Relatório de Actividades 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Actividades 2010"

Transcrição

1 Relatório de Actividades

2 DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA Relatório de Actividades 2010 Abril 2011 Direcção-Geral da Política de Justiça Av. Óscar Monteiro Torres, 39, Lisboa 2

3 Índice 1 NOTA INTRODUTÓRIA MISSÃO E ATRIBUIÇÕES ORIENTAÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS PROSSEGUIDAS PELO ORGANISMO.6 2 AUTO-AVALIAÇÃO CONCRETIZAÇÃO DO QUAR DE 2010 DA DGPJ ANÁLISE DAS CAUSAS DE INCUMPRIMENTO DE ACTIVIDADES OU PROJECTOS NÃO EXECUTADOS OU COM RESULTADOS INSUFICIENTES ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS PREVISTAS E NÃO PREVISTAS NO PLANO DE ACTIVIDADES DESENVOLVIMENTO DE MEDIDAS PARA UM REFORÇO POSITIVO DO DESEMPENHO AUDIÇÃO DE DIRIGENTES INTERMÉDIOS E DEMAIS TRABALHADORES NA AUTO-AVALIAÇÃO DOS SERVIÇOS AFECTAÇÃO REAL E PREVISTA DOS RECURSOS HUMANOS, FINANCEIROS E MATERIAIS APRECIAÇÃO POR PARTE DOS UTILIZADORES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA DPGJ AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLO INTERNO (SCI) BALANÇO SOCIAL AVALIAÇÃO FINAL APRECIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DOS RESULTADOS ALCANÇADOS MENÇÃO DE PROPOSTA PELO DIRIGENTE MÁXIMO DO SERVIÇO COMO RESULTADO DA AUTO-AVALIAÇÃO

4 1 NOTA INTRODUTÓRIA A Direcção-Geral da Política de Justiça (DGPJ) é um serviço da administração directa do Estado, estando sujeito ao sistema de avaliação e desempenho dos Serviços da Administração Pública (SIADAP 1) instituído pelo Lei nº 66-B/2007, de 28 de Dezembro. O presente relatório de actividades inclui assim o relatório de auto-avaliação do serviço, parte integrante do relatório de actividades anual, evidenciando os resultados alcançados e os desvios verificados em relação ao QUAR aprovado, em particular face aos objectivos anualmente fixados (art.º 15.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro). O relatório está estruturado de acordo com as orientações técnicas divulgadas na reunião do Conselho Coordenador da Avaliação de Serviços (CCAS) de 4 de Março de MISSÃO E ATRIBUIÇÕES A Direcção-Geral da Política de Justiça tem por missão prestar apoio técnico, acompanhar e monitorizar políticas, assegurar o planeamento estratégico e a coordenação das relações externas e de cooperação, sendo ainda responsável pela informação estatística do sector da Justiça (artigo 2º, n.º 1 do Decreto-Lei n.º 123/2007, de 27 de Abril). A DGPJ prossegue as seguintes atribuições definidas na sua lei orgânica (artigo 2º, n.º 2 do Decreto-Lei n.º 123/2007, de 27 de Abril): Apoiar o membro do Governo responsável pela área da Justiça na concepção, acompanhamento e avaliação das políticas, prioridades e objectivos do MJ, bem como na definição e execução de políticas no domínio da Justiça com a União Europeia, outros governos e organizações internacionais; Conceber, preparar, analisar e apoiar tecnicamente a execução de iniciativas, medidas legislativas, políticas e programas no âmbito do MJ e proceder à sua avaliação; 4

5 Assegurar a recolha, utilização, tratamento e análise da informação estatística da Justiça e promover a difusão dos respectivos resultados, no quadro do sistema estatístico nacional; Auxiliar no desenvolvimento de planos estratégicos para a rede judiciária e para os diversos serviços da administração da justiça, bem como antecipar e acompanhar o impacte das alterações sociais, económicas e normativas na caracterização, localização e actividade dos órgãos, serviços e organismos da administração da Justiça; Proceder à elaboração de documentos estratégicos para o sector da justiça, nomeadamente através da formulação de contributos para as Grandes Opções do Plano, acompanhando e avaliando a sua execução; Apoiar a definição das principais opções em matéria orçamental; Assegurar o desenvolvimento dos sistemas de avaliação de serviços no âmbito do Ministério, coordenar e controlar a sua aplicação e exercer as demais competências que lhe sejam atribuídas na lei sobre esta matéria; Conduzir a política e articular as acções de cooperação na área da justiça, coordenar a acção e prestar apoio aos representantes do Estado Português nos órgãos internacionais do sector e promover e apoiar as medidas de cooperação jurídica e judiciária com outros Estados, sem prejuízo das atribuições próprias do Ministério dos Negócios Estrangeiros; Acompanhar e apoiar a política internacional do Estado Português na área da justiça, coordenando a representação do MJ na negociação de convenções, acordos e tratados internacionais, bem como em comissões, reuniões, conferências, ou organizações similares; Acompanhar as questões relativas ao contencioso da União Europeia nas matérias da justiça; Recolher e estudar as normas de direito internacional e de direito da União Europeia aplicáveis ou em relação às quais o Estado Português se pretenda vincular, bem como estudar e divulgar a jurisprudência, a doutrina e a política comunitárias para o sector. 5

6 1.2 ORIENTAÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS PROSSEGUIDAS PELO ORGANISMO A DGPJ, conforme orientações definidas pela tutela, seguiu as principais linhas estratégicas definidas no Programa do XVIII Governo Constitucional e nas Grandes Opções do Plano para , de modo a definir em consonância os objectivos do seu Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) para No quadro das Grandes Opções do Plano apresentadas para insere-se, no âmbito da Justiça, a 5ª Grande Opção Elevar a Qualidade da Democracia, modernizando o Sistema Político e colocando a Justiça e a Segurança ao serviço dos cidadãos. De acordo com a 5ª Grande Opção do Plano, foram definidas as prioridades estratégicas para a DGPJ de forma a melhor contribuir para os objectivos principais de valorização da área da Justiça, os quais seguidamente se evidenciam: Desmaterialização e simplificação dos processos judiciais; Garantir uma Justiça mais célere e acessível; Promover o descongestionamento processual; Impulsionar a inovação tecnológica; Reforçar a eficácia na prevenção, na investigação e na punição do crime; Reforçar o combate à corrupção através da cooperação internacional. Assegurou-se a continuidade dos projectos iniciados anteriormente com carácter plurianual e assumiu-se o compromisso de realizar novos projectos prioritários para o sector da Justiça, tendo sido definidos oito objectivos estratégicos (OE) no QUAR da DGPJ de 2010, os quais são concretizados nos objectivos operacionais e respectivos indicadores de realização constantes igualmente do QUAR (cf. Capítulo 2.1.) O QUAR da DGPJ foi aprovado por despacho do Ministro da Justiça, a 8 de Março de 2010, e publicado na página electrónica da DGPJ em cumprimento do nº 5 do artigo 10.º da Lei nº 66-B/ 2007 de 28 de Dezembro. Foram definidos os seguintes objectivos estratégicos: OE 1: Difundir conhecimento produzido na DGPJ. OE 2: Promover celeridade processual e descongestionamento dos tribunais. 6

7 OE 3: Conceber, propor e monitorizar medidas que contribuam para melhorar o regime do acesso ao direito. OE 4: Elaborar e apoiar a elaboração de projectos de actos legislativos e regulamentares. OE 5: Promover cultura de valor público dotando serviços do Ministério Justiça de instrumentos necessários à aplicação do SIADAP 1. OE 6: Assegurar, no âmbito do Projecto HERMES, que as estatísticas justiça constituem um instrumento de planeamento, gestão e avaliação do sistema de justiça. OE 7: Desenvolver uma estratégia integrada de cooperação jurídica, judiciária e para o desenvolvimento que reforce o posicionamento de Portugal nos planos bilateral, multilateral e multi-bi. OE 8: Consolidar uma visão integrada do Direito Penal, do Direito Civil e de outras áreas do Direito contribuindo activamente para a definição de políticas internacionais em matéria de justiça na União europeia e nas várias organizações e organismos internacionais e regionais. 7

8 2 AUTO-AVALIAÇÃO 2.1 CONCRETIZAÇÃO DO QUAR DE 2010 DA DGPJ Da análise dos resultados constantes do QUAR de 2010 da DGPJ verifica-se que, em termos quantitativos, a avaliação final do serviço foi de 112,5%. Dos oito objectivos operacionais inscritos no QUAR foram cumpridos sete objectivos, dos quais quatro foram superados. Um dos objectivos não foi cumprido a 100% porque o seu cumprimento ocorreu fora do prazo previsto. Este grau de concretização dos objectivos corresponde a uma avaliação final de Desempenho Satisfatório, por não ter sido atingido um objectivo (artigo 18º da Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro). O grau de concretização do QUAR, dos objectivos operacionais e respectivos indicadores consta do QUAR da DGPJ que seguidamente se apresenta. 8

9 9

10 A apreciação dos resultados atingidos no QUAR não releva apenas para efeitos de avaliação de desempenho da DGPJ, sendo necessário aliar esta análise ao conteúdo da informação fornecida ao abrigo do art.º 15 n.º 2 da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro: a apreciação, por parte dos utilizadores, da quantidade e qualidade dos serviços prestados; a avaliação do Sistema de Controlo Interno; as causas de incumprimento de acções ou projectos não executados ou com resultados insuficientes; as medidas que devem ser tomadas para um reforço positivo do seu desempenho; a comparação com o desempenho de serviços idênticos, no plano nacional e internacional e a audição de dirigentes intermédios e dos demais trabalhadores. Releva, ainda, para efeitos de avaliação do serviço, outras actividades e projectos concretizados fora do âmbito do QUAR (ver capítulo 2.3). Para melhor compreensão do grau de cumprimento do QUAR procede-se à descrição detalhada da concretização dos objectivos e dos respectivos indicadores. OBJECTIVO 1 CONCEBER, PROPOR E MONITORIZAR MEDIDAS QUE CONTRIBUAM PARA MELHORAR REGIME DE ACESSO AO DIREITO Meta: 100% Resultado: 105,09% Desvio: 5,09% Descrição da concretização do objectivo: Este objectivo é composto por 3 indicadores. O grau de concretização dos indicadores definidos para a medição do cumprimento deste objectivo permitiu a sua superação em 5,09%. Verificou-se que os indicadores que tiveram maior impacto na superação do objectivo foram os indicadores 2 e 3, conforme melhor explicitado na descrição da concretização de cada um deles. Quanto aos resultados obtidos para cada um dos indicadores que integram o objectivo foi o seguinte o grau de concretização dos mesmos: 10

11 IND 1 Estudo sobre estatuto do defensor oficioso Meta: Semana 30 Resultado: (30) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: O relatório foi elaborado e disponibilizado ao público, no sítio da DGPJ, a 26 de Julho, semana 30, dentro da data prevista. IND 2 Consolidação do Código de Processo Penal Meta: Semana 48 Resultado: (41) 114,58% Desvio: 14,58% Descrição da concretização: O relatório foi elaborado e disponibilizado ao público, no sítio da DGPJ, a 15 de Outubro, semana 41, superando-se a meta definida com um desvio positivo de 7 semanas. IND 3 Consolidação do Código de Processo Civil Meta: Semana 42 Resultado: (41) 102,38% Desvio: 2,38% Descrição da concretização: O relatório foi elaborado e disponibilizado ao público, no sítio da DGPJ, a 15 de Outubro, semana 41, superando-se a meta definida com um desvio positivo de uma semana. OBJECTIVO 2 AUMENTAR UTILIZAÇÃO DAS ESTATÍSTICAS DA JUSTIÇA Meta: 100% Resultado: 130% Desvio: 30% Descrição da concretização do objectivo: Este objectivo é medido por três indicadores, todos eles cumpridos e dois dos quais superados. 11

12 O indicador Divulgação de destaques estatísticos temáticos foi o que mais contribuiu para a concretização do objectivo por ser um dos indicadores com maior peso e pelo resultado alcançado ser superior em 50% da meta definida. IND 4 Celebração de protocolos relativos à utilização de bases de dados do SIEJ Meta: 4 protocolos Resultado: (5) 125% Desvio: 25% Descrição da concretização: Indicador superado em mais 1 protocolo celebrado do que o previsto. A celebração dos protocolos ocorreu com as seguintes entidades: Comissão para a Eficácia das Execuções (CPEE), Polícia Judiciária, Observatório do Tráfico de Seres Humanos (OTSH), Procuradorias-Gerais Distritais e Direcção-Geral da Administração Interna (DGAI). IND 5 Divulgação de destaques estatísticos temáticos Meta: 6 destaques estatísticos temáticos Resultado: (8) 133% Desvio: 33% Descrição da concretização: Indicador superado com um desvio positivo em relação à meta de mais 2 destaques estatísticos temáticos. Dos nove destaques estatísticos temáticos elaborados, oito foram divulgados: Condenações por homicídio conjugal em processos-crime na fase de julgamento findos nos tribunais judiciais de 1ª instância, nos anos de 2007 e 2008 (01/04/2010); Movimento processual nos tribunais judiciais de 1ª instância (30/04/2010); Movimentos processuais dos procedimentos de injunção ( ) (07/09/2010); Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância ( ) (29/10/2010); Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (26/11/2010), que se subdivide em três: 1) Condenados por crimes de violência doméstica e de maus tratos ( ); 2) Condenados por homicídio conjugal ( ); 3) Condenações por homicídio conjugal ( ); 12

13 Estatísticas da Justiça - Resultados estatísticos actualizados de 2009 sobre os serviços prisionais, a reinserção social, a actividade dos registo e notariado (06/12/2010). IND 6 Elaboração de publicação sintética com principais indicadores da Justiça Meta: 1 publicação Resultado: (1) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Foi elaborada uma publicação sintética com os principais indicadores da Justiça, disponibilizada no sítio da DGPJ, a 30 de Dezembro de OBJECTIVO 3 ELABORAR E APOIAR A ELABORAÇÃO DE ACTOS LEGISLATIVOS E REGULAMENTARES Meta: 100% Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização do objectivo: Objectivo constituído por apenas um indicador, tendo o indicador sido cumprido na totalidade, pelo que o objectivo foi cumprido a 100%. A descrição detalhada desta informação encontra-se na secção das actividades não directamente relacionadas com os objectivos operacionais, no quadro da Política Legislativa e Planeamento. IND 7 Assegurar conclusão do projecto legislativo de transposição de instrumentos da União Europeia em tempo adequado para permitir entrada em vigor no prazo estabelecido Meta: 100% dos projectos legislativos Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Todos os instrumentos da União Europeia foram transpostos em tempo adequado de modo a permitir a sua entrada em vigor nos prazos estabelecidos. A descrição detalhada desta informação encontra-se na secção das actividades não directamente relacionadas com os objectivos operacionais, no quadro da Política Legislativa e Planeamento. 13

14 OBJECTIVO 4 AUMENTAR O NÚMERO DE OPERAÇÕES ESTATÍSTICAS POR RECOLHA AUTOMÁTICA DE DADOS Meta: 100% Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização do objectivo: Objectivo constituído por dois indicadores, ambos cumpridos a 100%. IND 8 Aumento do número de aplicações para recolha automática de dados estatísticos Meta: 3 interfaces automáticos implementados Resultado: (3) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Foram implementados três interfaces para recolha automática de dados estatísticos: com o IGFIJ relativo aos dados estatísticos sobre custas judiciais, com a Conservatória dos Registos Centrais para os dados estatísticos de atribuições e aquisições de nacionalidade e com a Polícia de Segurança Pública para recolha de dados estatísticos da criminalidade registada por esta entidade. IND 9 Redução da carga administrativa nos serviços notadores Meta: 3 formulários que deixam de ser preenchidos manualmente Resultado: (3) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Foi reduzida a carga administrativa relativa a três operações estatísticas, concretizada através do desenvolvimento de soluções alternativas para a recepção de dados sobre constituições de pessoas colectivas e outras entidades equiparadas, dissoluções de pessoas colectivas e outras entidades equiparadas e crimes registados na PSP. 14

15 OBJECTIVO 5 - CONCEBER PROPOR E MONITORIZAR MEDIDAS DE PROMOÇÃO DA CELERIDADE PROCESSUAL E DE DESCONGESTIONAMENTO DOS TRIBUNAIS Meta: 100% Resultado: 91,18% Desvio: -8,82% Descrição da concretização do objectivo: Dos quatro indicadores definidos para este objectivo, três foram cumpridos e um não foi atingido a 100% por ter ficado aquém da meta prevista para a sua realização, pelo que o objectivo não foi cumprido na totalidade verificando-se um desvio negativo de 8,82%. IND 10 Relatório de avaliação do regime jurídico de litigância de má-fé Meta: Semana 48 Resultado: (48) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: O relatório de avaliação do regime jurídico de litigância de má-fé foi elaborado e disponibilizado, no sítio da DGPJ, dia 3 de Dezembro, semana 48, dentro da meta prevista. IND 11 Relatório de avaliação do regime jurídico da insolvência Meta: Semana 48 Resultado: (48) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: O relatório de avaliação do regime jurídico da insolvência foi elaborado e disponibilizado, no sítio da DGPJ, dia 3 de Dezembro, semana 48, dentro da meta prevista. IND 12 Relatório de avaliação do plano de acção de descongestionamento dos tribunais (PADT) Meta: Semana 17 Resultado: (22) 70,59% Desvio: -29,41% 15

16 Descrição da concretização: O relatório anual de avaliação do plano de acção de descongestionamento dos tribunais (PADT) foi elaborado e remetido para o GMJ a 18 de Maio de 2010 (Ofício n.º112/gdg). A sua publicação no sítio da DGPJ efectuou-se a 2 de Julho de 2010, semana 22, pelo que houve um desvio de cinco semanas de atraso face à meta prevista. IND 13 Estudo de avaliação do impacto da divulgação da duração média das acções Meta: Semana 48 Resultado: (48) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: O estudo de avaliação do impacto da divulgação da duração média das acções foi elaborado e divulgado, no sítio da DGPJ, a 30 de Novembro, semana 48, dentro da meta prevista. OBJECTIVO 6 GARANTIR A APLICAÇÃO DO SIADAP 1 NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Meta: 100% Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização do objectivo: Este objectivo é mensurado por quatro indicadores, que foram concretizados a 100%, sendo o desvio nulo. IND 14 Validar indicadores de desempenho dos QUAR dos serviços MJ relativos a 2010 Meta: Percentagem de QUAR validados (100%) Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: A DGPJ assegurou a validação dos objectivos e indicadores do QUAR para 2010, de todos os serviços do MJ. IND 15 Elaborar parecer com análise crítica das auto-avaliações recebidas dos serviços relativa à avaliação 2009 Meta: Semana 22 Resultado: (22) 100% Desvio: 0% 16

17 Descrição da concretização: A DGPJ recebeu 9 relatórios de auto-avaliação dos serviços até Maio de Com base nesses relatórios a DGPJ elaborou e remeteu para o GMJ, na semana 22, os pareceres com a análise crítica da auto-avaliação desses serviços. Posteriormente, foram recepcionados os restantes relatórios e produzidos os respectivos pareceres com análise crítica sobre a auto-avaliação dos mesmos. IND 16 Elaborar proposta de distinção de mérito dos serviços MJ relativamente à avaliação de 2009 Meta: Semana 30 Resultado: (30) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Neste âmbito foi elaborado um Relatório de análise comparada da avaliação do desempenho dos serviços do Ministério da Justiça, distinguindo-se dois serviços como os merecedores da distinção de mérito (Oficio n.º 196/GDG, de 28 de Julho de 2010). Mais tarde este relatório ficou sem efeito por força do n.º 3, artigo 18º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, que prevê a homologação ou alteração das menções propostas pelos serviços e após parecer da DGPJ, relativamente às auto-avaliações. Assim, a DGPJ produziu um novo relatório em consonância com todas as homologações recebidas (Oficio n.º 16/GDG, de 21 de Janeiro de 2011), tendo-se atribuído a distinção de mérito apenas a um serviço do MJ. IND 17 Elaborar relatórios de monitorização quadrimestrais dos QUAR dos serviços MJ relativos a 2010 Meta: 100% Resultado: 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Os relatórios de monitorização quadrimestrais e um quadro global com o estado de cumprimento dos indicadores dos QUAR dos serviços do Ministério da Justiça foram enviados aos respectivos serviços e tutelas, permitindo fazer uma análise comparativa quanto ao estado de cumprimento dos indicadores dos serviços do Ministério da Justiça. Para além disso, foi remetido a cada serviço um quadro que permite comparar o cumprimento do seu QUAR com o estado do cumprimento dos QUAR dos outros serviços do Ministério da Justiça, sem 17

18 contudo ser fornecida a identificação dos restantes serviços. No total foram elaborados 24 relatórios de monitorização conforme a meta prevista. OBJECTIVO 7 AUMENTAR A QUALIDADE DAS ESTATÍSTICAS DA JUSTIÇA Meta: 100% Resultado: 137,13% Desvio: 37,13% Descrição da concretização do objectivo: A concretização deste objectivo dependia de quatro indicadores que foram todos superados tendo o objectivo tido um desvio positivo de 37,13%. IND 18 Percentagem de operações estatísticas cuja divulgação é efectuada sem atrasos Meta: 75% de operações estatísticas Resultado: (86,80) 115,73% Desvio: 15,73% Descrição da concretização: Foram divulgadas sem atraso 86,8% das operações estatísticas. Da informação divulgada destacam-se os dados da criminalidade registada em 31 de Março; dados do movimento de processos nos tribunais e dos registos e notariado em 30 de Abril (com excepção dos Tribunais Administrativos e Fiscais); dados de outras entidades em 31 de Maio (com excepção da Comissão de Apoio às Vítimas de Crimes); dados de caracterização de processos findos nos tribunais em 30 de Setembro (com excepção das custas); actualizações em 31 de Outubro e 30 de Novembro. IND 19 Nível de satisfação dos utilizadores do SIEJ Meta: Grau de satisfação médio de 95% das respostas recebidas em 3,5 pontos, numa escala de 1 a 5 Resultado: (3,98) 113,71% Desvio: 13,71% Descrição da concretização: O grau de satisfação apurado foi de 3,98 pontos, numa escala de 1 a 5 pontos possíveis, para 95% das respostas recebidas, tendo a meta (3,5 pontos) sido ultrapassada em 0,48 pontos. Isto equivale a dizer que o indicador obteve uma taxa de concretização de 113,71% o que corresponde a um desvio de 13,71%. 18

19 IND 20 Redução do tempo de disponibilização de microdados INE sobre constituições e dissoluções de pessoas colectivas Meta: Redução de 26% em relação aos dados de 2009 Resultado: (45%) 173,08% Desvio: 73,08% Descrição da concretização: Os microdados passaram a ser enviados ao INE, até ao final de 2010, com uma dilação de 3 meses, pelo que a redução do tempo de disponibilização foi de 45%. IND 21 Tempo médio de resposta a pedidos de informação estatística Meta: Numero médio de dias (5) de resposta para 95% dos pedidos Resultado: (2,7) 146% Desvio: 46% Descrição da concretização: O tempo médio de resposta a pedidos de esclarecimento e de informação estatística foi de 2,7 dias para 95% dos pedidos, pelo que a meta foi largamente superada com um desvio positivo de 46%. OBJECTIVO 8 DESENVOLVER ESTRATÉGIA INTEGRADA DE COOPERAÇÃO QUE REFORÇE O POSICIONAMENTO DE PORTUGAL NO PLANO BILATERAL E MULTILATERAL Meta: 100% Resultado: 150% Desvio: 50% Descrição da concretização do objectivo: Objectivo composto por dois indicadores, dos quais um foi superado, pelo que o objectivo apresenta um desvio de 50%. IND 22 Promover internacionalmente transferência de boas práticas nacionais no sector da justiça Meta: 4 boas práticas divulgadas Resultado: (8) 200% Desvio: 100% 19

20 Descrição da concretização: No final do ano apurou-se que foram divulgadas 8 boas práticas. Foi efectuado um acompanhamento às visitas das várias delegações que se deslocaram a Portugal para contacto com as boas práticas decorrentes da introdução da simplificação de procedimentos na área da Justiça (Empresa na Hora, Registos On-line, Documento Único Automóvel, CITIUS, sistema de estatísticas, etc.), sendo de destacar: as visitas da China, da Bulgária, da Áustria, da França, da Letónia, da Noruega, da Croácia e da Argentina, superando-se a meta com um desvio de 100%. IND 23 Elaborar Plano Integrado Multi-anual de Cooperação Internacional do MJ Meta: 1 Plano Resultado: (1) 100% Desvio: 0% Descrição da concretização: Foi apresentada uma primeira versão do Plano à Direcção. 20

21 2.2 ANÁLISE DAS CAUSAS DE INCUMPRIMENTO DE ACTIVIDADES OU PROJECTOS NÃO EXECUTADOS OU COM RESULTADOS INSUFICIENTES O QUAR 2010 da DGPJ apresenta um objectivo como incumprido, tendo a concretização do objectivo sido de 91,18%, resultado aquém do que era previsto. O principal motivo que explica este acontecimento prende-se com um atraso na elaboração e disponibilização do Relatório de Avaliação do Plano de Acção de Descongestionamento dos Tribunais (PADT), conforme melhor descrito no capítulo 2.1. Não houve necessidade de serem revistos/eliminados objectivos e indicadores do QUAR, pelo que as restantes actividades ou projectos compreendidos no QUAR foram executados conforme previsto e dentro dos prazos mencionados. 2.3 ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS PREVISTAS E NÃO PREVISTAS NO PLANO DE ACTIVIDADES Este capítulo descreve a concretização das actividades definidas no Plano de Actividades da DGPJ. Uma vez que algumas dessas actividades, sobretudo as incluídas nas secções respeitantes à área da política legislativa e planeamento estavam também previstas no QUAR, remete-se a descrição da sua concretização para o capítulo 2.1. que descreve em detalhe a concretização dos objectivos constantes do QUAR da DGPJ. Para além dos projectos e actividades constantes do QUAR, a DGPJ desenvolveu outros projectos e actividades não contempladas nesse documento estratégico, estando previstas no Plano de Actividades de 2010, pelo que também deve ser aferida a sua concretização. Por outro lado, outras actividades ou projectos decorreram de necessidades não previsíveis, pelo que não foram incluídas no Plano de Actividades, havendo contudo a necessidade de lhes ser dada resposta para cumprimento de novas orientações definidas pela tutela ou para responder a contingências não previsíveis do próprio serviço. Todas estas actividades constituíram um enorme desafio para o serviço, que com empenho tentou atingir dentro dos prazos previstos todas as actividades programadas no Plano de Actividades, no decorrer do ano transacto. 21

22 OE 1 Difundir conhecimento produzido pela DGPJ OO 1.1 Difundir conhecimento e informação através de vários suportes N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Reorganização e actualização do site da DGPJ Edição de newsletter da DGPJ Divulgação de estudos e relatórios em diferentes suportes Semana 26 Semana Cumprido. Foram actualizadas as páginas dedicadas ao Planeamento Estratégico, nomeadamente as páginas relativas ao SIADAP (4 de Novembro de 2010), e na área da Política Legislativa optou-se por criar uma área nova dedicada à Avaliação do Impacto Normativo, (Novembro 2010). Na área das Relações Internacionais foram integralmente revistas as páginas dedicadas às Cooperação Internacional (19 de Abril de 2010). Foram também integralmente revistas todas as páginas das Leis da Justiça (inclusão do sumário em todos os diploma e sua reorganização de acordo com uma lógica temática e alfabética Junho , publicados o índice sistemático e as versões consolidadas do CPP e do CPC). Superado. Entrega da nota descritiva da newsletter para aprovação em 15 de Julho de Envio do 1º número a 28 de Setembro (semana 39) e do 2º número em 26 de Novembro. Cumprido. Foram divulgados no site da DGPJ, em 2010, os seguintes relatórios, perfazendo um total de 10: - Estudo sobre o defensor oficioso; - Estudo do dimensionamento do número de agentes de execução; - Relatório da Comissão de Acompanhamento do Sistema de Acesso ao Direito (CASAD); 22

23 4 Elaboração de contributos para a Revista Scientia Iuridica 4 - III exercício de avaliação dos recursos cíveis; - Relatório de monitorização do PADT (Jan./Dez. 2009); - Avaliação sucessiva do regime das insolvências (Dez. 2010); - Divulgação da duração média das acções judiciais (Nov. 2010); - Avaliação de impacto do regime jurídico da litigância de má fé (Nov. 2010); - Contributos para a promoção da celeridade processual (Set. 2009); - Análise comparada dos sistemas de cobrança de dívidas (Jul. 2009); - Simplificação da Acção Executiva (Out. 2009). Não realizado. OE 2 Promover celeridade processual e descongestionamento dos tribunais OO 2.1 Avaliação do Regime Jurídico da Litigância de Má Fé N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração de estudo incluindo estudo de direito comparado sobre regime jurídico da litigância de má-fé (Indicador 10, do OB5, do QUAR) OO Avaliação do regime jurídico da insolvência Semana 48 Cumprido. Disponível no sítio da Internet desde 3 de Dezembro (semana 48). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração de Relatório de Avaliação incluindo estudo Cumprido. Disponível no sítio da Internet desde 3 de 23

24 de direito comparado e início do processo de divulgação de divulgação e discussão pública (Indicador 11, do OB5, do QUAR) OO Previsibilidade da duração média das acções Semana 48 Dezembro (semana 48). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Estudo de avaliação do impacto da divulgação da duração média das acções e início do processo de divulgação do mesmo (Indicador 13, do OB5, do QUAR) OO Promover a celeridade processual Semana 48 Cumprido. Disponível no site desde 30 de Novembro (semana 48). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Elaboração de relatório anual e início do processo de divulgação do mesmo Incumprido. Este trabalho não chegou a ser realizado por falta de disponibilidade de meios (por parte da 1 Semana 39 DSEJI) para a realização dos cerca de 2250 inquéritos por telefone, junto dos tribunais, para averiguação da duração média das várias fases processuais. OO Promover o descongestionamento dos tribunais Avaliação dos Planos de Acção para o Descongestionamento dos Tribunais (PADT) N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração de relatório anual e início do processo de divulgação do mesmo (Indicador 12, do OB5, do QUAR) Semana 17 OO Promover o Descongestionamento dos Tribunais Acção Executiva Cível Incumprido. Envio do Relatório a 18 de Maio de 2010 (Ofício n.º 112/GDG) e publicação no sítio da Internet da DGPJ a 2 de Junho de 2010, semana 22, pelo que verifica-se um desvio de cinco semanas de atraso face à meta prevista. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Apresentação de Plano para reduzir a elevada pendência Superado. O Plano foi apresentado à Direcção no dia 1 Semana 13 das acções executivas 18 de Fevereiro (semana 7). 2 Relatório anual de monitorização da acção executiva Semana 43 Cumprido. Por decisão da direcção, procedeu-se a uma 24

25 3 4 5 Colaboração na elaboração de regulamentação em falta da simplificação da acção executiva Colaboração na apresentação de critérios de eficácia a utilizar pela CPEE Estudo do dimensionamento do número de agentes de execução OO Avaliação do Novo Regime dos Recursos Cíveis Semana % Semana 43 redefinição dos contornos desta tarefa, tendo-se optado, antes, por levar a cabo um trabalho de campo nos Juízos e Varas Cíveis de Lisboa, no âmbito da execução do Plano para reduzir a elevada pendência das acções executivas cíveis anteriores a 2003, que deu lugar ao competente relatório. Cumprido. Foi apresentada à tutela proposta de constituição de grupo de trabalho para consecução desta tarefa. Não se conhecem outros desenvolvimentos. Cumprido. Contributos remetidos à CPEE. Superado. Contributos remetidos à Direcção no dia 24 de Setembro (semana 38). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração de Relatório de avaliação e início do processo de divulgação de divulgação e discussão pública Semana 52 Cumprido. Disponível no sítio da Internet desde 31 de Dezembro. OE 3 Conceber, propor e monitorizar medidas que contribuam para melhorar o regime de acesso ao direito OO Participação e Coordenação do CASAD Comissão de Acompanhamento do Sistema de Acesso ao Direito N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração do Relatório de Avaliação do Sistema de Acesso ao Direito Semana 39 Incumprido. A Comissão, na sua nova formulação, não reuniu em 2010, o que inviabilizou a realização da tarefa. No entanto, a DGPJ com o objectivo de acompanhar a regulamentação do Sistema de Acesso ao 25

26 OO Acesso ao Direito e redefinição do estatuto do Defensor Oficioso Direito procedeu à apresentação de um Anteprojecto de portaria que concretizou um conjunto de medidas identificadas no 1º Relatório Anual de Monitorização do Sistema de Acesso ao Direito, elaborado em Agosto de 2009, tendo, ainda, participado num Grupo de Trabalho que estudou a problemática do financiamento do Sistema de Acesso ao Direito. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração de Relatório de Avaliação e início do processo de divulgação de divulgação e discussão pública (Indicador 1, do OB1, do QUAR) OO Desenvolvimento das leis da justiça Semana 30 Cumprido. Disponível no sítio da Internet desde 26 de Julho (semana 30). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Promoção da celebração de protocolos com outras entidades Semana 13 Consolidação do Código de Processo Civil (Indicador 3, do OB1, do QUAR) Consolidação do Código de Processo Penal (Indicador 2, do OB1, do QUAR) OO Plano de acção para promover a simplificação da linguagem jurídica Semana 42 Semana 48 Cumprido. Concretizaram-se as negociações tendentes à futura celebração do protocolo entre a DGPJ e a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa. Superado. Disponível no sítio da Internet desde 15 de Outubro (semana 41). Superado. Disponível no sítio da Internet desde 15 de Outubro (semana 41). N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Promoção da celebração de protocolos com outras entidades Semana 13 Simplificação da linguagem das citações e notificações Semana 26 Cumprido. Foram feitos contactos informais com a Direcção da Português Claro, no sentido de se estabelecer um protocolo com a Português Claro. Incumprido. Transitou para o Plano de Actividades de

27 OE 4 Elaborar e apoiar a elaboração de projectos de actos legislativos e regulamentares OO 4.1 Divulgação de boas práticas no âmbito da legística N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Edição e divulgação do Guia de Avaliação do Impacte dos Actos Normativos Seminário avaliação impacto normativo Semana 40 Semana 40 OO 4.2 Elaboração e participação na feitura de actos legislativos e regulamentares Superado. A edição e divulgação do Guia ocorreu em Setembro de Cumprido. O seminário realizou-se no dia 8 de Outubro de 2010 (semana 40), dentro da meta prevista. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Participação na Comissão criada para elaborar os projectos de diploma necessários à regulamentação da Lei n.º 112/2009, de 16 de Setembro, que estabelece o regime jurídico aplicável à violência doméstica Transposição de instrumentos da UE em tempo adequado para permitir entrada em vigor no prazo estabelecido (Indicador 7, do OB3, do QUAR) 100% 100% Cumprido. Verificou-se a participação em 4 reuniões do grupo de trabalho e em 3 reuniões intercalares para preparação de projectos de diploma como, por exemplo, o que aprova os modelos do estatuto da vítima do crime de violência domestica. Cumprido. OE 5 Promover cultura centrada na criação de valor público dotando os serviços do Ministério da Justiça de instrumentos necessários à aplicação do SIADAP 1 OO Garantir a aplicação do SIADAP 1 no Ministério da Justiça 27

28 N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Elaborar relatórios de monitorização quadrimestral dos QUAR dos serviços MJ relativos a 2010 (Indicador 17, do OB6, do QUAR) Elaborar parecer com análise crítica das auto-avaliações recebidas dos serviços relativas a 2009 (Indicador 15, do OB6, do QUAR) Validação dos indicadores de desempenho dos QUAR relativos 2010 enviados DGPJ (Indicador 14, do OB6, do QUAR) Elaborar proposta de distinção de mérito entre os serviços do Ministério Justiça relativo 2009 (Indicador 16, do OB6, do QUAR) Participação nas reuniões do Conselho Coordenador Avaliação e respectivos grupos de trabalho 100% Semana % Semana 30 Totalidade reuniões (100%) OO Organizar espaços de reflexão/formação para reforço competência dos serviços do Ministério Justiça Cumprido. Foram elaborados, para todos os serviços do Ministério da Justiça, abrangidos pelo SIADAP 1, os relatórios de acompanhamento quadrimestrais ao QUAR. Cumprido. A DGPJ elaborou, para cada serviço, um parecer com base na auto-avaliação efectuada pelos mesmos, dando posterior conhecimento do parecer ao respectivo membro do Governo e a cada um dos serviços. As avaliações recebidas dentro do prazo foram elaboradas conforme previsto. Cumprido. Foram validados os objectivos e indicadores do QUAR para 2010, de todos os serviços do MJ. Cumprido. Foi elaborada proposta de distinção de mérito entre os serviços do MJ, com base na análise comparada à auto-avaliação feita pelos mesmos, tendo sido enviada para apreciação do Ministro da Justiça dentro do prazo definido (Ofício n.º 196/GDG, de 28 de Julho de 2010). Cumprido. Em termos gerais, tentou-se acompanhar e assegurar a participação nas reuniões e grupos de trabalho do CCAS. Foram, ainda, fornecidos sempre que solicitado, contributos neste âmbito. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Organizar sessões de informação/reflexão 3 Incumprido. Estava prevista a realização de 3 workshops, sendo que um deles ficou comprometido por questões administrativas. Contudo realizaram-se com sucesso dois workshops: 28

