Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais"

Transcrição

1 Seminário Internacional sobre Governabilidade Democrática e Igualdade de Gênero CEPAL - Santiago do Chile 1-2 de dezembro de 2004 Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Gostaria inicialmente de agradecer à CEPAL, à Unidade Mulher e Desenvolvimento e, em especial, à Sonia Montaña o convite para estar participando deste Seminário Internacional e ter o prazer e a alegria de rever tantas amigas aqui presentes. A primeira constatacão importante que faço diante de tudo que foi falado aqui é referente aos avanços entre o que ocorre hoje em áreas de governo exercido por mulheres... em comparaçao com o momento histórico vivenciado por mim como Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher e depois Ministra da Mulher no Brasil. Conceitos como Governabilidade Democrática com a perspectiva da igualdade de gênero... incluindo metas mais claras sobre a participação das mulheres nas instâncias de poder... estratégias para influenciar realmente nas decisões políticas de nossos governos... são parte das novas análises das expositoras deste painel. Constato, sem duvida, um grande avanço!

2 Não estamos mais diante de uma reivindicação para que os governos instalem Mecanismos da Mulher, como consta do Plano de Açao da 5 a Conferencia da Mulher, de Pequim... Hoje temos em praticamente todos os países da América Latina e Caribe Ministérios da Mulher ou instituições semelhantes, que embora tenham características próprias e diferentes caminhos de institucionalizaçao da perspectiva de gênero em seus países, exercem um papel fundamental de coordenação e centralização de ações, o que permite desenvolver estratégias de transversalidade e de ingerência nas definições de políticas públicas mais focadas e mais ampliadas. Os novos desafios agora parecem apontar para questões mais complexas... como SER PODER? Como se MANTER NO PODER? Como participar efetivamente do PODER CONSTITUÍDO E CONSTITUCIONAL... com suas lógicas e códigos muitas vezes OCULTOS - e, ao mesmo tempo, ser uma autoridade de governo respeitada e de DIREITO PLENO... Como construir os vínculos entre a lógica hierarquica do PODER e as reivindicaçoes históricas dos movimentos de mulheres... Ou como caminhar dentro do governo - no sentido de construir pontes dentro do ESTADO em direçao à cidadania plena das mulheres... COM A PARTICIPAÇAO DAS MULHERES ORGANIZADAS... MAS TAMBÉM DE TODOS OS SEGMENTOS DE MULHERES da sociedade... POIS, às vezes, as portas estão fechadas, por mais que a democracia e os direitos normativos digam que não deve ser assim.

3 POIS, às vezes, o exercício do poder não é uma questão de direitos, senão de ter capacidade de negociar conflitos... e de criar agendas de governabilidade... E, portanto, para essas autoridades da Mulher, acaba sendo a sua capacidade individual de construir criativamente atalhos e simpatias para tornar vigente a governabilidade democratica... Quero salientar, também, o aspecto de que realmente existe um componente de solidão das mulheres nos cargos de governo... porque nao são apenas os mecanismos da mulher que são recentes. O poder que se atribui a esses Mecanismos da Mulher também é novo... E, com isso, há um certo silencio ou vazio QUE QUASE EXIGE tarefas nunca ditas de ter que, quase cotidianamente, reinventar caminhos e atalhos... para ir em direçao da própria democracia... Por isso... esses espaços de encontro das mulheres no governo, como o da CEPAL, são tão importantes. Aqui, o intercâmbio das experiências e da diversidade nos modos de exercício do Poder... permitem ir construindo uma nova história das mulheres... de continuidades... mesmo quando não existe continuidade entre os governos... e mesmo quando não temos a mesma compreensão sobre os processos políticos... Agora quero pedir permissão para trazer um exemplo das nossa dificuldades de representaçao e de exercicio do poder... e de como, apesar das diferenças, podemos continuar construindo juntas a luta política das mulheres. Fomos no Brasil o primeiro país a criar um mecanismo institucional dda mulher na América Latina : O CNDM - Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, em 1985, e fomos também um dos últimos na região a ter uma instancia da mulher como parte do governo. Entre 1985 a 2002, o Brasil manteve o Conselho CNDM- com representação dos movimentos de mulheres e da sociedade, como o órgão da sociedade civil responsável pelo planejamento

