MEMORIAL DESCRITIVO - 1

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO - 1"

Transcrição

1 MEMORIAL DESCRITIVO - 1 REFORMA GERAL E ADEQUAÇÃO DOS BLOCOS, PÁTIOS E TELHEIROS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MATERIAIS E PROCEDIMENTOS EMEF DOLORES ALCARAZ CALDAS RESTINGA PORTO ALEGRE - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. DEZEMBRO /37

2 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO Reforma e Adequação dos Blocos, Pátios e Telheiros da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dolores Alcaraz Caldas. PRAZO EXECUÇÃO 180 dias LOCALIZAÇÃO Rua Dr. Carlos Niederauer Hofmeister, 85, Bairro Restinga, Porto Alegre RS. CUSTO ESTIMADO R$ ,57 (um milhão, novecentos e sessenta e quatro mil, oitocentos e dois reais e cinquenta e sete centavos). Objeto: As informações contidas nesta Especificação Técnica complementam as pranchas dos projetos (item 22), visando à execução da reforma e revitalização da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dolores Alcaraz Caldas. 1. INSTALAÇÃO DA OBRA A obra deverá possuir todas as instalações necessárias e adequadas à fiel execução dos serviços. Deverá ser executado um tapume em compensado com 2,00m de altura na área reservada para instalação da empresa no interior do pátio da Escola. A empresa deverá executar sua infraestrutura para a execução da obra dentro da área cercada pelo tapume: galpão de obra, telheiro, sanitários e baias para depósito de materiais. As instalações da empresa deverão ser adequadas ao melhor aproveitamento da área disponível e deverão atender todas as normas de higiene e segurança do trabalho, em especial a NR-18. A empresa deve colocar em local visível uma placa de obra. O modelo desta placa deve seguir padrão da Secretaria Municipal de Educação SMED tamanho 1,00x1,50m. A responsabilidade de execução, fixação e conservação da placa será da contratada. A empresa executante será responsável pela vigilância dos materiais e equipamentos utilizados na obra. Os funcionários e operários da empresa que estiverem visitando, inspecionando e/ou trabalhando na obra deverão utilizar Equipamentos de Proteção Individual EPI e / ou EPC com CA, e portar crachá de identificação. Caso contrário a contratada será notificada pela fiscalização da Secretaria Municipal de Educação SMED. A reincidência no descumprimento de alguma destas condições implicará no embargo da obra pela fiscalização por tempo indeterminado até o cumprimento do solicitado, bem como será computado o tempo no prazo total contratual. Todas as áreas de risco de acidente dentro do canteiro de obras deverão ser identificadas pela contratada a qual deverá providenciar na instalação de barreiras físicas e placas de aviso e/ou alerta. Os serviços deverão ser realizados com efetivo de operários compatível com a necessidade das diversas frentes de trabalho, a fim de cumprir o cronograma físico-financeiro. 1.1 RECOMENDAÇÕES GERAIS Todos os serviços previstos nesta Especificação Técnica, materiais, equipamentos e ferramentas utilizadas em canteiro de obras deverão atender as condições estabelecidas pelas: Normas Regulamentadoras de Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho fiscalizadas pela DRT e demais órgãos legais da administração pública, e suas alterações; Normas Gerais e Específicas da ABNT, e na falta desta as normas internacionais; As prescrições e manuais dos fabricantes; O processo de construção e de aplicação dos materiais, além das observações já recomendadas, na falta de maiores informações deverá ser realizado com base nos fundamentos da engenharia, com emprego de procedimentos técnicos amplamente reconhecidos por esta. 2/37

3 1.2 CANTEIRO DE OBRAS Durante o curso dos trabalhos o canteiro de obras deverá ser mantido limpo e desobstruído, livre do armazenamento de materiais em locais inadequados que impeçam o acesso da fiscalização, ou criem áreas de risco de acidente. A mesma condição se estende ao recolhimento de ferramentas e de sobras de materiais, durante o curso do turno de trabalho. Todo o material a granel deverá ser armazenado em baia específica e devidamente assoalhada, para evitar a contaminação deste pelo solo natural. As baias a céu aberto, para armazenamento de areia e argamassa industrializada, deverão ser cobertas com lona plástica Transportes Todos os materiais passíveis de reaproveitamento, segundo critérios estabelecidos pela fiscalização da SMED, deverão ser transportados e depositados em local ou área interna à Escola. Os materiais provenientes da movimentação do solo, e os resíduos sólidos gerados pela demolição ou por sobras de aplicação, considerados como excedentes ou escorias de obra serão removidos das dependências da Escola. O processo de transporte poderá ser concomitante com o processo construtivo em execução, ou seja, o material poderá ser retirado para o interior da caçamba dos caminhões transportadores e destes automaticamente para fora das dependências da Escola, ou por intermédio do processo de transbordo como o auxílio de caçambas estacionárias do tipo contêineres. A empresa contratada deverá providenciar no fornecimento de caçambas do tipo contêineres em número suficiente para suprir as necessidades da obra. O descarte destes materiais deverá seguir padrão equivalente de descarte condizente com os da coleta seletiva. Os resíduos removidos serão descartados nos aterros e lixões públicos reconhecidos e autorizados pela municipalidade e órgãos federais, DMLU e FEPAM, segundo critérios de classificação estabelecidos por estes. Quaisquer taxas aplicadas pela municipalidade para autorização o transporte e/ou a liberação da descarga nos referidos destinos, serão de competência da contratada. 2 BLOCO A 2.1 Paredes Todas as paredes em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes; Após a limpeza deverá ser aplicado, para proteção dos tijolos, material à base de silicone líquido, em duas demãos com trincha. Observar a forma de aplicação e tempos de secagem entre as demãos recomendada pelo fabricante. 2.2 Forros, pilares e vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares. 2.3 Pisos Todos os pisos existentes destas salas são vinílicos e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação deste piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contrapiso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. O piso em lajotas existentes nos corredores externos não será modificado. 2.4 Janelas e grades As janelas das fachadas deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídas por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 3/37

4 2.5 Portas Todas as portas deverão ser substituídas por novas portas semi-ocas, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 2.6 Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. O orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas). 3 BLOCO B 3.1 Paredes Todas as paredes em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza deverá ser aplicado, para proteção dos tijolos, material à base de silicone líquido, em duas demãos com trincha. Observar a forma de aplicação e tempos de secagem entre as demãos recomendada pelo fabricante. 3.2 Forros, Pilares e Vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares. 3.3 Pisos Todos os pisos existentes destas salas são vinílicos e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação este piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contrapiso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. Os pisos em lajotas existentes nos corredores externos não serão modificados. 3.4 Janelas e grades As janelas das fachadas deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídos por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 3.5 Portas Todas as portas deverão ser substituídas por novas Portas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola 4/37

5 de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 3.6 Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. O orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas). 3.7 Banheiros Os banheiros masculino e feminino serão reformados na sua totalidade, e agregarão a área da atual sala da Educação Física, conforme projeto arquitetônico ANEXO (Prancha 08). Serão demolidos os revestimentos atuais, pisos e paredes, será demolida a parede divisória entre o atual banheiro e a sala de Educação Física, as paredes em alvenaria das divisórias internas dos Box das privadas. Serão removidas todas as instalações hidrossanitárias, portas, cubas, mictórios, lavatórios e vasos sanitários. Serão executadas novas alvenarias para divisórias internas entre banheiros e entre boxes em tijolo seis furos assentados em argamassa de cimento e areia. Estas alvenaria internas terão altura de 1,80m. Serão executadas novas redes de abastecimento de água fria em canos PVC classe 15 embutidos na alvenaria, bem como rede de esgoto hidrossanitário em PVC classe 8 para atender o projeto arquitetônico. A alimentação de água deverá ser buscada de ponto atual nos banheiros existentes. Os banheiros deverão possuir registros de gaveta individuais com acabamento em canopla cromada. As torneiras serão metálicas com temporizador. Os vasos sanitários terão caixa de descarga plástica externa, fixada à parede por buchas e parafusos. A rede hidrossanitária será refeita com tubulação adequada em PVC classe 8 com declividades mínimas de 2% e deverão ser ligadas às esperas atuais. As paredes receberão revestimento em reboco reguado de areia, cimento e cal para posterior recobrimento com revestimento de azulejos 30x30 brancos classe A, com juntas de 1,5mm, assentadas com cimento colante. O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso). Portas dos boxes: porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. Estas portas deverão ter altura de 1,80m com vão inferior de 20cm até o piso, ou seja, a dimensão da porta será de 1,60m. Bancadas em granito: as bancadas deverão ser em granito cinza andorinha com saia lateral e frontal em granito na altura de 10cm e espelhos também nas mesmas dimensões (10cm). As bancadas serão fixadas à alvenaria por quatro mãos-francesas metálicas fixadas por buchas e parafusos. As cubas serão em cerâmica na cor branca de encaixe, fixadas à bancada de granito por massa plástica, com diâmetro de 33cm e serão usadas válvulas metálicas. Bacia Sanitária: acabamento em louça branca, tipo comercial com caixa plástica externa. Entre a saída do vaso e a espera será colocado anel de ligação e vedação. A região de contato entre o piso e a base do vaso, será calafetada com mistura de cimento branco e alvaiade, dosada no traço em volume de 1:1. A fixação da bacia ao piso será executada com conjunto de parafusos de latão, específicos para esta finalidade, providos de porcas do tipo calota com acabamento cromado. 5/37

6 Mictório para o WC masculino: acabamento em louça branca, tipo comercial. Torneira para pia: torneira de bancada com temporizador com mola em metal cromado. Papeleira para Papel Higiênico Porta-Rolo Metálico: será metálica, na cor branca, do tipo para papel higiênico em rolo de 300 a 500m, folha simples ou 150m folha dupla, provida de fechadura de segurança, visor frontal, e fixação antifurto. Dimensões externas: 270 de largura, 250mm de altura, e 125mm de profundidade. Porta papel toalha: em plástico ABS para papel em folhas de 2 ou três dobras, na cor branca, para toalhas de papel. Saboneteira: será do tipo para sabonete líquido, construída em plástico ABS, tampa frontal basculante construída em plástico ABS reforçado na cor branca; capacidade para até 900ml de sabonete líquido; fechadura de segurança. Dimensões externas: 130mm de largura X 220mm de altura X 95mm de profundidade. Espelho: terá espessura de 4mm, com dimensões de 60x1,50cm, provido de moldura em alumínio anodizado na cor natural. O espelho será aparafusado na parede, logo acima da bancada em granito. Assento Sanitário: será do tipo plástico, linha comercial, cor branca, compatível com o formato e design da bacia sanitária. Sifão: será utilizado sifão para lavatório, DN40mm (1 x1.1/2 ) do tipo flexível multiuso acabamento branco em PVC natural. Engates ou Ligações Flexíveis: as ligações flexíveis serão de PVC- 1/2 x60cm. Conjuntos de Fixação para Bacias Sanitárias: serão compostos por bucha plástica nº 8, conjunto de arruelas flexíveis e rígidas, e porca do tipo sextavada com acabamento em calota cromada. Anel de Vedação p/saída de Bacia Sanitária: será do tipo plástico. WC especial: serão utilizados acessórios metálicos para suporte, barras de apoio fixadas à parede com buchas e parafusos, bem como apoio para trocador, a bacia sanitária será com caixa acoplada e manopla lateral para acionamento: WC especial - Modelo para Box acessível: 6/37

7 Vista frontal Vista superior Localização das barras de apoio: 7/37

8 Altura da bacia sanitária: - Colocar no Box para deficiente físico uma plataforma metálica de armar para servir de trocador. - Colocar uma Placa na porta do Box em chapa metálica pintada, fixada com parafusos: 4 BLOCO C 4.1 Paredes Todas as paredes em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza deverá ser aplicado, para proteção dos tijolos, material à base de silicone líquido, em duas demãos com trincha. Observar a forma de aplicação e tempos de secagem entre as demãos recomendada pelo fabricante. 4.2 Forros, Pilares e Vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares. 4.3 Pisos Todos os pisos existentes destas salas são vinílicos e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação deste piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contra piso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. Os pisos em lajotas existente nos corredores externos não serão modificados. 4.4 Janelas e grades As janelas voltadas para o prédio E deverão ser substituídas por janelas novas em tubo metalon, nas mesmas medidas e modelos das janelas existentes. Os vidros também serão colocados novos nestas janelas. As janelas localizadas acima das portas deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídos por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento, tanto as grades das portas quanto às grades das janelas. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 8/37

9 4.5 Portas Todas as portas deverão ser substituídas por novas Portas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 4.6 Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. Nosso orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas). 5 BLOCO D 5.1 Paredes Todas as paredes em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza deverá ser aplicado, para proteção dos tijolos, material à base de silicone líquido, em duas demãos com trincha. Observar a forma de aplicação e tempos de secagem entre as demãos recomendada pelo fabricante. 5.2 Forros, Pilares e Vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares. 5.3 Pisos Todos os pisos existentes destas salas são vinílicos e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação deste piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contra piso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. O piso em lajotas existente nos corredores externos não serão modificados. 5.4 Janelas e grades As janelas em ferro deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídos por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento, tanto as grades das portas quanto às grades das janelas. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 5.5 Portas Todas as portas deverão ser substituídas por novas portas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser 9/37

10 aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 5.6 Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. Nosso orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas). 5.7 Banheiro interno SOE O banheiro será reformado na sua totalidade. Serão demolidos os revestimentos atuais, pisos e paredes. Serão removidas todas as instalações hidrossanitárias, portas, cubas, mictórios, lavatório e vaso sanitário. Serão executadas novas redes de abastecimento de água fria em canos PVC classe 15 embutidos na alvenaria, bem como rede de esgoto hidrossanitário em PVC classe 8. A alimentação de água deverá ser buscada de ponto atual no banheiro existente. O banheiro deverá possuir registro de gaveta individual com acabamento em canopla cromada. A torneira será metálica. O vaso sanitário terá caixa de descarga plástica externa, fixada à parede por buchas e parafusos. A rede hidrossanitária será refeita com tubulação adequada em PVC classe 8 com declividades mínimas de 2% e deverão ser ligadas às esperas atuais. As paredes receberão revestimento em reboco reguado de areia, cimento e cal para posterior recobrimento com revestimento de azulejos 30x30 brancos classe A, com juntas de 1,5mm, assentadas com cimento colante. O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso). Portas dos boxes: porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. Lavatório cerâmico com coluna: acabamento em louça branca com pedestal. Bacia Sanitária: acabamento em louça branca, tipo comercial com caixa plástica externa. Entre a saída do vaso e a espera será colocado anel de ligação e vedação. A região de contato entre o piso e a base do vaso, será calafetada com mistura de cimento branco e alvaiade, dosada n o traço em volume de 1:1. A fixação da bacia ao piso será executada com conjunto de parafusos de latão, específicos para esta finalidade, providos de porcas do tipo calota com acabamento cromado. Torneira para pia: torneira de bancada com temporizador com mola em metal cromado. Papeleira para Papel Higiênico Porta-Rolo Metálico: será metálica, na cor branca, do tipo para papel higiênico em rolo de 300 a 500m, folha simples ou 150m folha dupla, provida de fechadura de segurança, visor frontal, e fixação antifurto. Dimensões externas: 270 de largura, 250mm de altura, e 125mm de profundidade. Porta papel toalha: em plástico ABS para papel em folhas de 2 ou três dobras, na cor branca, para toalhas de papel Saboneteira: será do tipo para sabonete líquido, construída em plástico ABS, tampa frontal basculante construída em plástico ABS reforçado na cor branca; capacidade para até 900ml de sabonete líquido; 10/37

11 fechadura de segurança. Dimensões externas: 130mm de largura X 220mm de altura X 95mm de profundidade. Espelho: terá espessura de 4mm, com dimensões de 60x0,7 0cm, provido de moldura em alumínio anodizado na cor natural. O espelho será aparafusado na parede, logo acima do lavatório. Assento Sanitário: será do tipo plástico, linha comercial, cor branca, compatível com o formato e design da bacia sanitária. Sifão: será utilizado sifão para lavatório, DN40mm (1 x1.1/2 ) do tipo flexível multiuso acabamento branco em PVC natural. Engates ou Ligações Flexíveis: as ligações flexíveis serão de PVC- 1/2 x60cm. Conjuntos de Fixação para Bacias Sanitárias: serão compostos por bucha plástica nº 8, conjunto de arruelas flexíveis e rígidas, e porca do tipo sextavada com acabamento em calota cromada. Anel de Vedação p/saída de Bacia Sanitária: será do tipo plástico. 6 BLOCOS E e H 6.1 Paredes Todas as paredes, INCLUSIVE os panos em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza, deverá ser aplicado, uma demão de selador e duas demãos de tinta acrílica de primeira qualidade, as cores serão determinadas pela fiscalização. 6.2 Forros, Pilares e Vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares. 6.3 Pisos Todos os pisos existentes destas salas são vinílicos tipo e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação deste piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contra piso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. O piso em granitina existente nos corredores externos não serão modificados, assim como o basalto nos corredores térreo. 6.4 Janelas e grades As janelas em ferro deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estágio avançado de corrosão serão substituídos por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento, tanto as grades das portas quanto às grades das janelas. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 6.5 Portas Todas as portas deverão ser substituídas por novas portas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados em marco de madeira (a ser substituído) por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos 11/37

12 perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 6.6 Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. Nosso orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas). 6.7 Banheiros do Bloco E: Os banheiros masculino e feminino serão reformados na sua totalidade, porém permanecerão com o mesmo lay-out atual. Serão demolidos os revestimentos atuais, pisos e paredes, Serão removidas todas as instalações hidrossanitárias, portas, cubas, mictórios, lavatórios e vasos sanitários. Serão executadas novas redes de abastecimento de água fria em canos PVC classe 15 embutidos na alvenaria, bem como rede de esgoto hidrossanitário em PVC classe 8 para atender o projeto arquitetônico. A alimentação de água deverá ser buscada de ponto atual nos banheiros existentes. Os banheiros deverão possuir registros de gaveta individuais com acabamento em canopla cromada. As torneiras serão metálicas. Os vasos sanitários terão caixa de descarga plástica externa, fixada à parede por buchas e parafusos. A rede hidrossanitária será refeita com tubulação adequada em PVC classe 8 com declividades mínimas de 2% e deverão ser ligadas às esperas atuais. As paredes receberão revestimento em reboco reguado de areia, cimento e cal para posterior recobrimento com revestimento de azulejos 30x30 brancos classe A com juntas de 1,5mm, assentadas com cimento colante. O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso). Portas dos boxes: porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. Estas portas deverão ter altura de 1,80m com vão inferior de 20cm até o piso, ou seja, a dimensão da porta será de 1,60m. Na abertura de vão para a sala da vigilância serão assentados tijolos de vidro venezianados. Bancadas em granito: As bancadas deverão ser em granito cinza andorinha com saia lateral e frontal em granito na altura de 10cm e espelhos também nas mesmas dimensões (10cm). As bancadas serão fixadas à alvenaria por quatro mãos-francesas metálicas fixadas por buchas e parafusos. As cubas serão em cerâmica na cor branca de encaixe, fixadas à bancada de granito por massa plástica, com diâmetro de 33cm e serão usadas válvulas metálicas. Bacia Sanitária: acabamento em louça branca, tipo comercial com caixa plástica externa. Entre a saída do vaso e a espera será colocado anel de ligação e vedação. A região de contato entre o piso e a base do vaso, será calafetada com mistura de cimento branco e alvaiade, dosada no traço em volume de 1:1. A fixação da bacia ao piso será executada com conjunto de parafusos de latão, específicos para esta finalidade, providos de porcas do tipo calota com acabamento cromado. Mictório para o WC masculino: acabamento em louça branca, tipo comercial. Torneira para pia: torneira de bancada com temporizador com mola em metal cromado. 12/37

13 Papeleira para Papel Higiênico Porta-Rolo Metálico: será metálica, na cor branca, do tipo para papel higiênico em rolo de 300 a 500m, folha simples ou 150m folha dupla, provida de fechadura de segurança, visor frontal, e fixação antifurto. Dimensões externas: 270 de largura, 250mm de altura, e 125mm de profundidade. Porta papel toalha: em plástico ABS para papel em folhas de 2 ou três dobras, na cor branca, para toalhas de papel. Saboneteira: será do tipo para sabonete líquido, construída em plástico ABS, tampa frontal basculante construída em plástico ABS reforçado na cor branca; capacidade para até 900ml de sabonete líquido; fechadura de segurança. Dimensões externas: 130mm de largura X 220mm de altura X 95mm de profundidade. Espelho: terá espessura de 4mm, com dimensões de 60x1,50cm, provido de moldura em alumínio anodizado na cor natural. O espelho será aparafusado na parede, logo acima da bancada em granito. Assento Sanitário: será do tipo plástico, linha comercial, cor branca, compatível com o formato e design da bacia sanitária. Sifão: será utilizado sifão para lavatório, DN40mm (1 x1.1/2 ) do tipo flexível multiuso acabamento branco em PVC natural. Engates ou Ligações Flexíveis: as ligações flexíveis serão de PVC- 1/2 x60cm. Conjuntos de Fixação para Bacias Sanitárias: serão compostos por bucha plástica nº 8, conjunto de arruelas flexíveis e rígidas, e porca do tipo sextavada com acabamento em calota cromada. Anel de Vedação p/saída de Bacia Sanitária: será do tipo plástico. WC especial: já existente no banheiro masculino, será reformado e adaptado às medidas de norma, no banheiro feminino não haverá WC especial. Serão utilizados acessórios metálicos para suporte, barras de apoio fixadas à parede com buchas e parafusos, bem como apoio para trocador, TODOS EM METAL COM PINTURA EPOXI NA COR BRANCA, a bacia sanitária será em caixa acoplada com manopla lateral para acionamento. WC Especial - Modelo para Box acessível: 13/37

14 Vista frontal Vista superior Localização das barras de apoio: 14/37

15 Altura da bacia sanitária: - Colocar no Box para deficiente físico uma plataforma metálica de armar para servir de trocador. - Colocar uma Placa na porta do Box em chapa metálica pintada, fixada com parafusos: 6.8 Remoção dos tijolos vazados Os tijolos furados colocados na parede do corredor do pavimento superior nos prédios E e H deverão ser substituídos por esquadrias metálicas, conforme projeto anexo. Os tijolos deverão ser removidos e será utilizada a mureta existente em concreto para peitoril. Posteriormente será aplicado selador e tinta acrílica na cor a ser indicada pela fiscalização. O selador e a tinta acrílica serão aplicados ambos com duas demãos. Acima desta mureta será aplicada uma pedra em basalto para servir de pingadeira, na espessura de 3cm colocada acima da mureta com cimento colante. A pedra deverá possuir balanço interno e externo de 2 cm. Acima desta mureta será fixada a esquadria metálica, com chumbadores fixados à alvenaria e às vigas e pilares de concreto. As frestas que porventura ocorram entra a alvenaria e a esquadria metálica, deverão ser tratadas com silicone. As esquadrias deverão sofrer aplicação de fundo preparador para ferro e duas demãos de tinta esmalte sintético na cor a ser definida pela fiscalização. As esquadrias serão dotadas de vidros lisos 3mm colocados com massa específica para fixar vidros. 6.9 Recuperação estrutural As vigas localizadas na parte dos fundos dos prédios E e H, entre o térreo e o primeiro pavimento, logo abaixo das paredes de vedação dos corredores (tijolos vazados) estão com alguns trechos comprometidos, necessitando de recuperação tanto do concreto quanto da seção das armaduras: Para os orifícios reservados ao escoamento das águas de lavagem do corredor dos pavimentos superiores, deverão ser providenciados e chumbados junto às vigas, canos em PVC projetados pelo menos 20cm para fora, para que as águas de lavagem, juntamente com produtos químicos corrosivos, não mais tenham contato com o concreto e as armaduras, deste modo evitaremos futuros problemas de patologias como os que ocorrem atualmente. Para a recuperação estrutural propriamente dita, deverá ser seguido o seguinte roteiro para este trabalho: Verificar a superfície com um martelo, para detectar áreas não aderidas ou deterioradas. Delimitar a área a ser reparada, mediante corte de no mínimo 5 mm de profundidade com equipamento dotado de disco diamantado. Apicoar e eliminar todas as áreas deterioradas e/ou áreas não aderidas, formando arestas retas na área a ser reparada. Retirar todo o concreto em volta de armaduras corroídas, deixando no mínimo 2 cm livres em seu contorno. 15/37

16 Recuperar toda a armadura corroída, eliminando a ferrugem com uma escova de aço ou jato de areia. Se a armadura estiver com mais de 20% de seção reduzida, devrá ser substituída, e/ou reforçada. Aplicar sobre toda a área de armadura, com um pincel, uma camada de produto recuperador e inibidor de corrosão, evitando manchar o concreto. Deixar secar totalmente o recuperador e inibidor de corrosão (no mínimo por 1 hora). A superfície deve ser resistente, rugosa, limpa e isenta de partículas soltas, pintura ou óleos que impeçam a aderência do material. Umedecer a base, antes da aplicação da argamassa de recuperação. Composição da argamassa de recuperação: Cimento, agregados classificados, aditivos especiais, polímeros e inibidores de corrosão, deverá ser aplicada conforme o manual do fabricante. 7 BLOCOS F, G e A Paredes Todas as paredes, INCLUSIVE os panos em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza deverá ser aplicado, uma demão de selador e duas demãos de tinta acrílica de primeira qualidade, as cores serão determinadas pela fiscalização. Em especial na sala nº 30, deverá ser executado o taipá da porta, hoje inexistente. 7.2 Telhado O telhado deverá ser substituído, incluindo estrutura em madeira e forro. Será executada nova estrutura em madeira de cedrinho, dimensionado para suportar a carga do novo telhado. A empresa vencedora do certame deverá fornecer projeto e ART desta estrutura. As telhas serão em fibrocimento 5mm fixadas com conjunto de vedação e parafuso telheiro. O forro deverá ser em PVC com acabamento de roda-forro também em PVC. A estrutura em madeira deverá sofrer aplicação de cupinicida cor marrom escuro em duas demãos. 7.3 Pisos Excetuando-se a sala de artes e sala dos professores, o restante dos pisos existentes são vinílicos e deverão ser substituídos por piso vinílico 2,0mm em placas de 300x300mm, a cor deverá ser acordada com a fiscalização. A fixação deste piso deverá ser em adesivo específico para pisos vinílicos. O contrapiso deve estar liso, firme, limpo e seco antes da colocação, e conservar essas características ao longo do tempo. Bases irregulares necessitam de preparação especial. O piso em granitina existente nas demais salas não serão modificados, assim como o basalto nos corredores internos. Os pisos em parquet deverão ser calafetados e lixados, logo após deverá ser aplicada cera própria para tacos de madeira. 7.4 Janelas e grades As janelas em ferro deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrarem em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídos por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento, tanto as grades das portas quanto às grades das janelas. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 7.5 Portas Todas as portas em madeira deverão ser substituídas por novas pbortas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados em marco de madeira (a ser substituído) por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes no restante da escola, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas 16/37

17 de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. As portas existentes em ferro deverão ser mantidas e, quando necessário, reparar os defeitos e/ou pontos de ferrugem que porventura possam existir. Após a manutenção destas, a atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. 7.6 Banheiros do A10 Os quatro banheiros infantis serão reformados na sua totalidade, porém permanecerão com o mesmo lay-out atual. Serão demolidos os revestimentos atuais, pisos e paredes. Serão removidas todas as instalações hidrossanitárias, portas, cubas, mictórios, lavatórios e vasos sanitários. Serão executadas novas redes de abastecimento de água fria em canos PVC classe 15 embutidos na alvenaria, bem como rede de esgoto hidrossanitário em PVC classe 8 para atender o projeto arquitetônico. A alimentação de água deverá ser buscada de ponto atual nos banheiros existentes. Os banheiros deverão possuir registros de gaveta individuais com acabamento em canopla cromada. As torneiras serão metálicas. Os vasos sanitários terão caixa de descarga plástica externa, fixada à parede por buchas e parafusos. A rede hidrossanitária será refeita com tubulação adequada em PVC classe 8 com declividades mínimas de 2% e deverão ser ligadas às esperas atuais. As paredes receberão revestimento em reboco reguado de areia, cimento e cal para posterior recobrimento com revestimento de azulejos 30x30 brancos classe A com juntas de 1,5mm, assentadas com cimento colante. O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso). Portas dos boxes: porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. Estas portas deverão ter altura de 1,80m com vão inferior de 20cm até o piso, ou seja, a dimensão da porta será de 1,60m. O lavatório será em louça branca com pedestal. Bacia Sanitária: acabamento em louça branca, tipo infantil com caixa plástica externa. Entre a saída do vaso e a espera será colocado anel de ligação e vedação. A região de contato entre o piso e a base do vaso, será calafetada com mistura de cimento branco e alvaiade, dosada n o traço em volume de 1:1. A fixação da bacia ao piso será executada com conjunto de parafusos de latão, específicos para esta finalidade, providos de porcas do tipo calota com acabamento cromado. Torneira para pia: torneira de bancada com temporizador com mola em metal cromado. Papeleira para Papel Higiênico Porta-Rolo Metálico: será metálica, na cor branca, do tipo para papel higiênico em rolo de 300 a 500m, folha simples ou 150m folha dupla, provida de fechadura de segurança, visor frontal, e fixação antifurto. Dimensões externas: 270 de largura, 250mm de altura, e 125mm de profundidade. Porta papel toalha: em plástico ABS para papel em folhas de 2 ou três dobras, na cor branca, para toalhas de papel. 17/37

18 Saboneteira: será do tipo para sabonete líquido, construída em plástico ABS, tampa frontal basculante construída em plástico ABS reforçado na cor branca; capacidade para até 900ml de sabonete líquido; fechadura de segurança. Dimensões externas: 130mm de largura X 220mm de altura X 95mm de profundidade. Espelho: terá espessura de 4mm, com dimensões de 60 x 1,50cm, provido de moldura em alumínio anodizado na cor natural. O espelho será aparafusado na parede, logo acima da bancada em granito. Assento Sanitário: será do tipo plástico, linha comercial, cor branca, compatível com o formato e design da bacia sanitária. Sifão: será utilizado sifão para lavatório, DN40mm (1 x1.1/2 ) do tipo flexível multiuso acabamento branco em PVC natural. Engates ou Ligações Flexíveis: as ligações flexíveis serão de PVC- 1/2 x60cm. Conjuntos de Fixação para Bacias Sanitárias: serão compostos por bucha plástica nº 8, conjunto de arruelas flexíveis e rígidas, e porca do tipo sextavada com acabamento em calota cromada. Anel de Vedação p/saída de Bacia Sanitária: será do tipo plástico. 8. PÁTIO COBERTO ENTRE BLOCO F e G LAJE 8.1 Recuperação Estrutural A laje deverá sofrer processo de recuperação do concreto solto e das ferragens expostas, da seguinte forma: Para a recuperação estrutural propriamente dita, deverá ser seguido o seguinte roteiro para este trabalho: Verificar a superfície com um martelo, para detectar áreas não aderidas ou deterioradas. Delimitar a área a ser reparada, mediante corte de no mínimo 5 mm de profundidade com equipamento dotado de disco diamantado. Apicoar e eliminar todas as áreas deterioradas e/ou áreas não aderidas, formando arestas retas na área a ser reparada. Retirar todo o concreto em volta de armaduras corroídas, deixando no mínimo 2 cm livres em seu contorno. Recuperar toda a armadura corroída, eliminando a ferrugem com uma escova de aço ou jato de areia. Se a armadura estiver com mais de 20% de seção reduzida, devrá ser substituída, e/ou reforçada. Aplicar sobre toda a área de armadura, com um pincel, uma camada de produto recuperador e inibidor de corrosão, evitando manchar o concreto. Deixar secar totalmente o recuperador e inibidor de corrosão (no mínimo por 1 hora). A superfície deve ser resistente, rugosa, limpa e isenta de partículas soltas, pintura ou óleos que impeçam a aderência do material. Umedecer a base, antes da aplicação da argamassa de recuperação. Composição da argamassa de recuperação: Cimento, agregados classificados, aditivos especiais, polímeros e inibidores de corrosão, deverá ser aplicada conforme o manual do fabricante. Após esta recuperação, a laje deverá ser rebocada na parte inferior e pilares com argamassa de cimento e areia. Na parte superior, deverá ser executado um contra piso para receber impermeabilização com manta asfáltica 3mm soldada a quente, veja a seguir as recomendações para impermeabilização correta da laje: Demolição da Impermeabilização Existente (Restauração Remodelação) Demolir o piso e impermeabilização existente, inclusive argamassa de regularização e assentamento, impermeabilização e todo o enchimento existente, o pavimento deverá ficar no "osso", no nível da laje de concreto, perfeitamente limpa e nivelada, para execução das regularizações, impermeabilizações, instalações, proteções e acabamentos previstos no projeto. 18/37

19 Após a remoção do entulho (acabamento, proteção, impermeabilização e regularização existente), proteger a área exposta com lona plástica para evitar possíveis infiltrações da água nos períodos de chuvas, durante execução dos novos serviços. A cada final de dia de serviços, cobrir a área com lona plástica. Preparação da Superfície Para obter se um bom desempenho na aplicação dos sistemas de impermeabilização, deve-se tomar alguns cuidados na preparação da superfície: A superfície deve estar desimpedida e livre para o trabalho de impermeabilização; Localizar eventuais falhas de concreto, removendo as partes soltas e preparar a superfície com argamassa específica; Proceder a limpeza enérgica da superfície, removendo excesso de cimentos, madeira, ferro, poeira, etc, quando houver óleo, desmoldantes ou hidrofugantes no concreto, utilizar jato de água sob pressão para total limpeza; Umedecer a superfície com água em abundância antes da regularização, para melhor aderência no substrato. Regularização da Superfície É a camada que prepara a superfície para receber o sistema de impermeabilização, executado com cimento e areia, isenta de produtos como: aditivos, hidrofugantes, plástificantes. Nesta camada deverá ser formado o diagrama de escoamento da água (caimentos) de no mínimo 1%. Imprimação Asfáltica A imprimação asfáltica é o elemento de ligação entre o substrato e as mantas pré-fabricada de asfalto. Ele é composto por asfalto oxidado (pelas suas características adesivas) diluído em solventes orgânicos. Depois de regularizada a superfície aplica-se com rolo de lã de carneiro ou trincha, em temperatura ambiente entre 10 e 50 Cº. Impermeabilização com Manta Asfáltica Depois de finalizados os trabalhos prévios a aplicação da manta 3mm, se começara o pré-tratamento dos ralos e pontos emergentes. Estes deverão ser perfeitamente isolados com manta sendo um ponto crucial na impermeabilização, muitos dos casos de infiltrações são erros nestes pontos. Abrir o rolo totalmente para o alinhamento e seguida bobinar novamente. Queimar com o maçarico o polietileno protetor de alta densidade e também a tinta de imprimação para promover uma perfeita aderência. A recomendação é que a manta seja totalmente aderida, já que se ela é soldada somente nas juntas (manta flutuante) e tiver qualquer vazamento é muito difícil achar o ponto exato já que a água pode correr entre o concreto e a argamassa de regularização aparecendo o vazamento em outro ponto completamente diferente ao da infiltração na manta. A manta deverá ser colocada no sentido contrário começando da parte mais baixa para a mais alta até cobrir toda a área inclusive a platibanda se for necessário. Entre uma manta e outra devera ter uma sobreposição de no mínimo 10 cm. Completar a aplicação até cobrir com a manta toda a área a impermeabilizar. Depois de coberta toda a superfície se deverá fazer o arremate de todas as juntas passando uma colher de pedreiro. As juntas deverão ser pintadas com tinta alumínio de base asfáltica para proteção do asfalto dos raios U.V, dando um acabamento perfeito. Teste de Estaqueidade Após o término da impermeabilização, iniciar os seguintes testes: Proceder na horizontal teste de lâmina da água de 72 horas, em etapas para observar eventuais falhas no sistema. Após conclusão dos testes na horizontal, se possível na vertical jatear água com equipamento de pressão para verificação da aderência da impermeabilização no substrato; A aderência do material à regularização evita a penetração da água sob a manta, facilitando, em caso de infiltração, uma eventual localização e reparar. Proteção Mecânica Obs.: A proteção mecânica é aplicada sobre uma "camada de transição", constituída de argamassa fraca sobre papel kraft embreado ou feltro asfáltico. Após a impermeabilização, esta deverá receber uma camada de proteção mecânica com argamassa de cimento e areia, logo em seguida será colocado um piso cerâmico com rejuntamento específico. Nas bordas laterais deverá ser executada duas pingadeiras em pedra basalto com espessura de 20mm e 19/37

20 saliência de 10mm projetada para fora da laje, a fim de proteger a mesma de infiltrações. Nestas duas bordas da laje, deverá ser executada duas calhas em chapa metálica nº 26 com tubo de queda em PVC ligado às calhas de pluvial do pátio. Após, terminado estes trabalhos, toda estrutura (laje, vigas e pilares) deverão sofrer aplicação de limpeza com hidrojateamento, uma demão de selador acrílico e duas demãos de tinta acrílica de primeira qualidade, a cor deverá ser determinada pela fiscalização. 9. RESERVATÓRIO AO LADO DO BLOCO I 9.1 Impermeabilização da laje: Demolição da Impermeabilização Existente (Restauração / Remodelação) Demolir o piso e impermeabilização existente, inclusive argamassa de regularização e assentamento, impermeabilização e todo o enchimento existente, o pavimento deverá ficar no "osso", no nível da laje de concreto, perfeitamente limpa e nivelada, para execução das regularizações, impermeabilizações, instalações, proteções e acabamentos previstos no projeto. Após a remoção do entulho (acabamento, proteção, impermeabilização e regularização existente), proteger a área exposta com lona plástica para evitar possíveis infiltrações da água nos períodos de chuvas, durante execução dos novos serviços. A cada final de dia de serviços, cobrir a área com lona plástica. Preparação da Superfície Para obter se um bom desempenho na aplicação dos sistemas de impermeabilização, deve-se tomar alguns cuidados na preparação da superfície: A superfície deve estar desimpedida e livre para o trabalho de impermeabilização; Localizar eventuais falhas de concreto, removendo as partes soltas e preparar a superfície com argamassa específica; Proceder a limpeza enérgica da superfície, removendo excesso de cimentos, madeira, ferro, poeira, etc, quando houver óleo, desmoldantes ou hidrofugantes no concreto, utilizar jato de água sob pressão para total limpeza; Umedecer a superfície com água em abundância antes da regularização, para melhor aderência no substrato. Regularização da Superfície É a camada que prepara a superfície para receber o sistema de impermeabilização, executado com cimento e areia, isenta de produtos como: aditivos, hidrofugantes, plástificantes. Nesta camada deverá ser formado o diagrama de escoamento da água (caimentos) de no mínimo 1%. Imprimação Asfáltica A imprimação asfáltica é o elemento de ligação entre o substrato e as mantas pré-fabricada de asfalto. Ele é composto por asfalto oxidado (pelas suas características adesivas) diluídos em solventes orgânicos. Depois de regularizada a superfície aplica-se com rolo de lã de carneiro ou trincha, em temperatura ambiente entre 10 e 50 Cº. Impermeabilização com Manta Asfáltica Depois de finalizados os trabalhos prévios a aplicação da manta 3mm, se começara o pré-tratamento dos ralos e pontos emergentes. Estes deverão ser perfeitamente isolados com manta. Abrir o rolo totalmente para o alinhamento e seguida bobinar novamente. Queimar com o maçarico o polietileno protetor de alta densidade e também a tinta de imprimação para promover uma perfeita aderência. A recomendação e que a manta seja totalmente aderida, já que se ela é soldada somente nas juntas (manta flutuante) e tiver qualquer vazamento é muito difícil achar o ponto exato já que a água pode correr entre o concreto e a argamassa de regularização aparecendo o vazamento em outro ponto completamente diferente ao da infiltração na manta. 20/37

21 A manta deverá ser colocada no sentido contrário começando da parte mais baixa para a mais alta até cobrir toda a área inclusive a platibanda se for necessário. Entre uma manta e outra devera ter uma sobreposição de no mínimo 10 cm. Completar a aplicação até cobrir com a manta toda a área a impermeabilizar. Depois de coberta toda a superfície se deverá fazer o arremate de todas as juntas passando uma colher de pedreiro. As juntas deverão ser pintadas com tinta alumínio de base asfáltica para proteção do asfalto dos raios U.V, dando um acabamento perfeito. Teste de Estaqueidade Após o término da impermeabilização, iniciar os seguintes testes: Proceder na horizontal teste de lâmina da água de 72 horas, em etapas para observar eventuais falhas no sistema. Após conclusão dos testes na horizontal, se possível na vertical jatear água com equipamento de pressão para verificação da aderência da impermeabilização no substrato. A aderência do material à regularização evita a penetração da água sob a manta, facilitando, em caso de infiltração, uma eventual localização e reparar. Proteção Mecânica Obs.: A proteção mecânica é aplicada sobre uma "camada de transição", constituída de argamassa fraca sobre papel kraft embreado ou feltro asfáltico. Proteção Tipo Rígida (Piso Final) Argamassa de cimento e areia (1:3 ) min. 3 cm de espessura. 9.2 Lavagem das paredes externas: Limpeza geral com hidrojateamento dos tijolos tipo à vista. 10. BLOCO I SALAS DE AULA, REFEITÓRIO E COZINHA: Paredes Todas as paredes em tijolo à vista deverão sofrer limpeza com hidrojateamento e escovação manual para retirar as sujidades existentes. Após a limpeza deverá ser aplicado, para proteção dos tijolos, material à base de silicone líquido, em duas demãos com trincha. Observar a forma de aplicação e tempos de secagem entre as demãos recomendada pelo fabricante Forros, Pilares e Vigas Os forros das salas deste bloco são em laje com revestimento em reboco, deverão ser limpos e após receberão uma pintura em duas demãos de tinta acrílica branca nos forros e cor concreto nas vigas e pilares Pisos Todos os pisos existentes destas salas de aula são em parquet deverão ser calafetados e lixados, logo após deverá ser aplicada cera própria para tacos de madeira. O restante do piso em granitina (exceto cozinha e refeitório) será conservado Janelas e grades. As janelas deverão receber manutenção, passando por recuperação geral, devendo ao final dos trabalhos se encontrar em perfeitas condições de funcionamento, com os comandos desemperrados e lubrificados. Os mecanismos de comando das janelas, que se encontram danificados e as peças em estado de corrosão serão substituídas por outras de igual padrão. Todas as peças de vidro danificadas das janelas serão substituídas por novas de mesmo tipo. As grades deverão sofrer o mesmo tratamento, tanto as grades das portas quanto às grades das janelas. A atual pintura será removida com solução removedora, as superfícies serão tratadas, para então receberem nova pintura com tinta esmalte brilho, na cor a ser definida pela fiscalização. As portas externas do refeitório e do depósito de alimentos deverão ser substituídas por outras de igual tamanho e materiais, permanecendo as formas e padrões das atuais, bem como as dobradiças e fechaduras. 21/37

22 10.5 Portas Todas as portas internas deverão ser substituídas por novas Portas semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira, Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados no marco metálico existente por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser substituídas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais (cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. As portas externas do refeitório e do depósito de alimentos deverão ser substituídas por outras de igual tamanho e materiais, permanecendo as formas e padrões das atuais, bem como as dobradiças e fechaduras Telhado O telhado deverá ser revisado, com substituição das telhas danificadas e substituição das algerozas. Nosso orçamento contempla a substituição de 40% das telhas e 100% das vedações (algerozas) Cozinha e refeitório Pisos O piso atual em granitina deverá ser completamente removido, a base sofrerá tratamento com camada de regularização. Antes da aplicação da camada de regularização, deve-se executar uma ponte de aderência sobre a base, que consiste na pulverização de cimento e lançamento de quantidade suficiente de água sobre a superfície, para formação de uma pasta de consistência plástica, com posterior espalhamento com auxílio de vassoura de pêlos duros, formando camada com espessura não maior que 5 mm. Imediatamente após a aplicação da ponte de aderência e antes da secagem da mesma, deve-se aplicar a argamassa de regularização sobre a base. O nível superior da camada de regularização deve ser obtido através de taliscas, assentadas com a própria camada. Estas taliscas devem ser assentadas tendo, como referência de nível, uma linha horizontal traçada nas paredes, com aproximadamente 1 cm de altura. As cotas de arrasamento devem ser condicionadas à espessura máxima admitida para a camada de regularização, ao caimento e à cota final especificada para o piso acabado. Obs: Devem ser tomados os devidos cuidados com o nivelamento da superfície. O acabamento superficial da camada de regularização deve ser rugoso. O contrapiso deverá ter as seguintes características: Traço da argamassa 1:5 a 1:6 (em volume de cimento areia média) Água de amassamento Quantidade suficiente para dar à argamassa uma consistência de "farofa" Espessura camada da Variável, conforme a regularidade superficial da base e os caimentos necessários para escoamento da água. O caimento mínimo deve ser de 1,0 %. Quando a espessura da camada de regularização for superior a 30 mm, a construção deve ser feita por etapas, com suficiente compactação e secagem da anterior. 22/37

23 A superfície da base não deve apresentar, antes da aplicação da camada de regularização, manchas de ferrugem, pulverulência, eflorescências, bolor, limo e substâncias gordurosas. Para aplicação do revestimento cerâmico, a camada de regularização deverá ter idade mínima de 14 dias. Após 14 dias de cura do contra-piso, aplicar piso cerâmico. O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso) Paredes da cozinha e depósito de alimentos Os azulejos existentes serão conservados, àqueles que porventura estiverem soltando, quebrados ou faltantes, deverão ser repostos por peças novas de mesma cor e tamanho, assentados com cola específica para azulejos e rejunte branco. 11. NOVA SALA DA SIR E NOVAS SALAS DE AULA 11.1 Projeto Arquitetônico, plantas baixas e cortes encontram-se na prancha Demolição do prédio onde abriga as salas de aula em madeira, retirada dos entulhos da área da escola e descarte em local apropriado e autorizado pela Secretaria Municipal de Educação SMED, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre - PMPA, para posterior construção do prédio das novas salas de aula SALAS DE AULA Locação da obra Após a execução dos serviços preliminares deverá ser processada a locação da obra, com gabarito de madeira nivelado, seguindo rigorosamente as dimensões e cotas registradas em planta baixa e as definições da Fiscalização. 23/37

24 Movimento de terra As valas abertas para execução das fundações deverão ser aterradas, após desforma das vigas de baldrame, com material retirado das escavações Fundações Para fins de orçamento foram previstas fundações compostas de duas fiadas de pedra grés, assentes em cama de brita 01, e vigas de baldrame nas dimensões de 30cm x 20cm, composta de concreto fck20mpa com armadura de 5 ferros 10mm, sendo três na face de baixo e dois ferros na face de cima, com estribos de 5mm a cada 20cm, o recobrimento deverá ser de 2,5cm Contrapiso O contrapiso terá espessura de 8cm e assente sobre camada de brita, com 6cm de espessura. O terreno onde houver contrapiso deverá ser limpo, removido todo o material orgânico existente. O solo deverá ser compactado em camadas de 20cm, utilizando-se para complementação de níveis de saibro de boa qualidade Estrutura Todas as exigências definidas nas Normas Técnicas Brasileiras para a execução de estruturas em concreto armado deverão ser rigorosamente atendidas. Particular atenção deverá ser observada no recobrimento das armaduras. Para a obtenção das qualidades essenciais do concreto, será exigida seleção cuidadosa dos materiais, dosagem correta, manipulação e cura adequada. As formas utilizadas deverão ser novas, ou seja, não será permitido o reaproveitamento de outras obras. As formas das lajes, vigas e pilares terão superfície plastificada, as quais deverão ser estanques e suficientemente rígidas para não ocorrer deformações e vazamentos. A posição das formas, prumo e nível, será objeto de verificação permanente, especialmente durante o processo de lançamento do concreto. A armadura deverá estar de acordo com o prescrito nas Normas Brasileiras. O concreto deverá obrigatoriamente ser usinado, misturado e vibrado mecanicamente, e possuir fck 20MPa. A cada 10m³ de concreto fornecido, a contratada deverá executar ensaio e apresentar resultados de corpo de prova para a Fiscalização, através de laboratório especializado. O objetivo é avaliar a característica do concreto. Além da viga de baldrame, haverá pilares 20x20cm nos cantos e encontros entre paredes ortogonais, com ferragem 4x8mm e estribos de 5mm a cada 20cm. Acima das paredes em alvenaria haverá uma viga de respaldo, nas medidas 20x20cm com ferragem 4x8mm e estribos 5mm a cada 15cm. Haverá ainda uma laje pré-moldada com vigotas e tavelas com cobertura de concreto fck20mpa e esteira de aço 4,2mm com espaçamentos a cada 20cm. Esta cobertura em concreto terá a espessura de 5cm Paredes em geral Serão em tijolos 6 furos assentados deitados com argamassa de cimento, cal e areia, traço 1:1:5. Os tijolos serão assentados em fiadas perfeitamente niveladas e aprumadas, tendo-se o cuidado de somente empregar aqueles que tenham sido prévia e adequadamente molhados, o assentamento será contra-fiadas. Todas as partes das peças estruturais que devam ser ligadas à paredes deverão ser chapiscadas, inclusive a parte inferior das vigas e lajes Cobertura A cobertura será com telha de fibrocimento, sem amianto, espessura de 6mm, apoiada em estrutura de madeira cedrinho impermeabilizada por cupinicida marrom escuro aplicado em duas demãos com trincha. As calhas de beiral serão confeccionadas com chapas metálicas galvanizadas nº 26 e terão acabamento com pintura esmalte semi-brilho Impermeabilizações e imunização Impermeabilização com hidroasfalto: as superfícies a serem tratadas serão cuidadosamente limpas e convenientemente preparadas para receber a impermeabilização. As vigas de fundação deverão ser impermeabilizados com 4 demãos cruzadas de hidroasfalto. Imunização: a estrutura de madeira da cobertura será imunizada com duas demãos de cupinicida. 24/37

25 Revestimentos Revestimento com massa única Todas as alvenarias e peças de concreto interno e externo que não sejam do tipo a vista devem ser chapiscadas com argamassa de cimento e areia, e o fechamento mínimo exigido será internamente 60% e externamente 90%. A massa única só será iniciada após a cura da argamassa do chapisco, e obedecerão ao especificado a seguir: A massa única de cada pano de parede só será iniciada após o embutimento de todas as canalizações que por ele devem passar, da pega e cura das argamassas utilizadas no chumbamento e no preenchimento das respectivas canaletas, e do chapisco das superfícies. Antes da aplicação da massa única, as superfícies do substrato serão adequadamente molhadas com esguicho de mangueira Peitoril Nas janelas, serão colocados peitoris de basalto polido, interna e externamente, com espessura de 2cm e balanço de 2cm para cada lado da parede Pavimentação Piso cerâmico O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso) Soleiras Nas portas externas, serão colocadas soleiras em basalto polido, interna e externamente, com espessura de 2cm e balanço de 2cm para o lado externo Esquadrias A contratada deverá antes de iniciar a fabricação das esquadrias, apresentar na Secretaria Municipal de Educação, a composição dos perfis a serem utilizados nas esquadrias, bem como modelo dos acessórios, com a finalidade de serem aprovados. As medidas das esquadrias deverão ser conferidas em obra, antes de sua confecção, porém os modelos a serem seguidos são: para as janelas com peitoril 2,20m (todas as outras esquadrias da escola que estão localizadas acima das portas, e para as esquadrias com peitoril de 1,10m, deverão ser tomadas como base as novas esquadrias do prédio D. Todas elas em ferro (tubo metalon). Todas as ferragens deverão ser inteiramente novas, em perfeitas condições de funcionamento e acabamento. A localização das ferragens nas portas será medida com a precisão necessária para que não haja diferenças de nível ou discrepâncias de posição visíveis a olho nu. A localização destas ferragens, quando não constante do projeto, será, em caso de dúvida, determinada pela fiscalização. O assentamento das ferragens será procedido com particular cuidado pelo executante. Todos os rebaixos e encaixes para as ferragens terão exatamente a forma das ferragens, não sendo admitidas folgas que exijam emendas, taliscas de madeira, etc. As portas seguirão os mesmos modelos do restante da escola, ou seja: Porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira,,Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados em marco de madeira (a ser substituído) por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser instaladas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização Vidros Os vidros a serem colocados serão tipo liso de 4mm de espessura. 25/37

26 Pinturas Os serviços de pintura serão executados somente por profissionais de comprovada competência. Na execução dos serviços de pintura serão obedecidas estas discriminações técnicas e as especificações dos fabricantes das tintas empregadas. As superfícies a pintar serão cuidadosamente limpas e convenientemente preparadas para o tipo de pintura a que se destinarem. A eliminação da poeira deverá ser completa, tomando-se precauções especiais contra o levantamento de pó durante os trabalhos, até que as tintas sequem inteiramente. Salvo casos particulares, devidamente especificados, as superfícies a pintar deverão estar perfeitamente secas. Cada demão de tinta só poderá ser aplicada quando a precedente estiver perfeitamente seca, devendo ser observado rigorosamente o intervalo especificado pelo fabricante, em geral 24 horas, entre demãos sucessivas. As tonalidades das tintas deverão ser acertadas com a fiscalização Pintura acrílica As paredes internas, externas e laje de forro serão pintadas com 1 demão de selador acrílico pigmentado, e tinta acrílica acetinada, na cor branca no número de demãos necessárias para o perfeito e uniforme recobrimento da superfície Pintura em esquadrias de ferro As esquadrias de ferro receberão o número de demãos necessárias para o perfeito e uniforme recobrimento da superfície com esmalte sintético brilho, a cor será acordada com a fiscalização, sobre zarcão de primeira linha de secagem rápida. Se as esquadrias de ferro chegarem na obra com fundo serralheiro, deverá ser providenciada a remoção total do mesmo e aplicado zarcão recomendado SALA DA SIR Locação da obra Após a execução dos serviços preliminares deverá ser processada a locação da obra, com gabarito de madeira nivelado, seguindo rigorosamente as dimensões e cotas registradas em planta baixa e as definições da Fiscalização Movimento de terra As valas abertas para execução das fundações deverão ser aterradas, após desforma das vigas de baldrame, com material retirado das escavações Fundações Para fins de orçamento foram previstas fundações compostas de duas fiadas de pedra grés, assentes em cama de brita 01, e vigas de baldrame nas dimensões de 30cm x 20cm, composta de concreto fck20mpa com armadura de 5 ferros 10mm, sendo três na face de baixo e dois ferros na face de cima, com estribos de 5mm a cada 20cm, o recobrimento deverá ser de 2,5cm Contrapiso O contrapiso terá espessura de 8cm e assente sobre camada de brita, com 6cm de espessura. O terreno onde houver contrapiso deverá ser limpo, removido todo o material orgânico existente. O solo deverá ser compactado em camadas de 20cm, utilizando-se para complementação de níveis de saibro de boa qualidade Estrutura Todas as exigências definidas nas Normas Técnicas Brasileiras para a execução de estruturas em concreto armado deverão ser rigorosamente atendidas. Particular atenção deverá ser observada no recobrimento das armaduras. Para a obtenção das qualidades essenciais do concreto, será exigida seleção cuidadosa dos materiais, dosagem correta, manipulação e cura adequada. As formas utilizadas deverão ser novas, ou seja, não será permitido o reaproveitamento de outras obras. As formas das lajes, vigas e pilares terão superfície plastificada, as quais deverão ser estanques e suficientemente rígidas para não ocorrer deformações e vazamentos. A posição das formas, prumo e nível, será objeto de verificação permanente, especialmente durante o processo de lançamento do concreto. A armadura deverá estar de acordo com o prescrito nas Normas Brasileiras. O concreto deverá obrigatoriamente ser usinado, misturado e vibrado mecanicamente, e possuir fck 20MPa. A cada 10m³ de concreto fornecido, a contratada deverá executar ensaio e apresentar resultados de corpo de prova para a Fiscalização, através de laboratório especializado. O objetivo é avaliar a característica do concreto. Além da viga de baldrame, haverá pilares 20x20cm nos cantos e encontros entre paredes ortogonais, 26/37

27 com ferragem 4x8mm e estribos de 5mm a cada 20cm. Acima das paredes em alvenaria haverá uma viga de respaldo, nas medidas 20x20cm com ferragem 4x8mm e estribos 5mm a cada 15cm. Haverá ainda uma laje pré-moldada com vigotas e tavelas com cobertura de concreto fck20mpa e esteira de aço 4,2mm com espaçamentos a cada 20cm. Esta cobertura em concreto terá a espessura de 5cm Paredes em geral Serão em tijolos 6 furos assentados deitados com argamassa de cimento, cal e areia, traço 1:1:5. Os tijolos serão assentados em fiadas perfeitamente niveladas e aprumadas, tendo-se o cuidado de somente empregar aqueles que tenham sido prévia e adequadamente molhados, o assentamento será contra-fiadas. Todas as partes das peças estruturais que devam ser ligadas à paredes deverão ser chapiscadas, inclusive a parte inferior das vigas e lajes Cobertura A cobertura será com telha de fibrocimento, sem amianto, espessura de 6mm, apoiada em estrutura de madeira cedrinho impermeabilizada por cupinicida marrom escuro aplicado em duas demãos com trincha. As calhas de beiral serão confeccionadas com chapas metálicas galvanizadas nº 26 e terão acabamento com pintura esmalte semi-brilho Impermeabilizações e imunização Impermeabilização com hidroasfalto: as superfícies a serem tratadas serão cuidadosamente limpas e convenientemente preparadas para receber a impermeabilização. As vigas de fundação, deverão ser impermeabilizados com 4 demãos cruzadas de hidroasfalto. Imunização: a estrutura de madeira da cobertura será imunizada com duas demãos de cupinicida Revestimentos Revestimento com massa única Todas as alvenarias e peças de concreto interno e externo que não sejam do tipo a vista devem ser chapiscadas com argamassa de cimento e areia, e o fechamento mínimo exigido será internamente 60% e externamente 90%. A massa única só será iniciada após a cura da argamassa do chapisco, e obedecerão ao especificado a seguir: A massa única de cada pano de parede só será iniciada após o embutimento de todas as canalizações que por ele devem passar, da pega e cura das argamassas utilizadas no chumbamento e no preenchimento das respectivas canaletas, e do chapisco das superfícies. Antes da aplicação da massa única, as superfícies do substrato serão adequadamente molhadas com esguicho de mangueira Revestimento cerâmico As paredes internas acima dos lavatórios, deverão ser revestidas com cerâmica 30x30cm, na cor branca acetinada, de 1ª qualidade, assentado sobre emboço com cimento cola, terão uma altura de duas cerâmicas e largura de quatro cerâmicas Peitoril Nas janelas, serão colocados peitoris de basalto polido, interna e externamente, com espessura de 2cm e balanço de 2cm para cada lado da parede Instalação hidrossanitária Deverá ser instalada rede de abastecimento de água em PVC classe 15 embutidas na parede, bem como rede de esgoto em PVC classe 8 com caixa sifonada de 150mm, uma para cada dois lavatórios. Os lavatórios serão em louça cerâmica tipo comercial na cor branca, com pedestal. As torneiras serão tipo automáticas metálicas, de acionamento com um toque. Haverá dois toalheiros em cada sala, bem como duas saboneteiras Pavimentação Piso cerâmico O piso será em cerâmica PEI 5 45x45, ou similar, antiderrapante, alto tráfego, cor predominante CINZA, espaçamento entre as peças 5mm. Instalar as peças sobre o contrapiso nivelado e curado com argamassa colante. 27/37

28 Rejunte: flexível, base epóxi (antimanchas e antimofo) cor CINZA (Fazer o rejunte 48 horas após a instalação do piso) Soleiras Nas portas externas, serão colocadas soleiras em basalto polido, interna e externamente, com espessura de 2cm e balanço de 2cm para o lado externo Esquadrias A contratada deverá antes de iniciar a fabricação das esquadrias, apresentar na Secretaria Municipal de Educação, a composição dos perfis a serem utilizados nas esquadrias, bem como modelo dos acessórios, com a finalidade de serem aprovados. As medidas das esquadrias deverão ser conferidas em obra, antes de sua confecção, porém os modelos a serem seguidos são: para as janelas com peitoril 2,20m (todas as outras esquadrias da escola que estão localizadas acima das portas, e para as esquadrias com peitoril de 1,10m, deverão ser tomadas como base as novas esquadrias do prédio D. Todas elas em ferro (tubo metalon). Todas as ferragens deverão ser inteiramente novas, em perfeitas condições de funcionamento e acabamento. A localização das ferragens nas portas será medida com a precisão necessária para que não haja diferenças de nível ou discrepâncias de posição visíveis a olho nu. A localização destas ferragens, quando não constante do projeto, será, em caso de dúvida, determinada pela fiscalização. O assentamento das ferragens será procedido com particular cuidado pelo executante. Todos os rebaixos e encaixes para as ferragens terão exatamente a forma das ferragens, não sendo admitidas folgas que exijam emendas, taliscas de madeira, etc. As portas seguirão os mesmos modelos do restante da escola, ou seja: Porta semi-oca, laminada, enchimento em madeira, base com lâmina 3mm em madeira, capa em madeira nobre com espessura de 7/10mm. Opções nas lâminas de Curupixá, Cerejeira,,Figueira Branca, Freijó linheiro e Goiabão, com reforço para fechadura, envoltas por encabeçamento em perfil metálico tipo U, fixados em marco de madeira (a ser substituído) por meio de três dobradiças metálicas parafusadas. Como modelo baseamos esta descrição nas portas existentes, modelo este a ser utilizado nas portas que deverão ser instaladas. Da mesma forma que as dobradiças e as fechaduras, tipo externa. A nova porta terá revestimento nas duas faces por lâmina de fórmica brilhante, colada na folha de madeira por cola especial para estes materiais(cola de contato), atentar para que as lâminas sejam fixadas às folhas antes da colocação dos perfis metálicos, para que estes encubram também as chapas de fórmica. A cor das fórmicas deverá ser aprovada pela fiscalização. Marcos e guarnições deverão receber duas demãos de pintura esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização Vidros Os vidros a serem colocados serão tipo liso de 4mm de espessura Pinturas Os serviços de pintura serão executados somente por profissionais de comprovada competência. Na execução dos serviços de pintura serão obedecidas estas discriminações técnicas e as especificações dos fabricantes das tintas empregadas. As superfícies a pintar serão cuidadosamente limpas e convenientemente preparadas para o tipo de pintura a que se destinarem. A eliminação da poeira deverá ser completa, tomando-se precauções especiais contra o levantamento de pó durante os trabalhos, até que as tintas sequem inteiramente. Salvo casos particulares, devidamente especificados, as superfícies a pintar deverão estar perfeitamente secas. Cada demão de tinta só poderá ser aplicada quando a precedente estiver perfeitamente seca, devendo ser observado rigorosamente o intervalo especificado pelo fabricante, em geral 24 horas, entre demãos sucessivas. As tonalidades das tintas deverão ser acertadas com a fiscalização Pintura acrílica As paredes internas, externas e laje de forro serão pintadas com 1 demão de selador acrílico pigmentado, e tinta acrílica acetinada, na cor branca no número de demãos necessárias para o perfeito e uniforme recobrimento da superfície Pintura em esquadrias de ferro As esquadrias de ferro receberão o número de demãos necessárias para o perfeito e uniforme recobrimento da superfície com esmalte sintético brilho, a cor será acordada com a fiscalização, sobre zarcão de primeira linha de secagem rápida. Se as esquadrias de ferro chegarem na obra com fundo serralheiro, deverá ser providenciada a remoção total do mesmo e aplicado zarcão recomendado. 28/37

29 12 RESERVATÓRIOS DE LITROS Os atuais reservatórios em fibra, localizados no pátio entre os Blocos B e C, sobre uma estrutura metálica, deverão ser substituídos: A estrutura metálica que forma a torre de suporte para os reservatórios deverá ser retirada por completo, em seu lugar deverá ser executada uma nova estrutura metálica nos mesmos moldes da existente. No mesmo local, na mesma conformação e alturas. Os pilares serão executados em ferros cantoneiras e ferros redondos, chumbados ao solo por sapata em concreto e parafusos com porcas. Como patamar para suporte dos novos reservatórios deverá ser executado em chapa xadrez com treliças metálicas, soldadas aos pilares. O dimensionamento da nova estrutura (projeto estrutural) será executado pela empresa, com fornecimento de ART para projeto e execução da mesma. A estrutura sofrerá tratamento anticorrosão, com uma demão de zarcão e duas demãos de tinta esmalte brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. Os pontos de abastecimento e fornecimento de água para escola deverão ser mantidos, apenas as bóias e os registros de saída deverão ser substituídos por outros com as mesmas dimensões dos existentes, apenas os registros de saída que atualmente são do tipo gaveta, deverão ser instalados do tipo esfera metálico. Os reservatórios que serão instalados serão em fibra de vidro ou polietileno com tampa roscável com capacidade para 6000 litros cada e serão instaladas conforme indicações do fabricante: Abaixo imagens meramente ilustrativas a fim de balizar o modelo a ser instalado: 13. RECUPERAÇÃO DA COBERTURA EXISTENTE ENTRE OS BLOCOS A, B, C E D A estrutura em madeira deverá ser limpa com hidrojateamento, lixada, sofrerá aplicação de duas demãos de cupinicida cor marrom escuro e posteriormente duas demãos de tinta esmalte sintético brilhante na cor a ser definida pela fiscalização. 14. PORTÃO DE SERVIÇO O Portão de serviço localizado na parte dos fundos da Escola deverá ser ampliado na sua largura, verificar projeto na prancha nº 04. O hidrômetro deverá ser deslocado para esquerda de quem olha o portão por dentro do pátio, de forma a liberar o acesso para largura projetada. Os trâmites legais junto ao DMAE para tal deslocamento deverão ser executados pela empresa contratada para executar os serviços de reforma da escola. O Módulo do muro em concreto deverá ser retirado para colocação do novo portão. As placas que porventura sairão deverão ser relocadas em trechos do muro onde hoje estão quebrados. A tela localizada logo acima do muro deverá ser cortada e seus apoios metálicos deverão ser fixados no próximo mourão em concreto. O portão deverá ser em ferro redondo, conforme detalhamento abaixo, fixado em pilares de concreto nas medidas 30cm x 60cm executados no local, com chapisco emboço e reboco. O Portão terá pintura esmalte brilhante aplicada em duas demãos acima de uma demão de fundo para tubo galvanizado. 29/37

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA DA ESCOLA ALCIDES TOMBINI LOCALIZAÇÃO: Rua Augusto Driessen Bairro: Sorgatto 1. DEMOLIÇÕES Todas as paredes internas dos banheiros deverão ser demolidas. Todo o revestimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar

Leia mais

SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reformas na EMEF Pedro Cattani OBJETIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo estabelecer as diretrizes básicas para

Leia mais

PLANILHA GERAL ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA GERAL ORÇAMENTÁRIA ANEXO I PROCESSO LICITATÓRIO N 022/2009 CONVITE N 15 PLANILHA GERAL ORÇAMENTÁRIA LOCAL: CÂMARA DE VEREADORES DE URUGUAIANA OBJETO: REFORMA DE SANITÁRIOS PRAZO DE OBRAS: 120 dias MODALIDADE: EMPREITADA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar serviços e materiais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO.

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO. UNID. QUANT. UNITÁRIO TOTAL CÓD. DEOSP 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 1.2 Aquisição e assentamento de placas de obras pronta de 3,00 x 2,00 m, conforme modelo. Barracão de obra em chapa de madeira compensada

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013

PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013 IDENTIFICAÇÃO DA FIRMA PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS - DATA: 03/06/2013 OBRA REFORMA DO DEPRA Localização: AV. São Paulo-Bairro dos Estados-Paraíba-Brasil PREÇOS PROPOSTOS PREÇOS: SINAPI / C/BDI=

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma de Prédio Delegacia CRA Proprietário: Conselho Regional de administração Endereço: Av. Presidente Getulio Vargas, N 2.923 Área: 110,00 m² 1.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PEL / 4 CIA DO 5 BATALHÃO DO CBBMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADO DO SAMU

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PEL / 4 CIA DO 5 BATALHÃO DO CBBMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADO DO SAMU MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PEL / 4 CIA DO 5 BATALHÃO DO CBBMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADO DO SAMU CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar serviços

Leia mais

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total ANEXO I-B PLANILHA DE PREÇOS, COM OS SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES DO MEMORIAL DESCRITIVO Item 1 Descrição dos Serviços Material Mão

Leia mais

ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA. Planilha Orçamentária

ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA. Planilha Orçamentária ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão OBRA: REFORMA DO LABORATÓRIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Ampliação E.M.E.I. Manoel dos Santos Ribeiro Bairro José Alcebíades de Oliveira GENERALIDADES Execução por Empreitada Global O presente memorial

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA FONTES DE : SINAPI REFERENCIAL 05/14, MERCADO UNITÁRIO TOTAL 1.00 ADMINISTRAÇÃO LOCAL R$ 4.086,08 1.1 Mestre de obras mês 2,00 R$ 17,22 R$ 34,44 22,53% R$ 42,19 SINAPI IS 4069 1.2 PPRA/PCMSO und 1,00 R$

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS. Relatório Técnico. REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m²

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS. Relatório Técnico. REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m² Relatório Técnico REFORMA DA SECRETARIA DE TURISMO DE BOMBINHAS ÁREA TOTAL: 291,20 m² Av. Leopoldo Zarling Bairro Bombas Município de Bombinhas - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS:

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS: MEMORIAL DESCRITIVO INFORMAÇÕES GERAIS: OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO DE P.S.F. CIDADE/UF: GOIATUBA / GO DATA: ABRIL DE 2013. UNIDADE: RECREIO DOS BANDEIRANTES (307) NORMAS GERAIS: 1. Os materiais e serviços

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL DE REGULAÇÃO DO SAMU NA ÁREA DE TELEATENDIMENTO DA 9ª RISP

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL DE REGULAÇÃO DO SAMU NA ÁREA DE TELEATENDIMENTO DA 9ª RISP MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL DE REGULAÇÃO DO SAMU NA ÁREA DE TELEATENDIMENTO DA 9ª RISP CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar os serviços

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES

MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA EM TODAS AS UNIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO LINHARES - ES 1 1. INTRODUÇÃO O memorial se refere aos Serviços de Manutenção

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente memorial descritivo tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase Este Memorial Descritivo tem por finalidade especificar os materiais e serviços a serem executados na REFORMA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

1.3 MÁQUINAS E FERRAMENTAS Serão fornecidos todos os equipamentos e ferramentas adequadas de modo a garantir o bom desempenho da obra.

1.3 MÁQUINAS E FERRAMENTAS Serão fornecidos todos os equipamentos e ferramentas adequadas de modo a garantir o bom desempenho da obra. MEMORIAL DESCRITIVO IDENTIFICAÇÃO: EDIFÍCIO SPAZIO DI ACÁCIA Proponente : Construtora Brum Ltda. Construtora : Construtora Brum Ltda. Empreendimento : Edifício Spazio Di Acácia Endereço : Rui Barbosa,

Leia mais

1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente MEMORIAL DESCRITIVO tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

Obra: Ampliação da E.M.E.I. Pequeno Polegar Endereço: Rua Pinheiro Machado, nº 568 - Não-Me-Toque/RS Área: 259,35 m² ÍTEM DISCRIMINAÇÃO CUSTO UNITÁRIO CUSTO CUSTO TOTAL UNID QUANT TOTAL Material MO UNITÁRIO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura RELATÓRIO DE MEDIÇÃO PO 57/2014 INTERVENÇÃO NO FÓRUM TRABALHISTA DE GUARAPUAVA

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO CLIENTE: OBJETIVO: OBRA: PROJETO: LOCAL: CIDADE: MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 21º ANDAR EDIFICIO CENTRAL REFORMA 21º ANDAR EDIFÍCIO CENTRAL RUA CALDAS JUNIOR Nº 120-21º ANDAR- Centro Porto Alegre/RS

Leia mais

2 Trabalhos Em Terra 2.1 Escavações manuais m³ 156,15 19,46 3.038,68 79517/1 15,57 2.2 Aterro compactado m³ 109,00 34,06 3.712,54 55.

2 Trabalhos Em Terra 2.1 Escavações manuais m³ 156,15 19,46 3.038,68 79517/1 15,57 2.2 Aterro compactado m³ 109,00 34,06 3.712,54 55. 1 Serviços Iniciais 1.1 Placa para obra m² 2,00 329,21 658,42 74209/1 263,37 1.2 Barracão de obra em chapa de mad. Compensada, telha 4 mm m² 24,00 173,43 4.162,32 74242/1 138,74 1.3 Locação da obra m²

Leia mais

Prefeitura Muncipal de Porto Alegre Escola Municipal Vila Dique Nazaré

Prefeitura Muncipal de Porto Alegre Escola Municipal Vila Dique Nazaré BLOCO JARDIM 1. SERVIÇOS INICIAIS 1.1 LOCAÇÃO DE OBRA POR m2 CONSTRUÍDO M2 361,57 3,28 1.184,14 1.184,14 2. MOVIMENTOS DE TERRA 2.1 BALDRAME E BLOCOS DE FUNDAÇÃO 2.1.1 ESCAVAÇÃO MANUAL DE VALAS EM MAT.1ª

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS RODRIGUES & AGUINAGA PROJETOS LTDA. Av. Francisco Talaia de Moura, 545 CEP: 91170-090 - Porto Alegre/RS. CNPJ: 09.077.763/0001-05 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS 1 1.

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DATA agosto/2013 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.2 74209/001 Aquisição e assentamento de placas de obra em aço galvanizado. Abrigo Provisorio de madeira executado na obra para m² 6,00 157,35 944,10 1.3 01520.8.1.1

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE.

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE. MEMORIAL DESCRITIVO Construção Unidade Básica de Saúde TIPO DE CONSTRUÇÃO: Prédio em Alvenaria UBS Unidade Básica de Saúde da Sede do município. LOCAL: Rua Édimo Luiz Tonial na cidade de Cacique Doble

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PORTARIA / GARAGEM

MEMORIAL DESCRITIVO PORTARIA / GARAGEM 1/10 MEMORIAL DESCRITIVO PORTARIA / GARAGEM As obras serão realizadas obedecendo rigorosamente aos projetos, detalhes e especificações, bem como as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA

CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA REFORMA DO PRÉDIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Introdução O presente memorial descritivo tem por finalidade definir os trabalhos de Reforma Câmara

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO REPAVIMENTAÇÃO EM PAVIMENTOS COM PEDRA IRREGULAR, PARALELEPÍPEDO, BLOCOS DE CONCRETO E CBUQ. 2015 APRESENTAÇÃO Trata o

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO REFORMA e AMPLIAÇÃO

MEMORIAL TÉCNICO REFORMA e AMPLIAÇÃO MEMORIAL TÉCNICO REFORMA e AMPLIAÇÃO O presente Memorial Técnico de Reforma e Ampliação tem por finalidade descrever os materiais, procedimentos/métodos a serem empregados nas retiradas e na reforma, indicar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Obra: AMPLIAÇÃO UNIDADE DE SAÚDE CENTRAL Local: Rua Santa Catarina, Centro Área de Ampliação: 161,82 m² Município: Doutor Pedrinho SC Data: Novembro / 2015

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA BÁSICA E ESTIMATIVA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA BÁSICA E ESTIMATIVA IVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS CISAL CONTRATANTE: IVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS - CISAL FONTE DE CONSULTA DE PREÇOS ITÁRIOS: - AGO / 2013, AGO / 2013 E COMPOSIÇÕES

Leia mais

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC CONTATO E-MAIL: implantacao@redecidadania.ba.gob.br VERSÃO 9.0 MAIO / 2015 ESPECIFICAÇÕES DO ESPAÇO DO CDC Para a implantação do CDC é necessário encontrar

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES REFORMA DO EDIFÍCIO BRASCAR

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC.

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC. MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo descrever os serviços, materiais e técnicas construtivas a serem utilizadas na execução da obra abaixo qualificada. DADOS FÍSICOS LEGAIS

Leia mais

TOTAL GERAL OBRAS CIVIS COM BDI MÉDIO INDICADO PELO TCU CONFORME TABELA 17 DA RESOLUÇÃO TC 025.990/2008-2 (24,50%) 100,00% 2.046.

TOTAL GERAL OBRAS CIVIS COM BDI MÉDIO INDICADO PELO TCU CONFORME TABELA 17 DA RESOLUÇÃO TC 025.990/2008-2 (24,50%) 100,00% 2.046. DE PARTE DOS BLOCOS "SALAS DE AULA", "CENTRO DE LIDERANÇA" E "ALOJAMENTO PROFESSORES - BLOCO 6" NA ESCOLA SESC DE ENSINO MÉDIO ITEM DISCRIMINAÇÃO % DO TOTAL PREÇO TOTAL 01 SERVIÇOS PRELIMINARES 26,56%

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Carmo de Minas. ENDEREÇO: Rua Luiz Gomes, nº. 150, Bairro: Centro, CEP: 37472-000. CNPJ: 18.188.243/0001-60. ENDEREÇO DA OBRA: Rua Euclides

Leia mais

Item Descrição dos Serviços Quant. Unid. Unitário Sub-Total Unitário Sub-Total. 25,49 m² 0,00 0,00 443,27

Item Descrição dos Serviços Quant. Unid. Unitário Sub-Total Unitário Sub-Total. 25,49 m² 0,00 0,00 443,27 ANEXO II PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DISCRIMINADA (MODELO DE PROPOSTA) SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM O MEMORIAL DESCRITIVO Local: PROCURADORIA DA REPÚBLICA

Leia mais

RESIDÊNCIA DO ENGENHEIRO

RESIDÊNCIA DO ENGENHEIRO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO PIAUÍ SERVIÇO: REFORMA GERAL DA UNIDADE LOCAL DE PIRIPIRI PLANILHA ORÇAMENTÁRIA Data: RESIDÊNCIA

Leia mais

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR-24 CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO Órgão Responsável pelo Estabelecimento Endereço CNAE Inspetor (es) DADOS DA INSPEÇÃO Estabelecimento Contato Numero de Servidores Referências

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$)

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$) 1.0 1.1 Placa de obra em chapa de aço galvanizado m² 1,00 245,51 245,51 1.2 Locação da obra através de gabarito de tábuas corridas pontaletadas m² 52,00 5,80 301,60 1.3 Ligação provisória de energia elétrica

Leia mais

Prefeitura Municipal de Dumont

Prefeitura Municipal de Dumont TOMADA DE PREÇOS Nº. 009/2015 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reparos, Implantação de Banheiro para Acessibilidade e Pintura Geral. LOCAL: Avenida 21 de março nº 2.104 - Escola Profª Wilma M Lorenzato Bredarioli

Leia mais

MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN

MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN A solução apresentada para o projeto de reforma, ampliação do ER-09 de Natal, observou as seguintes diretrizes: Aproveitar, da

Leia mais

ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CRECHE 0-6 ANOS)

ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CRECHE 0-6 ANOS) Departamento Municipal de Habitação Superintendência de Urbanismo e Produção Habitacional Coordenação de Urbanização PROJETO ARQUITETÔNICO MEMORIAL DESCRITIVO ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CRECHE 0-6 ANOS)

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA Item Descrição dos serviços MÃO DE 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1. 1 SONDAGEM 1. 1. 1 SONDAGEM DE RECONHECIMENTO DO SUBSOLO COM TUBO DE REVESTIMENTO DIÂMETRO 21/2 M 42,00 - - - 43,50 43,50 1.827,00 TOTAL ITEM

Leia mais

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA 1/11 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA INTRODUÇÃO A escolha das salas a serem adequadas para o Laboratório de Química e Biologia, para a Sala de Preparo e para o Laboratório de Matemática e Física deverá

Leia mais

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação 1. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os serviços de limpeza e conservação deverão ser realizados, conforme as seguintes especificações: ÁREAS INTERNAS 1.1. DIARIAMENTE, uma vez quando não explicitado. 1.1.1. Remover,

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PARANÁ, LOCALIZADA

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO PROJETO BÁSICO OBJETO: Obras de Engenharia para Reforma e Ampliação do CAIC THEOPHILO DE SOUZA PINTO. Localizado na Rua Praça do Terço, s/nº - Nova Brasília - Bonsucesso Rio de Janeiro. I- DISPOSIÇÕES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC MEMORIAL DESCRITIVO 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO O presente Memorial Descritivo tem por finalidade estabelecer as condições que orientarão os serviços de construção,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1.1. Tarefa: Limpeza de MÓVEIS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA - limpar com pano úmido e remover pó e manchas das mesas, armários,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 PORTO ALEGRE - RS 10/04/2012 ÍNDICE 1 - ACABAMENTOS APARTAMENTOS TIPO 2- ÁREAS CONDOMINIAIS 2.1 - ÁREAS DE

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SANTA BÁRBARA DO SUL PROJETO: REFORMA DO GINÁSIO DE ESPORTES DR. MÁRIO BRUM PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA BÁRBARA DO SUL LOCAL: AV. EDUARDO DE BRITO, Nº520 DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS: A obra a ser realizada é a reforma

Leia mais

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra MEMORIAL DESCRITIVO OBRA : AMPLIAÇÃO DE ESCOLA EM ALVENARIA PROPRIETÁRO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM - ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CARAS PINTADAS ENDEREÇO: PARTE DA CHÁCARA NUMERO 19 LOTE

Leia mais

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO SALAS COMERCIAIS E ESTACIONAMENTOS 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO...03 1.1. O EMPREENDIMENTO...03 1.2. PROJETOS E ÁREAS...03 1.3. - LOCAÇÃO DA OBRA...04

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul Secretaria Municipal de Obras Departamento Engenharia

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul Secretaria Municipal de Obras Departamento Engenharia ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ARQUITETURA 1.1 VEDAÇÕES 1.1.1 Alvenaria de Blocos Cerâmicos Tipo: 10x20x20 Aplicação: todas as Paredes internas e externas 1.2 ESQUADRIAS 1.2.1 Porta de madeira Compensada As

Leia mais

PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI

PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI PROJETO QUADRA POLIESPORTIVA - SESI Contratante: SESI - FIEB Localização: Unidade SESI Simões Filho BA. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS, DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO E DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS Memorial Descritivo

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

Edifício Varadero Residencial

Edifício Varadero Residencial Edifício Varadero Residencial MEMORIAL DESCRITIVO PADRÃO 1. Infra-Estrutura: 2. Supra-Estrutura: 3. Alvenarias: Movimentação de Terra: Será realizada a limpeza do terreno, removendo todo o obstáculo que

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS HC1 PISO TÉRREO ALA B - HEMODINÂMICA HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA MARÍLIA SP PROJETO: ENGEST ENGENHARIA LTDA Eng. Civil Marcos Stroppa Rua Lupércio

Leia mais

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL TABELA DOS TIPOS E PADRÕES DE CONSTRUÇÃO TIPO 1 - RESIDENCIAL - PADRÃO "E"

Leia mais

ORÇAMENTO ART/RRT Nº: RRT 0000001244017 BDI já incluso no orçamento: 26% 26 Tomador: MUNICIPIO DE PALMITAL - PR

ORÇAMENTO ART/RRT Nº: RRT 0000001244017 BDI já incluso no orçamento: 26% 26 Tomador: MUNICIPIO DE PALMITAL - PR 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 5.108,23 1.1 Abrigo provisório c/ pavimento para alojamento e depósito m² 12,00 133,05 1.596,60 74209/1 1.2 Placa da obra - padrão governo federal m² 3,00 205,83 617,49 74210/1

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO AMPLIAÇÃO DA ALA DE APARTAMENTOS E ENFERMARIAS DA CASA DE CARIDADE SANTA TEREZA.

MEMORIAL DESCRITIVO AMPLIAÇÃO DA ALA DE APARTAMENTOS E ENFERMARIAS DA CASA DE CARIDADE SANTA TEREZA. MEMORIAL DESCRITIVO AMPLIAÇÃO DA ALA DE APARTAMENTOS E ENFERMARIAS DA CASA DE CARIDADE SANTA TEREZA. 1 RELATÓRIO TÉCNICO / MEMORIAL DE INTERVENÇÃO EM ESTABELECI- MENTO DE SAÚDE. AMPLIAÇÃO DA ALA DE APARTAMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF MÊS DE REFERÊNCIA JULHO/ 2015 BDI 20% Item Discriminação Unid. Quant. 1 SERVIÇOS

Leia mais

Município. Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA. Sexta-Feira - 13 de Abril de 2012 - Ano VII - N º 40

Município. Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA. Sexta-Feira - 13 de Abril de 2012 - Ano VII - N º 40 do Município Prefeitura Municipal de Santa Barbara - BA Sexta-Feira - - Ano VII - N º 40 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA BÁRBARA TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2012 OBJETO: a execução de obras de reforma dos seguintes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III. SERVIÇOS

Leia mais

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR)

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR) Curitiba, 16 de Janeiro de 2015 ESCLARECIMENTO N.º 05 TOMADA DE PREÇOS 2014/14641(7419) - Contratação de reforma, sem ampliação, de agência incorporada, Agência Itajaí/Besc (SC), para adequação de ambiência.

Leia mais

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Universidade Federal de Goiás Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Setor de Engenharia Rural PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Construções e Eletrificação Rural Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Leia mais

ANEXO X - MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA

ANEXO X - MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA ANEXO X - MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA ESPECIFICAÇÕES POR AMBIENTES 1. SANITÁRIOS, MASCULINO E FEMININO: 1.1. Piso: Cerâmica TP Gres extra ou 1a Qualidade 63x63 para piso PEI-4, cor cream sensation

Leia mais

Anexo X - Modelo de Planilha Orçamentária

Anexo X - Modelo de Planilha Orçamentária BLOCO 6 1. Serviços Iniciais 1.1 Locação por m2 construído m2 489 2,12 1.036,68 1.2 Limpeza permanente m2 400 3,22 1.287,60 1.3 Demolição prédio de madeira m2 288 71,27 20.527,01 1.4 Remoção de piso de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Planejamento

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Planejamento M E M O R I A L D E S C R I T I V O OBJETIVO: O presente memorial tem por objetivo descrever as técnicas de execução e os materiais a serem empregados na construção do Parque Lajeado da Cruz, nesta cidade,

Leia mais

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DO EDIFÍCIO O Recanto dos Poetas será constituído de: 6 (seis) blocos, cada um com 1 (um) pavimento pilotis e 4 (quatro) pavimentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada.

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada. MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Este PRÉDIO terá uso exclusivo RESIDENCIAL e terá 12 (doze) pavimentos, sendo que o 1º PAV SUB SOLO terá 26 espaços de garagem cobertos; o 2 PAV terá o hall de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Piratini

Prefeitura Municipal de Piratini MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo visa estabelecer as condições de materiais e execução referentes à construção de um Vestiário Esportivo, localizado na Av. 6 de julho s/n, em Piratini/RS,

Leia mais

1.1 Localização do estabelecimento: Linha Moreira Cezar, Capela São Luiz, interior de Serafina Corrêa-RS.

1.1 Localização do estabelecimento: Linha Moreira Cezar, Capela São Luiz, interior de Serafina Corrêa-RS. MEMORIAL DESCRITIVO: PROJETO: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UM POSTO DE RESFRIAMENTO DE LEITE. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SERAFINA CORREA RS LOCALIZAÇÃO: LINHA MOREIRA CEZAR, CAPELA SÃO LUIZ, SERAFINA

Leia mais