Telecomunicações e Redes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Telecomunicações e Redes"

Transcrição

1 Telecomunicações e Redes Curso de Sistemas e Tecnologias da Informação Universidade Atlântica Antiga Fábrica da Pólvora de Barcarena Telf: ; fax: Discentes: José Cavalheiro, Fernando Jorge Alves, Docente: Professor Doutor António Soares Aguiar, Resumo Considerando os sete principais componentes das infra-estruturas da tecnologias de informação e comunicação (IETIC), as telecomunicações e redes serão sem dúvida um componente essencial ao funcionamento e interligação dos restantes componentes. Desde sempre dentro das IETIC as telecomunicações e redes tiveram um papel essencial como motor de desenvolvimento, sendo na sua essência o meio que possibilita a troca de informação entre os diversos sistemas e as diferentes localizações onde esses sistemas estejam instalados. É propósito deste trabalho identificar quais os tipos de redes existentes, suas respectivas tecnologias e modos de funcionamento. Após essa identificação e análise será tratado que tendências tem-se vindo assistir relativas à evolução das telecomunicações e redes e por fim tentar identificar de que forma este componente das IETIC se relaciona com os restantes seis componentes. Índice 1. Introdução Telecomunicações e Redes A história das Telecomunicações A história das redes de dados Caracterização das redes As redes multi-serviço... 5 Conclusões... 6 Bibliografia Introdução As telecomunicações e redes com o seu evoluir têm cada vez mais ganhando importância, tanto a nível profissional como particular, no inicio as telecomunicações começaram com uma serie de circuitos dedicados, pelos quais se transportava a informação, inicialmente pelo telegrafo, depois a voz através do telefone, por ai adiante. Com o aumento das exigências por parte dos utilizadores, essas redes de circuitos dedicados, tiveram de evoluir e criar técnicas de comutação, criando assim as redes de comutação por circuitos, redes estas que estabeleciam temporariamente circuitos dedicados para o estabelecimento da comunicação e após o termino desta, os recursos seriam utilizados para uma outra qualquer comunicação, conseguindo assim um aproveitamento de recursos e facilidade de comunicação. A tecnologia da computação nas empresas começou inicialmente com o computador que tinha a capacidade de processamento, armazenamento e acesso à informação. Ao longo do tempo foi se armazenando a informação surge então a necessidade de retirar o computador do isolamento ou seja partilhar a informação e recursos com outros computadores surgiram as Redes. Com o desenvolvimento da tecnologia surgiram nas empresas dois tipos de redes, as redes por comutação de circuitos e as redes por comutação de pacotes. Com o aumento da competitividade das empresas no mercado e exigências das mais variadas formas, o fluxo de informação aumenta, obrigando assim a uma maior especialização e tendência em juntar estas duas redes numa única. Surgiram desta forma as redes multi-serviço que vem a integrar numa única rede o tráfego de dados, voz e vídeo. Com esta funcionalidade vem trazer para as empresas maior produtividade e redução de custos relativamente à não instalação das várias infra-estruturas que anteriormente funcionavam de forma autónoma. 1

