NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país."

Transcrição

1 NOÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. Pode até ser que a conhecida morosidade de nossa justiça e a dificuldade que as pessoas menos esclarecidas encontram para ter acesso a seus direitos cause ainda à grande sensação de que tudo aqui acabe em pizza, mas creiam confiar nisso é algo muito perigoso. Longe vai o tempo que os direitos eram apenas coisas a serem aprendidas em aulas escolares e que tudo ao final ficava por isso mesmo. Basta dar uma boa olhada na internet ou mesmo jornais diários para notar a quantidade de ações trabalhistas e para muitas delas as decisões tomadas pela justiça com valores que para aqueles que pagam pode parecer verdadeiro absurdo e por outro lado para aqueles que recebem acabam não devolvendo a vida ou a perda que tiveram. Nos últimos anos as grandes empresas vêm investindo fortemente em termos de prevenção de acidentes certamente isso ocorre em parte pela preocupação que tem com a possibilidade de um instante para outro se verem as voltas com algum processo. Infelizmente esta preocupação ainda não é comum em empresas de médio e pequeno porte ou menos ainda para aqueles que precisando fazer uma obra ou serviço de manutenção contratam empresas ou pessoas sem qualquer critério que seja. Mais do que nunca neste caso a citação de que o barato sai caro é uma verdade bastante palpável. Conhecemos casos de pessoas que de uma hora para outra se viram obrigadas a vender bens para fazer frente a indenizações por acidente do trabalho em suas obras de casas para própria moradia. De tudo temos a certeza de que não há em quaisquer pessoas a intenção de ferir, lesionar ou até mesmo matar alguém. O que ocorre na verdade é uma grande falta de informação aliada ao valor cultural do sempre foi assim e pronto. É preciso que todos entendam as implicações e responsabilidades objetivas que estão inseridas nesta relação e que tomem medidas para evitar que as lesões e mortes ocorram e por conseqüência que os problemas de ordem legal venham a existir. É preciso que se entenda que SEGURANÇA NO TRABALHO é um dever para quem faz uso do trabalho de outros é um DIREITO para aquele que trabalha. 1

2 Pode parecer para a maioria das pessoas que o ACIDENTE, o ADOECIMENTO ou OS FERIMENTOS advindos de uma atividade estejam distantes do campo das responsabilidades de cada um. Isso é um grande engano. Quem contrata, autoriza, permite ou supervisiona a realização de uma atividade tem RESPONSBAILIDADES LEGAIS sobre os problemas que aquela atividade possa causar a quem executa. Para aqueles que desejam realizar suas atividades sem causar danos a outras pessoas e que estamos escrevendo esta série de artigos nos quais trataremos de forma simples e objetiva temas que podem ser úteis no dia a dia. O primeiro destes temas é EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL e isso foi uma escolha que levou em conta a realidade da maioria dos locais de trabalho onde as condições desfavoráveis são bastante presentes e a possibilidade de investimentos para adequação e correção bastante remota. Os EPI sigla que quer dizer EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL não evitam ACIDENTES mas tem a capacidade de evitar ou pelo menos minimizar a ocorrência das lesões o que com certeza interessa a todos, tanto os que contratam como aquelas que executam o trabalho. Deve ficar claro que a aquisição e uso dos EPI não faz um ambiente trabalho melhor e nem mais seguro, mas com certeza ajudam a diminuir os problemas. Vamos lá? Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. Existem muitos tipos de equipamentos de proteção individual que são utilizados nas mais variadas atividades humanas. 2

3 O dedal utilizado pelas costureiras é um equipamento de proteção individual. A joelheira utilizada em diversos esportes também é um equipamento de proteção individual. No entanto para ser considerado como equipamento de proteção individual para locais e atividades de trabalho é obrigatório que o mesmo tenha Certificado de Aprovação conhecido como CA. Isso na prática quer dizer que aquele modelo EPI foi testado e aprovado por uma instituição competente e que para ele foi emitido uma Certificado de Aprovação Para verificar se o EPI atende a legislação basta observar nele o número do CA e consultar no site do Ministério do Trabalho e Emprego se o mesmo encontra-se dentro do prazo de validade. Se não encontrar o número do CA em alguma parte do EPI e ainda se o mesmo estiver com o CA vencido não forneça e nem faço uso do EPI. A própria legislação define em que ocasiões deve ser feito o FORNECIMENTO e o USO OBRIGATÓRIO dos equipamentos de proteção individual. São elas: Sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;, Para atender a situações de emergência. 3

4 A mesma legislação define ainda outras obrigações em relação ao EPI, das quais ressaltamos: OBRIGAÇÕES DO EMPREGADOR OU QUEM OBRIGAÇÕES DO TRABALHADOR CONTRATA adquirir EPI adequados ao risco de usar, utilizando-o apenas para a finalidade a cada atividade que se destina exigir seu uso responsabilizar-se pela guarda e conservação fornecer ao trabalhador somente EPI comunicar ao empregador qualquer com Certificado de Aprovação orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado; responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica alteração que o torne impróprio para uso cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado Portanto o simples fato de adquirir ou fornecer um EPI não quer dizer muita coisa pois há necessidade de também cumprir as demais obrigações, entre elas o adquirir EPI adequado a cada atividade, treinar os trabalhadores para o uso, substituir de imediato EPI com problemas ou desgastados e mais do que tudo EXIGIR QUE SEJA FEITO o uso que para nossa legislação é uma OBRIGAÇÃO LEGAL DO EMPREGADOR. É importante que isso seja tratado de forma clara porque em todas as partes encontramos pessoas que acreditam que fornecendo o EPI estão isentos de culpa no caso de um acidente o que não é verdade de forma alguma. Há uma grande variedade de tipos de EPI e esta variedade não diz respeito apenas à finalidade do uso, mas também a qualidade do equipamento. Em muitos locais de trabalho a recusa ao uso do EPI ocorre pelo fornecimento de equipamentos que são pelo menos desconfortáveis. Receber EPI com qualidade é um direito do trabalhador. A legislação prevê que a recusa INJUSTIFICADA ao uso do EPI é passível da punição seguindo os tramites disciplinares e podendo até mesmo chegar à demissão por justa causa, mas prestem atenção pois o desconforto evidente é claro por ser entendido como uma recusa JUSTIFICADA. Para que possamos ter uma idéia da variedade de tipos de EPI conforme a finalidade de uso apresentamos a seguir uma lista bastante completa que poderá ser útil. 4

5 PROTEÇÃO PARA A CABEÇA CAPACETE CAPUZ proteção contra impactos de objetos sobre o crânio proteção contra choques elétricos proteção do crânio e face contra riscos provenientes de fontes geradoras de calor nos trabalhos de combate a incêndio proteção do crânio e pescoço contra riscos de origem térmica proteção do crânio e pescoço contra respingos de produtos químicos proteção do crânio em trabalhos onde haja risco de contato com partes giratórias ou móveis de máquinas PROTEÇÃO PARA OS OLHOS E FACE OCULOS PROTETOR FACIAL proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes proteção dos olhos contra luminosidade intensa proteção dos olhos contra radiação ultra-violeta proteção dos olhos contra radiação infra-vermelha proteção dos olhos contra respingos de produtos químicos proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes proteção dos olhos contra respingos de produtos químicos proteção dos olhos contra radiação infra-vermelha proteção dos olhos contra luminosidade intensa 5

6 MASCARA DE SOLDA proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes proteção dos olhos contra luminosidade intensa proteção dos olhos contra radiação ultra-violeta proteção dos olhos contra radiação infra-vermelha PROTEÇÃO AUDITIVA PROTETOR AUDITIVO proteção do sistema auditivo contra níveis de pressão sonora Circum-auricular De Inserção Semi-auricular 6

