MEMORIAL DESCRITIVO DAS CONSTRUÇÕES BLOCO 01

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO DAS CONSTRUÇÕES BLOCO 01"

Transcrição

1 1. INSTALAÇÕES DE COMBATE A INCÊNDIOS CONDIÇÕES GERAIS O projeto de prevenção e combade a incêndios foi executado atendendo às exigências das seguintes normas e leis: NB; /93. NT - 15/ CAT / CBMES; NBR ; PT CAT / CBMES; PT CAT / CBMES MEMORIAL DESCRITIVO DA CONSTRUÇÃO Local Rua / Av.: Bairro: Município: Proprietário ÁREA RURAL; SOÍDO; DOMINGOS MARTINS - ES SESC - SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Responsável pelo projeto Autor: Endereço: CREA: VANDERLEY DE SOUZA. AV. MAL. MASCARENHAS DE MORAES, Nº 2562, S/401, B. FERREIRA, VITÓRIA - ES. 3831/ES Área total a construír 3.584,23 m² MEMORIAL DESCRITIVO DAS CONSTRUÇÕES BLOCO RESUMO DA PROTEÇÃO POR EXTINTORES: AGENTE CAP. EXT. EXTINTOR MÍNIMA QUANT. LOCALIZAÇÃO CO2 5B:C 10 BLOCOS 01, 02, 03 e 04; PQS 20B:C 9 BLOCOS 01, 02, 03 e 04; PQS 20B:C/2A 60 BLOCOS 01, 02, 03 e 04; AP 2A 2 BLOCO CENTRAL / PISCINA; CO2 5B:C 5 BLOCO CENTRAL / PISCINA; PQS 20B:C 4 BLOCO CENTRAL / PISCINA; PQS 20B:C/2A 28 BLOCO CENTRAL / PISCINA; AP 2A 1 CO2 5B:C 1 PQS 20B:C 18 PQS 20B:C/2A 37 CO2 5B:C 3 PQS 20B:C 4 PQS 20B:C/2A 14 PQS 20B:C/2A 1 CENTRO DE CONVENÇÕES; CENTRO DE CONVENÇÕES; CENTRO DE CONVENÇÕES; CENTRO DE CONVENÇÕES; RESTAURANTE; CENTRAIS DE GÁS; RESTAURANTE; PORTAL DE ENTRADA. Total unidades = 197 unidaes extintoras. VANDERLEY DE SOUZA CREA /ES SESC - Serviço Social do Comércio

2 1.2 - SISTEMA HIDRÁULICO PREVENTIVO (SHP) DOS BLOCOS 01, 02, 03 e Número de pavimento: = Hidrantes: 1.2.2a - Hidrante de parede: = 6 x 4 = 24 total 1.2.2b - Hidrante de recalque: = 1 x 4 = 4 total 1.2.2c - Hidrante de coluna: = 2 - ver planta de urbanismo 1.2.2d - Diâmetro da tubulação: = Ø75/63mm 1.2.2e - Registros de globo angular 45 Ø63mm: = 6 x 4 = 24 total 1.2.2f - Diâmetro das mangueiras: = Ø38mm 1.2.2g - Adaptador rosca fêmea para engate rápido Ø63/38mm: = 6 x 4 = 24 total 1.2.2h - Posição da válvula de retenção: = VERTICAL Mangueiras: Mangueiras de 15m de comprimento e Ø38mm. = 1 x 4 = 4 total Mangueiras de 25m de comprimento e Ø38mm. = 5 x 4 = 20 total Esguichos: Esguichos Ø38mm, (requinte p/ cálculo Ø 16mm). = 6 x 4 = 24 total Chaves de Mangueira: Chave de mangueira Ø38mm. = 6 x 4 = 24 total Reservatórios Tipo de material: = FIBRA Capacidade total dos reservatórios: = 30,00 m³ Reserva Técnica de Incêndios: = 18,00 m³ Altura do último piso ao fundo do reservatório: = 3,40 m MEMORIAL DE CÁLCULO DO S.H.P. COM USO DE BOMBA Generalidades. A edificação por sua finalidade e construção pertence ao risco "MÉDIO", e terá hidrantes com vazão mínima de 200L/min. e pressão mínima de 15,52mca, conforme a NT-015/2009 do CAT/CBMES. Para efeito de elaboração do cálculo da rede e posicionamento de hidrantes foram adotados valores indicados pelo CBMES - NT-015/2009 do CAT/CBMES CÁLCULOS: Hidrante mais desfavorável: HP Pressão = 15,06 mca Vazão = 200,05 L/min Mangueira = Ø 38mm, comprimento de 25,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,246 mca L = Comprimento da mangueira. 25,00 m Pm = 6,146 mca

3 Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,039 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,386 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 4,30 Ld = 0,00 = 0,00 Ll = 1 Tê SL Ø63 = 4,30 Pt = 0,166 mca PA = Item PA = 21,758 mca Q = Vazão de água no trecho = 200,05 L/min. ou 0,00333 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63 mm ou 0,00312 m² V = 1,07 m/s Hidrante mais próximo do mais desfavorável: HP Pressão = 17,00 mca Vazão = 212,55 L/min Mangueira = Ø 38mm, comprimento de 25,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,275 mca L = Comprimento da mangueira. 25,00 m Pm = 6,875 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,043 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,43 mca

4 Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 8,70 Ld = 3,10 = 3,10 Ll = 1Tê PD Ø63 + 1Tê SL Ø63 = 5,60 Pt = 0,376 mca Q = Vazão de água no trecho = 212,55 L/min. ou 0,00354 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 1,14 m/s PB = Item H H = pressão POSITIVA entre PA e PB = 3,10 mca PB = 21,583 mca PA - PB DEVE SER MENOR OU IGUAL A 0,50mca PA - PB = 0, Determinação da altura manométrica da bomba de incêndio: Vazão total (Qt): Qt = Q1 + Q2 Qt = 412,60 L/min ou 24,76 m³/h Pressão na saída da bomba (Hs): Ø 63,00 mm Hs = "PA" + Htubo que sobe - Htubo que desce + P1 Hs = Pressão na saída da bomba; PA = Pressão no hidrante mais desfavorável = 21,76 P1 = Perda de carga total na tubulação ( P1 = J x Lt) = 5,440 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,15 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 36,90 m Comprimento do tubo que sobe = 0,30 m Comprimento do tubo que desce = 2,60 m Ld = 0,30+0,30+0,50+0,40+1,20+2,20+0,50+2,10 = 7,50 m Ll = 2Tê SL Ø63 + 5JO 90 Ø63 + 1Tê PD Ø63 + 2CURØ RG Ø63 + 1VR Ø63 = 29,40 m Lt = = 36,90 P1 = 5,440 Hs = 24,898 mca Q = Vazão de água no trecho = 412,60 L/min. ou 0,00688 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 2,21 m/s

