INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA"

Transcrição

1 Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Duração da suspensão dos tributos para drawback PL 00694/2015 do deputado Reginaldo Lopes (PT/MG) 4 Liberação de recursos do Fundo de Participação aos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste PL 00532/2015 do deputado Lelo Coimbra (PMDB/ES) 4 Criação de área de livre comércio nos municípios de Corumbá e Ponta Porã PL 00533/2015 do deputado Dagoberto (PDT/MS) 5 Criação da Área de Livre Comércio no Município de Guaíra - PR PL 00648/2015 do deputado Luiz Nishimori (PR/PR) 6 Apresentação dos tributos nos rótulos dos produtos PLS 00080/2015 do senador Eduardo Amorim (PSC/SE) 7 Ampliação da área de atuação da Codevasf PLS 00085/2015 do senador Roberto Rocha (PSB/MA) 7 Apreensão e multa para máquinas e equipamentos que não atendem à NR-12 PL 00739/2015 do deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB/RS) 7 Incentivo fiscal condicionado à educação profissional, criação e manutenção de empregos PLS 00113/2015 da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) 8

2 Jornada de Trabalho Variável PL 00726/2015 do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB/PE) 8 Descanso da mulher após a hora extra PL 00760/2015 do deputado Miro Teixeira (PROS/RJ) 9 Definição da Jornada de Trabalho dos psicólogos PL 00769/2015 do deputado Felipe Bornier (PSD/RJ) 9 Movimentação da conta vinculada do FGTS por trabalhadores com mais de 65 anos PL 00641/2015 do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) 10 Regulamentação do trabalho de telemarketing e de teleatendimento PLS 00032/2015 do senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB) 10 Prevalência do piso salarial regional sobre o acordado em negociação coletiva PLP 00028/2015 do deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS) 11 Incentivo fiscal para a empresa que contratar trabalhador com mais de 60 anos PL 00687/2015 do deputado Shéridan (PSDB/RR) 12 Estímulos ao uso de fontes alternativas para o abastecimento de água PLS 00051/2015 do senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB) 12 Prazo para licenciamento ambiental de obras e serviços licitados PL 00675/2015 do deputado João Rodrigues (PSD/SC) 13 Prazo para eliminação dos lixões PL 00679/2015 do deputado Manoel Junior (PMDB/PB) 13 Prorrogação da DRU até 31/12/2019 PEC 00004/2015 do deputado André Figueiredo (PDT/CE) 14 Convalidação de incentivos fiscais de ICMS PLP 00026/2015 do deputado Daniel Vilela (PMDB/GO) 14 Inovações na desoneração da folha de pagamento, modificação na tributação sobre bebidas frias e tributação relacionada aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 PL 00863/2015 do Poder Executivo 15 Restrição de cobrança de ICMS isento por convênios à margem do CONFAZ PLP 00018/2015 do deputado William Woo (PV/SP) 16 Utilização de crédito de ICMS na substituição tributária PLP 00019/2015 do deputado William Woo (PV/SP) 16 Aposentadoria especial para atividades prejudiciais a saúde PLP 00027/2015 do deputado João Daniel (PT/SE) 17 2

3 INTERESSE SETORIAL Dispensa de registro sanitário à suplementos e complementos nutricionais PL 00652/2015 do deputado Luiz Nishimori (PR/PR) 17 Incidência de ICMS sobre exportações de bens minerais PEC 00008/2015 do deputado Arnaldo Jordy (PPS/PA) 17 Autorização para utilização de recursos do FUST para subsidiar o acesso à telefonia fixa, internet e banda larga dos beneficiários do Minha Casa Minha Vida PL 00685/2015 do deputado Aureo (SD/RJ) 18 Obrigatoriedade de emplacamento dianteiro em veículos de duas ou três rodas PL 00659/2015 do deputado Professor Victório Galli (PSC/MT) 18 Permissão para importação excepcional de medicamentos sem registro no Brasil PL 00677/2015 do deputado Alfredo Nascimento (PR/AM) 18 Exclusão da obrigatoriedade de participação mínima da Petrobrás na exploração de petróleo em áreas do pré-sal PL 00600/2015 do deputado Jutahy Junior (PSDB/BA) 19 3

4 INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA REGULAMENTAÇÃO DA ECONOMIA COMÉRCIO EXTERIOR E NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAIS Duração da suspensão dos tributos para drawback PL 00694/2015 do deputado Reginaldo Lopes (PT/MG), que Dispõe sobre o prazo de que trata o art. 4º do Decreto-Lei nº 1.722, de 3 de dezembro de Determina que os prazos de suspensões de pagamentos de tributos pelo regime especial de drawback, que tenham termo a partir do ano de 2015, poderão ser prorrogados, por dois anos. Atualmente o pagamento só pode ser suspenso por um ano, admitida uma única prorrogação, de um ano, a critério da autoridade fiscal. INTEGRAÇÃO NACIONAL Liberação de recursos do Fundo de Participação aos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste PL 00532/2015 do deputado Lelo Coimbra (PMDB/ES), que Modifica os arts. 7º, 9º, 16 e 20 da Lei nº 7.827, de 27 de setembro de 1989, alterada pela Lei nº , de 12 de janeiro de Permite que os recursos do Fundo de Participação dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e os destinados aos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte, Nordeste e do Centro-Oeste sejam repassados, através do Ministério da Integração Nacional, também a bancos cooperativos e confederações cooperativas de crédito. Atualmente, essa transação é realizada apenas por intermédio do Banco do Brasil e instituições federais de caráter regional. 4

5 Criação de área de livre comércio nos municípios de Corumbá e Ponta Porã PL 00533/2015 do deputado Dagoberto (PDT/MS), que Cria áreas de livre comércio nos Municípios de Corumbá e Ponta Porã, no Estado de Mato Grosso do Sul e dá outras providências. Cria nos municípios de Corumbá e Ponta Porã (MS) uma área de livre comércio de importação e exportação, sob regime fiscal especial, para promover o desenvolvimento das regiões fronteiriças e incrementar as relações com os países vizinhos, conforme a política de integração latino-americana. O comércio se dará mediante suspensão do Imposto de Importação e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que será convertido em isenção, quando as mercadorias forem destinadas a: a) consumo e venda interna na área de livre comércio; b) beneficiamento de pescados, pecuária, recursos minerais e matériasprimas de origem agrícola ou florestal; c) agropecuária e piscicultura; d) instalação e operação de atividades de turismo e serviços de qualquer natureza; e) estocagem para exportação ou reexportação para o mercado externo; f) bagagem acompanhada de viajantes, observados os limites fixados pelo Poder Executivo. Os produtos nacionais ou nacionalizados que entrarem na área de livre comércio estarão isentos do IPI quando destinados às finalidades mencionadas anteriormente. Estarão asseguradas a manutenção e a utilização dos créditos do IPI relativos às matérias-primas, produtos intermediários e material de embalagem empregados na industrialização dos produtos entrados na área de livre comércio de Corumbá e Ponta Porã. Não se aplicará o regime fiscal previsto nos seguintes casos: a) armas e munições de qualquer natureza; b) veículos de passageiros, exceto ambulâncias, carros funerários, carros celulares e jipes; c) bebidas alcoólicas; d) fumos e seus derivados. Os produtos industrializados na área de livre comércio ficam isentos do IPI, quer se destinem ao seu consumo interno, quer à comercialização em qualquer outro ponto do território nacional. O limite global para as importações através da área de livre comércio será estabelecido, anualmente, pelo Poder Executivo, no ato que o fizer para as demais áreas de livre comércio. As isenções e os benefícios da área de livre comércio serão mantidos durante 25 anos. 5

6 Criação da Área de Livre Comércio no Município de Guaíra - PR PL 00648/2015 do deputado Luiz Nishimori (PR/PR), que Cria Área de Livre Comércio no Município de Guaíra, Estado do Paraná. Cria a Área de Livre Comércio de Guaíra, Estado do Paraná. Determina que as mercadorias estrangeiras ou nacionais enviadas à Área de Livre Comércio de Guaíra serão, obrigatoriamente, destinadas às empresas autorizadas a operar nessa área. A entrada de mercadorias estrangeiras na Área de Livre Comércio de Guaíra se dará mediante a suspensão do Imposto de Importação e do IPI, que será convertida em isenção, quando as mercadorias forem destinadas a: a) consumo e venda interna na Área de Livre Comércio de Guaíra; b) beneficiamento, em seu território, de pescado, couro, leite e matérias primas de origem agrícola ou florestal; c) agropecuária e piscicultura; d) instalação e operação de atividades de turismo e serviços de qualquer natureza; e) estocagem para exportação ou reexportação para o mercado externo; f) industrialização de produtos em seu território, segundo projetos aprovados pelo Poder Executivo, consideradas a vocação local e a capacidade de produção já instalada na região; ou g) internação como bagagem acompanhada de viajante residente, observados os limites fixados pela Secretaria da Receita Federal e desde que inexista, concomitantemente, fruição de idêntico benefício relativamente à bagagem procedente do exterior. Ficam asseguradas a manutenção e a utilização dos créditos do IPI relativos às matérias-primas, produtos intermediários e material de embalagem empregados na industrialização dos produtos entrados na Área de Livre Comércio de Guaíra. Contudo, estão excluídos dos benefícios fiscais relacionados os seguintes produtos: a) armas e munições; b) veículos de passageiros; c) fumo e seus derivados. O Poder Executivo regulamentará a aplicação de regimes aduaneiros especiais para as mercadorias estrangeiras destinadas à Área de Livre Comércio de Guaíra assim como para as mercadorias dela procedentes. O Banco Central do Brasil normatizará os procedimentos cambiais aplicáveis às operações da Área de Livre Comércio de Guaíra, criando mecanismos que favoreçam seu comércio exterior. O limite global para as importações da Área de Livre Comércio de Guaíra será estabelecido anualmente pelo Poder Executivo e, a seu critério, poderão ser excluídas do limite global as importações de produtos destinados exclusivamente à reexportação. As isenções e benefícios da Área de Livre Comércio de Guaíra serão mantidos pelo prazo de 20 anos, contados da sua implantação. O Poder Executivo estimará o montante da renúncia fiscal decorrente do estabelecido nesta Lei, que acompanhará o projeto da lei orçamentária, cuja apresentação se dará após decorridos sessenta dias da publicação desta Lei. 6

7 RELAÇÕES DE CONSUMO Apresentação dos tributos nos rótulos dos produtos PLS 00080/2015 do senador Eduardo Amorim (PSC/SE), que Altera a Lei nº , de 8 de dezembro de 2012, para obrigar a divulgação, em embalagens e rótulos de produtos comercializados, do valor aproximado correspondente à totalidade dos tributos federais, estaduais e municipais cuja incidência influa na formação dos respectivos preços de venda. Dispõe sobre as medidas de esclarecimento ao consumidor, para obrigar a divulgação, em embalagens e rótulos de produtos comercializados, do valor aproximado correspondente à totalidade dos tributos federais, estaduais e municipais. MEIO AMBIENTE Ampliação da área de atuação da Codevasf PLS 00085/2015 do senador Roberto Rocha (PSB/MA), que Altera a Lei nº 6.088, de 16 de julho de 1974, que dispõe sobre a criação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco Codevasf e dá outras providências. Altera a Lei que cria a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) para ampliar sua área de atuação, que passa a incluir os seguintes rios: Tocantins, Munim, Pindaré, Gurupi, Turiaçu, Grajaú e Pericumã e os municípios do estado de Alagoas que não se encontram no vale do rio São Francisco. LEGISLAÇÃO TRABALHISTA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Apreensão e multa para máquinas e equipamentos que não atendem à NR-12 PL 00739/2015 do deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB/RS), que Altera o Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de CLT, a fim de prever as penalidades de multa e de apreensão nos casos de fabricação, importação, internação, venda, locação e uso de máquinas e equipamentos nacionais ou importados que não atendam especificações técnicas preconizadas nas normas brasileiras de segurança no trabalho. 7

8 Altera a CLT para estabelecer multa e apreensão nos casos de fabricação, importação, internação, venda, locação e uso de máquinas e equipamentos nacionais ou importados que não atendam especificações técnicas da NR-12. Define que as máquinas e os equipamentos nacionais e importados deverão ser dotados de dispositivos de partida e de parada, assim como de quaisquer outros mecanismos que se fizerem necessários, para a prevenção de acidentes do trabalho, especialmente quanto ao risco de acionamento acidental, conforme a NR-12. A fixação da multa e apreensão das máquinas e equipamentos serão definidas em regulamento, devendo considerar no valor da multa o valor do equipamento e o porte da empresa. O prazo para vigência da Lei é de 180 dias, contados da data de sua publicação. DISPENSA Incentivo fiscal condicionado à educação profissional, criação e manutenção de empregos PLS 00113/2015 da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM), que Acrescenta o art. 22-C à Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, para dispor sobre a redução da contribuição social da empresa incidente sobre a folha de salários. Reduz a alíquota de contribuição previdenciária patronal, que atualmente corresponde a 20% sobre a folha de pagamentos, nos seguintes termos: a) 18%, quando a empresa comprovar que investiu em educação profissional em pelo menos 10% do valor da folha; b) 15%, quando a empresa não ultrapassar o limite de 5% de rescisões de contrato de trabalho; c) 12%, quando a empresa aumentar em 30% a quantidade de trabalhadores ou o valor da folha. Os benefícios serão concedidos no exercício seguinte às informações prestadas e vigorarão por dois anos consecutivos. A redução na alíquota somente poderá ser renovada por mais uma vez no caso de aumento da quantidade de trabalhadores ou valor da folha. A redução da contribuição social da empresa vigorará para os exercícios fiscais de 2015 e DURAÇÃO DO TRABALHO Jornada de Trabalho Variável PL 00726/2015 do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB/PE), que Altera a Consolidação das Leis do Trabalho para dispor sobre a jornada variável. Cria a jornada variável, que dependerá de prévia autorização em convenção ou 8

9 acordo coletivo de trabalho. Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho - deve estabelecer a duração mínima da jornada e as condições em que o empregado poderá recusar os horários de trabalho propostos. Obrigação do Empregador - informar aos empregados sujeitos à jornada variável o número de horas e os horários que deverão ser cumpridos, com, no mínimo, dois meses de antecedência. Empregado Estudante - proíbe que o empregador estabeleça horário de trabalho que impeça ou dificulte a frequência às aulas. Remuneração - o empregado sujeito à jornada variável não pode receber remuneração inferior a um salário mínimo. Sempre que o empregado estiver à disposição do empregador, aguardando ou executando ordens, o tempo será considerado como de serviço efetivo. Descanso da mulher após a hora extra PL 00760/2015 do deputado Miro Teixeira (PROS/RJ), que Inclui parágrafo único ao art. 384 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, para permitir que o descanso previsto entre o término do trabalho normal e o início do trabalho extraordinário possa ocorrer após este, na hipótese que menciona. Dispõe que caso haja prorrogação da jornada, imediatamente após o término do horário normal, a mulher deverá cumprir seu descanso de 15 minutos após o encerramento do trabalho extraordinário, no local de trabalho ou não. Definição da Jornada de Trabalho dos psicólogos PL 00769/2015 do deputado Felipe Bornier (PSD/RJ), que Altera a Lei nº 4.119, de 27 de Agosto de 1962, que "dispõe sobre os cursos de formação em psicologia e regulamenta a profissão de psicólogo" para dispor sobre a jornada semana de trabalho do psicólogo. Define a jornada de trabalho do psicólogo em 30 horas semanais. 9

10 FGTS Movimentação da conta vinculada do FGTS por trabalhadores com mais de 65 anos PL 00641/2015 do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), que Altera o parágrafo XV do Art. 20 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, constante do Art. 9º da Medida Provisória de 24 de agosto de Autoriza a movimentação da conta vinculada do FGTS quando o trabalhador tiver idade igual ou superior a 65 anos, e não mais só a partir de 70 anos. REGULAMENTAÇÃO DE PROFISSÕES Regulamentação do trabalho de telemarketing e de teleatendimento PLS 00032/2015 do senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB), que Regulamenta as relações de emprego e as condições de trabalho nas operações de telemarketing ou nas atividades de teleatendimento. Estabelece regras a serem observadas nas relações de emprego e nas condições de trabalho em operações de telemarketing ou atividades de teleatendimento. Serviço de teleatendimento ou operação de telemarketing - é a atividade de comunicação com interlocutores, clientes e usuários, por meio de voz ou mensagens, realizada à distância, utilizando-se, simultaneamente, de equipamentos de escuta, fala telefônica e sistemas de processamento. Aplica-se a todas as empresas que mantêm serviço de teleatendimento ou telemarketing nas modalidades ativo ou receptivo. Responsabilidade da empresa-contratante - fornecimento gratuito de conjuntos de microfone e fone de ouvido (head-sets) individuais que permitam ao trabalhador a alternância do uso das orelhas ao longo da jornada de trabalho e que serão substituídos sempre que apresentarem defeitos ou desgaste devido ao uso. Responsabilidade dos empregadores - a) correta higienização e as condições operacionais dos equipamentos, que deverão estar providos de proteção contra choques acústicos e ruídos indesejáveis ou insalubres de alta intensidade; b) pronta substituição dos equipamentos com defeitos ou irregularidades no funcionamento c) facilidade de uso, de alcance dos controles de operação e de ajuste individual da intensidade do nível sonoro. Duração do trabalho - a jornada normal para trabalhadores que executem continuamente serviços de teleatendimento ou operações de telemarketing não será superior a seis horas diárias e trinta e seis horas semanais. Somente poderá ser prolongada em casos excepcionais, por motivo de força maior, necessidade imperiosa ou para a realização ou conclusão de serviços inadiáveis ou cuja inexecução possa acarretar prejuízo manifesto. Na hipótese de prorrogação do horário normal, 10

11 será obrigatório um descanso mínimo de quinze minutos antes do início do período extraordinário de trabalho. Trabalho em tempo parcial em teleatendimento ou operação de telemarketing - não poderá exceder a quatro horas diárias e a vinte e quatro horas semanais. Descanso - a cada período de cinquenta minutos de trabalho, deverá ser observado o intervalo mínimo de dez minutos para descanso, incluído na jornada diária. Os intervalos obrigatórios devem ser consignados em registro impresso ou eletrônico, acessível aos trabalhadores e disponibilizado impresso para as inspeções do trabalho. Participação em atividades físicas - quando adotadas pela empresa, a participação em atividades físicas não é obrigatória, e a recusa do trabalhador em participar dessas práticas não poderá ser utilizada como argumento para qualquer punição ou preterição do trabalhador. Da utilização de script - é vedado ao empregador exigir observância estrita ou rigorosa de script ou roteiro de atendimento. Monitoramento do trabalho - o monitoramento por escuta ou gravação de ligações somente poderá ocorrer com o conhecimento do trabalhador. Os programas de prevenção da fadiga e de danos à saúde devem considerar - a) metas compatíveis com as condições de trabalho e de tempo oferecidas; b) o sistema de monitoramento do desempenho; c) as repercussões sobre a saúde dos trabalhadores dos sistemas de avaliação para efeito de remuneração e concessão de vantagens; d) o aumento das pressões nos horários de maior demanda; e) os períodos que o trabalhador necessita para adaptar-se ao trabalho. Vedações - o projeto veda o uso de métodos ou práticas que impliquem assédio moral, medo ou constrangimento, tais como o estímulo abusivo à competição entre trabalhadores, exigência de uso de adereços, acessórios, fantasias ou vestimentas indicativas de punição, promoção ou propaganda e a exposição pública das avaliações de desempenho. RELAÇÕES INDIVIDUAIS DO TRABALHO Prevalência do piso salarial regional sobre o acordado em negociação coletiva PLP 00028/2015 do deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS), que Altera a Lei Complementar nº 103/2000, a fim de dispor que convenção e acordo coletivos de trabalho devem observar o piso salarial nela instituído. O piso salarial regional, estabelecido por lei estadual, quando superior ao firmado em convenções ou acordo coletivo de trabalho prevalecerá sobre a negociação coletiva. 11

12 Incentivo fiscal para a empresa que contratar trabalhador com mais de 60 anos PL 00687/2015 do deputado Shéridan (PSDB/RR), que Dispõe sobre a concessão de incentivo fiscal para as pessoas jurídicas que firmarem contratos de trabalho com pessoas idosas com mais de 60 (sessenta) anos. Concede incentivo fiscal para as pessoas jurídicas que contratarem trabalhadores com mais de 60 anos. O incentivo fiscal consistirá na dedução de 2% no lucro tributável, para fins de cálculo do Imposto de Renda, do montante dos salários atribuídos a essas pessoas no período base. Dispõe ainda que o poder executivo regulamentará esta lei no prazo de 90 dias contados da data de sua publicação e que estarão revogadas as disposições em contrário. INFRAESTRUTURA Estímulos ao uso de fontes alternativas para o abastecimento de água PLS 00051/2015 do senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB), que Altera as Leis nº , de 5 de janeiro de 2007, que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei nº 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências, e nº , de 10 de julho de 2001, que regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências, para instituir normas sobre o abastecimento de água por fontes alternativas. Altera a Lei que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico, para dispor sobre fontes alternativas de abastecimento de água. Principais alterações - a) incluir no rol de serviços que caracterizam o saneamento básico o abastecimento de água por fontes alternativas; b) incluir os conceitos de água residuária, água de reuso e de fontes alternativas de abastecimento de água; c) determinar que os serviços de saneamento relacionados ao abastecimento de água por fontes alternativas, quando realizados no mesmo lote urbano a ser abastecido, não constituem serviço público; d) determinar que na ocasião de expansão da rede pública de saneamento o Poder Público deverá implantar, caso seja viável, abastecimento de água por fontes alternativas; e) determinar que prédios ligados à rede pública de abastecimento não poderão ser também alimentados por outras fontes, exceto fontes alternativas; f) determinar que quando houver fonte alternativa de abastecimento de água, esta deverá contar com instalações hidráulicas independentes. A pessoa física ou jurídica responsável deverá comunicar a entidade reguladora das fontes alternativas e enviar relatório sobre a qualidade da água. Este 12

13 tipo de abastecimento será fiscalizado pela entidade reguladora e vinculado à licença ambiental e outorga de direito de uso dos recursos hídricos ainda. Altera o Estatuto das Cidade para determinar que os Planos Diretores do Poder Público deverão estudar a viabilidade de exigir padrões construtivos sustentáveis a novas edificações que permitam o abastecimento de água por fontes alternativas. Prazo para licenciamento ambiental de obras e serviços licitados PL 00675/2015 do deputado João Rodrigues (PSD/SC), que Dá nova redação ao inciso I do 2º do art. 7º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e acrescenta 2º-A ao mesmo dispositivo, para estabelecer regras relacionadas à obtenção de licenciamento ambiental de obras e serviços. Altera a Lei de Licitações para determinar que no licenciamento do projeto básico, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios adotarão os procedimentos determinados pela União no exercício das competências decorrentes da Lei Complementar nº 140/11. Fixa prazo improrrogável de 60 dias aos órgãos envolvidos na execução dos referidos procedimentos para apreciação das solicitações de licenciamento ambiental que lhes sejam apresentadas, sob pena de aprovação tácita dos respectivos empreendimentos, salvo se devidamente justificada eventual prorrogação do prazo por igual período. Estende-se o disposto nesta Lei a projetos básicos de obras e serviços licitados sob o regime do RDC. Prazo para eliminação dos lixões PL 00679/ Manoel Junior (PMDB/PB), que Altera os arts. 54 e 55 da Lei nº , de 2 de agosto de 2010, e dá outras providencias. Altera a Política Nacional de Resíduos Sólidos para ampliar de quatro para oito anos (até agosto de 2018) o prazo para a eliminação dos lixões e para disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com os planos estaduais e municipais de gestão integrada de resíduos sólidos. Prazo para elaboração dos planos de gestão - define o prazo de seis anos (até agosto de 2016) para estados e municípios elaborarem seus planos de gestão integrada de resíduos sólidos. Remissão das sanções administrativas - anistia as penalidades aplicadas entre agosto de 2014 e a data da entrada em vigor da Lei. Logística reversa - remete para regulamentação a definição da implementação gradual da logística dos produtos previstos no art. 33 da PNRS (agrotóxicos; pilhas e baterias; pneus; óleos lubrificantes; seus resíduos e embalagens; lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; e produtos eletroeletrônicos e seus componentes). 13

14 SISTEMA TRIBUTÁRIO CARGA TRIBUTÁRIA, CRIAÇÃO DE TRIBUTOS E VINCULAÇÃO DE RECEITAS Prorrogação da DRU até 31/12/2019 PEC 00004/2015 do deputado André Figueiredo (PDT/CE), que Altera o art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Prorroga a Desvinculação de Recursos da União - DRU - até 31/12/2019. Reduz, gradativamente, percentual de recursos provenientes da arrecadação de contribuições sociais que será desvinculado. No ano de 2018, o percentual de desvinculação será de zero. Convalidação de incentivos fiscais de ICMS PLP 00026/2015 do deputado Daniel Vilela (PMDB/GO), que Dispõe sobre o quórum de aprovação de convênio que permita a concessão de remissão dos créditos tributários constituídos ou não em decorrência de isenções, incentivos e benefícios fiscais ou financeiro-fiscais instituídos em desacordo com a deliberação prevista no art. 155, 2º, inciso XII, alínea "g", da Constituição Federal, e a reinstituição das respectivas isenções, incentivos e benefícios fiscais ou financeiro-fiscais; e dá outras providências. Convalida os atos normativos de concessão de benefícios ou de incentivos fiscais ou financeiros vinculados ao ICMS. Assim, para que ocorra a convalidação é necessária a analise pelo CONFAZ dos convênios celebrados, porém com um quorum para deliberação de dois terços das unidades federativas cumulado com o quórum regional (um terço das unidades federadas integrantes de cada uma das cinco regiões do País), ou seja, elimina a necessidade da unanimidade na convalidação. Com isso, ficam remitidos e anistiados os créditos tributários do ICMS, constituídos ou não, relativos a operações e prestações alcançadas por benefícios ou incentivos fiscais ou financeiros vinculados ao ICMS, concedidos por legislação estadual ou distrital editada até a data de publicação da Lei Complementar. 14

15 Inovações na desoneração da folha de pagamento, modificação na tributação sobre bebidas frias e tributação relacionada aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 PL 00863/2015 do Poder Executivo, que Altera a Lei nº , de 14 de dezembro de 2011, quanto à contribuição previdenciária sobre a receita bruta; a Lei nº , de 26 de agosto de 2011, a Lei nº , de 18 de junho de 2014, e a Lei nº , de 21 de novembro de 2005, quanto à tributação de bebidas frias; e a Lei nº , de 9 de janeiro de 2013, que dispõe sobre medidas tributárias referentes à realização, no Brasil, dos Jogos Olímpicos de 2016 e dos Jogos Paraolímpicos de Apresenta inovações na desoneração da folha de pagamento de setores produtivos, modifica a tributação incidente sobre bebidas frias e dispõe sobre medidas tributárias relacionadas à promoção dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Ampliação de alíquotas da contribuição sobre faturamento Após 90 dias da publicação da Lei, as empresas passarão a recolher 4,5% e 2,5% do faturamento em substituição ao recolhimento sobre a contribuição previdenciária - e não mais 2% e 1%. Em contrapartida, a substituição da contribuição da folha para o faturamento passa a ser facultativa. A alíquota maior, de 4,5%, é voltada principalmente para o setor de serviços, que inclui empresas de call center, de tecnologia da informação, design houses, hotéis, suporte técnico de informática, além do setor de construção civil, construção e obras de infraestrutura, e de transporte rodoviário e metroviário de passageiros. Já o recolhimento de 2,5% abrange empresas jornalísticas, do comércio varejista, transporte aéreo, transporte marítimo e transporte rodoviário e ferroviário de cargas, e carga e descarga de contêineres, além de vários segmentos da indústria, como setor têxtil, de aves e suínos, móveis, brinquedos, medicamentos, fabricação de aviões, material elétrico, equipamentos médicos e odontológicos, pneus e câmaras de ar, tintas e vernizes, borracha, vidros. Com relação a obras que especifica, a alíquota permanecerá em 2% até o encerramento dos projetos (é o caso, por exemplo, das obras matriculadas no Cadastro Específico do INSS no período entre 1º de abril de 2013 e 31 de maio de 2013). Controle sobre Produção de Bebidas Para as bebidas frias, a partir de 1º de maio, a Receita Federal poderá exigir de estabelecimentos envasadores ou industriais fabricantes de bebidas a instalação de equipamentos contadores de produção. A Receita Federal poderá expedir normas complementares para a aplicação da medida. Prevê taxação pela utilização de equipamentos contadores de produção de cervejas, 15

16 refrigerantes e outras bebidas. O valor da taxação será de R$ 0,03 (três centavos de real) por unidade de embalagem de bebidas controladas pelos equipamentos contadores de produção. Tributação sobre Bens Duráveis no âmbito das Olimpíadas Em relação aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, a Medida Provisória suspende a incidência de tributos federais referentes às importações de bens, mercadorias ou serviços para uso ou consumo exclusivo em atividades vinculadas ao evento a partir da data de sua publicação. A suspensão será convertida em isenção depois da comprovação da utilização ou consumo nas finalidades previstas para as mercadorias ou serviços adquiridos, locados ou arrendados e dos direitos recebidos. Permite que a isenção de tributos federais incidentes nas importações de bens, mercadorias e serviços para uso exclusivo nas olimpíadas se dê mesmo nos casos de transporte não realizado por navios de bandeira brasileira e de ausência de comprovação de inexistência de similar nacional. Prevê isenção de tributos federais incidentes sobre doações de bens duráveis em benefício da União, entidades beneficentes de assistência social, pessoas jurídicas de direito público e entidades desportivas, sem fins lucrativos. OBRIGAÇÕES, MULTAS E ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIAS Restrição de cobrança de ICMS isento por convênios à margem do CONFAZ PLP 00018/2015 do deputa William Woo (PV/SP), que Acrescenta inciso ao art. 8º, da Lei Complementar nº 24, de 07 de janeiro de 1975, que dispõe sobre os convênios para a concessão de isenções do imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias, e dá outras providências. Determina que só poderá ser exigido imposto não pago, decorrente de incentivo de ICMS concedido pelos Estados, à margem do CONFAZ, referentes a fatos seguintes a edição de norma que regulamente os incentivos já concedidos. Utilização de crédito de ICMS na substituição tributária PLP 00019/2015 do deputado William Woo (PV/SP), que Acrescenta artigo à Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro de 1996, que dispõe sobre o imposto dos Estados e do Distrito Federal sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, e dá outras providências. (LEI KANDIR). Garante ao contribuinte o uso do saldo credor do ICMS para o pagamento de valores devidos a título de substituição tributária. 16

17 INFRAESTRUTURA SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL Aposentadoria especial para atividades prejudiciais a saúde PLP 00027/2015 do deputado João Daniel (PT/SE), que Estabelece requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria especial aos trabalhadores rurais que manipulem ou apliquem agrotóxicos. Concede aposentadoria especial aos trabalhadores rurais que desenvolvam suas atividades de manipulação ou aplicação de agrotóxicos, e que comprovem tempo de contribuição no exercício dessa atividade por 20 anos. As despesas decorrentes da concessão da aposentadoria especial correrão à conta das dotações próprias do orçamento da Seguridade Social. INTERESSE SETORIAL INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA Dispensa de registro sanitário à suplementos e complementos nutricionais PL 00652/2015 do deputado Luiz Nishimori (PR/PR), que Acrescenta o inciso IV ao art. 6º do Decreto-Lei nº 986, de 21 de outubro de 1969, para dispensar os suplementos e complementos nutricionais da obrigatoriedade de registro sanitário. Dispensa da obrigatoriedade de registro sanitário os produtos classificados como suplementos e complementos nutricionais, inclusive os importados, independentemente da forma de apresentação ao consumidor final. INDÚSTRIA DA MINERAÇÃO Incidência de ICMS sobre exportações de bens minerais PEC 00008/2015 do deputado Arnaldo Jordy (PPS/PA), que Acrescenta o 7º ao art. 155 da Constituição Federal. Determina que o ICMS será aplicado às operações que destinem ao exterior bens minerais primários ou semi-elaborados. 17

18 INDÚSTRIA DE TELECOMUNICAÇÃO Autorização para utilização de recursos do FUST para subsidiar o acesso à telefonia fixa, internet e banda larga dos beneficiários do Minha Casa Minha Vida PL 00685/2015 do deputado Aureo (SD/RJ), que Altera a Lei nº 9.998, de 17 de agosto de 2000, para autorizar o uso dos recursos do Fust - Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações - para subsidiar o acesso individual de telefonia fixa, internet em banda larga e televisão por assinatura de beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida. Autoriza o uso dos recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) para subsidiar em até 50%, limitado a R$ 25 reais, as contas de planos de serviços de telefonia fixa, internet em banda larga e televisão por assinatura, de beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). A aplicação dos recursos do FUST observará a modalidade de subsídio direto, por meio de pagamento ao prestador do serviço de telecomunicações, prestado em regime público ou privado, que abaterá o subsídio dos valores devidos pelo beneficiário do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) em seu documento de cobrança. INDÚSTRIA DE VEÍCULOS DE DUAS RODAS Obrigatoriedade de emplacamento dianteiro em veículos de duas ou três rodas PL 00659/2015 do deputado Professor Victório Galli (PSC/MT), que Altera dispositivo da Lei nº9.503, de 23 de setembro de Código de Trânsito Brasileiro para tornar obrigatório o uso de placa e veículos de duas ou três rodas. Obriga os veículos de duas ou três rodas a usar a placa dianteira. INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Permissão para importação excepcional de medicamentos sem registro no Brasil PL 00677/2015 do deputado Alfredo Nascimento (PR/AM), que Altera a Lei nº 6.360, de 23 de setembro de 1976, que dispõe sobre a Vigilância Sanitária a que ficam sujeitos os Medicamentos, as Drogas, os Insumos Farmacêuticos e Correlatos, Cosméticos, Saneantes e Outros Produtos, e dá outras Providências, para permitir a importação de medicamento não registrado no País nas situações que especifica. Permite a importação do medicamento sem registro, para fins não comerciais, mediante autorização da autoridade sanitária em processo simplificado, na forma de regulamento. 18

19 Para que seja possível a importação é necessário, cumulativamente: a) prescrição médica e relatório médico que ateste a imprescindibilidade do medicamento; b) termo de consentimento livre e esclarecido assinado pelo paciente ou por seu responsável legal; c) registro do medicamento no país de origem. A imprescindibilidade do uso do medicamento é caracterizada caso inexista, no mercado nacional, medicamento com eficácia terapêutica para a doença do paciente ou caso a condição clínica do paciente não apresente resposta satisfatória aos medicamentos disponíveis no mercado nacional. A possibilidade de importação aplica-se inclusive a medicamentos que tenham substância ou derivado de substância proibida no País. INDÚSTRIA PETROLÍFERA Exclusão da obrigatoriedade de participação mínima da Petrobrás na exploração de petróleo em áreas do pré-sal PL 00600/2015 do deputado Jutahy Junior (PSDB/BA), que Altera e revoga dispositivos da Lei n , de 22 de dezembro de 2010, que "Dispõe sobre a exploração e produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos, sob o regime de partilha de produção, em áreas do pré-sal e em áreas estratégicas, e dá outras providências. Altera a Lei do Pré-sal para retirar a obrigação da Petrobrás ser a operadora de todos os blocos contratados sob o regime de partilha de produção e deter participação mínima de 30% nos consórcios para licitações em áreas do pré-sal e em áreas estratégicas. INFORME LEGISLATIVO Publicação Semanal da Confederação Nacional da Indústria - Unidade de Assuntos Legislativos - CNI/COAL Gerente Executivo: Marcos Borges de Castro Gerente Executivo Adjunto: Godofredo Franco Diniz Gerente de Informação e Estudos: Frederico Gonçalves Cezar Coordenadora de Informações Legislativas: Brenda Parada Granados Informações técnicas e obtenção de cópia das proposições pelo telefone (61) ou pelo Endereço: Setor Bancário Norte Quadra 1 Bloco C 19 Edifício Roberto Simonsen CEP Brasília, DF Autorizada a reprodução desde que citada a fonte.

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal Edição nº 140 02 de março de 2015. ALERTA GERENCIAL Alterações na Legislação Federal A Medida Provisória nº 669, publicada no D.O.U. DE 27/02/2014, promoveu diversas alterações na legislação tributária

Leia mais

Direcionamento dos recursos das multas ambientais a ações em educação ambiental PL 04472/2012 deputado Sarney Filho (PV/MA) 1

Direcionamento dos recursos das multas ambientais a ações em educação ambiental PL 04472/2012 deputado Sarney Filho (PV/MA) 1 Ano 20 - Número 26-01 de outubro de 2012 - www.cni.org.br Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Proibição do uso de procuração para apresentação de requerimento de abertura de empresa PLP 00210/2012

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. ANDRÉ FUFUCA) Dispõe sobre a criação de Zona Franca no Município de Rosário, Estado do Maranhão. O Congresso Nacional decreta: do Maranhão. Art. 1º Esta Lei cria a Zona

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. SARNEY FILHO) Dispõe sobre a criação de Zona Franca no Município de São Luís, Estado do Maranhão. O Congresso Nacional decreta: Estado do Maranhão. Art. 1º Esta Lei cria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.424, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Assis do Couto)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Assis do Couto) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Assis do Couto) Cria Área de Livre Comércio no Município de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) Fonte: elaboração própria abril de 2013 EMENTA: CONTEXTO LEGISLATIVO. OS PRINCIPAIS SETORES. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SUBSTITUÍDAS. CRITÉRIO

Leia mais

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta:

Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: ESTUDO PRELIMINAR SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA ENVIADA AO CONGRESSO EM FEVEREIRO DE 2008 (SE REFERE AOS TÓPICOS DE INTERESSE DOS MUNICÍPIOS) Artigos incluídos ou alterados pela Proposta: Adv.

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze)

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) *C0051416A* C0051416A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) Institui isenção da contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e CIDE- Combustíveis incidente sobre o óleo

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS instrumentos, avanços e oportunidades A VISÃO DA INDÚSTRIA

A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS instrumentos, avanços e oportunidades A VISÃO DA INDÚSTRIA A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS instrumentos, avanços e oportunidades A VISÃO DA INDÚSTRIA DESAFIOS Estabelecer a logística reversa Regulamentar planos de gerenciamento de resíduos Implantação

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 (27 de Fevereiro de 2015) 01. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 669, DE 26.02.2015 - DOU DE 27.02.2015 Ementa: Previdenciária - Aumentadas as alíquotas de contribuição

Leia mais

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI)

PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) PIS/PASEP E COFINS - REGRAS APLICÁVEIS AO REGIME ESPECIAL DE BEBIDAS FRIAS (REFRI) Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 03/09/2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - PREÇO DE REFERÊNCIA 2.1 -

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL Artigo 1 A Constituição Federal passa a vigorar com os seguintes artigos alterados ou acrescidos: Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal: XVI estabelecer

Leia mais

Nulidade de ato societário que resulte na diminuição da participação de acionistas antigos PL 04848/2012 do deputado Carlos Bezerra (PMDB/MT) 1

Nulidade de ato societário que resulte na diminuição da participação de acionistas antigos PL 04848/2012 do deputado Carlos Bezerra (PMDB/MT) 1 Ano 21 - Número 2-28 de janeiro de 2013 - www.cni.org.br Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Nulidade de ato societário que resulte na diminuição da participação de acionistas antigos PL 04848/2012

Leia mais

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA A forma de Estado adotada pela Constituição Federal é a Federação, e esta só estará legitimada se cada ente da Federação gozar de autonomia administrativa e fiscal. A CF estabelece percentuais a serem

Leia mais

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso, dispõe sobre os Bens Apreendidos e Adquiridos com Produtos de Tráfico Ilícito de Drogas ou

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 IPI SUSPENSÃO - LEI Nº 10.637/2002 - PROCEDIMENTOS Introdução - Estabelecimentos Com Direito à Suspensão - Preponderância de Faturamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 10.451, DE 10 DE MAIO DE 2002.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 10.451, DE 10 DE MAIO DE 2002. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 10.451, DE 10 DE MAIO DE 2002. Altera a legislação tributária federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

... ... ... Garantia da empresa estatal independente para sua subsidiária ou controlada

... ... ... Garantia da empresa estatal independente para sua subsidiária ou controlada Ano 18 Número 09 14 de maio de 2010 www.cni.org.br Nesta Edição Interesse Geral da Indústria Incentivos fiscais à Pesquisa Científica e Inovação Tecnológica. PL 7141/2010 - Dep. Rodrigo Rollemberg (PSB/DF)...02

Leia mais

Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções. Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP

Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções. Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP Resolução do Senado Federal nº 13/2012: características, problemas e soluções Marcelo Viana Salomão Mestre e doutorando PUC/SP ICMS - ICMS: imposto de conformação nacional exaustivamente regrado pela CF/88;

Leia mais

Faculta que as mercadorias vendidas com fim específico de exportação sejam enviadas às tradings PL 07719/2014 do deputado Rubens Bueno (PPS/PR) 1

Faculta que as mercadorias vendidas com fim específico de exportação sejam enviadas às tradings PL 07719/2014 do deputado Rubens Bueno (PPS/PR) 1 Ano 22 - Número 19-07 de julho de 2014 - www.cni.org.br Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Faculta que as mercadorias vendidas com fim específico de exportação sejam enviadas às tradings PL 07719/2014

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 37, DE 2009 Altera a Lei nº 9.250, de 26 de dezembro de 1995, e a Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, para permitir a dedução, do imposto de renda das pessoas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 206, DE 6 DE AGOSTO 2004. Altera a tributação do mercado financeiro e de capitais, institui o Regime Tributário

Leia mais

REDUÇÃO DO PIS E COFINS PARA O SETOR DE RESÍDUOS

REDUÇÃO DO PIS E COFINS PARA O SETOR DE RESÍDUOS REDUÇÃO DO PIS E COFINS PARA O SETOR DE RESÍDUOS Reunião do GT 3 da PNRS 21/11/2013 Redução do PIS e Cofins para o Setor de Resíduos 1 REDUÇÃO DO PIS E COFINS PARA O SETOR DE RESÍDUOS Sumário Qual é a

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 46 IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS Dr. João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 597, DE 2012 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2013 Nota Descritiva 2 2013 Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra,

Leia mais

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR Expositor: AFRFB JUVÊNCIO SOUSA FERREIRA (ALF/FOR/SADAD) SEMINÁRIO: A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE ADUANEIRO NA PROTEÇÃO DA SOCIEDADE E NO PROCESSO DE

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA

MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA MEDIDA PROVISÓRIA Nº512, DE 2010 NOTA DESCRITIVA DEZEMBRO/2010 Nota Descritiva 2 SUMÁRIO I - MEDIDA PROVISÓRIA Nº 512, DE 2010...3 II EMENDAS PARLAMENTARES...4 III JUSTIFICATIVA DA MEDIDA PROVISÓRIA...6

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DO ÂMBITO DA APLICAÇÃO

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DO ÂMBITO DA APLICAÇÃO LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997 Dispõe sobre a ordenação do transporte aquaviário e dá outras providências. DOU 09.01.97 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu

Leia mais

Art. 15º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Art. 15º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Veja, na íntegra, os artigos da lei que estabelece normas para obtenção de alvará de licença e funcionamento de feiras, bazares ou eventos similares itinerantes, de venda a varejo ou no atacado e dá outras

Leia mais

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) publicou resoluções que prorrogam o prazo da competência

Leia mais

ANTEPROJETO DE LEI. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I

ANTEPROJETO DE LEI. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I ANTEPROJETO DE LEI Dispõe sobre Medidas de Incentivo Fiscal à Pesquisa, ao Desenvolvimento Tecnológico e à Inovação. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC 18/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Áreas de Livre

Leia mais

CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas

CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas CONTABILIDADE COMERCIAL I PROFESSOR Salomão Dantas Soares APOSTILA 3 Operações Típicas de Empresas Comerciais : Contabilização de Impostos e Taxas TURMA: PECC Você estudará, nesta unidade, os principais

Leia mais

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard 1 O que você aconselha para quem começa agora a se preparar para a área fiscal? É necessário começar a estudar Contabilidade e Direito Tributário, pois sem exceção, estas matérias entram no edital de todos

Leia mais

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Ainda que a pessoa jurídica esteja submetida ao regime de incidência não-cumulativa, as receitas constantes do art. 8º da Lei nº 10.637, de 2002,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.454, DE 13 DE MAIO DE 2002. Dispõe sobre remissão da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica -

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, LEI Nº 9.718, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998. Altera a Legislação Tributária Federal. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Esta Lei aplica-se

Leia mais

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal sanciono a seguinte Lei:

A Câmara Municipal de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal sanciono a seguinte Lei: REVOGADA PELA LEI Nº 1.152, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2007 Publicado na Tribuna São José Em, 22.05.1996 LEI Nº 18, DE 20 DE MAIO DE 1996 Dispõe sobre o Plano de Incentivo Empresarial, visando estimular a geração

Leia mais

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS Base Constitucional: PIS E COFINS PIS: Art. 149 e 239 da Constituição Federal COFINS: Art. 195 da Constituição Federal 1 COFINS Art. 195. A seguridade social

Leia mais

LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997.

LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. - 1 - LEI Nº 9.432, DE 8 DE JANEIRO DE 1997. Dispõe sobre a ordenação do transporte aquaviário e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

Nova Legislação Específica Sobre Estágio LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008.

Nova Legislação Específica Sobre Estágio LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Nova Legislação Específica Sobre Estágio LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO

INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO INCENTIVOS FISCAIS À INOVAÇÃO Prof. Nicolau Afonso Barth, Dr. Universidade Tecnológica Federal do Paraná Assessoria de Projetos Cooperados / Assessoria de Assuntos Estudantis ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO: Lei

Leia mais

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Direito nas organizações Promover uma visão jurídica global do Sistema Tributário Nacional, contribuindo para a formação do

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 TRIBUTOS FEDERAIS EXPORTAÇÃO INDIRETA - CONSIDERAÇÕES BÁSICAS... ICMS - MS/MT/RO ENTREGA FUTURA - PROCEDIMENTOS... LEGISLAÇÃO

Leia mais

Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o

Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o Dando prosseguimento à aula anterior, neste encontro, encerraremos o art.195, CF, comentando os seus principais parágrafos, para fins de concurso público! Alberto Alves www.editoraferreira.com.br 1º As

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA

INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Parcelamento de débitos para adesão ao Simples PLP 00141/2015 do deputado Alceu Moreira (PMDB/RS) 3 Instituição da Política de Criação e de Operação de Reservatórios

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 539 DE 25 /04 /2005 Altera a Instrução Normativa SRF nº 480, de 15 de dezembro de 2004, que dispõe sobre a retenção de tributos e contribuições

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015)

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015) ( 2015) 1 Art. 24. Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição: Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

Professor Alex Sandro.

Professor Alex Sandro. 1 (OAB 2009-3 CESPE Q. 58) Considere que João e Marcos tenham deliberado pela constituição de sociedade limitada, com atuação no segmento de transporte de cargas e passageiros na América do Sul. Nessa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação SP SÃO PAULO SRRF08. Solução de Consulta nº 37 Cosit Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação SP SÃO PAULO SRRF08. Solução de Consulta nº 37 Cosit Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Fl. 40 Fls. 1 0 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 37 Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS IPI ISENÇÃO. ZONA FRANCA

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS

ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS Na melhor forma de direito, pelo presente instrumento de conciliação que entre si celebram, de um lado a pessoa jurídica de direito

Leia mais

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011 AGENDA DE TRABALHO PARA O CURTO PRAZO Indústria brasileira de bens de capital mecânicos Janeiro/2011 UMA AGENDA DE TRABALHO (para o curto prazo) A. Financiamento A1. Taxa de juros competitiva face a nossos

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

Lei nº 14.592, de 19 de outubro de 2011. Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei:

Lei nº 14.592, de 19 de outubro de 2011. Faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte lei: Lei nº 14.592, de 19 de outubro de 2011 Proíbe vender, ofertar, fornecer, entregar e permitir o consumo de bebida alcoólica, ainda que gratuitamente, aos menores de 18 (dezoito) anos de idade, e dá providências

Leia mais

Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS

Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS Unidade de Pesquisa, Avaliação e Desenvolvimento Unidade de Política Econômica O Simples Nacional e o ICMS* Adesão ao

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 4ª PARTE CARACTERÍSTICAS CONSTITUCIONAIS DOS IMPOSTOS Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com DOS IMPOSTOS DA UNIÃO Art. 153. Compete

Leia mais

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998 Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências (Alterada pela MP Nº 2.076-35/27.03.2001, MP Nº 2.164-41/24.08.2001 já inserida

Leia mais

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços

NOTA TÉCNICA 48 2013. Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços NOTA TÉCNICA 48 2013 Lei nº 12.873 de 24/10/2013: PROSUS Registros de preços Brasília, 29 de outubro de 2013 INTRODUÇÃO A Lei 12.873 de 24/10/13 trata de vários assuntos, altera algumas leis e entre os

Leia mais

TEXTO FINAL. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

TEXTO FINAL. O CONGRESSO NACIONAL decreta: TEXTO FINAL Substitutivo do Senado Federal ao Projeto de Lei da Câmara nº 310, de 2009 (nº 1.927, de 2003, na Casa de origem), que institui o Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano

Leia mais

RTU - Perguntas e Respostas

RTU - Perguntas e Respostas RTU - Perguntas e Respostas O que é o RTU? O RTU já foi regulamentado? Já podem ser efetivadas operações de importação ao amparo do RTU? Quem poderá importar mercadorias ao amparo do RTU? O que é necessário

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Ampliação e aperfeiçoamento dos mecanismos de desoneração tributária dos sistemas de logística reversa e estudo de impacto econômico da desoneração Estudo preparado para

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL AO PROJETO DE LEI Nº 4.302-B, DE 1998, que altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/01/2013. Sumário: 1 - Introdução

Leia mais

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Cadeia tributária nacional Exemplo prático Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo demonstra de forma clara e objetiva as varias fases da cadeia tributária nacional, criando um exemplo

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 22, de 2011, do Senador Lindbergh Farias, que autoriza a União a conceder isenção fiscal,

Leia mais

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF Breve conceito de Regime Aduaneiro Regime especial de Admissão Temporária Casos Práticos Regime Aduaneiro deve ser entendido como o tratamento aplicável às mercadorias submetidas

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 240, DE 2015

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 240, DE 2015 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 240, DE 2015 Redação final do Projeto de Lei de Conversão nº 3, de 2015 (Medida Provisória nº 665, de 2014). A Comissão Diretora apresenta a redação final do Projeto de Lei

Leia mais

ENTENDA OS IMPOSTOS. Impostos Diretos ou Indiretos, Progressivos ou Regressivos

ENTENDA OS IMPOSTOS. Impostos Diretos ou Indiretos, Progressivos ou Regressivos Página 1 de 10 ENTENDA OS IMPOSTOS As pessoas nem imaginam quão antiga é a origem dos tributos, estudos supõem que as primeiras manifestações tributárias foram voluntárias e feitas em forma de presentes

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA LEI Nº 2030, DE 10 DE MARÇO DE 2009 PUBLICADA NO DOE Nº 1200, DE 11.03.09

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA LEI Nº 2030, DE 10 DE MARÇO DE 2009 PUBLICADA NO DOE Nº 1200, DE 11.03.09 CONSOLIDADA, ALTERADA PELA LEI Nº: 2077, DE 12.05.09, DOE Nº 1242, DE 13.05.09; 2189, DE 25.11.09, DOE Nº 1376, DE 26.11.09. LEI Nº 2030, DE 10 DE MARÇO DE 2009 PUBLICADA NO DOE Nº 1200, DE 11.03.09 Institui

Leia mais

CIRCULAR Medida Provisória 252/05

CIRCULAR Medida Provisória 252/05 CIRCULAR Medida Provisória 252/05 A Medida Provisória 252/05, publicada no Diário Oficial em 16 de junho de 2005, instituiu regimes especiais de tributação, alterou parte da legislação de Imposto de Renda,

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 DOU de 26.12.2005 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguros de vida com cláusula de cobertura

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Porto Alegre RS

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Porto Alegre RS Política Nacional de Resíduos Sólidos Porto Alegre RS Data: 04 Julho 2015 Apresentação PNRS: Atores e obrigações Panorama Geral: Implementação da PNRS no Brasil Pesquisa CNM (2015) Sanções PNRS PNRS PNRS

Leia mais

... LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015

... LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015 LEI N. 2.956, DE 9 DE ABRIL DE 2015 Altera e acrescenta dispositivos à Lei n. 1.358, de 29 de dezembro de 2000 que Institui o Programa de Incentivo Tributário para Empresas, Cooperativas e Associações

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 476, DE 2009 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2010 Nota Descritiva 2 SUMÁRIO I Introdução...3 II Prazos para apreciação...5 III Emendas apresentadas...5 2010 Câmara dos Deputados. Todos os

Leia mais

Renúncias Previdenciárias

Renúncias Previdenciárias 198ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Previdência Social Brasília Renúncias Previdenciárias Raimundo Eloi de Carvalho Coordenador de Previsão e Análise da Receita Federal do Brasil Sumário 1.

Leia mais

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária Lei Complementar 128 Alterações na Legislação Previdenciária Microempreendedor Individual MEI Conceito: É o empresário individual, referido no art. 966 do Novo Código Civil, que tenha auferido receita

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA PARECER Nº, DE 2015 1 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 218, de 2011, do Senador EUNÍCIO OLIVEIRA, que dispõe sobre o empregador arcar com os

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 110, DE 2015 Institui programa de concessão de créditos da União no âmbito do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, denominado Nota Fiscal Brasileira, com o objetivo de incentivar

Leia mais

Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015

Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015 Alterações tributárias na lei nº 13.097/2015 Foi publicada no Diário Oficial da União de 20/01/2015 a lei federal nº 13.097/15, decorrente da conversão da MP nº 656/14. A nova lei cuida de diversas matérias,

Leia mais

INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA

INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Nesta Edição: INTERESSE GERAL DA INDÚSTRIA Destinação de recursos do Fundo Social para o desenvolvimento científico e tecnológico PLS 00181/2016 do senador Lasier Martins (PDT/RS) 3 Acordo celebrado entre

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS EM RISCO. e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011

INCENTIVOS FISCAIS EM RISCO. e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011 Cenário Atual, Perspectivas s e Reflexões e GOIÂNIA, 28 DE JUNHO DE 2011 CONFAZ - Conselho Nacional de Política Fazendária - Constituição i Federal 1988 art. 155, 2º, XII, g - Cabe a Lei Complementar regular

Leia mais