4 e implementação de políticas para as mulheres... apesar de não contar com as condições administrativas e financeiras para faze-lo, salvo em alguns momentos. Em 1999, face às reformas administrativas do Estado, era cada vez mais difícil gerir o CNDM com status de executor de políticas publicas sem status de governo. Ou seja, eram cada vez maiores as barreiras para que as mulheres executassem programas e desenhassem políticas de governo sem estrutura, sem orçamento próprio e sem instancias reais de negociação com o poder. Assim, como presidente do CNDM e depois de vários estudos, discussões e negociações do CNDM com diversas instancias de poder do Executivo, do parlamento... com parte dos movimentos de mulheres e com a ajuda sempre dinâmica da Dra. Ruth Cardoso, entendemos que a alternativa possível era reivindicar uma Secretaria de Estado, com status de Ministério, a exemplo de outros mecanismos da mulher na região e de acordo com a Plataforma de Beijing. O caminho foi muito árduo. Muito. As negociações foram muito difíceis, apesar de estarem baseadas em estudos, dados, pesquisas, indicadores, análise do programa Avança Brasil do governo federal... e dos recursos disponíveis... Finalmente, no dia 8 de março de 2002, e já no último ano do governo do Presidente Fernando Henrique, foi enviada ao Congresso Nacional a medida provisória do Presidente para a criação da Secretaria de Estado dos Direitos da Mulher. Nesse momento foi muito muito importante o apoio da Bancada Feminina do Congresso, formada por Deputadas Federais e Senadoras, que no Brasil funciona de forma suprapartidaria, que se articulou para a aprovação da medida provisória... que finalmente instalou a primeira Secretaria de Estado da Mulher no Brasil.

5 O que quero trazer com essa análise é que não podemos esquecer que os conflitos de poder existem em várias dimensões e também entre as mulheres. Eles têm diversos rostos e todos fazem parte do modo como nós mulheres podemos intervir no fazer e na construção da nossa historia... Para enfrentar essa situação de um certo isolamento da nova Secretaria, construimos dois cenários principais durante a minha curta gestão como ministra e que responderam ao momento que tivemos que viver. O primeiro deles foi com a ajuda das agencias internacionais, especialmente o UNIFEM e a CEPAL. O UNIFEM apoiou politicamente a criação da nova Secretaria com suporte logistico, estrutura física e de informática e reuniões com mulheres líderes dos movimentos. A CEPAL, através da Unidade Mulher e Desenvolvimento, e do projeto Governabilidade Democrática e Igualdade de Gênero, ofereceu apoio técnico de pesquisa e estudo, respaldo político e participou de reuniões para analisar as políticas de transversalizaçao das questões de gênero, modelos de focalização e de decentralização de políticas para a mulher, que eram historicamente parte da plataforma de estudos do CNDM para reivindicar uma Secretaria de Estado. O outro cenário construído foi a vinculação com o processo de transição política do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso para o governo do Presidente Luis Inacio Lula da Silva. Por capacidade de articulação dentro do governo, na condição de ministra E ISSO É MUITO IMPORTANTE pois como presidente do CNDM teria sido muito mais difícil - foi possível negociar pela primeira vez que o tema gênero fosse um dos itens do governo de transiçao... O QUE OBRIGOU os dois governos a se sentarem frente a frente e a discutirem os direitos da mulher, como um dos temas da agenda da transição.

6 Foi criada, assim, uma Comissão de Transição que abriu espaço de convocatória e debate para uma agenda de governabilidade democrática... entre os governos e os movimentos de mulheres... e esse fato se constituiu num marco para a institucionalizacão da questão de gênero no Brasil. Já no governo do Presidente Lula no anúncio das suas primeiras medidas foi acatada a maior reivindicação dos movimentos de mulheres que era o de ter uma Secretaria da Mulher subordinada diretamente à presidencia da República e não ao Ministerio da Justiça, ao qual estiveram vinculados, até entao, o CNDM e a primeira Secretaria. Pessoalmente, estou convencida de que sem os cenários construidos e sem o apoio do UNIFEM e da Unidade da Mulher & Desenvolvimento da CEPAL esses conflitos poderiam ter cindido a luta das mulheres brasileiras. Nao foram tempos fáceis... foram momentos de grande instabilidade para a luta das mulheres e para a reorganização nossa de uma nova forma de poder participativo entre governos e sociedade... num mundo, definitivamente, em mudanças... Ainda com relação a participação das mulheres nos espaços de poder, tema específico deste painel, percebemos pelos trabalhos apresentados e pela experiência observada no Brasil, que apesar dos esforços e das políticas afirmativas implantadas na maioria dos países, a influência das mulheres nos altos escalões de poder ainda é muito restrita. O sistema de cotas, adotado em muitos países da América Latina e Caribe, melhorou o acesso das mulheres aos espaços de poder mas, por si só, ainda não consegue resolver o problema da desigualdade nesta área, como está claro no texto de Lina Barreiro, quando ela afirma: En realidad es casi impossible que un mecanismo compulsivo, por bueno que fuera, pueda producir paridad. Son múltiplos los ejemplos de como culturalmente se consiguen burlar las disposiones de cuota

7 À Luz da minha experiência inclusive como advogada e Procuradora de Estado, constato que os Sistemas Eleitorais são excludentes; A distribuição dos Fundos Partidários continua encontrando formas de privilegiar os homens inclusive com manejo dos fundos de campanha. Mas, apesar disso, o sistema de cotas continua sendo a garantia mínima para que se coloque sobre a mesa os direitos da mulher de acesso à representatividade política. Pessoalmente, advogo que é possivel um novo esforço para revisão e ampliação dos modelos de cotas, pois a maioria das leis atuais tratam apenas de vagas para candidaturas. Também advogo que é possível avançar no sentido de alterar as leis que disciplinam as campanhas eleitorais, seja quanto ao financiamento, seja quanto ao uso dos meios de comunicação que se transformaram em artífices chaves das novas estruturas de organização e manutenção dos poderes políticos. Finalmente, considero muito importante, se quisermos melhorar não só quantitativamente, mas também qualitativamente o acesso das mulheres ao poder, que as mulheres de governo apoiem as negociações e a definição de políticas de capacitação das lideranças femininas, principalmente dentro dos partidos políticos e de forma descentralizada pelas regiões de cada país. Obrigada.

presidente Brasil Por Nízea Coelho

presidente Brasil Por Nízea Coelho a PRIMEIRA presidente do Brasil Por Nízea Coelho 1 Lula é um fenômeno no mundo Historiador, mestre e futuro doutor. Este é Leandro Pereira Gonçalves, professor de História do Centro de Ensino Superior

Leia mais

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago Segunda Cúpula das Américas Santiago, Chile, 18 e 19 de abril de 1998 Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago O seguinte documento é o texto completo da Declaração de Santiago assinada pelos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

Ano XXI No 4.302 www.senado.gov.br/jornal ESPECIAL. Brasília, terça-feira, 19 de maio de 2015

Ano XXI No 4.302 www.senado.gov.br/jornal ESPECIAL. Brasília, terça-feira, 19 de maio de 2015 Ano XXI No 4.302 www.senado.gov.br/jornal ESPECIAL Brasília, terça-feira, 19 de maio de 2015 JORNAL DO SENADO Na capa DE cada Dia, O país QUE O senado ajudou a TRaNsFORMaR De 1995 até hoje, o Jornal do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 70 Cerimónia de sanção do projeto

Leia mais

Governo eletrônico e revisão de processos básicos da administração pública: superando o falso conflito entre eficiência e transparência

Governo eletrônico e revisão de processos básicos da administração pública: superando o falso conflito entre eficiência e transparência Governo eletrônico e revisão de processos básicos da administração pública: superando o falso conflito entre eficiência e transparência José Carlos Vaz Introdução Este artigo faz parte do painel: O uso

Leia mais

Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14. Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro,

Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14. Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro, Intervenção Fórum de Empresas para a Igualdade de Género 27/03/14 Senhor Secretário de Estado do Emprego, meu caro colega Senhora Presidente da CITE, Dra. Sandra Ribeiro, Senhor Vice- Presidente Executivo

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre o Projeto de Decreto Legislativo nº 41, de 2013 (nº 564, de 2012, na origem), da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa

Leia mais

As desigualdades sociorraciais no Brasil

As desigualdades sociorraciais no Brasil 1 A Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen) e as eleições de 2010 As desigualdades sociorraciais no Brasil No Brasil republicano do século 21 existe igualdade apenas no papel da Lei. Não há efetivamente

Leia mais

Manual dos processos de abertura de vaga, recrutamento e seleção e admissão

Manual dos processos de abertura de vaga, recrutamento e seleção e admissão T Manual dos processos de abertura de vaga, recrutamento e seleção e admissão Processos e Conformidade Janeiro/2015 Rev. 0 3/16/2015 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA...3 3. DESENHO (Abertura de

Leia mais

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA RAQUEL MONTEIRO DA SILVA FREITAS (UFPB). Resumo Essa comunicação objetiva apresentar dados relacionados ao plano

Leia mais

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 PAUTA INTERNA 1 - ORGANIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SINDICAL 1 Assegurar condições de igualdade para homens e mulheres exercerem com autonomia o trabalho sindical nas diversas secretarias

Leia mais

www.brazilmachinery.com

www.brazilmachinery.com dce@abimaq.org.br Fone: 11 5582-5722 Fax: 11 5582-6348 RINO www.brazilmachinery.com Apoio AGÊNCIA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES DO BRASIL www.abimaq.org.br VOCÊ PODE LEVAR SUA EM PARA O MUNDO TODO. O Brasil

Leia mais

Política, Democracia e Cidadania

Política, Democracia e Cidadania Política, Democracia e Cidadania Por um jovem brasileiro atuante Por Floriano Pesaro Vereador, líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo. Natural de São Paulo, Floriano é sociólogo formado

Leia mais

TJDFT na mídia. Eles defendem a descriminalização das drogas

TJDFT na mídia. Eles defendem a descriminalização das drogas 1 de 7 24/4/2013 15:16 TJDFT na mídia http://tjdft.myclipp.inf.br Segunda-feira, 22 de Abril de 2013 Revista Isto É/SP Comportamento Seg, 22 de Abril de 2013. 08:43:00. REVISTA ISTO É COMPORTAMENTO TJDFT

Leia mais

Segredo Profissional. Revista do VI Congresso dos Advogados Portugueses. José Pedro AGUIAR-BRANCO Advogado

Segredo Profissional. Revista do VI Congresso dos Advogados Portugueses. José Pedro AGUIAR-BRANCO Advogado Segredo Profissional Revista do VI Congresso dos Advogados Portugueses José Pedro AGUIAR-BRANCO Advogado Porto, 22 de Setembro de 2005 Segredo de Justiça Se o Mercado, sem o direito, é uma selva, uma Sociedade,

Leia mais

Matriz de análise. para a identificação de políticas justas de igualdade de gênero

Matriz de análise. para a identificação de políticas justas de igualdade de gênero Matriz de análise para a identificação de políticas justas de igualdade de gênero Este documento fue realizado bajo la supervisión de Sonia Montaño, Directora de la División de Asuntos de Género de la

Leia mais

O DESAFIO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NOS CURRICULOS E NAS PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

O DESAFIO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NOS CURRICULOS E NAS PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 1 O DESAFIO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NOS CURRICULOS E NAS PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Ana Carolina Corrêa 1 RESUMO O presente artigo pretende refletir sobre a urgente e necessária efetivação da

Leia mais

AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB.

AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB. ADPF 186 AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB. O QUÊ PEDEM OS DEMOCRATAS A ação movida pelo Democratas impugna

Leia mais

Portugiesisch Informações do Presidente da Comissão Eleitoral da Baixa Saxónia

Portugiesisch Informações do Presidente da Comissão Eleitoral da Baixa Saxónia Portugiesisch Informações do Presidente da Comissão Eleitoral da Baixa Saxónia Princípios do sistema de eleições autárquicas da Baixa Saxónia Princípios do sistema de eleições autárquicas da Baixa Saxónia

Leia mais

14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA

14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA 14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA (Colômbia, 14 de dezembro de 2005) Atendendo ao convite formulado pelo Senhor Presidente da República

Leia mais

Seguridade Social e Dívida Pública Maria Lucia Fattorelli i

Seguridade Social e Dívida Pública Maria Lucia Fattorelli i Seguridade Social e Dívida Pública Maria Lucia Fattorelli i Uma das mais importantes conquistas sociais alcançadas com a Constituição Federal de 1988 foi a institucionalização da Seguridade Social, organizada

Leia mais

Prof. Fernando Lopes. Unidade II. Administração de Cargos e

Prof. Fernando Lopes. Unidade II. Administração de Cargos e Prof. Fernando Lopes Unidade II Administração de Cargos e Salários Conforme Chiavenato (2004, p. 267), a avaliação de cargos visa a obtenção de dados que permitirão uma conclusão acerca do valor interno

Leia mais

NOTÍCIAS OFICINA DE AVALIAÇÃO

NOTÍCIAS OFICINA DE AVALIAÇÃO EDITORIAL O Conselho Nacional dos Direitos do Idoso CNDI, órgão colegiado de caráter deliberativo, cuja finalidade é elaborar as diretrizes para a formulação e implementação da Política Nacional do Idoso,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 64 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

EL SUS ANTE LA DUALIDAD DEL SISTEMA DE SALUD EN UN CONTEXTO FEDERATIVO: TENSIONES PARA LA CONSTRUCCIÓN DE LA UNIVERSALIDAD EN BRASIL

EL SUS ANTE LA DUALIDAD DEL SISTEMA DE SALUD EN UN CONTEXTO FEDERATIVO: TENSIONES PARA LA CONSTRUCCIÓN DE LA UNIVERSALIDAD EN BRASIL Seminario internacional El establecimiento y la renovación de pactos sociales para una protección social más inclusiva: experiencias, retos y horizontes en América Latina, desde una perspectiva internacional

Leia mais

O Instituto LIFE é responsável pelo

O Instituto LIFE é responsável pelo LIFE CertificaçãoLIFE Lasting Initiative For Earth O Instituto LIFE é responsável pelo desenvolvimento e gestão do sistema de Certificação LIFE. A Certificação LIFE reconhece organizações que desenvolvem

Leia mais

À Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) As organizações brasileiras que subscrevem esse documento manifestam:

À Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) As organizações brasileiras que subscrevem esse documento manifestam: 07 de julho de 2014 À Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) REF: Acordo Regional sobre o Princípio 10 As organizações brasileiras que subscrevem esse documento manifestam: Reconhecendo

Leia mais

Recebo com emoção o título de doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira.

