Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DA FACULDADE ARTHUR THOMAS"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. O presente Regulamento rege as atividades do NPJ e o Estágio Supervisionado de Prática Jurídica. Art. 2º. As atividades de Estágio são essencialmente práticas e devem proporcionar ao estudante a participação em situações simuladas e reais de vida e trabalho, vinculadas à sua área de formação, bem como a análise crítica das mesmas. Art. 3º. As atividades de Estágio devem buscar, em todas as suas variáveis, a articulação entre ensino, pesquisa e extensão. Art. 4º. O estudo da ética profissional e sua prática devem perpassar todas as atividades vinculadas ao Estágio. CAPÍTULO II DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Art. 5º. O NPJ é o órgão encarregado de supervisionar as atividades de Estágio Supervisionado Simulado I e II e Estágio Supervisionado em Direito I, II e III do Curso de Graduação em Direito. Art. 6º. São órgãos do NPJ: I. Coordenadoria de Estágios; II. Secretaria; III. Serviço de Assistência Judiciária (SAJ). Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

2 1º. A Coordenadoria de Estágios é exercida pelo Coordenador do NPJ. 2º. O SAJ é coordenado por Professor Orientador de Estágio, designado pelo Coordenador do Curso de Direito. 3º. A Secretaria é exercida por profissional designado pelo Coordenador do NPJ. CAPÍTULO III DA COORDENADORIA DO NPJ E DOS ESTÁGIOS Art. 7º. O NPJ é administrado por um Coordenador, designado pelo Diretor Acadêmico, entre os professores do Curso de Graduação em Direito. 1º. O professor designado para exercer a Coordenadoria do NPJ tem a carga horária semanal mínima de 10 (dez) horas, exclusivamente para atividades administrativas. 2º. O Coordenador do NPJ é substituído, em suas faltas e impedimentos eventuais, por professor do Curso de Direito, designado pelo Diretor Acadêmico da Faculdade Arthur Thomas. Art. 8º. Compete ao Coordenador do NPJ: I. planejar, organizar e gerir todas as atividades do NPJ e do Estágio; II. implementar as decisões do NDE referentes a estágios do Curso de Direito; III. elaborar, semestralmente, proposta de distribuição entre os professores das diversas atividades atinentes ao estágio, encaminhando-a ao Coordenador do Curso; IV. propor ao Coordenador do Curso projetos de trabalho interdisciplinar, a serem desenvolvidos em conjunto com outros cursos ou Programas do Curso; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

3 V. emitir parecer sobre a exeqüibilidade didática e prática dos projetos alternativos VI. VII. VIII. IX. de estágio, encaminhados pelos Professores Orientadores de Estágios, a serem submetidos à deliberação do NDE; encaminhar ao Coordenador do Curso, na forma regimental, com parecer conclusivo, propostas de convênios para realização de Estágio, apresentadas por Escritório de Advocacia, órgão ou empresa da região; autorizar atividades externas de Estágio, em Escritório de Advocacia ou órgão, entidade ou empresa conveniados com a Faculdade Arthur Thomas; elaborar, semestralmente, proposta de distribuição, entre os Professores Orientadores, das atividades concernentes ao Estágio, a ser submetida à Coordenação do Curso de Direito; aprovar Manual de Padronização de Formulários (relatórios, ficha de avaliação, de controle de freqüência, ofícios e demais documentos necessários) que serão utilizados no NPJ e elaborados pelos estagiários no 1º ano de atividades do NPJ; X. aprovar a composição de equipes e escalas de horário dos estagiários junto ao XI. XII. XIII. SAJ, de forma a manter uma distribuição eqüitativa de acadêmicos nos diversos horários de funcionamento do mesmo; promover avaliação semestral das atividades de estágios desenvolvidas em Escritórios de Advocacia, órgãos, entidades e empresas conveniados; aprovar escala dos Professores Orientadores de Estágios, para atuação nas audiências realizadas nos períodos de férias escolares e no atendimento dos plantões do SAJ; apresentar, semestralmente, ao Coordenador do Curso de Direito, relatório das atividades do NPJ e dos estágios; XIV. tomar, em primeira instância, todas as decisões e medidas necessárias ao XV. efetivo cumprimento deste Regulamento; baixar normas para o funcionamento da Secretaria de Estágios do SAJ. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

4 CAPÍTULO IV DOS PROFESSORES-ORIENTADORES DE ESTÁGIOS Art. 9º. Cabe ao Coordenador do Curso designar, semestralmente, os professores destinados à orientação dos estagiários, atribuindo-lhes a jornada semanal adequada para tal atividade, levando-se em consideração a quantidade de alunos matriculados. Art. 10. Aos professores, designados na forma do artigo anterior, compete, principalmente: I. orientar, supervisionar e avaliar as visitas e atividades simuladas e reais das equipes de estagiários sob sua responsabilidade, atribuindo-lhes a respectiva nota; II. efetuar o controle de freqüência, ao Estágio Supervisionado, dos estagiários pertencentes às equipes pelas quais for responsável; III. acompanhar a elaboração e corrigir as peças processuais, assinando, juntamente com os estagiários pertencentes às equipes pelas quais forem responsáveis, as petições encaminhadas ao Poder Judiciário, por intermédio do SAJ; IV. avaliar a participação das equipes de estagiários pelas quais for responsável, nas audiências dos processos encaminhados ao Poder Judiciário; V. apresentar, para análise, propostas de alterações da pauta de visitas e atividade simuladas, constantes dos Planos de Ensino das respectivas disciplinas, que devem seguir a tramitação prevista neste Regulamento e nas normas pertinentes; VI. supervisionar a aplicação, por parte das equipes, dos critérios constantes do roteiro de atendimento de clientes; VII. determinar o arquivamento dos processos liquidados; VIII. exigir das equipes relatórios das audiências realizadas e cópias das sentenças dos processos liquidados; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

