tsfrt urct PRIMEIR.* O&TETO Formalíznr a cooperolda arad'émica enx tod'o,s as óras dísponíveis etn ambas as SEGUNDA Ll tt3t tt rstr

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "tsfrt urct 2014-002 PRIMEIR.* O&TETO Formalíznr a cooperolda arad'émica enx tod'o,s as óras dísponíveis etn ambas as SEGUNDA Ll tt3t tt rstr"

Transcrição

1 urct !f,:1 rl e tsfrt uxmna olo oé t 8 FUEnl a ln oa8 rlrovrgtor t l Ll tt3t tt rstr CONVÉNIO ESPECLFICO DE COOPERAQÁO ACADÉMICA ENTRE A UNIVERSIDN)E DE SÁO PAULO (BRASIL) E A UNIWRSIDAD DE LAS FUERZAS ARMADAS ESPE (EQUADOR) De um lado a UNIVERSIDADE DE SÁO PAULO (USP), Brosíl, neste oto representod'a por seu Reitor, Prof. Dr. Joóa Grond,irw Rod'os, e d'e outro lad'o, o E UNIWRSIDAD DE LAS FIIERZAS ARMADAS ESPE, Equador, neste ato lepresentada por seu Reitot General d Brígada. Eng. Boque Moreira Cedeño, tün entre si justo e acertod,o o que gegue, de acordo com as clóusulas e cond'kdes aboixt : PRIMEIR.* O&TETO Formalíznr a cooperolda arad'émica enx tod'o,s as óras dísponíveis etn ambas as uníuersídod,es, a fim de promouer o íntercdmbío d'e d'ocentes / pesquísadores, estudantes d,e pós-grad,uagda, estudantes de gradualda (corn reconhecimento mútuo d'e estudns d gro.dualda) e rnembros d.a equípe técníco-ad.tninistrotiva das respectiuas institui'qóes. SEGUNDA Formas dc coopero4do na intercá,mbio d'e: 2. I. Docentes / pesquisa.d.ores: Os docentes/pesquisadnres uisítantes porticíparáo dc conferéntíos, ensinn e'/ou pesquisa, sendo que a d'uraqdo da estada ndo deuerá exceder urn ano atad'érnico (doís semestres). 2,1.2. O seguro satide deveró ser prouidenríndo pelo docente/ pesquísador rn país d'e origem Os solórios serda pagos pela ínstítuígda de ori,gem. t,ú^.ú;" 1..L],r".t) l)tt'rnan;: u! í.\l'l \!'1. (t i t l :t)t]) Página I

2 urct IrDtt \l +:7 t í rqtrir lbdr lb ufrñrcngo^d E t 8 lteñlar lfi^oa ttaovlctot ttlt t a ro tl G l^ 2.2. Estudantes d.e Grad,uo4fu e d.e Pós-Grad.uo4áo: Os estud,antes serdo índí.cadas por sun ínstituilfu d,e origem com base na exceléncía acad,émi,ca, send,o que a aceitagdo fitará a corgo da instituigdo receptora Os estudarltes aceítos pela ínstituígaa receptora serdn consil,erad,os alunos de progranxa d,e intercómbío e estarda sujeitos a tod,as os normas d,a ínstituígda receptora, deuendo observar cb ntesnrcta cond,ígóes dos estud.antes regulares Os estudantes partícípantes dc progromo de intercó'mbio deverfu ser estimuladas a desenvolver um conh,ecímento dn i.d,ioma do país do instituigda receptoro, compatível com a atíuidad,e a ser por eles d,esenuolvida Cad,o estudante deveró seguír unx progrom,a desenuoluida conjuntomente entrc as duas instituígóes A durqda do estada nña deueró erced,er um ono otodémico, salvo nn caso d,e prograrnos d.e duplo díploma Os programas de duplo díplorna de graduo1fu, bem como os co-orienta4íes de teses, deueráo ser objeto dc documento específíco, a ser firmad,o entre as partes interessad,as As institufuóes determinarda, de comum orordn, o número d'e estuddntes para intercdmbío O seguro soúde deveró ser prouíd.encíadn pelo oluno nn país de origem, antes d,e sua chegada d instítuigda receptora Membros da equipe técnico-administratiua: Com o íntuito de estímular a troca, de erperíénrias e conhecimentoe adminístratíuos em áreas de ínteresse cotnunr, qs instituiqóes pod.erdo ind,ícar membro(s) de suas equípes técníco-admínístratívas paro partícípar d,o intercdrnbín.,rt'. ),' i,!,ir)üi ) lt!t.t t,\;"t t I \t' l.\t'l lt li( :lt; i) Pógina 2

3 urgt tst]t urrr,e aro D r t 8 ruenza tnrard a ratou gr0 t a tt lrc rt ct^ O segtro saúde d.eueró ser providencia.dn pelo interessadn tw país d.e oüent Os solá.rios serdo pagos pela instítuígda dc origem As atiuidad s d.exnvoluidas durante o período dn íntercámbia d verdo ser cond.izentes com o otualdo profíssíonal na ínstituigdo de origem, devendo geror unt relotório o ser entregue d,s instítuí96es receptoro e de ori6em. TDRCEIRA - SUPORTE FIN AN CEIRO 3.1, Os docentes envolvídos tw intercámbí.o náo pogardo toma na ínstitui.gdo receptora. As d mais despesas (víagem, haspedagem, etc.) correrdo por conto do departamento ou d,a unídade a que pertencem, ou no caso de ndo eristír o orgamento para essa ftnolí.dad,e, estas despesos serdo assumidds pelo interessod.o, que pod,eró procurar fina nciamento junto a órg6os erternos Os estud,antes envoluidos tw intercdmbio deueráa pqar os taras otúémícas, quonda erístentes, en7 sua ínstítuigdn de orígem. As demaís d,espesas (viagern, hosped,agem, etc.) poderdn ser finoncia.dns por órgdos erternos ou fícordo a cargo dn próprín estudante. A existéttcio d.o conuénío náo implfua compromísso de suporte fina nteíro por conta das instituigóes No caso de intercdmbío de membros d.a equípe técnico-odministlatíua, as d.espesas correrdo por conta d.a instítuigdo d,e origem, d,esde que hojo dísponíbilídade financeira para tal. SUARTA- OBRIGACÓES DA ASP E DA ESPE 4.1. As du.as ínstítui4óes procurorón alcanlar reciproci.dade nns atiuídad.es contempladas por este conuénio., 1.'.,',:, 1.a )tt;. I'",,q.l"'t li\,\'i\jt tt at :'rt:' Pógina 3

4 urct lrrñll. rqtrirl- ut{ Enatoao * r B FuEnzaS aflaoa8 --r rtrar^tlü ralr t l 3atf Gll 4,2, Ao final dn estad,a do estudnnte, a instítuicda receptora enuíaró ao órgda apropriodn da ínstítuigdn d,e origem dacumento oficial, especifican'd'o as ativíd'ades desenvolvid,as e a aualiagdo recebída, quand,o t'or o caso- 4.3, A instituí7án de origem reconhecerá os resultadns orad,émicos obtídos pelo estudante na ínstituigdn receptoro, com bose em progrdma d'e trabalho preuíamente atordnd'o entre as duas instituicóes e em seus créd,itoe e/ou cargo horória As d,uas instítui46es se comprometem o pro,ílouer a integragdo dns estudontes na vida a ad,émic a dn instituigáa r eceptora. 4,5. A instituícaw receptora d'euerá prouer condfuóes de pesquisa e local aptoprind.os para o trabalho da dncente / pesquisad'or uisítante, na med'ida de suos possibilidndes A ínstituigda receptora d,euerá oferecer condigóes d.e trabalho para o desenuolvimento das atívidodes dos membros da equipe técnico'od'mínistrativa. QUINTA- COORDENACÁO 5.1. Para constítuir a Coord,enogdn técnico e ad.ministratiua do ptesente conuénio sda indícad.os peta USP, o Vice'Reitor Executiuo de Rela4óes Internatíonaís, e pelo tlniversidad. de las F\.rerzas Armadas ESPE, o Diretor d'a Unidad'e de Relalóes de Cooperoldo Interinstitutionnl- U RCI. 5.2, Caberó, d, referíd,a Coordena4da a busca de solugíes e o encaminhamento de questóes orad.émícas e ad,minístrotíuas que surgírenx duratute a vigéncia dn presente conuénio, bem como a superuisdo d,os atíuid'od,es. SEXTA-VIGENCIA O presente conuénía uigoraró pelo pro'zo de 5 (cittco) anos, a pofiir d'a d'ota em que for assínad,o pelos representantes de atnbas as partes. Quoísquer mudangas nos tern'ros deste conuénio deverda ser efetua Jos atrovés d,e Termo Ad,ítíuo deuidnmente otordod.o entre as partes signotó'rías. t ', t', 1.-, i ti."!' r,..;,'it i \/' í/'i ir til -,! lr.';r Ptjg na 4

5 urcl rqer uf{rgearoad G r a FUEnz B amad 8 rrrortoró,^t! cl ll rr -rt- - séna* on,tú,tcu O presente conuénío pod,eró ser denunciad,o a qualquer momento, por qu'alquer dns partes, rnedíante comuni,co4da ewressct, com antecedéncia míníma d'e 180 (cento e oitenta) dias. Caso haja pend.dtcias, os partes definirán, mediante Termo d,e Encerramento d,o Conuénio, as responsabilída'des pela conclusda d.e cad,a um dos trobalhos e todas as demaís pendéncins, respeitd'os as otivid'ad,es em curso. OITAVK Para dirímir dúvídns que poesam ser suscítad'as na execugdo e interpretaldn do presente convénío, as partes enuídardn esforqos na busca d,e uma solugdo consensual' Ndo sendn possíuel, as conuenentee ind'icarda, de comum acord'o, um terceiro, pessoa fisica, para atuar como medíodnr. E por estarem assim justas e convencionad'as, as partes assinam o preaente termo em duas vias dc cad,a versóa, em. espanhol e etn portugués, de igual teor. UNN'ERSIDADE DE SÁO PAULO UNTVERSIDN) DE LAS FUERZ S ARMADAS ESPE ( t,tt.) it 1,rtl.\ iii) tn,t.i:t l!\ I.\!'1. I!!t f.:' i!t) PáAina 5

CONVÊNIO CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO

CONVÊNIO CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO Universidade de Lisboa Alameda da Universidade Cidade Universitária 1649-004 Lisboa Portugal Universidade Federal de Uberlândia Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Santa Mônica CP 593 38.400-902 - Uberlândia

Leia mais

INIFORMAÇAO PARA HOMOLOGAÇAO DO C.O.

INIFORMAÇAO PARA HOMOLOGAÇAO DO C.O. 1 Fls....5... m UNlVERSlPADE ESTADUAL PAULISTA "JULIO DE MESQUITA FILHO" Reitoria Rub.... m..a,.. INIFORMAÇAO PARA HOMOLOGAÇAO DO C.O. UNESP e o Banco Santander (Brasil) S.A.. Tem por objetivo a implanhçh

Leia mais

CONVENIO DE COOPERACIÓN ENTRE LA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Y LA UNIVERSIDAD NACIONAL AGRARIA LA MOLINA

CONVENIO DE COOPERACIÓN ENTRE LA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Y LA UNIVERSIDAD NACIONAL AGRARIA LA MOLINA CONVENIO DE COOPERACIÓN ENTRE LA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Y LA UNIVERSIDAD NACIONAL AGRARIA LA MOLINA La UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO, Brasil, autarquía federal, vinculada al

Leia mais

CONVENIO ENTRE A UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA E...

CONVENIO ENTRE A UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA E... CONVENIO ENTRE A UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA E... O Reitor da Universidade de Santiago de Compostela com CIF Q1518001A, e domicilio na Praza do Obradoiro, s/n, 15706 Santiago de Compostela,

Leia mais

Convênio Específico de Colaboração para intercâmbio estudantil e pessoal acadêmico, entre

Convênio Específico de Colaboração para intercâmbio estudantil e pessoal acadêmico, entre Convênio Específico de Colaboração para intercâmbio estudantil e pessoal acadêmico, entre A CORPO RAÇÃO UNIVERSITÁRIA EMPRESARIAL ALEXANDER VON HUMBOLDT A UNIVERSIDADE (ARMENIA - COLÔMBIA) e DE SANTA CRUZ

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO INATEL E A UNIVERSIDADE DO PORTO. Lisboa, pessoa colectiva n. 500 122 237 neste acto representada pelo seu Presidente do

PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO INATEL E A UNIVERSIDADE DO PORTO. Lisboa, pessoa colectiva n. 500 122 237 neste acto representada pelo seu Presidente do NATEL N ÍL PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO INATEL E A ENTRE: PRIMEIRO FUNDAÇÃO INATEL, com domicílio na Calçada de Santana n 180 em Lisboa, pessoa colectiva n. 500 122 237 neste acto representada pelo seu Presidente

Leia mais

O CREA-RN se compromete a divulgar para seus servidores e dependentes, os cursos, eventos e informações de interesse do UNI-RN, bem como:

O CREA-RN se compromete a divulgar para seus servidores e dependentes, os cursos, eventos e informações de interesse do UNI-RN, bem como: ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA E O CENTRO UNIVERSITÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE -UNI-RN. O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA,

Leia mais

Art. 2 o Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. Reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Art. 2 o Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. Reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO CA N o 213 DE 2 DE JUNHO DE 2014. Aprova a assinatura do Contrato n o 01/2014 a ser celebrado entre a Universidade Estadual de Ponta Grossa e a Faculdade Sagrada Família FASF. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CONCEDENTE: SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BELO HORIZONTE, organização filantrópica inscrita no CNPJ sob o nº 17.209.891/0001-93, situada na Avenida Francisco

Leia mais

Protocolo de Colaboração. entre o. Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM) e as

Protocolo de Colaboração. entre o. Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM) e as Protocolo de Colaboração entre o Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM) e as Faculdades Católicas - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Protocolo de colaboração entre o Instituto

Leia mais

o presente contrato terá ambito nacional, sendo que a rede pagadora será composta de todas as agencias on-line do BANCO

o presente contrato terá ambito nacional, sendo que a rede pagadora será composta de todas as agencias on-line do BANCO cv M Comissao de Valores Mobiliários....,",,. c.:..~ ~" ;..".;"" '.1, " G -- 'Ig --- --- CONTRATO PARA PRESTA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Convênio que entre si celebram a Universidade do Estado da Bahia, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, a Universidade Estadual de Santa Cruz e a Universidade Estadual de Feira de Santana para

Leia mais

RESOLUÇÃO CA N o 359 DE 3 DE SETEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO CA N o 359 DE 3 DE SETEMBRO DE 2012. RESOLUÇÃO CA N o 359 DE 3 DE SETEMBRO DE 2012. Aprova a assinatura do Convênio a ser celebrado entre a Universidade Estadual de Ponta Grossa UEPG e a Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 279/2002-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 279/2002-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 279/2002-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio firmado entre a UNICENTRO e a Universidade de São Paulo, USP. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal;

PROTOCOLO. 1. A Imperio Bonanca e uma entidade legalmente autorizada a desenvolver a actividade seguradora em Portugal; ~ ~~ PROTOCOLO Entre, Exercito Portugues, pessoa colectiva numero 600 021 610, devidamente representado neste acto pelo Exmo. Senhor Tenente-General Eduardo Manuel de Lima Pinto, na qualidade de Comandante

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG Diretoria de Rela~oes Internacionais - DRI

Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG Diretoria de Rela~oes Internacionais - DRI Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG Diretoria de Rela~oes Internacionais - DRI Programa ESCALA Estudantil-AUGM PROGRAMA DE INTERCAMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAC;AO EDITAL DE SELECAO8-2010 o Diretor

Leia mais

O Engenheiro, a Universidade e o Sistema Confea/Crea

O Engenheiro, a Universidade e o Sistema Confea/Crea O Engenheiro, a Universidade e o Sistema Confea/Crea PROF. ALBERTO LUIZ FRANCATO COORDENADOR DO CURSO DE ENG. CIVIL MARÇO/2012 Cenário nacional para a Engenharia Civil: O crescimento da indústria da construção

Leia mais

Memorando de Entendimento entre a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) - Brasil e o Indian Council of World Affairs (ICWA) - Índia

Memorando de Entendimento entre a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) - Brasil e o Indian Council of World Affairs (ICWA) - Índia Memorando de Entendimento entre a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) - Brasil e o Indian Council of World Affairs (ICWA) - Índia A Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) Brasil e O Indian Council of World

Leia mais

TEMAS DE PSICOLOGIA SOCIAL

TEMAS DE PSICOLOGIA SOCIAL jr e Maria Braghiroll i Siloé Pereira Luiz Antônio Rizzo TEMAS DE PSCOLOGA SOCAL Dados nternacionais de Catalogação na Publicação (CP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Braghirolli, Elaine Maria

Leia mais

, "., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro

, ., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro ~ercíc~os ~11!;: - Propostos, "., ". ~tl) Quatro resistores 'RI = IK5, R2 = 4K7, R3 = 470 fie R4 = 2K2 são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV.. determinar:.,- ~ ~-- ~--- ~. a)

Leia mais

r',ffir;t11 [1 twi] I. RELAT6RIO

r',ffir;t11 [1 twi] I. RELAT6RIO ft,rtr, dr 5o{u5oo dc Dillrulor ctr l\,',,,*lod,. lnt l.rtuol r',ffir;t11 [1 twi] caunrr oe solugao DE DtspurAs REtATrvAs A NOMES Or OOnnirurO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUEAO DE DSPUTAS, MEDTACAO E ARBTRAGEM

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 087/2003-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 087/2003-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 087/2003-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio firmado entre a UNICENTRO e a FADEP. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho de Administração,

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Paraná Comissão Permanente de Licitação

Tribunal de Contas do Estado do Paraná Comissão Permanente de Licitação - Tribunal de Contas do Estado do Paraná TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA - ESTÁGIO NÃO REMUNERADO O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ, localizado na cidade de Curitiba no Estado do Paraná, na Praça Nossa

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS GABINETE DO REITOR FÓRMULA SANTANDER PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS GABINETE DO REITOR FÓRMULA SANTANDER PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL O Gabinete do Reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), no uso de suas atribuições, torna público este Edital de seleção de estudantes de graduação da PUC Goiás para a realização

Leia mais

ASCAR. t ASSOCIAÇÃO SULINA DE CREDITO E ASSISTÊNCIA RURAL EMATER/RS, ASSOCIAÇÃO 111... ASSISTÊNCIA RURAL. Documento da Empresa data: class:

ASCAR. t ASSOCIAÇÃO SULINA DE CREDITO E ASSISTÊNCIA RURAL EMATER/RS, ASSOCIAÇÃO 111... ASSISTÊNCIA RURAL. Documento da Empresa data: class: Lthll.54 810.Z V AL to] vslat Documento da Empresa data: class: t ASSOCIAÇÃO SULINA DE CREDITO E ASSISTÊNCIA RURAL ASCAR ESCRITÓRIO MUNICIPAL DE VICTOR GRAEFF DOCUMENTAÇÃO HISTÓRICA PERÍODO: 1981 EMATER/RS,

Leia mais

PSEL - Sistema de Controle de Processos Seletivos

PSEL - Sistema de Controle de Processos Seletivos Gabarito: 1 Idioma: Inglês 1 C CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS 2 B CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS 3 D CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS 4 D CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS 5 A CONHECIMENTOS

Leia mais

MANUAL DE INTERCÂMBIOS. NACIONAIS e INTERNACIONAIS

MANUAL DE INTERCÂMBIOS. NACIONAIS e INTERNACIONAIS MANUAL DE INTERCÂMBIOS NACIONAIS e INTERNACIONAIS Avenida Eufrásia Monteiro Petráglia, 900 Jardim Petráglia CEP. 14.409-160 - Franca-SP Intercâmbio Nacional: Seção de Graduação: (16) 3706-8831 Intercâmbio

Leia mais

Edital No. 006/2015 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/ MOBILIDADE ESTUDANTIL BRACOL

Edital No. 006/2015 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/ MOBILIDADE ESTUDANTIL BRACOL Edital No. 006/2015 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/ MOBILIDADE ESTUDANTIL BRACOL A Universidade Estadual do Norte do Paraná, como membro do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB),

Leia mais

REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG CAPITULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO

REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG CAPITULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO Reitoria REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG Este regulamento visa estabelecer a organização e o funcionamento da Mobilidade Acadêmica Estudantil Nacional e Internacional, no

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE 0 EXERCITO PORTUGUES E A TELE-MEDIA, INFORMATICA E SERVI<;OS, S.A. 1. Preambulo

PROTOCOLO ENTRE 0 EXERCITO PORTUGUES E A TELE-MEDIA, INFORMATICA E SERVI<;OS, S.A. 1. Preambulo PROTOCOLO ENTRE 0 EXERCITO PORTUGUES E A TELE-MEDIA, INFORMATICA E SERVI

Leia mais

Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008

Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008 Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAPG/BA (Programa de Centros Associados de Pós-Graduação),

Leia mais

Programa CAPES/BRAFITEC. Brasil/França Ingénieur Technologie. Edital CGCI n. 022/2007

Programa CAPES/BRAFITEC. Brasil/França Ingénieur Technologie. Edital CGCI n. 022/2007 Programa CAPES/ Brasil/França Ingénieur Technologie Edital CGCI n. 022/2007 1 Do programa O Programa (Brasil/França Ingénieur Technologie) é uma iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal

Leia mais

REITORIA. referente ao processo n 23107.000938/2010-17 e

REITORIA. referente ao processo n 23107.000938/2010-17 e UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE REITORIA RESOLucAO No. 23, DE 06 DE JULHO DE 2010. Estabelece Normas para o Programa de Mobilidade Estudantil, para a Mobilidade Interna entre Campi e para o Intercambio ou

Leia mais

ORDEM DE SERVICO N.O 2OI2OI2

ORDEM DE SERVICO N.O 2OI2OI2 ORDEM DE SERVICO N.O 2OI2OI2 Regulamento do Fundo de Apoio Sociol oos Estudantes ds flniversidade de Evora (FASE-UE) O presente Regulamento institui o Fundo de Apoio Social aos Estudantes da Universidade

Leia mais

~ r, ~ YJU rr i& m i& n'f Governo da Regiao Administrativa Especial de Macau

~ r, ~ YJU rr i& m i& n'f Governo da Regiao Administrativa Especial de Macau ~ r, ~ YJU rr i& m i& n'f ±ti!!f~j!f!mi'q Direq:ao dos Servic;os de Solos, Obras Publicas e Transportes 1?f!JfJ1~1*fll1ti~~~ Expli ca~ao do Projecto de Planta de Condi~oes Urbanisticas 157PCU2015 115 ;']

Leia mais

Serão promovidas prioritariamente, sujeitas à disponibilidade de fundos, as seguintes atividades:

Serão promovidas prioritariamente, sujeitas à disponibilidade de fundos, as seguintes atividades: As Faculdades Católicas, Sociedade Mantenedora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Com o objetivo de aprofundar os laços de cooperação entre o Brasil e Portugal, as Faculdades Católicas,

Leia mais

TERMO DE RECIPROCIDADE N 001/2012-TJ

TERMO DE RECIPROCIDADE N 001/2012-TJ poderjudiciariq tribunal dejustiqa do estado do amazonas SECRETAttlAGERALnE APMINISTRAgAQ DIVISAO DE CONTRATOS E CONVKN1OS TERMO DE RECIPROCIDADE N 001/2012-TJ TERMO DE RECIPROCIDADE N 001/2012-TJ que

Leia mais

UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO. Acadêmico(a):

UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO. Acadêmico(a): 2014 UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO Acadêmico(a): Número de matrícula: Turno: Carteira de Identidade: CPF: Endereço: Telefone:

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO

CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO CONS ORCIO 0 Banasul realizando sonhos earn voc* 1 CONVENIO PARA CONTRATACAO. DE CONSoRCIO BANRISUL SJA ADMINISTRADORA DE CONSORCIOS, corn sede na Av. Presidente Vargas no 2296 na cidade de Esteio/RS,

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

A República Federativa do Brasil. A República Argentina (doravante denominadas as "Partes"),

A República Federativa do Brasil. A República Argentina (doravante denominadas as Partes), CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO EDUCATIVA ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA ARGENTINA A República Federativa do Brasil e A República Argentina (doravante denominadas as "Partes"), Conscientes

Leia mais

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Manual de Estágio Osasco 2014 O que é o Estágio? "Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o

Leia mais

].NIFT ANATO. Matosinhos CAmara Municipal. servrgo DE TELE ASSTSTENCTA DOM CTUARTA - TNSCRTgAO

].NIFT ANATO. Matosinhos CAmara Municipal. servrgo DE TELE ASSTSTENCTA DOM CTUARTA - TNSCRTgAO Matosinhos CAmara Municipal servrgo DE TELE ASSTSTENCTA DOM CTUARTA - TNSCRTgAO Doto Nosc.: Morodo: Telefones: Cortdo MS n.o: l_l_l_l_l_l r_1_r_t_t_r_t_t_t_t_t_t_t_l_t_t_lt_t_1_l_t_t_t_t_t_t l_r_t_t_t_r_t_t_r_r_t_t_r_t_t_r_t_t_r_t_r_l_t_t_r_r_t

Leia mais

EM SERGIPE. integrante do Ministério da Previdência Social, CNPJ n 29.979.036/0416-88, neste ato

EM SERGIPE. integrante do Ministério da Previdência Social, CNPJ n 29.979.036/0416-88, neste ato PREVIDÊNCIA SOCIAL IN)I'!Vu%r& (InNnt no 1EGUHO 1 CULL PROCESSO N 35448. 00069112014-81 CONTRATO N 0412015 CONTRATO DE CESSÃO DE USO, A TÍTULO GRATUITO, DE ÁREA DE IMÓVEL, QUE ENTRE Si CELEBRAM A GERÊNCIA

Leia mais

Elementos da Produção

Elementos da Produção Matéria Prima Consumida() = Mão de Obra Diretia (MOD) = Custos Indiretos de Fabricação (CIF) = E.I. E.I. E.I. Compras de M.P. (=) R.L. E.F. E.F. E.F. (-) (=) L.B. Matéria-prima consumida Custo dos Produtos

Leia mais

CONVENIO N. l il -2014-TJ/AL

CONVENIO N. l il -2014-TJ/AL PODER. TUDICIARIO prefeitura municipal de CONVENIO N. l il -2014-TJ/AL CONVENIO DE CESSAO DE SERVIDORES QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTICA DO ESTADO E 0 MUNICIPIO DE. O TRIBUNAL DE JUSTIQA DO

Leia mais

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO INGLÊS Sala Língua Inglesa Iniciante A Língua Inglesa Iniciante B e 20h30 Língua Inglesa Elementar I A Língua Inglesa Elementar I B Língua Inglesa

Leia mais

R E S O L V E disciplinar o regime de cotutela de tese de doutorado e a consequente dupla diplomação, nos termos desta Resolução.

R E S O L V E disciplinar o regime de cotutela de tese de doutorado e a consequente dupla diplomação, nos termos desta Resolução. MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 133/2013 EMENTA: Regulamenta o regime de cotutela de tese de doutorado entre a UFF e instituições de ensino superior estrangeiras.

Leia mais

PROCESSO 23118 000715/2011-10

PROCESSO 23118 000715/2011-10 PROCESSO 23118 000715/2011-10 CONTRATO N. 14/2013, QUE ENTRE SI CELEBRAM A FUNDA00 UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONIA - UNIR E A EMPRESA NORTEMEDICA COMERCIO REPRESENTAcOES LTDA-ME. CONTRATANTE: FUNDAQA0

Leia mais

Modelagem de Sistemas Dinâmicos. Eduardo Camponogara

Modelagem de Sistemas Dinâmicos. Eduardo Camponogara Equações Diferenciais Ordinárias Modelagem de Sistemas Dinâmicos Eduardo Camponogara Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina DAS-5103: Cálculo Numérico para Controle

Leia mais

Por que escolher a CWC?

Por que escolher a CWC? P q lh CWC? t õ ç t 1. I i l ã à t t N it, l it, l ti á g l f E g i. t lê g I ívl t é á ti, tblh lh it h l. z i lh i iglê 4. V i Ativ Of i vi g tivi lt t i ii t. E tiv t v i ã t it çã tbé t t, xõ til lt

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Calendário Acadêmico 2015

Calendário Acadêmico 2015 Calendário Acadêmico 2015 Julho 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 01 a 03 Período de realização das avaliações substitutivas dos módulos X.1 e X.2. 01

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS SERVIÇO DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO FFLCH 1 Prédio de Letras SEÇÃO DE ALUNOS DE LETRAS Prédio de Letras sala 207 2ª a 6ª feira, das

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

IF SUDESTE MG REITORIA Diretoria de Gestão de Pessoas PROCESSO SELETIVO PROGRAMA DE ESTÁGIO REMUNERADO EDITAL N 01/2014. Reitoria

IF SUDESTE MG REITORIA Diretoria de Gestão de Pessoas PROCESSO SELETIVO PROGRAMA DE ESTÁGIO REMUNERADO EDITAL N 01/2014. Reitoria EDITAL N 01/2014 Reitoria A do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições, considerando a Lei 11.788/2008, publicada no DOU de 26/09/2008

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DISCENTE PARA O PROGRAMA MESTRADO EM DIREITO, RELAÇÕES INTERNACIONAIS E DESENVOLVIMENTO/UCGO - 2º SEMESTRE DE

PROCESSO DE SELEÇÃO DISCENTE PARA O PROGRAMA MESTRADO EM DIREITO, RELAÇÕES INTERNACIONAIS E DESENVOLVIMENTO/UCGO - 2º SEMESTRE DE EDITAL N o 04/2009-PROPE PROCESSO DE SELEÇÃO DISCENTE PARA O PROGRAMA MESTRADO EM DIREITO, RELAÇÕES INTERNACIONAIS E DESENVOLVIMENTO/UCGO - 2º SEMESTRE DE 2009 A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa,

Leia mais

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 1 Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 A Associação Grupo Coimbra de Dirigentes de Universidades Brasileiras (GCUB), formalmente constituída em 27 de

Leia mais

ir^ REPUBLICA DE MOQAMBIQUE MII.{IS TERIO DAS FII{ANQAS Direccfio Nacional do Tesouro cfrcular Nn.(, I /DNT-GABl2OO9 Maputo, aos.{-,a de Maio de 2oo9

ir^ REPUBLICA DE MOQAMBIQUE MII.{IS TERIO DAS FII{ANQAS Direccfio Nacional do Tesouro cfrcular Nn.(, I /DNT-GABl2OO9 Maputo, aos.{-,a de Maio de 2oo9 ir^ REPUBLICA DE MOQAMBIQUE MII.{IS TERIO DAS FII{ANQAS Direccfio Nacional do Tesouro.l cfrcular Nn.(, I /DNT-GABl2OO9 Maputo, aos.{-,a de Maio de 2oo9 Assunto : Procedimentos a observar na Execugio Orgamental

Leia mais

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES;

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES; CONSIDERANDO QUE: I É de interesse da IES aprimorar o ensino, propiciando aos seus estudantes, estabelecer e desenvolver relações com instituições de ensino localizadas em países distintos através da participação

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO

SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO Sr(a) Chefe de Departamento, Curitiba, de de. Eu,, aluno(a) regularmente matriculado(a) no Curso de matrícula nº, solicito estágio não remunerado no Departamento de, Laboratório

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 186/2001-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 186/2001-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 186/2001-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio firmado entre a UNICENTRO e a COPACOL. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho de Administração,

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONCURSO DE BOLSAS DO PROGRAMA FÓRMULA SANTANDER FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR

REGULAMENTO INTERNO CONCURSO DE BOLSAS DO PROGRAMA FÓRMULA SANTANDER FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR REGULAMENTO INTERNO CONCURSO DE BOLSAS DO PROGRAMA FÓRMULA SANTANDER FACULDADE DOS GUARARAPES PARA INTERCÂMBIO NO EXTERIOR A Faculdade dos Guararapes abre aos seus alunos o concurso de bolsas ao Programa

Leia mais

Duplo-Diploma na Área das Engenharias

Duplo-Diploma na Área das Engenharias Duplo-Diploma na Área das Engenharias Prof. Dr. Ricardo M. Naveiro Coordenador de Relações Internacionais Escola Politécnica da UFRJ Memórias do passado Sumário Cenário econômico mundial Histórico dos

Leia mais

EDITAL DE PUBLICAÇÃO. Paço da Prefeitura Municipal de Graça-CE., 29 de Julho de 2015. MARIA IRALDICE DE ALCÂNTARA Prefeita Municipal

EDITAL DE PUBLICAÇÃO. Paço da Prefeitura Municipal de Graça-CE., 29 de Julho de 2015. MARIA IRALDICE DE ALCÂNTARA Prefeita Municipal Estado do Ceará GOVERNO MUNICIPAL DE GRAÇA GABINETE DA PREFEITA raçax nove moffiunkifmj.. «s O FUTURO COMEÇA AGORA. EDITAL DE PUBLICAÇÃO A Prefeita Municipal de Graça, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

UNIFAP: estabelecendo conexões reais entre a formação acadêmica e o mundo profissional. Macapá-AP, 2012

UNIFAP: estabelecendo conexões reais entre a formação acadêmica e o mundo profissional. Macapá-AP, 2012 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIVISÃO DE ACOMPANHAMENTO DE ESTÁGIO UNIFAP: estabelecendo conexões reais

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

CONVENIO ACADÉMICO INTERNACIONAL CONVÊNIO ACADÊMICO INTERNACIONAL

CONVENIO ACADÉMICO INTERNACIONAL CONVÊNIO ACADÊMICO INTERNACIONAL I UNIVERSIOAO EUROPEA MIGUEL OE C:ERVANTES CONVENIO ACADÉMICO INTERNACIONAL CONVÊNIO ACADÊMICO INTERNACIONAL Convenio que celebran Ia UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL, EN BRASIL Y Ia UNIVERSIDAD EUROPEA

Leia mais

A,-.---:,, ,,9$ii /;Y

A,-.---:,, ,,9$ii /;Y ,,9$ii :xl \ RGI t,l /;Y REsoLUeAo N.' o10/2014 Alterd a Seceao xl da Resoluqao n." oo5/2010. o constlho superior DA DEFE! SoRrA POBLTCADo EsrADo DE SERGIPE, no uso de suas :itribuigoes legais na forma

Leia mais

ei>p/^i&at ftjuste Afe oo&/áo's

ei>p/^i&at ftjuste Afe oo&/áo's ei>p/^i&at ftjuste Afe oo&/áo's &8 ífíf^vtíj/ lv»%g» ^Jf Acordo de Cooperação para Troca de Conteúdos Audiovisuais, que entre si celebram, a EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO S.A. - EBC, da REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TERMO DE COOPERAÇÃO N. 2 a5j2015 TERMO DE COOPERAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM A E O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, OBJETIVANDO AÇÕES DE FORTALECIMENTO ACADÊMICO E QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL.

Leia mais

TABELA DE PROFUNDIDADES BANDA DE RODAGEM E BONIFICAÇÕES

TABELA DE PROFUNDIDADES BANDA DE RODAGEM E BONIFICAÇÕES Pneus Ltda. Gestão de Reclamações Brasil TABELA DE PROFUNDIDADES BANDA DE RODAGEM E BONIFICAÇÕES Linhas Truck, Agro e OTR Este manual é destinado exclusivamente aos Técnicos da Pirelli Pneus e Examinadores

Leia mais

UNIVERSIDADE DA FLÓRIDA FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE DIREITO AMBIENTAL VERÃO 2010

UNIVERSIDADE DA FLÓRIDA FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE DIREITO AMBIENTAL VERÃO 2010 UNIVERSIDADE DA FLÓRIDA FACULDADE DE DIREITO PROGRAMA DE DIREITO AMBIENTAL VERÃO 2010 PROPOSTA DE IMPLEMANTAÇÃO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ENTRE OS ESCRITÓRIOS MODELO DE ADVOCACIA AMBIENTAL DAS UNIVERSIDADES

Leia mais

PROCESSO 23118.001997/2011-64

PROCESSO 23118.001997/2011-64 FUNDAcA0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONIA PROCESSO 23118.001997/2011-64 CONTRATO N 09/2012, QUE ENTRE SI CELEBRAM A FUNDACAO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONIA - UNIR E 0 SERVICO AUTONOMO DE AGUA E ESGOTO

Leia mais

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS

D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS D I R E T O R I A D E I N F R A - E S T R U T U R A R O D O V I Á R I A COORDENAÇÃO GERAL DE OPERAÇÕES RODOVIÁRIAS QUADRO DE FABRICANTES DE VEÍCULOS OUTUBRO / 2009 ÍNDICE: ITEM DESCRIÇÃO 01. Introdução...

Leia mais

EDITAL CHAMADA PARA SELEÇÃO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS PARA JOVENS PROFESSORES E PESQUISADORES SANTANDER UNIVERSIDADES 2015

EDITAL CHAMADA PARA SELEÇÃO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS PARA JOVENS PROFESSORES E PESQUISADORES SANTANDER UNIVERSIDADES 2015 EDITAL CHAMADA PARA SELEÇÃO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO AMERICANAS PARA JOVENS PROFESSORES E PESQUISADORES SANTANDER UNIVERSIDADES 2015 Apresentação O Centro Paula Souza e o Santander Universidades convocam

Leia mais

HOSPITAL DO SERVIDOR PUBLICO MUNICIPAL Gestao de Contratos TERMO 241/2014 DE CONTRATO

HOSPITAL DO SERVIDOR PUBLICO MUNICIPAL Gestao de Contratos TERMO 241/2014 DE CONTRATO TERMO 241/2014 DE CONTRATO Termo 241/2014 de contrato, celebrado entre 0 HOSPITAL DO SERVIDOR PUBLICO MUNICIPAL-HSPM e a empresa TECNA COMERCIO IMPORTA(:AO E EXPORTA(:AO LTDA - EPP, para fornecimento de

Leia mais

CONVENÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA A REPÚBLICA DA TUNÍSIA

CONVENÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA A REPÚBLICA DA TUNÍSIA CONVENÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA TUNÍSIA DE COOPERAÇÃO NO DOMÍNIO DA DEFESA A República Portuguesa e a República da Tunísia, doravante designadas conjuntamente por "Partes" e separadamente

Leia mais

Senhores Membros do Congresso Nacional,

Senhores Membros do Congresso Nacional, Mensagem n o 622 Senhores Membros do Congresso Nacional, Nos termos do disposto no art. 49, inciso I, combinado com o art. 84, inciso VIII, da Constituição, submeto à elevada consideração de Vossas Excelências,

Leia mais

Leica TPS800 Series Poderosa, eficiente, Confiável e intuitiva. PinPoint Technology

Leica TPS800 Series Poderosa, eficiente, Confiável e intuitiva. PinPoint Technology Leica TPS800 Series Poderosa, eficiente, Confiável e intuitiva PinPoint Technology poderosa Leica TPS800 Performance Series... com uma série de extras Três classes de precisão As Estações Totais TPS800

Leia mais

A SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, doravante denominada RFB,

A SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, doravante denominada RFB, Convênio que entre si celebram a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e o Ministério Público Federal (MPF), objetivando o intercâmbio de informações de interesse recíproco. A SECRETARIA DA RECEITA

Leia mais

Prefeitura Municipal de Alto Paraíso de Goiás Estado de Goiás

Prefeitura Municipal de Alto Paraíso de Goiás Estado de Goiás jjpparaíso Adm 201312016 Prefeitura Municipal de Alto Paraíso de Goiás Estado de Goiás FUNDO MUNICIPAL DE SÃ ÚDE E SANEAMENTO Contrato Prestação de Serviços FMS n. 007 12015 Contrato de prestação de serviços

Leia mais

Resolução n o 145 de 30/09/2015 CAS

Resolução n o 145 de 30/09/2015 CAS Resolução n o 145 de 30/09/2015 CAS Estabelece a Política de Intercâmbio da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior da Universidade Positivo, no

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

MINUTA CONTRATO que entre si fazem a COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SAO FRANCISCO E DO PARNAIBA-CODEVASF e a...

MINUTA CONTRATO que entre si fazem a COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SAO FRANCISCO E DO PARNAIBA-CODEVASF e a... INISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL ompanhia de Desenvolvimento dos Vales do SA() Francisco e do Parnaiba MINUTA CONTRATO que entre si fazem a COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO SAO FRANCISCO E DO

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER EXTENSÃO 001/2012

EDITAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER EXTENSÃO 001/2012 EDITAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER EXTENSÃO 001/2012 O Centro Universitário UNISEB, por meio de sua Reitoria, divulga as informações para o processo de seleção de intercâmbio no Programa

Leia mais

Uma publicação que é referência no setor

Uma publicação que é referência no setor ublic qu é rfrêci Vlt r rfiii ii frcêuc, viári, c, bitclgi, litíci, quíic fi, quit hitlr, i vi qu cl cti é u xigêci, rvit Cl Cti fc luçõ tclógic r rli brilir. C iibui irigi, ublic g rtt ghri ut, r Quli,

Leia mais

UNIDADE IV : ANÁLISE DE INVESTIMENTOS (A.I.) (ENGENHARIA ECONÔMICA) CONCEITO:

UNIDADE IV : ANÁLISE DE INVESTIMENTOS (A.I.) (ENGENHARIA ECONÔMICA) CONCEITO: UNIDADE IV : ANÁLISE DE INVESTIMENTOS (A.I.) (ENGENHARIA ECONÔMICA) 1 CONCEITO: Quando da realização de um determindado investimento, levantamos várias alternativas para sua execução final. Ao conjunto

Leia mais

Programa de Auxílio a Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu 2 a Fase / 2006

Programa de Auxílio a Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu 2 a Fase / 2006 Chamada de Projetos 23/2006 Programa de Auxílio a Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu 2 a Fase / 2006 Modalidade: Qualificação de Docentes das Faculdades Públicas Estaduais A FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA de Apoio

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL.

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Sumário Capítulo I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA...2 Capítulo II DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE INDAIATUBA

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE INDAIATUBA SECRETARIA GERAL DO MUNICIP/O ASSESSORIA TECNICA LEC,ISLATIVA LEI N2 5.906 DE 28 DE JUNHO DE 2011. Aut. N P.L. NO Pubi.: 7^,;'9f r3' "Autoriza repasse de recursos financeiros, em favor da Associacao de

Leia mais

*D337F565* Mensagem n o 448. Senhores Membros do Congresso Nacional,

*D337F565* Mensagem n o 448. Senhores Membros do Congresso Nacional, Mensagem n o 448 Senhores Membros do Congresso Nacional, Nos termos do disposto no art. 49, inciso I, combinado com o art. 84, inciso VIII, da Constituição, submeto à elevada consideração de Vossas Excelências,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.455, DE 20 DE MAIO DE 2015 Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República

Leia mais

REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DOS DOCENTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. Artigo 1.º Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DOS DOCENTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. Artigo 1.º Âmbito de aplicação REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DOS DOCENTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA (Ao abrigo do artigo 41.º do Estatuto da Carreira Docente da Universidade Católica Portuguesa)

Leia mais

MINISTERIO PUBLICO FEDERAL 4" CAMARA DE COORDENAcAO E REVISAO Meio Ambiente e Patrimonio Cultural. Municipio de Campinas, SP

MINISTERIO PUBLICO FEDERAL 4 CAMARA DE COORDENAcAO E REVISAO Meio Ambiente e Patrimonio Cultural. Municipio de Campinas, SP MINISTERIO PUBLICO FEDERAL 4" CAMARA DE COORDENAcAO E REVISAO Meio Ambiente e Patrimonio Cultural PC^ R- 003 6--?"f6 /0r'5 REFERENCIA PARECER TECNICO No 160/2015-4aCCR PA n 1.00.000.007975/2013-36 PA n

Leia mais