia! Como diz meu amigo Sérgio Mendes, como é bom estar aqui! Hoje irei entrevistar o Marcos Marino, aluno do Estratégia Concursos

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

7a. Edição Editora Atlas

7a. Edição Editora Atlas FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU Pós-graduação em Auditoria, Controladoria e Finanças Disciplina: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Slide 1 Professor: MASAKAZU HOJI ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Depressão na Gravidez

Depressão na Gravidez De Depressão na Gravidez Um relato de uma mulher com Depressão na Gravidez O E-mail enviado por Gabriela, uma mulher que teve depressão durante a Gravidez e as respostas de apoio e ajudar à essa mulher.

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM Era o dia 22 de dezembro. O Natal aproximava-se e o Pai Natal estava muito atarefado a preparar os sacos com os brinquedos. Muito longe dali, em Portugal, um menino chamado João

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

R U I P E D R O R E I S

R U I P E D R O R E I S Quem: Rui Pedro Reis Idade: 30 anos Pretexto: É coordenador da SIC Notícias e editor do programa Música do Mundo Outros trabalhos: Foi uma das figuras de uma rádio nacional Imagem: Fanático pelos media

Leia mais

por futebol profissional ou amador?

por futebol profissional ou amador? Tabela 3 - Síntese das entrevistas com torcedores I O que é o futebol pra você? Uma paixão. É um esporte que eu pratico, que gosto. O meu time de futebol é a razão do meu viver. Você se interessa mais

Leia mais

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

COMPROMISSO COM O FUTURO

COMPROMISSO COM O FUTURO Editora Artecétera apresenta: COMPROMISSO COM O FUTURO Papel Reciclado com a Família Qualidade Família Qualidade em: toda forma de vida no planeta obedece às leis naturais, agindo no meio ambiente e sendo

Leia mais

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé MÚSICAS Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé Hino da Praznik Do Fá Gosto de aqui estar Sol Do E contigo brincar E ao fim vou arranjar

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA CRIANÇAS

USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA CRIANÇAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LABORATÓRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE USO DE DEDOCHES NO REPASSE DAS RECOMENDAÇÕES DE

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

Entrevista com Aires Alves

Entrevista com Aires Alves 1 Entrevista com Aires Alves Hélder Bértolo (Professor da Faculdade de Medicina de Lisboa) e Maria Lúcia Batezat Duarte Transcrição: Maria Lúcia Batezat Duarte 1 38 anos técnico de computador - cego congênito

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

coleção Conversas #25 u s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #25 u s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #25 Nã Po o s s o c s on c o ig lo o c á cuidar dos m - l os e m u m a e u cl s ín p ic ais a?. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

2, N O AR, O JORNAL NACIONAL: A r m a n d o N o g u e i r a C r ia o P r im e ir o T e l e j o r n a l em R e d e 24

2, N O AR, O JORNAL NACIONAL: A r m a n d o N o g u e i r a C r ia o P r im e ir o T e l e j o r n a l em R e d e 24 Sumário Lista de q uadros tem áticos 10 Prefácio: A pura verdade, Jo ã o R o b erto M arinho * 11 N o ta técnica 14 PARTE I [1965-1974] Nasce o JN: o Brasil e o Mundo Unidos pela Notícia 15 1, O j o r

Leia mais

QUESTÃO 1 Primeiro o cãozinho Bidu, depois o Franjinha, Cebolinha e Cascão... Estava faltando uma menina nessa turma. Então, há 50 anos, em 1963, ela

QUESTÃO 1 Primeiro o cãozinho Bidu, depois o Franjinha, Cebolinha e Cascão... Estava faltando uma menina nessa turma. Então, há 50 anos, em 1963, ela Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: PoRTUGUÊs desafio nota: Este ano, a personagem mais famosa de Mauricio de Sousa está completando

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 No dia em que Iracema e Lipe voltaram para visitar a Gê, estava o maior rebuliço no hospital. As duas crianças ficaram logo

Leia mais

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE

VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE VAMOS CONSTRUIR UMA CIDADE Versão adaptada de Eugénio Sena para Wir Bauen Eine Stadt de Paul Hindemith 1. MARCHA (Entrada) Uma cidade nossa amiga Não queremos a cidade antiga. Nós vamos pensar tudo de

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa A Universidade de Lisboa está a fazer um estudo que procura saber como é que as crianças e os jovens portugueses utilizam a internet e o que pensam

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES

EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES ASPECTOS TEÓRICOS. POR QUE /POR QUÊ / PORQUE / PORQUÊ a) POR QUE: Equivale a POR QUAL MOTIVO ou a pelo qual e variações; vem também depois de EIS e DAÍ. b) POR QUÊ: Equivale

Leia mais

As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se

As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se 1 As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se livrou do Steve, o namorado escroto dela. Por exemplo:

Leia mais

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro Acólitos São João da Madeira Cancioneiro Índice Guiado pela mão...5 Vede Senhor...5 Se crês em Deus...5 Maria a boa mãe...5 Quanto esperei por este momento...6 Pois eu queria saber porquê?!...6 Dá-nos

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Ilustrações: Santiago Arte: www.espartadesign.com.br Contatos

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV DINO - Divulgador de Notícias Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV Marcos Tolentino conta sua trajetória e revela como o filho de um vendedor de carros

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Quais eram os seus brinquedos? Ah... quando eu era bem pequeninim, sempre gostava de jogá bola, carrinho. Né?

Quais eram os seus brinquedos? Ah... quando eu era bem pequeninim, sempre gostava de jogá bola, carrinho. Né? Você vive há muito tempo aqui? Eu vivo aqui há quinze anos. Desde que você nasceu. Né? Isso. Como foi a sua infância? Ah... minha infância foi boa, foi muito divertida. Eu fiz de tudo. Sempre tive liberdade

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar.

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. 16 Entrevista Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. Fotos e texto: Alessandra Anselmi Fotos:

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2. Entrevistador: Nome do entrevistado: Telefone: (xx)xxxxxxxx N : Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.Rural Estado: AC AP DF MA MT PE RJ RR SE AL BA ES MG PA PI RN RS SP AM CE GO MS PB PR

Leia mais

Escrito por. Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método GuinorBets

Escrito por. Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método GuinorBets s O 6 s o i cíp Prin Bá s o sic o d o ét M o D r o n s i t u e G B Escrito por Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método Índice Quem

Leia mais

Relato de parto: Nascimento do Thomas

Relato de parto: Nascimento do Thomas Relato de parto: Nascimento do Thomas Dia 15 de dezembro de 2008, eu já estava com 40 semanas de gestação, e ansiosa para ter meu bebê nos braços, acordei as 7h com uma cólica fraca, dormi e não senti

Leia mais