7 PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA RESPIRADOR PURIFICADOR DE AR RESPIRADOR DE ADUÇÃO DE AR tipo linha de ar comprimido máscara autônoma de circuito aberto ou fechado proteção das vias respiratórias contra poeiras e névoas proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas e fumos proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos proteção das vias respiratórias contra vapores orgânicos ou gases ácidos em ambientes com concentração inferior a 50 ppm (parte por milhão); proteção das vias respiratórias contra gases emanados de produtos químicos proteção das vias respiratórias contra partículas e gases emanados de produtos químicos; proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos. (motorizado) proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração Imediatamente Perigosa à Vida e à Saúde e em ambientes confinados; proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração Imediatamente Perigosa à Vida e à Saúde e em ambientes confinados; RESPIRADOR FUGA DE proteção das vias respiratórias contra agentes químicos em condições de escape de atmosferas Imediatamente Perigosa à Vida e à Saúde ou com concentração de oxigênio menor que 18 % em volume. 7

8 PROTEÇÃO DO TRONCO VESTIMENTAS DE SEGURANÇA Aventais, casacos e outros Colete à prova de balas proteção ao tronco contra riscos de origem térmica, mecânica, química, radioativa e meteorológica e umidade proveniente de operações com uso de água. proteção do tronco contra riscos de origem mecânica PROTEÇÃO MEMBROS SUPERIORES LUVAS proteção das mãos contra radiações ionizantes proteção das mãos contra agentes abrasivos e escoriantes proteção das mãos contra agentes cortantes e perfurantes proteção das mãos contra choques elétricos proteção das mãos contra agentes térmicos proteção das mãos contra agentes biológicos proteção das mãos contra agentes químicos proteção das mãos contra vibrações 8

9 CREME PROTETOR proteção dos membros superiores contra agentes químicos MANGA proteção do braço e do antebraço contra choques elétricos proteção do braço e do antebraço contra agentes abrasivos e escoriantes proteção do braço e do antebraço contra agentes cortantes e perfurantes proteção do braço e do antebraço contra umidade proveniente de operações com uso de água proteção do braço e do antebraço contra agentes térmicos BRAÇADEIRA braçadeira de segurança para proteção do antebraço contra agentes cortantes. DEDEIRA para proteção dos dedos contra agentes abrasivos e escoriantes 9

10 PROTEÇÃO DOS MEMBROS INFERIORES CALÇADOS proteção contra impactos de quedas de objetos sobre os artelhos proteção dos pés contra choques elétricos proteção dos pés contra agentes térmicos proteção dos pés contra agentes cortantes e escoriantes proteção dos pés e pernas contra umidade proveniente de operações com uso de água proteção dos pés e pernas contra respingos de produtos químicos. MEIAS PERNEIRAS para proteção dos pés contra baixas temperaturas proteção da perna contra agentes abrasivos e escoriantes proteção da perna contra agentes térmicos proteção da perna contra respingos de produtos químicos proteção da perna contra agentes cortantes e perfurantes proteção da perna contra umidade proveniente de operações com uso de água 10

11 CALÇAS proteção das pernas contra agentes abrasivos e escoriantes proteção das pernas contra respingos de produtos químicos proteção das pernas contra agentes térmicos proteção das pernas contra umidade proveniente de operações com uso de água PROTEÇÃO PARA O CORPO INTEIRO MACACAO CONJUNTO formado por calça e blusão ou jaqueta ou paletó contra chamas contra agentes térmicos contra respingos de produtos químicos contra umidade proveniente de operações com uso de água contra agentes térmicos; contra respingos de produtos químicos; contra umidade proveniente de operações com uso de água contra chamas VESTIMENTA CORPO INTEIRO DE proteção de todo o corpo contra respingos de produtos químicos proteção de todo o corpo contra umidade proveniente de operações com água 11

