DELLASUL CURSOS E COLÉGIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DELLASUL CURSOS E COLÉGIO"

Transcrição

1 DELLASUL CURSOS E COLÉGIO REGIMENTO ESCOLAR DELLASUL - EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS 2012

2 REGIMENTO DELLASUL EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS 1- DENOMINAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO DELLASUL CURSOS E COLÉGIO 2- DELLASUL EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A Educação de Jovens e Adultos em Santa Catarina e região de Tubarão estão diretamente ligadas às condições de muitos Jovens e Adultos não conseguir concluir seus estudos em idade adequada. Alguns, por motivos de trabalho ou por motivo de adequação familiar. Este último, suportado pelas mães e pais prematuros, pessoas com necessidades especiais, auxílio na composição da renda familiar (mão de obra), entre outros. Este motivos são propulsores ao DellaSul Cursos e Colégio trabalhar o ensino a distância, ofertando a certificação no ensino fundamental e médio a trabalhadores, empregadas domésticas, trabalhadores de turnos variado, entre muitos outros motivos, em que levaram a muitos estarem fora do banco escolar, além do auxílio na diminuição do Bulling sofrido, quando motivados a cursar em escolas de ensino regular. a) Mantenedora: Nome: DellaSul Cursos e Colégio Razão Social: Iracema Possamai Della Frasson ME C.N.P.J.: / b) DellaSul: Nome Fantasia: DellaSul - Cursos e Colégio Razão Social: Iracema Possamai Della Frasson ME C.N.P.J.: / Endereço: Rua 15 de novembro, 35 Centro. Município: Tubarão - SC CEP: Fone: (48)

3 c) Histórico da Instituição/Cursos: A Instituição de Ensino DellaSul - Cursos e Colégio está situada no município de Tubarão - SC, localizada a rua 15 de novembro, 35 - Bairro Centro, CEP A DellaSul Cursos e Colégio iniciou seus trabalhos no ano de 1995, na prática do Ensino Isolado, conforme decreto de número 1.427/64, Lei 4.394/69 e possui suas atribuições, regidas pelo Estatuto e Regimento Escolar, registro no Cartório de Registro Cíveis de Urussanga SC, Registro N.355, folhas 35aV. do livro N. A-05 em 29/08/1997. A primeira Unidade Escolar de Qualificação Profissional da DellaSul, foi Criada em 1995 na Cidade de Morro da Fumaça, C.N.P.J / Autorização portaria N.421, Registro N da S.E.E. e a partir de 1996 criou sua Sede Administrativa na Cidade de Tubarão Bairro de Oficinas, C.N.P.J / Autorização portaria N. 271, Registro N da S.E.E.. Expandindo neste mesmo ano (1996) para a Cidade de Içara C.N.P.J / Autorização portaria N. 543, Registro N da S.E.E.., em 1997 na Criciúma C.N.P.J / Autorização portaria N. 186, Registro N da S.E.E., em 1998 cria a 2ª Unidade na Cidade de Tubarão Bairro Centro, C.N.P.J / atuando na Qualificação Profissional área de Informática e a partir de 2003, integra novas modalidades de ensino a instituição, a Educação de Jovens e Adultos na modalidade EJA, nos Níveis de Ensino Fundamental e Médio Parecer Nº 219 de 02/09/2003 e Cursos de Educação Profissional de Nível Técnico, com Habilitação na Área de Informática, Parecer Nº 003 de 17/02/2004 e Nível Técnico, na Área de Comercio, com Habilitação Técnico em Vendas, Atendimento e Marketing, Parecer Nº 398 de 16/12/2003. No ano de 2005 credencia a Instituição a Educação de Jovens e Adultos nos Níveis do Ensino Fundamental e Médio na Modalidade a Distância, Parecer N 325 de 22/11/2005, sendo este último em 2007, adequado aos termos da Resolução Nº 61/06/CEE/SC Processo 244/074, Parecer Nº 356 de 20/11/2007. Disponível na região sul a um universo populacional de habitantes, atendendo a uma demanda de 9,61%. Somente em Tubarão neste universo, a um percentual de 5,7%, tendo como aprovado e reconhecido a continuidade dos trabalhos prestados pela Escola DellaSul na região onde atua

4 A DellaSul possui em seu acervo o registro de Direitos Autorais de Número para os cursos em módulos MÉTODO PASSO A PASSO, registrado pela Fundação Biblioteca Nacional/Ministério da Cultura, Lei de 14/12/1973, respectivamente. Seu nome fantasia DellaSul Cursos e Colégio bem como o regido pelas logomarcas está devidamente registrado. A DellaSul Cursos e Colégio fortalece o atendimento na Educação do Ensino Fundamental e Médio na Modalidade a Distância, implantando e atendendo a legislação em vigor, com o atendimento Virtual, através do ambiente DVA DellaSulVirtual de Aprendizagem, Desenvolvido sobre o propósito de facilitador do conteúdo programático através das tecnologias aos alunos matriculados. No Sistema DellaSulVirtual de Aprendizagem o aluno terá acesso as tecnologias através de professores, moderados, tutores contratados com capacitação comprovada e ou submetidos a capacitação, conforme banner divulgado no site a) Capacitação/Pós-Graduação para Professores Para atuar no ambiente DVA - DellaSulVirtual de Aprendizagem somente após Cursado ou estar cursando especialização/pós-graduação em Educação a Distância fornecido pela Universidade Norte do Paraná no Pólo conveniado DellaSul Cursos e Colégio, contrato de parceria assinado em agosto de 2011 entre as partes e aprovado pelo MeC, Link de acesso:http://voceespecialista.unopar.br/cursos/ - Caráter Obrigatório. b) Capacitação em Educação a Distância para Tutores e Administrativo Pedagógico Curso com carga horária nunca inferior a 10 horas, oferecido por profissional capacitado da escola ou contratado, em ambiente virtual Moodle a todos os tutores e administrativo pedagógico contratado em caráter temporário para exercer função no ensino a distância e ou sempre que necessário, servindo de atualização. Link ao FeedBack do Curso.

5 c) Capacitação Comunidade Escolar, Local e Interessados Oferece capacitação virtual em Educação a Distância com carga horária de 20 horas, efetuada em disciplina especial e por competência junto a grade horária dos cursos de graduação oferecida pela parceria Unopar/DellaSul, em fevereiro e julho de cada ano. Servindo também de capacitação e estudos mediador a tutores e moderadores interessados a trabalhar no DellaSulVirtual, devendo submeter-se a capacitação anterior item b obrigatoriamente. Necessidade Social e econômica do Curso DellaSul Virtual A Educação de Jovens e Adultos em Santa Catarina e região de Tubarão estão diretamente ligadas às condições de muitos Jovens e Adultos não conseguir concluir seus estudos em idade adequada. Alguns, por motivos de trabalho ou por motivo de adequação familiar. Este último, suportado pelas mães e pais prematuros, pessoas com necessidades especiais, auxílio na composição da renda familiar (mão de obra), entre outros. Este motivos são propulsores ao DellaSul Cursos e Colégio trabalhar o ensino a distância, ofertando a certificação no ensino fundamental e médio a trabalhadores, empregadas domésticas, trabalhadores de turnos variado, entre muitos outros motivos, em que levaram a muitos estarem fora do banco escolar, além do auxílio na diminuição do Bulling sofrido pro estes, quando motivados a cursar em escolas de ensino regular. Demanda do Curso a Distância DellaSul Virtual de Aprendizagem A DellaSul credenciada desde 22/11/2005 vem atuando no ensino a distância de forma semi-presencial Parecer nª 325, sendo sua adequação conforme legislação aprovada pelo Conselho do Estado em 20/11/2007 aos termos da resolução nº 61/06/CEE/SC Parecer nº 356, disponibilizando a listagem dos alunos formados na modalidade a distância nos últimos 3(três) anos, para consulta. Como fato, busca atingir até final de 2014 a uma demanda de aproximadamente 500 alunos no ensino a distância.

