Legislação Aplicada à EBSERH

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Legislação Aplicada à EBSERH"

Transcrição

1 Legislação Aplicada à EBSERH AULA 1 Profa. Cardoso e Prof. Wellington Silva

2 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 2 LEGISLAÇÃO APLICADA À EBSERH APRESENTAÇÃO DO CURSO Prezado aluno, este curso contemplará NA ÍNTEGRA e DE FORMA ESQUEMATIZADA as três Legislações aplicadas à EBSERH cobradas em todos os concursos públicos da empresa, conforme abaixo: Lei /11 AUTORIZA o poder executivo a criar a EBSERH Decreto 7.661/11 Regimento Interno - Versão Atualizada APROVOU o Estatuto Social da EBSERH Trata-se de uma norma INTERNA No decorrer das três legislações uma série de dispositivos são REPETIDOS. Por isso nosso curso, composto de 4 aulas, está dividido por ASSUNTO. A cada assunto, você poderá ler, de maneira TOTALMENTE ESQUEMATIZADA, TODOS os dispositivos legais referentes àquele assunto e poderá verificar qual a base legal para àquela esquematização (se as três legislações, se somente o Regimento Interno, etc.). Após cada esquematização, faremos um pequeno COMENTÁRIO. A Legislação aplicada EBSERH é extremamente complexa e trata de diversos assuntos como Direito Administrativo, Contabilidade, Administração Pública, entre outras disciplinas. Porém, você NÃO PRECISA ter conhecimentos aprofundados sobre esses temas. Por isso, os comentários serão sempre SIMPLIFICADOS, apenas para que você possa ENTENDER e, por conseguinte MEMORIZAR os diversos dispositivos legais. Após os comentários você ainda terá acesso a uma série de QUESTÕES cobradas em certame anteriores. Abaixo o cronograma de nossas aulas: Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4 ASSUNTO Aspectos Gerais da Legislação EBSERH Estrutura de Governança da EBSERH - Órgãos de Administração Estrutura de Governança da EBSERH - Órgãos de Fiscalização e Comissões Assuntos exclusivos do Regimento Interno - Organização Interna, Assessorias vinculadas à Presidência, Diretorias e Colegiados Executivos.

3 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 3 INTRODUÇÃO Antes de tratarmos das legislações em si, abordarei um pouco sobre o contexto de criação da EBSERH. Os Hospitais Universitários de nosso país, por muitos anos, estiveram (e alguns ainda estão) em uma situação de completo caos administrativo: falta de pessoal, infraestrutura precária, falta de materiais básicos, etc. Resultado: população sem o atendimento à saúde necessário e estudantes sem condições mínimas para realizarem suas atividades. Nesse contexto de precariedade, em 2010, o Governo Federal instituiu o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Federais (REHUF), mediante Decreto 7.802/2010, o qual tem como objetivo criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam desempenhar plenamente suas funções em relação às dimensões de ensino, pesquisa e extensão e à dimensão da assistência à saúde. Em 2011, então, através da Lei /2011, foi autorizada a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), a qual tem como objetivo justamente o GERENCIAMENTO dos HU s, ou seja, a empresa integra um conjunto de ações empreendidas pelo Governo Federal no sentido de recuperar os Hospitais Universitários espalhados pelo país. É importante ressaltarmos, entretanto, que a adesão ao projeto da EBSERH pelas Instituições de Ensino Superior não é obrigatória. Isso se dá pelo fato das Universidades serem dotadas de autonomia universitária (prevista na constituição federal). Porém, o que temos visto é um GRANDE número de instituições acreditando nesse novo modelo de gestão e esperamos que nos próximos anos muitas outras venham a aderir ao projeto da EBSERH. Mais adesões geram novos concursos, então, vamos ao que interessa, ao estudo da Legislação Aplicada à EBSERH!

4 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 4 ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DA CRIAÇÃO EBSERH E ALGUMAS DE SUAS CARACTERÍSTICAS ESQUEMATIZAÇÃO: BASE LEGAL LEI /2011 PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Fica o Poder Executivo autorizado a criar EMPRESA PÚBLICA UNIPESSOAL, na FORMA DEFINIDA: o no inciso II do art. 5 o do Decreto-Lei n o 200, de 25 de fevereiro de 1967, e EMPRESA PÚBLICA: Entidade dotada de personalidade jurídica de DIREITO PRIVADO, com patrimônio próprio e capital exclusivo da União, criado por lei para a exploração de atividade econômica o que o Governo seja levado a exercer: por força de contingência ou de conveniência administrativa podendo revestir-se de qualquer das formas admitidas em direito o no art. 5 o do Decreto-Lei n o 900, de 29 de setembro de 1969, DENOMINADAEMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES EBSERH:

5 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 5 Note que a Lei /11 AUTORIZOU a criação da EBSERH (verifique que a Lei não CRIOU a EBSERH, apenas AUTORIZOU sua criação, ok?). ESQUEMATIZAÇÃO: BASE LEGAL Lei /2011, Decreto 7.661/11 e REGIMENTO INTERNO. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH trata-se de uma EMPRESA PÚBLICA com as seguintes características Personalidade jurídica de DIREITO PRIVADO PATRIMÔNIO PRÓPRIO Vinculada ao MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, Com prazo de duração INDETERMINADO. ESQUEMATIZAÇÃO: BASE LEGAL Decreto 7.661/11 A EBSERH, no exercício de suas atividades Deverá estar ORIENTADA pelas POLÍTICAS ACADÊMICAS Estabelecidas no âmbito das instituições de ensino com as quais estabelecer contrato de prestação de serviços

6 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 6 ESQUEMATIZAÇÃO: BASE LEGAL Lei /2011, Decreto 7.661/11 No desenvolvimento de suas ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE, A EBSERH observará as orientações da POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE, de responsabilidade do MINISTÉRIO DA SAÚDE COMENTÁRIOS: Já neste primeiro momento, temos uma série de informações importantíssima. Vamos abordar brevemente as características apresentadas, apenas para que você tenha uma pequena base teórica sobre os assuntos. A EBSERH está inserida na Administração Pública INDIRETA e trata-se de uma EMPRESA PÚBLICA, ou seja, uma pessoa jurídica que é autorizada por lei a prestar serviços de interesse coletivo e que tem seu capital 100% PÚBLICO (não há participação da iniciativa privada no capital da EBSERH). Uma empresa pública pode ser unipessoal ou pluripessoal. A empresa é UNIPESSOAL quando 100% do seu capital pertence a apenas um ente da federação, no caso da EBSERH, este ente trata-se da União (veremos mais detalhes ao longo da aula). Como consequência de se tratar de uma empresa pública, o prazo de duração da EBSERH é INDETERMINADO. A criação da EBSERH ocorreu mediante uma AUTORIZAÇÃO LEGISLATIVA, certo? (Volte ao primeiro esquema da aula para

7 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 7 relembrar). A empresa só seria extinta através de outra AUTORIZAÇÃO LEGISLATIVA. Outro ponto importante de notarmos é que a EBSERH se sujeita ao REGIME JURÍDICO PRÓPRIO DAS EMPRESAS PRIVADAS, inclusive quanto aos direitos e obrigações civis, comerciais, trabalhistas e tributários. Veja que, o fato de ser uma empresa de direito PRIVADO, proporciona à EBSERH maior flexibilidade, agilidade e dinamismo para alcançar seus objetivos, o que seria um pouco mais dificultado caso a empresa fosse de direito público e tivesse que se subordinar aos vários trâmites burocráticos existentes. Outro ponto importante e que merece destaque, é que a EBSERH está VINCULADA ao MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. De primeiro momento, você poderia achar estranho, já que a EBSERH tem como responsabilidade a gestão dos Hospitais Universitários, sendo mais lógico estar subordinada ao Ministério da Saúde. Porém pense bem, esses Hospitais Universitários fazem parte da estrutura das Instituições Federais de Ensino, certo? Torna-se lógico, desta forma, que a EBSERH esteja vinculada ao Ministério da Educação. Perceba também que a EBSERH é VINCULADA (e não subordinada) ao MEC. A EBSERH não recebe ordens diretas do MEC, o qual tem como função apenas fiscalizar se as finalidades da EBSERH estão sendo cumpridas ou não. E quais são as finalidades da EBSERH? Resumidamente: 1) Prestação de serviços de assistência à saúde 2) Prestação de serviços de apoio ao ensino, pesquisa, extensão e formação de pessoas no campo da saúde pública Mais à frente, veremos detalhes sobre as finalidades da EBSERH (seu objeto social). Note também que, embora a EBSERH esteja vinculada ao MEC, no desenvolvimento de suas atividades de ASSISTÊNCIA À SAÚDE, deverá observar as orientações da política nacional de saúde, de responsabilidade do MINISTÉRIO DA SAÚDE Caro, a pequena teoria apresentada é importante para que você tenha base suficiente para conseguir ENTENDER e, por conseguinte MEMORIZAR as características da EBSERH.

8 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 8 As principais características da empresa estão sintetizadas na tabela abaixo: Empresa Características da EBSERH PÚBLICA UNIPESSOAL Personalidade Jurídica Sob Supervisão / Vinculada No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde Patrimônio Prazo de Duração DIREITO PRIVADO Ao Ministério da EDUCAÇÃO Observará as orientações da política nacional de saúde, de responsabilidade do MINISTÉRIO DA SAÚDE Próprio Indeterminado NÃO confunda! Conforme dissemos, a EBSERH está sob responsabilidade/vinculada ao MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, porém, no desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, observará as orientações da Política Nacional de Saúde, de responsabilidade do MINISTÉRIO DA SAÚDE. COMO AS BANCAS ABORDARAM: Querido aluno, as bancas IBFC, AOCP e IADES nos concurso que realizaram para o HU-UFMA/MA, HUCAM/ES, HU-UFGD/MS e HU-UFTM, cobraram em suas questões que o candidato tivesse conhecimento de apenas uma característica da empresa. Veja nas questões retratadas abaixo: 1) IBFC EBSERH HU/UFMA 2013 Nível Superior. O prazo de duração da EBSERH é: a) Indeterminado b) De dois anos c) De quatro anos

9 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 9 d) De 10 anos e) De 8 anos 2) AOCP HU-UFGD/MS Nível Superior. A EBSERH é uma empresa pública unipessoal, vinculada ao: a) Ministério da Defesa. b) Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação c) Ministério da Educação d) Ministério da Previdência Social. e) Ministério da Saúde 3) IADES HU-UFTM 2013 Assistente Administrativo. Segundo seu Estatuto Social, a EBSERH está sob responsabilidade: a) Do Ministro de Estado da Saúde, em assuntos relacionados aos serviços de apoio ao processo de gestão dos hospitais universitários e federais, e a outras instituições públicas congêneres. b) Da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior ANDIFES, nos aspectos da implementação de residência médica ou multiprofissional e em área profissional da saúde. c) Direta do Gabinete da Presidência da República, em relação às dotações que lhe forem consignadas no orçamento da União. d) Do Ministro de Estado da Educação, com competência de sua supervisão. e) Do Ministro de Estado da Fazenda, como representante do Tesouro Nacional, nos aspectos contemplados no relatório anual da administração e nas demonstrações financeiras do exercício social. 4) AOCP HUCAM/ES Nível Superior. Assinale a alternativa correta. No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, a EBSERH observará: a) As orientações da Política Nacional de Saúde, de responsabilidade do Ministério da Saúde. b) As orientações do SUS, de responsabilidade do Ministério da Saúde. c) As orientações do SUS, de responsabilidade do Secretário de Saúde.

10 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 10 d) As orientações da Política Nacional de Saúde, de responsabilidade do Secretário de Saúde. e) As orientações da Política Nacional de Saúde, sob a responsabilidade do SUS Já no concurso que realizou para o HUSM-UFSM, a AOCP cobrou que o candidato tivesse conhecimento de várias das características da empresa. Veja a questão abaixo: 5) AOCP - HUSM-UFSM Nível Superior (Adaptada). Sobre a EBSERH, assinale a alternativa INCORRETA. a) EBSERH, empresa pública dotada de personalidade jurídica de direito privado e patrimônio próprio. b) A EBSERH fica sujeita à supervisão do Ministro de Estado da Educação. c) O prazo de duração da EBSERH será determinado de acordo com os contratos por ela celebrados. d) No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, EBSERH observará as diretrizes e políticas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. A IADES em diversos concursos também cobrou que o candidato tivesse conhecimento de várias características da empresa. Veja as questões abaixo: 6) IADES EBSEH UFTM 2013 Técnico em Enfermagem. A Lei Federal no /2011 dispõe que, quanto à sua natureza jurídica, a EBSERH é um (a) a) autarquia, com personalidade jurídica de direito público. b) sociedade de economia mista unipessoal, com personalidade jurídica de direito privado. c) empresa pública, com personalidade jurídica de direito público. d) órgão público vinculado ao Ministério da Educação. e) empresa pública, sujeita ao regime jurídico próprio das empresas privadas. 7) IADES EBSERH 2012 Nível Superior. A Lei no , de 15 de dezembro de 2011 autorizou o Poder Executivo a criar a Empresa Brasileira de Serviços

11 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 11 Hospitalares EBSERH. A EBSERH é uma empresa unipessoal, com personalidade jurídica de direito, vinculada ao Ministério da. Assinale a alternativa que apresenta os termos que completam as lacunas, na ordem em que aparecem. a) pública, privado, Educação. b) privada, privado, Educação. c) pública, público, Educação. d) pública, privado, Saúde. e) privada, público, Saúde. 8) IADES EBSERH 2012 Nível Médio. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei nos de 15 dezembros de 2011 é uma empresa unipessoal, vinculada ao Ministério. Assinale a alternativa que apresenta os termos que completam as lacunas, na ordem em que aparecem. a) pública, da Educação. b) privada, da Educação. c) pública, da Saúde. d) privada, da Saúde. e) privada, do Planejamento, Orçamento e Gestão GABARITO 1- A 2- C 3 D 4 - A 5 - C 6 E 7 - A 8 - A

12 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 12 ASSUNTO: Sede e Foro da EBSERH e suas Subsidiárias, Filiais e Unidades Descentralizadas. ESQUEMATIZAÇÃO:BASE LEGAL Lei /2011, Decreto 7.661/11 A EBSERH Terá SEDE e FORO em Brasília, Distrito Federal Tem atuação em todo o território nacional, Poderá manter Filiais e Escritórios, Representações, Dependências Sucursais Subsidiárias Em outras unidades da Federação (todo o país) Previstos apenas no texto do Estatuto da EBSERH COMENTÁRIO: Note que a EBSERH pode manter escritórios, representações, dependências e filiais em outras unidades da Federação. Isso não é um dever da empresa, é facultado. Cuidado com o verbo usado pela banca, ok? ESQUEMATIZAÇÃO:BASE LEGAL Regimento Interno As definições abaixo foram incluídas na nova versão do Regimento Interno da EBSERH, de 01/04/2014. Leia atentamente as esquematizações seguintes: SEDE O que é? É um conjunto das unidades integrantes da administração central da Ebserh, Quais são as competências prioritárias? A articulação, a coordenação, o monitoramento, a avaliação, o planejamento e a gestão das finalidades da empresa;

