PORTUGAL TRÊS ECOSISTEMAS DE INOVAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTUGAL TRÊS ECOSISTEMAS DE INOVAÇÃO"

Transcrição

1 CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CML - INTA (*) INOVAÇÃO SOCIAL E ECOSSISTEMAS DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO NAS CIDADES E REGIÕES 9 ABRIL 2015 PORTUGAL TRÊS ECOSISTEMAS DE INOVAÇÃO José Félix Ribeiro

2 1. PORTUGAL- DUAS MACROREGIÕES QUE ORGANIZAM A INTEGRAÇÃO DEPORTUGAL NA GLOBALIZAÇÃO,.

3 A ABORDAGEM PELA POPULAÇÃO RESIDENTE (por freguesias)

4 A ABORDAGEM PELAS EXPORTAÇÕES DE BENS (por concelhos)

5 AS DUAS MACROREGIÕES CONSIDERADAS NA INICIATIVA CIDADES DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

6 2. PORTUGAL- UM INVESTIMENTO EM ENSINO SUPERIOR, INVESTIGAÇÃO & INOVAÇÃO NO CENTRO DA APLICAÇÃO DOS FUNDOS ESTRUTURAIS DA UE,.

7 : O INVESTIMENTO NO ENSINO SUPERIOR E NA INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO As politicas públicas em Portugal utilizaram os Fundos Estruturais da União Europeia para: Investimento na consolidação e expansão de Novas Universidades (Univ. do Minho, Univ. de Aveiro, Univ. da Beira Interior, Univ.Nova de na instalação de uma rede nacional de Institutos Politécnicos Investimento em larga escala no equipamento de Institutos e Centros de I&D associados às Universidades e na criação de Institutos de I&D de interface entre Universidades e o Setor empresarial Investimentos na instalação de centros tecnológicos em vários setores industriais tradicionais e de um centro de engenharia para o setor automóvel (alargado posteriormente ao setor aeronáutico, com o investimento da EMBRAER em Portugal) No maior programa contemporâneo de formação avançada de recursos humanos em Portugal

8 : O INVESTIMENTO NO ENSINO SUPERIOR E NA INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO As politicas públicas utilizaram igualmente os Fundos Estruturais da União Europeia para criar sistemas de incentivos às empresas para a realização de Projetos de I&D individuais (por empresa) Projetos de I&D em co- promoção (em consórcio envolvendo mais do que uma empresa e Institutos de interface e centros de I&D das Universidades e Institutos Politécnicos e Centros Tecnológicos Tendo sido criada uma Agência de Inovação que foi responsável pela gestão deste ultimo tipo de projetos

9 3. O NOROESTE Padrão de Atividades & Especialização internacional Ecosistema de inovação

10 MACROREGIÃO NOROESTE! A macrorregião Noroeste COMO REGIÃO URBANA FUNCIONAL - Concentra:! 36,5% da população nacional! 31% do PIB! 44% das exportações nacionais de bens! 30% dos investigadores (equivalente a tempo integral - ETI)! 30% das despesas de I&D 10

11 NOROESTE PADRÃO DE ATIVIDADES CONSOLIDADAS SIDERURGIA Têxteis & vestuário EXPORTAÇÃO REFINAÇAO PETRÓLEO QUIMICA PESADA Calçado Mobiliário Electrónica & Componentes PASTA & PAPEL & Bebidas Cortiça Construção, Engenharia & Concessões ALIMENTARES & BEBIDAS EQUIPª ELECTRO MECÃNICO Cerâmica Mecânica Ligeira Moldes Grandes Empresas Componentes Automóvel Termo & Electrodomésticos Empresas Multinacionais Clusters de PME`s (com algumas grandes empresas)

12 NOROESTE Uma orientação exportadora de base industrial, diversificada, quando se considera esta macro região no seu conjunto. Combinação de clusters, grandes empresas sectoriais e filiais de multinacionais (com destaque para as da Alemanha). Uma oferta de serviços às famílias em crescimento mas uma fraca base de serviços às empresas, que continuam a concentrar-se na AM Lisboa. Um sector de construção e obras públicas significativo em termos nacionais

13 NOROESTE Um extensíssimo investimento público na expansão das instituições de ensino superior, de centros de I&D, de institutos de novas tecnologias e de centros tecnológicos de apoio às indústrias tradicionais Que criou uma base para apoiar a diversificação e o upgrading de exportações que, no entanto, ainda não se verificou na dimensão exigida para o crescimento futuro desta Macro região.

14 PONTOS FORTES D INVESTIGAÇÃO NO NOROESTE - EXEMPLOS O conjunto das três universidades públicas do Noroeste - Aveiro, Minho e Porto, agregando os principais Institutos, Centros e Laboratórios de Investigação - desenvolveram SEIS MACRO clusters de Competências distintivas, de primeiro nível no país: Ciências e Tecnologias da Saúde; Biologia e Biotecnologia; Ciências e Tecnologias dos Materiais e dos Processos Químicos Engenharia Mecânica, Automação e Robótica; Matemática, Ciências da computação, Engenharia informática e Engenharia das Telecomunicações; Ciências e Engenharia do Ambiente e Ciências e Tecnologias do Mar. 14