6 Biblioteca Virtual Com objetivo de melhor disponibilizar a consulta, levando-se em conta melhor motivação por parte dos alunos do Ensino Fundamental e Médio a DellaSul disponibiliza um acervo diversificado, tal como: a) Biblioteca Virtual - Convênio com Grupo Positivo Sistema Virtual -???? - Convênio com Unificado Sistema???? b) Biblioteca Física - Acesso pessoal para consulta ao arquivo Foto??? c) Biblioteca Apostilada em PDF - Apostilas em formato PDF para download via ambiente Virtual/Moodle aula a aula, ou seja, todas as aulas presenciais e ou virtuais são efetuadas por auxílio de apostila, conforme grade de horário, ou seja, o aluno poderá fazer o download do material de estudo ou imprimi conforme necessidade. d) Biblioteca da Prova por Conteúdo em PDF - a Unidade Escolar disponibiliza uma prova para cada encontro presencial e virtual, para download do professor. e) Biblioteca do Gabarito PDF - A Unidade Escolar disponibiliza o gabarito das provas efetuadas pelos alunos, disponível ao professor para correção do cartão resposta também acompanhada pelo tutorr. Projeto Político Pedagógico Atendendo as normas da legislação vigente para o Ensino a Distância, a unidade disponibiliza o PPP em Banner no site: para consulta e acompanhamento do aluno e comunidade escolar.

7 Regimento Escolar Atendendo também a normas da legislação a unidade escolar disponibiliza no site: o Regimento Escolar para conhecimento da comunidade em geral. Estrutura Pedagógica A Educação a distância promovida pela DellaSul Cursos e Colégio no Ambiente Virtual é pautada pelo uso das Tecnologias, onde o professor e tutor utilizada o sistema Moodle, dando acesso ilimitado a Fóruns, Chats, Documentários, Página, Rótulo, URL, Laboratório de avaliação, Lição, Pesquisa de Avaliação, Questionários, Carregamentos de arquivos, Atividades Offline, Wiki, Texto On-line, Envios de arquivos, etc para relação entre professores e alunos versus unidade escolar.

8 Estrutura Escolar de Apoio Logístico Computadores, Cds, Gravador de Cds Rom, Tv LCDs, Caixa de som, Microfone, Telão, Fone de ouvido, celular, telefone convencional, impressoras, scanner, etc.. para relação entre alunos e escola/tutores. Estrutura Administrativa - Sala de Direção - Sala de Coordenação - Sala de Tutores - Salas de Aula - Secretaria - Laboratório de Informática - Sala de Estudos em Grupo e Individual. Administração Escolar Direção/Coordenação/Tutores/Professores/Técnicos Estrutura das Salas de Aula Sala de aula com som, acesso a internet por Wi-Fi, computador, Vídeo, Tv-LCD, Telão, quandro branco. Expansão da Unidade Escolar para agosto de 2013 Para melhor atender nossos alunos a unidade escola prevê e esta com contato acertado para construção de sede própria a partir de agosto de 2013, conforme projeto aprovado por comissão própria.

9 Continuidade de Estudos Para melhor atender e dar continuidade nos estudos de nossos alunos a DellaSul possui parceria com a UNOPAR Universidade Norte do Paraná para oferecimento de curso superiores, pós-graduação e cursos livres, pólo credenciado junto ao MEC, 3 FILOSOFIA DA ESCOLA A DELLASUL - EAD, na modalidade Educação de Jovens e Adultos propõe-se a ofertar ao educando: condições para a aquisição e construção do conhecimento, de forma participativa e autônoma; acesso à informação e o desenvolvimento de competências necessárias para sua inserção no mundo do trabalho; desenvolvimento do exercício de sua cidadania ativa, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. 4 FINALIDADE A DELLASUL - EAD tem por finalidade atender a uma proposta pedagógica que desafia o educando, na busca da autonomia intelectual, numa prática constante de ação-reflexão, fornecida para jovens e adultos que não concluíram sua escolaridade em idade própria, respeitando seu tempo e espaço de aprendizagem, bem como suas vivências. O regimento apresenta as normas de convivência e gestão além de orientar as relações profissionais e interpessoais, as sanções e recursos cabíveis, para o corpo diretivo, técnico pedagógico, docente e discente, com o objetivo de aprimorar e articular o trabalho educativo. Essas orientações atendem o disposto na Constituição Federal e Estadual, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei do Sistema Estadual de Ensino e do Estatuto da Criança e do Adolescente, Consolidação das Leis do Trabalho CLT e, o Regimento da DellaSul, nas respectivas órbitas de competência e demais.

10 5 NÍVEIS DE ENSINO A DELLASUL- Educação de Jovens e Adultos, oferece Educação Básica na modalidade Educação de Jovens e Adultos EJA, a saber: I) Ensino Fundamental II Etapa (6ª a 9ª série/fase) ensino a distância II) Ensino Médio ensino a distância 6 OBJETIVOS DO DELLASUL EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS oferecer a Educação Básica nos níveis fundamental e médio, na modalidade Educação de Jovens e Adultos EJA, a Distância; desenvolver processo de educação abrangente transcendendo a Escola além dos seus limites físicos, sociais e culturais específicos e integrando-a no seu contexto social mais abrangente; Contribuir para o desenvolvimento cognitivo e social do educando, por meio de proposta pedagógica que desenvolva a auto-estima, a autonomia, a criatividade, a cooperação e a sensibilidade; desenvolver a cultura empreendedora, o senso de sustentabilidade e de ecossustentabilidade e as noções de responsabilidade social; articular a Escola com a comunidade, vinculando a educação com o trabalho; reconhecer e valorizar a pluralidade cultural como forma de conhecimento e enriquecimento pessoal; garantir o ingresso, a permanência e a aprendizagem para os educando que não tiveram acesso na idade própria, assegurando-lhes oportunidades educacionais apropriadas, valorizando as características de cada um, seus interesses e condições de vida e de trabalho; reconhecer e considerar as vivências pregressas, acadêmicas ou não para a continuidade de estudos; possibilitar ao educando a socialização do conhecimento, aliada à modernização tecnológica, condizente com as exigências da sociedade contemporânea; valorizar o papel do cidadão como agente crítico de transformação social, a partir de valores éticos, sociais e morais.

11 7 OBJETIVOS DA EJA - EDUCAÇÃO BÁSICA - ENSINOS FUNDAMENTAL E MÉDIO/EaD Por meio do trabalho pedagógico, a DELLASUL EJA oportuniza: A construção e a reelaborarão do conhecimento, a partir dos já construídos pelo educando ao longo da vida, de sua cultura e de suas experiências de trabalho; aprender a aprender, possibilitando ao educando ser o gestor de seu processo de aprendizagem, capaz de auto-dirigir e auto-regular este processo, de forma a continuar aprendendo ao longo da vida. o desenvolvimento do senso crítico, da autonomia intelectual e da criatividade; o desenvolvimento dos princípios da ética, da estética, da política e da solidariedade; o desenvolvimento de atitudes empreendedoras; a conscientização das questões que envolvem o meio ambiente, visando atitudes positivas de valorização e conservação do mesmo; o desenvolvimento de habilidades e competências que contribuam para a sua qualificação e requalificação profissional; o desenvolvimento de competências e habilidades que lhe possibilitem o desenvolvimento das relações inter e intrapessoais; acesso ao conhecimento e utilização de novas tecnologias da informação e da comunicação na aprendizagem. 8 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA A Organização Pedagógica da DELLASUL - Educação de Jovens e Adultos, busca atender em sua amplitude a Educação Básica nos níveis de Ensino Fundamental e Médio. O público é formado por jovens e adultos, trabalhadores e seus dependentes e se apresenta como uma opção mais adequada para a continuidade dos estudos. Essa proposta tem sua especificidade metodológica e visa garantir o desenvolvimento do processo de aprendizagem de forma coletiva e individual, com o foco nas inter-relações sociais, considerando a produção, a história e a cultura de cada um. A organização pedagógica prevê o atendimento de alunos com necessidades especiais, nos níveis de ensino ofertados na forma presencial e a distância,