13 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 13 FILIAIS O que são? Conjunto de unidades descentralizadas da Ebserh, constituído pelos hospitais universitários federais Quais são as competências prioritárias? Apoio e prestação direta da atenção à saúde, bem como a integração respectiva ao ensino e à pesquisa; Entenda, as FILIAIS da EBSERH são constituídas pelos HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS que ela gerencie. UNIDADES DESCENTRALIZADAS Unidades ou conjuntos de unidades descentralizadas da Ebserh, na forma de: escritórios, representações ou subsidiárias

14 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 14 ESQUEMATIZAÇÃO:BASE LEGAL Lei /2011, Decreto 7.661/11 Fica a EBSERHAUTORIZADA A criar SUBSIDIÁRIAS para o desenvolvimento de atividades inerentes ao seu objeto social, com as mesmas características da EBSERH, COMENTÁRIOS: Vemos que a EBSERH é autorizada a criar subsidiária. Mas o que são subsidiárias? Subsidiárias são subdivisões, de pessoa jurídica própria, que se encarregam de tarefas específicas da empresa. Temos por exemplo a TRANSPETRO que é uma subsidiária da PETROBRÁS. Perceba: a Transpetro é uma pessoa jurídica própria e que se encarrega de uma tarefa específica da Petrobrás, no caso, o transporte e armazenamento de petróleo. No âmbito da EBSERH, quando criadas, as subsidiárias devem ter as mesmas características da EBSERH e têm como missão o desenvolvimento de atividades inerentes ao objeto social da EBSERH. Definiremos o objeto social da empresa nos comentários à frente, ok? COMO AS BANCAS ABORDARAM: No geral, as bancas inserem as afirmações referentes a este conteúdo como alternativas de questões que abrangem diversos temas. Por isso, para fins didáticos, apresentaremos abaixo uma coletânea de alternativas presentes em uma série questões de provas. 9) Julgue as afirmações como Verdadeiras ou Falsas

15 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 15 I. A EBSERH tem sede e foro no Rio de Janeiro e atuação em todo o território nacional, podendo criar subsidiárias, sucursais, filiais ou escritórios e representações no país II. A EBSERH tem sede e foro em Brasília, Distrito Federal, e atuação em todo o território nacional, podendo criar subsidiárias, sucursais, filiais ou escritórios e representações no país III. No desenvolvimento de suas atividades de assistência à saúde, a EBSERH observará a proibição de criação de subsidiárias para o desenvolvimento de atividades inerentes ao seu objeto social IV. A EBSERH é autorizada a criar subsidiárias para o desenvolvimento de atividades inerentes ao seu objeto social. GABARITO QUESÃO 9 I F II - V III - F IV - V ASSUNTO: Capital Social ESQUEMATIZAÇÕES:BASE LEGAL Lei /2011 e Decreto 7.661/11 O CAPITAL SOCIAL da EBSERH É de R$ ,00 (cinco milhões de reais) - INTEGRALMENTE SOB A PROPRIEDADE DA UNIÃO. - A ser INTEGRALIZADO pela União. O capital social da EBSERH poderá ser AUMENTADO e INTEGRALIZADO: o Com recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da União, e o Pela incorporação de qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro.

16 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 16 COMENTÁRIOS: O Capital Social de uma empresa, de maneira simplificada, é o montante (valor) necessário para que ela se constitua e inicie suas atividades. Esse valor, no caso da EBSERH, é de R$ ,00 (cinco milhões de reais) e está INTEGRALMENTE sob a propriedade da União. Ou seja, o valor total do Capital Social da EBSERH é de propriedade da União. Isso te lembra de algo? Logo no início de nossa aula, vimos que a EBSERH trata-se de uma empresa UNIPESSOAL, logo, 100% do seu capital deve pertencer a apenas um ente da federação, no caso, este ente é a UNIÃO. Esses cinco milhões de reais não necessariamente precisam ser inseridos no capital social da EBSERH de uma só vez. Ele pode ser integralizado aos poucos até chegar a esse valor. Tanto essa integralização quanto o aumento (para mais de cinco milhões) podem ser realizados de duas formas: recursos diretos da União ou incorporação de direitos e bens, por exemplo, imóveis, equipamentos, etc. COMO AS BANCAS ABORDARAM: Verifique abaixo questões de concursos anteriores que cobraram exclusivamente o tema que acabamos de tratar: 10) IADES EBSERH 2013 Nível Superior. O decreto 7.661, de 28 de dezembro de 2011, aprova o Estatuto Social da EBSERH, constituindo o capital social inicial em R$ 5 milhões, a ser integralizado: a) Pelos recursos provenientes do orçamento anual do SUS Sistema Único de Saúde b) Pelo ativo imobilizado dos hospitais universitários que compõe a rede de atendimento em saúde c) Pelo Fundo Nacional de Apoio à Saúde (FNAS) d) Pela União e) Por cotas divididas entre União, os Estados e os Municípios da Federação. 11) AOCP - HU-UFS Nível Médio. O capital social da EBSERH, integralmente sob a propriedade da União, é de

17 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 17 a) R$ ,00 (quinze milhões de reais). b) R$ ,00 (dez milhões de reais). c) R$ ,00 (cinco milhões de reais). d) R$ ,00 (dois milhões de reais). e) R$ ,00 (um milhão de reais). 12) AOCP HUSM-UFSM Nível Médio. Preencha as lacunas e assinale a alternativa correta: O Capital Social da EBSERH é de integralmente sob a propriedade a) Dois milhões de reais / dos Estados b) Cinco milhões de reais / da União c) Oito milhões de reais / dos Estados d) Dez milhões de reais / da União e) Quinze milhões de reais / da União Também é comum que as bancas insiram afirmações sobre esse tema como alternativas de questões que abrangem diversos temas. Por isso, para fins didáticos, mais uma vez, apresentaremos abaixo alternativas presentes em questões de provas. 13) Julgue as afirmações abaixo como Verdadeiras ou Falsas: I) A integralização do capital social da EBSERH será realizada com recursos oriundos de dotações consignadas no orçamento da União, bem como pela incorporação de qualquer espécie de bens e direitos suscetíveis de avaliação em dinheiro. II) A EBSERH terá seu capital social integralmente sob a propriedade da União GABARITO 10 - D 11 C 12 B 13. I V; II - V

18 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 18 ASSUNTO: Finalidade (Objeto social) da EBSERH. ESQUEMATIZAÇÃO:BASE LEGAL Lei /2011, Decreto 7.661/11 e R.I. A EBSERH terá por FINALIDADE. 1) a prestação de SERVIÇOS GRATUITOS de assistência: o médico-hospitalar, o ambulatorial e o de apoio diagnóstico e terapêutico Inseridas INTEGRAL e EXCLUSIVAMENTE no âmbito do SUS. 2) A prestação de serviços de apoio: ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública - Às instituições públicas federais de ensino ou - As instituições CONGÊNERES Observada, nos termos do art. 207 da Constituição Federal, a AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA COMENTÁRIO: Querido aluno, perceba que a EBSERH foi criada com duas finalidades: 1) A PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE 2) O Apoio ao ensino, pesquisa e extensão e à formação de pessoas no campo da saúde pública

19 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 19 Agora já sabemos quais são as finalidades da EBSERH, porém, COMO a EBSERH conseguirá executar essas finalidades? Essa resposta foi dada pela nova versão do Regimento Interno da EBSERH. Veja a esquematização abaixo ESQUEMATIZAÇÃO: BASE LEGAL REGIMENTO INTERNO PARA A EXECUÇÃO DE SUAS FINALIDADES A EBSERH DEVERÁ 1) Planejar, implantar, coordenar, monitorar, avaliar e criar condições para aperfeiçoar continuamente a AUTO-ADMINISTRAÇÃO, em um SISTEMA UNIFICADO entre: - A sede, - as filiais e - outras unidades descentralizadas e a Prestação de serviços de atenção à saúde da População Integralmente disponibilizados ao SUS, por meio dessas filiais e unidades descentralizadas; 2) Criar condições para aperfeiçoamento da realização e desenvolvimento dos PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA EM TODOS OS CAMPOS DA SAÚDE, Particularmente nas especialidades e regiões estratégicas para o trabalho e o desenvolvimento do SUS, em função das necessidades da população;

20 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 20 3) Criar, juntamente com as Universidades, condições de apoio para o aperfeiçoamento: do Ensino e da Produção De conhecimento em pesquisas básicas, clínicas, tecnológicas ou aplicadas, Nos hospitais universitários federais e Em unidades descentralizadas da Ebserh, De acordo com as diretrizes do Poder Executivo e Em conformidade com as atribuições de outros órgãos dos sistemas universitário e de saúde; 4) Integrar, articular e OTIMIZAR os processos de: Atenção à saúde e Gestão dos hospitais universitários federais e instituições públicas congêneres, Por meio de um SISTEMA DE INFORMAÇÃO, monitoramento, avaliação e aperfeiçoamento UNIFICADO das instituições de ensino superior Em função das necessidades, condições e possibilidades regionais e institucionais; 5) Exercer outras atividades inerentes às suas finalidades, nos termos da Lei nº , de 15 de dezembro de 2011, do seu Estatuto Social e deste Regimento.

21 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 21 COMENTÁRIOS: Querido aluno, vimos nas esquematizações acima: A definição das FINALIDADES da EBSERH, ou seja, de seu OBJETO SOCIAL e O que a EBSERH deverá fazer para conseguir executar essas finalidades (inserido na nova versão do Regimento Interno da EBSERH) O primeiro ponto que merece destaque é que a prestação de serviços por esta empresa será inserida INTEGRAL e EXCLUSIVAMENTE no âmbito do SUS. Outro ponto que merece atenção diz respeito à Autonomia Universitária que deverá ser observada pela EBSERH.A Universidade, de acordo com a Constituição Federal, tem autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, ou seja, não sofre interferência do Estado para estes assuntos. O último destaque que daremos refere-se às Instituições Congêneres (instituições de MESMO GÊNERO). As bancas de concurso têm mostrado predileção por cobrar a definição de tais instituições. Sendo assim, vejamos a definição abaixo: Instituições congêneres: Instituições públicas que desenvolvem atividades de ensino e de pesquisa na área da saúde e que prestem serviços no âmbito do SUS. INSTITUIÇÕES CONGÊNRES Instituições Públicas Desenvolvem atividades de ENSINO e PESQUISA Presentam serviços no âmbito do SUS

22 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 22 COMO AS BANCAS ABORDARAM: Verifique abaixo algumas questões de concursos anteriores que cobraram os temas que acabamos de abordar: 14) IADES EBSEH UFTM Nível Médio - Assinale a alternativa que contempla todos os serviços a serem prestados, de forma gratuita, à comunidade pela EBSERH, listados na lei que autorizou sua criação. a) Assistência médico-hospitalar e ambulatorial. b) Assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio terapêutico. c) Assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico. d) Assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico. e) Assistência médico-ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico. 15) AOCP - HU-UFS Nível Superior. Preencha as lacunas e assinale a alternativa correta. As instituições congêneres, conforme a Lei /2011, são instituições que desenvolvam atividades de na área da saúde e que prestem serviços no âmbito. a) Públicas / assistência / do Sistema Único de Saúde SUS b) Privadas / ensino e de pesquisa / da rede hospitalar privada c) Públicas / ensino e de pesquisa / do Sistema Único de Saúde SUS d) Públicas ou privadas / ensino e de pesquisa / da rede hospitalar privada e) Públicas ou privadas / ensino e de pesquisa / do Sistema Único de Saúde SUS

23 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 23 GABARITO 14 - D 15 C ASSUNTO: Ressarcimento de despesas com atendimento de consumidores de Planos Privados de Saúde ESQUEMATIZAÇÕES:BASE LEGAL Lei /11 É ASSEGURADO à EBSERH o RESSARCIMENTO das despesas como atendimento de consumidores e respectivos dependentes de PLANOS PRIVADOS de assistência à saúde o Na forma estabelecida pelo art. 32 da Lei n o 9.656, de 3 de junho de 1998, Serão ressarcidos pelas operadoras dos planos de saúde, os serviços de atendimento à saúde previstos nos respectivos contratos, prestados a seus consumidores e respectivos dependentes, em instituições públicas ou privadas, conveniadas ou contratadas, integrantes do SUS o Observados os valores de referência estabelecidos pela ANS COMENTÁRIOS: Ora, nada mais justo do que as Seguradoras dos Planos Privados de Saúde ressarcirem a EBSERH das despesas que seus consumidores tiveram nos Hospitais Universitários geridos pela empresa, certo? Logo, é ASSEGURADO esse ressarcimento à EBSERH. Para que haja o ressarcimento, é necessário que existam valores definidos para cada tipo de procedimento hospitalar. Caso contrário, seria impossível estimar os gastos de cada consumidor. Esses valores de referência são

24 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 24 estabelecidos pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), agência reguladora responsável pela fiscalização dos planos privados de saúde. COMO AS BANCAS ABORDARAM: Verifique abaixo como a banca AOCP, no concurso que realizou para o HUCAM/ES, para os cargos de nível médio, cobrou esse assunto: 16) HUCAM-EBSERH - AOCP Nível Médio -Em relação ao atendimento de consumidores e respectivos dependentes de planos privados de assistência à saúde pela EBSERH, assinale a alternativa correta. a) Não será permitido o ressarcimento das despesas. b) É assegurado o ressarcimento das despesas. c) Será permitido o ressarcimento parcial das despesas. d) Não será permitido o ressarcimento, mesmo com a autorização do gestor do plano de saúde. e) Será permitida a recomposição das despesas, desde que autorizada pelo titular do plano de saúde. GABARITO 16 B ASSUNTO: Competências da EBSERH ESQUEMATIZAÇÕES:BASE LEGAL Lei /11 e Decreto 7.661/201

25 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 25 Compete à EBSERH 1) ADMINISTRAR unidades hospitalares, bem como PRESTAR SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA: o o o médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, no âmbito do SUS; 2) PRESTAR: - às instituições federais de ensino superior e a - outras instituições congêneres, SERVIÇOS DE APOIO: ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensino-aprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, mediante as condições que forem fixadas em seu estatuto social; 3) APOIAR a execução de PLANOS DE ENSINO e PESQUISA de instituições federais de ensino superior e de outras instituições congêneres, cuja vinculação com o campo da saúde pública ou com outros aspectos da sua atividade torne necessária essa cooperação, em especial: Na IMPLEMENTAÇÃO das residências médica, multiprofissional e Em área profissional da saúde, nas especialidades e regiões estratégicas para o SUS; 4) Prestar serviços de apoio à geração do conhecimento em PESQUISAS: básicas, nos HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS e clínicas e a outras instituições congêneres; aplicadas 5) Prestar SERVIÇOS DE APOIO ao PROCESSO DE GESTÃO dos hospitais universitários e federais e a outras instituições congêneres, Com implementação de SISTEMA DE GESTÃO ÚNICO com geração de indicadores quantitativos e qualitativos para o estabelecimento de metas; 6) Exercer outras atividades inerentes às suas finalidades, nos termos do seu estatuto social.

26 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 26 COMENTÁRIOS: Querido aluno (a), são várias as questões que exigem que o candidato tenha conhecimento das competências da EBSERH. Leia com muita atenção a esquematização acima. A EBSERH exercerá atividades relacionadas com suas finalidades, competindo-lhe, particularmente as 5 competências relacionadas no esquema acima. COMO AS BANCAS ABORADARAM: No geral, as questões apresentam uma série de alternativas e solicitam que o candidato assinale aquela que NÃO representa uma das competências da empresa ou apresentam uma série de afirmações e solicitam que o candidato aponte somente aquelas que se encontram corretas. Veja questões relacionadas a esse tema abaixo: 17) IBFC EBSERH 2013 Nível Médio. Considerando a Lei nº , de 15 de dezembro de 2011, analise os itens abaixo acerca das competências da EBSERH e a seguir assinale a alternativa correta: I. Administrar unidades hospitalares, bem como prestar serviços de assistência médico-hospitalar, ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, no âmbito do SUS. II. Prestar às instituições federais de ensino superior e a outras instituições congêneres serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensinoaprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, mediante as condições que forem fixadas em seu estatuto social. III. Apoiar a execução de planos de ensino e pesquisa de instituições federais de ensino superior e de outras instituições congêneres, cuja vinculação com o campo da saúde pública ou com outros aspectos da sua atividade torne necessária essa cooperação, em especial na implementação das residências médicas, multiprofissional e em área profissional da saúde, nas especialidades e regiões estratégicas para o SUS. a) Apenas III é correto.

27 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 27 b) Apenas I e III são corretos c) Apenas II é correto. d) I, II e III são corretos 18) IBFC EBSERH HU/UFMA 2013 Nível Superior - Entre as competências da EBSERH não se inclui: a) Prestar às instituições federais de ensino superior e as outras instituições congêneres serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensinoaprendizagem e à formação de pessoas no campo da saúde pública, mediante as condições que forem fixada em seu estatuto social. b) Apoiar a execução dos planos de ensino e pesquisa de instituições federais de ensino superior e de outras instituições congêneres, cuja vinculação com o campo da saúde pública ou com outros aspectos da sua atividade torne necessária essa cooperação, em especial na implementação das residências médicas, multiprofissional e em área profissional da saúde, nas especialidades e regiões estratégicas para o SUS. c) Prestar serviços de apoio à geração do conhecimento em pesquisas básicas, clínicas e aplicadas nos hospitais universitários federais e a outras instituições congêneres. d) Prestar serviços de apoio ao processo de gestão dos hospitais universitários federais e a outras instituições congêneres, com implementação de sistemas de gestão único com geração de indicadores quantitativos e qualitativos para o estabelecimento de metas. e) Propor as diretrizes da Política Nacional de Residência Médica 19) IADES EBSERH 2013 Assistente Administrativo. Assinale a alternativa que não constitui uma atividade relacionada a EBSERH de acordo com suas finalidades: a) Indicar os gestores de cada Unidade Hospitalar sobre sua jurisdição, com base em uma lista de candidatos potenciais, apresentadas pelo SUS. b) Prestar serviços de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão, ao ensinoaprendizagem e a formação de pessoas no campo da saúde pública. c) Apoiar a execução de residência médica ou multiprofissional, em área profissional da saúde, em especialidades e regiões estratégicas para o SUS.

28 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 28 d) Apoiar a geração de conhecimento em pesquisas básicas, clínicas e aplicadas, nos hospitais universitários federais e a outras instituições públicas congêneres. e) Apoiar o processo de gestão dos hospitais universitários e federais e a outras instituições públicas congêneres, particularmente em relação aos indicadores qualitativos e quantitativos para o estabelecimento de metas. GABARITO 17- D 18 E 19 A

29 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 29 ASSUNTO: Dispensa de Licitação para contratação da EBSERH ESQUEMATIZAÇÕES:BASE LEGAL Lei /11 É DISPENSADA A LICITAÇÃO para a contratação da EBSERH pela ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Para realizar atividades relacionadas ao seu objeto social. COMENTÁRIO: Caro colega, para que a Administração Pública, no caso as Instituições de Ensino Superior ou Instituições Congêneres, contrate a EBSERH para realizar as atividades relacionadas ao seu objeto social, a licitação é DISPENSADA (não ocorre licitação). Porém, não se confunda, nos Hospitais Universitários geridos pela EBSERH deverá existir licitação para a compra de materiais ou contratação de serviços, ok LICITAÇÃO é o procedimento administrativo formal para a aquisição de produtos ou para a contratação de serviços na Administração Pública, na qual é escolhida a proposta MAIS VANTAJOSA. Exemplo SIMPLIFICADO: A Universidade Federal de Minas Gerais deseja adquirir 100 canetas. Para isso, um processo de licitação será aberto e um Edital com todas as informações sobre as canetas (cor, calibre, etc.) e sobre a aquisição em si (prazo de entrega, local de entrega, valor estimado, etc.) será divulgado. As empresas que se interessarem para realizar o fornecimento darão seus lances, sendo que, a empresa que der o menor lance (proposta mais vantajosa para a Administração), será a vencedora da licitação e fornecerá as canetas para a Universidade. Caro colega, um procedimento de licitação é infinitamente mais complexo do que este exemplo. Simplificamos, apenas para que fique o mais didático possível. Para a contratação da EBSERH, NÃO é necessário que se realize esse procedimento de licitação, ou seja, a licitação é DISPENSADA.CUIDADO! Para te confundir, as bancas poderão colocar nas alternativas das questões nomes de diversas modalidades de licitação, como concorrência, tomada de preços, convite, etc. Não tenha medo. A questão correta será a que se referir a DISPENSA.

30 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 30 COMO AS BANCAS ABORDARAM: Prezado aluno, veja abaixo como a banca AOCP, no concurso que realizou para o HUCAM/ES, para os cargos de nível médio, abordou esse assunto. Verifique que, para te confundir, foi inseridas nas alternativas uma série de modalidades de licitações. 20) HUCAM-EBSERH - AOCP Nível Superior. A contratação da EBSERH pela administração pública para realizar atividades relacionadas ao seu objeto social, será : a) Inexigível. b) Dispensada. c) Precedida de licitação na modalidade convite. d) Através de concorrência. e) Através de tomada de preços É comum também que as bancas insiram afirmações referentes a estes parágrafos como alternativas de questões que abrangem diversos temas. Para fins didáticos, seguem abaixo algumas alternativas presentes em questões de provas. 21) Julgue as alternativas abaixo como Verdadeiro ou Falso: I) A contratação da EBSERH pela administração pública para realizar atividades relacionadas ao seu objeto social ocorre através de procedimento licitatório. II) É dispensada a licitação para a contratação da EBSERH pela administração pública para realizar atividades relacionadas ao seu objeto social. GABARITO 20- B 21. I F; II- V

31 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 31 ASSUNTO: CONTRATOS ESQUEMATIZAÇÃO:BASE LEGAL Lei /11 e Decreto 7.661/11 A EBSERH, respeitado o princípio da autonomia universitária, poderá prestar os serviços relacionados às suas competências mediante CONTRATO: Com as INSTITUIÇÕES FEDERAISDE ENSINO Com as INSTITUIÇÕES CONGÊNERES PROPOSTO pela Diretoria Executiva O Contrato será Aprovado pelo Conselho de Administração

32 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 32 O CONTRATO estabelecerá, entre outras: 1) As obrigações dos signatários; 2) As metas de desempenho, indicadores e prazos de execução a serem observados pelas partes; 3) A respectiva sistemática de acompanhamento e avaliação, contendo critérios e parâmetros a serem aplicados; e 4) A previsão de que a avaliação de resultados obtidos, no cumprimento de metas de desempenho e observância de prazos pelas unidades da EBSERH, será usada para: O aprimoramento de pessoal e Melhorias estratégicas na atuação perante a população e as instituições federais de ensino ou instituições congêneres Visando ao melhor aproveitamento dos recursos destinados à EBSERH 5) Mecanismos de controle social previsto apenas no Regimento Interno Ao contrato firmado será dada AMPLA DIVULGAÇÃO por intermédio dos sítios da EBSERH e da entidade contratante na internet. Ficam as instituições públicas federais de ensino e instituições congêneres, no âmbito e durante a vigência do CONTRATO, autorizadas a CEDER à EBSERH, BENS E DIREITOS NECESSÁRIOS À EXECUÇÃO DESTE CONTRATO. Obs.: Ao término do contrato, os bens serão devolvidos à Instituição cedente

33 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 33. A partir da assinatura do contrato entre a EBSERH e a INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR A EBSERH disporá de prazo de até 1 (um) ano para REATIVAÇÃO DE LEITOS E SERVIÇO INATIVOS POR FALTA DE PESSOAL. COMENTÁRIOS: Prezado aluno, as Instituições de Ensino, por serem dotadas da AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA (que já discutimos), NÃO são obrigadas a aderirem à EBSERH. A decisão de aderir ou não só é tomada após longas discussões entre toda comunidade acadêmica. Se for decidido pela ADESÃO, para que esta seja formalizada, deve ocorrer a elaboração de um contrato específico para este fim, pactuado entre a EBSERH e cada uma das instituições de ensino ou congêneres. A EBSERH prestará os serviços relacionados às suas competências mediante CONTRATO com as instituições federais de ensino ou instituições públicas congêneres Os contratos estabelecerão uma série de assuntos, que podem ser verificados nos esquemas acima. Durante a vigência dos contratos, as instituições são AUTORIZADAS a ceder à EBSERH direitos e bens (como equipamentos do hospital, imóveis, etc.) que sejam necessários para a execução deste contrato. Veja que as instituições são AUTORIZADAS e não obrigadas, ok? Ou seja, ela pode ou não realizar essa cessão.

34 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 34 COMO AS BANCAS COBRARAM: No geral, as bancas inserem as afirmações referentes a estes parágrafos como alternativas de questões que abrangem diversos temas. Por isso, para fins didáticos, apresentaremos abaixo algumas alternativas presentes em questões de provas. 22) Julgue as alternativas abaixo como Verdadeiro ou Falso: I) As instituições públicas federais de ensino e as instituições congêneres, no âmbito e durante a vigência do contrato, ficam autorizadas a ceder à EBSERH, os bens e direitos necessários à sua execução. II) Ao término do contrato com a EBSERH, os bens cedidos serão incorporados ao patrimônio da EBSERH. 23) AOCP - HU-UFS Nível Superior. De acordo com o Regimento Interno, o contrato de adesão das instituições federais de ensino ou instituições congêneres com a EBSERH será: a) proposto pelo Presidente e aprovado pelo Conselho de Administração. b) proposto pelo Conselho de Administração e aprovado pelo Presidente. c) proposto pelo Conselho de Administração e aprovado pela Diretoria Executiva. d) proposto pela Diretoria Executiva e aprovado pelo Conselho de Administração. e) proposto pela Diretoria Executiva e aprovado pelo Presidente 24) AOCP - HUSM-UFSM Nível Médio. A partir da assinatura do contrato entre a EBSERH e a instituição de ensino superior, a EBSERH procederá à reativação de leitos e serviços inativos por falta de pessoal e, para isso, disporá do prazo de até a) 04 (quatro) meses. b) 06 (seis) meses. c) 01 (um) ano. d) 02 (dois) anos. e) 04 (quatro) anos

35 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 35 GABARITO 22. I V; II - F 23 D 24 C ASSUNTO: Cessão de Servidores no âmbito dos contratos ESQUEMATIZAÇÕES: BASE LEGAL Lei /2011 NO ÂMBITO DESSES CONTRATOS: Os Servidores titulares de CARGO EFETIVO em exercício na instituição federal de ensino ou instituição congênere que exerçam atividades relacionadas ao objeto da EBSERH. Poderão ser a ela (a EBSERH) CEDIDOS para a realização de atividades de assistência à saúde e administrativas.. Esta cessão ocorrerá COM ÔNUS para a Cedente (Instituição de Ensino) Ficam assegurados a esses servidores os DIREITOS e as VANTAGENS a que façam jus no órgão ou entidade de origem (instituições de ensino ou congêneres). COMENTÁRIOS: Caro colega, os servidores titulares de cargo efetivo (ou seja, os contratados através de CONCURSO PÚBLICO) das Instituições de Ensino Superior que contratarem a EBSERH, podem ser CEDIDOS para a empresa desde que: 1) Exerçam atividades relacionadas à prestação de serviços relacionadas ao objeto da EBSERH e

36 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 36 2) Estejam em exercício na instituição federal de ensino que celebrarem contratos com a EBSERH Quando cedidos, porém, continuarão fazendo jus a seus direitos e vantagens referentes à Instituição Federal de ensino de origem, como por exemplo, sua estabilidade. COMO AS BANCAS ABORDARAM: As bancas inserem as afirmações referentes a este conteúdo como alternativas de questões que abrangem diversos temas. Por isso, para fins didáticos, apresentaremos abaixo algumas alternativas presentes em questões de provas 25) Julgue como Verdadeiro ou Falso: I. No âmbito destes contratos, os servidores titulares de cargo efetivo ou em comissão em exercício na instituição pública federal de ensino ou instituição congênere que exerçam atividades relacionadas ao objeto da EBSERH poderão ser a ela cedidos para a realização de atividades de assistência à saúde e administrativas. II. Aos servidores cedidos ficam assegurados os direitos e as vantagens a que façam jus no órgão ou entidade de origem. GABARITO 25 I. F; II V

37 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 37 ASSUNTO: EXERCÍCIO SOCIAL, DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS E LUCROS ESQUEMATIZAÇÕES: BASE LEGAL DECRETO 7.661/2011 O exercício social da EBSERH coincidirá com o ano civil. A EBSERH levantará demonstrações financeiras e procederá à apuração do resultado em 31 de dezembro de cada exercício. Do resultado do exercício, feita a dedução para atender a prejuízos acumulados e a provisão para imposto sobre a renda: o O Conselho de Administração proporá ao Ministro de Estado da Fazenda a sua destinação Observando a parcela de 5% (cinco por cento) para a constituição da reserva legal, até o limite de 20% (vinte por cento) do capital social. Os prejuízos acumulados devem, preferencialmente, SER DEDUZIDOS DO CAPITAL SOCIAL. COMENTÁRIOS: O Estatuto Social da EBSERH nos trás que seu Exercício Social (espaço de tempo de 12 meses findo o qual as empresas apuram seus resultados financeiros) coincidirá com o ano civil. Assim, o Exercício Social da

38 P r o f a. C a r d o s o e P r o f. W e l l i n g t o n S i l v a P á g i n a 38 EBSERH será de 01 de janeiro a 31 de dezembro de cada ano. Em 31 de dezembro de cada exercício (cada ano) a EBSERH apurará seu resultado financeiro. Desse resultado (valor) deverão ser realizadas as deduções para atendera prejuízos acumulados e ao imposto sobre a renda. A destinação do valor restante (após as deduções) será proposta pelo CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO da EBSERH para o Ministério da Fazenda. Veremos detalhes do Conselho de Administração em nossas próxima aula. Aguarde as cenas do próximo capítulo..rs ATENÇÃO: ESTA AULA É APENAS DEMONSTRATIVA. PARA ADQRUIR O CURSO COMPLETO (R$ 30,00) ENVIE UM PARA.

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH; acrescenta dispositivos ao Decreto-Lei

Leia mais

L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014

L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014 L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014 Dispõe sobre a reestruturação da Loteria do Estado do Pará - LOTERPA e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ estatui e eu sanciono a

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ, FAÇO saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Publicado no D.O de 18.02.2010 DECRETO Nº 42.301 DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 REGULAMENTA O SISTEMA DE SUPRIMENTOS NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 4.986, DE 16 DE MAIO DE 1988. Cria o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas - IMA e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI N o 3.552, DE 16 DE FEVEREIRO DE 1959. Dispõe sobre nova organização escolar e administrativa dos estabelecimentos de ensino industrial do Ministério da Educação e Cultura, e dá outras providências.

Leia mais

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências LEI 7.176/97 DE 10 DE SETEMBRO DE 1997 Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Publicada D.O.E. Em 19.01.99 LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 Dispõe sobre a criação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências.

LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. LEI COMPLEMENTAR Nº 139, DE 25 DE JANEIRO DE 1996. Altera a Lei Complementar n.º 129, de 02 de fevereiro de 1995 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER que

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta.

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta. 1 Texto atualizado apenas para consulta. LEI Nº 3.984, DE 28 DE MAIO DE 2007 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Cria o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal Brasília

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Brasília, 16 de maio de 2012. Ao Conselho Universitário Assunto: Análise e Parecer sobre Proposta de Adesão à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH Introdução Este parecer versa sobre a

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 041/2014

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 041/2014 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 041/2014 Aprova o Estatuto da Fundação Caixa Beneficente dos Servidores da Universidade de Taubaté (Funcabes). O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, na conformidade do Processo nº FUNCABES-

Leia mais

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto Vitória, 22 de junho de 2012 Mensagem nº 150/2012 Senhor Presidente: Encaminho à apreciação dessa Casa de Leis o anexo projeto de lei que propõe a criação de cargos para contratação temporária, Funções

Leia mais

Capítulo I Das Organizações Sociais. Seção I Da Qualificação

Capítulo I Das Organizações Sociais. Seção I Da Qualificação Lei n.º 9.637, de 15 de maio de 1998 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais, a criação do Programa Nacional de Publicização, a extinção dos órgãos e entidades que menciona e

Leia mais

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo LEI Nº 4311, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Dispõe sobre a qualificação de entidades sem fins lucrativos como organizações sociais e adota outras providências O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE,. FAÇO

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS LEI N o 2.014, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013. (Alterado pela Lei nº 2.097 de 19/12/2014). O PREFEITO DE PALMAS Institui a Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas FESP-Palmas e adota outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 Normas para o Estágio 1) Considerando a Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008, que trata de Estágios de Estudantes; 2) Considerando a não existência de resolução geral que normatize

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PROJETO DE LEI N o, DE DE DE 2010 Dispõe sobre a Política Nacional de Economia Solidária, cria o Sistema Nacional de Economia Solidária e o Fundo Nacional de Economia Solidária, e dá outras providências.

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH)

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES (EBSERH) DEFINIÇÃO Pergunta: O que é a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares? Resposta: A Empresa Brasileira de Serviços

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DAS PROPOSTAS PARA REVOGAÇÃO DA LEI 7176/97

QUADRO COMPARATIVO DAS PROPOSTAS PARA REVOGAÇÃO DA LEI 7176/97 QUADRO COMPARATIVO DAS PROPOSTAS PARA REVOGAÇÃO DA LEI 7176/97 PROPOSTA GOVERNO Art. 1º - A Universidade do Estado da Bahia - UNEB, criada pela Lei Delegada n.º 66, de 1º de junho de 1983, a Universidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 12/2011/CONSU Estabelece normas para o relacionamento entre a Universidade Federal de

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 09 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Auditor No que diz respeito às Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público, a Demonstração Contábil cuja apresentação é obrigatória apenas pelas empresas estatais

Leia mais

ESTATUTO CONSTITUTIVO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS

ESTATUTO CONSTITUTIVO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS ESTATUTO CONSTITUTIVO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS Primeira Alteração - Conforme Lei N 1.160, Junho de 2000, Decreto N 1.672, Dezembro de 2002, e Lei N 1478/04 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 Dispõe sobre o afastamento para estudo, congressos, seminários ou reuniões similares de servidor e empregado da Administração Pública Distrital

Leia mais

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO ESTATUTO DA FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA JURÍDICA, SEDE E FORO Artigo 1º - A FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA, cuja instituição foi autorizada pela Lei Complementar nº

Leia mais

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996

DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 DECRETO Nº 17.033, DE 11 DE MARÇO DE 1996 Dispõe sobre a Instituição da Autarquia Estadual, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas - IPAAM, aprova seu Regimento interno e dá outras providências. O

Leia mais

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP)

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Conceitos gerais de gestão pública: princípios e regras da administração pública, processos de licitação, contratos

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS PUBLICADO NO DOMP Nº 756 DE: 08/05/2013 PÁG. 1/4 PREFEITURA DE PALMAS LEI N o 1.966, DE 8 DE MAIO DE 2013. (Alterada pela Lei nº 2.198, de 03/12/2015). (Alterada pela Lei nº 2.097 de. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI

ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI ESTATUTO DO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL - ABDI I - DA DENOMINAÇÃO,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.690, DE 19 DE JULHO DE 2012. Mensagem de veto Dispõe sobre a organização e o funcionamento das Cooperativas de Trabalho;

Leia mais

LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007

LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007 LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007 Autoria: Poder Legislativo Institui e regulamenta o uso do Vale-Transporte no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito do Município de Lucas do Rio Verde,

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011

RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (CONSUNI) N.º 03/2011 Dispõe sobre as normas gerais para a celebração de contratos ou convênios da Universidade

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº XXXX DE XX DE XXXXXX DE 201X ALTERA A LEI Nº 6720, DE 25 DE MARÇO DE 2014, QUE INSTITUI PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Contratação e Contratualização

Contratação e Contratualização Contratação e Contratualização Contratação ato de firmar o instrumento contratual de prestação de serviços. Contratualização processo/conjunto de atos que resultam na contratação de serviços de saúde,

Leia mais

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único:

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único: PROJETO DE LEI N o, DE 2010 (Do Sr. Pedro Chaves) Altera a Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, para regulamentar a EC nº 63/10, instituir o piso salarial profissional nacional, as Diretrizes do Plano

Leia mais

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018)

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) 1. Introdução O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) busca nortear

Leia mais

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL Nº 032, DE 17-02-2004 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP, previsto no art. 15, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal de Cuiabá-MT aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: ^ PREFEITURA DE PROJETO DE LEI N DE DE DE 2013. AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CRIAR A EMPRESA PÚBLICA DENOMINADA EMPRESA CUIABANA DE SAÚDE. O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT: Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE FIXAÇÃO DE REGRAS PARA PROMOÇÃO DO ESPORTE NO MUNICÍPIO DE MATADE SÃO JOÃO-BA. O Prefeito Municipal de Mata de São João, Estado da Bahia, faz saber

Leia mais

DECRETO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

DECRETO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DECRETO Nº 2.537 DE 13 DE MARÇO DE 2013 REGULAMENTA O FUNDO MUNICIPAL DE APOIO Á POLÍTICA DO IDOSO-FUMAPI, CRIADO PELA LEI COMPLEMENTAR Nº 033/2003, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito do Município de

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO MANUAL DO ESTAGIÁRIO PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DEAC - Divisão de Estágios e Atividades Complementares Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO VELHO

PREFEITURA DE PORTO VELHO LEI Nº. 1628, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005. Institui a Política Municipal de fomento à Economia Popular e Solidária na Cidade de Porto Velho e estabelece outras disposições. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO

Leia mais

SIC 41/04. Belo Horizonte, 4 de outubro de 2004. EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Distribuído a assessorados da CONSAE.

SIC 41/04. Belo Horizonte, 4 de outubro de 2004. EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Distribuído a assessorados da CONSAE. SIC 41/04 Belo Horizonte, 4 de outubro de 2004. EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DECRETO Nº 5.224, de 1º de outubro de 2004 Dispõe sobre a organização dos Centros Federais de Educação Tecnológica e dá outras providências.

Leia mais

ESTATUTO CONSOLIDADO FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE PASSOS* Capítulo I Da denominação, sede, fins e duração.

