RELATÓRIO ANUAL 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO ANUAL 2009"

Transcrição

1 RELATÓRIO ANUAL 2009 O Relatório Anual tem por objetivo oferecer aos participantes e assistidos, informações sobre os resultados e atividades desenvolvidas no OABPrev-RJ, referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de Este documento informa os fatos de natureza previdenciária, administrativa, econômica, financeira e de investimento, através das demonstrações contábeis, parecer atuarial e auditoria externa. Destacamos alguns fatos importantes ocorridos em 2009: Resultados dos Investimentos A rentabilidade do OABPrev alcançou 25,19%, superando o índice de referência atuarial em 14,30% que era de 9,53%. O crescimento do patrimônio foi de 26,8%, que passou de R$54,9 milhões, em janeiro, para R$69,6 milhões no final de Treinamento Foram realizados diversos cursos para dirigentes, funcionários e corretores de atualização e aperfeiçoamento, visando o conhecimento técnico necessário à gestão da entidade. Benefícios Concedemos 14 aposentadorias, sendo 04 por invalidez, 15 pensões por morte, incluindo o maior benefício concedido entre todas as Prev s. Alteração da Tábua de Inválidos A Entidade adotou a tábua AT-83 para cálculo da expectativa de vida de participantes inválidos, em conformidade às indicações da Consultoria Atuarial, a mesma tábua utilizada para estimar a expectativa de vida de participantes assistidos válidos. Adotamos uma tábua mais conservadora, de forma a se estimar um prazo maior de recebimento de benefício. Redução da Taxa Administrativa O Conselho Deliberativo reduziu a taxa administrativa de 8,00 para 3,00% (três por cento) se traduzindo em mais economia aos Participantes. Alteração da Taxa de Juros Mudanças recentes no ambiente econômico propiciaram uma nova perspectiva para o comportamento das taxas de juros praticadas no Brasil. Com isto, as premissas que norteavam a construção da Política de Investimentos da Entidade para o ano de 2009 foram reajustadas a essa realidade, sendo adotado como índice de correção monetária e taxa de juros, IPCA + 5%a.a. O OABPrev permanece não medindo esforços para reduzir custos e taxas, que se traduzem em economia em favor dos Participantes e elevar o patrimônio da instituição. Para tal, tem contado com o apoio incondicional do Presidente do Conselho Federal da OAB, Ophir Cavalcante Júnior, participante do OABPrev, como toda diretoria do Conselho Federal, que definiram como uma das metas de sua gestão o desenvolvimento e fortalecimento do OABPrev. Confira em nosso site a entrevista do Dr. Ophir.

2 Por fim, vale lembrar que a imagem do OABPrev é construída a partir da conduta de cada um de seus agentes, sejam do Conselho, Direção, Colaboradores e de seus Participantes para sustentação do sucesso da Entidade. Diretoria Executiva Ativo BALANÇO PATRIMONIAL Exercício Atual Exercício Anterior Passivo Exercíci o Atual R$ Mil Exercíci o Anterior Disponível Exigível Operacional Realizável Programa Previdencial Programa Previdencial Programa Administrativo Programa Administrativo Exigível Atuarial Programa de Investimentos Provisões Matemáticas Renda Fixa Benefícios Concedidos Permanente Benefícios a Conceder Imobilizado Reservas e Fundos Fundos Programa Administrativo Total do Ativo Total do Passivo DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DE EXERCÍCIO DISCRIMINAÇÃO Exercício Atual Exercício Anterior Programa Previdencial - - (+) Recursos Coletados (-) Recursos Utilizados (-) Custeio Administrativo (+) Recursos Oriundos do Programa Administrativo (+/-) Resultados dos Investimentos Previdenciais (-/+) Constituições/Reversões de Provisões Atuariais Programa Administrativo - - (+) Recursos Oriundos de Outros Programas (+) Receitas (-) Despesas (-) Recursos Transferidos para o Programa Previdencial (+) Resultado dos Investimentos Administrativos (=) Constituição (Reversão) de Fundos Programa de Investimentos - - (+/-) Renda Fixa (+/-) Relacionadas com Tributos -1 (+/-) Resultados Recebidos/Transferidos de Outros Programas DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS FINANCEIROS D E S C R I Ç Ã O Exercício Atual Exercício Atual (+/-) PROGRAMA PREVIDENCIAL (+) ENTRADAS (+) Recursos Coletados (+) Outros realizáveis/exigibilidades R$ Mil

