Inovação e Tecnologia na Gestão Sustentável na Construção de Edifícios. Prof. Dayana Bastos Costa (UFBA)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inovação e Tecnologia na Gestão Sustentável na Construção de Edifícios. Prof. Dayana Bastos Costa (UFBA)"

Transcrição

1 Inovação e Tecnologia na Gestão Sustentável na Construção de Edifícios Prof. Dayana Bastos Costa (UFBA)

2 Gestão Sustentável na Construção de Edifícios A gestão sustentável na construção de edifícios deve envolver a adoção de práticas visando a sustentabilidade ambiental, econômica e social ao longo do ciclo de vida da edificação.

3 Ciclo de Vida dos Edifícios (Degani, 2009)

4 Custo total de um edifício durante seu ciclo de vida Fonte: CBCS Cons Brasileiro de Const Sustentável Palestra Luiz Ceotto

5 Possibilidade de Intervenção DURABILIDADE não depende dos materiais, depende do PROJETO Fonte: CBCS Cons Brasileiro de Const Sustentável Palestra Luiz Ceotto

6 Aspectos da Sustentabilidade na Construção dos Edifícios QUALIDADE DO AMBIENTE EXTERNO E INFRAESTRUTURA SELEÇÃO E CONSUMO DE MATERIAIS, COMPONENTES E SISTEMAS CANTEIRO DE OBRAS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL RACIONALIZAÇÃO NO USO DA ÁGUA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E POLUIÇÃO POR EMISSÕES QUALIDADE DO AMBIENTE INTERNO E SAÚDE DOS USUÁRIOS

7 Qualidade do Ambiente Externo e Conectividade Infraestrutura Aspectos analisados taxa de ocupação do solo direcionamento do crescimento urbano ecologia local valor ecológico do sítio proximidade de serviços locais localização acessibilidade disponibilidade de transporte Mobilidade

8 Qualidade do Ambiente Externo e Infraestrutura Aspiração Central de Lixo Sede nova do Sinduscon-Ba Aumento de permeabilidade do solo uso de pavimentos permeáveis e semipermeáveis (bloco intertravado/concregrama) Espécies nativas adaptadas e com baixa necessidade de manutenção Acessibilidade total de PNE Otimização de vagas de garagen - uso de manobristas Área de armazenagemento de resíduos recicláveis e não recicláveis

9 Seleção e Consumo de Materiais, Componentes e Sistemas Escolha dos produtos, sistemas e processos construtivos Implicações ambientais desde sua fabricação, transporte, manuseio, aplicação e utilização ao longo da vida útil do edifício. Critérios de desempenho: durabilidade, qualidade, facilidade de manutenção, emissão de poluentes, energia embutida, resíduos gerados, recursos consumidos, percentual de reaproveitamento, dentre outros. Uso de Material de Baixo Impacto

10 Canteiro de Obras de Baixo Impacto Ambiental CONSUMOS MATERIAIS GESTÃO DA ÁGUA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA QUALIDADE INTRINSECA SAÚDE E SEGURANÇA INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EMISSÕES RESÍDUOS POLUIÇÃO DO AR POLUIÇÃO DA ÁGUA E SOLO INTERFACES COM MEIO EXTERIOR QUALIDADE URBANA E DO ENTORNO POLUIÇÃO SONORA POLUIÇÃO VISUAL

11 Canteiro de Obras de Baixo Impacto Ambiental Importância x Adoção 100% 90% 80% % de Respostas Importante e Muito Importante Por Tema 70% 60% 50% 40% % de Adoção das Diretrizes por Tema 30% 20% 10% 0% Consumos Emissões Interfaces com Exterior Qualidade Intrínseca Média Geral Lacuna entre a preocupação manifestada e a real adoção das diretrizes!!!!!

12 Racionalização no Uso da Água Utilização de sistema de esgoto a vácuo, reduzindo o consumo anual de água do edifício Utilização de redutores de pressão, para evitar gastos desnecessários Sistema de Esgoto a Vácuo Dual Flex (6 e 3 litros) Telhado Verde Aproveitamento de águas pluviais para usos que não exijam potabilidade, como irrigação de jardins e ar condicionado Utilização de água de poço artesiano durante a obra e para usos que não exijam potabilidade

13 Eficiência Energética e Poluição por Emissões Procel Edifica Avaliação das instalações e sistemas previstos, de modo a proporcionarem um consumo racional de energia. Contribuições do envelope na redução do consumo energético durante o uso do edifício.

14 Eficiência Energética e Poluição por Emissões Utilização de vidros de alta performance Aproveitamento máximo da iluminação natural Utilização de LED, lâmpadas econômicas e sensores de presença Isolamento da cobertura, a fim de reduzir a carga térmica do edifício Adoção de sistema de refrigeração de ar tipo VRF Utilização de barramento blindado tipo busway, diminuindo a perda de tensão pela distância Sistema de Ar condicionamento com gas natural Rosa Entálpica RETORNO DO AR 22 C AR DE RENOVAÇÃO 27 C EXAUSTÃO DO AR 32 C AR EXTERNO 37 C

15 Qualidade do Ambiente Interno e Saúde de Luz dos Usuários Aproveitamento Natural Trata das características de desempenho relativas ao conforto higrotérmico, acústico, visual e olfativo, incluindo também os aspectos relacionados à ventilação e à iluminação. Também inclui os requisitos para avaliação da preservação das características de qualidade sanitária do ar, do ambiente interno e da água. Fachada Bioclimática

16 QUAIS SÃO AS DIFICULDADE DE ADOÇÃO DA GESTÃO SUSTENTÁVEL E A INTRODUÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES?

17 Viabilidade Econômica da Sustentabilidade

18 Viabilidade Econômica da Sustentabilidade Caso Nova Sede do Sinduscon-Ba Custo Sustentabilidade - Obra 13,2% Investimento Água 0,8% Investimento Energia 5,3% Investimento Climatização 2,3% Investimento arquitetura 2,0% Investimento conforto/saúde 2,9% Total Projetos Sustentabilidade 2,7% CUSTO TOTAL SUSTENTABILIDADE 15,9% Dados Sinducon-Ba, 2013

19 Viabilidade Econômica da Sustentabilidade Estudo para Habitação de Interesse Social com base no Selo Casa Azul Para classificação bronze e prata Saback, Bello, Costa, 2013 CRITÉRIOS SOLUÇÕES Paisagismo Desempenho térmico - Vedações Análise qualitativa Substituir esquadrias para adequar-se ao tamanho mínimo Análise qualitativa Desempenho térmico - Orientação ao Sol e ventos Lâmpadas de baixo consumo Áreas privativas Dispositivos economizadores Áreas comuns Medição individualizada - gás Qualidade dos materiais e componentes Medição individualizada - água Dispositivos economizadores Sistema de descarga Áreas permeáveis VARIAÇÃO NO ORÇAMENTO A B 0,38% 0,09% - - Instalar lâmpadas de baixo consumo 0,14% Atendido Instalar sensores de presença 0,05% Atendido Implantar medidor Análise qualitativa Atendido - 0,35% - Implantar medidor Implantar bacia sanitária dual flux Atendido 0,72% 0,64% 0,27% 0,04% 0,06% - - Substituir pavimento asfáltico por pavimento intertravado nas vagas de estacionamento do condomínio Material + Plano feito pela empresa Material + Palestra Educação para gestão de RCD Educação ambiental dos empregados VARIAÇÃO DE CUSTOS EM RELAÇÃO AO CUSTO DA OBRA 1,33% 1,41%

20 Viabilidade Econômica da Sustentabilidade Estudo para Habitação de Interesse Social com base no Selo Casa Azul Para classificação ouro CRITÉRIOS SOLUÇÕES Solução alternativa de transporte Sistema de aquecimento solar Instalar bicicletários Instalar placas solares para aquecimento de água Instalar arejadores em todas as torneiras Instalar regulador de vazão Dispositivos economizadores Arejadores Dispositivos economizadores Registro regulador de vazão VARIAÇÃO DE CUSTOS EM RELAÇÃO AO CUSTO DA OBRA VARIAÇÃO NO ORÇAMENTO A B 0,48% 0,18% 5,31% 2,01% 0,02% 0,01% 0,09% 0,03% 7,23% 3,64% Saback, Bello, Costa, 2013

21 Dificuldades de Implementação Gestão Sustentável no Brasil Ausência de articulação suficiente da cadeia produtiva do setor. Fracos incentivos por parte dos poderes públicos e legislativos. Ausência de suporte das Municipalidades no que se refere à gestão de resíduos. A falta de comprometimento ambiental de fornecedores de materiais e de serviços. O fato da tecnologia 'limpa' ainda estar longe do alcance de grande parte das construtoras brasileiras. A falta de análise mais criteriosa sob o ponto de vista ambiental no emprego das novas tecnologias. Análise de ciclo de vida dos materiais

22 Obrigado!!! Contatos: GETEC / DCE/ MEAU / EPUFBA

Mauricio Cruz Lopes. Critérios de Sustentabilidade do Projeto Ilha Pura - Vila dos Atletas

Mauricio Cruz Lopes. Critérios de Sustentabilidade do Projeto Ilha Pura - Vila dos Atletas Mauricio Cruz Lopes Critérios de Sustentabilidade do Projeto Ilha Pura - Vila dos Atletas Impacto da Construção Civil 20 a 30% de produção de gases de Efeito Estufa 12 a 16% de consumo de água 30% a 40%

Leia mais

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados

Incorporadora e Construtora. 38 anos no mercado. 121 empreendimentos lançados Incorporadora e Construtora 38 anos no mercado 121 empreendimentos lançados 3,5 milhões de metros quadrados de área construída e em construção (24.475 unidades) EZ TOWERS certificação e diferenciais ambientais

Leia mais

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura Prof a : Ana Cecília Estevão Desenvolvimento sustentável Aquele que busca um equilíbrio entre

Leia mais

VIII SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS ENERGIA EM SERVIÇOS DE SAUDE RACIONALIZAÇÃO DO CONSUMO E FONTES ALTERNATIVAS MAIS LIMPAS E SEGURAS

VIII SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS ENERGIA EM SERVIÇOS DE SAUDE RACIONALIZAÇÃO DO CONSUMO E FONTES ALTERNATIVAS MAIS LIMPAS E SEGURAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Grupo Técnico de Edificações -GTE VIII SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS ENERGIA EM SERVIÇOS DE SAUDE RACIONALIZAÇÃO DO CONSUMO E FONTES ALTERNATIVAS MAIS LIMPAS E SEGURAS Arquiteto

Leia mais

ENVELOPE ESTRUTURAS SISTEMAS PREDIAIS

ENVELOPE ESTRUTURAS SISTEMAS PREDIAIS Disposição final Planejamento Uso e Operação ENVELOPE ESTRUTURAS Projeto SISTEMAS PREDIAIS Construção Implantação PPI Conceituação Planejamento Definição Módulo escopoi Documentação Estudos de Projeto

Leia mais

Notas de Aula_08_2007

Notas de Aula_08_2007 INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA IEI DIVISÃO DE ENGENHARIA CIVIL DEPARTAMENTO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Arquitetura e Urbanismo EDI - 64 Série 1º e 2º Ano Profissionais Carga Horária Semanal: 02 teoria

Leia mais

A Construção Sustentável no contexto da Política Municipal de Combate às Mudanças Climáticas

A Construção Sustentável no contexto da Política Municipal de Combate às Mudanças Climáticas CREA MG Seminário de Mudanças Climáticas e Regimes Ambientais Internacionais A Construção Sustentável no contexto da Política Municipal de Combate às Mudanças Climáticas Weber Coutinho Gerente de Planejamento

Leia mais

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS O Problema: Atual Crise Hídrica e Elétrica 2003 A Crise Hídrica no Brasil O setor elétrico teve custos adicionais devido a problemas nos mananciais Em 2002

Leia mais

RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO

RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO 1 QUADRO RESUMO DO EMPREENDIMENTO Informação Empreendimento SHOPPING CENTER IGUATEMI SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Interessado S J R P IGUATEMI EMPREENDIMENTOS LTDA Endereço Av. Juscelino

Leia mais

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Seminário HIS Sustentável Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Orestes M. Gonçalves Escola Politécnica da Universidade de São Paulo CBCS - Conselho Brasileiro da Construção

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação Funchal, 4 Junho 2 instrumentos para a Responsabilidade Social, Económica e Ambiental na Edificação Declaração de conformidade que visa verificar o cumprimento

Leia mais

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA

Energia solar na habitação. Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA Energia solar na habitação Morenno de Macedo Gerente Executivo GN Sustentabilidade e RSA MCMV 1 + MCMV 2: 224.405 MCMV Fase 1 41.449 unidades habitacionais com SAS 136 empreendimentos 69 municípios - 10

Leia mais

Fonte: KAWAKAMI (2009)

Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) Fonte: KAWAKAMI (2009) 4 LEED s no Brasil

Leia mais

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo Fabio Villas Bôas Jardim das Perdizes, São Paulo O que é um bairro sustentável? Sustentabilidade a partir dos bairros Conceito: escala ideal para acelerar a implantação Portland: algumas iniciativas Anos

Leia mais

PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO FÍSICO E AMBIENTAL SEÇÃO 9: ZONEAMENTO AMBIENTAL URBANO

PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO FÍSICO E AMBIENTAL SEÇÃO 9: ZONEAMENTO AMBIENTAL URBANO PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO FÍSICO E AMBIENTAL SEÇÃO 9: ZONEAMENTO AMBIENTAL URBANO SÃO CARLOS, 03 de Julho de 2013 O Plano Diretor de Desenvolvimento Físico e Ambiental, como peça constituinte do

Leia mais

são josé dos pinhais/pr

são josé dos pinhais/pr Ocupação i m e d i a t a Foto do local são josé dos pinhais/pr Módulos a partir de 1.200 m 2 Área bruta locável de 25.000 m 2 HORTOLÂNDIA SÃO JOSÉ DOS PINHAIS SÃO JOSÉ DOS PINHAIS LOG ComMercial Properties

Leia mais

Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade. Arq.º Miguel Nery OASRN

Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade. Arq.º Miguel Nery OASRN 04-06-2009 Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade Arq.º Miguel Nery OASRN 1 oasrn edifício sede porto criatividade sustentabilidade O Conceito _ a oasrn estableceu um compromisso para a promoção da

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 11 USO RACIONAL DA ENERGIA Identificar onde, na edificação, ocorrem os maiores gastos. Geralmente consegue-se reduzir o gasto energético reduzindo

Leia mais

Agenda Ambiental na Administração Pública

Agenda Ambiental na Administração Pública Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Cidadania e Responsabilidade Ambiental DCRS Agenda Ambiental na Administração Pública INDICADORES

Leia mais

A Construção Civil e o Desenvolvimento Sustentável. A Construção Civil e o Desenvolvimento Sustentável. Conteúdo Programático

A Construção Civil e o Desenvolvimento Sustentável. A Construção Civil e o Desenvolvimento Sustentável. Conteúdo Programático Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Mestrado em Engenharia Ambiental Urbana Conteúdo Programático Introdução a Gestão Sustentável na Construção de Edifícios Prof. Dayana Bastos Costa Desenvolvimento

Leia mais

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão, 29 th May A ECOCHOICE é uma empresa de consultoria de referência na área da construção sustentável em Portugal, satisfazendo as necessidades

Leia mais

Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética. Edificações residenciais

Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética. Edificações residenciais Proposta de métodos para avaliação da eficiência energética Edificações residenciais MÉTODO PRESCRITIVO Checklist MÉTODO PRESCRITIVO VANTAGENS - Simplificação, agilidade e redução de custos do processo

Leia mais

CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010

CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010 CBIC Projeto de Inovação Tecnológica / 2010 MODULO 4 - CÓDIGO DE OBRAS NACIONAL Contribuições AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Fase preliminar das questões a serem abordadas)