29 2 3 4 Efectuar consultadoria aos serviços do Ministério da Justiça 100% Preparar do modelo de questionário para divulgação aos serviços (a clientes e colaboradores) Divulgação de informação do CCA 2 100% 1 - Realizou-se dia 25 de Outubro de 2010, nas instalações da Direcção-Geral da Política de Justiça, um Workshop sobre a aplicação do Balanced Scorecard em serviços públicos; 2 - Realizou-se dia 18 de Novembro de 2010, nas instalações da Direcção-Geral da Política de Justiça (DGPJ), um Workshop sobre o novo template de QUAR para 2011 e a solução tecnológica GEADAP. Cumprido. A DGPJ disponibilizou permanentemente apoio e parecer técnico aos serviços do MJ. Incumprido. Por decisão superior a divulgação aos serviços, do modelo de questionário para aferição do grau de satisfação dos colaboradores, não ocorreu em 2010, tendo a sua concretização sido transferida para o próximo ano (2011). A divulgação do modelo de questionários aos serviços iria ter lugar no Workshop previsto na medida 1 deste objectivo. Quanto ao modelo de questionário de satisfação para aferição do grau de satisfação dos clientes foram concebidos mas não chegaram a ser divulgados. Cumprido. Toda a informação do CCA foi divulgada em tempo útil. OE 6 - Assegurar, no âmbito do Projecto HERMES, que as estatísticas da Justiça constituem um instrumento efectivo de planeamento, de gestão e de avaliação do sistema de Justiça OO Aumentar a utilização das estatísticas da Justiça N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 29

30 Celebração de protocolos relativos à utilização das bases de dados do Sistema de Informação das Estatísticas da Justiça (Indicador 4, do OB2, do QUAR) 4 Realização de sessões de apresentação do sistema de consulta Divulgação de destaques estatísticos temáticos 6 (Indicador 5, do OB2, do QUAR) Aumento do número de relatórios de exploração estatística disponíveis no sistema de consulta on-line das Estatísticas da Justiça 10 Elaboração de uma publicação sintética com os principais indicadores da Justiça (Indicador 6, do OB2, do QUAR) OO Aumentar o número de operações estatísticas por recolha automática de dados 10 1 Superado. Foram celebrados 5 protocolos relativos à utilização das bases de dados do Sistema de Informação das Estatísticas da Justiça, com as seguintes entidades: Comissão para a Eficácia das Execuções (CPEE), Polícia Judiciária, Observatório do Tráfico de Seres Humanos (OTSH), Procuradorias-Gerais Distritais e Direcção-Geral da Administração Interna (DGAI). Superado. Foram efectuadas 11 sessões de apresentação do sistema de consulta das estatísticas da Justiça, às seguintes entidades: duas sessões à Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa ( e ); apresentação do SIEJ em Kiev ( ); apresentação ao Ministro da Justiça ( ); apresentação à CPEE ( ); apresentação ao OTSH ( ); Apresentação ao Instituto da Construção e do Imobiliário ( ); apresentação a uma Delegação da Letónia ( ); apresentação à Microsoft ( ); apresentação a uma Delegação da Croácia ( ) e apresentação à DGAI ( ). Superado. Procedeu-se à elaboração de 9 destaques estatísticos temáticos, dos quais 8 foram divulgados. Superado. Foram disponibilizados 11 novos relatórios de exploração estatística no sistema de consulta on-line das Estatísticas da Justiça, aquando da divulgação ao público de dados de 30 de Setembro e de 31 de Outubro. Cumprido. Foi elaborada uma publicação sintética com os principais indicadores da Justiça, disponibilizada no sítio da DGPJ a

31 N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Aumento do número de aplicações para recolha automática dos dados estatísticos (Indicador 8, do OB4, do QUAR) Redução da carga administrativa nos serviços notadores (Indicador 9, do OB4, do QUAR) OO Aumentar a qualidade das estatísticas da Justiça 3 3 Cumprido. Foram implementados três interfaces para recolha automática de dados estatísticos: com o IGFIJ relativo aos dados estatísticos sobre custas judiciais, com a Conservatória dos Registos Centrais para os dados estatísticos de atribuições e aquisições de nacionalidade e com a Polícia de Segurança Pública para recolha de dados estatísticos da criminalidade registada por esta entidade. Cumprido. Foi reduzida a carga administrativa relativa a três operações estatísticas, concretizada através do desenvolvimento de soluções alternativas para a recepção de dados sobre constituições de pessoas colectivas e outras entidades equiparadas, dissoluções de pessoas colectivas e outras entidades equiparadas e crimes registados na PSP. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 % de operações estatísticas cuja informação é divulgada sem atrasos de acordo com o novo calendário (Indicador 18, do OB7, do QUAR) 75% Superado. Foram divulgadas sem atraso 86,8% das operações estatísticas: dados da criminalidade registada em 31 de Março; dados do movimento de processos nos tribunais e dos registos e notariado em 30 de Abril (com excepção dos Tribunais Administrativos e Fiscais); dados de outras entidades em 31 de Maio (com excepção da Comissão de Apoio às Vítimas de Crimes); dados de caracterização de processos findos nos tribunais em 30 de Setembro (com excepção das custas); actualizações em 31 de Outubro e 30 de Novembro.) 31

32 2 3 4 Nível de satisfação dos utilizadores do sistema de consulta on-line das Estatísticas da Justiça (Indicador 19, do OB7, do QUAR) Tempo médio de resposta a pedidos de esclarecimento e de informação estatística (Indicador 21, do OB7, do QUAR) Redução do tempo de disponibilização de microdados ao Instituto Nacional de Estatística sobre constituições e dissoluções de pessoas colectivas e entidades equiparadas (Indicador 20, do OB7, do QUAR) 3,5 para 95% das respostas [5 d.u.] para 95% dos casos Redução de 26% Superado. Grau de satisfação 3,98 para 95%, dentro dos parâmetros definidos para atingir a meta proposta. Superado. O tempo médio de resposta a pedidos de esclarecimento e de informação estatística foi de 2,7 dias. Superado. Passaram a ser enviados os microdados ao INE até ao final de 2010 com uma dilação de 3 meses, pelo que a redução do tempo de disponibilização foi de 45%. OE 7 - Desenvolver uma estratégia integrada de cooperação jurídica, judiciária e para o desenvolvimento que reforce o posicionamento de Portugal nos planos bilateral e multilateral e multi-bi OO Reforço da política de cooperação jurídica, judiciária e para o desenvolvimento com os Países e Regiões de Língua Oficial Portuguesa N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com Angola Permanente Por motivos alheios a Portugal, não foi celebrado PAC com Angola. Não obstante, foram acompanhadas e executadas todas as solicitações de acções de cooperação que surgiram para além do PAC. Cumprido. Monitorização permanente do início ao fim do PAC. Cumprido. Monitorização permanente do início ao fim do PAC. Cumprido. Monitorização permanente do início ao fim 2 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com Cabo Verde Permanente 3 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com Guiné- Bissau Permanente 4 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com Permanente Moçambique do PAC. 5 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com S. Cumprido. Monitorização permanente do início ao fim Permanente Tomé e Príncipe do PAC. 6 Acompanhamento e execução do PAC 2010 com Timor Permanente Por motivos internos ao IPAD, Timor Leste não foi 32

33 Leste Acompanhamento e execução do Plano Integrado Cooperação (PIC) com Moçambique Concertação de estratégias PT/Brasil para cooperação trilateral com os PALOP e Timor Leste Projecto-piloto de Estágio para jovens licenciados em Direito dos Países de Língua Oficial Portuguesa Plano de Acção Segurança e Desenvolvimento para a Guiné-Bissau componente Justiça Plano de Acção Segurança e Desenvolvimento para Timor-Leste componente Justiça Cálculo da Ajuda Portuguesa para o Desenvolvimento (APD) para o CAD/OCDE componente Justiça Avaliação da Cooperação Portuguesa na área da Justiça no período entre Preparação e acompanhamento da XII Conferência de Ministros da Justiça dos Países de Língua Portuguesa (Moçambique) Permanente Permanente 1 100% 100% 100% 1 100% objecto de PAC. Não obstante, foram acompanhadas e executadas todas as solicitações de acções de cooperação que surgiram para além do PAC. Cumprido. PIC esboçado e remetido ao IPAD na semana 51. Incumprido. Transitou para 2011 Incumprido. Cumprido. Participação nas 5 reuniões de trabalho do Grupo em epígrafe, tendo os contributos da componente Justiça sido remetidos ao IPAD na semana 28. Este Plano irá ser objecto de ajustes posteriores em Cumprido. Participação nas 4 reuniões de trabalho do Grupo em epígrafe, tendo os contributos da componente Justiça sido remetidos ao IPAD na semana 51. Este Plano irá ser objecto de ajustes posteriores em 2011 Cumprido. Cálculos efectuados e remetidos ao IPAD. Cumprido. Reuniões com a equipa avaliadora; Remessa dos contributos relevantes; Acompanhamento do trabalho da avaliação, incluindo o seu Relatório Preliminar. Cumprido. Pastas e documentos inerentes à participação portuguesa na Conferência em apreço preparados e remetidos ao GMJ nas semanas 29 e 30. Prestação de apoio, em permanência, à delegação portuguesa à XII Conferência e ao Comité de redacção 33

34 da Conferência, no que respeita aos principais documentos desta emanados. OO Reforço da política de cooperação jurídica, judiciária e para o desenvolvimento com os Países da América Latina N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Preparação e acompanhamento da XVII Conferência Ministros Justiça Ibero Americanos (COMJIB) Projecto de Acordo para utilização de Vídeo- Conferência entre Estados-Membros da COMJIB 100% Acordo em matéria de extradição simplificada no âmbito da COMJIB 1 Projecto de Portal Ibero-Americano da Justiça Electrónica 1 Projecto Vigilância Electrónica/ COMJIB Projecto Criminalidade Organizada/ COMJIB 1 100% 100% Cumprido. Pastas e documentos inerentes à participação portuguesa na Conferência em apreço preparados e remetidos ao GMJ no decurso da semana 42. Prestado apoio, em permanência, à delegação portuguesa. Tradução da documentação para língua portuguesa e sua consensualização com delegação brasileira. Cumprido. Apoio a todo o processo tendente à aprovação do Acordo na XVII Conferência da COMIJIB; Reunião técnica, na Guatemala, para ultimação do projecto; Integração, para assinatura, na Cimeira de Mar del Plata, que teve lugar na semana 48. Cumprido. Acordo assinado em Santiago de Compostela, em Novembro. Cumprido. Co-organização da acção de formação para os editores nacionais do Portal; Portal apresentado na XVII Conferência da COMJIB. Cumprido. Acompanhamento das visitas efectuadas a Portugal por delegações de países Ibero-americanos, nomeadamente da Colômbia e da República Dominicana, no quadro do Projecto de Vigilância Electrónica. Apoio à assinatura do Acordo Portugal/Brasil no âmbito da Vigilância Electrónica, na semana 42. Cumprido. Efectuada proposta de criação do grupo sobre corrupção nas transacções comerciais 34

35 7 Projecto de Reforma do Sistema Penitenciário/COMJIB 100% internacionais. Cumprido. Acompanhamento da participação da DGSP no grupo de trabalho da COMJIB dedicado ao tema em apreço. OO Desenvolvimento de Plano Integrado Multi-Anual de Cooperação Internacional do Ministério da Justiça (INTERJUST ) N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Elaboração do Plano Integrado Multi -Anual de cooperação do MJ (INTERJUST ) (Indicador 23, do OB8, do QUAR) Semana 26 OO Dinamização e reforço da visibilidade da cooperação bilateral, multilateral e multi-bi na área da Justiça Cumprido. Foi apresentada uma primeira versão do Plano à Direcção. N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Promover internacionalmente a transferência de boas práticas nacionais no sector da justiça (Indicador 22, do OB8, do QUAR) Revista Lusófona de Direito Comparado e de Sociologia do Direito (digital) Semana 52 Grupo de trabalho para concepção e elaboração de Incumprido. 3 plano de trabalho tendo em vista lançamento Bienal do Direito Lusófono. Semana 52 4 SHOW ROOM Justiça na Guiné-Bissau 1 Incumprido. 4 Superado. Foi efectuado um acompanhamento às visitas das várias delegações que se deslocaram a Portugal para contacto com as boas práticas decorrentes da introdução da simplificação de procedimentos na área da Justiça. Entre outras, são de destacar as visitas da China, da Bulgária, da Austria, da França, da Letónia, da Noruega, da Croácia e da Argentina. Incumprido. 5 Workshop ex-formandos CEJ da CPLP 1 Incumprido. Transitou para OO Reforço da participação em organizações, organismos e missões internacionais que actuam na cooperação na área da Justiça 35

36 N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Preparação da XII Conferência de Ministros da Justiça da CPLP Acompanhamento do Plano da UE/Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP e em Timor Leste Acompanhamento do Plano de Apoio ao Desenvolvimento e Estado Direito (PAOSED) da UE 100% 100% 100% Cumprido. Cumprido. Plano acompanhado e contributos enviados ao ritmo das solicitações do IPAD. Cumprido. Acompanhamento da finalização do PAOSED na Guiné-Bissau. OE 8 - Consolidar uma visão integrada do Direito Penal, do Direito Civil e de outras áreas do Direito contribuindo activamente para a definição de políticas internacionais em matéria de Justiça na União Europeia e nas várias organizações e organismos internacionais e regionais OO Contribuir activamente para a construção do Espaço Europeu de Liberdade, Segurança e Justiça no quadro do Programa de Estocolmo N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Workshop/Mesa Redonda em matéria de corrupção Seminário/Colóquio/Workshop sobre Procuradoria 1 Europeia Seminário/Colóquio/Workshop sobre «A Jurisdição Universal dos Direitos do Homem» 1 Preparação das reuniões dos Conselhos de Ministros da União Europeia em que o Ministro da Justiça ou outros membros do Governo devam estar presentes 1 1 semana antes da reunião Cumprido. Elaboração do programa, convites a oradores e a participantes; Publicitação do evento; Tradução de publicação da OCDE com a Convenção, Recomendações e legislação portuguesa; Organização logística; «Workshop» realizado a 6 de Dezembro. Incumprido. Esta tarefa transitou para Cumprido. Elaboração programa, convites a oradores e a participantes; Publicitação do evento; Organização logística; «Workshop» realizado a 9 de Dezembro. Cumprido. As pastas para o Conselho JAI foram preparadas, com a antecedência devida, quer em formato electrónico, quer em formato papel, 36

37 5 Participação activa na discussão do Plano de Acção do Programa de Estocolmo 100% assegurando-se, desta forma, a participação dos membros do Governo nos Conselhos Justiça e Assuntos Internos realizados em Janeiro, Fevereiro, Abril, Junho, Julho, Outubro, Novembro e Dezembro. As pastas contêm, em função dos assuntos agendados para o respectivo Conselho, tópicos de intervenção, notas de enquadramento (com antecedentes, ponto de situação negocial e posição portuguesa). Cumprido. Participação activa na discussão do Plano de Acção do Programa de Estocolmo; Envio dos comentários em Abril. OO Assegurar o cumprimento das obrigações de Portugal no quadro de procedimentos de avaliação e de revisão da implementação de instrumentos jurídicos internacionais e regionais N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Avaliação de Portugal - Relatório de actualização no quadro da 3ª avaliação mútua de Portugal pelo GAFI e sua discussão em Plenário Preparação e elaboração Avaliação de Portugal - Relatório no quadro do 2º Ciclo de avaliações mútuas do GRECO Grupo de Estados contra a Corrupção, do Conselho da Europa -Preparação e elaboração Avaliação de Portugal - 3º Ciclo de avaliações mútuas do GRECO Grupo de Estados contra a Corrupção, do Conselho da Europa Preparação, elaboração e Semana 43 Semana 52 Semana 52 Superado. Elaboração das contribuições relativas às áreas da competência do Ministério da Justiça e recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados; Participação nas reuniões preparatórias internas. Participação na redacção do relatório enviado ao GAFI; Participação na discussão do relatório em Plenário do GAFI; Cumprido na semana 42. Superado. Elaboração das contribuições relativas às áreas da competência do Ministério da Justiça e recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados; Participação nas reuniões preparatórias internas; Participação na redacção dos relatórios enviados ao GRECO; Elaboração de comentários aos projectos de relatórios; Participação na discussão do relatório em reunião do GRECO; Cumprido na semana 49. Cumprido. Coordenação da visita de avaliação, elaboração do programa e acompanhamento dos avaliadores; Elaboração das contribuições relativas às 37

38 4 5 coordenação Avaliação de Portugal - Relatório oral a apresentar ao Grupo de Trabalho sobre Corrupção, da OCDE - Preparação, coordenação e elaboração Avaliação de Portugal - 5ª Ciclo de avaliações no âmbito do GMD Grupo Multidisciplinar Criminalidade Organizada, do Conselho da União Europeia, em matéria de investigações financeiras - Preparação, coordenação e acompanhamento Semana 26 Semana 52 áreas da competência do Ministério da Justiça e recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados; Participação nas reuniões preparatórias internas; Participação na redacção dos relatórios enviados ao GRECO; Elaboração de comentários aos projectos de relatórios; Participação na discussão do relatório em reunião do GRECO. Superado. Elaboração das contribuições relativas às áreas da competência do Ministério da Justiça e recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados e de outras entidades nacionais; Remessa do projecto de relatório a apresentar oralmente, ao Gabinete de S. Exa o MJ; Apresentação do relatório oral na reunião do GT Corrupção da OCDE; Cumprido na semana 24. Superado. Coordenação da visita de avaliação, elaboração do programa e acompanhamento dos avaliadores; Elaboração das contribuições relativas às áreas da competência do Ministério da Justiça e recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados; Participação nas reuniões preparatórias internas; Participação na redacção das respostas questionário enviados à União Europeia; Elaboração de comentários e respostas às questões complementares colocadas pelos avaliadores. Cumprido na semana 49. OO Acompanhar e apoiar a aplicação da legislação da União Europeia e das normas de Tratados, convenções, acordos ou outros instrumentos jurídicos internacionais e regionais na área da Justiça N.º PROJECTOS META PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Verificação do estado dos processos internos de ratificação/aprovação de convenções internacionais assinadas pelo Estado Português, bem como análise da oportunidade de vinculação do Estado Português a convenções internacionais e colaboração na instrução do Elaboração de lista processos de ratificação/aprovação e análise oportunidade de vinculação nos Cumprido. Elaborada Informação contendo identificação de instrumentos jurídicos assinados, mas não ratificados, dentificação de instrumentos jurídicos por ratificar; Instrução do processo de ratificação de várias Convenções do Conselho da Europa e das 38

39 2 3 4 processo de assinatura e ratificação, quando aplicável Redacção de observações no âmbito do processo do artigo 267.º TFUE Vinculação à Convenção do Conselho da Europa sobre o Exercício dos Direitos das Crianças - análise sobre as implicações da ratificação de PT a nível de ordenamento jurídico interno casos a decidir/ em resposta ao MNE 4 Semana 37 Vinculação à Convenção da Haia sobre Protecção Internacional de Adultos Vulneráveis Semana 17 Nações Unidas, como é o caso da Convenção Europeia para a Prevenção do Terrorismo ou do Protocolo adicional à Convenção Penal sobre Corrupção ou ainda a Convenção da ONU sobre os actos de terrorismo nuclear. Superado. Sem contabilizar os processos nos quais foram apresentadas observações por outras entidades do Ministério da Justiça e às quais o GRI prestou o necessário apoio, o GRI apresentou observações nos processos C-409/09, C-484/09, C-315/10 e C-393/10. Superado. Informação acerca da vinculação à Convenção do Conselho da Europa sobre o Exercício dos Direitos das Crianças - análise sobre as implicações da ratificação de PT a nível de ordenamento jurídico interno elaborada na semana 31. Superado. Informação acerca da vinculação à Convenção da Haia sobre Protecção Internacional de Adultos Vulneráveis elaborada na semana 9. 39

40 ACTIVIDADES NÃO DIRECTAMENTE RELACIONADAS COM OS OBBJECTIVOS OPERACIONAIS ACTIVIDADE Política Legislativa e Planeamento N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Participação em grupos de trabalho e comissões incumbidos de elaborar, rever ou regulamentar diplomas legislativos ligados ao sector da justiça Grupo de trabalho interministerial para a transposição da Directiva 2009/81/CE; Grupo de Trabalho para elaboração do Plano Nacional de Acção para a Implementação da Resolução 1325 em Junho de 2008; Participação no grupo de trabalho do programa Simplegis - realização de estudos de avaliação de impacto normativo; Grupo de trabalho para elaboração do Anteprojecto de diploma de criação do Gabinete Nacional de Recuperação de Activos; Participação como ponto focal do MJ no Conselho Consultivo do Plano Nacional da Saúde 2011/2016; Participação nas reuniões da Comissão Paritária instituída pela Concordata celebrada entre Portugal e a Santa Sé; Participação nas reuniões plenárias da Comissão para a Eficácia das Execuções; Grupo de trabalho para elaboração do Anteprojecto de decreto-lei de transposição da Directiva 2009/109, CE que altera as Directivas 77/91/CEE, 78/855/CEE e 82/891/CEE do 40

41 Conselho e da Directiva 2005/56/CE no que respeita aos requisitos em matéria de relatórios e documentação em caso de fusões ou de cisões; Anteprojecto de aplicação da Decisão-Quadro 2008/977/JAI relativa à protecção de dados pessoais tratados no âmbito da cooperação policial e judiciária em matéria penal; Anteprojecto de transposição para a ordem jurídica interna da Decisão-Quadro n.º 2008/909/JAI, do Conselho, de 27 de Novembro relativa à aplicação do princípio do reconhecimento mútuo às sentenças em matéria penal que imponham penas ou outras medidas privativas de liberdade para efeitos da execução dessas sentenças na UE, com a redacção que lhe foi dada pela Decisão-Quadro n.º 2009/299/JAI, do Conselho, de 26 de Fevereiro; Anteprojecto de transposição para a ordem jurídica portuguesa da Decisão-Quadro n.º 2008/947/JAI, do Conselho, de 27 de Novembro, respeitante à aplicação do princípio do reconhecimento mútuo às sentenças e decisões relativas à liberdade condicional para efeitos de fiscalização das medidas de vigilância e das sanções alternativas; Anteprojecto de proposta de lei que altera os artigos 53º, 54º e 861º A do Código de Processo Civil; Anteprojecto de Decreto-Lei que altera o Código de Processo Civil e o Decreto-Lei n.º 41

42 2 Elaborar ou participar na elaboração de diplomas legislativos e regulamentares materialmente ligados sector justiça 269/98, de 1 de Setembro. Portaria n.º 654/2010, de 11 de Agosto, que Procede à segunda alteração da Portaria n.º 10/2008, de 3 de Janeiro, que regulamenta a lei do acesso ao direito, aprovada pela Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, na redacção dada pela Lei n.º 47/2007, de 28 de Agosto; Elaboração de Anteprojecto de alteração do Regulamento das Custas Processuais. Criminaliza o incitamento público à prática de infracções terroristas, o recrutamento para o terrorismo e o treino para o terrorismo, dando cumprimento à Decisão-Quadro n.º 2008/919/JAI do Conselho, de 28 de Novembro de 2008, que altera a Decisão - Quadro n.º 2002/475/JAI relativa à luta contra o terrorismo, e procede à terceira alteração da Lei n.º 52/2003, de 22 de Agosto; Cria, na dependência da Polícia Judiciária, o Gabinete de Recuperação de Activos; Proposta de lei n.º 59/XI, Altera os crimes de dano contra a natureza, de poluição e tipifica um novo crime de actividade perigosa para o ambiente, procedendo à 28.ª alteração do Código Penal, e transpõe a Directiva n.º 2008/99/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 19 de Novembro de 2008 e a Directiva n.º 2009/123/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 21 de Outubro. Anteprojecto de aplicação da Decisão-Quadro 2008/977/JAI relativa à protecção de dados pessoais tratados no âmbito da cooperação 42

43 policial e judiciária em matéria penal; Anteprojecto de transposição para a ordem jurídica interna da Decisão-Quadro n.º 2008/909/JAI, do Conselho, de 27 de Novembro relativa à aplicação do princípio do reconhecimento mútuo às sentenças em matéria penal que imponham penas ou outras medidas privativas de liberdade para efeitos da execução dessas sentenças na UE, com a redacção que lhe foi dada pela Decisão-Quadro n.º 2009/299/JAI, do Conselho, de 26 de Fevereiro; Anteprojecto de transposição para a ordem jurídica portuguesa da Decisão-Quadro n.º 2008/947/JAI, do Conselho, de 27 de Novembro, respeitante à aplicação do princípio do reconhecimento mútuo às sentenças e decisões relativas à liberdade condicional para efeitos de fiscalização das medidas de vigilância e das sanções alternativas; Anteprojecto de proposta de lei que altera os artigos 53º, 54º e 861º A do Código de Processo Civil; Anteprojecto de Decreto-Lei que altera o Código de Processo Civil e o Decreto-Lei n.º 269/98, de 1 de Setembro. Directivas e Decisões-Quadro analisadas que não careceram de actos de transposição para o direito interno: Directiva 2009/101/CE tendente a coordenar as garantias que, para protecção dos interesses dos sócios e de terceiros, são exigidas nos 43

44 3 Elaboração de respostas a questionários provenientes de instituições internacionais com actividade no sector da justiça estados-membros às sociedades, na acepção do segundo parágrafo do artigo 48º do Tratado, a fim de tornar equivalentes essas garantias em toda a Comunidade; Directiva 2009/102/CE Sociedades de responsabilidade limitada com um único sócio; Decisão-Quadro 2008/841/JAI relativa à luta contra a Criminalidade organizada; Decisão-Quadro 2008/675/JAI, de 24 de Julho, relativa à tomada em consideração das decisões de condenação nos Estados membros da União Europeia por ocasião de um novo procedimento penal; Decisão-quadro 2008/913/JAI, do Conselho, de 28 de Novembro de 2008, relativa à luta por via do direito penal contra certas formas e manifestações de racismo e xenofobia. Foi dada resposta a todos os questionários provenientes de instituições internacionais, nomeadamente das redes em matéria de justiça, com estrito cumprimento dos prazos impostos. 4 Elaboração de resposta a pedidos pontuais feitos por particulares Foi dada resposta a todos os pedidos recebidos. 5 Participação nas reuniões da Comissão Paritária instituída pela Concordata celebrada entre Portugal e a Santa Sé Realizado. 6 Planeamento, acompanhamento e monitorização dos projectos justiça Realizado. 7 Acompanhamento e análise funcional da desmaterialização de processos na justiça Não realizado. Elaboração de análises de direito comparado com vista ao apoio à tomada de decisão estratégica 8 9 Participação, através das Conselheiras, nas reuniões do Conselho Consultivo da Realizado. Estudo do defensor oficioso. Relatório de avaliação do regime jurídico da litigância de má fé. Relatório de avaliação de impacto da divulgação das durações médias. 44

45 10 11 Comissão para a Igualdade, Cidadania e Género Concepção de um plano sectorial para a igualdade, conforme estabelecido na Resolução do Conselho de Ministros nº 161/2008, de 22 de Outubro Participação nas reuniões de concepção, monitorização e implementação do I Plano de Acção Nacional contra a Violência Doméstica, III Plano de Acção Nacional para a Igualdade, Cidadania e Género e III Plano Nacional contra o Tráfico de Seres Humanos Realizado. Realizado. ACTIVIDADE Planeamento Estratégico N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Elaboração de documento de acompanhamento e avaliação da execução do Programa de Governo e das Grandes Opções do Plano, na área da justiça Participação nas reuniões de concepção, monitorização e implementação dos Planos de Acção Nacionais nos quais o Ministério da Justiça participa, nomeadamente: Plano de Acção Nacional para Implementação da Resolução 1325 do conselho de Segurança das Nações Unidas Plano de Acção Nacional Aliança das Civilizações Elaboração de estudos de planeamento estratégico nas áreas de intervenção do Ministério Em 2010 foi actualizado o documento de acompanhamento e avaliação do Programa de Governo e das Grandes Opções do Plano, tendo no entanto esta actualização sido suspensa por decisão superior. Os trabalhos foram retomados com a aprovação do Plano de Actividades para 2011 aprovado pela nova Direcção. O acompanhamento maioritário dos Planos Nacionais, nos quais o Ministério da Justiça participa, foi efectuado pelo Departamento de Política Legislativa, nomeadamente pelas Conselheiras para a Igualdade. No domínio de estudos de planeamento estratégico, foi ministrado pela Digitalflow um workshop sobre Balanced Scorecard visando a capacitação dos técnicos e 45

46 4 5 6 Acompanhamento do trabalho da Rede de pontos focais EU2020 Avaliação do impacto (interno e externo) do trabalho desenvolvido pela DGPJ nas várias áreas de intervenção Elaboração de uma análise SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças) Recolha e análise de boas práticas no âmbito da aplicação do SIADAP 1 consultores da DGPJ para a sua aplicação à instituição. Foi também realizado um estudo interno visando a restruturação da rede do planeamento, bem como projecto de reorganização do sítio da Internet nesta matéria. No âmbito do SIADAP foi dado parecer com comentários ao documento: SUGESTÕES DE MELHORIA A INTRODUZIR NO QUAR 2010, elaborado pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério das Finanças e da Administração Pública. A DGPJ esteve representada formalmente na Rede CNELPT pela, então Directora Adjunta, Dra. Mariana Sotto Maior. Foram elaborados vários contributos para o Plano de Reforma visando o enquadramento de projectos da justiça nos objectivos da Estratégia. Com a cessação da comissão de serviço da representante, foi solicitado pelo Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa (o SEEI) ao GMJ a indicação de novo membro para a CNELPT. Foi elaborado um questionário interno de satisfação, ao abrigo do protocolo existente com o Observatório Nacional de Recursos Humanos. Foi feita uma análise SWOT para o Gabinete de Relações Internacionais (GRI). Foram analisadas diversas práticas em sede de SIADAP 1 levadas a cabo quer por outros serviços do Ministério da Justiça, quer pelo próprio Ministério das Finanças. Foi, neste contexto, promovida um workshop sobre a ferramenta GEADAP, enquanto instrumento facilitador da aplicação deste método de avaliação. Para além disso, foram sendo transmitidas boas práticas aos serviços no decorrer do ano, com vista a uniformizar 46

47 procedimentos e a melhorar com recurso à aprendizagem, pela partilha de experiências entre os serviços mais desenvolvidos em termos de métodos e ferramentas de gestão. 7 Elaboração do Plano de Actividades 2010 Documento disponível no sítio da Internet da DGPJ. 8 Elaboração do Relatório de Actividades 2009 Documento disponível no site da DGPJ (Enviado para o GMJ por Ofício n.º 98/GDG, de 29 de Abril de 2010). 9 Elaboração do Manual de Procedimentos Internos da DGPJ Foi elaborada uma proposta de estrutura do Manual de Procedimentos Internos mas a sua elaboração ficou protelada para Adaptação e aplicação de um sistema de controlo interno Foram contactados vários organismos certificados, para pedido de informação sobre os custos envolventes na obtenção de uma Certificação do Sistema de Gestão de Qualidade. Contudo por questões administrativas e temporais o projecto não foi concretizado. Todavia a avaliação ao sistema de controlo interno da DGPJ foi feita com base no Anexo A do documento técnico n.º1/2010, do CCAS. 11 Elaboração de uma análise de benchmarking com serviços congéneres Foi feita uma pesquisa aos sítios da Internet dos GPEARI s para recolha de informação sobre pontos comuns para posterior elaboração de uma análise de benchmarking, no âmbito do SIADAP 1. Para efeitos de elaboração do Relatório de Actividades foi elaborada uma pesquisa sobre as actividades de serviços com idênticas características. Foram identificadas estruturas ministeriais de outros países da União Europeia, tendo-se verificado existirem diversos entraves à comparação entre serviços desta natureza, nomeadamente em razão das diferentes atribuições e da sua inserção nas estruturas. 47

48 ACTIVIDADE Estatísticas - Participação em reuniões N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Participação do Ministério da Justiça no Conselho Superior de Estatística Actividade assegurada com carácter de permanência. Participação do Ministério da Justiça nas secções e grupos do Conselho Superior de Estatísticas: Secção Permanente do Segredo Estatístico; Secção Permanente de Planeamento, Coordenação e Difusão; Secção Permanente de Estatísticas Demográficas, Sociais, das Famílias e do Ambiente; Secção Permanente de Assegurada a participação e o acompanhamento dos trabalhos dos seguintes grupos e secções: a) Secção Permanente do Segredo Estatístico; b) Secção Permanente de Coordenação Estatística; c) Secção Permanente de Estatísticas Sociais; 2 Estatísticas de Base Territorial d) Secção Permanente de Estatísticas de Base Territorial; e) Secção Eventual Censos 2011; f) Grupo de Trabalho para constituição de um Ficheiro Único para o SEM (FUESEN); g) Grupo de Trabalho sobre a Violência de Género e 3 Participação nos encontros do grupo de trabalho sobre "STATISTICS ON CRIME AND CRIMINAL JUSTICE" da UE. Domestica. Participação em conjunto com o INE nas reuniões realizadas em ACTIVIDADE Estatísticas - Divulgação Estatística N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Manutenção dos relatórios dinâmicos de exploração da informação estatística regularmente actualizados e respectivos perfis de acesso. Gestão e actualização dos dados estatísticos dos 367 relatórios dinâmicos de exploração estatística, incluindo os destinados a consulta interna e os 96 destinados a consulta externa. Manutenção dos perfis diferenciados de acesso, em razão das funcionalidades disponíveis e 48

49 2 Fornecimento de informação estatística ao abrigo de protocolos e acordos: Instituto Nacional de Estatística Gabinete Coordenador de Segurança Observatório Permanente da Justiça da Universidade de Coimbra Observatório do Tráfico de Seres Humanos Comissão para a Eficácia das Execuções Polícia Judiciária dos relatórios disponibilizados. a) Fornecida mensalmente a informação estatística sobre crimes registados pela PSP e armas utilizadas na prática desses crimes, à respectiva Direcção Nacional. b) Fornecimento mensal da informação estatística relativa a criminalidade registada pela PJ, PSP e GNR, ao Gabinete Coordenador de Segurança. c) Fornecida trimestralmente informação estatística sobre constituição de pessoas colectivas e entidades equiparadas, dissolução de pessoas colectivas e entidades equiparadas, e divórcios e separação de pessoas e bens, decretados nos tribunais e conservatórias do registo civil, ao INE. d) Fornecida a informação estatística anual ao INE, relativa a caracterização de actos sobre contrato de mútuo com hipoteca voluntária e contrato de compra e venda de prédios nas conservatórias do registo predial e nos cartórios notariais. e) Fornecimento anual da informação estatística relativa a criminalidade registada pela PJ, PSP e GNR e movimento de inquéritos na PJ ao Gabinete Coordenador de Segurança para preparação do Relatório Anual de Segurança Interna. f) Fornecimento de diversa informação estatística para o Observatório Permanente da Justiça do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. g) Actualização dos relatórios estatísticos disponibilizados online no SIEJ para consulta através de acesso credenciado pelo OTSH, de acordo com o Protocolo celebrado com esse Observatório e fornecimento de diversa informação estatística. h) Actualização dos relatórios estatísticos disponibilizados online no SIEJ para consulta através 49

50 3 Fornecimento de informação estatística em resposta a inquéritos nacionais e internacionais ou para preparação de relatórios periódicos. de acesso credenciado pela CPEE, de acordo com o Protocolo celebrado com essa Comissão e fornecimento de diversa informação estatística. h) Disponibilização de novos relatórios online no SIEJ e respectiva actualização para consulta através de acesso credenciado pela DGAI, as Procuradorias Gerais Distritais, de acordo com os protocolos celebrados e fornecimento de diversa informação estatística. Fornecida informação estatística para diversos inquéritos internacionais e para preparação de documentos e relatórios nacionais nomeadamente: EUROSTAT ONU UNECE GRECO Conselho da Europa GAFI Dossier Justiça 4 5 Satisfação de pedidos informação estatística. Preparação de informação para publicações do Sistema Estatístico Nacional e do EUROSTAT: Anuário Estatístico de Portugal Anuários Regionais Indicadores Sociais Base de Dados do Género Destaque do INE Fornecida resposta a 311 pedidos de informação estatística, provenientes de diferentes fontes, nomeadamente Gabinetes Ministeriais, órgãos de comunicação social, organismos de investigação e estudantes. Foi preparada e fornecida informação para diversas publicações do Sistema Estatístico Nacional. 50