5 IX. Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) zelar pela ética profissional, orientando os estagiários em todos os aspectos relacionados ao correto exercício das profissões jurídicas. X. proceder à avaliação bimestral dos estagiários, por meio dos registros diários XI. XII. XIII. feitos durante o período; proceder ao controle mensal de faltas dos estagiários e elaborar calendário de recuperação nos meses de julho e dezembro; zelar pela ordem, ética e disciplina indispensáveis ao bom andamento dos serviços; advertir, verbalmente ou por escrito, o estagiário, que incidir em desobediência prevista neste Regulamento, ou nas não citadas, mas que não estejam em consonância ao perfil do profissional (advogado), fazendo a devida comunicação ao Coordenador que aplicará a punição cabível. XIV. desempenhar todas as demais atividades decorrentes de sua função, bem como as que lhe forem atribuídas pela Coordenação do NPJ. 1º. Todas as atividades de orientação, supervisão, acompanhamento, avaliação e coordenação atinentes ao Estágio são consideradas atividades docentes, sendo seu exercício privativo dos membros do corpo docente vinculado ao Curso de Graduação em Direito. 2º. A escala de trabalho dos professores responsáveis pela orientação de estagiários, junto ao SAJ, é aprovada pelo Coordenador do Curso, ouvido o Coordenador do NPJ. Art. 11. As atividades de estágios devem atender aos padrões e indicadores de qualidade, fixadas pelo MEC, e às normas especiais fixadas pelo NDE. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

6 CAPÍTULO V DA SECRETARIA DO NPJ Art. 12. À Secretaria do NPJ compete: I. manter arquivos de toda a correspondência recebida e expedida, bem como de toda a documentação e legislação referentes ao estágio; II. expedir todas as declarações e certidões pertinentes aos estágios, respeitadas as competências específicas do Coordenador do Curso, previstas na legislação e normas vigentes; III. manter arquivo de controle de todos os convênios que a Faculdade Arthur Thomas possui para estágios na área do Direito, bem como cópias dos Termos de Compromisso de todos os alunos que estiverem realizando estágios com base nesses convênios; IV. elaborar as estatísticas bimestrais de toda movimentação processual do NPJ; V. afixar circulares e avisos no mural do NPJ e divulgar as ofertas de estágio extracurricular; VI. distribuir as tarefas aos estagiários; VII. manter arquivo com cópias de todos os processos ajuizados, pelo SAJ, que devem ser atualizados pelos estagiários; VIII. manter cadastro de clientes do SAJ, que deve ser atualizado com base nos dados fornecidos pelos estagiários a cada novo atendimento ou ato processual; IX. zelar pelo bom funcionamento e manutenção periódica dos bens existentes no NPJ; X. manter agenda das audiências referentes aos processos ajuizados, por intermédio do SAJ, a ser atualizado pelos estagiários; XI. acompanhar, juntamente com os estagiários, as publicações oficiais; XII. desempenhar as demais atividades de sua competência e as que lhes forem determinadas pelo Coordenador do NPJ, na forma deste Regulamento. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

7 CAPÍTULO VI DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR Art. 13. As atividades do estágio obedecem às diretrizes curriculares, à legislação e normas sobre estágios, a este Regulamento e às normas específicas, aprovadas pelo Colegiado do Curso de Direito, incluindo a prática jurídica, nos seguintes níveis: I. visitas orientadas; II. atividades simuladas das práticas profissionais dos diversos operadores jurídicos; III. atividades reais desenvolvidas junto ao SAJ. Seção I - dos Estagiários Art. 14. São considerados estagiários os alunos matriculados na atividade Estágio Supervisionado Simulado I e II e Estágio Supervisionado em Direito I, II e III, nos diversos semestres em que são oferecidas, competindo-lhes principalmente: I. realizar as visitas orientadas e atividades simuladas, de acordo com o Programa do Estágio, aprovado pelo NDE; II. cumprir seus plantões junto ao SAJ de acordo com o cronograma préestabelecido; III. preencher fichas de atendimento de todos os clientes que forem atendidos no SAJ, encaminhando-as à Secretaria do NPJ para cadastramento, na forma do roteiro de atendimento; IV. entregar periodicamente ao Professor Orientador de Estagiários, responsável pela equipe, relatório detalhado de todas as atividades realizadas durante o período respectivo, acompanhado de auto-avaliação de seu desempenho; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

8 V. redigir as petições de todos os processos nos quais participaram ativamente, VI. VII. VIII. IX. delas fazendo constar a identificação da respectiva equipe, e assiná-las juntamente com o professor de estágios; acompanhar as publicações oficiais, juntamente com a Secretaria, visando manter atualizada a agenda de audiência e demais atos processuais; cumprir as intimações que forem efetuadas nos processos sob sua responsabilidade; comparecer às audiências trajados de acordo com a orientação dos Professores Orientadores; restaurar os processos sob sua responsabilidade, na eventualidade de perda ou extravio; X. manter cópias de todas as peças processuais produzidas nos processos XI. XII. XIII. encaminhados ao Poder Judiciário, por intermédio do SAJ; repassar à secretaria cópias de todas as peças processuais produzidas no Núcleo de Prática Jurídica e encaminhadas ao Poder Judiciário, para abertura de pastas de controle de arquivo; cumprir este Regulamento e as demais determinações normas legais referentes ao estágio; atender os clientes (solicitantes de orientação) somente na sede do NPJ; XIV. tratar os clientes com civilidade, sendo-lhe vedado recusar serviços próprios de XV. sua condição de estagiário; comparecer às audiências dos processos sob sua responsabilidade; XVI. informar à Secretaria do Núcleo de Prática Jurídica, com antecedência mínima de 03 (três) dias, as datas e horários das audiências; XVII. fazer carga dos processos sob sua responsabilidade, respondendo, tempestivamente, aos despachos pertinentes; XVIII. agir de acordo com a ética profissional e zelar pelo bom nome da Faculdade e do Núcleo de Prática Jurídica; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

9 XIX. zelar pela boa conservação das instalações, móveis, livros, equipamentos de XX. informática e demais objetos do NPJ, e evitar gastos desnecessários de materiais. manter ordem no recinto, evitando discussões e brincadeiras prejudiciais ao bom andamento dos trabalhos; XXI. utilizar adequadamente os recursos de informática colocados à disposição na internet; zelando pelo estabelecido na Lei de Direitos Autorais. XXII. respeitar a escala de plantão para atendimento de clientes, comprometendo-se com sua presença, não sendo provido substituto regularmente, cabendo a esta possibilidade somente aos casos de motivo de força maior. Art. 15. Os estagiários que cumprem carga horária nos Escritórios de Advocacia e departamentos jurídicos de empresas conveniadas com o Núcleo de Prática Jurídica e credenciados pela OAB/PR, sujeitam-se às mesmas obrigações práticas, junto ao Núcleo de Prática Jurídica, a que se submetem todos os demais estagiários. Art. 16. No exercício das atividades vinculadas ao NPJ os estagiários devem cumprir as disposições do Código de Ética e de Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil. Art. 17. Aos estagiários não é permitido: I. cobrar, aceitar ou receber dinheiro ou qualquer outro benefício, ofertado por clientes atendidos no NPJ, a qualquer título, ainda que sob o pretexto de pagamento de custas, impostos ou taxas. O pagamento de taxas ou impostos deverá ser efetuado diretamente pelo cliente, em casos de extrema necessidade deverá ser entregue somente nas mãos do Coordenador do NPJ, mediante guia preenchida e contra recibo; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

10 II. III. IV. Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) desviar clientes do NPJ para escritórios particulares. Caso seja necessário a indicação, esta somente poderá ser feita pelo Coordenador do NPJ; atender clientes particulares na sede do NPJ; retirar, em qualquer hipótese, do NPJ, materiais ainda que a título de empréstimo, sem a devida autorização formal do Coordenador do NPJ; V. levar consigo autos dos processos relativos ao serviço de assistência judiciária; VI. VII. apresentar-se com vestimenta inapropriada, informal nas atividades do NPJ e demais expedientes externos dos órgãos do Poder Judiciário; comentar com terceiros dos atendimentos de clientes realizados no NPJ. Seção II - das Visitas Orientadas Art. 18. A carga horária das visitas orientadas é utilizada para o cumprimento da pauta de visitas definida pelo Coordenador do NPJ e supervisionadas por Professores Orientadores de Estágios. 1º. A pauta de visitas orientadas deve abranger os diversos órgãos do Poder Judiciário, Ministério Público, Procuradorias e outras instituições que desenvolvam atividades jurídicas, judiciárias ou não judiciárias, o sistema penitenciário, em todos os seus níveis, assim como a assistência a audiência e sessões reais. 2º. Das visitas orientadas devem ser redigidos relatórios circunstanciados, a serem encaminhados à Coordenadoria do NPJ, por intermédio dos Professores Orientadores de Estágios. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

11 Seção III - das Atividades Simuladas Art. 19. As disciplinas de práticas simuladas incluem a elaboração de peças processuais simuladas, bem como a atuação do estudante nos referidos processos, além da análise de autos findos. Seção IV - do Serviço de Assistência Jurídica Faculdade Arthur Thomas Art. 20. As atividades curriculares de prática real são desenvolvidas no âmbito do SAJ, sendo supervisionadas por seu Coordenador. 1º. A carga horária das atividades de prática real são utilizadas para o atendimento de partes, pesquisa, elaboração de peças processuais e acompanhamento dos respectivos processos. 2º. O atendimento no SAJ abrange as áreas de Direito definidas pela Coordenação do Curso de Direito, cuja demanda existir e se destina à população carente, conforme triagem realizada pela Secretaria do NPJ. 3º. Para fins de atendimento junto ao SAJ, os alunos do estágio são divididos em equipes de, no mínimo, três e, no máximo, cinco estudantes. Art. 21. O SAJ funciona durante o ano letivo, com horário de atendimento ao público fixado pelo Coordenador do NPJ, obedecida a legislação vigente. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

12 Parágrafo Único. Nos períodos de férias letivas haverá plantão, em horário fixado pelo Coordenador do NPJ, com a finalidade de prestar assistência de urgência e acompanhar os processos em andamento. Seção V - dos Clientes do NPJ Art. 22. São clientes do NPJ todas as pessoas físicas que, mediante comprovação de insuficiência de renda, não tiver condições de promover uma ação na justiça sem prejuízo de seu sustendo ou sustendo de sua família e evidenciarem a necessidade da assistência judiciária gratuita. Art. 23. O NPJ poderá, a qualquer momento, solicitar a comprovação de renda de quem procura a assistência judiciária, mesmo que portador da declaração de insuficiência de recursos. Art. 24. Quando o cliente abandonar a causa ou mostrar desinteresse pela sua seqüência, o NPJ poderá fazer uso das faculdades previstas no Código de Processo Civil, renunciando o mandato outorgado, mediante autorização do Coordenador do NPJ. A evidência do abandono ou o do desinteresse se dará quando o cliente deixar de atender a três convocações feitas pelo NPJ por meio de carta, telegrama ou qualquer outro meio devidamente comprovado. Art. 25. O NPJ não está obrigado a aceitar o patrocínio de quaisquer causas e nem a atender todas as pessoas que procurem seus serviços. Art. 26. O NPJ deverá estar, acima de tudo, a serviço da comunidade, das pessoas economicamente empobrecidas, das vítimas de violações de Direitos Humanos e de apoio aos movimentos sociais e populares. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

13 Art. 27. Os honorários em que a parte contrária for condenada, nas causas patrocinadas pelo NPJ, serão revertidos para a Entidade Mantenedora, com a finalidade de subsidiar, ampliar e modernizar a estrutura do próprio NPJ. Seção VI - da Avaliação de Desempenho Art. 28. A avaliação das disciplinas Estágio Supervisionado Simulado I e II, será efetuada mediante a atribuição de notas, de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso de Direito, levando em consideração o desempenho nas atividades simuladas, assim como outros indicadores e instrumentos que constem dos respectivos Planos de Ensino. Art. 29. A avaliação das disciplinas Estágio Supervisionado em Direito I, II e III, desenvolvidas na prática real, é efetuada por meio de notas, de acordo com o Projeto Pedagógico do Curso de Direito, atribuídas com base nos relatórios periódicos de estágio, na correição bimestral dos processos de cada equipe e no desempenho efetivo dos estagiários no SAJ. 1º. A recuperação das notas a que se refere este artigo, somente pode ser concretizada por meio de plantões, na forma do parágrafo único do artigo 21 deste Regulamento, tendo em vista tratar-se de atividade eminentemente prática, não recuperável por meio de provas. 2º. Reprovado na recuperação, deve o aluno repetir o estágio no SAJ, em período letivo regular. Art. 30. A presença mínima a todas as atividades de estágio, para aprovação, é, conforme legislação, de 75% (setenta e cinco por cento). Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

14 Seção VII - das Instalações Físicas Art. 31. As instalações e equipamentos do NPJ do Curso de Direito da Faculdade Arthur Thomas, bem como as atividades nela desenvolvidas, são freqüentados, exclusivamente, por estagiários devidamente credenciados, respeitando-se o disposto na rotina de funcionamento. Art. 32. É absolutamente proibida a entrada e permanência, nas dependências internas do NPJ, de terceiros que não sejam colaboradores, estagiários ou clientes do NPJ, bem como é indispensável a apresentação de identificação pessoal pelo crachá ou carteira pertinente. Art. 33. O uso dos computadores do NPJ é privativo dos docentes, colaboradores e estagiários, sendo obrigatório o registro do período de utilização com o devido termo de responsabilidade. Art. 34. É absolutamente proibida a utilização, por terceiros, de pen drive, ou qualquer outro periférico nos computadores do NPJ, sem a prévia autorização do Coordenador do NPJ. Art. 35. É vedado de um modo geral, o uso dos computadores, telefone ou outros recursos materiais, pelo estagiário para desenvolvimento de atividades pessoais, ressalvados os casos autorizados pelo Coordenador do NPJ. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

15 CAPÍTULO VII DOS ESTÁGIOS EXTERNOS Art. 36. Para fins de cumprimento do estágio, na parte atinente à prática real, pode o aluno realizar estágio, limitado a cinqüenta por cento da carga horária total destinada ao SAJ, em escritório de advocacia, órgão, entidade ou empresa pública ou privada, desde que credenciado junto à Faculdade Arthur Thomas, mediante convênio. Parágrafo Único. O credenciamento, para fins de estágio externo, com critérios e condições estabelecidas pelo Coordenador do Curso de Direito, ouvido o Coordenador do NPJ, obedece ao disposto neste Regulamento e demais legislações e normas vigentes sobre convênios para realização de estágios curriculares. CAPÍTULO VIII DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37. As disposições da presente Resolução podem ser alteradas, por Resolução da Coordenação do Curso de Direito, sob proposição do Coordenador do NPJ, aprovada pelo Colegiado do Curso de Direito. Art. 38. Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pelo Colegiado do Curso de Direito, respeitadas as suas competências regimentais. Art. 39. O presente Regulamento entra em vigor após a aprovação do Colegiado do Curso de Direito. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO - ACE FACULDADE DE DIREITO DE JOINVILLE. Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica - NPJ

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO - ACE FACULDADE DE DIREITO DE JOINVILLE. Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica - NPJ ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO - ACE FACULDADE DE DIREITO DE JOINVILLE Regulamento do Núcleo de Prática Jurídica - NPJ Resolução n. º02/2007. Dispõe sobre as atividades relacionadas ao Estágio Supervisionado,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA Jundiaí/SP REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º. O estágio de prática jurídica supervisionado

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO NPJ E ESTÁGIO SUPERVISIONADO

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO NPJ E ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO NPJ E ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º Este Regulamento rege as atividades

Leia mais

RESOLVE: Profª. MARIA CERES RODRIGUES MURAD Diretora Acadêmica

RESOLVE: Profª. MARIA CERES RODRIGUES MURAD Diretora Acadêmica RESOLUÇÃO Nº 5, DE 16 DE JULHO DE 2014 REGIMENTO DE PRÁTICA JURÍDICA Dispõe sobre a Prática Jurídica no âmbito da UNDB. O CONSELHO TÉCNICO- ADMINISTRATIVO, no uso das competências que lhe confere o art.

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade do Norte Pioneiro CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º O Núcleo de Prática

Leia mais

PORTARIA 2/2015 REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPITULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS

PORTARIA 2/2015 REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPITULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS PORTARIA 2/2015 O Prof. Ms. Márcio Franklin Nogueira, Coordenador do Curso de Direito, tendo em conta mudança na sistemática de agendamento e cômputo de horas das atividades de prática jurídica, agora

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROFESSOR ALBERTO DEODATO TÍTULO I

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROFESSOR ALBERTO DEODATO TÍTULO I REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PROFESSOR ALBERTO DEODATO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Núcleo de Prática Jurídica

Leia mais

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado de Prática Jurídica e do Núcleo de Prática Jurídica

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado de Prática Jurídica e do Núcleo de Prática Jurídica Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado de Prática Jurídica e do Núcleo de Prática Jurídica TÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I - DOS PRINCÍPIOS Art. 1º.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS E DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ)

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS E DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) UNIVERSIDADE IGUAÇU CURSO DE DIREITO CAMPUS NOVA IGUAÇU REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS E DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) Art. 1º. O NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA do

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA RIO DE JANEIRO 2012 I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º - Este Regulamento rege as atividades de Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Direito. Art. 2º -

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR ` REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR Rio Verde, Goiás 2010/2 Regimento do Núcleo de Prática Jurídica da FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES - FAR A Administração Geral da

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE INTEGRADA BRASIL AMAZÔNIA FIBRA Regula o funcionamento do Núcleo de Prática Jurídica NPJ do curso de Direito Bacharelado da Fibra. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DA FACULDADE DO GUARUJÁ

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DA FACULDADE DO GUARUJÁ REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO DA FACULDADE DO GUARUJÁ I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art.1º. O presente Regulamento rege as Atividades de Estágio Supervisionado,

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 007/2008

RESOLUÇÃO N. 007/2008 RESOLUÇÃO N. 007/2008 O Colegiado de Cursos da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade FUMEC, no uso de suas atribuições e considerando a necessidade de normatizar as atividades relacionadas ao Estágio

Leia mais

Título I. Dos Princípios Gerais

Título I. Dos Princípios Gerais CORDENADORIA DO NPJ Criado pela Resolução 01/99 Colegiado Superior REGULAMENTO Dispõe sobre o funcionamento da Coordenadoria do Núcleo de Prática Jurídica e seus órgãos no Curso de Graduação em Direito.

Leia mais

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE)

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) APROVADO Alterações aprovadas na 27ª reunião do Conselho Superior realizada em 18/12/2013. REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) DA ESTRUTURA Art. 1º - A

Leia mais

UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO. Acadêmico(a):

UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO. Acadêmico(a): 2014 UNICERP CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA REAL 2014_2 9º PERÍODO Acadêmico(a): Número de matrícula: Turno: Carteira de Identidade: CPF: Endereço: Telefone:

Leia mais

CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas básicas

Leia mais

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal E-Mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet.br

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal E-Mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet.br UNESC Faculdades Integradas de Cacoal E-Mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet.br REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) Cacoal RO. CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º. O Núcleo de Prática

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA - FACISA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA - FACISA REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA - FACISA I - DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ)

REGULAMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) REGULAMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) PORTO VELHO (RO) 2012 Página 1 de 18 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO 1 DA NORMATIZAÇÃO Art. 1º. O Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) é o órgão

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre o Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Aprovado pela Resolução Consuni nº 28/06 de 12/07/06. Art. 1º O presente regulamento disciplina as atividades do Núcleo de Prática

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA TÍTULO I Dos Princípios gerais Art. 1. Este regimento Interno disciplina

Leia mais

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS /IBMEC REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA EVANDRO LINS E SILVA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO

FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO Faculdade Internacional da Paraíba Rua Monsenhor Walfredo Leal nº 512, Tambiá

Leia mais

I - Dos Princípios Gerais e do Núcleo de Prática Jurídica

I - Dos Princípios Gerais e do Núcleo de Prática Jurídica UNIVERSIDADE IGUAÇU CURSO DE DIREITO CAMPUS ITAPERUNA Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado - UNIG Institui as normas atinentes ao Núcleo de Prática Jurídica da Universidade Iguaçu - UNIG -

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 200 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) CAPÍTULO I DO OBJETO, ENGENHARIA E FINALIDADE Art. 1º. O presente regulamento tem como objeto o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) do Curso de Direito da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) Doravante assim denominado, com atividades a partir do 7º período do curso introduzirá o aluno na prática forense real, consolidando o Estágio Supervisionado.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA UNIDADE ACADÊMICA DE ENSINO DE DIREITO UEDI

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA UNIDADE ACADÊMICA DE ENSINO DE DIREITO UEDI REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA UNIDADE ACADÊMICA DE ENSINO DE DIREITO UEDI Sete Lagoas - 2010 REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ - DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º. O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre, tem por finalidade promover e coordenar

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DO NUCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE AIMORÉS Este Regulamento se aplica ao curso de Direito da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés TÍTULO I DOS

Leia mais

RE.NPJ.001.11.00 REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA. Responsável Etapas Autorização Nome Cargo Assinatura MEMBRO DO CONSUPE MEMBRO DO CONSUPE

RE.NPJ.001.11.00 REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA. Responsável Etapas Autorização Nome Cargo Assinatura MEMBRO DO CONSUPE MEMBRO DO CONSUPE - CÍNZIA BARRETO DO Responsável Etapas Autorização Nome Cargo Assinatura Proposição CÍNZIA BARRETO COORDENADORA DO Análise Crítica DRAUZ FILHO EDINALDO NEVES GABRIELLE GARCIA MARIA EUNICE BORJA MIDIAN

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO TÍTULO I DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO TÍTULO I DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO TÍTULO I DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E JUDICIÁRIA Art. 1º - O Núcleo de Prática Jurídica e Judiciária do Curso de Direito

Leia mais

Sociedade Educacional UNIFAS Mantenedora. Faculdade de Sinop FASIP Mantida. DIREITO Curso

Sociedade Educacional UNIFAS Mantenedora. Faculdade de Sinop FASIP Mantida. DIREITO Curso Sociedade Educacional UNIFAS Mantenedora Faculdade de Sinop FASIP Mantida DIREITO Curso ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ REGULAMENTO Sinop - MT ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ)

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) Em cumprimento às exigências da Resolução CNE/CES nº 9, de 29 de setembro de 2004 (do Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior) e ao Projeto

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

NORMAS REGULAMENTARES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO NORMAS REGULAMENTARES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA O Conselho Diretor da Faculdade de Direito (UFG), no uso de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA UNISANTOS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA UNISANTOS REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA UNISANTOS Título I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Capítulo I Dos Fundamentos do Núcleo de Prática Jurídica Art. 1º Este Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR 2008 Diretora Geral: Profª. Drª. Irmã Olga de Sá Vice-Diretora: Profª. Irmã Raquel Godoi Retz Coordenação Pedagógica: Prof. Ms José Luiz de Miranda Alves Coord. do Núcleo

Leia mais

REGULAMENTO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO...4 SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS...4 SEÇÃO III DA COMPOSIÇÃO...4 SEÇÃO IV DA ESTRUTURA...4 CAPÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS...5 SEÇÃO I DA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE DIREITO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ESTATUTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE DIREITO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ESTATUTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE DIREITO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ESTATUTO CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º. O Serviço de Assistência Judiciária da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA NÚCLEO DE PRÁTICA JURIDICA

REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA NÚCLEO DE PRÁTICA JURIDICA REGULAMENTO DO ESCRITÓRIO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA NÚCLEO DE PRÁTICA JURIDICA REITOR Prof. Antonio Roberto Ezau dos Santos PRÓ-REITOR ACADÊMICO Prof. Ms. José Lazaro de Souza PRÓ-REITOR ADMINISTRATIVO E

Leia mais

Manual de Instruções do Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade das Américas NPJ/FAM

Manual de Instruções do Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade das Américas NPJ/FAM Manual de Instruções do Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade das Américas NPJ/FAM 1. O Estágio Profissional O Estágio Profissional de Advocacia é semelhante ao estágio em um escritório de Advocacia

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE MACEIÓ - SEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MACEIÓ REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE MACEIÓ - SEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MACEIÓ REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA SOCIEDADE EDUCACIONAL DE MACEIÓ - SEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MACEIÓ FAMA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Art. 1º - O Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Faculdade de Ciências

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO TÍTULO I 3 DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU E SEUS OBJETIVOS 3 TÍTULO II 5 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 5 CAPÍTULO I 5 DA ESTRUTURA 5 CAPÍTULO II 6 DA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU 6 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - SUMÁRIO TÍTULO I... 3 DOS PRINCÍPIOS GERAIS... 3 TÍTULO II... 3 DA INICIAÇÃO À PRÁTICA JURÍDICA... 3 TÍTULO III...

Leia mais

FACCREI FACULDADE CRISTO REI CORNÉLIO PROCÓPIO - PARANÁ

FACCREI FACULDADE CRISTO REI CORNÉLIO PROCÓPIO - PARANÁ FACCREI REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA PROFESSOR OSWALDO TREVISAN, DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA 1 FACCREI APRESENTAÇÃO O Presente Regulamento visa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO ANEXO II NORMAS ESPECÍFICAS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - MODALIDADE BACHARELADO DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO Art.

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO

ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CURSO DE MESTRADO EM PSICOLOGIA REGIMENTO INTERNO DO CURSO CAPÍTULO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA UNICRUZ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA UNICRUZ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE DIREITO UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA UNICRUZ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DO CURSO DE DIREITO Capítulo I Dos objetivos Art. 1º. Este Regulamento tem

Leia mais

Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade São Lucas

Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade São Lucas Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade São Lucas 1 Art. 1º O Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Faculdade São Lucas será regido pelos princípios da: I Ética profissional;

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA

MANUAL DE ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA MANUAL DE ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA O Curso de Graduação em Direito da Faculdade do Sudeste Goiano (FASUG) é oferecido em conformidade com as Diretrizes do Ministério da Educação (MEC), com observância

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EXTENSÃO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Este Regimento dispõe sobre a composição, competências e funcionamento do Conselho de Extensão (CoEx), órgão colegiado

Leia mais

Os acadêmicos matriculados no estágio ingressarão na lide jurídica sob a orientação técnica dos professores-orientadores do NPJ/FABEL.

Os acadêmicos matriculados no estágio ingressarão na lide jurídica sob a orientação técnica dos professores-orientadores do NPJ/FABEL. ANEXO Nº 04 REGULAMENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO INTERNO DO NUCLEO DE PRATICA JURIDICA DA FACULDADE DE BELÉM FABEL (NPJ FABEL). Missão: Educação Superior priorizando a Prática Profissional,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº. 124, DE 27 DE ABRIL DE 2009 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

Regulamento do NPJ do Curso de Direito

Regulamento do NPJ do Curso de Direito Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) Regulamento do NPJ do Curso de Direito Brasília DF Atualizado em 08 de abril de 2014 1 Administração Diretor Geral: Jorge Humberto da Silva. Diretora Acadêmica: Ana Angélica

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO A Coordenação do Curso de Direito, no uso de suas atribuições, publica edital de abertura

Leia mais

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES.

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES. REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES Seção I Da Natureza e Finalidade das Inspetorias Art. 1º A Inspetoria

Leia mais

Faculdade de Educação e Meio Ambiente FAEMA Instituto Superior de Educação ISE

Faculdade de Educação e Meio Ambiente FAEMA Instituto Superior de Educação ISE REGIMENTO INTERNO DA CLINICA-ESCOLA DE PSICOLOGIA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - Capítulo I Caracterização do Serviço Clínica-Escola de Psicologia Art. 1º - O SEPsi - Serviço Escola de Psicologia

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS REGIMENTO INTERNO Aprovado na reunião do Conselho de Centro do dia 15.03.2007. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE

Leia mais

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013.

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013. PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013. Aprova o Regimento Interno da Auditoria Interna do Conselho Nacional do Ministério Público. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO,

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO REGULAMENTO GERAL COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO REGULAMENTO GERAL COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO REGULAMENTO GERAL COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA 2010 TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ATRIBUIÇÕES Art. 1º - A COMISSÃO DE ÉTICA PARA O USO DE ANIMAIS CEUA-UCB, órgão vinculado

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º O presente Regulamento dispõe sobre o Estágio Supervisionado

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco Regimento Interno do Centro de Informática TÍTULO I DISPOSIÇÃO PRELIMINAR SUMÁRIO 2 TÍTULO II DA FINALIDADE DO CENTRO TÍTULO III DOS CURSOS DO CENTRO TÍTULO IV DA ESTRUTURA

Leia mais

Regimento da Biblioteca Rev.: 01 Data: 07/07/2008

Regimento da Biblioteca Rev.: 01 Data: 07/07/2008 COMPLEXO DE ENSINO SUPERIOR DE SANTA CATARINA - CESUSC FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE FLORIANÓPOLIS - FCSF Credenciada pela Portaria MEC n. 109, de 10 de fevereiro de 2000 (DOU 11.02.2000) BIBLIOTECA

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. Este regulamento rege as atividades do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ), responsável pelos estágios do Curso de Graduação em Direito

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º Este regulamento normatiza a estruturação, funcionamento, atribuições e

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º Este regulamento normatiza a estruturação, funcionamento, atribuições e REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

01. APRESENTAÇÃO 02. FUNCIONAMENTO. MANHÃ de 9 às 12h. NOITE de 18 às 20h

01. APRESENTAÇÃO 02. FUNCIONAMENTO. MANHÃ de 9 às 12h. NOITE de 18 às 20h NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Manual do Estagiário ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA GRATUITA 01. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) é constituído pelo Escritório Modelo de Advocacia Gratuita EMAG

Leia mais

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO ESTÁGIO REGULAMENTO Recife/PE 2010 2 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS DO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1.º O presente regulamento visa cumprir a Política de estágios da Escola Superior de Marketing-ESM

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA COORDENADORIA DE GRADUAÇÃO REGIMENTO INTERNO 2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA COORDENADORIA

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA. Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS

ANEXO I REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA. Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO I REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Este regulamento é próprio do Núcleo de Prática Jurídica do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC, para os estagiários e será regido por essas

Leia mais

Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO

Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO REITOR Prof. Antonio Roberto Ezaú dos Santos PRÓ-REITOR ACADÊMICO Prof.

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 29 de fevereiro de 2012.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 29 de fevereiro de 2012. RESOLUÇÃO CAS Nº 03/2012, DISPÕE A CRIAÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces

Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces Caruaru-PE 2014 REGULAMENTO INTERNO DA FARMÁCIA ESCOLA DE DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS TÍTULO I: DO REGIME

Leia mais

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular do

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I. Da Natureza e Finalidades

REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I. Da Natureza e Finalidades REGULAMENTO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SEMIPRESENCIAL (CEAD) CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidades Art. 1º A educação semipresencial é a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 02/2010 Cria e estabelece o Regimento Interno do órgão suplementar, Centro de Educação a Distância (CEAD) da Universidade Federal de Juiz de Fora. O CONSELHO SUPERIOR da

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT Título I Da Comissão Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º - A Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT, instituída pelo Decreto nº 9.321, de 1 de março de 2011, integrante

Leia mais

RESOLUÇÃO 41/97. Vitória da Conquista, 10 de novembro de 1997. REGIMENTO DO CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE

RESOLUÇÃO 41/97. Vitória da Conquista, 10 de novembro de 1997. REGIMENTO DO CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CONSEPE O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições legais, de acordo com o artigo 24 do Estatuto da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, para observância

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1. Este Regulamento rege as atividades de estágio do Curso de Graduação em Direito da FEATI, e tem por finalidade

Leia mais

a) Estar regularmente matriculados no curso;

a) Estar regularmente matriculados no curso; (35) 3690-8900 / 3690-8958 (fax) br ESTÁGIO CURRÍCULAR SUPERVISIONADO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014) 1 Caracterização Os cursos de Engenharia de Produção do Brasil são regidos pelas

Leia mais

Anexo I Resolução nºc21/2009 CD/FAP de 27.05.2009

Anexo I Resolução nºc21/2009 CD/FAP de 27.05.2009 Anexo I Resolução nºc21/2009 CD/FAP de 27.05.2009 CENTRO DE ATENDIMENTO E ESTUDOS EM MUSICOTERAPIA CLOTILDE LEINIG A Universidade Estadual do Paraná - - Faculdade de Artes do Paraná, ao implementar o Centro

Leia mais

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL

REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO BAIXO SÃO FRANCISCO DR. RAIMUNDO MARINHO FACULDADE RAIMUNDO MARINHO REGULAMENTO DA SECRETARIA GERAL A Secretaria Geral é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Centro- Oeste, UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

RESOLUÇÃO CD 28/2009. O CONSELHO DEPARTAMENTAL DA FACULDADE TRÊS DE MAIO - SETREM, no uso de suas atribuições legais e regimentais, considerando:

RESOLUÇÃO CD 28/2009. O CONSELHO DEPARTAMENTAL DA FACULDADE TRÊS DE MAIO - SETREM, no uso de suas atribuições legais e regimentais, considerando: RESOLUÇÃO CD 28/2009 - DEFINE O REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO CLÍNICA-ESCOLA DE PSICOLOGIA DA FACULDADE TRÊS DE MAIO - SERCEPS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O CONSELHO DEPARTAMENTAL DA FACULDADE TRÊS DE MAIO

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO 1 REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO Art.1º A Diretoria de Ensino de Graduação (DEG) é órgão da Pró-Reitoria Acadêmica, do Centro Universitário de Maringá.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA Mantenedora Fasipe Centro Educacional Mantida Faculdade Fasipe - FASIPE REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA MARIA TEREZA GAVA SINOP / MATO GROSSO CAPÍTULO I DA FACULDADE E SUAS FINALIDADES Art.1º - A biblioteca

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PPGAU NÍVEL MESTRADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PPGAU NÍVEL MESTRADO REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO - TITULO I DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art. 1 - O Mestrado em Arquitetura e Urbanismo da UFES compreende o conjunto de atividades de ensino,

Leia mais

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE 1 REGULALMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE Artigo 1º O Núcleo de Prática Jurídica é órgão destinado a coordenar, executar

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica

Leia mais