12 tendo a Escola equipada para o atendimento do público em questão. As funções e competências dos cargos que sustentam a ação pedagógica estão apresentadas a seguir, com a discriminação das competências de cada cargo: 8.1 Coordenação de Ensino A DELLASUL para o desenvolvimento dos trabalhos referentes aos serviços de Educação possui uma Coordenação Pedagógica, constituída pela Supervisão Escolar e pela equipe técnica graduada em nível Superior na área de Educação, devidamente habilitada, cujas competências estão relacionadas a seguir: Coordenar as ações pertinentes a Educação de Jovens e Adultos, garantindo a consonância entre as diretrizes estratégicas estabelecidas para os cursos com a Missão e a Visão do Serviço Social da Escola, no aspecto político, financeiro, técnico, pedagógico e administrativo. No exercício de suas funções e competências, poderá a Coordenadora delegar poderes a outros membros da equipe técnica, devidamente qualificados e habilitados, assumindo total responsabilidade pela delegação Diretor de ensino São de competência da Direção de Ensino em conjunto com sua equipe técnica: elaborar Planejamento Estratégico e Plano de Ação Escolar; planejar, orientar, supervisionar e gerenciar as atividades finalísticas da Educação; acompanhar e controlar a execução orçamentária em consonância com os planos, programas e projetos desenvolvidos; avaliar o desempenho e os resultados dos projetos; assessorar a Coordenação fornecendo subsídios para a tomada de decisões quanto às atividades técnicas; elaborar propostas de treinamento e desenvolvimento dos profissionais envolvidos nos projetos, visando o aprimoramento do pessoal técnico, administrativo e docente; relacionar-se com órgãos governamentais, instituições de ensino públicas e privadas e entidades externas, identificando necessidades e buscando propostas de parcerias de aprendizagem;

13 analisar dados estatísticos e gerenciais, que permitam a avaliação dos projetos desenvolvidos; fixar, anualmente, o calendário escolar em conformidade com as orientações emanadas dos órgãos competentes; garantir o exato cumprimento das leis do ensino e das disposições deste Projeto Político Pedagógico; aferir a certificação de conclusão de disciplinas ou cursos na modalidade de educação de jovens e adultos, no nível de Ensino Fundamental e Médio, a todos os alunos que demonstrarem suficiência, de acordo com as normas do Conselho Estadual de Educação; exercer as demais funções decorrentes de sua competência, de acordo com as disposições legais e as normas de ensino aplicáveis Secretária São de competência da Secretária: Organizar o serviço da secretaria, de modo a concentrar nela a documentação pertinente ao DellaSul Educação de Jovens e Adultos; organizar o arquivo da secretaria, de modo a assegurar a preservação dos documentos escolares e atender com rapidez e eficiência a qualquer pedido de informação ou esclarecimento; cumprir e fazer cumprir os despachos e determinações da Coordenação de Ensino e Direção, na esfera de sua competência; expedir toda a correspondência oficial sob sua responsabilidade, submetendo-a à assinatura da Coordenação de Ensino e /ou Direção; trazer em dia a súmula de leis, regulamentos, instruções, circulares e despachos que dizem respeito às atividades escolares; elaborar os relatórios oficiais, encaminhando-os aos órgãos competentes, na época prevista; escriturar os livros, fichas e demais documentos referentes às avaliações e médias dos alunos do Centro; auditar, até o décimo quinto dia útil do mês subseqüente, o Sistema de Registro e Informação Escolar (Sistema Moodle); secretariar reuniões, convocadas pela Coordenação e/ou Direção;

14 aferir, em conjunto com a Direção, a certificação de conclusão de disciplinas ou ursos na modalidade de Educação de Jovens e Adultos, no nível de Ensino Fundamental e Médio, a todos os alunos que demonstrarem suficiência, de acordo com as normas do Conselho Estadual de Educação e deste PPP; exercer as demais funções decorrentes de sua competência, de acordo com as disposições legais e as normas de ensino aplicáveis Gestor de serviços educacional São competências do(a) Gestor de Serviços de Educacional: conhecer as diretrizes emanadas do Planejamento Estratégico da DellaSul para a Educação de Jovens e Adultos, visando garantir o desenvolvimento do trabalho com qualidade política, técnica e administrativa; definir metas de atendimento, realizar previsão orçamentária e elaborar plano de ação para a operacionalização da DellaSul Educação de Jovens e Adultos na sua Unidade Regional; elaborar Plano de Ação Anual, contemplando as diversas atividades a serem desenvolvidas ao longo do ano; mobilizar parceiros para o desenvolvimento da DellaSul Educação de Jovens e Adultos por meio da assinatura de Termos de Compromisso, Termos de Comodato e/ou Contratos, conforme modelos padrão fornecidos pela Direção de Ensino; providenciar a captação de professores para atuarem na DellaSul Educação de Jovens e Adultos, de acordo com os processos pertinentes; realizar avaliação sistemática das parcerias estabelecidas para aprimorar o trabalho desenvolvido na DellaSul Educação de Jovens e Adultos; desenvolver ações administrativas relativas a DellaSul Educação de Jovens e Adultos para sua operacionalização; levantar e avaliar indicadores sociais referentes a DellaSul Educação de Jovens e Adultos para avaliar sua eficiência, eficácia, efetividade e relevância social; organizar eventos para divulgação da DellaSul Educação de Jovens e Adultos, seus objetivos, metas e resultados alcançados para demonstração de alcance social; representar a DellaSul em movimentos interinstitucionais (Conselhos Municipais de

15 Educação e/ou Fóruns de Educação de Jovens e Adultos) para acompanhar os assuntos pertinentes; assinar declarações escolares pertinentes, conforme modelos padrão fornecidos pela Coordenadoria de Educação Orientação Educacional São competências do(a) Orientação de Educacional: Promover a capacitação dos professores para atuarem na DellaSul Educação de Jovens e Adultos, de acordo com a proposta de Oficina Pedagógica; tomar as devidas providências para a estruturação dos ambientes de aprendizagem onde será desenvolvido na DellaSul Educação de Jovens e Adultos; organizar, coordenar e avaliar reuniões pedagógicas para assegurar os princípios e metodologias na DellaSul Educação de Jovens e Adultos; realizar supervisão técnica mensal, in loco, para acompanhamento, avaliação e orientação do trabalho do professor que atua na DellaSul Educação de Jovens e Adultos; acompanhar dados estatísticos mensais para a elaboração de relatórios estatísticos destinados ao acompanhamento da DellaSul Educação de Jovens e Adultos; realizar o acompanhamento dos alunos matriculados na DellaSul Educação de Jovens e Adultos para assegurar seu acesso, permanência e conclusão; analisar e decidir quanto às questões relacionadas com a mudança de horários e de alterações de atividades curriculares; cumprir o calendário escolar emanado pela Coordenadoria de Educação Estadual; assinar declarações escolares pertinentes, conforme modelos padrão fornecidos pela Coordenadoria de Educação; adequar as normas vigentes à realidade local quanto a: calendário, matrícula, distribuição da carga horária, aplicação de técnicas didático-pedagógicas, planejamento de ensino, utilização de recursos didático-pedagógicos, experiências didático-pedagógicas, integração das disciplinas; exercer atividades permanentes de diagnóstico, acompanhamento e avaliação do processo ensino e de aprendizagem dos alunos;

16 orientar a equipe docente, quanto ao cumprimento dos Planos de Estudos da Educação Presencial e a Distância; participar de reuniões técnicas promovidas pela Coordenadoria de Educação para manter a consonância entre as diretrizes estratégicas da DellaSul e as ações desenvolvidas na operacionalização da DellaSul Educação de Jovens e Adultos; analisar e decidir quanto às questões relacionadas com a mudança de horários e de alterações de atividades curriculares; cumprir o calendário escolar emanado pela Coordenadoria de Educação Estadual; assessorar o Gestor de Serviços de Educação na proposta de celebração de convênios, a fim de assegurar o cumprimento das normas vigentes relacionadas com a vida escolar dos alunos envolvidos; exercer as demais funções decorrentes de sua competência, de acordo com as disposições legais e as normas de ensino aplicáveis Mobilizador Escolar/Supervisão Escolar São competências do(a) Mobilizador Escolar/Supervisão Escolar: Planejar e implementar ações que visem arregimentar alunos interessados para se matricularem e permanecerem na DellaSul Educação de Jovens e Adultos; divulgar os cursos da educação de jovens e adultos para o público alvo; mobilizar matricula nos cursos da educação de jovens e adultos; implementar as diretrizes afetadas à política de permanência do aluno nos cursos educação de jovens e adultos; coletar os documentos necessários para a efetivação das matrículas nos cursos de educação de jovens; trabalhar articuladamente com a equipe da área educacional (gestor (a), supervisor (a), secretário escolar e auxiliares de apoio a gestão); auxiliar na execução do plano de atividades em assuntos da sua área de atuação Tutor escolar São competências do Tutor Escolar: Apoiar o Docente em sua atividade escolar, dando suporte didático as aulas;

17 Organizar o serviço de secretaria e professor na Unidade Escolar, de modo a concentrar nela ou encaminhar para a coordenação estadual toda a escrituração escolar da DellaSul Educação de Jovens e Adultos; organizar o arquivo da secretaria na Unidade Operativa, de modo a assegurar a preservação dos documentos escolares e atender com rapidez e eficiência a qualquer pedido de informação ou esclarecimento; cumprir e fazer cumprir os despachos e determinações do Gestor de Serviços de Educação e Coordenação Estadual na esfera de sua competência; expedir toda a correspondência oficial sob sua responsabilidade, submetendo-a à assinatura do Gestor de Serviços Educacional.; trazer em dia a súmula de leis, regulamentos, instruções, circulares e despachos que dizem respeito às atividades escolares; elaborar os relatórios oficiais, encaminhando-os aos órgãos competentes, na época prevista; escriturar os livros, fichas e demais documentos referentes às avaliações e médias dos alunos da Unidade; atualizar, até o quinto dia útil do mês subseqüente, o Sistema de Registro e Informação Escolar (Sistema Moodle); assinar declarações escolares pertinentes, conforme modelos padrão fornecidos pela Coordenação Escolar, na ausência do Gestor de Serviços Educacional; secretariar reuniões, convocadas Gestor de Serviços e Educação; responsabilizar-se pela matrícula e/ou inscrição dos alunos; exercer as demais funções decorrentes de sua competência, de acordo com as disposições legais e as normas de ensino aplicáveis; cadastrar e matricular os alunos no Ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem - DVA; organizar as turmas nas salas de aula virtuais e vincular aos professores das disciplinas Corpo docente O corpo docente será constituído de profissionais qualificados devidamente habilitados na forma da legislação específica aplicável e nas normas baixadas pelos órgãos competentes.

18 São competências do Corpo Docente: Entregar à Unidade Operativa todos os documentos necessários para o exercício da profissão, sempre que exigidos; cumprir os horários, calendário e cronograma escolar; desempenhar com eficiência e eficácia suas funções; comparecer na Unidade Operativa nos horários previstos, comunicando com antecedência as faltas que por ventura esteja sujeito; intermediar o processo de aprendizagem em EAD via plataforma de Moodle, conduzindo as atividades relacionadas à sua disciplina, por meio dos diferentes recursos mediáticos disponíveis em ambientes virtuais de aprendizagem; realizar avaliação permanente das atividades planejadas e desenvolvidas na forma presencial e a distância, para melhoria contínua; estimular, motivar e orientar os alunos, dando-lhes suporte técnico e didático em relação a compreensão e adaptação a esta modalidade de ensino; ter domínio e usar os recursos e meios tecnológicos de comunicação disponíveis para as interações com os alunos no Curso (computador, plataforma de gestão de EAD, , Internet e outros); organizar os eventos presenciais relacionados a sua disciplina; elaborar o plano de ensino da disciplina, em conformidade com a proposta pedagógica que atua (presencial ou EaD) entregando-o à Supervisão no início da disciplina; elaborar planejamento das aulas, considerando proposta pedagógica que atua (presencial ou EaD) para garantir a sistematização do processo pedagógico, deixando-o à disposição da Supervisão sempre que lhe for solicitado; preencher corretamente a ficha de freqüência para acompanhamento da clientela atendida e consolidação dos dados estatísticos mensais; responsabilizar-se pelo bom funcionamento das aulas, conforme metodologia de ensino exercida; requisitar material de ensino-aprendizagem necessário ao desenvolvimento das atividades pedagógicas, conforme previsão orçamentária da Unidade Operativa, para assegurar a qualidade do trabalho pedagógico; utilizar-se do acervo bibliográfico, das dependências e instalações da Unidade Operativa; observar e avaliar as atividades desenvolvidas com os alunos e o cumprimento das

19 normas previstas no Projeto Político Pedagógico; promover, elaborar e realizar as atividades de avaliação e de recuperação paralela; registrar mensalmente o desempenho dos alunos no formulário de acompanhamento, conforme modelo padrão fornecido pela Coordenadoria de Educação; entregar à Secretaria, até o segundo dia útil do mês subseqüente, as notas correspondentes ao aproveitamento dos alunos; comparecer às reuniões pedagógicas, encontros, seminários e outros eventos para os quais for convocado, apresentando justificativa no caso de impossibilidade de comparecimento; procurar atualização constante, realizando e solicitando estudos e pesquisas em seu campo de atuação; participar de cursos de aperfeiçoamento programados pela Coordenação Pedagógica; manter com os colegas espírito de colaboração e solidariedade, indispensável à eficiência da práxis educativa; colaborar na organização e na execução dos trabalhos complementares de caráter cívico, cultural e recreativo; opinar sobre programas curriculares e sua execução, técnicas e métodos utilizados; propor à Supervisão medidas que objetivem o aprimoramento de métodos de ensino, de avaliação, de administração e de disciplina; zelar pela segurança das provas e gabaritos disponibilizados para o seu uso; gerenciar o Banco de Questões de sua disciplina, disponível no Ambiente Virtual de Aprendizagem; zelar pela conservação e manutenção das instalações, equipamentos e mobiliários. Aos docentes que, pela inobservância de suas atribuições e, conforme a gravidade ou reiteração das faltas será aplicada advertência reservada, oral ou escrita, pelo Gestor de Serviços de Educacional Corpo discente O corpo discente será constituído por jovens e adultos com nível de escolaridade Fundamental e/ou Médio incompleto, regularmente matriculado nos cursos

20 previstos. A matrícula está condicionada aos critérios estabelecidos na legislação vigente e neste Projeto Político-Pedagógico. São de direito e de competência do discente: Igualdade de condições para o acesso e permanência na Unidade Operativa; tomar conhecimento das disposições referentes às normas de funcionamento da escola registradas neste documento; entregar à Secretaria Escolar todos os documentos necessários para a efetivação da sua matrícula, sempre que exigidos; receber informações sobre os diversos serviços oferecidos pela Unidade Escolar; tomar conhecimento de seu rendimento escolar e de sua freqüência, através do registro avaliativo; requerer transferência ou cancelamento de matrícula por si, quando maior de idade, ou através do pai ou responsável, quando menor; apresentar sugestões relativas aos conteúdos programáticos desenvolvidos pelo professor, no processo ensino-aprendizagem; reivindicar o cumprimento da carga horária prevista na grade curricular; discutir com a supervisão os problemas, as dificuldades e os relacionamentos do processo ensino-aprendizagem, propondo soluções; manter a frequência às aulas de acordo com o exigido na proposta pedagógica em que estiver matriculado; fazer uso dos serviços e dependências escolares de acordo com as normas estabelecidas neste PPP; zelar pela limpeza e conservação das instalações, dependências, material, utensílios e equipamentos, indenizando os prejuízos que por ventura causar; possuir todo o material didático individual necessário, apresentando-o quando solicitado; ter domínio e usar os recursos e meios tecnológicos de comunicação disponíveis para as interações no Ambiente Virtual de Aprendizagem DVA, se aluno da modalidade de EaD. acompanhar seu desempenho, com base em dados estatísticos, disponível no Ambiente Virtual de aprendizagem DVA, se aluno da modalidade de EaD. Aos alunos que, pela inobservância de suas atribuições e, conforme a

21 gravidade ou reiteração das faltas será aplicada advertência reservada, oral ou escrita, pela Supervisão Educacional. São vedadas as sanções e penalidades que atentarem contra a dignidade pessoal, contra a sanidade física e mental ou que prejudicarem o processo formativo. 8.2 Conselho de Classe O Conselho de Classe é instância deliberativa integrante da estrutura educacional e tem sob sua responsabilidade: I - a avaliação do processo ensino aprendizagem desenvolvido pela escola e a proposição de ações para a sua melhoria; II - a avaliação da prática docente, no que se refere à metodologia, aos conteúdos programáticos e à totalidade das atividades pedagógicas realizadas. III - a avaliação dos envolvidos no trabalho educativo e a proposição de ações para a superação das dificuldades; IV - a avaliação das condições físicas, materiais e de gestão dos estabelecimentos de ensino que substanciam o processo ensino aprendizagem. V - a definição de critérios para a avaliação e sua revisão, quando necessária; VI - apreciar, em caráter deliberativo, os resultados das avaliações dos alunos apresentados individualmente pelos professores; VII - decidir pela aprovação ou não aprovação dos alunos. O Conselho de Classe reunir-se-á regularmente em época prevista no calendário escolar e, extraordinariamente, quando convocado pelo Gestor de Serviços de Educação ou, ainda, por solicitação de um terço de seus membros. O Conselho de Classe é constituído pelo Gestor de Serviços de Educação, Supervisor de Educação, Secretário Escolar e equipe docente. Visa oportunizar aos educadores, educandos e equipe pedagógica, espaço para avaliação, reflexão e análise do processo educativo, assim como reorganização de estratégias de aprendizagem e decisões que entornem o desempenho dos educandos. A presidência do Conselho de Classe é do Gestor de Serviços de Educação da UOP podendo ser delegada a qualquer outro membro do colegiado. Poderão ser convidados ou convocados representantes discentes para

22 participar das reuniões de Conselho de Classe. e Classe. Cumpre à Direção divulgar à comunidade escolar as decisões do Conselho 9 ORDENAMENTO DO SISTEMA ESCOLAR 9.1 Projeto Político Pedagógico O Projeto Político-Pedagógico é o documento que, elaborado com a participação da comunidade escolar, sob a coordenação do Supervisor de Educação, em consonância com o Gestor de Serviços de Educação e o Conselho Consultivo, norteia as práticas educativas desenvolvidas na escola, expressando seus princípios, valores e objetivos, em termos de educação, conhecimento, metodologia e avaliação, sendo homologado pela Mantenedora. 9.2 Planos de Estudo Pedagógico. Os Planos de Estudo são elaborados em consonância com o Projeto Político 9.3 Plano Global da Escola A Escola elabora o seu Plano Global (Plano de Ação Anual) em consonância com o Projeto Político Pedagógico e os objetivos desse Regimento. O documento contempla a operacionalização das atividades previstas da escola, a partir do calendário escolar, em consonância com os objetivos do estabelecimento de ensino e a legislação em vigor ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 10.1 Regime Escolar por disciplinas A Escola adota o regime de matrícula por módulos de estudo, organizado

23 10.2 Currículo Escolar A organização curricular proposta pela DellaSul Educação de Jovens e Adultos assegura a possibilidade dos alunos prosseguirem os estudos, e é constituído pelos componentes curriculares da Base Nacional Comum. A estruturação do currículo para Educação de Jovens e Adultos, na modalidade a Distância, dispõe do ambiente virtual de aprendizagem (DVA) DVA, que permite promover os processos de ensino e de aprendizagem via web. 11 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO 11.1 Estrutura do Ensino Fundamental Ensino Fundamental (6ª a 9ª série/fase) O Ensino Fundamental se organiza em quatro fases, são subdivididas em áreas do conhecimento/componentes curriculares, os quais são trabalhados por meio de temas, conforme descrição no Projeto Político Pedagógico Estrutura do Ensino Médio O Ensino Médio foi organizado em 3 séries/fases de ensino que são subdivididas em áreas do conhecimento/componentes curriculares, os quais são trabalhados por meio de temas, conforme descrição no Projeto Político Pedagógico. 12 PROCESSO AVALIATIVO A DellaSul Educação de Jovens e Adultos concebe a avaliação como um elemento do processo ensino aprendizagem, que deve oferecer subsídios necessários para o encaminhamento de novas ações que estimulem a aprendizagem do aluno, amplie seu potencial, oportunizando o seu permanente crescimento, promovendo-o como cidadão. A avaliação da aprendizagem, como um recurso pedagógico inclusivo e dinâmico, deve prever as adequações curriculares e contemplar a verificação de competência e aprendizagem de conhecimentos em atividades presenciais, extra classe e

24 a distância, incluídos os procedimentos próprios de recuperação paralela, não restringindo-se apenas à aplicação de provas escritas Sistema de Avaliação Escolar O sistema de avaliação escolar, na modalidade Presencial e a Distância, deve estar em consonância com a legislação vigente e com o processo de ensino e de aprendizagem, é um dos elementos desse processo, indicador do replanejamento e da constante reflexão sobre o processo pedagógico. Para o registro mais qualitativo, resultante do diagnóstico e do acompanhamento permanente do aluno e, garantir a consonância entre a concepção e a prática pedagógica, a DellaSul - Educação de Jovens e Adultos adota a organização de Portfólios de Avaliação, que se configura em uma pasta para arquivamento periódico das notas de produções individuais dos alunos e de produções coletivas escolhidas pelos pelo professor em ambiente presencial e virtual Avaliação do educando A avaliação do aproveitamento do educando é realizada através das funções diagnóstica, formativa/reguladora e somativa. a. A função diagnóstica visa detectar competências e habilidades, informando sobre os conhecimentos prévios/capacidades frente a um novo conteúdo ou aprendizagem, fornecendo subsídios para o planejamento. b. A função formativa/ reguladora tem o objetivo de adaptar o ensino às necessidades, fornecendo elementos para intervenções ajustadas às situações. c. A função somativa refere-se à identificação do grau de domínio de alguns objetivos propostos, possibilitando a emissão de um juízo em relação ao aluno e seus progressos em diferentes etapas do processo de ensino e de aprendizagem Avaliação por disciplina No ensino a distância cada disciplina deve conter no mínimo 2 (duas) avaliações presenciais, 2 (duas) avaliações a distância, bem como atividades de autoavaliação ao longo de todo o processo de ensino e aprendizagem.

25 O peso das avaliações presenciais devem ser superiores as avaliações à distância, conforme quadro abaixo. Tipo de avaliação Peso na média final Avaliação presencial 80% Avaliação à distância 20% Média final 100% As notas, atribuídas na forma prevista, serão registradas pelo professor no formulário/histórico escolar individual de acompanhamento do aluno na respectiva disciplina, e depois postado pelo próprio professor no ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem DVA para conhecimento do aluno, nunca superior a uma semana. Sendo que, sempre que solicitado o professor deverá postar um feedback do cartão resposta, principalmente em caso de conclusão de disciplina. Após entregar histórico escolar a secretária escolar da DellaSul - Educação de Jovens e Adultos que registrará no Sistema de Registro e Informação Escolar Administrativo DellaSul, desenvolvido especialmente para o DellaSul Educação de Jovens e Adultos e arquivará o formulário. O aluno que eliminou disciplinas da Educação Básica referente aos estudos realizados no ensino regular ou na modalidade de Educação de Jovens e Adultos, terá essas notas e/ou conceitos transferidos para seu formulário de acompanhamento e para o Sistema de Registro e Informação Escolar Administrativo DellaSul. Para os alunos com necessidades educativas especiais que em virtude de suas deficiências ou transtornos não puderem atingir os níveis exigidos para a conclusão da Educação Básica no nível Fundamental ou Médio, a equipe pedagógica, fará o acompanhamento do seu processo de aprendizagem, observando as adequações curriculares previstas no Parecer 17/2001 e na Resolução 02/ Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica da CEB/CNE, e, na Resolução 112/06 CEE/SC que Fixa normas para Educação Especial no Sistema Estadual de Educação de SC. Essas adequações curriculares referem-se à: Temporalidade: o ajuste de permanência do aluno na mesma disciplina e o conseqüente prolongamento do curso; Avaliação do aluno em processo: oferecimento de instrumentos e procedimentos adequados que atendam sua necessidade; e

26 Terminalidade Específica: oferecimento da certificação com relato descritivo das competências desenvolvidas pelo aluno, durante sua permanência na educação básica Aprovação Para aprovação, o aluno matriculado no curso da EJA, Educação Básica Ensino Fundamental ou Ensino Médio a Distância deverá obter aproveitamento igual ou superior 70% - nota 7,0 (sete) em cada disciplina e cumprir o critério de no mínimo 75% de freqüência nos encontros presenciais. A aprovação do aluno com necessidades educativas especiais, que não atingir o nível exigido para a conclusão da Educação Básica, nível Fundamental ou Médio, implica no acompanhamento do seu processo de aprendizagem, pela equipe pedagógica, observando as adequações curriculares previstas na legislação e neste PPP. 13 ESTRUTURA DE APOIO PEDAGÓGICO 13.1 Ambientes de apoio pedagógico: A instituição oferece estrutura física e administrativo-pedagógica adequada para a realização do Curso da EJA, DellaSul - Educação de Jovens e Adultos, tanto presencial quanto a distância, bem como, profissionais habilitados e capacitados para o exercício de suas funções com devida valorização Biblioteca 1- As pesquisas poderão ser realizadas nos livros e / ou na Internet; 2- O professor deverá agendar, informando a bibliografia a ser utilizadas e acompanhar as turmas que serão levadas à biblioteca para pesquisa na elaboração de trabalhos; 3- A impressão é restrita aos trabalhos da Escola; 4- O uso dos computadores é restrito aos alunos da Escola 5- Para pesquisa individual dos alunos, será anotado sua freqüência e conteúdo a ser pesquisado na internet.

27 Laboratório Experimentoteca O Laboratório Didático Móvel Experimentoteca polivalente têm o objetivo de criar melhores condições para o ensino prático de ciências, atendendo particularmente as disciplinas de Ciências, Física, Química e Biologia. Podendo também servir de suporte em atividades práticas em outras disciplinas. Foi projetado numa configuração versátil, dinâmica, à qual permite utilizá-lo como uma verdadeira estação móvel de trabalho. Com ele, diferentes ambientes poderão usá-los, atendendo a locais apropriados ao desenvolvimento de aulas práticas ou soluções tecnológicas. Assim, na sala de aula ou em outro ambiente, poderá ser utilizados como sala-laboratório ou laboratório sem paredes, bastando para isso que se conduza para lá o Laboratório Didático Móvel, de acordo com o planejamento de aula e cronograma do professor. Há a disponibilidade de um Laboratório Didático Móvel com os materiais e equipamentos adequados, efetuados em parceria firmada em 29/10/2002 entre a DellaSul e o Sincres/SC Centro Integrado de Ciências da Região Sul de Santa Catarina, Fundado em 17/12/ Laboratório de Informática O Laboratório de Informática na DellaSul - Educação de Jovens e Adultos é usado para o aproveitamento de estudos, como um diferencial no processo de ensino e de aprendizagem. A utilização das ferramentas: computador, impressora, CD-ROM, Internet,, etc... são instrumentos de pesquisa, interação com a rede digital, onde propicia familiaridade com a tecnologia, auxilia jovens e adultos na renovação de competências para a inserção no mercado de trabalho e ampliam seus horizontes de informação e cultura. A DellaSul disponibiliza cursos de Informática básica e avançada no sistema passo a passo gratuito, para aperfeiçoamentos e melhor contato com produção de Textos, conhecimentos da matemática aplicada e interatividade com a lógica educacional. Em cada Unidade Operativa da DellaSul - Educação de Jovens e Adultos haverá disponibilidade de um Laboratório que conta com 12 (doze) computadores, com fones de ouvido, um scanner, uma impressora multifuncional com acesso à Internet.

28 13.2 Materiais Pedagógicos Material instrucional O material instrucional, do Curso da EJA, Educação Básica nível fundamental e médio, modalidade a Distância, é um recurso pedagógico-administrativo utilizado para a comunicação, por professores e alunos, no decorrer do processo educacional desenvolvido pela DellaSul - Educação de Jovens e Adultos. Está constituído em Guia de Estudo, Guia do Curso, Guia do Professor e Guia do Aluno Material Didático O material didático impresso utilizado pela DellaSul Educação de Jovens e Adultos - Educação Básica, níveis fundamental e médio, são disponibilizados no ambiente virtual Moodle, que engloba apostila desenvolvidas encontro a encontro, ou seja, para cada encontro presencial e virtual haverá uma apostila com índice de estudos, tendo como estrutura: - índice do conteúdo programática do encontro; - conteúdo programático do encontro; - exercícios resolvidos sobre o conteúdo programática do encontro; - atividades sobre o conteúdo programático e exercícios resolvidos; - prova sobre o conteúdo estudado - gabarito da prova efetuado x cartão resposta, disponibilizada em linguagem WEB. Além do material impresso e o DVA que disponibiliza o material didático em formato digital com objetos de aprendizagem multimídias (vídeos, animações, simulações, etc.), links para conteúdos relacionados, são possibilitados, também, contatos com outros materiais, meios e recursos tecnológicos, tais como: livros, revistas, jornais, textos diversos, filme em DVD, CD-ROM, softwares educativos, Internet. Serão disponibilizados no DellaSulVirtual de Aprendizagem DVA e Portal DellaSul ambiente virtual de comunicação para equipe docente e técnica. Material digital: CD-ROMs e os cadernos pedagógicos para o professor e para o aluno. Equipamentos tais como: DVD, televisão, vídeos, computador, scanner, impressora e máquina fotográfica digital. Guias do docente por disciplina/nível de ensino/dva

29 13.4 DellaSulVirtual de Aprendizagem DVA O Ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem - DVA se caracteriza pela presença digital virtual dos sujeitos envolvidos no processo educativo, que combinam funcionalidades relacionadas à disseminação, produção, armazenamento e recuperação de informações; possibilitam comunicação e interação síncrona e assíncrona entre sujeitos; suportam o desenvolvimento de trabalhos colaborativos e cooperativos; auxiliam na organização do processo de aprendizagem em nível individual e coletivo, à gestão dos processos de ensino, aprendizagem e do próprio ambiente. No contexto da DellaSulVirtual o ambiente virtual esta preparado para o efetuar e acompanhar os estudos, através do sistema Moodle, tendo na página a esquerda os Menus: - Menu Principal ; - Navegação ; - Configurações Acesse ao Ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem Com o propósito de facilitar e auxiliar no uso do ambiente de aprendizagem, a DellaSul utilizará a metodologia passo a passo em seus manuais e tutoriais, como segue: Faça acesse o site DellaSul:

30 Clique Observe no ambiente virtual que uma janela irá se abrir apresentando o ambiente DVA Clique Comentário Clique Digite Comentário Observação na opção Bem-vindos, Acessar aqui!, canto superior direito Ao aluno, professores, tutores e administrativo pedagógico será disponibilizado Senha e Login de acesso ao sistema de DellaSulVirtual de Aprendizagem - DVA, podendo a partir deste acessar todas as atividades e compromissos escolares. na opção Nome de usuário da janela Retornando a este site? o Nome de usuário e Senha fornecida pela escola. o Nome de usuário e Senha, serão fornecidos pela escola depois de atendido as exigências pedagógico administrativa. o Nome de usuário tem o formato ) Numero de matrícula do aluno, exemplo: para professores, tutores e administrativo pedagógico, será primeiro nome ou abreviações

31 Comentário Após digitar sua senha e login você acessará a página oficial do DellaSulVirtual de Aprendizagem DVA, bem vindo a sua área de acompanhamento virtual DellaSul Acesso o curso no Ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem - DVA No ambiente virtual o usuário terá acesso ao curso, bastando clicar sobre o curso do semestre em que estiver matriculado, como exemplo: Clique Comentário na opção 1ª Série do Ensino Médio observe que irá se abrir a janela abaixo:

32 Acesso as disciplinas no Ambiente DellaSulVirtual de Aprendizagem - DVA O procedimento anterior também é utilizado para acesso às disciplinas em que o aluno estiver matriculado, como exemplo no ensino fundamental, a janela abaixo para a 6ª série. Clique Comentário na opção Home Page, localizada acima do Menu Principal a janela de opção as disciplinas do fundamental irá se abrir: Retornando ao curso do Ensino Médio, vamos imaginar que você é aluno matriculado na disciplina de Física da 1ª Série, siga os passos: Faça Clique Clique Observe clique em Home Page, localizada acima do Menu Principal na opção 1ª Série do Ensino Médio na disciplina de Física 1ª Série o ambiente virtual esta preparado para você efetuar e acompanhar seus estudos, citando na página a esquerda os Menus: - Menu Principal ; - Navegação ; - Configurações. Comentário para acompanhar os trabalhos da disciplina você irá utilizar o campo central programação

33 Neste item o tutor irá disponibilizar a programação da disciplina para o semestre, podendo incluir Fórum de notícias (servirá para você conhecer as normatizações das disciplinas e dando acesso a você discutir), Questionários, Pesquisa, etc... outros recursos necessários a procedimentos escolares. No item Unidade 01, 02 e 03 da Física, conforme itens abaixo: O tutor disponibiliza novamente um Fórum (agora específico ao item da matéria estudada, considerando a ementa especificamente, onde você irá discutir e aprofundar a distância o conteúdo proposto na aula presencial, fazendo o download do livro/apostila, analisando os exercícios e resolvendo as atividades propostas. Neste caso, específico da disciplina de física, o aluno alem do Fórum e apostila, terá acesso a um Feedback da avaliação realização na aula presencial por unidade individualizadas (Unidade 01, Unidade 02 e Unidade 03), podendo o tutor utilizar-se de outros recursos virtuais para fundamentar o conteúdo a distância, através de atividades específicas, tais como apresentado na janela abaixo:

34 Sabendo-se que o Sistema Virtual de Aprendizagem DVA, avalia o aluno na participação nos Fóruns, postagens de atividades, ou seja, é obrigatória a participação do aluno no sistema virtual, para compor sua nota de aprovação na disciplina. Sendo que a Unidade 04 - Virtual, conforme Fórum específico desta disciplina, o aluno deverá estudar a ementa proposta, de forma virtual (à distância) fazendo o download da apostila, resolvendo os exercícios e atividades propostas, baixar a prova da unidade 04, resolve-la e posta-la contendo a assinatura idêntica a seu RG, constante nos documentos entregues no ato da matrícula, para posterior entregá-la pessoalmente na escola, ou enviá-la por correio no endereço da Unidade Escolar: Rua 15 de novembro 35, centro Tubarão (SC), CEP Após receber o download da prova virtual efetuada aluno, o tutor proceda à correção e postando na mesma unidade um Feedback da correção. Sendo que, o aluno receberá a informação de aprovação na disciplina somente após a escola receber a Prova Virtual com a assinatura original do aluno. Desta forma o ambiente virtual de aprendizagem DVA esta acondicionado a dar o suporte necessário ao professores, tutores e administrativo pedagógico para um relacionamento com o aluno e ao mesmo tempo submeter-se as Tecnologias TICs, solicitadas na legislação. a) No ambiente de Aprendizagem Fóruns, Chats, Documentários, Página, Rótulo, URL, Laboratório de avaliação,

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Cacoal RO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados NORMATIZAÇÃO ADMINISTRATIVA, DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NOS CURSOS TÉCNICOS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem...

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 08 Edição do Perfil... 10 Ambiente Colaborar... 11 Iniciando

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ UNIFEG

REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ UNIFEG REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL GUAXUPÉ UNIFEG CAPÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES E DOS OBJETIVOS. Art. 1º - A Educação a Distância EaD é uma modalidade

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

FAQ Estude Sem Dúvidas

FAQ Estude Sem Dúvidas FAQ Estude Sem Dúvidas Núcleo de Educação a Distância Faculdade Flamingo São Paulo Atualizado em: Outubro/2015 2 Estude sem dúvidas FAQ para os alunos de Pedagogia Presencial Caros alunos e alunas do curso

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

Guia do aluno Informações Básicas

Guia do aluno Informações Básicas Guia do aluno Informações Básicas Pensando no processo de aproximação entre você e as tecnologias digitais que assegurarão um bom desempenho, criamos este guia com dicas para que você saiba como começar

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Educação Técnica e Tecnológica Aberta e a Distância NETTAD - CAVG. O Presidente em exercício do Conselho Coordenador do

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2010 Estabelece Normas Operacionais Complementares em conformidade com o Parecer CNE/CEB nº 06/2010, Resoluções CNE/CEB nº 02/2010

Leia mais

Curso de Sistema de Informação

Curso de Sistema de Informação 1 Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Sistema de Informação Cascavel - PR CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio Curricular

Leia mais

Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. DA FINALIDADE E OBJETIVOS

Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. DA FINALIDADE E OBJETIVOS Resolução do CS nº 11/2013 Aparecida de Goiânia, 29 de janeiro de 2013. Homologa adequações no Regulamento do Programa de pós-graduação lato sensu. O Presidente Conselho Superior, no uso de suas atribuições,

Leia mais

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são:

RESOLVE: CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS. Os objetivos gerais da EAD na Universidade Federal do Paraná (UFPR) são: RESOLUÇÃO Nº 28/08-CEPE Fixa normas básicas de controle e registro da atividade acadêmica dos Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização na modalidade de Educação a Distância da Universidade Federal do

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18/00 - CEPE R E S O L V E:

RESOLUÇÃO Nº 18/00 - CEPE R E S O L V E: RESOLUÇÃO Nº 18/00 - CEPE Aprova as normas básicas da atividade acadêmica dos Cursos de Graduação na modalidade de Educação à Distância da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO

MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO AMBIENTE VIRTUAL AS VANTAGENS DESSA MODERNA SISTEMÁTICA DO ENSINO SÃO: O PAPEL DO ALUNO PROFESSOR TUTOR AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ACESSO AO AMBIENTE

Leia mais

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Projeto de Implantação do Núcleo Tecnológico de Educação Aberta - NTEA Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Ourinhos - 2012 2 1- DADOS GERAIS 1.1 UNIDADE EXECUTORA FIO - FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação Ambiente Virtual As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO AUTÔNOMO DO BRASIL CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFESSOR ME. ORLEI JOSÉ POMBEIRO REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURITIBA 2015 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Abril / 2014 Apresentação O Estágio Supervisionado em Serviço Social é um ato educativo que acontece no ambiente de trabalho e

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO 1) UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO Itaberaí/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE

Leia mais

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) -

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) - CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Participar do processo de planejamento e elaboração da proposta pedagógica da escola; orientar a aprendizagem dos alunos; organizar as atividades inerentes ao processo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 183, de 19 de novembro de 2013. Estabelece diretrizes operacionais para a. Art. 2º A avaliação do processo ensinoaprendizagem

RESOLUÇÃO Nº 183, de 19 de novembro de 2013. Estabelece diretrizes operacionais para a. Art. 2º A avaliação do processo ensinoaprendizagem RESOLUÇÃO Nº 183, de 19 de novembro de 2013. Estabelece diretrizes operacionais para a avaliação do processo ensino-aprendizagem nos estabelecimentos de ensino de Educação Básica e Profissional Técnica

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004 CRIA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE MORMAÇO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul. FAÇO

Leia mais

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual)

LISTA ICONOGRÁFICA - (Lista de ícones do Ambiente Virtual) 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 04 Geração de Login e Senha... 05 Guia de Percurso... 07 Manual Acadêmico... 09 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 11 Edição do Perfil... 13 Ambiente Colaborar e

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS ANEXO A SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS REGULAMENTO ESPECÍFICO DOS COMPONENTES CURRICULARES PRÁTICAS DE ENSINO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL PROGRAMANDO O FUTURO - POLO REGIONAL CENTRO-OESTE DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT Dispõe sobre a Implantação do Ensino Fundamental para Nove Anos de duração, no Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso, e dá outras providências. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD 1. O que é EAD? EAD é a sigla para Ensino a Distância, ou Educação a Distância, uma modalidade de ensino que acontece a partir da união

Leia mais

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO Apresentação Como ter sucesso na educação à distância A postura do aluno online Critérios de Avaliação da aprendizagem do aluno Como acessar a plataforma Perguntas freqüentes A PRESENTAÇÃO O Manual

Leia mais

www.fafia.edu.br PORTARIA - FAFIA Nº 016/2014

www.fafia.edu.br PORTARIA - FAFIA Nº 016/2014 PORTARIA - FAFIA Nº 016/2014 Regulamenta a implantação e os procedimentos para oferta de componentes curriculares em regime semipresencial. A Professora ROSANE MARIA SOUZA DOS SANTOS, Diretora da Faculdade

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL PROGRAMANDO O FUTURO - POLO REGIONAL CENTRO-OESTE DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO

Leia mais

Seleção de Tutores para Polo Regional Nordeste Setentrional da Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital nas Comunidades Telecentros.

Seleção de Tutores para Polo Regional Nordeste Setentrional da Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital nas Comunidades Telecentros. PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL POLO REGIONAL NORDESTE SETENTRIONAL EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Seleção de

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Faculdade de Castanhal.

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO 1 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS 03 QUEM PODE FAZER O CURSO DE EJA A DISTÂNCIA 04 MATRÍCULA 04 COMO FUNCIONA 05 CALENDÁRIO DOS CURSOS 06 AVALIAÇÃO E CRITÉRIOS

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO ESTÁGIO Art. 1º O Estágio Obrigatório previsto na Estrutura Curricular do Curso de Letras, Licenciatura Português/Inglês

Leia mais

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Projeto de Supervisão Escolar Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Justificativa O plano de ação do professor pedagogo é um guia de orientação e estabelece as diretrizes e os meios de realização

Leia mais

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER (Anexo à Portaria nº 067, de 14 de setembro de 2005) CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER 1. Caracterização do Projeto Minter 1.1. Caracteriza-se como Projeto

Leia mais

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD 1. APRESENTAÇÃO O Secretário de Estado de Educação tem o prazer de convidar-lhe a participar do Curso Sistema

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas;

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas; Capítulo I Objetivos Regimento Artigo 1º - O Objetivo do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional é proporcionar ao aluno formação matemática aprofundada, relevante ao exercício

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº. 10/2015 Criar e aprovar o Curso de Pós-Graduação MBA em Gestão Empreendedora

Leia mais

(Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO

(Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO (Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO... 3 2 ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO Missão: Atuar nas diferentes áreas (administração, planejamento e orientação educacional) com o intuito

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 158 Estabelece diretrizes para a avaliação do processo ensino-aprendizagem, nos estabelecimentos de ensino de Educação Básica e Profissional

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO Cabedelo - PB Página 1 de 9 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA - FESP, PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS Resolução do colegiado de Pedagogia nº 03/2014 Regulamenta Estágio supervisionado do curso de Pedagogia, fixados no Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia, Licenciatura, do Centro de Ensino Superior

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA SUMÁRIO Capítulo I 3 DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS 3 Capítulo II 3 DA APRESENTAÇÃO 3 Capítulo III 4 DOS OBJETIVOS

Leia mais

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA.

UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO São Paulo 2010 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º - O Estágio

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Dúvidas e Suporte

Leia mais

Curso de Engenharia de Elétrica

Curso de Engenharia de Elétrica Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Engenharia de Elétrica Cascavel-PR 2011 - 2 - CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio

Leia mais

Faculdade de Tecnologia da Zona Leste REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE 2015

Faculdade de Tecnologia da Zona Leste REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE 2015 Faculdade de Tecnologia da Zona Leste REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE 2015 São Paulo - 2015 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 4 3. OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO...

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 067/2011

RESOLUÇÃO nº 067/2011 RESOLUÇÃO nº 067/2011 Disciplina os estágios obrigatórios e não obrigatórios na Universidade Federal do Amazonas. A PRÓ-REITORA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO e PRESIDENTE DA CÂMARA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DO CONSELHO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - 2014

PLANO DE AÇÃO - 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO PLANO DE AÇÃO - 2014 MISSÃO Assessorar as Regionais Educacionais, fortalecendo o processo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO forma: A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte 1. Primeiro contato com a administração e o serviço de supervisão

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

:: Organização Pedagógica ::

:: Organização Pedagógica :: 1. DA GESTÃO DA ESCOLA :: Organização Pedagógica :: A gestão da escola é desenvolvida de modo coletivo com a participação de todos os segmentos nas decisões e encaminhamentos, oportunizando alternância

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE SEÇÃO I DO OBJETIVO Art. 1º O presente Regulamento tem por

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas São Paulo, 20 de maio de 2009. ASSUNTO: NORMA ADMINISTRATIVA PARA A REALIZAÇÃO DE MONITORIA NO CCSA Prezado(a) Aluno(a), Considerando: I. a importância da monitoria como um dos meios para a operacionalização

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ aprovou e eu, Reitora em exercício, sanciono a seguinte Resolução:

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ aprovou e eu, Reitora em exercício, sanciono a seguinte Resolução: Resolução CONSUN n o 046/2003. Credenciada pelo Decreto Federal de 03/07/97 - D. O. U. Nº 126, de 04/07/97 Aprova o Regulamento Geral da Agência de Comunicação Integrada, do Curso de Comunicação Social

Leia mais

Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário.

Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário. FACULDADE DE PSICOLOGIA Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário. Estagiário é todo aluno, regularmente matriculado,

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

ANEXO IV - Configuração tecnológica exigida... 15 ANEXO V Ficha de Inscrição... 16

ANEXO IV - Configuração tecnológica exigida... 15 ANEXO V Ficha de Inscrição... 16 EDITAL DE SELEÇÃO SUMÁRIO 1. Apresentação... 01 2. Objetivo geral... 04 3. Objetivo específico... 04 4. Duração... 04 5. Público-alvo... 04 6. Critérios de seleção dos municípios... 04 7. Contrapartidas

Leia mais

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS ECONÔMICAS

FACULDADE DA REGIÃO DOS LAGOS INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS ECONÔMICAS 1. Princípios Teórico-Filosóficos A Faculdade da Região dos Lagos vem se destacando como uma das principais instituições na formação de administradores, empresários e gerentes em nossa região. Além disso,

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 63/2015 Reedita, com alterações, o Edital do Processo Seletivo dos Cursos Superiores na modalidade a Distância Vestibular 1º Semestre de 2016 O REITOR DA UNIVERSIDADE METODISTA

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES À RESOLUÇÃO Nº 684/09 CONSEPE, REFERENTE À PRÁTICA DE ENSINO/ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO

NORMAS COMPLEMENTARES À RESOLUÇÃO Nº 684/09 CONSEPE, REFERENTE À PRÁTICA DE ENSINO/ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS COORDENADORIA DE LICENCIATURA EM TEATRO COLEGIADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM TEATRO NORMAS COMPLEMENTARES

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais