RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8"

Transcrição

1 Instituto Paulista de Ensino FIPEN CPA - Comissão Própria de Avaliação RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Dezembro/2014

2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO... 6 B - DIMENSÕES A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL A POLÍTICA PARA O ENSINO, A PESQUISA, A PÓS-GRADUAÇÃO, A EXTENSÃO E AS RESPECTIVAS NORMAS DE OPERACIONALIZAÇÃO, INCLUÍDOS OS PROCEDIMENTOS PARA ESTÍMULO À PRODUÇÃO ACADÊMICA, AS BOLSAS DE PESQUISA, DE MONITORIA E DEMAIS MODALIDADES A RESPONSABILIDADE SOCIAL DA INSTITUIÇÃO, CONSIDERADA ESPECIALMENTE NO QUE SE REFERE À SUA CONTRIBUIÇÃO EM RELAÇÃO À INCLUSÃO SOCIAL, AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SOCIAL, À DEFESA DO MEIO AMBIENTE, DA MEMÓRIA CULTURAL, DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA E DO PATRIMÔNIO CULTURAL A COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE AS POLÍTICAS DE PESSOAL, DE CARREIRAS DO CORPO DOCENTE E CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO, SEU APERFEIÇOAMENTO, DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL E SUAS CONDIÇÕES DE TRABALHO ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA INSTITUIÇÃO, ESPECIALMENTE O FUNCIONAMENTO E REPRESENTATIVIDADE DOS COLEGIADOS, SUA INDEPENDÊNCIA E AUTONOMIA NA RELAÇÃO COM A MANTENEDORA, E A PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA NOS PROCESSOS DECISÓRIOS INFRA-ESTRUTURA FÍSICA, ESPECIALMENTE A DE ENSINO E DE PESQUISA, BIBLIOTECA, RECURSOS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO, ESPECIALMENTE EM RELAÇÃO AOS PROCESSOS, RESULTADOS E EFICÁCIA DA AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL14 9. POLÍTICAS DE ATENDIMENTO SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA, TENDO EM VISTA O SIGNIFICADO SOCIAL DA CONTINUIDADE DOS COMPROMISSOS NA OFERTA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSIDERAÇÕES FINAIS

3 3

4 RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO INTRODUÇÃO O Relatório de Auto Avaliação apresenta os resultados deste ciclo avaliativo da Faculdade Instituto Paulista de Ensino (FIPEN), realizado pela comunidade acadêmica, composta pelo corpo docente, discente e técnico-administrativo, mobilizada no segundo semestre de 2013 no intuito de promover mais um ciclo de Avaliação Institucional. A avaliação interna é uma das atividades do processo avaliativo e que para realização utiliza-se dos seguintes procedimentos: 1. Análise dos resultados das auto avaliações de Cursos, Institucionais e do ENADE, com o objetivo de verificar as recomendações e realizar melhorias; 2. Elaboração, aplicação e análise de instrumentos quantitativos aplicados sobre as 10 (dez) dimensões, para coleta das óticas dos docentes, discentes e técnicoadministrativos, com o objetivo de comparar o desempenho anual, verificar as potencialidades e fragilidades e realizar melhorias; 3. Análise documental e verificação in loco à instituição, realizada pelos responsáveis das áreas e com acompanhamento e orientação da CPA (Comissão Própria de Avaliação); 4. Encontros com a comunidade acadêmica (alunos, docentes e funcionários) para discussão e análise das dez dimensões, propondo a auto-reflexão e propostas de melhoria contínua. Os encontros abordam: a. SINAES. Objetivos, sistemática, Avaliação de Cursos e Institucional; b. Missão e objetivos da FIPEN, Plano de Desenvolvimento Institucional, Projeto Pedagógico Institucional e Projeto Pedagógico de Cursos; c. Resultados do Processo avaliativos. d. Uma discussão em grupo sobre as dez dimensões, destacando as potencialidades, fragilidades e as propostas de melhoria. As etapas da avaliação para cada ciclo são: 1. Preparação, que consiste em: a. Composição da CPA (Comissão Própria de Avaliação). Realizada no início do processo e os membros são revistos em todos os ciclos; 4

5 b. Atividades para sensibilização da Comunidade Acadêmica sobre todo o processo, para tal são realizadas reuniões abertas com os alunos, docentes e técnico-administrativos; c. Elaboração do projeto de auto avaliação, em que participaram os membros da CPA, e discussão ao início de cada ciclo. 2. Desenvolvimento, com as ações: a. Elaboração dos instrumentos avaliativos; b. Coleta de dados relativos a todas as dimensões, realizado por meio de aplicação de instrumento quantitativo; 3. Consolidação, por meio: a. Da tabulação do instrumento avaliativa e análise de resultados; b. Da elaboração de relatórios, sintetizando as potencialidades, fragilidades e recomendações para cada dimensão; c. Da difusão para comunidade, por meio de banner e apresentação em auditório. 4. Reavaliação do plano para o próximo ciclo, conforme a proposta de melhoria contínua. A ferramenta utilizada, consolidada na instituição, é continuamente discutida entre os membros participantes do processo, sejam alunos, professores e comunidade, por meio de seus representantes, nas reuniões das CPA s, conforme registros em atas, regularmente arquivadas, de forma que se pode assegurar que este relatório carrega informações que contaram com a participação de todos os envolvidos desde o início. Na expectativa de que tal relatório cumpra a sua finalidade, a Comissão Própria de Auto Avaliação da faculdade se disponibiliza para atuar como agente multiplicador do processo avaliativo implantado. 5

6 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO A seguir, serão relatadas as sínteses das avaliações relativas para cada dimensão. Observa-se que este trabalho é resultado das atividades programadas, conforme este ciclo de Auto Avaliação da FIPEN. Os gráficos constituem-se na média das respostas das questões quantitativas, elaboradas por dimensão, na óptica dos discentes, técnico-administrativos e docentes. As análises são resultantes dos instrumentos:. a) Quantitativos, na óptica dos Discentes, Docentes e Técnico- Administrativos, sendo utilizados os conceitos: A ou 5 B ou 4 C ou 3 D ou 2 E ou 1 Excelente Bom Satisfatório Regular Péssimo b) Fórum, com a participação de Discentes, Docentes, Técnico-Administrativa e Gestores; c) Análise documental; No relatório são apresentados os seguintes aspectos: a) Gráficos com as sínteses dos resultados por dimensão; b) Potencialidades; c) Fragilidades; d) Recomendações. 6

7 B - DIMENSÕES 1. A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Gráfico 1 A Missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional Fonte: CPA - FIPEN Nesta dimensão foram destacados por alunos, professores e corpo técnico administrativo que o curso e suas disciplinas contribuem para a reflexão sobre a realidade e para a formação de profissionais com responsabilidade social e visão humanista que buscam uma sociedade agregadora e solidária, apresentando coerência entre a concretização das práticas pedagógicas com os objetivos centrais da instituição. b) Fragilidades Não houve destaque no que diz respeito a fragilidades, porém pode-se indicar como falta de pontualidade dos alunos no cumprimento de suas obrigações acadêmicas um aspecto a ser observado. c) Recomendações Observação de recorrência da indicação falta de pontualidade dos alunos no cumprimento de suas obrigações acadêmicas nos próximos ciclos para futuras recomendações. 7

8 2. A POLÍTICA PARA O ENSINO, A PESQUISA, A PÓS-GRADUAÇÃO, A EXTENSÃO E AS RESPECTIVAS NORMAS DE OPERACIONALIZAÇÃO, INCLUÍDOS OS PROCEDIMENTOS PARA ESTÍMULO À PRODUÇÃO ACADÊMICA, AS BOLSAS DE PESQUISA, DE MONITORIA E DEMAIS MODALIDADES Gráfico 2 A Política para o Ensino Fonte: CPA - FIPEN Foi indicada pela comunidade acadêmica como destaque na política para o ensino a adequação das metodologias de ensino, adotadas pelos professores, aos objetivos do curso e às atividades complementares de ensino. b) Fragilidades Não foi observada fragilidade para esta dimensão, apenas percebido um ponto de atenção para as políticas de incentivo, a participação dos estudantes em eventos externos. c) Recomendações Observação, para os próximos ciclos, da questão de políticas de incentivo para participação dos estudantes em eventos externos. Caso ocorra queda neste indicativo, a promoção de ações corretivas deve ser implantada. 8

9 3. A RESPONSABILIDADE SOCIAL DA INSTITUIÇÃO, CONSIDERADA ESPECIALMENTE NO QUE SE REFERE À SUA CONTRIBUIÇÃO EM RELAÇÃO À INCLUSÃO SOCIAL, AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SOCIAL, À DEFESA DO MEIO AMBIENTE, DA MEMÓRIA CULTURAL, DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA E DO PATRIMÔNIO CULTURAL Gráfico 3 A Responsabilidade Social Fonte: CPA - FIPEN Destacaram-se como potencialidade nesta dimensão, para professores, funcionários e alunos, ações de inclusão de estudantes em situação econômica desfavorecida e ações que evidenciam a promoção da cidadania como alternativas para a promoção da inclusão social e ao desenvolvimento econômico social. b) Fragilidades Não houve destaque para pontos frágeis na instituição no que diz respeito a essa dimensão. c) Recomendações É recomendado à instituição a manutenção e o aprofundamento de suas políticas de responsabilidade social no que diz respeito às práticas de inclusão social, ao desenvolvimento econômico social, à defesa do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural. 9

10 4. A COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE Gráfico 4 A Comunicação com a Sociedade Fonte: CPA FIPEN A divulgação do plano de ensino por parte dos professores e a imagem pública da FIPEN nos meios de comunicação social são aspectos destacados positivamente pelo corpo docente, discente e técnico administrativo. b) Fragilidades Em contrapartida à boa imagem da instituição nos meios de comunicação social, motivo de destaque positivo, foi apontada a comunicação externa da FIPEN como uma atividade a ser melhor explorada. c) Ações para serem implementadas/recomendações Avaliação, por parte da instituição, a respeito de possíveis pontos de melhoria quanto ao trabalho de comunicação externa da FIPEN. 10

11 5. AS POLÍTICAS DE PESSOAL, DE CARREIRAS DO CORPO DOCENTE E CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO, SEU APERFEIÇOAMENTO, DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL E SUAS CONDIÇÕES DE TRABALHO Gráfico 5 A Política de Pessoal Fonte: CPA - FIPEN Na dimensão de políticas de pessoal, de carreiras do corpo docente e técnico administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho, destacou-se o clima de trabalho na FIPEN. b) Fragilidades Não houve apontamento de fragilidades nessa dimensão, porém a promoção da capacitação e atualização dos técnicos-administrativos e as políticas de plano de carreiras foram aspectos indicados com potencial de melhoria. c) Ações para serem implementadas/recomendações Observação de recorrência dos aspectos mencionados acima, ou seja, da promoção da capacitação e atualização dos técnicos-administrativos e as políticas de plano de carreiras, com avaliação regular ou insatisfatória em ciclos futuros, para eventuais ações. 11

12 6. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA INSTITUIÇÃO, ESPECIALMENTE O FUNCIONAMENTO E REPRESENTATIVIDADE DOS COLEGIADOS, SUA INDEPENDÊNCIA E AUTONOMIA NA RELAÇÃO COM A MANTENEDORA, E A PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA NOS PROCESSOS DECISÓRIOS Gráfico 6 A Organização e Gestão da Instituição Fonte: CPA - FIPEN Dois aspectos foram realçados de forma positiva pela comunidade acadêmica quanto essa dimensão, o prazo para resolução de problemas por parte do coordenador e a coerência dos objetivos e projetos da FIPEN com a sua estrutura organizacional oficial e real. b) Fragilidades Não foram indicadas fragilidades nessa dimensão. c) Ações para serem implementadas/recomendações É recomendada a manutenção e o aprofundamento de suas políticas para a organização e gestão da instituição. 12

13 7. INFRA-ESTRUTURA FÍSICA, ESPECIALMENTE A DE ENSINO E DE PESQUISA, BIBLIOTECA, RECURSOS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Gráfico 7 A Infra-estrutura Física Fonte: CPA - FIPEN Na dimensão de Infraestrutura destacou-se a adequação dos periódicos existentes na biblioteca às disciplinas ministradas, a atualização do acervo de livros e periódicos da biblioteca e a cortesia no atendimento da Secretaria. b) Fragilidades Apesar de não ocorrerem destaques quanto à fragilidade, alguns aspectos observados podem ser melhorados, segundo a comunidade acadêmica, como a qualidade dos produtos da cantina e a qualidade dos recursos audiovisuais. c) Ações para serem implementadas/recomendações Devido indicação regular quanto à qualidade dos produtos da cantina e a qualidade dos recursos audiovisuais, e não insatisfatória, recomenda-se apenas acompanhamento destes pontos em ciclos futuros, de forma que esses indicadores, caso piorem, possam ser seguidos de ações corretivas. 13

14 8. PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO, ESPECIALMENTE EM RELAÇÃO AOS PROCESSOS, RESULTADOS E EFICÁCIA DA AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Gráfico 8 Planejamento e Avaliação Fonte: CPA - FIPEN Na dimensão de planejamento e avaliação da Auto Avaliação, a participação da comunidade acadêmica no processo e a divulgação do planejamento geral das atividades da FIPEN tiveram destaque positivo. b) Fragilidades Não houve indicação de fragilidades. c) Ações para serem implementadas/recomendações É recomendada a manutenção de suas políticas de planejamento e avaliação do ciclo avaliativo institucional. 14

15 9. POLÍTICAS DE ATENDIMENTO Gráfico 9 - Política de Atendimento Fonte: CPA - FIPEN Três aspectos referentes à política de atendimento ficaram evidenciados de forma positiva neste Ciclo de Auto Avaliação. A condução do trabalho acadêmico junto aos alunos, as práticas que estimulam o apoio ao estudante e a assessoria didático-pedagógica tiveram avaliação muito positiva. d) Fragilidades Não foram indicadas fragilidades. b) Ações para serem implementadas/recomendações É recomendado o aprofundamento de suas políticas de atendimento. 15

16 10. SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA, TENDO EM VISTA O SIGNIFICADO SOCIAL DA CONTINUIDADE DOS COMPROMISSOS NA OFERTA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Gráfico 10 Sustentabilidade Financeira Fonte: CPA - FIPEN A regularidade no pagamento das mensalidades da faculdade foi um item positivo quanto à dimensão de Sustentabilidade Financeira. b) Fragilidades Não há indicação de fragilidades. c) Ações para serem implementadas/recomendações É recomendada a manutenção de suas políticas quanto à sustentabilidade financeira. 16

17 CONSIDERAÇÕES FINAIS O processo estabelecido de Auto Avaliação Institucional da FIPEN, está consolidado e é responsável por apresentar alguns aspectos interessantes que podem ser observados, quanto à possibilidade de evolução, servindo como um considerável instrumento de gestão por parte da Administração. Desde o início, no primeiro ciclo avaliativo, se demonstrou a importância da ferramenta para o desenvolvimento institucional e crescimento contínuo, além de possibilitar a participação da comunidade de forma ativa. Ressaltamos a contínua evolução da instituição e as perceptíveis melhorias, que se seguiram aos diversos ciclos realizados, em função do engajamento de toda a comunidade acadêmica em prol de uma instituição mais humana e profissional. Alguns aspectos continuam a ser destaque na instituição, além dos mencionados em cada uma das dimensões analisadas neste relatório: a) O Projeto Pedagógico do Curso, o Regimento e Projeto Pedagógico Institucional; b) Elaboração de política de expansão para a Instituição e de atualização permanente da biblioteca; c) Política de incentivo à leitura, com visita à biblioteca pelos alunos na primeira semana de aula; d) Cursos novos de Graduação e de Pós-Graduação; e) Fortalecimento cada vez maior da Revista Científica Eletrônica Hermes, 17

18 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FIPEN Função Nome/Representação Assinatura Coordenador da CPA: Representante Docente Membros da CPA: Sociedade Civil Discente Técnico-Administrativo Osasco, 16 de dezembro de

ATUAÇÃO DA CPA. Roteiro. Avaliação do ensino superior. Avaliação do Ensino Superior. Autoavaliação na UFMS

ATUAÇÃO DA CPA. Roteiro. Avaliação do ensino superior. Avaliação do Ensino Superior. Autoavaliação na UFMS ATUAÇÃO DA CPA Avaliação do ensino superior Roteiro Avaliação do Ensino Superior Legislação SINAES Autoavaliação Institucional Dimensões Autoavaliação na UFMS Instrumentos AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

E I X O S

E I X O S 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 5 E I X O S 10 dimensões 5 eixos 8- Planejamento e Avaliação. 1- Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional. 0011 3- Responsabilidade 0010 1010 1101 Social 0001

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI PDI Plano de Desenvolvimento Institucional 2005-2009 6 AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI 6. AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Coordenação: Maria Helena Krüger Diretora de Desenvolvimento

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR Elza Cristina Giostri elza@sociesc.org.br PROGRAMA Apresentação Diagnóstico de conhecimento e necessidades Conceito Geral Elaboração do relatório

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INTERNA CPA REGULAMENTO INTERNO CPA/IESRN A

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Faculdade de Direito da Alta Paulista Faculdade da Alta Paulista Comissão Própria de Avaliação (CPA) PLANO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FAP 2016 1. Introdução Desde 2004, a avaliação interna da Instituição Dom Bosco de Ensino e Cultura Ltda. está sob as normas do Sistema Nacional de Avaliação dos

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

Comissão de Revisão dos Instrumentos

Comissão de Revisão dos Instrumentos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - CONAES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015

AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015 AEMS-ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA DE MS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS RELATÓRIO GERAL RESPOSTA DE ALUNOS DA I.E.S. 2º SEMESTRE DE 2015 1.1 Organização Institucional Q1 Cumprimento da missão das

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI -

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - Diretrizes para Elaboração Eixos Temáticos Essenciais do PDI Perfil Institucional Avaliação e Acompanhamento do Desenvolvimento Institucional Gestão Institucional

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2013 MACEIÓ Março de 2014 1 - INTRODUÇÃO O Projeto de Avaliação Institucional baseia-se nas diretrizes oriundas da Comissão Nacional de Avaliação da

Leia mais

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL EIXO 1 DIMENSÃO 8 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO 1 O plano de desenvolvimento do instituto PDI ( http://www.ufopa.edu.br/arquivo/portarias/2015/pdi20122016.pdf/view ) faz referência a todos os processos internos

Leia mais

CPA. Comissão Própria de Avaliação

CPA. Comissão Própria de Avaliação CPA Comissão Própria de Avaliação CPA O espelho da instituição A Avaliação reflete os sentidos, sentimentos e percepções. A consciência é requisito básico para garantir a veracidade do diagnóstico. CPA

Leia mais

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - Sinaes Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Administração Resultado da Avaliação do Curso Corpo

Leia mais

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a Função da CPA neste contexto Profa. Dra. Marion Creutzberg Coordenadora da CPA / PUCRS Papel da CPA na avaliação de cursos de graduação

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DISCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COAI COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PARTE I O DOCENTE AVALIA AS AÇÕES DO CURSO Prezado(a)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADA: IREP Sociedade de Ensino Superior, Médio e Fundamental UF: SP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADA: IREP Sociedade de Ensino Superior, Médio e Fundamental UF: SP PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 1/12/201, Seção 1, Pág. 86. Portaria n 108, publicada no D.O.U. de 1/12/201, Seção 1, Pág. 85. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE VENDA NOVA DO IMIGRANTE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA REGULAMENTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE VENDA NOVA DO IMIGRANTE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA REGULAMENTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE VENDA NOVA DO IMIGRANTE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA REGULAMENTO A Comissão Própria de avaliação da Faculdade Venda Nova do Imigrante CPA/FAVENI, constituída

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA PERÍODO 2015 TABELA 1 Adesão de docentes e discentes na avaliação 2015

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 FACULDADE AMADEUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PAI 2012 ORGANIZAÇÃO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE AMADEUS - CPA REPRESENTANTES Presidente: Eduardo de Andrade Gonçalves Vice-presidente:

Leia mais

RELATO INSTITUCIONAL

RELATO INSTITUCIONAL FACULDADE IEDUCARE - FIED COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016 1 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional data Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - 2016-2020 Prof. Esper Cavalheiro Pró-Reitor de Planejamento - PROPLAN Profa. Cíntia Möller Araujo Coordenadora de Desenvolvimento Institucional e Estudos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece

Leia mais

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO COMISSÃO CENTRAL Avenida Prof.

Leia mais

Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014

Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014 Relatório de Ações referente a avaliação Institucional de 2014 Questões Eixo/ Item EIXO 1 - PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ações desenvolvidas para manter ou melhorar 1.1 Como você avalia a Comissão

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2009.1 CORPO DOCENTE 2009.1 Auto-avaliação docente - 2009.1 Pontualidade no início e término das aulas 14,29% 28,57% Compatibilidade

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013

FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 1 FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 CORUMBÁ MS 2013 2 SUMÁRIO 1. FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA FSST... 03 2. A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA / 2011... 04 2.1

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 MACEIÓ Março de 2013 1 - INTRODUÇÃO O Projeto de Avaliação Institucional baseia-se nas diretrizes oriundas da Comissão Nacional de Avaliação da

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação: estrutura, organização e processos a experiência da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP)

Comissão Própria de Avaliação: estrutura, organização e processos a experiência da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) Comissão Própria de Avaliação: estrutura, organização e processos a experiência da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) Explicitando o início da autoavaliação institucional A Unicap se inscreve

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses.

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. 12 (doze) meses. FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica (3) (4) (5) previsão de alunos por turma em disciplina teórica de, no máximo, 80. relação aluno por docente,

Leia mais

APÊNDICE A Questionários Aplicados

APÊNDICE A Questionários Aplicados APÊNDICE A Questionários Aplicados CPA Comissão Própria de Avaliação 60 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SERTÃOZINHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Engenharia de Minas Araxá Resultado da Avaliação

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 1 CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PLANO DE TRABALHO julho 2010/março 2011 JULHO/2010 Requisição, junto às instâncias superiores, da legitimação e participação da

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de /6/015, Seção 1, Pág. 0. Portaria n 54, publicada no D.O.U. de /6/015, Seção 1, Pág. 0. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO ALBUQUERQUE, Rosa 1 NEGREIROS, Gláucia 2 VASCONCELOS, Maria Auxiliadora Marques 3 Introdução No ano de 2004 o Governo Federal

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Associação de Ensino Superior de Música Rua: José Maria Lisboa, 745 Jardim Paulista São Paulo CEP: 01423-001 CNPJ: 09.126.883/0001-55 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL São

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 MACEIÓ Fevereiro de 2015 1 Diretora Geral Profª Ana Paula Nunes da Silva Coordenador Pedagógico Profª Dayse Cristina Lins Teixeira

Leia mais

Avaliação Institucional Docentes

Avaliação Institucional Docentes Avaliação Institucional Docentes A avaliação é um processo fundamental para a qualidade do trabalho desenvolvido nas Instituições de Ensino Superior. Nesse sentido, a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Bibliotecas Universitárias e a Avaliação pelo MEC. Mírian Rocha Bibliotecária / Assessoria Educacional mqrocha@gmail.com (17) 8135-7993 PROCESSOS DE REGULAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

FORUM CPA 2015 Divulgação dos resultados. 04/10/2016 FADI Faculdade de Direito de Sorocaba

FORUM CPA 2015 Divulgação dos resultados. 04/10/2016 FADI Faculdade de Direito de Sorocaba FORUM CPA 2015 Divulgação dos resultados 04/10/2016 FADI Faculdade de Direito de Sorocaba A CPA relatório 2015 GILBERTO MAISTRO JR GUSTAVO GAZZOLA VINICIUS MARTINS ANTUNES DE SOUZA LUCAS DE OLIVEIRA MENDES

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU

RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU RELATÓRIO FINAL DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACTU Rua Rio Preto, 422 Centro UNAÍ MG CEP: 38.610-000 TELEFAX: (38) 3676 6222. Home Page: e-mail:factu@factu.br INTEGRANTES

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL SA

KROTON EDUCACIONAL SA KROTON EDUCACIONAL SA FACULDADE PITÁGORAS DE POÇOS DE CALDAS Diretoria de Avaliação e Des RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ciclo Avaliativo 2010-2012 Documento elaborado pela CPA, atendendo às

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação

PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação 1 CENTRO EDUCACIONAL VISCONDE DE TAUNAY CEVITA FACULDADES INTEGRADAS DE PARANAÍBA FIPAR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO Comissão Própria de Avaliação 2010 2 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora

Leia mais

Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo

Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo Apresentador: Giulia Micheli POZZOBON

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA DA UEPG SINAES ENADE 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA DA UEPG SINAES ENADE 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM FARMÁCIA DA UEPG SINAES ENADE 2010 Ponta Grossa 2012 REITORIA Reitor João Carlos Gomes Vice-reitor Carlos Luciano Sant Ana Vargas PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - CONAES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI

BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI BOLETIM INFORMATIVO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DE ITABIRA FACCI 1. Apresentação A FACCI aplicou, entre agosto e setembro de 2010, uma pesquisa de

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG. Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CEFET-MG Diretor-Geral Prof. Flávio Antônio dos Santos Vice-Diretora Profª. Maria Inês Gariglio Diretora de Graduação Profª. Suzana Lanna Burnier

Leia mais

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016 SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA - 2015/ 2016 Mantenedora ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ - AESPI Mantida FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE TERESINA - FAT Teresina 2016 1 RELAÇÃO DOS MEMBROS

Leia mais

REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO IFMT TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO IFMT TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES INSTITUTO FEDERAL MATO GROSSO REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO IFMT TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regimento disciplina a constituição, o funcionamento e as competências

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE ARQUITETURA DE URBANISMO:

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE ARQUITETURA DE URBANISMO: APRESENTAÇÃO DO CURSO DE ARQUITETURA DE URBANISMO: Dados numéricos do curso: Número de professores Arquitetos: 16 (todos efetivos) e 5 contratados Número de professores Engenheiros Civis: 3 (todos efetivos)

Leia mais

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016 SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA - 2015/ 2016 Mantenedora ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ - AESPI Mantida FACULDADE DE PIAUIENSE DE PROCESSAMENTO DE DADOS - FPPD Teresina 2016 1 RELAÇÃO

Leia mais

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - 2009-2010 AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES A CPA agradece sua participação no processo de Autoavaliação

Leia mais

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel.

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel. Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel Av. Tito Muffato, 2317 Bairro Santa Cruz 85806-080 Cascavel PR Fone: (45) 3036-3636 30363806 http://www.univel.br cpe@univel.br RESOLUÇÃO Nº 01 DE JULHO

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2011-2015 1. PERFIL INSTITUCIONAL Com base no artigo 16 do Decreto Federal nº 5.773, de 09 de maio de 2006. 1.1 Missão (ASPLAN)

Leia mais

Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional

Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional Regulamento do Programa de Avaliação Acadêmica-Institucional I AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO INSTITUCIONAL 1.1 Natureza A avaliação institucional da Faculdade Moraes Júnior Mackenzie Rio FMJ

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art.1º O presente Regulamento disciplina a oferta, o funcionamento e o registro acadêmico das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINTER Portaria do MEC 688, de 25 de maio de 2012.

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINTER Portaria do MEC 688, de 25 de maio de 2012. CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINTER Portaria do MEC 688, de 25 de maio de 2012. PLANO DE AÇÃO E MELHORIAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL MODALIDADE A DISTÂNCIA CURITIBA 2015 1 Plano de de Melhorias

Leia mais

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá Dispõe sobre a constituição e funcionamento do Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá. CAPÍTULO I DO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos

Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos JoelSaade Proposta de Gestão do Prof. Joei Saade Candidato a Diretor Geral do IFSP - Câmpus Guarulhos Guarulhos Agosto/2016 1. introdução Este documento reflete a Proposta de Gestão, conforme exigência

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS EM

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS EM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES FACULDADE PAN AMAZÔNICA FAPAN COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA

FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Maringá 01/2017 1 REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA CAPÍTULO I Da Comissão Própria de Avaliação CPA Concepção

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação

Comissão Própria de Avaliação Comissão Própria de Avaliação Anexo 3 - UERJ / SINAES / ENADE Uma análise preliminar Rio de Janeiro Agosto de 2006 UERJ SINAES ENADE Uma análise preliminar Material elaborado por MARCIA TABORDA SR 1 Com

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO F ACULD ADE DE GU AR AR APES Autorizada pela Portaria MEC nª. 993 de 17.05.2001 - DOU 98-E de 22.05.2001 Entidade Mantenedora: INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO CNPJ: 63.083.869/0005-90 RELATÓRIO

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE IPATINGA

FACULDADE DE DIREITO DE IPATINGA 1 FACULDADE DE DIREITO DE IPATINGA RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida:

Leia mais

Manual de referência para Visitas In loco

Manual de referência para Visitas In loco Manual de referência para Visitas In loco Com vistas a orientar as coordenações de curso e demais gestores da UFAL no processo de visita in loco, a procuradoria divulga um manual de referência para visita

Leia mais

Sugestões e questionamentos do Museu de Zoologia da USP sobre as minutas de novas normas de avaliação docente e institucional da USP

Sugestões e questionamentos do Museu de Zoologia da USP sobre as minutas de novas normas de avaliação docente e institucional da USP Sugestões e questionamentos do Museu de Zoologia da USP sobre as minutas de novas normas de avaliação docente e institucional da USP Sugestões balizadoras: O MZ-USP concorda com a necessidade de se modernizar

Leia mais

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã.

A extensão e ação comunitária é o canal aberto para a interação do ensino e da pesquisa com a sociedade, estimulando a formação profissional cidadã. EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO E DE AÇÃO COMUNITÁRIA PARA 2010 A UNIVERSIDADE POTIGUAR, mantida pela APEC - Sociedade Potiguar de Educação e Cultura S.A., com sede em Natal/RN,

Leia mais

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE 2010 Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE NATAL G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

PESQUISA AVALIATIVA GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA)

PESQUISA AVALIATIVA GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA) PESQUISA AVALIATIVA 2013.2 GERAL (GRADUAÇÃO TRADICIONAL E TECNOLÓGICA) 2015 1 GRÃO CHANCELER DOM MURILO SEBASTIÃO RAMOS KRIEGER REITOR PROF. DR. PE. MAURÍCIO DA SILVA FERREIRA SUPERINTENDENTE ACADÊMICA

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS RELATÓRIO DO CURSO DE ZOOTECNIA CPA 2011/12 Porto Velho RO 2011/2012 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Profª Drª. Nelice Milena Batistelli

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009

RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE ARTES E LETRAS RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL- CAL/2009 SUBCOMISSÃO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CAL Santa Maria, Janeiro de 2010 1 UNIVERSIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 12/9/2012, Seção 1, Pág. 15. Portaria n 1122, publicada no D.O.U. de 12/9/2012, Seção 1, Pág. 14. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Apresentação PDI Plano de Desenvolvimento Institucional

Apresentação PDI Plano de Desenvolvimento Institucional Apresentação 8 PDI 2015-2019 Plano de Desenvolvimento Institucional 2015-2019 A administração pública contemporânea tem apresentado novos desafios ao planejamento estratégico. As demandas por maior racionalidade

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP TEXTO COMPILADO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as

Leia mais

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ ENADE 2011 Relatório da IES G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ O V E R N O F E D E R A L PAÍS RICO

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2011

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2011 Faculdades Integradas Einstein de Limeira LANO DE TABALHO CA GESTÃO 2011 Comissão rópria de Avaliação CA Faculdades Integradas Einstein de Limeira FIEL Associação Limeirense de Educação e Cultura - ASLEC

Leia mais

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016

SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA / 2016 SEGUNDO RELATÓRIO PARCIAL DA AVALIAÇÃO INTERNA - 2015/ 2016 Mantenedora ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ - AESPI Mantida INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE TERESINA - IEST Teresina 2 2016 RELAÇÃO DOS

Leia mais

DE AUTOAVALIAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PAIIFRS

DE AUTOAVALIAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PAIIFRS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL Comissão Própria de Avaliação PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO

Leia mais

Avaliação I nstitucional M odelo de Avaliação Ănima Educação

Avaliação I nstitucional M odelo de Avaliação Ănima Educação Avaliação I nstitucional Modelo de Avaliação Ănima Educação Apresentação A auto avaliação constitui um processo por meio do qual um curso ou instituição analisa internamente o que é e o que deseja ser,

Leia mais

PLANO DE CAPACITAÇÃO DOCENTE TÍTULO I DOS OBJETIVOS

PLANO DE CAPACITAÇÃO DOCENTE TÍTULO I DOS OBJETIVOS PLANO DE CAPACITAÇÃO DOCENTE TÍTULO I DOS OBJETIVOS Artigo 1º. O Plano de Qualificação Docente tem por objetivo o aprimoramento profissional dos professores da FACULDADE JAUENSE, de modo a promover a melhoria

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Unidade de Ensino Superior Vale do Iguaçu S.A. UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Ciências Biológicas

Leia mais

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO Os projetos de cursos novos serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos pela aplicação dos critérios

Leia mais

do país. Esse resultado nos faz acreditar que estamos no caminho certo: promovendo o aperfeiçoamento dos programas acadêmicos, investindo na

do país. Esse resultado nos faz acreditar que estamos no caminho certo: promovendo o aperfeiçoamento dos programas acadêmicos, investindo na Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade: estratégias no processo de ensino e aprendizagem em aulas de educação física Programa de preparação para a aposentadoria com ênfase na autonomia pessoal

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, Publicado no Diário Oficial da União de 21/05/2007 (*) Portaria/MEC nº 474, publicada no Diário Oficial da União de 21/05/2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 10//2012, Seção 1, Pág. 15. Portaria n, publicada no D.O.U. de 10//2012, Seção 1, Pág. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais