CRENÇAS DE GRADUANDOS DE INGLÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA SOBRE A PRÓPRIA PRONÚNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CRENÇAS DE GRADUANDOS DE INGLÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA SOBRE A PRÓPRIA PRONÚNCIA"

Transcrição

1 CRENÇAS DE GRADUANDOS DE INGLÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA SOBRE A PRÓPRIA PRONÚNCIA Neide Cesar CRUZ Universidade Federal de Campina Grande Resumo: Este estudo de pequeno porte focaliza as crenças que graduandos de Inglês Língua Estrangeira (ILE) têm sobre a própria pronúncia. Especificamente, o estudo tenciona responder a duas questões: (1) Quais as crenças que graduandos de ILE têm sobre a própria pronúncia? e (2) Quais as razões que levam os graduandos a terem essas crenças? Oito graduandas do curso de letras, com habilitação em língua inglesa, de uma universidade federal, localizada em um estado da região nordeste do Brasil, participaram da pesquisa. A coleta de dados foi realizada em duas etapas. Na primeira, as graduandas foram solicitadas a responder duas questões: (1) Como você descreveria a pronúncia que você tem?; e (2) Como você descreveria a pronúncia que você gostaria de ter?. A segunda etapa, realizada alguns dias após as respostas às duas perguntas terem sido fornecidas, envolveu entrevistas semi-estruturadas individuais. Os resultados revelam três crenças evidentes. Na descrição da pronúncia das participantes, elas acreditam que têm uma pronúncia inteligível, como também uma com sotaque brasileiro. Ao descreverem a pronúncia que gostariam de ter, as alunas valorizam a do falante nativo da língua inglesa, e acreditam que esta é o modelo que todos os graduandos de ILE devem seguir. As razões que justificam tais crenças estão principalmente relacionadas a experiências anteriores em que as graduandas usaram o inglês em interações orais. Palavras-chave: crenças; pronúncia; graduandos de ILE. Introdução Estudos a respeito de crenças de professores e aprendizes de ILE têm sido amplamente realizados e discutidos na área de formação de professores no Brasil. Como nos mostra Barcelos (2006, p.15), Nunca se publicou tanto a respeito de crenças no Brasil e no exterior desde As crenças focalizadas em alguns desses estudos incluem: crenças de professores de inglês de escola pública sobre ensino e aprendizagem de inglês (Felix, 1999; Coelho; 2006); crenças sobre a gramática e o ensino da gramática (Carazzai & Gil; 2005); crenças e concepções de professores e educadores da prática de ensino de línguas estrangeiras sobre formar um futuro professor (Araújo; 2003); crenças de professores de ILE sobre a linguagem lúdica (Finardi & Gil; 2005); dentre outras. Apesar da existência dos vários estudos envolvendo crenças, nenhum deles focalizou especificamente, até o momento, a pronúncia de aprendizes de ILE. Considerando a escassez de pesquisas envolvendo crenças sobre a pronúncia de ILE, este estudo de pequeno porte focaliza crenças sobre a pronúncia de graduandos de ILE. Especificamente, o estudo tenciona responder a duas questões: (1) Quais as crenças que

2 graduandos de ILE têm sobre a própria pronúncia? e (2) Quais as razões que levam os graduandos a terem essas crenças? 1. Metodologia 1.1. Participantes Oito graduandas do curso de letras, com habilitação em língua inglesa, de uma universidade federal, localizada em um estado da região nordeste do Brasil, participaram da pesquisa 1. As participantes tinham idades variando entre 22 e 26 anos. Cinco delas estavam no sétimo período e cursavam língua inglesa VII, e três cursavam língua inglesa VI, no sexto período do curso. Quatro lecionavam inglês em escolas de idiomas, duas em escolas públicas, e duas em escolas particulares. Duas estudavam um outro idioma estrangeiro, o espanhol, e apenas uma havia tido experiência com o inglês em país estrangeiro, EUA, por quatro meses Coleta de dados A coleta de dados foi realizada em duas etapas. Na primeira, as graduandas foram solicitadas a responder por escrito duas questões: (1) How would you describe the pronunciation you have? e (2) How would you describe the pronunciation you would like to have? 2. Demos às participantes a opção de responderem as perguntas em inglês ou português, e de entregarem as respostas pessoalmente ou por . Todas as participantes responderam as perguntas em inglês e as enviaram por . A segunda etapa, realizada alguns dias após as respostas às duas perguntas terem sido fornecidas, envolveu entrevistas semi-estruturadas individuais. As entrevistas foram feitas para que as participantes pudessem oferecer mais detalhes a respeito das respostas dadas às perguntas da primeira etapa, e foram, portanto, baseadas nessas perguntas. Uma vez que havia nas respostas da primeira etapa referências à forma de pronunciar das graduandas, decidimos realizar as entrevistas em inglês para que pudéssemos ouvir a pronúncia das participantes e compreender melhor suas crenças. Apesar das graduandas terem ficado à vontade durante a entrevista, e terem sido capazes de fornecer informações, entendemos que essa estratégia pode ter limitado suas respostas, uma vez que elas teriam que se expressar na língua inglesa. No entanto, a fim de tentar suprimir essas possíveis limitações, as transcrições das entrevistas foram dadas para que cada participante pudesse fazer comentários e, se necessário, adicionar explicações 3. 1 A pesquisadora atua como professora de língua inglesa nesta universidade. 2 Essa metodologia foi adaptada do estudo realizado por Freire e Lessa (2003) que identificou as representações que professores de inglês da rede pública têm sobre linguagem e sobre prática docente. Aos professores foi solicitado que finalizassem, apresentando esclarecimentos, três afirmações incompletas: (1) O professor que eu sou...; (2) O professor que eu gostaria de ser...; e (3) O professor que eu temo ser Este procedimento foi realizado por Coelho (2006), quando investigou as crenças de professores sobre o ensino de inglês em escolas públicas. 361

3 You are reading a preview. Would you like to access the full-text? Access full-text

4 pronúncias. Com isso, a prática da pronúncia poderia ser mais incentivada, e os alunos poderiam discernir entre um sotaque brasileiro forte e fraco, e tentar adquirir um mais fraco, que envolveria evitar a produção de aspectos de pronúncia que possam comprometer a inteligibilidade de suas falas. A aquisição de um sotaque fraco seria um objetivo mais realista, e poderia preservar a inteligibilidade da fala de graduandos de ILE. Considerações finais Como mencionado na introdução, o presente estudo é de pequeno porte, e, por essa razão, os resultados apresentados aqui, apesar de corroborarem com aqueles revelados no estudo de Timmis (2002), não podem representar as crenças sobre a pronúncia de aprendizes brasileiros de ILE. Apesar dessa limitação, acreditamos que um dos aspectos relevantes deste estudo é apresentar, através de suas crenças sobre a própria pronúncia, as opiniões de graduandos sobre a pronúncia que têm e a que gostariam de ter. Escutar essas opiniões é importante, uma vez que, atualmente, o inglês está sendo cada vez mais usado como língua internacional, e questões relacionadas a normas do nativo e sotaque estrangeiro estão sendo mais enfaticamente discutidas. Nessas discussões, os estudiosos da área de pronúncia estão sugerindo a pronúncia que, na opinião deles, aprendizes e falantes de ILE e ILI devem ter. Acreditamos que antes de seguir as sugestões dos estudiosos, formadores de professores de ILE devem ouvir as crenças dos seus alunos. Esperamos, então, que outros estudos envolvendo crenças e pronúncia de ILE sejam realizados. Referências bibliográficas ABERCROMBIE, D. Problems and principles in language study. London: Longman, ARAÚJO, A D. Crenças e concepções do professor-educador sobre a formação do professor de língua estrangeira. In: GIMENEZ T. (Org.) Ensinando e aprendendo inglês na universidade: Formação de professores em tempos de mudança. Londrina: ABRAPUI, P BARCELOS, A. M. F. Cognição de professores e alunos: Tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In: BARCELOS, A. M. F. & ABRAHÃO, M. H. V. Crenças e ensino de línguas: Foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, P What is wrong with a Brazilian accent? In: Horizontes de Lingüística Aplicada, vol. 2, n. 1, P Metodologia de pesquisa das crenças sobre aprendizagem de línguas: Estado da arte. In: Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 1, n. 1. FALE: UFMG, P CARAZZAI, M. R. & GIL, G. A gramática e o ensino da gramática: Um estudo qualitativo das crenças e práticas de professores de inglês-le. In: GIL, G.; RAUBER, A. S.; CARAZZAI, M. R. P.; BERGSLEITHNER, J. M. ; (Org.) Pesquisas qualitativas no ensino e aprendizagem de inglês: A sala de aula e o professor de LE. Florianópolis: Palotti, P

5 COELHO, H. S. H. É possível aprender inglês na escola? Crenças de professores sobre o ensino de inglês em escolas públicas. In: BARCELOS, A. M. F. & ABRAHÃO, M. H. V. Crenças e ensino de línguas: Foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, P CRUZ, N. C. Pronunciation intelligibility in Brazilian learners English. Claritas, v. 12, n. 1 (no prelo).. Intelligibility: Have you ever cared about the way your students are likely to pronounce the word culture? In: BRAZ-TESOL Newsletter, pp CRUZ, N. C. & PEREIRA, M. A. Pronúncia de aprendizes brasileiros de inglês e inteligibilidade: um estudo com dois grupos de ouvintes. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL, Ano 4, n. 7, {http://paginas.terra.com.br/educação/revel/] CRUZ, N. C. Pronunciation intelligibility in spontaneous speech of Brazilian learners English. Florianópolis: UFSC, 2004, 210 p. Tese (Doutorado) Programa de Pós- Graduação em Inglês, Universidade Federal de Santa Catarina. FÉLIX, A. Crenças de duas professoras de uma escola pública sobre o processo de aprender língua estrangeira. In: ALMEIDA FILHO (Org). O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, P FIELD, J. The fuzzy notion of intelligibility : A headache for pronunciation teachers and oral testers. In: IATEFL Special Interest Groups Newsletter, p FINARDI, K. R. & GIL, G. Crenças de professores sobre o uso da linguagem lúdica na sala de aula de língua estrangeira (LE). In: GIL, G.; RAUBER, A: S.; CARAZZAI, M. R. P.; BERGSLEITHNER, J. M. (Orgs.) Pesquisas qualitativas no ensino e aprendizagem de inglês: A sala de aula e o professor de LE. Florianópolis: Palotti, P FREIRE, M. & LESSA, A. B. Professores de inglês da rede pública: Suas representações, seus repertórios e nossas interpretações. In: BARBARA, L. & RAMOS, R. C. G. (Orgs.). Reflexão e ações no ensino-aprendizagem de línguas. São Paulo: Mercado de Letras, P JENKINS, J. Phonology of English as an international language: New models, new norms, new goals. Oxford: Oxford University Press, Changing priorities. In: Speak out! A Newsletter of the IATEFL Pronunciation Special Interest Group, v. 18, p KENWORTHY, J. Teaching English pronunciation. London: Longman, SEILDHOFER, B. Habeas corpus and divide et impera: Global English and applied linguistics. In: K Spelman Miller & P Thompson (eds) Unity and diversity in language use. London: Continuum, pp TIMMIS, I. Native-speaker norms and International English. In: ELT Journal, Oxford: Oxford University Press, v. 56, n. 3, p

O ENSINO DE COMPREENSÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DOCENTE

O ENSINO DE COMPREENSÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DOCENTE O ENSINO DE COMPREENSÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DOCENTE MEIRELES, Mirelly Karolinny de Melo/UNIDERC 1 mirellyk@yahoo.com.br NASCIMENTO, Kaline Brasil Pereira/UEPB 2 k.aline.brasil@hotmail.com

Leia mais

O Ensino da Pronúncia do Inglês e a Abordagem Comunicativa

O Ensino da Pronúncia do Inglês e a Abordagem Comunicativa ARTIGO...Letrônica v. 3, n. 1, p.153, julho 2010 O Ensino da Pronúncia do Inglês e a Abordagem Comunicativa Luciane Guimarães de Paula Introdução O presente artigo 1 relata um recorte dos resultados de

Leia mais

Palavras-chave: Ensino de pronúncia do inglês. Formação de professores. Pronúncia do inglês.

Palavras-chave: Ensino de pronúncia do inglês. Formação de professores. Pronúncia do inglês. Professores de inglês da rede pública paranaense e o ensino da pronúncia Andressa B. Albini 1 Denise Kluge 2 Resumo Este artigo objetiva discutir algumas questões relacionadas à importância da pronúncia

Leia mais

O DESAFIO DA PRONÚNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE INGLÊS

O DESAFIO DA PRONÚNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE INGLÊS O DESAFIO DA PRONÚNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE INGLÊS Andressa BRAWERMAN-ALBINI * Denise Cristina KLUGE ** ABSTRACT: This article aims at discussing some relevant issues related to the importance

Leia mais

por Prof ENGLISH PRONUNCIATION ACQUISITION BY IN-SERVICE TEACHERS Neide Cesar CRUZ *

por Prof ENGLISH PRONUNCIATION ACQUISITION BY IN-SERVICE TEACHERS Neide Cesar CRUZ * Apropriação da Pronúncia do Inglês por Prof ofessores em Formação Inicial ENGLISH PRONUNCIATION ACQUISITION BY IN-SERVICE TEACHERS Neide Cesar CRUZ * Resumo: Este estudo investiga a apropriação da pronúncia

Leia mais

ENSINO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA À LUZ DOS ASPECTOS INTERCULTURAIS

ENSINO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA À LUZ DOS ASPECTOS INTERCULTURAIS ENSINO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA À LUZ DOS ASPECTOS INTERCULTURAIS Anilda Costa Alves (PIBD/CAPESUEPB) anildauepb@gmail.com Jamille Alves (PIBID/CAPES/UEEPB) milygta10@hotmail.com Orientador: Prof.

Leia mais

O ENSINO DE INGLÊS NA ESCOLA NAVAL Profa. Dra. Ana Paula Araujo Silva Escola Naval

O ENSINO DE INGLÊS NA ESCOLA NAVAL Profa. Dra. Ana Paula Araujo Silva Escola Naval Eixo Temático I: Práticas pedagógicas a serviço da educação superior militar Subtema 1: metodologias de ensino e aprendizagem; ensino voltado para competências; hibridismo pedagógico; interdisciplinaridade

Leia mais

MUDANÇA DE CRENÇAS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A PRONÚNCIA DO INGLÊS. Neide Cesar CRUZ UFCG Universidade Federal de Campina Grande

MUDANÇA DE CRENÇAS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A PRONÚNCIA DO INGLÊS. Neide Cesar CRUZ UFCG Universidade Federal de Campina Grande MUDANÇA DE CRENÇAS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A PRONÚNCIA DO INGLÊS Neide Cesar CRUZ UFCG Universidade Federal de Campina Grande Sibéria Maria Souto dos Santos FARIAS IFPB Instituto Federal de Educação,

Leia mais

CRENÇAS E EXPERIENCIAS DOS ALUNOS DE LINGUA INGLESA DO IFMG

CRENÇAS E EXPERIENCIAS DOS ALUNOS DE LINGUA INGLESA DO IFMG CRENÇAS E EXPERIENCIAS DOS ALUNOS DE LINGUA INGLESA DO IFMG OLIVEIRA, Shirlene Bemfica de Oliveira 1 CARMO, Kamila Oliveira do 2 LEITE, Gabriela Maria Ferreira Leite 3 OLIVEIRA, Tatiane Morandi de 4 ROSSI,

Leia mais

Crenças sobre pronúncia na formação de professores de língua inglesa

Crenças sobre pronúncia na formação de professores de língua inglesa Crenças sobre pronúncia na formação de professores de língua inglesa Thaíse Jordania Porto Dos Santos 1 Resumo: Diante de todos os avanços tecnológicos e em meio a tempos de total globalização, o Inglês

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 COMPLEXIDADE EM AMBIENTES DE SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 COMPLEXIDADE EM AMBIENTES DE SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS DE ENSINO (LIMAPE)

LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS DE ENSINO (LIMAPE) História da profissão docente em São Paulo: as estratégias e as táticas em torno dos fazeres cotidianos dos professores primários a instrução pública paulista de 1890 a 1970 Linha de Pesquisa: LINHA DE

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Professor: Dra. Vanessa Borges de Almeida (borgesalmeida@unb.br)

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Professor: Dra. Vanessa Borges de Almeida (borgesalmeida@unb.br) UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE LETRAS DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS E TRADUÇÃO (LET) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA APLICADA FONE: (61) 3107-7618 - TELEFAX: (61) 3307-7619 E-mail:

Leia mais

PRONÚNCIA NO CONTEXTO DE INGLÊS LINGUA FRANCA: INTELIGIBILIDADE DA FALA DE UM JAPONÊS PARA OUVINTES BRASILEIROS

PRONÚNCIA NO CONTEXTO DE INGLÊS LINGUA FRANCA: INTELIGIBILIDADE DA FALA DE UM JAPONÊS PARA OUVINTES BRASILEIROS 1 PRONÚNCIA NO CONTEXTO DE INGLÊS LINGUA FRANCA: INTELIGIBILIDADE DA FALA DE UM JAPONÊS PARA OUVINTES BRASILEIROS Neide Cesar CRUZ Universidade Federal de Campina Grande RESUMO: Este estudo apresenta dois

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL Ferreira, Aparecida de Jesus Unioeste/Cascavel A língua Inglesa sem dúvida é, hoje, a língua mais falada e utilizada no mundo como língua

Leia mais

O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA

O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA O AUÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA Ana Beatriz Miranda Jorge UFCG/ beatrizjmiranda@gmail.com Bruna Melo do Nascimento UEPB/ bruna.melo.nascimento@gmail.com Isabelle Coutinho Ramos Benício

Leia mais

PARA SE APRENDER INGLÊS, É PRECISO QUE O ALUNO TENHA PAIXÃO PELO IDIOMA : EM QUE ACREDITA UM ALUNO INICIANTE DO CURSO DE LETRAS (INGLÊS)?

PARA SE APRENDER INGLÊS, É PRECISO QUE O ALUNO TENHA PAIXÃO PELO IDIOMA : EM QUE ACREDITA UM ALUNO INICIANTE DO CURSO DE LETRAS (INGLÊS)? 2845 PARA SE APRENDER INGLÊS, É PRECISO QUE O ALUNO TENHA PAIXÃO PELO IDIOMA : EM QUE ACREDITA UM ALUNO INICIANTE DO CURSO DE LETRAS (INGLÊS)? 0. Introdução Tatiana Diello BORGES - UFG/CAJ Neuda Alves

Leia mais

O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS O PIPE I LÍNGUAS ESTRANGEIRAS O PIPE I Línguas Estrangeiras foi desenvolvido juntamente com as Disciplinas de Aprendizagem Crítico-Reflexiva das Línguas Inglesa, Francesa e Espanhola. O objetivo desse

Leia mais

ANAIS ELETRÔNICOS ISSN 235709765

ANAIS ELETRÔNICOS ISSN 235709765 O PAPEL DAS CRENÇAS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE INGLÊS EM ESCOLA PÚBLICA Walter Vieira BARROS 1 (UFCG) waltervieirabarros@gmail.com Edith Estelle Blanche Owono ELONO 2 (UFCG) stephyowono@yahoo.com Marco

Leia mais

Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD

Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD Patrícia Roberta de Almeida Castro MACHADO (FL-UFG) patricia_cultura@hotmail.com Lucielena Mendonça de LIMA orientadora (FL-UFG) lucielenalima@gmail.com

Leia mais

TESTE SELETIVO COLEGIADO DE LETRAS - 2013 LISTA DE PONTOS

TESTE SELETIVO COLEGIADO DE LETRAS - 2013 LISTA DE PONTOS ENSINO DE LÍNGUA INGLESA 1. New technologies and ELT 2. Teaching English pronunciation for Brazilian EFL speakers 3. Developing reading skills in the EFL classroom: theory and practice 4. Assessment in

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Ensino Técnico Habilitação Profissional: Profissional Nível

Leia mais

travessias número 02 revistatravessias@gmail.com ISSN 1982-5935

travessias número 02 revistatravessias@gmail.com ISSN 1982-5935 1 CRENÇAS DE DUAS ALUNAS-PROFESORAS SOBRE O ENSINO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA EM ESCOLA PÚBLICA TWO STUDENT-TEACHERS BELIEFS ABOUT TEACHING ENGLISH AS A FOREING LANGUAGE IN PUBLIC SCHOOLS Josiane

Leia mais

LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA SPADA, Nina. Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Estrangeira: uma entrevista com Nina Spada. Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVEL. Vol. 2, n. 2, 2004. Tradução de Gabriel de Ávila Othero.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Estudo do processo de aquisição/ aprendizagem de uma segunda língua/ língua estrangeira, métodos e técnicas para o ensino, especialmente da habilidade de leitura. Análise de recursos didáticos.

Leia mais

Como funciona uma aula de inglês na Language Plus

Como funciona uma aula de inglês na Language Plus Como funciona uma aula de inglês na Language Plus professores nativos de inglês. Sobre os Cursos da Language Plus Os Cursos de Inglês da Language Plus foram desenhados especialmente para os profissionais

Leia mais

3 Pavimentando o caminho: o contexto

3 Pavimentando o caminho: o contexto 46 3 Pavimentando o caminho: o contexto Because it is we practioners (teachers AND learners) who need understandings of what is happening now (Allwright, 2003) Este capítulo é dedicado a situar o contexto

Leia mais

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Formação Continuada em Inglês para professores de Inglês

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Formação Continuada em Inglês para professores de Inglês MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO

Leia mais

CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE

CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE Marrine Oliveira Sousa (UFG) Tatiana Diello Borges (UFG) marrine_@hotmail.com tatiana.diello@gmail.com 1. Introdução No exterior,

Leia mais

O ENSINO DE INGLÊS NO IFRJ: UMA PERSPECTIVA A PARTIR DO OLHAR DO ALUNO

O ENSINO DE INGLÊS NO IFRJ: UMA PERSPECTIVA A PARTIR DO OLHAR DO ALUNO O ENSINO DE INGLÊS NO IFRJ: UMA PERSPECTIVA A PARTIR DO OLHAR DO ALUNO Elza Maria Duarte Alvarenga de Mello Ribeiro (1); Carla Cristina de Souza (2); Giovana de Oliveira Caxias (3). (1) Instituto Federal

Leia mais

O trabalho infantil hoje e em diferentes épocas: Uma nova Abordagem para o Ensino. de História nas Séries Iniciais

O trabalho infantil hoje e em diferentes épocas: Uma nova Abordagem para o Ensino. de História nas Séries Iniciais O trabalho infantil hoje e em diferentes épocas: Uma nova Abordagem para o Ensino de História nas Séries Iniciais Jaqueline Lesinhovski Talamini 1 Os professores das séries iniciais encontram muitas vezes

Leia mais

Daniel Fernando Rodrigues 1. Introdução

Daniel Fernando Rodrigues 1. Introdução O PERFIL DE ALUNOS DE LÍNGUA INGLESA INGRESSANTES NO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS: DELIMITANDO EXPECTATIVAS E METAS PARA A COMPETÊNCIA 1 RESUMO: Este artigo apresenta o perfil dos alunos de inglês de

Leia mais

UM POUCO ALÉM DA LEITURA INSTRUMENTAL: O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA(INGLÊS) NO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM EDIFICAÇÕES DO IFG-CÂMPUS JATAÍ

UM POUCO ALÉM DA LEITURA INSTRUMENTAL: O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA(INGLÊS) NO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM EDIFICAÇÕES DO IFG-CÂMPUS JATAÍ UM POUCO ALÉM DA LEITURA INSTRUMENTAL: O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA(INGLÊS) NO CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM EDIFICAÇÕES DO IFG-CÂMPUS JATAÍ Daniella de Souza Bezerra - daniella@jatai.ifg.edu.br Daniela

Leia mais

Contexto. Rosana Jorge Monteiro Magni

Contexto. Rosana Jorge Monteiro Magni Título MUDANÇAS DE CONCEPÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE GEOMETRIA EM UM CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA EDUCAÇÃO BÁSICA Doutoranda da Universidade Anhangura/ Uniban

Leia mais

3. O projeto LINDSEI-BR: apresentação e composição

3. O projeto LINDSEI-BR: apresentação e composição DIFICULDADES INERENTES À COMPILAÇÃO DE UM CORPUS ORAL DE INFORMANTES BRASILEIROS APRENDIZES DE INGLÊS PARA O PROJETO LINDSEI-BR 1. Introdução Predomina, atualmente, a utilização de corpora de falantes

Leia mais

EMOÇÕES NA ESCRITA EM LÍNGUA INGLESA. Palavras-chave: escrita, afetividade, ensino/aprendizagem, língua inglesa

EMOÇÕES NA ESCRITA EM LÍNGUA INGLESA. Palavras-chave: escrita, afetividade, ensino/aprendizagem, língua inglesa EMOÇÕES NA ESCRITA EM LÍNGUA INGLESA Talles Henrique LIMA; Neuda Alves do LAGO CAJ/UFG tallesh7@hotmail.com, neudalago@hotmail.com Palavras-chave: escrita, afetividade, ensino/aprendizagem, língua inglesa

Leia mais

A leitura em português como L2: análise das possíveis crenças dos professores de surdos

A leitura em português como L2: análise das possíveis crenças dos professores de surdos A leitura em português como L2: análise das possíveis crenças dos professores de surdos Reading in Portuguese as L2: analysis of possible beliefs of teachers of the deaf Patrícia Araújo Vieira * Vera Lúcia

Leia mais

CRENÇAS RELACIONADAS À MOTIVAÇÃO DE APRENDER LE (INGLÊS) NO CURSO DE LETRAS DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA 1

CRENÇAS RELACIONADAS À MOTIVAÇÃO DE APRENDER LE (INGLÊS) NO CURSO DE LETRAS DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA 1 CRENÇAS RELACIONADAS À MOTIVAÇÃO DE APRENDER LE (INGLÊS) NO CURSO DE LETRAS DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA 1 Hélvio Frank de Oliveira 2 RESUMO: O objetivo deste artigo é identificar crenças relacionadas à

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

A importância do listening para o processo ensino-aprendizagem na disciplina de inglês do ensino fundamental

A importância do listening para o processo ensino-aprendizagem na disciplina de inglês do ensino fundamental A importância do listening para o processo ensinoaprendizagem na disciplina de inglês do ensino fundamental Priscilla Moreira Diniz SEPÚLVEDA 1, Danielle Ferreira de SOUZA 2 1 Acadêmica do curso graduação

Leia mais

CAPÍTULO 2 METODOLOGIA

CAPÍTULO 2 METODOLOGIA CAPÍTULO 2 METODOLOGIA O presente capítulo tem o objetivo de apresentar e descrever os instrumentos e os procedimentos utilizados para coleta e análise dos dados, justificando o uso de tais instrumentos

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

CONCEPÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 CONCEPÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO

Leia mais

O TRABALHO COM TEXTOS MULTIMODAIS COMO MOTIVAÇÃO PARA APRENDER LE: UM ESTUDO DE CASO NA REDE ESTADUAL PAULISTA

O TRABALHO COM TEXTOS MULTIMODAIS COMO MOTIVAÇÃO PARA APRENDER LE: UM ESTUDO DE CASO NA REDE ESTADUAL PAULISTA 03070 O TRABALHO COM TEXTOS MULTIMODAIS COMO MOTIVAÇÃO PARA APRENDER LE: UM ESTUDO DE CASO NA REDE ESTADUAL PAULISTA Resumo Autor: Marcelo Ganzela Martins de Castro Instituições: UNINOVE/Instituto Singularidades/E.

Leia mais

AS ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM EM LÍNGUA ESPANHOLA NO ÂMBITO DO CAA - CENTRO DE AUTO-ACESSO

AS ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM EM LÍNGUA ESPANHOLA NO ÂMBITO DO CAA - CENTRO DE AUTO-ACESSO AS ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM EM LÍNGUA ESPANHOLA NO ÂMBITO DO CAA - CENTRO DE AUTO-ACESSO Gabriela Rodrigues Botelho Prof. Camila Maria Corrêa Rocha (Orientador) RESUMO Este artigo tem por objetivo abordar

Leia mais

DISCUTINDO AS CRENÇAS DE UMA PROFESSORA UNIVERSITÁRIA E DE SEUS ALUNOS SOBRE O QUE É SER BEM-SUCEDIDO EM AVALIAÇÕES ORAIS

DISCUTINDO AS CRENÇAS DE UMA PROFESSORA UNIVERSITÁRIA E DE SEUS ALUNOS SOBRE O QUE É SER BEM-SUCEDIDO EM AVALIAÇÕES ORAIS 1 DISCUTINDO AS CRENÇAS DE UMA PROFESSORA UNIVERSITÁRIA E DE SEUS ALUNOS SOBRE O QUE É SER BEM-SUCEDIDO EM AVALIAÇÕES ORAIS Marcela Ferreira Marques (Universidade Federal de Goiás) Introdução Cada professor

Leia mais

SALA DE AULA DE LE (INGLÊS): PROFESSORA E ALUNOS FALAM A MESMA LÍNGUA?!

SALA DE AULA DE LE (INGLÊS): PROFESSORA E ALUNOS FALAM A MESMA LÍNGUA?! 50 SALA DE AULA DE LE (INGLÊS): PROFESSORA E ALUNOS FALAM A MESMA LÍNGUA?! FOREIGN LANGUAGE (ENGLISH) CLASSROOM: DOES THE TEACHER AND HER STUDENTS SPEAK THE SAME LANGUAGE?! Hélvio Frank de Oliveira Mestre

Leia mais

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PAIR WORK NA SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA PARA NÍVEIS INICIAIS

A IMPORTÂNCIA DO PAIR WORK NA SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA PARA NÍVEIS INICIAIS A IMPORTÂNCIA DO PAIR WORK NA SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA PARA NÍVEIS INICIAIS SOUSA, Marrine Oliveira (UFG) LAGO, Neuda (UFG) Resumo: Através desta pesquisa foi analisada a importância do trabalho

Leia mais

EXTENSÃO EM ESPANHOL: ALGUMAS NOÇÕES ELEMENTARES PARA A FORMAÇÃO DE CIDADÃO.

EXTENSÃO EM ESPANHOL: ALGUMAS NOÇÕES ELEMENTARES PARA A FORMAÇÃO DE CIDADÃO. 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXTENSÃO EM

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL PROPAGANDA Anilda Costa Alves Jamile Alves da Silva Leônidas José da Silva Jr Universidade Estadual da Paraíba anildauepb@gmail.com milygta10@hotmail.com

Leia mais

Letras 2.0. Monitoria nos cursos de línguas para a comunidade. Ultimas notícias: apresentação do curso. Assessora: Márcia Magarinos

Letras 2.0. Monitoria nos cursos de línguas para a comunidade. Ultimas notícias: apresentação do curso. Assessora: Márcia Magarinos Letras 2.0 Assessora: Márcia Magarinos Monitoria nos cursos de línguas para a comunidade Ultimas notícias: apresentação do curso Proposta: - Oferecer ambiente de orientação e formação de monitores de modo

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Ana Luisa Barbosa de Melo Universidade Federal de Campina Grande analuisamelo35@gmail.com RESUMO: O presente artigo tem por principal analisar

Leia mais

SANDRA MARY ALMEIDA MATTJIE CRENÇAS DE PROFESSORES E ALUNOS DE ESCOLAS DE COMUNIDADE BILÍNGUE SOBRE O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE INGLÊS

SANDRA MARY ALMEIDA MATTJIE CRENÇAS DE PROFESSORES E ALUNOS DE ESCOLAS DE COMUNIDADE BILÍNGUE SOBRE O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE INGLÊS SANDRA MARY ALMEIDA MATTJIE CRENÇAS DE PROFESSORES E ALUNOS DE ESCOLAS DE COMUNIDADE BILÍNGUE SOBRE O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE INGLÊS PORTO ALEGRE 2010 SANDRA MARY ALMEIDA MATTJIE CRENÇAS DE

Leia mais

O conteúdo matemático e seu ensino em um curso de Pedagogia a distância: o tutor virtual como formador

O conteúdo matemático e seu ensino em um curso de Pedagogia a distância: o tutor virtual como formador O conteúdo matemático e seu ensino em um curso de Pedagogia a distância: o tutor virtual como formador Luciane de Fatima Bertini Cármen Lúcia Brancaglion Passos Introdução A formação dos professores para

Leia mais

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Silvane Guimarães Silva Gomes, Frederico José Vieira Passos Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

CRENÇAS DISCENTES SOBRE A FORMAÇÃO EM LETRAS E A DOCÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA

CRENÇAS DISCENTES SOBRE A FORMAÇÃO EM LETRAS E A DOCÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 761 CRENÇAS DISCENTES SOBRE A FORMAÇÃO EM LETRAS E A DOCÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA Fabiana Gonçalves Monti 1, Sérgio

Leia mais

scrita ISSN 2177-6288

scrita ISSN 2177-6288 e-scrita scrita ISSN 2177-6288 192 LÍNGUA E CULTURA NO CONTEXTO DE PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA SANTOS, Percilia & ALVAREZ, Maria Luisa Ortíz. Língua e Cultura no Contexto de Português Língua Estrangeira.

Leia mais

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 ENSINAR INGLÊS É O MÁXIMO! : REVELANDO AS CRENÇAS SOBRE ENSINO/APRENDIZAGEM DE LÍNGUA

Leia mais

PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA: CRENÇAS E EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZES NO BRASIL RESUMO

PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA: CRENÇAS E EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZES NO BRASIL RESUMO PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA: CRENÇAS E EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZES NO BRASIL Natália Correia Mileno 1 Mariney Pereira Conceição 2 RESUMO O objetivo deste estudo é analisar as crenças de aprendizagem de

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS

PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS 12ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia de Ensino de Inglês - 12ª Classe Formação de

Leia mais

FALAR INGLÊS É DIFÍCIL? SPEAKING ENGLISH: IS IT DIFFICULT? Elisa Probst Hausmann. Diva Rangel Martinelli

FALAR INGLÊS É DIFÍCIL? SPEAKING ENGLISH: IS IT DIFFICULT? Elisa Probst Hausmann. Diva Rangel Martinelli FALAR INGLÊS É DIFÍCIL? SPEAKING ENGLISH: IS IT DIFFICULT? Elisa Probst Hausmann Mestre em Educação pela Universidade Regional de Blumenau (FURB) Professora de Língua Inglesa do Departamento de Letras

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Competência (meta) lingüístico - comunicativa na língua inglesa através da aquisição de funções da linguagem nas quatro habilidades (ouvir, falar, ler, escrever). Introdução à Fonética e Fonologia.

Leia mais

Fonologia: ferramenta de ensino para professores de inglês como língua estrangeira

Fonologia: ferramenta de ensino para professores de inglês como língua estrangeira Fonologia: ferramenta de ensino para professores de inglês como língua estrangeira Valdirécia de Rezende Taveira Universidade Federal de Minas Gerais/CAPES Clarice Lage Gualberto Universidade Federal de

Leia mais

PROGRAMA Disciplina: Carga horária: Professores coordenadores Ementa Justificativa Objetivo Geral Objetivos Específicos

PROGRAMA Disciplina: Carga horária: Professores coordenadores Ementa Justificativa Objetivo Geral Objetivos Específicos 1 PROGRAMA Disciplina: Produção de material didático para o ensino de Língua Portuguesa como Adicional Carga horária: 45h/a Professores coordenadores: Rosemeire Selma Monteiro-Plantin (UFC) Leandro Rodrigues

Leia mais

Palavras-chave: Crenças. Aprendizagem. Inglês-LE. Crianças

Palavras-chave: Crenças. Aprendizagem. Inglês-LE. Crianças SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO SIGNO É LEGAL APRENDER INGLÊS! CRENÇAS DE CRIANÇAS SOBRE A APRENDIZAGEM DE INGLÊS-LE Isabela Tornopolski Queiroz 1 Raquel Cristina Mendes Carvalho 2 RESUMO

Leia mais

O USO DIDÁTICO DO DICIONÁRIO ESCOLAR BILÍNGUE PORTUGUÊS- INGLÊS/INGLÊS-PORTUGUÊS NA SALA DE AULA DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

O USO DIDÁTICO DO DICIONÁRIO ESCOLAR BILÍNGUE PORTUGUÊS- INGLÊS/INGLÊS-PORTUGUÊS NA SALA DE AULA DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA O USO DIDÁTICO DO DICIONÁRIO ESCOLAR BILÍNGUE PORTUGUÊS- INGLÊS/INGLÊS-PORTUGUÊS NA SALA DE AULA DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Vanessa Rodrigues Barcelos 1 Resumo: O objetivo deste trabalho é relatar

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Médio ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Área de conhecimento: Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias Componente Curricular: Inglês Série: 2ºC,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB

RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB Sirleide Marinheiro da Silva (PIBID/UEPB) 1 Sirleide_22@hotmail.com

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO

A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO André William Alves de Assis 1 ;

Leia mais

A LÍNGUA INGLESA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGANDO AS REPRESENTAÇÕES DOS ALUNOS DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS SOBRE O INGLÊS

A LÍNGUA INGLESA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGANDO AS REPRESENTAÇÕES DOS ALUNOS DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS SOBRE O INGLÊS A LÍNGUA INGLESA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGANDO AS REPRESENTAÇÕES DOS ALUNOS DOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS SOBRE O INGLÊS Resumo Pauliana Duarte Oliveira IFG 1 Grupo de trabalho: Cultura,

Leia mais

Ciências Humanas TRABALHANDO A MOTIVAÇÃO NOS ALUNOS DE LÍNGUA INGLESA RESUMO ABSTRACT. KEYWORDS Motivation in English. Teaching. Students. Language.

Ciências Humanas TRABALHANDO A MOTIVAÇÃO NOS ALUNOS DE LÍNGUA INGLESA RESUMO ABSTRACT. KEYWORDS Motivation in English. Teaching. Students. Language. TRABALHANDO A MOTIVAÇÃO NOS ALUNOS DE LÍNGUA INGLESA Leonardo Elizeu Alves Pós-graduado em Práticas Pedagógicas para Professores do Ensino Superior (Faculdades Cathedral Boa Vista-RR) Graduado em Licenciatura

Leia mais

O MATERIAL DIDÁTICO NA AULA DE LÍNGUA INGLESA: análise, produção e utilização.

O MATERIAL DIDÁTICO NA AULA DE LÍNGUA INGLESA: análise, produção e utilização. O MATERIAL DIDÁTICO NA AULA DE LÍNGUA INGLESA: análise, produção e utilização. Keila Mendes dos Santos Universidade do Estado da Bahia Reinaldo Ferreira da Silva Universidade do Estado da Bahia No contexto

Leia mais

Palavras-chave: avaliação, formação de professores, experiências, língua inglesa.

Palavras-chave: avaliação, formação de professores, experiências, língua inglesa. Resumo: EXPERIÊNCIAS DE PROFESSORES DE INGLÊS EM FORMAÇÃO INICIAL: A AVALIAÇÃO EM FOCO Vanessa Leite Barreto (UFMG) A formação de professores de Língua Inglesa (LI) tem sido tema recorrente de inúmeras

Leia mais

CRENÇAS DE APRENDIZES INICIANTES DE ESPANHOL SOBRE O BOM ALUNO 1 SPANISH BEGINNER LEARNERS BELIEFS ABOUT THE GOOD LEARNER

CRENÇAS DE APRENDIZES INICIANTES DE ESPANHOL SOBRE O BOM ALUNO 1 SPANISH BEGINNER LEARNERS BELIEFS ABOUT THE GOOD LEARNER CRENÇAS DE APRENDIZES INICIANTES DE ESPANHOL SOBRE O BOM ALUNO 1 SPANISH BEGINNER LEARNERS BELIEFS ABOUT THE GOOD LEARNER Luciana Schuster 2 Resumo: Esta pesquisa procura verificar as crenças de aprendizes

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 15/2010 UNEMAT DEPARTAMENTO DE LETRAS - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CÁCERES-MT A UNIVERSIDADE DO

Leia mais

AUTONOMIA NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA NO CONTEXTO ACADÊMICO

AUTONOMIA NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA NO CONTEXTO ACADÊMICO Anais do 6º Encontro Celsul - Círculo de Estudos Lingüísticos do Sul AUTONOMIA NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA NO CONTEXTO ACADÊMICO Gustavo Bueno FRANZ Bolsista UCPEL Wagner Roberto Nolasco SOUZA BIC/UCPel

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / / ÁREA DO CONHECIMENTO: LÍNGUA INGLESA CARGA HORÁRIA: 1 AULA SEMANAL PLANO DA I UNIDADE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES *Apresentar-se, cumprimentar

Leia mais

Palavras-chave: Crenças; Ensino/Aprendizagem; Diário Reflexivo.

Palavras-chave: Crenças; Ensino/Aprendizagem; Diário Reflexivo. Crenças sobre ensinar e aprender inglês no ensino fundamental: um estudo de caso Beliefs about teaching and learning English in elementary school: a case study Márcia Aparecida Silva 1 RESUMO: Neste trabalho,

Leia mais

Palavras-chave: ensino/aprendizagem de inglês, crenças, formação de professor Área Temática: Formação e prática docente (FPD).

Palavras-chave: ensino/aprendizagem de inglês, crenças, formação de professor Área Temática: Formação e prática docente (FPD). A PRÁTICA DO BOM DOCENTE DE LÍNGUA INGLESA DEVE FOCAR EM PROBLEMAS RELEVANTES DA CULTURA EM QUE O ALUNO TÁ INSERIDO : ALGUMAS CRENÇAS ACERCA DO PROCESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM DE INGLÊS DE UM PROFESSOR

Leia mais

A Relação do Docente com o Tempo em uma Atividade com Modelagem Matemática. Resumo:

A Relação do Docente com o Tempo em uma Atividade com Modelagem Matemática. Resumo: A Relação do Docente com o Tempo em uma Atividade com Modelagem Matemática Resumo: Alessandra Cristina da Silva 1 Nesse artigo, o objetivo é discutir como se configura o tempo na prática de uma professora

Leia mais

CRENÇAS, PRÁTICAS, E CONTEÚDO ADAPTADO: UMA PROFESSORA DE INGLÊS-LE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CRENÇAS, PRÁTICAS, E CONTEÚDO ADAPTADO: UMA PROFESSORA DE INGLÊS-LE NA EDUCAÇÃO INFANTIL CRENÇAS, PRÁTICAS, E CONTEÚDO ADAPTADO: UMA PROFESSORA DE INGLÊS-LE NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO: Ana Carolina Fonseca de Souza/ Mariana Gomes Bento de Mello/ Raquel Cristina Mendes de Carvalho/ Marcia

Leia mais

A imbricada relação entre língua e literatura: o texto literário na sala de aula de língua estrangeira

A imbricada relação entre língua e literatura: o texto literário na sala de aula de língua estrangeira A imbricada relação entre língua e literatura: o texto literário na sala de aula de língua estrangeira Talles Henrique Alves de Lima 1 Universidade Federal de Goiás Neuda Alves do Lago 2 Universidade Federal

Leia mais

CRENÇAS DE LICENCIANDOS EM LETRAS SOBRE O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE LÍNGUA INGLESA RESUMO

CRENÇAS DE LICENCIANDOS EM LETRAS SOBRE O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE LÍNGUA INGLESA RESUMO CRENÇAS DE LICENCIANDOS EM LETRAS SOBRE O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE LÍNGUA INGLESA RESUMO Diana Vasconcelos LOPES 1 Eduardo BARBUIO 2 Objetivou-se com o trabalho identificar as principais crenças sobre

Leia mais

Renata Aparecida de Freitas

Renata Aparecida de Freitas as escolhas linguísticas revelando decisões: uma breve aplicação de conceitos da gramática sistêmico-funcional como instrumento de análise Renata Aparecida de Freitas Renata Aparecida de Freitas Doutoranda

Leia mais

O D ES E A S FI F O I O D EN E TR T O O D A

O D ES E A S FI F O I O D EN E TR T O O D A O DESAFIO DENTRO DA SALA DE AULA Cenário Atual Pesquisa realizada com executivos da América Latina : Principais carências na formação: a) Dificuldade para se expressar; b) Dificuldade em pensar de forma

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: REFLEXÕES DE ALUNOS-PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: REFLEXÕES DE ALUNOS-PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO: REFLEXÕES DE ALUNOS-PROFESSORES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Viviane Pires Viana SILVESTRE Universidade Estadual de Goiás vivianepvs@gmail.com Resumo: Este estudo é fruto de uma pesquisa

Leia mais

READ IN WEB APRENDENDO INGLÊS POR MEIO DA

READ IN WEB APRENDENDO INGLÊS POR MEIO DA READ IN WEB APRENDENDO INGLÊS POR MEIO DA INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS ONLINE ANÁLISE DE UMA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM BASEADA NAS TIC Marilia Lopes Justino, Roberta Caroline Silva Salomão Universidade Estadual

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE AULA EM LÍNGUA INGLESA. Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado cujo

O PLANEJAMENTO DE AULA EM LÍNGUA INGLESA. Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado cujo O PLANEJAMENTO DE AULA EM LÍNGUA INGLESA Adriana Mascarenhas Duarte de Assis (UFSJ) Resumo Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado cujo objetivo foi investigar o processo

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE UM MODELO DE FORMAÇÃO CONTINUADA NA TRANSFORMAÇÃO DE CRENÇAS RELACIONADAS À RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS EM MATEMÁTICA

A INFLUÊNCIA DE UM MODELO DE FORMAÇÃO CONTINUADA NA TRANSFORMAÇÃO DE CRENÇAS RELACIONADAS À RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS EM MATEMÁTICA A INFLUÊNCIA DE UM MODELO DE FORMAÇÃO CONTINUADA NA TRANSFORMAÇÃO DE CRENÇAS RELACIONADAS À RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS EM MATEMÁTICA Liane Geyer Poggetti Mathema Formação e Pesquisa liane@sitelogo.com.br Maria

Leia mais

Palavras-chave: Aquisição da linguagem. Padrões fonético-fonológicos. Fonologia de uso. Teoria dos sistemas dinâmicos.

Palavras-chave: Aquisição da linguagem. Padrões fonético-fonológicos. Fonologia de uso. Teoria dos sistemas dinâmicos. CONTRIBUIÇÕES DA FONOLOGIA DE USO E DA TEORIA DOS SISTEMAS DINÂMICOS PARA A AQUISIÇÃO DE LINGUAGEM 1 Neliane Raquel Macedo Aquino (UFT) nr.macedo@hotmail.com RESUMO A aquisição de linguagem é um fenômeno

Leia mais

O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras

O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras O mundo lá fora oficinas de sensibilização para línguas estrangeiras Ligia Paula Couto (Universidade Estadual de Ponta Grossa) Introdução Este artigo relatará a experiência de um grupo de alunos e professores

Leia mais

Reflexões sobre a formação de professores de inglês como língua estrangeira 1

Reflexões sobre a formação de professores de inglês como língua estrangeira 1 Reflexões sobre a formação de professores de inglês como língua estrangeira 1 Teresa Helena Buscato Martins Mestre em Lingüística Aplicada - UNICAMP Professora da Faculdade Comunitária de Campinas - Unidade

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES SILVEIRA, Danubia Gisele Santos1 ¹Graduada em Letras Inglês e especialista em Ensino de Língua Inglesa e Educação a Distância pela Universidade

Leia mais

Crenças de uma professora de língua inglesa acerca do ensino/aprendizagem desse idioma

Crenças de uma professora de língua inglesa acerca do ensino/aprendizagem desse idioma Crenças de uma professora de língua inglesa acerca do ensino/aprendizagem desse idioma Beliefs of a teacher of english language about teaching / learning that language Tatiana Diello Borges * Vitalino

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS 1

CONSTRUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS 1 CONSTRUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS PARA ESTRANGEIROS 1 FABRI, Ana Sophia 2 ; RANGEL, Eliane 3 ; BARIN, Nilsa Reichert 4 1 Artigo final produzido no PROBIC- Projeto de bolsisita

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCHLADLEMPLIC04 OBSERVAÇÃO EM SALA DE AULA E/LE Bruna Mikaele Siquiera (1) María del Pilar Roca (3) Centro de Ciências Humanas, Artes e Letras/ Departamento de Letras Estrangeiras Modernas RESUMO Esse

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... 01. Capítulo 1: Fundamentação teórica... 06. 1.1 Origem e desenvolvimento da abordagem instrumental... 06

SUMÁRIO. Introdução... 01. Capítulo 1: Fundamentação teórica... 06. 1.1 Origem e desenvolvimento da abordagem instrumental... 06 vii Resumo Este estudo apresenta os resultados de uma análise de necessidades de uso da língua inglesa de estudantes de um curso universitário de Publicidade e Propaganda, bem como de profissionais dessa

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS EM EDUCAÇÃO: REPENSANDO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA

NOVAS TECNOLOGIAS EM EDUCAÇÃO: REPENSANDO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA NOVAS TECNOLOGIAS EM EDUCAÇÃO: REPENSANDO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA Maria Elisabete Mariano dos SANTOS *, Edemilson J.R. BRANDÃO ** Universidade de Passo Fundo - Passo Fundo/RS. Resumo:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão de Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística Qualificação:

Leia mais