5 Pressão na entrada da bomba (He): Ø 75,00 mm He = Htubo que desce - P2 He = Pressão na entrada da bomba; P2 = Perda de carga total na tubulação ( P2 = J x Lt) = 2,551 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,06 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 40,45 m Comprimento do tubo que desce = 0,00 m Ld = 0,85+0,85+0,85+3,45+3,50+6,75+1,10 = 17,35 m Ll = 3EB Ø75 + 4RG Ø75 + 1JO Ø75 + 2Tê SL Ø75 + 1Tê PD Ø75 = 23,10 m He = -2,551 mca Altura manométrica da bomba (AMT): AMT = Hs - He Etão: AMT = 27,45 mca 15,06 30,12 Q = Vazão de água no trecho = 412,60 L/min. ou 0,00688 m³/s A = Área do tubo no trecho = 75,00 mm ou 0,00442 m² V = 1,56 m/s Pressão no hidrante mais favorável (HMF = HP-06): HMF = (AMT+H) - HMF AMT = Altura manométrica da bomba = 27,45 mca H = Altura vertical da bomba ao hidrante mais favorável = 18,10 mca MF = Perda de carga ate o hidrante mais favorável = 11,39 mca Vazão no hidrante mais favorável = 301,30 L/min. Pressão no hidrante mais favorável = 34,16 mca Reserva técnica de incêndio (R. T. I.) A reserva técnica de incendio foi dimensionada conforme indicaçõa da NT-015/2009 do CAT/CBMES conforme tabela "A-3". RTI = 18,00 m³ Bomba de combate a incêndios A pressurização do Sistema Hidráulico Preventivo (S.H.P.), será feito através de uma bomba com acionamento através de pressostato conforme Norma Técnica n CAT/CBOM. A ligação da alimentação do motor da bomba de combate a incêndio deve ser independente, de forma a permitir o desligamento geral de energia elétrica das instalações prediais, sem prejuizo do funcionamento dos conjuntos motor-bombas, os fios elétricos, quando dentro da área desprotegida, deverão ser guarnecidos contra evenruais danos mecânicos, fogo, agentes químicos e umidades. A entrada de força para a instalação a ser protegida, deverá ser suficiente para suportar o funcionamento da bomba, no caso de seu acionamento ocorrer juntamente com os demais componentes elétricos da instalação geral em plena carga. Especificação das bombas: * A bomba utilizada deverá atender a pressão e vazão calculada: HMT = 27,45 mca Vazão = 412,60 L/min. 24,76 m³/h Sugestão de bomba: * OU SIMILAR COM MESMO RENDIMENTO. Fabricante = DARKA Potência = 5 CV, Trifásica Modelo = CF-9

6 Acionamento / desacionamento das bombas: O acionamento e desacionamento das bombas será feito automaticamente através de pressostato instalado depois da válvula de retenção no barrilete da tubulação de incêndio. Deverá ser instalada no reservatório uma chave de nível para o desligamento da bomba ao findar a água. NOTA: * As chaves elétricas de alimentação das bombas de combate a incêndios devem ser sinalizadas com a inscrição "ALIMENTAÇÃO DA BOMBA DE COMBATE A INCÊNDIOS - NÃO DESLIGUE" SISTEMA HIDRÁULICO PREVENTIVO (SHP) DO BLOCO CENTRAL / PISCINA Número de pavimento: = Hidrantes: Hidrante de parede: = Hidrante de recalque: = Hidrante de coluna: = 2 - ver planta de urbanismo Diâmetro da tubulação: = Ø75/63mm Registros de globo angular 45 Ø63mm: = Diâmetro das mangueiras: = Ø38mm Adaptador rosca fêmea para engate rápido Ø63/38mm: = Posição da válvula de retenção: = VERTICAL Mangueiras: Mangueiras de 15m de comprimento e Ø38mm. = 14 Mangueiras de 25m de comprimento e Ø38mm. = Esguichos: Esguichos Ø38mm, (requinte p/ cálculo Ø 16mm). = Chaves de Mangueira: Chave de mangueira Ø38mm. = Reservatórios Tipo de material: = FIBRA Capacidade total dos reservatórios: = 30,00 m³ Reserva Técnica de Incêndios: = 25,50 m³ Altura do último piso ao fundo do reservatório: = 3,40 m MEMORIAL DE CÁLCULO DO S.H.P. COM USO DE BOMBA Generalidades. A edificação por sua finalidade e construção pertence ao risco "MÉDIO", e terá hidrantes com vazão mínima de 200L/min. e pressão mínima de 15,52mca, conforme a NT-015/2009 do CAT/CBMES. Para efeito de elaboração do cálculo da rede e posicionamento de hidrantes foram adotados valores indicados pelo CBMES - NT-015/2009 do CAT/CBMES CÁLCULOS: Hidrante mais desfavorável: HP Pressão = 15,06 mca Vazão = 200,05 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 30,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm

7 Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,246 mca L = Comprimento da mangueira. 30,00 m Pm = 7,375 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,039 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,386 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 4,30 Ld = 0,00 = 0,00 Ll = 1 Tê SL Ø63 = 4,30 Pt = 0,166 mca PA = Item PA = 22,988 mca Q = Vazão de água no trecho = 200,05 L/min. ou 0,00333 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63 mm ou 0,00312 m² V = 1,07 m/s Hidrante mais próximo do mais desfavorável: HP Pressão = 17,00 mca Vazão = 212,55 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 30,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,275 mca L = Comprimento da mangueira. 30,00 m Pm = 8,250 mca

8 Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,043 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,43 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 8,70 Ld = 3,10 = 3,10 Ll = 1Tê PD Ø63 + 1Tê SL Ø63 = 5,60 Pt = 0,376 mca Q = Vazão de água no trecho = 212,55 L/min. ou 0,00354 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 1,14 m/s PB = Item H H = pressão POSITIVA entre PA e PB = PB = 22,958 mca PA-PB DEVE SER MENOR OU IGUAL A 0,50mca PA-PB = 0,030 3,10 mca Determinação da altura manométrica da bomba de incêndio: Vazão total (Qt): Qt = Q1 + Q2 Qt = 412,60 L/min ou 24,76 m³/h Pressão na saída da bomba (Hs): Ø 63,00 mm Hs = "PA" + Htubo que sobe - Htubo que desce + P1 Hs = Pressão na saída da bomba; PA = Pressão no hidrante mais desfavorável = 22,99 P1 = Perda de carga total na tubulação ( P1 = J x Lt) = 4,600 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,15 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 31,20 m Comprimento do tubo que sobe = 0,30 m Comprimento do tubo que desce = 2,60 m Ld = 0,30+0,30+0,50+0,40+1,35+1,15+2,10 = 6,10 m Ll = 2Tê SL Ø63 + 4JO 90 Ø63 + 1RG Ø63 + 1VR Ø63 = 25,10 m Lt = = 31,20 P1 = 4,600 Hs = 25,287 mca

9 Q = Vazão de água no trecho = 412,60 L/min. ou 0,00688 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 2,21 m/s Pressão na entrada da bomba (He): Ø 75,00 mm He = Htubo que desce - P2 He = Pressão na entrada da bomba; P2 = Perda de carga total na tubulação ( P2 = J x Lt) = 3,112 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,06 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 49,35 m Comprimento do tubo que desce = 0,00 m Ld = 0,85+0,85+0,50+5,10+1,80+1,65+3,10+0,30 = 14,15 m Ll = 3EB Ø75 + 4RG Ø75 + 2JO Ø75 + 2Tê SL Ø75 + 2Tê PD Ø75 = 35,20 m He = -3,112 mca Altura manométrica da bomba (AMT): AMT = Hs - He Etão: AMT = 28,40 mca Q = Vazão de água no trecho = 412,60 L/min. ou 0,00688 m³/s A = Área do tubo no trecho = 75,00 mm ou 0,00442 m² V = 1,56 m/s Pressão no hidrante mais favorável (HMF - HP-08): HMF = HMF + AMT - H AMT = Altura manométrica da bomba = 28,40 mca H = Altura vertical da bomba ao hidrante mais favorável = 18,05 mca MF = Perda de carga ate o hidrante mais favorável = 11,61 mca Vazão no hidrante mais favorável = 304,26 L/min. Pressão no hidrante mais favorável = 34,84 mca Reserva técnica de incêndio (R. T. I.) A reserva técnica de incendio foi dimensionada conforme indicaçõa da NT-015/2009 do CAT/CBMES conforme tabela "A-3". RTI = 25,50 m³ Bomba de combate a incêndios A pressurização do Sistema Hidráulico Preventivo (S.H.P.), será feito através de uma bomba com acionamento através de pressostato conforme Norma Técnica n CAT/CBOM. A ligação da alimentação do motor da bomba de combate a incêndio deve ser independente, de forma a permitir o desligamento geral de energia elétrica das instalações prediais, sem prejuizo do funcionamento dos conjuntos motor-bombas, os fios elétricos, quando dentro da área desprotegida, deverão ser guarnecidos contra evenruais danos mecânicos, fogo, agentes químicos e umidades. A entrada de força para a instalação a ser protegida, deverá ser suficiente para suportar o funcionamento da bomba, no caso de seu acionamento ocorrer juntamente com os demais componentes elétricos da instalação geral em plena carga.

10 Especificação das bombas: * A bomba utilizada deverá atender a pressão e vazão calculada: HMT = 28,40 mca Vazão = 412,60 L/min. 24,76 m³/h Sugestão de bomba: Fabricante = DARKA Potência = 5 CV, Trifásica Modelo = CF-9 * OU SIMILAR COM MESMO RENDIMENTO Acionamento / desacionamento das bombas: O acionamento e desacionamento das bombas será feito automaticamente através de pressostato instalado depois da válvula de retenção no barrilete da tubulação de incêndio. Deverá ser instalada no reservatório uma chave de nível para o desligamento da bomba ao findar a água. NOTA: * As chaves elétricas de alimentação das bombas de combate a incêndios devem ser sinalizadas com a inscrição "ALIMENTAÇÃO DA BOMBA DE COMBATE A INCÊNDIOS - NÃO DESLIGUE" SISTEMA HIDRÁULICO PREVENTIVO (SHP) DO CENTRO DE CONVENÇÕES Número de pavimento: = Hidrantes: Hidrante de parede: = Hidrante de recalque: = Hidrante de coluna: = 2 - ver planta de urbanismo Diâmetro da tubulação: = Ø75/63mm Registros de globo angular 45 Ø63mm: = Diâmetro das mangueiras: = Ø38mm Adaptador rosca fêmea para engate rápido Ø63/38mm: = Posição da válvula de retenção: = VERTICAL Mangueiras: Mangueiras de 15m de comprimento e Ø38mm. = 12 Mangueiras de 25m de comprimento e Ø38mm. = Esguichos: Esguichos Ø38mm, (requinte p/ cálculo Ø 16mm). = Chaves de Mangueira: Chave de mangueira Ø38mm. = Reservatórios Tipo de material: = FIBRA Capacidade total dos reservatórios: = 10,00 m³ Reserva Técnica de Incêndios: = 36,00 m³ Altura do último piso ao fundo do reservatório: = 4,27 m

11 MEMORIAL DE CÁLCULO DO S.H.P. COM USO DE BOMBA Generalidades. A edificação por sua finalidade e construção pertence ao risco "MÉDIO", e terá hidrantes com vazão mínima de 200L/min. e pressão mínima de 15,52mca, conforme a NT-015/2009 do CAT/CBMES. Para efeito de elaboração do cálculo da rede e posicionamento de hidrantes foram adotados valores indicados pelo CBMES - NT-015/2009 do CAT/CBMES CÁLCULOS: Hidrante mais desfavorável: HP Pressão = 15,06 mca Vazão = 200,05 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 25,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,246 mca L = Comprimento da mangueira. 25,00 m Pm = 6,146 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,039 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,386 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 21,70 Ld = 3,40+3,10+0,75+2,15 = 9,40 Ll = 1 Tê SL Ø63 + 4Jo Ø63 = 12,30 Pt = 0,838 mca PA = Item H H = Pressão estática POSITIVA em PA = 2,15 mca PA = 20,281 mca Q = Vazão de água no trecho = 200,05 L/min. ou 0,00333 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63 mm ou 0,00312 m² V = 1,07 m/s

12 Hidrante mais próximo do mais desfavorável: HP Pressão = 17,70 mca Vazão = 216,88 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 30,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,285 mca L = Comprimento da mangueira. 30,00 m Pm = 8,564 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,045 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,45 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 26,47 Ld = 3,55+2,72+4,50+4,10 = 14,87 Ll = 1Tê PD Ø63 + 1Tê SL Ø63 + 3JoØ63 = 11,60 Pt = 1,187 mca Q = Vazão de água no trecho = 216,88 L/min. ou 0,00361 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 1,16 m/s PB = Item H H = pressão POSITIVA entre PA e PB = PB = 20,25 mca PA-PB DEVE SER MENOR OU IGUAL A 0,50mca PA-PB = 0,031 7,65 mca

13 Determinação da altura manométrica da bomba de incêndio: Vazão total (Qt): Qt = Q1 + Q2 Qt = 416,93 L/min ou 25,02 m³/h Pressão na saída da bomba (Hs): Ø 63,00 mm Hs = "PA" + Htubo que sobe - Htubo que desce + P1 Hs = Pressão na saída da bomba; PA = Pressão no hidrante mais desfavorável = 20,28 P1 = Perda de carga total na tubulação ( P1 = J x Lt) = 5,020 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,15 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 33,40 m Comprimento do tubo que sobe = 0,30 m Comprimento do tubo que desce = 3,30 m Ld = 0,30+0,30+0,50+0,60+1,10+7,10+0,40 = 10,30 m Ll = 2Tê SL Ø63 + 3JO 90 Ø63 + 1RG Ø63 + 1VR Ø63 = 23,10 m Lt = = 33,40 P1 = 5,020 Hs = 22,301 mca Q = Vazão de água no trecho = 416,93 L/min. ou 0,00695 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 2,23 m/s Pressão na entrada da bomba (He): Ø 75,00 mm He = Htubo que desce - P2 He = Pressão na entrada da bomba; P2 = Perda de carga total na tubulação ( P2 = J x Lt) = 2,463 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,06 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 38,30 m Comprimento do tubo que desce = 0,00 m Ld = 0,75+0,75+0,75+2,15+1,85+2,70+0,80+0,40+3,10 = 10,90 m Ll = 4EB Ø75 + 5RG Ø75 + 2JO Ø75 + 3Tê SL Ø75 + 2Tê PD Ø75 = 27,40 m He = -2,463 mca Altura manométrica da bomba (AMT): AMT = Hs - He Etão: AMT = 24,76 mca Q = Vazão de água no trecho = 416,93 L/min. ou 0,00695 m³/s A = Área do tubo no trecho = 75,00 mm ou 0,00442 m² V = 1,57 m/s

14 Pressão no hidrante mais favorável (HMF): HMF = HMF + AMT - H AMT = Altura manométrica da bomba = 24,76 mca H = Altura vertical da bomba ao hidrante mais favorável = 13,95 mca MF = Perda de carga ate o hidrante mais favorável = 9,68 mca Vazão no hidrante mais favorável = 277,77 L/min. Pressão no hidrante mais favorável = 29,04 mca Reserva técnica de incêndio (R. T. I.) A reserva técnica de incendio foi dimensionada conforme indicaçõa da NT-015/2009 do CAT/CBMES conforme tabela "A-3". RTI = 36,00 m³ Bomba de combate a incêndios A pressurização do Sistema Hidráulico Preventivo (S.H.P.), será feito através de uma bomba com acionamento através de pressostato conforme Norma Técnica n CAT/CBOM. A ligação da alimentação do motor da bomba de combate a incêndio deve ser independente, de forma a permitir o desligamento geral de energia elétrica das instalações prediais, sem prejuizo do funcionamento dos conjuntos motor-bombas, os fios elétricos, quando dentro da área desprotegida, deverão ser guarnecidos contra evenruais danos mecânicos, fogo, agentes químicos e umidades. A entrada de força para a instalação a ser protegida, deverá ser suficiente para suportar o funcionamento da bomba, no caso de seu acionamento ocorrer juntamente com os demais componentes elétricos da instalação geral em plena carga. Especificação das bombas: * A bomba utilizada deverá atender a pressão e vazão calculada: HMT = 24,76 mca Vazão = 25,02 m³/h Sugestão de bomba: Fabricante = DARKA Potência = 5 CV, Trifásica Modelo = CF-9 * OU SIMILAR COM MESMO RENDIMENTO Acionamento / desacionamento das bombas: O acionamento e desacionamento das bombas será feito automaticamente através de pressostato instalado depois da válvula de retenção no barrilete da tubulação de incêndio. Deverá ser instalada no reservatório uma chave de nível para o desligamento da bomba ao findar a água. NOTA: * As chaves elétricas de alimentação das bombas de combate a incêndios devem ser sinalizadas com a inscrição "ALIMENTAÇÃO DA BOMBA DE COMBATE A INCÊNDIOS - NÃO DESLIGUE".

15 1.5 - SISTEMA HIDRÁULICO PREVENTIVO (SHP) DO RESTAURANTE Número de pavimento: = Hidrantes: Hidrante de parede: = Hidrante de recalque: = Hidrante de coluna: = 2 - ver planta de urbanismo Diâmetro da tubulação: = Ø75/63mm Registros de globo angular 45 Ø63mm: = Diâmetro das mangueiras: = Ø38mm Adaptador rosca fêmea para engate rápido Ø63/38mm: = Posição da válvula de retenção: = VERTICAL Mangueiras: Mangueiras de 15m de comprimento e Ø38mm. = Esguichos: Esguichos Ø38mm, (requinte p/ cálculo Ø 16mm). = Chaves de Mangueira: Chave de mangueira Ø38mm. = Reservatórios Tipo de material: = FIBRA Capacidade total dos reservatórios: = 30,00 m³ Reserva Técnica de Incêndios: = 12,00 m³ Altura do último piso ao fundo do reservatório: = 2,85 m MEMORIAL DE CÁLCULO DO S.H.P. COM USO DE BOMBA Generalidades. A edificação por sua finalidade e construção pertence ao risco "MÉDIO", e terá hidrantes com vazão mínima de 200L/min. e pressão mínima de 15,52mca, conforme a NT-015/2009 do CAT/CBMES. Para efeito de elaboração do cálculo da rede e posicionamento de hidrantes foram adotados valores indicados pelo CBMES - NT-015/2009 do CAT/CBMES CÁLCULOS: Hidrante mais desfavorável: HP Pressão = 15,06 mca Vazão = 200,05 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 30,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,246 mca L = Comprimento da mangueira. 30,00 m Pm = 7,375 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,039 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,386 mca

16 Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 6,30 Ld = 0,00 = 0,00 Ll = 1 Tê SL Ø63 + 1Jo Ø63 = 6,30 Pt = 0,243 mca PA = Item PA = 23,065 mca Q = Vazão de água no trecho = 200,05 L/min. ou 0,00333 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63 mm ou 0,00312 m² V = 1,07 m/s Hidrante mais próximo do mais desfavorável: HP Pressão = 16,30 mca Vazão = 208,12 L/min Mangueira = Ø 63mm, comprimento de 30,00 m Requinte do esguicho (p/ cálculo) = Ø16 mm Tubulação = Ø63 mm Perda de carga na mangueira: Pm = J x L J = Perda de carga metro/metro. = 0,265 mca L = Comprimento da mangueira. 30,00 m Pm = 7,935 mca Perda de carga no registro: Ø 63,00 mm Pr = J x MCR Onde J = Perda de carga metro/metro. = 0,042 mca MCR = Metros de canalização retilínea. = 10,00 m Pr = 0,42 mca Perda de carga na tubulação: Ø 63,00 mm Pt = J x Lt (Lt = (Comp. Linear - Ld) + (Comp. Localizado - Ll)) J = Perda de carga metro/metro. = 0,04 Lt = Comprimento total em metros = 23,80 Ld = 4,20+0,80+1,10+1,80 = 7,90 Ll = 1Tê PD Ø63 + 2Tê SL Ø63 + 3JoØ63 = 15,90 Pt = 0,989 mca

17 Q = Vazão de água no trecho = 208,12 L/min. ou 0,00347 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 1,11 m/s PB = Item H H = pressão POSITIVA entre PA e PB = PB = 22,740 mca PA-PB DEVE SER MENOR OU IGUAL A 0,50mca PA-PB = 0,325 2,90 mca Determinação da altura manométrica da bomba de incêndio: Vazão total (Qt): Qt = Q1 + Q2 Qt = 408,18 L/min ou 24,49 m³/h Pressão na saída da bomba (Hs): Ø 63,00 mm Hs = "PA" + Htubo que sobe - Htubo que desce + P1 Hs = Pressão na saída da bomba; PA = Pressão no hidrante mais desfavorável = 23,06 P1 = Perda de carga total na tubulação ( P1 = J x Lt) = 4,191 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,14 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 29,00 m Comprimento do tubo que sobe = 0,30 m Comprimento do tubo que desce = 2,05 m Ld = 0,30+0,30+0,50+0,40+3,50+0,35+1,55 = 6,90 m Ll = 1Tê SL Ø63 + 4JO 90 Ø63 + 1Tê PD Ø63 + 1RG Ø63 + 1VR Ø63 = 22,10 m Lt = = 29,00 P1 = 4,191 Hs = 25,506 mca Q = Vazão de água no trecho = 408,18 L/min. ou 0,00680 m³/s A = Área do tubo no trecho = 63,00 mm ou 0,00312 m² V = 2,18 m/s Pressão na entrada da bomba (He): Ø 75,00 mm He = Htubo que desce - P2 He = Pressão na entrada da bomba; P2 = Perda de carga total na tubulação ( P2 = J x Lt) = 1,709 mca J = Perda de carga na tubulação (m/m) = 0,06 Lt = Comprimento total em metros distribuído + localizado (Ld + Ll) = 27,65 m Comprimento do tubo que desce = 0,00 m Ld = 0,60+0,60+3,20+2,50+0,35 = 7,25 m Ll = 2EB Ø75 + 3RG Ø75 + 1JO Ø75 + 2Tê SL Ø75 + 1Tê PD Ø75 = 20,40 m He = -1,709 mca

18 Altura manométrica da bomba (AMT): AMT = Hs - He Etão: AMT = 27,22 mca Q = Vazão de água no trecho = 408,18 L/min. ou 0,00680 m³/s A = Área do tubo no trecho = 75,00 mm ou 0,00442 m² V = 1,54 m/s Pressão no hidrante mais favorável (HMF): HMF = HMF + AMT - H AMT = Altura manométrica da bomba = 27,22 mca H = Altura vertical da bomba ao hidrante mais favorável = 6,00 mca MF = Perda de carga ate o hidrante mais favorável = 8,30 mca Vazão mínima no hidrante mais favorável = 200 L/min. Pressão mínima no hidrante mais favorável = 24,91 mca Reserva técnica de incêndio (R. T. I.) A reserva técnica de incendio foi dimensionada conforme indicaçõa da NT-015/2009 do CAT/CBMES conforme tabela "A-3". RTI = 36,00 m³ Bomba de combate a incêndios A pressurização do Sistema Hidráulico Preventivo (S.H.P.), será feito através de uma bomba com acionamento através de pressostato conforme Norma Técnica n CAT/CBOM. A ligação da alimentação do motor da bomba de combate a incêndio deve ser independente, de forma a permitir o desligamento geral de energia elétrica das instalações prediais, sem prejuizo do funcionamento dos conjuntos motor-bombas, os fios elétricos, quando dentro da área desprotegida, deverão ser guarnecidos contra evenruais danos mecânicos, fogo, agentes químicos e umidades. A entrada de força para a instalação a ser protegida, deverá ser suficiente para suportar o funcionamento da bomba, no caso de seu acionamento ocorrer juntamente com os demais componentes elétricos da instalação geral em plena carga. Especificação das bombas: * A bomba utilizada deverá atender a pressão e vazão calculada: HMT = 27,22 mca Vazão = 24,49 m³/h Sugestão de bomba: * OU SIMILAR COM MESMO RENDIMENTO. Fabricante = DARKA Potência = 5 CV, Trifásica Modelo = CF Acionamento / desacionamento das bombas: O acionamento e desacionamento das bombas será feito automaticamente através de pressostato instalado depois da válvula de retenção no barrilete da tubulação de incêndio. Deverá ser instalada no reservatório uma chave de nível para o desligamento da bomba ao findar a água. NOTA: * As chaves elétricas de alimentação das bombas de combate a incêndios devem ser sinalizadas com a inscrição "ALIMENTAÇÃO DA BOMBA DE COMBATE A INCÊNDIOS - NÃO DESLIGUE" Outro sistema de proteção Deve existir na edificação um sistema de proteção contra descargas elétricas atmosféricas, conforme previsto na NBR VANDERLEY DE SOUZA CREA /ES SESC - Serviço Social do Comércio

19 1.6 - MEMORIAL DE SAÍDAS DE EMERGÊNCIA EM EDIFÍCIOS: As escadas deverão ser construídas de acordo com o item 4.7 da NBR-9077/ As escadas devem terminar no piso de descarga e não se comunica com outro lance da mesma prumada, de acordo com a NBR-9077/ Os pisos dos degraus e patamares deverão ser revestidos com materiais resistentes à propagação de superficial de chama, isto é, com índice "A" da NBR-9442, alem de ser construído com material anti-derrapante, e que permaneça anti-derrapante com o uso, conforme item da NBR-9077/ A sinalização de saída será construída conforme preceitua o item da NBR-9077/ O projeto de execução/manutenção da iluminação de emergência obedecerá a NBR conforme preceitua o ítem da NBR-9077/ Os guarda-corpos e balaustradas deverão estar de acordo com o item 4.8 da NBR-9077/ Todos os componentes das rotas de fuga (descarga) devem ser construídos de acordo com item 4.11 da NBR-9077/ Os elevadores serão instalados conforme normas da ABNT; As PCF obedecem a NBR 11742, (Classe "P-60" na entrada da ante-câmara) e (Classe "PF-60" na entrada da escada), conforme Parecer Técnico (PT-014) do CAT-CBOM, e serão pintadas na cor vermelha, possuindo numeração na face interna com o indicativo do andar e a palavra "SAÍDA" na parte externa (hall); com letras nas dimensõesmínimas de 01 (um) centímetro de traço e moldura de 04 x 04 (quatro por quatro) centímetros na cor amarela; As portas corta fogo deverão ser dotadas de maçaneta de alavanca ou barras antipânico que propicie que as mesmas permaneçam fechadas, porém destrancadas, de acordo com o items 01 e 02 do Parecer Técnico PT-012 do CAT/CBOM As portas que dão vazão às áreas de logradouro público podem ser trancadas na parte externa, desde que seja possível a sua abertura pelo lado interno, sem necessicade de chave, admitindo-se que a abertura pelo lado externo seja feita apenas por meio de chave, dispensando-se maçanetas, conforme item 3 do Parecer Técnico PT-012 do CAT/CBOM Os dutos de entrada/saída de ar devem ter aberturas somente nas paredes que dão para as ante-câmaras; Os dutos de entrada/saída de ar, não devem ser utilizados para instalação de quaisquer equipamentos ou canalizações; SESC - Serviço Social do Comércio VANDERLEY DE SOUZA CREA /ES

20 1.7 - MEMORIAL DESCRITIVO DE ALARME: O alarme referido deve atender às seguintes condições: Ter acionamento dos pavimentos ou setores para o zelador ou guarda e deste para todo o prédio, Ter dispositivo retardador que disparará o alarme 60 (sessenta) segundos após, se o responsável não atender; Emitir som que seja inconfundível com qualquer outro tipo de som que possa ser emitido no prédio; Ser instalado de tal modo que seja audível em todo o prédio, em suas condições normais de uso; Ter botões de acionamento colocados próximos as portas de ingresso as saídas de emergência de cada pavimento, junto a estes botões, em posição só alcançadas por pessoas habilitadas (zelador, guarda, administrador, síndico, etc) deve existir um dispositivo através do qual possa ser dado o alarme geral; Os botões referidos devem ser colocados em lugar visível e no interior de caixa lacrada com tampa de vidro, em altura compreendida entre 100cm (cem centímetros) e 130cm (cento e trinta centímetros; As caixas referidas devem conter uma descrição suscinta de como acionar o alarme; Ter fonte alimentadora própria que assegure um funcionamento mínimo de 1h (uma hora), para quando ocorrer falta de energia na rede pública; Possuir dispositivo de identificação de linha e de curto-circuito na rede de distribuição dos acionadores. SESC - Serviço Social do Comércio VANDERLEY DE SOUZA CREA /ES.

21 1.8 - MEMORIAL DA CENTRAL DE GÁS ESTACIONÁRIA DE GLP: A central de GLP, deverá dispor de instalações segundo as especificações abaixo: Ser construída e instalada de acordo com os preceitos da NBR 13523/99 e NT 008-CAT.; Os recipientes não pedem ser localizados sob redes elétricas, devendo ser respeitado o afastamento nínimo de 3,00m de sua projeção horizontal; Cada recipiente deve ser localizado de forma a manter-se afastado das edificações, divisas de propriedades que possa ser edificada e do veículo abastecedor, numa distância igual ou superior à especificada na tabela 1 da NT-008-CAT/CBOM; A central de GLP com recipientes estacionários estabelecida de acordo com os afastamentos de segurança descritos na NT 008-CAT/CBOM, deve ser protegida de acordo com o item 9 da referida norma; A quantidade e capacidade das unidades extintoras destinadas à proteção da Central de GLP deverão ser no mínimo conforme a Tabela 2 da NT 008-CAT/CBOM, posicionados de maneira que seu acesso seja fácil e desimpedido; Toda instalação elétrica na área da Central de GLP deverá ser executada conforme as Normas NBR 5363, NBR 5418, NBR 5419 e NBR 8447; Para construção dos recipientes estacionários para armazenamento de GLP deve ser adotada a Norma ASME Seção VIII - Divisões I e II; Devem ser colocados avisos com letras não menores que 50mm, em quantidade tal que possam ser visualizados de qualquer direção de acesso à Central de GLP, contendo os seguintes dizeres: "PERIGO", "INFLAMÁVEL" e "NÃO FUME". SESC - Serviço Social do Comércio VANDERLEY DE SOUZA CREA /ES.

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO I - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. OBRA: Regularização e Ampliação de um Complexo Esportivo. 1.2. ENDEREÇO: Conjunto Manuel Julião, Rio

Leia mais

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 Aprova a Norma Técnica nº 004/2000-CBMDF, sobre o Sistema de Proteção

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO PROPRIETÁRIO: CONSELHO REGIONAL

Leia mais

PROJETO CONTRA INCÊNDIO MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

PROJETO CONTRA INCÊNDIO MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO SRVIÇOS LTDA PROJTO CONTRA INCÊNDIO MMORIAL DSCRITIVO DO SISTMA D SGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PÂNICO 1 - IDNTIFICAÇÃO DO PROJTO 1.1 - OBRA: UNIDAD INTGRADA SSI-SNAI DO JURUÁ 1.2 - LOCAL: RUA AFONSO PNA, CNTRO

Leia mais

CAPÍTULO VI. Sistema Hidráulico Preventivo

CAPÍTULO VI. Sistema Hidráulico Preventivo CAPÍTULO VI Sistema Hidráulico Preventivo Art. 47 - O Sistema Hidráulico Preventivo sob comando ou Automatizado, deverá ser locado em planta baixa, apresentado em esquema vertical ou isométrico, com os

Leia mais

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS. Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS. Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas Outubro 2014 Vigência: 08 outubro 2014 NPT 002 Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes e antigas CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 43/2011 às normas de segurança contra incêndio edificações existentes

Leia mais

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 002 Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes e antigas CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 9 páginas

Leia mais

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO ANEXO A Ao Ilmo Sr. Comandante do Corpo de Bombeiros Militar Cidade: SERTÃO - RS Data: 10/03/2014 Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Nome: INSTITUTO

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Regulamentação: ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Em Cascavel a vistoria do Corpo de Bombeiros foi regulamentada, pelo convênio entre a Prefeitura Municipal de Cascavel e o Corpo de Bombeiros, através da Lei

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO: INSTALAÇÕES PREVENTIVAS CONTRA INCÊNDIO R00 22/11/2010 OBRA: ANEXO - SEDE CREA-SC ENDEREÇO: RODOVIA ADMAR GONZAGA - ITACORUBI - FLORIANÓPOLIS / SC PROPRIETÁRIO: CREA-SC- CONS.

Leia mais

Sistema de Hidrantes Prediais para Combate a Incêndios

Sistema de Hidrantes Prediais para Combate a Incêndios 1 Sistema de Hidrantes Prediais para Combate a Incêndios O sistema de hidrantes é um tipo de proteção instalado em edifícios, utilizado como meio de combate a incêndios. É composto basicamente por Reservatórios

Leia mais

Palestrante : Maj BM Polito

Palestrante : Maj BM Polito SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE SERVIÇOS TÉCNICOS Palestrante : Maj BM Polito SUMÁRIO 1- PARÂMETROS PARA EXIGÊNCIAS DE SISTEMAS

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

Proprietário Página 1 de 6

Proprietário Página 1 de 6 MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO ACOPIARA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACOPIARA(CE) DATA 10/11/2011 MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 27/2010 Armazenamento em silos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇAO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS Anexo XIII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA INSTALAÇÕES DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO Obra: Edifício

Leia mais

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Sist. de Proteção e Comb. Incêndio. Memorial Descritivo

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Sist. de Proteção e Comb. Incêndio. Memorial Descritivo Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 N o Revisões Responsável Data Visto MARINHA DO BRASIL ESTALEIRO E BASE NAVAL (CONTRATO 40000/2008-006/00) ODEBRECHT PROJETO GERENCIAMENTO Projeto

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO PPCI: PREVENÇÃO DE INCÊNDIO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CIDADE NOVA 1. DADOS GERAIS Objeto: Escola

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros Instrução Técnica Nº 027/2010 EM REVISÃO Armazenamento em Silos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 029/DAT/CBMSC) POSTOS DE REVENDA DE GLP (PRGLP)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 029/DAT/CBMSC) POSTOS DE REVENDA DE GLP (PRGLP) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 029/DAT/CBMSC)

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE DEFESA CIVIL Gerência de Segurança Contra Incêndio e Pânico NORMA TÉCNICA n. 24, de 05/03/07 Sistema de Resfriamento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT

MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT N Ministério Público do Estado de Mato Grosso B R 1 MEMORIAL DESCRITIVO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO. 1. APRESENTAÇÃO SÃO FELIX DO ARAGUAIA MT O presente memorial tem por finalidade

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT Assunto: Saídas de Emergências em Edificações. O Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Espírito Santo:

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Publicada no Diário Oficial de 26 de Janeiro de 2013. NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Sumário:

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. GENERALIDADES O sistema de proteção proposto busca satisfazer as condições mínimas de segurança preconizadas pela

Leia mais

Sistema de Resfriamento para Líquidos e Gases Inflamáveis e Combustíveis

Sistema de Resfriamento para Líquidos e Gases Inflamáveis e Combustíveis SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 24/2004 Sistema de Resfriamento para

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. REGISTRO DE PREÇOS para eventual contratação de empresa especializada no fornecimento de Extintores de Incêndio portáteis e fornecimento de material de sinalização,

Leia mais

Substituição de tubos de aço galvanizado por tubos de cobre em um Sistema Hidráulico Preventivo de uma edificação

Substituição de tubos de aço galvanizado por tubos de cobre em um Sistema Hidráulico Preventivo de uma edificação Substituição de tubos de aço galvanizado por tubos de cobre em um Sistema Hidráulico Preventivo de uma edificação Resumo Luiz Henrique Back(1), Nestor Back(2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO

Leia mais

Endereço: RODOVIA RALF KNAESEL, SC-416, BAIRRO SÃO ROQUE - TIMBÓ/SC

Endereço: RODOVIA RALF KNAESEL, SC-416, BAIRRO SÃO ROQUE - TIMBÓ/SC Título: MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PREVENTIVO DE INCÊNDIO Cliente: MUNICIPIO DE TIMBÓ Endereço: RODOVIA RALF KNAESEL, SC-416, BAIRRO SÃO ROQUE - TIMBÓ/SC 00 Emissão Inicial Jaqueline Rafael 18/03/2015

Leia mais

ANEXO 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

ANEXO 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA ANEXO CÓDIGO NT-4 S S/S2 PRÉDIO DA NOVA SEDE DA SEÇÃO JUDICIÁRIA - VITÓRIA MATERIAL PVC mm de espessura pendente no forro com S e S2 em cada face da placa, fundo verde, DIMENSÕES MÍNIMAS (mm) TEXTO LOCAL

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, HIDRÁULICAS, SANITÁRIA, COMBATE A INCÊNDIO

Leia mais

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF ENGº HARUO OKAWA 0600223452/SP. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio

Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF ENGº HARUO OKAWA 0600223452/SP. Coord. Adjunto Contrato. Sítio. Área do sítio 1 ATENDENDO A RAT 514CG1/PEIN-2/10 E RAT 514CG2/PEIN-2/10 27/08/2010 RAGC - WV 0 EMISSÃO INICIAL 31/03/2010 RAGC - WV Rev. Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo Coordenador de Projeto ENGº WILSON

Leia mais

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Apresentação do módulo Os sistemas de proteção contra incêndio e pânico são classificados em duas categorias distintas: proteção passiva

Leia mais

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão I - Símbolos da sinalização básica ANEXO B SIMBOLOGIA PARA A SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Os símbolos adotados por esta norma para sinalização de emergência são apresentados a seguir, acompanhados de exemplos

Leia mais

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES

Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES Capítulo 6 - COMPARTIMENTOS DAS EDIFICAÇÕES 6.1 Disposições gerais Art. 154 - Os compartimentos e ambientes deverão ser posicionados na edificação de forma a garantir conforto ambiental e a salubridade,

Leia mais

Memorial de Cálculo Sistema de Proteção por Hidrantes

Memorial de Cálculo Sistema de Proteção por Hidrantes Memorial de Cálculo Sistema de Proteção por Hidrantes Projeto: Promotoria de Justiça de Rondonópolis MT Prancha: RH 1) Dados gerais: Formulário = Hazen Williams Hidrantes em uso simultâneo = 2 Hidrante

Leia mais

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS - II DIMENSIONAMENTO

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS - II DIMENSIONAMENTO INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS - II DIMENSIONAMENTO Vazão Considera-se vazão hidráulica o volume de água a ser transportado que atravessa uma determinada seção (tubo, calha, etc) na unidade de tempo. No sistema

Leia mais

SERVIÇOS DE PROJETOS, INSTALAÇÕES E MANUTENÇÕES EM SISTEMAS DE PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIO - BELO HORIZONTE

SERVIÇOS DE PROJETOS, INSTALAÇÕES E MANUTENÇÕES EM SISTEMAS DE PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIO - BELO HORIZONTE COMBATE À INCÊNDIO - BELO HORIZONTE Item Descrição Unid. Quant. UNITÁRIO Subtotal Totais 1 DESPESAS AUXILIARES: - 1.1 Deslocamentos médios, ida e volta, em relação à cidade pólo. Km - - - PROJETOS, LAUDOS

Leia mais

RESOLUÇÃO TÉCNICA DE TRANSIÇÃO CBMRS

RESOLUÇÃO TÉCNICA DE TRANSIÇÃO CBMRS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA COMANDO DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RS DIVISÃO TÉCNICA DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E INVESTIGAÇÃO RESOLUÇÃO TÉCNICA DE TRANSIÇÃO CBMRS 2015

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA DE APROVAÇÃO DA NORMA TÉCNICA Nº 10/2015 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA DE APROVAÇÃO DA NORMA TÉCNICA Nº 10/2015 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA DE APROVAÇÃO DA NORMA TÉCNICA Nº 10/2015 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA PORTARIA N 02/2015 - CBMDF, DE 14 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Altera a Norma Regulamentadora n.º 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,

Leia mais

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio

Memorial de Projeto. Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações. Prevenção e Combate à Incêndio Pág. 1 Memorial de Projeto Prevenção e Combate à Incêndio Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Ag. Hospital Regional de Paranoá Novas Instalações Código do Projeto: 1089/11 Pág. 2 Índice

Leia mais

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria.

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF PORTARIA N 09, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Aprova a Norma Técnica N 03/2015- CBMDF - Sistema de Proteção por Extintores de Incêndio. O COMANDANTE-GERAL

Leia mais

NORMA TÉCNICA 09/2014

NORMA TÉCNICA 09/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 09/2014 Compartimentação horizontal e vertical SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Águas Lindas GO Novas Instalações Código do Projeto: 3947-11 SIA Sul Quadra 4C Bloco D Loja 37 Brasília-DF

Leia mais

Incêndio: Objetivos de Projeto

Incêndio: Objetivos de Projeto OBJETIVO GERAL Incêndio: Objetivos de Projeto Criar dispositivos capazes de detectar, informar onde iniciou e debelar com presteza um incêndio, evitando danos materiais e perdas de vidas. NORMAS QUE DEVEM

Leia mais

NORMA TÉCNICA 11/2014

NORMA TÉCNICA 11/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 11/2014 Saídas de Emergência SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições

Leia mais

NPT 028 MANIPULAÇÃO, ARMAZENAMENTO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE G.L.P.

NPT 028 MANIPULAÇÃO, ARMAZENAMENTO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE G.L.P. Outubro 2014 Vigência: 08 outubro 2014 NPT 028 Manipulação, armazenamento, comercialização e utilização de gás liquefeito de petróleo (GLP) CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico

Leia mais

NR-23 Proteção Contra Incêndio

NR-23 Proteção Contra Incêndio NR-23 Proteção Contra Incêndio Fatores de Êxito na Prevenção de Incêndio PREPARAO PRÉVIO ESTAR EM DIA COM OS DOCUMENTOS DO BOMBEIRO; MANUTENÇÃO EM DIA; EQUIPAMENTOS ADEQUADOS AO RISCO; SINALIZAÇÃO; FAMILIARIZAÇÃO

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E EXPLOSÕES II ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PREVENÇÃO,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 09 Compartimentação horizontal e compartimentação vertical SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo

Leia mais

NORMA TÉCNICA N. O 001/2008

NORMA TÉCNICA N. O 001/2008 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA N. O 001/2008 PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO FORTALEZA CEARÁ FEVEREIRO/2010

Leia mais

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 3.1 Hidrômetro...2 3.2 A.R.T...2 3.3 Ramal predial de água...2 4. Procedimentos e Responsabilidades...3 4.1 Generalidades...3

Leia mais

Aprova a Norma Técnica nº 009/2002-CBMDF, sobre Atividades Eventuais, que especificam.

Aprova a Norma Técnica nº 009/2002-CBMDF, sobre Atividades Eventuais, que especificam. DODF Nº237 de 14 de dezembro de 2000. CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 69/2002-CBMDF, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2002 Aprova a Norma Técnica nº 009/2002-CBMDF, sobre Atividades Eventuais,

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento em pauta as Especificações Básicas a serem seguidas para o atendimento deste Objeto. Estas

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES PLANO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNCIO - PPCI AMPLIAÇÃO EMEI GENTE MIÚDA BAIRRO MACEDO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO Plano de Prevenção e Combate a Incêndio - PPCI Ampliação EMEI Gente Miúda

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS IT - 18 SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo A - Hidrantes de recalque do sistema de chuveiros automáticos 2 Aplicação B Sinalização dos Hidrantes de Recalque do Sistema de chuveiros

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 04/2015 Instrução Técnica nº 04/2011 - Símbolos gráficos para projeto de segurança contra incêndio 149 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO

NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO DADOS DA INSPEÇÃO Órgão Responsável pelo Estabelecimento Endereço CNAE Inspetor (es) Estabelecimento Contato Numero de Servidores Referências técnicas (Além desta NR) Acompanhante

Leia mais

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014)

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) Maio 2014 Caderno de Especificações Técnicas Segurança do Trabalho de Sobradinho 1/19 ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

INFRAERO VT.06/557.92/04754/00 2 / 9

INFRAERO VT.06/557.92/04754/00 2 / 9 REV MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Coordenador Contrato: CREA/UF: Autor do Projeto Resp. Técnico: CREA/UF: Co-Autor: CREA/UF: MARGARET SIEGLE 4522D/ES ELISSA M. M. FRINHANI 5548/D-ES NUMERO:

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

Avaliação de Desempenho ABNT NBR 15575. Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br

Avaliação de Desempenho ABNT NBR 15575. Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br Avaliação de Desempenho Segurança ao Fogo ABNT NBR 15575 Antonio Fernando Berto afberto@ipt.br Ocorrências de incêndios em 2010 Número de incêndios no Brasil Número de incêndios no Estado de São Paulo

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA.

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. RELATÓRIO ACOMPANHAMENTO MENSAL SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. Objetivo. Este relatório tem por objetivo avaliar e mitigar os riscos equivalentes desta edificação. Foram realizadas diversas vistorias

Leia mais

NORMA TÉCNICA N. O 004/2008

NORMA TÉCNICA N. O 004/2008 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA N. O 004/2008 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR APARELHOS EXTINTORES

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS ANEXO XVIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica visa a adequar o texto da norma NBR 10897, que dispõe sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA NO TRABALHO RENATO BONALDO RAFAEL

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA NO TRABALHO RENATO BONALDO RAFAEL UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA NO TRABALHO RENATO BONALDO RAFAEL ELABORAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

ANEXO I TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO FORO DA JUSTIÇA DO TRABALHO EM CACHOEIRINHA / RS

ANEXO I TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO FORO DA JUSTIÇA DO TRABALHO EM CACHOEIRINHA / RS ANEXO I TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO FORO DA JUSTIÇA DO TRABALHO EM CACHOEIRINHA / RS REFORMA DAS INSTALAÇÕES DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO 1. APRESENTAÇÃO 1.1. GENERALIDADES 1.1.1. As presentes

Leia mais

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

Memorial Descritivo CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1/8 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO AMAPÁ DIVISÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS 1. Normas de referência: NBR 10.897-ABNT 1.1. Outras normas: 2. Nome

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 8 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA EM EDIFICAÇÕES

NORMA TÉCNICA N o 8 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA EM EDIFICAÇÕES ANEXO VIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 8 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA EM EDIFICAÇÕES 1 OBJETIVO Estabelecer critérios mínimos necessários para o dimensionamento das Saídas

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 13434 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás

Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Unidade: Instalações prediais de proteção contra incêndio e de gás Nesta Unidade da Disciplina tentaremos compreender a questão da problemática envolvida nos tratos dos assuntos atinentes a prevenção e

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES PLANO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNCIO - PPCI PAVILHÃO EMEF 1º DE MAIO LINHA SANTOS FILHO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO Plano de Prevenção e Combate a Incêndio - PPCI - Pavilhão EMEF 1º de Maio

Leia mais

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Instalações Hidráulicas. Memorial Descritivo

01 Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 ODEBRECHT. Projeto Básico de Instalações Hidráulicas. Memorial Descritivo Para atender aos comentários da M.B. Almir Bonilha 26/08/09 N o Revisões Responsável Data Visto MARINHA DO BRASIL ESTALEIRO E BASE NAVAL (CONTRATO 40000/2008-006/00) ODEBRECHT PROJETO GERENCIAMENTO NÚMERO

Leia mais

ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009

ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009 ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009 CADERNO DE ENCARGOS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DO SISTEMA ELÉTRICO, HIDRÁULICO E COMBATE A INCÊNDIO. COMPLEXO SEDE DA ANATEL E UNIDADE DE SOBRADINHO

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 11/2016

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 11/2016 INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 11/2016 SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DA BAHIA INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 011/2016 SAÍDAS DE EMERGÊNCIA SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Aplicação 3. Referências normativas

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS Página 1 GRUPO RESPONSÁVEL PELA ELA- BORAÇÃO DO PROJETO: REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS PROJETO INSPECIONADO: DATA DA INSPEÇÃO: AUTOR DESTE CHECKLIST MARCOS LUÍS ALVES DA SILVA Sistema de instalações

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 001/2010 EM REVISÃO Procedimentos Administrativos SUMÁRIO 1 Objetivo

Leia mais

CAPÍTULO XIX Instalações industriais de líquidos inflamáveis. SEÇÃO I Das condições

CAPÍTULO XIX Instalações industriais de líquidos inflamáveis. SEÇÃO I Das condições CAPÍTULO XIX Instalações industriais de líquidos inflamáveis SEÇÃO I Das condições Art. 497 - Instalações industriais e recipientes estacionários somente poderão existir em Zonas Rurais ou Agrícolas, com

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS Anexo 3 do PRO-3209-74-24-03 Pág.: 1 de 5 RECOMENDAÇÕES GERAIS: - Não serão permitidos eletricistas da contratada intervirem nas instalações da contratante,

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001.

OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001. OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001. Institui o Regulamento de Segurança contra Incêndio das edificações e áreas de risco para fins da lei nº 684, de 30 de Setembro de 1975

Leia mais

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA

FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE POÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO E SPDA EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores.

Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT:2001 Projeto de revisão NBR 13434 Parte 2 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 2: Símbolos e suas formas, dimensões e cores. Sede: Rio

Leia mais

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DO RESTAURANTE E VESTIÁRIOS Rev. 0: 09/01/13 1. INTRODUÇÃO Este memorial visa descrever os serviços e especificar os materiais do projeto

Leia mais

NBR 15514/07 e a Resolução 05/08 da ANP, entenda o que mudou. Marcelo Macedo

NBR 15514/07 e a Resolução 05/08 da ANP, entenda o que mudou. Marcelo Macedo NBR 15514/07 e a Resolução 05/08 da ANP, entenda o que mudou. Marcelo Macedo Legislação Anterior Portaria DNC nº n 27/96 - Condições mínimas m de segurança das instalações de armazenamento de recipientes

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 27 CONSIDERANDO:

RESOLUÇÃO N.º 27 CONSIDERANDO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE COMISSÃO CONSULTIVA PARA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO RESOLUÇÃO N.º 27 Interpreta a aplicação dos artigos 103 e 104 da Lei Complementar 420/98 A Comissão Consultiva Para

Leia mais

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS COMPRESSOR S45 DENTAL/MEDICAL OIL-FREE MANUAL DO PROPRIETÁRIO COMPRESSOR S45 110V PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS WWW.SCHUSTER.IND.BR 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 3. TERMOS DE GARANTIA... 3 4. ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO VOLUME IV - PROJETO DE ENGENHARIA E MATERIAL RODANTE PROJETOS ARQUITETÔNICOS E DEMAIS PROJETOS TÉCNICOS PREDIAIS PROJETO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS 1 3.2.6.10.

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 010/2014 CBMPB

NORMA TÉCNICA Nº 010/2014 CBMPB 1 NORMA TÉCNICA Nº 010/2014 CBMPB Centros Esportivos e de exibição Requisitos de Segurança contra Incêndio Publicada no Diário Oficial nº 15.528 de 09 de maio de 2014. SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR)

REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) Detalhe do vazamento junto à válvula redutora. 54 Detalhe da falta de acabamento do ralo. RECOMENDAÇÃO: REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) Por se tratar de anomalia construtiva

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais