APRESENTAÇÃO DAS NRS 1, 3, 8, 12, 18 E 24

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRESENTAÇÃO DAS NRS 1, 3, 8, 12, 18 E 24"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO DAS NRS 1, 3, 8, 12, 18 E 24 Prof(a).: Elizabeth Cox Curso: Engenharia Civil Alunos: Ane Caroline Camelo André Bonatto Jaqueline Reolon Lícia Carvalho Coelho SEGURANÇA DO TRABALHO

2 NR 1 DISPOSIÇÕES GERAIS Cabe ao empregador: a)cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho; b)elaborar ordens de serviço sobre segurança e saúde no trabalho, dando ciência aos empregados por comunicados, cartazes ou meio eletrônicos;

3 NR 1 DISPOSIÇÕES GERAIS c)informar aos trabalhadores: I. os riscos profissionais que possam originar-se nos locais de trabalho; II. os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa; III. os resultados dos exames médicos e de exames complementares de diagnóstico aos quais os próprios trabalhadores forem submetidos; IV. os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.

4 NR 1 DISPOSIÇÕES GERAIS d) permitir que representantes dos trabalhadores acompanhem a fiscalização dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho; e) determinar procedimentos que devem ser adotados em caso de acidente ou doença relacionada ao trabalho.

5 NR 1 DISPOSIÇÕES GERAIS Cabe ao empregado: a) cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e saúde do trabalho, inclusive as ordens de serviços expedidas pelo empregador; b) usar EPI fornecido pelo empregador; c) submeter-se aos exames médicos previstos nas Normas Regulamentadoras NR; d) colaborar com a empresa na aplicação das Normas Regulamentadoras NR;

6 NR 1 DISPOSIÇÕES GERAIS Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento do disposto no item anterior. O não-cumprimento das disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho acarretará ao empregador a aplicação das penalidades na legislação pertinente.

7 NR 3 EMBARGO OU INTERDIÇÃO São medidas de urgência, adotadas a partir da constatação de situação de trabalho que possa causar acidente ou doença relacionada ao trabalho com lesão grave à integridade física do trabalhador. A interdição implica a paralisação total ou parcial do estabelecimento, setor de serviço, máquina ou equipamento.

8 NR 3 EMBARGO OU INTERDIÇÃO O embargo implica a paralisação total ou parcial da obra. Durante a vigência da interdição ou do embargo, podem ser desenvolvidas atividades necessárias à correção da situação de grave e iminente risco, desde que adotadas medidas de proteção adequadas dos trabalhadores envolvidos. Durante a paralisação decorrente da imposição de interdição ou embargo, os empregados devem receber os salários como se estivessem em efetivo exercício.

9 NR 8 EDIFICAÇÕES Estabelece requisitos técnicos mínimos que devem ser observados nas edificações, para garantir segurança e conforto aos que nelas trabalhem. Os locais de trabalho devem ter pé direito, de acordo com as posturas municipais, atendidas as condições de conforto, segurança e salubridade. Circulação: Os pisos dos locais de trabalho não devem apresentar saliências nem depressões que prejudiquem a circulação de pessoas ou a movimentação de materiais. As aberturas nos pisos e nas paredes devem ser protegidas de forma que impeçam a queda de pessoas ou objetos.

10 NR 8 EDIFICAÇÕES Os pisos, as escadas e rampas devem oferecer resistência suficiente para suportar cargas móveis e fixas, para as quais a edificação se destina. As rampas e escadas fixas de qualquer tipo devem ser construídas de acordo com as normas técnicas oficiais e mantidas em perfeito estado de conservação. Nos pisos, escadas, rampas, corredores e passagens dos locais de trabalho, onde houver perigo de escorregamento, serão empregados materiais ou processos antiderrapantes. Os andares acima do solo devem dispor de proteção contra queda.

11 NR 8 EDIFICAÇÕES Proteção contra intempéries: Devem ser observadas, obrigatoriamente, as normas técnicas oficiais relativas à resistência ao fogo, isolamento térmico, isolamento e condicionamento acústico, resistência estrutural e impermeabilidade. Os pisos e as paredes dos locais de trabalho devem ser, sempre que necessário, impermeabilizados e protegidos contra a umidade. As coberturas dos locais de trabalho devem assegurar proteção contra as chuvas. As edificações dos locais de trabalho devem ser projetadas e construídas de modo a evitar insolação excessiva ou falta de insolação.

12 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM PRINCÍPIOS GERAIS 12.1 Esta norma regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças no trabalho nas fases de projeto e de utilização de maquinas e equipamentos de todos os tipos, e ainda a sua fabricação, importação, comercialização, exposição e cessão a qualquer título em todas as atividades econômicas, sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas Regulamentadoras, nas normas técnicas oficiais e, na ausência ou omissão destas, nas normas internacionais aplicáveis.

13 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM 12.2 As disposições desta Norma referem-se a máquinas e equipamentos novos e usados, exceto nos itens em que houver menção especifica quanto a sua aplicabilidade O empregador deve adotar medidas de proteção para o trabalho em máquinas e equipamentos, capazes de garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores, e medidas apropriadas sempre que houver pessoas com deficiência envolvida direta ou indiretamente no trabalho.

14 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM 12.4 São consideradas medidas de proteção, a ser adotadas nessa ordem de prioridade: a) Medidas de proteção coletiva; b) Medidas administrativas ou de organização do trabalho; e c) Medidas de proteção individual A concepção de máquinas deve atender ao princípio da falha segura.

15 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM ARRANJO FÍSICO E INSTALAÇÕES a) Locais de instalações de máquinas e equipamentos e as áreas de circulação devem ser devidamente demarcadas; b) As áreas de circulação devem estar desobstruídas; c) Os materiais devem ser alocados em áreas específicos para armazenamento e devidamente demarcadas; d) Os espaços ao redor das máquinas e equipamentos devem ser adequados ao seu tipo e ao tipo de operação, de forma a prevenir a ocorrência de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho;

16 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM e) Os pisos dos locais de trabalho e das áreas de circulação devem ser mantidos limpos, livres de objetos e quaisquer materiais que ofereçam riscos, ter características de modo a prevenir riscos provenientes de graxas, óleos e outras substâncias escorregadias, e ser nivelados e resistentes às cargas que estão sujeitos; f) As ferramentas devem ser armazenadas e dispostas em locais específicos g) As máquinas estacionárias devem possuir medidas preventivas quanto a sua estabilidade;

17 Foto de armazenamento de material

18 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM INSTALAÇÕES E DISPOSITIVOS ELÉTRICOS a) Devem ser projetadas e mantidas de modo a prevenir os choques elétricos, incêndio, explosão e outros tipos de acidentes, conforme previsto na NR 10; b) Devem ser aterrados; c) Quando em contato direto ou indireto com água ou agente corrosivos devem ser projetados com dispositivos que garantam a sua blindagem e isolamento; d) Os condutores de alimentação elétrica e os quadros de energia devem atender requisitos mínimos de segurança; e) As ligações e derivações devem ser feitas mediante dispositivos apropriados;

19 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM f) As instalações elétricas que utilizarem energia elétrica fornecida por fonte externa devem possuir dispositivo protetor contra sobrecorrente; g) São proibidas nas máquinas e equipamentos: a utilização de chaves geral como dispositivo de partida e parada, a utilização de chaves tipo faca nos circuitos elétricos, e a existência de partes energizadas expostas de circuitos que utilizam energia elétrica; h) As baterias devem atender os requisitos mínimos de segurança; i) Os serviços e substituições de baterias devem ser realizados conforme indicação do manual de operação.

20 Foto da maquina de solda

21 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM DISPOSITIVOS DE PARTIDA, ACIONAMENTO E PARADA. a) Devem ser projetados, selecionados e instalados de modo que: Não se localizem suas zonas perigosas; Possam ser acionados ou desligados em caso de emergência por outra pessoa que não seja o operador; Impeçam acionamento ou desligamento involuntário pelo operador ou por qualquer outra forma acidental Não acarretem riscos adicionais;e Não possam ser burlados.

22 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM b) Devem possuir dispositivos que impeçam seu funcionamento automático ao serem energizadas; c) Nas maquinas cuja operação requeira a participação de mais de uma pessoa, o numero de dispositivos de acionamento simultâneo deve corresponder ao numero de operadores; d) Devem ser adotadas medidas adicionais de alerta como sinal visual e dispositivos de telecomunicações quando necessárias.

23 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM SISTEMAS DE SEGURANÇA a) As zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem possuir sistemas de segurança, caracterizados por proteções fixas, proteções moveis e dispositivos de segurança interligados, que garantam a proteção à saúde e a integridade física dos trabalhadores.

24 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM b) Os sistemas de segurança devem ser selecionados e instalados de modo a atender aos seguintes requisitos: Ter categoria de segurança conforme prévia análise de riscos previstos nas normas técnicas oficiais vigentes; Estar sob a responsabilidade técnica de um profissional habilitado; Possuir conformidade técnica com o sistema de comando a que são integrados; Instalação de modo que não possam ser burlados ou neutralizados; Manterem-se sob vigilância automática; Paralisação dos movimentos perigosos e demais riscos quando ocorrerem falhas ou situações anormais de trabalho.

25 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM c) Considera-se proteção o elemento especificamente utilizado para prover segurança por meio de barreira física; d) Consideram-se dispositivos de segurança os componentes que, por si só ou interligados ou associados a proteções, reduzam os risco de acidentes e de outros agravos à saúde; e) A proteção deve ser móvel quando o acesso a uma zona de perigo for requerido uma ou mais vezes por turno de trabalho; f) Em função do risco, poderá ser exigido projeto, diagrama ou representação esquemática dos sistemas de segurança de máquinas, com respectivas especificações técnicas em língua portuguesa;

26 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM g) As proteções devem ser projetadas e construídas de modo a atender aos seguintes requisitos de segurança: Cumprir suas funções apropriadamente durante a vida útil da maquina ou possibilitar a reposição de partes deterioradas ou danificadas; Ser constituídas de materiais resistentes e adequados a contenção de projeção de peças, materiais e partículas; Fixação firme e garantia de estabilidade e resistência mecânica compatíveis com os esforços requeridos; Não criar pontos de esmagamento ou agarramento com partes da maquinas ou com outras proteções; Não possuir extremidades e arestas cortantes ou outras saliências perigosas; Resistir as condições ambientais do local onde estão instaladas; Impedir que possam ser burladas; Proporcionar condições de higiene e limpeza; Impedir o acesso a zona de perigo; Ter seus dispositivos de intertravamento protegidos adequadamente contra sujidade, poeiras e corrosão, se necessário; Ter ação positiva, ou seja, atuação de modo positivo,;e Não acarretar riscos adicionais.

27 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM DISPOSITIVOS DE PARADA DE EMERGÊNCIA a) As máquinas devem ser equipadas com um ou mais dispositivos de parada de emergência; b) Os dispositivos de parada de emergência não devem ser utilizados como dispositivos de partida; c) A parada de emergência deve exigir rearme, a ser realizado somente após a correção do evento que motivou o acionamento da parada de emergência.

28 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) Os dispositivos de parada de emergência devem: Ser selecionados de forma a suportar as condições de operações previstas; Ser usados como medida auxiliar; Possuir acionadores posicionados em locais de fácil acesso e atuação; Prevalecer sobre todos os outros comandos; Provocar a parada da operação ou processo perigoso em período de tempo tão reduzido quanto tecnicamente possível, sem provocar riscos suplementares; Ser mantidos sob monitoramento por meio de sistemas de segurança;e Ser mantidos em perfeito estado de funcionamento

29 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MEIOS DE ACESSO PERMANENTES a) As maquinas e equipamentos devem possuir acessos permanentemente fixados e seguros a todos os seus pontos de operação abastecimento, inserção de matérias-primas e retirada de produtos trabalhados, preparação, manutenção e intervenção constante. b) Consideram-se meios de acesso elevadores, rampas, passarelas, plataformas ou escadas de degraus; c) Os locais de trabalho acima do nível do solo devem possuir plataforma de trabalho estáveis e seguras;

30 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) As passarelas, plataformas, rampas e escadas de degraus devem propiciar condições seguras de trabalho, circulação, movimentação e manuseio de materiais e: Ser dimensionadas, construídas e ficadas de modo seguro e resistente; Ter pisos e degraus constituídos de materiais ou revestimentos antiderrapantes; Ser mantidas desobstruídas;e Ser localizadas e instaladas de modo a prevenir riscos de queda, escorregamento, tropeçamento e dispêndio excessivo de esforços físicos pelos trabalhadores ao utilizalas.

31 Foto da escada

32 Foto da rua

33 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM COMPONENTES PRESSURIZADOS a) Devem ser adotadas medidas adicionais de proteção de mangueiras, tubulações e demais componentes pressurizados ; b) As mangueiras, tubulações e demais componentes pressurizados devem ser localizados ou protegidos de tal forma que uma situação de ruptura desses componente e vazamentos de fluidos, não possa ocasionar acidentes de trabalho; c) As mangueiras utilizadas nos sistemas pressurizados devem possuir indicação de pressão máxima de trabalho admissível especificada pelo fabricante;

34 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) Os sistemas pressurizados das maquinas devem possuir meios ou dispositivos destinados a garantir que: A pressão máxima de trabalho admissível não possa ser excedida;e Quedas de pressão progressivas ou bruscas e perdas de vácuo não possam gerar perigo. e) Os recipientes contendo gases comprimidos devem permanecer em perfeito estado de conservação e funcionamento e ser armazenados em depósitos bem ventilados, protegidos contra quedas, calor e impactos acidentais.

35 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM TRANSPORTE DE MATERIAIS a) Os movimentos perigosos dos transportadores contínuos de materiais devem ser protegidos; b) Os transportadores de materiais somente devem ser utilizados para o tipo e capacidade de carga para os quais foram projetados; c) Os cabos de aço, correntes, eslingas, ganchos e outros elementos de suspensão ou tração e suas conexões devem ser adequados ao tipo de material e dimensionados para suportar os esforços solicitantes;

36 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) É proibida a permanência e a circulação de pessoas sobre as partes em movimento, ou que possam ficar em movimento, dos transportadores de materiais; e) Os transportadores contínuos acessíveis aos trabalhadores devem dispor, ao longo de sua extensão, de dispositivos de parada de emergência; f) Durante o transporte de materiais suspensos devem ser adotadas medidas de segurança visando a garantir que não haja pessoas sob a carga.

37 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM ASPECTOS ERGONÔMICOS a) As máquinas e equipamentos devem ser projetados, construídos e mantidos atendendo os seguintes aspectos: Atender a variabilidade das características antropométricas dos operadores Respeitar as exigências posturais, cognitivas, movimentos e esforços físicos dos operadores; Os componentes como monitores de vídeo, sinais e comandos, devem possibilitar o entendimento claro; Os comandos e indicadores devem representar, sempre que possível, a direção do movimento; Os sistemas interativos devem ser coerentes em sua aparência e função; Favorecer o desempenho e a confiabilidade das operações; Reduzir a exigência de força, pressão, flexão, extensão ou torção dos segmentos corporais; A iluminação deve ser adequada e ficar disponível em situações de emergência.

38 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM RISCOS ADICIONAIS a) São considerados riscos adicionais: Substâncias perigosas quaisquer; Radiações ionizantes Radiações não ionizantes com potencial de causar danos a saude ou integridade física dos trabalhadores; Vibrações Ruído; Calor; Combustíveis, inflamáveis, explovisos e substancias que reagem perigosamente; e Superfícies aquecidas que apresentem riscos de queimaduras causadas pelo contato com a pele. b) Devem ser adotadas medidas de controle dos riscos adicionais

39 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MANUTENÇÃO, INSPEÇÃO, PREPARAÇÃO, AJUSTES E REPAROS a) As máquinas e equipamentos devem ser submetidos a manutenção preventiva e corretiva, na forma e periodicidade determinada pelo fabricante; b) As manutenções preventivas devem ser registradas em livro próprio, ficha ou sistema informatizado e deve ficar disponível aos trabalhadores envolvidos na operação, manutenção e reparo, bem como a CIPA, o SESMT e a fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego;

40 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM c) Devem ser executados quando se fizerem necessárias, por profissionais capacitados, qualificados ou legalmente habilitados, formalmente autorizados pelo empregador, com as maquinas e equipamentos parados; d) Sempre que detectado qualquer defeito em peça ou componente que comprometa a segurança, deve ser providenciada sua reparação ou substituição imediata por outra peça ou componente original equivalente, de modo a garantir as mesmas características e condições seguras de uso.

41 SINALIZAÇÃO NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM a) As máquinas e equipamentos, bem como as instalações em que se encontram, devem possuir sinalização de segurança para advertir os trabalhadores e terceiros sobre riscos a que estão expostos, as instruções de operação e manutenção e outras informações necessárias para garantir a integridade física e a saúde dos trabalhadores; b) A sinalização compreende a utilização de cores, símbolos, inscrições, sinais luminosos ou sonoros... c) A sinalização de segurança deve: Ficar destacada na maquina ou equipamento Ficar em localização claramente visível; e Ser de fácil compreensão.

42 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) Exceto quando houver previsão em outras Normas Regulamentadores, devem ser adotadas as seguintes cores para a sinalização de segurança das maquinas e equipamentos: Amarelo: 1. Proteções fixas e móveis exceto quando os movimentos perigosos estiverem enclausurados na própria carenagem ou estrutura da maquina ou equipamento, ou quando tecnicamente inviável; 2. Componentes mecânicos de retenção, dispositivos e outras partes destinadas a segurança; e 3. Gaiola das escadas, corrimãos e sistemas de guarda-corpo e rodapé. Azul: comunicação de paralisação e bloqueio de segurança para manutenção.

43 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM e) As máquinas e equipamentos fabricados a partir da vigência desta Norma devem possuir em local visível as informações indeléveis, contendo no mínino: Razão social, CNPJ e endereço do fabricante ou importador; Informação sobre tipo, modelo e capacidade; Numero de serie ou identificação, e ano de fabricação; Numero de registro do fabricante ou importador no CREA; e Peso da máquina ou equipamento.

44 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MANUAIS a) As máquinas e equipamentos devem possuir manual de instruções fornecido pelo fabricante ou importador, com informações relativas a segurança em todas as fases de utilização; b) Quando inexistente ou extraviados, o manual de máquinas ou equipamentos que apresentem riscos deve ser reconstituído pelo empregador, sob a responsabilidade de profissional legalmente habilitado; c) Eles devem: Ser escritos na língua portuguesa Brasil; Ser objetivos e claros Ter sinais ou avisos referentes a segurança realçados; e Permanecer disponíveis a todos os usuários nos locais de trabalho

45 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM PROCEDIMENTOS DE TRABALHO E SEGURANÇA a) Devem ser elaborados procedimentos de trabalho e segurança específicos, padronizados, com descrição detalhada de cada tarefa, passo a passo, a partir da analise de risco; b) Ao inicio de cada turno de trabalho ou após a nova preparação da maquina, o operador deve efetuar inspeção rotineira das condições de operacionalidade e segurança;

46 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM c) Os serviços em maquinas e equipamentos que envolvam risco de acidentes de trabalho devem ser precedidos de ordens de serviço OS, contendo, no mínimo: A descrição do serviço; A data e o local de realização; O nome e a função dos trabalhadores; e Os responsáveis pelo serviço e pela emissão da OS, de acordo com os procedimentos de trabalho e segurança.

47 Fotos de sinalizaçao

48 Fotos de sinalizaçao

49 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM CAPACITAÇÃO a) A operação, manutenção, inspeção e demais intervenções em maquinas e equipamentos devem ser realizadas por trabalhadores habilitados, qualificados, capacitados ou autorizados para este fim; b) Os trabalhadores envolvidos na operação, manutenção, inspeção e demais intervenções em maquinas e equipamentos devem receber capacitação providenciada pelo empregador e compatível com suas funções; c) Os operadores de maquinas e equipamentos devem ser maiores de dezoito anos, salvo a condição de aprendiz, nos termos de legislação vigente;

50 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM d) A capacitação deve: Ocorrer antes que o trabalhador assuma a sua função; Ser realizada pelo empregador, sem ônus para o trabalhador; Ter carga mínima que garanta aos trabalhadores executarem suas atividades com segurança, sendo distribuída em no Maximo oito horas diárias e realizada durante o horário normal de trabalho; Ter conteúdo programático; Ser ministrada por trabalhadores ou qualificados para este fim, com supervisão de profissional legalmente habilitado que se responsabilizara pela adequação do conteúdo, forma, carga horária, qualificação dos instrutores e avaliação dos capacitados.

51 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM PRENSAS a) Prensas são maquinas utilizadas na conformação e corte de materiais diversos, nas quais o movimento do martelo punção, é proveniente de um sistema hidráulico pneumático cilindro hidráulico ou pneumático, ou de um sistema mecânico, em que o movimento rotativo se transforma em linear por meio de sistemas de bielas, manivelas, conjunto de alavancas ou fusos.

52 NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM DISPOSIÇÕES FINAIS a) O empregador deve manter inventario atualizado das maquinas e equipamentos com identificação por tipo, capacidade, sistemas de segurança e localizado em planta baixa, elaborado por profissional qualificado ou legalmente habilitado. b) Toda documentação referida nesta norma, deve ficar disponível para o SESMT, CIPA, sindicatos representantes da categoria profissional e fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego.

53 NR 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDUSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.

54 NR 18 CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDUSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.2 COMUNICAÇÃO PRÉVIA - Obrigações antes do início das atividades: a) endereço correto da obra; b) endereço correto e qualificação (CEI,CGC ou CPF) do contratante, empregador ou condomínio; c) tipo de obra; d) datas previstas do início e conclusão da obra; e) número máximo previsto de trabalhadores na obra.

55 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Instalações sanitárias: Definições: Aparelho sanitário, Gabinete sanitário e Banheiro. Sanitários com área satisfatória de 1,00 m², separados por sexo, limpos e desprovidos de odores, Vasos sanitários sifonados e caixa de descarga externa de ferro fundido, material plástico ou fibrocimento. Chuveiros de metal ou plástico e registro de metal de meia altura. Mictório liso e impermeável com descarga, pode ser do tipo calha ou cuba. Tipo calha: a cada 60 cm equivale a 1 mictório. Lavatórios poderão ser do tipo calha, com torneiras de metal. Espaçadas a cada 60 cm e 1 torneira a cada 20 funcionários. Provido de material para limpeza e secagem das mãos, proibindo-se toalhas coletivas.

56 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Atividades insalubres: 1 lavatório a cada 10 funcionários. Banheiros dotados de chuveiros deverão: Mantidos limpos, em local adequado, ter portas de acesso, ter piso e parede revestidos de material resistente, liso, impermeável e lavável. Atividades insalubres: 1 chuveiro a cada 10 trabalhadores. A redução do número de mictórios ou chuveiros poderá ser reduzida se homologada pelo Delegado Reginal do Trabalho. Os pisos deverão ser impermeáveis, laváveis, de acabamento liso, inclinado para os ralos (sifonados).

57 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Cobertura: estrutura de madeira ou metálica, com telhas cerâmicas ou de fibrocimento e algumas translúcidas e de ventilação de 4 em 4 metros. Janelas: com vidros incolores e translúcidos, 45º de inclinação totalizando 1/8 da área do piso e 1,5 m de peitoril. Fiação protegida com eletroduto e instalação hidráulica com caixa d água elevada para abastecer 60 litros diários por trabalhador. Não deverão se comunicar diretamente com locais de trabalhos nem com os refeitórios.

58 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Gabinetes sanitários: Individuais, ventilados para o exterior, divisórias de 2,10m de altura suspensas 15cm do piso e portas independente.

59 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Vestiários: Caso exija troca de roupa, haverá vestiário com armários individuais e separado por sexo. De aço, madeira ou outro material de limpeza. Área: Mínimo 1,5m² para 1 trabalhador. Pisos impermeáveis, laváveis, de acabamento liso, inclinados para o ralo (sifonado). Cobertura: estrutura de madeira ou metálica, com telhas cerâmicas ou de fibrocimento e algumas translúcidas e de ventilação de 4 em 4 metros. Janelas: com vidros incolores e translúcidos, 45º de inclinação totalizando 1/8 da área do piso e 1,5 m de peitoril.

60 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Refeitórios: Obrigatório em estabelecimento com mais de 300 funcionários. Área de 1,00m² por empregado, abrigando, 1/3 dos empregados por turno. Circulação principal com largura de 0,75m, entre bancos deverá ser 0,55m. Piso impermeável, revestido de cerâmica, plástico ou outro material lavável. Cobertura: estrutura de madeira ou metálica, com telhas cerâmicas ou de fibrocimento.

61 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO O teto poderá ser de laje de concreto, estuque, madeira ou outro material adequado. Paredes revestidas com material liso, resistente e impermeável, até altura de 1,50m. Fornecimento de água potável através de copos individuais ou bebedouros de jato inclinado e lavatórios instalados próximos. Mesas de tampo liso e de material impermeável, bancos ou cadeiras. Estabecimentos com 30 a 300 empregados, os trabalhadores deverão ter condições suficientes de conforto para a ocasião das refeições. Ter estufa, fogão ou similar para aquecer as refeições.

62 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Cozinha: As áreas da cozinha e do deposito de alimentos deverá ter 35% e 20%, respectivamente, da área do refeitório e ter ligação para que sejam servidas as refeições. Paredes: Alvenaria de tijolo comum, em concreto ou em madeira, com revestimento de material liso, resistente, impermeável e lavável. Portas: Metálicas ou madeira (1,00m x 2,10m). Janelas: Madeira ou ferro (0,60m x 0,60m), protegidas com telas. Lavatórios com água corrente, dispondo de sabão e toalhas.

63 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Alojamento: Capacidade máxima de 100 operários por dormitório. Ter 1 pavimento, podendo ter, no máximo, 2 pisos quando a área da construção for insuficiente. Área de circulação interna com no mínimo 1,00m. Paredes: Alvenaria de tijolo comum, em concreto ou em madeira, com revestimento de material liso, resistente e impermeável. Pisos impermeáveis, laváveis e com acabamento áspero. Cobertura: estrutura de madeira ou metálica, com telhas cerâmicas ou de fibrocimento e não haverá forro.

64 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Portas: Metálicas ou madeira (1,00m x 2,10m), a cada 100 funcionários. Caso exista corredor, deverá ter uma porta em cada extremidade. Janelas: Madeira ou ferro (0,60m x 0,60m), com peitoril de 1,60m. Ligação do alojamento com sanitário com portas de no mínimo de 0,80m x 2,10m. Pinturas das paredes, portas, janelas, móveis e utensílios. Alvenaria: Tinta a base plástica. Ferro: Tinta a óleo. Madeira: Tinta especial retardante à ação do fogo.

65 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO As camas poderão ser de estrutura metálica ou de madeira. Armários poderão ser de aço ou de madeira e individuais. No caso de 2 pisos deverá haver 2 escadas de saída com 1,00 metro de largura a cada 100 operários, no mínimo. Todos os quartos devem ser limpos, sanitários desinfetados todos os dias, lixo retirado diariamente, proibida instalação de eletrodoméstico e fogareiro.

66 NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Condições de higiene e conforto por ocasião das refeições: A empresa deverá orientas os trabalhadores da importância da refeição e hábitos saudáveis. Caso o trabalhador trazer a própria refeição, garantir a conservação e higiene adequada.

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Órgão Responsável pelo Estabelecimento Endereço CNAE Inspetor (es) DADOS DA INSPEÇÃO Estabelecimento Contato Numero de Servidores Referências

Leia mais

18.4. Áreas de vivência

18.4. Áreas de vivência 18.4. Áreas de vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; (118.015-0 / I4) b) vestiário; (118.016-9 / I4) c) alojamento; (118.017-7 / I4) d) local de refeições;

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.4 Áreas de Vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d)

Leia mais

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 24.1 Instalações Sanitárias 24.1.1 Todo estabelecimento deve ser dotado de instalações sanitárias, constituídas por vasos sanitários,

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 197, de 17 de dezembro de 2010 17 de outubro 2011 Eng João Baptista Beck Pinto REVISÃO NR-12 Art. 2º Criar a Comissão Nacional Tripartite

Leia mais

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2)

NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) NR 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (118.000-2) Resumo da NR 18 para áreas de vivência 18.1. Objetivo e campo de aplicação. 18.1.1. Esta Norma Regulamentadora NR

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA.

QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS CONDIÇÕES DAS ÁREAS DE VIVÊNCIA DOS CANTEIROS DE OBRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. O presente trabalho é resultado de um consenso estabelecido

Leia mais

NOVA NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS e EQUIPAMENTOS. Engº Marco Brito TEROTEC/CPS- Cel. 81-99615110 terotecbrito10@gmail.

NOVA NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS e EQUIPAMENTOS. Engº Marco Brito TEROTEC/CPS- Cel. 81-99615110 terotecbrito10@gmail. Engº Marco Brito TEROTEC/CPS- Cel. 81-99615110 terotecbrito10@gmail.com Engº Marco Brito TEROTEC/CPS- Cel. 81-99615110 terotecbrito10@gmail.com CONSTITUIÇÃO FEDERAL Decreto Lei 5452, de 1 de maio de 1943

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

Regras para Usuários. Proposta de Texto

Regras para Usuários. Proposta de Texto NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Regras para Usuários Proposta de Texto 12.1 Princípios Gerais 12.1.1. Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO. PORTARIA N.º 320 DE 23 DE MAIO DE 2012 (D.O.U. de 24/05/2012 - Seção 1 - pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO. PORTARIA N.º 320 DE 23 DE MAIO DE 2012 (D.O.U. de 24/05/2012 - Seção 1 - pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 320 DE 23 DE MAIO DE 2012 (D.O.U. de 24/05/2012 - Seção 1 - pág. 63) Submete a Consulta Pública a proposta de alteração

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Regras para Usuários

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Regras para Usuários NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Regras para Usuários (Minuta de proposta do setor industrial) 12.1 Princípios Gerais 12.1.1. Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências

Leia mais

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 24.1 Instalações sanitárias 24.1.1 Denomina-se, para fins de aplicação da presente NR, a expressão: a) aparelho sanitário: o equipamento

Leia mais

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 24.1 Instalações sanitárias. NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho 24.1.1 Denomina-se, para fins de aplicação da presente NR, a expressão: Publicação D.O.U. Portaria GM n.º

Leia mais

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho Publicação ATUAL PROPOSTA COMENTÁRIOS

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho Publicação ATUAL PROPOSTA COMENTÁRIOS NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho Publicação ATUAL PROPOSTA COMENTÁRIOS 1. Instalações Sanitárias 2. Vestiários 3. Refeitórios 4. Cozinhas 5. Alojamento 6. Condições de

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho (124.000-5)

NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho (124.000-5) NR 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho (124.000-5) 24.1. Instalações sanitárias. 24.1.1. Denomina-se, para fins de aplicação da presente NR, a expressão: a) aparelho sanitário:

Leia mais

b) gabinete sanitário: também denominado de latrina, retrete, patente, cafoto, sentina, privada, WC, o local destinado a fins higiênicos e dejeções;

b) gabinete sanitário: também denominado de latrina, retrete, patente, cafoto, sentina, privada, WC, o local destinado a fins higiênicos e dejeções; 24 - Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho (124.000-5) 24.1. Instalações sanitárias. 24.1.1. Denomina-se, para fins de aplicação da presente NR, a expressão: a) aparelho sanitário:

Leia mais

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sumário 12.1 Princípios Gerais 12.2 Arranjo físico e instalações 12.3 Instalações e dispositivos elétricos 12.4 Dispositivos de partida, acionamento

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS I IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome: Endereço: AP: Nome Fantasia: Inscrição Municipal: Nº do Processo: CNPJ: Tipo de Serviço: ( ) Municipal ( ) Filantrópico ( ) Conveniado SUS RJ ( ) Privado ( ) Estadual

Leia mais

NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Princípios Gerais NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Atualizações D.O.U. Portaria SSST n.º 12, de 06 de junho

Leia mais

NR-12 -SEGURANÇA EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sumário

NR-12 -SEGURANÇA EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sumário NR-12 -SEGURANÇA EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sumário 12.1 Princípios Gerais 12.2 Arranjo físico e instalações 12.3 Instalações e dispositivos elétricos 12.4 Dispositivos de partida, acionamento e parada

Leia mais

Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355.

Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Sócio do Grupo Rumo Engenharia www.rumoengenharia.com.br Telefone: (15) 3331-2300 Celular: (15) 9 9742-9819 Diretor da Área de Engenharia

Leia mais

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral Exemplo de Relatório de Auditoria Geral Período 29/1/2009 Reavaliação para 15//2009 Dados da Auditoria Auditoria: Cliente: Setor: Nr Funcionários: Dt. Início: Dt. Término Usou a NR: Exemplo de Relatório

Leia mais

Regras para Fabricantes. Texto Proposta

Regras para Fabricantes. Texto Proposta NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Regras para Fabricantes Texto Proposta 12.1.1. Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios fundamentais e

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 Normas Regulamentadoras do trabalho, trabalho rural..objetivos ESPECÍFICOS Apresentar o modelo legal de organização,

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Atualizações D.O.U. Portaria SSST n.º 12, de 06 de junho de 1983 14/06/83

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR-12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 1 - CONTEÚDO Parte Geral Corpo da Norma Princípios Gerais Arranjo físico e instalações Instalações e dispositivos elétricos Dispositivos de partida,

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Regras para Fabricantes e Importadores

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Regras para Fabricantes e Importadores NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 12.1 Princípios Gerais Regras para Fabricantes e Importadores (Minuta de proposta do setor industrial) 12.1.1. Esta Norma Regulamentadora e seus

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SINDINOVA

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SINDINOVA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SINDINOVA PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO DE SEGURANÇA 8h às 10h - Palestra SESI Segurança do Trabalho Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho PPRA/PCMSO Normas regulamentadoras:

Leia mais

A Nova NR12. AFT Aida Cristina Becker

A Nova NR12. AFT Aida Cristina Becker A Nova NR12 AFT Aida Cristina Becker Fevereiro 2011 DOU 24 de dezembro 2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 197, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 Altera a Norma

Leia mais

Segurança e Saúde no Trabalho

Segurança e Saúde no Trabalho Segurança e Saúde no Trabalho Autor: Flávio O. Nunes Auditor Fiscal do Trabalho w w w. e c o n c u r s a n d o. c o m. b r w w w. p r o f e s s o r f l a v i o n u n e s. c o m. b r 1 Resumo de Segurança

Leia mais

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS (Redação dada pela Portaria SIT n.º 197, de 17/12/10) Princípios Gerais Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos

NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos Ministério do Trabalho e Emprego Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho NR 12 - Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos Fabricação, Importação, Comércio

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R E I R A D O N A S C I M E N T O

S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R E I R A D O N A S C I M E N T O Modificações recentes e em fase de aprovação para trabalhos com andaimes, gruas e elevadores de obras dentro do âmbito federal e municipal S I N D U S C O N S P 1 8 / 0 2 / 2 0 1 1 A N T O N I O P E R

Leia mais

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS (Redação dada pela Portaria SIT n.º 197, de 17/12/10) Princípios Gerais Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

Leia mais

PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas. Eng. Almir Buganza. Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014

PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas. Eng. Almir Buganza. Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014 PALESTRA NR 12: Suas alterações e as mudanças de paradigmas Eng. Almir Buganza Grupo Rumo Engenharia 18/11/2014 Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA 5060267355. Sócio do Grupo Rumo Engenharia

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02

RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE. Julho 2011 Revisão 02 RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTOS DE SAÚDE Julho 2011 Revisão 02 2 INTRODUÇÃO Os Centros de Saúde incluídos nesta categoria são unidades que foram construídas recentemente e que

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Cassius Marcellus Zomignani Departamento Sindical - DESIN NORMA REGULAMENTADORA 24 A Norma Regulamentadora 24 do Ministério do Trabalho e

Leia mais

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR NOME DA EMPRESA CHECK LIST - NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 Empresa: Inspetor (es): Data da Inspeção: / / Responsável pelo Local de Trabalho / Setor: Local de Trabalho / Setor: ITENS DESCRIÇÃO SIM DA INSPEÇÃO

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO MÓDULO 11 SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO 11.4 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO/VESTIÁRIOS/ REFEITÓRIOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 11.4. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO/VESTIÁRIOS/REFEITÓRIOS...

Leia mais

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho Sinalização de Segurança As cores na segurança do trabalho Funções das cores na segurança Prevenção de Acidentes; Identificar os equipamentos de segurança; Delimitando áreas; Identificação de Tubulações

Leia mais

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA GRANJAS AVÍCOLAS:

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA GRANJAS AVÍCOLAS: Sant Ana do Livramento-RS Cidade Símbolo de Integração Brasileira com os Países do Mercosul" Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária, Abastecimento- SMAPA- SIM- Serviço de Inspeção Municipal NORMAS

Leia mais

FELOC ATIBAIA 06-05-2015

FELOC ATIBAIA 06-05-2015 FELOC ATIBAIA 06-05-2015 ANO Desabamento e soterramento Choque Acidentes Fatais Queda na Construção de Civil Queda Município de elevador SP Equipamentos Diversos elétrico operários de objetos 1997 6

Leia mais

b) Instalações de fornecimento de gás; c) Ressarcimento dos danos causados direta ou indiretamente a alimentos e utensílios domésticos;

b) Instalações de fornecimento de gás; c) Ressarcimento dos danos causados direta ou indiretamente a alimentos e utensílios domésticos; CAPITALIZAÇÃO É com grande satisfação que esta Sociedade de Capitalização oferece ao Titular do Título de Capitalização o benefício denominado Reparos Emergenciais, a seguir descritos: 1. DEFINIÇÕES 1.1.

Leia mais

NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 Dispõe sobre as diretrizes básicas para a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, destinados

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

NOVOS PACOTES DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL - A partir de 16/06/2015

NOVOS PACOTES DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL - A partir de 16/06/2015 NOVOS PACOTES DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL - A partir de 16/06/2015 Para as contratações e renovações, a partir de 16/06/2015, os planos disponíveis serão: a) Serviço para casa (Plus Casa) Plus Casa Chaveiro

Leia mais

PROPOSTA DE MODIFICAÇÃO DA NR-12 (VERSÃO DE 28/05/2013) CORPO PRINCIPAL. Análise Realizada pela Empresa/Entidade: Pessoa para Contato: e-mail:

PROPOSTA DE MODIFICAÇÃO DA NR-12 (VERSÃO DE 28/05/2013) CORPO PRINCIPAL. Análise Realizada pela Empresa/Entidade: Pessoa para Contato: e-mail: PROPOSTA DE MODIFICAÇÃO DA NR-12 (VERSÃO DE 28/05/2013) CORPO PRINCIPAL Análise Realizada pela Empresa/Entidade: Pessoa para Contato: e-mail: Texto Proposto - COMIT Comentário Nossa Proposta Justificativa

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Anexo I da NR-14 (Condições Sanitárias e de Conforto Aplicáveis a Trabalhadores do Transporte Rodoviário em Atividade Externa)

CONSULTA PÚBLICA Anexo I da NR-14 (Condições Sanitárias e de Conforto Aplicáveis a Trabalhadores do Transporte Rodoviário em Atividade Externa) MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação do Anexo I (Condições Sanitárias e de Conforto

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO M1 D4 - PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS EM MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES I

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO M1 D4 - PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS EM MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO M1 D4 - PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS EM MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES I GUIA DE ESTUDO DA PARTE II - MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS (NR-12)

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero

Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos. Eng. Valdemir Romero Segurança em edificações existentes construídas há mais de 15 anos Eng. Valdemir Romero Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Agenda Objetivos Ações propostas Justificativas Riscos Segurança

Leia mais

Roteiro de Inspeção LACTÁRIO. Realiza Programa de Saúde do Trabalhador com controle periódico, admissional e demissional

Roteiro de Inspeção LACTÁRIO. Realiza Programa de Saúde do Trabalhador com controle periódico, admissional e demissional GOVERO DO ETADO DO RIO DE JAEIRO ECRETARIA DE ETADO DE AÚDE COORDEAÇÃO DE FICALIZAÇÃO AITÁRIA CARACTERIZAÇÃO Roteiro de Inspeção LACTÁRIO úmero de funcionários úmero de nutricionistas Responsável técnico:

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

PROJETO DE NORMA BRASILEIRA

PROJETO DE NORMA BRASILEIRA PROJETO DE NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 9050 Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos Acessibility to buildings, equipment and the urban environment Palavras-chave: Descriptors:

Leia mais

NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS

NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS NR - 18 - APLICADA EM CANTEIROS DE OBRAS ELVIO LUIZ LORIERI DIR. CANTEIRO DE OBRAS DA ALEC. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS WWW.ALEC.ORG.BR PARA IMPLANTAÇÃO DE UM CANTEIRO DE OBRA, DEVEMOS

Leia mais

Matéria: Normas Regulamentadoras Aula 01: Integração e Código de ética do Técnico em Segurança PLANO DE CURSO

Matéria: Normas Regulamentadoras Aula 01: Integração e Código de ética do Técnico em Segurança PLANO DE CURSO PLANO DE CURSO Capítulo v da CLT e o meio ambiente do trabalho e a competência das empresas na saúde e segurança do trabalho; Código de ética do técnico em segurança Norma regulamentadora 1 disposições

Leia mais

Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção. 17 de agosto de 2012

Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção. 17 de agosto de 2012 Qualificação e capacitação dos trabalhadores em Segurança do Trabalho na Indústria da Construção 17 de agosto de 2012 Capacitação Habilitação O que é previsto nas normas e requisitos de segurança no trabalho

Leia mais

PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE

PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE DOCUMENTO COMPLEMENTAR 05 PROJETO DE QUALIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE BELO HORIZONTE RELATÓRIO TÉCNICO ORIENTATIVO PARA REVITALIZAÇÃO DOS CENTROS DE SAÚDE ÍNDICE A. INTRODUÇÃO...

Leia mais

DD-27 GERADOR DE OZÔNIO

DD-27 GERADOR DE OZÔNIO DD-27 GERADOR DE OZÔNIO MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA www.deox.com.br Página 1 de 6 SUMÁRIO 1 INSTRUÇÕES GERAIS... 2 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO... 2 3 INSTALAÇÃO... 3 3.1 SOLICITAÇÕES

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

30/03/2011. Matéria: Legislações e Normas Técnicas. Professor: Gustavo Fonseca. Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras

30/03/2011. Matéria: Legislações e Normas Técnicas. Professor: Gustavo Fonseca. Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras Matéria: Legislações e Normas Técnicas Professor: Gustavo Fonseca Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras A Constituição Federal de 1988 estabeleceu a competência privativa

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778.4561 Normas Regulamentadoras Portaria nº 3.214 de 08 de Junho de 1978.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NORMA REGULAMENTADORA n.º 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

Leia mais

Aula 04 Normas e Estratégias de Acessibilidade A NBR9050 Setembro, 2013

Aula 04 Normas e Estratégias de Acessibilidade A NBR9050 Setembro, 2013 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Curso de Especialização em Arquitetura da Habitação de Interesse Social ERGONOMIA E ACESSIBILIDADE Aplicada à

Leia mais

SIMULADOS - Professor Flávio Nunes Segurança e Saúde no Trabalho

SIMULADOS - Professor Flávio Nunes Segurança e Saúde no Trabalho 1. Com base na CLT e com a Norma Regulamentadora 07 (PCMSO), julgue os itens a seguir. I. Quando na fase de reconhecimento dos riscos ambientais não for detectado risco específico, o controle médico poderá

Leia mais

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rua Doutor Faivre, 888 - Fone: (41) 3264-4211 Fax: (41) 3264-4292 01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA NOME: CNPJ: ENDEREÇO: MUNICÍPIO: CEP: FONE / FAX: PROPRIETÁRIO: ENCARREGADO: 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES

Leia mais

A - IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

A - IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA ANEXO II REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS PECUÁRIOS ROTEIRO DE INSPEÇÃO DAS BOAS

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 9 - DOCUMENTO BASE - STANGHERLIN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA - FILIAL

Leia mais

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem.

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA 26.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR tem por objetivo fixar as

Leia mais

NR 23 - NORMA REGULAMENTADORA 23 PROTEÇÃO CONTRA INCENDIOS

NR 23 - NORMA REGULAMENTADORA 23 PROTEÇÃO CONTRA INCENDIOS NR 23 - NORMA REGULAMENTADORA 23 PROTEÇÃO CONTRA INCENDIOS 23.1 Disposições gerais. 23.1.1 Todas as empresas deverão possuir: a) proteção contra incêndio; b) saídas suficientes para a rápida retirada do

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

RESOLUÇÃO SESA nº 0162/05 DOE 14/02/05

RESOLUÇÃO SESA nº 0162/05 DOE 14/02/05 RESOLUÇÃO SESA nº 0162/05 DOE 14/02/05 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições, de acordo com o disposto na Lei Federal nº 8080/90, artigos 15, I e XI, 17, III e XI e na Lei Estadual

Leia mais