2 Actualmente as redes são autênticas auto-estradas da informação permitindo a trocar de dados, voz ou vídeo de forma rápida e fácil entre os vários computadores sobre a mesma infra-estrutura, facilitando a sua manutenção e integração com as outras componentes dos sistemas de informação e comunicação existentes nas empresas. 2. Telecomunicações e Redes 2.1. A história das Telecomunicações [1]Telecomunicações é o acto de comunicar (passar uma mensagem) entre pelo menos um emissor e um receptor, essa transmissão obrigatoriamente não poderá ser estabelecida de forma directa e será sempre através de um meio, seja ele cabo, fibra, ar, radiofrequência, etc. Por volta de 1844 por Samuel Morse começou a revolução que até aos nossos dias influencia a forma como todos nós interagimos e comunicamos, essa revolução teve o nome de telecomunicações, e começou nesta data através do Código Morse. Esta tecnologia utilizava uma linha de cobre como meio de transmissão e tinha como principais mais-valias a sua inteligibilidade mesmo quando as condições de ruído de transmissão não eram as melhores, esta comunicação era estabelecida através de um sistema de representação do alfabeto e da numeração, através de um sinal codificado capaz de ser transmitido por sinais eléctricos, esta tecnologia também é conhecida pelo termo de telegrafia. Em 1876 surge mais um passo na evolução das telecomunicações com a invenção do telefone por Alexander Graham Bell. Esta invenção disputada na altura por outros dois notáveis do seu tempo, Elisha Gray e Thomas Edison, A. Bell ganhou a corrida inventando um aparelho mais prático de utilizar e dai a sua melhor aceitação por parte da comunidade. Este facto veio introduzir mais um elemento na comunicação, a voz, que com a invenção do microfone de carvão dez anos mais tarde veio concretizar os princípios básicos de transmissão telefónica que iriam permanecer praticamente até à década de [2]Uma das grandes revoluções na área das telecomunicações foi a possibilidade de transmissão através de ondas electromagnéticas. Essa revolução foi iniciada por Gugliermo Marconi em 1895 que baseado nos fundamentos de James Maxwell e de Heinrich Hertz construiu o primeiro transmissor de rádio possibilitando assim a transmissão de mensagens através de ondas electromagnéticas, dispensando desta forma o uso de cablagem e facilitando em muito a comunicação. Segundo Aleksandr Popov ( ) cientista Russo contemporâneo de Gugliermo Marconi, considera este o pai dos sistemas wireless, sistemas esses importantíssimos nos nossos dias devido à sua flexibilidade e facilidade de implementação. [3]Em plena guerra fria no ano de 1957 foi lançado pela Rússia o primeiro satélite artificial o Sptunik, cinco anos 2 mais tarde em 1962 é colocado em órbita o primeiro satélite activo de comunicações, [4] o Telstar, que veio permitir conversações telefónicas, telefotos e transmissão de sinais de televisão a cores. Com este facto veio abrir um novo capitulo na era das telecomunicações e permitir uma expansão extraordinária nos últimos 50 anos neste âmbito. A transmissão por satélite veio permitir que a era da globalização começa-se já que com comunicações por satélite as transmissões a nível planetário começaram a ser relativamente fáceis de conseguir e trazer uma importância cada vez maior às telecomunicações. Recuando a 1870 o físico inglês Tyndall conseguia demonstrar que um feixe de luz poderia ser transmitido através de um tubo de água, mesmo quando curvado. Esta ideia veio dar os fundamentos para mais tarde trazer uma nova revolução na área das telecomunicações, o cabo de fibra óptica. [5]Em 1952, o físico Narinder Silva Kapany inventou o que já poderá ser chamado de fibra óptica, ou seja, fibras de vidro revestidas de forma a conseguir índices adequados de refracção. Só alguns anos mais tarde em 1965 Charles K. Kao e George A. Hockham da empresa britânica Standard Telephones Cables, indicaram que a fibra óptica devido às suas características poderia ser utilizada como meio de comunicação. Charles Kao propôs que as fibras existentes na altura não conseguiam transmitir grandes distâncias devido ao seu grau de impureza e conseguindo melhorar esse factor das fibras ópticas se iria conseguir transmitir sinais a grandes distancias sem necessidade de repetidores ou outros equipamentos activos. [6]Esta proposta inspirou outros investigadores e em apenas quatro anos trouxeram os seus primeiros frutos e o fabrico de fibra óptica ultra pura possibilitou passar de transmissões de 20 metros conseguidas na década de 1960 para o que assistimos nos nossos dias, uma sociedade totalmente ligada através de redes de alta velocidade e grandes débitos de transmissão. Este revolução nas telecomunicações deu a Charles Kao o prémio Nobel da física de A história das redes de dados [7]Toda a história iniciou 4 de Outubro de 1957 a Rússia lançou para o espaço o primeiro satélite artificial na história da humanidade com nome Sputnik. Em resposta a este avanço tecnológico russo o presidente dos USA, Eisenhower, criou, em Outubro de 1957, a ARPA (Advanced Reasearch Project Agency). Com objectivo para desenvolvimento de programas respeitantes aos satélites e ao espaço. No verão de 1958 fundou a NASA (National Aeronautics& Space Administration) parecia retirar à ARPA razão para a sua existência. Em 1961 a Universidade da Califórnia (UCLA) em Santa Bárbara herdou da Força Aérea um enorme computador IBM, o Q-32. Voltou à ARPA a ser ponto fulcral na investigação para a origem da área Informática. Foi nomeado coordenar o Command and Control Research o psicólogo Joseph Licklider que era um especialista em computadores com reconhecimento