ESTATUTO CONSOLIDADO FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE PASSOS* Capítulo I Da denominação, sede, fins e duração. ESTATUTO CONSOLIDADO FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE PASSOS* Capítulo I Da denominação, sede, fins e duração. Art. 1º - A Fundação de Ensino Superior de Passos, sucessora da Fundação Faculdade de Filosofia

Leia mais

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006

EMENTÁRIO LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 LEI N.º 946, DE 20 DE JANEIRO DE 2006 (D.O.M. 20.01.2006 Nº. 1406 Ano VII) DISPÕE sobre o Plano de Saúde dos Servidores Públicos do Município de Manaus SERVMED, institui o correspondente Fundo de Custeio

Leia mais

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito

Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de Santa Cecília Gabinete do Prefeito Lei nº176/2014 Dispõe sobre o Conselho e Fundo Municipal de Políticas sobre Drogas do Município de Santa Cecília e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Cecília, estado da Paraíba, aprovou

Leia mais

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no artigo 15, 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e artigo 11 da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.112, DE 31 DE DEZEMBRO DE 1993 "Cria a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e Social do Estado do Acre - FADES, por transformação do Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Estado

Leia mais

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA WELTOM A. DE CARVALHO NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA TEORIA 140 Questões Gabaritadas da FCC por Tópicos (2013 2004) A apostila abrange o conteúdo programático cobrado em alguns concursos púbicos, organizados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP Regulamenta o Estágio Supervisionado, no âmbito da Universidade Federal do Amapá.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA LEI N 274/2013 Nova Olinda - TO, 23 de outubro de 2013 "Institui e cria o Fundo Municipal do Meio Ambiente - FMMA do Município de Nova Olinda -TO e dá outras providências." O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas

Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas XXXII Encontro Nacional de Dirigentes de Pessoal e de Recursos Humanos das Instituições Federais de Ensino Fortaleza - 2012 Jeanne Liliane Marlene Michel Diretora de Gestão de Pessoas 1 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

www.concursovirual.com.br

www.concursovirual.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: CONHECIMENTOS GERAIS CORREIOS/2015 CONHECIMENTOS GERAIS ESTADO UNITÁRIO - PODER CENTRAL (França) ESTADO COMPOSTO ESTADO UNITÁRIO (Formação histórica) ESTADO REGIONAL MENOS

Leia mais

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006.

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. Institui a Política Estadual de fomento à Economia Popular Solidária no Estado do Rio Grande do Norte e estabelece outras disposições. O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA

Leia mais

disposto no presente Decreto. Art. 11 - Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

disposto no presente Decreto. Art. 11 - Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Á constar, dentre outros tópicos, seus objetivos, conceitos, estratégias, indicadores e metodologia de avaliação; II - relatórios mensais contendo dados consolidados das incidências criminais nas áreas

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei: 1 Gabinete do Prefeito LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Institui o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas, cria a Comissão Gestora de Parcerias Público-Privadas de Goiânia e dá outras providências.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação. Professora: Paloma Braga

Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação. Professora: Paloma Braga Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação Professora: Paloma Braga Introdução Através da função administrativa, o Estado cuida da gestão de todos os seus interesses

Leia mais

ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013

ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013 1 ATORES DA LICITAÇÃO POR SRP E IMPLICAÇÕES DO NOVO REGULAMENTO Nº 7.892/2013 Por: Flavia Daniel Vianna Advogada especialista e instrutora na área das licitações e contratos administrativos. Pós-graduada

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro

Leia mais

HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 RESOLUÇÃO Nº 145/04. Palmas, 08 de dezembro de 2004

HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 RESOLUÇÃO Nº 145/04. Palmas, 08 de dezembro de 2004 HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 REVOGADA RESOLUÇÃO Nº 145/04 Palmas, 08 de dezembro de 2004 Fixa normas para criação e autorização de funcionamento de instituições de educação

Leia mais

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br LEI Nº. 6.067, DE 11 DE MARÇO DE 2010. Altera a Lei Ordinária 5.711/06, que dispõe sobre a Organização Administrativa da Câmara Municipal do Natal, e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

DECISÃO Nº 049/2014 D E C I D E

DECISÃO Nº 049/2014 D E C I D E CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 049/2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 10/01/2014, tendo em vista o constante no processo nº 23078.019657/13-31, de acordo com o Parecer nº 497/2013 da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.871, DE 20 DE MAIO DE 2004. Conversão da MPv nº 155, de 2003 Texto compilado Dispõe sobre a criação de carreiras e organização

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 43/2014, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº 43/2014, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO SUPERIOR Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3227-5564 3235-1741 ramal 2003 RESOLUÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR Nº

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008 DIÁRIO OFICIAL Nº. 311 de 08/0/008 GABINETE DA GOVERNADORA L E I Nº 7.030, DE 30 DE JULHO DE 007* Cria o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará - IDESP, e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS 9 PROJETO DE LEI Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada, no âmbito da administração pública. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

Diário Oficial Estado de São Paulo

Diário Oficial Estado de São Paulo Diário Oficial Estado de São Paulo Diário da Assembléia Legislativa Poder Legislativo Palácio Nove de Julho Av. Pedro Álvares Cabral, 201 Ibirapuera - CEP: 04097-900 Fone: (011) 3886-6122 Nº 63 DOE de

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Santa

Leia mais

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014.

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) FINANCIAMENTO PARA A AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS (TCTH) ALOGÊNICO NÃO APARENTADO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE AMAMBAI ASSEAMA FACULDADE DE AMAMBAI - MS

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE AMAMBAI ASSEAMA FACULDADE DE AMAMBAI - MS ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE AMAMBAI ASSEAMA FACULDADE DE AMAMBAI - MS ESTATUTO SOCIAL DA FIAMA EMPRESA JÚNIOR AMAMBAI MS 2010 FIAMA -Empresa Júnior Rua Padre Anchieta, 202 Amambai-MS 2 EMPRESA JUNIOR Visando

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº. 124, DE 27 DE ABRIL DE 2009 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições gerais

CAPÍTULO I Disposições gerais ESTATUTOS DO CONSELHO DAS FINANÇAS PÚBLICAS Aprovados pela Lei n.º 54/2011, de 19 de outubro, com as alterações introduzidas pelo artigo 187.º da Lei n.º 82-B/2014, de 31 de dezembro (Grafia adaptada em

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO - Principais tipos de relação de trabalho

DIREITO DO TRABALHO - Principais tipos de relação de trabalho ROTEIRO DE AULAS - PARTE 4 DIREITO DO TRABALHO - Principais tipos de relação de trabalho Relação de Trabalho Autônomo: - Trabalhador autônomo é pessoa física que exerce por conta própria uma atividade

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 Altera a Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, para instituir novo piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação

Leia mais

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008).

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008). 1. O que é o estágio? Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de estudantes. O estágio integra o itinerário

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL O QUE MUDA COM O NOVO MARCO REGULATÓRIO DAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL LEI N. 13.019/2014 REALIZAÇÃO INSTITUTO ATUAÇÃO ELABORAÇÃO Porf. Dr. FERNANDO BORGES MÂNICA DISTRIBUIÇÃO INSTITUTO GRPCom O QUE

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA R E I T O R I A Rua Esmeralda, 430-97110-060 Faixa Nova Camobi Santa

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana. Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana. Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moisés Viana Unidade Central de Controle Interno PARECER Nº 141/05 ENTIDADE SOLICITANTE: Procuradoria Jurídica ASSUNTO:

Leia mais

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397

A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 1.718.300 CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 24.397 BANCO CENTRAL DO BRASIL FUNDO DE GARANTIA DOS DEPÓSITOS E LETRAS IMOBILIÁRIAS - FGDLI BALANÇO PATRIMONIAL DE ENCERRAMENTO - EM 29 DE ABRIL DE 2005 A T I V O P A S S I V O CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO

Leia mais

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 Aprova o Estatuto Social da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso

Leia mais