ESPECIFICAÇÕES I N S T AL AÇ Õ E S E L É T R I C AS C AB E AM E N T O E S T R U T U R AD O AR C O N D I C I O N AD O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÕES I N S T AL AÇ Õ E S E L É T R I C AS C AB E AM E N T O E S T R U T U R AD O AR C O N D I C I O N AD O"

Transcrição

1 ESPECIFICAÇÕES I N S T AL AÇ Õ E S E L É T R I C AS C AB E AM E N T O E S T R U T U R AD O AR C O N D I C I O N AD O CONSTRUÇÃO AC SÃO PAULO DE OLIVENÇA / AM RUA TIRADENTES, S/Nº-CENTRO ANORÍ-AM CEP GEREN/DR/AM MANAUS mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 1 DE 27

2 1. OBJETIVO O presente caderno de especificação tem por objetivo estabelecer condições e características técnicas para execução dos serviços de instalações elétricas em geral, cabeamento estruturado, infra-estrutura de alarme e CFTV relativos à obra de CONSTRUÇÃO DA AC SÃO PAULO DE OLIVENÇA DR/AM. 2. DISPOSIÇÕES GERAIS E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS Todos os materiais empregados na obra deverão ser novos, comprovadamente de primeira qualidade e satisfazer rigorosamente a esta Especificação. O Construtor só poderá usar qualquer material depois de submetê-lo ao exame e aprovação da Fiscalização a quem caberá impugnar seu emprego quando de acordo com estas especificações. Cada lote ou partida de material deverá além de outras constatações, ser contratado com a respectiva amostra, previamente aprovada. As amostras de materiais devem ser aprovadas pela Fiscalização, depois de convenientemente autenticadas por esta e pelo CONSTRUTOR. Estas amostras deverão ser cuidadosamente conservadas no canteiro de obras até o fim dos trabalhos, de forma a facultar, a qualquer tempo, a verificação de sua perfeita correspondência com os materiais fornecidos ou já empregados. Se as circunstâncias ou condições locais tornarem aconselháveis à substituição de algum material, esta só poderá se efetuar mediante expressa autorização, por escrito, da Fiscalização para cada caso particular. Obriga-se ao CONSTRUTOR a retirar do recinto das obras os materiais porventura impugnados pela Fiscalização dentro de 72 (setenta e duas) horas, a contar do recebimento da Ordem de Serviço atinente ao assunto. Será expressamente proibido manter no recinto das obras quaisquer materiais que não satisfizerem a estas especificações. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 2 DE 27

3 3. SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS QUADRO RESUMO: Executar adequação na entrada de energia trifásica até o QDG. Fornecer e instalar QDG; Executar instalações elétricas rede normal - tomadas alimentadas pelo QDG; Fornecer e instalar luminárias e interruptores. Fornecer e instalar QDA; Executar instalações elétricas rede de automação tomadas alimentadas pelo QDA; Fornecer e instalar RACK e seus componentes; Fornecer e instalar Quadro Telefônico e seus componentes; Executar instalações de cabeamento estruturado; ALARME E CFTV Executar infra-estrutura para sistema de alarme. Executar infra-estrutura para sistema de CFTV. /CLIMATIZAÇÃO Fornecer e instalar aparelhos de ar condicionado; Executar instalação para ar condicionado (tubulações frigorígenas e dreno); Executar instalações elétricas para ar condicionado; 4. A presente especificação técnica refere se ao projeto básico das instalações elétricas para a unidade de negócio da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Diretoria Regional do Amazonas supracitada. Para a execução desses serviços a CONTRATADA deverá obedecer aos anexos, especificações, planilhas, projetos, normas técnicas brasileiras vigentes, tais como NBR-5410, última revisão, normas técnicas das concessionárias de energia elétrica local, tais como DI-NT-01 MANAUS ENERGIA e normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho, tais como NR-10. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 3 DE 27

4 A CONTRATADA deverá apresentar a equipe de execução dos serviços de instalações à fiscalização com comprovação de experiência em execução de obras comerciais ou industriais e certificado de treinamento relacionado à NR-10. ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS E SERVIÇOS 4.1 CABOS BAIXA TENSÃO 0,6/1 Kv Utilização: Entrada de energia e para interligação dos quadros O metal será em fio de cobre nu, têmpera mole, forma redonda normal, encordoamentos classe 2. A insolação será feita em composto termoplástico de Cloreto de Polivilina (PVC), antichama. Capa Interna (enchimento) será feita em composto de Cloreto de Polivilina (PVC). Cobertura será constituída de composto de Cloreto de Polivilina (PVC) antichama, na cor preta. O mesmo deverá estar em conformidade com a Norma NBR Cabos e condutores com isolação sólida estruturada de cloreto de Polivilina (PVC) para tensões de 1 a 20kV. Bitola conforme projeto Fabricação: PIRELLI, FICAP, ENERGIBRAS. 4.2 CABOS DE BAIXA TENSÃO-450/750V Utilização: Alimentação dos pontos de energia elétrica. O metal será constituído em fio de cobre nu, têmpera mole. Forma redonda normal. Encordoamento classe 5. Isolação com camada interna de composto termoplástico de PVC na cor branca, e com a camada externa também em composto termoplástico de PVC, em cores, extradeslizante. O mesmo deverá estar em conformidade com as Normas NBR 6148, NBR 6880, NBR 6245, e NBR Bitolas 2,5mm² - 4,0mm² - 6,0mm² - 10,0mm² Todos condutores deverão ser dimensionados utilizando os critérios de capacidade de corrente e de queda de tensão. Fabricação: PIRELLI, FICAP, ENERGIBRAS. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 4 DE 27

5 4.3 ELETRODUTOS / CURVAS / LUVAS E CONDULETES Eletrodutos deverão ser de ferro galvanizado, leves, para instalações internas aparentes e sobre forro e zincados a fogo, pesado, para as instalações expostas ao tempo. Eletrodutos devem ser de PVC rígidos, classe A, espessura de 2,5mm, para instalações embutidas ou enterradas, com as devidas conexões nas mesmas características. Eletrocalhas devem ser metálicas galvanizadas perfuradas, com tampa, com as devidas derivações necessárias, com fixações a cada 2m no máximo. Nas derivações de eletrodutos deverão ser utilizadas as saídas horizontais ou verticais adequadas às bitolas das mesmas. Prever as devidas visitas para manutenção das instalações, quando instalados acima de forro ou laje. Deverão ser utilizadas luvas, buchas e arruelas nos eletrodutos aparentes e embutidos obtendo assim a devida vedação dos dutos a fim de proporcionar maior proteção mecânica e elétrica aos cabos. Os eletrodutos deverão possuir taxa de ocupação máxima de 40% de sua área de seção transversal. Fabricação: TIGRE, FORTILIT, WETZEL, DAISA, ELECON. 4.4 DISJUNTORES O disjuntor do centro de medição deverá ser do tipo tripolar, termomagnético e dimensionado conforme normas técnicas de fornecimento de energia elétrica da concessionária local. O DISJUNTOR GERAL, do quadro de distribuição geral (QDG), será tripolar, padrão europeu e possuirá corrente nominal de interrupção conforme quadro de cargas e cálculo de demanda para a unidade. O circuito alimentador de sistema de ar condicionado deverá ser exclusivo e possuir o seguinte dispositivo de proteção contra sobrecorrente: disjuntor unipolar, padrão europeu, de 16A para sistema de Ar Condicionado até BTU s (rede 127V), disjuntor bipolar 25 A para sistemas entre e BTU`s e disjuntor tripolar, padrão europeu, para capacidades acima de BTU S, dimensionados de acordo com o fabricante dos aparelhos e dos parâmetros das instalações no local. Fabricação: SIEMENS, ELETROMAR, ABB mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 5 DE 27

6 Os disjuntores utilizados como comando e proteção dos circuitos elétricos de baixa tensão contra sobrecarga e curtos-circuitos serão termomagnéticos, unipolares ou tripolares padrão europeu, devendo possuir corpo em material altamente isolante. Estarão em conformidade com a Norma Brasileira NBR5361 e NBR Fabricação: SIEMENS, ELETROMAR, ABB. OBS.: As terminações dos cabos nos disjuntores deverão ser através de terminais apropriados. 4.5 PROTETOR CONTRA SURTOS Deverão ser utilizados dispositivos de proteção contra surto de baixa tensão, e alta capacidade com varistores a oximetálico, tensão de corte de 175Vac, corrente máxima de surto (8/20) um pulso de 40 ka. Esses dispositivos deverão ser instalados logo após o disjuntor geral do QDG e interligados ao barramento terra do mesmo. Fabricação: SIEMENS, CLAMPER, ABB ou ELETROMAR; 4.6 DISPOSITIVO DIFERENCIAL RESIDUAL (D.R) Deverão ser utilizados dispositivos de proteção contra fuga de corrente, bipolar ou tetrapolar, corrente nominal de 25A para um circuito individual ou tetrapolar, com corrente nominal conforme indicado no projeto. Todos deverão possuir sensibilidade de corrente de fuga de 30 ma, tempo de atuação de 40 ms e utilizados para proteção contra choques elétricos em circuitos que possuam tomadas nas proximidades de área molhada, como tomadas de copa, área de serviço, banheiros, dentre outros. Fabricação: SIEMENS, ELETROMAR ou ABB; mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 6 DE 27

7 4.7 QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO QDG / QDA EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS Serão de sobrepor ou embutir, conforme indicado no projeto, com características construtivas no padrão Europeu, trifásico, compostos de uma chapa de montagem e seu fundo, que permite a montagem do KIT DIN (padrão Europeu), com grau de proteção mínimo IP-40. Os quadros devem receber tratamento anticorrosivo pelo sistema de banho químico (desoxidação e fosfatização a base de fosfato de zinco). A porta, espelho e moldura serão na cor cinza, com pintura eletrostática epóxi a pó. A caixa, trilhos, suporte e chapa de montagem devem sofrer a aplicação de primer anticorrosivo na cor cinza. Deverão ser compostos de barramento DIN (TRIFASICO), capacidade para conforme projeto, acessórios de fixação, conjunto de barramentos Neutro e Terra, conjunto para fixação da tampa no corpo, conjunto para fixação da placa regulável e espelho, e palhetas plásticas. O QDG e o QDA deverão possuir obrigatoriamente capacidades para instalação de todos os circuitos dimensionados no projeto e reserva técnica 20% para futuras ampliações. Todos os quadros deverão ter seus circuitos e disjuntores identificados, com etiqueta plástica, auto-adesiva, resistente, com o seguinte padrão de identificação C1, C2,..., para o QDG e E1, E2,..., para o QDA. As tampas externas do QDG e QDA também deverão ser identificadas através de plaquetas confeccionadas em acrílico, 5x3 cm, com as seguintes nomenclaturas QDG e QDA, devidamente fixadas na parte central superior da tampa do respectivo quadro. Os quadros montados deverão possuir as barreiras de proteção e sinalização conforme exigências da NBR Fabricação: CEMAR, THOMEU ou ELETRO METALURGICA. 4.8 SISTEMA DE ATERRAMENTO O aterramento do QDG será feito por intermédio de no mínimo 03 (três) hastes, tipo cantoneira, 3 x 25 x 25 x 2400 milímetros. As hastes serão instaladas espaçadas no mínimo de 2,5 metros e a configuração geométrica da malha deverá ser linear conforme projeto. O condutor de aterramento deverá ser de cobre nu, sem emenda, de seção mínima de 16mm 2. Os condutores de aterramento deverão ser contínuos, isto é, não devem ter em série nenhuma parte metálica da instalação. Os condutores de interligação das hastes de aterramento deverão ser instalados a uma profundidade mínima de 50 cm do piso. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 7 DE 27

8 Deverão ser utilizados solda exotérmica ou conectores reforçados haste/cabo na interligação das hastes do sistema de aterramento. Deverá ser efetuada a medição da resistência de aterramento da malha na presença do fiscal da obra e elaborado um laudo de aterramento devidamente assinado por profissional habilitado para tal. A resistência de aterramento não poderá ser superior a 10 ohms em qualquer época do ano. Caso a medição forneça valor superior a limite supracitado a CONTRATADA deverá providenciar a melhoria desta malha até que se consigam valores dentro deste limite. Obs.: a medição deverá ser efetuada com a malha desconectada do sistema elétrico local. Os condutores de aterramento deverão ser protegidos mecanicamente por meio de eletroduto de bitola mínima de ¾ entre a caixa de inspeção de aterramento e o ponto de interligação com o sistema elétrico da unidade. Todos os sistemas(qdg, QDA, RACK, Quadro Telefônico e outros) serão aterrados através deste sistema de aterramento. A barra de TERRA do QDG poderá ser utilizada como Barra de Equalização Potencial (BEP). Portanto, a partir do BEP poderão ser derivados os condutores de cobre isolados, 450/750V, bitola mínima de 6,0mm2, cor verde, para interligação dos demais quadros com o sistema de aterramento. O eletrodo de aterramento deve ser cravado deixando sua extremidade superior, inclusive conector, acessível à inspeção da fiscalização, dentro de caixa metálica 25x25x25cm, com o topo do eletrodo situado abaixo da linha de afloramento. 4.9 LUMINÁRIAS PADRÃO Instalação Sobrepor Luminária de sobrepor para 2 lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W. Corpo em chapa de aço tratada e pintura eletrostática na cor branca com aletas planas em chapa de aço pintada ou alumínio anodizado. Refletor em alumínio anodizado brilhante e de alta pureza. Serão utilizadas luminárias com 02 lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W-super 84 (2700lm). Ref.: LUMICENTER CAA03-S232, ITAIM 3520, INTRAL OS-832 Instalação Embutida Luminária de embutir para 2 lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W. Corpo em chapa de aço tratada e pintura eletrostática na cor branca, com aletas planas em chapa de aço pintada ou alumínio anodizado. Refletor em alumínio anodizado brilhante e alta pureza. Serão utilizadas luminárias com 02 lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W-super 84 (2700lm). Ref.: INTRAL OE-832, LUMICENTER CAA03-E232, ITAIM mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 8 DE 27

9 Instalação Externa Luminária de sobrepor a prova de tempo, alumínio pintada, difusor em vidro óptico transparente, cor branca, com pestana e 01 lâmpada fluorescente compacta de 20W, Ref.: AR-100A, LUMIFLUOR, WETZEL, DIMENSÃO ILUMINAÇÃO. Instalação sobrepor em pequenos ambientes Luminária tipo Spot, cor branca, para uma lâmpada fluorescente compacta de 20W, inclusive a lâmpada. Reatores Os reatores eletrônicos deverão ser de alto fator de potência, THD<=10% e possuir partida rápida. Ref.: PHILIPS, INTRAL, OSRAM CAIXAS DE PASSAGEM, DERIVAÇÃO E LIGAÇÃO Salvo indicação expressa em contrário, contida no projeto, todas as caixas serão metálicas e obedecerão às especificações da NBR 6235, NBR 5431 e normas complementares exigidas. Instalações embutidas: Caso seja necessária alguma instalação embutida esta deverá seguir às especificações descritas abaixo. As caixas de ligação deverão ser estampadas em chapa de aço com espessura mínima de 1,2 mm e revestimento protetor à base de tinta metálica. Serão utilizadas exclusivamente para instalação de tomadas e interruptores. Suas dimensões serão 4 x 2 x 2 ou 4 x 4 x 2. O material para as caixas de passagem de dimensões 20x20cm deverá ser em liga de alumínio silício, de alta resistência mecânica, junta de vedação em borracha. Instalações aparentes e sobre o forro: Para instalações aparentes e sobre o forro serão empregadas caixas de passagem e caixas de derivação. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 9 DE 27

10 As caixas de passagem deverão possuir corpo e tampa em liga de alumínio silício, de alta resistência mecânica, junta de vedação em borracha. Serão utilizadas para passagem dos condutores elétricos, as dimensões estão definidas em projeto. As caixas de derivação (do tipo petrolete) deverão possuir corpo e tampa em liga de alumínio silício injetado, de alta resistência mecânica, junta de vedação em borracha. Serão utilizadas para a passagem de condutores elétricos e, também, para a instalação de plugues elétricos e interruptores de luz (neste caso sua tampa deverá possuir abertura para instalação de um plugue elétrico ou de um interruptor, conforme o caso). Deverão possuir dimensões de 92x50x45 mm INTERRUPTORES Fornecimento e instalação de interruptores, inclusive espelho, conforme projeto de iluminação. Especificações / Acabamentos: Interruptor de luz de embutir, 1 seção, 2 seções, 3 seções e three way (paralelo), corrente nominal 10A, tensão nominal 250 V, de acordo com a NBR Os interruptores, placas e acessórios para o ponto de comando da iluminação, quando em instalações embutidas, deverão ser da linha modular, cor branca. Ref.: Marcas IRIEL, PIAL, SIEMENS. Os interruptores e acessórios para o ponto de comando da iluminação, quando em instalações aparentes, deverão ser da linha comum, cor branca. Ref.: Marcas IRIEL, PIAL, SIEMENS. Já a tampa do condulete deve ser apropriada ao tipo e/ou ao número de seções do ponto de comando TOMADAS Fornecimento e instalação de tomadas completas, inclusive espelho, conforme projeto de tomadas. Especificações / Acabamentos: Tomada de corrente instalada em caixa de derivação (petrolete) aparente: mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 10 DE 27

11 Para REDE COMUM e da AUTOMAÇÃO (circuitos alimentados pelo QDG e QDA respectivamente), serão 2P+T padrão NBR 14136, corrente nominal 10A, tensão nominal 250V, termoplástico frontal na cor branca. Exceto as tomadas dos circuitos de área molhada que serão de 20A/250V As tomadas, placas e acessórios, quando em instalações embutidas, deverão ser da linha modular, cor branca. Ref.: Marcas IRIEL, PIAL, SIEMENS. Obs.: Todas as tomadas deverão ser do tipo 2P+T e possuir condutor de aterramento conectado no respectivo pino. Serviços inclusos: Fornecimento e instalação de tomadas completas, inclusive espelhos e todo serviço necessário para sua perfeita instalação. Um dos três cabos de alimentação das tomadas (fase, neutro ou terra) deve ser identificado, por meio de anilhas, com o número do respectivo circuito, contido no diagrama unifilar, quando em instalações aparentes. Todo condulete e caixa esmaltada embutida que possuir pontos de rede elétrica deve possuir uma identificação externa com o nome do circuito e com a tensão da tomada. Essa identificação deverá ser realizada em material resistente a ação do tempo, uma amostra deverá ser enviada para prévia autorização da Empresa de Correios e Telégrafos. Exemplo: Tomada pertencente ao circuito C1 do QDG: Etiquetas a serem fixadas na tampa da tomada C1 / QDG e 127V ; Tomada pertencente ao circuito CE-01 do QDA: Etiquetas a serem fixadas na tampa da tomada E1 / QDA e 127V ; Nos circuitos bifásicos identificar com rótulo de tensão de 220V (ar condicionado e chuveiros). Os Atributos Técnicos que seguem são considerados como a configuração mínima para este equipamento. Portanto, será exigido o atendimento pleno de todos estes itens, abaixo relacionados, para a classificação do equipamento ofertado pela proponente. 5. O presente documento visa especificar e orientar a execução das instalações de cabeamento estruturado na unidade dos correios em questão. A infra-estrutura para a rede estruturada e os elementos passivos (cabos, tomadas RJ-45 e acessórios) deverão ser novos e atender às especificações constantes neste anexo. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 11 DE 27

12 A rede de cabeamento estruturado deverá proporcionar aos respectivos usuários, condições de operarem sistemas de comunicações de dados e voz de forma integrada. Essa rede será considerada implantada, quando tivermos uma integração perfeita entre os elementos ativos e passivos. A contratada deverá fornecer e instalar todos os materiais e componentes necessários à execução dos serviços a fim de garantir o bom funcionamento da Solução Integrada de Cabeamento de Telecomunicações, mesmo quando não expresso diretamente. Todo ponto da rede lógica de dados deverá ser constituído por duas tomadas RJ-45 cat. 5e. Todos os cabos deverão ser instalados no interior de eletrocalhas, eletrodutos, caixas de passagens ou perfilados metálicos não se admitindo cabos expostos. Acessórios, tais como, curvas, tês de derivações e cruzetas, que serão utilizados, deverão ser confeccionadas de fábrica. Fica expressamente proibida a instalação de eletrodutos e acessórios com diâmetro inferior a ¾. Nas instalações executadas com eletrodutos deverá ser instalada uma caixa de passagem entre cada duas curvas. Caso seja aprovada oficialmente alguma norma aplicável durante a execução das obras, em substituição as citadas acima, a CONTRATADA e a CONTRATANTE deverão aprovar, de comum acordo, as alterações aplicáveis, em documento escrito, sendo vedada a CONTRATADA a execução das obras de acordo com as novas especificações, sem o referido documento. Deverão ser adotados os seguintes critérios para instalação do Cabeamento Estruturado: A polaridade dos conectores será A (esquema de conectorização T568A) de acordo com a norma EIA/TIA-568B; Todos os cabos UTP do mesmo trecho de duto deverão ser lançados simultaneamente; É proibido a reutilização de cabos UTP, para qualquer finalidade, devendo os cabos que apresentar problemas (danificados, muito curtos, etc) serem integralmente substituídos; mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 12 DE 27

13 A folga de cabo UTP deverá ser de 3m no Rack (folga=trecho de cabo enrolado na base do rack), e a folga de cabo UTP nas tomadas lógicas deverá ser de 20cm. O comprimento máximo de destrançamento do cabo UTP para a crimpagem será de 13mm, tanto na tomada lógica como no patch-panel. Normas As instalações deverão ser executadas obedecendo-se às Normas Brasileiras da ABNT e em particular as seguintes normas de especificações de Sistemas de Cabeamento Estruturado e instalações telefônicas NBR EIA/TIA B EIA/TIA A EIA /TIA TSB 95 EIA/TIA TSB-67 EIA/TIA TSB 72 IEEE Manuais de instalação de rede interna e externa da concessionária de telefonia local. Práticas Telebrás Infraestrutura do cabeamento estruturado Serão admitidas no máximo duas curvas de 90º seguidas sem caixa de passagem entre as mesmas. A distância mínima entre a tubulação lógica e qualquer tubulação elétrica será de 13 cm, exceto quando a tubulação lógica for de Ferro Galvanizado Aterrada, quando poderão ser utilizadas menores distâncias. Quando se utilizar infra-estruturas já existentes como caixas, eletrocalhas, eletrodutos, curvas, etc., estas deverão ser limpas e aspiradas para a adequação dos novos cabos, após autorização expressa emitida pela fiscalização da ECT. Todos os conjuntos de tomadas deverão manter o mesmo padrão em relação à posição relativa entre as mesmas, e a orientação dos conectores. As terminações dos eletrodutos em caixas de passagem, caixas de derivação e nos painéis de telecomunicação deverão ser executadas através de buchas, reduções e arruelas apropriadas. O dimensionamento da infra-estrutura lógica deverá atender à seguinte tabela. Não serão permitidas quantidades de cabos, no interior de eletrodutos e eletrocalhas, acima das descritas abaixo, mesmo que o fabricante do material de cabeamento oriente a passagem de mais cabos, ou que o diâmetro externo dos cabos seja inferior ao especificado: mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 13 DE 27

14 Dimensionamento de Eletrodutos e Eletrocalhas Eletroduto ½" 3/4" 1" 1 1/4" 1 1/2" 2" 2 ½ Cabos UTP Eletrocalha 25x70 30x30 38x38 50x50 100x50 150x x100 Cabos UTP CABOS UTP Deverão ser utilizados cabos de pares trançados compostos de condutores sólidos de cobre nu, 22 ou 24 AWG, isolados em composto especial. Capa externa em PVC não propagante a chama, com marcação sequencial métrica. Cabo: UTP ( Unshielded Twisted Pair ) Tipo: Categoria 5E (Norma TIA/EIA-568-B.2-1 Addendum 1) Quantidade de pares:04 Dist. Máx. permitida: 90 metros Cor: Azul Bitola Externa:~6,5 mm Referências: FURUKAWA, TELCON, NEXANS 5.2 INSTALAÇÕES EM GERAL Deverá ser passado um cabo independente para cada estação de trabalho, interligando as tomadas RJ-45 dos Patch Panels às estações de trabalho. Conforme especificado em projeto, deverão ser passados todos os cabos necessários para operacionalização dos recursos. Os referidos cabos não poderão ter emendas, dobras e partes desencapadas, em nenhuma hipótese, pois estas ocorrências alteram as características físicas dos mesmos, acarretando funcionamento inadequado da rede, de uma maneira geral. O planejamento das rotas para passagem dos cabos de distribuição horizontal deve levar em consideração fontes de emissão de sinais, ou seja, fios de energia elétrica, rádio freqüência (RF), motores elétricos, geradores, etc. Quando da coexistência de cabos de UTP e fontes de energia, conforme citado anteriormente, todos os caminhos (eletrocalhas e eletrodutos) dos cabos UTP deverão ser galvanizados e aterrados. No Patch Panel, o cabo UTP deve ter folga suficiente em seu comprimento para possibilitar a troca de porta para qualquer outra porta RJ-45 do Patch Panel. No lado da tomada da estação de trabalho, o cabo deve ter uma folga de 2m. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 14 DE 27

15 Montagem do Cabo: A fixação dos condutores do cabo UTP ao conector RJ-45 deve obedecer à seguinte polaridade (T568A): PINO COR OBSERVAÇÕES 1 Branco do par branco/verde Par 3 2 Verde Par 3 3 Branco do par branco/laranja Par 2 4 Azul Par 1 5 Branco do par branco/azul Par 1 6 Laranja Par 2 7 Branco do par branco/marrom Par 4 8 Marrom Par 4 Os cabos UTPs deverão ser conectados ao Patch Panel obedecendo a uma curvatura de raio externo de 1. Deverá ser prevista a utilização de aliviadores de tensão, nas cores padrão de identificação. Caberá à Contratada fornecer documentação sobre certificação dos cabos de distribuição horizontal da instalação através do uso de Analisador de Rede Local. Este equipamento testa várias características como interferência entre pares, atenuação, comprimento, além de outros parâmetros. Esta documentação deverá incluir a impressão de relatório gerado pelo Analisador de cada cabo UTP testado pela empreiteira. 5.3 IDENTIFICAÇÃO Os cabos deverão ser identificados utilizando marcadores (anilhas) para condutores elétricos de tal modo que estes não deslizem pelo cabo e indiquem o número do terminal de trabalho correspondente. Ref. Hellermann, do tipo Helagrip, SETON. A identificação deve ser colocada a uma distância, conforme descrita a seguir, de modo que a visualização desta não seja prejudicada, conforme descrito abaixo: 1. Distância do conector RJ-45 do lado do Patch Panel d= +/- 1,0 cm 2. Distância do conector RJ-45 do lado da estação de trabalho d= +/- 20,0 cm Do lado da estação de trabalho a identificação deverá ser seqüencial, conforme mostrado em projeto. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 15 DE 27

16 5.4 CERTIFICAÇÃO Deverão ser entregues relatórios de todos os pontos lógicos na forma impressa e também em meio magnético (CDROM). A solução e execução dos serviços de instalação do cabeamento estruturado deverão ser executadas por integrador homologado pelo fabricante que ofereça garantia mínima de 15 anos na instalação e nos componentes. A empresa contratada deverá apresentar previamente, para a fiscalização da Empresa de Correios e Telégrafos relatório impresso de, pelo menos, um ponto lógico, para que esta confira os parâmetros calibrados no aparelho e autorize a certificação dos pontos lógicos restantes. Para os componentes categoria 5E, a Certificação deverá ser realizada com equipamento Analisador de Rede Local de acordo com as Normas TIA/EIA-568- B.2-1, TIA/EIA-568-B.2 e TIA/EIA-568-B.1. Os itens que deverão constar no relatório de certificação com o os parâmetros da norma serão: Mapeamento de fios (wire map) Comprimento Inserção de sinal NEXT PS NEXT ELFEXT PS ELFEXT Return loss Propagation delay Delay skew 5.5 RACK E SEUS COMPONENTES O RACK deverá possuir altura de 24U, para instalação no piso, os perfis laterais deverão ser em chapa de aço, bitola 18, removíveis e o seu fechamento será através de fecho tipo manopla, tetos, laterais e tampa traseira em aço bitola 18, venezianas laterais para ventilação, base soleira em chapa de aço bitola 14, acompanhado com porta em aço/acrílico, chaves, segundo plano, fundo, parafusos e porcas para fixação. Acessórios elétricos: Alimentação elétrica dos equipamentos executada por meio de uma calha contendo no mínimo quatro tomadas 2P+T, 250 V, 10 A. A calha deverá possuir orifício nas extremidades para fixação na estrutura do rack e cabo flexível PP 3x2,5 mm², com 2,5 m de comprimento e plug macho 2P+T. O acabamento da calha deverá ser em alumínio anodizado. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 16 DE 27

17 Demais acessórios: fornecer e instalar tampa superior (teto chapéu) com dois ventiladores ou fornecer rack com as devidas furações para dois ventiladores, organizadores de cabos e duas bandejas para instalação de modem e de um mini-nobreak. Serviços inclusos: Instalação do rack no local indicado em projeto. Deverão ser fornecidos os kit s de fixação dos elementos no interior do rack, cada kit é composto por parafuso cabeça panela Philips M5x15, arruela lisa M5 e porca M5 com gaiola de aço. Fornecimento e instalação de dois ventiladores para exaustão PATCH PANEL 24P Serão utilizados Patch Panels modulares de 19, para fixação em rack aberto, do tipo interconexão (interconnection), com portas RJ-45 fêmeas (jack), de 8 vias, categoria 5e, com conexão tipo IDC para condutores de 22 a 24 AWG e polaridade T568A. O painel frontal deverá ter pintura de alta resistência a riscos. Deverá possuir suporte traseiro para braçadeiras, possibilitando a amarração dos cabos. Ref.: FURUKAWA, AMP, LINDY. Identificação: Deverão ser utilizadas plaquetas de identificação, encaixadas na parte frontal dos Patch Panels, para identificação externa dos pontos. Serviços inclusos: Fornecimento e instalação dos Patch-panels, acessórios de fixação e crimpagem dos cabos horizontais nos terminais PATCH CORDS e PATCH CABLES Fornecimento e instalação de Patch cords de 1,5m, categoria 5E, na cor azul para interconexão dos pontos nos Patch Panels ao switch; de patch cords de 2,5m, categoria 5E, cor azul, para ligação dos equipamentos de telecomunicações nas áreas de trabalho; Serão utilizados cabos de cobre não blindados (UTP), categoria 5E, flexíveis, com 4 pares trançados, com conectores RJ-45 machos (plugs) na polaridade T568A, para os patch cords. Os patch cords deverão ser confeccionados e testados em fábrica, devendo ser apresentada certificação de categoria 5E do fabricante. Ref.: FURUKAWA, TELCON, NEXANS. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 17 DE 27

18 5.5.3 SWITCH 24 PORTAS (GERENCIÁVEL EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS O switch a ser fornecido deverá atender às seguintes especificações: REQUISITOS ESSENCIAIS (MÍNIMOS OBRIGATÓRIOS) Objetivo Composição do nível de Distribuição/Acesso da rede. ATRIBUTO Descrição Gabinete Endereços MAC Latência Conectores dos Módulos fast- Ethernet Comunicação na Pilha Compatibilidade Gerenciamento Agregação de Enlaces Outros Quantidade 01 (um) Switch a ser fornecido. Ref.: DLink DES-3526 GERENCIAVEL ou similar CONFIGURAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA Switch, com 24 portas 10/100 BASE-TX e conectores RJ-45 fêmea, obedecendo ao disposto no descritivo dos itens que seguem esta descrição. Switch para ser instalado em Rack de 19. Devem vir acompanhados de kit de suporte específico para montagem em Rack de 19 ; Tabela de endereços MAC com capacidade para, no mínimo, 8000 endereços. Os módulos deverão trabalhar em velocidade wirespeed ou possuir tempo de latência igual ou inferior a 10 µs. Deverão ser do tipo RJ-45 fêmea sem conversores intermediários; Havendo necessidade de expansão, a comunicação entre o Switches da pilha deverá ser através de interfaces de, no mínimo, 1 Gbps. Suporte aos seguintes protocolos e padrões: Padrão Ethernet IEEE 802.3; Padrão Fast-Ethernet IEEE 802.3u; Padrão Gigabit-Ethernet IEEE 802.3z; Priorização de tráfego de acordo com o IEEE 802.1p; VLANs segundo o IEEE 802.1Q; Controle de fluxo, padrão IEEE 802.3X; Spanning Tree de acordo com o padrão IEEE 802.1d; Mecanismo de convergência rápida para o protocolo spanning tree. Suporte ao protocolo SNMP v1, MIB II, RMON (no mínimo,4 grupos nativos) Suporte a agregação de enlaces, possibilitando que até 4 enlaces Fast- Ethernet operem como um único link lógico com balanceamento de carga; Suporte a agregação de enlaces possibilitando que até 2 enlaces Gigabit Ethernet, operem como um único link lógico com balanceamento de carga; Deve implementar controle de broadcast por porta; Deve implementar IGMP snooping, CGMP ou similar; Deve apresentar empilhamento resiliente, permitindo que, em caso de falha de um dos equipamentos, a pilha continue funcionando; Deve permitir a substituição de equipamentos sem interrupção do funcionamento da pilha; Deve permitir o espelhamento de tráfego entre portas; Deve prover, no mínimo, 2 filas de prioridade por porta; mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 18 DE 27

19 5.6 ELETRODUTOS, ELETROCALHAS E CONEXÕES E CAIXAS DE PASSAGEM E DERIVAÇÃO. As tubulações deste sistema (eletrodutos, perfilados e eletrocalhas) deverão ser executadas observando as mesmas recomendações descritas para as instalações elétricas. 5.7 TOMADAS RJ-45 Para cada ponto de cabeamento estruturado serão instalados 02 (dois) conectores modulares de 8 pinos, fêmea, padrão RJ-45(Cat. 5e), sem blindagem, com terminais de conexão em cobre berílio, estanhados, padrão 110 IDC, para condutores de 22 a 26 AWG. Corpo em termoplástico de alto impacto não propagante á chama. Ref.: ADC/KRONE, AMP, IRIEL. Os espelhos das tomadas embutidas em parede deverão ser da linha modular, cor branca. Ref.: IRIEL, PIAL, SIEMENS. Para as tomadas aparentes, deverá ser utilizada a tampa específica para a caixa de derivação (petrolete). Serviços inclusos: Fornecimento e instalação de tomadas completas, inclusive crimpagem e espelhos, com todo serviço necessário para sua perfeita instalação. Todo conjunto de tomadas RJ-45 deverá possuir uma identificação externa com a numeração do ponto correspondente ao do patch panel. Exemplo: PT-01, PT- 02,.... Essa identificação deverá ser realizada em material resistente a ação do tempo; uma amostra deverá ser enviada para prévia autorização da Empresa de Correios e Telégrafos. 5.8 INSTALAÇÕES TELEFÔNICAS A contratada deverá executar as instalações telefônicas dessa unidade em conformidade com as orientações seguintes. Caso a unidade não esteja vinculada a um imóvel comercial coletivo, a contratada deverá executar uma entrada telefônica independente para esta, seja via rede subterrânea seja via rede aérea, até o Quadro Telefônico (QT). Caso contrário, a contratada deverá executar a interligação do Distribuidor Geral Telefônico (DG) do imóvel ao QT da unidade. São também, de responsabilidade da contratada todos os serviços necessários exigidas pela concessionária para ligação da unidade. A execução dos serviços deverá atender aos manuais de rede interna e rede externa elaborados pelas concessionárias de telefonia local e orientações técnicas oriundas das mesmas. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 19 DE 27

20 A Contratada deverá entregar todo o sistema em perfeitas condições de funcionamento e totalmente regularizado com relação às normas da ABNT e a concessionária telefônica local. A taxa de ocupação dos cabos instalados e/ou lançados nos eletrodutos, canaletas, eletrocalhas, Rack, curvas, caixas de passagem, caixas de derivação e caixas de terminação deverá obrigatoriamente atender a Norma EIA/TIA569A, ou seja, taxa de ocupação máxima de 40%. Para a unidade vinculada a imóvel coletivo deverá ser instalado um cabo tipo CI P DG telefônico ao QT da unidade. Caso seja independente, deverá ser deixada a tubulação seca com arame galvanizado, #12 BWG, entre o ponto de derivação da rede da concessionária e o QT para posterior instalação do cabo de entrada a ser efetuado pela própria concessionária. A partir do QT da unidade deverá ser lançado um cabo CI-50-10P até o patch panel de telefonia a ser instalado no RACK, um cabo CCI-50-2P até o RACK para posterior ativação do canal de dados e um cabo CCI-50-2P até a Central de Alarme desta unidade. Os serviços de instalação dos cabos no DG e no QT pela contratada deverão ser executados utilizando e instalando: Anéis-guia; Todos os pares identificados; Elementos de fixação apropriados; Blocos de Conexão Para as terminações dos cabos da rede telefônica da concessionária local e os da rede interna deverão ser utilizados blocos de conexão tipo engate rápido, BER M10B, no QT e no DG, e patch panel 24P no Rack. Módulos Protetores contra surtos MPEI R apropriado para bloco M10B, devendo ser fornecidos e instalados 10 (dez) unidades no bloco M10B tipo Corte conforme especifica o projeto. Referências: Krone, Bargoa. 5.9 QUADRO TELEFÔNICO Instalação de quadro telefônico, tipo sobrepor ou embutir, 40x40, padrão Telebrás, conforme projeto. Deverá ser instalado no interior do DG e/ou QT: 02 (dois) blocos de conexão tipo engate rápido, BER-M10B, com suporte e acessórios de fixação e identificação, sendo um do tipo Conexão e outro do tipo Corte com instalação de 10 módulos protetores contra surtos MPEI R ou similares. O quadro telefônico, bem como o RACK, deverão possuir suas partes metálicas aterradas através de um condutor de cobre isolado, 450/750V, flexível, cor verde, de 6mm2 que deverá ser derivado da barra TERRA do QDG da unidade. mal/sbb ESPECIFICAÇÕES - AMAZONAS PÁGINA 20 DE 27

ESPECIFICAÇÕES I N STAL AÇ Õ E S E LÉTRI C AS AR C O N D I CI ONAD O

ESPECIFICAÇÕES I N STAL AÇ Õ E S E LÉTRI C AS AR C O N D I CI ONAD O ESPECIFICAÇÕES I N STAL AÇ Õ E S E LÉTRI C AS C AB E AM E N T O ESTRUTURAD O AR C O N D I CI ONAD O CONSTRUÇÃO AC ANORÍ / AM RUA MANOEL PINTO BRANDÃO, S/Nº-CENTRO ANORÍ-AM CEP 69.440-970 GEREN/DR/AM MANAUS

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS Tipo: Gabinete Rack do tipo bastidor com porta e ventilação forçada 24U x 19"x 670mm, com porta de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES- DR/GO

REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES- DR/GO C A D E R N O D E E S P E C I F I C A Ç Õ E S I N S T A L A Ç Õ E S E L É T R I C A S C A B E A M E N T O E S T R U T U R A D O REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES- DR/GO S E Ç Ã O D E P R O J E T O S E O

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS BÁSICOS FL. 01/12

PLANILHA DE SERVIÇOS BÁSICOS FL. 01/12 FL. 01/12 REGIÃO I estimados R$ Sub Total BDI 1 2 Execução de infra-estrutura para a instalação de ponto elétrico duplo (rede comum ou estabilizada), até 1.500 W. partindo do quadro elétrico até qualquer

Leia mais

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CAMPUS CAMPO LARGO 1 IDENTIFICAÇÃO Obra: Reforma de Laboratórios e Salas de Aula. Local: Rua Engenheiro Tourinho, 829 Vila Solenen. Campus: Instituto Fed. de Ciência

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA APRESENTAÇÃO As especificações contidas neste memorial são referentes às instalações de cabeamento estruturado do prédio sede do Tribunal Regional do Trabalho 12ª Região TRT, localizado na Av. Jorn.Rubens

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E DE TELEFONIA DA SALA TÉCNICA (D) E NOVA SALA DO CENTRO DE OPERAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ETAPA I 0 DESPESAS INICIAIS, TAXAS DIVERSAS E ADMIN. LOCAL - - - - - - 0.1 Despesas iniciais e Taxas diversas - - - - - - 0.1.1 Despesas iniciais 0.1.1.1 Despesas iniciais de mobilização unid - - - - -

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE Contratante: PEFORMANCE Obra: BANGU Local: RUA 405 RIO DE JANEIRO RJ Arquivo: PERFORMANCE 0-ELE-PE-2-DOC-ESPC Emissão

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA Tipo: Quadro de medição completo com TC (transformador de corrente) para medição em baixa tensão, compatível com

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973 ANEXO III ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REDE DA DADOS LOCAL OBRA: CASA DA DUQUE - PINACOTECA ALDO LOCATELLI LOCAL: Rua Duque de Caxias, n. 973 - Porto Alegre (RS) PROPRIETÁRIO: EPHAC TENSÃO PRIMÁRIA DE ABASTECIMENTO:

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente (Equipamentos e Suprimentos de Informática), para 001 081266-9 CABO UTP CAT5E FLEXíVEL, CAIXA COM 300MT Lote 1- Destino: Uinfor CX 30 002 113294-5

Leia mais

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED Aplicações imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect)

Leia mais

ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço

ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço ITEM DESCRIÇÃO UNID QTDE VALOR VALOR MÃO VALOR MÁXIMO

Leia mais

SERVIÇOS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO. Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT

SERVIÇOS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO. Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT Endereço: Restaurante Popular Av. das Embaúbas - Centro Sinop - MT Memorial Descritivo_Restaurante Popular Sinop

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: ELÉTRICO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. GENERALIDADES... 03 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS... 04 3. DESCRIÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo CONVITE N. 44/2012 MEMORIAL DESCRITIVO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE AJUSTES E CORREÇÕES EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DO SESC COMÉRCIO, PARA INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS DE

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CABEAMENTO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CABEAMENTO MEMORIAL DESCRITIVO DE CABEAMENTO PROPRIETÁRIO: Ministério Público de Patos Promotoria de Justiça da Comarca de Patos ENDEREÇO: Doutor Pedro Firmino, Patos PB BAIRRO: CEP: E-mail do contratado: projeto_cad@hotmail.com.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, LÓGICA E ELÉTRICA DA LÓGICA, PARA A OBRA DE CONSTRUÇÃO SENAI CRUZEIRO DO SUL.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, LÓGICA E ELÉTRICA DA LÓGICA, PARA A OBRA DE CONSTRUÇÃO SENAI CRUZEIRO DO SUL. SRVIÇOS LTDA LUCNA SPCIFICAÇÕS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕS LÉTRICAS, LÓGICA LÉTRICA DA LÓGICA, PARA A OBRA D CONSTRUÇÃO SNAI CRUZIRO DO SUL. INTRODUÇÃO O presente memorial enfoca o Projeto de Instalações létricas

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO ESCOLA MUNICIPAL JOÃO DA COSTA VIANA FOZ DO IGUAÇU JUN/07 2 Responsável Técnico Paulo Roberto Bianchi Engenheiro Eletricista CREA-RJ 27719/D..

Leia mais

158516.182014.137447.4474.277995780.540

158516.182014.137447.4474.277995780.540 158516.182014.137447.4474.277995780.540 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Santa Catarina Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Ata de Realização do Pregão Eletrônico

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Power Engenharia CLIENTE: ÁREA: N O: MD-003-CREA-2014 Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1 de 14 POWER ENGENHARIA ELÉTRICA E TELECOM.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PCU Prefeitura do Câmpus-Sede DOP Diretoria de Obras e Projetos

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PCU Prefeitura do Câmpus-Sede DOP Diretoria de Obras e Projetos Obra: Data Validade Bloco G80 - Centro de Ciências Biológicas (CCB) 10-abr-08 abr-08 Área: 3.812,56 m² Rubrica 3ª Etapa JMA Valores Item Discriminação Un. Quant. Unitário Total 01 SERVIÇOS PRELIMINARES

Leia mais

ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS

ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS Objetivo Página 1 de 6 O presente documento destina-se à execução de reformas necessárias a instalação dos No-Breaks com banco de baterias, a serem

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CABEAMENTO ESTRUTURADO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SERGIPE -

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO TELECOMUNICAÇÕES

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO TELECOMUNICAÇÕES REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO TELECOMUNICAÇÕES Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO TELECOMUNICAÇÕES OBRA: Reforma Sala do Núcleo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS NECESSÁRIOS À READEQUAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E METÁLICO DE VOZ DO AEROPORTO DE BAGÉ TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Coordenadoria Administrativa Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DA REFORMA ELÉTRICA Unidade de Trabalho: 20ª COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO.

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. Ao Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac - Administração

Leia mais

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC FIBRAS ÓPTICAS E ACESSÓRIOS LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA B5NX-CNC PRODUTOS INJETADOS Catálogo de MARCAS DISTRIBUÍDAS Produtos R A Division of Cisco Systems, Inc. RACKS E ACESSÓRIOS Linha

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBRA: C.M.E.I TIA JOVITA LOCAL: RUA PARACATU C/ RUA 4 C/ AVENIDA CRUZEIRO DO SUL - VILA PEDROSO. GOIÂNIA / GO. 1 1.0 - MEMORIAL DESCRITIVO.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1. INTRODUÇÃO O presente memorial refere-se ao projeto de instalações elétricas Espaço Vivencia do IEE- USP, localizado na Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289. Cidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO CABEAMENTO ESTRUTURADO IFRS- POA-PORTO ALEGRE LABORATÓRIO BLOCO B

MEMORIAL DESCRITIVO DO CABEAMENTO ESTRUTURADO IFRS- POA-PORTO ALEGRE LABORATÓRIO BLOCO B DO CABEAMENTO ESTRUTURADO IFRS- POA-PORTO ALEGRE LABORATÓRIO BLOCO B Goiânia, 30 de Setembro de 2014. OBRA: IFRS- POA- Porto Alegre Laboratório Bloco B LOCAL: Rua Coronel Vicente, 281, Bairro Centro, Porto

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA CRBio1

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA CRBio1 Página 1 de 8.. MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS BÁSICOS: NOME: PROJETO ELÉTRICO LOCAL: CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA (CRBio1) MUNICIPIO: CAMPO GRANDE MS 2. PRELIMINARES: Para execução de todos os projetos

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias NOVOS Disjuntores RX 3 A solução ideal para instalações residenciais e terciárias Ambiente Residencial - área úmida Ambiente Residencial Soho - Pequeno Escritório ou Home Office Ambiente Residencial -

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais FL.: 1/16 REV.: 00 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA INSTALAÇÃO ELÉTRICA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Básica Coordenadoria Administrativa Financeira Engenharia SEDUC MEMORIAL DESCRITIVO Unidade de Trabalho: CREDE 13-CRATEÚS Obra: REFORMA ELÉTRICA Engenheiro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF MÊS DE REFERÊNCIA JULHO/ 2015 BDI 20% Item Discriminação Unid. Quant. 1 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PCU Prefeitura do Câmpus-Sede DOP Diretoria de Obras e Projetos

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PCU Prefeitura do Câmpus-Sede DOP Diretoria de Obras e Projetos Obra: Data Validade Bloco C34 - DIDÁTICO (CSA) 29-abr-08 abr-08 Área: 3.428,07 m² Rubrica 3ª Etapa LDZ Valores Item Discriminação Un. Quant. Unitário Total 01 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 Placa da obra (1,00x2,00)m

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

CARTA CONVITE FUnC 02/2014

CARTA CONVITE FUnC 02/2014 CARTA CONVITE FUnC 02/2014 A FUnC encaminha a presente Carta Convite, para se houver interesse, participar do processo de fornecimento do seguinte serviço: ABERTURA DE PROPOSTAS PARA APRESENTAÇÃO DE PREÇOS

Leia mais

CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS

CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS 1. MEMORIAL DESCRITIVO a) As instaiaçoes serão executadas em condições totalmente operacionais, sendo que o fornecimento de materiais, equipamentos

Leia mais

Exemplo de uma planta de distribuição elétrica utilizando parte da simbologia acima.

Exemplo de uma planta de distribuição elétrica utilizando parte da simbologia acima. TOMADA NO PISO PONTO DE FORÇA 2 3 3w 4w INTERRUPTOR DE 1 SEÇÃO INTERRUPTOR DE 2 SEÇÕES INTERRUPTOR DE 3 SEÇÕES INTERRUPTOR THREE-WAY PARALELO INTERRUPTOR FR-WAY INTERMEDIÁRIO ACIONADOR DE CIGARRA CIGARRA

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

0(025,$/'(6&5,7,92. (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27(

0(025,$/'(6&5,7,92. (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27( 35(* 235(6(1&,$/683$71ž 0(025,$/'(6&5,7,92 (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27( As presentes especificações estabelecem os requisitos mínimos a serem obedecidos no fornecimento e instalação dos materiais

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO ITEM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DESCRIÇÃO MATERIAL ÓRGÃO LICITANTE UASG DATA 19/2012 25 ADAPTADOR, TENSÃO NOMINAL 127/220 V, CONEXÃO TOMADA MACHO NBR14136 PARA TOMADAFÊMEA 2P + T, CORRENTE NOMINAL

Leia mais

SINAPI PLANILHA DE ORÇAMENTO. Obra: TRT019-14/MANUTENÇÃO CABEAMENTO. Base: Janeiro/2014 Empresa Proponente: Valor: R$ 1.836.695,55 Utilização: 0,00%

SINAPI PLANILHA DE ORÇAMENTO. Obra: TRT019-14/MANUTENÇÃO CABEAMENTO. Base: Janeiro/2014 Empresa Proponente: Valor: R$ 1.836.695,55 Utilização: 0,00% Obra: TRT019-14/MANUTENÇÃO CABEAMENTO PLANILHA DE ORÇAMENTO Empresa Proponente: Valor: R$ 1.86.695,55 Utilização: 0,00% 1. INFRAESTRUTURA COMUM 1. 1. ELETRODUTOS/PERFILADOS/ELETROCALHAS/CANALETAS 1. 1.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. 1 I INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE GOIÁS. 1.0 - DADOS BÁSICOS: 1.1 - Edifício: Prédio

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO III PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO PARA REDE LOCAL DE MICROCOMPUTADORES 1.Objetivo Este projeto tem por objetivo descrever a instalação de cabeamento de rede lógica no edifício-sede da

Leia mais

Planilha Estimativa de Orçamento

Planilha Estimativa de Orçamento Item 1. INFRAESTRUTURA COMUM Planilha Estimativa de Orçamento Descrição do Material Qtde. Unid. 1. 1. ELETRODUTOS/PERFILADOS/ELETROCALHAS/CANALETAS 1. 1. 1. SEAL TUBE.1 ELETRODUTO FLEXIVEL DE ACO ZINCADO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Projeto Elétrico Descritivo CRESS

MEMORIAL DESCRITIVO Projeto Elétrico Descritivo CRESS MEMORIAL DESCRITIVO Projeto Elétrico Descritivo CRESS Curitiba PR Março de 2014 Sumário 1. Introdução... 3 1.1 Local da Obra... 3 1.2 Referências Normativas... 3 2. Objeto... 4 2.1 Hall... 4 2.2 Recepção...

Leia mais

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin Dutos de Piso... 27 Modelos... 27 Caixas de passagem... 31 Caixas de tomada... 35 Derivações... 39 Tomadas de piso - Latão/Cromado/Nylon... 42 Espelho para pisos... 43 Caixa de alumínio... 44 Distribuição

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC CONTATO E-MAIL: implantacao@redecidadania.ba.gob.br VERSÃO 9.0 MAIO / 2015 ESPECIFICAÇÕES DO ESPAÇO DO CDC Para a implantação do CDC é necessário encontrar

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

CANALETA EM ALUMÍNIO APARENTE LINHA PREMIUM

CANALETA EM ALUMÍNIO APARENTE LINHA PREMIUM CANALETA EM ALUMÍNIO APARENTE LINHA PREMIUM CANALETA 156/3 (150 X 60 mm) - 3 seções 0% BRASILEIRA Características das canaletas de alumínio Blindagem eletromagnética devido à liga 6060 - T5, eliminando

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1. INTRODUÇÃO Este memorial tem por objetivo descrever os serviços a serem executados, requisitos de segurança e os materiais a serem aplicados na reforma das

Leia mais

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP)

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) 8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015 Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) Às 09:30 horas do dia 30 de junho de 2014, reuniram-se o Pregoeiro Oficial

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais Resumo 24,80 Descrição 1,0 Iluminação 2,0 Iluminação Externa 3,0 Tomadas Comuns 4,0 Ar Condicionado 5,0 Tomadas de Informática 6,0 Alimentadores Total sem Iluminação Descrição Interruptores Interruptor

Leia mais

Anexo XII - Planilha de COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO

Anexo XII - Planilha de COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO PROCESSO / Nº 002/2012 7.0 COBERTURA 7.2 Cobertura em telha Gravicolor - Brasilit (M2) Ajudante de telhadista H 0,220000 3,04 0,67 Telhadista H 0,220000 4,12 0,91 1,58 Telha Gravicolor M2 1,230000 60,37

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CADERNO DE MEMORIAL DESCRITIVO EQUIPAMENTOS DE VENTILAÇÃO LOCAL: FORTALEZA-CE UNIDADE: RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO DATA: JANEIRO/2010 AUTOR: ADERBAL COSTA ARAÚJO ENG MECÂNICO

Leia mais