3 (-) SAÍDAS (-) Recursos utilizados (+/-) Utilizações a Pagar (+/-) Utilizações Futuras (-) Outros realizáveis/exigibilidades (+/-) PROGRAMA ADMINISTRATIVO (+) ENTRADAS (+) Receitas (-) SAÍDAS (-) Despesas (+) Despesas a pagar 3 2 (-) Despesas futuras - 1 (-) Permanente 5 4 (-) Outros realizáveis/exigibilidades (+/-) PROGRAMA DE INVESTIMENTOS (+/-) Renda Fixa (+/-) Relacionadas com Tributos - -1 (=) FLUXO NAS DISPONIBILIDADES (=) VARIAÇÃO NAS DISPONIBILIDADES DEMONSTRAÇÃO PATRIMONIAL E DE RESULTADOS PLANO DE BENEFÍCIO PREVIDENCIAL ATIVO Exercício Exercício PASSIVO Exercício Exercício Anterior Atual Anterior Atual Ativo Passivo Disponível Contas a Pagar Contas a Receber Compromissos com Part. Aplicações Fundos Renda Fixa Bens de Uso Próprio DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DESCRIÇÃO Exercício Atual Exercício Anterior (+) Contribuições (-) Benefícios (+/-) Rendimento das Aplicações (=) Recursos Líquidos (-) Despesas com Administração (-/+) Formação (utilização) dos Compromissos com Participantes e Assistido (-/+) Formação (utilização) de Fundos para riscos Futuros (=) Superávit (déficit) do Exercício - - Comentário sobre a Rentabilidade do Plano: Os investimentos do plano renderam 25,19% no exercício de 2009 conforme cotas. Comentário sobre o Custeio Administrativo do Plano: Corresponde a 3,42% sobre os recursos coletados. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO DE 2009 e 2008 (Valores em R$)

4 01. CONTEXTO OPERACIONAL O Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado Rio de Janeiro - OABPrev-RJ, é uma entidade fechada de previdência complementar, constituída sob a forma de sociedade de previdência complementar nos termos da Lei Complementar n.º 109, de 29 de maio de 2001, e normas subseqüentes, autorizada a funcionar pela Secretaria de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, através da portaria nº 761 de 18 de outubro de 2006, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e personalidade jurídica de direito privado. São Instituidores Fundadores do OABPrev-RJ, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro OAB/RJ e a Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro CAARJ, instituidores do Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado do Rio de Janeiro RJPrev. O OABPrev-RJ tem sede e foro na Avenida Beira-Mar, nº 200 7º andar Centro, Rio de Janeiro RJ, podendo manter escritórios, agentes ou representações locais e regionais em qualquer parte do território nacional. O OABPrev-RJ tem por objetivo executar e administrar planos de benefícios de natureza previdenciária, constituídos por Instituidores, mediante contribuição de Participantes, de Empregadores ou de ambos, de acordo com os regulamentos e com as leis aplicáveis. Poderá promover outros programas previdenciais, em caráter facultativo, mediante contribuição específica dos membros interessados, respeitada a legislação vigente. Nenhum benefício ou serviço poderá ser criado ou majorado sem que, em contrapartida, seja previamente estabelecida a respectiva receita de cobertura. Para a consecução de seus objetivos, a Entidade dispõe de recursos oriundos das Contribuições de seus participantes, de comissões e da remuneração dos seus ativos. Em observância ao artigo 14 do Código Tributário Nacional (CTN), o OABPrev-RJ não distribui dividendos, aplica no país a totalidade dos seus recursos e mantém a escrituração de suas receitas e despesas em livros formais capazes de assegurar a sua exatidão. 02. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e em conformidade com as diretrizes estabelecidas pelo Ministério da Previdência e Assistência Social para as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, de acordo com a Resolução MPAS/CGPC nº. 5 de 30 de janeiro de 2002, alterada pela MPAS/CGPC nº. 10 de 05 de julho de O OABPrev-RJ apresenta mensalmente balancetes, por plano de benefício e consolidado, segregando os registros contábeis em três programas distintos, segundo a natureza e a finalidade das transações, compreendendo o programa-fim (Previdencial) e programas-meio (Administrativo e de Investimentos). O fluxo de recursos nas contas de resultados, envolvendo repasses e reversões entre os programas, é efetuado por meio das contas de Transferências Inter-programas. Dessa forma, as Demonstrações Contábeis estão apresentadas de forma consolidada, comparativa com o mesmo período do exercício anterior. Objetivando visualizar a real situação patrimonial e de resultado a escrituração contábil da entidade é feita de forma a segregar os direitos e obrigações do plano de benefício de forma autônoma, livre e desvinculada. 03. SUMÁRIO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS A contabilidade do OABPrev-RJ é elaborada por planos de benefícios segregados em três Programas, formando um conjunto de informações consistentes e transparentes, com objetivo de caracterizar as atividades destinadas à realização de funções predeterminadas. Os Programas referidos são: Previdencial, Administrativo e de Investimentos. As definições seguintes demonstram suas características: Programa Previdencial: é o Programa que registra a atividade precípua e de existência obrigatória em uma EFPC, destinado ao registro contábil dos planos de benefícios de caráter previdenciário. Programa Administrativo: é o Programa destinado ao gerenciamento da administração dos planos de benefícios. Programa de Investimentos: é o Programa destinado ao gerenciamento das aplicações de recursos da EFPC. As Transferências Inter-programas são utilizadas para identificação da movimentação de recursos entre os Programas, por meio de transferências de recursos, de cobranças e de repasses entre as diferentes naturezas

5 de gastos dos mesmos. Sua utilização não pode ser aleatória, devendo a EFPC observar critérios estabelecidos na norma. O OABPrev-RJ adota métodos e critérios objetivos e uniformes ao longo do tempo, sendo que as modificações relevantes estão evidenciadas em Notas Explicativas, com a quantificação dos efeitos nas demonstrações contábeis. Os saldos do fluxo financeiro são derivados das variações ocorridas nos respectivos Programas previdencial, administrativo e de investimentos. Nos Programas previdencial e administrativo as entradas e saídas são apresentadas em separado, ao passo que no Programa de investimentos são apresentadas por subgrupo. Todos os lançamentos contábeis são registrados com base no Princípio da Competência, significando que na determinação do resultado são computados os recursos coletados, as receitas e as rendas ou variações positivas auferidas no mês, independentemente de sua efetiva realização, os recursos utilizados, as despesas e as deduções ou variações negativas, pagas ou incorridas no mês correspondente. Os títulos e valores mobiliários são registrados ao custo de aquisição, acrescidos dos rendimentos auferidos ou deduzidos das variações negativas ocorridos até a data do balanço, de acordo com o critério de marcação a mercado (MTM), determinado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os bens que constituem o Permanente Imobilizado são registrados ao custo de aquisição ajustados por depreciação calculada pelo método linear às taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil fixado por espécie de bens. NOTA 04. ATIVO 4.1. Disponível A denominação Disponível é usada para designar dinheiro em caixa e em bancos, bem como cheques em tesouraria e numerários em trânsito Realizável Programa Previdencial Registra os recursos a receber decorrentes de bloqueio judicial Programa Administrativo Registra os recursos a receber decorrentes de adiantamentos de férias a empregados, cotas capital da cooperativa de crédito e outros valores a receber do programa administrativo Programa de Investimentos DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO CONSOLIDADA DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS Em 31 de dezembro o OABPrev-RJ possuía os seguintes investimentos marcados ao seu valor de mercado (MTM), conforme determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em garantia das provisões matemáticas e fundos: Descrição Exercício Atual Exercício Anterior Renda Fixa , ,85 Aplicações em Instituições Financeiras , ,85 FAC de Fundo Investimento Financeiro , ,85 Mercatto Oabprev RJ Multimercado Prev FI , ,85 Total do Realizável do Programa de Investimentos , ,85 Em 31 de dezembro de 2009 o Mercatto Oabprev RJ Multimercado Prev FI (CNPJ / ) era representado por , cotas ao valor de 1, cada uma e apresentava a seguinte diversificação: Descrição Exercício Atual Exercício Anterior Ações de Cias Abertas 0,61 - Certificados de Depósitos Bancários CDB Pós 8,78 - Contas a pagar / receber -0,03-0,03% Debêntures Simples 6,96 - Fundos de Renda Fixa 37,51 82,31%

6 Fundos de Renda Variável 15,20 16,96% Opções BM&F 0,07 - Tesouraria 0,05 0,02% Títulos Públicos Federais 30,85 0,74% 4.3. Ativo Permanente Todos os itens registrados no Ativo Permanente foram inventariados e classificados de acordo com a sua natureza e devidamente depreciados de acordo com a data de aquisição. Os itens considerados obsoletos e totalmente depreciados foram baixados, mediante termo de inventário. Registra o valor contábil de bens e direitos imobilizados e estão contabilizados ao custo de aquisição, ajustado por depreciações de acordo com a natureza e tempo de vida útil dos itens que o compõem, conforme descrito na nota nº 3. NOTA 05. PASSIVO 5.1. Exigível Operacional Programa Previdencial Registra os as utilizações a pagar, os repasses a título de cobertura para custeio dos benefícios de risco contratados, e com vencimento em janeiro de 2007 e 2008 e os valores provisionados para a cobertura de riscos legais aos ex-associados do IASAERJ que deixaram de aderir ao OABPrev-RJ. O valor da provisão de Cobertura de Risco IASAERJ foi apurado com base no saldo entre o ativo total inventariado e a soma das reservas individuais dos participantes quando da transformação do Instituto em Entidade Fechada de Previdência Complementar. Durante a avaliação atuarial permanente foram sendo identificadas algumas inconsistências na base de participantes existente na implantação, fazendo com que houvesse um aumento no saldo da provisão e diminuição do saldo das provisões matemáticas Programa Administrativo Registra as despesas a pagar relativas ao Programa Administrativo, decorrentes de fornecedores e encargos sobre salários com vencimentos em janeiro, e a provisão para férias Exigível Atuarial Registra o valor das Provisões Atuariais corresponde ao somatório das contas individuais dos participantes do Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado do Rio de Janeiro RJPrev. Os estudos atuariais do plano de previdência são conduzidos pelo atuário, que assina a respectiva Nota Técnica Atuarial e é o único responsável pelos cálculos e estudos atuariais, seja perante a massa de participantes, os órgãos públicos e o próprio OABPrev-RJ. O mesmo atuário, com base nos estudos mencionados, determina o valor das provisões matemáticas do plano, e emite o seu parecer. DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO CONSOLIDADA DO EXIGÍVEL ATUARIAL Nas Provisões Matemáticas estão contabilizadas todas as contribuições vertidas ao IASAERJ, que foram convertidas em provisões de benefícios a conceder Reservas e Fundos O Fundo Administrativo é constituído pela sobra dos recursos do programa administrativo além do saldo do Fundo de Auxílio Desemprego Anormal - FUNDESA existente quando da transformação do IASAERJ em Entidade Fechada de Previdência Complementar EFPC. NOTA 06. DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 6.1. Programa Previdencial A contabilização dos recursos coletados e utilizados do Programa Previdencial é efetuada em atendimento ao Princípio da Competência, de acordo com o previsto no estatuto e no regulamento do plano, em conformidade com a Planificação Contábil Padrão das EFPC e de forma a possibilitar a prestação de informações de natureza estatística, entre outras Recursos Coletados

