ISSN CARACTERIZAÇÃO AGRO-SÓCIO-ECONÔMICA DE UNIDADES AGRÍCOLAS DE ASSENTAMENTOS DE MANAUS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN CARACTERIZAÇÃO AGRO-SÓCIO-ECONÔMICA DE UNIDADES AGRÍCOLAS DE ASSENTAMENTOS DE MANAUS"

Transcrição

1 ISSN MINISTÉRIO DA PRODUTIVIDA DE E Q DA U I AL D E AGRICULTURA CARACTERIZAÇÃO AGRO-SÓCIO-ECONÔMICA DE UNIDADES AGRÍCOLAS DE ASSENTAMENTOS DE MANAUS Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Ocidental Ministério da Agricultura e do Abastecimento Rodovia AM-010, Km 29, Caixa Postal 319,CEP Fone (092) Fax (092) Manaus, AM

2 República Federativa do Brasil Presidente Fernando Henrique Cardoso Ministério da Agricultura e do Abastecimento Ministro Francisco Sérgio Turra Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Diretor-Presidente Alberto Duque Portugal Diretores-Executivos Elza Ângela Battaggia Brito da Cunha Dante Daniel Giacomelli Scolari José Roberto Rodrigues Peres Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Ocidental Chefe Geral Eduardo Alberto Vilela Morales Chefe Adjunto Administrativo Hideo Hiramatsu Chefe Adjunto de Apoio Técnico Dorremi Oliveira Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento José Jackson Barcelar Nunes Xavier

3 Levantamento detalhado dos solos do IPEAAOc! "#. (IPEAAOc. $%&'()* +,),% " -. / 01 Land use practices in Ouro Preto do Oeste Rondônia, Brazil 2 )34'5 6)7%*'(&,)',' )6))%! 8# 2 )34' ()%& 9%7(%7: 9&),()% ";<= 1$ 1 / / >. ->/ 0 3' Amazônia : desenvolvimento, integração e ecologia. São Paulo5 $7)&)''? ;" )% 3' >')7%5 $ 8 # A / B > Aspectos sócio-econômico da atividade agropecuária desenvolvida por uma amostra de produtores no Estado do Amazonas 5 $C ;8 " # $C %,*'(%! Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Ocidental Ministério da Agricultura e do Abastecimento =="C!"; CARACTERIZAÇÃO AGRO-SÓCIO-ECONÔMICA DE UNIDADES AGRÍCOLAS DE ASSENTAMENTOS DE MANAUS >%+ '(%7 3' %7'D% 3' % '&,)*7 ') % 0),'(' 1 %7' >)'& ' % ;

4 EMBRAPA-CPAA. Documentos, 20 E'*#&7' 3'( #9&),DF% #%3'* '7 %&),)(3% G5 *97# *HI),)3'(& %3%6) == 2*! '&'J%'5 $A =!!!!=!K!! =!!"! ;= K!! == )E %(&5 " C = =,#%,#'*97#97 Tiragem5 "== 'E'*#&7' Comitê de Publicações %77'*) &)6')77')3'(' %'& 3 )&6 76%#&'(' 3% 7')3'(' %9'76& %(')7% $'H'77 3' )* 7)),' &)6')7 73%% '9()F% 3' %#' 3 )&6 &*)7 %( %6% ' 747'(L ')7%H 3% (% $7(L%&% )6M) 3' )* N4'& 7) %(' ')(' Suplentes $77'(% '7'H)L $()( 7,) Diagramação & Arte: &3')&% )* )&6 O > 3' 3'/ 3'/ 01 > Caracterização agro-sócio-econômica de unidades agrícolas de assentamentos de Manaus. 5 $C ; # $C %,*'(%!= =="C!"; 47),&(7 J*)&)7 P %,)%&%4) ',%I*), C $7)& P *H% I *97# '(7% 3' '?) 47%J&%7'(& 3 *HI),)3'(& * II Q(&% III +7)' ""; *97# ; #7%3DF% )*& #7',' 3' #%, )*#%7(M,),%*'7,)& #%7 '7'*,7)3% *) #7 9)(R,)?' #7 6'3 J&( 3' %74)HDF% #7%3DF% ',%*'7,)&)HDF% %,)3 J&( 3' )J7C'(7(7 3'?3 7'(7)4'* % 3''6%&6)*'(% S,)%C',%I*),% 3% #7%3(%7' % '(*'(% '(33% < EQUIPE QUE PARTICIPOU NA APLICAÇÃO DOS QUESTIONÁRIOS '?)3%7' 3 $5 3' % '&,)*7 ') % >%+ '(%7 3' & %7'D% 0),'(' 1 %7' 7) 3% %,%77% )?')7 BIBLIOGRAFIA $ '#7(*'(%,)%& 3' 7%3DF% )'7& 7%T'(% $. Folha SA Manaus: geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra )% 3' >')7% ;!; # 7%T'(% $ '6(*'(% 3' ',7% (7) ; B >/ 3 Pesquisa em nível de propriedade: o caso da tecnologia de arroz em várzea amazonenses 5 $C ;" <# $C %,*'(%! > 3' /.1. >/ U. 1 / 0 / / 1 $ 3 / 0 / $$ Validação e transferência de tecnologia no cerrado: novo enfoque %)M5 < "# E#'7)*'(DF% %,*'(% Solos do Distrito Agropecuário da SUFRAMA #

5 8 *)%7) 3% #7%3(%7' '(7'6)(3% 6'3'* ' #7%3(% 3)7'(*'(' #7 %,%*+7,)% 3' % '(7'4* '* 6V7)% #%(% 3,)33' % #7 6)H)L% % 3)7'(*'(' #7 %,%*)3%7 )('7*'3)V7)% ('* (DF% 3),7'( '' '(*'(% 4'7&*'(' F%,%*'7,)(' )(&3% '* #'7*'7,3% % L%(+)?' &4* 6'H' JH'* ',%*'3 3' #%&# 3' J7( 3)7'(*'(' &4 #7%3(%7' J&( 3' %74)HDF% #7%3DF% ',%*'7,)&)HDF% %,)3 J&( 3' )J7C'(7(7 3'?3 (),%*% '(73 6),)) ' (7#%7(' )*,%*% #%&Q(), 4%6'7*'() #7 #7'D% 3' #7%3(% 7'*'* *)%7' &)*)(DW' 'J7'(3 #'&% #7%3(%7' % '(*'(% '(33% Propostas de soluções *)%7) 3% #7%3(%7' 3*)('?' *)(% #7%9&'* '(7(7) '7)* J,)&*'(' 7'%&6)3% (76+ 3 %74)HDF% 3' #7%3(%7' ' 3' #%&Q(), 4%6'7*'()?' #'7*)()'* )('* 3',7+3)(% 9)3)3% *'&L%7) 3 )J7C'(7(7 3 '(73 6),)) ' 3% (7#%7(' )*,%*% 47() 3' 6'3 ' 3' #7'D%,%*'7,)&)HDF% 3% #7%3(% 47Q,%& *9+*,7'3)(*?' * )(R,) (+,), *) 'J),)'(' ' #'?) 6%&(3 #7 %,%(7%&' 3 6%7C3'C97E ' #7 47%)3X(7) '7)* %&DW'?',%(7)9)7)*,%)3'76'&*'(' #7 %&DF% 3% #7%9&'* (+,),% ' #7 % 3''6%&6)*'(% 3 47),&(7 7'4)%& SUMÁRIO OZ < OZ OZ ; OZ = [ 8 < CONCLUSÕES ),'% ',%I*),% + % #7),)#& J(%7 3' *)47DF% 3% #7%3(%7' #7,#)(& 'K% %(7% '(*'(% J74*'(DF% 'K% 47'4DF% 3' &%(' + 7'&(3% ((% 3,%*#7 3' &%(' 3T,'(',%*% 3 3)6)F% 3% &%(',%* J*)&)7' % 6'3 3' #7(' 3% &%(',%*% &('7()6 3' 6)9)&)H7 % 7'((',&()6% 3' 9)(R,) ' 3' '#+,)' #'7'' J%7* *) J7'?Y'(' % )('* 3' % 3 ('77 3% '(*'(% '(33%

