Refrigeração comercial Controles de temperatura

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Refrigeração comercial Controles de temperatura"

Transcrição

1 Refrigeração comercial Controles de temperatura CONHECIMENTO DO PRODUTO UNI-LINE Todos os direitos reservados. Os nomes, logotipos e slogans que identificam os produtos e serviços da são marcas de propriedade da ou de suas subsidiárias. Todas as marcas comerciais e marcas de serviço de terceiros são marcas de propriedade de seus respectivos donos

2 Assuntos que cobriremos nesta Sessão Visão geral de refrigeração Fundamentos do sistema de refrigeração Diferenciais Cortes do mínimo e cortes do máximo Tubos capilares Características do produto ETC Controles de frio Resolução de problemas Literatura Website Perguntas & Respostas

3 Quais as diferenças entre condicionamento de ar e refrigeração comercial? Os princípios científicos são os mesmos, porém os sistemas de refrigeração são: Tempo de operação 24 / 7 Ciclos de descongelamento Alterações na carga A conservação de energia é importante em sistemas de corrente alternada No entanto, ela é ainda mais crítica em aplicações de refrigeração comercial

4 Termos técnicos e definições PSIG Pounds per Square Inch Gauge (Libras por polegada quadrada manométrica) PSIA Pounds per Square Inch Absolute (Libras por polegada quadrada absoluta) BTU British Thermal Unit (Unidade térmica britânica) Condução Fluxo de calor com sólidos Convecção Fluxo de calor com fluidos (ou gás) Radiação Fluxo de calor com ar (ou espaço) Superaquecimento Calor adicionado a um refrigerante no evaporador imediatamente após sua mudança de líquido para gás até o compressor Sub refrigeração Diferença de temperatura no condensador imediatamente após sua mudança de gás para líquido até o dispositivo de expansão TXV Thermal Expansion Valve (Válvula de expansão térmica) Compressor Bomba ou dispositivo mecânico que aumenta a pressão dos gases

5 Termos técnicos e conceitos Termodinâmica refrigerante - Transferência de calor de um local onde ele não seja desejado para um local onde ele não seja indesejado. Sistema de descongelamento a gás quente O refrigerante quente é bombeado diretamente para a tubulação do evaporador. O tempo de descongelamento é geralmente de 5 a 10 minutos. Regras do calor O calor sempre se move de uma superfície quente para uma mais fria O calor sempre se move de três maneiras; condução, convecção ou radiação Quando uma substância refrigerante ferve, ela absorve calor Quando uma substância refrigerante se condensa, ela rejeita calor

6 Sistema de refrigeração Controle de pressão Controle de descongelamento Controle de temperatura Controles de frio

7 Diferenciais Pequeno diferencial (10 F (-12,2 ºC) ou menos) Quando se deseja um pequeno diferencial Mantém rigorosamente entre 5 e 6 F (-15 e -14,4 ºC) Normalmente utilizado para aplicações de sensores de ar Grande diferencial (10 F (-12,2 ºC) ou mais) Necessário devido à variação nas temperaturas do evaporador entre o compressor Ligado e Desligado Refrigeradores domésticos e ares condicionados ambientes Normalmente utilizados para detectar a temperatura da bobina do evaporador

8 Operação de refrigeração de corte do mínimo e de corte do máximo Modo de corte do máximo: Diferencial acima do ponto de ajuste O relé de saída é energizado quando a temperatura aumenta até o ponto de ajuste mais a válvula diferencial Quando a temperatura cai até o ponto de ajuste, o relé é desenergizado Modo de corte do mínimo: Diferencial abaixo do ponto de ajuste O relé de saída é energizado quando a temperatura aumenta até o ponto de ajuste Quando a temperatura baixa até o ponto de ajuste menos a válvula diferencial, o relé é desenergizado

9 Termos e definições (continuação) Controles constantes de corte do mínimo (série A30) Projetado para refrigeradores frost free Utilizado em coolers e em balcões expositores Controles diferenciais de corte do mínimo (série A12) Este tipo de controle oferece um diferencial ajustável Ao girar o indicador do mostrador para a posição mais fria somente a temperatura de corte do máximo será alterada e o diferencial será ampliado Tubo capilar O gás do tubo capilar reage a alterações de temperatura Ativa o diafragma de elemento de energia para acionar o mecanismo de alternação

10 Exemplo de refrigeração de corte do mínimo e de corte do máximo Temperatura desejada (Modo de corte do máximo) Temperatura desejada (Modo de corte do mínimo)

11 Termos e definições (continuação) Dois tipos de controles de frio: Diferencial constante Corte constante do mínimo Aplicações Refrigeradores de água Máquinas de refrigerante Balcões expositores O diferencial constante também é chamado de "controle de faixa reta" Projetado para refrigeradores e freezers domésticos

12 Corte constante do mínimo com mostrador

13 Bulbos capilares sensores Os tubos capilares detectam a partir do ponto de exposição mais frio Os tubos capilares com bulbo detectam somente a partir do bulbo A parte do bulbo dos tubos capilares A22 e A30 deve ser montada com a extremidade da ponta direcionada para cima em um ângulo de 65 em relação à vertical Os elementos sensores do A22 e do A30 contêm refrigerante líquido de vapor saturado e são sensíveis a alterações de pressão barométrica Os elementos sensores C12 e C17 contêm bulbos cheios de líquido para um controle preciso da temperatura Os bulbos C12 e C17 podem ser orientados em qualquer posição

14 Mecânica dos tubos capilares

15 Eletrônica dos tubos capilares

16 Controle de temperatura capilar exclusivo Vapor limitado - elemento de detecção de preenchimento Detecção direta pelo capilar Pode ser utilizado quando a detecção desejada estiver no ponto mais frio ao longo do capilar (incluindo o próprio corpo de controle) Todo o controle localizado onde ele irá detectar a temperatura do utensílio

17 Aplicações para os controles de temperatura Máquinas de gelo Balcões expositores Refrigeradores/freezers verticais Câmaras de refrigeração/ congelamento Refrigeradores de bebidas Unidades condensadoras

18 Controle eletrônico de temperatura (ETC) Precisão eletrônica Ampla faixa (-30 a 220 F) (-34 a 104,4 ºC) Opções variadas de diferenciais Fácil instalação Fácil programação Exibição clara da temperatura Sem jumpers Preferência das contratadas Detecta até a distância 400 pés Calcula a média de vários sensores

19 Aplicações de ETC It Just Makes Sense (Simplesmente faz sentido) Freezers expositores e coolers verticais para lojas de varejo Balcões expositores de supermercado para frutas, verduras e carnes Câmaras de refrigeração/congelamento para lojas de varejo Controle de operação da caldeira (utilizado como termostato) Ciclagem ou paragem do ventilador do condensador Controle da bomba e do ventilador da torre de refrigeração Controle da temperatura do espaço e do ar de retorno Refrigeradores de leite a granel Granjas e estábulos

20 Os cinco melhores acionadores de ETC Ranco Controle eletrônico de temperatura baseado em microprocessador Projetado para oferecer controle Liga e Desliga para AVACR comercial Número da peça Tensão (CA) Etapas Gabinete ETC /240 1 Padrão ETC Padrão ETC Padrão ETC /240 2 Padrão ETC /240 1 NEMA 4X

21 Comparação do Fabricante O controle eletrônico de temperatura Ranco é fácil de usar! Não requer jumpers Programação simples Johnson A419 Proteção do ciclo curto Opção de seletor externo de mudança de ponto de ajuste O LED acende quando o relé estiver energizado Inclui 3 jumpers de configuração Programação difícil de lembrar

22 Fabricantes de controle de temperatura Johnson Controls Penn White-Rodgers Saganomia (Danfoss) G.E. - Série Art Falsificações asiáticas Sunne Peco Ranco

23 Instalação do controle ETC Monte a unidade na parede ou sobre uma superfície plana Reveja o diagrama típico de instalação elétrica para tensão de linha Determine o local do sensor Programe 4 etapas simples

24 Resolução de problemas de mensagens de erro E1 aparece quando a tecla de seta para cima ou de seta para baixo é pressionada Se E1 aparecer sem que nenhuma tecla seja pressionada, substitua o controle E2 aparece se as configurações de controle não estiverem devidamente armazenadas na memória Verifique todas as configurações e corrija se necessário EP aparece quando a sonda é aberta, curto-circuitada, ou quando ela detecta uma temperatura fora da faixa Verifique se a temperatura detectada esta fora da faixa. Em caso negativo, verifique se há danos na sonda comparando-a com uma temperatura ambiente conhecida entre -30 F e 220 F (-34 a 104,4 ºC). Substitua a sonda se necessário. EE aparece se os dados da memória EEPROM tiverem sido corrompidos Essa condição não pode ser reparada em campo. Substitua o controle CL aparece se o modo de calibração foi inserido. Desconecte a alimentação do controle por, pelo menos, cinco segundos. Reconecte a alimentação. Se a mensagem CL voltar a aparecer, substitua o controle

25 Aplicações para os controles de frio Máquina de gelo Controle de nível do compartimento de gelo Coleta de gelo Refrigeração comercial Doméstica Refrigeradores de água Séries A e CC Séries K e RC Controles de frio série 9500 A série 3030 é de Uni-kit

26 Folheto de vendas do controle de frio Folheto de vendas do controle de frio Inglês e espanhol

27 Catálogo de Refrigeração comercial Peça o folheto de refrigeração comercial com controles de temperatura:

28 Pergunta de teste N. 1 Qual a faixa de temperatura dos controles eletrônicos de temperatura (ETC) Ranco? A. -50 F a 0 F B. -30 F a 220 F C. -30 C a 220 C

29 Pergunta de teste N. 2 Que voltagens estão disponíveis na família de produtos ETC? A. 120V CA B. 240V CA C. 24V CA D. Todas as alternativas anteriores 29 6/24/2013

30 Ferramentas do Website: Pesquisa de números de produto Referência cruzada Clique aqui para mais informações

31 Quando tiver perguntas sobre a Uni-Line Telefone: Serviço técnico Serviço técnico Fax Atendimento ao cliente Atendimento ao cliente Fax Websites: Catálogo da Uni-Line Referência cruzada: Informações gerais para: Robertshaw, Paragon, Eliwell, Ranco e Publication Zone Robertshaw Paragon, Ranco, Eliwell, Uni-Line e Make the Connection são marcas de propriedade da ou de suas subsidiárias. Todas as marcas comerciais e marcas de serviço de terceiros são marcas de propriedade de seus respectivos donos Controls. Todos os direitos reservados

Fundamentos da refrigeração comercial

Fundamentos da refrigeração comercial Fundamentos da refrigeração comercial CONHECIMENTO DO PRODUTO UNI-LINE 2012 Invensys. Todos os direitos reservados. Os nomes, logotipos e slogans que identificam os produtos e serviços da Invensys são

Leia mais

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração CICLOS DE REFRIGERAÇÃO Os ciclos mais usados, na seqüência, são: Ciclo de refrigeração por compressão de vapor Ciclo de refrigeração por absorção O ciclo é constituído dos seguintes processos sucessivos:

Leia mais

ERRO. Ao ligar e se deparar com o erro E4, devem ser feitos os testes abaixo indicados antes de trocar a placa da evaporadora:

ERRO. Ao ligar e se deparar com o erro E4, devem ser feitos os testes abaixo indicados antes de trocar a placa da evaporadora: ERRO E-4 O erro ocorre quando o sensor de imersão da serpentina da evaporadora informa à placa principal da própria evaporadora que a serpentina está numa temperatura anormal (ou muito fria ou muito quente

Leia mais

Evaporadores. Ciclo de refrigeração

Evaporadores. Ciclo de refrigeração Evaporadores Ciclo de refrigeração Evaporadores Função Extrair calor do meio a ser resfriado (ar, água ou outra substância). Processo Mudança de estado do gás refrigerante, da fase líquida para a fase

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

ATENÇÃO! Etapa da seqüência. ativados

ATENÇÃO! Etapa da seqüência. ativados ATENÇÃO! ESTA UNIDADE POSSUI UMA PLACA DE CONTROLE E INSTALADA. PEÇA HOSHIKAZI NÚMERO 2A0836-02. A placa E inclui dispositivos de segurança com luzes LED e alarmes sonoros. O LED vermelho indica a voltagem

Leia mais

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases

Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases Sistemas de Condicionamento da Amostra para Análise de Gases V1 O queéum Sistemade Condicionamento? O Que é um Sistema de Condicionamento? Amostra do Processo? Analisador Sistema de Condicionamento O sistema

Leia mais

Springer - Carrier. Índice

Springer - Carrier. Índice Índice Página 1 - Diagnóstico de Defeitos em um Sistema de Refrigeração... 8 1.1 - Falha: Compressor faz ruído, tenta partir, porém não parte... 8 1.2 - Falha: Compressor funciona, porém não comprime...

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul

Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul BT0128 07.10.96 Este Boletim Técnico tem como finalidade informar as características, cuidados e como avaliar

Leia mais

Concurso Público Federal Edital 06/2015

Concurso Público Federal Edital 06/2015 PROVA Concurso Público Federal Edital 06/2015 Área: Refrigeração e Climatização QUESTÕES OBJETIVAS Conhecimentos Específicos 01 a 30 Nome do candidato: Nº de Inscrição: INSTRUÇÕES 1º) Verifique se este

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais

Boletim Técnico Agosto / 2011

Boletim Técnico Agosto / 2011 Página 01/08 TÍTULO: INFORMATIVO DO NOVO CONTROLE REMOTO COM FIO PARA UNIDADES SPLITÃO 2 ESTÁGIOS SUMÁRIO Esta publicação visa informar o novo controle remoto com fio para as Unidades da Linha Splitão

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

Guia de declaração para equipamentos de AVAC&R. (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010)

Guia de declaração para equipamentos de AVAC&R. (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010) (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010) ÍNDICE 1 Objectivo... 3 2 Porquê esta legislação?... 3 3 Quem está abrangido?... 3 4 Quais os equipamentos abrangidos?... 3 5 Dúvidas frequentes... 5 5.1 Equipamentos

Leia mais

Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica:

Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica: A V A C Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Aquecimento eléctrico Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica: Aquecimento por resistência eléctrica. Aquecimento por indução electromagnética.

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Obrigado por escolher esse produto. Por favor, leia esse manual de instrução antes de usar o aparelho. Índice: Introdução do Produto... 1 Instrução de Uso...

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento Bombas de Calor 2º Seminário PPGS Carlos Barbosa TT/SPO-TRTR 1 Bombas de Calor Geotérmicas Índice Definições Funcionamento Performance Instalação Fontes de Problemas 2 Definições Definição de bomba de

Leia mais

Refrigerating Specialties

Refrigerating Specialties Refrigerating Specialties Cuidando de suas necessidades em Refrigeração A Parker (R/S) é a principal fornecedora de componentes de refrigeração para as indústrias alimentícias e de bebidas. Líder mundial

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos Sensores de condição Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos DETECÇÃO DE CONDIÇÃO A Rockwell Automation oferece uma linha impressionante de produtos

Leia mais

Unidades, Grandezas e Propriedades

Unidades, Grandezas e Propriedades 1 Refrigeração I Bases e Fundamentos Unidades, Grandezas e Propriedades Capítulo I Figura I.4 Equivalência entre as Escalas de Temperaturas Onde a cor é fundamental 2 Figura I.9 Diagrama Temperatura Entalpia

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração.

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. (A) O movimento de energia de frio dentro de um espaço onde ele é necessário. (B) A remoção de calor

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE NÍVEL Introdução A medição de nível.engloba, também, a medição do volume e do peso de líquidos e sólidos contidos em recipientes. Basicamente, a medição

Leia mais

CONTROLADOR MICROPROCESSADO DE DOIS ESTÁGIOS AHC-40 PARA CONTROLE DE UMIDADE RELATIVA DO AR E TEMPERATURA AHC-40 CONTROLS GENUINAMENTE BRASILEIRA

CONTROLADOR MICROPROCESSADO DE DOIS ESTÁGIOS AHC-40 PARA CONTROLE DE UMIDADE RELATIVA DO AR E TEMPERATURA AHC-40 CONTROLS GENUINAMENTE BRASILEIRA CONTROLADOR MICROPROCESSADO DE DOIS ESTÁGIOS AHC-40 PARA CONTROLE DE UMIDADE RELATIVA DO AR E TEMPERATURA AHC-40 R CONTROLS GENUINAMENTE BRASILEIRA 1. APRESENTAÇÃO 5. Levante lentamente a ponta da mangueira

Leia mais

BT QCC 1000 Quadro elétrico para câmaras frigoríficas até 3HP 220V2F

BT QCC 1000 Quadro elétrico para câmaras frigoríficas até 3HP 220V2F BTQCC1000v1_0.docx - Página 1 de 6 BT QCC 1000 Quadro elétrico para câmaras frigoríficas até 3HP 220V2F 1.0 Descrições gerais: BT QCC 1000 é amplamente usado para pequenas e médias câmaras frigoríficas,

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome

Leia mais

Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um

Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um Algumas noções sobre a umidade relativa do ar Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um ambiente. A capacidade do ar de reter vapor de água é tanto maior

Leia mais

CONDICIONADOR DE AR PORTÁTIL. 9000 Btus - Quente / Frio MODELOS: ACP09QF-01 127V ACP09QF-02 220V

CONDICIONADOR DE AR PORTÁTIL. 9000 Btus - Quente / Frio MODELOS: ACP09QF-01 127V ACP09QF-02 220V CONDICIONADOR DE AR PORTÁTIL 9000 Btus - Quente / Frio MODELOS: Sumário 02 Obrigado por adquirir o CONDICIONADOR DE ÁR PORTÁTIL. Este produto foi elaborado para lhe proporcionar melhor qualidade de vida,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 PREZADO CLIENTE A fim de obter o melhor desempenho de seu produto, por favor, leia este manual do usuário cuidadosamente antes de começar a usá-lo, e mantê-lo

Leia mais

Comunicado Técnico nº 5

Comunicado Técnico nº 5 Comunicado Técnico nº 5 O Uso do Vapor e das Caldeiras na Gestão da Umidade nas Algodoeiras Giancarlo Goldoni Jr. 1. O que é vapor? O vapor pode ser definido como um gás resultante da mudança de estado

Leia mais

manual do usuário d o s i m a x i n p l a c e rev.03

manual do usuário d o s i m a x i n p l a c e rev.03 manual do usuário d o s i m a x i n p l a c e 2 0 1 3 rev.03 manual do usuário d o s i m a x i n p l a c e 2 0 1 3 1. descrição 4 2. Configuração da Máquina 6 3. Calibração das bombas 9 4. Programação

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700. Instalação. Sistema Elétrico. Localização da Máquina de Gelo

Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700. Instalação. Sistema Elétrico. Localização da Máquina de Gelo Máquinas de Gelo em Escama QF800-QC700 Instalação Localização da Máquina de Gelo Sistema Elétrico O local selecionado para a máquina de gelo deve atender os critérios seguintes. Se algum desses critérios

Leia mais

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO ,DISPSITIVS DE EXPASÃ Dispositivos de expansão são os componentes do sistema de refrigeração que têm por finalidades provocar a perda de pressão do refrigerante, que é acompanhada de um decréscimo de temperatura,

Leia mais

AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1

AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1 AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1 Unidade Interna Sensor de temperatura do evaporador em (somente frio/quente) Bóia ou bomba do dreno DEF./FAN ALARM Unidade Externa Os modelos Cassete Trifásicos possuem uma placa

Leia mais

Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados

Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados O diagrama abaixo representa uma instalação de refrigeração comercial composta de um evaporador para câmara

Leia mais

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine Ciclos de Potência a vapor Ciclo Rankine BOILER q in 3 TURBINE w out 2 4 CONDENSER w in 1 PUMP q out Ciclo de Carnot T T H 2 3 T H < T C Compressor e turbina trabalham na região bifásica! 1 T L 4 s Ciclo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MOD. CHANFRADO - RCMT

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MOD. CHANFRADO - RCMT MANUAL DE INSTRUÇÕES Compact Indústria de Produtos Termodinâmicos Ltda. Fábrica: Est. BR-116 KM 152,3, 21940 Pavilhão 1 Bairro Planalto Caxias do Sul - RS - CEP 95070-070 Fone (0XX) 54-2108-3838- Fax:

Leia mais

Termostatos KP. Brochura técnica MAKING MODERN LIVING POSSIBLE. Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT.

Termostatos KP. Brochura técnica MAKING MODERN LIVING POSSIBLE. Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT. MAKING MODERN LIVING POSSIBLE Brochura técnica Termostatos KP Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT. Um termostato KP pode ser conectado diretamente a um

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA 1 SEMINÁRIO DE ENGENHARIA DE ENERGIA PUC-MINAS - 20 de Abril de 2007 AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA Marco Tulio Starling de Vasconcellos marcotulio@tuma.com.br - Tel: (31) 2111-0053 www.tuma.com.br

Leia mais

Equipe: Eliton Baltazar; Ednaldo Luciano; Anderson Cisne; Jeferson Carlos; Antônio Rodrigues. 10 Período Engenharia Mecânica Prof : Fernando Corade

Equipe: Eliton Baltazar; Ednaldo Luciano; Anderson Cisne; Jeferson Carlos; Antônio Rodrigues. 10 Período Engenharia Mecânica Prof : Fernando Corade Equipe: Eliton Baltazar; Ednaldo Luciano; Anderson Cisne; Jeferson Carlos; Antônio Rodrigues. 10 Período Engenharia Mecânica Prof : Fernando Corade OBJETIVO Conforto térmico. Extrair o calor de uma fonte

Leia mais

SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO. Fábio Ferraz

SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO. Fábio Ferraz SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO Fábio Ferraz SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO Os principais sistemas de refrigeração são listados a seguir: Sistema de refrigeração por compressão; Sistema de refrigeração por absorção;

Leia mais

Válvulas de Pressão Constante

Válvulas de Pressão Constante Válvulas de Pressão Constante Catálogo 201VPC-1 - Agosto 2009 Válvulas de Expansão de Pressão Constante Séries AS e A7 Características Técnicas Construção Conexão para Soldagem Faixa de Ajuste do Ponto

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000

Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000 Instruções de Instalações Data de Publicação Série T2000 1º de Julho de 2003 Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000 Aplicação IMPORTANTE: Utilize o Termostato Digital para Fancoils da Série T6000

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO0081

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO0081 BT RVT 46 i Setembro / 214 Página 1/8 TÍTULO: INFORMATIVO DO MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO81 PARA A FAMÍLIA SPLITÃO SÉRIE EiV (INVERTER) ESTE BOLETIM TÉCNICO CANCELA E SUBSTITUI O BT RVT

Leia mais

Detector de Vazamentos de Líquido Refrigerante Modelo RD300

Detector de Vazamentos de Líquido Refrigerante Modelo RD300 Guia do Usuário Detector de Vazamentos de Líquido Refrigerante Modelo RD300 Segurança Por favor, leia as seguintes informações de segurança cuidadosamente, antes de tentar operar ou realizar serviços de

Leia mais

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO GL-T540 Painel de Controle MANUAL PARA OPERADOR Maio 2005 Rev. BI Versão Software: 1.1 SUMMARIO 1) INTRODUÇÃO... 03 1.1) Introdução... 03 1.2) Painel de Controle...

Leia mais

Manual de apoio a curso EFA. Técnico/a de Refrigeração e Climatização ESAB 2011/2012

Manual de apoio a curso EFA. Técnico/a de Refrigeração e Climatização ESAB 2011/2012 1 Manual de apoio a curso EFA Técnico/a de Refrigeração e Climatização ESAB 2011/2012 UFCD 1295 - Instrumentação e controlo - princípios básicos da regulação e complementos de instrumentação Controlos

Leia mais

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0.

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0. PCT6 plus CONTROLADOR DIGITAL DE PRESSÃO PARA CENTRAIS DE REFRIGERAÇÃO Ver. PCT6VT74. DESCRIÇÃO O PCT6 plus é um controlador de pressão para ser utilizado em centrais de refrigeração que necessitem de

Leia mais

Siesta -CRX. Manual de Instruções Modelo Siesta - CRX RD Radiante Termostato programável piso Aquecimento Geração CorteX

Siesta -CRX. Manual de Instruções Modelo Siesta - CRX RD Radiante Termostato programável piso Aquecimento Geração CorteX Linha de produtos Siesta -CRX Manual de Instruções Modelo Siesta - CRX RD Radiante Termostato programável piso Aquecimento Geração CorteX Nova Programação Nova Ecrã Novo Coração Siesta - CRX RD Radiante

Leia mais

Guia AVAC & R - Aquecimento, Ventilação, Ar Condicionado & Refrigeração

Guia AVAC & R - Aquecimento, Ventilação, Ar Condicionado & Refrigeração 2014 Guia AVAC & R - Aquecimento, Ventilação, Ar Condicionado & Refrigeração 17-07-2014 ÍNDICE 1 Objetivo... 3 2 Porquê esta legislação?... 3 3 Quem está abrangido?... 3 4 Responsabilidades de registo...

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 28 Compressores Octagon Aplicação Sub Crítica com Dióxido de Carbono CO 2 09/08 Nesse boletim vamos abordar as instruções de operação dos compressores Octagon aplicados com o Dióxido

Leia mais

Sistema de Arrefecimento dos Motores. Sistemas auxiliares dos motores de combustão interna

Sistema de Arrefecimento dos Motores. Sistemas auxiliares dos motores de combustão interna Sistema de Arrefecimento dos Motores Sistemas auxiliares dos motores de combustão interna SISTEMA DE ARREFECIMENTO O sistema de arrefecimento é um conjunto de dispositivos eletromecânicos Tem como função

Leia mais

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 *Imagens meramente ilustrativas MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 Modelo Tensão nominal Frequência Corrente nominal Diâmetro

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 21 Medição e Regulagem do Superaquecimento e Sub-resfriamento 03/05 Neste boletim vamos abordar os procedimentos de verificação e regulagem do Superaquecimento através da válvula

Leia mais

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia

EC FX NH3. Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia EC FX NH3 Uma abordagem nova e aprimorada para a detecção de gás de amônia Sensor e transmissor EC-FX-NH3 apresentação de um sensor melhor, mais forte, mais duradouro para refrigeração industrial Tecnologia

Leia mais

Manômetros de Pressão Diferencial

Manômetros de Pressão Diferencial GUIA DO USUÁRIO Manômetros de Pressão Diferencial Modelo PS101, PS106 e PS115 Introdução Parabéns pela compra do Manômetro de Pressão Diferencial Extech SO Série 100. Estes manômetros medem a pressão aferida

Leia mais

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado.

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. CAPÍTULO II 2 Ar condicionado automotivo. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. O condicionamento do ar é o processo que regula, artificialmente, a temperatura, o fluxo de ar, a

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS E INSTALAÇÕES PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Áreas de oportunidade para melhorar a eficiência na distribuição de frio Isolamento das tubulações

Leia mais

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por:

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por: Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES Desenvolvido por: Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. FUNÇÕES BÁSICAS... 4 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 5 4. CONDIÇÕES DE SEGURANÇA... 7 5. COMPONENTES

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES ICE MAKER MÁQUINA DE GELO MANUAL DE INSTRUÇÕES Leia atentamente este Manual, antes de usar seu ICE MAKER. Guarde-o em local seguro, para futuras consultas. Modelo: NI1000A - (Preto 127V) / NI1000B (Preto

Leia mais

Linha Refrigeração (Frio alimentar) Sistema Integrado de Controle e Monitoramento para Instalações Frigoríficas

Linha Refrigeração (Frio alimentar) Sistema Integrado de Controle e Monitoramento para Instalações Frigoríficas smart - R Linha Refrigeração (Frio alimentar) Sistema Integrado de Controle e Monitoramento para Instalações Frigoríficas smart versão 2.20 Conceito O SMART é um sistema de controle e supervisão para instalações

Leia mais

Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras.

Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras. Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras. 1 CILINDRO 2 CILINDROS 60 Hz R-22 / R-404A R-134a / HP81 (R-402B) Unidades Condensadoras Compact Line. CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Unidades equipadas

Leia mais

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Giorgia Francine Cortinovis (EPUSP) Tah Wun Song (EPUSP) 1) Introdução Em muitos processos, há necessidade de remover carga térmica de um dado sistema

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais

MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05.

MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05. MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05. ÍNDICE 01 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS GERAIS 02 INFORMAÇÕES GERAIS E INSTALAÇÕES 03 ESQUEMA TÍPICO

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano 19 Sistema de Refrigeração - Tópicos Introdução Meios refrigerantes Tipos de Sistemas de Refrigeração Sistema de refrigeração a ar Sistema de refrigeração a água Anticongelantes

Leia mais

F lu í d o s Re f ri g e r ant es. Capital Comércio de Refrigeração Ltda. Rua Guaiaúna, 380 São Paulo SP www.capitalrefrig.com.br

F lu í d o s Re f ri g e r ant es. Capital Comércio de Refrigeração Ltda. Rua Guaiaúna, 380 São Paulo SP www.capitalrefrig.com.br F lu í d o s Re f ri g e r ant es Alte rnat ivos NOSSO OBJETIVO COM ESTA A P RESENTAÇÃO Nosso objetivo! Compartilhar uma visão presente e futura para fluidos refrigerantes; Ajudar nossos clientes na tomada

Leia mais

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-250

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-250 *Imagens meramente ilustrativas MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-250 Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-250 Modelo Tensão nominal Frequência Corrente nominal Tensão

Leia mais

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno 1.0 Introdução Existe um crescimento enorme em termos de instalação

Leia mais

Controladores de temperatura

Controladores de temperatura Controladores de temperatura - Aplicações Controls A/S - Assegura eficiência no controle dos sistemas de aquecimento, refrigeração e ventilação. Clorius Controls: solução para o controle de temperatura

Leia mais

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS P O U P A R AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Caso tenha ar condicionado nos quartos ou áreas comuns do empreendimento,

Leia mais

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO

Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO Leandro N.Alem 1351/53 -(1871)- Dock Sud Buenos Aires - Argentina T.E.:4201-5316 / 4222-9821 FAX:4222-9821 Web:www.ingecozs.com MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE Especificações... 3 INSTALAÇÃO... 3 Operação...

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br BEBEDOUROS TROPICAL LEIA E SIGA TODAS AS REGRAS DE SEGURANÇA E INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ANTES DE USAR. sac@bebedourostropical.com.br

Leia mais

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz

Atlas Copco. Secadores de ar comprimido por refrigeração. FX1-16 60 Hz Atlas Copco Secadores de ar comprimido por refrigeração FX1-16 60 Hz Capacidade total, responsabilidade total A Atlas Copco fornece ar comprimido de qualidade para garantir uma excelente produtividade.

Leia mais

PRINCIPAIS PARTES COMPONENTES DOS GERADORES DE VAPOR

PRINCIPAIS PARTES COMPONENTES DOS GERADORES DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-056 M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 INTRODUÇÃO: Apesar de existir um grande número de tipos

Leia mais

Equipamentos primários. L. Roriz

Equipamentos primários. L. Roriz Equipamentos primários L. Roriz Unidades de Arrefecimento Unidades de Arrefecimento de Ar Unidades Produtoras de Água Refrigerada Sistemas de compressão de vapor Sistemas de expansão directa Sistemas utilizando

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Gabriela Ferreira da Silva Companhia Paulista de Força e Luz gabrielaf@cpfl.com.br Eficiência

Leia mais

Condicionador de Ar Portátil

Condicionador de Ar Portátil Condicionador de Ar Portátil Manual do Usuário GP8-12L GP8-22L GP10-12L GP10-22L 1 Untitled-5 1 2 Untitled-5 2 Índice Resumo...4 Príncipio de funcionamento...5 Especificação técnica...7 Estrutura...8 Esquema

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

Manual de instalação e utilização

Manual de instalação e utilização Manual de instalação e utilização QuattroTherma RTR - Chiller + Bomba de calor V 2.0 2 Indíce 1 Inicio...5 1.1 EnerPlural Lda...5 1.2 Missão da EnerPlural...5 1.3 Agradecimento...5 1.4 Notas Importantes...5

Leia mais

Atividade de Reforço2

Atividade de Reforço2 Professor(a): Eliane Korn Disciplina: Física Aluno(a): Ano: 1º Nº: Bimestre: 2º Atividade de Reforço2 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A ATIVIDADE I. Leia atentamente o resumo da teoria. II. Imprima a folha com

Leia mais

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA SISTEMA SOLAR DE AQUECIMENTO DE ÁGUA a) Quando for adquirir um sistema de aquecimento solar dê sempre preferência aos modelos com o Selo Procel. b) Dimensione adequadamente o sistema (coletores e reservatórios)

Leia mais

Departamento Nacional do Meio Ambiente - ABRAVA SÉRIE: Você Sabia... BOAS PRÁTICAS DE MANUTENÇÃO EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO

Departamento Nacional do Meio Ambiente - ABRAVA SÉRIE: Você Sabia... BOAS PRÁTICAS DE MANUTENÇÃO EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO BOAS PRÁTICAS DE MANUTENÇÃO EM SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO 1.0 Introdução Conforme explanamos na primeira edição (módulo 1), abordaremos nesse material boas práticas de manutenção em sistemas

Leia mais

Água Quente. Supraeco W Supraeco W OS. Bombas de calor Ar - Água para produção de A.Q.S. julho 2014. Conforto para a vida

Água Quente. Supraeco W Supraeco W OS. Bombas de calor Ar - Água para produção de A.Q.S. julho 2014. Conforto para a vida Supraeco W Supraeco W OS Bombas de calor Ar - Água para produção de A.Q.S. Água Quente julho 0 Conforto para a vida Bombas de calor SUPRAECO energia água quente ar-água confortopoupança eficiênciacop calor

Leia mais

Índice. Aquecimento e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets

Índice. Aquecimento e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets Climatização 1 Índice e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets 3 5 6 7 2 Bomba de calor Central A bomba de calor tem como finalidade produzir água a

Leia mais

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você!

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar por Refrigeração CPX 2011 Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar CPX 2. Condensados O ar comprimido produzido pelos compressores contém vapor de água que poderá

Leia mais

Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43

Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43 Como funciona seu produto Comece por aqui. Se você quer tirar o máximo proveito da tecnologia contida neste produto, leia o Guia Rápido por completo. Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43 Frost Free Seu refrigerador

Leia mais

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO

Tecnologia do Vácuo 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A automação dos processos industriais de produção vem crescendo dia após dia e, com ela, a necessidade do emprego de novas tecnologias cujo objetivo, na maior parte das vezes, busca substituir

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais