Saúde e segurança no ambiente de trabalho. A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade. Pesquisa. EPIs

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Saúde e segurança no ambiente de trabalho. A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade. Pesquisa. EPIs"

Transcrição

1 114 EPIs Saúde e segurança no ambiente de trabalho A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade

2 115 Os equipamentos de proteção individual e de proteção coletiva, conhecidos como EPIs e EPCs, são utilizados como meios de garantir a vida ou reduzir danos, de forma individual ou coletiva, diante de acontecimentos imprevistos. Se há a necessidade de proteção, presume-se que a atividade envolva risco controlado, como o caso da eletricidade, revela o documento EPI / EPC - A segurança ao seu alcance, publicado no site da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel). A NR 10 define perigo como sendo a situação ou condição de risco com probabilidade de causar lesão ou dano à saúde das pessoas por ausência de medidas de controle. A norma europeia EN (sobre trabalhos em instalações elétricas), por exemplo, aprofunda a questão ao definir somente o perigo elétrico como: fonte de uma possível lesão ou dano devido à presença de energia elétrica. Segundo o documento da Abracopel, os EPIs e EPCs entram nesta seara como ferramentas de proteção contra riscos e perigo próprios das atividades com eletricidade. A NR 10 indica que o circuito a ser trabalhado seja desenergizado como prioridade de vida. Desta forma, elimina-se o risco de acidentes de origem elétrica. Porém, quando há a necessidade de se trabalhar com o circuito ligado, na tentativa de minimizar o risco controlado, a norma recomenda o uso de proteção coletiva, aliado aos equipamentos de proteção individuais específicos e adequados para aquele trabalho. Os acidentes de trabalho podem ser provocados por diversos fatores. Dentre eles, a não utilização de EPIs e EPCs é o segundo mais comum, ao lado da falta de treinamento na utilização de máquinas e equipamentos. A primeira causa é a falta de manutenção nos maquinários. Para que as exigências previstas nas normas possam, de fato, garantir a segurança do trabalhador, é necessário que os funcionários saibam quando usar e para que usar os EPIs e EPCs, por meio de treinamentos, quais suas limitações, que modelo e tipo de equipamento escolher, conforme a situação, além de como limpá-los e armazená-los para preservar sua usabilidade. Pela importância dos equipamentos de proteção para assegurar a saúde e segurança nas operações com eletricidade, a pesquisa a seguir apresenta panorama do mercado de equipamentos de segurança e suas principais mudanças no período de um ano. Mercado de equipamentos para proteção individual (EPIs) As vendas diretas para o consumidor final são praticadas por praticamente todo o mercado (95% dele). Veja como se configuram os principais meios de vendas dos fabricantes e distribuidores de equipamentos de proteção individual que participaram desta pesquisa.

3 116 EPIs principais canais de vendas EPIs para proteção dos membros inferiores 95% Vendas diretas ao consumidor final 5 Calçado 5 Revendas / Varejistas 5 Calça 47% Telemarketing 53% Perneira 42% Distribuidores / atacadistas 21% Meia As empresas não demonstraram grande interesse pelas certificações ISO. Apenas 5 delas afirmaram contar com a ISO 9001, de gestão de processos. EPIs para proteção do corpo inteiro 53% Macacão Certificações ISO 47% Vestimenta de corpo inteiro 5 ISO % Vestimenta de proteção contra respingos de produtos químicos 21% ISO Nos próximos gráficos, observam-se os produtos com mais presença nos estoques das empresas fabricantes e distribuidoras de equipamentos de proteção individual. As luvas destacam-se entre os equipamentos para proteção dos membros superiores, o que indica que este produto é o que mais tem saída comercial. Veja este e outros dois grupos de equipamentos de proteção. Para 61% dos consultados, a Norma Regulamentadora nº 6 (NR 6), que trata dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), é adequada às necessidades do mercado brasileiro. 2 das empresas discordam desta opinião. Opinião sobre a eficácia da NR 6 - Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o mercado brasileiro 11% Sem opinião formada EPIs para proteção dos membros superiores 63% Luvas 47% Manga 31% Creme protetor 26% Braçadeiras 2 Não adequada 61% Adequada 21% Dedeira O mercado de EPIs no Brasil fatura acima de R$ 500 milhões por ano. É o que pensam 46% das companhias que responderam à pesquisa. Confira as opiniões.

4 118 EPIs Percepção quanto ao tamanho total anual do mercado de EPIs Até R$ 10 milhões São diversos os portes e tamanhos das empresas que constituem este mercado. 77% das que participaram deste levantamento faturam até R$ 50 milhões por ano com a venda desses equipamentos. Faturamento bruto anual das empresas de EPIs (que participaram da pesquisa) 15% De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões Mais de R$ 100 milhões Até R$ 3 milhões De R$ 100 milhões a R$ 200 milhões 15% De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões 46% Acima de R$ 500 milhões 23% De R$ 200 milhões a R$ 500 milhões 31% De R$ 10 milhões a R$ 50 milhões 3 De R$ 3 milhões a R$ 10 milhões

5 86% dos produtos (em faturamento) são escoados para o consumo interno. Apenas 14% das vendas são destinadas ao mercado internacional. Balança comercial das empresas 14% Exportação 86% Mercado interno As empresas mostraram-se otimistas e estão prevendo crescimento médio de 22% do seu faturamento para o ano de Esperam crescer 17% já neste ano de Para o mercado total de EPIs, a expectativa é que haja um crescimento médio de 13% em Estimativa de crescimento para as empresas que participaram da pesquisa 22% Ano de % Ano de 2012 Estimativa de crescimento para o mercado de EPIs 13% Ano de % Ano de 2012

6 120 EPIs Empresa Principal canal de vendas Principais clientes da cabeça dos olhos e face respiratória EMPRESA ALTISEG ALL PRONT MATERIAIS DE SEGURANÇA BOMPEL IND. DE CALÇADOS BUNZL PROT-CAP CONECT IND. COM. DUPONT DO BRASIL ESAB IND. E COM. IRIS SAFETY ÓCULOS DE SEGURANÇA LEAL LUGO COML. ELÉTRICA KPS INDUSTRIAL ONI DISTRIBUIDORA PROSEG IND. E COM. PUNHO FORTE EQUIP. DE PROTEÇÃO SERMAP VENUS PRODUTOS ÓTICOS LTDA VIPOSA ARTECOLA INDÚSTRIAS REPTEC EQUIP. DE SEG. E UNIFORMES Telefone Site Cidade/estado (41) (11) (45) (11) (21) (11) (31) (11) (11) (11) (43) (44) (31) (11) (22) (51) (49) (51) (34) Curitiba - PR Toledo - PR Rio de Janeiro - RJ Barueri - SP Contagem - MG Apucarana - PR Mandaguari - PR Belo Horizonte - MG Carapicuiba - SP Macaé - RJ Canoas - RS Caçador - SC Novo Hamburgo RS Uberlandia - MG Fabricante Distribuidora Distribuidores / atacadistas Revendas / varejistas x Venda direta ao cliente final Telemarketing Outros Serviço de atendimento ao cliente por telefone e/ou internet x Possui certificado ISO 9001 Possui certificado ISO Programas na área de esponsabilidade social Exporta produtos acabados Importa produtos acabados Possui corpo técnico especializado para oferecer suporte ao cliente Oferece treinamento técnico para os clientes Capacete Capuz ou balaclava Óculos Protetor facial Máscara de adução de ar EPI para proteção Auditiva Respirador de adução de ar Respirador de adução de ar Respirador de fuga

7 121 do tronco dos membros superiores dos membros inferiores do corpo inteiro contra quedas com diferença de nível Considera que a Norma Regulamentadora NR6 - Equipamentos de Proteção Individual - EPI está bem adequada para as necessidades do mercado brasileiro? EMPRESA ALTISEG ALL PRONT MATERIAIS DE SEGURANÇA BOMPEL IND. DE CALÇADOS BUNZL PROT-CAP CONECT IND. COM. DUPONT DO BRASIL ESAB IND. E COM. IRIS SAFETY ÓCULOS DE SEGURANÇA LEAL LUGO COML. ELÉTRICA KPS INDUSTRIAL ONI DISTRIBUIDORA PROSEG IND. E COM. PUNHO FORTE EQUIP. DE PROTEÇÃO SERMAP VENUS PRODUTOS ÓTICOS LTDA VIPOSA ARTECOLA INDÚSTRIAS REPTEC EQUIP. DE SEG. E UNIFORMES Telefone Site Cidade/estado (41) (11) (45) (11) (21) (11) (31) (11) (11) (11) (43) (44) (31) (11) (22) (51) (49) (51) (34) Curitiba - PR Toledo - PR Rio de Janeiro - RJ Barueri - SP Contagem - MG Apucarana - PR Mandaguari - PR Belo Horizonte - MG Carapicuiba - SP Macaé - RJ Canoas - RS Caçador - SC Novo Hamburgo RS Uberlandia - MG Contra riscos de origem térmica, mecânica, química, radioativa, meteorológica ou umidade Colete à prova de balas Luvas Creme protetor Manga Braçadeiras Dedeira Calçado Meia Perneira Calça Macacão Vestienta de corpo inteiro Vestienta contra respingos de produtos químicos Dispositivo trava-queda Cinturão Sim Não Não sei / não quero opinar

Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011

Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011 Pesquisa 102 EPIs Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011 Vendas diretas ao consumidor final são principal meio de comercialização dos fabricantes de equipamentos de proteção individual De acordo

Leia mais

Equipamentos de proteção

Equipamentos de proteção 88 Equipamentos de proteção Construção civil aquecida e bom momento econômico do País elevam projeção do setor, que espera crescimento médio de 12% em 2013 Conforme prevê a Norma Regulamentadora nº 6,

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Equipamento de Proteção Individual EPI Enquadramento NR 06 Anexo I A PROTEÇÃO DA CABEÇA Proteção da cabeça contra: A.1.1. Impactos de objetos sobre o crânio;

Leia mais

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS Aula 8 Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA Compreender os aspectos essenciais de Combate a Incêndio e os Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual. OBJETIVOS Ao final desta

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Abrangência: empresas obrigadas a fornecer EPI aos trabalhadores. Conteúdo: lista completa de EPI s. Vigência:

Leia mais

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio;

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1 - Capacete a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; b) capacete de segurança para proteção contra choques elétricos; c)

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de

Leia mais

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 194 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2010 (DOU de 08/12/10 Seção 1 Pág. 85) Altera a Norma

Leia mais

Equipamento de Proteção Individual

Equipamento de Proteção Individual Equipamento de Proteção Individual NR 6 Equipamento de Proteção Individual De acordo com a NR-6 da Portaria nº 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento

Leia mais

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país.

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. NOÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. Pode até ser que a conhecida morosidade de nossa justiça

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Transcrito pela Nutri Safety * 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo

Leia mais

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008 Equipamento de Proteção Individual EPI A PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1. CAPACETE A.2. CAPUZ ou BALACLAVA ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Enquadramento NR 06 Anexo I Proteção da cabeça contra: A.1.1.

Leia mais

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) Seja bem Vindo! Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 25hs Conteúdo Programático: Introdução O que é o Equipamento de Proteção Individual? Responsabilidades

Leia mais

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 3 1.1. Por que usar EPI 3 2. RESPONSABILIDADES 4 2.1. Cabe ao empregador quanto ao EPI 4 2.2. Cabe ao empregado quanto ao EPI 5 2.3. Penalidades 5 3. DEFINIÇÃO DE EPI 5 4. OBJETIVO

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. * Texto de acordo com a Portaria SIT/DSST 25/2001. * V. Portaria SIT/DSST 162/2006 (Estabelece procedimentos

Leia mais

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO Por Profa.Dra. Cyllene de M.OC de Souza Dra em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFRRJ), Mestre em Vigilância Sanitária (INCQS-FIOCRUZ) Supervisora

Leia mais

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI Portarias de Alteração Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Portaria SSMT n.º 06, de 09 de março de 1983 14/03/83 Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91 Portaria DSST

Leia mais

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo:

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo: Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 007/03 Tema: Luvas de Procedimento I Data: 24/07/03 II Grupo de Estudo: Adolfo Orsi Parenzi. Clemilda Alvarenga Coelho Elen Cristina Queiroz Rezende Pinto

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 121, DE 30 DE SETEMBRO DE 2009 (D.O.U. de 02/10/09 Seção 1 Págs. 80 a 82) Estabelece as normas técnicas de ensaios e os

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Instrumentos de teste e medição. Instrumentos de teste e medição. Pesquisa

Instrumentos de teste e medição. Instrumentos de teste e medição. Pesquisa Pesquisa Instrumentos de teste e medição 84 Instrumentos de teste e medição Otimista, mercado de equipamentos para teste e medição espera crescimento médio de 12% para 2013. Regulamentação da Aneel para

Leia mais

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão Por Nunziante Graziano A finalidade deste artigo é analisar se é possível responder a uma pergunta clássica: Esse

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC GRANVILLE EQUIPAMENTOS DE SEGURANCA CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Definição Conforme a NR 06: EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Item 6.1 - Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo

Leia mais

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7)

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de

Leia mais

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2)

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2) NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso

Leia mais

3 Prevenir acidentes é dever de todos

3 Prevenir acidentes é dever de todos A U A UL LA Prevenir acidentes é dever de todos Introdução Acidente zero! Essa é uma meta que deve ser alcançada em toda empresa. Com a redução dos acidentes poderão ser eliminados problemas que afetam

Leia mais

Condicionamento de energia e grupos geradores

Condicionamento de energia e grupos geradores Pesquisa 74 Condicionamento de energia e grupos geradores O Setor Elétrico / Novembro de 2013 Condicionamento de energia e grupos geradores Fabricantes e distribuidores deste mercado afirmam ter crescido

Leia mais

Equipamentos para automação e gerenciamento de energia. Pesquisa Gerenciamento de energia

Equipamentos para automação e gerenciamento de energia. Pesquisa Gerenciamento de energia Pesquisa Gerenciamento de energia 73 Equipamentos para automação e gerenciamento de energia Fabricantes, distribuidores e consumidores deste segmento revelam suas impressões sobre o mercado, informações

Leia mais

Segurança do Trabalho II. Paulo Roberto da Costa

Segurança do Trabalho II. Paulo Roberto da Costa Segurança do Trabalho II Paulo Roberto da Costa Santa Maria - RS 2013 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Colégio Técnico

Leia mais

Estudo de caso em torno dos significados e práticas como reforçadores da segurança no trabalho em uma instituição de ensino superior

Estudo de caso em torno dos significados e práticas como reforçadores da segurança no trabalho em uma instituição de ensino superior Estudo de caso em torno dos significados e práticas como reforçadores da segurança no trabalho em uma instituição de ensino superior Patrícia Ferraz do Nascimento Estudante do curso de Economia Doméstica

Leia mais

NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS

NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS OBJETIVO O objetivo deste treinamento é assegurar e informar a todos quanto a forma correta de utilização dos equipamentos de proteção de segurança do trabalho.

Leia mais

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br

Everaldo Baldin. cipa entrevista. 22 cipacaderno informativo de prevenção de acidentes www.cipanet.com.br Everaldo Baldin Prot-Cap: quatro décadas de empreendedorismo PARA EVERALDO BALDIN, O SEGREDO DO SUCESSO DA EMPRESA ESTÁ NA QUALIDADE DO ATENDIMENTO E NO FOCO NO MERCADO DE EPI POR VIVIANE FARIAS redacao6@cipanet.com.br

Leia mais

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão.

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão. Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão. Eng. Nunziante Graziano, M.Sc. Gerente de Projetos e Desenvolvimento Data: 31/03/2011 Horário: 19h ÍNDICE Apresentação

Leia mais

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EP I) - NR 6 Em muitos servicos, o trabalhador precisa

Leia mais

Mercado de tomadas e interruptores

Mercado de tomadas e interruptores Pesquisa 76 Tomadas e interruptores industriais e prediais O Setor Elétrico / Fevereiro de 2014 Mercado de tomadas e interruptores Cresce procura por certificações ISO 9001 e segmento projeta crescimento

Leia mais

Renováveis e sustentáveis

Renováveis e sustentáveis 120 Renováveis e sustentáveis O desafio de suprir a demanda crescente de energia, de maneira sustentável, passa pelo planejamento e investimento em fontes renováveis No ano passado, o Brasil consumiu 509

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE 3 RESPONSABILIDADE DA CONTRATADA 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

Por equipamentos Ex mais seguros

Por equipamentos Ex mais seguros Pesquisa 90 Equipamentos para atmosferas explosivas O Setor Elétrico / Fevereiro de 2014 Por equipamentos Ex mais seguros Embora normas técnicas sejam publicadas frequentemente para este setor, consumidores

Leia mais

Mercado de equipamentos para áreas classificadas prevê crescimento de 18%

Mercado de equipamentos para áreas classificadas prevê crescimento de 18% O Setor Elétrico / Fevereiro de 2011 Pesquisa Equipamentos para áreas classificadas Mercado de equipamentos para áreas classificadas prevê crescimento de 18% Pesquisa avalia o comportamento do mercado

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Concórdia- SC 2014 1 EDICLÉIA KARINE

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

Equipamentos de condicionamento de energia e grupos geradores

Equipamentos de condicionamento de energia e grupos geradores Pesquisa 98 Condicionamento de energia e grupos geradores O Setor Elétrico / Novembro de 2014 Equipamentos de condicionamento de energia e grupos geradores Expectativa de crescimento para 2013 era de 21%,

Leia mais

Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos

Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos Segurança Operacional em Máquinas e Equipamentos Manfred Peter Johann Gerente de Vendas da WEG Automação A crescente conscientização da necessidade de avaliação dos riscos na operação de uma máquina ou

Leia mais

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI Francisca Miriane de Araújo- NOVAFAPI Lorena Bezerra Barros- NOVAFAPI Marcela de Lacerda Valença- NOVAFAPI Márcio Edivandro

Leia mais

ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO 1. OBJETIVO Definir os deveres e as responsabilidades da Contratada e estabelecer as orientações e procedimentos concernentes às atividades de Segurança e Medicina

Leia mais

Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto

Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. CADERNO DE EXERCÍCIOS 800 QUESTÕES NORMAS REGULAMENTADORAS MINISTÉRIO

Leia mais

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS SETEMBRO / 2005 SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS fl. de 7 Endereço Local Aprovado Data Rev. UNIOP-SP Av. Paulista, 06 São Paulo SP 9º, 5º, 7º e 8º andares JMn (SESMS) 0/08/ C Atividade Perigo Dano (Todas) Agressão Física Assédio Discriminação Energizadas

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora).

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora). Introdução Os acidentes do trabalho constituem a face visível de um processo de desgaste e destruição física de parcela da força de trabalho no sistema capitalista. O Brasil, depois de ocupar durante a

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA MATRIZ DE RISCO NA ATIVIDADE DE DEMOLIÇÃO COM A UTILIZAÇÃO DO MARTELO ROMPEDOR

CONSTRUÇÃO DA MATRIZ DE RISCO NA ATIVIDADE DE DEMOLIÇÃO COM A UTILIZAÇÃO DO MARTELO ROMPEDOR CONSTRUÇÃO DA MATRIZ DE RISCO NA ATIVIDADE DE DEMOLIÇÃO COM A UTILIZAÇÃO DO MARTELO ROMPEDOR CABRAL, Sabrina Gomes 1 RODRIGUES, Vagner Vilela 2 RESUMO Nos últimos anos, o setor da construção civil teve

Leia mais

CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE

CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES DE AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Leia mais

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS 1. EPI s (Equipamentos de Proteção Individuais): Equipamento de Segurança de fabricação nacional ou estrangeira destinado a proteger a integridade física

Leia mais

D-2608-2010. Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros. proficiência no

D-2608-2010. Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros. proficiência no D-2608-2010 Dräger Sua parceira no segmento de Bombeiros proficiência no corpo de bombeiros Se eu me sinto seguro com meu equipamento, posso combater os incêndios com mais eficácia. Confiança em ambientes

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

Mercado de equipamentos para fontes alternativas espera crescimento de 16% para 2013

Mercado de equipamentos para fontes alternativas espera crescimento de 16% para 2013 104 O Setor Elétrico / Maio de 2013 Mercado de equipamentos para fontes alternativas espera crescimento de 16% para 2013 Em um ano, a capacidade instalada de geração eólica aumentou 73%; crescimento da

Leia mais

Pesquisa 76 Automação e gerenciamento de energia. O Setor Elétrico / Dezembro de 2013. Divulgação: Ação Engenharia

Pesquisa 76 Automação e gerenciamento de energia. O Setor Elétrico / Dezembro de 2013. Divulgação: Ação Engenharia Pesquisa 76 Automação e gerenciamento de energia O Setor Elétrico / Dezembro de 2013 Divulgação: Ação Engenharia Bom ano para o mercado de automação Empresas do segmento de automação projetam crescimento

Leia mais

O certificado de aprovação (CA) de equipamentos de proteção individual (EPI s) como meio de certificação do produto

O certificado de aprovação (CA) de equipamentos de proteção individual (EPI s) como meio de certificação do produto O certificado de aprovação (CA) de equipamentos de proteção individual (EPI s) como meio de certificação do produto Márcio Siqueira (PUC Minas / POLI USP) marcio@comasi.com.br José Joaquim do Amaral Ferreira

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL OUT / 2011 Versão preliminar: 1 ELABORAÇÃO José Felipe de Oliveira Filho Lillian Caroline Pereira da Silva Roberto da Cunha Thais

Leia mais

Dräger Nós investimos em material e em pessoal para você. Dräger. Tecnologia para a Vida

Dräger Nós investimos em material e em pessoal para você. Dräger. Tecnologia para a Vida ST-804-2007 Dräger Nós investimos em material e em pessoal para você GUARDAS E MATERIAIS DE SEGURANÇA GESTÃO DE PARADAS PROGRAMADAS E DE ALUGUÉIS Dräger. Tecnologia para a Vida INTRODUÇÃO 02 ST-333-2008

Leia mais

Roupas de Proteção Anti-Chamas. Proteger a vida do trabalhador é a nossa Missão

Roupas de Proteção Anti-Chamas. Proteger a vida do trabalhador é a nossa Missão Roupas de Proteção Anti-Chamas Proteger a vida do trabalhador é a nossa Missão QUALYTEXTIL S.A. Empresa 100% brasileira. Líder em desenvolvimento e fabricação de EPI s especiais; Com a transparência de

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 8 2 REGRAS PARA AS EMPRESAS CONTRATADAS

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 8 2 REGRAS PARA AS EMPRESAS CONTRATADAS TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 8 1 PROGRAMA OBRAS SEGURAS 2 REGRAS PARA AS EMPRESAS CONTRATADAS 3 VOCÊ PARTICIPA DO PROGRAMA 4 VISITA TÉCNICA 5 PRINCIPAIS DESVIOS 6 SUSPENSÃO Programa Obras Seguras PROGRAMA

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO/FSDB

MANUAL DE SEGURANÇA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO/FSDB 2 3 Presidente da Mantenedora Padre Francisco Lima Diretor Sócio Padre Antonio de Assis Ribeiro Diretora Executiva Profa. Meire Terezinha Botelho de Oliveira Diretora Acadêmica Profa. Sandra Elaine Siqueira

Leia mais

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas;

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas; NORMA REGULAMENTADORA 6 NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI

Leia mais

Equipamentos para condicionamento de energia. Pesquisa Condicionamento de energia

Equipamentos para condicionamento de energia. Pesquisa Condicionamento de energia O Setor Elétrico / Maio de 2011 Pesquisa Condicionamento de energia Equipamentos para condicionamento de energia Pesquisa constatou que este mercado cresceu, em média, 22% em 2010 e espera crescimento

Leia mais

Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT

Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT Um Enfoque Frente a Tecnologias e Utilização de EPI s - NR10 d f G k Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT NR 10 Risco de Arco

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10

BOLETIM TÉCNICO. NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. 1. Introdução. 2. Porque da importância da NR-10 NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade 1. Introdução A Norma Regulamentadora n 10 é um documento que descreve um conjunto de procedimentos e requisitos para as atividades que envolvem

Leia mais

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS Autores Luiz Antonio Bueno Gerente da Divisão de Segurança e Higiene Industrial Sueli Pereira Vissoto Técnica de

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO PARA OS EXAMES DE CERTIFICAÇÃO ABRAMAN/PNQC

MANUAL DO CANDIDATO PARA OS EXAMES DE CERTIFICAÇÃO ABRAMAN/PNQC MANUAL DO CANDIDATO PARA OS EXAMES DE CERTIFICAÇÃO ABRAMAN/PNQC I. Exame Escrito Composto por questões de múltipla escolha. O candidato deverá apresentar-se no dia e horário agendado portando documento

Leia mais

Gerenciamento de crise

Gerenciamento de crise Pesquisa 62 Automação e gerenciamento de energia O Setor Elétrico / Dezembro de 2014 Gerenciamento de crise Eficiência energética, obtida pela gestão e da automação dos sistemas elétricos, é solução fundamental

Leia mais

Angelo Felipe Rando 1 João Luiz Kovaleski 2

Angelo Felipe Rando 1 João Luiz Kovaleski 2 OS POTENCIAIS RISCOS QUE A ATIVIDADE DE DESCARACTERIZAÇÃO E DESCONTAMINAÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR MEIO DO EQUIPAMENTO PAPA-LÂMPADAS" OFERECE AO TRABALHADOR. Angelo Felipe Rando 1 João Luiz Kovaleski

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Integração do Sistema de Gestão em Higiene Ocupacional conforme OHSAS 18001:2007 com o PPRA. Osny F. De Camargo Gerente de EHS 3M do Brasil Ltda.

Integração do Sistema de Gestão em Higiene Ocupacional conforme OHSAS 18001:2007 com o PPRA. Osny F. De Camargo Gerente de EHS 3M do Brasil Ltda. Integração do Sistema de Gestão em Higiene Ocupacional conforme OHSAS 18001:2007 com o PPRA Osny F. De Camargo Gerente de EHS 3M do Brasil Ltda. Programa Planejar métodos para identificação de perigos,

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs)

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA (EPCs) E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPIs) EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL O que são? Para que usá-los? - Proteção do contato com agentes infecciosos e substâncias

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual EPI.

Equipamentos de Proteção Individual EPI. Equipamentos de Proteção Individual EPI. Considera-se EPI todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e

Leia mais

1 Faculdade Santa Maria. 2 Faculdade São Francisco

1 Faculdade Santa Maria. 2 Faculdade São Francisco IMPORTÂNCIA DO USO DE EPI S EM EMPRESAS INCINERADORAS DE LIXO HOSPITALAR: VISÃO DO TRABALHADOR Suênia Kátia Gonçalves 1 Lidiane Leite Nobre 1 Maria Aparecida de Freitas 1 Ana Cláudia Cavalcante Silva 1

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS PROTEÇÃO CABEÇA E FACE CAPACETE PLASTCOR Ref: 200 CAPACETE - 3M Ref: 202 CAPACETE FOCUS TIPO III CLASSE A - MONTANA Ref: 204 CAPACETE COM ABAFADOR Ref: 205 ABAFADOR PROTEX - ZAPA Ref:

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 6 E P I Equipamento de Proteção Individual Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A sexta Norma Regulamentadora, cujo título é Equipamento de Proteção Individual (EPI), estabelece: definições legais,

Leia mais

3M Proteção Respiratória

3M Proteção Respiratória 3M Proteção Respiratória Mais segurança. Mais conforto. Mais produtividade. 3Inovação 3M Respiradores de Pressão Positiva Tecnologia traduzida em proteção e conforto que você só conhece depois de experimentar

Leia mais

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais 13 Guia básico Este material destina-se as empresas contratadas que prestam serviços e desenvolvem seus trabalhos

Leia mais

BIOSSEGURANÇA. Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica

BIOSSEGURANÇA. Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica BIOSSEGURANÇA Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica BIOSSEGURANÇA Biossegurança GERENCIAMENTO PONTO DE PARTIDA Risco O que entendemos por RISCO? CONCEITOS BÁSICOS RISCO (2000)

Leia mais

Pesquisa 92 Condicionamento de Energia e Grupos Geradores

Pesquisa 92 Condicionamento de Energia e Grupos Geradores Pesquisa 92 Condicionamento de Energia e Grupos Geradores Condicionamento de energia e grupos geradores Resolução da Aneel sobre geração distribuída deve estimular o mercado de grupos geradores e de equipamentos

Leia mais

REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS

REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS REDES DE COOPERAÇÃO PARA MELHORIA DOS AMBIENTES E PREVENÇÃO DE AGRAVOS NOS CANTEIROS DE OBRAS Ijuí 13/09/2012 José Enio Fontoura de Andrade Médico do Trabalho CEREST-Serra Deuteronômio 22.8 Quando edificares

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O PROTEÇÃO DA CABEÇA Capacetes de segurança utilizados para proteção da cabeça contra agentes meteorológicos (trabalho a céu aberto) e trabalhos em locais confinados, impactos provenientes de queda ou projeção

Leia mais