Do solo ao Espaço, do Espaço ao Universo : os novos instrumentos em rádio e microondas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Do solo ao Espaço, do Espaço ao Universo : os novos instrumentos em rádio e microondas"

Transcrição

1 Gulbenkian, Lisboa 30 Julho de 2009 Do solo ao Espaço, do Espaço ao Universo : os novos instrumentos em rádio e microondas Domingos Barbosa Grupo de Radio Astronomia Basic Sciences & Enabling Technologies 2005, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados.

2 1890: Thomas Edison quer ouvir as estrelas. Simultaneamente às perturbações electromagnéticas originadas no Sol e que sentimos, como sabem, na forma de luz e calor, perturbações em comprimentos de onda mais longos são perfeitamente plausíveis. Se assim for, poderíamos convertê-los em som Julho de 2009, Gulbenkian

3 Para o espaço : TICs/Radioastronomia: começo acidental Karl Jansky (Bell Telephone Labs) Estudo de estática durante Centro da Via Láctea 1940 Grote Reber - receptor 160 Mhz (ultra-alta freq.) encontra Júpiter, o Sol, the Sun e fontes rádio cósmicas 3

4 Rádio como grande negócio :um receptor superheterodínico de 1930 Os modernos radiómetros no espaço/ radiotelescópios 4

5 Históricamente, fora do Planeta Física de Plasmas; condições do espaço exterior (space weather) Telecomunicações Observação da Terra Telecomunicações Navegação (GPS, agora Galileo) Telecomunicações (radio)astronomia (1ª missão da ESA em microondas só em 2009, Planck) 5 30 Julho de 2009, Gulbenkian

6 Espaço : & Radio e Microondas 1 Interface Solo/Espaço 2 - Solo 3 Para o Espaço 4 Conhecimento sub-orbital! 6

7 (Luis Cupido : ENAA2009) O que medimos? - Fluxo / Potência constante variável - Interferometria - Espectros - Imagem sintética - Polarimetria E claro, comunicámos!! 7 30 Julho de 2009, Gulbenkian Galaxias, Quasares, Pulsars e outras fontes, H2O terrestre

8 Os 5 Prémios Nobel da RadioAstronomia : setup-das técnicas experimentais Fundo de Radiação Cósmica em Microondas (1965) Nobel para Penzias e Wilson Bell Telephone Labs Descoberta fortuita, possibilitada pela Tecnologia Mapa do céu em Microondas: WMAP (NASA) Ciência Julho de 2009, Gulbenkian

9 Os 5 Prémios Nobel da RadioAstronomia : setup-das técnicas experimentais Fundo de Radiação Cósmica em Microondas (1965) Nobel para Penzias e Wilson Bell Telephone Labs Descoberta fortuita, possibilitada pela Tecnologia Evolução Cósmica Síntese de abertura Martin Ryle (1974) 9 30 Julho de 2009, Gulbenkian

10 Os 5 Prémios Nobel da RadioAstronomia : setup-das técnicas experimentais Fundo de Radiação Cósmica em Microondas (1965) Nobel para Penzias e Wilson Bell Telephone Labs Descoberta fortuita, possibilitada pela Tecnologia Evolução Cósmica Síntese de abertura Martin Ryle (1974) Descoberta de estrelas de neutrões radio pulsações (pulsars) Tony Hewish (1974) Julho de 2009, Gulbenkian

11 Os 5 Prémios Nobel da Radio Astronomia Fundo de Radiação Cósmica em Microondas (1965) Nobel para Penzias e Wilson Bell Telephone Labs Descoberta fortuita, possibilitada pela Tecnologia Evolução Cósmica Síntese de abertura Martin Ryle (1974) Descoberta de estrelas de neutrões radio pulsações (pulsars) Tony Hewish (1974) Verificação das previsões de Einstein's da Relatividade Geral Desaceleração da rotação de um pulsar Taylor and HulseCiência (1993) Julho de 2009, Gulbenkian

12 As redes multi-antenas de observação: Interferometria : resolução de miliarsec!!!!!! Imbatível Very Large Array, USA + VSOP VSOP (36000 Km baseline) 12 Global Very Large Baseline Interferometer

13 European Radio Astronomy Julho de 2009, Gulbenkian

14 Luis Cupido: ENAA 2009 Tecnologia Temp. ambiente μw Ultra low noise Criogénicas - Front-ends Ondas milimétricas - middleware (IF s, cabos/ fibra etc) ( SKA, EVN problema complexo) critico / calibração Analógico Massivo - Back-ends Digital Complexo Julho de 2009, Gulbenkian

15 Matrizes Planos Focais : multiplicadores de ciência Baixa frequência (1.4-5 GHz) maximisam o potencial de redes como EVN; mas tambem Funcionam como matrizes de radar SAR Média-frequência ( GHz) matrizes de cornetas para maximisar o potencial de grandes radiotelescópios na Europa (ex. Yebes, Effelsberg, SRT,etc. ) Altas frequência ( GHz) matrizes de cornetas para maximisar o potencial de instrumentos a alta-altitude (ACBAR, Apex, de antenas individuais no Julho de 2009, Gulbenkian

16 AAs in the field Cobra Dane Radar (Shemya, Alaska) PAVE PAWS Radar (Alaska) Julho de 2009, Gulbenkian

17 Moura : Setembro primeiros trabalhos do AAVP- European Site Emulator AA-LO (INAF) AAVP Budget : 18 M Synthetic Aperture Radar on Portuguese Ground in 144m² station; MHz- 3GHz : extension up to 20GHz for new Reflector Techs. 17

18 Ondas milimétricas /sub-milimétricas: O projecto ILAHS a multiplicação dos front-ends ILASHIntegratedConventional feeds with required aperture will overlap xx xx x Julho de 2009, Gulbenkian

19 Details of the integrated lens z Conceito da lente : os sensores são integrados na base ILASH- Integrated Lens Antenna Shaper (Carlos Fernandes IT Julho de 2009, Gulbenkian ESA)

20 Manufactura de lentes dielectricas Carlos Fernandes, IT-Lx Julho de 2009, Gulbenkian

21 Portugal RA : Julho de 2009, Gulbenkian

22 Other Telescopes and instruments: : Luis Cupido : ct1dmk1 ; 5.6 meter dish, Aveiro Power and spectral experiments : GHz in 10 years! Present: Commission J URSI / ANACOM, CRAF DSN receiver testing: 8.4GHz band GHz LNA Julho de 2009, Gulbenkian Aveiro : submm work too! (411GHz cub-mixer)

23 Voyager 1 : (um receptor do DSN custa muitos x100k ) aqui : 2000 (excluding HR) - recorde Mundial Tracking da Cassini, Voyager, Mars Orbiter, SIRTF! Variabilidade de Tau6. Importante para calibração desondas Julho de 2009, Gulbenkian

24 riscas de OH (Cupido & Barbosa 2007): CRAF European Science Foundation BW: MHz The impact of Iridium satellite network on RA allocated lines OH : MHz The spectroscopy limit for RA79: -238 dbwm-2hz-1 exceeded by far useful for assessement on maser lines used by VLB telescopes Julho de 2009, Gulbenkian

25 Radio-Heliospectrógrafo: CICGE - UP ( ) Mhz; 1MHz BW; 500 canais. Receptor de CET-UA : Arouca Monitorização do Space Weather FCT - Excellent on CTE and CTE-AST; Operated by D. Maia & A. Magalhães; Maia et al. Agora: em relocalização na Pampilhosa da Serra; Julho de 2009, Gulbenkian

26 Shocks coronais: Km acima da superfície solar Emission a 1/3c Julho de 2009, Gulbenkian Única estação monitorizando o Sp. Weather --> correlação com Nançay e Halpha/Coimbra

27 Cartografia do Galactic Weather! Importância do GEM Necessidade de calibração absoluta ao solo. Mapas GEM irão entrar na Pipeline de processamento de dados do Planck com baixas frequências bem calibradas. GEM : importante para as propostas do Planck Survey Working Group 7 Update do modelo Remoção dos ante-planos é necessária para o Planck Julho de 2009, Gulbenkian de teste e simulação - Planck Sky Reference Model

28 28 30 Julho de 2009, Gulbenkian

29 Galactic Weather: Emergent, urgent space problem Polarization, the future paradigm! Planck Surveyour (ESA 2009) Courtesy of the NASA/WMAP Science Team 29

30 Planck Surveyor ; GHz ( Temp : 200 mk) Julho de 2009, Gulbenkian

31 GEM Goals Primeiro e maior mapa da emissão sincrotrão da galáxia (5GHz)! Legacy survey data com grande tempo de vida. (interesse para telecomunicações: mapas do ruído do céu na banda C-band) Suporte da NASA/GFSC LAMBDA site (Legacy Archive for Microwave Background Data) Completar cobertura do Hemisfério Norte a 2.3 GHz. Controle dos ante-planos das sondas espaciais de observação em microondas + ciência galáctica (mapas absolutamente calibrados): (US Task Force ON CMB Research July 2005). Melhoria de sensibilidade alvo para a proposta de sonda ESA (Cosmic Vision Polarization CMB Bmode) : missão proposta ESA B-Pol (2008). Calibração de radiómetros para missões planetárias (JUNO-Jupiter Polar Orbiter / NASA-JPL 2010+). Teste de R&D para radioastronomia / instrumentação de ciências espaciais Julho de 2009, Gulbenkian

32 GEM - R & D em Microondas Trabalho pioneiro em Portugal Criogenics / LNA (Low Noise Amps.) GaAs Technology. Know steps towards InP. MMIC (Monolithic Microwave Integrated Circuits) : INSCAF partipant. Digital Logic. FPGA will proceed to space! Excellent to process huge data streams. Portugal is competitive! Topa state of the art digital-correlator. Look the spin-offs : Earth-Sciences probes, radioastronomy, tecnological aplications in digital, low power, low noise electronics. Industry connection: TELESAL program, know-how colla. with young space companies. Investment: lab equipment (industrial certified). Conjugate space time with industry time : ESA proposals in Microwave/mm wave reserach lines! Julho de 2009, Gulbenkian

33 33 30 Julho de 2009, Gulbenkian

34 34

35 5 GHz Portugal and Brazil Surveys The Galactic Emission Mapping project aims to accurately determine the absolute intensity and polarization state of the radiation emitted by the Milky Way at several frequencies in the radio and Microwave spectrum 35

36 Espaço: 4ª geração de sondas em microondas Conexões estratégicas: Cosmic Vision R&D 36

37 Ciências da terra : SMOS DEIMOS : aplicação da interferometria à Cartografia da Terra em Microondas (1.4 GHz á procura da água!!) Julho de 2009, Gulbenkian

38 Telecomunicações do Futuro : Comunicar Dados : Débito crescente, Largura de banda, menor massa GaN : novos semicondutores com potência : GaN is a III-V compound semiconductor material (Gallium in Group III and Nitrogen in Group V) GaN Key features, merits for FETs and SSPA are: Material Features Merits for power FET High voltage operation High Breakdown Voltage High load impedance Wide Band gap High Temperature operation High Thermal conductivity High Power density High current density Small periphery and small chip size Julho de 2009, Gulbenkian Merits for SSPA High Linearity Low Loss matching circuit Better DC/RF converter efficiency Small and light cooling system Small and light SSPA

39 Power M anagement Commercial Wireless Infrastructure Automotive Power Diodes and FET Switches RF Power Transistors for Cellular,WLAN,... Emission Sensors, Engine Electronics, Military Commercial Avionics Power MMICs, RADAR, Communications Pressure Sensing MEMs for Steering Systems GaN Applications Data Storage Blue Laser Diodes Julho de 2009, Gulbenkian Bio M edical Lighting Material Detectors UV Emitters/Detectors Heat Sensors General Illumination Signage, Displays

40 Futuro das Telecomunicações no espaço: Brevement uma board do IT no espaço (ESA) PI: Nuno Borges (IT-Av) Go... anywhere, Do... anything, Send... anyone Sem dúvida O futuro da TICS usa GaN Julho de 2009, Gulbenkian

41 Rádio, Microondas!! Recomendam-se Estratégico Necessário : Monitorização da Terra, Ciência, RadioAstronomia, TELECOMUNICAÇõES Futuro Brilhante Julho de 2009, Gulbenkian

Memorandum. Ciências Espaciais: Portugal e o Mundo

Memorandum. Ciências Espaciais: Portugal e o Mundo Memorandum Ciências Espaciais: Portugal e o Mundo A Antena Radiotelescópica de 9 metros e os projectos de ciência em Pampilhosa da Serra O projecto GEM Galactic Emission Mapping, iniciado no final dos

Leia mais

Síntese de Lentes para Aplicação em Antenas

Síntese de Lentes para Aplicação em Antenas 84 Síntese de Lentes para Aplicação em Antenas CARLOS A. CARDOSO FERNANDES Instituto Superior Técnico Instituto de Telecomunicações O ritmo a que a capacidade de processamento dos computadores tem evoluido

Leia mais

Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. Relatório da Subcomissão de Radioastronomia

Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. Relatório da Subcomissão de Radioastronomia Comissão Especial de Astronomia do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT Relatório da Subcomissão de Radioastronomia elaborado por: Carlos Alexandre Wuensche de Souza INPE Carlos Guillermo Giménez de

Leia mais

Sistemas Wireless: Comunicação via satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Sistemas Wireless: Comunicação via satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Sistemas Wireless: satélite. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Satélite Aspectos Gerais Os satélites de comunicação: Surgiram na década de 60. Contendo características

Leia mais

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Novas Tecnologias para aplicações RF Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Agenda Espectro de frequência As últimas tecnologias de rádio Algumas coisas para ficar de olho 2 ESPECTRO DE FREQUÊNCIA

Leia mais

Informativo de Segurança e Saúde

Informativo de Segurança e Saúde Informativo de Segurança e Saúde 03/2010 Introdução: O Grupo Técnico de Estudos de Espaços Confinados GTEEC, coordenado pela CPFL Energia e ligado ao Comitê de Segurança e Saúde no Trabalho - CSST da Fundação

Leia mais

Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga

Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga WORKSHOP da DAS (25/04/2013) Atividades vinculadas à Linha Radiofísica e ao Radio Observatório do Itapetinga Por que radioastronomia? Grandes Vantagens da Radio Astronomia: Observar dia e noite Interferometria

Leia mais

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica

Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas Parabólicas -- Apostila Básica Antenas parabólicas são usadas em UHF e Microondas. Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possuem um alto ganho. Uma antena receptora de satélites

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Transmissão sem Fio Pessoas cada vez mais dependente das redes; Alguns especialistas afirmam

Leia mais

Camada Física. Bruno Silvério Costa

Camada Física. Bruno Silvério Costa Camada Física Bruno Silvério Costa Sinais Limitados por Largura de Banda (a) Um sinal digital e suas principais frequências de harmônicas. (b) (c) Sucessivas aproximações do sinal original. Sinais Limitados

Leia mais

A RADIOASTRONOMIA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICO NO ENSINO DE FÍSICA

A RADIOASTRONOMIA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICO NO ENSINO DE FÍSICA A RADIOASTRONOMIA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICO NO ENSINO DE FÍSICA Lidiane de Souza Monteiro 1, Mitsuo Albuquerque Ishiguro², Diana Olímpia dos Santos Duque 3, Carolina Figueiredo

Leia mais

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta

COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE. Prof. MSc. Sandro M Malta COMUNICAÇÕES VIA SATÉLITE Prof. MSc. Sandro M Malta Satélite Definição É chamado de satélite todo objeto que gira em torno de outro objeto. Ele é classificado em dois tipos: satélite natural satélite artificial.

Leia mais

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor

Leia mais

Instrumentos científicos em sondas de pequeno porte

Instrumentos científicos em sondas de pequeno porte Instrumentos científicos em sondas de pequeno porte Paulo Penteado IAG/USP NIS (NEAR Shoemaker) AMIE (SMART 1) MSI (NEAR Shoemaker) Instrumentos científicos em sondas de pequeno porte Marco Polo Imageamento

Leia mais

Radioastronomia. Zulema Abraham

Radioastronomia. Zulema Abraham Radioastronomia Zulema Abraham A radioastronomia estuda a emissão dos distintos componentes do Universo em ondas de rádio. As ondas de rádio são ondas eletromagnéticas de comprimento de onda grande ou

Leia mais

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Estudo de micro-ondas I Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Em 1945 o escritor Arthur Clarke calculou que um satélite em 35.800 km em órbita circular

Leia mais

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações Antonio Macilio Pereira de Lucena VLBI Very Long Baseline Interferometry; GNSS- Global Navegation Satellite System; SLR- Satellite Laser Range; DORIS-

Leia mais

Diodo túnel Diodo Esaki

Diodo túnel Diodo Esaki Diodo túnel Diodo Esaki Diodos convencionais são dopados com um átomo de impureza para cada dez milhões de átomo de semicondutor intrínseco. Aumentando-se a dopagem para mil átomos de impureza para cada

Leia mais

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio.

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio. Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette Transmissão e Multiplexação Rodolfo I. Meneguette Redes de Acesso e Meios Físicos P: Como conectar os sistemas finais aos roteadores de borda? Redes de acesso residencial redes de acesso institucional

Leia mais

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas Milimétricas para Plasmas de Fusão M. Manso e L. Cupido Associação EURATOM / IST, Fusão Nuclear, 1049-001 Lisboa, Portugal. Introdução A produção comercial

Leia mais

Catarina C. Cruz Jorge R. Costa Carlos A. Fernandes. 2005, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados.

Catarina C. Cruz Jorge R. Costa Carlos A. Fernandes. 2005, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados. Catarina C. Cruz Jorge R. Costa Carlos A. Fernandes 2005, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados. 1. Motivação e Objectivo 2. Configuração da Antena 3. Medidas experimentais 4.

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro 24 Março 2015. Small Smart Metering. Expanding the Limits

Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro 24 Março 2015. Small Smart Metering. Expanding the Limits Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro 24 Março 2015 Small Smart Metering Expanding the Limits 1 Smart Metering 2 SIGFOX 3 NarrowNet 4 Aplicações 5 Futuro 1 Smart Metering Small Smart Metering (SSM)

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Curso de Física CONSTRUÇÃO DE UM RADIOTELESCÓPIO AMADOR EM MICROONDAS 12 GHz, DOTADO DE UM SISTEMA AUTOMÁTICO

Leia mais

Circuitos de Comunicação Introdução

Circuitos de Comunicação Introdução Circuitos de Comunicação Introdução Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Circuitos de Comunicação Objetivo: Estudar os blocos funcionais eletrônicos e de processamento digital de sinais que são utilizados nas comunicações

Leia mais

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie

Adriana Valio. (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Adriana Valio (Adriana Silva, Adriana Silva-Valio) Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie Universidade Presbiteriana Mackenzie Workshop DAS INPE 08/04/2014 Áreas de Pesquisa Física solar: Observações:

Leia mais

Missão Gaia Radial Velocimetry Spectroscope (RVS) - variação da qualidade óptica no campo subtenso por CCD s individuais

Missão Gaia Radial Velocimetry Spectroscope (RVS) - variação da qualidade óptica no campo subtenso por CCD s individuais PAA1 Missão Gaia Radial Velocimetry Spectroscope (RVS) - variação da qualidade óptica no campo subtenso por CCD s individuais Instrumentação em Astronomia Responsável pelo projecto José Manuel Rebordão

Leia mais

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo Tendências para a próxima geração celular - 5G Juliano J. Bazzo Agenda Motivação Roadmap: do 4G ao 5G Principais Tecnologias Tecnologia Nacional 4G/LTE Conclusão Evolução histórica Substituição de importações

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

IBGE como Sub-nó de distribuição de Imagens do Satélite ALOS

IBGE como Sub-nó de distribuição de Imagens do Satélite ALOS IBGE como Sub-nó de distribuição de Imagens do Satélite ALOS Diretoria de Geociências Palestra CONFEGE: 574 Coordenação: Leonardo Barbosa Gomes - IBGE/Diretoria de Geociências Moema José de Carvalho Augusto

Leia mais

RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO.

RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO. RADIO OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA, ATIBAIA, SP ZONA DE SILÊNCIO ELÉTRICO. PROTEÇÃO DO RÁDIO-OBSERVATÓRIO DO ITAPETINGA CONTRA INTERFERÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS INDESEJÁVEIS. PROTEÇÃO ZONA DOS DE RADIOTELESCÓPIOS

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

O mundo sem fios. No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender

O mundo sem fios. No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender O mundo sem fios No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender frase popular no fim do século XX A solução para o fim do mundo foi acabar com os fios Prof. Doutor Nuno Borges

Leia mais

MEDIÇÕES DE RÁDIO-FREQUÊNCIA SUPORTANDO A OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE TV DIGITAL ISDB-T. Agilent Restricted

MEDIÇÕES DE RÁDIO-FREQUÊNCIA SUPORTANDO A OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE TV DIGITAL ISDB-T. Agilent Restricted MEDIÇÕES DE RÁDIO-FREQUÊNCIA SUPORTANDO A OPERAÇÃO DE SISTEMAS DE TV DIGITAL ISDB-T Agilent Restricted Agenda Medições da rede para ISDB-T Medições relevantes em Transmissores EVM / MER MER por segmento

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Cachoeira Paulista, 24 a 28 novembro de 2008 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Sensoriamento

Leia mais

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 1 Secção II ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 2 Alternativas para redes de telecomunicações Alternativa de rede Redes Suportes Processadores Software Canais Topologia/arquitectura Exemplos

Leia mais

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Rádio Spread Spectrum Este tutorial apresenta os aspectos técnicos dos Rádios Spread Spectrum (Técnica de Espalhamento Espectral) aplicados aos Sistemas de Transmissão de Dados. Félix Tadeu Xavier de Oliveira

Leia mais

MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL

MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL TRABALHO 1 MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL DESCRIÇÃO DO TRABALHO Pretende se medir a corrente eléctrica (DC) que atravessa um condutor de forma indirecta. A figura que se segue

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Transmissão de Dados Digitais Comunicação em rede 1 Transmissão de dados Objetivo: transportar informação mesmo que fosse usado um meio de transporte clássico seria

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel Introdução à Astrofísica Telescópios Rogemar A. Riffel Telescópios Função: coletar a luz dos objetos, tornando possível o estudo de fontes muito fracas. Parâmetros fundamentais: Abertura da superfície

Leia mais

Deep Space... Escutando nos 8.4GHz.

Deep Space... Escutando nos 8.4GHz. Deep Space... Escutando nos 8.4GHz. Luis Cupido CT1DMK Tudo começou quando em 2003, decidi, por graça, fazer um sistema de recepção para 8.4GHz que me permitisse ver como chegariam os sinais de algumas

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Comunicação

Introdução aos Sistemas de Comunicação Introdução aos Sistemas de Comunicação Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicação) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado de Engenharia

Leia mais

Energia Solar Espacial: Uma descrição da captação, transmissão, recepção e seu funcionamento

Energia Solar Espacial: Uma descrição da captação, transmissão, recepção e seu funcionamento Energia Solar Espacial: Uma descrição da captação, transmissão, recepção e seu funcionamento Paulo Nolberto dos Santos Alarcón Resumo Nas últimas décadas vem ocorrendo uma grande quantidade de pesquisas

Leia mais

Telescópios: de Galileu à Óptica Adaptativa. João E. Steiner IAG/USP

Telescópios: de Galileu à Óptica Adaptativa. João E. Steiner IAG/USP Telescópios: de Galileu à Óptica Adaptativa João E. Steiner IAG/USP A luneta em 1609 A primeira ilustração conhecida de um telescópio. Giovanbattista della Porta incluiu este desenho em uma carta escrita

Leia mais

The Importance of Radio Metrology for Health Impact Evaluation

The Importance of Radio Metrology for Health Impact Evaluation The Importance of Radio Metrology for Health Impact Evaluation Nuno Borges Carvalho nbcarvalho@ua.pt www.av.it.pt/nbcarvalho Universidade de Aveiro 005, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

TÍTULO: GERADOR DE MICROONDAS COM VÁLVULA MAGNETRON, COM CONTROLADOR PROGRAMAVÉL

TÍTULO: GERADOR DE MICROONDAS COM VÁLVULA MAGNETRON, COM CONTROLADOR PROGRAMAVÉL TÍTULO: GERADOR DE MICROONDAS COM VÁLVULA MAGNETRON, COM CONTROLADOR PROGRAMAVÉL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO INSTITUTO

Leia mais

Sistemas de Telecomunicações Guiados Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática 3ºano, 1º Semestre, 2008/2009

Sistemas de Telecomunicações Guiados Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática 3ºano, 1º Semestre, 2008/2009 Sistemas de Telecomunicações Guiados Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática 3ºano, 1º Semestre, 2008/2009 Leccionada por: João Rebola e-mail: joao.rebola@iscte.pt Gabinete: D616 Cacifo:

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

RADIOASTRONOMIA: NOÇÕES INICIAIS PARA O ENSINO MÉDIO E FUNDAMENTAL COMO ILUSTRAÇÃO DE AULA

RADIOASTRONOMIA: NOÇÕES INICIAIS PARA O ENSINO MÉDIO E FUNDAMENTAL COMO ILUSTRAÇÃO DE AULA RADIOASTRONOMIA: NOÇÕES INICIAIS PARA O ENSINO MÉDIO E FUNDAMENTAL COMO ILUSTRAÇÃO DE AULA Cleiton Joni Benetti Lattari FEMA-IMESA Assis SP CESULON/Centro de Estudos Superiores de Londrina Londrina PR

Leia mais

ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DO CÓDIGO CA PARA O SISTEMA GLONASS DA FEDERAÇÃO RUSSA

ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DO CÓDIGO CA PARA O SISTEMA GLONASS DA FEDERAÇÃO RUSSA ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DO CÓDIGO CA PARA O SISTEMA GLONASS DA FEDERAÇÃO RUSSA Ney Luiz Montes Junior (PG) e Fernando Walter (PQ) ITA - Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia Eletrônica

Leia mais

QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA

QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA ABSORÇÃO FOTOQUÍMICA 3ª Parte A INSTRUMENTAÇÃO 07/10/2013 Mauricio X. Coutrim ESPECTRO DE ABSORÇÃO A energia absorvida por um fóton é igual à diferença entre as energias do estado

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO ALTERNATIVO DE RÁDIO FREQUÊNCIA 433.92MHZ

DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO ALTERNATIVO DE RÁDIO FREQUÊNCIA 433.92MHZ DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO ALTERNATIVO DE RÁDIO FREQUÊNCIA 433.92MHZ Henrique de Souza Vieira hdsvieira@hotmail.com Ozenir Farah da Rocha Dias netu.u@hotmail.com Almir Kimura Junior akimurajr@gmail.com

Leia mais

LRO - LUNAR RECONNAISSANCE ORBITER / USA

LRO - LUNAR RECONNAISSANCE ORBITER / USA LRO - LUNAR RECONNAISSANCE ORBITER / USA LRO - Lunar Reconnaissance Orbiter Somente após o início da Era Espacial foi possível a primeira visão do lado oculto da Lua, a partir de imagens capturadas pela

Leia mais

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO Marcelo Pessoa Engenheiro de soluções para saneamento Introdução As indústrias buscam eficiência, aumento da qualidade e a redução de custos. Para alcançar isto investem

Leia mais

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa O que é Sensoriamento Remoto? Utilização conjunta de sensores, equipamentos

Leia mais

Venus Express. 11 de Abril: Inserção em Órbita de Vénus

Venus Express. 11 de Abril: Inserção em Órbita de Vénus Venus Express 11 de Abril: Inserção em Órbita de Vénus 1 O Planeta Vénus Índice O Planeta Vénus...2 Venus Express...3 Dia 11 de Abril...4 Contactos...5 Mais informações...5 Planeta Vénus está coberto por

Leia mais

Site Survey (Indoor)

Site Survey (Indoor) Comunicações Móveis Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Site Survey (Indoor) 6 de Junho de 2003 Ricardo Oliveira rmpoliveira@portugalmail.pt

Leia mais

Efeito Doppler. Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade. Doppler Effect. Electromagnetic waves for speed detention

Efeito Doppler. Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade. Doppler Effect. Electromagnetic waves for speed detention Efeito Doppler Ondas eletromagnéticas para detecção de velocidade Doppler Effect Electromagnetic waves for speed detention Helton Maia, Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba, Curso Superior

Leia mais

COMUNICAÇÕES POR SATÉLITE -II

COMUNICAÇÕES POR SATÉLITE -II Sistemas de Telecomunicações 2007-2008 COMUNICAÇÕES POR SATÉLITE -II Rui Marcelino Maio 2008 Engenharia Electrica e Electrónica - TIT Sumário 1. Sistema de controlo 2. Boeing 702 Telesat Anik F2 3. Orbita

Leia mais

Olá, atualmente o circuito está como abaixo, resolvi mudar para usar o lm35, por ser

Olá, atualmente o circuito está como abaixo, resolvi mudar para usar o lm35, por ser Olá, atualmente o circuito está como abaixo, resolvi mudar para usar o lm35, por ser mais linear. Logo de cara, gostaria de opinião, ele funciona? Minha dúvida principal é em relação ao mosfet, todos os

Leia mais

TELESCÓPIOS EIXO PRINCIPAL

TELESCÓPIOS EIXO PRINCIPAL TELESCÓPIOS O telescópio é um aparato que coleta a luz e é a principal ferramenta de trabalho em Astronomia. A evolução do telescópio ao longo destes 4 séculos foi extraordinária e se confunde com a própria

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e Comunicação Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e comunicação STC 5 Redes de informação

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM

Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM Trabalho realizado pelo grupo: 1MIEEC06_03 Índice Introdução...1 A importância dos serviços de telecomunicações

Leia mais

Módulo 4 Testes de Cabos

Módulo 4 Testes de Cabos CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 4 Testes de Cabos Fundamentos para o Teste de Cabos em Frequência Ondas Uma onda é energia que se propaga de um lugar para outro. Pode ser definida como um distúrbio

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS 802.11n + NV2 TDMA Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS Nicola Sanchez Engenheiro de Telecomunicações Mikrotik Certified Trainer CENTRO DE TREINAMENTO OFICIAL MIKROTIK CENTRO DE

Leia mais

Soluções em Imagens da Terra para Uso. Cooporativo TÍTULO APRESENTAÇÃO. aplicações do mapeamento 3D a partir de

Soluções em Imagens da Terra para Uso. Cooporativo TÍTULO APRESENTAÇÃO. aplicações do mapeamento 3D a partir de Soluções em Imagens da Terra para Uso TÍTULO APRESENTAÇÃO Cooporativo CURITIBA MÊS / 2010 Novas aplicações do mapeamento 3D a partir de laser imagens Marco Antônio Néia CONCEITOS Tecnologia: LASER (Light

Leia mais

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra

Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) Detector de Neutrinos para o Reator de Angra Detector Central, Sistema de VETO, Eletrônica (resumo das diretivas de projeto) Laudo Barbosa (24 de Maio, 2007)

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Active-Pixel Sensor (APS)

Active-Pixel Sensor (APS) Projetode Circuitos Integrados IE325 Sensor de Pixel Ativo Prof. Fabiano Fruett UNICAMP FEEC - DSIF Sala 207 www.dsif.fee.unicamp.br/~fabiano Active-Pixel Sensor (APS) Circuito Integrado contendo um arrayde

Leia mais

Reatores Eletrônicos para LEDs de Potência

Reatores Eletrônicos para LEDs de Potência Universidade Federal do Ceará PET Engenharia Elétrica Fortaleza CE, Brasil, Abril, 2013 Universidade Federal do Ceará Departamento de Engenharia Elétrica PET Engenharia Elétrica UFC Reatores Eletrônicos

Leia mais

OBA Conteúdos das Avaliações Data: 15/5/2015 (6ª feira)

OBA Conteúdos das Avaliações Data: 15/5/2015 (6ª feira) OBA Conteúdos das Avaliações Data: 15/5/2015 (6ª feira) Constituição da Avaliação 5 perguntas de Astronomia; 3 perguntas de Astronáutica; 2 perguntas sobre Energia. Perguntas Práticas e/ou Observacionais

Leia mais

AS MISSÕES MODERNAS. Denizar Blitzkow EPUSP PTR. Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006

AS MISSÕES MODERNAS. Denizar Blitzkow EPUSP PTR. Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006 AS MISSÕES MODERNAS Denizar Blitzkow EPUSP PTR Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006 Era Espacial Foi responsável por inúmeras mudanças na geodésia

Leia mais

Interface de Acesso a Circuitos Dedicados Digitais a 64Kbit/s e Nx64Kbit/s

Interface de Acesso a Circuitos Dedicados Digitais a 64Kbit/s e Nx64Kbit/s Especificações técnicas dos interfaces de rede da PT Comunicações Interface de Acesso a Circuitos Dedicados Digitais a 64Kbit/s e Nx64Kbit/s Especificação do interface Cliente-Rede Data: 2004.01.20 Página

Leia mais

Modernas Técnicas de Medição de Sinais de RF X SIGE. Eng. Douglas Almeida Gerente de Contas Mercado de Defesa e Aeroespacial

Modernas Técnicas de Medição de Sinais de RF X SIGE. Eng. Douglas Almeida Gerente de Contas Mercado de Defesa e Aeroespacial Modernas Técnicas de Medição de Sinais de RF X SIGE Eng. Douglas Almeida Gerente de Contas Mercado de Defesa e Aeroespacial Agenda l Quem somos nós l Soluções para testes em RF l Aplicações de defesa l

Leia mais

Emissão de Radiação Eletromagnética na Faixa de VHF e UHF em Cadeia de Isoladores de Alta Tensão Vazados

Emissão de Radiação Eletromagnética na Faixa de VHF e UHF em Cadeia de Isoladores de Alta Tensão Vazados Emissão de Radiação Eletromagnética na Faixa de VHF e UHF em Cadeia de Isoladores de Alta Tensão Vazados José Kleber da Cunha Pinto Escola Politécnica da USP- Lab. de Microeletrônica- Grupo de Microondas

Leia mais

LASER histórico e aplicações

LASER histórico e aplicações LASER histórico e aplicações Marina Scheid Matheus Hennemann Biofísica III Prof. Edulfo Diaz Histórico 1905 Albert Einstein, com auxílio de Max Planck Luz: pacotes discretos e bem determinados Fótons Histórico

Leia mais

engineering communications Wavecom mz 2014 1

engineering communications Wavecom mz 2014 1 engineering communications Wavecom mz 2014 1 A Wavecom mz, empresa moçambicana de engenharia de comunicações, com sede em Maputo, pertence ao grupo de empresas da Wavecom, com especial enfoque nas áreas

Leia mais

Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras

Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras Contatos : Felipe da Silva Cardoso professorpetrobras@gmail.com www.professorfelipecardoso.blogspot.com skype para aula particular online: felipedasilvacardoso

Leia mais

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm.

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm. A Visão é o sentido predileto do ser humano. É tão natural que não percebemos a sua complexidade. Os olhos transmitem imagens deformadas e incompletas do mundo exterior que o córtex filtra e o cérebro

Leia mais

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO WORKSHOP TECNOLOGIA CARDS 2009 RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO São Paulo, 27.4.2009 Karina Prado Diretora Comercial GD Burti S.A. DEFINIÇÃO Radio-Frequency Identification

Leia mais

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS ANEXO À RESOLUÇÃO N o 554, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010 NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS 1. Objetivo Esta Norma estabelece,

Leia mais

Radiodifusão Sonora Digital

Radiodifusão Sonora Digital 1 Radiodifusão Sonora Digital Lúcio Martins da Silva AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL ASSUNTO: A ADOÇÃO DE UMA NOVA TECNOLOGIA PARA

Leia mais

Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada

Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo 1(10) Índice 1. Objectivo... 3 2. Descrição do Sistema

Leia mais

Arco-Íris, Miragens e

Arco-Íris, Miragens e , e Jorge C. Romão Instituto Superior Técnico, Departamento de Física & CFTP A. Rovisco Pais 1, 1049-001 Lisboa, Portugal 5 de Dezembro de 2014 Arco Íris Jorge C. Romão Slides EO 2 Espectro Electromagnético

Leia mais

SEMICONDUTORES. Concentração de portadores de carga:

SEMICONDUTORES. Concentração de portadores de carga: Unidade 3 SEMICONDUTORES E g ~ 1 ev E F E = 0 Elétron pode saltar da banda de valência para a banda de condução por simples agitação térmica Concentração de portadores de carga: Para metais: elétrons de

Leia mais

Comissão de Ciência e Tecnologia,

Comissão de Ciência e Tecnologia, Seminário de Rádio R Digital Comissão de Ciência e Tecnologia, Informática e Inovação Brasília 22 de novembro de 2007 Ronald Siqueira Barbosa O O pobre e o emergente de hoje são aqueles que no passado,

Leia mais

APLICAÇÃO DE DADOS DE DETECÇÃO REMOTA À CARTOGRAFIA GEOLÓGICA DA REGIÃO DE VISEU

APLICAÇÃO DE DADOS DE DETECÇÃO REMOTA À CARTOGRAFIA GEOLÓGICA DA REGIÃO DE VISEU Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Ciências da Terra APLICAÇÃO DE DADOS DE DETECÇÃO REMOTA À CARTOGRAFIA GEOLÓGICA DA REGIÃO DE VISEU Pedro Nuno Gomes Venâncio Licenciatura

Leia mais