6 9)E J'7()&)33' (7& 3% %&% 3' ('77 J)7*' 'E)4' ()&)HDF% 3' 39% #7 *('7 % *'(7 #7%3DF% 3,&(7 )*#%7(M,) 3'' )*% J%) 3*)()3 #%7,'7, 3' 8\ 3% #7%3(%7'?' ()&)H* '('7,% #7 39DF% 3',&(7 #'7'' 3'*) #7%3(%7',%* *'% #%' 'K%,%L',)*'(% 3',&77* 7,)H,%6 3 J7(')7,%*% J%7* 3' 39DF% Limitações dos sistemas de produção *)%7' 3)J),&33' % 3''6%&6)*'(% 3 47),&(7 ' 3% #7%3(%7' % '(*'(% 6&)3% #%3'* '7 7'*)3 '* &)*)(DW' (+,), ' '(7(7) i) técnicas 9)E J'7()&)33' (7& 3% %&% J%) )3'()J),3 #%7!\ 3% #7%3(%7',%*% #7),)#& &)*)(DF% % % 3 ('77 '?(% 8\,%)3'7% J&( 3' '*'(' ' *3 J&( 3' %7)'(DF% (+,), %97' *'T% 3'?3% 3 #&( ' 3% %&% 7'*) % #7%9&'* *) +7)% &'6(3% #'& *)%7) 3% #7%3(%7' (7% #7%9&'* &'6(3% J%7* )J%7*DW' (+,), 3'J),)'(' %?' )'E)('(' ' % (?' 3' #74 ' 3%'D *) )*#%7((' J%7* 97%, 3 9')7 97%, 3 476)%& ' 6%7C3'C97E %,#DH')7% ii) estruturais,7+3)(% 47Q,%& + * J(%7?' )('7J'7' 3)7'(*'('?))DF% 3% J(%7' 3' #7%3DF% ' % 3''6%&6)*'(% 3 ()6)33' 3 )33' 47Q,%& 33% &'6(3% *%(77*?','7, 3' < \ 3% #7%3(%7' '(7'6)(3%, ()6'7*,'%,7+3)(% 77& 3'?&?'7 '#+,)',%(7 #' \?' ()&)H7* '#%73),*'(' '7, 3' 8"\ 3% #7%3(%7',%)3'77*,%*'7,)&)HDF% * 3% #7%9&'* *) +7)% V7' 3% '(*'(% 3'6)3% % #7'D% 9)E% ' G,%3)DW' #7',V7) 3 '(73 ' 3% )('* 3' (7#%7(' 3)#%Q6'& #'!\ 3% #7%3(%7' '(7'6)(3% 3',&77* #%)7 (7#%7(' #7S#7)% % 3'*) ()&)H* (7#%7(',%&'()6% % #4* J7'(' "

7 ! TABELA 6. ()33' 3' )*) ' J7'?YR,) 7'&()6 \ #%7,('4%7) 3',7)DF%,%*)33' 3' % *),Q#)% 3' Criação N o de lotes Freqüência N o de animais Médio Mínimo Máximo Total &)L! ;\ ""8 8 == 8= (% =; < \!"8 8 ;= ; Q% =; < \ =! ; <8 Fatores de produção *)%7) 3 )33' 47Q,%& #7''(% 9)E% Q6'& 3',#)(&)HDF% ' #7%3DF% 6) #7)%7)(7)*'(' ('3'7 ',')33' 3 J*Q&) ' % *'7,3% 3' #7%3(% #7,%*% % (7& '4)7 F% #%(3% % J(%7'?' *) )J&',)* 3',)F% #%7 3'('7*)3% )('* 3' % 3 ('77 i) mão-de-obra J%7D 3' (79&L% '*#7'43 % #7%,'% #7%3()6% + 9),*'(' J*)&)7 6)(%?' ;\ 3% #7%3(%7' 'E'7,'* ()6)33' '*,%(7(DF% 3' '76)D% #7),)#&,7,('7Q(), 3 )33' 47Q,%& J*)&)7' %*'(' 8\,%(7(* *F%C3'C%97 #7 'E',DF% 3' ()6)33' ('*#%7V7),%*% #7'#7% 3' V7' ' #&()% '&(3% )*)&7' J%7* ',%(73%,7,('7)HDF% 3' )33' 47Q,%& 3% *),Q#)% 3',#7 B ] ;" ' A ] B ;8 ii) insumos )*% 47Q,%& )('7J'7'* 3)7'(*'(' *)%7 % *'%7 #7%3()6)33' 3,&(7 ' 3% )*) '7, 3' \ 3% #7%3(%7',%*#7* ' ()&)H* &4* )*% '* #7%#7)'33' #7),)#&*'(' 7DF% J7'&% 'K%,%,'(73% #7 6' < \/ )'(),)3 'K% J4),)3 8\/ *'3),*'(%,%*% 6,) ()9)S(),% 3')J'((' ' %(7% 8\ ' '('7,% 3' 4&)L ' 39%?Q*),% 8\ CARACTERIZAÇÃO AGRO-SÓCIO-ECONÔMICA DE UNIDADES AGRÍCOLAS DE TRÊS ASSENTAMENTOS DE MANAUS INTRODUÇÃO >%+ '(%7 3' %7'D% 3' % '&,)*7 ') % 0),'(' 1 %7'! >)'& ' %! ('(9)&)33' 3 'E#&%7DF% 3% 7',7% (7) #7 #7%3DF% 3' &)*'(% ' 7'3 + % 473' 3'J)% 3 #'?) ' 3% #7%3(%7' *HI),% )(DF% #7'('3)3 'E)4' #7'6)*'(' * &'6(*'(% #7(),)#()6% 3,%3)DW' 47%CS,)%C',%I*), 3 #7%#7)'33' 77) #7 3'J))DW' 3' 3'*3 (',%&S4),,%*#(Q6'),%*,#,)33' 3' (79&L% 3% #7%3(%7' 7'4)F% *HI), 47),&(7 3% #'?'% #7%3(%7' + '* 3X6)3 &(7#3 ' '* 7'(9)&)33' ',%I*), * #7?' ' 'E',(' * #7%47* 3' 3''6%&6)*'(% ('*C'?' #7 %97)4(%7)*'(' #%7 *,%L',)*'(% 3 7'&)33' 3 V7' '7'* ()4)3 *,%*#L*'(% )),)&?' (74 (% (%3% % #7%9&'* ' %&DW' #%Q6') #7?' ' %9('L 7'&(3% #%)()6% #7V(), *),%** + 47),&(7 *)47(S7) #7 #7%3DF% 3' &)*'(% 9V),% #7 9)(R,),%()() * (73)DF% *)&'7 3 *)%7) 3 #%#&DW' )3Q4'?' J%) )*)&3 #'& #%#&DW',9%,& 74)3 3% #7%,'% 3',%&%)HDF% 3 7'4)F% L97( ;" 7'4)W' (7%#),),*&%C' * X*'7% )4)J),()6% 3' #7%47* *&,%,'9)3% ' *& %7)'(3% )*#%7((' #' #7 %,#DF% 3 7'4)F% F% L%6' #7'%,#DF%,%* ('(9)&)33' 3% )('* %*)3' et al < 9, 3' %&DW' 3'6' '7 3)7)4)3 % ')% 3% #7%3(%7' 'E#7'% (76+ 3' * 3)4S(),% #7(),)#()6%?' )('47' #'?)3%7' 'E(')%)( ' 4'(' 3' 3''6%&6)*'(% 4 % 47 %, 3 *97# *HI),)3'(& )E %(& " =C!= C! 4 % 47 % *97# *HI),)3'(&

8 % #',(% 3 #7%3DF% 3' &)*'(% 7'#7''(()6)33' 3% *),Q#)% 3' + *)(% #'?' '* 7'&DF% )*#%7(M,),%*%,#)(& '(3& ',%*% 3'('(%7 3 *)%7) 3 #%#&DF% '(3&,'7, 3' 8=\ )%#' #'7 3)% % *),Q#)% ('* #7(),)#DF% 47),&(7,%* V7' #7%3()6 7%3%6) $ 8 C $% 0)( ' == C (,%()7,%(7)9)3%,%* #7%3DF% 3' %6% J7( **F% 1^)),)(7% ',#D ' 'E(7()6)*% 3' *3')7 &+* 3)% &4 #7%T'(% 3',%&%)HDF% 3% J%7* )*#&(3% '(73 6),)) 3' 7%3%6) % #7%,'% 3' #'?) ' 3''6%&6)*'(%,7,('7)HDF% 3% )('* 3' % 3 ('77 ' 3% J(%7' 3'('7*)(' (%*3 3' 3',)F% 3% #7%3(%7',%()() * )*#%7((' J'77*'( #7 )3'()J),DF% 3' 3'*3 (',%&S4),?' #%* %&,)%7 #7%9&'* % *'&L%77 % % 3% 7',7% 3)#%Q6') % #7%T'(% 3',%&%)HDF% 3% (79&L% 3),(',7,('7)HDF% 47%C%,)%C',%I*), 3 )33' 47Q,%& 3' (7R,%*)33' '(3 7%3%6) == *),Q#)% 3' (79&L% J%) 'E',(3% '* 97)& 3'! ),)&*'(' % '(*'(% 3% 4 $7, ' 4 $7, )(3% % &%4% 3 7%3%6) == (73 C(,%()7 J%7* 6))(3% #%7 * '?)#' *&()3),)#&)7 3' (+,),% 3 #'?) ' 3 'E('F%,%*)33' 4 $7, ' 4 $7, J%7* 7'&)H3% #' * %3'% 3'6)3% % #'?'% X*'7% 3' #7%3(%7' ' *)%7 X*'7% 3',')7% %*'(',%*)33' 3' J%7* #&),3%?'()%V7)% #7 &'6(*'(% 3 )J%7*DW' 3'6)3% % *)%7 X*'7% 3' #7%3(%7',%*)33' J%7*,7,('7)H3 #%7 %9'76DW' 3',*#% ' V&)' 3' 33% #7)*V7)% ' ',3V7)%,%&'( 3' 33% #7)*V7)% J%) '*#7'43 *'(%3%&%4) 3' ],%* &4* *%3)J),DW' '?)#' *&()3),)#&)7 %,)% %3')% '?'()%V7)% #7 %9('7 )J%7*DW' %97' #7%,'3R,),%*#%)DF% 3 J*Q&) ',%&7)33' )(DF% J3)V7) )(R,) (+,), )('* 3' % 3 ('77 J(%7' 3' #7%3DF% ' &)*)(DW' X*'7% 3' '(7'6)(3%,%*)33' J%) 3'J))3% #'&% (%(& 3' #7%3(%7' ',%(73% #7%#7)'33' '?' F% '7*,')7% % #7%3(%7' 3' J)& 3' '* % (%(& J%7* #&),3% 8?'()%V7)%,%*)33' 3' 33% J%7* &)3%,%* 9' '* '((Q(), 3',7)()6 J7(),&(7 ' %(7,&(7 #'7''?' 4'7&*'(' J%7** % Q()% #7%#7)'33' #7''(7* *)%7' *+3) 3' V7' #&(3 7'#',()6*'(' L ' " L *'%7 *+3) 3' V7' #&(3 J%) #7,&()6% 3' 9)(R,) %#DF% #%7 '#+,)' #'7'' 7'4)%) ' #%7,&(7 &)*'(7' J%),%** % )('* 3' #7%3DF% '(33% #7'3%*)3% %,&()6% 3',#D ' *3)%, TABELA 5. 7' (%(& 3' *( ' 3',&()6% L ' J7'?YR,) 7'&()6 \ #%7,('4%7) 3',&()6%,%*)33' 3' % *),Q#)% 3' Discriminação N o de lotes Freqüência Área (ha) (%) Média Mínima Máxima Total 7' 3' &()6% 8 == ;;< == " 8!"8 9)(R,) " "!<= =<= == = 8" == ="= "== 8!=< (7 #'7''! ; "=; == 8; ""; (4'* = C C C!=== E(7()6)*%_ = <= C C C C 7' 3' ( = "!=!== "=== "!== *extrativismo de carvão e madeira. Produção animal #7%3DF% )*& V7' 3' '(*'(% +,%()(Q3 #7),)#&*'(' #'&,7)DF% 3' 6' 4&)L,)#)7 ' #(% ' Q% 9'& 6),&(7,')7 + #7),)#& J%(' 3' #7%('Q )*& ((% #'&% X*'7% 3' 9),%?(% #'&% X*'7% 3' #7%3(%7' '6%&6)3% #'7 3 3)J),&33' ',%(73 V7' 3' ('77 J)7*' #7 #7%3DF% 3' 47F% #7(),&7*'(' *)&L% &)*'(% '',)&,7)DF% 3' 6' '7, 3' ;\ 3% #7%3(%7',7)* 4&)L,)#)7 ' < \,7)* #(% '3% % X*'7% *+3)% 3' 9),% %9'763% 3' "" #7 4&)L '!" #7 #(%,7)DF% 3' Q% #7''(% X*'7% *+3)% 3' %6' )*) ' J7'?YR,) 3' < \ #7%3DF% )*& '*9%7 'T,%*#%'(' #7)*V7)% )33' J*)&)7' 6&)3 #7',' 3' #%, )*#%7(M,),%*'7,)& #%7 '7'*,7)3% *) #7 9)(R,)?' #7 6'3

9 = Assistência técnica e associativismo % #7%3(%7' '(7'6)(3% *'(3' J)7*% 7','9'7 )(R,) (+,), '?(% %(7 *'(3' 3',&7%?' '*9%7 F% 7','9*?)?'7 %7)'(DF% (+,), 7',%L','* )*#%7(M,) #7 *'&L%7 3''6%&6'7 ()6)33' #7%#7)'33' * 7'&DF% % %,)()6)*%,'7, 3' ;\ #'7(','* &4* ()#% 3' %74)HDF% 4'7&*'(' %,)DF%,%*)(V7) ( *%3&)33' *)%7) 3%,% (7( *) 3' ()6)33',&(7) ' 3' &H'7?' G?'& 7'&,)%3,%* #7%3DF% ',%*'7,)&)HDF% 3,&(7 CARACTERIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE USO DA TERRA Produção vegetal % (%(& 3' <!;=L 7'J'7'(' % 8 &%(' *%(73% <;\ + V7' 7',%9'7( #%7 *( ' 8!\,%77'#%3' V7' 3 #'&% #7%3(%7' '3%!!\ 3'()3%,&()6% 67)3% \ %(7 ()6)33' 9'J')(%7),7)DW' ' V4,%77'(' ' #' 8\ G #(4'* 7'#7''(3 #%7 #' * #7%3(%7?' #%)!= L 3' #(4'* Á r e a d e M a t a d e C u lt iv o FIG. 87'&()6 % \ 3% % 3 ('77,%*)33' F% 2 2 % *),Q#)% 3' O u t r o s 1 6 % P a s t a g e m 4 % V7' 3',&()6% J%7* #'?' '* 7'&DF% G 'E('F% 3% &%(' ' 3 V7' 7''763,%* *(,%* *+3) 3' ;;< L ' &)*)(' )J'7)%7 3' ==L ' #'7)%7 3' " 8L,&()6% 3' 9)(R,) ' 3' '#+,)' #'7'',%()(Q7* ()6)33' *) J7'?Y'(' #7),)#&*'(' #'&% X*'7% 3' #7%3(%7' '6%&6)3% "\ ' ;\ 7'#',()6*'(' 'E(7()6)*% 3',76F% ' *3')7 (*9+* + 'E#7')6%,%*,'7, 3' <=\ 3% #7%3(%7' '(7'6)(3% 9'& < Á r e a CARACTERIZAÇÃO DOS ASSENTAMENTOS V7' '* '(3% )('47 * #7%T'(% 3',%&%)HDF% 3*))(73% #'&% '3% % &%(' 3' (*L%,%77'#%3'(' = L '(*'(% '(F% %97' %&% 3' ('77 J)7*',%*% *)%7) 3 7'4)F% F% 3' 9)E J'7()&)33' (7& F% #%7(3% #7%3DW' '&'63 4'7&*'(',&)J),3%,%*% (%%&% *7'&% ('E(7 #'3, K!/ $7)& ; '(*'(% F% 3%(3% 3' * #%&Q(), #7S#7) 3','F% 3% &%(' #'&% * #'7 3)% 8"\ 3% #7%3(%7' '(7'6)(3% )J%7*7* F% #%)7 3%,*'(DF% 3' #%' 3 ('77,%(7 8"\?' 3',&77* ('7 ()(&DF% 3' #%' #7%,'% 3' %,#DF% )),),%* % 7','9)*'(% 3 ('77 % #7%47* 3' '(*'(% ' '* '4)3 #%3' %,%77'7 (7J'7R,) ' 6'3 3% &%(' 4'7&*'(' #7 ('3'7 3'*3 3' V7' #7 )*#&(DF% 3' Q()% #7 J)& 3' '* % '(*'(% 3' %3I) 47'4DF% 3' &%(' ('6' 7HW' *) '*#7''3'3%7?' 3' % J%7* 3',%77'(' 3%,'% %9()3%,%* % &%(' %7)4)& % #'&,L'43 3' %6 #'%,%* *)%7,#,)33' #7,%*#77 6V7)% &%(' ' )3 J74*'(DF%,3 #'& ',')33' 3% #7%3(%7 6'3'7 #7(' 3% ' &%(' #7 #%3'7 6)9)&)H7 % 7'((' '3&%^2) ] &'! )(DF% J3)V7) + * #',(% )*#%7((' '7,%)3'73% #7%*%DF% 3% 3''6%&6)*'(% 3 47),&(7 6)(%?' ()(&DF% 3 ('77 #%3' 'E'7,'7 ##'& J3*'(& '&'DF% 3' '#+,)' '7'*,&()63 7%3(%7' '* (Q(&% '(7)* *) )('7'3% % #&()% 3',&(7 ('*#%7V7) '?(% % #7%#7)'(V7)%?' 3*))(7* ' #7S#7)% &%(' )6'()7)* '*,&(7 #'7*'(' 974R,) (%(& 3% &%(' '(33% J%) 3' <!;= L 3)(7)9Q3% '* "!== L )3 '* *( '!"8 L 3' 9'J')(%7) ',&()6% &+* 3' * %9'76DF% 3' #(4'* V7' *+3) 3% &%(' J%) 3' 8=! L J),3% % &)*)(' '(7' L = L 9'&

10 ; TABELA 1. 7' 3% &%(' '(33%,%*)33' 3' % *),Q#)% 3' N o de Área (ha) Discriminação lotes Média Mínima Máxima Total 7' 3' *( = "!=!== "=== "!== 7' ()&)H3 8 ;;< == " 8!"8 (4'* = C C C!=== 7' (%(& 8 8=!= == === <!;= V7' 3% &%(' 4'7&*'(' F% )J%7*' '(7'((% &4 &%(' #7''76* % (*L% %7)4)& '?(% %(7% %J7'7* 47'4DW' 3' * % *) &%(' 3T,'(' ' %(7% J74*'(7*C' '* &%(' *'%7',7'3)(C'?' 67)DF% % (*L% 3 V7' 'T 7'J&'E% 3% #7%9&'* 'J7'(3% #7),)#&*'(' '* 7'&DF% G #%97'H 3% %&% 3' ('77 J)7*'?' 3'',%7T* % #7%3(%7' #'7*','7'* % '(*'(% CARACTERIZAÇÃO DOS PRODUTORES Procedência e escolaridade 7'&(3% )3),7*?','7, 3' =\ 3% '(7'6)(3% F%,)3% 7'4)F% *HI), ' #7%,'3'(' #7),)#&*'(' 3' (7R (3% #7%E)*3*'(' 8"\ 3% *H%!\ 3%,7' ' \ 3% 7V 9'&! TABELA 2. 7%,'3R,) 3% #7%3(%7' '(7'6)(3%,%*)33' 3' % *),Q#)% 3' Procedência N o de produtores Freqüência relativa (%) Amazônia *H%,7' 7V 10 " 71,3 8!;!8 Nordeste 2 14,3 Outras 2 14,3 47 3' ',%&7)33' '(V,)* 3 &J9'()HDF% #7 *) 3' =\ 3% #7%3(%7' '3%?' <=\ (R* #' % #7)*')7% 47 ),%*#&'(% ','7, 3' "<;\ F% &J9'(% % '*)C&J9'()H3% 9'& " TABELA ' ',%&7)33',%*)33' 3' % *),Q#)% 3' Escolaridade N o de produtores Freqüência relativa (%) &J9'(%K'*)C&J9'(% < "<; &J9'()H3% = 47 ),%*#&'(% <== = 47! = 47 ),%*#&'(% Idade, composição da família e tempo de ocupação do lote )33' *+3) 3% #7%3(%7' J%) 3' <" %,%* &)*)(' *Q)*% 3'! ' *VE)*% 3'! % X*'7% (%(& 3' #'% *%73% % 8 &%(' *%(73% ),&)3% % *'*97% 3 J*Q&),7)D *'%7' 3' 8 % ' % 47'43% J%) 3'!!,%* *+3) 3' #7%E)*3*'(',),% 3)(7)9Q3% '* * 3%) L%*' * *&L'7 ' 3 (7R,7)D *'%7' 3' 8 % ('*#% *+3)% 3' %,#DF% 3% &%(' J%) )J'7)%7 '(' % #' 3%) 3% #7%3(%7' '(7'6)(3% %,#* % &%(' LV *) 3' = % #7%66'&*'(' #%7 (7(7C' 3' * #7%T'(% 3' '(*'(% 7','(' ' (*9+* #'&% #7%9&'* 3' 7%(()6)33',7,('7Q(),% 3% '(*'(% 7'4)F% 9'& 8 TABELA 4. 33' *+3) 3% #7%3(%7',%*#%)DF% 3 J*Q&) ' ('*#% 3' %,#DF%,%*)33' 3' % *),Q#)% 3' Discriminação Idade do Produtor Número de Homens Número de Mulheres Menores de 14 anos Anos no Local %(& C!! " ; C +3) <" "! 8 VE)*%! 8 " 8 Q)*%! = = "

ISSN 0103-6238 CADEIA PRODUTIVA DA MANDIOCA NO AMAZONAS. Patrocínio

ISSN 0103-6238 CADEIA PRODUTIVA DA MANDIOCA NO AMAZONAS. Patrocínio Patrocínio MINISTÉRIO DA PRODUTIVIDA DE E Q DA U I AL AGRICULTURA D E ISSN 0103-6238 CADEIA PRODUTIVA DA MANDIOCA NO AMAZONAS Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal

Leia mais

PROTOCOLO DA EMBRAPA AGROBIOLOGIA PARA CARACTERIZAÇÃO FISIOLÓGICA DE BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS A PARTIR DE ENSAIOS DO USO DE FONTES DE CARBONO

PROTOCOLO DA EMBRAPA AGROBIOLOGIA PARA CARACTERIZAÇÃO FISIOLÓGICA DE BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS A PARTIR DE ENSAIOS DO USO DE FONTES DE CARBONO Documentos Número, 103 ISSN 0104-6187 Dezembro/1999 0 PROTOCOLO DA EMBRAPA AGROBIOLOGIA PARA CARACTERIZAÇÃO FISIOLÓGICA DE BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS A PARTIR DE ENSAIOS DO USO DE FONTES DE CARBONO Empresa

Leia mais

PLANTAR GRAVIOLA COMO. )-IOqG EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 04 ISSN FEVEREIRO,1996 FOL. República Federativa do Brasil

PLANTAR GRAVIOLA COMO. )-IOqG EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 04 ISSN FEVEREIRO,1996 FOL. República Federativa do Brasil FOL )-IOqG EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 04 ISSN 1413-3334 FEVEREIRO,1996 República Federativa do Brasil Presidente Fernando Henrique Cardoso t Ministro da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária José

Leia mais

PLANTAR COCO ANÃO COMO. 04o~q. República Federativa do Brasil. Presidente Fernando Henrique Cardoso

PLANTAR COCO ANÃO COMO. 04o~q. República Federativa do Brasil. Presidente Fernando Henrique Cardoso EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 06 ISSN 1413-3334 FEVEREIRO,1996 foto 04o~q República Federativa do Brasil Presidente Fernando Henrique Cardoso Ministro da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária José

Leia mais

PLANTAR MANGA COMO. "fel LJOq? ~ l~ ~7J EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 05 ISSN FEVEREIRO,1996

PLANTAR MANGA COMO. fel LJOq? ~ l~ ~7J EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 05 ISSN FEVEREIRO,1996 "fel LJOq? ~ l~ ~7J EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 05 ISSN 1413-3334 FEVEREIRO,1996 República Federativa do Brasil Presidente Fernando Henrique Cardoso Ministro da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária

Leia mais

ISSN Circular Técnica, 2 SOJA RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PARA MATO GROSSO DO SUL E MATO GROSSO

ISSN Circular Técnica, 2 SOJA RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PARA MATO GROSSO DO SUL E MATO GROSSO ISSN 1517-4557 Circular Técnica, 2 SOJA RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PARA MATO GROSSO DO SUL E MATO GROSSO Dourados-MS 1999 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área

Leia mais

ISSN Novembro, Palestras III Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais

ISSN Novembro, Palestras III Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais ISSN 1517-3135 Novembro, 2001 17 Palestras III Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais 17 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Ocidental Ministério

Leia mais

ISSN Manual de Soluções e Reagentes da Embrapa Agrobiologia

ISSN Manual de Soluções e Reagentes da Embrapa Agrobiologia 0 Documentos Número, 86 ISSN 1517-8498 Março/1999 Manual de Soluções e Reagentes da Embrapa Agrobiologia Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Agrobiologia Ministério da Agricultura e do Abastecimento

Leia mais

Atlas de Morfologia Espermática Bovina

Atlas de Morfologia Espermática Bovina Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Atlas de Morfologia Espermática Bovina Carlos Frederico Martins Margot Alves Nunes Dode

Leia mais

ISSN X EM 1998/99. Henrique de Oliveira William Marra Silva Luiz Alberto Staut João Ronaldo Novachinski

ISSN X EM 1998/99. Henrique de Oliveira William Marra Silva Luiz Alberto Staut João Ronaldo Novachinski ISSN 1516-845X RESULTADOS DE ANÁLISES DE SOLO REALIZADAS PELO LABORATÓRIO DA EMBRAPA AGROPECUÁRIA OESTE EM 1998/99 Henrique de Oliveira William Marra Silva Luiz Alberto Staut João Ronaldo Novachinski Dourados,

Leia mais

PLANTAR CUPUAÇU COMO. ~!!:)l, '<7,(' ~7 - A!-f,~ República Federativa do Brasil. Presidente Fernando Henrique Cardoso

PLANTAR CUPUAÇU COMO. ~!!:)l, '<7,(' ~7 - A!-f,~ República Federativa do Brasil. Presidente Fernando Henrique Cardoso rol ~Oq5 EMBRAPA AMAPÁ INFORMA, 03 ISSN 1413-3334 FEVEREIRO, 1996 República Federativa do Brasil Presidente Fernando Henrique Cardoso Ministro da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária José

Leia mais

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Complexos Regionais Amazônia: Baixa densidade demográfica e grande cobertura vegetal. 2 3 Complexos Regionais Nordeste: Mais baixos níveis de desenvolvimento

Leia mais

A CULTURA DO MILHO IRRIGADO

A CULTURA DO MILHO IRRIGADO A CULTURA DO MILHO IRRIGADO República Federativa do Brasil Fernando Henrique Cardoso Presidente Ministério da Agricultura e do Abastecimento Marcus Vinícius Pratini de Moraes Ministro Empresa Brasileira

Leia mais

Cultivo do tambaqui no Amazonas

Cultivo do tambaqui no Amazonas Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Ocidental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Cultivo do tambaqui no Amazonas Embrapa Brasília, DF 2014 Exemplares desta publicação

Leia mais

PARA O MVNIC~PIO DE PARNA~BA, PI ( )

PARA O MVNIC~PIO DE PARNA~BA, PI ( ) I Número 46 I Dezembro, 2000 DADOS AGROMETE~)WBL~GICO~ PARA O MVNIC~PIO DE PARNA~BA, PI (1996-1999) aio li," li81 igo (r, ""i Uni Dn REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Fernando Henrique Cardoso Presidente

Leia mais

ANALISE DO AMBIENTE.. IAITERlrQO DA EMBRAPA MEIO-NORTE

ANALISE DO AMBIENTE.. IAITERlrQO DA EMBRAPA MEIO-NORTE k, ANALISE DO AMBIENTE. IAITERlrQO DA EMBRAPA MEIO-NORTE REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Fernando Henrique Cardoso Presidente... Ministério da Agricultura e do Abastecimento Marcus Vinícius Pratini de Moraes

Leia mais

DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA

DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA DIVISÃO REGIONAL BRASILEIRA DIVISÃO REGIONAL O termo região é extremamente utilizado, principalmente na ciência geográfica que representa uma das categorias da Geografia. A palavra região pode ser utilizada

Leia mais

CARTILHA SAU ISSN CVVBJVBJHVHDSV.KBJSABVFBVSJGSJ NKABNFHASDJFVH FCBJBFIDSMFHKHF

CARTILHA SAU ISSN CVVBJVBJHVHDSV.KBJSABVFBVSJGSJ NKABNFHASDJFVH FCBJBFIDSMFHKHF ISSN 1517-3135 CARTILHA DO CVVBJVBJHVHDSV.KBJSABVFBVSJGSJ NKABNFHASDJFVH FCBJBFIDSMFHKHF CVVBJVBJHVHDSV.KBJSABVFBVSJGSJ NKABNFHASDJFVH FCBJBFIDSMFHKHF CVVBJVBJHVHDSV.KBJSABVFBVSJGSJ NKABNFHASDJFVH FCBJBFIDSMFHKHF

Leia mais

PERCURSO 14 Região Norte: a construção de espaços geográficos. Prof. Gabriel Rocha 7º ano - EBS

PERCURSO 14 Região Norte: a construção de espaços geográficos. Prof. Gabriel Rocha 7º ano - EBS PERCURSO 14 Região Norte: a construção de espaços geográficos. Prof. Gabriel Rocha 7º ano - EBS 1 A construção do espaço geográfico de 1500 a 1930 A ocupação da Amazônia não despertava tanto interesse

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Biotecnologia estado da arte e aplicações na agropecuária Editores Técnicos Fábio Gelape Faleiro Solange

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS

ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS QUESTIONAMENTOS 1- Diferencie Amazônia Legal e Amazônia Internacional. 2- Caracterize o clima equatorial quanto a temperatura e umidade. 3- Explique o

Leia mais

Relatório de Viagem - Avaliação dos Planos de Recuperação de Ricinocultura...

Relatório de Viagem - Avaliação dos Planos de Recuperação de Ricinocultura... Relatório de Viagem - Avaliação dos Planos de Recuperação de Ricinocultura... 1 2 Relatório de Viagem - Avaliação dos Planos de Recuperação de Ricinocultura... República Federativa do Brasil Fernando Henrique

Leia mais

O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região.

O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região. O Banco da Amazônia e o Apoio para Econegócios na Região. Diretoria ABIDIAS JOSÉ DE SOUSA JUNIOR Presidente AUGUSTO AFONSO MONTEIRO DE BARROS Diretor de Ações Estratégicas EVANDRO BESSA DE LIMA FILHO Diretor

Leia mais

Conselho de Administração José Amauri Dimárzio Presidente. Diretoria Executiva da Embrapa Clayton Campanhola Diretor-Presidente

Conselho de Administração José Amauri Dimárzio Presidente. Diretoria Executiva da Embrapa Clayton Campanhola Diretor-Presidente República Federativa do Brasil Luis Inácio Lula da Silva Presidente Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento Roberto Rodrigues Ministro Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa

Leia mais

.:.J. Estimativa de custos de produção de milho safrinha, em plantio direto na palha, para a região do cerrado de Rondônia, safra 1998

.:.J. Estimativa de custos de produção de milho safrinha, em plantio direto na palha, para a região do cerrado de Rondônia, safra 1998 7045,.:.J Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuiria Centro de Pesquisa Agroflorestal de Rond6nia Ministério da Agricultura e do Abastecimento NQ150, nov./98, p.1-4 Estimativa de custos de produção de

Leia mais

ESPÉCIES ARBÓREAS DA BACIA DO RIO MAUÉS-MIRI, MAUÉS AMAZONAS

ESPÉCIES ARBÓREAS DA BACIA DO RIO MAUÉS-MIRI, MAUÉS AMAZONAS INTRODUÇÃO REVISTA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFAM ESPÉCIES ARBÓREAS DA BACIA DO RIO MAUÉS-MIRI, MAUÉS AMAZONAS Rodrigo Teixeira Caldas 1 Peter Wimmer 2 A Amazônia possui 300 mil quilômetros2

Leia mais

Aspectos Práticos da Micropropagação de Plantas

Aspectos Práticos da Micropropagação de Plantas Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Aspectos Práticos da Micropropagação de Plantas Tatiana Góes Junghans Antônio da Silva Souza Editores Técnicos

Leia mais

Avaliação de Diferentes Tubos de Acesso para Medição da Umidade do Solo Através do Uso de Sonda de Nêutrons

Avaliação de Diferentes Tubos de Acesso para Medição da Umidade do Solo Através do Uso de Sonda de Nêutrons 0 Documentos Número, 59 ISSN 0104-6187 Novembro, 1998 Avaliação de Diferentes Tubos de Acesso para Medição da Umidade do Solo Através do Uso de Sonda de Nêutrons Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Anais da XII Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais da XII Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental Anais da XII Jornada de Iniciação Científica da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Anais da XII Jornada de Iniciação Científica da Adauto Maurício

Leia mais

Estimativa do Custo de Produção de Arroz de Sequeiro para Mato Grosso, Safra 2002/03

Estimativa do Custo de Produção de Arroz de Sequeiro para Mato Grosso, Safra 2002/03 59 ISSN 1679-0472 Outubro, 2002 Dourados, MS Foto: arquivo Embrapa Agropecuária Oeste Estimativa do Custo de Produção de Arroz de Sequeiro para Mato Grosso, Safra 2002/03 Geraldo Augusto de Melo Filho

Leia mais

PERFIL DOS PRODUTORES DE UMA FEIRA DE ALIMENTOS ORGÂNICOS EM MANAUS - AM

PERFIL DOS PRODUTORES DE UMA FEIRA DE ALIMENTOS ORGÂNICOS EM MANAUS - AM PERFIL DOS PRODUTORES DE UMA FEIRA DE ALIMENTOS ORGÂNICOS EM MANAUS - AM ERAZO,Rafael de Lima ¹; PEREIRA,Henrique dos Santos ² 1 Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA, ra-fa-erazo@hotmail.com;

Leia mais

Agricultura familiar: dinâmica de grupo aplicada às organizações de produtores rurais

Agricultura familiar: dinâmica de grupo aplicada às organizações de produtores rurais Agricultura familiar: dinâmica de grupo aplicada às organizações de produtores rurais Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Agricultura

Leia mais

Uso de Árvores Leguminosas para Melhorar a Agricultura Familiar da Amazônia Oriental Brasileira

Uso de Árvores Leguminosas para Melhorar a Agricultura Familiar da Amazônia Oriental Brasileira ISSN 1517-211X Uso de Árvores Leguminosas para Melhorar a Agricultura Familiar da Amazônia Oriental Brasileira 32 Belém, PA Junho, 2003 Autores Silvio Brienza Júnior Eng. Ftal., D.Sc. em Agricultura Tropical,

Leia mais

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Luiza Teixeira de Lima Brito Embrapa Semi-Árido Campina Grande-PB, 05 a 07 de maio de 2009 Nordeste Brasileiro Grande diversidade

Leia mais

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental

Adriano Venturieri. Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Adriano Venturieri Chefe Geral Embrapa Amazônia Oriental Brasília, 12 dezembro de 2014 Desafios e perspectivas para pesquisa em apoio ao desenvolvimento sustentável amazônico Sistema Embrapa de Inteligência

Leia mais

Produto Interno Bruto

Produto Interno Bruto Produto Interno Bruto 2000 2001 2002 2003 * * Participação do RS no PIB do BR Participação (%) São Paulo 32,2 Rio de Janeiro 11,6 Minas Gerais 8,9 Rio Grande do Sul 6,2 Paraná 6,0 Santa Catarina 4,2 Bahia

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO EM SISTEMAS E CULTIVO MA UA E MECA ZADO, NO MUNICIPIO DE ALENQUER, PARA

CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO EM SISTEMAS E CULTIVO MA UA E MECA ZADO, NO MUNICIPIO DE ALENQUER, PARA Circular Técnica Nllmero.77 ISSN 0100-7556 Ministério da Agricultura e do Abastecimento Dezembro,1998 CUSTO DE PRODUÇÃO DE MILHO EM SISTEMAS E CULTIVO MA UA E MECA ZADO,,, NO MUNICIPIO DE ALENQUER, PARA

Leia mais

HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF

HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF HISTÓRICO DE ATUAÇÃO E DEMANDAS TECNOLÓGICAS DO SETOR AGROPECUÁRIO DO DF Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal SETEMBRO 2016 O QUE É A EMATER-DF? Empresa Pública, criada em

Leia mais

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia As Regiões Geoeconômicas do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia Aula XX AS REGIÕES GEOECONÔMICAS DO BRASIL A divisão regional oficial do Brasil é aquela

Leia mais

maracujazeiro Guia de plantas e propágulos de

maracujazeiro Guia de plantas e propágulos de Guia de plantas e propágulos de maracujazeiro No Brasil, o maracujá-amarelo, também chamado de maracujáazedo, ocupa posição de destaque na fruticultura tropical, sobretudo na agricultura de pequeno porte.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO' AGRíCOLA DAS TERRAS DO CAMPO EXPERIMENTAL DE OURO PRETO. D'OESTE - RONDÔNIA

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO' AGRíCOLA DAS TERRAS DO CAMPO EXPERIMENTAL DE OURO PRETO. D'OESTE - RONDÔNIA Núrnero.Zü. ISSN 1517-2201 ~~. Ministério ~a Agricultura e do Abastecimento, Novembro,1999 AVALIAÇÃO DA APTIDÃO' AGRíCOLA DAS TERRAS DO CAMPO EXPERIMENTAL DE OURO PRETO. D'OESTE - RONDÔNIA E~ REPÚBLICA

Leia mais

Estoques de carbono e emissões de gases de efeito estufa na agropecuária brasileira

Estoques de carbono e emissões de gases de efeito estufa na agropecuária brasileira Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Meio Ambiente Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Estoques de carbono e emissões de gases de efeito estufa na agropecuária brasileira

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Agosto de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Maio de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Maio de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Maio de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Vice-Presidente da República no Exercício

Leia mais

ISSN Agosto, Cultivo da Pimenteira-do-reino na Região Norte

ISSN Agosto, Cultivo da Pimenteira-do-reino na Região Norte 1 13 ISSN 1807-0043 Agosto, 2004 Cultivo da Pimenteira-do-reino na Região Norte ISSN 1807-0043 Agosto, 2004 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Oriental

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Janeiro de 2017 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

ATER e SETOR PÚBLICO no BRASIL

ATER e SETOR PÚBLICO no BRASIL Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal ABRIL 2015 ATER e SETOR PÚBLICO no BRASIL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA NO TERRITÓRIO DO VALE DO JURUÁ, ACRE. Introdução

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA NO TERRITÓRIO DO VALE DO JURUÁ, ACRE. Introdução DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA NO TERRITÓRIO DO VALE DO JURUÁ, ACRE Daniel de Almeida Papa1, Virgínia de Souza Álvares2 e Daniela Popim Miqueloni3 1Eng. Florestal,

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A PESQUISA ETNOBOTÂNICA COMO FERRAMENTA DE ANÁLISE DA PERCEPÇÃO LOCAL SOBRE O MEIO AMBIENTE Larissa Santos de Almeida;

Leia mais

Coleta de parasitos em peixes de cultivo

Coleta de parasitos em peixes de cultivo Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amapá Embrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Universidade Federal de Santa Catarina Coleta de parasitos em peixes

Leia mais

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono SECRETARIA DE MOBILIDADE SOCIAL, DO PRODUTOR RURAL E DO COOPERATIVISMO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS, E DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Morfologia, Classificação e Levantamento de Solos Código da Disciplina: AGR255

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Morfologia, Classificação e Levantamento de Solos Código da Disciplina: AGR255 PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Morfologia, Classificação e Levantamento de Solos Código da Disciplina: AGR255 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 4 período Faculdade responsável: Agronomia

Leia mais

Viabilidade Econômica da Cultura da Soja na Safra 2016/2017, em Mato Grosso do Sul

Viabilidade Econômica da Cultura da Soja na Safra 2016/2017, em Mato Grosso do Sul 211 ISSN 1679-0472 Agosto, 2016 Dourados, MS Foto: Alceu Richetti Viabilidade Econômica da Cultura da Soja na Safra 2016/2017, em Mato Grosso do Sul 1 Alceu Richetti Introdução A determinação dos custos

Leia mais

Região Norte: Apresentação e aspectos físicos

Região Norte: Apresentação e aspectos físicos Região Norte Região Norte: Apresentação e aspectos físicos Região Norte e Amazônia Com uma superfície de 3.853.327 km 2, a Região Norte, definida pelo IBGE, corresponde a quase metade do território brasileiro.

Leia mais

O Que Vamos Discutir Hoje

O Que Vamos Discutir Hoje O Que Vamos Discutir Hoje O Maior Desafio: Pesquisa ou Transferência de Tecnologia? A Tecnologia Afeta o Bem Padrão de Vida Nos Campo Mas há outros fatores que afetam o Padrão de Vida no Campo Muita pretensão

Leia mais

Formação de multiplicadores na metodologia Treino e Visita T&V para transferência de conhecimentos e tecnologias

Formação de multiplicadores na metodologia Treino e Visita T&V para transferência de conhecimentos e tecnologias Formação de multiplicadores na metodologia Treino e Visita T&V para transferência de conhecimentos e tecnologias Líder: Lineu Alberto Domit Macroprograma 4: Transferência de Tecnologia e Comunicação Empresarial

Leia mais

Ana Paula Moreira da Silva

Ana Paula Moreira da Silva A atual infraestrutura de sementes e mudas de espécies florestais nativas pode atender às novas expectativas da demanda por restauração florestal no Brasil? Ana Paula Moreira da Silva Como nasceu a pesquisa?

Leia mais

Parceria entre Codevasf e Mapa beneficiará irrigantes com apoio

Parceria entre Codevasf e Mapa beneficiará irrigantes com apoio Cerca de 11 mil produtores agrícolas dos projetos públicos de irrigação mantidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) serão beneficiados com acordo de cooperação

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1517-3747 Maio, 2002 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 127 Reuniões Técnicas sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA (AAI) Ricardo Cavalcanti Furtado Superintendente de Meio Ambiente

AVALIAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA (AAI) Ricardo Cavalcanti Furtado Superintendente de Meio Ambiente AVALIAÇÃO AMBIENTAL INTEGRADA (AAI) Ricardo Cavalcanti Furtado Superintendente de Meio Ambiente Manaus, junho/2006 Empresa de Pesquisa Energética Empresa pública, vinculada ao Ministério de Minas e Energia,

Leia mais

CONTROLE QUÍMICO DE PLANTAS DANINHAS NOS CERRADOS

CONTROLE QUÍMICO DE PLANTAS DANINHAS NOS CERRADOS Documentos, 3 Dourados-MS, 1999 ISSN 1516-845X XII REUNIÃO DE PESQUISADORES EM CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS NOS CERRADOS 23 e 24 de junho de 1999 Corumbá, MS CONTROLE QUÍMICO DE PLANTAS DANINHAS NOS CERRADOS

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO FRUTO E COMPORTAMENTO PRODUTIVO DO RAMBUTANZEIRO (Nephelium lappaceum L.) NA REGIÃO DE MANAUS - AM

CARACTERIZAÇÃO DO FRUTO E COMPORTAMENTO PRODUTIVO DO RAMBUTANZEIRO (Nephelium lappaceum L.) NA REGIÃO DE MANAUS - AM BOLETIM DE PESQUISA Número 4 ISSN 0103-7218 março, 1998 MINISTÉRIO DA PRODUTIVIDADE E QUALIDADE A G R IC UL U T A R CARACTERIZAÇÃO DO FRUTO E COMPORTAMENTO PRODUTIVO DO RAMBUTANZEIRO (Nephelium lappaceum

Leia mais

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul.

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul. PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 7º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - PARTE 1 ============================================================================================= 01- Analise

Leia mais

FD-063 FD seringueira. E4a. Rondônia

FD-063 FD seringueira. E4a. Rondônia FD-063 2006 FD-063.3 seringueira (Hevea spp) E4a Rondônia Com o ínicio do processo colonização Estado Rondônia, de no de o setor passou exercer agrícola um a importante papel na geração de renda. Inicialmente

Leia mais

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano Caracterização dos Territórios de Identidade Território 11 - Oeste Baiano Municípios Dados Gerais Quantidade de Área Total (km 2 População Total Densidade ) municípios Demográfica 14 75.387,76 398.166

Leia mais

MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA Nº / ANO DA PROPOSTA: /2016 DADOS DO CONCEDENTE

MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA Nº / ANO DA PROPOSTA: /2016 DADOS DO CONCEDENTE MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL SUPERINTENDENCIA DO DESENVOLV. DA AMAZONIA PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 013381/2016 OBJETO: Aquisição de Caminhão

Leia mais

Descritores. morfoagronômicos ilustrados para Passiflora spp.

Descritores. morfoagronômicos ilustrados para Passiflora spp. Descritores morfoagronômicos ilustrados para Passiflora spp. Onildo Nunes de Jesus Eder Jorge de Oliveira Fábio Gelape Faleiro Taliane Leila Soares Eduardo Augusto Girardi Editores Técnicos Empresa Brasileira

Leia mais

Região Norte e Amazônia não são sinônimos

Região Norte e Amazônia não são sinônimos REGIÃO NORTE Região Norte e Amazônia não são sinônimos Não existe uma Amazônia, e, sim, várias. Região Natural ou Pan- Amazônia ou Amazônia Internacional Região de Planejamento ou Amazônia Brasileira ou

Leia mais

SUPERVISOR: Fátima Edília BOLSISTAS: Jusciana do Carmo Marta Claudino

SUPERVISOR: Fátima Edília BOLSISTAS: Jusciana do Carmo Marta Claudino UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES. DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) ESCOLA ESTADUAL MASCARENHAS

Leia mais

ATRIBUIÇÃO, OCUPAÇÃO E USO DAS TERRAS NO ESTADO DO MATO GROSSO

ATRIBUIÇÃO, OCUPAÇÃO E USO DAS TERRAS NO ESTADO DO MATO GROSSO ATRIBUIÇÃO, OCUPAÇÃO E USO DAS TERRAS NO ESTADO DO MATO GROSSO Evaristo Eduardo de Miranda Carlos Alberto de Carvalho Osvaldo Tadatomo Oshiro Embrapa Monitoramento por Satélite Campinas/SP, Julho de 2017

Leia mais

Anais. VII Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais. VII Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental Anais VII Jornada de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Ocidental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Anais

Leia mais

X Curso da Cultura do Coqueiro no Brasil

X Curso da Cultura do Coqueiro no Brasil RELAÇÃO DE HOTÉS X Curso da Cultura do Coqueiro no Brasil F Nome completo: Empresa/nstituição: C H A Endereço: Cidade: UF: CEP: D E Telefone(DDD): Fax(DDD): E-mail: Recibo em nome de: Preços e Condições:

Leia mais

PESQUISA EM ANDAMENTO

PESQUISA EM ANDAMENTO ISSN 11-675 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Acre Ministério da Agricultura e do Abastecimento BR-364, km 14 (Rio Branco/Porto Velho), Caixa Postal 392, 6998-97, Rio Branco-AC Telefones:

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1678-9644 Dezembro, 2008 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 228 Perfil da Pesquisa Agropecuária Voltada

Leia mais

TAMANHO DAS ESCOLAS DO 1 GRAU

TAMANHO DAS ESCOLAS DO 1 GRAU MINISTÉRIO CA EDUCAÇÃO SECRETARIA_ ADMINISTRAÇÃO GERAL COORNAÇÃO PLANEJAMENTO SETORIAL COORNAÇÃO INFORMAÇÕES PARA O PLANEJAMENTO TAMANHO DAS ESCOLAS DO 1 GRAU TRABALHO ELABORADO POR ELIZEU FRANCISCO CALSING

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA Embrapa Brasília, DF 2015 Coleção Plantar, 73 Produção

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO NIPO-BRASILEIRA PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA DOS CERRADOS ESTUDO DE AVALIAÇÃO CONJUNTA RELATÓRIO GERAL

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO NIPO-BRASILEIRA PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA DOS CERRADOS ESTUDO DE AVALIAÇÃO CONJUNTA RELATÓRIO GERAL República Federativa do Brasil Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Agência de Cooperação Internacional do Japão JICA PROGRAMA DE COOPERAÇÃO NIPO-BRASILEIRA PARA O DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA

Leia mais

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Propagação Vegetativa de Piper hispidum Sw.

Leia mais

EXTRATIVISMO VEGETAL NA AMAZÓNIA LIMITES E OPORTUNIDADES

EXTRATIVISMO VEGETAL NA AMAZÓNIA LIMITES E OPORTUNIDADES A Ministério da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA, 7 «Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazónia Oriental - CPATU ^ Belém, PA EXTRATIVISMO

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E RENDA DA ERVA-MATE CULTIVADA

IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E RENDA DA ERVA-MATE CULTIVADA IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E RENDA DA ERVA-MATE CULTIVADA Honorino Roque Rodigheri * Sergio Henrique Mosele ** 1 INTRODUÇÃO A erva-mate (liex paraguariensis St. Hi~, que já foi um dos principais produtos das

Leia mais

Disciplina: Geografia. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso

Disciplina: Geografia. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Geografia Período:

Leia mais

MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGUEIRA

MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGUEIRA Semi-Árido Meio Ambiente CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Documentos da Embrapa Semi-Árido ISSN 1516-1633 Nº 159 MONITORAMENTO DE PRAGAS NA CULTURA DA MANGUEIRA República

Leia mais

Projeto Palma Pará BRASIL. ADM do BRASIL Ltda.

Projeto Palma Pará BRASIL. ADM do BRASIL Ltda. Projeto Palma Pará BRASIL ADM do BRASIL Ltda. 2014 A Archer Daniels Midland Company (ADM) MUNDO A ADM é uma das maiores processadoras de grãos do mundo; 71 Países/30.000 funcionários/250 Unidades; Desenvolvimento

Leia mais

Estimativa do Custo de Produção de Arroz Irrigado e de Terras Altas, para a Safra 2008/09, em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso

Estimativa do Custo de Produção de Arroz Irrigado e de Terras Altas, para a Safra 2008/09, em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso 146 ISSN 1679-0472 Agosto, 2008 Dourados, MS Foto: Nilton Pires de Araújo Estimativa do Custo de Produção de Arroz Irrigado e de Terras Altas, para a Safra 2008/09, em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso

Leia mais

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz Não é possível exibir esta imagem no momento. II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz 1 Longo e grave histórico de conflitos( ES e BA ) Relacionamento com comunidades

Leia mais

Nº 172, terça-feira, 21 de junho de Boletim de Serviço. nº 172, de 21 de Junho de Secretaria Geral

Nº 172, terça-feira, 21 de junho de Boletim de Serviço. nº 172, de 21 de Junho de Secretaria Geral Boletim de Serviço nº 172, de 21 de Junho de 2016 Secretaria Geral EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - Ebserh Setor Comercial Sul - SCS, Quadra 9, Lote C, Ed. Parque Cidade Corporate, Bloco C,

Leia mais

FEDERAL GOVERNO. Pesquisa e desenvolvimento: Agricultura familiar como base para o desenvotvimemo de propriedades leiteiras í

FEDERAL GOVERNO. Pesquisa e desenvolvimento: Agricultura familiar como base para o desenvotvimemo de propriedades leiteiras í ~ ~ e GOVERNO Ministério da Agricultura do Abastecimento ~ Pecuária Sudeste FEDERAL Trabalhando em todo o Brasil Pesquisa e desenvolvimento: Agricultura familiar como base para o desenvotvimemo de propriedades

Leia mais

IDENTIFICA CÃ, O DE CULTIVARES DE COQUEIRO NO GERMIIVADOURO ATRAVÉS DA COLORACÃO, DO COLETO

IDENTIFICA CÃ, O DE CULTIVARES DE COQUEIRO NO GERMIIVADOURO ATRAVÉS DA COLORACÃO, DO COLETO Circular Técnica Número 12 ISSN 1517-1316 Setembro, 1999 IDENTIFICA CÃ, O DE CULTIVARES DE COQUEIRO NO GERMIIVADOURO ATRAVÉS DA COLORACÃO, DO COLETO ~ * a Tabuleiros Costeiros REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO D'OESTE - RONDÔNIA.

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO D'OESTE - RONDÔNIA. ISSN 1517-2201 ~4'"Ministério ~a Agricultura e do Abastecimento Novembro,1999 AVALIAÇÃO DA APTIDÃO AGRíCOLA DAS TERRAS DO CAMPO EXPERIMENTAL DE OURO PRETO. D'OESTE - RONDÔNIA. ISSN 1517-2201 Documentos

Leia mais

O POTENCIAL TURÍSTICO DAS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM GOIÁS

O POTENCIAL TURÍSTICO DAS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM GOIÁS Eixo Temático 10. Turismo e Impactos Sócio-Ambientais O POTENCIAL TURÍSTICO DAS ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM IÁS Janete Rêgo Silva 1 Fernando Moreira de Araújo 1 1 Universidade

Leia mais

DENDEICULTURA: ALTERNATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO AMAZONAS

DENDEICULTURA: ALTERNATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO AMAZONAS ISSN 1517-3135 Ministério da Agricultura e do Abastecimento DENDEICULTURA: ALTERNATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO AMAZONAS ISSN 1517-3135 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa

Leia mais

Peixe Defumado. 2 a edição revista e atualizada

Peixe Defumado. 2 a edição revista e atualizada Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Acre Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Peixe Defumado 2 a edição revista e atualizada Joana Maria Leite de Souza Ociléia de Araújo

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades.

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades. Seminário Internacional. Desarrollo Económico Territorial: nuevas praxis em América Latina y el el Caribe em el siglo XXI CEPAL/ILPES, Santiago de Chile, 19 al 21 de octubre de 2010 Estratégia de Desenvolvimento

Leia mais

Custos de Produção de Soja e Milho Safrinha em Chapadão do Sul, MS, da Safra 2016/2017

Custos de Produção de Soja e Milho Safrinha em Chapadão do Sul, MS, da Safra 2016/2017 224 ISSN 1679-0472 Maio, 2017 Dourados, MS Foto: Luiz Alberto Staut Custos de Produção de Soja e Safrinha em Chapadão do Sul, MS, da Safra 2016/2017 1 Alceu Richetti Luiz Eliezer Alves da Gama Ferreira

Leia mais

GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS JOSÉ MELO DE OLIVEIRA SECRETÁRIO DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO AIRTON ÂNGELO CLAUDINO

GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS JOSÉ MELO DE OLIVEIRA SECRETÁRIO DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO AIRTON ÂNGELO CLAUDINO GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN Produto Interno Bruto Trimestral do Estado do Amazonas 4º Trimestre de 2014 Março de 2015 GOVERNADOR

Leia mais

IV Congresso Nacional de Feijão-caupi

IV Congresso Nacional de Feijão-caupi RESUMOS Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento RESUMOS IV Congresso Nacional de Feijão-caupi Feijão-caupi: avanços e desafios tecnológicos e de

Leia mais