PSI Linguagem de Definição de dados. Módulo 15

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PSI Linguagem de Definição de dados. Módulo 15"

Transcrição

1 PSI Linguagem de Definição de dados Módulo 15

2 Objetivos de aprendizagem No final deste módulo os alunos devem ter adquirido conhecimentos, procedimentos e atitudes que lhe permitam: Criação, alteração e eliminação de tabelas e índices em SQL; Criação e eliminação de tabelas; Alteração de tabelas; Criação e eliminação de índices; Conceito de transação; Privilégios e controlo de acessos.

3 Conteúdos 1. Criação, alteração e eliminação de tabelas e índices em SQL 1.1. Criação de tabelas (comando CREATE TABLE) 1.2. Alteração de tabelas (comando ALTER TABLE) 1.3. Criação de índices (comando CREATE INDEX) 1.4. Eliminação de tabelas e índices (comandos DROP TABLE e DROP INDEX) 2. Atualização de dados 2.1. Inserção de linhas (comando INSERT INTO) 2.2. Alteração de valores nas linhas (comando UPDATE) 2.3. Eliminação de linhas (comando DELETE FROM) 3. Conceito de transação (comandos COMMIT e ROLLBACK) 4. Privilégios e controlo de acessos (comandos GRANT e REVOKE

4 CREATE TABLE O comando SQL CREATE TABLE permite criar uma tabela. Exemplo simples: CREATE TABLE exemplo ( id INT, nome VARCHAR(100) ); Esta tabela com o nome exemplo tem 2 campos: id e nome: id é um campo numérico; Nome é uma String.

5 TIPOS DE DADOS VER FOTOCÓPIA ENTREGUE NO MÓDULO 14

6 CREATE TABLE CONSTRAINT DEFAULT Nas tabelas no Mysql, cada coluna tem que conter um valor (incluindo o NULL). Podemos definir aquando a criação da tabela, que caso não seja inserido um valor para determinado campo, então irá ser atribuído um valor pré-definido. CREATE TABLE exemplo ( id INT, morada VARCHAR(50), Localidade VARCHAR(20) DEFAULT Lisboa );

7 ALTER TABLE CONSTRAINT DEFAULT Se a tabela já estiver criada, podemos definir posteriormente o DEFAULT para um determinado campo: ALTER TABLE Pessoa ALTER Cidade SET DEFAULT Lisboa Da mesma forma, podemos eliminar o DEFAULT: ALTER TABLE Pessoa ALTER Cidade DROP DEFAULT

8 CREATE TABLE CONSTRAINT AUTO_INCREMENT Utiliza-se o auto_increment numa chave primária para criar uma coluna que incrementa automaticamente um valor em cada nova inserção na tabela.

9 CREATE TABLE CONSTRAINT AUTO_INCREMENT CREATE TABLE animais ( id INT NOT NULL AUTO_INCREMENT, nome CHAR(30) NOT NULL, PRIMARY KEY (id) ); INSERT INTO animais (nome) VALUES ( cão'),( gato'),('pinguim'), ( baleia ); SELECT * FROM animais; id name cão 2 gato 3 pinguim 4 baleia

10 CREATE TABLE CONSTRAINT UNIQUE Tem o objetivo de identificar univocamente cada registo da tabela, evitando assim que dois registos tenham valores iguais numa determinada coluna. A Chave Única fornece a garantia de exclusividade para uma coluna. Podemos aplicar a chave única a um conjunto de colunas.

11 CREATE TABLE CONSTRAINT UNIQUE Exemplo: CREATE TABLE Trabalhador( Id int NOT NULL, Apelido varchar(255) NOT NULL, Nome varchar(255), Morada varchar(255), Cidade varchar(255), BI varchar (13), UNIQUE(BI) ) Neste exemplo, queremos que não seja possível 2 trabalhadores terem o mesmo BI.

12 CREATE TABLE CONSTRAINT UNIQUE Exemplo: CREATE TABLE Trabalhador( Id int NOT NULL, Apelido varchar(255) NOT NULL, Nome varchar(255), Morada varchar(255), Cidade varchar(255), BI varchar (13), CONSTRAINT unqtrab UNIQUE(nome,apelido) ) Neste exemplo, queremos que não seja possível 2 trabalhadores terem o mesmo nome e apelido.

13 ALTER TABLE CONSTRAINT UNIQUE Podemos ainda acrescentar a restrição UNIQUE após a criação da tabela. Exemplos: ALTER TABLE Trabalhador ADD UNIQUE (BI) ALTER TABLE Trabalhador ADD CONSTRAINT unqtrab UNIQUE (nome, apelido) Para retirar uma restrição UNIQUE: ALTER TABLE Trabalhador DROP INDEX unqtrab; (O MySQL considera a restrinção UNIQUE como sendo um index)

14 CREATE TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY A chave primária de uma tabela identifica univocamente cada registo nessa tabela. A chave primária tem de conter valores únicos e não pode conter valores NULL. Cada tabela apenas pode conter uma chave primária, no entanto esta pode ser composta por vários campos.

15 CREATE TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY Exemplo: CREATE TABLE Trabalhador( Id int NOT NULL, Apelido varchar(255) NOT NULL, Nome varchar(255), Morada varchar(255), Cidade varchar(255), BI varchar (13), PRIMARY KEY (id) )

16 CREATE TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY Exemplo: Chave composta CREATE TABLE Requisicao( IdSocio int NOT NULL, IdLivro int NOT NULL, data date NOT NULL, CONSTRAINT pkreq PRIMARY KEY (IdSocio, IdLivro, data) )

17 CREATE TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY Exemplo: No exemplo acima iremos ter um erro pois a chave primária não poderá ter 2 campos duplicados.

18 CREATE TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY Exemplo: Aqui não iremos ter erro pois, como a chave primária é composta pelos campos nome e estado, a cidade é igual mas o estado não. Haveria problema sim, se ambos os valores cidade e estado fossem iguais em 2 registos!

19 ALTER TABLE CONSTRAINT PRIMARY KEY Para definir a chave primária após a criação da tabela: ALTER TABLE Trabalhador ADD PRIMARY KEY (Id) ALTER TABLE Requisicao ADD CONSTRAINT pkreq PRIMARY KEY (IdSocio, IdLivro, data)

20 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY O papel da chave estrangeira é manter uma referência a um registo presente noutra tabela. A chave estrangeira de uma tabela está relacionada com a chave primária de outra tabela.

21 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY Exemplo: Temos uma tabela livros e uma tabela autores. Um autor pode escrever vários livros e um livro pode ser escrito somente por um determinado autor. O relacionamento entre estas 2 tabelas vai ser feito com base num campo em comum id_autor. Todas as vezes que o valor do campo id_autor na tabela livros for igual ao valor do campo id_autor na tabela autores nós estaremos a criar uma relação autor-livro.

22 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY CREATE TABLE autores( id_autor INT UNSIGNED NOT NULL auto_increment, nome varchar(45) NOT NULL, varchar(45) NOT NULL, PRIMARY KEY(id_autor) ) CREATE TABLE livros( id_livro INT UNSIGNED NOT NULL AUTO_INCREMENT, titulo VARCHAR(45) NOT NULL, id_autor INT UNSIGNED NOT NULL, PRIMARY KEY(id_livro) )

23 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY Supõe-se que excluímos um registo na tabela autores e, que o campo id_autor da tabela livros guardava uma referência para o autor excluído. Teremos uma violação da integridade referencial! A chave estrangeira é usada para evitar situações que possam destruir as ligações entre as tabelas. A chave estrangeira também evita que sejam inseridos dados inválidos na coluna da chave estrangeira (os dados têm de existir na tabela relacionada)

24 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY CREATE TABLE livros( id_livro INT UNSIGNED NOT NULL AUTO_INCREMENT, titulo VARCHAR(45) NOT NULL, id_autor INT UNSIGNED NOT NULL, PRIMARY KEY(id_livro), FOREIGN KEY(id_autor) REFERENCES autores(id_autor) ON DELETE CASCADE ) Ou se se pretender dar um nome à restrição: CONSTRAINT fklivro FOREIGN KEY(id_autor) REFERENCES autores(id_autor) ON DELETE CASCADE

25 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY FOREIGN KEY(id_autor) REFERENCES autores(id_autor) ON DELETE CASCADE ON DELETE CASCADE significa que, se se apagar ou alterar uma linha (registo) na tabela pai, irá automaticamente apagar ou alterar as linhas correspondentes na tabela filha, isto com base nos campos em que se estabelece o relacionamento.

26 CREATE TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY FOREIGN KEY(id_autor) REFERENCES autores(id_autor) ON DELETE SET NULL ON DELETE SET NULL significa que, se se apagar ou alterar uma linha (registo) na tabela pai, irá ser colocado automaticamente o valor NULL no campo chave estrangeira nas linhas correspondentes na tabela filha, atenção que a chave estrangeira na tabela filha não pode ser NOT NULL!

27 ALTER TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY Se se pretender adicionar a foreign key à posteriori: ALTER TABLE Livros ADD FOREIGN KEY (Id_autor) REFERENCES Autores(Id_autor) Para dar um nome à restrição e/ou definir a chave composta por vários campos: ALTER TABLE Livros ADD CONSTRAINT fklivro FOREIGN KEY (Id_autor) REFERENCES Autores(id_autor)

28 ALTER TABLE CONSTRAINT FOREIGN KEY Para eliminar a chave estrangeira: ALTER TABLE Livros DROP FOREIGN KEY fklivro Quando se cria uma chave estrangeira sem dar explicitamente um nome à restrição, internamente é criada uma designação. Para saber qual é a restrição, de forma a poder eliminar a chave estrangeira, usar o comando SHOW CREATE TABLE nomeatabela.

29 INSERT INTO A função INSERT INTO serve para inserir dados na tabela já existente. Exemplo: INSERT INTO Clientes (NomeClientes, NomeContacto, Endereço, Cidade, CodPostal, Pais) VALUES ('Carmo', Luis Santos', Av Liberdade n100', Lisboa', ', Portugal'); O que significa que se fizermos uma consulta à tabela Clientes iremos ter uma linha com os dados agora inseridos: NomeClientes NomeContacto Endereço Cidade CodPostal Pais Carmo Luis Santos Av Liberdade n100 Lisboa Portugal

30 UPDATE A sintaxe do UPDATE é bastante parecida à sintaxe do INSERT mas o comando UPDATE é usado para alterar informações na base de dados em vez de as inserir. UPDATE nome_da_tabela SET campo1 = valor1, campo2 = valor2, ; Exemplo: Considera a tabela clientes, que entre outros campos tem o campo nome. A seguinte instrução irá alterar todos os registos da tabela: UPDATE clientes SET nome = 'Rafael ;

31 UPDATE Exemplo: UPDATE clientes SET nome = 'Rafael', = WHERE id = 1; Nesta situação apenas irá alterar os registos que tenham o campo id=1. UPDATE Comando para atualizar os dados SET o que será alterado WHERE condição para especificar os registos a alterar

32 UPDATE Conclusões Podemos alterar um, vários ou todos os registos da tabela. É importante ter em mente que se não se usar a cláusula WHERE, o comando vai alterar todos os registos da tabela. Na cláusula WHERE, podemos usar várias combinações de condições (AND/OR) para definir os registos a serem alterados. Exemplo: Podemos alterar todos registos com a data inferior a hoje e (AND) que a hora seja maior que 10 horas. Podemos alterar um ou mais campos da tabela, para isto, basta depois do 'valor novo do campo', adicionar uma vírgula.

33 DELETE Delete é instrução em SQL, que remove um ou mais registos de uma tabela. Pode ser definido um subconjunto de registos para a exclusão usando uma condição, caso contrário, todos os registos serão removidos.

34 DELETE Exemplo: Considera a tabela CLIENTES com os seguintes registos: ID NAME AGE ADDRESS SALARY Ramesh 32 Ahmedabad Khilan 25 Delhi kaushik 23 Kota DELETE FROM Clientes WHERE ID = 2; Irá apagar um cliente, cuja identificação é 2: ID NAME AGE ADDRESS SALARY Ramesh 32 Ahmedabad kaushik 23 Kota

35 INDEXES Os indices são usados para encontrar rapidamente linhas que tenham um valor especifico numa coluna. Sem a existência de um index, o MySQL começa pela 1.ª linha e vai ler a tabela completa à procura das linhas (registos) que pretende. Alguns indexes : PRIMARY KEY, UNIQUE, INDEX, e FULLTEXT

36 INDEXES Declaração que cria um indice, com base nos 10 primeiros caracteres do nome da coluna. CREATE INDEX part_of_name ON customer (name(10));

37 TRANSACTION Por defeito, MySQL é executado num modo em que ao se executar as declarações que modifiquem uma tabela, o MySQL armazena essa alteração diretamente no disco tornando-as permanente. (modo autocommit ativo) Declarações a usar: START TRANSACTION: começa uma nova transação; COMMIT: realiza a transação em curso, tornando as alterações permanentes; ROLLBACK: desfaz a transação atual, cancelando as suas alterações; SET autocommit: ativa ou desativa o modo de autocommit para a sessão em curso.

38 TRANSACTION Verificar autocommit Executar a seguinte consulta: select Se estiver a 1, significa que o autocommit está ativado. Alterar autocommit Set autocommit=0 Pode ser necessário reiniciar o serviço para ter efeito.

39 TRANSACTION Select * from clientes; START TRANSACTION; INSERT INTO clientes(nome,sobrenome) VALUES ('Teste,'Teste'); Select * from clientes; //vê-se a tabela com o novo elemento ROLLBACK; //volta trás, desfazendo as ações Select * from clientes; //vê-se a tabela

40 TRANSACTION Select * from clientes; START TRANSACTION; INSERT INTO clientes(nome,sobrenome) VALUES ('Teste,'Teste'); Select * from clientes; //vê-se a tabela com o novo elemento COMMIT; //Realiza as ações Select * from clientes; //vê-se a tabela

41 PRIVILEGIOS E CONTROLO DE ACESSOS 1.ª etapa: estabelecer uma ligação ao servidor Se se conseguir conectar ao servidor, mas se os nossos privilegios não forem o que se está à espera, podemos verificar qual a conta que o servidor está a usar para nos autenticar. Usar a seguinte função: mysql> SELECT CURRENT_USER(); Depois de estabelecer a conexão com o servidor entramos na 2.ª etapa de controlo de acessos. Para cada pedido que quiser realizar através esta conexão, o servidor vai verificar se temos ou não privilégios suficientes para o conseguir.

42 PRIVILEGIOS E CONTROLO DE ACESSOS Privilege System Grant Tables (sistema para conceder privilégios a tabelas) O MySQL inclui várias tabelas onde são guardadas informações acerca das contas dos utilizadores e dos privilégios que cada um tem. Para manipular o conteúdo destas tabelas, vamos fazê-lo indiretamente através das declarações de gestão de contas (permitem definir contas e controlar os privilegios disponíveis para cada uma): CREATE USER, GRANT, REVOKE

43 PRIVILEGIOS E CONTROLO DE ACESSOS Quando se modifica uma conta, deve-se verificar que as nossas alterações vão ter o efeito esperado. Para verificar os privilégios de uma conta usar a declaração SHOW GRANTS : SHOW GRANTS FOR SHOW GRANTS FOR hostname ; Se quisermos saber os privilégios da nossa conta usar: Ou

44 PRIVILEGIOS E CONTROLO DE ACESSOS CREATE USER O hostname pode ser o nome do servidor ou um endereço IP O nome 'localhost' indica o servidor local com IP ' Criar um user sem password: CREATE USER localhost Criar um user com password: CREATE USER IDENTIFIED BY 'minhapw'; Atenção que temos de ter privilégio para poder criar contas!

45 PRIVILEGIOS E CONTROLO DE ACESSOS GRANT Atenção que temos de ter privilégio para poder definir privilégios nas contas! O administrador da BD usa 1.º o CREATE USER para criar uma conta e depois o GRANT para definir os seus privilégios e caracteristicas. Exemplo: CREATE USER IDENTIFIED BY 'mypass'; GRANT ALL ON db1.* TO GRANT SELECT ON db2.invoice TO Acede ao site indicado e verifica e testa mais alguns privilégios.

Banco de dados. Conteúdo: DDL Prof. Patrícia Lucas

Banco de dados. Conteúdo: DDL Prof. Patrícia Lucas Banco de dados Conteúdo: DDL Prof. Patrícia Lucas O mysql MySQL Workbench é uma ferramenta de design de banco de dados visual que integra o desenvolvimento SQL, administração, design de banco de dados,

Leia mais

Banco de Dados I Introdução SQL

Banco de Dados I Introdução SQL Banco de Dados I Introdução SQL Frederico Queiroga fredericoqueiroga@gmail.com https://sites.google.com/site/fredericoqueiroga/ Linguagem SQL Aspectos Gerais: Independência do fabricante: Está incorporada

Leia mais

Linguagem SQL Restrições, Triggers e Views

Linguagem SQL Restrições, Triggers e Views FACULDADE INGÁ Unidade de Ensino Superior Ingá Ltda Ciência da Computação Linguagem SQL Restrições, Triggers e Views Prof. Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Especificar restrições mais gerais sobre

Leia mais

A linguagem SQL

A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Prof. Dr. Joaquim Assunção Banco de Dados. SQL (parte 4) DDL Restrições

Prof. Dr. Joaquim Assunção Banco de Dados. SQL (parte 4) DDL Restrições Prof. Dr. Joaquim Assunção. 2017 Banco de Dados SQL (parte 4) DDL Restrições Restrições SQL são usadas para especificar regras para dados em uma tabela. CREATE TABLE nome_da_tabela ( coluna1 tipo_de_dado

Leia mais

Tabelas. Banco de Dados I MySQL

Tabelas. Banco de Dados I MySQL FACULDADE ANGLO AMERICANO FOZ DO IGUAÇU Curso de Ciência da Computação 5º Período Disciplina: Banco de Dados I Prof. Erinaldo Sanches Nascimento Tabelas Banco de Dados I MySQL Linguagem de Definição de

Leia mais

Banco de Dados. Professora: Luciana Faria

Banco de Dados. Professora: Luciana Faria Banco de Dados Professora: Luciana Faria Introdução ao linguagem é a SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada Para se utilizar, administrar, e trabalhar com um banco de dados é

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 02/06/2016 SUMÁRIO SQL DDL DML SQL (STRUCTURED

Leia mais

SQL Básica DDL. Prof. Marcos A. Schreiner. 21 de outubro de Curso de Licenciatura em Computação

SQL Básica DDL. Prof. Marcos A. Schreiner. 21 de outubro de Curso de Licenciatura em Computação SQL Básica DDL Prof. Marcos A. Schreiner Curso de Licenciatura em Computação 21 de outubro de 2015 Prof. Marcos A. Schreiner (UFPR) 21 de outubro de 2015 1 / 28 1 Introdução 2 SQL DDL CREATE Criar Banco

Leia mais

Definição do esquema da base de dados. o esquema da BD é composto pelas definições de todas as tabelas da BD.

Definição do esquema da base de dados. o esquema da BD é composto pelas definições de todas as tabelas da BD. Definição do esquema da base de dados o esquema da BD é composto pelas definições de todas as tabelas da BD. existem outros elementos (views, índices, triggers) que também fazem parte do esquema e que

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

SQL (Tópicos) Structured Query Language

SQL (Tópicos) Structured Query Language SQL (Tópicos) Structured Query Language ISI Introdução aos Sistemas de Informação SQL (Tópicos) 1 SQL: componentes SQL / DDL (Data Definition Language) Permite definir os Esquemas de Relação Permite definir

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

DDL DML DCL DTL Tipos Numéricos: INT FLOAT DOUBLE Tipos String: CHAR VARCHAR BINARY BLOB TEXT Tipos Data e Hora: DATE TIME TIMESTAMP YEAR

DDL DML DCL DTL Tipos Numéricos: INT FLOAT DOUBLE Tipos String: CHAR VARCHAR BINARY BLOB TEXT Tipos Data e Hora: DATE TIME TIMESTAMP YEAR SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada, foi desenvolvida pela IBM nos anos 70 para demonstrar a viabilidade do modelo relacional para bancos de dados. No final dos anos 80

Leia mais

Utilizando o Postgres - comandos SQL para a manipulação de dados

Utilizando o Postgres - comandos SQL para a manipulação de dados Utilizando o Postgres - comandos SQL para a manipulação de dados SELECT A declaração SELECT é utilizada para selecionar os dados de um banco de dados. SELECT nome FROM clientes WHERE A cláusula WHERE é

Leia mais

Professor Leonardo Larback

Professor Leonardo Larback Professor Leonardo Larback Engines MySQL Server possui um conceito chamado de Storage Engine ou mecanismos de armazenamento, ou ainda, tipos de tabela. Através da engine selecionada, o servidor sabe como

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP Campus de Caraguatatuba Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 0 Semestre de 2013 BD I Prof. Lineu Mialaret Aula 25:

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados

SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais

Leia mais

SQL CREATE DATABASE. MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL.

SQL CREATE DATABASE. MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL. LINGUAGEM SQL SQL CREATE DATABASE MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL. SQL CREATE TABLE SQL NOT NULL O valor NOT NULL obriga que o campo contenha sempre

Leia mais

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010 Sumário SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto October 18, 2010 1 Introdução 2 Tabelas 3 Colunas 4 5 Modificação de Tabelas 6 Domínios André Restivo (FEUP)

Leia mais

BANCO DE DADOS. Para a criação de um banco de dados, através de scripts SQL, deve-se usar a seguinte sintaxe: CREATE DATABASE <nome_banco_de_dados>

BANCO DE DADOS. Para a criação de um banco de dados, através de scripts SQL, deve-se usar a seguinte sintaxe: CREATE DATABASE <nome_banco_de_dados> BANCO DE DADOS 1. Scripts de criação de banco de dados Para a criação de um banco de dados, através de scripts SQL, deve-se usar a seguinte sintaxe: CREATE DATABASE Onde:

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel Competências a serem trabalhadas nessa aula Revisão dos comandos INSERT INTO SELECT Comando WHERE Comando Excluir (DELETE)

Leia mais

Aula 6 BD1 Modelo Relacional. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 6 BD1 Modelo Relacional. Profa. Elaine Faria UFU Aula 6 BD1 Modelo Relacional Profa. Elaine Faria UFU - 2017 Introdução Modelo Relacional Proposto por Codd em 1970 Revolucionou a área de banco de dados É o modelo dominante base para os SGBDs líderes

Leia mais

Bases de Dados. DDL Data Definition Language

Bases de Dados. DDL Data Definition Language Bases de Dados DDL Data Definition Language SQL SQL = Structured Query Language Foi originalmente criada pela IBM nos anos 70 como parte de um protótipo de sistema relacional Posteriormente foi implementada

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Aula 6 Prof. Marcos Alexandruk Aula 6 Estruturas lógicas do Oracle: Tabelas tabelas relacionais tabelas temporárias tabelas organizadas por índices tabelas de objetos tabelas

Leia mais

Teste Exemplo Revisão da tentativa 1

Teste Exemplo Revisão da tentativa 1 Teste Exemplo Revisão da tentativa 1 Iniciado em: Quinta, 6 Dezembro 2007, 21:31 Completado em: Quinta, 6 Dezembro 2007, 21:48 Tempo gasto: 16 minutos 53 segundos Classificação: 8/20 (40% Nota: 8 sobre

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Importar e Exportar Dados

Importar e Exportar Dados Importar e Exportar Dados Administração de Base de Dados OBJECTIVOS: Definir comandos e formatos Definir restrições (constraints) DEFINIÇÃO DO ESQUEMA DA BASE DE DADOS O esquema da BD e composto pelas

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Flávio Dantas

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Flávio Dantas FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Flávio Dantas Competências a serem trabalhadas nessa aula Revisão dos comandos INSERT INTO SELECT Comando WHERE Comando Excluir (DELETE)

Leia mais

FACULDADE INGÁ Unidade de Ensino Superior Ingá Ltda Ciência da Computação TRIGGERS. Prof. Erinaldo Sanches Nascimento

FACULDADE INGÁ Unidade de Ensino Superior Ingá Ltda Ciência da Computação TRIGGERS. Prof. Erinaldo Sanches Nascimento FACULDADE INGÁ Unidade de Ensino Superior Ingá Ltda Ciência da Computação TRIGGERS Prof. Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Especificar restrições mais gerais sobre o banco de dados. Especificar regras

Leia mais

SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) Tipos em SQL. Tipos Data/Tempo em SQL (cont.)

SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) Tipos em SQL. Tipos Data/Tempo em SQL (cont.) SQL Linguagem de Definição de Dados (DDL) Linguagem de Definição dos Dados Tipos em SQL Manipular Tabelas (relações) Integridade e Segurança Linguagem de Manipulação dos Dados Estrutura básica Operações

Leia mais

Atualização e Inserção de Dados. SQL Avançado. Pedro F. Carvalho OCP Oracle g

Atualização e Inserção de Dados. SQL Avançado. Pedro F. Carvalho OCP Oracle g Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g SQL Avançado Atualização e Inserção de Dados Comando INSERT Sumário Inclusão simples, inclusão de dados com SELECT Comando UPDATE Alteração simples, alteração usando

Leia mais

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida SQL PostgreSQL I Criação de Tabelas Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida Composição da SQL Linguagem de Definição de Dados (DDL): Comandos para

Leia mais

'%'! $!0" $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,"/)!)+,/)% *! +,"0''% * %$!*!$$ #!"%&%'%'%$! "94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31?

'%'! $!0 $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,/)!)+,/)% *! +,0''% * %$!*!$$ #!%&%'%'%$! 94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31? MODELAGEM FÍSICA Capítulo 3! " # $ $!%%%& '$! $% $$%"%' ) ' *'!%'!$ $ $ $% +, %#!!" '$*'#%! $ $$%" % '$%!!% $% * % $ *-! %$% $!* '% $!$$.!'% & $%!% $ $ ' %/!$ 0 $*' $% *0 )#%!$0% 1&$$$%+#!*22,"$% )'%$$%%&

Leia mais

Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk

Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk Marcos Alexandruk m.alexandruk@gmail.com Apresentação disponível em: www.dba.net.br/mysql.pdf Parte I: Download e Instalação MySQL - Download www.mysql.com/downloads MySQL - Download MySQL - Download MySQL

Leia mais

Técni n c i as e L i L n i g n u g age g ns n p ara r Ba B nc n o d e D ados I ACCESS

Técni n c i as e L i L n i g n u g age g ns n p ara r Ba B nc n o d e D ados I ACCESS Técnicas e Linguagens para Banco de Dados I ACCESS Criando um Banco de Dados 1 2 3 4 5 6 7 8 Tipos de Relações existentes nos Bancos de Dados Relacionamentos 1 1 Um para Um : neste tipo de Relação,

Leia mais

A linguagem SQL

A linguagem SQL SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão recebeu o nome de

Leia mais

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL Tecnologia de Base de Dados MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que na IBM corp. se desenvolvia o protótipo de um sistema relacional

Leia mais

Administração de Banco de Dados. Aula 02. Prof. Marcos Alexandruk

Administração de Banco de Dados. Aula 02. Prof. Marcos Alexandruk Administração de Banco de Dados Aula 02 Prof. Marcos Alexandruk Veja ao lado qual será o conteúdo desta aula. Inserir, alterar e excluir dados em tabelas Consultas em uma tabela Consultas em duas tabelas

Leia mais

Instrução Create Table

Instrução Create Table Tipos em SQL char(n): cadeia de caracteres de comprimento fixo n varchar(n): cadeia de caracteres de comprimento variável, com o máximo n especificado pelo utilizador int: inteiro (um subconjunto finito

Leia mais

Aula de SQL Comandos DDL. André Luiz de Oliveira Eduardo Raul Hruschka

Aula de SQL Comandos DDL. André Luiz de Oliveira Eduardo Raul Hruschka Aula de SQL Comandos DDL André Luiz de Oliveira Eduardo Raul Hruschka E-mail: andre_luiz@icmc.usp.br erh@icmc.usp.br Agenda Instalação do MySQL e Workbench Comandos DDL Data Definition Language Criação

Leia mais

SQL Básica. Andre Noel

SQL Básica. Andre Noel SQL Básica Andre Noel Introdução A SQL é um dos principais motivos de sucesso dos BDs relacionais comerciais Introdução A SQL é um dos principais motivos de sucesso dos BDs relacionais comerciais Se tornou

Leia mais

Linguagem de Definição de Dados (DDL)

Linguagem de Definição de Dados (DDL) Modelagem de Banco de Dados Linguagem de Definição de Dados (DDL) Professor: Anderson D. Moura Março, 2009 Linguagem de Definição de Dados Linguagem para especificar a informação acerca de cada tabela,

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

A U L A 1 0 C R I A N D O V I E W S V I E W S ( V I S Õ E S )

A U L A 1 0 C R I A N D O V I E W S V I E W S ( V I S Õ E S ) BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 A U L A 1 0 C R I A N D O V I E W S V I E W S ( V I S Õ E S ) VIEW é uma instrução SQL que retorna dados e é salva no banco de dados com um nome, ou seja, passa a ser um objeto

Leia mais

Triggers(Gatilhos) Tiago Alves de Oliveira

Triggers(Gatilhos) Tiago Alves de Oliveira Triggers(Gatilhos) Tiago Alves de Oliveira tiago.alves@uemg.br Triggers (Gatilhos) Um TRIGGER ou gatilho associado a uma tabela, definido para ser disparado, respondendo a um evento em particular; Comandos

Leia mais

Banco de Dados. Linguagem SQL

Banco de Dados. Linguagem SQL Banco de Dados Linguagem SQL 1 A linguagem SQL: história Em junho de 1970, o matemático Edgar Frank Codd, publicou o artigo "A Relational Model of Data for Large Shared Data Banks" na revista "Communications

Leia mais

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language)

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language) AULA 8 8.1. OBJETIVO DA AULA Relembrar conceitos e recursos básicos apresentados nas aulas anteriores, dar continuidade nas codificações iniciadas e ainda não finalizadas, explorar acesso a banco de dados

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS Exemplos de Scripts SQL (PostgreSQL) Pizzaria 1 2 Criação de BANCO DE DADOS CREATE DATABASE nome_do_banco; CREATE DATABASE pizzaria; Criação de TABELAS SOMENTE COM CHAVE PRIMÁRIA CREATE TABLE nome_da_tabela

Leia mais

MySql. Introdução a MySQL. Andréa Garcia Trindade

MySql. Introdução a MySQL. Andréa Garcia Trindade MySql Introdução a MySQL Andréa Garcia Trindade Introdução O que é Banco de Dados SGBD MYSQL Tipos de Tabelas Tipos de Dados Linguagem SQL Comandos SQL O que é um Banco de Dados? Conjuntos de dados Grupo

Leia mais

Bancos (Bases) de Dados

Bancos (Bases) de Dados Bancos (Bases) de Dados Aula #8 SQL Prof. Eduardo R. Hruschka * Slides baseados no material elaborado pelas professoras: Cristina D. A. Ciferri Elaine P. M. de Souza SQL (Structured Query Language) Linguagem

Leia mais

Transacções. Vitor Vaz da Silva

Transacções. Vitor Vaz da Silva Transacções Vitor Vaz da Silva Em produto nome é único A quantidade é decrescida do mesmo valor que acresce a gastou create table Cozinha( id int IDENTITY(5,2), nome varchar(20), primary key(id) ) create

Leia mais

LINGUAGEM SQL Linguagem usada em SGBD para: Definir estrutura de dados; Modificar dados em um banco de dados; Especificar restrições de segurança; Rea

LINGUAGEM SQL Linguagem usada em SGBD para: Definir estrutura de dados; Modificar dados em um banco de dados; Especificar restrições de segurança; Rea BANCO DE DADOS Prof. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com SQL A Structed Query Language foi desenvolvida em 1974 nos laboratório da IBM em San José na Califórnia,

Leia mais

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Flickr, shindotv/3835365695/ BASES DE DADOS Laboratórios de Informática 2014-2015 João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Armazenamento de Informação Aplicações necessitam de armazenar informação

Leia mais

Rápida revisão do Modelo Relacional

Rápida revisão do Modelo Relacional Rápida revisão do Modelo Relacional Conceito de relação Tuplas e atributos Rápida revisão do Modelo Relacional Regras de integridade Entidade: Deve existir uma chave primária com valor único e não-nulo.

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) SQL SQL (Structured Query Language), ou Linguagem de Consulta Estruturada. Usada em Bancos de Dados Relacionais. É padronizada (SQL ANSI). ANSI (American National

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

BCD29008 Banco de dados

BCD29008 Banco de dados BCD29008 Banco de dados Linguagem SQL Prof. Emerson Ribeiro de Mello Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José mello@ifsc.edu.br http://docente.ifsc.edu.br/mello/bcd 21 de agosto de 2017

Leia mais

Para criarmos um banco de dados no MySql, utilizamos à instrução:

Para criarmos um banco de dados no MySql, utilizamos à instrução: Databases Os objetos que fazem parte de um sistema de banco de dados são criados dentro de um database, uma estrutura lógica responsável por manter a estrutura de tabelas com seus dados. Para criarmos

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Tarefa Orientada 8 Criação de tabelas

Tarefa Orientada 8 Criação de tabelas Tarefa Orientada 8 Criação de tabelas Objectivos: Iniciar o MS SQL Server Manegement Studio Criar tabelas Especificar tipos de dados Definir restrições Alterar as definições de uma tabela Eliminar uma

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

MODELAGEM DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. MODELAGEM DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br INTRODUÇÃO AO SQL Ferramentas brmodelo Ferramenta Case PostgreSQL versão 8 ou superior SGBD Em 1986 o

Leia mais

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários MySQL Prof. César Melo com a ajuda de vários Banco de dados e Sistema de gerenciamento; Um banco de dados é uma coleção de dados. Em um banco de dados relacional, os dados são organizados em tabelas. matricula

Leia mais

Aula 06 Sistemas Embarcados LT38C

Aula 06 Sistemas Embarcados LT38C Aula 06 Sistemas Embarcados LT38C Prof. Lucas Ricken Garcia 2017/1 Introdução a Banco de Dados Coleção de dados relacionados. Fatos conhecidos que podem ser registrados e possuem significado implícito.

Leia mais

Sumário: 1) Trabalhando com Constraints: - NOT NULL - UNIQUE - PRIMARY KEY - FOREIGN KEY - DEFAULT

Sumário: 1) Trabalhando com Constraints: - NOT NULL - UNIQUE - PRIMARY KEY - FOREIGN KEY - DEFAULT Sumário: 1) Trabalhando com Constraints: - NOT NULL - UNIQUE - PRIMARY KEY - FOREIGN KEY - DEFAULT 2) Componentes do Select: - DISTINCT - WHERE - AND e OR - ORDER BY 2) Visão Geral - A SQL é dividida em

Leia mais

Manipulação de Dados com SQL

Manipulação de Dados com SQL Manipulação de Dados com SQL Wendel Melo Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia www.facom.ufu.br/~wendelmelo Banco de Dados I manipulação de dados com SQL 2 Structured Query Language

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Rhyan Ximenes SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Banco de Dados II E x c e l ê n c i a n o s e u f u t u r o fluci anofei j ao.com. br Semest r e: º Turma: 02 Turno: Noite Dat a: 21/06/13 Not a:

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As Exemplos de Vistas SQL Considere-se a vista (com o nome todososconsumidores) contento os nomes das agências e seus clientes CREATE VIEW todososclientes As Π nomebalcao,nomecliente (temconta conta) Π nomebalcao,nomecliente

Leia mais

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Linguagem SQL

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Linguagem SQL Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013 Linguagem SQL Alberto Sardinha Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 Sumário Linguagem SQL 2 História Princípio dos

Leia mais

SQL. Índices, views e restrições. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Índices, views e restrições. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Índices, views e restrições Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Índices Um índice é uma estrutura de dados que acelera o acesso aos tuplos de uma tabela. Os índices

Leia mais

Uma solução possível para garantir, em ambiente APEX, a consistência duma estrutura ISA, total e disjuntiva.

Uma solução possível para garantir, em ambiente APEX, a consistência duma estrutura ISA, total e disjuntiva. Uma solução possível para garantir, em ambiente APEX, a consistência duma estrutura ISA, total e disjuntiva. Seja então o conjunto de entidades pessoa, com os atributos bi_pessoa, nome_pessoa e morada_pessoa,

Leia mais

Administração de Banco de Dados. Aula 01. Prof. Marcos Alexandruk

Administração de Banco de Dados. Aula 01. Prof. Marcos Alexandruk Administração de Banco de Dados Aula 01 Prof. Marcos Alexandruk Olá! Eu sou o Dadolino. Veja ao lado qual será o conteúdo desta aula. O que são bancos de dados relacionais? A linguagem SQL Tipos de dados

Leia mais

Mysql. Quanto mais informações você busca, mais você evolui. Vitor Ramos. Disciplina de Banco de Dados

Mysql. Quanto mais informações você busca, mais você evolui. Vitor Ramos. Disciplina de Banco de Dados Mysql Quanto mais informações você busca, mais você evolui. Vitor Ramos SQL Structured Query Language - Linguagem de Consulta Estruturada Desenvolvida pela IBM, nos anos 70; Inicialmente chamada SEQUEL

Leia mais

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) )

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) ) TADS Exercício Laboratório I Analise o modelo de banco de dados abaixo: MUSICA FAIXA Codigo_Musica: INTEGER Nome_Musica: VARCHAR(60) Duracao: NUMERIC(6,2) Codigo_Musica: INTEGER (FK) Codigo_CD: INTEGER

Leia mais

BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 A U L A 2

BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 A U L A 2 BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 A U L A 2 N Í V E I S D E V I S Ã O, S U B G R U P O D D L : C R I A N D O B A N C O D E D A D O S, C R I A N D O T A B E L A S, E S T R U T U R A D A T A B E L A CONCEITOS :

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados

Múltiplas Tabelas. Disciplina de Banco de Dados Múltiplas Tabelas Uma das grandes características de um sistema de banco de dados relacional é a capacidade de interagir com múltiplas tabelas relacionadas. Precisamos lembrar que para relacionar tabelas

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker

Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker Modelo Relacional + SQL (DDL) Material elaborado pela Prof. Karin Becker Modelo Relacional Codd, E.F A relational model of data for large shared data banks. Communications of the ACM, 13(6):377-87, June

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS MODULO 2 LINGUAGEM SQL CONTEÚDO 2. LINGUAGEM SQL 2.1 Linguagens de Definição de Dados (DDL) 2.1.1 Criação de tabela: CREATE 2.1.2 Alteração de Tabela: ALTER 2.1.3 Exclusão

Leia mais

Escola Secundária de Albufeira. Comandos MySQL. (Páginas Web Dinâmicas: PHP e MySQL) Carlos Nunes

Escola Secundária de Albufeira. Comandos MySQL. (Páginas Web Dinâmicas: PHP e MySQL) Carlos Nunes Escola Secundária de Albufeira Comandos MySQL (Páginas Web Dinâmicas: PHP e MySQL) (csmnunes@gmail.com) 2009/2010 Criar Base de Dados CREATE DATABASE basededados; Apagar Base de Dados DROP DATABASE basededados;

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados Postgre com Sql

Fundamentos de Banco de Dados Postgre com Sql Fundamentos de Banco de Dados Postgre com Sql Prof. Luiz Claudio Ferreira de Souza Prof. Luiz Claudio F. de Souza 1 Obtenha os Slids no endereço www.luizclaudiofs.blogspot.com Prof. Luiz Claudio F. de

Leia mais

Subsistema de Integridade Semântica

Subsistema de Integridade Semântica Restrições de Integridade Semântica Controle de valores válidos para os dados estados dos dados condizentes com os requisitos da aplicação transições de estados corretas O SGBD deve controlar esta integridade

Leia mais

Preparação. Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido 10/12/2013

Preparação. Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido 10/12/2013 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido A Linguagem SQL Preparação Criar um banco de dados denominado Escola ; Criar a tabela, como especificado abaixo: # RA Numeric(8) Nome Serie Turma

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados. Prof. Luiz Vivacqua.

Laboratório de Banco de Dados. Prof. Luiz Vivacqua. (la.vivacqua@gmail.com) Ementa Conceitos básicos Sistemas de banco de dados Relacional Visão Geral do PostGreSQL Álgebra Relacional Operadores básicos Operadores adicionais A Linguagem de Consulta Estruturada

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

Bases de Dados BDDAD. Oracle SQL Comandos. Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2017/18) 1/101

Bases de Dados BDDAD. Oracle SQL Comandos. Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2017/18) 1/101 BDDAD Bases de Dados Oracle SQL Comandos Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2017/18) 1/101 Comandos Sumário Introdução Restrições de Integridade Comandos DDL CREATE TABLE ALTER TABLE DROP TABLE DML INSERT UPDATE

Leia mais

LAB 7 Cookies e Sessões em PHP

LAB 7 Cookies e Sessões em PHP LAB 7 Cookies e Sessões em PHP 1. Assume-se neste lab que concluiu com sucesso o LAB6. Copie todos os ficheiros da pasta LAB6 para a pasta LAB7. 2. Construa o template (formulario) blog_template.html {MENU_1}

Leia mais

INSERT INTO shop VALUES (1,'A',3.45),(1,'B',3.99),(2,'A',10.99),(3,'B',1.45),(3,'C',1.69), (3,'D',1.25),(4,'D',19.95);

INSERT INTO shop VALUES (1,'A',3.45),(1,'B',3.99),(2,'A',10.99),(3,'B',1.45),(3,'C',1.69), (3,'D',1.25),(4,'D',19.95); Aqui segue exemplos de como resolver alguns dos problemas mais comuns do MySQL. Algum dos exemplos usam a tabela de compras, coloque os preços de cada artigo (número de item) de cada negociante. Supondo

Leia mais

Introdução ao PostgreSQL

Introdução ao PostgreSQL Introdução ao PostgreSQL Fontes Karine Reis Ferreira karine@dpi.inpe.br Gilberto Câmara gilberto@dpi.inpe.br Gilberto Ribeiro de Queiroz gribeiro@dpi.inpe.br Marcos André Gonçalves - UFMG Parte 3 Aula

Leia mais

Conexão com Banco de Dados, Inserção, exclusão e atualização de registros

Conexão com Banco de Dados, Inserção, exclusão e atualização de registros Conexão com Banco de Dados, Inserção, exclusão e atualização de registros Vamos criar um banco de dados no MySQL. Inicie o WampServer Abra o HeidSQL Crie o código SQL para criar o banco de dados e a tabela.

Leia mais

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists] <nome>

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists] <nome> 1. Manuseio do banco de dados MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS As seguintes instruções manuseiam o banco de dados: cria o banco mostra os bancos

Leia mais

Preparação criar tabela. Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido 12/11/2018

Preparação criar tabela. Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido 12/11/2018 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Estudo Dirigido A Linguagem SQL Preparação criar tabela Criar um novo arquivo de banco de dados chamado Escola Criar a tabela, como especificado abaixo: Create table

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

Disciplina: Banco de Dados Tema: SQL Parte 2

Disciplina: Banco de Dados Tema: SQL Parte 2 Disciplina: Banco de Dados Tema: SQL Parte 2 PROFESSOR: DANILO MONTEIRO EMAIL: PROF.DANILO.MONTEIRO@GMAIL.COM O que foi visto na aula passada? create database Drop database Create table Drop table PROF.DANILO.MONTEIRO@GMAIL.COM

Leia mais