DISCIPLINA: Criminalística e virtualização aplicada à computação forense.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINA: Criminalística e virtualização aplicada à computação forense."

Transcrição

1 Conteúdo Programático por disciplina: Essa informação é preliminar e visa a interação inicial do aluno com o curso, após a opção o aluno recebe o cronograma completo, incluindo a metodologia e demais informações sobre o curso. Qualquer informação adicional pode ser obtida com o coordenador do curso ou o setor de matriculas da Academia Linux. DISCIPLINA: Criminalística e virtualização aplicada à computação forense. CARGA HORÁRA: 20 Horas Fazer com que o aluno compreenda e opere com eficiência os conceitos e técnicas relativos a criminalística computacional e seja apto a identificar os locais e formas de armazenamento dos vestígios de crimes informáticos nos dispositivos a serem periciados. 1.Operar princípios e técnicas da perícia. 2.Conhecer a legislação aplicada. 3.Conhecer as técnicas de abordagem forense. 1.Configurar sistemas operacionais. 2.Instalar sistemas operacionais. 3.Instalar e configurar máquinas virtuais. 4.Operar os princípios da criminalística. 5.Analisar logs. 1. História da análise forense computacional. 2. Fundamentos de computação forense, de resposta a incidentes, 3. Abordagem in vivo, abordagem post mortem, 4. Áreas da computação forense, 5. Definição de ferramentas de código livre e ferramentas de código proprietário; 6. Cadeia de custódia; 7. Descrição de materiais questionados; 8. Estrutura mínima do laudo pericial; 9. Estrutura de um sistema pericial privado, 10. Estrutura do sistema pericial público; 11. Legislação aplicada à perícia cível, 12. Legislação aplicada à perícia criminal. 13. Instalação do sistema operacional Windows Configuração de auditoria e segurança do sistema operacional.

2 15. Instalação do sistema operacional Windows Utilização de sistema de virtualização VM WARE PLAYER 4.0 e do sistema de virtualização Virtual Box Versão Montagem e configuração dos logs dos sistemas operacionais Windows 7 e Windows XP SP3.... DISCIPLINA: Hardening em Ambiente Linux (Desktop e Servidores). CARGA HORÁRA: 40 Horas Realizar a instalação e configuração de ambientes do SO Linux e suas auditorias com eficiência e segurança. 1.Instalar com eficiência um ambiente Linux para usuário final. 2.Instalar com eficiência um ambiente Linux para ambiente se servidor de rede. 3.Compreender as estruturas de sistemas de arquivos do SO Linux. 4.Compreender o funcionamento e configuração dos logs de auditoria do SO Linux. 5.Operar com eficiência sistemas de Firewall de código livre. 1. Introdução ao Linux em ambiente servidor 1.1. Características gerais e distribuições 1.2. Manipulação de arquivos, diretórios, E/S 1.3. Execução e controle de processos 1.4. Comandos diversos e utilitários 2. Configuração e administração de serviços 2.1. Editores de texto: VI, mcedit e nano 2.2. Rede e conectividade 2.3. Contas de usuário e controle de acesso 2.4. Serviços básicos: SSH, HTTP, SAMBA. 1. Preparação, instalação e pós-instalação Planejamento da instalação e aquisição segura de mídias 1.2. Preparação de discos e partições 1.3. Seleção e configuração de pacotes 1.4. Tarefas pós-instalação 2. Mecanismos de segurança de host 2.1. Recomendações gerais de hardening Segurança no sistema de arquivos 2.3. Firewall: Netfilter Sistemas IPS/IDS MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor....

3 DISCIPLINA: Análise forense em ambiente Windows. CARGA HORÁRA: 60 Horas Fazer com que o aluno seja capaz de compreender e operar uma perícia em ambiente Windows do início ao fim. 1.Identificar Logs. 2.Identificar Evidências. 3.Diferenciar os sistemas de arquivos. 4.Coletar evidências. 5.Realizar investigações. 1.Operar ferramentas de perícia. 2.Realizar duplicação forense. 3.Realizar análise de dados. Metodologia de duplicação forense. Apresentação e investigação com a ferramenta FTK Imager. Apresentação e investigação com a distribuição forense Linux Helix 2.0. Propriedades de arquivos MAC TIME. Identificação de origens de arquivo. Lixeira, arquivos e pastas deletados. Histórico de internet. Realização de buscas customizadas por arquivos. Histórico de Cookies da internet. Registro do Sistema Operacional. UP TIME do Sistema Operacional. Ferramenta de auditoria e conformidade. Busca inteligente por imagens. Ferramenta de recuperação de dados. Aplicações do MS DOS como uma ferramenta forense. Técnicas de recuperação de arquivos e partições. Análise de artefatos (arquivos). Análises de telefones celulares. MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor.... DISCIPLINA: Análise forense em ambiente Linux

