CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS O SISTEMA CONFEA/CREA. (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS O SISTEMA CONFEA/CREA. (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia)"

Transcrição

1 CREA RS UM CONSELHO PARA TODOS Palestra: O SISTEMA CONFEA/CREA (Fiscalização Federal das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) Apresentação: Eng. Mec. Ary Trevisan Coordenado CEEI Eng. Mec. Jorge L. G. Marques Coordenador Adjunto CEEI Câmara Especializada de Engenharia Industrial CEEI Fone: (51) Março- 2008

2 Porque existem os Conselhos de Fiscalização Profissional...??? Conforme a Constituição Federal, Artigo 5 o, inciso XIII do Capítulo I dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos. É livre o Exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer.

3 Profissões Regulamentadas (Cerca de 50) Medicina Odontologia Fonoaudiologia Medicina Veterinária Farmácia Nutrição Economia Biblioteconomia Fisioterapia Educação Física Física Engenharia Arquitetura Agronomia Técnico Agrícola Técnico Industrial Administração Direito OAB OAB......

4 Nossa Missão Proteger a sociedade assegurando que a Engenharia, a Arquitetura e a Agronomia sejam exercidas por profissionais e empresas legalmente habilitadas. Decreto Federal /33, consolidado pela Lei 5.194/66.

5 O que é o Sistema CONFEA/CREA/ MÚTUA O CREA é uma Autarquia Federal, instituição regional eminentemente de fiscalização do exercício profissional, e o CONFEA é a instância superior de regulamentação e de fiscalização. A MÚTUA é o braço assistencial do conselho.

6 Partes que compõem o Sistema Profissional ESCOLA Escolas ESCOLA ASSOCIAÇÕES ASSOCIAÇÕES Associações CONFEA/CREA / CREA CONFEA / CREA SINDICATO Sindicatos SINDICATO S S

7 Sistema CONFEA/CREAs BRASIL : 27 CREAs 900 mil profissionais 29 entidades nacionais 800 entidades regionais 880 instituições de ensino 500 inspetorias regionais

8 Quantos somos? No RS são: 61 mil profissionais profissionais (Área Industrial) empresas registradas Atualmente, o CREA-RS oferece à comunidade civil e profissional: 42 Inspetorias 21 Representações no estado 5 Postos de atendimento

9 Inspetorias CREA-RS São Borja Santa Rosa São Luiz Gonzaga FRONTEIRA OESTE Tres Passos Palmeira das Missões Frederico Westphalen ALTO URUGUAI Santo Angelo Panambí Ijuí Cruz Alta Ibirubá NOROESTE Erechim PLANALTO Passo Fundo Carazinho Bento Gonçalves SERRA Vacaria Caxias do Sul Uruguaiana Alegrete FRONTEIRA SUDOESTE Santiago Livramento São Gabriel Santa Maria CENTRAL Santa Cruz Cachoeira do Sul Lajeado Novo Hamburgo Torres São Leopoldo Taquara Capão da Montenegro Canoas Cachoeir/ Canoa Guaíba Gravataí Porto Tramandaí Alegre METROPOLITANA LITORAL Camaquã Bagé SUL Pelotas Rio Grande

10 1) Alegrete 2) Bagé 3) Bento Gonçalves 4) Cachoeira do Sul 5) Cachoeirinha-Gravataí 6) Camaquã 7) Canoas 8) Capão da Canoa 9) Carazinho 10) Caxias do Sul 11) Cruz Alta 12) Erechim 13) Frederico Westphalen 14) Guaíba 15) Ibirubá 16) Ijuí 17) Lajeado 18) Montenegro 19) Novo Hamburgo 20) Palmeira das Missões INSPETORIAS REGIONAIS CREA/RS + 21 Representações +5 Postos atendimento 21) Panambi 22) Passo Fundo 23) Pelotas 24) Porto Alegre (fora da sede) 25) Rio Grande 26) Santa Cruz do Sul 27) Santa Maria 28) Santa Rosa 29) Santana do Livramento 30) Santiago 31) Santo Ângelo 32) São Borja 33) São Gabriel 34) São Leopoldo 35) São Luiz Gonzaga 36) Taquara 37) Torres 38) Tramandaí 39) Três Passos 40) Uruguaiana 41) Vacaria 42) Esteio

11 DISTRIBUIÇÃO DOS PROFISSIONAIS NO RS Engenharia Civil Engenharia Elétrica 24% 2% 3% 0% 24% Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas Química 16% 13% 18% Florestal Geral

12 Engenharia Civil 1% 16% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial 14% Arquitetura Agronomia Geologia e Minas 49% 10% 10% Química Florestal Geral

13 Engenharia Civil 1% 1% 15% 4% 6% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas 69% 4% Química Florestal Geral

14 Engenharia Civil 1% 2% 25% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura 42% Agronomia Geologia e Minas Química 13% Florestal 8% 9% Geral

15 Engenharia Civil 1% 0% 21% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas 59% 7% 4% 8% Química Florestal Geral

16 28% 1% 1% 18% 17% 5% 30% Engenharia Civil Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas Química Florestal Geral

17 18% 9% 19% 2% 3% 20% 29% Engenharia Civil Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas Química Florestal Geral

18 Engenharia Civil 0% 1% 14% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura 16% Agronomia Geologia e Minas 55% 5% 9% Química Florestal Geral

19 Engenharia Civil 1% 0% 18% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial 7% Arquitetura 3% Agronomia Geologia e Minas 66% 4% Química Florestal Geral

20 35% 13% 1% 2% 9% 23% 17% Engenharia Civil Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas Química Florestal Geral

21 1% 4% 18% Engenharia Civil 25% 17% 23% 12% Engenharia Elétrica Engenharia Industrial Arquitetura Agronomia Geologia e Minas Química Florestal Geral

22 Atribuições do CREA Registrar profissionais e empresas da área tecnológica. Registrar a ART Anotação de Responsabilidade Técnica documento que especifica as responsabilidades do profissional quanto aos serviços/obras executados. Manter o Acervo Técnico do profissional, com registro de todas as suas obras/serviços.

23 CREA-RS DIREÇÃO Eng. Agr.Gustavo André Lange Presidente Eng.Eletr.José Cláudio da Silva Sicco 1º Vice-Presidente Arq.Rosana Oppitz 2º Vice-Presidente Eng.Industrial Miguel Atualpa Nuñez 1º Diretor Administrativo Téc.em Química Luiz Antônio Castro dos Santos 2ºDiretor Administrativo Geólogo Antonio Pedro Viero 1ª Diretor Financeiro Eng.Civil Antônio Carlos Rossato 2º Diretor Financeiro Eng. Civil Marcus Vinícius do Prado Coord.das Inspetorias Eng. Agr. Bernardo Luiz Palma Coord.Adjunto das Inspetorias

24 CREA RS ORGANOGRAMA FUNDADO 1934 PLENÁRIO PRESIDENTE GTs COMISSÕES ESPECIAIS COMISSÕES PERMANENTES CÂMARAS ESPECIALIZADAS MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DIRETORIA COORDEN. DAS INSPETORIAS AGRONOMIA INSPETORIAS ARQUITETURA MODALIDADES: Engenharia Mecânica Engenharia Metalúrgica Engenharia Naval Engenharia Aeronáutica Tecnólogos da Área Mecânica Técnicos de 2 Grau das Áreas Mecânica e Metalúrgica CIVIL ELÉTRICA FLORESTAL GEOLOGIA E MINAS INDUSTRIAL QUÍMICA CONSELHEIROS: SENGE = 4 ARES = 1 SERGS = 2 AEIERGS = 1 ABEMEC = 1 SINTEC = 1 UFSM = 1 UNISC = 1

25 CONSELHEIRO DO CREA É o profissional habilitado de acordo com a legislação em vigor, devidamente registrado no órgão, representando uma entidade de classe ou instituição de ensino das áreas de conhecimento no âmbito da engenharia, arquitetura e agronomia. CÂMARA ESPECIALIZADA: Julgar casos de aplicação e infrações a Lei N o 5.194/66, na sua competência profissional; Julgar infrações do Código de Ética; Aplicar penalidades e multas pertinentes; Elaborar normas para fiscalização na sua competência profissional; Opinar sobre assuntos de outras especializações;

26 PLENÁRIO DO CREA-RS Composto por: 134 Conselheiros Titulares 134 Conselheiros Suplentes Reuniões ordinárias mensais. Cargo honorífico Mandato de 3 anos

27 PLENARIO CONFEA E ORGANIZAÇÃO Brasileiros diplomados em Engenharia, Arquitetura ou Agronomia (mandato de 3 anos, renovação do terço) 9 Engenheiros (mínimo de 3 modalidades) 3 Arquitetos 3 Agrônomos 1 Representante as Escolas de Engenharia 1 Representante as Escolas de Arquitetura 1 Representante as Escolas de Agronomia PRESIDENTE:voto dos profissionais registrados Conselheiros: eleitos assembléias dos CREAs.

28 REGULAMENTAÇÃO DAS PROFISSÕES Lei 5.194/66 Regulamenta o exercício profissional da engenharia, arquitetura e agronomia. Trata da fiscalização do exercício das profissões Trata do registro e fiscalização profissional Disposições gerais Disposições transitórias

29 Lei Federal 5.194/66 Exercício ilegal - Art.6º Exerce ilegalmente a profissão de engenheiro, arquiteto ou engenheiro-agrônomo: a)a pessoa física ou jurídica que realizar atos ou prestar serviços, públicos ou privados, reservados aos profissionais de que trata esta Lei e que não possua registro nos Conselhos Regionais; b) o profissional que se incumbir de atividades estranhas às atribuições discriminadas em seu registro;

30 Lei Federal 5.194/66 Exercício ilegal - Art.6º c) o profissional que emprestar seu nome a pessoas, firmas, organizações ou empresas executoras de obras e serviços sem sua real participação nos trabalhos delas; d) o profissional que, suspenso de seu exercício, continue em atividade; e) a firma, organização ou sociedade que, na qualidade de pessoa jurídica, exercer atribuições reservadas aos profissionais da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia, com infringência do disposto no parágrafo único do Art. 8º desta Lei.

31 Lei Federal 5.194/66 Atribuições profissionais Art. 7º As atividades e atribuições profissionais do engenheiro, do arquiteto e do engenheiroagrônomo consistem em: a) desempenho de cargos, funções e comissões em entidades estatais, paraestatais, autárquicas e de economia mista e privada;

32 Lei Federal 5.194/66 Atribuições profissionais Art. 7º b) planejamento ou projeto, em geral, de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes, explorações de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária; c) estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica; d) ensino, pesquisa, experimentação e ensaios;

33 Lei Federal 5.194/66 Atribuições profissionais Art. 7º e) fiscalização de obras e serviços técnicos; f) direção de obras e serviços técnicos; g) execução de obras e serviços técnicos; h) produção técnica especializada, industrial ou agropecuária.

34 Lei Federal 5.194/66 Responsabilidade e autoria Art. 17º Os direitos de autoria de um plano ou projeto de Engenharia, Arquitetura ou Agronomia, respeitadas as relações contratuais expressas entre o autor e outros interessados, são do profissional que os elaborar.

35 Lei Federal 5.194/66 Alteração de Projeto de outro profissional Art. 18º As alterações do projeto ou plano original só poderão ser feitas pelo profissional que o tenha elaborado. Parágrafo único - Estando impedido ou recusando-se o autor do projeto ou plano original a prestar sua colaboração profissional, comprovada a solicitação, as alterações ou modificações deles poderão ser feitas por outro profissional habilitado, a quem caberá a responsabilidade pelo projeto ou plano modificado.

36 Lei Federal 5.194/66 Das Penalidades Art.71 As penalidades aplicáveis por infração da presente Lei são as seguintes, de acordo com a gravidade da falta; a) Advertência reservada; b) Censura Publica; c) Multa; d) Suspensão temporária do exercício profissional; e) Cancelamento definitivo do registro.

37 ATIVIDADES DE ENGENHARIA Resolução 218/ Supervisão, coordenação e orientação técnica; 02 - Estudo, planejamento, projeto e especificação; 03 - Estudo de viabilidade técnico-econômica; 04 - Assistência, assessoria e consultoria; 05 - Direção de obra e serviço técnico; Obs.:Substituída pela resolução 1010/2005, em vigor desde 01/07/2007.

38 ATIVIDADES DE ENGENHARIA Resolução 218/ Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; 07 - Desempenho de cargo e função técnica; 08 - Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão; 09 - Elaboração de orçamento; 10 - Padronização, mensuração e controle de qualidade; 11 - Execução de obra e serviço técnico;

39 ATIVIDADES DE ENGENHARIA Resolução 218/ Fiscalização de obra e serviço técnico; 13 - Produção técnica e especializada; 14 - Condução de trabalho técnico; 15 - Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; 16 - Execução de instalação, montagem e reparo; 17 - Operação e manutenção de equipamento e instalação; 18 - Execução de desenho técnico.

40 ART Anotação de Responsabilidade Técnica ART- é o documento que define, para os efeitos legais, o(s) responsável(eis) técnico(s) pela obra e/ou serviço, instituída através de Lei Federal 6.496/77. A ART existe em defesa do profissional e da sociedade. Instrumento eficaz de defesa do consumidor, porque uma vez definida as responsabilidades, serve de garantia para o contratado e contratante quanto à prestação dos serviços contratados.

41 A R T

42

43

44 Lei Federal A/66 SALÁRIO MÍNIMO PROFISSIONAL Art. 5º - Para a execução das atividades e tarefas Classificadas na alínea "a" do artigo 3º, fica fixado o salário-base mínimo de 6 (seis) vezes o maior salário mínimo comum vigente no País,...(R$ 415,00 x 6 = R$ 2.490,00) Art. 6º - Para a execução de atividades e tarefas classificadas na alínea "b" do artigo 3º, a fixação do salário-base mínimo será feita tomando-se por base o custo da hora fixado no artigo 5º desta Lei, acrescidas de 25% (vinte e cinco por cento) as horas excedentes às 6 (seis) diárias de serviço...(8 horas dia = R$ 2.697,50)

45 O CREA ligado em você Disque Segurança discagem gratuita, exclusivamente para denúncias de irregularidades em áreas de atuação do CREA-RS. Internet o site permite acessar o Acervo Técnico, localizar processos, imprimir certidões e documentos, além de disponibilizar informações sobre cursos, palestras e eventos técnicos, entre outros.

46 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DO CONSELHO Conselho em Revista Coluna Semanal por Coluna Mensal (todo dia 22) no jornal Zero-Hora. PAP -Programa de Atualização Profissional. Destina verba para que as inspetorias realizem cursos de sua preferência.

47 Video CREA O CREA-RS oferece um acervo de fitas da área tecnológica para locação. Informações pelo fone ou no site do Conselho. Provedor CREA O CREA-RS oferece provedor de acesso à Internet GRATUITO aos profissionais registrados

48

49 MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA Atua nos 27 CREAs e no Distrito Federal No RS possui 41 representações que funcionam junto às inspetorias do CREA distribuídas no estado

50 VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DE QUEM É A RESPONSABILIDADE? CREA-RS ENTIDADES DE CLASSE SINDICATOS INSTITUIÇÕES DE ENSINO PROFISSIONAIS

51 INFORMAÇÕES (51) /

52 FIM OBRIGADO CREA-RS

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos

A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos DEPEN DEPARTAMENTO DE ENSINO A Profissão do Engenheiro Eletricista no Brasil e Seus Regulamentos Acimarney Correia Silva Freitas¹, Ivan da Silva Bié 2, Marcus Vinicius Silva Ferraz 3, Mariana Cardoso Mendes

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Petrópolis 2013 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho é um resumo

Leia mais

LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal)

LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal) LEI Nº 4.950-A, DE 22 DE ABRIL DE 1966 (Suspensa, por inconstitucionalidade, pela Resolução nº 12, de 1971, do Senado Federal) Dispõe sôbre a remuneração de profissionais diplomados em Engenharia, Química,

Leia mais

SISTEMAS PROFISSIONAIS

SISTEMAS PROFISSIONAIS SISTEMAS PROFISSIONAIS Prof. Dr. Eng. Mec. Amarildo Tabone Paschoalini Docente Departamento de Engenharia Mecânica UNESP Ilha Solteira Coordenador da Câmara Especializada de Eng. Mecânica e Metalúrgica

Leia mais

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais inseridos no Sistema CONFEA-CREA João Fernando Custodio da Silva

Leia mais

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições Dispõe sobre o exercício profissional dos Tecnólogos das áreas submetidas à regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966, e dá outras providências.

Leia mais

Lei nº5.194 de 24 de dezembro de 1966 (1) Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo, e dá outras providências.

Lei nº5.194 de 24 de dezembro de 1966 (1) Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo, e dá outras providências. Lei nº5.194 de 24 de dezembro de 1966 (1) Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo, e dá outras providências. O Presidente da República: Faço saber que o Congresso

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966. TÍTULO I Do Exercício Profissional da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia. CAPÍTULO I Das Atividades Profissionais

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966. TÍTULO I Do Exercício Profissional da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia. CAPÍTULO I Das Atividades Profissionais LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966 Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro- Agrônomo, e dá outras providências. O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Fl. 1 de 5 CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA DO RIO GRANDE DO SUL NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Dispõe sobre

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Regula o exercício das profissões de Engenharia, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA CONFEA COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO, NORMAS E PROCEDIMENTOS - CONP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA CONFEA COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO, NORMAS E PROCEDIMENTOS - CONP PAUTA DA CONP - SESSÃO PLENÁRIA 1.385 ARQUIVAMENTO DELIBERAÇÃO: 230/2011-CONP REFERÊNCIA: PT CF-0029/2011 INTERESSADO: Crea-SC ASSUNTO: Ato Normativo que Regulamenta suporte financeiro às reuniões ordinárias,

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DEZ 1966 Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro- Agrônomo, e dá outras providências. O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O ENSINO EAD DE ENGENHARIA CIVIL. Ronald Donald Salvador/BA, 19/05/2014 Representando a CCEEC / CONFEA e CREA/SE

REFLEXÕES SOBRE O ENSINO EAD DE ENGENHARIA CIVIL. Ronald Donald Salvador/BA, 19/05/2014 Representando a CCEEC / CONFEA e CREA/SE REFLEXÕES SOBRE O ENSINO EAD DE ENGENHARIA CIVIL Ronald Donald Salvador/BA, 19/05/2014 Representando a CCEEC / CONFEA e CREA/SE 1. O PAPEL DO SISTEMA CONFEA/CREA 2. A AUTONOMIA UNIVERSITÁRIA e o EAD O

Leia mais

O Sistema Confea/ Crea

O Sistema Confea/ Crea O Sistema Confea/Crea é regido pela Lei nº 5.194, de 24/dez/1966. O Sistema Confea/ Crea O Conselho Federal e os Conselhos Regionais são autarquias* dotadas de personalidade jurídica de direito público,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

Cursos Superiores Cadastrados

Cursos Superiores Cadastrados Instituição Cidade Curso Título Atribuições Pasta INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO- GRANDENSE - IFSUL (Antigo: CEFET - Pelotas /Escola Técnica Federal de Pelotas) Tecnologia Mecânica Horizontina Mecânica Curso

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei Nº 4.769, de 09 de setembro de 1965 O Presidente da República Dispõe sobre o exercício da profissão de Administrador e dá outras providências (*) (**). Faço saber que o Congresso Nacional decreta e

Leia mais

SECRETARIA DA SAÚDE - Fundo Estadual de Saúde Valores PAGOS - referente ao processo 051790-2000/14-0

SECRETARIA DA SAÚDE - Fundo Estadual de Saúde Valores PAGOS - referente ao processo 051790-2000/14-0 SECRETARIA DA SAÚDE - Fundo Estadual de Saúde Valores PAGOS - referente ao processo 051790-2000/14-0 Emitido em: 27/06/2014 Municipio CRS Valor pago ACEGUA 07 140,00 AGUA SANTA 06 120,00 AGUDO 04 1.530,00

Leia mais

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta JAQUES SHERIQUE Eng. Mec. e de Seg. do Trab. Vice-Presidente

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 8.620, DE 10 JAN DE 1946 ( 1)

DECRETO-LEI Nº 8.620, DE 10 JAN DE 1946 ( 1) DECRETO-LEI Nº 8.620, DE 10 JAN DE 1946 ( 1) Dispõe sobre a regulamentação do exercício das profissões de engenheiro, de arquiteto e de agrimensor, regida pelo Decreto nº 23.569, de 11 DEZ 1933, e dá outras

Leia mais

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás JANE APARECIDA FERREIRA =Responsável pelo placard= LEI Nº 2.689, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010. CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- Autoriza a doação de lote

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

O Perito Judicial e a Justiça Gratuita

O Perito Judicial e a Justiça Gratuita 4º SEMINÁRIO PAULISTA DE PERÍCIA JUDICIAL 26 de agosto de 2011 O Perito Judicial e a Justiça Gratuita Ao CREA-SP, instituído pelo Decreto Federal nº 23.569, de 11 de dezembro de 1933, e mantido pela Lei

Leia mais

SISTEMA FECOMÉRCIO-RS SELECIONA: O

SISTEMA FECOMÉRCIO-RS SELECIONA: O SISTEMA FECOMÉRCIO-RS SELECIONA: O Senac-RS Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, Administração Regional no Estado do Rio Grande do Sul, está selecionando profissionais para desenvolver suas atividades

Leia mais

16 de fevereiro (Dia do Mun.) 04 de junho (C. Christi) 25 de julho (Dia do Colono) 31 de outubro (Dia da Reforma) 04 de junho (C.

16 de fevereiro (Dia do Mun.) 04 de junho (C. Christi) 25 de julho (Dia do Colono) 31 de outubro (Dia da Reforma) 04 de junho (C. FERIADOS MUNICIPAIS NAS COMARCAS DO RS/2015 Dados atualizados em NOVEMBRO/2015 Conforme Ato nº 12/2014 Órgão Especial, não haverá expediente no Tribunal de Justiça e nos serviços forenses de primeira instância

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.662, DE 7 DE JUNHO DE 1993. (Mensagem de veto). Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências O

Leia mais

Cursos Superiores Cadastrados

Cursos Superiores Cadastrados Instituição Cidade Curso Título Atribuições Pasta INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO- GRANDENSE - IFSUL (Antigo: CEFET - Pelotas /Escola Técnica Federal de Pelotas) Tecnologia Mecânica Horizontina Mecânica Curso

Leia mais

Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul

Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul ESTRUTURA CFC Criados pelo DL 9295 de 27 de maio de 1946 CRCs DELEGACIAS REGIONAIS As Delegacias Regionais foram criadas a partir de 1958. O CRCRS

Leia mais

LEGENDA: Em preto: sugestões das Direções Regionais. Em vermelho: sugestão de exclusão por parte da Gestão

LEGENDA: Em preto: sugestões das Direções Regionais. Em vermelho: sugestão de exclusão por parte da Gestão Anexo VI Proposta de ajustes nos quadros Visão de Futuro por parte da Gestão tendo em vista as possibilidades docentes e a previsão orçamentárias de acordo com o PPA 20 2016 LEGENDA: Em preto: sugestões

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DAS OBRAS PÚBLICAS EDITAL Nº 001/2008

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DAS OBRAS PÚBLICAS EDITAL Nº 001/2008 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DAS OBRAS PÚBLICAS EDITAL Nº 001/2008 CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL DE PROFISSIONAIS DAS ÁREAS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA O SECRETÁRIO DE ESTADO DAS OBRAS PÚBLICAS, no

Leia mais

PROGRAMA CONSELHEIROS

PROGRAMA CONSELHEIROS PROGRAMA CONSELHEIROS Um projeto de cooperação entre as Instituições de Ensino Superior e o CREA-MG Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais LOMBARDO, Antonio lombardo@net.em.com.br,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 311/14 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 311/14 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 311/14 - CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, que regulamenta o Sistema Único

Leia mais

Ainda a mesma legislação prevê no artigo 34, as atribuições dos Conselhos Regionais de Engenharia, entre outras:

Ainda a mesma legislação prevê no artigo 34, as atribuições dos Conselhos Regionais de Engenharia, entre outras: A LEI 4950A NA ESFERA DOS CREAs I) Da fiscalização A Lei nº 5.194 de 24 de dezembro de 1966 que regula o exercício da profissão de engenheiro, prevê que a fiscalização do exercício e atividades das profissões

Leia mais

REGULAMENTO DA LEI Nº 4.769, DE 9 DE SETEMBRO DE 1965, QUE REGULA O EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DE ADMINISTRADOR.

REGULAMENTO DA LEI Nº 4.769, DE 9 DE SETEMBRO DE 1965, QUE REGULA O EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DE ADMINISTRADOR. REGULAMENTO DA LEI Nº 4.769, DE 9 DE SETEMBRO DE 1965, QUE REGULA O EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DE ADMINISTRADOR. TÍTULO I Da Profissão de Administrador CAPÍTULO I Do Administrador Art. 1º - O desempenho das

Leia mais

VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL Um pouco da história da valorização das profissões de engenharia, agronomia, agrimensura e arquitetura no Brasil. Art. 3º. Logo que alguma das sobredictas obras fôr projectada,

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Dr. Henrique Carlos Gonçalves Conselheiro CREMESP - Coordenador do Departamento Jurídico

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Dr. Henrique Carlos Gonçalves Conselheiro CREMESP - Coordenador do Departamento Jurídico CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO Dr. Henrique Carlos Gonçalves Conselheiro CREMESP - Coordenador do Departamento Jurídico INTRODUÇÃO A) Criação dos Conselhos Regionais e Federal de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA ART Nº

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA ART Nº CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO CE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA ART Nº PROFISSIONAL RAZÃO SOCIAL DO CONTRATANTE LOCAL DE TRABALHO (ENDEREÇO COMPLETO) _ CARGA HORÁRIA SEMANAL DATA DE

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995 1 COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 815, DE 1995 (Apensados os Projetos de Lei nº 2.194, de 1996, nº 981, de 1999, nº 6.639, de 2002, nº 6.640,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 As perguntas abaixo foram compiladas após a série de treinamentos sobre a Resolução nº 1.010, de 2005, ministrados pelo Confea aos Creas durante o primeiro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003.

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o registro de profissionais, aprova os modelos e os critérios para expedição de Carteira de Identidade Profissional e dá outras providências.

Leia mais

A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação Técnica alínea b) exige:

A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação Técnica alínea b) exige: COP-148/2009 Processo nº 000578-14.89/09-2 Assunto: Esclarecimento A empresa Expernet Telemática Ltda., solicita os seguintes esclarecimentos: Questionamento 1. O subitem 2.3 Documentos Relativos à Qualificação

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 643, DE

Leia mais

O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social.

O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social. O papel do gestor municipal na promoção da sustentabilidade urbana na produção da Habitação de Interesse Social. Maria do Carmo Avesani Diretora do Departamento de Produção Habitacional Secretaria Nacional

Leia mais

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Porto Alegre (1 vaga) Área: Assessoria de Planejamento

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Porto Alegre (1 vaga) Área: Assessoria de Planejamento SISTEMA FECOMÉRCIO-RS SELECIONA: O Senac-RS Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, Administração Regional no Estado do Rio Grande do Sul, está selecionando profissionais para desenvolver suas atividades

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

Comissão Permanente de Licitações

Comissão Permanente de Licitações Informação n.º 090/202. Trata-se de procedimento licitatório para contratação dos serviços de monitoramento remoto de sistema de alarme de segurança 24 horas, com fornecimento de materiais em comodato

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA)

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) Dispõe sobre a regulamentação do exercício profissional de Designer, e dá providências. O Congresso Nacional decreta: Capítulo I Caracterização e atribuições

Leia mais

LEI Nº 3.238/2001 SÚMULA: CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE - COMAM.

LEI Nº 3.238/2001 SÚMULA: CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE - COMAM. LEI Nº 3.238/2001 SÚMULA: CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE - COMAM. A CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAVEL, ESTADO DO PARANÁ, APROVOU, DE AUTORIA DO ILUSTRE VEREADOR BENTO TOLENTINO, COM EMENDAS DOS

Leia mais

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO IPASEM-NH Referente ao PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2013 COMERCIAL DE ELETRODOMÉSTICOS

Leia mais

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da Projeto Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e ( pt ) Automação na Wikipédia Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da ( 2009 UFLA (II Professores: Roberto

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE GEOFÍSICA-

SOCIEDADE BRASILEIRA DE GEOFÍSICA- Rio de Janeiro, 20 de julho de 2004 Exma. Senhora Deputada Federal Jandira Fegalli Palácio do Congresso Nacional, Gabinete: 421 - Anexo: IV Edifício Principal, Praça dos Três Poderes Brasília - DF - CEP

Leia mais

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação

Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação AO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação Referente ao PREGÃO ELETRÔNICO Nº 11/2013-PR/SC.

Leia mais

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico

NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações. O Papel do Engenheiro Mecânico NR-13 Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações 24 de julho de 2014 ABEMEC-RS Eng Mec. Milton Mentz julho 2014 1 Responsabilidade do Profissional Habilitado x Responsabilidade do Empregador: julho 2014

Leia mais

LEI nº 5.766 de 20-12-1971

LEI nº 5.766 de 20-12-1971 LEI nº 5.766 de 20-12-1971 Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia e dá outras providências O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INSTRUÇÃO Nº 2560 Dispõe sobre procedimentos para a interrupção de registro profissional. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 34,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO APRESENTAÇÃO A Casa de Saúde São José foi fundada em 1923 e tem como missão Servir à Vida, promovendo Saúde. É uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, católica,

Leia mais

Decreto n.º 61.934, de 22 de dezembro de 1967

Decreto n.º 61.934, de 22 de dezembro de 1967 Decreto n.º 61.934, de 22 de dezembro de 1967 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Administrador, de acordo com a Lei n.º 4.769, de 9 de setembro de 1965 e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011)

RESOLUÇÃO CRM-PR N º 150/2007 (Publicado no Diário Oficial da União, Seção 1, de 24/04/2007 p. 86) (Revogada pela Resolução CRMPR 181/2011) CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ RUA VICTÓRIO VIEZZER. 84 - CAIXA POSTAL 2.208 - CEP 80810-340 - CURITIBA - PR FONE: (41) 3240-4000 - FAX: (41) 3240-4001 - SITE: www.crmpr.org.br - E-MAIL: protocolo@crmpr.org.br

Leia mais

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA Aprovado na Assembléia Geral Ordinária de 10/04/2012. Capítulo I NORMAS GERAIS Art.1º - Este Regulamento de Honorários para Avaliações

Leia mais

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 Dispõe sobre a criação de Comissão de Ética de Enfermagem Institucional. CONSIDERANDO o disposto no artigo 8º, I, da Lei 5.905/73, que possibilita ao COFEN aprovar seu regimento

Leia mais

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 Dispõe sobre registro, cadastro, cancelamento e responsabilidade técnica das Pessoas Jurídicas da jurisdição do CRP16 e revoga a Resolução CRP 16 nº 004/2007, de 10 de novembro

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO N 1889 ACOMPANHAMENTO DE PREÇOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES DO RIO GRANDE DO SUL. SEMANA DE 28/12/2015 a 01/01/2016

BOLETIM INFORMATIVO N 1889 ACOMPANHAMENTO DE PREÇOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES DO RIO GRANDE DO SUL. SEMANA DE 28/12/2015 a 01/01/2016 BOLETIM INFORMATIVO N 1889 ACOMPANHAMENTO DE PREÇOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES DO RIO GRANDE DO SUL SEMANA DE 28/12/2015 a 01/01/2016 PREÇOS EM R$ PRODUTOS UNIDADE MÍNIMO MÉDIO MÁXIMO 50 Kg 37,00 40,32

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO COLEGIADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO COLEGIADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO COLEGIADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DIRETRIZES TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO O Colegiado do

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Dispõe sobre a profissão do profissional de coaching (coach), e dá outras providências. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: TRABALHO,

Leia mais

Atribuições do engenheiro eletricista e as resoluções 218 e 1010 do CONFEA/CREA

Atribuições do engenheiro eletricista e as resoluções 218 e 1010 do CONFEA/CREA Atribuições do engenheiro eletricista e as resoluções 218 e 1010 do CONFEA/CREA Victor Ricardo Viana de Oliveira¹, Matheus Felipe Sousa Neves 2, Rafael Ferreira Félix 3, Allan de Oliveira Lima 4 1,2,3,4

Leia mais

Campanha Nacional dos Bancários 2009

Campanha Nacional dos Bancários 2009 ALEGRETE -PAB Centro Administrativa da Prefeitura BAGÉ -Ag.Centro -PAB Justiça do Trabalho BENTO GONÇALVES CACHOEIRA DO SUL CAMAQUÃ -Ag Cidade Alta -Ag. Cachoeira do Sul -PAB Justiça do Trabalho Ag. Camaquã

Leia mais

PRESÍDIO ESTADUAL DE ALEGRETE

PRESÍDIO ESTADUAL DE ALEGRETE DIAS E HORÁRIOS DE VISITAS EM ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS DO ESTADO ATENÇÃO: CONSULTAR O REGULAMENTO GERAL QUANTO ÀS CONDIÇÕES DE INGRESSO CIDADE ESTABELECIMENTO PRISIONAL DIAS, HORÁRIOS E OUTRAS OBSERVAÇÕES

Leia mais

Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia, e dá outras Providências.

Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia, e dá outras Providências. 1 de 7 24/11/2008 13:10 Lei nº3.820 de 11 de novembro de 1960 DOU de 21/11/1960 Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia, e dá outras Providências. O Presidente da República: Faço saber

Leia mais

Relatório de Atividades 2010

Relatório de Atividades 2010 Relatório de Atividades 2010 Quantidade Presidência Diretoria Evento 31 Reuniões semanais e mensais de Diretoria / Delegacias Regionais. 08 Reuniões / Assembléias Fenacor / Grupo de Trabalho FENACOR Cooperativa

Leia mais

Universidade em números

Universidade em números Universidade em números Na relação de ações de comunicação da nova gestão, programadas para serem colocadas em prática nos primeiros meses de administração, estão a agilização e otimização do site que

Leia mais

ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES

ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES ESTABELECIMENTOS HOSPITALARES UF MUNICIPIO CNES NOME RS AGUDO 2234386 HOSPITAL AGUDO RS ALEGRETE 2248328 SANTA CASA DE ALEGRETE RS ALVORADA 2232081 HOSPITAL DE ALVORADA RS ANTONIO PRADO 2241072 HOSPITAL

Leia mais

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos;

ANEXO I DO OBJETO. 3) Os profissionais contratados deverão providenciar o cadastramento junto ao corpo clínico da CONTRATANTE, como membros efetivos; ANEXO I DO OBJETO Descrição da PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM NEUROCIRURGIA E NEUROLOGIA AOS PACIENTES DO HOSPITAL, PRONTO SOCORRO ADULTO, PRONTO SOCORRO INFANTIL E AMBULATÓRIO, compreendendo as seguintes funções:

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES 2015 A SUA INTEGRAÇÃO Este é o primeiro e indispensável passo sua adaptação na empresa. para Reserve um tempo e leia o manual com atenção. Em caso de dúvida,

Leia mais

ESTATUTO DO SISTEMA CONFEA/CREAs Aprovado no III CNP

ESTATUTO DO SISTEMA CONFEA/CREAs Aprovado no III CNP ESTATUTO DO SISTEMA CONFEA/CREAs Legenda: Texto destacado, discutido e mantido: ESTATUTO DO SISTEMA CONFEA/CREAs Aprovado no III CNP Art. 1º O Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA 1 REGULAMENTO DE HONORÁRIOS PARA AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA CAPÍTULO I NORMAS GERAIS Art. 1º - Este Regulamento de Honorários para Avaliações e Perícias de Engenharia estabelece parâmetros para

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) PROJETO DE LEI N.º, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Dispõe sobre a profissão de treinador de recursos humanos coaching e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS

Leia mais

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007)

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Analista de Sistemas e suas correlatas, autoriza o Poder Executivo a criar o Conselho Federal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 2.255/2007 Dá nova redação a Lei nº 1.453/200 que cria o Conselho de Alimentação Escolar e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE MOSSORÓ,

Leia mais

NORMA nº 02/2011 - CEGM

NORMA nº 02/2011 - CEGM NORMA nº 02/2011 - CEGM Dispõe sobre a fiscalização e regularização das atividades de planejamento, pesquisa, locação, perfuração, ensaios, limpeza e manutenção de poços tubulares para captação de água

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS

EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS ENSINO 2º GRAU: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Requisito: Ensino médio completo (2º grau) Descrição Sumária de Atividades:

Leia mais

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES.

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700 1º andar Bento Ferreira Vitória ES CEP 290 522 232 Tel.: (27) 3334 9900 FAX: (27) 3324 3644 CEEI DISPÕE SOBRE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 21/2007 RESOLUÇÃO Nº 21/2007 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONSIDERANDO o que consta do Processo nº 25.154/2007-18 CENTRO DE EDUCAÇÃO (CE); CONSIDERANDO

Leia mais

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli)

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) PROJETO DE LEI N, DE 2015 (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre a regulamentação do exercício das profissões de Analista de Sistemas, Desenvolvedor, Engenheiro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO Conforme aprovado em reunião do Conselho Municipal de Habitação, realizada aos 29 de maio de 2012; REGIMENTO

Leia mais

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4

CURSOS DE GRADUAÇÃO - SITUAÇÃO LEGAL 19/12/2013. Avaliação in loco 4 Administração s Arquitetura e Urbanismo Artes Cênicas - Licenciatura Ciências Biológicas Ciências Contábeis Ciência da Computação Ciências Econômicas Direito Educação Física Licenciatura Educação Física

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS. RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS. RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX Orientador Empresarial TRIBUTOS RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX PORTARIA RFB 2.401/2011-DOU: 05.04.2011 Altera

Leia mais

Introdução à Eng. de Computação

Introdução à Eng. de Computação Introdução à Eng. de Computação Apresentação 02: Regulamentação da Profissão Prof. João Paulo Just - http://just.pro.br/ 1 Essa apresentação foi criada com base nos slides da professora Cláudia Pinto,

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Seção I Dos Objetivos Art. 1º O Programa de

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007

PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007 SENADO FEDERAL GABINETE DO SENADOR EXPEDITO JÚNIOR PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Analista de Sistemas e suas correlatas, cria o Conselho

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município,

O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 55, 2º, I, da Lei Orgânica do Município, LEI ORDINÁRIA Nº 564/2014, DE 13 DE MARÇO DE 2014 Amplia o quadro de pessoal efetivo da Prefeitura, define atribuições e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CORRENTE, ESTADO DO PIAUÍ, no uso

Leia mais

1º Para aplicação da Tabela I, será considerado o valor da obra, no caso de atividade de execução e o valor dos serviços para as demais atividades.

1º Para aplicação da Tabela I, será considerado o valor da obra, no caso de atividade de execução e o valor dos serviços para as demais atividades. ATO NORMATIVO Nº 55/03 Dispõe sobre os valores das taxas de registro de ART devidas ao Crea ES, para o exercício de 2004 e dá outras providências. O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA

Leia mais

Secretaria de Infraestrutura e Logística

Secretaria de Infraestrutura e Logística Secretaria de Infraestrutura e Logística Investimento - 2011 Geração Transmissão Distribuição Total CEEE Realizado2011 R$13.071,26 R$65.019,92 R$118.149,60 R$196.240,78 Plano de Investimentos 2012-2014

Leia mais