3 internacional. No CCR o trabalho baseava-se na utilização do batch processing processamento de dados por lotes e em tempo moroso. Este processo que satisfazia a maioria das necessidades de cálculo mas não se adequava à comunicação interactiva com computadores nem à transmissão de dados entre eles. Licklider criou então o IPTO (Information Processing Techniques Office) orientado para a comunicação interactiva e transmissão de dados. Para a comunicação rápida entre as equipas de investigadores era necessária a construção de uma rede (NET) levando a investigação, no âmbito da ARPA, foi orientada para a construção de redes de comunicação de dados. Existia uma dificuldade em garantir que as mensagens chegassem intactas ao destino independentemente dos incidentes encontrados no percurso entre o emissor e o receptor. A solução proposta depreendia a utilização de redes do tipo distribuído nas quais era possível ligar um receptor e um emissor utilizando vários percursos. Para que todos os computadores pudessem comunicar era necessário criar um protocolo de comunicações que regulasse o intercâmbio de mensagens. Os primeiros protocolos construídos foram o Telnet ligação interactiva de um terminal com um computador remoto, o FTP (File Transfer Protocol) transferência de ficheiros entre dois computadores. As denominações originais dos protocolos eram DEL (Decode Encode Language) linguagem de codificação/descodificação e NIL (Network Interchange Language; linguagem de intercâmbio na rede). A primeira rede de computadores foi construída entre a Universidade da Califórnia (Los Angeles, SRI - Stanford Research Institute), Universidade de Utah e Universidade da Califórnia (Santa Bárbara). No dia 1 de Dezembro de 1969 nasceu ARPANET utilizava a rede telefónica normal através do sistema de aluguer de circuitos. Os quatro nós iniciais da rede foram ampliados para trinta em Agosto de 1972 esta data foi o marco para início da actividade da primeira comunidade. Desenvolvimento da ARPANET Entre 1973 e 1978 uma equipa de investigadores coordenada por Vinton Cerfno SRI (Stanford) Robert Kahn na DARPA desenvolveu um protocolo que assegurava a interoperacionalidade e interconexão de redes diversas de computadores. Este protocolo denominou-se TCP/IP (Transmission Control Protocol e Internet Protocol) que substituiu totalmente o NCP em No princípio do ano de 1980 a ARPANET foi dividida em duas redes. A MILNET que servia as necessidades militares e a ARPANET que suportava a investigação. O Departamento de Defesa coordenava, controlava e financiava o desenvolvimento em ambas as redes. A Internet 3 Em 1990, o Departamento de Defesa dos USA desmantelou a ARPANET a qual foi substituída pela rede da NSF, rebaptizada NSFNET que se popularizou, em todo o mundo, com a denominação Internet. Para expansão da utilização da Internet foi decisiva a criação da WWW (World Wide Web) criada por dois engenheiros do CERN Centre Eoropéen por la Recherche Nucléaire Robert Caillaiu e Tim Berners- Lee, do HTML (HyperText Markup Language) e dos Browsers. O primeiro browser utilizado foi o LYNX que apenas permitia a transferência de textos. O MOSAIC, concebido na Universidade de Illinois USA já permitia a transferência de textos e imagens. Do MOSAIC derivaram os populares Nescape e Internet Explorer. A Internet transforma-se num sistema mundial público, de redes de computadores, ao qual qualquer pessoa ou computador, previamente autorizado, pode conectar-se. Obtida a ligação o sistema permite a transferência de informação entre computadores. A infra-estrutura utilizada pela Internet é a rede mundial de telecomunicações. Nos meados da década de 1980 a Internet começa a ser utilizada em Portugal nas Universidades e em algumas empresas. As primeiras utilizações eram realizadas com terminais conectados por via telefónica a Universidades Europeias e a Universidades nos USA e restringiam-se, na maioria dos casos, a consultas documentais e . A difusão da Internet em Portugal é realizada pelas Universidades, suportada na existência de um grupo denominado PUUG (Portuguese Unix Users Group) e, a partir de 1986 na recem criada FCCN Fundação de Cálculo Científico Nacional. A partir de 1991 o uso da Internet generaliza-se em todas as Universidades Portuguesas através da criação da RCCN (Rede da Comunidade Científica) Nacional Caracterização das redes [8]Como já foi identificado anteriormente existem dois grandes tipos de redes, as redes de voz e as redes de dados. Na sua origem tiveram objectivos diferentes e igualmente diferentes modos de as conceber. Basicamente essas redes poderão ser dívidas em dois grandes grupos, as redes comutadas por circuitos e as redes comutadas por pacotes. As redes comutada por circuitos sendo o exemplo maior as redes de voz tradicionais, funcionam basicamente através de circuitos dedicados, essas redes têm essencialmente três fases: - Fase de conexão: caracterizada pelo estabelecimento da ligação, através de um pedido do emissor para o estabelecimento da ligação até ao receptor; - Fase de transferência de dados: caracterizada pela troca de informações entre o emissor e receptor;

4 - Fase de encerramento da ligação: caracterizada pelo pedido do emissor ou do receptor do fim da ligação libertando assim os recursos reservados para o estabelecimento da comunicação. [9]Estas redes têm como principal factor a favor a qualidade de serviço e a simplicidade dos equipamentos e tecnologias envolvidas na comunicação. As comunicações através de comutação por circuitos no inicio recorreram a comutações efectuadas manualmente por operadores, com o evoluir da tecnologia e a exigência estabelecida por um aumento das comunicações, a comutação de circuitos começou a ser efectuada através de circuitos magnéticos, sendo o numero de dístico característico de uma determinada zona geográfica, por essa razão actualmente ainda se consegue através de um determinado numero telefone identificar a zona geográfica de um determinado numero. No entanto tem uma grande desvantagem, bastante importante nos nossos dias, que é o desperdício de largura de banda, no estabelecimento de uma comunicação recorrendo a circuitos dedicados é estabelecido pelo menos um canal de comunicação com largura de banda de 64 kbps, não podendo esse canal ser utilizado por quaisquer outras comunicações até mesmo em momentos em que não esteja a ser transmitido quaisquer dados, facto este que confere a este tipo de rede um desperdício enorme relativamente à largura de banda disponível e a largura de banda utilizada. [8]Na década de 1970 é criada a comutação por pacotes, esta nova tecnologia foi criada para resolver os problemas existentes na comutação de circuitos, sendo o principal problema o desperdício de largura de banda e a redundância relativamente ao caminho que a comunicação poderá estabelecer entre o emissor e o receptor. Neste tipo de comunicação a comunicação é dividida em vários pacotes, pacotes esses numerados e com informações de controlo e destino da comunicação, para o encaminhamento desses pacotes foi criado um novo equipamento que designa de router. Através das sete camadas OSI foi estabelecido os diferentes níveis do tratamento dos pacotes de forma a poder ser possível estabelecer comunicações estandardizadas e transparentes entre os diversos fabricantes de equipamentos de rede. Com o evoluir da tecnologia de comutação de pacotes e o evoluir da Internet um protocolo de comunicação começou a prevalecer e será esse protocolo que irá ser abordados deste trabalho, o TCP/IP, na figura abaixo é apresentado a correspondência entre o modelo OSI o modelo TCP/IP, que de uma forma mais sintética sistematiza o modo como os pacotes são processados nos diversos níveis do modelo. Fig.1 - Modelo OSI e modelo TCP/IP [10]O TCP/IP não é mais que um conjunto de protocolos, facto este que faz com que também seja conhecido como pilha TCP/IP, sendo esta pilha constituída por quatro camadas: Camada física - Responsável por tratar do "bit", engloba todos os componentes eléctricos, cablagem e conectores necessários ao estabelecimento da comunicação; Camada de rede - Camada responsável pelo roteamento de pacotes entre a origem e o destino, tornando transparente para as camadas superiores os componentes eléctricos e electrónicos envolvidos na comunicação, é nesta camada que surge a noção de IP; Camadas de transporte - Nesta camada são tratados os tipos de transporte dos pacotes existindo essencialmente dois, TCP (Transmission Control Protocol), transmissão orientada à conexão, existindo neste caso um controlo, garantia de entrega do pacote e respectiva sequenciação e UDP (User Datagram Protocol), transmissão não orientada à conexão, não existindo neste caso garantias de entrega dos pacotes nem da sua sequenciação; Camada de aplicação - Oferece ao utilizador as ferramentas/protocolos para que possa utilizar a rede, é nesta camada que temos transferência de ficheiros (FTP), correio electrónico (SMTP), serviços de terminal (Telnet), etc. A comutação por pacotes veio também permitir a implementação de várias topologias de rede, estas topologias estão relacionadas com o modo como fisicamente os terminais estão interligados entre si, tendo essencialmente quatro topologias utilizadas: Topologia em Barramento: caracterizada pela existência de um único canal físico partilhado, que interliga todos os computadores de cada segmento de rede; 4

5 Topologia em Estrela: constituída por um ponto central, ao qual cada nó da rede é interligado, em ligações ponto-a-ponto; Topologia em Anel: os nós da rede são interligados entre si por repetidores, em ligações unidireccionais ponto-a-ponto, num circuito fechado; Topologia em Malha: o meio de transmissão é constituído por ligações arbitrárias ponto-a-ponto, entre os diferentes nós da rede. Outro factor que caracteriza as diferentes redes de comutação por pacotes será a sua dimensão geográfica, sendo divididas em três grupos: As redes LAN (Local Area Networks): são redes locais normalmente localizadas numa área geográfica limitada sendo o meio de transmissão mais comum o cobre ou através de radiofrequência através de redes Wi-Fi. As redes MAN (Metropolitan Area Networks): são redes com uma área geográfica maior, limitadas a um campus universitário ou mesmo uma cidade, como meio de transmissão alem do cobre e de redes Wi-Fi, poderá ser utilizado cabos de fibra óptica e redes WiMAX. As redes WAN (Wide Area Networks): são redes a nível de uma região, países ou mundiais, são utilizados os mais diversos modos de transmissão que vão desde o cobre, fibra óptica, WiMAX, satélite ou GSM. Poderemos considerar que o limite de uma rede WAN será a nível planetário, 2.4. As redes multi-serviço Ao longo da evolução da implementação das tecnologias da informação nas empresas e em resposta às pressões comerciais estas exigem cada vez maior eficácia e altas rentabilidades das soluções em rede. Com a fusão das várias redes numa só onde, na qual vai circular tráfego de dados, voz e vídeo. As organizações obtêm vantagens significativas e eficazes a nível de produtividade e reduzem custos relativamente à não instalação das várias infra-estruturas necessárias para suportar cada um desses serviços. Ainda hoje é comum encontramos empresas a utilizar computadores com suporte multimédia e um telefone. Numa solução de convergência quer o telefone quer o computador partilham a mesma infra-estrutura, a rede e o mesmo protocolo de transporte o TCP/IP, embora cumpram diferentes objectivos. Os dados originam tráfego com características diferentes do de voz e vídeo. A comunicação entre dois interlocutores via telefone apresenta a necessidade de um fluxo constante de dados o VoIP e não pode estar sujeito a longos atrasos e flutuações sob pena de a comunicação se tornar imperceptível. O tráfego gerado pelo PC na utilização dos serviços e aplicações obriga a necessidade aleatória da largura de banda e a sua inconstância, não põe em causa quer os processos de comunicação quer a obtenção em tempo útil do acesso à informação. 5 Uma das grandes vantagens da rede multi-serviços é disponibilização de serviços através de uma infraestrutura de comunicações comum, é adequar o nível de serviço correcto em função da natureza do tráfego quer seja de dados, voz ou vídeo e de acordo com as necessidades de comunicação em tempo real especificadas pelas organizações. Quando estamos a efectuar o planeamento para a implementação do projecto para uma rede para além das preocupações da ligação, mobilidade e segurança temos como principal assegurar o aproveitamento da largura de banda existente na máxima disponibilidade sem grandes variações e sem interrupções. Devemos atribuir serviços diferenciados aos utilizadores para que o tráfego dos dados de voz e vídeo não sejam submetidos a flutuações no nível de serviço prestado ao longo do tempo que se traduzem na necessidade absoluta de alta disponibilidade da infra-estrutura e uma gestão eficaz da qualidade de serviço (QoS). [11]Na utilização dos serviços de voz os dispositivos terminais, os vulgares telefones, têm evoluído e apresentam-se em diversas tecnologias e formatos: telefones analógicos, telefones digitais, telefones IP e telefones emulados através de software num PC. É comum numa empresa encontrarem-se vários tipos quer TDM quer IP. Para que se garanta o investimento feito em tecnologia TDM as novas soluções de convergência normalmente integram e compatibilizam TDM com a nova tecnologia IP, através de equipamentos e software de integração ou seja Gateways. Desta forma garantimos a convergência com a rede de dados assim como a migração sem descontinuidades e sem elevados custos de substituição integral do mundo TDM, mantendo a compatibilidade de ambos. Na integração de vídeo o objectivo é ter um serviço em tempo real para que o conteúdo não seja visualizado com interrupções e flutuações. O desafio coloca-se em disponibilizar para vários utilizadores, mas eventualmente não para todos, um fluxo constante de dados que corresponda a um sinal de vídeo. As implementações baseadas no standard H.323 permitem este processo de comunicação. Do ponto de vista do comutador o switch que garante a ligação à rede este deve permitir que os utilizadores se associem a grupos multicast, no sentido de garantir a privacidade da consulta dos vídeos e para que a rede não seja sob carregada por tráfego de broadcast. O sistema de videoconferência e a formação à distância são algumas das aplicações onde é possível reduzir custos com as deslocações de recursos humanos. As redes multi-serviço hoje em dia tornaram-se uma realidade devido aos desenvolvimentos tecnológicos e à definição e aceitação dos vários standards entretanto adoptados pelos diversos fabricantes. [12]As vantagens das redes de convergência para as organizações são magníficas, não só pela utilização partilhada da ligação mas também das tecnologias usadas numa mesma infra-estrutura, simplificando os

6 processos de gestão dos recursos e tornando-a uma solução racional do ponto de vista financeiro. Com a convergência as organizações obtêm alto nível da produtividade global e reduzem os custos inerentes à não instalação de redes independentes para suportar cada um desses serviços. Conclusões A evolução das telecomunicações e redes vieram facilitar o acesso à informação, aumentar a informação disponível e promover a integração de serviços. Serão estas as principais conclusões que se poderão tirar quando analisamos a evolução deste tipo de tecnologias. Sendo as telecomunicações e redes, um dos elementos base nas tecnologias de informação e comunicação (TIC), a sua evolução e melhoramento vieram influenciar todos os outros componentes das TIC, permitindo assim evoluir a todos os níveis estas tecnologias. A ideia de auto-estradas da informação, aldeia global ou convergência IP, são termos que entram todos os dias na conversa de todos nós, seja a nível empresarial, académico como particular, termos estes directamente associados à componente de telecomunicações e redes, este facto é mais uma prova da importância que esta componente das TIC tem nas nossas vidas e como influencia todas as outras tecnologias de informação. Nos últimos anos tem se vindo a assistir a um aumento drástico da largura de banda disponível nas comunicações e ao mesmo tempo a fusão das várias tecnologias de comunicação numa só, utilizando tecnologias standardizadas e comuns aos vários fornecedores de serviços e equipamentos. Este facto tem vindo a permitir uma total integração dos vários componentes dos sistemas de comunicação e informação, tornando mais fácil para quem utiliza este tipo de tecnologias a sua utilização e tirar maior partido das ferramentas disponíveis e conseguindo ao mesmo tempo uma redução de custos na implementação e manutenção dos sistemas, indo ao encontro assim da exigência dos gestores das organizações que é conseguir fazer mais com menos custos. O trabalho tratou essencialmente da evolução dos sistemas de telecomunicações e redes ao longo da sua história, focalizando os marcos mais importantes da sua evolução e indicar quais as tendências de evolução futuras. Seria do maior interesse como complemento a este trabalho a análise da aplicação destes sistemas e analisar no terreno se as novas tendências de integração das comunicações em tecnologias IP têm trazido vantagens para as organizações que promoveram e utilizam os sistemas de comunicação integrados e até que ponto tem sido um ponto diferenciador e de maisvalia para as organizações. Bibliografia [1] P. Moreira, "HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES," Faculdade Marechal Rondon, [2] R. W. SIMONS, "Guglielmo Marconi and Early Systems of Wireless," Marconi Radar Systems, [3] "Comunicação por Satélite," Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja. [4] AT&T. (2010, Jan.) Milestones in AT&T History. [Online]. [5] t. f. e. Wikipedia. (2010, Jan.) Optical Fibre. [Online]. [6] C. f. P. o. t. R. S. A. o. Sciences, "TWO REVOLUTIONARY OPTICAL TECHNOLOGIES," Royal Swedish Academy of Sciences, [7] U. d. Minho. (2010, Jan.) Breve história da INTERNET. [Online]. F [8] P. Alves, "Redes de computadores - Introdução a redes comutadas," Universidade Federal de Minas Gerais Apresentação de aula. [9] P. C. D. Cantrell, "THE PUBLIC SWITCHED TELEPHONE NETWORK," The University of Texas at Dallas, [10] N. G. Rodrigues, "Qualidade de serviço na impleemntação de serviços VoIP - Avaliação a partir de um modelo de simulação," Universidade do Minho Tese de Mestrado, [11] A. Henriques. (2010, Jan.) Belenus - Destaque Convergência Multiserviço. [Online]. [12] J. L. K. Laudon, Essentials of Management Informations Systems, 9th ed. Prentice Hall,

Breve história da INTERNET

Breve história da INTERNET Breve história da INTERNET 1. Antecedentes No decurso da Segunda Guerra Mundial (WW II), entre 4 e 11 de Fevereiro de 1945, quando as forças armadas russas tinham atingido o rio Oder fronteira entre a

Leia mais

CLC5 Formador: Vítor Dourado

CLC5 Formador: Vítor Dourado 1 A designação da Internet advém de Interconnected Network, ou seja, rede interligada. A Internet é uma gigantesca teia mundial de redes de computadores, em constante crescimento e evolução, oferecendo

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Tecnologias de Informação e Comunicação Introdução Internet? Introdução 11-03-2007 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 2 Internet Introdução É uma rede global de computadores interligados que comunicam

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Internet. O que é a Internet?

Internet. O que é a Internet? O que é a Internet? É uma rede de redes de computadores, em escala mundial, que permite aos seus utilizadores partilharem e trocarem informação. A Internet surgiu em 1969 como uma rede de computadores

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Telecomunicaçõ ções e Redes de Computadores Prof. João Pires (em substituição do Prof. Paulo Lobato Correia) IST, 2007/2008 Objectivos Rever alguns marcos

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com 1 PRIMÓRDIOS 1950 Auge da Guerra Fria, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos realiza

Leia mais

Internet. Professor: Francisco Silva

Internet. Professor: Francisco Silva Internet e Serviços Internet A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços

Leia mais

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações Capítulo 0 Introdução 1 Um pouco de história Século XVIII foi a época dos grandes sistemas mecânicos Revolução Industrial Século XIX foi a era das máquinas a vapor Século XX principais conquistas foram

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo RC e a Internet: noções gerais Prof. Eduardo Conceitos A Internet é a rede mundial de computadores (rede de redes) Interliga milhares de dispositivos computacionais espalhados ao redor do mundo. A maioria

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio Introdução à Internet Nos dias de hoje a Internet encontra-se massificada, e disponível nos quatro cantos do mundo devido às suas

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

Guia de Estudo. Redes e Internet

Guia de Estudo. Redes e Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Redes e Internet Aspectos Genéricos Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores

Leia mais

Histórico. Francis Bacon desenvolve o alfabeto binário.

Histórico. Francis Bacon desenvolve o alfabeto binário. internet História 1605 Francis Bacon desenvolve o alfabeto binário. Queria camuflar mensagens. Usou as letras a e b que substituídas por 0 e 1, cerca de meio século depois pelo o filósofo alemão Gottfried

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

T ecnologias de I informação de C omunicação

T ecnologias de I informação de C omunicação T ecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Aferir sobre a finalidade da Internet Identificar os componentes necessários para aceder

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

Introdução ao Uso da Internet. Pedro Veiga

Introdução ao Uso da Internet. Pedro Veiga Introdução ao Uso da Internet Pedro Veiga Tópicos Breve História da Internet Estrutura da Internet Aplicações da Internet Infra-estrutura Internet da FCUL Como apareceu a Internet? A designação Internet

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

Como surgiu a Internet?

Como surgiu a Internet? Como surgiu a Internet? A internet nada mais é do que a conexão de várias redes de computadores interligadas entre si. O surgimento das primeiras redes de computadores datam a época em que o planeta estava

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Introdução. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006

Introdução. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Redes de Computadores Introdução Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Um pouco de História Século XVIII foi a época dos grandes sistemas mecânicos Revolução

Leia mais

Modelo OSI e TCP/IP. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores

Modelo OSI e TCP/IP. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Modelo OSI e TCP/IP Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores Protocolos de Comunicação Funções Estabelecer

Leia mais

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Instituto Superior Miguel Torga Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Estrutura das Aulas 5 Aulas Aula 10 (20 de Abril) Classificação Componentes Aula 11 (27 de Abril)

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06 Prof. Fábio Diniz Na aula anterior ERP Enterprise Resource Planning Objetivos e Benefícios ERP Histórico e Integração dos Sistemas

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 10 Sumário A Internet: História, Serviços e Tipos de Ligação

Leia mais

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto World Wide Web Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto Redes de Comunicação Nos anos 60 surgem as primeiras redes locais destinadas à partilha de recursos fisicamente próximos (discos, impressoras).

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores

Introdução às Redes de Computadores Introdução às Redes de Computadores Evolução na comunicação Comunicação sempre foi uma necessidade humana, buscando aproximar comunidades distantes Sinais de fumaça Pombo-Correio Telégrafo (século XIX)

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 1. Conceitos básicos, Classificação e Topologias de Redes Prof. Ronaldo

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Por que redes de computadores? Tipos de redes Componentes de uma rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Quando o assunto é informática, é impossível não pensar em

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Comunicação Dados: Conceitos e Evolução Prof. Valderi Leithardt www.inf.ufrgs.br/~vrqleithardt. Ulbra Canoas - 2012-2

Comunicação Dados: Conceitos e Evolução Prof. Valderi Leithardt www.inf.ufrgs.br/~vrqleithardt. Ulbra Canoas - 2012-2 Comunicação Dados: Conceitos e Evolução Prof. Valderi Leithardt www.inf.ufrgs.br/~vrqleithardt Ulbra Canoas - 2012-2 Apresentação Professor: Dissertação de Mestrado: Uma Plataforma para Integrar Dispositivos

Leia mais

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes

Fundamentos de Rede. Aula 01 - Introdução e Redes Fundamentos de Rede Aula 01 - Introdução e Redes Contextualização Séculos XVIII e XIX - Revolução Industrial máquinas mecânicas, taylorismo, fábricas hierarquia, centralização da decisão, mainframes Séculos

Leia mais

HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES

HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES 1(16) HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES E DE COMPUTADORES Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

REDES COMPUTADORES. Origem, Evolução e Conceitos Básicos

REDES COMPUTADORES. Origem, Evolução e Conceitos Básicos REDES COMPUTADORES Origem, Evolução e Conceitos Básicos Agenda Definição Objetivos Componentes Classificação Fluxo de Dados Tipo de Processamento Tipo de Conexão Tipo de Transmissão Tamanho Topologia Objetivos

Leia mais

Redes de Telecomunicações

Redes de Telecomunicações Redes de Telecomunicações Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores 1º semestre 2009/2010 Capítulo 1 Introdução João Pires Redes de Telecomunicações (09/10) 2 Aspectos da Evolução das Telecomunicações

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): Eng.º Vitor M. N. Fernandes E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 13 Sumário Comunicação de Dados,

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1 Redes de Computadores e Teleinformática Zacariotto 4-1 Agenda da aula Introdução Redes de computadores Redes locais de computadores Redes de alto desempenho Redes públicas de comunicação de dados Computação

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System Redes - Internet 9º C 2008 09 24 Sumário } Estrutura baseada em camadas } Endereços IP } DNS -Domain Name System } Serviços, os Servidores e os Clientes } Informação Distribuída } Principais Serviços da

Leia mais

Redes de Computadores. Origem, Conceitos e Métodos

Redes de Computadores. Origem, Conceitos e Métodos Redes de Computadores Origem, Conceitos e Métodos Rede de Computadores Uma rede de computadores consiste em 2 ou mais computadores e outros dispositivos interligados entre si, de modo que possam compartilhar

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes. Secção de Redes de Comunicação de Dados

1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes. Secção de Redes de Comunicação de Dados 1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados Necessidades de comunicação

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

Processadores de telecomunicações

Processadores de telecomunicações 1 Processadores de telecomunicações ƒ Modems (modulação/desmodulação) ƒ Converte sinais entre os formatos analógico e digital. ƒ Multiplexadores ƒ Permitem que um canal de comunicação transporte simultaneamente

Leia mais

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Topologias e abrangência das redes de computadores. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Topologias e abrangência das redes de computadores Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Objetivos Tornar os alunos capazes de reconhecer os tipos de topologias de redes de computadores assim como

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Informática Internet Internet

Informática Internet Internet Informática Internet Internet A Internet é uma rede mundial de computadores de acesso de público ilimitado. Na prática, pode-se dizer que ela é composta por um conjunto de muitas redes interconectadas.

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

Redes e Telecomunicações

Redes e Telecomunicações Redes e Telecomunicações Comunicação Processo pelo qual uma informação gerada num ponto (origem) é transferida para outro ponto (destino) Telecomunicações Telecomunicação do grego: tele = distância do

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

Introdução. Redes de computadores

Introdução. Redes de computadores Introdução Redes de computadores Usos das s de computadores Hardware das s de computadores Periferia da Tecnologias de comutação e multiplexagem Arquitectura em camadas Medidas de desempenho da s Introdução

Leia mais

CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO. Por Leonardo Mussi da Silva

CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO. Por Leonardo Mussi da Silva CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO Por Leonardo Mussi da Silva Evolução do sistema telefônico como tudo começou 1875 Alexander Graham Bell e Thomas Watson, em projeto dedicado a telegrafia, se depararam com

Leia mais

BC-0506: Comunicação e Redes Aula 03: Princípios de Redes de Computadores

BC-0506: Comunicação e Redes Aula 03: Princípios de Redes de Computadores BC-0506: Comunicação e Redes Aula 03: Princípios de Redes de Computadores Santo André, 2Q2011 1 Comutação Comutação (chaveamento): alocação dos recursos da rede para a transmissão pelos diversos dispositivos

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Introdução a Redes de Computadores Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Novembro de 2012 1 / 25 O que é Redes de Computadores? É a infra-estrutura de hardware

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Comunicação entre computadores o Modelo OSI

Comunicação entre computadores o Modelo OSI Comunicação entre computadores o Modelo OSI Antes de avançar, vamos ver o significado de alguns conceitos. A nível das tecnologias de informação, há um conjunto de normas, padrões e protocolos que são

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 1 Secção II ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 2 Alternativas para redes de telecomunicações Alternativa de rede Redes Suportes Processadores Software Canais Topologia/arquitectura Exemplos

Leia mais

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site:

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: https://sites.google.com/site/professorcristianovieira Esta frase

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Conceito de Redes Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem que dois ou mais computadores

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Topologias Tipos de Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REDES LOCAIS LAN -

Leia mais

Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna

Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna Ágora Ciência e Sociedade Lisboa, 15 de Maio de 2015 Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna Carlos Salema 2014, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados. Índice

Leia mais

Instalação e configuração de computadores em redes locais e à rede Internet

Instalação e configuração de computadores em redes locais e à rede Internet Instalação e configuração de computadores em redes locais e à rede Internet Unicenter - Sandra Silva 2010 Unicenter. Todos os direitos reservados Objectivos da disciplina Instalar e manter redes locais.

Leia mais

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET 2010/2011 1 Introdução às redes e telecomunicações O que é uma rede? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído

Leia mais

Índice NETWORK ESSENTIALS

Índice NETWORK ESSENTIALS NETWORK ESSENTIALS Índice Estruturas Físicas... 3 Adaptador de Rede... 4 Tipos de par trançado... 5 Coaxial... 6 Tipos de cabos coaxial... 6 Fibra Óptica... 7 Tecnologias comunicação sem fios... 8 Topologias

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Internet A Grande Rede Mundial Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha O que é a Internet? InterNet International Network A Internet é uma rede mundial de

Leia mais

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos Arquiteturas de Rede 1 Sumário Introdução; Modelo de Referência OSI; Modelo de Referência TCP/IP; Bibliografia. 2/30 Introdução Já percebemos que as Redes de Computadores são bastante complexas. Elas possuem

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Comunicações Digitais e Internet

Comunicações Digitais e Internet Comunicações Digitais e Internet Sérgio Nunes Comunicações Digitais e Internet Ciências da Comunicação, U.Porto 2011/12 Comunicações Digitais Redes de Computadores Porquê a necessidade de redes de computadores?

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO Artigo Científico Curso de Pós-Graduação em Redes e Segurança de Sistemas Instituto

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores e outros dispositivos, com a finalidade de trocar informação e partilhar

Leia mais

Aula 1 Cleverton Hentz

Aula 1 Cleverton Hentz Aula 1 Cleverton Hentz Sumário da Aula Introdução História da Internet Protocolos Hypertext Transfer Protocol 2 A Internet é um conjunto de redes de alcance mundial: Comunicação é transparente para o usuário;

Leia mais

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA Introdução Saiba como muitas empresas em todo mundo estão conseguindo economizar nas tarifas de ligações interurbanas e internacionais. A História do telefone Banda Larga

Leia mais