15 NORTE & CENTRO LITORAL UNIVERSIDADES INSTITUTOS POLITÉCNICOS INSTITUTOS DENOVAS TECNOLOGIAS CENTROS TECNOLÓGICOS

16 CEIIA Automóvel CENTROS TECNOLÓGICOS SETORIAIS UNIVERSIDADES Bosch Viana INCUBADORAS Castelo U Minho IPC U Porto Cávado & Ave INEGI Efacec Bial CENTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos Parques Tecnológicos Têxteis & Vestuário Calçado INESC TEC INSTITUTOS POLITÉCNICOS U Aveiro IT Aveiro Portucel Nokia Networks Porto Portugal Telecom Moldes & Plásticos Cerâmica & Vidro Bosch

17 INOVAÇÃO- PONTOS FORTES DO NOROESTE EXEMPLOS No Noroeste tem vindo a desenvolver-se uma rede de colaborações, sem paralelo no país, entre o tecido empresarial, os Centros de Conhecimento e as entidades de transferência de tecnologia. A importância destas redes de colaboração e das suas interações com os clusters consolidados e os protoclusters anteriormente referidos é crucial para: A inovação incremental setorial, que consiste no desenvolvimento de novos produtos e/ou processos de produção, criação de marcas próprias e adoção de novas estratégias de marketing para a internacionalização ou mesmo de novos modelos de negócio por parte de empresas de clusters consolidados, nomeadamente se tiverem vocação exportadora; A inovação estrutural, que consiste no surgimento e multiplicação de empresas em sectores de atividade sem tradição neste território, nomeadamente se tiverem vocação exportadora, como sucede com os protoclusters.

18 Projetos de I&D em copromoção 18

19 Projetos de I&D em copromoção 19

20 Projetos de I&D em copromoção Cluster Calçado/Couro A dinâmica de Clusterização está patente num conjunto de projetos com parceiros idên;cos em vários deles, tendo o Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP) como organizador de um conjunto de projetos parcelares e de um Projeto Mobilizador, em cujo conjunto se podem iden;ficar três camadas: 1. Uma primeira camada centrada na melhoria dos materiais, reves;mentos e componentes do Calçado que teve como principal empresa par;cipante a Procalçado. 2. Uma segunda camada orientada para melhoria funcional esté;ca do calçado e/ou sua u;lização em a;vidades especialmente exigentes (do desporto às u;lizações industriais) em que se combinaram empresas fabricantes de componente de calçado. 3. Uma terceira camada orientada para os equipamentos, sistemas de produção flexível e so.ware de gestão integrada do ciclo produ;vo associando conceção, fabrico e marke;ng/vendas; nesta camada par;ciparam fabricantes de calçado como a Fortunato o. Frederico, fabricantes de equipamentos como a CEI Companhia de Equipamentos Industriais, a Tecmacal e a Flowmat, bem como empresas de so.ware e conteúdos digitais como a Crea;ve Systems Lda e a oficina de soluções Informá;ca Lda. 20

21 Projetos de I&D em copromoção 21

22 Cluster Cor;ça Projetos de I&D em copromoção Neste caso foi O GRUPO EMPRESARIAL LÍDER DO SETOR (maior produtor mundial de ar;gos de cor;ça) através de quatro empresas Amorim & Irmão; Amorim Reves;mentos; Amorim Isolamentos e Amorim Cork Composites que desempenhou o papel de promotor de um vasgssimo conjunto de projetos organizados em três camadas, cada uma com dis;ntos polos de conhecimentos associados: 1. Uma PRIMEIRA CAMADA orientada sobretudo para solução de problemas de qualidade cuja ultrapassagem foi considerada importante para assegurar a compe;;vidade das rolas de cor;ça em vários segmentos do setor das bebidas; ou para o aproveitamento de resíduos da produção de rolhas; foram promovidos pela Amorim & Irmãos e ;veram como parceiros centros de I&D da Universidade Técnica de Lisboa, da Universidade de Coimbra, da Universidade do Porto e da Universidade do Minho e ainda o IBET e a Associação Rede de Competência em Polímeros. 2. Uma SEGUNDA CAMADA orientada para as aplicações de aglomerados de cor;ça na construção e habitat inclusive em reves;mentos com novas funcionalidades (projeto Ac3ve Floor) e para o aproveitamento de componentes químicos que se podem extrair da cor;ça e u;lizar como aglomerantes; estes projetos foram liderados pela Amorim Reves;mentos e Amorim Isolamentos; ;veram como polos de conhecimento par;cipantes o Ins;tuto de I&D em Ciências da Construção da Universidade de Coimbra. 3. Uma TERCEIRA CAMADA orientada para novas aplicações de compósitos de cor;ça promovidas ou par;cipadas pela Amorim Cork Composites em que se destacam os projetos para integrar esses materiais no habitáculo do automóvel, de carruagens de caminho- de- ferro e em aviões, quer em assentos, quer em divisórias ou mesmo em elementos com uma função estrutural; os polos de conhecimento que es;veram mais associados foram o INEGI Ins;tuto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial da Universidade do Porto, o PIEP Associação do Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho e também o ISQ Ins;tuto de Soldadura e Qualidade. 22

23 Mobilidade Elétrica, Redes Elétricas Inteligentes Podem distinguir-se: Projetos de I&D em copromoção - Projetos orientados para a mobilidade elétrica - - Projetos orientados para as Smart Grids 23

24 Projetos de I&D em copromoção Engenharia Aeronáu;ca 24

25 NOROESTE EXEMPLOS DE PROTOCLUSTERS Mais recentemente, têm vindo a constituir-se um conjunto de proto clusters: Energias Renováveis, Mobilidade elétrica e redes elétricas inteligentes; Automação, Robótica e Domótica; Comunicações, Navegação e Eletrónica; Software de Gestão Empresarial e Serviços Informáticos; Conteúdos Digitais, Multimédia e Comunicação Interativa; Engenharia Aeronáutica e Espacial. Saúde e Bem Estar 25

26 4.A REGIÃO DE LISBOA Arco Metropolitano de lisboa Padrão de Atividades & Especialização internacional Ecosistema de inovação

27 Região de Lisboa (Arco Metropolitano de Lisboa)

28 ARCO METROPOLITANO DE LISBOA INVESTIMENTO NO EXTERIOR TELE- COMUNICAÇÕES Serviços Financeiros ELECTRICIDADE PETRÓLEO & GÁS Agro alimentar Materiais de Construção Serviços às Empresas Software & Serviços Informáticos Media & Edição Turismo Construção, Engenharia & Concessões Automóvel: Integração & Componentes Manutenção & Construção aeronáuticas EXPORTAÇÕES ÁGUA & AMBIENTE Serviços de Saúde Electrónica & Material Eléctrico Empresas Multinacionais Industriais PETRO QUIMICA AERONÁUTICA E ENGENHARIA NAVAL Transportes Internacionais & Logística Indústrias de Rede, Utilities Clusters de PME`s & Multinacionais de Serviços Clusters de PME`s Industriais(com algumas grandes empresas)

29 CLUSTERS &GRANDES EMPRESAS NO ARCO METROPOLITANO DE LISBOA PORTUGAL TELECOM NOS VODAFONE EDP REN GALP EPAL CIMPOR REPSOL Agro alimentar Materiais de Construção OGMA LISNAVE Serviços Financeiros Serviços às Empresas Software & Serviços Informáticos Media & Edição Serviços de Saúde Transportes Internacionais & Logística CGD,BES,BCP, BPI, Tranquilidade,Fidelida de7mundial Turismo Construção, Engenharia & Concessões Automóvel: Integração & Componentes TEIXEIRA DUARTE MSF SOMAGUE EDIFER ZAGOPE ALVES RIBEIRO BRISA COBA Electrónica & Material Eléctrico VOLSWAGEN(AUTOEUROPA) CONTINENTAL TEEVES VISTEON DELPHI AUTOEUROPA) TENNECO SIEMENS ALCATEL VISTEON

30 ARCO METROPOLITANO DE LISBOA A maior concentração de sectores de serviços do País, muito diversificada, mas ainda orientada maioritariamente para o mercado interno e organizando-se em múltiplos clusters na AM Lisboa. Presença de grandes empresas dos sectores infra estruturais (atividades ditas não transaccionáveis mas empresas com significativo investimento no exterior). Um sector turístico e de exportação de serviços de aviação civil em franco crescimento. Uma presença industrial em agro industrias, materiais de construção, automóvel, reparação naval e aeronáutica ; petro quimica; papel

31 ARCO METROPOLITANO DE LISBOA Um processo de retracção em sectores da indústria pesada - siderurgia, química mineral, metalomecânica e construção naval. Uma base industrial tradicional que se mantém e está centrada nos materiais de construção, agro alimentares e pasta/papel e dois pólos industriais fortemente exportadores - o pólo automóvel em Palmela e o pólo refinação e química pesada em Sines. Um forte sector de construção e obras públicas, engenharia e arquitectura, em processo de internacionalização acelerada.

32 PONTOS FORTES DA INVESTIGAÇÃO NO ARCO METROPOLITANO DE LISBOA As atividades de investigação que mais se destacam no Arco Metropolitano de Lisboa podem agrupar-se em SUBCONJUNTOS que reúnem! As áreas de C&T que podem mais facilmente interagir entre si, ampliando a sua capacidade de avançar no conhecimento e de apoiara a inovação áreas funcionais da atividade económica bem como áreas de intervenção do Estado. Podem distinguir-se duas situações a)subconjuntos que mais se desenvolveram a nível nacional nas últimas décadas e em que esta região ombreou com outras nesse desenvolvimento b)subconjuntos em que esta região assumiu claramente uma posição de maior destaque a nível nacional pela concentração de instituições e a qualidade da investigação nelas realizadas

33 PONTOS FORTES DA INVESTIGAÇÃO NO ARCO METROPOLITANO DE LISBOA No primeiro grupo incluiríamos os seguintes Subconjuntos : Biologia Molecular, Ciências da Saúde, Ciências Farmacêuticas, Biotecnologias para saúde e Engenharia biomédica Matemáticas, Ciências da Computação, Engenharia Informática/Tecnologias da Informação, e Engenharia das Telecomunicações Engenharia mecânica, Engenharia Eletrotécnica/ Eletrónica de Potência, Automação e Robótica Engenharia civil e arquitetura Ciências do Ambiente, Engenharia Ambiental, Química e Engenharia química verde

