II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação"

Transcrição

1 II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016

2 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar a forma de subsídios e informações para ações dos coordenadores de curso e da administração superior; Melhorar a documentação da articulação entre o PPC, o PDI e PPC;

3 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar a divulgação da proposta de trabalho em EaD; Maior divulgação no Planejamento de Oferta de Cursos de Graduação e Pós Graduação a distância no ano de 2015 e seu Plano de Gestão EaD UNIFEG.

4 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Em dezembro de 2014 a IES elaborou um Relatório de Acompanhamento da Evolução Institucional bem detalhado e que permitiu o entendimento das ações realizadas e trajetória de melhorias e evolução da UNIFEG; Atualização dos documentos institucionais fundamentada em avaliações externas, autoavaliações de legislação educacional;

5 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Alto investimento no planejamento, preparação e reestruturação documental para atendimento a legislação da educação a distância; Criação do Planejamento de Oferta de Cursos de Graduação e Pós Graduação a distância no ano de 2015 e seu Plano de Gestão EaD UNIFEG; Parceria da CPA com a Reitoria para Planejamento EaD.

6 EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Dimensão 1: Missão e PDI Fragilidades Aperfeiçoar os mecanismos de acompanhamento das ações que promovem o Desenvolvimento Institucional; Fortalecer os mecanismos para acompanhamento do EaD; Melhorar o mecanismo de acompanhamento das ações da Gestão do PDI, articulando-a com a CPA;

7 EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Dimensão 1: Missão e PDI O conteúdo essencial do PDI condiz com a estrutura estabelecida pelo Artigo 16 do Decreto Nº 5.773/2006 e o seu conteúdo contempla todas as informações sugeridas em cada item; Identificação de coerência nas ações do UNIFEG em relação à proposta do seu PDI;

8 EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Dimensão 1: Missão e PDI Objetivos e metas articulados com sua missão; Atuação do Gestor na elaboração de um cronograma do PDI, auxiliando assim o trabalho da CPA e Reitoria; Relevância Social do UNIFEG para a região, bem como a contribuição para desenvolvimento econômico;

9 EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Dimensão 3: Responsabilidade Social da Instituição Fragilidades Melhorar os mecanismos de divulgação das ações previstas e realizadas pelo UNIFEG com relação a múltiplas responsabilidades Sociais;

10 EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Dimensão 3: Responsabilidade Social da Instituição Trabalho social desenvolvido na Clínica de Fisioterapia; Projeto Pela Educação se faz a Mudança; Projeto Bolsa de Estudo (Ensino Superior); Projeto Faculdade Aberta da Terceira Idade; Projeto de Assistência Funcional;

11 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 2: Políticas para o Ensino, a Pesquisa e a Extensão Fragilidades Baixo número de docentes participando de grupos de pesquisa; Baixa número de docentes participando em eventos científicos.

12 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 2: Políticas para o Ensino, a Pesquisa e a Extensão A IES tem a preocupação de zelar por uma política de graduação rigorosa, sólida e articulada a um projeto de sociedade e educação que a obriga a incentivar o desenvolvimento da pesquisa e a promoção do saber; Promove ações de estímulo relacionadas à difusão das produções acadêmicas: científica, didáticopedagógica, tecnológica, artística e cultural;

13 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 2: Políticas para o Ensino, a Pesquisa e a Extensão Auxílio financeiro para a participação de docentes em eventos científicos e formação de docentes e de pesquisadores; Realização de congresso científico; Incentivo ao Programa de Iniciação Científica com a concessão de bolsas; A retomada das atividades em EaD e nova estratégia implantação e expansão.

14 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 4: Comunicação com a Sociedade Fragilidades Desconhecimento da comunidade docente de alguns canais utilizado pelo UNIFEG para a comunicação com a comunidade externa; Melhorar as informações pertinente do EaD UNIFEG. Ampliação do canal de comunicação;

15 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 9: Política de Atendimento aos Discentes Fragilidades Baixa visibilidade do NAPI pelos discentes como órgão de apoio para melhorar seu desempenho acadêmico; O NAPI possui políticas bem definidas de acompanhamento pedagógico dos discentes, com reuniões individualizadas com o discente e pais, com orientações e sensibilização;

16 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 9: Política de Atendimento aos Discentes O NAPI possui políticas bem definidas de acompanhamento pedagógico dos discentes, com reuniões individualizadas com o discente e pais, com orientações e sensibilização; O CPH tem políticas bem definidas e implementadas de atendimento aos discentes e familiares para orientação sobre o processo de Bolsa de Estudos Institucional, Prouni e FIES;

17 EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS Dimensão 9: Política de Atendimento aos Discentes A Secretaria Geral conserva arquivados os documentos e dados fundamentais da vida acadêmica dos discentes.

18 EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO Dimensão 5: Política de Pessoal Fragilidades Ampliar a pesquisa da CPA junto ao corpo técnico administrativo; Qualificação do corpo docente e técnicoadministrativo; Aperfeiçoamento e capacitação docente;

19 EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO Dimensão 6: Organização e Gestão da Instituição Fragilidades Falta de iniciativa por parte do corpo discente em realizar uma representação estudantil; O funcionamento e a representatividade nos colegiados e NDE dos cursos cumprem os dispositivos institucionais;

20 EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO Dimensão 6: Organização e Gestão da Instituição Gestão Institucional que atua com autonomia e representatividade dos órgãos de gestão e colegiados de todos os segmentos acadêmicos; Atualização dos documentos institucionais em sintonia com as alterações da legislação; Sistema de registro acadêmico desenvolvido no UNIFEG para atender as necessidades internas; Sistema de registro acadêmico desenvolvido no UNIFEG para atender as necessidades internas.

21 EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO Dimensão 10: Sustentabilidade Financeira Fragilidades O UNIFEG mantém-se totalmente com recursos próprios, obtidos por meio das mensalidades e demais contribuições pagas pelos discentes ao longo de sua permanência na instituição; Os recursos financeiros oriundos das mensalidades dos discentes estão em processo de expansão com a implantação dos cursos de graduação na modalidade à distância;

22 EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO Dimensão 10: Sustentabilidade Financeira Os salários do corpo docente e técnicoadministrativo são transferidos regularmente dentro dos prazos legais, não havendo na instituição registros de atraso; Planejamento Financeiro e Plano Orçamentário; Garantias salariais para corpo docente e técnicoadministrativo;

23 EIXO 5: INFRAESTRUTURA FÍSICA Dimensão 7: Estrutura Física Fragilidades Baixo conhecimento e uso da biblioteca digital Pearson e Saraiva; Aperfeiçoamento do mobiliário com foco na acessibilidade; Deficiência no Mobiliário.

24 EIXO 5: INFRAESTRUTURA FÍSICA Dimensão 7: Estrutura Física Constante ampliação/atualização do acervo bibliográfico da Instituição; Aumento de investimento para expansão do acervo; Melhores condições de trabalho ao corpo docente com a instalação de data show e lousas digitais e reformulações dos espaços físicos;

25 EIXO 5: INFRAESTRUTURA FÍSICA Dimensão 7: Estrutura Física Melhores condições de trabalho e atendimento para o corpo técnico-administrativo com melhoria das instalações; Reformulação das quadras poliesportivas e dos espaços de lazer coletivos; Coerência entre os laboratórios de pratica de ensino previstos nos PPCs dos cursos de graduação e sua existência física.

26 EIXO 5: INFRAESTRUTURA FÍSICA Dimensão 7: Estrutura Física Aumento da segurança interna da Instituição; Reformulação dos espaços para ampliar o número de salas; Política de Expansão e Conservação Predial - Departamento Engenharia;

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8

RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Instituto Paulista de Ensino FIPEN CPA - Comissão Própria de Avaliação RELATÓRIO DA AUTO AVALIAÇÃO CICLO 8 Dezembro/2014 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 A O PROCESSO DE AUTO AVALIACÃO... 6 B - DIMENSÕES... 7 1.

Leia mais

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES

UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES UFV/COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) III CICLO DA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - 2009-2010 AGOSTO-2011 QUESTIONÁRIO AUTO-AVALIAÇÃO PROFESSORES A CPA agradece sua participação no processo de Autoavaliação

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR SINAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR Elza Cristina Giostri elza@sociesc.org.br PROGRAMA Apresentação Diagnóstico de conhecimento e necessidades Conceito Geral Elaboração do relatório

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2009.1 CORPO DOCENTE 2009.1 Auto-avaliação docente - 2009.1 Pontualidade no início e término das aulas 14,29% 28,57% Compatibilidade

Leia mais

RELATO INSTITUCIONAL

RELATO INSTITUCIONAL FACULDADE IEDUCARE - FIED COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016 1 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA RELATO INSTITUCIONAL 2014-2016 Tianguá-CE Março 2016

Leia mais

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO- PRONATEC

Leia mais

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância Seminário de Educação a Distância na Administração Pública: Cursos Mistos e Redes Virtuais Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO: Presidente: Gilmar Moraes Santos (renunciou) Representantes Docentes: - Fabrizio Caputto - Magnus Benetti - Soraia

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda Governança em TI na UFF Modelo de Gestão da STI Henrique Uzêda henrique@sti.uff.br 2011-2013 Universidade Federal Fluminense 122 cursos de graduação e 359 de pós-graduação ~ 45.000 alunos de graduação

Leia mais

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR 2016-2019 Consolidar, Incluir e Unir com ética, transparência e responsabilidade SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 5 2 METODOLOGIA... 6 3 EQUIPE... 7 4 MAPA SITUACIONAL... 8 5 EIXOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB SELEÇÃO DE TUTORES EDITAL AEE/UFSM 01/2009 A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM), em parceria com o Programa Universidade

Leia mais

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA Gisele Cristina Tertuliano RESUMO Este artigo é um relato de experiência sobre o processo de aprendizagem de aprendizagem para

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPIA DE AVALIAÇÃO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR (IES) Instituto Federal Catarinense - Câmpus Concórdia 1.1 Dados de Identificação e Estrutura Organizacional 1.1.1 Nome/

Leia mais

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Produção e Consumo Sustentável DPCS Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

I. Identificação do participante (da pessoa que for designada para o preenchimento) Escolaridade/Formação (quando tiver nível superior): Advogada

I. Identificação do participante (da pessoa que for designada para o preenchimento) Escolaridade/Formação (quando tiver nível superior): Advogada ANEXO III - FORMULÁRIO DE CONTRIBUIÇÕES I. Identificação do participante (da pessoa que for designada para o preenchimento) Nome Completo: Tamara Amoroso Gonçalves Escolaridade/Formação (quando tiver nível

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 RELATÓRIO DE ATIVIDADES E RESULTADOS OBTIDOS ANO DE 2012 MACEIÓ Março de 2013 1 - INTRODUÇÃO O Projeto de Avaliação Institucional baseia-se nas diretrizes oriundas da Comissão Nacional de Avaliação da

Leia mais

Claudia Reyes Setembro, 2012

Claudia Reyes Setembro, 2012 Claudia Reyes Setembro, 2012 Apresentar informações sobre o papel da Secretaria de Educação a Distância (SEaD) na UFSCar e de suas coordenadorias para a organização, qualidade e sustentabilidade Apontar

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014

AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2014 Instrumento para avaliação do curso de graduação em Ciências Econômicas por parte dos docentes que nele ministraram alguma disciplina durante o ano letivo

Leia mais

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Conceito Política de Comunicação é o conjunto sistematizado de princípios, valores,

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais

EDITAL N 001/2015/UNA-SUS/UFSC

EDITAL N 001/2015/UNA-SUS/UFSC EDITAL N 001/2015/UNA-SUS/UFSC PROCESSO SELETIVO DE TUTORES PARA O CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM SAÚDE MENTAL E TRABALHO EM REDE: ALCOOL E OUTRAS DROGAS DA COERÇÃO A COESÃO A Coordenação do Curso de Atualização

Leia mais

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ESTRUTURA Direção de Serviço de Reformas Cargo Função Técnico Diretor de Serviço Dirigir e enquadrar os projetos de modernização e reforma no âmbito do

Leia mais

Atribuições do professor-tutor da Seed/PR

Atribuições do professor-tutor da Seed/PR GESTÃO EM FOCO Programa de Fortalecimento da Gestão Escolar Secretaria de Estado da Educação do Paraná Governo do Paraná Atribuições do professor-tutor da Seed/PR Pauta da Reunião a) Edital de seleção

Leia mais

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO 4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO A planilha de atendimento às metas do projeto é apresentada na sequência. Metas Proporcionar os elementos necessários para que seja definido o processo

Leia mais

EDITAL ASSAE 002/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DO AUXÍLIO ESTUDANTIL AOS ESTUDANTES DO CURSO TÉCNICO INTEGRADO PROEJA DA UTFPR

EDITAL ASSAE 002/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DO AUXÍLIO ESTUDANTIL AOS ESTUDANTES DO CURSO TÉCNICO INTEGRADO PROEJA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Assessoria para Assuntos Estudantis da Reitoria PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ EDITAL ASSAE 002/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

Orçamento e financiamento da política integrada para infância e adolescência

Orçamento e financiamento da política integrada para infância e adolescência Orçamento e financiamento da política integrada para infância e adolescência Brasília, agosto de 2010. INESC Trajetória Fundado em 1979 a história do INESC se confunde com a história da democratização

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA - UNIFOR REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA (Ato de Aprovação: Resolução do Reitor nº 22/2012

Leia mais

Edital nº 010/2016 CÂMPUS CURITIBA IFPR. A Direção Geral do Câmpus Curitiba do Instituto Federal do Paraná, no uso de suas atribuições, torna pública:

Edital nº 010/2016 CÂMPUS CURITIBA IFPR. A Direção Geral do Câmpus Curitiba do Instituto Federal do Paraná, no uso de suas atribuições, torna pública: Edital nº 010/2016 CÂMPUS CURITIBA IFPR A Direção Geral do Câmpus Curitiba do Instituto Federal do Paraná, no uso de suas atribuições, torna pública: CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA

Leia mais

Fundamentos Estratégicos

Fundamentos Estratégicos 1 Fundamentos Estratégicos MISSÃO Fornecer soluções e serviços em sistemas de suspensões, eixos e componentes para veículos comerciais com inovação, qualidade, segurança e sustentabilidade. VISÃO Ser reconhecida,

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 (Resultados parciais)

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 (Resultados parciais) AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 (Resultados parciais) www.faculdadesgammon.edu.br Comissão Própria de Avaliação (CPA 2014-2016) Autovaliação Institucional 2014 A Autoavaliação Institucional contemplou

Leia mais

Auto avaliação dos Estudantes de Graduação

Auto avaliação dos Estudantes de Graduação Auto avaliação dos Estudantes de Graduação Ano: 2009 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MINAS UFG / CAC Subdividimos os questionário em tópicos: Didática e Obrigações dos Professores perguntas 1 a 12; Monitoria

Leia mais

FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO

FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO A FUNÇÃO E O PAPEL DO AGENTE ADMINISTRATIVO DA UNIDADE ESCOLAR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO A Secretaria da Unidade

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO É um plano administrativo que cobre todas as operações da empresa, para um período de

Leia mais

EDITAL 030/2012. IBES, e a Coordenação do Curso de Publicidade & Propaganda, no uso de suas

EDITAL 030/2012. IBES, e a Coordenação do Curso de Publicidade & Propaganda, no uso de suas EDITAL 030/2012 ASSUNTO: EDITAL DE APROVAÇÃO DOS PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA DO INSTITUTO BLUMENAUENSE DE ENSINO SUPERIOR - IBES A Gerência de Ensino

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO PMEP-2012 Prof. Dr.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO PMEP-2012 Prof. Dr. UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO Prof. Dr. Roberto Carvalho POLÍTICA PÚBLICA: social e econômica Política pública:

Leia mais

CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO PPGMS Resolução PPGMS nº 01/2013 aprovada pelo Colegiado em 6 de fevereiro de 2013

CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO PPGMS Resolução PPGMS nº 01/2013 aprovada pelo Colegiado em 6 de fevereiro de 2013 CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO NO PPGMS - 2013 Resolução PPGMS nº 01/2013 aprovada pelo Colegiado em 6 de fevereiro de 2013 Em consonância com o regulamento da CAPES, portaria

Leia mais

Ciências Biológicas-Modalidade Médica (Biomedicina)

Ciências Biológicas-Modalidade Médica (Biomedicina) REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DO CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-MODALIDADE MÉDICA (BIOMEDICINA) Considerando a Resolução nº 01, de 17 de junho de 2010, que normatiza o Núcleo Docente Estruturante

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TOR/OEI/MEC/FNDE/DIPRO/

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE Seminário Os NITs e a efetividade do Programa RENORBIO Uma proposta para os NITs do NE Teresa Lenice Mota (UECE) Colaboração: André Luiz Araújo (CEFET-CE) Aritomar Barros (UFC) BNB, 10 de abril de 2007

Leia mais

LABORATÓRIO SEGURO. Preservando vidas.

LABORATÓRIO SEGURO. Preservando vidas. LABORATÓRIO SEGURO Preservando vidas. O Grupo de Trabalho Laboratório Seguro foi formado com o objetivo de discutir as questões que envolvem a segurança dos alunos de graduação, pós-graduação, extensão

Leia mais

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio à Gestão 1 Educacional Objetivo do Pacto do Ensino

Leia mais

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Realização Apoio Forneça as informações a seguir para participar da 1ª edição 2015/2016 do Prêmio Gestão Ambiental

Leia mais

Gestão 2009/ ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação

Gestão 2009/ ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Gestão 2009/2011 4ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Brasília 28 de maio de 2010 Histórico A formação do Fórum (Vitória 2001) a necessidade de maior articulação para estreitar

Leia mais

Educação de Alunos Superdotados: Desafios e Tendências Atuais

Educação de Alunos Superdotados: Desafios e Tendências Atuais Educação de Alunos Superdotados: Desafios e Tendências Atuais Denise de Souza Fleith Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal Audiência Pública, 24 junho 2008 Desafios na Educação de Alunos

Leia mais

RECURSOS HUMANOS: INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS/REGIONAL JATAÍ

RECURSOS HUMANOS: INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS/REGIONAL JATAÍ RECURSOS HUMANOS: INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS/REGIONAL JATAÍ Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí Jataí-Goiás Leonor Paniago Rocha Simone Rezende do Carmo A Regional

Leia mais

Caderneta da Gestante

Caderneta da Gestante MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE DAS MULHERES Caderneta da Gestante * A assistência pré-natal se constitui em

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO ANEXO I EDITAL N /26, DE 19 DE MAIO DE 26 UNIDADE TERESINA CÓDIGO CARGO (PROFISSIONAL) A- Assessor Técnico III Coordenador/Supervisor Pedagógico Saúde A-02 Assessor Técnico III Planejamento PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACRUZ PROJETO DE LEI Nº. XXXX DISPÕE SOBRE O PLANO MUNICIPAL DE APOIO E INCENTIVO À CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO MUNICÍPIO DE ARACRUZ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL. Ciclo Avaliativo

RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL. Ciclo Avaliativo LABORO CENTRO DE CONSULTORIA QUALIFICAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO LTDA. Mantenedora FACULDADE LABORO Mantida RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ciclo Avaliativo 2015-2016 Documento elaborado pela Comissão

Leia mais

Instrumento de Avaliação Institucional. (Instrumento de Avaliação Institucional aplicado em dezembro de 2015 para o Técnico)

Instrumento de Avaliação Institucional. (Instrumento de Avaliação Institucional aplicado em dezembro de 2015 para o Técnico) Instrumento de Avaliação Institucional (Instrumento de Avaliação Institucional aplicado em dezembro de 2015 para o Técnico) 2015 1 DOCENTES_AVALIACAO_INSTITUCIONAL 2015_E_DE_CURSO (PRE-TESTE) AVALIAÇÃO

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

- Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

- Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE MUDANÇA DE REGIME DE TRABALHO (TP, TI e DE) DOCENTE: Nome: Matrícula: 1. Especifique o regime de trabalho atual

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA-FAN

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA-FAN 0 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA-FAN Goiânia 2015 1 SUMÁRIO TÍTULO I Da política de desenvolvimento de coleções... 2 CAPÍTULO I Dos objetivos... 2 CAPÍTULO II Formação do acervo...

Leia mais

Práticas Ambientais na Universidade Feevale

Práticas Ambientais na Universidade Feevale Práticas Ambientais na Universidade Feevale Engenheira de Gerenciamento Ambiental Sheila Maria Leuck Novembro/2014 Universidade Feevale Missão: Promover a produção do conhecimento, a formação dos indivíduos

Leia mais

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016 Plano de Governo Municipal para o mandato - 2013/2016 Dolcinópolis SP. 1- ASSISTÊNCIA SOCIAL Auxilio com medicamentos e complementos a cesta básica ao idoso e enfermo; Criação de programas para o atendimento

Leia mais

I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA. Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural. (Emater-PR)

I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA. Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural. (Emater-PR) I CONGRESSO ESTADUAL DA AGROPECUÁRIA UMUARAMA Nova dinâmica da Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PR) Eng. Agr. Hernani Alves da Silva Gerente de Produção Agropecuária e Negocios hernanialves@emater.pr.gov.br

Leia mais

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes RAD 1504 Gestão da Qualidade I Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes A era da qualidade acabou? Modismo ou Modelo de Gestão? Panorama atual Elevado número de recalls Requisitos de qualidade

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO

SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO SAÚDE MENTAL PROJETO DO PROGRAMA DE ATENÇÃO À CRIANÇA E ADOLESCENTE DEPENDENTE QUÍMICO 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: ACFFD - ASSOCIAÇÃO CULTURAL E FILANTROPICA FAMÍLIA DE DEUS ESCRITÓRIO: RUA CAJAZEIRAS,

Leia mais

MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU APRESENTAÇÃO A disputa por uma vaga no mercado de trabalho está cada vez mais intensa, tornando os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu indispensáveis. Fazê-los em uma

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Porto Alegre PERÍODO 2006-2008 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 11 1 A MISSÃO E O

Leia mais

NOME DO CURSO. . tipo de curso... (bacharelado, licenciatura ou CST)

NOME DO CURSO. . tipo de curso... (bacharelado, licenciatura ou CST) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PPC CAMPUS XXXXXXXXXXXXXXXXXXX.

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Justificativas O Estado contemporâneo busca superar uma parte substantiva dos obstáculos que permeiam as políticas públicas e as ações privadas através

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS Centro de Referência (CREP) PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO Coordenador: Michelle Regina

Leia mais

PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014

PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014 PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014 Regulamenta a remuneração dos profissionais prestadores de serviços educacionais junto a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais. O Diretor Geral

Leia mais

FACULDADE PITAGORAS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE PITAGORAS - SÃO LUIS

FACULDADE PITAGORAS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE PITAGORAS - SÃO LUIS EDITAL 01/16 PROGRAMA DE MONITORIA DA - SÃO LUIS O Diretor Geral da Faculdade Pitágoras, através da Núcleo de Atendimento Institucional - NAI, no uso de suas atribuições regimentais e de acordo com o que

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRO-REITORIA DE POS GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRO-REITORIA DE POS GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL Nº 1, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO A Coordenação de Pesquisa (COPES), setor vinculado a Pro-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (POSGRAP) da Universidade Federal de Sergipe, comunica

Leia mais

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos...

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos... Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais Os caminhos... O que é um orçamento? Orçamento é um plano que detalha as receitas e despesas de uma administração

Leia mais

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO COMISSÃO CENTRAL Avenida Prof.

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º As Atividades Complementares são exigidas para integralização da do

Leia mais

UNESP. ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL: conceitos e objetivos. Antonio Lázaro Sant Ana (Prof. Unesp Ilha Solteira) Abril de 2014

UNESP. ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL: conceitos e objetivos. Antonio Lázaro Sant Ana (Prof. Unesp Ilha Solteira) Abril de 2014 UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA Disciplina Comunicação e Extensão Rural Curso de Agronomia ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL: conceitos e objetivos

Leia mais

INOVAÇÃO FOCO NO ALUNO. Maron Guimarães

INOVAÇÃO FOCO NO ALUNO. Maron Guimarães INOVAÇÃO FOCO NO ALUNO Maron Guimarães PROGRAMA DGA O ALUNO COMO PROTAGONISTA DA MUDANÇA Papel da DGA A DGA é a DIRETORIA DE GESTÃO DE ALUNOS da Kroton É o 1º CSC do ramo Educacional voltado para a vida

Leia mais

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular PARECER TÉCNICO COREN-MA-CPE Nº 20/2015 ASSUNTO: Atendimento de Enfermagem particular em domicilio. 1. Do fato Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI 1.1. A PREVI, para o cumprimento adequado de sua missão administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários,

Leia mais

Rede Empresarial de Inclusão Social

Rede Empresarial de Inclusão Social Rede Empresarial de Inclusão Social Rede Empresarial de Inclusão Social O que fizemos 2 de Maio 4 de Maio 11 de Maio 18 de Maio 25 de Maio 1º de Junho 26º Fórum de Empregabilidade Avaliação do 26º Fórum

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2012

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2012 Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

ANEXO I. Estado do Tocantins Prefeitura Municipal de Cariri do Tocantins PROGRAMA DE PROCEDIMENTOS LEGISLATIVOS

ANEXO I. Estado do Tocantins Prefeitura Municipal de Cariri do Tocantins PROGRAMA DE PROCEDIMENTOS LEGISLATIVOS DAS METAS E PRIORIDADES DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 01 LEGISLATIVA PROGRAMA DE PROCEDIMENTOS LEGISLATIVOS * Manter os serviços de suas atividades internas em conformidade com a legislação em vigor Órgão

Leia mais

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Foram definidos para dar respostas aos principais problemas mundiais levantados nas conferências sociais que a ONU promoveu na década de 90: Criança (NY/90);

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis, informa

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2007-2027 DO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT - UDESC JOINVILLE, 25 DE JULHO DE 2008.

Leia mais

PROGRAMA ESPECIAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA ACERVOS DA UFPA PE- ACERVOS

PROGRAMA ESPECIAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA ACERVOS DA UFPA PE- ACERVOS EDITAL 04/2015 PROPESP PROGRAMA ESPECIAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA ACERVOS DA UFPA PE- ACERVOS A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) torna pública a seleção de propostas no âmbito

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA PARTICIPAÇÃO VOLUNTÁRIA DOS PROJETOS DE EXTENSÃO N.º 02/2016

EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA PARTICIPAÇÃO VOLUNTÁRIA DOS PROJETOS DE EXTENSÃO N.º 02/2016 EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO INTERNO PARA PARTICIPAÇÃO VOLUNTÁRIA DOS PROJETOS DE EXTENSÃO N.º 02/2016 A Faculdade da Serra Gaúcha FSG, no uso de suas atribuições e de acordo com a Resolução Institucional

Leia mais

GHC Empresa Cidadã. Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância

GHC Empresa Cidadã. Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância GHC Empresa Cidadã Aumento da Licença Paternidade como Estratégia para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância IV Seminário Internacional do Marco Legal da Primeira Infância Brasília julho 2016

Leia mais

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS 1 JORNADA ESTUDOS DE CASOS DA PEQUENA EMPRESA Concurso cuja proposta é firmar parcerias com instituições de ensino superior e estimular os alunos de

Leia mais

EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PBEXT

EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS DE EXTENSÃO PBEXT MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA EDITAL N. 002/2016/DIREX PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS E BOLSISTAS DE EXTENSÃO VINCULADO AO PROGRAMA DE BOLSAS

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 1 PCSS Principais Conceitos 2 Planos de Carreira estão no centro dos debates

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e PORTARIA Nº 01/2011 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2011. Dispõe sobre o processo de matrícula/2012 dos alunos nas Unidades Escolares Municipais - UEM e organização do período letivo de ensino 2012 no município de

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - 2014 MACEIÓ Fevereiro de 2015 1 Diretora Geral Profª Ana Paula Nunes da Silva Coordenador Pedagógico Profª Dayse Cristina Lins Teixeira

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 03 Fragilidades; 04 Sugestões de Superação de Fragilidade; 03 Potencialidades. A CPA identificou

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Proposta de Ação de Extensão

Proposta de Ação de Extensão Proposta de Ação de Extensão Dados Gerais Evento: PET INCENTIVA PREAE: Proponente: Daniel Juliano Pamplona da Silva (Instituto de Ciência e Tecnologia) Edital: 06/2015 (Fluxo contínuo - EVENTOS) Área CNPq:

Leia mais