4 CARGA HORÁRA: 40 Horas Fazer com que o aluno seja capaz de compreender e operar uma perícia em ambiente Linux do início ao fim. 1.Identificar Logs. 2.Identificar Evidências. 3.Diferenciar os sistemas de arquivos. 4.Coletar evidências. 5.Realizar investigações. 1.Operar ferramentas de perícia. 2.Realizar duplicação forense. 3.Realizar análise de dados. 1. Visão Geral do Sistema Operacional Linux 2. Histórico, Kernel, distribuições, ambientes gráficos, estrutura do S.O Linux 3. Gerenciadores de boot 4. Tipos de usuários, estrutura de diretórios, sistema de arquivos, dispositivos, tipos de arquivos, gerência de processos, 5. Comandos Básicos para Auxílio na Perícia em Ambientes Linux 6. Comandos de suporte em modo texto (ls, clear, cd, pwd, cat, df, more, free, mkdir, rmdir, rm, wc, date, mv, find, grep, pipes) 7. Editores de texto, documentação. 8. Arquivos Importantes (dentro do foco computação forense). 9. Arquivos de históricos, arquivos de log, debugging de aplicativos, diretórios mais importantes e procedimentos intrusivos comuns relacionados ao sistema de arquivos. 10. Frameworks para perícia em Linux 11. The Coroner's Toolkit 12. The Sleuthkit 13. Autopsy Forensic Browser 14. Validação de cópias (assinatura digital) 15. Assinaturas hash, algoritmos, md5, sha 16. Tipos de imagens (duplicação pericial) e ferramentas, esterilização 17. Extração/recuperação de dados (data carving) 18. Magic numbers, ferramentas (magicrescue, foremost e scalpel), exercícios 19. Forense computacional em máquinas Linux comprometidas 20. Identificação de sniffers, backdoors e rootkits instalados 21. Análise de imagens de máquinas comprometidas e respostas a quesitos MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor.

5 ... DISCIPLINA: Análise forense em redes de computadores CARGA HORÁRA: 40 Horas Fazer com que o aluno seja capaz de compreender e operar uma perícia em ambiente de redes de computadores. 1.Identificar Logs. 2.Identificar Evidências. 3.Capturar dados. 4.Remontar e analisar sessões de redes. 1.Operar ferramentas de perícia. 2.Realizar duplicação forense de uma rede. 3.Realizar análise de dados. 1.Cálculos com números binários e Máscara de sub-rede e roteamento. 2.Classes de redes e endereçamento IP. 3.Descrição dos serviços ligados ao TCP/IP. 4.Perícia Forense Computacional. 5.Forense Computacional versus Resposta a Incidente. 6.O que diz NBR ISO/IEC a respeito de Resposta a Incidente. 7.Coletando Evidências Digitais (Live Analisys). Utilizando Ferramentas clássicas como: traceroute, tcptraceroute, mtr, nmap, netstat, lsof, fuser. 8.Utilização de Sniffers para Análise e Troubleshooting. 9.Network Forense Perícia Forense Aplicada a Redes. 10.Utilizando a ferramenta TCPdump. 11.A ferramenta Ethereal 12. A ferramentawireshark. 13. A ferramenta TCPflow. 14. Arquivos PCAP. 15.Identificação e recuperação de Artefatos em conexões TCP. 16.Análise dinâmica das evidências. 17.Limitadores da Network Forensic. 18.Projetando Redes Ideais para retenção de melhores evidências. 19.Perícia Computacional Forense de Redes com ferramental customizado. MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor....

6 DISCIPLINA: Análise forense de Malware. CARGA HORÁRA: 40 Horas Fazer com que o aluno seja capaz de compreender e operar uma perícia em artefatos maliciosos. 1.Identificar vírus 2.Identificar Evidências relativas a vírus. 3.Capturar dados relativos a vírus. 4.Compreender o funcionamento dos mecanismos de operação dos vírus. 1.Operar ferramentas de perícia. 2.Realizar análise de bibliotecas. 3.Realizar análise de código. 1. Estruturas Internas dos Softwares 2. Laboratório para Análise de Malware 3. Trabalhando com Executáveis 4. Análise Dinâmica 5. Análise de Executável com Técnicas Diversas 6. Windows Internals 7. Formato Portable Executable 8. Trabalhando com DLLs 9. Memory Forensics 10. Trabalhando com Rootkits 11. Packers 12. Anti-Debugging 13. Trabalhando com Documentos Maliciosos 14. Trabalhando com Web Malware MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor....

7 DISCIPLINA: Direito da Tecnologia da Informação. CARGA HORÁRA: 20 Horas Compreender os aspectos teóricos referentes ao Direito aplicado na Tecnologia da Informação. Capacitar o aluno por meio de conhecimento de direito aplicado na tecnologia da informação. Desenvolver competências para relacionar conhecimentos das áreas do direito e da tecnologia de informação. Discutir aspectos jurídicos aplicados à tecnologia da informação, sociedade e democracia. Conhecer leis Interpretar leis. 1.Sociedade, Tecnologia e Direito. 2.A Sociedade da Informação e o Direito. 3.A ordem Constitucional e os sistemas eletrônicos de informação. 4.Democracia, governo e sistemas eletrônicos da informação. 5.Aspectos jurídicos da tecnologia da informação na seara cível, trabalhista e penal. 6.O Processo eletrônico. 7.O Crime informático. MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor.... DISCIPLINA: Ethical Hacking CARGA HORÁRA: 60 Horas Compreender os aspectos teóricos e práticos sobre invasão de sistemas computacionais. Capacitar o aluno por meio de conhecimento de invasão de sistemas computacional e redes, bem como sistemas para a internet. Desenvolver competências para relacionar conhecimentos das áreas de invasão, deep web, invasão de sistemas operacionais e aplicações para a internet. Discutir sobre as metodologias de invasão do inicio ao fim.

8 Conhecer o mundo underground. Conhecer as principais ferramentas utilizadas para invasão. Entender de forma avançada a internet. Conceitos Iniciais - Limitações e Escopo dos Testes (Prazos e profundidade). - Reconhecimento e Coleta de Informações - Nmap básico e avançado - Deep Web, "Indo aonde o Google não vai" - Engenharia Social com set. - Identificando o alvo - Plano de ataque; - Footprint (fingerprint, banners); - Técnicas de Varreduras; - Bruteforce; - Ataques internos; - Intrusão de sistema - Quebra de proteção - Defacement -Ferramentas disponíveis em Linux - Fuzzing (Ferramentas para testes de softwares). - Testes em HTTP e HTTPS - Scanner de protocolo SCTP - Teste de SSL - Auditoria ASP - Auditoria em BD MySQL - Auditoria em CMS Joomla - Auditoria em CMS Wordpress - Metodo GET, POST - Injeção de XSS, SQL) - Descoberta de diretórios no Servidor Web - Ataques de força bruta em aplicativos Web - XSS Query - URL-Regex - Exploração de vulnerabilidades em Browser - Testando bases de dados MSSQL Utilização de Framework Metasploit - Interação - Metasploit Via console - Usando shell - Usando Metasploit - Invasão direta - Criando payload - Ataque do lado do cliente

9 - Combinando com o Set Invasão de Redes Wireless - Redes Wireless vs. Redes cabeadas - Considerações sobre os testes - Introdução e busca de vulnerabilidades em redes sem fio; - Introdução ao Wi-Fi Hacking e ataques básicos; - Captura de arquivos com senhas; - Geração de Wordlist; - Testando a capacidade do hardware em relação aos tipos de criptografia; - Extraindo as senhas; - Analisador de protocolos; - Nic em modo promiscuo & modo monitor; - Wardriving; - Warchalking; - Modo de monitoração; - Airmon-ng; - Airdump-ng; - Filtros básicos; - Filtros avançados; - Detectando estações; - Capturando IVs; - Capturando Handshakes e senhas; - Decodificando chave WEP; - Chaves WPA - Decodificação com Wordlist; - Atacando com o Aireplay-ng, associando e desassociando; - Fake AP com o airbase-ng - Criando bridge - Airdecap MATERIAL DE APOIO: Artigos e apostila produzida pelo professor.

Curso Pentest Profissional

Curso Pentest Profissional Ementa Oficial do Curso Pentest Profissional Capítulo 01 Introdução Mercado de Segurança da Informação (Pentest) Preparação Entender o cliente Definir o escopo e limitações Janela de testes Contato Responsabilidades

Leia mais

Ementa Completa. Introdução

Ementa Completa. Introdução Ementa Completa Introdução Mercado de Segurança da Informação (Pentest) Preparação Entender o cliente Definir o escopo e limitações Janela de testes Contato Responsabilidades Autorização Non-Disclosure

Leia mais

uma rápida visão CISL 2009 João Eriberto Mota Filho Brasília, DF, 10 de novembro de 2009 Er iberto nov. 09

uma rápida visão CISL 2009 João Eriberto Mota Filho Brasília, DF, 10 de novembro de 2009 Er iberto nov. 09 Forense computacional em Linux for dummies uma rápida visão introdutór ia CISL 2009 João Eriberto Mota Filho Brasília, DF, 10 de novembro de 2009 Sumário O que é forense computacional? Ataques via rede:

Leia mais

Forense Computacional

Forense Computacional Forense Computacional Diego Tavares (PET-Computação) diegot@dsc.ufcg.edu.br Introdução A Forense Computacional pode ser definida como a ciência que estuda a aquisição, preservação, recuperação e análise

Leia mais

Forense Computacional com Software Livre

Forense Computacional com Software Livre Forense Computacional com Software Livre Apresentação Luiz Vieira Construtor 4Linux Consultor de Segurança 16 anos de experiência em TI Pen-Tester, Perito Forense (CHFI) Articulista sobre Segurança de

Leia mais

Sumário. Introdução... 15. 1 Fundamentos e Conceitos das Redes Sem Fio... 17. 2 Autenticação e Criptografia em uma Rede Wi-Fi.. 31

Sumário. Introdução... 15. 1 Fundamentos e Conceitos das Redes Sem Fio... 17. 2 Autenticação e Criptografia em uma Rede Wi-Fi.. 31 Sumário Introdução... 15 1 Fundamentos e Conceitos das Redes Sem Fio... 17 1.1 Padronização do Wi-Fi... 18 1.1.1 Spread Spectrum... 19 1.1.1.1 Frequency Hopping Spread Spectrum (FHSS)... 19 1.1.1.2 Direct-Sequence

Leia mais

Fundamentos de Ethical Hacking EXIN

Fundamentos de Ethical Hacking EXIN Exame Simulado Fundamentos de Ethical Hacking EXIN Edição Augusto 2015 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Proposta Comercial Curso: Ethical Hacking

Proposta Comercial Curso: Ethical Hacking Proposta Comercial Curso: Ethical Hacking Proposta 1307DVPA/2012 A DATA SECURITY LTDA A DATA SECURITY é formada por profissionais com mais de 15 anos no mercado de segurança da informação com âmbito acadêmico

Leia mais

Grampos Digitais Utilizando Software Livre

Grampos Digitais Utilizando Software Livre Grampos Digitais Utilizando Software Livre Ricardo Kléber Martins Galvão, Naris, Superintendência de Informática, UFRN Resumo Na apuração de crimes digitais e, mais especificamente, de crimes praticados

Leia mais

Distribuições em Software Livre para Forense Computacional. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Distribuições em Software Livre para Forense Computacional. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br 1 Distribuições em Software Livre para Forense Computacional gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br 3 Agenda» Perícia Computacional Forense» Análise de vestígios» Etapas de uma perícia Digital»

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

Forense Computacional com Software Livre

Forense Computacional com Software Livre Forense Computacional com Software Livre 2 / 21 Apresentação Luiz Vieira Construtor 4Linux Consultor de Segurança 16 anos de experiência em TI Pen-Tester, Perito Forense (CHFI) Articulista sobre Segurança

Leia mais

2 horas são de ambientação para apresentação do curso, do plano de aula TripleClass e do ambiente de ensino à distância da 4Linux, chamado NetClass.

2 horas são de ambientação para apresentação do curso, do plano de aula TripleClass e do ambiente de ensino à distância da 4Linux, chamado NetClass. Carga Horária A carga horária do curso varia de acordo com a modalidade: Curso presencial: 40 horas Noturno: 2 semanas de segunda a sexta, 4 horas diárias. Diurno: 1 semana de segunda a sexta, 8 horas

Leia mais

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES www.lanuniversity.com.br MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES Preparatório para certificações Mandriva Systems Administrator, Mandriva Network Administrator, e exames do LPI Nível

Leia mais

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos

O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos O projeto Metasploit é um framework que foi criado em 2003 por HD Moore e é uma plataforma que permite a verificação do estado da segurança dos computadores existentes numa determinada rede, permitindo

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Objetivos Detalhar conceitos sobre o sistema operacional Linux; Operar comandos básicos de sistemas Linux em modo Texto; Realizar a manutenção de arquivos

Leia mais

Conteúdo do pacote de 05 cursos hands-on Linux

Conteúdo do pacote de 05 cursos hands-on Linux Conteúdo do pacote de 05 cursos hands-on Linux Linux Básico Linux Intermediário Proxy Squid Firewall Netfilter / Iptables Samba 4 C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on L i n u x 2 Sumário 1 Linux

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

Ricardo Kléber M. Galvão. Novatec

Ricardo Kléber M. Galvão. Novatec Ricardo Kléber M. Galvão Novatec Novatec Editora Ltda. [2013]. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo,

Leia mais

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Windows Server 2012 Virtualização Hyper-v Firewall Pfsense C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on 2 Sumário 1 Conteúdo Windows 2012... 3 2 Conteúdo Virtualização...

Leia mais

SUMÁRIO. Cercando a instituição. 1 Perfil... 7 O que é perfil?... 8 Por que o perfil é necessário?... 9

SUMÁRIO. Cercando a instituição. 1 Perfil... 7 O que é perfil?... 8 Por que o perfil é necessário?... 9 SUMÁRIO Parte I Cercando a instituição Estudo de caso............................................. 2 ETUQDA É tudo uma questão de anonimato........................ 2 A-Tor-mentando as pessoas do bem...............................

Leia mais

FreeBSD. Denis Augusto A. de Souza. Novatec. em suas Mãos

FreeBSD. Denis Augusto A. de Souza. Novatec. em suas Mãos O Poder dos Servidores em suas Mãos Denis Augusto A. de Souza FreeBSD Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...17 Prefácio...18 Como usar este livro...19 Capítulo 1 Instalação...25 1.1 Introdução...25

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

Fundamentos de Administração de Sistemas

Fundamentos de Administração de Sistemas Fundamentos de Administração de Sistemas Este curso tem como objetivo ensinar aos alunos conceitos de administração de um sistema Linux. Isto inclui o gerenciamento de contas de usuários, automação de

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

Treinamento. "Contra defesa cibernética Teoria e Prática" Preparado por: Eduardo Bernuy Lopes Consultor Sênior red.safe ISO 27001 Lead Auditor

Treinamento. Contra defesa cibernética Teoria e Prática Preparado por: Eduardo Bernuy Lopes Consultor Sênior red.safe ISO 27001 Lead Auditor Treinamento "Contra defesa cibernética Teoria e Prática" Preparado por: Eduardo Bernuy Lopes Consultor Sênior red.safe ISO 27001 Lead Auditor 1 Informações do Curso Data: A definir (Em breve); Material

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

Segredos do Hacker Ético

Segredos do Hacker Ético Marcos Flávio Araújo Assunção Segredos do Hacker Ético 2 a Edição Visual Books Sumário Prefácio... 21 Introdução... 23 1 Entendendo o Assunto... 25 1.1 Bem-vindo ao Obscuro Mundo da Segurança Digital...25

Leia mais

COMENTÁRIO PROVA DE INFORMÁTICA SERGIO ALABI LUCCI FILHO www.alabi.net ~ concurso@alabi.net

COMENTÁRIO PROVA DE INFORMÁTICA SERGIO ALABI LUCCI FILHO www.alabi.net ~ concurso@alabi.net COMENTÁRIO PROVA DE INFORMÁTICA SERGIO ALABI LUCCI FILHO www.alabi.net ~ concurso@alabi.net CARGO: TÉCNICO DE CONTROLE EXTERNO ÁREA: APOIO TÉCNICO E ADMINISTRATIVO ESPECIALIDADE: TÉCNICA ADMINISTRATIVA

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Um ambiente seguro de logs como auxilio a computação forense. Leandro Borges Dalton Matsuo Tavares

Um ambiente seguro de logs como auxilio a computação forense. Leandro Borges Dalton Matsuo Tavares Um ambiente seguro de logs como auxilio a computação forense. Leandro Borges Dalton Matsuo Tavares ORGANIZAÇÃO DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução. 2. Aspectos Legais. 3. Aspectos Técnicos. 4. Proposta do ambiente.

Leia mais

Planejamento e Implantação de Servidores

Planejamento e Implantação de Servidores Planejamento e Implantação de Servidores Professor Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Aula 01 - Servidores Abordagem geral Teoria e práticas Servidores Linux Comandos Linux 2 Bibliografias da apoio

Leia mais

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor FTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática FTP: o protocolo de transferência de arquivos transferir arquivo de/para hospedeiro remoto modelo cliente/servidor cliente:

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de

Leia mais

Curso Forense Computacional

Curso Forense Computacional Curso Forense Computacional Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português,

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

Técnicas e ferramentas de ataque. Natiel Cazarotto Chiavegatti

Técnicas e ferramentas de ataque. Natiel Cazarotto Chiavegatti Técnicas e ferramentas de ataque Natiel Cazarotto Chiavegatti Preparação do ambiente Em relação a taques a redes sem fio deve-se ser levado em conta alguns aspectos, sendo que por sua vez devem se analisadas

Leia mais

TRABALHO INTRUSÃO DE REDES

TRABALHO INTRUSÃO DE REDES TRABALHO INTRUSÃO DE REDES Software Metasploit Framework O que é > Metasploit Framework é uma avançada plataforma Open Source, concebida especificamente com o objetivo de reforçar e acelerar o desenvolvimento,

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança ESAF 2008 em Exercícios 37 (APO MPOG 2008) - A segurança da informação tem como objetivo a preservação da a) confidencialidade, interatividade e acessibilidade

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Segurança em Comunicações Protocolos de Segurança VPN 2 1 Comunicações Origem Destino Meio Protocolo 3 Ataques Interceptação Modificação Interrupção Fabricação 4 2 Interceptação

Leia mais

Labgrad. Usúario: Senha: senha

Labgrad. Usúario: <matricula> Senha: senha Suporte A equipe do Suporte é responsável pela gerência da rede do Departamento de Informática, bem como da manutenção dos servidores da mesma, e também é responsável pela monitoria do LabGrad e do LAR.

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Tópicos Motivação; Características; Histórico; Tipos de detecção de intrusão; Detecção de intrusão baseada na rede; Detecção

Leia mais

Daniel Moreno. Novatec

Daniel Moreno. Novatec Daniel Moreno Novatec Novatec Editora Ltda. 2015. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo, sem prévia

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 Etec Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça EE: Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6

ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 ESET NOD32 ANTIVIRUS 6 Microsoft Windows 8 / 7 / Vista / XP / Home Server Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento O ESET NOD32 Antivirus fornece

Leia mais

PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS

PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS ESET Business Solutions 1/7 Vamos supor que você tenha iniciado uma empresa ou que já tenha uma empresa bem estabelecida, há certas coisas que deveria esperar

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Ferramentas GPL para segurança de redes. www.tchelinux.org Palestrante: Vanderlei Pollon

Ferramentas GPL para segurança de redes. www.tchelinux.org Palestrante: Vanderlei Pollon Ferramentas GPL para segurança de redes Palestrante: Vanderlei Pollon 2º Seminário de Software Livre Tchelinux Edição Porto Alegre 01/12/2007 Sobre o palestrante Nome: Vanderlei Pollon Graduação: Matemática

Leia mais

Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI

Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI 1. (CESGRANRIO/Analista BNDES 2008) NÃO é uma boa prática de uma política de segurança: (a). difundir o cuidado com a segurança. (b). definir

Leia mais

Políticas de Segurança de Sistemas

Políticas de Segurança de Sistemas Políticas de Segurança de Sistemas Profs. Hederson Velasco Ramos Henrique Jesus Quintino de Oliveira Estudo de Boletins de Segurança O que é um boletim de segurança? São notificações emitidas pelos fabricantes

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores 1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores A crescente dependência das empresas e organizações modernas a sistemas computacionais interligados em redes e a Internet tornou a proteção adequada

Leia mais

Symantec Endpoint Protection 12.1 Segurança inigualável. Performance superior. Projetado para ambientes virtuais.

Symantec Endpoint Protection 12.1 Segurança inigualável. Performance superior. Projetado para ambientes virtuais. Segurança inigualável. Performance superior. Projetado para ambientes virtuais. Visão Geral Com o poder do Symantec Insight, o Symantec Endpoint Protection é a segurança rápida e poderosa para endpoints.

Leia mais

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1.1 Conceitos básicos de informática e alguns termos usuais 1.2 Geração dos computadores 1.3 Evolução da tecnologia dos computadores 1.4 Sistema de informática 1.5 Tipos

Leia mais

INFORMÁTICA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br

INFORMÁTICA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br INFORMÁTICA RECEITA FEDERAL DO BRASIL MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br P1 P2 P3 MATÉRIAS PORTUGUES INGLES FINANC/ESTATISTICA INFORMATICA CONSTITUCIONAL ADMINISTRATIVO CONTABILIDADE TRIBUTARIO PREVIDENCIARIO

Leia mais

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET lucio@lac.inpe.br Antonio Montes montes@lac.inpe.br Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada Instituto Nacional

Leia mais

Introdução à Forense Computacional. Henrique Ribeiro henrique@gris.dcc.ufrj.br

Introdução à Forense Computacional. Henrique Ribeiro henrique@gris.dcc.ufrj.br Introdução à Forense Computacional Henrique Ribeiro henrique@gris.dcc.ufrj.br Definição Coleta e análise de dados de maneira não tendenciosa e o mais livre de distorção possível, para reconstruir dados

Leia mais

Firewall. Qual a utilidade em instalar um firewall pessoal?

Firewall. Qual a utilidade em instalar um firewall pessoal? Firewall Significado: Firewall em português é o mesmo que parede cortafogo, um tipo de parede, utilizada principalmente em prédios, que contém o fogo em casos de incêndio. O firewall da informática faz

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Sistema Operacional Linux > Configuração de Redes www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução O Linux foi criado por Linus Torvalds em 1991, na época em

Leia mais

Forense. CIn UFPE, 2007

Forense. CIn UFPE, 2007 Forense Digital / Computacional CIn UFPE, 2007 Forense Computacional Agenda Introdução Ciência Forense O que é Ciência Forense, O que NÃO É Ciência Forense Forense Digital / Computacional Etapas de Investigação

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades

Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Treinamento técnico KL 202.10 Treinamento técnico KL 202.10 Kaspersky Endpoint Security e o gerenciamento. Migração e novidades Migração

Leia mais

Aula Exercício Informática

Aula Exercício Informática Aula Exercício Informática Fiscal ESAF 2006 - Curso AprovaSat Curso Aprovação www.cursoaprovacao.com.br PROF. SERGIO ALABI L F 2006 WWW.ALABI.NET CONCURSO@ALABI.NET 1. Os servidores de diretório responsáveis

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL MÉDIO CARGO: Técnico da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Técnico 1 Padrão I (TM13) CADERNO DE PROVAS PROVA DISCURSIVA

Leia mais

Treinamento para Manutenção dos Telecentros

Treinamento para Manutenção dos Telecentros Treinamento para Manutenção dos Telecentros Módulo II :: Utilizando o Linux Básico do Sistema Manoel Campos da Silva Filho Professor do IFTO/Palmas 1 2 Código Aberto/Open Source Programas (softwares/aplicativos)

Leia mais

Distribuição BackBox Linux

Distribuição BackBox Linux Distribuição BackBox Linux Ezequiel Prezotto ¹, Marcelo Kunz¹ ¹Tecnologia em Sistemas para Internet - Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (UFSM/CAFW) Linha 7 de setembro - CEP 98400-000 Frederico

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

PERÍCIA FORENSE COMPUTACIONAL: PROCEDIMENTOS, FERRAMENTAS DISPONÍVEIS E ESTUDO DE CASO

PERÍCIA FORENSE COMPUTACIONAL: PROCEDIMENTOS, FERRAMENTAS DISPONÍVEIS E ESTUDO DE CASO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES PERÍCIA FORENSE COMPUTACIONAL: PROCEDIMENTOS, FERRAMENTAS DISPONÍVEIS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2010 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE INFORMÁTICA

Leia mais

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo (para cada problema, algumas soluções!) Rafael Soares Ferreira Diretor de Resposta a Incidentes e Auditorias rafael@clavis.com.br Conceitos

Leia mais

Questões Potenciais para a Prova Informática Questões Carlos Vianna

Questões Potenciais para a Prova Informática Questões Carlos Vianna 1. Questões Potenciais para a Prova Informática Questões Carlos Vianna 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1.O comando pwd do Linux possibilita ao usuário efetuar

Leia mais

Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259

Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259 Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259 Escola Secundária c/ 3.º Ciclo D. Dinis Ano Lectivo 2008/2009 Grupos Conteúdos Objectivos/Competências

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Microsoft Windows 7 / Vista / XP / 2000 / Home Server. Guia de Inicialização Rápida

Microsoft Windows 7 / Vista / XP / 2000 / Home Server. Guia de Inicialização Rápida Microsoft Windows 7 / Vista / XP / 2000 / Home Server Guia de Inicialização Rápida O ESET Smart Security fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no ThreatSense,

Leia mais

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes.

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes. AccessData BootCamp Forensic Toolkit, FTK Imager, Password Recovery Toolkit and Registry Viewer O curso AccessData BootCamp fornece conhecimento e habilidade necessária para instalar, configurar e o uso

Leia mais

SPoP(Security Point of Presence) com OpenVPN

SPoP(Security Point of Presence) com OpenVPN Objetivo: Montar PoPs usando recursos de VPN(Virtual Private Network) para auxiliar no tráfego seguro de Informações em redes Wireless e usuários em viagem que tenham necessidade de acesso seguro para

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais

ESET SMART SECURITY 7

ESET SMART SECURITY 7 ESET SMART SECURITY 7 Microsoft Windows 8.1 / 8 / 7 / Vista / XP / Home Server 2003 / Home Server 2011 Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes SOBRE A AUTORA Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente participa do grupo

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

Linux. Wagner de Oliveira

Linux. Wagner de Oliveira Linux Wagner de Oliveira Um computador, uma mesa, um usuário. Duas pessoas não podem trabalhar em paralelo, executando o Microsoft Word na mesma máquina, simultaneamente. Windows 2003 Advanced Server +

Leia mais

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso Curso Firewall Sobre o Curso de Firewall Este treinamento visa prover conhecimento sobre a ferramenta de Firewall nativa em qualquer distribuição Linux, o "iptables", através de filtros de pacotes. Este

Leia mais

Proposta de pentest. O pentest realizado vai desde ataques aos servidores até testes na programação das aplicações com tentativas reais de invasão;

Proposta de pentest. O pentest realizado vai desde ataques aos servidores até testes na programação das aplicações com tentativas reais de invasão; initsec Proposta de pentest 1. O que é? Pentest (Penetration Test) é uma avaliação de maneira realista da segurança empregada em aplicações web e infraestruturas de TI no geral. O Pentest constitui da

Leia mais

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Objetivo: Instalar e configurar o sistema operacional Linux CentOS e efetuar suas configurações iniciais. 1- Abra o Virtuabox e clique em novo, e configure conforme

Leia mais

Metodologias pentest. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Metodologias pentest. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Metodologias pentest Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Sumário Metodologias Abordagens existentes Fases de um pentest Principais técnicas Principais ferramentas Aplicações alvo 2 Hacking

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. www.brunoguilhen.com.br 1 INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. www.brunoguilhen.com.br 1 INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

Disciplina: Administração de Redes de Computadores.

Disciplina: Administração de Redes de Computadores. Disciplina: Administração de Redes de Computadores. Abordagem: Segurança Prof. Leandro Meireles 2011.2 Sistema Seguro Confidencialidade Integridade Disponibilidade Porque se preocupar com a segurança?

Leia mais