7 Registra as contribuições normais, contribuições para cobertura de risco, contribuições extraordinárias e portabilidades previdenciais oriundas dos participantes referentes ao custeio do plano de benefícios, prevista na adesão ao plano Recursos utilizados Registra as utilizações de recursos na cobertura de benefícios previdências e outros compromissos do programa previdencial Custeio Administrativo As despesas administrativas, relativas ao Plano, são custeadas pelos Participantes, nos termos do Plano de Custeio aprovado pelo Conselho Deliberativo, observada a legislação vigente Recursos Oriundos do Programa Administrativo Registra a transferência de recursos do Programa Administrativo para o Programa Previdencial dos valores referentes a contribuições administrativas efetuadas a maior pelos associados do IASAERJ e soma R$ , Resultado dos Investimentos Previdências Registra a transferência de recursos oriundos do Programa de Investimentos decorrente da remuneração dos recursos, observada a participação proporcional do Programa Previdencial no montante aplicado Programa Administrativo Registra exclusivamente os resultados da gestão administrativa da entidade, não contemplados no plano de benefícios. As contas de resultados do programa administrativo estão demonstradas pelo Princípio de Competência Recursos oriundos de outros programas Representa a soma das importâncias recebidas dos programas previdencial para cobertura dos custos administrativos, conforme descrito na nota 6.1.3, acima. Critérios utilizados para o custeio administrativo O critério utilizado para o custeio administrativo é o custeio direto através de rateio entre os Programas. São utilizados critérios uniformes de rateio, descritos em controles auxiliares Receitas do Programa Administrativo São consideradas como receitas do Programa Administrativo somente aquelas geradas no próprio Programa, decorrentes do rebate de taxa de comissão pela venda de plano de cobertura de benefícios de risco. Este procedimento visa evidenciar as receitas reais dos Programas e não contraria a filosofia de segregação dos mesmos Despesas do Programa Administrativo As despesas administrativas de todos os Programas são registradas de acordo com a natureza, classificando-se em Administração Previdencial e Administração dos Investimentos. As despesas necessárias à administração e ao controle dos investimentos são registradas no Programa Administrativo e são custeadas pelo Programa de Investimentos, por meio de Transferências Inter-programas. São consideradas despesas específicas da Administração dos Investimentos a gestão da carteira de Renda Fixa, remuneração, encargos e contingências trabalhistas, diárias e estadias ligadas ao pessoal da área de investimentos e outras inerentes a área, a fim de destacar o real custo de cada Programa Resultado dos Investimentos Administrativos Registra a transferência de recursos oriundos do Programa de Investimentos decorrente da remuneração dos recursos, observada a participação proporcional do Programa Administrativo no montante aplicado Constituição/Reversão do Fundo Administrativo O Fundo do Programa Administrativo, constituído na ocorrência de resultado positivo apurado no programa e revertido quando há insuficiência entre o custeio e receitas e as despesas do Programa Administrativo Programa de Investimentos É o programa destinado ao gerenciamento das aplicações dos recursos da Entidade, e apresenta os resultados líquidos dos diversos segmentos de aplicação. As contas de resultados do programa de investimentos estão demonstradas pelo Princípio de Competência.

8 Renda Fixa Registra as rendas e variações positivas, ajustadas pelas deduções e variações negativas diretamente relacionadas com títulos de renda fixa. O Fundo Mercatto Oabprev RJ Multimercado Prev FI é um fundo exclusivo para aplicações do OABPrev-RJ, e como o próprio nome diz, classifica-se na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) como fundo multimercado, o que significa que em seu regulamento há a previsão de aplicação em diversas modalidades de investimentos. Esta classificação não é prevista na planificação contábil padrão (Resolução MPAS/CGPC nº. 5), razão pela qual está planificado no segmento de renda fixa, embora possua em sua carteira, parcela de renda variável Resultados Recebidos/Transferidos para os Outros Programas Representa a soma das importâncias transferidas ao programa previdencial e ao programa administrativo, a título de remuneração dos respectivos investimentos Critérios utilizados para transferências inter-programas O resultado líquido dos investimentos foi totalmente revertido para remuneração das contas individuais dos participantes do plano de benefícios previdenciais, conforme sistema de avaliação de cotas diárias e o saldo do fundo administrativo. NOTA 07. GESTÃO DOS INVESTIMENTOS 7.1. Auditoria de Gestão Em cumprimento à Resolução CMN nº /2009, foi realizada auditoria de Gestão dos Investimentos pela empresa de auditoria TERCO GRANT THORTON, / , com a finalidade de avaliar a pertinência dos procedimentos técnicos operacionais e de controles utilizados na gestão dos recursos da Entidade Gestão de Recursos Em conformidade com o Art. 3º, 2º da Resolução CGPC nº. 12/2002 o OABPrev-RJ terceiriza a gestão dos recursos garantidores das provisões matemáticas, mediante contratação da Mercatto Gestão de Recursos LTDA, inscrita no CNPJ sob nº / , instituição especializada na gestão de recursos de terceiros Custódia De acordo com o art. 14 da Resolução CMN nº /2009, todos os títulos e valores mobiliários encontramse custodiados em conta própria DA Entidade. Os serviços de custódia e tesouraria são prestados pelo BANCO BRADESCO S/A, instituição financeira, com sede na Avenida Yara, s/n, Cidade de Osasco, Estado de São Paulo, inscrito no CNPJ/MF sob o nº / que atua como agente custodiante e responsável pelos fluxos de pagamentos e recebimentos relativos às operações realizadas no âmbito dos segmentos de renda fixa e renda variável, em conta própria do OABPrev-RJ. 1. OBJETIVO PARECER ATUARIAL - 17/10 A presente avaliação atuarial tem como finalidade apurar o resultado financeiro-atuarial e dimensionar as provisões matemáticas e o ativo líquido do Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado - RJPrev em 31/12/2009. O RJPrev é administrado pelo Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro OABPrev-RJ e instituído pela Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro e pela Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro - CAARJ. Visa também avaliar a rentabilidade dos recursos garantidores das provisões matemáticas e os resultados do Programa Administrativo da Entidade, bem como reiterar as premissas mais indicadas ao plano de benefícios em análise. Para tanto, levou-se em consideração os parâmetros técnico-atuariais estabelecidos pela Resolução CGPC n. 18 de 28 de março de BASE CADASTRAL

9 As informações referentes aos participantes ativos, assistidos e pensionistas para a avaliação atuarial, nos foram enviadas em arquivo magnético pela STOCK & INFO, com data-base em 31/12/2009, em formato xls, e foram objetos de análise e testes de consistências. Após a recepção dos dados, foram realizados os testes de consistência julgados necessários, sendo a referida base considerada satisfatória para a avaliação atuarial referente ao exercício financeiro de Estatísticas Gerais Participantes Ativos Item Nº de Participantes Idade Média (anos) 41,66 41,62 Tempo Médio de Filiação ao Plano (anos) 1,34 2,16 Contribuição Básica Média R$ 120,83 129,27 Saldo Individual Médio R$ , ,03 Estatísticas Gerais Assistidos Item Nº de Participantes Idade Média (anos) 64,79 64,53 Tempo Médio de Filiação ao Plano (anos) 1,45 2,36 Benefício Médio R$ 1.136, ,34 Saldo Individual Médio R$ , ,88 Estatísticas Gerais Pensionistas Item Nº de Pensionistas 9 20 Idade Média (anos) 44,33 48,70 Benefício Médio R$ 898, ,99 Saldo Individual Médio R$ , ,92 3. HIPÓTESES ATUARIAIS Premissas adotadas para a avaliação atuarial de 2009, passando a vigorar a partir do exercício de 2010, e que serão apresentadas no Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial DRAA. Hipóteses adotadas para a avaliação atuarial : a) Taxa de Juros: 5,00% a.a.; b) Tábua de Mortalidade Geral: AT 83; e, c) Tábua de Mortalidade de Inválidos: AT REGIME FINANCEIRO E MÉTODOS DE FINANCIAMENTO Adota-se para as avaliações atuariais do Plano de Benefícios RJPrev o regime financeiro de capitalização e o método de capitalização financeira individual, sob o qual serão constituídas as reservas matemáticas individualmente para os participantes, sendo as mesmas equivalentes, a qualquer momento, ao saldo da Conta Participante, acumulado até o momento da avaliação. 5. PROVISÕES MATEMÁTICAS Segue abaixo a estrutura contábil resumida das provisões matemáticas do Plano de Benefícios RJPrev em 31/12/2008, para fins de comparação, e 31/12/2009, data base da presente avaliação atuarial: EXERCÍCIO FINANCEIRO

10 ATIVOS LÍQUIDOS R$ ,85 R$ ,49 PROVISÕES MATEMÁTICAS R$ ,85 R$ ,49 Benefícios Concedidos R$ ,82 R$ ,76 Benefícios a Conceder R$ ,03 R$ ,73 RESULTADO REALIZADO R$ 0,00 R$ 0,00 6. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL Resultado Atuarial A situação atuarial do plano de benefícios RJPrev, administrado pela OABPrev-RJ, avaliada em função dos regimes financeiros, métodos de financiamento atuarial e hipóteses atuariais anteriormente descri tos, apresentou, em 31/12/2009, resultado de equilíbrio técnico. Rentabilidade do Plano Em função da modalidade do plano de benefícios, é vedada a garantia de rentabilidade mínima tanto na fase de capitalização quanto na de percepção de renda, sendo a taxa de juros adotada como premissa para, juntamente a um indexador, determinar um índice de referência (Benchmark) como ferramenta para mensurar e comparar sua rentabilidade. A taxa de juros estimada como rentabilidade real é utilizada também para fins de cálculos dos benefícios, conforme formulação demonstrada em Nota Técnica Atuarial aprovada pela Secretaria de Previdência Complementar SPC. No decorrer do ano de 2009, observou-se uma rentabilidade bastante positiva auferida pelos recursos da OABPrev-RJ. A rentabilidade nominal líquida dos recursos garantidores do plano, auferida entre 31/12/2008 e 31/12/2009, foi de 25,19% (vinte e cinco inteiros e dezenove centésimos por cento), superando o índice de referência em 14,30% (quatorze inteiros e trinta centésimos por cento), ante 9,53% (nove inteiros e cinquenta e três centésimos por cento) correspondentes ao referido índice. Programa Administrativo Foi realizado estudo com o objetivo de verificar a sustentabilidade do programa administrativo da Entidade. Para isso foi utilizado o fluxo contábil de despesas e receitas administrativas relativas ao período de janeiro de 2007 a dezembro de Observou-se no período mencionado uma despesa administrativa média R$ ,09 (oitenta e três mil, quatrocentos e noventa reais e nove centavos), e uma receita administrativa média de R$ ,47 (setenta e cinco mil, quatrocentos e vinte e seis reais e quarenta e sete centavos) alcançada pela aplicação da taxa de carregamento de 3,00% (três por cento) sobre as contribuições básicas e eventuais, pelas contribuições dos participantes assistidos, pela rentabilidade do Fundo Administrativo e receitas administrativas advindas dos benefícios de risco cobertos por seguradora contratada. Tal Fundo, em 31/12/2009, monta em R$ ,76 (oitocentos e cinco mil reais e setenta e seis centavos), enquanto que em 31/12/2008 era equivalente a R$72.769,08 (setecentos e setenta e dois mil, setecentos e sessenta e nove reais e oito centavos). Tal fato nos demonstra a sustentabilidade do Programa Administrativo atual. Considerações Finais Considerando o exposto no presente relatório se conclui que o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado - RJPrev encontra-se em equilíbrio atuarial e financeiro, devendo, entretanto, observar as indicações e os resultados apurados nesta avaliação atuarial.

11 RELATÓRIO RESUMO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO 2010 Taxa Mínima Atuarial / Índice de Referência Indexador por Plano/Segmento - Período de Referência : 01/2010 a 12/2010 Participação Plano/Segmento Percentual Indexador Indexador 100,00% PLANO DE BENEFÍCIOS 100,00% IPCA 5,00% 100,00% RENDA FIXA 100,00% DI-CETIP 0,00% 100,00% RENDA VARIÁVEL 100,00% IBOVESPA 0,00% Taxa de Juros Documentação/Responsáveis Data da Aprovação pelo Conselho Deliberativo: 28/12/2009 Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado Segmento Nome CPF Cargo PLANO DE BENEFÍCIOS Álvaro Luiz da Costa Fernandes Diretor Presidente Controle de Riscos Na aplicação dos recursos a Entidade deve identificar, avaliar, controlar e monitorar os riscos, incluindo os riscos de crédito, de mercado, de liquidez, operacional, legal e sistêmico, e a segregação das funções de gestão, administração e custódia. A OABPrev-RJ monitora os riscos através de empresa de consultoria contratada. Alocação dos Recursos Período de Referência: 01/2010 a 12/2010 Segmento Mínimo Máximo Alvo RENDA FIXA 70,00% 100,00% 85,00% RENDA VARIÁVEL 0,00% 30,00% 15,00% IMÓVEIS 0,00% 0,00% 0,00% EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS INVESTIMENTOS ESTRUTURADOS INVESTIMENTOS NO EXTERIOR 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 10,00% 5,00% 0,00% 5,00% 2,50% Período de Referência: 01/2010 a 12/2010 Utiliza Derivativos? Sim RELATÓRIO RESUMO DO DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS Alocação dos Recursos da Carteira de Investimento Segmento R$ Dezembro 2009 % em 2009 R$ Dezembro 2008 % em 2008

12 Renda Fixa , % , % Renda Variável Multimercado com RV , % , % , % - - Renda Fixa , % - - Renda Variável , % - - Total , % , % Alocação dos Recursos por Gestor 2009 A entidade possui apenas um plano de benefício, onde estão alocados 100% dos ativos. Dezembro 2009 % em 2009 R$ Dezembro 20 % em 2008 Nome do Gestor Valor R% % do Montante Terceirizado SDA , % MERCATTO , % MODAL , % OREN , % TOTAL , % Rentabilidade no Ano 2009 Plano RF RV Total PLANO DE BENEFíCIOS PREVIDENCIÁRIOS DOS ADVOGADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 12,03% 152,26% 26,82% CDI 9.88% - - IMA 12.90% - - COMP % - - IBOVESPA % - IBrX % - IBrX % - INPC + 6.0% % Despesas de Gestão de Investimentos 2009 d Gestor al o Taxa de Custódia ,92 Taxa de Gestão ,02 Cetip 5.229,00 Selic 1.200,01 Auditoria 4.143,64 CVM ,00 Total ,59 DESPESAS ADMINISTRATIVAS Auditoria 7.980,00 Aluguéis ,96 Assinaturas 317,20 Associação de Classe 4.262,88 Brindes e Propaganda ,15 Cartórios 4.738,56 Condomínio ,88

13 Consultoria Administrativa 465,00 Consultoria Atuarial ,00 Consultoria Jurídica ,69 Consultoria Contábil ,00 Consultoria Tecnologia de Informação ,28 Correios ,36 Depreciações e Amortizações 7.195,62 Despesas Bancárias ,98 Encargos ,61 Energia Elétrica ,51 Manutenção e Conserto 9.030,74 Material de Expediente ,13 Outros ,52 Pessoal ,67 Provisões Trabalhistas ,64 Serviços de Internet e Software 6.873,59 Telefonia ,38 Tributárias ,18 Treinamento ,00 Viagens e Estadias ,49 TOTAL ,02 DESPESAS ADMINISTRATIVAS PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Diretores, Conselheiros e Participantes da OABPrev-RJ 1. Examinamos o balanço patrimonial do Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro - OABPrev-RJ, levantado em 31 de dezembro de 2009, as respectivas demonstrações do resultado e dos fluxos financeiros correspondentes ao exercício findo naquela data, elaborados sob a responsabilidade de sua administração. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações. 2. Nosso exame foi conduzido de acordo com as normas brasileiras de auditoria e compreendeu: o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos, o volume de transações e o sistema contábil e de controles internos da Entidade; a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis mais representativas adotadas pela Administração da Entidade, bem como da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. 3. Em nossa opinião, as demonstrações contábeis referidas no parágrafo 1 representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro - OABPrev-RJ, em 31 de dezembro de 2009, o resultado de suas operações e o fluxo financeiro correspondente ao exercício findo naquela data, elaborados de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. 4. As demonstrações contábeis levantadas em 31 de dezembro de 2008, apresentadas para fins de comparação, foram auditadas por outros auditores independentes que emitiram parecer datado de 19 de março de 2009, sem ressalvas. Rio de Janeiro, 30 de março de 2010.

14 Auditores Independentes CRC 2SP /O 8 F-RJ Eduardo José Ramón Leverone Contador CRC RJ /O-6 PARECER DO CONSELHO DELIBERATIVO O Conselho Deliberativo do Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro Caarj OABPrev-RJ, no exercício de suas atribuições legais e estatutárias, em reunião extraordinária, realizada em 30 de março de dois mil e dez, após análise do Parecer da Terco Grant Thorton Auditores Independentes CRC-RJ nº /0-6, do Demonstrativo dos Resultados da Avaliação Atuarial emitido pela Dataa Consultoria Atuarial, o Balanço Patrimonial, a Demonstração dos Fluxos Financeiros e as respectivas Notas Explicativas referentes ao exercício findo de 31 de dezembro de 2009 emitidas pela assessoria contábil realizada pelo Sr. João Laércio de Amorim CRC-SC nº /0-2 e Parecer do Conselho Fiscal, aprovou por unanimidade a matéria apresentada. Vitor Marcelo A Aranha Rodrigues Presidente do Conselho Deliberativo PARECER DO CONSELHO FISCAL O Conselho Fiscal do Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil- Seção Estado do Rio de Janeiro e da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro- Caarj - OABPrev- RJ, no exercício de suas atribuições legais e estatutárias, em reunião ordinária, analisou os relatórios da Auditoria Independente, do Parecer Atuarial, o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Fluxo Financeiro e as respectivas Notas Explicativas referentes ao exercício findo de 31 de dezembro de Após análise com base nos pareceres da Terco Grant Thorton Auditores Independentes CRC-RJ nº /0-6, da DATAA Consultoria Atuarial e da assessoria contábil realizada pelo Sr. João Laércio de Amorim CRC-SC nº /0-2 o Conselho Fiscal conclui que os documentos refletem a situação patrimonial e financeira desta entidade, portanto aprovam e encaminham ao Conselho Deliberativo para sua aprovação. Roberto Silva de Siqueira Presidente do Conselho Fiscal

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos Relatório Anual 2009 ÍNDICE Introdução 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados 2. Política de Investimentos 2010 3. Distribuição de Investimentos 4. Parecer Atuarial 5. Parecer dos Auditores Independentes

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos para estruturação das demonstrações

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

Orgulho de ser OABPREV

Orgulho de ser OABPREV RELATÓRIO ANUAL 2008 Av. Hercílio Luz nº 639, sala 211 - Centro - Florianópolis - SC - CEP: 88020-000 Fones: (48) 3222-7440 e 3222-7450 - www.oabprev-sc.org.br APRESENTAÇÃO Orgulho de ser OABPREV Acreditamos

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 1- SIGLA: OABPREV 2- CÓDIGO: 04501 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.070.021-83 - PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO - PREV DADOS

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC TE 11 para ITG 2001 e de outras normas citadas: de NBC T 19.27 para NBC TG 26; de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL.

Leia mais

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007.

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007. ITAUVEST PERSONNALITÉ CURTO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007. Mercado / % sobre Aplicações/Especificação Quantidade Realização

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008.

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008. Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008. Mercado / % sobre Aplicações/Especificação Quantidade Realização Patrimônio R$ Mil Líquido 1.DISPONIBILIDADES 8 0,03 Depósitos

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS

Leia mais

CNPJ: 30.276.570/0001-70. BALANÇO PATRIMONIAL PARA OS EXERCíCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (EXPRESSO EM REAIS) ATIVO 3.2 3.

CNPJ: 30.276.570/0001-70. BALANÇO PATRIMONIAL PARA OS EXERCíCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (EXPRESSO EM REAIS) ATIVO 3.2 3. CNPJ: 30.276.570/0001-70 BALANÇO PATRIMONIAL PARA OS EXERCíCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 (EXPRESSO EM REAIS) ATIVO CIRCULANTE 2014 2013 DíSPONIVEL 1.399.149,86 934.204,07 CAIXA 3.1 1.501,05

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Diretores, Conselheiros e Associados da ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MONTE AZUL SÃO PAULO SP 1. Examinamos o Balanço Patrimonial da ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MONTE AZUL,

Leia mais

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO Plano de Contas Padrão, contendo alterações pela Instrução SPC nº 34/2009 ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO I CARACTERÍSTICAS 1. O plano de contas é formado por codificação alfanumérica. 2. A parte

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

As Notas Explicativas integram o conjunto das demonstracoes contabeis.

As Notas Explicativas integram o conjunto das demonstracoes contabeis. Fundo de Pensao Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil, Secao do Parana e da Caixa de Assistencia dos Advogados do Parana OABPrevPR CNPJ 00.889.819/000151 Demonstracoes Contabeis dos s Findos

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstrações Financeiras. Confederação Brasileira de Remo. em 31 de dezembro de 2012. Com relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras. Confederação Brasileira de Remo. em 31 de dezembro de 2012. Com relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Confederação Brasileira de Remo em 31 de dezembro de 2012. Com relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras ÍNDICE I. Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS EM REDE

ASSOCIAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS EM REDE ASSOCIAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS EM REDE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 2007 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 E 2007 CONTEÚDO Parecer dos auditores independentes Quadro

Leia mais

Plano de Benefícios Investco

Plano de Benefícios Investco Plano de Benefícios Investco ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 Demonstração do ativo líquido - Plano de

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

Plano de Benefícios EDP Renováveis

Plano de Benefícios EDP Renováveis Plano de Benefícios EDP Renováveis ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 Demonstração do ativo líquido -

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2003 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 29 de janeiro

Leia mais

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo)

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo) 1. Contexto operacional A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), por força do disposto no regulamento anexo à Resolução no. 2.690, de 28 de janeiro de 2000, do Conselho Monetário Nacional, mantinha um

Leia mais

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA O Fundo de Pensão Multinstituído da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOTPREV apresenta o relatório das principais atividades da Entidade durante

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2002 e de 2001 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes 21 de março de 2003

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2006 e de 2005 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2006 e de 2005 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2006 e de 2005 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA IPASSP SM DIRETORIA EXECUTIVA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores

Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron - ABTLuS Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes 18

Leia mais

RESOLUÇÃO 3.922 -------------------------

RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO. 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO. 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - ESCOLA DE ATIVISMO 31 de dezembro de 2012 SUMÁRIO BALANÇO PATRIMONIAL 02 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO 03 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 04 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA PARECER DE AUDITORIA INDEPENDENTE (31 DE DEZEMBRO DE 2005) PARECER DE AUDITORIA INDEPENDENTE Aos Srs. Administradores e Diretores da SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil) COOPERATIVA CENTRAL DE CRÉDITO URBANO - CECRED CNPJ: 05.463.212/0001-29 Rua Frei Estanislau Schaette, 1201 - B. Água Verde - Blumenau/SC NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Multi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo

RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009. Quadro Comparativo RESOLUÇÃO CGPC Nº XX - MINUTA V.1_SPC, 30ABR2009 Quadro Comparativo O PRESIDENTE DO CONSELHO DE GESTÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 5º, 18 e 74 da Lei

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas.

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01 Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas

Leia mais

ANEND AUDITORES INDEPENDENTES S/C

ANEND AUDITORES INDEPENDENTES S/C A DD. DIRETORIA DO SOLIDÁRIA - CRESOL BASER Rua Nossa Senhora da Glória, 52ª - Cango Francisco Beltão - PR CNPJ: 01.401.771/0001-53 Balanço Patrimonial e Demonstração de Sobras ou Perdas consolidadas do

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO CAPITAL SEGURO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmos. Srs. Conselheiros e Diretores da FUNDAÇÃO CASAN DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR - CASANPREV Brasília/DF Examinamos as demonstrações

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012 1 ATIVO 103.099.161,56 D 21.051.568,01 20.800.568,57 103.350.161,00 D 1.1 DISPONÍVEL 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53 D 1.1.1 IMEDIATO 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O ALFAPREV RF PRIVATE - Fundo de Investimento

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem como objetivo principal a prestação de serviços de segurança e vigilância de estabelecimentos industriais, comerciais, bancários e residenciais, tecnologia de segurança,

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2003 e de 2002 e parecer dos auditores independentes

GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2003 e de 2002 e parecer dos auditores independentes GIFE - Grupo de Institutos, Fundações e Empresas Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2003 e de 2002 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002 E 2001 FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO FUNDO BRASILEIRO PARA A BIODIVERSIDADE - FUNBIO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2002

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais