... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES"

Transcrição

1 ... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES 1. Verifique se este caderno tem 20 questões objetivas e três questões subjetivas e observe se ele apresenta algum tipo de defeito. Em caso de qualquer problema, avise imediatamente o fiscal. 2. As questões objetivas apresentam 5 (cinco) alternativas, assinaladas com os números 01, 02, 04, 08 e 16, nesta seqüência. Cada questão terá como resposta o número da alternativa que você apontar como correta (se a questão tiver apenas uma resposta correta) ou a soma dos números correspondentes às alternativas que você apontar como corretas (se a questão tiver mais de uma resposta correta). A atribuição de pontos só será feita se o valor numérico assinalado da resposta da questão incluir no mínimo uma alternativa correta e nenhuma alternativa errada. Portanto, a pontuação integral de uma questão (90) ou a pontuação parcial de uma questão (18-22,5-30 ou 45) só será feita se o somatório a- presentado não incluir alternativa(s) errada(s). 3. Instruções sobre o cartão de registro de respostas: CONFIRA os seguintes dados, que devem coincidir com os da sua inscrição: nome, número da identidade, cargo, local do cargo e local da prova. ASSINE no local indicado. PREENCHA os campos ópticos com cuidado, porque não haverá substituição do cartão em caso de erro ou rasura. Para cada questão, PREENCHA SEMPRE DOIS CAMPOS, um na coluna das dezenas e um na coluna das unidades. Como exemplo, se esta prova tivesse a questão 31 e se você encontrasse o número 09 como resposta para ela, o cartão de registro de respostas teria que ser assinalado da maneira indicada ao lado O tempo destinado para esta prova é de QUATRO HORAS, a partir do momento em que for completado o processo de distribuição dos cadernos de questões e incluído o tempo para o preenchimento do cartão de registro de respostas. 5. Após as 15h00min, quando você terminar a prova, sinalize para que o fiscal recolha o material da sua prova, ainda na sua carteira, e então aguarde as instruções do fiscal. Observação: Você pode preencher a papeleta abaixo e levá-la. Mas ATENÇÃO! Só a destaque após a permissão dada pelo fiscal.... corte aqui... UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PROCESSO SELETIVO DE PROMOÇÃO INTERCLASSES ANALISTA DE SUPORTE PAPELETA PARA ANOTAÇÃO DAS RESPOSTAS ASSINALADAS - USO OPCIONAL

2

3 01 Uma das formas práticas e rápidas de editar textos no Linux é a utilização do editor de textos VIM (Vi-Improved). Neste editor de textos de que forma é possível recortar o conteúdo das linhas 13 a 17 e colá-lo na linha 29? 01) 13,17+CTRL+x ; :29 ; CTRL+v 02) :13,17d ; :29 ; p 04) :13 ; 5dd ; :29 ; p 08) :13,17d ; :29p 16) 13,17c ; :29 ; p 05 De que forma é possível cadastrar um usuário que tenha um skel personalizado no /etc/skel_2? 01) Pelo parâmetro -k /etc/skel_2 02) Com o arquivo /etc/default/useradd 04) Por meio do arquivo /etc/useradd/default 08) Pelo comando usermod 16) Pelo comando /etc/default/useradd 02 No Debian GNU/Linux, de que forma é possível remover um pacote cujo nome é 'programa' e seus respectivos arquivos de configuração? 01) dpkg --purge programa 02) apt-get remove --purge programa 04) apt-cache remove programa 08) apt-get -f remove programa 16) aptitude purge programa 06 Como é possível obter uma lista dos usuários e suas respectivas shells em ordem alfabética? 01) cut -s -d : -f 1-7 /etc/passwd 02) sort -f : -c 1,7 /etc/passwd 04) awk -F : -s 'print $1 $7' 08) cut -d : -f 1,7 /etc/passwd sort 16) sort cut -d : -f 1,7 /etc/passwd 07 Em relação à sintaxe dos comandos de rede abaixo, assinale o que for correto. 03 Considerando a seguinte linha de saída do comando ls -l /etc, assinale o que pode ser considerado como correto. drwxrwx--- 3 root vmware 160 Nov 29 01:32 vmware 01) vmware é um arquivo pertencente ao usuário vmware e grupo root; 02) vmware é um diretório pertencente ao usuário root e grupo vmware; 04) O usuário root e outros que não sejam do grupo vmware tem permissão de leitura, gravação e execução. 08) Apenas o usuário root e os usuários pertencentes ao grupo vmware têm permissão de leitura, escrita e execução. 16) O usuário root não tem permissão nenhuma, usuários do grupo vmware e outros têm permissão de leitura, escrita e execução. 04 Assinale dentre os comandos apresentados os que são utilizados para gerenciar/monitorar processos. 01) ps 02) proc 04) renice 08) sysproc 16) psdump 01) ifconfig eth0:net netmask ) route add default gw ) netstat -btuh 08) arp -a 16) netstat -atuh 08 Em uma rede, seis computadores estão conectados a um hub. A tabela a seguir apresenta as configurações de Nome, Máscara e IP para cada um deles. Com exceção do próprio Host A, quantos hosts conseguem se conectar localmente ao Host A? 01) 1 02) 2 04) 3 08) 4 16) 5 Nome Máscara IP Host A Host B Host C Host D Host E Host F

4 09 Sobre redes sem fio baseadas no padrão IEEE , assinale o que for correto. 01) Com o uso de antenas direcionais, é possível estabelecerem-se enlaces com vários quilômetros de distância. 02) No modo infra-estruturado, duas estações associadas a um mesmo ponto de acesso podem comunicar-se diretamente. 04) O uso de WPA e WPA2 só é possível juntamente com a autenticação por MAC. 08) A diferença entre o IEEE a e IEEE g está exclusivamente na velocidade máxima de conexão de uma estação cliente a um ponto de acesso. 16) O uso de WPA e WPA2 só é possível juntamente com a autenticação por LDAP. 10 Sobre os algoritmos de criptografia, assinale o que for correto. 01) Segundo o Princípio de Kerckhoff, todos os algoritmos devem ser públicos e apenas as chaves devem ser secretas. 02) Os algoritmos de chave assimétrica utilizam a mesma chave para codificação e decodificação. 04) O não-repúdio é uma propriedade que deve estar presente nos esquemas de assinatura digital. 08) A SSL utiliza PKI para compartilhar seguramente uma chave de sessão entre um cliente e um servidor em uma conexão HTTPS. 16) Uma função hash para cada bloco de dados de tamanho diferente gera uma saída de tamanho não fixo, sendo o processo irreversível. 11 Assinale as afirmações que se referem a aplicações servidoras comumente usadas em ambientes Linux. 01) O apache é um servidor HTTP/HTTPS que permite a hospedagem de diversos sites em um mesmo servidor, através de uma técnica conhecida como VirtualHost. 02) O postfix é um servidor de FTP que permite ao cliente escolher entre o modo de operação ativo e o passivo. 04) O Squid é um servidor proxy/cache HTTP/HTTPS largamente utilizado. 08) O ISC BIND é também chamado de named, sendo um dos servidores de DHCP mais utilizados no mundo. 16) O qmail é uma alternativa ao servidor SMTP sendmail. 12 O Windows 2003 Server armazena uma variedade de logs de eventos que podem ser utilizados como fonte de informação para resolver problemas e para monitorar o sistema. Assinale a opção que apresenta os três tipos de log utilizados pelo Windows 2003 Server para armazenar estes eventos. 01) Aplicação, Performance e Segurança. 02) Informação, Performance e Segurança. 04) Aplicação, Segurança e Sistema. 08) Informação, Segurança e Sistema. 16) Performance, Segurança e Sistema. 13 Relacione as colunas: É um aplicativo capaz de mostrar a utilização da rede detalhando a utilização por host, protocolo, etc. Funciona como um sniffer, ferramenta que analisa todo o tráfego que passa em um dispositivo de rede. Estas afirmações referem-se a qual aplicativo É um aplicativo open source de monitoramento de redes que verifica constantemente a disponibilidade dos serviços, local ou remoto. Ele ainda tem a opção de avisar por quando ocorre algum problema. O software é usado para acompanhamento em servidores, conferência de serviços e desempenho. Esta afirmação refere-se a qual aplicativo É considerada uma excelente ferramenta para gerar gráficos de desempenho. Este aplicativo funciona em sobre plataforma SNMP, ou seja, depois de configurado, gerencia vários dados que o SNMP fornece, como: espaço em disco, utilização da CPU, tráfego de rede, entre outros. Dentre os aplicativos relacionados qual o que realiza estas tarefas Nome dado as bases de informações de gerenciamento utilizadas pelo SNMP São tipos de servidores escravos, os quais recebem versões atualizadas dos mapas do seu servidor mestre, são usados para fornecer informações quando o servidor mestre está desativado e para espalhar a carga de solicitações de modo mais nivelado se necessário ( ) NAGIOS ( ) CACTI ( ) NTOP ( ) NIS ( ) MIB Em uma das alternativas abaixo, localize a seqüência dos números que você indicou e assinale o número da alternativa no cartão de respostas. 01) ) ) ) )

5 14 O utilitário que converte um Servidor Windows 2003 em um controlador de domínio é o 01) ntds.dit 02) gpedit.msc 04) adadmin 08) dcpromo 16) ntdsutil 15 O recurso do Windows Server 2003 que permite conexões remotas de usuários e utiliza o protocolo RDP é 01) DFS 02) NFS 04) WINS 08) Terminal Services 16) Active Directory 16 As caixas NAT são utilizadas por provedores de Internet com o objetivo de minimizar o problema de falta de endereços IP. Ao receberem um pacote que deve ser enviado para a Internet, além de converterem o endereço IP de o- rigem, elas armazenam o índice para sua tabela interna de mapeamento dentro do pacote, no campo 01) IHL do cabeçalho IP. 02) Protocol do cabeçalho IP. 04) Identification do cabeçalho IP. 08) Window size do cabeçalho TCP ou UDP. 16) Source port do cabeçalho TCP ou UDP. 17 Qual é o protocolo que realiza o handshake de três vias para estabelecer uma conexão? 01) DNS 02) UDP 04) TCP 08) TCP/IP 16) SNMP 18 Uma empresa possui matriz no Rio e escritórios em São Paulo, Fortaleza e Salvador, sendo que em cada uma dessas cidades existem computadores que serão interligados através de uma rede. Os itens abaixo descrevem as necessidades de comunicação que deverão ser atendidas. I - Em Fortaleza dois escritórios deverão ser interligados por equipamentos que dividam o tráfego entre eles. Neste caso, os equipamentos deverão atuar na camada interface de rede do TCP/IP sendo sua presença transparente para os computadores presentes na rede. II - Em Salvador vários departamentos deverão ser interligados. Neste caso, os equipamentos deverão atuar na camada de enlace do modelo OSI e dividir o tráfego entre os departamentos bem como possibilitar a comunicação simultânea entre os departamentos. Os equipamentos deverão utilizar uma tabela de endereços de MAC para ajudar a segmentar a rede. III - Para interligar as redes da matriz e demais localidades deverão ser utilizados equipamentos que atuam na camada de rede do modelo OSI e que permitam filtrar o tráfego. Para direcionar o tráfego ao local a- propriado os equipamentos deverão utilizar os endereços de rede. IV - Cada cidade funcionará como uma sub-rede, sendo que cada uma possuirá servidores que distribuirão automaticamente os endereços IP entre os computadores. A identificação das sub-redes será feita através de um byte sendo o endereço da rede pertencente à classe B. V - Em cada cidade haverá servidores para traduzir o nome das máquinas em endereços IP, sedo que cada um será responsável por um ou por vários subdomínios. Para suprir as demandas de impressão de São Paulo serão configuradas algumas máquinas Linux para funcionar como servidores de impressão, sendo que as estações de trabalho dos usuários possuem sistema operacional Windows 98 ou superior. Para atender a cada um destes itens foram propostas, respectivamente, as seguintes soluções: Utilizar pontes. Utilizar comutadores (switches). Utilizar hub. Utilizar o endereço de rede , a máscara de rede e de sub-rede e servidores DHCP. Configurar servidores DNS para a tradução de nomes e instalar o protocolo SAMBA nas máquinas Linux para a impressão. Com base nas informações acima, quais itens estariam sendo atendidos pelas soluções propostas? 01) I, II e IV 02) I, II e V 04) I, III e IV 08) II, III e V 16) III, IV e V

6 19 O Samba é um "software servidor" que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em rede. Com o servidor Samba 01) instalado no Sistema Operacional Windows 2003 é possível compartilhar arquivos e impressoras e controlar o acesso a determinados recursos de rede. 02) é possível instalar como um de seus serviços o servidor Web IIS, permitindo que se disponibilizem serviços adicionais como, por exemplo, FTP, WWW, SMTP e POP. 04) a configuração é feita em um único arquivo: o smb.ini. Esse arquivo geralmente fica localizado no diretório de instalação do Windows ou no System 32 para algumas versões do Windows Server. 08) utilizado para resolver conflitos existentes entre diferentes versões do Windows, todo trabalho feito por ele fica desprovido de segurança, uma vez que é inviável o gerenciamento de acesso aos recursos de rede para máquinas utilizando Windows 9x e Me. 16) executando no Sistema Operacional Linux é possível compartilhar recursos que podem ser utilizados pelas versões NT 4.0, 9x, Me, 2000, XP e Server 2003 do Windows. 20 Para o IIS 6.0, integrante do Windows Server 2003, são feitas as afirmativas abaixo. Analise-as, e assinale a alternativa correta. I - O acesso aos recursos IIS nos volumes NTFS é controlado pelas ACLs, exatamente como se o recurso estivesse sendo acessado pelo Cliente para rede Microsoft. II - O IIS tem permissões de diretórios e aplicativo e quando ambas as permissões IIS e NTFS são aplicadas, as permissões mais restritivas são efetivas. III - O IIS suporta vários níveis de autenticação, sendo que, como padrão, a autenticação anônima é a que permite que qualquer usuário se conecte às áreas de acesso público do site. 01) Apenas a afirmativa I é correta. 02) Apenas a afirmativa II é correta. 04) Apenas a afirmativa III é correta. 08) Apenas as afirmativas I e II são corretas. 16) Apenas as afirmativas II e III são corretas.

7 QUESTÕES SUBJETIVAS 21 Discorra sobre os conceitos básicos da infra-estrutura de chave pública (PKI). 22 A figura a seguir representa um ambiente composto de quatro switchs com suporte para o Gigabit Ethernet. Supondo que A, B e C sejam três sub-redes distintas, descreva dois protocolos integrantes da família IEEE 802 que devam estar habilitados nesses switchs, para que a rede funcione a contento. Na sua descrição, especifique as funcionalidades básicas de cada um dos protocolos. 23 O LDAP é um protocolo (executado sobre o TCP/IP) cliente-servidor, utilizado para acessar um serviço de Diretório. A figura a seguir representa um ambiente composto de três servidores web e clientes de diretório. Explique como funciona o modelo de serviço do Diretório LDAP.

8 PÁGINA 1 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

9 PÁGINA 2 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

10 PÁGINA 3 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

11 PÁGINA 4 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

12 PÁGINA 5 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

13 PÁGINA 6 DE 6 PARA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES SUBJETIVAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE REDE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES 1.

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA INFORMÁTICA 26. Considerando o sistema de numeração Hexadecimal, o resultado da operação 2D + 3F é igual a: a) 5F b) 6D c) 98 d) A8 e) 6C 27. O conjunto

Leia mais

Edital 012/PROAD/SGP/2012

Edital 012/PROAD/SGP/2012 Edital 012/PROAD/SGP/2012 Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Camada de Aplicação A camada de Aplicação é a que fornece os serviços Reais para os usuários: E-mail, Acesso a Internet, troca de arquivos, etc. Portas

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

Questionário de RC Nota3

Questionário de RC Nota3 Questionário de RC Nota3 Entrega: Individual e escrita à mão. Data de entrega: 30/10. Em todas as questões deverão constar o desenvolvimento da sua resposta, caso contrário a questão será desconsiderada.

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática - parte 2 Técnico Laboratório Informática NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO LABORATÓRIO

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Access Point Router 150MBPS

Access Point Router 150MBPS Access Point Router 150MBPS Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

Entendendo como funciona o NAT

Entendendo como funciona o NAT Entendendo como funciona o NAT Vamos inicialmente entender exatamente qual a função do NAT e em que situações ele é indicado. O NAT surgiu como uma alternativa real para o problema de falta de endereços

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 DHCP - ESAF 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 Um protocolo é um conjunto de regras e convenções para envio de informações em uma rede. Essas regras regem, além

Leia mais

Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede

Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede CAMADA DE APLICAÇÃO Professora: Juliana Cristina de Andrade E-mail: professora.julianacrstina@gmail.com Site: www.julianacristina.com

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

PROVA DE ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

PROVA DE ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA PROMOÇÃO INTERCLASSES PROVA DE ANALISTA DE INFORMÁTICA ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 01 Sobre os diferentes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE SUPORTE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática. Tecnólogo em Redes. Técnico Administrativo em Educação 2014. NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova

Concurso Público. Prova Prática. Tecnólogo em Redes. Técnico Administrativo em Educação 2014. NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática Tecnólogo em Redes NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova INSTRUÇÕES 1. A duração da prova é de 03 (três) horas.

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas REDES DE COMPUTADORES Edital Nº. 04/2009-DIGPE 0 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Introdução a Servidores

Projeto e Instalação de Servidores Introdução a Servidores Projeto e Instalação de Servidores Introdução a Servidores Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Perguntas iniciais O que você precisa colocar para funcionar? Entender a necessidade Tens servidor específico

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Prof. Macêdo Firmino Introdução à Disciplina (Ementa) Macêdo Firmino (IFRN) Sistemas Operacionais Novembro de 2012 1 / 9 Objetivos Conhecer os princípios básicos de um sistema operacional;

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO REDES DE COMPUTADORES 14/MAIO/2006 REDES DE COMPUTADORES

CONCURSO PÚBLICO CONCURSO PÚBLICO. GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN GRUPO MAGISTÉRIO REDES DE COMPUTADORES 14/MAIO/2006 REDES DE COMPUTADORES CONCURSO PÚBLICO REDES DE COMPUTADORES GRUPO MAGISTÉRIO Reservado ao CEFET-RN 14/MAIO/2006 Use apenas caneta esferográfica azul ou preta; Escreva o seu nome e o número do seu CPF no espaço indicado nesta

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

RMON Remote Network Monitoring

RMON Remote Network Monitoring RMON Remote Network Monitoring!"#$%&'(() $&*+, -. / /01 / 2 34 São dispositivos usados para estudar o trafego na rede como um todo, Produzem informação de sumário, incluindo estatísticas de erro, estatísticas

Leia mais

Cliente / Servidor. Servidor. Cliente. Cliente. Cliente. Cliente

Cliente / Servidor. Servidor. Cliente. Cliente. Cliente. Cliente Internet e Intranet Cliente / Servidor Cliente Servidor Cliente Cliente Cliente Cliente / Servidor SERVIDOR Computador ou equipamento que fornece algum tipo de serviço em redes (Armazenamento e compartilhamento

Leia mais

AULA 7: Remote Desktop

AULA 7: Remote Desktop AULA 7: Remote Desktop Objetivo: Praticar a aplicação de acesso remoto via protocolo RDP (Remote Desktop) em ambientes Microsoft Windows. Ferramentas: Máquina Virtual Windows 2003 Server; Máquina Virtual

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Fundamentos de Administração de Sistemas

Fundamentos de Administração de Sistemas Fundamentos de Administração de Sistemas Este curso tem como objetivo ensinar aos alunos conceitos de administração de um sistema Linux. Isto inclui o gerenciamento de contas de usuários, automação de

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. NÃO ESQUEÇA de assinar a LISTA DE PRESENÇA. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deve conter 14 (quatorze) questões, sendo 03 (três) de Língua Portuguesa e 10 (dez) de Conhecimentos Específicos e 1 (uma) questão

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO 802.1x UTILIZANDO SERVIDOR DE AUTENTICAÇÃO FREERADIUS Aluno: Diego Miranda Figueira Jose Rodrigues de Oliveira Neto Romário

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais

SolarWinds Kiwi Syslog Server

SolarWinds Kiwi Syslog Server SolarWinds Kiwi Syslog Server Monitoramento de syslog fácil de usar e econômico O Kiwi Syslog Server oferece aos administradores de TI o software de gerenciamento mais econômico do setor. Fácil de instalar

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy - italo@dcc.ufba.br Ponto de Presença da RNP na Bahia Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Administração de Redes,

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

Protocolos de Redes Revisão para AV I

Protocolos de Redes Revisão para AV I Protocolos de Redes Revisão para AV I 01 Aula Fundamentos de Protocolos Conceituar protocolo de rede; Objetivos Compreender a necessidade de um protocolo de rede em uma arquitetura de transmissão entre

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática. Técnico em Tecnologia da Informação. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática. Técnico em Tecnologia da Informação. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática Técnico em Tecnologia da Informação NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO EM TECNOLOGIA

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Serviços de Rede Prof: Jéferson Mendonça de Limas Ementa Configuração de Serviços de Redes; Servidor Web; Servidor de Arquivos; Domínios; Servidor de Banco de Dados; SSH; SFTP;

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Instalar o MarkVision

Instalar o MarkVision Instalando o 1 contas O apresenta diversos componentes instaláveis: Aplicativo - Instala o Utilitário Printer Management. Este aplicativo requer que o Servidor do esteja disponível na rede. Servidor do

Leia mais

Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação

Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação Catálogo de Serviços Tecnologia da Informação Marcio Mario Correa da Silva TRT 14ª REGIÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRT-14ª Região 2013 Sumário 1. Descrição: Acesso à Internet... 3 2. Descrição: Acesso

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo Sistemas de Monitoração de Rede Roberto Majewski Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2009 Resumo Com o grande crescimento da

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 09/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Winconnection 6. Internet Gateway

Winconnection 6. Internet Gateway Winconnection 6 Internet Gateway Descrição Geral O Winconnection 6 é um gateway de acesso à internet desenvolvido dentro da filosofia UTM (Unified Threat Management). Assim centraliza as configurações

Leia mais

Introdução ao Active Directory AD

Introdução ao Active Directory AD Introdução ao Active Directory AD Curso Técnico em Redes de Computadores SENAC - DF Professor Airton Ribeiro O Active Directory, ou simplesmente AD como é usualmente conhecido, é um serviço de diretórios

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP Servidor DHCP O Serviço de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) permite que você controle a configuração e distribuição de endereços

Leia mais

Processo Seletivo Instrutor nº 03/2011

Processo Seletivo Instrutor nº 03/2011 l CRONOGRAMAS E TEMAS DAS Verifique o dia, o horário e o local das aulas práticas no quadro-resumo e nas tabelas seguintes de acordo com o seu número de inscrição e o seu cargo. QUADRO-RESUMO CARGO DESCRIÇÃO

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Prof.: Roberto Franciscatto TCP/IP, endereçamento e portas TCP/IP? Dois protocolos TCP = Transfer Control Protocol IP = Internet Protocol

Leia mais

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP)

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP) "Visão geral da configuração da rede" na página 3-2 "Escolhendo um método de conexão" na página 3-3 "Conectando via Ethernet (recomendado)" na página 3-3 "Conectando via USB" na página 3-4 "Configurando

Leia mais

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Tecnologia Revisão 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Comunicação de Dados As redes de computadores surgiram com a necessidade de trocar informações, onde é possível ter acesso

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com ENLACE X REDE A camada de enlace efetua de forma eficiente e com controle de erros o envio

Leia mais

Configurando um Servidor de Arquivos SAMBA. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Configurando um Servidor de Arquivos SAMBA. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Configurando um Servidor de Arquivos SAMBA. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Porque usar o Servidor Samba Server? Compartilhamento de arquivos; Servidor de arquivos;

Leia mais

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback Modelos de Camadas Professor Leonardo Larback Modelo OSI Quando surgiram, as redes de computadores eram, em sua totalidade, proprietárias, isto é, uma determinada tecnologia era suportada apenas por seu

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 LIGANDO MICROS EM REDE Copyright 2007, Laércio Vasconcelos Computação LTDA DIREITOS AUTORAIS Este livro possui registro

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Protocolo TCP/IP É um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes sistemas operativos. Cada computador deve

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19 O autor... 11 Agradecimentos... 12 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Configurando e Implantando o Windows Server 2003 Fabricio Breve Requisitos de Hardware de Sistema Processador Mínimo: 266 MHz Mínimo ideal:

Leia mais

Interligação de Redes

Interligação de Redes REDES II HETEROGENEO E CONVERGENTE Interligação de Redes rffelix70@yahoo.com.br Conceito Redes de ComputadoresII Interligação de Redes Quando estações de origem e destino encontram-se em redes diferentes,

Leia mais

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com

Servidor IIS. Sorayachristiane.blogspot.com Servidor IIS Servidor IIS IIS Serviço de informação de Internet; É um servidor que permite hospedar um ou vários sites web no mesmo computador e cria uma distribuição de arquivos utilizando o protocolo

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 1.1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES...16 1.2 O PAPEL DO GERENTE DE REDES...18 1.3 VOCÊ: O MÉDICO DA REDE...20 1.4 REFERÊNCIAS...23 1.4.1 Livros...23

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp Aula 2 Servidor DHCP 2.1 dhcp DHCP é abreviação de Dynamic Host Configuration Protocol Protocolo de Configuração de Host (computadores) Dinâmico.Em uma rede baseada no protocolo TCP/IP, todo computador

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS TERMO DE REFERÊNCIA Serviços de informática Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS 1 I VISITA IN LOCO No dia 24 de junho de 2014 na sede da Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS realizamos

Leia mais