51 European Sourcebook Crime & Criminal Statistics Preparação e fornecimento de conteúdos para actualização permanente da página Web, incluindo destaques para o portal do Ministério Sessões de divulgação, acções de sensibilização à estatística e de formação dos serviços notadores, dos organismos do Ministério da Justiça e das entidades que mais frequentemente solicitam dados das Estatísticas Oficiais, no âmbito da divulgação ao público do SIEJ Estudar e propor as acções necessárias ao aperfeiçoamento da produção e análise estatística de interesse para a área da Justiça, nomeadamente através da apresentação de documento de avaliação e de identificação das lacunas do SIEJ. Manter actualizado o registo das operações estatísticas da DGPJ junto do INE de acordo com os requisitos técnicos e metodológicos definidos por aquela entidade. Preparação e fornecimento de diversos conteúdos de actualização de informação estatística. Foram realizadas diversas sessões de divulgação e reuniões de esclarecimento junto das entidades notadoras, dos organismos do Ministério e das entidades que mais frequentemente solicitam dados das Estatísticas Oficiais, nomeadamente com elementos das Procuradorias-Gerais Distritais e da Conservatória do Registo Predial de Lisboa. Foram ainda realizadas diversas sessões de divulgação do sistema, nomeadamente duas sessões à Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa ( e ); apresentação do SIEJ em Kiev ( ); apresentação ao Ministro da Justiça ( ); apresentação à CPEE ( ); apresentação ao OTSH ( ); Apresentação ao Instituto da Construção e do Imobiliário ( ); apresentação a Delegação da Letónia ( ); apresentação à Microsoft ( ); apresentação a Delegação da Croácia ( ) e apresentação à DGAI ( ). Recolhidos diversos contributos sobre a matéria, tendo em vista o aperfeiçoamento contínuo do sistema. Foi concluído o trabalho planeado de elaboração de documentos metodológicos para apresentação ao INE, tendo os documentos sido aprovados por este Instituto. 51

52 10 11 Fornecimento de informação estatística para apoio na implementação de medidas ou reformas legislativas, ou sua monitorização. Apoio na preparação de relatórios de monitorização. Apoio à elaboração de destaques estatísticos sobre todas as áreas dos tribunais, registos e notariado, criminalidade registada e outras entidades. Fornecida a informação estatística solicitada para estes fins. Foram elaborados 9 destaques estatísticos temáticos e divulgados 8 no SIEJ: Condenações por homicídio conjugal em processos crime na fase de julgamento findos nos tribunais judiciais de 1ª instância, nos anos de 2007 e 2008 (01/04/2010); Movimento processual nos tribunais judiciais de 1ª instância (30/04/2010); Movimentos processuais dos procedimentos de injunção ( ) (07/09/2010); Alguns indicadores estatísticos sobre os processos nos tribunais judiciais de 1ª instância ( ) (29/10/2010); Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (26/11/2010) Incluiu 3 destaques; Estatísticas da Justiça - Resultados estatísticos actualizados de 2009 sobre os serviços prisionais, a reinserção social, a actividade dos registo e notariado (06/12/2010); Menores em centros educativos (não divulgado). ACTIVIDADE Estatísticas - Produção Estatística N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 52

53 Controlo da recolha, periodicidade e qualidade dos dados das Estatísticas da Justiça recebidos através de formulários Web disponibilizados às entidades notadoras. Recolha, codificação, registo e análise da informação recolhida (ou recebida por formulários na web) junto das autoridades policiais com periodicidade mensal respeitante ao ano de 2009 e Controlo da recolha, periodicidade e qualidade de dados das Estatísticas da Justiça recebidos através de comunicação de dados por interface automático dos sistemas de gestão de processos das entidades notadoras. Tribunais Administrativos e Fiscais Tribunais Judiciais de 1ª instância (incluindo DIAP's) Balcão Nacional de Injunções IGFIJ - Custas Registos Centrais Aquisição e atribuição de nacionalidade Registo Comercial Constituição e dissolução de pessoas colectivas e entidades equiparadas Policia Judiciária Polícia de Segurança Pública Ordem dos Advogados Apoio Judiciário Recolha e conferência da informação recolhida com periodicidade anual respeitante ao ano de 2009, incluindo o controlo da fiabilidade e apuramento da informação. Concluídos os procedimentos de recolha e conferência da informação respeitante ao ano 2009 e ao primeiro semestre de 2010 dentro do prazo estabelecido. Concluídos os procedimentos de recolha, registo e conferência da informação de 2008 e parte de Foram efectuados dentro dos prazos os procedimentos de controlo e validação dos dados recebidos por interface automático. Concluídos os procedimentos de recolha, conferência e registo/arquivo da informação dentro do prazo previsto. 5 Acompanhamento da recolha, preparação e verificação da qualidade da informação estatística necessária para envio semestral e anual de microdados ao INE. Constituição de pessoas colectivas e entidade equiparadas Dissolução de pessoas colectivas e entidades equiparadas Divórcio e separação judicial de pessoas e bens nos tribunais judiciais de 1ª instância Divórcio e separação de pessoas e bens nas conservatórias do registo civil Efectuada a recolha, preparação e a verificação dos dados, incluindo o seu envio ao INE dentro dos prazos definidos. 53

54 Actos de aquisição e atribuição de nacionalidade Contrato de mútuo com hipoteca voluntária (apenas envio anual) Compra e venda de imóveis (apenas envio anual) Apoio às entidades fornecedoras de informação na utilização do novo sistema de informação, por meio telefónico, correio electrónico ou presencial. Validação e análise crítica da informação estatística de 2009 recebida das entidades notadoras. Execução de inquéritos junto das entidades notadoras, nomeadamente dos tribunais, para recolha de informação complementar necessária ao planeamento e gestão de medidas de política da justiça. Manutenção das nomenclaturas usadas nas tabelas gerais do sistema nomeadamente a adaptação às directivas do SEN e a tradução para a língua inglesa de forma a permitir a divulgação de dados estatísticos a nível internacional. Prestado apoio contínuo às entidades. Foram realizadas diversas acções de validação da informação estatística resultante do refrescamento dos dados oriundos dos sistemas operacionais de recolha de dados pela Web ou por interface automático. Actividade não realizada. Assegurada a manutenção das nomenclaturas usadas nas tabelas gerais e a sua tradução para língua inglesa. ACTIVIDADE Relações internacionais Participação em reuniões/eventos N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 Representação do MJ nas Reuniões de Coordenação Interministerial de Representação assegurada em todas as reuniões. Cooperação (CIC) organizadas pelo MNE/IPAD 2 Participação nas reuniões de Coordenadores Nacionais da COMJIB Participação assegurada em todas as reuniões. 3 Participação no II Encontro da Iniciativa Lusófona para a Inovação na Justiça (Brasil) Encontro não realizado. 4 Preparação da participação do MJ no evento Dias do Desenvolvimento organizados Preparação assegurada em tempo útil. A acção pelo IPAD decorreu na semana

55 5 6 7 Preparação da participação do Ministério da Justiça nas cimeiras bilaterais Luso- Argelina, Luso-Marroquina e outras que venham a ter lugar em Preparação, coordenação e acompanhamento das negociações de instrumentos jurídicos bilaterais Preparação e participação em visitas, reuniões de coordenação interna e em reuniões bilaterais de negociação e acompanhamento das respectivas delegações Elaboração de comentários, quando solicitados; Preparação de contributos para a elaboração da pasta; Enviados contributos ao MNE para a declaração final. Elaboração de informações; Elaboração de projectos de acordos bilaterais; Elaboração de Memorandos de entendimento a celebrar pelo Ministério da Justiça com por exemplo os seus homólogos da Bulgária, Brasil, Croácia, Espanha; Acompanhamento das negociações de acordos em matéria de extradição, transferência de pessoas condenadas e no domínio da cooperação policial entre outros com o México, Colômbia, Estados unidos, Jordânia, Arábia saudita, Bulgária, Peru, Equador, Malta, Brasil, Espanha. Participação em reuniões de coordenação no MNE no quadro da negociação de instrumentos jurídicos bilaterais, como é o caso do México, Colômbia, Bulgária, Estados Unidos e Suíça; Participação nas reuniões de coordenação realizadas no MNE (entre outras, Tunísia, Marrocos, Argélia, Cabo Verde, Moçambique e Namíbia). Participação nas reuniões de negociação de Acordo bilateral com os Estados Unidos sobre cooperação em matéria de reforço da cooperação para combate à criminalidade; Elaboração de notas e comentários no quadro 55

56 de todas as negociações. Preparação e participação nas reuniões de coordenação internas e nas reuniões da Comissão Permanente Bilateral Mista Portugal Estados Unidos Preparação das reuniões, com elaboração de comentários; Participação nas reuniões de coordenação no 8 MNE; Participação nas reuniões da Comissão Permanente, que tiveram lugar em Portugal e nos Estados Unidos. Acompanhamento da evolução dos trabalhos no contexto do Programa de Isenção de Vistos (USA Visa Waiver Programmme) Elaboração de comentários; Respostas às solicitações do MNE; 9 Enquadramento do Programa com o Acordo sobre partilha de dados entre Portugal e os EUA; Preparação da intervenção e participação nas negociações do Acordo a celebrar entre Portugal e os Estados Unidos em matéria de partilha de informações sobre suspeitos de terrorismo Representação do MJ nas reuniões celebradas no MNE; Elaboração das contribuições relativas às áreas da competência do Ministério da Justiça e 10 recolha de contribuição junto de outros serviços tutelados; Participação nas reuniões preparatórias internas; Participação na redacção das respostas às contrapropostas americanas. 11 Sistematização e actualização da situação das relações bilaterais na área da Justiça e Foram actualizados e disponibilizados no site disponibilização no portal da DGPJ conteúdos relativos á Cooperação Internacional. 12 Participação e acompanhamento da CIAE Participação em todas as reuniões da CIAE. 13 Preparação e acompanhamento da Subcomissão CIAE Mercado Interno Participação na reunião mantida a 28 de Maio; Contacto com entidades do MJ para articulação posição do Ministério. 14 Acompanhamento dos grupos de trabalho do Conselho da União Europeia com matéria na área da Justiça e de grupos de peritos/comités junto da Comissão Europeia Acompanhamento das reuniões de comités e grupos de trabalho no âmbito da União Europeia, nomeadamente Comité do Artº 29º, 56

57 15 16 Acompanhamento e coordenação das demais actividades no âmbito da União Europeia em que o MJ seja competente para assegurar a resposta ou promover a mesma junto de outros serviços, incluindo a colaboração nas negociações de instrumentos legislativos cuja liderança caiba a outros Ministérios ou outras entidades do Ministério da Justiça Divulgação e acompanhamento dos programas financeiros da UE Comité de Prevenção do BC/FT, GENVAL, DROIPEN, COPEN, DAPIX, COJUR-TPI, Questões Gerais, FREMP, Regulamento Sucessões, Regulamento «Roma III», Grupo de Trabalho «Tribunal de Justiça», Grupo de Trabalho «PSI» e CLEG. Acompanhamento da negociação e participação nas reuniões relativas à adesão da União Europeia à Convenção Europeia dos Direitos do Homem. Preparação de respostas a solicitações da Comissão Europeia e dos Grupos de Trabalho do Conselho; Coordenação das respostas a preparar por outros serviços e entidades do MJ; Participação nas negociações relativas a Microentidades, Cooperativa Europeia, Sociedade Privada Europeia e Interconexão de registos. Divulgação anual, frequente e actualizada, de documentos e informações aos diferentes serviços e entidades do Ministério da Justiça sobre os programas financeiros e preocupação; Redacção de um Manual de Utilizador dos Programas Financeiros; Publicação no sítio da DGPJ de todas as informações e documentos relevantes relativos aos programas financeiros e sua actualização, sempre que necessário; Apoio na formalização das candidaturas dos diferentes serviços do Ministério da Justiça quando solicitado e informações sobre prazos e 57

58 Preparação e Acompanhamento do Conselho de Assuntos Gerais e Político, no contexto da Conferência da Haia de Direito Internacional Privado Preparação e Acompanhamento das reuniões e actividades dos Grupos de Trabalho e Comités do Conselho da Europa Preparação e acompanhamento das reuniões da Comissão para a Prevenção do Crime e a Justiça Penal atribuição de subvenções; Elaboração de quadro ponto de situação relativo às candidaturas portuguesas e contactos com os diferentes serviços e entidades do MJ sobre as perspectivas de futuras candidaturas; Participação anual nas reuniões dos Comité dos programas financeiros em Bruxelas; Participação em acções de formação promovidas pela Comissão Europeia no âmbito dos programas financeiros; Resposta, em representação de Portugal a todos os procedimentos escritos que a Comissão Europeia nos envia frequentemente. Participação nos trabalhos de coordenação comunitária e no Conselho de Assuntos Gerais e Política bem como realização de «follow up» a nível nacional, com as autoridades competentes/centrais no âmbito de todas as Convenções da Haia de que Portugal é Parte. Acompanhamento das 4 reuniões do GRECO; Acompanhamento das reuniões do T-PD, CDPC, Conferência das Partes na Convenção de Varsóvia, Comité Director de Cooperação Jurídica, Comité Director de Assuntos Criminais, Comissão Europeia para a Eficiência da Justiça (CEPEJ), Comité Director dos Direitos Humanos (CDDH) e outros comités; Ainda neste contexto, preparação de documentação e comentários e participação na 30ª Conferência de Ministros da Justiça do Conselho da Europa. Preparação da posição portuguesa para a reunião de 2010 da 19ª CPCJP; 58

59 20 21 Preparação e acompanhamento das reuniões das Conferências dos Estados Partes na Convenção contra a Criminalidade Organizada Transnacional e na Convenção contra a Corrupção, ambas das Nações Unidas Preparação, coordenação e acompanhamento do XII Congresso das Nações Unidas para a Prevenção do Crime e a Justiça Penal Elaboração da intervenção do Ministério da Justiça na sessão de 2010 da 19ª Comissão; Participação nas reuniões de coordenação da União Europeia; Participação nas discussões dos projectos de resolução a aprovar pela 19ª CPCJP; Circulação dos documentos relevantes pelos serviços tutelados pelo MJ. Preparação da posição portuguesa para a reunião da Conferência das Partes da CCOT; Participação nas reuniões de coordenação da União Europeia; Participação nas discussões dos projectos de resolução a aprovar pela Conferência das Partes; Circulação dos documentos relevantes pelos serviços tutelados pelo MJ. Preparação da posição do Ministério da Justiça nas diferentes matérias da agenda do Congresso; Coordenação da participação do Ministério da justiça no Congresso; Preparação da agenda de contactos bilaterais a manter por S. Exa o Ministro da Justiça à margem do Congresso; Acompanhamento das várias sessões e actividades do Congresso; Intervenção no painel sobre branqueamento de capitais; Participação na discussão da Declaração política do Congresso (Declaração de Salvador); Tradução para língua portuguesa da Declaração 59

60 22 23 Participação e acompanhamento das reuniões da UNODC e das várias agências especializadas das Nações Unidas na área da Justiça Preparação e acompanhamento das reuniões dos grupos de trabalho e comités do Conselho da Europa, incluindo o GRECO, bem como o Grupo de Trabalho contra a Corrupção da OCDE, e o GAFI e GAFISUD em matéria de prevenção do branqueamento de capitais e do financiamento do terrorismo de Salvador e sua remessa às entidades e serviços do MJ. Preparação da posição portuguesa; Participação nas reuniões de coordenação da União Europeia; Participação nas discussões dos projectos de resolução em áreas como as drogas, corrupção e criminalidade organizada. Conforme descrição efectuada nos objectivos operacionais. ACTIVIDADE Relações Internacionais Apoio e acompanhamento de processos N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO 1 2 Acompanhamento do projecto de transferência de boas práticas no âmbito da Vigilância Electrónica do programa já em curso entre Portugal e a Colômbia, para melhoria e aperfeiçoamento. Acompanhamento do projecto de transferência de boas práticas no âmbito da Vigilância Electrónica entre Portugal, o Brasil e a Republica Dominicana, (COMJIB) para definição de um Guia Metodológico (no âmbito legislativo e operacional) com vista à futura implementação de programas de vigilância electrónica noutros países da região (Peru, Costa Rica e México), Acompanhamento das actividades de cooperação desenvolvidas por Estados terceiros e Organizações Internacionais nos Países de Língua Oficial Portuguesa Procedeu-se ao acompanhamento das visitas efectuadas a Portugal pela delegação da Colômbia no quadro do Projecto de Vigilância electrónica Procedeu-se ao acompanhamento das visitas efectuadas a Portugal por delegações de países Ibero-americanos, respectivamente da Colômbia e da Dominicana, no quadro do Projecto de Vigilância Electrónica. Foram acompanhadas as actividades do PNUD em Timor Leste e na Guiné-Bissau; de Espanha em Timor 3 Leste; da UNODC e da EU (Comissão e missão EUSSR) na Guiné-Bissau. 4 Apoio à Secretária-Geral da Rede de Cooperação Jurídico-judiciária dos Países de Foi prestado apoio à participação da Secretária-Geral 60

61 Língua Portuguesa Apoio ao Secretário-Geral da Conferência de Ministros da Justiça dos Países de Língua Portuguesa Participação e acompanhamento nas negociações relativas à elaboração do Programa de Acções a desenvolver no âmbito do Projecto Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP e em Timor Leste, da Comissão Europeia. Acompanhamento da participação de quadros da área da justiça na missão PESD do Conselho da União Europeia EU SSR na Guiné-Bissau (PESD) Acompanhamento da execução dos memorandos assinados com o Uruguai em 2008 Execução do programa de actividades e dos memorandos de entendimento com a República Popular da China Acompanhamento do Memorando de Entendimento assinado entre Portugal e o Brasil Acompanhamento dos Trabalhos relativos à reforma do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem Relatório de Actividades da Rede na XII CMJCPLP. Foi prestado apoio à participação do Secretário-Geral da Rede na XII CMJCPLP. Processo acompanhado ao ritmo das solicitações efectuadas pelo IPAD. Acompanhamento efectuado até ao fim da missão em Setembro de Não foram executadas acções em Visita do Vice-Ministro da Justiça a Portugal Não realizado. Preparação da Conferência de Alto Nível sobre a evolução futura do TEDH e do sistema da CEDH (Interlaken); Informação sobre documento elaborado pelo jurisconsulto do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem em sede de princípio da subsidiariedade e clareza e consistência da jurisprudência do Tribunal; 11 Participação na 71.ª reunião do CDDH; Participação em reunião realizada em Skopje, em Outubro, dedicada à aplicação do princípio da subsidiariedade pelos Estados no contexto da Convenção Europeia dos Direitos do Homem; Acompanhamento geral do processo de reforma do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. 12 Acompanhamento dos processos envolvendo Portugal no TEDH, em apoio ao Organização conjunta da participação e 61

62 agente do Estado Português Elaboração de Quadros-sinópticos referentes aos processos pré-contenciosos e contenciosos envolvendo Portugal Acompanhamento do processo de apresentação/ redacção de peças processuais ou de respostas no âmbito do pré-contencioso e contencioso que envolva Portugal Acompanhamento dos dossiers em negociação na União Europeia, em matéria civil, nomeadamente Regulamento Sucessões, Regulamento sobre regimes matrimoniais e revisão Regulamento Bruxelas I Portugal na 71.ª reunião do Comité Director dos Direitos Humanos; Participação na visita do Serviço de Execução de Acórdãos do Comité de Ministros, realizada em Dezembro; Resposta aos pedidos formulados pelo Serviço de Execução de Acórdãos do TEDH; Acompanhamento das Resoluções Intercalares dirigidas a Portugal. Foram remetidos aos Gabinetes dos membros do Governo os Quadros-sinópticos. Gestão dos processos pré-contenciosos 2007/053, 2009/4069 e 2007/2010; Gestão dos processos contenciosos T-33/09 e C-470/10 (nomeadamente, representação em sede de alegações e apoio à redacção de peças processuais); Gestão de cerca de 60 processos de questões prejudiciais (artigo 267.º TFUE); Articulação com o MNE; Apoio e articulação com outras entidades do Ministério da Justiça e outros departamentos governamentais. Preparação e acompanhamento de todas as reuniões do Grupo de Trabalho em matéria de direito civil (Sucessões); Na medida em que a proposta de revisão do Regulamento Bruxelas I apenas foi apresentada a 14 de Dezembro de 2010, não houve nenhuma reunião deste Grupo no Conselho; não obstante, teve lugar uma reunião de peritos, organizadas pela Comissão Europeia, 62

63 Acompanhamento dos dossiers em negociação na União Europeia, em matéria penal, nomeadamente sobre Transmissão de processos penais, Luta contra o abuso e a exploração de crianças e a pornografia infantil, Prevenção e luta contra o tráfico de seres humanos e à protecção das vítimas, Passenger Name Record (PNR) utilização dos dados dos Registos de Identificação dos Passageiros para efeitos de aplicação da lei, Ordem Europeia de Protecção, Ordem Europeia de Investigação, Direito à interpretação e tradução dos documentos essenciais em processos penais. Apoio aos trabalhos realizados em sede de Rede Judiciária Europeia em Matéria Civil e Comercial e participação nas reuniões em que tal se revele necessário Apoio aos trabalhos realizados em sede de Rede Judiciária Europeia em Matéria Penal e participação nas reuniões em que tal se revele necessário com vista a preparar aquela proposta, preparada e acompanhada pela DGPJ. Preparação da posição portuguesa a adoptar no quadro das negociações; Participação nas reuniões destes grupos de trabalho da União Europeia; Pedido de contributos a outras entidades e serviços e apresentação quando solicitados; Articulação com a REPER e com o MNE; Participação em reuniões de coordenação no MNE. Participação nas 4 reuniões da Rede Judiciária Europeia em Matéria Civil e Comercial; Resposta aos pedidos formulados pelo Ponto de Contacto da Rede; Par5ticipação na primeira reunião dos membros nacionais da Rede Judiciária Europeia em Matéria Civil e Comercial. Apoio aos trabalhos da RJE; Não se revelou necessária a participação em reuniões. ACTIVIDADE Relações Internacionais Diversos N.º ACTIVIDADES PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Estabelecimento de contactos com o Brasil para concertação de estratégias de Mantida reunião com o Secretário Nacional da Justiça 1 actuação no âmbito da cooperação com os PLOP Brasileiro. 2 Estabelecimento de Relações de Cooperação com a RAEM Efectuados contactos prévios com as autoridades 63

64 3 4 5 centrais chinesas. Apoio a iniciativas na área do Estado de Direito e da Defesa dos Direitos Incumprido. Humanos Desenvolvimento de iniciativas visando a abolição da pena de morte no plano Incumprido. internacional, em concertação com o MNE Divulgação de vagas em organizações internacionais na área da Justiça Actualizações periódicas área relativa a recrutamento internacional ao sítio da DGPJ; Divulgação de vagas por Ofício para entidades específicas, quando justificado. 64

65 Divisão dos Recursos Financeiros Relatório de Actividades ACTIVIDADES CORRENTES E DE SUPORTE Gestão Financeira e Patrimonial No âmbito da Gestão Financeira e Patrimonial foram realizadas as seguintes actividades: Área Actividades Gestão de Recursos Financeiros: Preparação de projectos de orçamento para 2011; Elaboração de Pedidos de Libertação de Créditos; Elaboração de Pedidos de Autorização de Pagamentos Elaboração da prestação de contas de 2009 Elaboração das Contas de Gerência de 2009; Elaboração das declarações de IRS e do Modelo 10; Acompanhamento da execução orçamental; Elaboração de propostas de alterações orçamentais; Prestação de informação sobre compromissos assumidos e não pagos. Calendarização/ Periodicidade Maio a Julho Mensal Mensal Fevereiro Março e Abril Março Mensal Permanente Trimestral PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Actividades cumpridas Gestão do Património e das Comunicações: Tratamento do expediente geral; Permanente Actividade cumprida Verificação e acompanhamento dos contratos de Permanente Actividade cumprida limpeza, higiene e vigilância; Desenvolvimento dos procedimentos necessários à Permanente Actividade cumprida reparação de avarias no que se refere a equipamentos e de anomalias no que se refere às instalações; Actualização do inventário de bens móveis; Permanente Actividade cumprida 65

66 Desenvolvimento dos procedimentos inerentes à Permanente Actividade cumprida manutenção e/ou aquisição dos serviços de comunicação; Desenvolvimento dos procedimentos necessários no Mensal Actividade cumprida âmbito do processo de aquisição de viaturas Elaboração de mapas relativos a custos com Mensal Actividade cumprida comunicações móveis Monitorizar o Plano de Prevenção de riscos de corrupção e Permanente Actividade cumprida infracções conexas da DGPJ Gestão do Aprovisionamento: Acompanhamento, coordenação e controlo dos Permanente Actividade cumprida procedimentos administrativos de aquisição de bens e serviços; Recepção de requisições e fornecimento de bens e Permanente Actividade cumprida serviços; Gestão de stocks; Permanente Actividade cumprida Gestão e desenvolvimento dos processos inerentes às deslocações de trabalhadores em missão de serviço público; Elaboração de mapas estatísticos sobre aquisição de bens e serviços. Permanente Mensal Actividade cumprida Actividade cumprida 66

67 Divisão do Recursos Humanos Relatório de Actividades Gestão de Recursos Humanos No âmbito da Gestão de Recursos Humanos foram realizadas as seguintes actividades: Área Actividades Formação Profissional: Elaboração em coordenação com as demais unidades orgânicas do plano de Formação para 2010; Organização, execução e acompanhamento da formação superiormente aprovada; Calendarização/ Periodicidade Março Permanente PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Actividade concluída Plano de Formação de 2010 aprovado por despacho de Actividade concluída Taxa de execução do Plano de 87,5% Gestão de Recursos Humanos: Gestão e administração dos recursos humanos da DGPJ; Elaboração de informações e pareceres em matéria de regime jurídico da função pública; Recrutamento e selecção de pessoal para reforço e adequação dos recursos da DGPJ através de procedimentos concursos ou recurso a instrumentos de mobilidade geral; Organizar sessões de esclarecimento dos novos regimes aplicáveis trabalhadores funções públicas sempre que necessário; Permanente Permanente Actividade concluída Actividade concluída Anual Recrutamento de 4 trabalhadores por procedimento concursal, recrutamento de 5 trabalhadores por mobilidade interna (2 dos quais viram recusada, pelo serviço de origem, a sua mobilidade), em curso 2 procedimentos para Técnico Superior e 2 procedimentos para cargos dirigentes. Por força do disposto no Despacho MFAP n.º15248-a/2010, de não foi possível a abertura de dois dos procedimentos concursais previstos para o ano de Permanente Actividade não determinada superiormente 67

68 Carregamento e actualização sistemática e permanente das bases dados informáticas de recursos humanos: SRH, SIOE, GeDAP e BEP; Assegurar a organização e boa aplicação do Sistema de Avaliação do Desempenho, no que respeita aos SIADAP 2 e 3; Permanente Permanente Actividade concluída Actividade concluída 68

69 Centro de Documentação e Informação Relatório de Actividades Gestão Documental No âmbito da Gestão Documental foram realizadas as seguintes actividades: Área Actividades Cooperação em projectos de investigação e desenvolvimento terminologia (JURISLINGUE e COTSOES Calendarização/ Periodicidade Permanente PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Participação na Assembleia Geral da COTSOES e em todas as reuniões do Grupo de Trabalho do dicionário Jurislingue. Tradução/ retroversão de documentos Pontual Foram traduzidos 115 documentos, onde se destacam devido à sua complexidade e/ou extensão: Pedidos de informação legislativa da RCLUE Convites à apresentação de propostas a financiamento comunitário (Comissão Europeia) Observations from the Portuguese State to the Complaint 60/2010 submitted by the European Council of Police Trade Unions against Portugal - CESP Análise empírica Estudo/Tese de Daniel Martins Respostas de Portugal a questionários de vários organismos internacionais Jurisprudência do Tribunal Constitucional e do Tribunal Superior de Justiça Recolha e publicitação de informação recolhida imprensa diária Permanente Esta actividade foi suspensa em Abril de 2010 devido à escassez de recursos humanos disponíveis no CDI. Reorganização do sítio da DGPJ Permanente Foram actualizadas as páginas dedicadas ao Planeamento Estratégico, nomeadamente as 69

70 páginas relativas ao SIADAP (4 de Novembro de 2010), e na área da Política Legislativa optou-se por criar uma área nova dedicada à Avaliação do Impacto Normativo, tendo em conta a inexistência de novos projetos legislativos ou desenvolvimentos nos projetos em curso (Novembro 2010). Na área das Relações Internacionais foram integralmente revistas as páginas dedicadas às Cooperação Internacional (19 de Abril de 2010). Foram também integralmente revistas todas as páginas das Leis da Justiça (inclusão do sumário em todos os diploma e sua reorganização de acordo com uma lógica temática e alfabética Junho , publicados o índice sistemático e as versões consolidadas do CPP e do CPC). Actualização bases dados DGPJ Permanente Foram carregados 184 monografais na base de dados bibliográfica (compras e ofertas). O carregamento nas bases de dados de direito comunitário foi suspenso em Abril de 2010 devido à escassez de recursos humanos disponíveis no CDI. Actualização site CITIUS Permanente Foram publicadas no site CITIUS todas as notícias autorizadas. Aplicação do plano de classificação da DGPJ ao arquivo em suporte papel e informático Permanente Esta actividade foi suspensa em Abril de 2010 devido à escassez de recursos humanos disponíveis no CDI. Disponibilização do boletim de informação Bibliográfica Permanente Foram enviados 11 boletins bibliográficos (um diz Acompanhamento das novidades editoriais e gestão de aquisição de espécies documentais estabelecidos Permanente respeito aos meses de Julho e Agosto) Procedeu-se ao envio semanal de mensagens das editoras nacionais com as novidades editoriais. Foram redigidas 83 propostas de aquisição de monografias / renovação de assinaturas de 70

71 periódicos. Realização de pesquisas correntes e orientadas para a decisão Permanente Todos os pedidos de pesquisa foram respondidos dentro do prazo solicitado. Destaca-se o pedido do Gabinete do Ministro da Justiça para recolha de legislação para futura elaboração do quadro de referência para os Códigos de Ética e de Conduta; a resposta ao Ministro da Justiça da Bulgária sobre legislação que regula os conflitos de interesse; e a resposta ao Ministro da Justiça da Áustria sobre o registo de devedores. 71

72 Divisão de Informática Relatório de Actividades Gestão Informática No âmbito da Divisão Informática foram realizadas as seguintes actividades: Área Actividades Gestão dos sistemas servidores e clientes: Administração e operação dos sistemas servidores Instalação e actualização de software em sistemas servidores e estações de trabalho Gestão das cópias de segurança dos sistemas Criação e manutenção dos perfis de utilizador Gestão do parque informático e controlo do software instalado Serviços de helpdesk aos utilizadores Calendarização/ Periodicidade Permanente PONTO DE SITUAÇÃO A 31 DE DEZEMBRO Todas as actividades previstas no que respeita à gestão dos sistemas informáticos de suporte ao funcionamento da DGPJ foram regularmente efectuadas ao longo do ano sem que se tenha verificado qualquer interrupção ou anomalia na disponibilidade dos sistemas. Gestão da rede interna, das comunicações e da internet: Manutenção da rede interna e das ligações ao exterior Actualização dos equipamentos activos e passivos da infraestrutura Configuração do acesso á Internet, correio electrónico e acesso aos servidores Manutenção e administração dos conteúdos na página da DGPJ sobre as estatísticas da Justiça. Integração dos conteúdos das Estatísticas da Justiça na página da DGPJ. Leis da Justiça: Integração no portal de serviços de justiça on-line. Manutenção da rede de voz sobre IP (VOIP) Permanente Todas as actividades previstas foram efectuadas de acordo com as necessidades do normal funcionamento da rede interna, das comunicações e da internet. 72

73 Gestão da base de dados para desenvolvimento e formação de suporte ao sistema CITIUS: Administração e operacionalização da base de dados Instalação de software para formação Suporte à configuração e utilização do sistema de gestão documental na DGPJ Permanente Permanente Esta actividade não foi realizada em 2010 devido à DGPJ não ter tido intervenção no processo de formação de suporte ao sistema CITIUS. Foi dado suporte aos ambientes de desenvolvimento, qualidade e produção do sistema de gestão documental. 73

74 OUTRAS ACTIVIDADES DESENVOLVIDAS EXTRA QUAR E PLANO DE ACTIVIDADES 2010 Nesta secção são apresentadas outras actividades / acções desenvolvidas extra Plano de actividades e QUAR, que devem igualmente constar do presente Relatório de actividades. Elaboração de notas e pareceres sobre diversos regimes jurídicos, v.g.: a. Regime jurídico em vigor sobre a certificação da actividade de motorista de determinados veículos pesados de transporte rodoviário de mercadoria e de passageiros, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 126/2009, de 27 de Maio e regulamentado pela Portaria n.º 1200/2009, de 8 de Outubro; b. Regime jurídico criado pelo artigo 447.º-B do CPC, que cria a taxa sancionatória excepcional; c. Novo regime jurídico do inventário, aprovado pela Lei n.º 29/2009, de 29 de Junho; d. Regime jurídico do acesso ao direito e sugestão de alterações, tendo em vista regular/regulamentar o disposto na lei da violência doméstica. Elaboração de opinião jurídica, com propostas concretas de alteração; e. Regime geral das taxas de administração do Estado; f. Elaboração de nota sobre a legislação interna em sede de sanções alternativas para a utilização e porte de drogas; g. Elaboração de Pareceres diversos sobre o Regulamento das Custas Processuais. Análise de projectos de diploma e elaboração das competentes notas ou pareceres jurídicos. Exemplos: a. Projecto de Decreto-Lei que aprova a orgânica da CITE; b. Parecer sobre a Proposta de Lei da Arbitragem Voluntária; c. Parecer sobre Projecto de Resolução relativa ao reforço de medidas de combate ao tráfico de seres humanos e à exploração na prostituição; 74

75 d. Pareceres sobre diplomas legais ou regulamentares do sector da justiça (Anteprojectos de alteração às Portarias 331-A/2009 e 331- B/2009, da acção executiva) bem como sobre questões diversas (por ex., sobre a inconstitucionalidade de algumas normas do DL 226/2008); e. Pareceres sobre propostas de Acordo para Protecção e Acolhimento de Testemunhas a celebrar, eventualmente, com o Tribunal Penal Internacional, com o Tribunal Penal Internacional para a ex-jugoslávia e com o Tribunal Especial para o Líbano; f. Parecer sobre a Adopção do Projecto de Resolução sobre os Direitos das Pessoas pertencentes a Minorias Nacionais ou Étnicas, Religiosas e Linguísticas. Elaboração e/ou consolidação dos contributos do MJ para avaliação ou elaboração dos seguintes Planos Nacionais: a. I Plano Nacional contra o tráfico de seres humanos; b. III Plano Nacional contra a violência doméstica; c. III PNI; d. II Plano Nacional contra o tráfico de seres humanos; e. IV Plano Nacional contra a violência doméstica; f. IV PNI. Participação em seminários, reuniões, congressos e grupos de trabalho: Participação no seminário promovido pela APAV Victims of terrorism in Europe. Media and Victim Support ; Participação no seminário sobre a Decisão-Quadro 2008/947/JAI, realizada em Durbuy; Participação no Seminário subordinado ao Tema do Tráfico de Pessoas; Participação no grupo de trabalho para elaboração do quadro de referência do novo mapa judiciário (GTAM); 75

76 Participação no grupo de trabalho de análise do financiamento do sistema de acesso ao direito (Agosto); Participação no grupo de trabalho constituído para a elaboração de publicação sintética com os principais indicadores da Justiça; Coordenação do grupo de trabalho responsável pelo acompanhamento das medidas de combate à corrupção aprovadas pela Assembleia da República, em 22 de Julho de Na sequência da aprovação em 22 de Julho de 2010, pela Assembleia da República, em concretização dos trabalhos da Comissão Eventual para o Acompanhamento Político do Fenómeno da Corrupção e para a Análise Integrada de Soluções com vista ao seu Combate, de um conjunto de leis dirigidas à prevenção e ao combate à corrupção, o Governo, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 71/2010, de 10 de Setembro, atribuiu ao Ministro da Justiça a coordenação dos trabalhos necessários para assegurar a regulamentação da legislação aprovada pela Assembleia da República. A DGPJ recebeu a incumbência do Ministro da Justiça de assegurar a coordenação dos trabalhos preparatórios de regulamentação da legislação atrás referida, estando ainda envolvidos nesses trabalhos o Ministério das Finanças e da Administração Pública, através da Inspecção-Geral de Finanças, o Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território, através da Inspecção-Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território. Participa também no grupo de trabalho a Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção. Em 2010, tiveram lugar duas reuniões deste grupo de trabalho, nas quais se procedeu ao planeamento e alinhamento metodológico dos trabalhos, bem como a uma primeira avaliação do conjunto de medidas dirigidas à prevenção e ao combate à corrupção aprovadas pela Assembleia da República, nomeadamente no que diz respeito aos aspectos da sua execução ou regulamentação. Ainda em 2010, o grupo de trabalho solicitou a colaboração de outras entidades para o acompanhamento da execução das medidas aprovadas pela Assembleia da República (Banco de Portugal, Procuradoria-Geral da República, Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público, Inspecção-Geral da Administração Local. Participação na 1ª Conferência Internacional da CPEE - Promover a eficácia das execuções (18/19 Junho); Participação na Conferência sobre a implementação da Decisão-Quadro 2008/977/JAI do Conselho, de 27 de Novembro de 2008, relativa à protecção dos dados pessoais tratados no âmbito da cooperação policial e judiciária em matéria penal (2 de Fevereiro de 2011); 76

77 Participação com dois posters no 9th Congress of International Association of Legislation Quality of Legislation (24/25 Junho); Participação em reunião sobre o sistema de insolvências português com o Banco de Portugal e o FMI (Dezembro); Participação na 2.ª Reunião Pan-Europeia sobre Gabinetes de Recuperação de Activos (6 e 7 de Dezembro de 2010); Elaboração de resposta a vários questionários da RCLUE. Outras actividades: Integra a DGPJ a equipa de Conselheiras, efectiva e suplente, para a Igualdade no MJ; Pertence à DGPJ a equipa que está a ser formada, no âmbito do programa Simplegis, para a realização de exercícios de avaliação de impacto normativo. Neste âmbito, a DGPJ participou enquanto formadora em várias iniciativas do Curso avançado de avaliação do impacto das leis, incluindo conferências, curso de pós-graduação na FDL e oficinais de legislação no CEJUR. Participação da DGPJ, enquanto formadora, numa acção de formação no INA, no âmbito do curso diploma de especialização em simplificação da comunicação legislativa e regulamentar ; Preparação de respostas sobre matérias conexas com a igualdade de género, como por exemplo o pedido de informação do ex-secretário de Estado do MJ alemão remetido pela Embaixada de Berlim em Junho de 2010; Elaboração de nota relativa à versão provisória do Manual para parlamentares sobre a Convenção do Conselho da Europa contra a exploração e o abuso sexual de crianças; Preparação de observações a apresentar no processo C-315/10 do Tribunal de Justiça; Elaboração de Parecer no âmbito da preparação da reunião da COMJIB; Participação na preparação da candidatura de Portugal ao Mundial de Futebol de 2018/2022 (Abril); Participação na formação Justiça XXI sobre o novo Código de Execução de Penas (Março); 77

78 Preparação de visita do Serviço de Execução de Acórdãos do CDDH (Dezembro); Elaboração de Parecer sobre Um Acto para o Mercado Único. 78

79 2.4 DESENVOLVIMENTO DE MEDIDAS PARA UM REFORÇO POSITIVO DO DESEMPENHO Como contributo para um reforço positivo do desempenho da DGPJ, resultante da reflexão feita aquando da elaboração do presente relatório de actividades, elencam-se as seguintes medidas constantes do Plano de Actividades 2011: Elaboração de um manual de procedimentos internos; Início da implementação do Plano para a Igualdade na DGPJ, afirmando a aposta desta Direcção-Geral na abordagem de mainstreaming de género e no processo de integração da dimensão da igualdade entre mulheres e homens; Revitalização da Intranet e do sítio da Internet da DGPJ; Início da implementação do Plano de acção para a formação profissional dos trabalhadores da Administração Pública (RCM n.º 89/2010, de 17 de Novembro), com vista a permitir o acesso efectivo à formação profissional por parte de todos os trabalhadores que exercem funções públicas. 79

80 2.5 AUDIÇÃO DE DIRIGENTES INTERMÉDIOS E DEMAIS TRABALHADORES NA AUTO-AVALIAÇÃO DOS SERVIÇOS Apresentação dos resultados dos inquéritos de satisfação dos colaboradores 1 De modo a dar cumprimento ao previsto no n.º 2 do artigo 15.º da Lei do SIADAP (Lei n.º 66- B/2007, de 28 de Dezembro) foram disponibilizados via electrónica, entre os dias 28 de Outubro e 26 de Novembro de 2010, os inquéritos destinados à aferição da satisfação dos colaboradores da Direcção-Geral da Política de Justiça (DGPJ). O acesso ao questionário processou-se através da atribuição, a cada trabalhador, de uma password de acesso ao sítio da aplicação informática, por forma a garantir o anonimato e a confidencialidade das respostas aos questionários. Os questionários aplicados estavam estruturados em 13 dimensões (contexto organizacional; reconhecimento e recompensa; posto de trabalho; cooperação e comunicação; política, estratégia e valores; decisão, mudança e inovação; qualidade; relação com chefias; expectativas; SIADAP; satisfação; lealdade; envolvimento), sendo que cada uma delas continha um conjunto de indicadores (questões), cujo objectivo final consistia em perceber qual a percepção dos colaboradores sobre o organismo e em ultima análise melhorar os pontos considerados mais críticos resultantes dessa avaliação (vd. anexo 1). O presente documento analisa, sintetiza e apresenta os principais resultados obtidos a partir dos dados recolhidos através dos 50 inquéritos válidos obtidos (correspondendo a uma taxa de resposta de 52,1%). Satisfação global e dimensões constituintes: Tendo em conta a satisfação global dos colaboradores da DGPJ e respectivas dimensões constituintes (figura 4), é possível retirar as seguintes conclusões: 1 Nas perguntas em que foram utilizadas escalas, os valores de resposta assumiram valores entre 1 e 10. É prática comum a divisão da escala em quatro grupos distintos: 1 a 3 pontos participantes muito insatisfeitos; mais de 3 a 5 pontos participantes insatisfeitos; mais de 5 a 8 pontos participantes satisfeitos; mais de 8 a 10 pontos participantes muito satisfeitos. Deve ainda ser frisado que nenhuma questão foi indicada como de resposta obrigatória, pelo que a possibilidade de não resposta esteve presente ao longo de todas as questões do inquérito de satisfação. 80

81 O valor médio da satisfação global dos colaboradores da DGPJ situou-se nos 6,2 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores globalmente satisfeitos. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com o SIADAP situou-se nos 4,5 pontos em 10 possíveis, valor que corresponde ao nível de colaboradores insatisfeitos com o SIADAP. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com as expectativas situou-se nos 6,4 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com as expectativas. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com o contexto organizacional situou-se nos 6,0 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com o contexto organizacional. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com o reconhecimento e recompensa situou-se nos 5,3 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com o reconhecimento e recompensa. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com o posto de trabalho situouse nos 6,4 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com o posto de trabalho. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com a cooperação e comunicação situou-se nos 6,6 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com a cooperação e comunicação. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com a política, estratégia e valores situou-se nos 6,5 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com a política, estratégia e valores. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com a decisão, mudança e inovação situou-se nos 6,1 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com a decisão, mudança e inovação. O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com a qualidade situou-se nos 6,7 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com a qualidade. 81

82 O valor médio da satisfação dos colaboradores da DGPJ com a relação com as chefias situou-se nos 6,4 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores satisfeitos com a qualidade. O valor médio da lealdade dos colaboradores da DGPJ situou-se nos 6,5 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores leais. O valor médio do envolvimento dos colaboradores da DGPJ situou-se nos 7,6 pontos em 10 possíveis, valor positivo, que corresponde ao nível de colaboradores envolvidos. Figura 1 Satisfação global e respectivas dimensões constituintes Envolvimento 7,6 Qualidade 6,7 Cooperação e Comunicação 6,6 Lealdade 6,5 Política, Estratégia e Valores 6,5 Relação com Chefias 6,4 Expectativas 6,4 Posto de Trabalho 6,4 Satisfação 6,2 Decisão, Mudança e Inovação 6,1 Contexto Organizacional 6,0 Reconhecimento e Recompensa 5,3 SIADAP 4, Muito insatisfeito Muito satisfeito 82

83 2.6 AFECTAÇÃO REAL E PREVISTA DOS RECURSOS HUMANOS, FINANCEIROS E MATERIAIS A afectação dos recursos humanos e financeiros é expressa no QUAR da DGPJ, mostrando quais os recursos planeados para o ciclo de gestão e aqueles que mais contribuíram para os resultados de desempenho alcançados. Em relação aos recursos humanos foi atribuída uma pontuação, para cada categoria profissional, com base no intervalo de rendimentos entre mínimo e máximo e o ordenado mínimo nacional. Para cada categoria profissional foi identificado o número de funcionários correspondentes e feito o somatório das pontuações, obtendo-se assim a pontuação planeada. Foram, ainda, aferidos os dias úteis planeados para 2010 e os dias úteis executados por cada trabalhador. Por último, calculou-se a pontuação executada por categoria profissional e obteve-se o desvio com base na diferença entre o planeado e o executado. Observado o Quadro dos Meios Disponíveis verifica-se que da análise comparativa global entre a Pontuação Planeada (423,2) e a Pontuação Executada (416,2) o desvio foi de 6,9 ( 7), reflectindo a circunstância de, na sua grande maioria, os funcionários da DGPJ terem um bom nível de execução dos dias úteis planeados (228 dias) para Por outras palavras, em média, para cada colaborador, ocorreu uma boa correspondência entre o número de dias que se esperava que o colaborador trabalhasse, ao longo do ano, e o número de dias em que de facto o colaborador prestou o seu serviço à DGPJ. No que concerne aos recursos financeiros, a DGPJ contou com o orçamento global de euros, tendo o montante realizado ascendido a euros e resultado o saldo orçamental positivo de euros. Importa referir que o QUAR para 2010 foi elaborado com base em valores estimados, distintos dos valores agora indicados, os quais reflectem as cativações e alterações efectuadas no decurso da execução orçamental em 2010 nos orçamentos de funcionamento e de investimento da DGPJ, designadamente: Cativações impostas pela Lei do Orçamento de Estado e pelo Decreto-Lei de Execução Orçamental, no valor de euros, transferido para os orçamentos da Secretaria-Geral e Direcção-Geral da Administração da Justiça; 83

84 Redução no valor de euros, o qual foi transferido para o orçamento do Tribunal da Relação de Coimbra. Figura 2 - Quadro dos meios disponíveis do QUAR Relativamente aos Recursos Humanos importa, ainda, referir que o quadro dos meios disponíveis supra exposto já inclui as admissões e as cessações de pessoas consumadas no decorrer do ano O pessoal admitido ao longo do ano findo, para o exercício de funções na DGPJ, soma um total de 18 pessoas e o pessoal que cessou funções soma um total de 19 colaboradores, como seguidamente se apresenta. 84

85 2.6.1 Recursos Humanos No final do ano de 2010, a DGPJ dispunha de um total de 84 trabalhadores, todos eles efectivos em exercício de funções e distribuídos pelas diferentes unidades orgânicas. Tabela I Recursos Humanos, segundo as áreas funcionais, por grupos de pessoal Grupos de pessoal Direcção Política Legislativa Planeamento Estatística e Informática Gestão Financeira e Patrimonial Gestão de Recursos Humanos Gestão documental Dirigente Consultores Técnico Superior Técnico de Informática Assistente Técnico Coordenador Técnico Assistente Operacional GRI Total Contratos/ Cedência de interesse público Total A área com maior número de funcionários é a das Estatísticas e Informática com 28 trabalhadores, ao contrário da área de Gestão de Recursos Humanos com apenas 4 funcionários. Relativamente aos grupos de pessoal verifica-se que os dois maiores grupos são o do Assistente Técnico e o do Técnico Superior ambos com igual número de pessoas, respectivamente 22 trabalhadores, por oposição ao grupo do Técnico de Informática e do Coordenador Técnico com 4 trabalhadores. Esta desigualdade em termos de áreas funcionais está directamente relacionada com a natureza da actividade deste serviço, sendo as Estatísticas da Justiça uma das actividades desenvolvidas pela DGPJ com necessidade de maior afectação de recursos humanos. 85

86 Gráfico I Recursos Humanos por áreas funcionais Direcção Política Legislativa Planeamento Estatística e Informática Gestão Financeira e Patrimonial Gestão de Recursos Humanos Gestão documental GRI Gráfico II Recursos Humanos por grupos de pessoal Dirigente 14 Consultores Técnico Superior Técnico de Informática Assistente Técnico Coordenador Técnico Assistente Operacional 4 22 Contratos/ Cedência de interesse público 86

87 No ano 2010 cessaram e iniciaram funções na DGPJ os seguintes funcionários: Tabela II Pessoal que cessou funções em 2010 Categoria N.º Pessoas Data Observações Serviço de destino Assistente Técnica Mobilidade interna Chefe Divisão Cessa a comissão de serviço IRN- Loja do Cidadão Setúbal Agência para a Modernização Administrativa Consultora Cessa a comissão de serviço GRAL Técnica Superior 1 Mobilidade interna / / Procedimento concursal MAI / ITIJ Assistente Técnico Aposentação - Técnico Superior Aposentação - Assistente Técnica Mobilidade interna GRAL Técnica Superior Mobilidade interna GRAL Assistente Técnica Chefe de Divisão Consultor Consultora Directora Directora Directora-Geral Assistente Técnica Especialista Informática Técnica Superior Cedência de interesse público Cessa a comissão de serviço Cessa a comissão de serviço Cessa a comissão de serviço Cessa a comissão de serviço Cessa a comissão de serviço Cessa a comissão de serviço Procedimento concursal Cessa a mobilidade interna Cessa a cedência de interesse público Subdirector Aposentação GERAP MC DGRS - PROV. JUSTIÇA - INPI, IP PCM - GMCS ITIJ SCM - 87

88 Da leitura do quadro constata-se que no decurso do ano 2010 cessaram funções na DGPJ um total de 19 pessoas, por vários motivos, sendo os mais frequentes o término /cessação da comissão de serviço e a mobilidade interna. Tabela III Pessoal admitido em 2010 Categoria N.º pessoas Data Observações Directora Comissão de serviço Chefe de Divisão Comissão de serviço Especialista de informática Mobilidade interna - MAI Consultora Comissão de serviço Consultor Comissão de serviço Chefe de Divisão Comissão de serviço Assistente Técnica Mobilidade interna Univ. Minho Técnica Superior Procedimento concursal Técnico Superior Integração - CEAGP Técnica Superior Integração - CEAGP Assistente Técnica Procedimento concursal Directora-Geral Comissão de serviço Consultora Comissão de serviço Técnica Superior Procedimento concursal Director Comissão de serviço Directora Comissão de serviço Técnico Superior Mobilidade interna Técnico Superior Reingresso ao serviço após cessar a mobilidade interna 88

89 De acordo com a tabela III, houve um acréscimo de 18 novas pessoas contratadas para ocupação de postos de trabalho. Em contrapartida, verificaram-se 19 saídas, como comprova a tabela II, pelo que se regista o diferencial de 1 pessoa face ao número de pessoas que entraram e saíram ao longo do ano transacto. Gráfico III Mapa comparativo de entradas e saídas em 2010 Especialista Informático Assistente Técnico Técnico Superior Consultor Chefe de Divisão Dirigente Pessoal que cessou funções Pessoal admitido Tabela IV Formação profissional em 2010 Categoria N.º Acções Custo ( ) Dirigente ,37 Consultores ,87 Técnicos superiores ,84 Técnicos de informática ,00 Assistentes Técnicos ,00 Assistente Operacional 1 350,00 TOTAL CUSTOS ,08 89

Relatório de Atividades 2012

Relatório de Atividades 2012 Relatório de Atividades 2012 1 DIREÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA Relatório de Atividades 2012 Abril 2013 Direção-Geral da Política de Justiça Av. D. João II, Lote 1.08.01-D/E, Torre H, Piso 2/3, 1990-097

Leia mais

Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça

Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça Síntese da Cooperação Bilateral com São Tomé e Príncipe na área da Justiça Fevereiro 2015 SÍNTESE DA COOPERAÇÃO BILATERAL COM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE NA ÁREA DA JUSTIÇA O Ministério da Justiça tem apoiado,

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) (Versão consolidada) 4

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) (Versão consolidada) 4 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro, alterada pelas Leis n.º s 64-A/2008, de 31 de dezembro 1, 55-A/2010, de 31

Leia mais

Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP)

Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP) Ofício Circular 13/GDG/08 Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP) A Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, veio rever e aperfeiçoar o anterior sistema

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007

Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141. Portaria n.º 1633/2007 Diário da República, 1.ª série N.º 251 31 de Dezembro de 2007 9141 Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro A Lei n.º 66 -B/2007, de 28 de Dezembro, que estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DECRETO-LEI Nº.12/2008 30 de Abril ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA O Decreto-Lei nº 7/2007, de 5 de Setembro, relativo à estrutura

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas das Custas Pagas nos Tribunais. Código: 483 Versão: 1.0 Setembro de 2010 INTRODUÇÃO A Direcção-Geral da Política de Justiça, antigo Gabinete de

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 5. 2.1 Principais utilizadores/destinatários... 9 2.2 Tipificação dos serviços prestados... 10 3. OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS...

1. INTRODUÇÃO... 5. 2.1 Principais utilizadores/destinatários... 9 2.2 Tipificação dos serviços prestados... 10 3. OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS... Plano de Atividades 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 5 1.1 Missão... 5 1.2 Atribuições da DGPJ... 5 1.3 Legislação e regulamentação interna... 7 1.4 Organograma... 8 2. CARATERIZAÇÃO DO AMBIENTE EXTERNO E

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública

Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I Disposições Comuns SECÇÃO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento procede

Leia mais

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL Direito Penal Europeu para Advogados Penalistas ERA/ECBA/ICAB Barcelona 21-22 de Fevereiro de 2014 DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL NA UNIÃO EUROPEIA INDICAÇÕES DE PESQUISA E ELEMENTOS NORMATIVOS Vânia

Leia mais

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa

Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa Instrumento que cria uma Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Criação 1. A Conferência dos Ministros da Justiça

Leia mais

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor.

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor. 1 Nos termos do disposto no n.º 3 do artigo 110.º do RJIES, a aprovação do presente regulamento, elaborado ao abrigo do estatuído no artigo 3.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, é precedida da sua

Leia mais

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira

Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira Conselho Local de Acção Social De Vila Nova de Cerveira REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO A rede social é uma plataforma de articulação de diferentes parceiros públicos e privados que tem por objectivos combater

Leia mais

ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE

ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE Durante o ano de 2009, nas 8 (oito) reuniões de Plenário da CPEE os assuntos abordados e as matérias alvo de deliberação foram as constantes

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO Sessão Plenária 15 de Dezembro 2009 A. Sevinate Pontes H. Pinto CS/11 Comissão Sectorial para a Educação e Formação Índice 1 2 3 4 5 6 7 8 Enquadramento Legal Âmbito

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE. Decreto-Lei 34/2012

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE. Decreto-Lei 34/2012 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE Decreto-Lei 34/2012 Orgânica dos Serviços de Apoio dos Tribunais Os Serviços de Apoio dos Tribunais destinam-se a assegurar os serviços administrativos do Tribunal

Leia mais

O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL UM NOVO PARADIGMA

O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL UM NOVO PARADIGMA Newsletter 1 Setembro 2013 O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL UM NOVO PARADIGMA No passado dia 1 de Setembro, entrou em vigor, o novo Código de Processo Civil, publicado pela Lei n.º 41/2013, de 26 de Junho,

Leia mais

Índice. Relatório da Avaliação de Desempenho SIADAP 2 e 3 2012 0

Índice. Relatório da Avaliação de Desempenho SIADAP 2 e 3 2012 0 Índice I Nota Introdutória ----------------------------------------------------------------------------------------------------- 1 II Processo de Avaliação -----------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS DA DIRECÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE JUSTIÇA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção aprovou uma

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

Avaliação do Desempenho 2009

Avaliação do Desempenho 2009 Relatório Anual Instituto do Desporto de Portugal I.P. Avaliação do 2009 Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do na Administração Pública (SIADAP) Novembro 2010 I Introdução No âmbito da aplicação do

Leia mais

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º CAPÍTULO III Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º Missão e atribuições 1. O Estado -Maior Conjunto (EMC) tem por missão assegurar o planeamento e o apoio necessários à decisão do CEMGFA. 2. O EMC prossegue,

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES.

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Decreto n.º 28/98 de 12 de Agosto Protocolo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República da Guiné-Bissau nos Domínios do Equipamento, Transportes e Comunicações, assinado em Bissau em 11 de

Leia mais

Decreto-Lei n.º 164/2007 de 3 de Maio

Decreto-Lei n.º 164/2007 de 3 de Maio Decreto-Lei n.º 164/2007 de 3 de Maio No quadro das orientações definidas pelo Programa de Reestruturação da Administração Central do Estado (PRACE) e dos objectivos do Programa do Governo no tocante à

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Alteração ao Regime Jurídico da Avaliação do Ensino Superior Num momento em que termina o ciclo preliminar de avaliação aos ciclos de estudo em funcionamento por parte da Agência de Avaliação e Acreditação

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA O Sistema de Certificação de Entidades Formadoras, consagrado na Resolução do Conselho de Ministros nº 173/2007, que aprova

Leia mais

DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE

DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE A REDE on-line (PROJECTO DE DOCUMENTO ELABORADO PELO GRUPO DE TRABALHO REUNIDO EM SANTA CRUZ DE LA SIERRA, BOLÍVIA, ENTRE OS DIAS 3 E 5 DE MAIO DE 2006) SUMÁRIO: I. INTRODUÇÃO; II. OBJECTIVOS DA REDE on-line

Leia mais

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério,

5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA. Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro. administrativa das actividades do Ministério, 5948 DIÁRIO DA REPÚBLICA Decreto Presidencial n.º 232/12 de 4 de Dezembro Havendo necessidade de se dotar o Ministério do Urbanismo e Habitação do respectivo Estatuto Orgânico, na sequência da aprovação

Leia mais

O desafio de informar melhor. Juntos, uma comunicação de sucesso

O desafio de informar melhor. Juntos, uma comunicação de sucesso O desafio de informar melhor Juntos, uma comunicação de sucesso Janeiro 2006 1.Introdução Dar a conhecer à população (e sensibilizar os potenciais beneficiários) o papel que os financiamentos comunitários

Leia mais

Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP

Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP PROGRAMA DE ESTÁGIOS PROFISSIONAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 3ª EDIÇÃO Procedimentos de Aquisição de Bens e Serviços na AP Cristino Sanches Praia 12 a 26 de Abril 2011-1- OBJECTIVOS 1 Conhecer o quadro legislativo

Leia mais

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, aprovou um vasto conjunto de medidas de simplificação da vida dos cidadãos e das empresas. Destas, destacam-se a

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre processos de falência, insolvência e recuperação de empresas e sobre processos especiais de revitalização (2007-2013)

Estatísticas trimestrais sobre processos de falência, insolvência e recuperação de empresas e sobre processos especiais de revitalização (2007-2013) Abril de 2014 Boletim n.º 15 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL 4º Trimestre de 2013 Estatísticas trimestrais sobre processos de falência, insolvência e recuperação de empresas e sobre processos especiais

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Estatutos da (com revisões de São Tomé/2001, Brasília/2002, Luanda/2005 e Bissau/2006) Artigo 1º (Denominação) A, doravante designada por CPLP, é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento

Leia mais

Portaria que regulamenta a tramitação electrónica de processos e CITIUS Entrega de peças processuais e de documentos por via electrónica

Portaria que regulamenta a tramitação electrónica de processos e CITIUS Entrega de peças processuais e de documentos por via electrónica 1 Portaria que regulamenta a tramitação electrónica de processos e CITIUS Entrega de peças processuais e de documentos por via electrónica 6 de Fevereiro de 2008 Perguntas & Respostas 1. O que é o CITIUS?

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Exposição de motivos Tendo em consideração que a Administração Pública tem como objectivo fundamental

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º /2015. Aprova o sistema de avaliação de desempenho na Assembleia da República

RESOLUÇÃO N.º /2015. Aprova o sistema de avaliação de desempenho na Assembleia da República RESOLUÇÃO N.º /2015 Aprova o sistema de avaliação de desempenho na Assembleia da República A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166. da Constituição, de acordo com as alíneas

Leia mais

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL)

LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) LEI N. 108/91, DE 17 DE AGOSTO (LEI DO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL) Com as alterações introduzidas pelas seguintes leis: Lei n.º 80/98, de 24 de Novembro; Lei n.º 128/99, de 20 de Agosto; Lei n.º 12/2003,

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA

O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA PARECER SOBRE O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA (Proposta de Regulamento sobre o Estatuto da AE e Proposta de Directiva que completa o estatuto da AE no que se refere ao papel dos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA

REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA REGULAMENTO INTERNO CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DA MURTOSA PREÂMBULO Designa-se por rede social o conjunto das diferentes formas de entreajuda, praticadas por entidades particulares sem

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro. Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP)

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro. Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) Texto consolidado pela Direção Geral da Administração e do Emprego Público Texto

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia

Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Estatuto Orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros Decreto Lei n.º 15/99 De 8 de Outubro Considerando que a política científica tecnológica do Governo propende para uma intervenção

Leia mais

Estatutos da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E. P. E.

Estatutos da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E. P. E. Estatutos da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E. P. E. DIPLOMA / ATO : Decreto-Lei n.º 229/2012 NÚMERO : 208 SÉRIE I EMISSOR: Ministério dos Negócios Estrangeiros SUMÁRIO: Aprova

Leia mais

01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI

01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI 01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI 1 CENTRO DE MEDIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM 2 PONTOS DA INTERVENÇÃO: SOBRE O CENTRO DE ARBITRAGEM PROPRIAMENTE DITO: GÉNESE LEGAL DESTE CENTRO ESTRUTURA ORGÂNICA ÂMBITO

Leia mais

Estatísticas trimestrais sobre processos de falência, insolvência e recuperação de empresas e sobre processos especiais de revitalização (2007-2014)

Estatísticas trimestrais sobre processos de falência, insolvência e recuperação de empresas e sobre processos especiais de revitalização (2007-2014) 995 1.037 2.229 1.143 1.151 2.209 1.823 1.774 2.238 2.059 2.063 2.311 3.071 3.116 2.595 3.707 5.492 5.314 5.429 5.337 4.397 5.052 5.265 4.065 Julho de 2014 Boletim n.º 17 DESTAQUE ESTATÍSTICO TRIMESTRAL

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 30 10 de fevereiro de 2012 661 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 6/2012 de 10 de fevereiro Primeira alteração à Lei n.º 8/2009, de 18 de Fevereiro, que cria o regime jurídico

Leia mais

Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa

Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa C 212 E/94 Jornal Oficial da União Europeia 5.8.2010 Desenvolvimento das relações entre o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais no quadro do Tratado de Lisboa P6_TA(2009)0388 Resolução do Parlamento

Leia mais

Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização

Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização de Obras ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto Artigo 2.º Princípios Artigo 3.º Finalidades Artigo 4.º Atribuições

Leia mais

ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPITULO I MISSÃO E ATRIBUIÇÕES Artigo 1º (Missão) O Ministério do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, abreviadamente

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO

PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO 27.4.2001 PT Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 118/41 II (Actos cuja publicação não é uma condição da sua aplicabilidade) PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO RECOMENDAÇÃO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO

Leia mais

Alto Comissariado da Saúde

Alto Comissariado da Saúde Alto Comissariado da Saúde QUAR 2010 Projecto de Parecer emitido pelo Alto Comissariado da Saúde (GPEARI do Ministério da Saúde) com Análise Crítica da Auto-Avaliação do Instituto Português do Sangue,

Leia mais

TCP/INT/3201 Termos de Referência Consultoria Nacional São Tomé

TCP/INT/3201 Termos de Referência Consultoria Nacional São Tomé TCP/INT/3201 Termos de Referência Consultoria Nacional São Tomé Essa consultoria nacional enquadra-se no âmbito do Projecto de Cooperação Técnica CPLP/FAO TCP/INT/3201 para assessorar o Comité Nacional

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE A promoção da educação para a saúde em meio escolar é um processo em permanente desenvolvimento para o qual concorrem os sectores da Educação

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP A Reunião dos Ministros da Saúde da CPLP tendo em consideração: A sua qualidade de órgão da CPLP,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Resolução nº /2015

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Resolução nº /2015 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE COMISSÃO INTERMINISTERIAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Resolução nº /2015 Havendo necessidade de aprovar o estatuto orgânico do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e

Leia mais

A implementação do balcão único electrónico

A implementação do balcão único electrónico A implementação do balcão único electrónico Departamento de Portais, Serviços Integrados e Multicanal Ponte de Lima, 6 de Dezembro de 2011 A nossa agenda 1. A Directiva de Serviços 2. A iniciativa legislativa

Leia mais

DECLARAÇÃO DA PRAIA: MEMORANDO DOS JUÍZES DE LÍNGUA PORTUGUESA SOBRE POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO DA PRAIA: MEMORANDO DOS JUÍZES DE LÍNGUA PORTUGUESA SOBRE POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS DECLARAÇÃO DA PRAIA: MEMORANDO DOS JUÍZES DE LÍNGUA PORTUGUESA SOBRE POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS Os juízes representantes dos vários países de língua oficial portuguesa e que integram a União

Leia mais

RELATÓRIO DA SECRETÁRIA-GERAL REDE DE COOPERAÇÃO JURÍDICA E JUDICIÁRIA INTERNACIONAL DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Junho/2015

RELATÓRIO DA SECRETÁRIA-GERAL REDE DE COOPERAÇÃO JURÍDICA E JUDICIÁRIA INTERNACIONAL DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Junho/2015 RELATÓRIO DA SECRETÁRIA-GERAL DA REDE DE COOPERAÇÃO JURÍDICA E JUDICIÁRIA INTERNACIONAL DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Junho/2015 1 I. Introdução. Nos termos do artigo 6.º, do Instrumento que cria a Rede,

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro

Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro Portaria n.º 1633/2007 de 31 de Dezembro A Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, que estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação de desempenho na Administração Pública, designado por SIADAP, prevê

Leia mais

(Aprovado em sessão do Plenário de 04.06.93 e publicado no D.R., II Série, n.º 204, de 31.08.93)

(Aprovado em sessão do Plenário de 04.06.93 e publicado no D.R., II Série, n.º 204, de 31.08.93) REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL (Aprovado em sessão do Plenário de 04.06.93 e publicado no D.R., II Série, n.º 204, de 31.08.93) CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1.

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000, de

Leia mais

Planeamento e gestão de recursos. Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011

Planeamento e gestão de recursos. Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011 Planeamento e gestão de recursos Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011 1 Componentes da Reforma da 2004 Administração Pública ADE LQIP EPD SIADAP 2007 PRACE SIADAP Revisão Estatuto

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DO CONCELHO DE ODEMIRA REGULAMENTO INTERNO PREÂMBULO A REDE SOCIAL criada pela resolução do Conselho de Ministros nº197/97 de 18 de Novembro e implementada ao abrigo do Programa

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, PRÍNCIPIOS GERAIS, DURAÇÃO E FINS DO CENTRO DE FORMAÇÃO ARTIGO

Leia mais

Princípios Gerais da Reforma Judiciária. João Miguel Barros

Princípios Gerais da Reforma Judiciária. João Miguel Barros Princípios Gerais da Reforma Judiciária João Miguel Barros Agenda reformadora: 1. Reforma do Processo Civil 2. Organização Judiciária 3. Plano de Acção para a Justiça na Sociedade de Informação Ensaio

Leia mais

Administração de Macau pelas suas Gentes e Alto Grau de Autonomia

Administração de Macau pelas suas Gentes e Alto Grau de Autonomia Sistema Político Administração de Macau pelas suas Gentes e Alto Grau de Autonomia A 20 de Dezembro de 1999 Macau passa a Região Administrativa Especial da República Popular da China, sendo simultaneamente

Leia mais

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto 1 - O presente Decreto-Lei estabelece o regime jurídico da carreira dos

Leia mais

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Auditoria do Tribunal de Contas à Direcção Geral do Tesouro no âmbito da Contabilidade do Tesouro de 2000 (Relatório n.º 18/2002 2ª Secção) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas A auditoria à Conta Geral da Regiã o Administrativa Especial de Macau no â mbito da prestaçã o de contas São Tomé e Príncipe, 11-14 de Outubro de 2010 VI Assembleia Geral da OISC/CPLP Índice 1. Introdução

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

NOTA TÉCNICA. ASSUNTO: Alteração do SIADAP (Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro) pela Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro (LOE 2013).

NOTA TÉCNICA. ASSUNTO: Alteração do SIADAP (Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro) pela Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro (LOE 2013). NOTA TÉCNICA ASSUNTO: Alteração do SIADAP (Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro) pela Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro (LOE 2013). Enquadramento 1 - O sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho

Leia mais

8226 Diário da República, 1.ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007

8226 Diário da República, 1.ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007 8226 Diário da República, ª série N.º 215 8 de Novembro de 2007 da Madeira os Drs. Rui Nuno Barros Cortez e Gonçalo Bruno Pinto Henriques. Aprovada em sessão plenária da Assembleia Legislativa da Região

Leia mais

Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Estatutos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (com revisões de São Tomé/2001, Brasília/2002, Luanda/2005, Bissau/2006 e Lisboa/2007) Artigo 1º (Denominação) A Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

GOVERNO DE PORTUGAL. S/Referência S/Comunicação N/Referência Data Ent. 4519/SESSS/2013 Proc. 377-12/461

GOVERNO DE PORTUGAL. S/Referência S/Comunicação N/Referência Data Ent. 4519/SESSS/2013 Proc. 377-12/461 GOVERNO DE PORTUGAL SECRETARIO DE ESTADO DA SOUDARIEDADE E DA SEGURANÇA SOCIAL CPL 12-07-2013 Entrada 10624512013 08.11113 01989 - Fuiltou emeridocs Para conhecimento - Exm Senhor Chefe do Gabinete de

Leia mais

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa

Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Diário da República Electrónico (DRE) Tutorial de pesquisa Tutorial de pesquisa no Diário da República Electrónico (DRE) índice 1. A legislação do DR 2. A pesquisa no DR 1.1. I Série 1.2. II Série 1.3.

Leia mais

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000)

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJECTIVOS, ÂMBITO Art.º 1º

Leia mais

PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011

PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011 PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público Acordo colectivo de trabalho n.º 12/2011 Acordo

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias Código: 484 Versão: 1.0 Abril de 2010 1 INTRODUÇÃO A operação estatística relativa aos processos dos Tribunais

Leia mais

CABO VERDE PROGRAMA DE APOIO AO SECTOR DA JUSTIÇA 2009

CABO VERDE PROGRAMA DE APOIO AO SECTOR DA JUSTIÇA 2009 CABO VERDE PROGRAMA DE APOIO AO SECTOR DA JUSTIÇA 2009 CO-FINANCIADO PELO INSTITUTO PORTUGUÊS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO (IPAD) A. FORMAÇÃO 1) Formação de Magistrados no CEJ Inicial Realiza-se anualmente

Leia mais

Fórum Jurídico. Julho 2014 Contencioso INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/5

Fórum Jurídico. Julho 2014 Contencioso INSTITUTO DO CONHECIMENTO AB. www.abreuadvogados.com 1/5 Julho 2014 Contencioso A Livraria Almedina e o Instituto do Conhecimento da Abreu Advogados celebraram em 2012 um protocolo de colaboração para as áreas editorial e de formação. Esta cooperação visa a

Leia mais

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro)

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) O sistema de avaliação e autorização de introdução no mercado de medicamentos, que tem vindo

Leia mais

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS)

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) Anteprojecto de decreto-lei Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) As acções de protecção civil integram, obrigatoriamente, agentes e serviços que advêm de organismos do Estado,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

Estatutos - Hospitais E.P.E.

Estatutos - Hospitais E.P.E. Estatutos - Hospitais E.P.E. ANEXO II ao Decreto-Lei n.º 233/05, de 29 de Dezembro ESTATUTOS CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Natureza e duração 1 - O hospital E. P. E. é uma pessoa colectiva de

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA Versão Consolidada do REGULAMENTO DAS ACTIVIDADES DE FORMAÇÃO COMPLEMENTAR Aprovado na Sessão Plenária de 14-02-2012, DR, II Série, de 10-04-2012. Alterado na Sessão Plenária de 08-10-2013. Preâmbulo 1.

Leia mais

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ntíficodolnegconselhocientífi Científico 2011 12/31/2011 codolnegconselhocientíficod

Leia mais

Encontro na Ordem. Reforma do Direito das Sociedades Comerciais

Encontro na Ordem. Reforma do Direito das Sociedades Comerciais Reforma do Direito das Sociedades Comerciais Encontro na Ordem Realizou-se no passado dia 15 de Março mais um Encontro na Ordem, desta vez subordinado ao tema Reforma do Direito das Sociedades Simplificação

Leia mais

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 Por forma a melhor esclarecer os membros da OA quanto à posição e actuação da Ordem, nos últimos dois

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto Executivo nº /07 De 03 de Setembro Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério do Comércio; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto

Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto Decreto-Lei n.º 190/2003 de 22 de Agosto Pela Lei n.º 93/99, de 14 de Julho, a Assembleia da República aprovou o diploma que regula a aplicação de medidas para protecção de testemunhas em processo penal,

Leia mais

Registo Nacional de Pessoas Colectivas A Nova Classificação de Actividades Económicas (CAE Rev. 3)

Registo Nacional de Pessoas Colectivas A Nova Classificação de Actividades Económicas (CAE Rev. 3) Registo Nacional de Pessoas Colectivas A Nova Classificação de Actividades Económicas (CAE Rev. 3) Apresentado por: Ana Sommer Ribeiro 23.10.2007 Registo Nacional de Pessoas Colectivas Enquadramento O

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 492/2009 de 28 de Abril de 2009 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de Dezembro, estabeleceu o enquadramento

Leia mais

DECLARAÇÃO CONJUNTA. Feito em São Tomé, em 30 de Maio de 1992. Pelo Governo da República Portuguesa:

DECLARAÇÃO CONJUNTA. Feito em São Tomé, em 30 de Maio de 1992. Pelo Governo da República Portuguesa: Decreto n.º 2/93 Protocolo de Cooperação no Âmbito da Administração Local entre a República Portuguesa e a República Democrática de São Tomé e Príncipe Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais