ANEXO AO REGULAMENTO DO PROGREDIR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO AO REGULAMENTO DO PROGREDIR"

Transcrição

1 ANEXO AO REGULAMENTO DO PROGREDIR O presente anexo ( ANEXO ) estabelece as normas regulamentares complementares ao PROGRAMA regido pelo REGULAMENTO registrado em 09/11/2012, no 6º Cartório de Registro de Títulos e Documentos da Cidade do Rio de Janeiro/RJ, sob o nº e posteriores alterações, que regerão os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados nas OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO. 1. CONCEITOS Para efeito deste ANEXO, são adotados os seguintes conceitos: a) BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social; b) FORNECEDOR(ES) ELEGÍVEL(IS) É(são) o(s) FORNECEDOR(ES) que poderão se beneficiar, nos termos da Circular nº 11/2013-BNDES, de 11/04/2013, das OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, devendo reunir as seguintes características: a. Ser sociedade empresária com sede e administração no País; e b. Pertencer a pelo menos um dos setores cujos códigos na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sejam listados na Circular nº 11/2013- BNDES, de 11/04/2013. Todas as previsões contidas no REGULAMENTO relativas a FORNECEDOR(ES) se aplicam ao(s) FORNECEDOR(ES) ELEGÍVEIS definido(s) por este ANEXO, salvo nos casos mencionados na Cláusula 1.2 abaixo; c) OPERAÇÃO(ÕES) DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO operação(ões) de apoio financeiro (financiamento) mediante repasse, por intermédio de qualquer dos BANCOS participantes do PROGRAMA (os quais são autorizados a operarem pelo BNDES), de recursos do BNDES sob o SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO, para capital de giro não associado a projeto de investimento. Todas as previsões contidas no REGULAMENTO relativas a OPERAÇÃO(ÕES) BANCÁRIA(S) se aplicam à(s) OPERAÇÃO(ÕES) DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO definida(s) por este ANEXO, salvo nos casos mencionados na Cláusula 1.2 abaixo; e d) SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO Subprograma criado pelo BNDES, por meio da Circular nº 11/2013-BNDES, de 11/04/2013, no âmbito do Programa BNDES de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Bens e Serviços Relacionados ao Setor de Petróleo e Gás Natural BNDES P&G Os termos que não foram definidos neste ANEXO terão o significado que lhes é atribuído no REGULAMENTO As regras contidas no REGULAMENTO são também aplicáveis às situações e relações envolvendo os FORNECEDORES ELEGÍVEIS e as OPERAÇÕES DE 1

2 FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO definidos neste ANEXO. Havendo, contudo, conflito/incompatibilidade entre cláusula(s) do REGULAMENTO e disposição(ões) do presente ANEXO, prevalecerá a disciplina específica estabelecida neste ANEXO, por sua especialidade. I. SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO 2. OBJETIVO O SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO tem por objetivo fortalecer a cadeia produtiva de petróleo e gás por meio de apoio financeiro para capital de giro não associado a projeto de investimento, via concessão de financiamentos, nos quais se enquadram as OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, por intermédio de instituições financeiras autorizadas a operarem pelo BNDES, inclusive os BANCOS participantes do PROGRAMA. 3. LIMITE ORÇAMENTÁRIO O SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO tem como limite orçamentário para a concessão de OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO o valor total de R$ ,00 (quatro bilhões de reais), conforme definido pela Circular nº 11/2013-BNDES, de 11/04/ PRAZO As solicitações de OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO poderão ser protocolizadas junto ao BNDES, para homologação, entre 15/04/2013 e 31/12/2015, conforme definido pela Circular nº 11/2013-BNDES, de 11/04/ CONDIÇÕES GERAIS As OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO deverão obedecer as condições constantes da Circular nº 11/2013 BNDES, de 11/04/2013, e suas eventuais atualizações editadas pelo BNDES.: PARÁGRAFO PRIMEIRO: OPERAÇÕES BANCÁRIAS posteriores O CONTRATO DE FORNECIMENTO que terá parcela de seus DIREITOS CREDITÓRIOS cedida fiduciariamente em garantia de OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO poderá ser posteriormente utilizado como lastro de outra OPERAÇÃO BANCÁRIA a ser contratada pelo FORNECEDOR ELEGÍVEL no âmbito do PROGRAMA (ainda que não uma OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO), desde que a OPERAÇÃO BANCÁRIA posterior seja contratada com o mesmo BANCO com o qual foi realizada a OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, devendo ser respeitada, em todo caso, a MARGEM CONSIGNÁVEL. PARÁGRAFO SEGUNDO: Para fins de referência dos BANCOS, as condições operacionais vigentes para o SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO referidas acima se encontram descritas no código BNDESP&G2012/07. PARÁGRAFO TERCEIRO: Aplicam-se ao SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO todas as demais condições e procedimentos operacionais estabelecidos para o Produto BNDES Automático, inclusive as que estabelecem os setores não passíveis de apoio em seu âmbito. 2

3 6. PRERROGATIVAS DO BNDES Para fins de controle de comprometimento dos recursos mencionados na Cláusula 3, o BNDES poderá: a) Solicitar aos BANCOS, a qualquer tempo, o envio de informações relativas às operações em curso junto aos mesmos; e b) Definir limites de comprometimento por BANCO. 7. OBRIGAÇÕES DOS FORNECEDORES ELEGÍVEIS Além das obrigações que lhe são atribuídas por força da Cláusula 6 e demais disposições do REGULAMENTO, cada um dos FORNECEDORES ELEGÍVEIS obriga-se e concorda em: a) Somente solicitar no PORTAL do PROGRAMA propostas de OPERAÇÃO(ÕES) DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO se a parcela dos DIREITOS CREDITÓRIOS decorrentes do CONTRATO DE FORNECIMENTO que será objeto de cessão fiduciária em garantia da OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO a ser contratada não estiver vinculada a qualquer outro financiamento; 8. OBRIGAÇÕES DOS BANCOS Além das obrigações que lhe são atribuídas por força da Cláusula 8 e demais disposições do REGULAMENTO, cada um dos BANCOS, quando da concessão de OPERAÇÃO(ÕES) DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, obriga-se e concorda em: a) Encaminhar ao BNDES, juntamente com o pedido de financiamento do FORNECEDOR ELEGÍVEL, documento a ser gerado no sistema de relacionamento e negócios da cadeia de fornecedores articulados por Operadoras de P&G e ratificados pelo BNDES, devidamente caracterizado e padronizado, contendo os seguintes dados: a. Identificação do FORNECEDOR ELEGÍVEL; b. Identificação do BANCO; c. Condições da OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO; d. Informações relativas ao CONTRATO DE FORNECIMENTO; e e. Informações relativas à cessão fiduciária, ao BANCO, dos DIREITOS CREDITÓRIOS decorrentes do CONTRATO DE FORNECIMENTO, incluindo identificação da CONTA VINCULADA na qual serão efetuados os pagamentos relativos ao contrato; b) Quando da utilização dos DIREITOS CREDITÓRIOS decorrentes do CONTRATO DE FORNECIMENTO depositados na CONTA VINCULADA, observar a proporcionalidade do valor das respectivas dívidas vencidas e exigíveis para cada OPERAÇÃO BANCÁRIA e/ou OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO garantidas por meio da cessão fiduciária de DIREITOS CREDITÓRIOS relativos a tal CONTRATO DE FORNECIMENTO, mesmo no caso de vencimento antecipado do respectivo contrato da 3

4 OPERAÇÃO BANCÁRIA e/ou OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, devendo ser desconsiderado esse vencimento antecipado para fins de apropriação dos DIREITOS CREDITÓRIOS do referido CONTRATO DE FORNECIMENTO; c) Sistemática operacional Os pedidos de financiamento relativos a OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO deverão ser enviados ao BNDES conforme normas e procedimentos estabelecidos na Circular do Sistema de Processamento de Fichas Resumo de Operação via Internet Sistema FRO Eletrônica, observadas as seguintes peculiaridades: a. Os pedidos de financiamento deverão ser encaminhados na Sistemática Operacional Convencional exclusivamente por meio digital; b. Deverá ser selecionada, no campo "Programa", a opção "BNDES P&G AUTOMÁTICO"; c. Deverá ser selecionado no campo Objetivo", o Tipo de Investimento "320 Capital de Giro"; d. Em caso de devolução, os pedidos de financiamento reapresentados deverão conter novo número de proposta; e. Os pedidos de liberação (PLs) deverão ser encaminhados em parcela única, exclusivamente por meio digital, exceto para operações com situação caracterizada como "Fluxo interrompido na FRO Eletrônica", que deverão observar os procedimentos estabelecidos para a Liberação dos Recursos na Circular do Produto BNDES Automatico. d) Contratação Na contratação de OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO deverão ser seguidas as instruções relativas ao Produto BNDES Automático, observado que: a. Deverá ser inserida no instrumento contratual celebrado entre o BANCO e o FORNECEDOR ELEGÍVEL cláusula que disponha sobre a cessão fiduciária dos DIREITOS CREDITÓRIOS provenientes do CONTRATO DE FORNECIMENTO, conforme estabelecido na Cláusula 5, item f, a, em montante equivalente, no mínimo, ao valor da OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO, atestando que essa parcela dos DIREITOS CREDITÓRIOS não esta vinculada a qualquer outro financiamento, com a ciência do FORNECEDOR ELEGÍVEL de que a declaração falsa acarretará a aplicação das penalidades cabíveis, inclusive na esfera criminal; b. Deverão ser inseridas as "Condições a serem observadas pelos Agentes Financeiros na contratação da operação com as Beneficiarias Finais (TJLP)", aplicáveis as operações no âmbito do Produto BNDES Automático; e c. Deverão ser feitas as adaptações às particularidades do SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO, sendo livre a inclusão de novas cláusulas, desde que não conflitem com as Normas Operacionais vigentes. 4

5 9. PENALIDADES POR DESCUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÃO O não cumprimento por qualquer PARTICIPANTE do PROGRAMA de suas obrigações assumidas quando da adesão aos termos do REGULAMENTO e deste ANEXO, por meio do TERMO DE ADESÃO E VINCULAÇÃO DE RECEITAS e do Convênio entre BANCOS, a GESTORA DO PORTAL e a GESTORA DO PROGRAMA datado de 31 de julho de 2012, sujeitará o PARTICIPANTE às penalidades previstas no REGULAMENTO do PROGRAMA, a serem decididas pelo COMITÊ DE GESTÃO, conforme previsto no REGULAMENTO. II. COMITÊ DE GESTÃO 10. Inclui-se dentre as atribuições do COMITÊ DE GESTÃO a alteração deste ANEXO ao REGULAMENTO, estando tal decisão sujeita à aprovação da maioria simples dos membros do COMITÊ. PARÁGRAFO PRIMEIRO: As alterações deste ANEXO deverão sempre buscar refletir as regras estabelecidas pelo BNDES no tocante ao SUBPROGRAMA BNDES P&G AUTOMÁTICO. Desse modo, sempre que o BNDES alterar tais regras, o COMITÊ DE GESTÃO deverá se reunir para ajustar o presente ANEXO. PARÁGRAFO SEGUNDO: As alterações deste ANEXO somente surtirão seus efeitos para as OPERAÇÕES DE FINANCIAMENTO P&G AUTOMÁTICO que forem formalizadas após aprovações de tais deliberações. 11. VIGÊNCIA A adesão ao presente ANEXO vigorará por prazo indeterminado e segue as regras relativas à adesão e vigência do REGULAMENTO. 12. ALTERAÇÃO O COMITÊ DE GESTÃO poderá alterar este ANEXO, conforme previsto na Cláusula 11 deste instrumento, devendo tais alterações ser registradas em Cartório de Títulos e Documentos. Qualquer alteração será comunicada aos PARTICIPANTES através do próprio PORTAL. 13. RESILIÇÃO É facultado a qualquer das partes, a qualquer tempo, denunciar a adesão a este ANEXO, mediante prévio aviso, com antecedência mínima de 10 (dez) dias, sem qualquer ônus, ficando assegurada a conclusão e/ou liquidação das obrigações assumidas anteriormente ao recebimento da comunicação. PARÁGRAFO ÚNICO: Os PARTICIPANTES podem encerrar sua participação no PROGRAMA, desde que mantenham ativas todas as estruturas necessárias para o cumprimento das obrigações e direitos sobre as operações vigentes contratadas até a data da efetiva saída do PROGRAMA. 14. FORO Fica eleito o foro da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro para dirimir quaisquer dúvidas e controvérsias resultantes deste ANEXO. 5

6 15. PARTE INTEGRANTE Fica acordado que o presente ANEXO é parte integrante e indissociável do REGULAMENTO, devendo sempre ser lido e interpretado em conjunto com este último. A Circular nº 11/2013-BNDES define os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados no Subprograma BNDES P&G Automático do Programa BNDES P&G e está disponível no link: <http://www.bndes.gov.br/sitebndes/export/sites/default/bndes_pt/galerias/arquivos/p rodutos/download/circ011_13.pdfl>. * * * 6

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 39/2012-BNDES Rio de Janeiro, 05 de junho de 2012. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da

Leia mais

Os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem adotados no Programa são definidos a seguir.

Os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem adotados no Programa são definidos a seguir. Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 30/2015-BNDES Rio de Janeiro, 24 de julho de 2015 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Capital

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 35/2015-BNDES Rio de Janeiro, 21 de agosto de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Setor Sucroalcooleiro BNDES PASS

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Setor Sucroalcooleiro BNDES PASS Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR N 36/2012-BNDES Rio de Janeiro, 25 de maio de 2012 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Setor Sucroalcooleiro

Leia mais

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 11/2015-BNDES Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento

Leia mais

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 39/2015-BNDES Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2015. Ref.: Ass.: Produto BNDES Automático Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos

Leia mais

A seguir são definidos os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados no Programa.

A seguir são definidos os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados no Programa. Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI N 39/2014-BNDES Rio de Janeiro, 12 de setembro de 2014 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para Composição de Dívidas

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 43/2014-BNDES Rio de Janeiro, 20 de outubro de 2014 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES

Leia mais

CIRCULAR Nº 64/2009. Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009. Ref.: BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL

CIRCULAR Nº 64/2009. Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009. Ref.: BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL CIRCULAR Nº 64/2009 Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL O Superintendente da Área de Operações Indiretas, consoante Resolução do BNDES, COMUNICA

Leia mais

Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT Comercialização

Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT Comercialização CARTA-CIRCULAR Nº 37/2007 Rio de Janeiro, 30 de agosto de 2007 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 17/2003. Rio de Janeiro, 20 de maio de 2003. Ref.: FINAME AGRÍCOLA BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Linha Especial de Financiamento Agrícola

CARTA-CIRCULAR N 17/2003. Rio de Janeiro, 20 de maio de 2003. Ref.: FINAME AGRÍCOLA BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Linha Especial de Financiamento Agrícola CARTA-CIRCULAR N 17/2003 Rio de Janeiro, 20 de maio de 2003 Ref.: FINAME AGRÍCOLA BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Linha Especial de Financiamento Agrícola O Superintendente da Área de Operações Indiretas, consoante

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio à Renovação e Implantação de Novos Canaviais BNDES Prorenova

Ass.: Programa BNDES de Apoio à Renovação e Implantação de Novos Canaviais BNDES Prorenova Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 05/2013-BNDES Rio de Janeiro, 07 de março de 2013 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio à Renovação e Implantação

Leia mais

Normas e procedimentos para utilização do Sistema de Processamento de Fichas Resumo de Operação via Internet Sistema FRO Eletrônica

Normas e procedimentos para utilização do Sistema de Processamento de Fichas Resumo de Operação via Internet Sistema FRO Eletrônica Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 18/2013-BNDES Rio de Janeiro, 17 de maio de 2013 Ref.: Ass.: Produto BNDES Automático Normas e procedimentos para utilização do Sistema

Leia mais

Produtores rurais de arroz, pessoa física ou jurídica, com sede e administração no país, inclusive cooperativas.

Produtores rurais de arroz, pessoa física ou jurídica, com sede e administração no país, inclusive cooperativas. CIRCULAR Nº 02/2013-BNDES Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 2013. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para Composição de Dívidas Decorrentes de Operações de Crédito de Investimento Rural

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 27/2015-BNDES Rio de Janeiro, 07 de julho de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren

Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda BNDES Progeren Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 05/2015-BNDES Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio ao Fortalecimento

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 79/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

Ass.: Programa de Financiamento à Aquisição de Veículos de Transporte Escolar PROESCOLAR

Ass.: Programa de Financiamento à Aquisição de Veículos de Transporte Escolar PROESCOLAR CARTA-CIRCULAR Nº 36/2007 Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2007 Ref.: FINAME Ass.: Programa de Financiamento à Aquisição de Veículos de Transporte Escolar PROESCOLAR O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NOS MERCADOS ADMINISTRADOS POR BOLSA DE VALORES E/OU POR ENTIDADE DO MERCADO DE BALCÃO ORGANIZADO

CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NOS MERCADOS ADMINISTRADOS POR BOLSA DE VALORES E/OU POR ENTIDADE DO MERCADO DE BALCÃO ORGANIZADO CONTRATO PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES NOS MERCADOS ADMINISTRADOS POR BOLSA DE VALORES E/OU POR ENTIDADE DO MERCADO DE BALCÃO ORGANIZADO NOVA FUTURA DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA,

Leia mais

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 40/2013-BNDES Rio de Janeiro, 06 de dezembro de 2013. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria

Leia mais

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015 Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1 ENCAMINHAMENTO DA FICHA DE RESERVA DE CRÉDITO PARA MICROCRÉDITO 1.1 Para utilização

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO O presente instrumento estabelece as normas regulamentares do AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO, destinado ao atendimento de Pessoas Jurídicas de direito público,

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora BNDES MPME Inovadora

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora BNDES MPME Inovadora Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 06/2014-BNDES Rio de Janeiro, 29 de janeiro de 2014. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Classificação: Ostensivo Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização,

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora BNDES MPME Inovadora

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora BNDES MPME Inovadora Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 48/2014-BNDES Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena

Leia mais

Programa CI-BRASIL RN-009/2010

Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Revoga as RN-010/2008 e RN-016/2009 O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular Endereço

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CCI CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO

MANUAL DE NORMAS CCI CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO VERSÃO: 01/7/2008 2 / 11 MANUAL DE NORMAS CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS CIRCULAR N 21/2009 Rio de Janeiro, 12 de março de 2009. Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AEX Nº 002/2015, de 30 de janeiro de 2015. Altera e consolida as Normas Operacionais da Linha de Financiamento BNDES Exim Pré-embarque

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MINUTAGEM

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MINUTAGEM REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MINUTAGEM O BANCO BRADESCO CARTÕES S.A., instituição financeira com sede no núcleo administrativo denominado Cidade de Deus, Prédio Prata, 4º andar, situado na Vila Yara, no

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições de Saúde BNDES Saúde Subprograma Atendimento SUS

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições de Saúde BNDES Saúde Subprograma Atendimento SUS Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 49/2014-BNDES Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2014 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições

Leia mais

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR1_S100_1S_CS0834 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

São convenentes neste instrumento:

São convenentes neste instrumento: CONVÊNIO PARA A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA SANTANDER UNIVERSIDADES DE MOBILIDADE NACIONAL FIRMADO ENTRE A UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA E O BANCO SANTANDER S/A São convenentes neste instrumento: A UNIVERSIDADE

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ SANEPAR COMPANHIA ABERTA REGISTRO CVM 01862-7 CNPJ/MF 76.484

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ SANEPAR COMPANHIA ABERTA REGISTRO CVM 01862-7 CNPJ/MF 76.484 SUMÁRIO COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ SANEPAR COMPANHIA ABERTA REGISTRO CVM 01862-7 CNPJ/MF 76.484.013/0001-45 ATA DA 5ª/2014 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 1 - DATA, HORA E LOCAL

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS Dispõe sobre empréstimo de valores mobiliários por entidades de compensação e liquidação de operações com valores mobiliários, altera as Instruções CVM nºs 40, de 7 de novembro de 1984 e 310, de 9 de julho

Leia mais

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO

REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO 1 REGULAMENTO DO SETOR FINANCEIRO O Professor Dr. Marcus Vinícius Crepaldi, Diretor Geral da Faculdade de Tecnologia do Ipê FAIPE no uso das atribuições que lhe confere o Regimento Interno e, considerando

Leia mais

CONTRATO DE TEF, COMODATO E/OU COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE RECARGA

CONTRATO DE TEF, COMODATO E/OU COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE RECARGA TENDENCIA COD CONTRATO DE TEF, COMODATO E/OU COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DE RECARGA Pelo presente instrumento particular, de um lado TENDÊNCIA INFORMAÇÕES E SISTEMAS LTDA., com sede na Rua São Jorge, 103,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Estabelece os critérios de concessão de acesso ao Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. O SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA

Leia mais

NORMATIVO SARB 009/2013, de 27 de junho de 2013. DISPOSIÇÕES GERAIS 1. DO OBJETIVO

NORMATIVO SARB 009/2013, de 27 de junho de 2013. DISPOSIÇÕES GERAIS 1. DO OBJETIVO O Conselho de Autorregulação Bancária, com base no art. 1 (b), do Código de Autorregulação Bancária, sanciona as regras abaixo dispostas, formalizando preceitos comuns a todas as signatárias da autorregulação

Leia mais

MINUTA CONVÊNIO Nº 004/2010-TJAP

MINUTA CONVÊNIO Nº 004/2010-TJAP MINUTA CONVÊNIO Nº 004/2010-TJAP CONVÊNIO DE PARCERIA PARA CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DE PAGAMENTO QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ E O BANCO BMG S/A O, com sede em Macapá, Capital

Leia mais

Ass.: Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária PRODECOOP

Ass.: Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária PRODECOOP CIRCULAR SEAGRI N 15/2011 Rio de Janeiro, 19 de junho de 2011 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO e FINAME AGRÍCOLA Ass.: Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária PRODECOOP

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA PANDA EMPRESTA

REGULAMENTO DA CAMPANHA PANDA EMPRESTA REGULAMENTO DA CAMPANHA PANDA EMPRESTA Esta campanha, denominada PANDA EMPRESTA (doravante CAMPANHA), é promovida pela JC CONSIGNADOS LTDA., inscrita no CNPJ sob o nº 15.169.211/0001-20 pessoa jurídica

Leia mais

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à:

A sistemática dos financiamentos sujeitos à TJ-462 será a mesma vigente para a TJLP, inclusive no que se refere à: Capítulo II CONDIÇÕES GERAIS 1. SISTEMÁTICA DE CÁLCULO DOS JUROS. Os juros, aí considerados o Custo Financeiro, a Remuneração do BNDES e a Remuneração do Agente Financeiro, serão calculados sobre o saldo

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA A FAEL E O POLO (NOME FANTASIA) CELEBRAM O PRESENTE TERMO VISANDO A ANTECIPAÇÃO DE VALORES, PARA UTILIZAÇÃO EXCLUSIVA EM MÍDIA, COMO

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 51, DE 09 DE JUNHO DE 1986.

INSTRUÇÃO CVM Nº 51, DE 09 DE JUNHO DE 1986. INSTRUÇÃO CVM Nº 51, DE 09 DE JUNHO DE 1986. Regulamenta a concessão de financiamento para compra de ações pelas Sociedades Corretoras e Distribuidoras. O Presidente da Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

Resolução n. 04/2014. Instituir o Programa Anuidade Zero, conforme os termos do regulamento abaixo:

Resolução n. 04/2014. Instituir o Programa Anuidade Zero, conforme os termos do regulamento abaixo: Resolução n. 04/2014 Cria o Programa Anuidade Zero, e institui seu regulamento. O CONSELHO SECCIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE DA ORDEM DOS ADVOGADO DO BRASIL, no uso de suas atribuições, resolve: 1. Considerando

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. Aplicação e Objeto 1.1. O objeto desta Política de Voto é estabelecer as regras a serem observadas pela INFRA

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., com sede na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 e 2235, Bloco A, Vila Olímpia, São Paulo/SP, CEP 04543-011, CNPJ/MF sob n.º 90.400.888/0001-42, disponibiliza

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO São partes deste Instrumento, VAIVOLTA.COM SERVIÇOS DE INTERNET SA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 15.529.518/0001-94, com sede na Rua Frei Caneca,

Leia mais

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015 O Cliente, pela assinatura física e/ou eletrônica do Termo de Adesão e Uso do NetBanking Paraná Banco, adere ao presente Regulamento, definido conforme os seguintes termos e condições: 1. Regras de uso

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROPRIEDADE INTELECTUAL RN-034/2014 Regulamenta os direitos sobre criações intelectuais resultantes de pesquisas apoiadas por instrumentos de fomento - auxílios e bolsas - disponibilizados pelo CNPq, a

Leia mais

REGULAMENTO. Programa de Recompensas para Novos Clientes COMPROU, GANHOU LINHA BRANCA

REGULAMENTO. Programa de Recompensas para Novos Clientes COMPROU, GANHOU LINHA BRANCA REGULAMENTO Programa de Recompensas para Novos Clientes COMPROU, GANHOU LINHA BRANCA HOMENAGEM JAÇANÃ ODEBRECHT REALIZAÇÕES EDU CHAVES EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO LTDA. Rua Itamonte, 2.310, Vila Medeiros

Leia mais

Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES

Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES CIRCULAR Nº 94/2009 Rio de Janeiro, 27 de agosto de 2009 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 Regulamenta as linhas de crédito dos Programas de Geração de Emprego e Renda na área Urbana - PROGER Urbano Investimento. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo

Leia mais

Regulamento. do Programa de Empréstimo Pessoal

Regulamento. do Programa de Empréstimo Pessoal Regulamento do Programa de Empréstimo Pessoal 2 Regulamento do Programa de Empréstimo Pessoal Índice CAPÍTULO I DA FINALIDADE... 4 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES ELEGÍVEIS... 4 CAPÍTULO III DOS LIMITES

Leia mais

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização,

Leia mais

Ass.: Programa de Incentivo à Irrigação e à Armazenagem MODERINFRA

Ass.: Programa de Incentivo à Irrigação e à Armazenagem MODERINFRA CIRCULAR SUP/AGRIS N 09/2015-BNDES Rio de Janeiro, 01 de julho de 2015 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO e FINAME AGRÍCOLA Ass.: Programa de Incentivo à Irrigação e à Armazenagem MODERINFRA O Superintendente da Área

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições de Saúde BNDES Saúde Subprograma Atendimento SUS

Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições de Saúde BNDES Saúde Subprograma Atendimento SUS Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 51/2012-BNDES Rio de Janeiro, 27 de julho de 2012 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES de Apoio a Instituições de Saúde

Leia mais

Art. 2 o Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. Reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Art. 2 o Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. Reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO CA N o 220 DE 9 DE JUNHO DE 2014. Aprova a assinatura do Convênio a ser celebrado entre a Universidade Estadual de Ponta Grossa e a Barigui S/A- Crédito, Financiamento e Investimentos. O CONSELHO

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS LIVRE TELECOM COM. E SERV. EM TELECOMUNICAÇÕES LTDA., sociedade regularmente constituída com sede na Av. Cásper Líbero, 383 8 andar

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FIDELIDADE CARTÃO COLOMBO INTERNACIONAL A Crediare S/A Crédito, Financiamento e Investimento, com sede na Av. Veneza, 1033, Bairro São Roque, no Município e Comarca de Farroupilha,

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 10 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL

Leia mais

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES;

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES; CONSIDERANDO QUE: I É de interesse da IES aprimorar o ensino, propiciando aos seus estudantes, estabelecer e desenvolver relações com instituições de ensino localizadas em países distintos através da participação

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO CIRCULAR Nº 80/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009 Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9 PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS Responsável Versão Última Atualização 15/07/2015 Página 1 de 9 PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS Exclusivo para Instituições Financeiras Associadas

Leia mais

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS 1. INTRODUÇÃO 1.1. A COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP

Leia mais

Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações PLANO EXECUTIVO

Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações PLANO EXECUTIVO Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações PLANO EXECUTIVO O presente Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações para executivos que prestem serviços à Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.292, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 4.292, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 4.292, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a portabilidade de operações de crédito realizadas com pessoas naturais, altera a Resolução nº 3.401, de 6 de setembro de 2006, e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 33ª Reunião Ordinária, realizada no dia vinte e sete de setembro de 2012, no uso das atribuições

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 3.0 - Julho/2014) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. CAPÍTULO I Aplicação e Objeto 1.1. Pelo presente documento, a INFRA ASSET MANAGEMENT LTDA. ( Gestora ), vem,

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO DGA Nº 81, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 #Estabelece procedimentos para registro, no SICONV, de informações referentes a Convênios com OBTV. O Coordenador da Administração Geral, no uso de suas atribuições,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO

CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO CONTRATO DE LICENCIAMENTO DE CONTEÚDO São partes ( Partes ), neste instrumento particular ( Contrato ):, inscrito no CNPJ/MF sob n.o, com sede na cidade de, estado de na, doravante denominado LICENCIADO,

Leia mais

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual

Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para garantir aos alunos acesso à escola pública estadual 32 São Paulo, 121 (89) Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 13 de maio de 2011 Resolução SE-28, de 12-5-2011 Disciplina a concessão de auxílio-transporte às Prefeituras Municipais para

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização, e dá outras providências.

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. CIRCULAR Nº 3.330 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão extraordinária realizada em 27 de outubro de 2006,com

Leia mais

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015 Ref.: Ass.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Refinanciamento de

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP

CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP CONVÊNIO Nº 004/2011-TJAP CONVÊNIO DE PARCERIA PARA CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DE PAGAMENTO QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ E O BANCO GERADOR S.A. O, com sede em Macapá, Capital

Leia mais

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO CARTA-CIRCULAR N 09/2006 Rio de Janeiro, 04 de maio de 2006 Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto I Aplicação e Objeto 1.1. A ARSA INVESTIMENTOS LTDA. ( ARSA ) vem por meio desta, nos termos do Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 71/2009 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF n.º 02.950.811/0001-89 NIRE 35.300.158.954 Código CVM 20478

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF n.º 02.950.811/0001-89 NIRE 35.300.158.954 Código CVM 20478 PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ/MF n.º 02.950.811/0001-89 NIRE 35.300.158.954 Código CVM 20478 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES O presente Plano de Opção de Compra

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Esta proposta altera parcialmente o Plano original de recuperação judicial, apresentado em março de 2015, após negociações com credores.

Esta proposta altera parcialmente o Plano original de recuperação judicial, apresentado em março de 2015, após negociações com credores. MODIFICAÇÕES AO PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL PROPOSTAS PELOS CREDORES PARA SEREM APRESENTADAS NO PROSSEGUIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DE CREDORES DESIGNADA PARA O DIA 19/11/2015 Esta proposta altera parcialmente

Leia mais

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO Por este instrumento e na melhor forma de direito, o BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A, com sede na Rua Amador Bueno, nº 474, São Paulo/SP,

Leia mais

Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Bertioga Estado de São Paulo

Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Bertioga Estado de São Paulo RESOLUÇÃO Nº 02/13 /BERTPREV Dispõe sobre a celebração de Convênio entre o BERTPREV, o Banco do Brasil e a BB LEASING S.A., visando concessão de empréstimos pessoais, financiamentos de bens de consumo

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Diretoria Executiva

ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Diretoria Executiva EDITAL PARA CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ADMINISTRADORES DE ATIVOS EDITAL N 001/2015 O Fundo de Previdência do Município de Italva - FPMI, sediado na Rua Aracy Vilarinho, n 154, centro, Italva/RJ,

Leia mais

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA

CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA CLAÚSULAS E CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA Por este instrumento e na melhor forma de direito, o BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A, com sede na Rua Amador Bueno, nº 474, São Paulo/SP,

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS...

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PROGREDIR

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PROGREDIR REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PROGREDIR O presente instrumento ( REGULAMENTO ) estabelece as normas regulamentares do PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PROGREDIR ( PROGRAMA ) disponibilizado aos FORNECEDORES

Leia mais