Recebo com emoção o título de doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Discurso do Ex-Presidente Lula Outorga do Título de Doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira 1 de Março de 2013 Recebo com emoção o título de doutor

Leia mais

DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE

DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE UFMG, BELO HORIZONTE, BRASIL 16 a 19 de setembro de 2007.

Leia mais

1. Introdução. Igor Arsky 1

1. Introdução. Igor Arsky 1 A sustentabilidade dos programas e políticas públicas de captação e manejo de água de chuva para a garantia da soberania e segurança alimentar no semi-árido brasileiro. Igor Arsky 1 1 Coordenador do Programa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 106 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

LOS BANCOS DEL TIEMPO Y EL FOMENTO DE LA CIUDADANÍA ACTIVA BANCOS DE TEMPO EM PORTUGAL E CIDADANIA ATIVA

LOS BANCOS DEL TIEMPO Y EL FOMENTO DE LA CIUDADANÍA ACTIVA BANCOS DE TEMPO EM PORTUGAL E CIDADANIA ATIVA LOS BANCOS DEL TIEMPO Y EL FOMENTO DE LA CIUDADANÍA ACTIVA BANCOS DE TEMPO EM PORTUGAL E CIDADANIA ATIVA I O outro sentido do mesmo tempo O tempo da CIDADANIA ATIVA CRONOS Dificuldade em contabilizar o

Leia mais

PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROPOSTAS APROVADAS NA PLENÁRIA FINAL DA VII CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EIXO 1 Processo Histórico da Participação Popular no País: nossa cidade e territórios em movimento; Trajetória e

Leia mais

Declaração da Cidade de Quebec

Declaração da Cidade de Quebec Declaração da Cidade de Quebec Nós, os Chefes de Estado e de Governo das Américas, eleitos democraticamente, nos reunimos na Cidade de Quebec, na III Cúpula, para renovar nosso compromisso em favor da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 17 Discurso no encerramento do Fórum

Leia mais

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA

PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA RELATÓRIO 2009-2011 PRESIDÊNCIA GRUPO DE MULHERES PARLAMENTARES DAS AMÉRICAS DO FIPA Linda Machuca Moscoso Membro da Assembléia Nacional do Equador RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO 2009-2011 Este resumo executivo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Da elaboração à aplicação de engajamentos regionais e internacionais em matéria de desenvolvimento sustentável: o papel dos parlamentares Presidente: Síntese das conferências

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 47 Discurso ao receber o Prémio Príncipe

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC Conselho Municipal de Meio Ambiente - CONSEMAC

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC Conselho Municipal de Meio Ambiente - CONSEMAC PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC Conselho Municipal de Meio Ambiente - CONSEMAC Indicação CONSEMAC nº 031/2013, de 19 de abril de 2013. Dispõe sobre a

Leia mais

CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES

CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES 1 CONCEPÇÃO E PRÁTICA DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: UM OLHAR SOBRE O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A discussão que vem sendo proposta por variados atores sociais na contemporaneidade

Leia mais

8 Jeitos de Mudar o Mundo

8 Jeitos de Mudar o Mundo 8 Jeitos de Mudar o Mundo No dia 8 de setembro de 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) sintetizou uma série de acordos internacionais firmados em diversas cúpulas mundiais e desenvolveu a Declaração

Leia mais

TÍTULO: Núcleo de Assessoria Jurídica Popular

TÍTULO: Núcleo de Assessoria Jurídica Popular TÍTULO: Núcleo de Assessoria Jurídica Popular AUTOR: Agenor de Souza Santos Sampaio Neto E-MAIL: sampaioneto@ig.com.br INSTITUIÇÃO: FABAC Faculdade Baiana de Ciências ÁREA TEMÁTICA: Direitos Humanos 1.

Leia mais

Senhor Presidente do Congresso Nacional, Senador Renan Calheiros,

Senhor Presidente do Congresso Nacional, Senador Renan Calheiros, Senhor Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, Senhor Presidente do Congresso Nacional, Senador Renan Calheiros, Senhor Presidente da Câmara de Deputados, Dep. Aldo Rebelo, Senhor Procurador-Geral

Leia mais

O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA

O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA Andrea Palmerston Muniz 1 Jones Ferreira Matos 2 Lília Mara Sousa Ribeiro 3 Marciene Batista Soares 4 RESUMO: O presente

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão Alexandre Martins Joca 1 Resumo: Nas últimas décadas o movimento homossexual brasileiro tem reivindicado

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Presidência da República Federativa do Brasil Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial A SEPPIR CRIAÇÃO A Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)

Leia mais

Como Passar em Química Geral*

Como Passar em Química Geral* 1 Como Passar em Química Geral* por Dra. Brenna E. Lorenz Division of Natural Sciences University of Guam * traduzido livremente por: Eder João Lenardão; acesse o original em : http://www.heptune.com/passchem.html

Leia mais

Desenvolvimento urbano social, econômico e. proporcionar uma moradia adequada para todos e todas. 1. ONU-Habitat 2. Agenda Pós-2015 3.

Desenvolvimento urbano social, econômico e. proporcionar uma moradia adequada para todos e todas. 1. ONU-Habitat 2. Agenda Pós-2015 3. Desenvolvimento urbano social, econômico e ambientalmente Estrutura sustentável da Apresentação com o objetivo de proporcionar uma moradia adequada para todos e todas. 1. ONU-Habitat 2. Agenda Pós-2015

Leia mais

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ Princípio A segurança pública deve promover a cidadania e prevenir a criminalidade. Princípio As políticas de segurança pública devem ser transversais.

Leia mais

Grande Expediente do Deputado Henrique Afonso PT do Acre. 22 de novembro de 2005

Grande Expediente do Deputado Henrique Afonso PT do Acre. 22 de novembro de 2005 Grande Expediente do Deputado Henrique Afonso PT do Acre 22 de novembro de 2005 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados. Neste momento extremamente importante da educação brasileira, quando este

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL

PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE NA ESCOLA ESPECIAL HELEN KELLER CAXIAS DO SUL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE FILOSOFIA E EDUCAÇÃO PROJETO NOSSA ESCOLA PESQUISA SUA OPINIÃO - PÓLO RS CURSO ESCOLA E PESQUISA: UM ENCONTRO POSSÍVEL ELENISE PEREIRA PROJETO DE PESQUISA ACESSIBILIDADE

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável nas Terras

Desenvolvimento Sustentável nas Terras Seminário Internacional Promovendo o Desenvolvimento Sustentável nas Terras Secas Africanas 2/11/2011 1 Desenvolvimento Sustentável Individuais Autonomia Atendimento das necessidades sociais da gerações

Leia mais

Brasília, 29 de agosto de 2001 O BRASIL E OS ACORDOS INTERNACIONAIS

Brasília, 29 de agosto de 2001 O BRASIL E OS ACORDOS INTERNACIONAIS IV REUNIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DOS ORGAOS GESTORES DE SAÚDE AMBIENTAL DOS MINISTÉRIOS DA SAÚDE E I FÓRUM DE SAÚDE E AMBIENTE DA REGIÃO DAS AMÉRICAS Brasília, 29 de agosto de 2001 O BRASIL

Leia mais

GUIA DE RECURSO DE GLOSAS

GUIA DE RECURSO DE GLOSAS Logo da Empresa GUIA DE RECURSO DE GLOSAS 2- Nº Guia no Prestador 12345678901234567890 1 - Registro ANS 3 - Nome da Operadora 4 - Objeto do Recurso 5 - Número da Guia de Recurso de Glosas Atribuído pela

Leia mais

Cód. 12 Assistente Social I

Cód. 12 Assistente Social I EMPRESA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO DE CAMPINAS S/A EMDEC CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2010 Cód. 12 Assistente Social I 1. Os direitos sociais são direitos fundamentais do homem, caracterizando-se como verdadeiras

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 114 Pronunciamento no encerramento

Leia mais

Desenvolvimento Local com Justiça Social: Uma Estratégia Alternativa de Combate à Pobreza em Angola.

Desenvolvimento Local com Justiça Social: Uma Estratégia Alternativa de Combate à Pobreza em Angola. Desenvolvimento Local com Justiça Social: Uma Estratégia Alternativa de Combate à Pobreza em Angola.. Introdução Um projeto de desenvolvimento que priorize o combate à pobreza não pode se limitar ao desejo

Leia mais

PLANO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015-2019

PLANO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015-2019 PLANO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO 2015-2019 São Paulo, 20 de junho de 2015 Sumário I. CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 II. OBJETIVOS DO PLANO... 4 III. DIRETRIZES DO PLANO... 5 IV. A ECONOMIA

Leia mais

Introdução a Engenharia de Produção. Instrumentos de Avaliação. EMENTA do curso. Bibliografia Básica. Instrumentos de Avaliação 20/03/2012

Introdução a Engenharia de Produção. Instrumentos de Avaliação. EMENTA do curso. Bibliografia Básica. Instrumentos de Avaliação 20/03/2012 Introdução a Engenharia de Produção Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO Introdução a Engenharia de Produção Objetivos 1. Apresentar ao educando o curso de Engenharia de Produção com suas diversas

Leia mais

cn~ COMISSÃO NACIONAL DE ELEiÇÕES ATA N.o 90/XIV Teve lugar no dia sete de maio de dois mil e treze, a reunião número noventa

cn~ COMISSÃO NACIONAL DE ELEiÇÕES ATA N.o 90/XIV Teve lugar no dia sete de maio de dois mil e treze, a reunião número noventa ATA N.o 90/XIV Teve lugar no dia sete de maio de dois mil e treze, a reunião número noventa da Comissão Nacional de Eleições, na sala de reuniões sita na D. Carlos I, n.o 128-7. andar, em Lisboa, sob a

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador PAULO PAIM

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador PAULO PAIM PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA, sobre a Sugestão nº 4, de 2009, a qual propõe a apresentação de projeto de lei que modifica a redação do único do art. 38

Leia mais

Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros

Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros Portaria n.º /2010 Contratação temporária para o Ensino Português no Estrangeiro Nos termos do artigo 32.º do Decreto-Lei n.º 165/2006, de 11 de Agosto,

Leia mais

Introdução. La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres

Introdução. La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres Introdução La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres (Jorge Luis Borges) O objeto de estudo desta pesquisa consiste na história

Leia mais

ONGs republicanas e democráticas em um novo cenário político

ONGs republicanas e democráticas em um novo cenário político ONGs republicanas e democráticas em um novo cenário político Silvio Caccia Bava Silvio Caccia Bava é sociólogo, coordenador executivo do Instituto Pólis e membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar

Leia mais

MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS

MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS A Importância da Economia Social Economia social é uma realidade muito importante na Europa, proporcionando emprego remunerado a mais de 14,5 milhões de europeus que

Leia mais

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL março de 2013 UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL os três eixos balizadores de nossa plataforma Vamos mudar: vote a favor de uma UNAFISCO comprometida

Leia mais

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' Lewandowski critica voto secreto no Congresso Para ministro do Supremo, "esse modo de pensar é incompatível com a Constituição" 'Sessão secreta não é compatível

Leia mais

GOVERNANÇA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, INTEGRIDADE AMBIENTAL E JUSTIÇA SOCIAL

GOVERNANÇA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, INTEGRIDADE AMBIENTAL E JUSTIÇA SOCIAL GOVERNANÇA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, INTEGRIDADE AMBIENTAL E JUSTIÇA SOCIAL Versão de subsídios aos debates por ocasião da Rio+20 Brasília, Junho de 2012 O Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais

Leia mais

WORKSHOP DE PESQUISA PROJETO ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA E DEMOCRACIA

WORKSHOP DE PESQUISA PROJETO ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA E DEMOCRACIA WORSHOPS SEMANAIS DO NÚCLEO DE ESTUDOS FISCAIS DA ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS 08/06/2015 Apresentação As reuniões semanais do Núcleo de Estudos Fiscais (NEF) têm o objetivo

Leia mais

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Introdução Antes de mais nada, temos que ter claro que não existe uma receita pronta para a inserção da dimensão ambiental no currículo escolar,

Leia mais

O PMDB E OS DESAFIOS DA ELEIÇÃO DE 2010

O PMDB E OS DESAFIOS DA ELEIÇÃO DE 2010 22 O PMDB E OS DESAFIOS DA ELEIÇÃO DE 2010 The Brazilian Democratic Movement Party (PMDB) and the challenges of the elections of 2010 Eliseu Padilha Deputado Federal (PMDB RS) e Presidente da Comissão

Leia mais

As Novas Tecnologias e o Processo Legislativo Parlamentar

As Novas Tecnologias e o Processo Legislativo Parlamentar CAMARA DOS DEPUTADOS As Novas Tecnologias e o Processo Legislativo Parlamentar Lúcio Henrique Xavier Lopes XII Encontro da Associação dos Secretários- Gerais dos Parlamentos de Língua Portuguesa CAMARA

Leia mais

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor (a): ROGÉRIO MANOEL FERREIRA 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor (a): ROGÉRIO MANOEL FERREIRA 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 2º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professor (a): ROGÉRIO MANOEL FERREIRA 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA ROTEIRO DE ESTUDO GABARITO DAS QUESTÕES DE SOCIOLOGIA Estudante: Turma: Data:

Leia mais

INTRODUÇÃO A RELEVÂNCIA DOS BRICS

INTRODUÇÃO A RELEVÂNCIA DOS BRICS INTRODUÇÃO Entre os dias 04 e 06 de junho de 2012, a cidade do Rio de Janeiro sediará a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), durante a qual entidades da sociedade civil

Leia mais

ESCOLA X LÍNGUA PADRÃO, IDEOLOGIA E PRECONCEITO LINGÜÍSTICO

ESCOLA X LÍNGUA PADRÃO, IDEOLOGIA E PRECONCEITO LINGÜÍSTICO 1 ESCOLA X LÍNGUA PADRÃO, IDEOLOGIA E PRECONCEITO LINGÜÍSTICO LIDIANE SCHLOTEFELDT SOBROZA 1 lidisobrosa@yahoo.com.br ABSTRACT El presente artigo objetiva traer reflexiones acerca de la relaciones entre

Leia mais

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir?

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? EXPOSIBRAM 2011 14º Congresso Brasileiro de Mineração Painel 5 Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? Márcio Pereira Meio Ambiente e Sustentabilidade Belo Horizonte, 28.9.2011

Leia mais

1) Você tem conta bancária?

1) Você tem conta bancária? 1) Você tem conta bancária? Sim 33 37 Não 67 63 2) Você sabe quanto paga de tarifas bancárias? Sim 36 33 Não 64 67 3) O custo das tarifas bancárias influi (ou influiria) na sua escolha de qual banco tornar-se

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período De 2 a 25 de março de 205 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 6 anos ou mais Amostra 2002 entrevistas em 42 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

Democracia em movimento! Tese do coletivo Universidade em Movimento para o XI Congresso das/dos Estudantes da USP

Democracia em movimento! Tese do coletivo Universidade em Movimento para o XI Congresso das/dos Estudantes da USP Democracia em movimento! Tese do coletivo Universidade em Movimento para o XI Congresso das/dos Estudantes da USP Concepção de Universidade e Fundação da USP Cada vez mais torna-se necessário discutir

Leia mais

CONCURSO DE FOTOGRAFIA

CONCURSO DE FOTOGRAFIA CONCURSO DE FOTOGRAFIA Igualdade em Albufeira Apoios: Financiado por REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA Enquadramento Concurso de fotografia subordinado ao Tema Igualdade em Albufeira, instituído pela

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras

Leia mais

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br 3º Seminário de Proteção Escolar / Secretaria da Educação 20 e 21 de agosto de 2014 / Serra Negra 1 Diferenças culturais

Leia mais

Pobreza e Exclusão Social

Pobreza e Exclusão Social Pobreza e Exclusão Social Fontes de Informação Sociológica Carlos Ramos Coimbra, 2010 Ficha Técnica Titulo: Pobreza, Exclusão Social e Integração Este trabalho foi elaborado por Carlos Miguel Pereira Ramos,

Leia mais

A FORMAÇÃO DO CONHECIMENTO EM DIREITOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO

A FORMAÇÃO DO CONHECIMENTO EM DIREITOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO A FORMAÇÃO DO CONHECIMENTO EM DIREITOS HUMANOS PARA A EDUCAÇÃO Resumo Jaderson Felisberto Valério 1 - PUCPR Reginaldo Rodrigues da Costa 2 - PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e

Leia mais

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 Os 3 Passos Estratégicos para ser Aprovado em Concursos Priorizando os temas do Edital Gerson Aragão Ex-Defensor Público VERSÃO 2.1 Atualizado 12.11.2015 Índice Apresentação.. 03

Leia mais

MENSAGEM N.º 344, DE 2014 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 344, DE 2014 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 344, DE 2014 (Do Poder Executivo) AVISO Nº 453/14 C. Civil Tratado de Marraqueche para Facilitar o Acesso a Obras Publicadas às Pessoas Cegas, com Deficiência Visual ou

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE

1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE PROJETO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL DO VALE DO RIBEIRA E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS PRIORITÁRIOS 1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Discurso na cerimónia de posse

Leia mais

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012 Financiamento para o desenvolvimento Novembro/2012 Agenda Contexto dos investimentos em infraestrutura no Brasil Desafios para a realização de investimentos em infraestrutura 1 Brasil Média Global Países

Leia mais

EDITAL VRERI nº. 050/2015 CHAMADA PARA SELEÇÃO DO PROGRAMA FAEPEX INTERNACIONAL 2015

EDITAL VRERI nº. 050/2015 CHAMADA PARA SELEÇÃO DO PROGRAMA FAEPEX INTERNACIONAL 2015 EDITAL VRERI nº. 050/2015 CHAMADA PARA SELEÇÃO DO PROGRAMA FAEPEX INTERNACIONAL 2015 A Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, por meio de sua Vice-Reitoria Executiva de Relações Internacionais VRERI,

Leia mais

CGU Controladoria-Geral da União OGU Ouvidoria-Geral da União Coordenação-Geral de Recursos de Acesso à Informação

CGU Controladoria-Geral da União OGU Ouvidoria-Geral da União Coordenação-Geral de Recursos de Acesso à Informação Controladoria-Geral da União OGU Ouvidoria-Geral da União Coordenação-Geral de Recursos de Acesso à Informação PARECER Referência: 25820.002668/2015-53 Assunto: Restrição de acesso: Recurso contra decisão

Leia mais

DIREITOS E IGUALDADES EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS

DIREITOS E IGUALDADES EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS DIREITOS E IGUALDADES EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO: DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS Carlos Ugo Santander Universidade Federal de Goiás - UFG csantander@hotmail.com Resumo: O artigo tem como objetivo discutir as questões

Leia mais

Seminário Nacional. Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde

Seminário Nacional. Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde Seminário Nacional Comunicação, Informação e Informática em Saúde Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde Informação e Comunicação Que Qualidade? Que Pacto? Aurea Maria da Rocha Pitta

Leia mais