SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA."

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA DIRETORIA DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL Projeto Executivo Projeto de Vigilância Eletrônica Integrada contemplando Sistema de CFTV IP, Alarme e Controle de Acesso, para o Bloco Compartilhado 02 CTG / CCEN Recife 2011

2 1. APRESENTAÇÃO 1.1. Este documento tem por finalidade servir de orientação para a implantação de um Sistema Vigilância Eletrônica Integrada contemplando Sistema de CFTV IP, Alarme e Controle de Acesso IP, no Prédio Compartilhado do CFCH, CE e CCSA, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O sistema será constituído por 44 (quarenta e quatro) câmeras, 56 (cinqüenta e seis) sensores e 10 (dez) Catracas, 20 (vinte) leitoras de proximidade para as catracas e 10 (dez) leitoras Biométrica para portas dos laboratórios, todos localizadas no prédio compartilhado Serão repassadas nesta documentação as características exigidas para os diversos equipamentos necessários para o funcionamento do sistema, além de uma visão geral das características de visualização e das imagens a serem captadas pelas câmeras DESCRIÇÃO DO GERAL O presente projeto visa monitorar o Prédio Compartilhado CFCH, CE e CSSA da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), aumentando a segurança na tomadas de decisões, utilizando moderno sistemas de monitoração de circuito fechado de TV IP, sistema e Alarme monitorado e controle de acesso IP O projeto é composto por plataformas tecnológicas que garantem os seguintes princípios de funcionamento: a) Alta disponibilidade; b) Fácil expansibilidade; c) Flexibilidade, garantida pelo uso de tecnologias e protocolos abertos; 2. PREMISSAS 2.1. Gerais Conforme citado acima, este projeto contempla a elaboração de projeto executivo, fornecimento, instalação, configuração, operação, manutenção e assistência técnica de sistemas de monitoração de circuito fechado de TV IP, sistema e Alarme monitorado e controle de acesso IP. 2

3 A empresa CONTRATA deverá apresentar, em até 15 (quinze) dias úteis, o projeto executivo contendo o posicionamento de todos os componentes (câmeras, rádios, ativos, fontes etc.) em planta, memorial descritivo do projeto de instalação com fotografias dos locais visualizados e diagrama de blocos do sistema. Deverá apresentar ainda, lista de equipamentos necessários para a implementação total da solução. Ressalta-se que todos os equipamentos a serem fornecidos devem, obrigatoriamente, ser compatíveis e integráveis as soluções descritas nesse projeto Todos os componentes instalados ao tempo possuem e deverão possuir classificação IP 66, proteção anti-vandalismo e travas de segurança Garantia dos materiais e Serviços Como materiais e serviços entendem-se: a infra-estrutura de instalação, os serviços civis, os cabos, os elementos mecânicos da instalação, os serviços de instalação, passagem dos cabos e afins contratada deverá também obedecer todas as normas de segurança da empresa contratante, no que diz respeito à execução dos serviços, se responsabilizando integralmente pelas conseqüências advindas do não comprimento das mesmas A garantia deverá ser total, abrangendo, além dos equipamentos, todos os serviços, cabos, infraestrutura e demais itens do fornecimento sendo de no mínimo 01 (um) ano Assistência Técnica na Garantia A empresa contratada deverá comprovar que possui capacidade técnica para assistência e disponibilizar atendimento do serviço de manutenção / suporte através de ligação telefônica. O protocolo da solicitação deverá ser considerado como o início dos prazos de atendimento O suporte técnico deverá prestar atendimento nos dias úteis das 08:00 às 18:00 horas O corpo técnico da Contratada deverá ser qualificado para garantir os serviços de suporte e manutenção. 3

4 Durante o período de garantia não deverá ser cobrado qualquer tipo de taxa, honorário, custo ou equivalente, para a realização dos serviços de assistência técnica O atendimento das solicitações de garantia de funcionamento do sistema e dos equipamentos deverá ser efetuado no prazo máximo de 12 horas, de forma a não prejudicar as operações e a segurança da unidade Garantia dos equipamentos eletrônicos e Aplicativos A Contratada deverá assegurar a capacidade de modernização tecnológica, com novos componentes que venham a ser desenvolvido pelo fabricante, objetivando melhorar o desempenho do equipamento, dispositivo e softwares dos sistemas de segurança; No período de garantia a Contratada fornecerá e instalará gratuitamente, se necessário, equipamentos similares provisórios para permitir a continuidade do funcionamento do sistema, sem interrupções, até que a mesma promova o conserto e reinstalação do(s) equipamento(s) ou material (ais) defeituosos e possa restabelecer o funcionamento regular do sistema em questão; A garantia deverá ser total, abrangendo, além dos equipamentos, todos os serviços, cabos, infraestrutura e demais itens do fornecimento Documentação / Qualificação Técnica Certidão de Registro e Quitação do Licitante e do seu Responsável Técnico, junto ao CREA/PE ou o CREA do local da sua sede, para os serviços de engenharia integrantes do objeto da licitação Empresa com registro no CREA de outra localidade deverá apresentar certidão devidamente vistada pelo CREA/PE Comprovação da Capacidade Operacional da empresa licitante, através de atestado (s) emitido (s) em seu nome, por pessoa jurídica de direito público ou privado, onde constem as execuções de serviços pertinentes e compatíveis em características, quantidades e prazos com o objeto desta licitação e como também com seu responsável(s) técnico(s), devidamente registrado no CREA. 4

5 Apresentar catálogo e manual em português dos equipamentos apresentados a fim de verificar as características técnicas, no momento da apresentação da proposta; Carta de qualificação e certificação do fabricante dos equipamentos dos Sistemas de Monitoramento, das Câmeras e das Controladoras de Acesso. A carta deverá estar em nome do proponente que comprove a capacidade e competência suficientes para instalar e dar suporte aos equipamentos do Sistema; 2.6. Instalações de infra-estrutura, cabeamento e certificação da rede Materiais e Equipamentos Todos os materiais e equipamentos fornecidos deverão ser novos, sem uso, e estarem em perfeitas condições Execução das Obras Os serviços de instalação compreendem instalações de infraestrutura, cabeamento e certificação da rede Durante a execução da Infra-estrutura e cabeamento lógico, a proponente é responsável por todo e qualquer dano causado as partes da edificação (instalações, paredes, pinturas e etc.), e caso ocorram, deverão ser recuperadas atendendo ao padrão até então existente; Todo e qualquer serviço que venha a comprometer o bom andamento dos trabalhos no horário comercial, deverá ser acordado antecipadamente com o responsável pela unidade; Terminados os trabalhos diários, os ambientes deverão estar limpos desimpedidos e em condições de serem utilizados para as atividades normais de trabalho; Na necessidade de executar serviços fora do horário comercial citado acima, (sábados, domingos, feriados e horário noturno), a proponente deverá agendar com o responsável pela unidade Infra-Estrutura A descrição de infra-estrutura a seguir é indicada tanto para cabeamento elétrico como de dados A infra-estrutura deve: Ser apropriada ao uso de instalações elétricas ou de dados, impedindo sempre o contato físico entre as duas; Atender as normas técnicas da ABNT; Fornecer projeto com planta da infra-estrutura e diagrama com alocação dos pontos; Tomadas elétricas 110 v ou uma 220 v a ser montada em eletrodutos de ferro galvanizado e conduletes, interna ou externamente, ou em calhas (Eletrocalha) de alumínio ou ferro 5

6 galvanizado fechadas com tampas, inclusive dentro de forros, e em todos os casos com o fornecimento e instalação de acessórios para fixação de tomadas de telecomunicações (RJ-45 Jacks). Não deve ser admitida em hipótese alguma, passagem de cabos não tubulados, ou em calhas plásticas; Áreas externas deverão obrigatoriamente ser de eletrodutos de ferro galvanizado, presos com abraçadeiras apropriadas ou nos conduletes a cada 1,5 metros, sendo que deverá existir um condulete ou caixa de passagem a cada 180º de curvas e a cada 10 metros de tubulação retilínea; Áreas internas poderão obedecer a uma das seguintes orientações: Eletrodutos em ferro galvanizado ou em PVC, com conduletes de alumínio e tampas próprias para tomadas de dados ou elétricos que deverão obedecer aos mesmos critérios de distâncias estabelecidos para tubulação externa; Calhas tipo rodapé em alumínio ou ferro galvanizado, com divisórias internas que impeçam o contato entre cabeamento de dados e de elétrica em qualquer situação, devem possuir adaptadores próprios para tomadas de dados ou de elétrica; Deverão ser fixados firmemente, com abraçadeiras apropriadas para cada caso, a cada 2,0 metros no mínimo Rede Lógica Cabo Metálico Todos os materiais de cabeamento deverão ser projetados para categoria 5e; Deverão ser utilizados cabos de cobre não blindados (UTP), categoria 5e, com 4 (quatro) pares trançados, que atendam plenamente a todos os requisitos físicos e elétricos da norma EIA/TIA - 568; Cada conexão deverá ser identificada mediante etiqueta impressa auto adesiva permanente ou anilhas de identificação nas duas extremidades, que possibilite identificar de forma imediata e inequívoca os pontos de origem e destino; A proponente deverá ao final da instalação fornecer as "As Built's" constando os materiais utilizados, o percurso e endereços dos circuitos, as tabelas de interconexão do Cabeamento lógico descrevendo as ligações entre os elementos Ativos e Passivos com relação ao Rack, bem como, uma tabela descrevendo o endereço de circuito e sua localização na planta; A área de trabalho compreende o espaço entre a tomada de telecomunicações e a estação de trabalho; As tomadas deverão ser do tipo RJ-45 jacks, categoria 5e; Patch Cords com tamanho de um metro e meio cada um, com conectores RJ-45 machos; 6

7 Fibra óptica Raio de curvatura, tracionamento do cabo e distancia, deve respeitar as especificações técnica do cabo de acordo com as normas do fabricante; Cabos de Fibra devem ser terminados em quadros de distribuição independente Esses quadros serão instalados nas mesmas condições dos rakc s suspensos, (próximo a rack de distribuição); Ligação do rack de fibras ao rack de distribuição deve ser por cordões com comprimento Maximo de 3 metros; Certificação TSB67 da ANSI/EIA/TIA conforme abaixo: Na modalidade de teste "CHANNEL", onde é contemplado o teste de todo o caminho ativo, incluindo os Patch Cords Para essa modalidade de teste a proponente é obrigada a testar todos os itens abaixo para todos pares: Atenuação; Comprimento; Impedância; Crosstalk; Teste contra polaridade reversa; Teste contra fios abertos; Teste contra curto; Rede Elétrica Aterramento da rede elétrica utilizando malha ou topologia estrela; Fios terras dos equipamentos com comprimento inferior a 6 metros; Circuito Elétrico independente e exclusivo para equipamentos de informática, com aterramento e proteção por disjuntores; Tomadas obedecendo à norma NBR (tomadas Tipo 2p+T, de 10A, para microcomputadores 110 v e 2P de 10A ou 20A, para rede 220 v); Fio terra maior ou, no mínimo, de mesma bitola que os fios de energia (Bitola mínina de 2,5 mm2); Distinção de cores entre os cabos de fase, neutro e terra; Amarração dos cabos deve ser utilizada velcro; O quadro de distribuição deverá suportar todos os disjuntores necessários com capacidade de expansão de 30% no mínimo, e deverá ser alimentado por circuito elétrico individual diretamente do quadro de entrada da rede de distribuição. 7

8 2.7. Protocolo Utilizado Este projeto prevê a adoção do protocolo TCP/IP para o tráfego de imagens, voz e dados, podendo haver encapsulamento de outros protocolos usados na rede de transporte. 3. LEGISLAÇÃO, NORMAS E REGULAMENTOS A CONTRATADA será responsável pela observância das leis, decretos, regulamentos, portarias e normas federais, estaduais e municipais, direta e indiretamente aplicáveis ao objeto do contrato, inclusive por suas subcontratadas e fornecedores Normas citadas e / ou colocadas em destaque: - NBR Execução de instalações elétricas de baixa tensão; - NBR Novo Padrão Brasileiro de Tomadas; - NBR Eletrotécnica e Eletrônicos - conectores elétricos; - NBR Condutores Elétricos; - ABNT...Associação Brasileira de Normas Técnicas. - ANSI...American National Standard Institute. - IEC...Internacional Eletrotechnical Comission. - IEEE...Institute of Electrical and Electronic Engineers. - Normas Americanas EIA/TIA; - NBR Normas de Cabeamento Estruturado para Rede Interna de Telecomunicações; - Normas do INMETRO; - Práticas SEAP - Governo Federal; - Códigos, Leis, Decretos, Portarias e Normas Federais, Estaduais e Municipais, inclusive normas de concessionárias de serviços públicos; - Instruções e Resoluções dos Órgãos do Sistema CREA / CONFEA; - Demais Normas pertinentes e as publicadas posteriormente à publicação destas especificações; 3.3. Antes da execução dos serviços e obras, a Contratada deverá: Providenciar junto ao CREA as Anotações de Responsabilidade Técnica - ART s referentes ao objeto do contrato e especialidades pertinentes, nos termos da Lei n. º 6496/77; Responsabilizar-se pelo fiel cumprimento de todas as disposições e acordos relativos à legislação social e trabalhista em vigor, particularmente no que se refere ao pessoal alocado nos serviços e obras objeto do contrato; Atender às normas e portarias sobre segurança e saúde no trabalho e providenciar os seguros exigidos em lei, na condição de única e responsável; 8

9 Apresentar manuais técnicos em português que comprovem as características requeridas dos sistemas envolvidos. 4. SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV IP 4.1. Solução de Câmeras O projeto contempla o fornecimento e instalação de 44 (quarenta e quatro) câmeras que integrarão aos demais sistemas relacionados nesse projeto As câmeras deverão ser posicionadas para visualizar do acesso e movimentação das áreas determinas de pessoas ao Prédio Compartilhado CFCH/CE/CCSA A infra-estrutura das câmeras deverá garantir o fácil reposicionamento das mesmas. As câmeras fixas deverão ser instaladas em posições que garantam o mínimo de áreas de sombra que impeçam a visualização da movimentação de pessoas nos ambientes As câmeras fixas deverão possuir caixa de proteção tipo antivandalismo As imagens deverão ser armazenadas no formato H262 com 30 (trinta) fotogramas por segundo. Sua visualização deverá ser efetuada no formato H264 a 30 (trinta) fotogramas por segundo As imagens gravadas deverão ser mantidas nos Storage de Gravação (on line) por um período mínimo de 30 (tinta) dias Cada uma das 44 (quarenta e quatro) câmeras deverá utilizar uma taxa de transmissão de dados, em H264 de, no máximo, 2,0 Mbps Software de Gerência e Gravação de Imagens O Software Servidor deverá ser instalado nos Servidores de Gerência e Gravação, enquanto que os Softwares Clientes deverão ser instalados nas Estações de Monitoramento O Software Servidor possibilita a utilização de módulos de básicos de monitoramento e gravação Os Softwares Clientes deverão permitir o acesso de qualquer um dos servidores instalados na rede de monitoração simultaneamente. 9

10 4.3. DESCRIÇÃO DO PROJETO O projeto prevê o fornecimento de solução e a prestação de serviço no Sistema integrado de CFTV IP, atendendo aos requisitos deste documento, bem como instalar, configurar, manter, operar e prestar serviços de garantia e assistência técnica nos recursos especificados Solução técnica das Câmeras As câmeras para monitoramento serão instaladas nas localidades relacionas nos item 4.8. deste Projeto Básico O projeto prevê a utilização de câmeras IP fixas, nos locais de entrada e saída de pessoas e bens, podendo estas câmeras serem manipuladas pelos monitores da Central de Monitoramento As câmeras deverão ser digitais com utilização do protocolo IP e deverão suportar o protocolo H264 que será distribuído através da rede IP. Uma vez na rede, o vídeo poderá ser visualizado numa Estação de Monitoramento ou gravado em um Servidor de Gerenciamento e Gravação de Imagens Solução de Transmissão A conectividade entre as câmeras e a Central de Monitoramento, será garantida por meio de enlaces de cabo UTP Cat5e e Fibra Óptica, conforme solução técnica Central de Monitoramento A Central de Monitoramento consiste em uma ambiente integrado projetado para garantir que todas as informações relevantes ao sistema de monitoração e comunicação áudio visual, desde a visualização das imagens em si até as informações de controle as ações de comando e operação, estejam centralizadas em nó informacional, o qual permite que as decisões sejam tomadas em tempo real, com base nos dados recebidos pelo sistema. Isso implica num ambiente adequado para abrigar toda a cadeia de decisões relacionadas com os eventos monitorados, ou seja, a Central de Monitoramento abrigará desde os 10

11 profissionais encarregados da monitoração propriamente dita, juntamente com suas estações de trabalho, até os profissionais responsáveis pela tomada de decisões, passando por toda a estrutura de comunicações necessária à coordenação das equipes da linha de frente A Central de Monitoramento será projetada para garantir que seu funcionamento ocorra em regime integral, contando com sistemas redundantes de energia, comunicações, refrigeração, backup de dados, servidores A Central de Monitoramento deverá proporcionar aos operadores, supervisores e gestores do sistema, o perfeito desempenho de suas tarefas, sem que seja afetada a função de monitoramento das câmeras e áudio visual devido a intervenções dos mesmos em suas estações A visualização das imagens capturadas pelas câmeras será efetuada pelos operadores, através das Estações de Monitoramento. Caso o operador identifique uma ocorrência, o mesmo deverá marcar a imagem por meio de apenas um click do mouse na imagem, desse modo a imagem da câmera selecionada passará automaticamente para o monitor de Equipamentos de Processamento e Armazenamento A Sala designada pelo Núcleo de Tecnologia e Informação (NTI) acomodará toda a solução de infra-estrutura de TI necessária a operação do sistema Todos os equipamentos deverão ser conectados a uma rede IP, com suporte aos seguintes protocolos de rede: UDP Multicast para permitir vídeo e áudio em broadcast através da rede. Isto economiza radicalmente a banda de rede utilizada TCP UDP Unicast A infra-estrutura de TI contará com diversos servidores que desempenharão as várias funções necessárias à captura e visualização das imagens, backup e gerenciamento de todo o sistema. São eles: (um) Servidor de Gerenciamento e Gravação de Imagens, responsáveis pela execução do Software de Gerência e Gravação; 11

12 Cada Storage de Gravação será configurado em RAID 5, com um disco em online spare por enclosure. Além disso, cada Storage de Gravação deverá prover uma LUN Logical Unit Number - distinto para cada Servidor de Gerência e Gravação de Imagens a ele conectado. Cada LUN será visível apenas ao servidor a ela destinado, evitando-se, assim a corrupção de dados de um servidor, caso haja falha do outro O sistema será constituído por 44 (quarenta e quatro) câmeras IP, 01 (um) Sistema de Gravação das Imagens, 01 Servidor de Gravação e Administração,02 Swtich 24 portas 10/100 e 01 Swtich 24 portas de fibra LOCAIS E TIPOS DE CÂMERAS 12

13 Andar Local de Instalação Foco Qtd Tipo de Equipamento Hall Lado Direito Movimentação de pessoas no Hall Principal 01 Câmera IP Dome Fixa Externa Hall Lado Esquerdo Movimentação de pessoas no Hall Principal 01 Câmera IP Dome Fixa Externa Movimentação de Hall Circulação Escada pessoas no Hall Principal Frente para acesso as escadas e 01 Câmera IP Dome Fixa Externa plataforma Térreo 1º Andar Entrada das Catracas Hall Principal Frente Saída das Catracas Hall Principal Frente Entrada das Catracas Hall Principal Fundos Saída das Catracas Hall Principal Fundos Corredor de Circulação Frente da Sala de Rede, Copa Corredor Lateral do Auditório Hall dos fundos do Auditório Entrada das Catracas dos Fundos Frente Saída das Catracas dos Fundos Lateral Esquerda do Auditório Lateral Direita do Prédio Hall Principal Hall Fundos Corredor de Circulação das Salas do Lado Esquerdo Corredor de Circulação das Salas e Laboratório do Lado Direito Movimentação de pessoas na entrada pelas Catracas Movimentação de pessoas na saída pelas Catracas Movimentação de pessoas na entrada pelas Catracas Movimentação de pessoas na saída pelas Catracas Movimentação de Pessoas no corredor de acesso as salas do Administrativo Movimentação de Pessoas no hall de acesso as salas de Rede, Copa e Auditório Movimentação de Pessoas no Corredor Lateral do Auditório Movimentação de Pessoas no Corredor dos Fundos do Auditório Movimentação de pessoas na entrada pelas Catracas Movimentação de pessoas na saída pelas Catracas Movimentação de Pessoas lateral Esquerda da área externa do Prédio Movimentação de Pessoas lateral Direita da área externa do Prédio Movimentação na entrada e saída da Plataforma e Escadas de acesso ao 1º Andar, pelo Hall Principal Movimentação na entrada e saída de pessoas pela escada de acesso ao 1º Andar Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de aula, lado esquerdo Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa Câmera IP Dome Fixa Externa 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 13

14 2º Andar 3º Andar Hall Principal Hall Fundos Corredor de Circulação das Salas do Lado Esquerdo Corredor de Circulação das Salas e Laboratório do Lado Direito Hall Principal Hall Fundos Corredor de Circulação das Salas do Lado Esquerdo Corredor de Circulação das Salas e Laboratório do Lado Direito aula e Laboratório, lado Direito Movimentação na entrada e saída da Plataforma e Escadas de acesso ao 1º Andar, pelo Hall Principal Movimentação na entrada e saída de pessoas pela escada de acesso ao 1º Andar Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de aula, lado esquerdo Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de aula e Laboratório, lado Direito Movimentação na entrada e saída da Plataforma e Escadas de acesso ao 1º Andar, pelo Hall Principal Movimentação na entrada e saída de pessoas pela escada de acesso ao 1º Andar Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de aula, lado esquerdo Movimentação de pessoas no corredor de circulação das salas de aula e Laboratório, lado Direito 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 02 Câmera IP Dome Fixa Interna 4.9. RELAÇÃO DOS MATERIAIS Na tabela 1, a seguir, tem-se a relação dos equipamentos/softwares a para a execução do projeto: Item 01 Tabela 1: Relação dos Equipamentos/Softwares Equipamentos CFTV Sistema de Gravação e Monitoramento (licença Base com 8 licença de câmera) Software de monitoramento e gravação para circuito fechado de TV baseado em redes TCP/IP com capacidade de controlar e visualizar imagens de câmeras IP ou analógicas conectadas por servidores de vídeo ou codificadores, bem como gravar as imagens para posterior pesquisa e recuperação seletiva. O software deverá possuir interface gráfica amigável baseada em Windows e exibição de tela, funções, cardápio, janelas de UN Qtde. Und 01 14

15 auxílio e manuais em língua portuguesa, conforme especificações técnicas no item Sistema de Gravação, Monitoramento (licença adicional) Software de monitoramento e gravação para circuito fechado de TV baseado em redes TCP/IP com capacidade de controlar e visualizar imagens de câmeras IP ou analógicas conectadas por servidores de vídeo ou codificadores, bem como gravar as imagens para posterior pesquisa e recuperação seletiva. O Und 40 software deverá possuir interface gráfica amigável baseada em Windows e exibição de tela, funções, cardápio, janelas de auxílio e manuais em língua portuguesa, conforme especificações técnicas no item Sistemas de análise de imagem (licença analítica) monitoramento, possibilitando a imediata ação dos operadores envolvidos. O software deve possuir solução Und 48 integrada com o software de monitoramento com no mínimo as funções conforme especificações no item Servidor de Gravação, conforme especificações técnicas no item Und 01 Computador para Estação de Trabalho e Monitoramento, conforme especificações técnicas no item Und Câmera IP dome tipo Fixa Interna conforme especificações técnicas no item Câmera IP dome tipo Fixa Externa conforme especificações técnicas no item No-Break 2400 Va, conforme especificações técnicas no item Monitor de LCD/LED 32, conforme especificação técnica no item Swtich PoE 24 portas 10/100, conforme especificação técnica no item Swtich 24 Portas Fibra, conforme especificação técnica no item Serviço de Engenharia Especializada, incluindo material para instalação Und 24 Und 20 Und Und 02 Und 01 Und Além dos equipamentos/softwares acima expostos, será necessário, para a execução do projeto, o fornecimento e instalação de todo a infra-estrutura explicitada em planta e comentada neste documento CARACTERISTICAS TÉCNICAS A seguir, serão apresentados os requisitos mínimos a serem considerados para cada um dos equipamentos/softwares do sistema deste projeto: 15

16 CÂMERA DOME FIXA INTERNA Especificação do hardware da câmera Deve possuir sensor de imagem em estado sólido do tipo CMOS ou CCD com varredura progressiva; Deve possuir lente varifocal DC de, no mínimo 2,8 a 10 mm com correção de IR; Deve possuir resolução mínima de 800x600 pixels; Deve possuir sensibilidade mínima igual ou inferior 0,9 lux em modo F1.7; Deve permitir os seguintes ajustes manuais: PAN 360º, TILT 160º e Rotação 300º; Especificação das funções de vídeo Deve implementar formato de compressão H.264 e M-JPEG Deve permitir a transmissão de pelo menos 2 streamings independentes de vídeo H.264 em máxima resolução (800x600) à máxima taxa de frames, 30 fps; Deve possibilitar compensação automática para tomada de imagem contra luz de fundo; Especificação das funções de rede Deve possuir largura de banda configurável de 64kbps a 2,0Mbps Deve possuir saída UTP para conexão em rede TCP/IP RJ BASE-TX conector RJ Deve possuir protocolos Internet: RTP, UDP, TCP, IP, HTTP, IGMP, SNMP, SMTP e DNS; Deve possuir os protocolos de segurança HTTPS, SSL/ TLS e IEEE802.1x; A câmera deve permitir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af sem uso de equipamentos adicionais; Deve possuir a possibilidade de atualização de software e firmware através de software do fabricante da câmera, com disponibilização das versões de firmware no web site do mesmo; Especificação da integração com outros sistemas Deve ser fornecida com capacidade instalada para a configuração de máscaras de privacidade; Deve ser fornecida com capacidade instalada para detectar movimentos; Deve ser fornecida com capacidade instalada para alarmar em caso de violação da câmera; Deve possuir capacidade de analise de vídeo embarcado; Deve possuir arquitetura aberta para integração com outros sistemas; Especificação geral da câmera Deve possuir caixa de proteção do tipo domo fumê ou transparente; 16

17 Deve possuir garantia do fabricante de pelo menos 1 ano comprovado por carta de fabricante e ou informação constante no site do fabricante; Deve possibilitar operação a temperatura entre 0º C ~ +50º C Deve possuir certificação: FCC e CE; Obs.: Não será aceito conversor IP externo. O mesmo deve ser parte integrante da câmera CÂMERA DOME FIXA EXTERNA Especificação do hardware da câmera Deve possuir sensor de imagem em estado sólido do tipo CMOS ou CCD com varredura progressiva; Deve possuir lente varifocal DC de, no mínimo 2,5 a 6 mm com correção de IR; Deve possuir resolução mínima de 800x600 pixels de resolução; Deve possuir sensibilidade mínima igual ou inferior 0,2 (dois décimos) lux em modo colorido e 0,08 (oito centésimos) lux em modo PB; Deve possuir lente auto-íris; Deve possuir o recurso de foco automático através de SW; Especificação das funções de vídeo Deve implementar formato de compressão H.264 e M-JPEG Deve permitir a transmissão de pelo menos 2 streamings independentes de vídeo em H.264 em máxima resolução (800x600) à máxima taxa de frames, 1~30 fps; Deve possibilitar compensação automática para tomada de imagem contra luz de fundo; Deve possuir Wide Dynamic Range; Especificação das funções de rede Deve possuir largura de banda configurável de 64kbps a 2,0Mbps Deve possuir saída UTP para conexão em rede TCP/IP RJ BASE-TX conector RJ-45; Deve possuir protocolos Internet: RTP, UDP, TCP, IP, HTTP, IGMP, SNMP, SMTP e DNS; Deve possuir os protocolos de segurança HTTPS, SSL e IEEE802.1x; A câmera deve permitir alimentação PoE conforme padrão IEEE 802.3af sem uso de equipamentos adicionais; Deve possuir a possibilidade de atualização de software e firmware através de software do fabricante da câmera, com disponibilização das versões de firmware no web site do mesmo; Especificação da integração com outros sistemas 17

18 Deve ser fornecida com capacidade instalada para a configuração de máscaras de privacidade; Deve ser fornecida com capacidade instalada para detectar movimentos; Deve ser fornecida com capacidade instalada para alarmar em caso de violação da câmera; Deve possuir capacidade de analise de vídeo embarcado; Deve possuir arquitetura aberta para integração com outros sistemas; Deve possuir capacidade de armazenamento local através de SD card, compact Flash ou USB memory card. A mesma deve vir acompanhada com o dispositivo de pelo menos 8Gb; Deve ser fornecida com capacidade instalada para conectar-se a sistema amplificador de áudio permitindo a comunicação bidirecional; A câmera deve possuir entrada (mic) e saída (line out) de áudio de 3,5 mm; Deve ser fornecida com capacidade instalada para transportar áudio; Deve possuir, no mínimo, 1 entrada e 1 saída de alarme; Especificação geral da câmera Deve possuir caixa de proteção do tipo domo fumê ou transparente; Deve conter domo de proteção que deve proteger totalmente a câmera da chuva, poeira, umidade e altas temperaturas; (com grau de proteção IP66 ). A caixa de proteção, bem como seus acessórios, deverão ser do mesmo fabricante da câmera garantindo a qualidade da solução; Deve possuir caixa de proteção com ventilação interna para controle de condensação; Deve possuir suporte para fixação em postes do mesmo fabricante da caixa de proteção; Deve possuir menus de programação em Português; Deve possuir garantia do fabricante de pelo menos 3 anos comprovado por carta de fabricante e ou informação constante no site do fabricante; Deve possibilitar operação a temperatura entre 0º C ~ +50º C; Deve possuir certificação: FCC e CE; Obs.: Não será aceito conversor IP externo. O mesmo deve ser parte integrante da câmera No-Break Para controlar a alimentação das câmeras, evitando a perda da informação e a fragilidade do sistema em caso de falta de energia serão utilizados equipamentos No-Break; 18

19 O no-break deverá ser do tipo chaveado e estabilizado. A potência nominal do no-break deverá ser de, pelo menos, 2400VA; Internamente, deverá possuir circuito de proteção para desarmar a fonte em caso de curto-circuito na saída; A bateria deverá garantir uma autonomia de, no mínimo, 30 minutos ao sistema; O No-Break deverá permitir a recarga das baterias mesmo com níveis muito baixos de carga; Deverá ainda possuir sistema de sinalização das condições de funcionamento através do led com duas cores e alarmes sonoros; Deverá ter proteções contra surto de tensão entre fase e neutro e contra descarga total das baterias; Deverá possuir proteção no inversor de tensão entre fase e neutro; Deverá ainda possuir estabilizador interno com, pelo menos, 4 estágios de regulação; Deverá ser microprocessado com tecnologia RISC de alta velocidade com memória FLASH; O no-break deverá ter função TRUE RMS, auto-teste e recarregador das baterias; Deverá ainda possuir gerenciador de bateria; Deverá permitir ser ligado na ausência de rede elétrica; Deverá possuir led bicolor no painel frontal, Chave liga/ Desliga embutida, porta fusível externo, Bivolt Entrada V ou 220V e saída 115V Software de Gestão das Câmeras O software de gerenciamento e gravação a ser utilizado deverá ser o Digifort Enterprise versão ou superior compatível. A justificativa para utilização do modelo especificado acima pode ser vista em documentação anexa A empresa vencedora deverá fornecer 01 (uma) licença base e 72 (setenta e duas) licenças Adicionais do software de gerenciamento e gravação Digifort Enterprise versão 6.4.0; A empresa vencedora deverá fornecer para todas as 72 (setenta e duas) licenças que atenda as especificações técnicas e dos recursos abaixo: Sistemas de análise de imagem Os softwares de análise de imagem devem ser inteligentes ao ponto de reconhecerem a violação de regras criadas no sistema de análise de imagem e gerar informações/alarmes para o sistema de monitoramento, possibilitando a imediata ação dos operadores envolvidos. O 19

20 software deve possuir solução integrada com o software de monitoramento com no mínimo as seguintes funções: Detecção de movimento de objetos no campo de visão. Suportar detecção de direção em todos os sentidos; Detecção da presença de novo objeto fixo em uma cena; Detecção de remoção de um objeto estático de uma cena; Detecção de limite de velocidade para veículos; Detecção de veículos ou pessoas parados em lugar proibido; Detecção de objeto atravessando uma linha virtual traçada em uma cena; Detecção de movimento de objeto na direção diferente da configurada em uma cena; Detecção de permanência (por tempo) de um objeto ou pessoas a partir da configuração de um tempo mínimo pré-estabelecido em uma cena; Contagem de objetos, pessoas, carros que entrem em uma zona ou cena pré-estabelecida; Contagem de veículos por faixa de rolamento; Detecção de rostos de pessoas em uma determinada área; Possibilitar criar barreiras virtuais em todos os sentidos; Possibilitar criar cercas virtuais; Possuir filtros para pessoas, objetos, bicicletas, animais, barcos, aviões, etc.; Possibilitar cancelar a trepidação da câmera quando esta estiver instalada em automóveis ou locais onde o tráfego provoque a ação; Detecção de obstrução da visão da câmera ( vandalismos, cobertura da câmera); Detecção de obstrução da visão da câmera, por distorção do foco da mesma ou quando a mesma é modificada da cena pré-configurada originalmente; Emitir alarmes com PUP-Ups na tela de monitoramento e sonoros para todos os casos acima quando o fato ocorrer; 20

21 Permitir criar diversos tipos de relatórios, combinados ou não com os diversos eventos aqui solicitados, imprimi-los e gerar diversos tipos de gráficos As regras a serem aplicadas serão selecionadas por câmera, onde cada uma poderá utilizar um conjunto de regras e realizar a analise de conteúdo do vídeo em tempo real; Todos os analíticos aqui solicitados devem estar em uma única licença, e esta licença deverá ser fornecida por câmera, permitindo assim que o usuário possa escolher, na câmera desejada, quantos e quais os analíticos que deseja processar ao mesmo tempo Software Cliente de Monitoramento das Câmeras O software cliente de monitoramento das câmeras seta instalado no Computador para estação da central de monitoramento, sendo 01 (uma) na Recepção Nova do CFCH e 02 (duas) na Central de Monitoramento deverá atender as seguintes especificações: Ser compatível com o Software de Gestão das Câmeras especificado no item anterior; Permitir acesso remoto ao Software de Gestão das Câmeras para a visualização de imagens em tempo real e gravações; Permitir realizar as configurações e controles de câmeras especificados para o software de gestão Servidor de Gravação O computador servidor será o responsável por executar o Software de Gestão das Câmeras O computador deverá possuir 02 (dois) processadores com 04 (quatro) núcleos por processador com suporte a virtualização, cache L3 de 8MB, freqüência mínima 2,4GHz; O computador deverá possuir 12GB de memória Ram; O computador deverá possuir unidade de disco rígido ótico DVD-ROM; O computador deverá possuir 08 (oito) baias padrão hot-pluggable para unidades de disco rígido; O computador deverá possuir controladora de periféricos SAS com suporte de RAID (níveis 0, 1,5); O computador deverá possuir 03 (três) unidades de disco rígido hot-pluggable SAS 146GB 15000rpm; 21

22 O computador deverá possuir 02 (duas) fontes de alimentação hot-pluggable (redundantes); (duas) placas de rede 10/100/1000 com duas interfaces cada; O computador deverá possuir gabinete para rack 19", equipado de todos os trilhos para instalação no rack, altura de no máximo 2U; O computador deverá possuir recursos de gerenciamento remoto; O computador deverá possuir garantia mínima de 03 (três) anos; O computador deverá possuir acabamento em pintura epoxi, com painel de plástico ou acrílico de alta resistência; O computador deverá possuir abertura de gabinete, remoção de placas e unidades de discos sem necessidade de ferramentas (tool-less); O computador deverá possuir sistema de refrigeração adequada ao processador, fonte e demais componentes internos ao gabinete dotado de no mínimo 6 (seis) ventiladores de velocidade variável, tipo fixo ou hot-plug ou hot-swap, mínimo de 3 (três) baias padrão hot-plug ou hot-swap com as gavetas disponíveis/inclusas no equipamento para futura expansão de discos; O computador deverá possuir fonte, mínimo de 2 (duas) fontes de alimentação padrão hot-pluggable com potência mínima de 460W/cada; - substituição de fonte sem a necessidade de desligar o servidor (hot-pluggable), alimentação 110/220, comutação automática ou manual; O computador deverá possuir sistema 02 (dois) processadores com quatro núcleos, frequência mínima 2,4Ghz, memória cache L3 8MB; O computador deverá possuir mínimo de 12GB de memória padrão DDR SDRAM PC ou superior instalado, expansível a no mínimo 192GB, operando a 1333Mhz; O computador deverá possuir capacidade de correção automática de erros ECC Avançado; O computador deverá suportar configuração de banco de memória on-line spare; O computador deverá suportar configuração de banco de memória espelhado (mirroring); 22

23 O computador deverá possuir 01 (uma) unidade disco óptico DVD-ROM do mesmo fabricante do servidor; O computador deverá possuir no mínimo de 04 (quatro) unidades de disco rígido, cada um deve possuir as características: Padrão hot-plug ou hot-swap que permita sua adição, remoção ou substituição sem necessidade de desligar o servidor; Padrão interface compatível com a controladora de periféricos; Rotação mínima de RPM; Capacidade mínima de 500GB - controladora SAS, com as características: Tipo PCI-Express integrada na placa-mãe ou em slot; Padrão SAS (146 MB/s); Mínimo de 8(oito) canais/portas SAS; Suportar implementação de RAID (níveis 0, 1,1+0,5,5+0); Memória cache mínimo de 256MB por bateria; O computador deverá possuir controladora de vídeo padrão SVGA com as características: Tipo PCI integrada na placa-mãe ou em slot; Memória de vídeo mínimo de 32MB; O computador deverá possuir 04 (quatro) interfaces de rede padrão ethernet 10baseT/100baseTX/1000baseT, com as características: Tipo PCI-Express integrada na placa-mãe ou em slot; Atender a norma IEEE e 802.3u; Velocidade de comunicação de 10/100/1000Mbits/s comutada automaticamente com equipamento 23

24 concentrador (e.g. switch). após a negociação e utilizada a maior velocidade aceita pelo equipamento concentrador; Comunicação full-duplex a 10, 100 e 1000 Mbits/s; Indicador luminoso de atividade de rede (link) f) possuir recurso WOL (wake-on-lan) g) conector rj-45 fêmea; O computador deverá ter capacidade de realizar diagnóstico preventivo de falhas com indicação através de luzes indicadoras pelos seus subsistemas ou consolidado em painel frontal indicativo, com no mínimo para as seguintes atividades e subsistemas monitorados: Subsistema de processadores; Subsistema de memória RAM; Subsistema de unidades de disco; Subsistema de fonte de alimentação; Subsistema de alimentação de processadores; Subsistema de refrigeração; Monitoramento de temperatura interna Gerenciamento; O computador deverá possuir garantia total oferecida pela própria fabricante com atendimento no próximo dia útil por um período mínimo de 03 (três) anos O computador deverá possuir possuir as seguintes certificações: FCC, IEC e CE Homologação no Windows Server Catalog da Microsoft Corporation e homologação no SUSE Hardware Certification da SUSE Corporation/Novell para a máquina É obrigatório apresentar fotocópia das certificações e homologações exigidas Prazo máximo para entrega dos equipamentos será de 30 dias. 24

25 Computador para Estação de Trabalho e Monitoramento O computador de monitoramento será o responsável por executar o Software Cliente e, a partir dele, repassar para os monitores LCD as imagens das câmeras; O gabinete deverá ser do tipo torre com 4 baias, suportando CD e DVD. Deverá possuir botão liga/desliga com proteção e utilizar ventiladores redundantes já instalados; Deverá ser utilizada uma fonte de alimentação com potência mínima de 500W, capaz de suportar a configuração máxima do equipamento e possuir chave seletora 110/220V; A placa mãe deverá possuir um processador com socket T com, no mínimo, 1GHz e um barramento frontal de, no mínimo, 533MHz; O computador deverá possuir, pelo menos quatro USB e uma Ethernet (RJ-45); O computador deverá possuir, no mínimo, 4GByte de memória RAM DDR com possibilidade de expansão para até 8GByte; O disco rígido a ser utilizado na máquina deverá possuir, no mínimo, 500GByte, com velocidade de, no mínimo, 7200rpm; A placa de vídeo deverá ser PCI-E, possuir, no mínimo, 1GByte de memória e duas saídas de monitor. O software da placa deverá possibilitar que a imagem de um monitor seja complementar à do outro; A placa de rede deverá ser compatível com os padrões de mercado Gigabit Ethernet 10/100/1000; O computador deverá possuir drive gravador de DVD (DVD±RW) e CD (CD-RW) com suporte a camada dupla e velocidade de gravação de DVD de, no mínimo, 4X; O teclado deverá seguir o padrão ABNT-2 (português brasileiro), possuir, no mínimo, 108 teclas co leds indicativos para as teclas Num Lock, Caps Lock e Scroll Lock. O conector deverá ser do tipo USB. O teclado deverá ainda seguir a conformidade ergonômica das ANSI HFS 100, ISSO e TUVGS; O mouse deverá ser do mesmo fabricante do teclado, com dois botões padrão em um terceiro botão com rolagem (Scroll). O conector deverá ser do tipo USB. O mouse deverá ainda seguir conformidade ao UL, CSA, FCC, CE Monitor de LCD O monitor de LCD será utilizado para a visualização das imagens na Recepção Nova do CFCH e na Central de Monitoramento; O monitor deverá ser do tipo Plug&Play, de acordo com o padrão 32, medido diagonalmente, com 16,7 milhões de cores e com resolução de 1024x768 pontos; Deverá possuir controle automático de tensão 110/220V, 60Hz; 25

26 Deverá possuir conector padrão de 15 Pinos ou DVI-I (Digital) Switch 24 Portas 10/ A solução deve ser composta de um único equipamento, montável em rack 19 devendo este vir acompanhado dos devidos acessórios para tal; Possuir fonte de alimentação interna que trabalhe em 100V- 240V, 50/60 Hz, com detecção automática de tensão e freqüência; Suportar fonte de alimentação redundante externa, montável em rack, com altura máxima de 1U, com potência igual ou superior a fonte interna do equipamento; Consumo máximo de 470W com carga em todas portas PoE e 55W sem PoE; Possuir, no mínimo, 8.8 Gbps de Switch Fabric; Possuir capacidade de encaminhamentos de pacotes, de no mínimo 6.5 Mpps utilizando pacotes de 64 bytes; Detecção automática MDI/MDIX em todas as portas; Possuir porta de console com conector RJ-45 ou DB9 macho; Possuir LEDs indicativos de funcionamento da fonte de alimentação, ventiladores, link e atividade das portas; Possuir 24 portas 10/100BASE-T PoE ativas simultaneamente, com conector RJ-45; Possuir 2 (duas) interfaces Gigabit Ethernet UTP 1000Base-T com conector RJ-45; Possuir 2 (duas) interfaces Gigabit Ethernet baseadas em mini- GBIC (SFP), devendo um mesmo mini-gbic-slot suportar interfaces 1000Base-SX, 1000Base-LX, 1000BASE-ZX, 1000BASE-LX100, 1000BASE-BX e 100BASE-FX, não sendo permitida a utilização de conversores externos. Deve ser entregue com XX interfaces padrão 1000Base-XX. Os mini- GBICs deverão ser do mesmo fabricante do switch; Implementar, no mínimo, 2 (duas) das interfaces Gigabit funcionando simultaneamente no equipamento, independente da configuração e/ou combinação; Possuir, além das portas acima citadas, uma porta adicional 10/100 com conector RJ-45 para gerência out-of-band do equipamento; A Memória Flash instalada deve ser suficiente para comportar no mínimo duas imagens do Sistema Operacional simultaneamente, permitindo que seja feito um upgrade de Software e a imagem anterior seja mantida; Todas as interfaces ofertadas devem ser non-blocking; Possuir altura máxima de 1U (1,75"); Deve armazenar, no mínimo, (oito mil) endereços MAC. 26

27 Implementar interfaces Ethernet (IEEE 802.3, 10BASE-T), Fast Ethernet (IEEE 802.3u, 100BASE-TX), Gigabit Ethernet (IEEE 802.3z, 1000BASE-X e IEEE 802.3ab, 1000BASE-T); Implementar agregação de links conforme padrão IEEE 802.3ad com, no mínimo, 13 grupos, sendo 8 links agregados por grupo; Implementar 1000 regras de ACL; Possuir homologação da ANATEL, de acordo com a Resolução número 242; Implementar agregação de links conforme padrão IEEE 802.3ad com suporte a LACP; Implementar jumbo frames em todas as portas ofertadas, com suporte a pacotes de até 9216 Bytes; Implementar Proxy-ARP (RFC 1027); Implementar IGMP v1, v2 e v3 Snooping; Implementar MVR (Multicast VLAN Registration); Implementar DHCP/Bootp relay; Implementar DHCP Option 82, de acordo com a RFC 3046, com identificação de porta e VLAN; Implementar servidor DHCP interno que permita a configuração de um intervalo de endereços IP a serem atribuídos os clientes DHCP e possibilite ainda a atribuição de, no mínimo, defaultgateway, servidor DNS e servidor WINS; Implementar Spanning-Tree (IEEE 802.1d), Rapid Spanning Tree (IEEE 802.1w), Multiple Instance STP (802.1s) e PVST+; Implementar a configuração de Multiple Spanning Tree Protocol, com suporte a, pelo menos, 64 domínios Implementar funcionalidade vinculada ao Spanning-tree onde é possível designar portas de acesso (por exemplo onde estações estão conectadas) que não sofram o processo de Listening- Learning, passando direto para o estado de Forwarding. No entanto, as portas configuradas com esta funcionalidade devem detectar loops na rede normalmente Implementar 4094 VLANs por porta, ativas simultaneamentes, através do protocolo 802.1Q Implementar VLANs por porta, protocolo e MAC Implementar IEEE 802.1v: VLAN classification by Protocol and Port Implementar VLAN Translation Implementar Private VLANs Implementar IEEE 802.1ad Implementar IEEE 802.1ag L2 ping e traceroute, CFM (Connectivity Fault Management) Implementar funcionalidade baseada na recomendação do ITU Y.1731 (ou similar) que permita medir o atraso (two-way delay) e a variância (jitter) entre dois pontos quaisquer da rede Implementar EAPS (RFC 3619) ou protocolo similar de resiliência em camada 2, específico para topologias em anel, que permita tempo de convergência inferior a 200 ms. Esta 27

28 funcionalidade deve ser suportada em, no mínimo, duas portas, com suporte a 4 domínios Implementar IEEE 802.1ab Link Layer Discovery Protocol (LLDP) Implementar LLDP-MED (Media Endpoint Discovery), segundo ANSI/TIA-1057, Draft Deve implementar Dual Stack, ou seja IPV6 e IPv4, com suporte as seguintes funcionalidades/rfcs : RFC 1981, Path MTU Discovery for IPv6, August Host Requirements RFC 2460, Internet Protocol, Version 6 (IPv6) Specification RFC 2461, Neighbor Discovery for IP Version 6, (IPv6) RFC 2462, IPv6 Stateless Address Auto configuration - Host Requirements RFC 2463, Internet Control Message Protocol (ICMPv6) for the Ipv6 Specification RFC 2464, Transmission of IPv6 Packets over Ethernet Networks RFC 2465, IPv6 MIB, General Group and Textual Conventions RFC 2466, MIB for ICMPv RFC 3513, Internet Protocol Version 6 (IPv6) Addressing Architecture RFC 3587, Global Unicast Address Format Ping over IPv6 transport Traceroute over IPv6 transport Telnet over IPv6 transport SSH-2 over IPv6 transport Implementar upload e download de configuração em formato ASCII ou XML, permitindo a edição do arquivo de configuração e, posteriormente, o download do arquivo editado para o equipamento Implementar TACACS+ segundo a RFC Implementar autenticação RADIUS com suporte a: RFC 2138 RADIUS Authentication RFC 2139 RADIUS Accounting RFC 3579 RADIUS EAP support for 802.1X A implementação de RADIUS e TACACS+ deve estar disponível para autenticação de usuários via Telnet e Console serial Implementar RADIUS e TACACS+ per-command authentication Possuir DNS Client segundo a RFC Posuir Telnet client and server segundo a RFC Implementar os seguintes grupos de RMON através da RFC1757: History, Statistics, Alarms e Events. 28

29 Deve implementar RMON2-probe configuration segundo a RFC 2021, podendo ser implementada internamente no switch ou externamente, por meio de probe em hardware utilizando uma porta 1000BaseTX Implementar sflow V5 ou Netflow V5, em hardware Implementar a atualização de imagens de software e configuração através de um servidor TFTP Suportar múltiplos servidores Syslog Implementar ajuste de clock do equipamento utilizando NTP e/ou SNTP Implementar Port Mirroring, permitindo espelhar até 16 portas ou VLANs para até 16 portas de destino (portas de análise) Implementar RSPAN (Remote Mirroring), permitindo espelhar o tráfego de uma porta ou VLAN de um switch remoto para uma porta de um switch local (porta de análise) Implementar gerenciamento através de SNMPv1 (RFC 1157), v2c (RFCs 1901 a 1908) e v3 (RFCs 3410 a 3415) Implementar SMON de acordo com a RFC Implementar cliente e servidor SSHv Implementar cliente e servidor SCP e servidor SFTP Implementar gerenciamento via web com suporte a HTTPS/SSL, permitindo visualização gráfica da utilização das portas O sistema operacional deve possuir comandos para visualização e monitoração de cada processo, sendo possível verificar por processo qual o consumo de cpu, process-id e qual o consumo de memória por processo Implementar protocolo de monitoramento de status de comunicação entre dois switches, que possibilite que uma porta seja desabilitada caso seja detectada uma falha de comunicação entre os dois peers Implementar Rate limiting de entrada em todas as portas. A granularidade deve ser configurável em intervalos de 64kbps para portas de até 1Gbps. Caso o equipamento ofertado possua suporte a portas 10Gbps, a granularidade para este tipo de interface deve ser configurável em intervalos de 1Mbps. A implementação de Rate Limiting deve permitir a classificação do tráfego utilizando-se ACLs e parâmetros, MAC origem e destino (simultaneamente) IP origem e destino (simultaneamente), portas TCP e portas UDP Implementar Rate Shaping de saída em todas as portas. A granularidade deve ser configurável em intervalos de 64kbps para portas de até 1Gbps. Caso o equipamento ofertado possua suporte a portas 10Gbps, a granularidade para este tipo de interface deve ser configurável em intervalos de 1Mbps A funcionalidade de Rate Shaping deve permitir a configuração de CIR (Commited Rate), banda máxima, banda mínima e peak rate. 29

30 Implementar a leitura, classificação e remarcação de QoS (802.1p e DSCP) Implementar remarcação de prioridade de pacotes Layer 3, remarcando o campo DiffServ para grupos de tráfego classificados segundo portas TCP e UDP, endereço/subrede IP, VLAN e MAC origem e destino Implementar 8 filas de prioridade em hardware por porta Implementar as seguintes RFCs: RFC 2474 DiffServ Precedence RFC 2598 DiffServ Expedited Forwarding (EF) RFC 2597 DiffServ Assured Forwarding (AF) Implementar classificação de tráfego para QoS em Layer1-4 (Policy-Based Mapping) baseado em MAC origem e destino, IP origem e destino, TCP/UDP port, Diffserv, 802.1p Implementar funcionalidade que permita que somente endereços designados por um servidor DHCP tenham acesso à rede Implementar funcionalidade que permita que somente servidores DHCP autorizados atribuam configuração IP aos clientes DHCP (Trusted DHCP Server) Implementar detecção e proteção contra ataques Denial of Service (DoS) direcionados a CPU do equipamento por meio da criação dinâmica e automática de regras para o bloqueio do tráfego suspeito Implementar proteção e robustez contra os seguintes ataques conhecidos e catalogados pela CERT: CA : SQL Slammer CA : SSHredder CA : SNMP vulnerabilities CA-98-13: tcp-denial-of-service CA-98.01: smurf CA-97.28:Teardrop_Land -Teardrop and LAND attack CA-96.26: ping CA-96.21: tcp_syn_flooding CA-95.01: IP_Spoofing_Attacks_and_Hijacked_Terminal_Connections Implementar limitação de número de endereços MAC aprendidos por uma porta, para uma determinada VLAN Implementar travamento de endereços MAC, permitindo a adição estática de endereços para uma determinada porta ou utilizando os endereços existentes na tabela MAC. O acesso de qualquer outro endereço que não esteja previamente autorizado deve ser negado, permitindo o envio de alerta para um servidor syslog Implementar login de rede baseado no protocolo IEEE 802.1x, permitindo que a porta do Switch seja associada a VLAN definida para o usuário no Servidor RADIUS A implementação do IEEE 802.1x deve incluir suporte a Guest VLAN, encaminhando o usuário para esta VLAN caso este não 30

31 possua suplicante 802.1x ativo, em caso de falha de autenticação e no caso de indisponibilidade do servidor AAA Implementar múltiplos suplicantes por porta, onde cada dispositivo deve ser autenticado de forma independente, podendo ser encaminhados à VLANs distintas. As múltiplas autenticações devem ser realizadas através de IEEE 802.1x Implementar autenticação baseada em web, com suporte a SSL, através de RADIUS ou através da base local do switch Implementar autenticação baseada em endereço MAC, através de RADIUS ou através da base local do switch Implementar ACLs de entrada (ingress ACLs) em hardware, baseadas em critérios das camadas 2 (MAC origem e destino), 3 (IP origem e destino) e 4 (portas TCP e UDP), em todas as interfaces e VLANs, com suporte a endereços IPv6. Deverá ser possível aplicar ACLs para tráfego interno de uma determinada VLAN As ACLs devem ser configuradas para permitir, negar, aplicar QoS, espelhar o tráfego para uma porta de análise, criar entrada de log e incrementar contador Suportar integração com ferramenta de controle de admissão do mesmo fabricante que possibilite verificar, no mínimo, a presença e o estado (em execução e atualizado) de software antivírus, a presença de service packs e hotfixes de sistema operacional e a presença de software não autorizado, colocando em uma VLAN de quarentena os clientes que não estejam em conformidade com a política de segurança Implementar Policy Based Switching, ou seja, possibilitar que o tráfego classificado por uma ACL seja redirecionado para uma porta física específica Swtich 24 Portas Fibra A solução deve ser composta de equipamento, montável em rack 19 devendo este vir acompanhado dos devidos acessórios para tal Possuir fonte de alimentação interna que trabalhe em 100V- 240V, 50/60 Hz, com detecção automática de tensão e freqüência Suportar fonte de alimentação redundante externa, montável em rack, com altura máxima de 1U, com potência igual ou superior a fonte interna do equipamento Possuir, no mínimo, 128 Gbps de Switch Fabric Possuir capacidade de encaminhamentos de pacotes, de no mínimo 95 Mpps utilizando pacotes de 64 bytes Possuir porta de console com conector RJ-45 ou DB9 macho Possuir leds indicativos de funcionamento da fonte de alimententação, ventiladores, link e atividade das portas. 31

32 Possuir 24 (vinte e quatro) portas 1000 BASE-X interfaces Gigabit Ethernet baseadas mini-gbic, devendo um mesmo mini-gbic-slot suportar interfaces 1000Base-SX, 1000Base- LX e 1000BASE-ZX não sendo permitida a utilização de conversores externos. Os mini-gbics deverão ser do mesmo fabricante do switch Possuir 4 (quarto) portas 10/100/1000BASE-T (compartilhadas PHY com 4 portas 1000BASE-X) Suportar a instalação de 2 portas 10 Gigabit Ethernet, devendo todas as portas dos itens anteriores e estas portas 10- Giga funcionarem simultaneamente O equipamento deve possuir além das portas acima citadas uma porta adicional 10/100 com conector RJ-45 para gerência out-of-band do equipamento Permitir empilhamento de até oito equipamentos e gerência atráves de um único endereço IP O equipamento deve possuir portas específicas para empilhamento com velocidade de pelo menos 20Gbps cada (ou 10Gbps Full Duplex), totalizando 40 Gbps (ou 20 Gbps fullduplex) Deve ser fornecido um cabo de empilhamento de no mínimo, 50 cm, por equipamento O empilhamento deve possuir arquitetura de anel para prover resiliência O empilhamento deve ter capacidade de path fast recover, ou seja, com a falha de um dos elementos da pilha os fluxos devem ser reestabelecidos no tempo máximo de 1s Possuir indicação visual no painel frontal do equipamento que permita identificar a posição lógica do equipamento da pilha O empilhamento deve permitir a criação de grupos de links agregados entre diferentes membros da pilha, segundo 802.3ad O empilhamento deve suportar espelhamento de tráfego entre diferentes unidades da pilha Deve ser possível mesclar em uma mesma pilha equipamentos com que possuam portas de acesso 10/100 e equipamentos que implementem PoE A Memória Flash instalada deve ser suficiente para comportar no mínimo duas imagens do Sistema Operacional simultaneamente, permitindo que seja feito um upgrade de Software e a imagem anterior seja mantida Todas as interfaces ofertadas devem ser non-blocking Possuir altura máxima de 1U (1,75") Deve armazenar, no mínimo, (dezesseis mil) endereços MAC Implementar interfaces Ethernet (IEEE 802.3, 10BASE- T), Fast Ethernet (IEEE 802.3u, 100BASE-TX), Gigabit 32

33 Ethernet (IEEE 802.3z, 1000BASE-X e IEEE 802.3ab, 1000BASE-T) Implementar agregação de links conforme padrão IEEE 802.3ad com, no mínimo, 128 grupos, sendo 8 links agregados por grupo Implementar 2000 regras de ACL Possuir homologação da ANATEL, de acordo com a Resolução número Possuir as certificações MEF-9 e MEF-14, devidamente comprovadas pelo Metro Ethernet Forum através do sítio: Implementar agregação de links conforme padrão IEEE 802.3ad com suporte a LACP Implementar jumbo frames em todas as portas ofertadas, com suporte a pacotes de até 9216 Bytes Implementar Proxy-ARP (RFC 1027) Implementar IGMPv1 (RFC 1112), IGMP v2 (RFC 2236), IGMPv3 (RFC 3376) e IGMP v1, v2 e v3 Snooping Implementar MVR (Multicast VLAN Registration) Implementar DHCP/Bootp relay Implementar DHCP Option 82, de acordo com a RFC 3046, com identificação de porta e VLAN Implementar servidor DHCP interno que permita a configuração de um intervalo de endereços IP a serem atribuídos os clientes DHCP e possibilite ainda a atribuição de, no mínimo, default-gateway, servidor DNS e servidor WINS Implementar Spanning-Tree (IEEE 802.1d), Rapid Spanning Tree (IEEE 802.1w), Multiple Instance STP (802.1s) e PVST Implementar a configuração de Multiple Spanning Tree Protocol, com suporte a, pelo menos, 64 domínios Implementar funcionalidade vinculada ao Spanning-tree onde é possível designar portas de acesso (por exemplo onde estações estão conectadas) que não sofram o processo de Listening-Learning, passando direto para o estado de Forwarding. No entanto, as portas configuradas com esta funcionalidade devem detectar loops na rede normalmente Implementar 4094 VLANs por porta, ativas simultaneamentes, através do protocolo 802.1Q Implementar VLANs por porta, protocolo e MAC Implementar IEEE 802.1v: VLAN classification by Protocol and Port Implementar VLAN Translation Implementar Private VLANs Implementar IEEE 802.1ad Implementar IEEE 802.1ag L2 ping e traceroute, CFM (Connectivity Fault Management) 33

34 Implementar EAPS (RFC 3619) full ou protocolo similar de resiliência em camada 2, específico para topologias em anel, que permita tempo de convergência inferior a 200 ms Implementar IEEE 802.1ab Link Layer Discovery Protocol (LLDP) Implementar LLDP-MED (Media Endpoint Discovery), segundo ANSI/TIA-1057, Draft Implementar roteamento estático com suporte a, no mínimo, 1000 rotas Implementar, no mínimo, 512 interfaces IP (v4 ou v6) Implementar os protocolos de roteamento IP: RFC 1058 RIP v1 e RFC 2453 RIP v Implementar OSPF full, incluindo autenticação MD "A implementação de OSPF deve estar de acordo com as seguintes RFCs: RFC 2328 OSPF Version RFC 1587 The OSPF NSSA Option, RFC 1765 OSPF Database Overflow RFC 2370 The OSPF Opaque LSA Option RFC 3623 Graceful OSPF Restart" A implementação de OSPF e rotas estáticas deve incluir ECMP (Equal Cost Multi Path) Implementar PIM-SM full (RFC 2362) Implementar PIM-DM (Dense Mode V2-dm-03) Implementar PIM-SSM segundo RFC 3569, draft-ietfssm-arch-06.txt Implementar MSDP (Multicast Source Discovery Protocol), de acordo com a RFC Implementar VRRP (RFC 2338) Deve implementar BGP v4 de acordo com as seguintes RFCs: " RFC 1771 Border Gateway Protocol RFC 1965 Autonomous System Confederations for BGP RFC 2796 BGP Route Reflection (supersedes RFC 1966) RFC 1997 BGP Communities Attribute RFC 1745 BGP4/IDRP for IP OSPF Interaction RFC 2385 TCP MD5 Authentication for BGPv RFC 2439 BGP Route Flap Damping RFC 2842 Capabilities Advertisement with BGP RFC 2918 Route Refresh Capability for BGP-4 " A implementação de BGP deve permitir, no mínimo, 128 peers e rotas "Deve implementar Dual Stack, ou seja IPV6 e IPv4, com suporte as seguintes funcionalidades/rfcs: RFC 1981, Path MTU Discovery for IPv6, August Host Requirements 34

35 RFC 2460, Internet Protocol, Version 6 (IPv6) Specification RFC 2461, Neighbor Discovery for IP Version 6, (IPv6) RFC 2462, IPv6 Stateless Address Auto configuration - Host Requirements RFC 2463, Internet Control Message Protocol (ICMPv6) for the Ipv6 Specification RFC 2464, Transmission of IPv6 Packets over Ethernet Networks RFC 2465, IPv6 MIB, General Group and Textual Conventions RFC 2466, MIB for ICMPv RFC 3513, Internet Protocol Version 6 (IPv6) Addressing Architecture RFC 3587, Global Unicast Address Format Ping over IPv6 transport Traceroute over IPv6 transport Telnet over IPv6 transport SSH-2 over IPv6 transport" "Deve implementar IPv6 de acordo com as seguintes RFCs: Static Unicast routes for IPv RFC 1981, Path MTU Discovery for IPv6, August Router Requirements RFC 2462, IPv6 Stateless Address Auto configuration - Router Requirements RFC 2080, RIPng RFC 2893, Configured Tunnels RFC 2462, IPv6 Stateless Addrss Auto configuration - Router Requirements RFC 2710, IPv6 Multicast Listener Discovery v1 (MLDv1) Protocol RFC 3056, 6-to RFC 3810, IPv6 Multicast Listener Discovery v2 (MLDv2) Protocol ECMP para rotas estáticas" Implementar OSPF para IPv6 (OSPFv3) RFC Implementar IS-IS, de acordo com as seguintes RFCs: "RFC 1195 Use of OSI IS-IS for Routing in TCP/IP and Dual Environments (TCP/IP transport only) RFC 2763 Dynamic Hostname Exchange Mechanism for IS-IS RFC 2966 Domain-wide Prefix Distribution with Two-Level IS-IS RFC 2973 IS-IS Mesh Groups Draft-ietf-isis-restart-02 Restart Signaling for IS-IS Draft-ietf-isis-ipv6-06 Routing IPv6 with IS-IS 35

36 Draft-ietf-isis-wg-multi-topology-11 Multi Topology (MT) Routing in IS-IS" Implementar IPv6 em hardware nos módulos de interface Implementar Policy Based Routing, inclusive para fluxos internos a uma determinada VLAN Implementar upload e download de configuração em formato ASCII ou XML, permitindo a edição do arquivo de configuração e, posteriormente, o download do arquivo editado para o equipamento Implementar TACACS+ segundo a RFC "Implementar autenticação RADIUS com suporte a: RFC 2138 RADIUS Authentication RFC 2139 RADIUS Accounting RFC 3579 RADIUS EAP support for 802.1X" A implementação de RADIUS e TACACS+ deve estar disponível para autenticação de usuários via Telnet e Console serial Implementar RADIUS e TACACS+ per-command authentication Possuir DNS Client segundo a RFC Posuir Telnet client and server segundo a RFC Implementar os seguintes grupos de RMON através da RFC1757: History, Statistics, Alarms e Events Deve implementar RMON2-probe configuration segundo a RFC 2021, podendo ser implementada internamente no switch ou externamente, por meio de probe em hardware utilizando uma porta 1000BaseTX Implementar sflow V5 ou Netflow V5, em hardware Implementar a atualização de imagens de software e configuração através de um servidor TFTP Suportar múltiplos servidores Syslog Implementar ajuste de clock do equipamento utilizando NTP e/ou SNTP Implementar Port Mirroring, permitindo espelhar até 16 portas ou VLANs para até 16 portas de destino (portas de análise) Implementar RSPAN (Remote Mirroring), permitindo espelhar o tráfego de uma porta ou VLAN de um switch remoto para uma porta de um switch local (porta de análise) Implementar gerenciamento através de SNMPv1 (RFC 1157), v2c (RFCs 1901 a 1908) e v3 (RFCs 2570 a 2575) Implementar cliente e servidor SSHv Implementar cliente e servidor SCP e servidor SFTP Implementar gerenciamento via web com suporte a HTTPS/SSL, permitindo visualização gráfica da utilização das portas O equipamento ofertado deve possuir um sistema operacional modular. 36

37 O sistema operacional deve possuir comandos para visualização e monitoração de cada processo, sendo possível verificar por processo qual o consumo de cpu, process-id e qual o consumo de memória por processo O sistema operacional deve possuir comandos para que processos sejam terminados ou reiniciados sem que seja necessário a reinicialização do equipamento. Esta funcionalidade deve estar disponível pelo menos para Telnet, TFTP, HTTP, LLDP, OSPF e BGP na versão atual O sistema operacional deve possibilitar a instalação de novas funcionalidades ou protocolos, sem a necessidade de reinicialização do equipamento Implementar linguagem de scripting, permitindo a automatização de tarefas. A linguagem deve implementar estruturas de controle como loops e execução condicional e permitir a definição de variáveis Implementar protocolo de monitoramento de status de comunicação entre dois switches, que possibilite que uma porta seja desabilitada caso seja detectada uma falha de comunicação entre os dois peers Implementar Rate limiting de entrada em todas as portas. A granularidade deve ser configurável em intervalos de 64kbps para portas de até 1Gbps. Caso o equipamento ofertado possua suporte a portas 10Gbps, a granularidade para este tipo de interface deve ser configurável em intervalos de 1Mbps. A implementação de Rate Limiting deve permitir a classificação do tráfego utilizando-se ACLs e parâmetros, MAC origem e destino (simultaneamente) IP origem e destino (simultaneamente), portas TCP e portas UDP Implementar Rate Shaping de saída em todas as portas. A granularidade deve ser configurável em intervalos de 64kbps para portas de até 1Gbps. Caso o equipamento ofertado possua suporte a portas 10Gbps, a granularidade para este tipo de interface deve ser configurável em intervalos de 1Mbps A funcionalidade de Rate Shaping deve permitir a configuração de CIR (Commited Rate), banda máxima, banda mínima e peak rate Implementar a leitura, classificação e remarcação de QoS (802.1p e DSCP) Implementar remarcação de prioridade de pacotes Layer 3, remarcando o campo DiffServ para grupos de tráfego classificados segundo portas TCP e UDP, endereço/subrede IP, VLAN e MAC origem e destino Implementar 8 filas de prioridade em hardware por porta "Implementar as seguintes RFCs: RFC 2474 DiffServ Precedence RFC 2598 DiffServ Expedited Forwarding (EF) RFC 2597 DiffServ Assured Forwarding (AF)" 37

38 RFC 2475 DiffServ Core and Edge Router Functions Implementar classificação de tráfego para QoS em Layer1-4 (Policy-Based Mapping) baseado em MAC origem e destino, IP origem e destino, TCP/UDP port, Diffserv, 802.1p Implementar funcionalidade que permita que somente endereços designados por um servidor DHCP tenham acesso à rede Implementar funcionalidade que permita que somente servidores DHCP autorizados atribuam configuração IP aos clientes DHCP (Trusted DHCP Server) Implementar Gratuitous ARP Protection Implementar detecção e proteção contra ataques Denial of Service (DoS) direcionados a CPU do equipamento por meio da criação dinâmica e automática de regras para o bloqueio do tráfego suspeito "Implementar proteção e robustez contra os seguintes ataques conhecidos e catalogados pela CERT: CA : SQL Slammer CA : SSHredder CA : SNMP vulnerabilities CA-98-13: tcp-denial-of-service CA-98.01: smurf CA-97.28:Teardrop_Land -Teardrop and LAND attack CA-96.26: ping CA-96.21: tcp_syn_flooding CA-95.01: IP_Spoofing_Attacks_and_Hijacked_Terminal_C onnections" Implementar limitação de número de endereços MAC aprendidos por uma porta, para uma determinada VLAN Implementar travamento de endereços MAC, permitindo a adição estática de endereços para uma determinada porta ou utilizando os endereços existentes na tabela MAC. O acesso de qualquer outro endereço que não esteja previamente autorizado deve ser negado, permitindo o envio de alerta para um servidor syslog Implementar login de rede baseado no protocolo IEEE 802.1x, permitindo que a porta do Switch seja associada a VLAN definida para o usuário no Servidor RADIUS A implementação do IEEE 802.1x deve incluir suporte a Guest VLAN, encaminhando o usuário para esta VLAN caso este não possua suplicante 802.1x ativo, em caso de falha de autenticação e no caso de indisponibilidade do servidor AAA Implementar múltiplos suplicantes por porta, onde cada dispositivo deve ser autenticado de forma independente, podendo ser encaminhados à VLANs distintas. As múltiplas autenticações devem ser realizadas através de IEEE 802.1x. 38

39 Implementar autenticação baseada em web, com suporte a SSL, através de RADIUS ou através da base local do switch Implementar autenticação baseada em endereço MAC, através de RADIUS ou através da base local do switch Implementar ACLs de entrada (ingress ACLs) em hardware, baseadas em critérios das camadas 2 (MAC origem e destino), 3 (IP origem e destino) e 4 (portas TCP e UDP), em todas as interfaces e VLANs, com suporte a endereços IPv6. Deverá ser possível aplicar ACLs para tráfego interno de uma determinada VLAN As ACLs devem ser configuradas para permitir, negar, aplicar QoS, espelhar o tráfego para uma porta de análise, criar entrada de log e incrementar contador Implementar funcionalidade que permita a execução de ACLs em um determinado horário do dia (time-based ACLs) Implementar políticas por usuário, permitindo que as configurações de ACL, QoS sejam aplicadas na porta utilizada para a conexão à rede, após a autenticação Implementar a configuração de telefones IP de forma automática, permitindo a detecção do aparelho através do protocolo LLDP e a configuração de VLAN e QoS para a porta Implementar mecanismo que possibilite o envio de alertas e o disparo de ações baseados em limiares pré-definidos. Estes limiares poderão ser definidos por contadores internos e o tráfego a ser medido poderá ser determinado por meio de ACLs. Os contadores deverão suportar pelo menos as expressões: Delta (variação de um contador dentro de um intervalo de tempo configurável) e Delta-Ratio (variação da proporção entre dois contadores dentro de um intervalo de tempo configurável). Dentre as ações passíveis de serem disparadas depois que determinado limiar for atingido, estão: espelhar tráfego para porta de análise, permitir ou negar tráfego baseado em ACL, associar dinamicamente um profile de QoS, enviar trap SNMP ou mensagem Syslog ou ainda executar qualquer comando disponível no CLI (Command Line Interface) Suportar integração com ferramenta de controle de admissão do mesmo fabricante que possibilite verificar, no mínimo, a presença e o estado (em execução e atualizado) de software antivírus, a presença de service packs e hotfixes de sistema operacional e a presença de software não autorizado, colocando em uma VLAN de quarentena os clientes que não estejam em conformidade com a política de segurança Implementar Policy Based Switching, ou seja, possibilitar que o tráfego classificado por uma ACL seja redirecionado para uma porta física específica. 39

40 CABEAMENTO Cabo de Fibra Óptica O cabo de fibra óptica deve ser composto por fibras multímodo, do tipo loose, com índice gradual de 62,5x125um. O cabo fornecido deve ter lance padrão superior a 2000m e deve ser de cor preta As fibras devem possuir revestimento em acrilato, agrupadas em uma unidade básica, preenchida com material resistente à penetração de umidade, elemento de tração não-metálico, incorporado ao núcleo do cabo, responsáveis pela resistência do cabo, sendo este conjunto protegido por uma capa externa de material termoplástico para uso externo O cabo deve permitir o tráfego de redes de dados convencionais e de alta velocidade como Fast Ethernet 100BaseFX, FDDI, ATM 155 e 622 Mbps e Gigabit Ethernet 1000BaseSX/LX, padrões normalmente utilizados em backbones corporativos O cabo deve possuir performance conforme estipulado pela ABNT NBR, além de possuir certificação da Anatel. 5. SISTEMA DE ALARME Integrado ao Sistema de CFTV 5.1. DESCRIÇÃO GERAL DO PROJETO: O projeto contempla uma central de alarme profissional, através da tecnologia TCP/IP. A central deverá possuir a quantidade de zonas necessárias ao número de sensores solicitados no projeto básico, e essa, deverá também permitir expansão na quantidade de zonas para futuras ampliações do sistema Solução técnica dos equipamentos Os Sensores para monitoramento dos ambientes serão instaladas nas localidades relacionas nos item 5.9. deste Projeto Básico O projeto prevê Modulo de Entrada de Alarme IP, que possibilitará a ligação em Paralelo com o sistema de Monitoramento existente na Central da UFPE Deverá funcionar com a transmissão de dados via, MÓDULO IP/GPRS, o qual deverá possibilitar a comunicação dos dados com um endereço IP 40

41 previamente configurado, instalado na Receptora de Alarme IP. A via de comunicação e transmissão dos dados deverá ocorrer de forma a permitir a identificação do tipo e local da ocorrência e todos os demais dados do alarme (Exemplo: sistema ativado, desativado, falta de energia, setores de alarmes etc) pela Central de Monitoramento A ligação do meio utilizado deverá ser estabelecida automaticamente, de forma plena com obtenção de confirmação de recebimento da mensagem pela Central de Monitoramento. Todos os sensores deverão ser monitorados pela via de comunicação, que deverá ser estabelecida, para a transmissão de dados de informações de invasão, assalto, ativação e desativação, falhas operacionais etc Os teclados deverão ser instalados nas Portarias do Prédio CFCH/CE/CCSA, para que os usuários utilizem para Ativar o Sistema de Alarme (quando terminarem o expediente), Desativar o Sistema de Alarme (quando chegarem para iniciar o expediente), servirá também para que o Vigilante do Posto Portaria, possa identificar de forma imediata o local da violação quando o sensor detectar Solução de Transmissão A conectividade entre os sensores será Central de Alarme, será garantida por meio de cabo UTP Cat5e, conforme solução técnica Central de Monitoramento A Central de Monitoramento consiste em uma ambiente integrado projetado para garantir que todas as informações relevantes ao sistema de monitoração de Alarmes Integrados com Sistema de CFTV, desde indicação do local violado, monitorado por sensor, até as imagens, que permitirá que as decisões sejam tomadas em tempo real, com base nos dados recebidos pelo sistema. Isso implica num ambiente adequado para abrigar toda a cadeia de decisões relacionadas com os eventos monitorados, ou seja, a Central de Monitoramento abrigará desde os profissionais encarregados da monitoração propriamente dita, juntamente com suas estações de trabalho, até os profissionais responsáveis pela tomada de decisões, passando por toda a estrutura de comunicações necessária à coordenação das equipes da linha de frente. 41

42 A Central de Monitoramento será projetada para garantir que seu funcionamento ocorra em regime integral, contando com sistemas redundantes de energia, comunicações, refrigeração, backup de dados, servidores A Central de Monitoramento deverá proporcionar aos operadores, supervisores e gestores do sistema, o perfeito desempenho de suas tarefas, sem que seja afetada a função de monitoramento das câmeras e áudio visual devido a intervenções dos mesmos em suas estações A visualização dos eventos, através do sistema de monitoramento de alarme, permitirá o controle individual de cada andar do Prédio, podendo gerenciar as tentativas de violações, horário de abertura e fechamento, sistema desarmado fora do horário previsto, sistema não armado no horário previsto, e nos casos de violação visualizar a câmera mais próxima, facilitando a tomada de decisões do operador Equipamentos de Processamento e Armazenamento A Sala de Monitoramento acomodará toda a solução de infra-estrutura de TI necessária a operação do sistema Todos os equipamentos deverão ser conectados a uma rede IP, com suporte aos seguintes protocolos de rede: UDP Multicast para permitir vídeo e áudio em broadcast através da rede. Isto economiza radicalmente a banda de rede utilizada TCP UDP Unicast A infra-estrutura de TI contará com diversos servidores que desempenharão as várias funções necessárias à captura e visualização das imagens, backup e gerenciamento de todo o sistema. São eles: (um) Servidor de Gerenciamento do Sistema de Monitoramento Remoto de Sinal de Alarme, responsáveis pela execução do Software Monitoramento de Alarme; (uma) Central Receptora de Sinal de Alarme IP, responsável pelo recebimento dos eventos enviados pelo Transmissor interligado na Central de alarme instalados no Prédio do CFCH. 42

43 (um) Software de Gerenciamento do Sistema de Alarme, responsável pelo gerenciamento dos eventos RELAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS Item Equipamentos CFTV Sistema de Monitoramento de Alarme para até 500 contas monitoradas, Permitir a perfeita identificação do local de onde está sendo enviada a comunicação, bem como o tipo da ocorrência: ingresso/desativação fora do horário de expediente, em finais de semana, desativação total ou parcial da Central de Alarme, ingresso com senha de pânico, uso dos acionadores remotos ou fixos (ocorrência em andamento, roubo ou furto), detecção de intrusão, inclusive com a informação do setor (zona), falta de alimentação de energia da rede pública, falta de comunicação, conforme especificações técnicas no item Central de Alarme conforme especificações técnicas no item Teclado de Comando LCD, conforme especificações técnicas no item Sensor Infravermelho Passivo Digital, conforme especificações técnicas no item Transmissor de Sinal via IP e GPRS, conforme especificações técnicas no item Modulo de Entrada e Saída de Alarme IP, 24 entradas e 08 saídas, conforme especificações técnicas no item No-Break 2400 Va, conforme especificações técnicas no item Serviço de Engenharia Especializada, incluindo material para instalação Cabo Utp Cat 5e, 22AWG, eletroduto galvanizado UN Qtde Und 01 Und 01 Und 04 Und 46 Und 01 Und 02 Und 01 Und 01 43

44 5.7. DIAGRAMA DE LIGAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS: SISTEMA DE MONITORAMENTO SENSOR DE PRESENÇA CFCH Servidor DIGIFORT NTI CEN-01 SIR-01 SIR-02 TEC-01 Switch CENTRAL 5.8. LOCAIS E TIPOS DOS SENSORES 44

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA ESCOPO PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Laboratório de Engenharia Biomédica da UFPE 1. APRESENTAÇÃO 1.1. Este documento tem por finalidade servir de orientação para

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Projeto Executivo

Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Projeto Executivo Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Projeto Executivo Projeto de Vigilância Eletrônica Integrada contemplando Sistema de CFTV IP, Alarme e Controle de Acesso, para o Centro de Filosofia e Ciências

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 113374 Câmera IP Speed Dome Externa (PTZ) para vigilância externa; com sensor de imagem em estado sólido do tipo CCD (Charged Coupe Device) ou CMOS; com lente com zoom ótico de pelo menos

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA DIRETORIA DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL Projeto Executivo Projeto de Vigilância Eletrônica

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL

Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL REFERENTE: CONTRUÇÃO DO FÓRUM DE RIO LARGO -AL Construção do Fórum Da Comarca de RIO LARGO - AL ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Especificação SWITCH DE 24 PORTAS

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES 1 SWITCH Todos os switches objeto deste fornecimento deverão ser do mesmo fabricante e serem entregues com todas as licenças de software necessárias à implementação de todos

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

Superintendência de Segurança Institucional

Superintendência de Segurança Institucional Superintendência de Segurança Institucional PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Centro de Ciências Jurídicas - CCJ UFPE Recife,12 de abril de2012. 1. APRESENTAÇÃO 1.1.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Superintendência de Segurança Institucional

Superintendência de Segurança Institucional Superintendência de Segurança Institucional PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Núcleo de Televisão e Rádio Universitária da UFPE Recife, novembro 2011 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

ANEXO I - PLANILHA DE COTAÇÃO (PCT) AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO DE INFORMÁTICA, CONFORME ESPECIFICAÇÕES E QUANTIDADE RELACIONADAS ABAIXO.

ANEXO I - PLANILHA DE COTAÇÃO (PCT) AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO DE INFORMÁTICA, CONFORME ESPECIFICAÇÕES E QUANTIDADE RELACIONADAS ABAIXO. ANEXO I - PLANILHA DE COTAÇÃO (PCT) LICITAÇÃO MOD.:PREGÃO PRESENCIAL Nº 107/2011 TIPO: MENOR PREÇO Data e Hora da Entrega das Propostas: 16/11/2011 Horas: 15h Órgão/Entidade: 4.40 MINISTÉRIO PUBLICO DO

Leia mais

ANEXO I DO OJETO. Descritivo: Cabo de Rede 04 Pares Trançados blindados que contenham malha de proteção interna.

ANEXO I DO OJETO. Descritivo: Cabo de Rede 04 Pares Trançados blindados que contenham malha de proteção interna. ANEXO I DO OJETO O objeto desta licitação é AQUISIÇÃO DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA, com entrega conforme necessidade da FUSAM conforme especificação descrita abaixo: 1- Mouses - 15 UNIDADES Com sensor

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Folha: 1/6 1 2,000 UN MÓDULO BATERIAS PARA NOBREAK 3000VA --- 5.590,0000 11.180,0000 ------------------------------------ Descrição --------- Módulo fechado de baterias estacionárias, que comporte no mínimo

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS

DIRETORIA DE GESTÃO - DG DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS - DGS PREGÃO ELETRÔNICO N.º 070/2010 ADENDO MODIFICADOR N.º 001 DATA DE EXPEDIÇÃO: 06/01/2011 Às empresas interessadas no pregão eletrônico N.º 070/2010 AQUISIÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI, COMPOSTA DE HARDWARE,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 004/2012 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PÁGINA 1 DE 6 ITEM 01 SERVIDOR DE RACK COM AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MÍNIMAS: INFORMAR OBRIGATORIAMENTE O FABRICANTE

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro - JBRJ. Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFlora. Planejamento de Despesas 2011

Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro - JBRJ. Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFlora. Planejamento de Despesas 2011 Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro - JBRJ Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFlora Planejamento de Despesas 2011 Equipamentos Item 1: Desktop de trabalho - Quantidade 03

Leia mais

ERRATA DE EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 005/2015

ERRATA DE EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 005/2015 ERRATA DE EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL 005/2015 No Anexo I Termo de Referência Item 03 (Três) Da Especificação. Os respectivos itens estão sublinhados. ONDE SE LÊ: 1) DA ESPECIFICAÇÃO 1 Processador

Leia mais

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 OBJETO: Fornecimento, configuração, testes e assistência técnica, durante período de garantia, de 28 (vinte e oito) microcomputadores portáteis (notebooks) de alta mobilidade,

Leia mais

GABINETE ALTURA PROCESSADORES NÚCLEOS DE PROCESSAMENTO MEMÓRIA RAM CHIPSET ARQUITETURA BIOS

GABINETE ALTURA PROCESSADORES NÚCLEOS DE PROCESSAMENTO MEMÓRIA RAM CHIPSET ARQUITETURA BIOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GABINETE ALTURA - Rack Chassis Próprio - Ventiladores Internos Hot Plug Redundantes - Ventilação Adequada para a Refrigeração do Sistema Interno do Equipamento na sua Configuração

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone VX-8CH-240C-H 8 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 (um) Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 Integração com PTZ Hexaplex -

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Lote 1 item 3. MICROCOMPUTADOR:

TERMO DE REFERÊNCIA Lote 1 item 3. MICROCOMPUTADOR: TERMO DE REFERÊNCIA Lote 1 item 3. MICROCOMPUTADOR: 1.0 PROCESSADOR 1.1 Um processador Intel com arquitetura 64 Bits compatível com o equipamento ofertado e tecnologia de 65nm e núcleo duplo E4500; 1.2

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switch de Borda Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código do Material Descrição do Material

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA AQUISIÇÃO: para atender as necessidades da Câmara Municipal de Canoas/RS. 2. OBJETO: O objeto da presente licitação, na modalidade

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE NOVA PRATA

ESTADO DO RIO GRANDE DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE NOVA PRATA EDITAL N.º 096/2015 - LICITAÇÃO N.º063/2015 - PREGÃO PRESENCIAL N.º 018/2015 LICITAÇÃO NA MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA; EXCLUSIVO PARA ME S E EPP

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SWITCH SWITCH CORE SUBITEM CARACTERÍSTICAS GERAIS REDE E DESEMPENHO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Quantidade: 02 unidades DESCRIÇÃO A solução deverá ser composta de um único chassis modular, com 1.0 no mínimo

Leia mais

Configuração de Microcomputadores 2 Documento de Padronização

Configuração de Microcomputadores 2 Documento de Padronização Configuração de Microcomputadores 2 Documento de Padronização COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 07/2011 Sumário 3 1 Configuração padrão Marca e modelo do equipamento deverão constar da HCL - Lista

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12

CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12 CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO SA - ELETROCAR RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 016/12 1. Objeto : Aquisição de Equipamentos e Acessórios de Informática 2. Os itens 1.1, 1.2 e 1.3 do Termo de Referência

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7 ÍNDICES OBJETIVOS 1 JUSTIFICATIVAS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 SEGURANÇA - INTERNET 1 SISTEMA OPERACIONAL 2 PROTOCOLO TCP/IP 2 INTRANET 2 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 ESTAÇÕES 2 MICROS 3 IMPRESSORAS 3 PLANTA

Leia mais

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

Retificação PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS N 004 2008 CEL 02 SETUL AQUISICAO COMPUTADORES SOFTWARE

Retificação PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS N 004 2008 CEL 02 SETUL AQUISICAO COMPUTADORES SOFTWARE Retificação PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS N 004 2008 CEL 02 SETUL AQUISICAO COMPUTADORES SOFTWARE A COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO CEL 02 comunica aos interessados que o Pregão Por Registro de Preços acima

Leia mais

Estimativa. Unioeste 31217/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 31217/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E ( em haver: >= 1 ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Sim) 06/05/2014:21:31 Página 1 de 1 Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. 5 7063 Computador - Processador de Núcleo

Leia mais

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Objeto: Aquisição de infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para expansão da rede loca do CSS (aumento de pontos de rede) em atendimento

Leia mais

Soluções completas de segurança em vídeo IP

Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP www.indigovision.com IndigoVision Visão geral A solução empresarial de segurança IP IndigoVision garante o monitoramento

Leia mais

Microcomputadores. Documento de Padronizac a o GRUPO TE CNICO DE INFORMA TICA

Microcomputadores. Documento de Padronizac a o GRUPO TE CNICO DE INFORMA TICA Configurac a o de Microcomputadores Documento de Padronizac a o GRUPO TE CNICO DE INFORMA TICA Atualizado em 08/2010 Sumário 1 Configuração padrão p. 3 1.1 Processador............................. p. 3

Leia mais

Estimativa. Unioeste 30809/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 30809/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E ( em haver: >= 1 ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Sim) 06/05/2014:17:06 Página 1 de 1 Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. 23 7023 Backup - Agente Aplicação Exchange

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE SCHROEDER ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 39/2014. Página: 1/8

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE SCHROEDER ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 39/2014. Página: 1/8 Página: 1/8 1 Microcomputador COM Sistema Operacional, SEM Office Processador com quatro núcleos físicos com clock interno: 3,4GHz (cada núcleo) 8MB de L2+L3 com velocidade de acesso a memória de 1600

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: NOBREAK 6KVA - CONFORME ANEXO 01 DO EDITAL Quantidade: 1 Unidade de Medida: Unidade

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: NOBREAK 6KVA - CONFORME ANEXO 01 DO EDITAL Quantidade: 1 Unidade de Medida: Unidade PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Palmas Número: 253/2012 Número do Processo: 2012023905 Unidade de Compra: Secretaria de Segurança, Trânsito e Transportes Proposta(s) Item: 0001 Descrição:

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone VX-16CH-C-H 16 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 480 FPS (Frames por Segundo) Integração

Leia mais

SOLUÇÃO DE STORAGE PROJETO X86 ARMAZENAMENTO. 1.2 Para efeito de cálculo do volume total em TB deverá ser considerado que 1KB = 1024 bytes.

SOLUÇÃO DE STORAGE PROJETO X86 ARMAZENAMENTO. 1.2 Para efeito de cálculo do volume total em TB deverá ser considerado que 1KB = 1024 bytes. SOLUÇÃO DE STORAGE PROJETO X86 ARMAZENAMENTO Características Técnicas: 1.1 Deverá ser ofertada Solução de Storage com capacidade mínima de 100 TB (cem Terabyte) líquido, sendo 80TB (oitenta Terabytes)

Leia mais

Ata Final. Item 0001

Ata Final. Item 0001 Ata Final Às 09:00 horas do dia 19 de junho de 2012, reuniu-se o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas e respectivos membros da Equipe de apoio, designados pela portaria 027/2012-GAB/SEFIN

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LAGES ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS RERRATIFICAÇÃO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LAGES ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS RERRATIFICAÇÃO 1 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LAGES ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS RERRATIFICAÇÃO Lages, 06 de maio de 2014. ASSUNTO: OBJETO: EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO

Leia mais

Ata Parcial. Item 0001

Ata Parcial. Item 0001 Ata Parcial Às 09:00 horas do dia 19 de junho de 2012, reuniu-se o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas e respectivos membros da Equipe de apoio, designados pela portaria 027/2012-GAB/SEFIN

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Pregão Eletrônico RP nº 001/2009 1 - MICROCOMPUTADOR PARA ESPECIALISTA MC1 PLACA PRINCIPAL Placa principal com arquitetura ATX, com barramento PCI. Possuir, no mínimo,

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 000007/2009

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 000007/2009 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 000007/2009 Ficam retificados o prazo para entrega das propostas e habilitação, a data de abertura das propostas e habilitação e o objeto da licitação, que

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA LOTE Qt ITEM 01 Especificação detalhada 02 Estação de Trabalho - Workstation Processador Processador de no mínimo quatro núcleos com desempenho mínimo de 10000 pontos no Performance

Leia mais

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil Características - Único com este conceito no mercado e com preços atraentes; Iluminação frontal, com chave liga/desliga, em quatro opções de cores (azul, verde, vermelho e amarelo); - Possui sistema de

Leia mais

Sistema de Rastreamento e Gerenciamento Veicular

Sistema de Rastreamento e Gerenciamento Veicular Sistema de Rastreamento e Gerenciamento Veicular Portfólio 1 Cartão SD até 64GB (acompanha 32GB) MVD 3004 MVD 3004 G MVD 5004 MVD 5004 G 1 HD até 1TB (acompanha 500GB)+ 1 Cartão SD até 64GB (não acompanha)

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

Switch Central de Grande Porte

Switch Central de Grande Porte Switch Central de Grande Porte GERAL 1. Estrutura de chassi modular, para instalação em gabinete padrão EIA 19, e kit completo de instalação. Os equipamentos ofertados deverão vir acompanhados de kits

Leia mais

PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE

PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE Versão 1.0 Data: 09/12/2013 Desenvolvido por: - TI Unimed Rio Verde 1 ÍNDICE 1. Objetivo... 4 2. Requsitos de Infraestrutura

Leia mais

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Possuir capacidade instalada, livre para uso, de pelo menos 5.2 (cinco ponto dois) TB líquidos em discos SAS/FC de no máximo 600GB 15.000RPM utilizando RAID 5 (com no

Leia mais

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS Guia rápido de usuário (Versão 3.0.4) Nota: Esse manual pode descrever os detalhes técnicos incorretamente e pode ter erros de impressão. Se você tiver algum

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TEXTO)) Aos 15 (quinze) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs, na sede da Empresa

Leia mais

ENH916-NWY. Manual do Usuário

ENH916-NWY. Manual do Usuário ENH916-NWY Manual do Usuário Aviso da FCC Este equipamento foi testado e se encontra em conformidade com os limites de dispositivo digital de Classe B, de acordo com a Parte 15 das Regras de FCC. Estes

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 20 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

O servidor VRILLX 4000 é o estado da arte em tecnologia de processamento computacional

O servidor VRILLX 4000 é o estado da arte em tecnologia de processamento computacional GABINETE MODULAR O servidor VRILLX 4000 é o estado da arte em tecnologia de processamento computacional ALTURA * - Ventiladores Internos Hot Plug Redundantes - Exclusivamente para Rack Padrão 19 - Indicadores

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais

VS-100. H.264 PoE Servidor Vídeo. H.264 Compressão. Comparação Taxa Compressão

VS-100. H.264 PoE Servidor Vídeo. H.264 Compressão. Comparação Taxa Compressão VS-100 H.264 PoE Servidor Vídeo AirLive VS-100 é um canal servidor de vídeo para facilmente actualizar a sua antiga camera CCTV numa camera IP com capacidade-rede e assim converter o seu sistema local

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Às 10:47 horas do dia 25 de setembro de 2015,

Leia mais

Retificação do Termo de Referencia do pregão nº 45/2014, que passam a ter a seguinte redação para os itens 01.01 e 01.02:

Retificação do Termo de Referencia do pregão nº 45/2014, que passam a ter a seguinte redação para os itens 01.01 e 01.02: Retificação do Termo de Referencia do pregão nº 45/2014, que passam a ter a seguinte redação para os itens 01.01 e 01.02: Descrições mínimas de cada equipamento e ser licitado. ITEM 01.01 MICROCOMPOUTADOR

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES. Desenvolvimento Duração: 35 aulas (2 horas cada aula) Redes de computadores. 1 Apresentação

REDE DE COMPUTADORES. Desenvolvimento Duração: 35 aulas (2 horas cada aula) Redes de computadores. 1 Apresentação REDE DE COMPUTADORES Desenvolvimento Duração: 35 aulas (2 horas cada aula) 1 Apresentação Conhecendo os alunos Conceitos básicos de redes O que é uma rede local Porque usar uma rede local 2 Como surgiram

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) 05/10/2015 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração LatinoAmericana Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

Leia mais

Termo de Referência Tecnologia da Informação

Termo de Referência Tecnologia da Informação Termo de Referência Tecnologia da Informação TERMO DE REFERÊNCIA PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE TI E LICENÇAS. GERENCIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS JULHO/2015 CDG CAE 01/2015 1. DO OBJETO Aquisição de

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Exclusivo sistema de hibernação quando o equipamento encontra-se sem energia vinda da rede elétrica, o

Leia mais

2 computadores de mesa (desktop):

2 computadores de mesa (desktop): Levantamento dos ativos de infraestrutura de TI utilizados em uma empresa. Especificação técnica e localização dos equipamentos que podem ser patrimoniados. As empresas dependem da infraestrutura de TI

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 22 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

SERVIÇOS DE LICITAÇÕES EDITAL PREGÃO PRESENCIAL N.º 001/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 9/2012 ERRATA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ITEM I ITEM 1 COMPUTADORES SERVIDORES PARA RACK COM 2 PROCESSADORES Quantidade:

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13:

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes à Licitação Pública Nacional nº 01/13: 1) PERGUNTA: 1- Referente ao Anexo III Dados do Contrato, o item 16.4 menciona: Os pagamentos deverão

Leia mais

PRÉ-PROJETO. Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE

PRÉ-PROJETO. Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE PRÉ-PROJETO Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE 1 de 40 1. APRESENTAÇÃO Este documento tem por finalidade servir de orientação para a ELABORAÇÃO de Sistemas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 1 DO OBJETO 1.1 - Fornecimento de solução avançada de backup desduplicado, com serviços de assistência técnica e capacitação, visando a integração

Leia mais

Aquisição de equipamentos de informática

Aquisição de equipamentos de informática CONVITE 010/2008 ANEXO I Aquisição de equipamentos de informática ITEM 1 Nome: Estação de trabalho Quantidade: 1 unidades Processador: (mínimo) Intel core 2 duo E7200 2.53Ghz FSB 1333Mhz 4Mb Cache, 65

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 15:39 horas do dia 13 de março de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas, designado pela portaria 095/2011-GAB/SEFIN após analise da documentação do Pregão

Leia mais

Servidor de Câmera Internet Dia/Noite PoE Megapixel HD Externo TV-IP322P (v1.0r)

Servidor de Câmera Internet Dia/Noite PoE Megapixel HD Externo TV-IP322P (v1.0r) INFORMAÇÕES GERAIS Campo de visão estreito para monitoramento de longa distância Visão noturna a até 20 metros (66 ft.) Pronto para instalação outdoor com grau IP66 à prova de intempéries. Resolução H.264

Leia mais

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO)

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) Há vários tipos de sistemas de gravações digitais. Os mais baratos consistem de uma placa para captura de vídeo, que

Leia mais

ANEXO II LOTE 02 - MICROCOMPUTADORES. I. DESCRIÇÃO DO MICROCOMPUTADOR - configuração mínima

ANEXO II LOTE 02 - MICROCOMPUTADORES. I. DESCRIÇÃO DO MICROCOMPUTADOR - configuração mínima ANEXO II LOTE 02 - MICROCOMPUTADORES I. DESCRIÇÃO DO MICROCOMPUTADOR - configuração mínima 1. Processador: Para processadores INTEL Core 2 Duo: Deverá possuir tecnologia Dual Core Com velocidade de 2.130

Leia mais

AM@DEUS Manual do Usuário

AM@DEUS Manual do Usuário 80 P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO Para atender a solicitação expressa ao processo digital 30719/2012, AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE DE DADOS WIRELESS, COM INSTALAÇÃO,

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS

ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS ITEM 1 EQUIPAMENTO DE GRAVAÇÃO NVR (NETWORK VÍDEO RECORDER) QUANTIDADE: 01 Suporte a no mínimo 24 canais IP'S Acesso remoto a servidor WeB incorporado ao NVR com

Leia mais