12 PROTEÇÃO CONTRA QUEDA COM NIVEL DE DIFERENÇA DISPOSITIVO CONTRA QUEDA CINTURÃO Paraquedista proteção do usuário contra quedas em operações com movimentação vertical ou horizontal, quando utilizado com cinturão de segurança para proteção contra quedas. proteção do usuário contra riscos de queda em trabalhos em altura para proteção do usuário contra riscos de queda no posicionamento em trabalhos em altura 12

13 COMO DEVE SER FEITA A INDICAÇÃO DOS EPI Está claramente definido na legislação que a indicação de qualquer equipamento de proteção individual deve ser feita pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho SESMT(*), ou a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA(**) ou pelo Designado da CIPA, nas empresas desobrigadas de manter o SESMT. (*) SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medica do Trabalho, composto por Médicos do Trabalho, Engenheiros de Segurança, Enfermeiros e Auxiliares de Enfermagem do Trabalho e Técnicos de Segurança do Trabalho todos considerados pela legislação como profissionais especializados em Segurança e Medicina do Trabalho (**) CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Comissão composta dentro das empresas para cuidar dos assuntos de Segurança e Saúde no Trabalho. E obrigatória pela legislação para algumas empresas conforme o grau de risco e numero de trabalhadores aquelas que não se enquadram seja pelo grau de risco ou pela quantidade de empregadas devem designar um empregado para fazer as vezes da CIPA que deve ser treinado para tanto. No entanto muitas empresas ignoram isso e depois de conhecer a lista de EPI que vimos anteriormente não é difícil imaginar e saber que há por toda parte EPI sendo usados sem que se observe critérios para escolha e compra que não seja o preço. É importante que as empresas busquem ajuda com profissionais especializados (*) ou que de fato preparem alguém da CIPA (**) para esta tarefa. A seleção do EPI deve levar em conta: - Os riscos aos quais está exposto o trabalhador - As condições em que trabalha - A parte do corpo a proteger - As características do próprio trabalhador. Deve-se ainda levar em consideração: - que o EPI deve oferecer proteção eficaz - não deve causar riscos adicionais - ser compatíveis entre si quando ocorre o uso de mais de um EPI - ser confortáveis, robustos, leves e adaptáveis É importante que o trabalhador seja envolvido na escolha dos EPI opinando sobre modelos, conforto, etc. 13

14 GESTÃO DOS EPI De forma resumida sugerimos as seguintes ações em relação ao assunto: PASSO AÇÃO 1 Reconheça a possibilidade de ocorrer algum problema de Segurança e Saúde no Trabalho em atividade que esteja sob sua responsabilidade Se está contratando alguma empresa ou empreiteiro para realizar alguma atividade 2 exija que no contrato estejam claras as obrigações quanto a Segurança e Saúde no Trabalho e defina que deverá ser apresentado para recebimento comprovantes da aquisição de EPI. A cada vez que visitar a obra e verificar a falta do uso comunique por escrito o responsável da contratada e guarde cópia assinada pelo mesmo. Não aceite trabalhadores sem EPI em seu contrato. 3 Se sua empresa mantém contrato com empresa especializada em Segurança e Medicina do Trabalho solicite que a mesma faça e entregue uma Matriz de Indicação de EPI, ou seja uma descrição de todas as funções e os EPI que devem ser utilizados com os respectivos modelos (não marcas). Faça as aquisições conforme a Matriz e guarde-a junto aos documentos de Segurança e Saúde de sua empresa. Se o contrato prevê visitas dos profissionais exija que façam uma inspeção de EPI e comuniquem os resultados formalmente. 4 Oriente a área de compras no sentido de observar que EPI e para uso humano e que portanto além do critério preços deve ser levado em conta o conforto e comodidade. Vale lembrar que há no mercado EPI em valores bastante adequados que são de ótima qualidade. 5 Treine e oriente as pessoas para o uso, isso alem de servir como demonstração de interesse pelo assunto auxilia na padronização de entendimento quanto ao EPI. Muitos trabalhadores não tem percepção dos riscos dos seus locais de trabalho, explique com clareza as razões porque deve ser utilizado. 6 Sinalize os locais onde os EPI devem ser utilizados e também informe os trabalhadores por escrito e contra recibo os tipos de EPI que deve usar, a forma para troca e as sanções em caso de não uso. 7 Fiscalize o uso pessoalmente ou através de pessoas de sua confiança. Identificados casos de não uso tome ações sejam elas quais forem registradas e formalizadas. 8 Chame a atenção de todos quando encontrar EPI deixados em bancadas, caídos no piso, etc. Isso demonstra que o uso não vem sendo feito e implica em custos adicionais. EPI devem ser guardados alias Ordem, Arrumação e Limpeza são a base da segurança. 9 Tenha preocupações com o descarte adequado para cada tipo de EPI. 10 Seja o próprio exemplo Use os EPI Precisando de ajuda entre em contato Cosmo Palasio de Moraes Jr. 14