Leia mais

CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO

CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO RIO 92 CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO O QUE É SUSTENTABILIDADE? TRATA-SE DE UM NOVO MODELO DE DESENVOLVIMENTO, QUE BUSCA COMPATIBILIZAR O ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES

Leia mais

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras BREEAM Building Research Establishment Environmental Assessment Method Palestrante Viviane Cunha

Leia mais

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Anexo Gráficos de resultados Perfil entrevistado Perfil por Região do Brasil Qual setor representa 30,0% 28,5% 26,6% 25,9% 25,0% 20,0%

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172083 Construção sustentável: premissas básicas e contexto atual Adriana Camargo de Brito Palestra apresentada SEMANA DE ESTUDOS DE GESTÃO AMBIENTAL, DESAFIOS E OPORTUNIDADES EM

Leia mais

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição PARTE I INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS 1 ÁGUA FRIA Entrada e fornecimento de água fria Compartimento que abriga o cavalete Medição de água

Leia mais

i m e d i a t a Foto do local goiânia/go Módulos a partir de m 2 Área bruta locável de m 2 Commercial Properties HORTOLÂNDIA

i m e d i a t a Foto do local goiânia/go Módulos a partir de m 2 Área bruta locável de m 2 Commercial Properties HORTOLÂNDIA Ocupação i m e d i a t a Foto do local HORTOLÂNDIA goiânia/go Módulos a partir de 1.300 m Área bruta locável de 8.000 m LOG ComMercial Properties Empresa do grupo MRV Engenharia, a LOG atua na incorporação,

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

Rua Cândido Benício, 446* *Número a ser confirmado pela Prefeitura.

Rua Cândido Benício, 446* *Número a ser confirmado pela Prefeitura. Localização Localização Rua Cândido Benício, 446* *Número a ser confirmado pela Prefeitura. STAND RUA ANA TELES com CANDIDO BENÍCIO FOTOS DO LOCAL RUA ANA TELES FOTOS DO LOCAL Praça Seca A REVITALIZAÇÃO

Leia mais

ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO

ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO 04 de junho de 2009 Realização: Carlos Alberto de Moraes Borges caborges@tarjab.com.br Estrutura da apresentação Normalização e o Sistema regulatório

Leia mais

"Arquitetura Sustentável: morar de bem com a Natureza"

Arquitetura Sustentável: morar de bem com a Natureza "Arquitetura Sustentável: morar de bem com a Natureza" Sustentabilidade: Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos,

Leia mais

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT

APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT APLICAÇÃO DO CONCEITO DO SELO PROCEL EDIFICA EM EDIFICAÇÃO DO CAMPUS DE PALMAS/UFT Nome do autor(a): Livia Kálita Barbosa Amorim Nome do Orientador: Mariela Cristina Ayres de Oliveira Aluno do Curso de

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A água é elemento intimamente ligado à vida na Terra e é o mais importante componente dos seres vivos. Somos totalmente dependentes desse recurso natural, assim como qualquer atividade

Leia mais

TABELA DE VENDAS MAIO / 2017 TABELA DE ESTUDO - PROIBIDA DIVULGAÇÃO - USO EM TREINAMENTO

TABELA DE VENDAS MAIO / 2017 TABELA DE ESTUDO - PROIBIDA DIVULGAÇÃO - USO EM TREINAMENTO TABELA DE VENDAS MAIO / 2017 TABELA DE ESTUDO - PROIBIDA DIVULGAÇÃO - USO EM TREINAMENTO FICHA TÉCNICA Empreendimento: Incorporação: Construção: Projeto de Arquitetura: Jonas Birger Projeto de Decoração:

Leia mais

Saneamento e Meio ambiente para Arquitetura Edificações Sustentáveis Análise E1. G10. Brunieli Mori Juliana Oliveira Mayara Serra

Saneamento e Meio ambiente para Arquitetura Edificações Sustentáveis Análise E1. G10. Brunieli Mori Juliana Oliveira Mayara Serra Saneamento e Meio ambiente para Arquitetura Edificações Sustentáveis Análise E1 G10. Brunieli Mori Juliana Oliveira Mayara Serra Introdução A partir da análise do Edifício E1, entende-se que é papel do

Leia mais

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL

IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL IEC0001 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA CIVIL SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL Profª Drª. Andreza Kalbusch Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil Sustentabilidade na Engenharia

Leia mais

GESTÃO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO, TECNOLOGIA E DESEMPENHO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

GESTÃO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO, TECNOLOGIA E DESEMPENHO DA CONSTRUÇÃO CIVIL EMENTA GESTÃO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO, TECNOLOGIA E DESEMPENHO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DISCIPLINA: Boas práticas para execução de fundações EMENTA: Materiais e equipamentos necessários. Análise da capacidade

Leia mais

As prioridades nacionais para a Eficiência Energética. Cristina Cardoso, DGEG

As prioridades nacionais para a Eficiência Energética. Cristina Cardoso, DGEG As prioridades nacionais para a Eficiência Energética Cristina Cardoso, DGEG Lisboa, Ordem dos Engenheiros - Infoday da Eficiência Energética 4 de abril de 2017 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: O QUE É? Energy efficiency

Leia mais

Eusocial. Habitacao multifamiliar

Eusocial. Habitacao multifamiliar Eusocial Habitacao multifamiliar EUSOCIAL Uma sobreposição de gerações no mesmo ninho, o cuidado cooperativo com a prole e a divisão de tarefas são características da eusocialidade, que é o modo como se

Leia mais

AI Parâmetros Urbanísticos e Programa de necessidades

AI Parâmetros Urbanísticos e Programa de necessidades AI-1 2017-2 Parâmetros Urbanísticos e Programa de necessidades Parâmetros Urbanísticos: o Área de projeção máxima da(s) edificação(ões): 750,00m² o Área Total Edificada (áreas de uso fim e respectivas

Leia mais

Bairros e loteamentos

Bairros e loteamentos TERRITÓRIO E CONTEXTO LOCAL 1 Setembro de 2011 P a r t e Q A B Q u a l i d a d e A m b i e n t a l d o B a i r r o Referencial técnico de certificação Processo AQUA 1/21 ABORDAGEM TEMÁTICA Objetivos da

Leia mais

Quem somos e no que acreditamos

Quem somos e no que acreditamos Quem somos Quem somos e no que acreditamos NOSSA ATUAÇÃO Somos uma empresa que propõe soluções em projetos e construções de edificações a partir de diretrizes de eficiência energética e sustentabilidade.

Leia mais

PÁTIO DA MARÍTIMA FASE 1 Tishman Speyer CONTEÚDO TÉCNICO DE SUSTENTABILIDADE PARA DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE

PÁTIO DA MARÍTIMA FASE 1 Tishman Speyer CONTEÚDO TÉCNICO DE SUSTENTABILIDADE PARA DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE PÁTIO DA MARÍTIMA FASE 1 Tishman Speyer CONTEÚDO TÉCNICO DE SUSTENTABILIDADE PARA DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE REVISÃO 02-2018 PÁTIO DA MARÍTIMA FASE 1 Tishman Speyer LEED CORE & SHELL V.3.0 Rio de Janeiro

Leia mais

A experiência da Construtora Tarjab no atendimento à Norma de Desempenho

A experiência da Construtora Tarjab no atendimento à Norma de Desempenho A experiência da Construtora Tarjab no atendimento à ABRIL / 2015 Eng. Carlos Alberto de Moraes Borges Diretor Presidente TARJAB Importância 1. Nivelar o mercado de construção civil diminuindo a concorrência

Leia mais

Projeto Restinga Extremo Sul

Projeto Restinga Extremo Sul Projeto Restinga Extremo Sul Projeto Restinga Extremo Sul Eng. Carlos Emílio Marczyk Valores Respeito ao Meio Ambiente 1914 início do bosque A partir de outubro de 1914, os trabalhadores transformam

Leia mais

Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book

Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book Torne seu negócio sustentável e reduza custos. e-book Índice 03. Introdução 05. Soluções energéticas 09. Destinação de resíduos 11. Atenção à água Introdução Empregar novos hábitos no gerenciamento do

Leia mais

Residência: Local de trabalho/estudo: Habilitações académicas: Profissão:

Residência: Local de trabalho/estudo: Habilitações académicas: Profissão: Inquérito O Plano de Ação para a Energia Sustentável do Concelho de Setúbal (PAESS) é um instrumento fundamental para assegurar o cumprimento, a nível local, do compromisso de atingir e ultrapassar o objetivo

Leia mais

Sistema Construtivo. Matriz Energética. Eficiência Energética. Água.

Sistema Construtivo. Matriz Energética. Eficiência Energética. Água. Sistema Construtivo Matriz Energética Água Eficiência Energética www.starkhaus.com.br Sistema Constru.vo Sistema Constru.vo O setor de construção é responsável por 30% das emissões mundiais de CO², segundo

Leia mais

Curso Gestão em Sustentabilidade na Construção Civil

Curso Gestão em Sustentabilidade na Construção Civil Curso Gestão em Sustentabilidade na Construção Civil Aula 01 - Certificação ambiental de Edifícios: visão do empreendedor Aula 02 - Certificações Leed, AQUA e Procel Eng. Dra. Clarice Degani Assessora

Leia mais

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROJETO CIDADE DO POVO Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O CONTEXTO Sustentabilidade Econômica : ZPE Parque Industrial

Leia mais

Contexto: Zona Norte. Problema

Contexto: Zona Norte. Problema Contexto: Zona Norte Problema Há mais de 20 anos, estudos apontam a demanda de áreas públicas verdes e de lazer para a Zona Norte da Cidade do Rio do Janeiro - região com altos índices de ocupação urbana.

Leia mais

10 DICAS PARA A SUA EMPRESA SER SUSTENTÁVEL

10 DICAS PARA A SUA EMPRESA SER SUSTENTÁVEL EXCLUSIVO PARA EMPRESAS QUE REDUZIR SEUS CUSTOS DE FORMA SUSTENTÁVEL 10 DICAS PARA A SUA EMPRESA SER SUSTENTÁVEL Prezado Empresário, O Grupo Quality preparou esse manual para ajudá-lo a implantar ações

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção ` Gestão da água Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS-FEC/UNICAMP 28 de setembro de 2012 Ciclo

Leia mais

Edificações Sustentáveis

Edificações Sustentáveis COLÓQUIO SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Edificações Sustentáveis Roberto Lamberts, PhD. Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações

Leia mais

PAVIMENTO AMBIENTE PISO RODAPÉ SOLEIRA PAREDE FORRO LOUÇAS METAIS OUTROS

PAVIMENTO AMBIENTE PISO RODAPÉ SOLEIRA PAREDE FORRO LOUÇAS METAIS OUTROS MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTO AMBIENTE PISO RODAPÉ SOLEIRA PAREDE FORRO LOUÇAS METAIS OUTROS 5º, 4º e 3º Subsolos Área de estacionamento Cimentado liso Demarcação de vagas com - - Pintura látex com barra

Leia mais

INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA

INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA INTRODUÇÃO AO NOVO MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO PBE EDIFICA ENERGIA PRIMÁRIA CONCEITO Forma de energia disponível na natureza que não foi submetida a qualquer processo de conversão ou transformação. É a energia

Leia mais

DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES

DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS: UNISINOS INSTITUTO TECNOLÓGICO EM DESEMPENHO E CONSTRUÇÃO CIVIL NORMA DE DESEMPENHO E OS SISTEMAS VERTICAIS DE VEDAÇÃO DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES Prof. Dr. Bernardo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE

AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE AVALIAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PÚBLICAS NA UDESC E EM JOINVILLE Área temática: Meio Ambiente Ana Mirthes Hackenberg Ana Mirthes Hackenberg 1, Bruno Dilmo Palavras chave: etiquetagem, eficiência

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E ACESSIBILIDADE DESAFIOS DA ATIVIDADE TURÍSTICA

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E ACESSIBILIDADE DESAFIOS DA ATIVIDADE TURÍSTICA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E ACESSIBILIDADE DESAFIOS DA ATIVIDADE TURÍSTICA Conferência Internacional Turismo Sustentável Políticas, Práticas e Atores Fundação INATEL, Teatro da Trindade, 6 de dezembro

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220 Desempenho Térmico de edificações NBR15220 PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS + objetivos + requisitos usuários + NBR 15220 + NBR 15220-3 + parâmetros e condições de contorno + estratégias

Leia mais

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas

Plano de Adaptação às Alterações Climáticas Plano de Adaptação às Alterações Climáticas O Município de Alfândega da Fé tem vindo a desenvolver ações no sentido alcançar uma maior sustentabilidade energética e ambiental, que têm expressão em áreas

Leia mais

O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção. João Mariz Graça, Arq.

O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção. João Mariz Graça, Arq. O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção João Mariz Graça, Arq. joao.mariz@lneg.pt Introdução conceito de sustentabilidade Bom desempenho Ambiental ciclo de vida do edifício; Fase

Leia mais

DESEMPENHO TÉRMICO EDIFICAÇÕES: FACHADAS ENVIDRAÇADAS, PROJETO E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL

DESEMPENHO TÉRMICO EDIFICAÇÕES: FACHADAS ENVIDRAÇADAS, PROJETO E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL DESEMPENHO TÉRMICO EDIFICAÇÕES: FACHADAS ENVIDRAÇADAS, PROJETO E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL ARQ5658 Eficiência Energética e Sustentabilidade em Edificações Prof. Fernando Simon Westphal Departamento de Arquitetura

Leia mais

Programa EcoCommercial Building Brasil. Rede de soluções integradas para edifícios sustentáveis

Programa EcoCommercial Building Brasil. Rede de soluções integradas para edifícios sustentáveis Programa EcoCommercial Building Brasil Rede de soluções integradas para edifícios sustentáveis Programa EcoCommercial Building Serviços Engenharia Energias renováveis Arquitetura Plano Energético Iluminação

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil Desempenho Térmico de edificações PROFESSOR Roberto Lamberts ALEJANDRO NARANJO ECV 51 UFSC FLORIANÓPOLIS estrutura introdução Requisitos gerais Requisitos Vedações verticais Requisitos coberturas 2 +introdução

Leia mais

Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras. Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV

Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras. Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV Da construção sustentável e da ideia de projecto responsável

Leia mais

Localização. Produto

Localização. Produto Localização Produto Por que acreditamos no Gafisa Like Tijuca? Sucesso do MOOD Lapa; Região Carente de Grandes Lançamentos (4 anos); Cenário Econômico É a hora da recuperação; Mapeamento Tijuca Um dos

Leia mais

Complexos Escolares. Exemplos de Eficiência Energética

Complexos Escolares. Exemplos de Eficiência Energética Complexos Escolares Exemplos de Eficiência Energética Empresa de consultoria em Construção Sustentável, especializada no acompanhamento ao Gabinete de Arquitectura ou Promotor. Desde o inicio em assessoria

Leia mais

ESTUDO DE CASO DE SELO DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO

ESTUDO DE CASO DE SELO DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO 60 ESTUDO DE CASO DE SELO DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO Gabriela dos Santos Rodolfo, gabisr_@hotmail.com Ricardo Nagamine Costanzi Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba,

Leia mais

PLANO DE CURSO EMENTA DA DISCIPLINA:

PLANO DE CURSO EMENTA DA DISCIPLINA: Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Projeto, Representação e Tecnologia Professora: Aline Calazans Marques PLANO DE CURSO nome da disciplina Conforto

Leia mais

ÍNDICE 1. LOCALIZAÇÃO 2. FICHA TÉCNICA 3. O EMPREENDIMENTO 4. SUSTENTABILIDADE 5. TABELA DE VENDAS

ÍNDICE 1. LOCALIZAÇÃO 2. FICHA TÉCNICA 3. O EMPREENDIMENTO 4. SUSTENTABILIDADE 5. TABELA DE VENDAS ÍNDICE 1. LOCALIZAÇÃO 2. FICHA TÉCNICA 3. O EMPREENDIMENTO 4. SUSTENTABILIDADE 5. TABELA DE VENDAS LOCALIZAÇÃO Este é o mais novo lançamento do Grupo Proeng S.A, na Praia de Itaparica. Na quadra do mar,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BEJA DPO/Serviço de Apreciação de Projetos

CÂMARA MUNICIPAL DE BEJA DPO/Serviço de Apreciação de Projetos 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 E3 C1 C2 125 126 127 128 129 Planta

Leia mais

POUPANÇA DE ENERGIA NOS HOSPITAIS IMPLEMENTAÇÃO DE UMA CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO E PERCEÇÃO DOS COLABORADORES DE UM CENTRO HOSPITALAR

POUPANÇA DE ENERGIA NOS HOSPITAIS IMPLEMENTAÇÃO DE UMA CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO E PERCEÇÃO DOS COLABORADORES DE UM CENTRO HOSPITALAR POUPANÇA DE ENERGIA NOS HOSPITAIS IMPLEMENTAÇÃO DE UMA CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO E PERCEÇÃO DOS COLABORADORES DE UM CENTRO HOSPITALAR ARMINDA DO PAÇO, UNIVERSITY OF BEIRA INTERIOR, PORTUGAL Introdução Importância

Leia mais

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II 1 INTRODUÇÃO 2 Por que um conjunto habitacional no Guará II? Cidade onde moro Otimizar a infraestrutura urbana existente Atender as necessidades por moradias compactas

Leia mais

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Pré-Fabricação:O Contexto Habitacional e Sustentabilidade PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Roberto José Falcão Bauer 27 de agosto de 2009 CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL UTILIZA ECOMATERIAIS E SOLUÇÕES INTELIGENTES,

Leia mais

Bem vindo a essa experiência, fruto da união da arquitetura contemporânea da Smart com a arte de Heloísa Crocco e o design da Saccaro.

Bem vindo a essa experiência, fruto da união da arquitetura contemporânea da Smart com a arte de Heloísa Crocco e o design da Saccaro. Iguaçu, mais que um nome ou um lugar, é um convite para mergulhar em um mundo de simbolismos, onde nossos valores e nossas raízes revelam na paisagem construída a conexão entre o ancestral e o contemporâneo.

Leia mais

Conexões 1/13. Situação. Implantação 1:750. Legenda Edificação Passeio Estacionamento Pátio interno Área verde Pomar Área Pública com comércio

Conexões 1/13. Situação. Implantação 1:750. Legenda Edificação Passeio Estacionamento Pátio interno Área verde Pomar Área Pública com comércio 1/13 Área institucional Conjunto habitacional Área residencial Parque Partindo do princípio que o conjunto habitacional está localizado ao lado de um parque urbano de 15 hectares projetado para a disciplina

Leia mais

Quem somos e no que acreditamos

Quem somos e no que acreditamos Quem somos Quem somos e no que acreditamos NOSSA ATUAÇÃO Somos uma empresa que propõe soluções em projetos e construções de edificações a partir de diretrizes de eficiência energética e sustentabilidade.

Leia mais

DETALHAMENTO - DAEP - SP

DETALHAMENTO - DAEP - SP DETALHAMENTO - DAEP - SP Medidas de Eficiência Energética ADOTAR UMA POLÍTICA DE COMPRAS SUSTENTÁVEIS Medida nº 1 Custo estimado do investimento (R$) Economia anual estimada (kwh/ano) Economia anual estimada

Leia mais

Eficiência Energetica em edificações

Eficiência Energetica em edificações MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Eficiência Energetica em edificações 1 Alexandra Albuquerque Maciel alexandra.maciel@mma.gov.br SECRETARIA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E QUALIDADE AMBIENTAL Diretoria de licenciamento

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARA PROJETOS DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS NO CONTEXTO CLIMÁTICO DE MACEIÓ/AL 1

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARA PROJETOS DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS NO CONTEXTO CLIMÁTICO DE MACEIÓ/AL 1 VI ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO Desafios e Perspectivas da Internacionalização da Construção São Paulo, 21 a 23 de Setembro de 2016 SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARA PROJETOS DE

Leia mais

TECNOLOGIAS SUSTENTÁVEIS PARA A CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÕES: DESENVOLVIMENTO DE FICHAS TÉCNICAS

TECNOLOGIAS SUSTENTÁVEIS PARA A CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÕES: DESENVOLVIMENTO DE FICHAS TÉCNICAS TECNOLOGIAS SUSTENTÁVEIS PARA A CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÕES: DESENVOLVIMENTO DE FICHAS TÉCNICAS Viviane T. dos Santos (1); Alberto C. Lordsleem Jr. (2) (1) Departamento de Engenharia de Civil Escola Politécnica

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO CONSUMO E GESTAO DA ENERGIA NO CANTEIRO DE OBRAS DO IFPE, CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO

DIAGNÓSTICO DO CONSUMO E GESTAO DA ENERGIA NO CANTEIRO DE OBRAS DO IFPE, CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO DIAGNÓSTICO DO CONSUMO E GESTAO DA ENERGIA NO CANTEIRO DE OBRAS DO IFPE, CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO Jamillys S. Sá Barreto, Diogo Henrique Fernandes da Paz Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

Energia e Ambiente. Desenvolvimento sustentável; Limitação e redução dos gases de efeito de estufa; Estímulo da eficiência energética;

Energia e Ambiente. Desenvolvimento sustentável; Limitação e redução dos gases de efeito de estufa; Estímulo da eficiência energética; Energia e Ambiente Desenvolvimento sustentável; Limitação e redução dos gases de efeito de estufa; Estímulo da eficiência energética; Investigação de formas novas e renováveis de energia; Potenciar as

Leia mais

Edifício da FATENP, em Santa Catarina Um dos primeiros 5 etiquetados no país. Rodrigo da Costa Casella

Edifício da FATENP, em Santa Catarina Um dos primeiros 5 etiquetados no país. Rodrigo da Costa Casella Edifício da FATENP, em Santa Catarina Um dos primeiros 5 etiquetados no país. Rodrigo da Costa Casella Arquiteto PROCEL EDIFICA / ELETROBRÁS Agosto/2009 Belo Horizonte Realidade brasileira Matriz energética

Leia mais

A Sustentabilidade Aplicadaà Arquitetura

A Sustentabilidade Aplicadaà Arquitetura A Sustentabilidade Aplicadaà Arquitetura por Jorge Pacheco arquiteto e urbanista Introdução A sustentabilidade é um conceito amplo que, resumidamente, significa utilizar os recursos da natureza sem destruí-la,

Leia mais

Módulo IV - PIT CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES NACIONAL. (Fase preliminar) Princípios a serem abordados

Módulo IV - PIT CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES NACIONAL. (Fase preliminar) Princípios a serem abordados Módulo IV - PIT CÓDIGO DE EDIFICAÇÕES NACIONAL (Fase preliminar) Princípios a serem abordados CONCEITOS FUNDAMENTAIS Viabilização dependente do sucesso do trinômio : DESEMPENHO X SUSTENTABILIDADE X RESPONSABILIDADE

Leia mais

CERTIFICAÇÃO LEED. Prof. Fernando Simon Westphal Sala

CERTIFICAÇÃO LEED. Prof. Fernando Simon Westphal  Sala CERTIFICAÇÃO LEED Prof. Fernando Simon Westphal fernandosw@arq.ufsc.br fswfernando@gmail.com Sala 115 3721-4856 1 EA ENERGY AND ATMOSPHERE 2 EAp1 Comissionamento básico (comissioning) (pré-requisito) Verificar

Leia mais

CERTIFICAÇÃO LEED. Prof. Fernando Simon Westphal Sala

CERTIFICAÇÃO LEED. Prof. Fernando Simon Westphal  Sala CERTIFICAÇÃO LEED Prof. Fernando Simon Westphal fernandosw@arq.ufsc.br fswfernando@gmail.com Sala 115 3721-4856 1 SS SUSTAINABLE SITES 2 SSp1 Prevenção a poluição durante a obra (pré-requisito) Reduzir

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira TECNOLOGIA EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA TECNOLOGIA EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Leia mais

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social

No caminho da Sustentabilidade. Óbidos Carbono Social No caminho da Sustentabilidade Óbidos Carbono Social Objectivos Implementação de medidas que visam a redução das emissões de CO 2 Execução de soluções de sequestração de CO 2 no Concelho Projectos de Mitigação

Leia mais

Controle de impactos de edificações sobre o sistema público de drenagem: Vazões pluviais e poluição difusa

Controle de impactos de edificações sobre o sistema público de drenagem: Vazões pluviais e poluição difusa Controle de impactos de edificações sobre o sistema público de drenagem: Vazões pluviais e poluição difusa Inovações em Engenharia Engenharia de Sistemas Prediais A INPrediais visa ser um dos principais

Leia mais

DASE Aula 9 (2008) Gabinete Ambiente e Sustentabilidade Tópicos Abordados. 1. Ambiente e Impactes

DASE Aula 9 (2008) Gabinete Ambiente e Sustentabilidade Tópicos Abordados. 1. Ambiente e Impactes Ambiente e construção sustentável (O Sistema LiderA) DASE Aula 9 (2008) Gabinete 3.42 manuel.pinheiro@civil.ist.utl.pt Ambiente e Sustentabilidade Tópicos Abordados 1. Ambiente e Impactes 2. 3. Sistema

Leia mais

Textos para Discussão Vol. 1, No. 1 out Análise de um empreendimento certificado com o Selo Ambiental Casa Azul Caixa

Textos para Discussão Vol. 1, No. 1 out Análise de um empreendimento certificado com o Selo Ambiental Casa Azul Caixa Texto n.003 Textos para Discussão Vol. 1, No. 1 out 2015 Análise de um empreendimento certificado com o Selo Ambiental Casa Azul Caixa Afonso José de Faria Eunice G. Siqueira Fundação de Ensino e Pesquisa

Leia mais

O papel dos comportamentos na utilização racional de energia. Coimbra, 19 Novembro 2013

O papel dos comportamentos na utilização racional de energia. Coimbra, 19 Novembro 2013 O papel dos comportamentos na utilização racional de energia Coimbra, 19 Novembro 2013 AREAC Quem somos? O que fazemos? A AREAC... Diretora Técnica e Gestora de Projetos Técnica de SIG Equipa técnica -

Leia mais

Gestão Pública Sustentável

Gestão Pública Sustentável Gestão Pública Sustentável Florianópolis/SC outubro/2014 Ministério do Meio Ambiente Sustentabilidade e Setor Público Art. 225 CF/88 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem

Leia mais

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições.

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. (Fonte: Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil, 2011/Abrelpe-

Leia mais