34 PONTOS FORTES DA INVESTIGAÇÃO NO ARCO METROPOLITANO DE LISBOA No segundo grupo incluimos os seguintes: Ciências da Terra, Mar e Ar em que a convergência de centros universitários e de Laboratórios de Estado permitiu concentrar na região competências fundamentais para a monitorização e prevenção de fenómenos e riscos naturais bem como para a prospeção, reconhecimento e exploração de recursos minerais e energéticos (vd engenharia do petróleo e gás) Física, Engenharia Física, Instrumentação e Ciências da Computação associado em larga medida á participação de Portugal em instituições e programas europeus como os do CERN, ESO, ESA, EURATOM/ Fusão Biologia, Biotecnologias, Ciências Agronómica e Veterinárias e Engenharia Agroalimentar Física, Química e Ciências e Tecnologias dos Materiais Ciências Sociais e Artes, com destaque para Economia e Gestão; História, Sociologia, Antropologia e Geografia; Linguística e Literaturas ; Artes e Tecnologias artísticas

35 ARCO METROPOLITANO DE LISBOA Mais recentemente, têm vindo a constituir-se um conjunto de proto clusters: NO ARCO METROPOLITANO DE LISBOA Aeronáutica Espaço & Defesa Engenharia do Petróleo & Gas/Engenharia Oceânica NA GRANDE LISBOA Bio farmacêutica & biotec Mobile, web & multimédia NA PENÍNSULA DE SETÚBAL / ALENTEJO LITORAL Tecnologias de informação-serviços Informáticos No OESTE/REGIÃO DE LEIRIA Tecnologias de informação-serviços Informáticos 35

36 Mega cluster SERVIÇOS ÀS EMPRESAS Mega Cluster INDUSTRIAS CRIATIVAS Mega cluster SERVIÇOS FINANCEIROS Proto Clustere Aeronáutica, Espaço &Defesa Tele comunicações Transportes & Logística Energia Construção, & Engenharia Mega Cluster TURISMO Ind Farmacêutica Mega Cluster SAUDE Proto Cluster Engª Offshore/ Oil & Gas GRANDE LISBOA PENÍNSULA DE SETÚBAL / ALENTEJO LITORAL Mega cluster AGRICULTURA/ AGROALIMENTAR Mega cluster HABITAT Mega Cluster FLORESTAL OESTE & PINHAL LITORAL LEZÍRIA DO TEJO/ MÉDIO TEJO/ALENTEJO CENTRAL(P)

37 Ciências Sociais e Humanas & Artes Ciências &Tecnologias da Saúde Instrumentação Engª Eletrónica Engª Eletrotécnica Engª Mecânica, Automação & Robótica Engenharia Civil Engª Agronómica, Florestal & Ciências Veterinárias

38 LISBOA & VALE DO TEJO, PINHAL LITORAL & ALENTEJO LITORAL UNIVERSIDADES INSTITUTOS POLITÉCNICOS INSTITUTOS DENOVAS TECNOLOGIAS CENTROS TECNOLÓGICOS

39 Centros de I&D e Engª de Empresas Grandes Empresas Setores infraestruturais GALP REN EDP IPG Ins;tutos Politécnicos Tomar Leiria Santarém UNIVERSIDADES IBET Moldes & Plásticos Centros de I&D e Engª de Empresas LABORATÓRIOS DE ESTADO UNIVERSIDADES Lisboa Empresas Multi nacionais INCUBADORAS IT TIC`s, Criativas, Biotec Autarquias INESC Setubal Parques Tecnológicos Centros de Serviços Par;lhados

40 SETORES INFRAESTRUTURAIS E I&D O EXEMPLO DA GALP GALP ENERGIA

41 SETORES INFRAESTRUTURAIS E I&D O EXEMPLO DA GALP A GALP Energia criou nos últimos anos um sector de I&D e Inovação que inclui uma abordagem original de criação de uma rede de colaborações quer na monitorização da evolução tecnológica quer no desenvolvimento de novos produtos e na formação de quadros técnicos altamente qualificados para as novas atividades. Indo mais além, promoveu em 2013 a criação do ISPG - Instituto do Petróleo e Gás - Associação para Formação Avançada e a Investigação Fazem parte da iniciativa as universidades de Aveiro, Porto, Minho, Nova de Lisboa, Instituto Superior Técnico, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. As áreas de investigação do novo Instituto são: Prospeção, exploração e caracterização de reservatórios de petróleo Desenvolvimento, produção egestão integrada de campos petrolíferos Refinação, petroquímica e distribuição de produtos Sistemas de gás e eletricidade Biocombustíveis e novas energias Gestão de sistemas sustentáveis de energia

42 . 3. PORTUGAL- A REGIÃO DE COIMBRA UM TERCEIRO ECOSITEMA,

43 REGIÃO DE COIMBRA TIC`s,BIOTEC IPN Instituto Pedro Nunes BIOCANT Parque UNIVERSIDADE Tecnológico Biotec Cerâmica & Vidro

LISTA DE ENTIDADES QUALIFICADAS - VALE INOVAÇÃO

LISTA DE ENTIDADES QUALIFICADAS - VALE INOVAÇÃO ÁREA DE QUALIFICAÇÃO: Organização e Gestão e Tecnologias de Informação e Comunicação 1627 IPN - INSTITUTO PEDRO NUNES - ASSOCIAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1630 CTIC -

Leia mais

Código Instit. Código Curso Vagas 2015 Vagas 2014

Código Instit. Código Curso Vagas 2015 Vagas 2014 Código Instit. Código Curso Vagas 2015 Vagas 2014 Nota último colocado 1ª Fase 2014 (cont. geral) Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 15 15 134,0 8086

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instituição Grau (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) 3122 9670 Instituto Politécnico de Portalegre - Escola Superior de Tecnologia e GestãoAdministração de Publicidade e Marketing L1 27 18 111,3 9 3102

Leia mais

ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS CURSOS DE ENGENHARIA REGISTADOS - Bacharelatos e Licenciaturas

ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS CURSOS DE ENGENHARIA REGISTADOS - Bacharelatos e Licenciaturas ESCOLA CURSO GRAU ESPECIALIDADE NORMAS REGISTO OBS. ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E G ÁGUEDA Engenharia Electromecânica B Mecânica a) do n.º 2 Universidade de Aveiro Engenharia Electrotécnica B ESP a)

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

AVEIRO. vagas colocados Engenharia Geográfica L1 30 7 ALGARVE. Engenharia Geológica L1 20 8 Física L1 22 8 Finanças (regime pós-laboral) L1 20 6 UBI

AVEIRO. vagas colocados Engenharia Geográfica L1 30 7 ALGARVE. Engenharia Geológica L1 20 8 Física L1 22 8 Finanças (regime pós-laboral) L1 20 6 UBI AÇORES Ciências da Engenharia Civil L1 20 1 Património Cultural L1 20 6 Ciências Agrárias L1 10 10 Informática - Redes e Multimédia L1 25 8 Engenharia e Gestão do Ambiente L1 20 0 ALGARVE Engenharia Civil

Leia mais

ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS GRUPO 2 CURSOS DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA REGISTADOS MAS AINDA NÃO ANALISADOS PELA ANET COLÉGIO DE ENGENHARIA CIVIL. Universidade Católica Portuguesa

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE da Nome da Nome Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 10 134,0 5 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

Da especialização inteligente à cooperação inteligente

Da especialização inteligente à cooperação inteligente Da especialização inteligente à cooperação inteligente Alexandre Almeida Baiona, 07 de novembro 2014 ccdr-n.pt/norte2020 Índice 1.Abordagem concetual 2.Os domínios prioritários da RIS 3 da Região do Norte

Leia mais

Setúbal, 15 de Março de 2015

Setúbal, 15 de Março de 2015 Setúbal, 15 de Março de 2015 Península de Setúbal 1 421 Km2 9 concelhos 782 044 pessoas Peso na população nacional População ativa (igual à média nacional) 7% 49% Alcochete Almada Barreiro Moita Montijo

Leia mais

MAIOR EVENTO NACIONAL PARA O CRESCIMENTO VERDE E DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES 04 / 06 MARÇO 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA

MAIOR EVENTO NACIONAL PARA O CRESCIMENTO VERDE E DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES 04 / 06 MARÇO 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA MAIOR EVENTO NACIONAL PARA O CRESCIMENTO VERDE E DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES 04 / 06 MARÇO 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA Conselho Estratégico da Green Business Week Entidades Empresas convidadas

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Código Instit. Código Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Colocados Nota do últ. colocado (cont. geral) (1) (2)

Leia mais

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Colocados CONCURSO NACIONAL DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Etapa 1: colocação dos candidatos às vagas

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

+Inovação +Indústria. AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014

+Inovação +Indústria. AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014 +Inovação +Indústria AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014 Fatores que limitam maior capacidade competitiva e maior criação de valor numa economia global Menor capacidade

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 10 1 1 10 127,3 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios)

Leia mais

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa QUIDGEST Q-DAY: INOVAÇÃO CONTRA A CRISE Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa André Magrinho TAGUSPARK: 09 de Setembro 2009 SUMÁRIO 1. Globalização

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

ENSINO SUPERIOR PARTICULAR

ENSINO SUPERIOR PARTICULAR ENSINO SUPERIOR PARTICULAR 210 4010 8136 Escola Superior Artística do Porto L - 1º ciclo Animação e Produção Cultural 1.º 6 Sem 180 20 210 4010 9257 Escola Superior Artística do Porto MI Arquitectura 1.º

Leia mais

Smart Cities Portugal

Smart Cities Portugal Smart Cities Portugal A rede Smart Cities Portugal tem por objetivo promover o trabalho em rede numa lógica inter-cluster, para o desenvolvimento e produção de soluções urbanas inovadoras para smart cities,

Leia mais

A ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE NO PREÂMBULO DO PLANO REGIONAL DE INOVAÇÃO DO NORTE 2014-2020

A ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE NO PREÂMBULO DO PLANO REGIONAL DE INOVAÇÃO DO NORTE 2014-2020 A ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE NO PREÂMBULO DO PLANO REGIONAL DE INOVAÇÃO DO NORTE 2014-2020 Rui Monteiro Diretordo Centro de Avaliação de Políticas e Estudos Regionais Lisboa 11 Dezembro 2012 ÍNDICE 1.

Leia mais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências e Tecnologia 0110 Universidade dos Açores - Angra

Leia mais

9196 Línguas e Relações Empresariais 9196 Línguas e Relações Empresariais

9196 Línguas e Relações Empresariais 9196 Línguas e Relações Empresariais 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade

Leia mais

Agrupamento de Escolas Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho. SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO Psicóloga Áurea Santos

Agrupamento de Escolas Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho. SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO Psicóloga Áurea Santos Agrupamento de Escolas Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO Psicóloga Áurea Santos Ensino Secundário Ensino Superior Ensino Básico Sistema Educativo e Formativo

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 17.04.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Biológicas e da Saúde

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio da Cultura, Criação e Moda

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio da Cultura, Criação e Moda Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio da Instituições www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 0203 0203 0204 0204 0204 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 Universidade do Algarve - Faculdade

Leia mais

EDITAL CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2015 3.ª FASE

EDITAL CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2015 3.ª FASE EDITAL CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO.ª FASE. Nos termos do n.º do artigo.º do regulamento do concurso nacional de acesso e ingresso no ensino superior público para a matrícula

Leia mais

8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 8086 Medicina Veterinária (Preparatórios)

8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 8086 Medicina Veterinária (Preparatórios) 0110 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 158,8 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 130,0 8086 Medicina Veterinária (Preparatórios) 158,8 9022 Ciências

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Capital Simbólico, Tecnologias e Serviços do Turismo

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Capital Simbólico, Tecnologias e Serviços do Turismo Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Capital Simbólico, Tecnologias e Serviços do Turismo www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores

Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores posterior à implementação do Universidade dos Açores Engenharia Agronómica UFMT Engenharia agrícola e ambiental Universidade

Leia mais

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DOS RECURSOS DO MAR E ECONOMIA

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DOS RECURSOS DO MAR E ECONOMIA ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DOS RECURSOS DO MAR E ECONOMIA ccdr-n.pt/norte2020 24 DE MAIO DE 2013 VIANA DO CASTELO Principais Conceitos A competitividade das regiões deve

Leia mais

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013 Nome da instituição Nome do Grau na 1.ª fase de pelo 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) Prep. Mestrado Integrado 15 15 155,8 0110 8085 Universidade

Leia mais

////////////// CLUSTER DA MOBILIDADE OBJECTIVOS EIXOS PROJECTOS PARCEIROS CLUSTER DA MOBILIDADE

////////////// CLUSTER DA MOBILIDADE OBJECTIVOS EIXOS PROJECTOS PARCEIROS CLUSTER DA MOBILIDADE Plano de Acção ////////////// O FUTURO DA. UM FUTURO SUSTENTÁVEL A mobilidade sustentável é um dos principais desafios da Europa. Empresas construtoras de meios de transporte, fornecedores e vários outros

Leia mais

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 8 1 0 9 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios) PL 14

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2016, 2017, 2018 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direção de Serviços de

Leia mais

Universitário 7500 Academia da Força Aérea História Militar. Universitário 7510 Academia Militar Guerra de Informação

Universitário 7500 Academia da Força Aérea História Militar. Universitário 7510 Academia Militar Guerra de Informação Distrito Subsistema Tipo de ensino Cód. Estab. Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Lisboa Público Militar e Policial Universitário 7500 Academia da Força Aérea História Militar Lisboa Público Militar

Leia mais

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais)

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais) (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 15 0 155,8 0 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno

O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020 Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno Lisboa, 14 de nov de 2014 Tópicos: 1. Portugal 2020: Objetivos e prioridades

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações 0130 0130 0130 0130 0130 0130 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina Universidade dos Açores - Ponta Delgada Universidade dos Açores -

Leia mais

8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA. Novos Mercados Encontro de Sectores INSCREVA-SE JÁ. Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS. www.expoenergia2011.about.

8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA. Novos Mercados Encontro de Sectores INSCREVA-SE JÁ. Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS. www.expoenergia2011.about. 8, 9 e 10 NOVEMBRO 2011 LISBOA Centro de Congressos Univ. Católica Novos Mercados Encontro de Sectores Especial: MERCADOS INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO PARCEIRO PATROCÍNIO INSCREVA-SE JÁ www.expoenergia2011.about.pt

Leia mais

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo LISBOA DE GEOGRAFIA VARIÁVEL... Perspectiva administrativa: Área Metropolitana de

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Capital Humano e Serviços Especializados

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Capital Humano e Serviços Especializados Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio do Instituições www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

Número de. Gabinete de Planeamento e Políticas. Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas. 11 851 Tecnologia de protecção do ambiente

Número de. Gabinete de Planeamento e Políticas. Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas. 11 851 Tecnologia de protecção do ambiente MADRP Entida Promotora Autorida Gestão do Programa Desenvolvimento Rural do Continente Autorida Gestão do PROMAR Autorida Florestal Nacional Direcção-Geral Veterinária Direcção Regional das Florestas Lisboa

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

2014, Portugal Capital Ventures

2014, Portugal Capital Ventures 1. Portugal Ventures At a glance Criada em 2012, pela fusão das 3 sociedades, potenciando mais de 20 anos de experiência como inves@dor de capital de risco. Missão Dinamizar o ecossistema empreendedor

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Código Código Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas

Leia mais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais 24 de maio de 2012 Auditório ISEGI - UNL Patrocínio Principal Apoios Patrocinadores Globais APDSI 24 Maio 2012 Inteligência Competitiva A Nova Agenda Digital

Leia mais

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 Apoios à Internacionalização e à Inovação António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 ALENTEJO PRIORIDADES PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 1. Alimentar e Floresta 2. Recursos Naturais,

Leia mais

Acesso ao Ensino Superior 2013/2014

Acesso ao Ensino Superior 2013/2014 Page 1 of 15 CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE - CONTINGENTE GERAL Código da Código do Vagas Nota de candidatura Vagas instituição curso Nome do curso Grau iniciais

Leia mais

4ª Conferência da Central de Balanços do Banco de Portugal

4ª Conferência da Central de Balanços do Banco de Portugal 4ª Conferência da Central de Balanços do Banco de, o Setor dos serviços e o reposicionamento de na Globalização José Félix Ribeiro 1. O Desafio do Crescimento Nova Exportação & Atração de Rendimento O

Leia mais

EDITAL VAGAS PARA A 2.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO 2015

EDITAL VAGAS PARA A 2.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO 2015 EDITAL VAGAS PARA A.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO 0. Nos termos do artigo.º do Regulamento do Concurso Nacional de Acesso e Ingresso no Ensino Superior Público para a Matrícula e Inscrição no Ano

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Sistemas Agroambientais e Alimentação

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Sistemas Agroambientais e Alimentação Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Empresas www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Sistemas Agroambientais e Alimentação

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Sistemas Agroambientais e Alimentação Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das SCTR www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui uma

Leia mais

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT

Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Mecanismo de Apoio e Incentivo à Inovação e I&DT Victor Francisco Responsável Unidade Gestão e Promoção da Inovação [victor.francisco@ctcv.pt] Seminário Gestão da Inovação - ACIB 25 de Março 2010 1 Sumário

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações Congénere 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 1.03.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Biológicas e da Saúde

Leia mais

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DA CULTURA, CRIAÇÃO E MODA

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DA CULTURA, CRIAÇÃO E MODA ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DA CULTURA, CRIAÇÃO E MODA ccdr-n.pt/norte2020 4DE JUNHO DE 2013 GUIMARÃES Principais Conceitos A competitividade das regiões deve fundar se nas

Leia mais

Circular nº 1/ANQEP/2015

Circular nº 1/ANQEP/2015 Circular nº 1/ANQEP/2015 O ajustamento da oferta de qualificações às necessidades da economia e do mercado de trabalho é um objetivo estratégico para o desenvolvimento económico e social do país. Consciente

Leia mais

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020 ENCONTRO TEMÁTICO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL 28 de Fevereiro de 2014, Espaço Jovem, Porto de Mós. Grupo de Trabalho Desenvolvimento Urbano Sustentável A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Tecnologias de Largo Espectro

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Tecnologias de Largo Espectro Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Empresas www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

SI I&DT PROJECTOS INDIVIDUAIS

SI I&DT PROJECTOS INDIVIDUAIS SI I&DT PROJECTOS INDIVIDUAIS CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NAS EEC-CLUSTERS RECONHECIDAS ÁREAS TECNOLÓGICAS E DE DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS, PROCESSOS OU SISTEMAS ELEGÍVEIS 1. No âmbito do

Leia mais

04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA

04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA 04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA Curso / Habilitação Grau Condições especiais Engenharia Agronómica ramo: Hortofruticultura Da Universidade do Algarve Engenharia Civil Da Universidade Fernando Pessoa

Leia mais

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A.

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A. Portugal 2020 Os Nossos Serviços Onde pode contar connosco? Lisboa Leiria Braga Madrid As Nossas Parcerias Institucionais Alguns dos Nossos Clientes de Referência Bem Vindos à Areagest Índice O QREN;

Leia mais

PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DAS PME DA REGIÃO CENTRO NOS PROGRAMAS VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NERGA, 23 DE JULHO

PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DAS PME DA REGIÃO CENTRO NOS PROGRAMAS VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NERGA, 23 DE JULHO Workshop Vale Mais Centro PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DAS PME DA REGIÃO CENTRO NOS PROGRAMAS VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NERGA, 23 DE JULHO ÍNDICE 1. O PROGRAMA VALE I&DT 2. O PROGRAMA VALE INOVAÇÃO 3. AS ENTIDADES

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau Coloca 0110 8031 Universidade dos Açor - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açor - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

UPTEC PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

UPTEC PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO UPTEC PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto O UPTEC- Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto é a estrutura

Leia mais

DESTAQUE BIBLIOGRÁFICO

DESTAQUE BIBLIOGRÁFICO DESTAQUE BIBLIOGRÁFICO SETEMBRO 2014 PORTUGAL 2015: UMA SEGUNDA OPORTUNIDADE? Portugal 2015: uma segunda oportunidade / Lino Fernandes. - 1ª ed. - Lisboa: Gradiva Publicações S.A, 2014. - 264 p.: gráf.,

Leia mais

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010)

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010) As Regiões de - Região O Território Porquê? Com a maior área territorial de Continental 31.605,2 km2 (1/3 do território nacional) a região do apresenta 179 km de perímetro de linha de costa e 432 km de

Leia mais

Todas as vagas das universidades e politécnicos

Todas as vagas das universidades e politécnicos 28 ENSINO SUPERIOR Todas as vagas das universidades e politécnicos Listas. Este ano há lugar para 53 410 novos alunos, através do concurso nacional. Veja a lista com todas as vagas por estabelecimento

Leia mais

Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira

Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira Importância das sinergias para o desenvolvimento das Energias Renováveis Marinhas Frederico Pinto Ferreira Workshop - Oportunidades de negócio em energias renováveis marinhas ATLANTIC POWER CLUSTER INEGI

Leia mais

Novos Apoios ao Comércio. Miguel Cruz

Novos Apoios ao Comércio. Miguel Cruz Novos Apoios ao Comércio Miguel Cruz Comércio Investe QREN e Linhas de Crédito Portugal 2020 2 Comércio Investe Medida financiada através do Fundo de Modernização do Comércio, com dotação orçamental regional,

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Recursos do Mar e Economia. Instituições

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Recursos do Mar e Economia. Instituições Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio dos Instituições www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 11 SÍNTESE... 13 1. A I&D EMPRESARIAL TORNOU -SE MAIORITÁRIA... 19 2. A RAZÃO DO DESFASAMENTO ENTRE O CRESCIMENTO

Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 11 SÍNTESE... 13 1. A I&D EMPRESARIAL TORNOU -SE MAIORITÁRIA... 19 2. A RAZÃO DO DESFASAMENTO ENTRE O CRESCIMENTO Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 11 SÍNTESE... 13 1. A I&D EMPRESARIAL TORNOU -SE MAIORITÁRIA... 19 2. A RAZÃO DO DESFASAMENTO ENTRE O CRESCIMENTO DA I&D E O FRACO CRESCIMENTO DO PIB... 26 2.1. O agravamento

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 906-() Diário da República,.ª série N.º 56 de Março de 00 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Portaria n.º 7-A/00 de de Março O Decreto -Lei n.º 8/00, de 9 de Março, prevê, no seu artigo

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Ciências da Vida e Saúde. Empresas. www.ccdr-n.

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Ciências da Vida e Saúde. Empresas. www.ccdr-n. Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Empresas www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Ciências da Vida e Saúde SCTR. www.ccdr-n.

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das Ciências da Vida e Saúde SCTR. www.ccdr-n. Estratégia Regional de Especialização Inteligente Pedido de Contributos no Domínio das SCTR www.ccdr-n.pt/norte2020 O desenvolvimento de Estratégias Regionais de Especialização Inteligente constitui uma

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

ORDEM DOS ENGENHEIROS SEMINÁRIO REINDUSTRIALIZAÇÃO- O CASO PORTUGUÊS PORTUGAL 2030 QUE FUNÇÕES NA GLOBALIZAÇÃO?

ORDEM DOS ENGENHEIROS SEMINÁRIO REINDUSTRIALIZAÇÃO- O CASO PORTUGUÊS PORTUGAL 2030 QUE FUNÇÕES NA GLOBALIZAÇÃO? ORDEM DOS ENGENHEIROS SEMINÁRIO REINDUSTRIALIZAÇÃO- O CASO PORTUGUÊS PORTUGAL 2030 QUE FUNÇÕES NA GLOBALIZAÇÃO? FONTE: Portugal: Que Funções na Globalização? José Félix Ribeiro, António Manzoni, Joana

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Nome da Instituição Nome do Grau Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 25 Fase (cont. geral) 0110 8031 Universidade dos Açores

Leia mais

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica LISTA DOS CURSOS QUE CONFEREM DISPENSA DE PRESTAÇÃO DE PROVAS DE ADMISSÃO À OE* Até 31 de Julho de 2011 A presente lista identifica os cursos de Licenciatura pré-bolonha e de Mestrado pós-bolonha cujos

Leia mais

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Ciência e Tecnologia dos Alimentos

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Ciência e Tecnologia dos Alimentos Universitário R.A.Açores Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 7264 - Corte e Tecnologia de Carnes 541 - Indústrias es Universitário R.A.Açores Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 7109 -

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS 4696 Diário da República, 1.ª série N.º 151 7 de agosto de 2013 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Portaria n.º 252/2013 de 7 de agosto A 2.ª edição do Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 1 QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

Evento de Lançamento Parceria PORTUGALclusters Lisboa, 5/Março/2014. PORTUGALclusters

Evento de Lançamento Parceria PORTUGALclusters Lisboa, 5/Março/2014. PORTUGALclusters Evento de Lançamento Parceria Lisboa, 5/Março/2014 Polos e Clusters de Competitividade Uma iniciativa lançada em 2008/2009 e que reconheceu um conjunto de 19 Polos e Clusters portugueses, representando

Leia mais

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV Financiamento Regional e Portugal 2020 Alexandra Rodrigues Seminário CTCV 9 abril 2015 Foco Temático no conjunto dos FEEI Sustentabilidade e eficiência no Uso de Recurso 6.259 M 25% Competitividade e Internacionalização

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2011

Leia mais

Saiba como usar o Enem para cursar uma universidade em Portugal

Saiba como usar o Enem para cursar uma universidade em Portugal Doze instituições de ensino superior em Portugal aceitam os resultados do Enem, que devem ser divulgados nesta sexta-feira. A BBC Brasil preparou um guia com todas as informações que você precisa saber

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Código Estab.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Código Estab. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2009-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares estabelecimento/curso objecto de concurso nacional Estab. Curso Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade Vagas 2009

Leia mais