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Equipamento de Proteção Individual EPI Enquadramento NR 06 Anexo I A PROTEÇÃO DA CABEÇA Proteção da cabeça contra: A.1.1. Impactos de objetos sobre o crânio;

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Transcrito pela Nutri Safety * 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo

Leia mais

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio;

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1 - Capacete a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; b) capacete de segurança para proteção contra choques elétricos; c)

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Abrangência: empresas obrigadas a fornecer EPI aos trabalhadores. Conteúdo: lista completa de EPI s. Vigência:

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 194 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2010 (DOU de 08/12/10 Seção 1 Pág. 85) Altera a Norma

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. * Texto de acordo com a Portaria SIT/DSST 25/2001. * V. Portaria SIT/DSST 162/2006 (Estabelece procedimentos

Leia mais

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI Portarias de Alteração Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Portaria SSMT n.º 06, de 09 de março de 1983 14/03/83 Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91 Portaria DSST

Leia mais

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo:

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo: Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 007/03 Tema: Luvas de Procedimento I Data: 24/07/03 II Grupo de Estudo: Adolfo Orsi Parenzi. Clemilda Alvarenga Coelho Elen Cristina Queiroz Rezende Pinto

Leia mais

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008 Equipamento de Proteção Individual EPI A PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1. CAPACETE A.2. CAPUZ ou BALACLAVA ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Enquadramento NR 06 Anexo I Proteção da cabeça contra: A.1.1.

Leia mais

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 3 1.1. Por que usar EPI 3 2. RESPONSABILIDADES 4 2.1. Cabe ao empregador quanto ao EPI 4 2.2. Cabe ao empregado quanto ao EPI 5 2.3. Penalidades 5 3. DEFINIÇÃO DE EPI 5 4. OBJETIVO

Leia mais

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO Por Profa.Dra. Cyllene de M.OC de Souza Dra em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFRRJ), Mestre em Vigilância Sanitária (INCQS-FIOCRUZ) Supervisora

Leia mais

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS Aula 8 Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA Compreender os aspectos essenciais de Combate a Incêndio e os Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual. OBJETIVOS Ao final desta

Leia mais

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) Seja bem Vindo! Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 25hs Conteúdo Programático: Introdução O que é o Equipamento de Proteção Individual? Responsabilidades

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

Equipamento de Proteção Individual

Equipamento de Proteção Individual Equipamento de Proteção Individual NR 6 Equipamento de Proteção Individual De acordo com a NR-6 da Portaria nº 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Orientador Empresarial LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NR 06 - EPI-Equipamento de Proteção Individual - Alterações PORTARIA SIT/DSST

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 121, DE 30 DE SETEMBRO DE 2009 (D.O.U. de 02/10/09 Seção 1 Págs. 80 a 82) Estabelece as normas técnicas de ensaios e os

Leia mais

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Definição Conforme a NR 06: EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Item 6.1 - Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo

Leia mais

c) vestimenta condutiva para proteção de todo o corpo contra choques elétricos.

c) vestimenta condutiva para proteção de todo o corpo contra choques elétricos. c) vestimenta condutiva para proteção de todo o corpo contra choques elétricos. I - EPI PARA PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS COM DIFERENÇA DE NÍVEL (Alterado pela Portaria SIT n.º 292, de 08 de dezembro de 2011)

Leia mais

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 6 E P I Equipamento de Proteção Individual Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A sexta Norma Regulamentadora, cujo título é Equipamento de Proteção Individual (EPI), estabelece: definições legais,

Leia mais

Portaria 194 de 07/12/2010 altera a NR 06

Portaria 194 de 07/12/2010 altera a NR 06 Portaria 194 de 07/12/2010 altera a NR 06 A SECRETÁRIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO e a DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso das atribuições conferidas pelos arts. 14, inciso II,

Leia mais

Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011

Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011 Pesquisa 102 EPIs Mercado de EPIs espera crescimento de 12% em 2011 Vendas diretas ao consumidor final são principal meio de comercialização dos fabricantes de equipamentos de proteção individual De acordo

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA DE SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA DE SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA DE SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 407, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2013 (D.O.U. de 18/11/2013 Seção 1 Págs. 102 a

Leia mais

Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI)

Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

Segurança do Trabalho II. Paulo Roberto da Costa

Segurança do Trabalho II. Paulo Roberto da Costa Segurança do Trabalho II Paulo Roberto da Costa Santa Maria - RS 2013 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Colégio Técnico

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

Saúde e segurança no ambiente de trabalho. A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade. Pesquisa. EPIs

Saúde e segurança no ambiente de trabalho. A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade. Pesquisa. EPIs 114 EPIs Saúde e segurança no ambiente de trabalho A importância dos EPIs e EPCs na execução de serviços com eletricidade 115 Os equipamentos de proteção individual e de proteção coletiva, conhecidos como

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: NORMA TÉCNICA APLICÁVEL AOS EPI S DE PROTEÇÃO CONTRA FRIO

ANEXO AO COMUNICADO: NORMA TÉCNICA APLICÁVEL AOS EPI S DE PROTEÇÃO CONTRA FRIO ANEXO AO COMUNICADO: NORMA TÉCNICA APLICÁVEL AOS EPI S DE PROTEÇÃO CONTRA FRIO Abrangência: empresas obrigadas a fornecer EPI aos trabalhadores. Conteúdo: normas técnicas aplicáveis aos EPI. Vigência:

Leia mais

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 407, DE 14 DE NOVEMBRO DE Altera a Portaria SIT n.º 121/2009. ANEXO II

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 407, DE 14 DE NOVEMBRO DE Altera a Portaria SIT n.º 121/2009. ANEXO II SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 407, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2013 Altera a Portaria SIT n.º 121/2009. O SECRETÁRIO DE INSPEÇÃO DO TRABALHO, no uso das atribuições conferidas pelo art. 14, inciso

Leia mais

Aula 6 Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC)

Aula 6 Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) Aula 6 Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) Minimizar contaminação no local de trabalho Minimizar riscos ao trabalhador Norma Regulamentadora 6 (NR-6) Adquirir

Leia mais

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas;

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas; NORMA REGULAMENTADORA 6 NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI

Leia mais

Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho CEUNES / UFES Prof. Manuel Jarufe Introdução à Segurança do Trabalho O que é a função Segurança do Trabalho? Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas

Leia mais

EPI Conforme Norma Regulamentadora NR 6, Equipamento de Proteção Individual EPI Fundamento Legal Artigo 166 da CLT A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, equipamento de proteção

Leia mais

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EP I) - NR 6 Em muitos servicos, o trabalhador precisa

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO/FSDB

MANUAL DE SEGURANÇA FACULDADE SALESIANA DOM BOSCO/FSDB 2 3 Presidente da Mantenedora Padre Francisco Lima Diretor Sócio Padre Antonio de Assis Ribeiro Diretora Executiva Profa. Meire Terezinha Botelho de Oliveira Diretora Acadêmica Profa. Sandra Elaine Siqueira

Leia mais

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7)

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE 3 RESPONSABILIDADE DA CONTRATADA 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Concórdia- SC 2014 1 EDICLÉIA KARINE

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento para EPI - Equipamento de Proteção Individual

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento para EPI - Equipamento de Proteção Individual Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Identificação: PROSHISET 16 Revisão: 00 Folha: 1 de 10 1. Definição -EPI, é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à

Leia mais

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência...

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência... A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural Gianfranco Pampalon E o homem, a natureza equipou com inteligência... 1 Definição: 6.1 EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual

Leia mais

3M Proteção Respiratória

3M Proteção Respiratória 3M Proteção Respiratória Mais segurança. Mais conforto. Mais produtividade. 3Inovação 3M Respiradores de Pressão Positiva Tecnologia traduzida em proteção e conforto que você só conhece depois de experimentar

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança e Higiene no Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIV Protecção Individual um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI 1. FINALIDADE: Regulamentar a utilização do Equipamento de Proteção Individual EPI, no âmbito do DEMLURB, a fim de proporcionar melhores

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 26 Sobre os Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, de

Leia mais

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2)

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2) NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso

Leia mais

PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA EM ESPAÇOS CONFINADOS SITUAÇÕES IPVS MAURÍCIO TORLONI

PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA EM ESPAÇOS CONFINADOS SITUAÇÕES IPVS MAURÍCIO TORLONI PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA EM ESPAÇOS CONFINADOS SITUAÇÕES IPVS MAURÍCIO TORLONI 2010 Manual de Proteção Respiratória Uma publicação da ABHO Maurício Torloni e Antonio Vladimir Vieira PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA

Leia mais

Norma Regulamentadora 06. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.

Norma Regulamentadora 06. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1. Norma Regulamentadora 06 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.0 - jun/13 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto

Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto Fiscal Segurança do Trabalho Caderno de Exercícios Lucas Neto 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. CADERNO DE EXERCÍCIOS 800 QUESTÕES NORMAS REGULAMENTADORAS MINISTÉRIO

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho Norma Regulamentadora 06 Segundo a NR 06, EPI é: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC GRANVILLE EQUIPAMENTOS DE SEGURANCA CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades

Leia mais

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 Aprova as Normas Regulamentadoras - NR - do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão

Procedimento Operacional Padrão Data de Vigência: Página 1 de 5 1- Objetivo: Estabelecer e padronizar os procedimentos de manutenção e uso dos Equipamentos de Proteção Individual para controlar riscos ambientais e ocupacionais. 2- Aplicação:

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual EPI.

Equipamentos de Proteção Individual EPI. Equipamentos de Proteção Individual EPI. Considera-se EPI todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

Surg Light. Manual do Usuário

Surg Light. Manual do Usuário Surg Light Manual do Usuário FINALIDADE O Surg Light é um equipamento utilizado como fonte de luz, nas especialidades médicas (otorrinolaringologia, dermatologia), odontológicas (cirurgias bucomaxilo facial,

Leia mais

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores.

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores. protrespsimples.doc Um guia para os usuários de respiradores, escrito de forma simples e de fácil entendimento. Mantenha este guia sempre à mão, releia-o periodicamente e conte sempre com a ajuda do seu

Leia mais

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora).

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora). Introdução Os acidentes do trabalho constituem a face visível de um processo de desgaste e destruição física de parcela da força de trabalho no sistema capitalista. O Brasil, depois de ocupar durante a

Leia mais

Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho NR 6 -EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA- EPC -EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Profª. Eng. Civil Me. Elizabeth Cox Alunos: Julia Chaebo Guilherme Otavio Gonçalves Pereira Paula

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Higiene e Segurança no Trabalho Capítulo IV EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (NR-6), D.Sc. 1/29 Equipamento de Proteção Individual (EPI) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR,

Leia mais

3 Prevenir acidentes é dever de todos

3 Prevenir acidentes é dever de todos A U A UL LA Prevenir acidentes é dever de todos Introdução Acidente zero! Essa é uma meta que deve ser alcançada em toda empresa. Com a redução dos acidentes poderão ser eliminados problemas que afetam

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO FALANDO SOBRE NEXO EPIDEMIOLOGICO Um dos objetivos do CPNEWS é tratar de assuntos da área de Segurança e Medicina do Trabalho de forma simples de tal forma que seja possível a qualquer pessoa compreender

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS ( NR ) PORTARIA Nº 3.214, DE 08 DE JUNHO DE 1978 O MINISTRO DO ESTADO, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto no artigo 200, da Consolidação

Leia mais

2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO

2 APLICAÇÃO 3 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 5 TERMINOLOGIA 6 DESCRIÇÃO DO PROCESSO Aprovado ' Elaborado por Rodolfo Ferreira/BRA/VERITAS em 20/10/2015 Verificado por Cintia Kikuchi em 20/10/2015 Aprovado por Ricardo Fontenele/BRA/VERITAS em 20/10/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C.I.P.A. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CURSO DE FORMAÇÃO DE CIPEIROS ÍNDICE PÁGINA INTRODUÇÃO 002 RISCOS AMBIENTAIS 003 MAPA DE RISCOS 004 ACIDENTE DO TRABALHO 006 CAUSAS DOS ACIDENTES 007

Leia mais

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho A Consolidação das Leis do Trabalho foi aprovada pelo decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de l.943. Em seu art. 1º a Consolidação estatui as normas

Leia mais

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL Prof. Joaquim Ribeiro 6. Conceito e importância da Ergonomia Origem nas palavras gregas: ergon (trabalho) e nomos (regras). 6.

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE DESENVOLVIMENTO DA SEGURANÇA DO TRABALHO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE DESENVOLVIMENTO DA SEGURANÇA DO TRABALHO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE DESENVOLVIMENTO DA SEGURANÇA DO TRABALHO Por: Amadeu Bueno Centola Orientadora Profª. Fabiane Muniz Rio de Janeiro 2010 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

RETIFICAÇÃO ERRATA: LEGISLAÇÃO DO TRABALHO

RETIFICAÇÃO ERRATA: LEGISLAÇÃO DO TRABALHO ERRATA: LEGISLAÇÃO DO TRABALHO Nossa legislação do trabalho, retirada do site www.normaregulamentadora.com.br, atualizou algumas NRs após a publicação da nossa apostila. Por esse motivo, estamos disponibilizando

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) PCC 2302 Gestão da Produção na Construção Civil Profº Francisco Ferreira Cardoso Juliana Bueno Silva Thales Landgraf Soraia Regina

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Norma N-134.0002 Estabelece as diretrizes da política de segurança e saúde do trabalho na Celesc, definindo

Leia mais

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de Objetivos Sensibilizar os operadores de Ponte Rolante quanto à necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de ocorrência de acidentes. Adotar procedimentos de rotina,

Leia mais

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX 1 Sumário Treinamento específico e essencial.... 3 Manutenção, serviço e armazenamento.... 3 Inspeção... 3 Uso... 4 Tempo de vida do Produto.... 4 Garantia... 4

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO SESMT - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Aline Barbosa Pinheiro Prof. Andréia Alexandre Hertzberg Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Graduação Tecnológica

Leia mais

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Prefeitura Municipal de Curitiba Instituto Municipal de Administração Pública - IMAP Plano de Desenvolvimento de Competências II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Curitiba 2009 Beto Richa Prefeito

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais