TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A."

Transcrição

1 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2014 Brasília-DF, 2015

2 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO 2014 Relatório de Gestão do exercício de 2014 apresentado aos órgãos de controle interno e externo como prestação de contas anual a que esta Unidade está obrigada nos termos do art. 70 da Constituição Federal, elaborado de acordo com as disposições da IN TCU nº 63/2010, da DN TCU nº 134/2013, da Portaria TCU nº 90/2014 e das orientações da Portaria CGU nº 133/2013. Brasília-DF, 2015

3 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações SUMÁRIO I. PARTE A DO ANEXO II DA DN TCU Nº 134/2013 CONTEÚDO GERAL IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DAS UNIDADES JURISDICIONADAS CUJAS GESTÕES COMPÕEM O RELATÓRIO Identificação da unidade jurisdicionada Finalidade e Competências Institucionais da Unidade Organograma Funcional Macroprocessos Finalísticos Gerir Planejamento de Ações e Programas Gerir Relações com Clientes Gerir Produtos e Serviços Gerir Tecnologia da Informação Gerir Redes e Recursos Gerir Relações com Parceiros e Fornecedores INFORMAÇÕES SOBRE A GOVERNANÇA Estrutura de Governança Conselhos de Administração e Fiscal Auditoria Interna Gerência de Governança Comitê de Gestão da Segurança da Informação Comitê de Gestão de Tecnologia da Informação Comitê Gestor Orçamentário Atuação da Unidade de Auditoria Interna Sistema de Correição Avaliação do Funcionamento dos Controles Internos Remuneração Paga a Administradores Política de Remuneração dos Membros da Diretoria Estatutária e dos Conselhos de Administração e Fiscal Demonstrativo da Remuneração Mensal de Membros de Conselhos Demonstrativo Sintético da Remuneração de Membros de Diretoria e de Conselhos Demonstrativo da Remuneração Variável dos Administradores RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE Canais de acesso do cidadão Carta de Serviços ao Cidadão Mecanismos para medir a satisfação dos produtos e serviços Acesso às informações da unidade jurisdicionada Avaliação do desempenho da unidade jurisdicionada Medidas Relativas à acessibilidade AMBIENTE DE ATUAÇÃO Informações do ambiente de atuação da unidade jurisdicionada PLANEJAMENTO DA UNIDADE E RESULTADOS ALCANÇADOS Planejamento da unidade Programação orçamentária e financeira e resultados alcançados Programa Temático Objetivo Ações

4 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 5.3 Informações sobre outros resultados da gestão Atividades Comerciais Gerência Jurídica Projetos Estruturantes Informações sobre indicadores de desempenho operacional Informações sobre custos de produtos e serviços TÓPICOS ESPECIAIS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA: Programação e Execução das Despesas Programação da Despesa Movimentação de Créditos Interna e Externa Realização da Despesa Despesas com ações de publicidade e propaganda Reconhecimento de passivos por insuficiência de créditos ou recursos Movimentação e os saldos de restos a pagar de exercícios anteriores Transferência de Recursos Suprimento de Fundos Renúncias sob a Gestão da UJ Gestão de Precatórios GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS Estrutura de pessoal da unidade Demonstração e Distribuição da Força de Trabalho à Disposição da Unidade Jurisdicionada Qualificação e capacitação da Força de Trabalho Custos de Pessoal Irregularidades na área de pessoal Riscos identificados na gestão de pessoas Indicadores Gerenciais sobre Recursos Humanos Contração de mão de obra de apoio e de estagiários Contratação de Serviços de Limpeza, Higiene e Vigilância Locação de Mão de Obra para Atividades não Abrangidas pelo Plano de Cargos do Órgão Análise Crítica dos itens e Contratação de Estagiários Desoneração da folha de pagamento GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO Gestão da Frota de Veículos Próprios e Contratados de Terceiros Gestão do Patrimônio Imobiliário Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial Imóveis sob a Responsabilidade da UJ, exceto Imóvel Funcional Imóveis Funcionais da União sob Responsabilidade da UJ Análise Crítica: Bens Imóveis Locados de Terceiros GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Gestão da Tecnologia da Informação (TI) GESTÃO DO USO DOS RECURSOS RENOVÁVEIS E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Gestão do Uso dos Recursos Renováveis e Sustentabilidade Ambiental Atendimento de demandas de Órgãos de Controle Tratamento de deliberações exaradas em acórdão do TCU Deliberações do TCU Atendidas no Exercício

5 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Deliberações do TCU Pendentes de Atendimento ao Final do Exercício Tratamento de Recomendações do Órgão de Controle Interno (OCI) Recomendações do Órgão de Controle Interno Atendidas no Exercício Recomendações do OCI Pendentes de Atendimento ao Final do Exercício Declaração de Bens e Rendas Estabelecida na Lei n 8.730/ Situação do Cumprimento das Obrigações Impostas pela Lei 8.730/ Situação do Cumprimento das Obrigações Medidas Adotadas em Caso de Dano ao Erário Alimentação SIASG E SICONV INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Medidas Adotadas para Adoção de Critérios e Procedimentos Estabelecidos pelas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público Apuração dos custos dos programas e das unidades administrativas Conformidade Contábil Declarção do Contador Atestando a Conformidade das Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas previstas na Lei n 4.320/1964 e pela NBC t 16.6 aprovada pela Resolução CFC n 1.133/ Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas exigidas pela Lei nº 6.404/ Composição Acionária das Empresas Estatais Composição Acionária do Capital Social como Investida Composição Acionária da UJ como Investidora Relatório de Auditoria Independente OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO Outras Informações Consideradas Relevantes pela UJ II. PARTE B, ITEM 63 DO ANEXO II DA DN TCU Nº 134, DE 04/12/ I INFORMAÇÕES SOBRE AS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PATROCINADAS NOME RAZÃO SOCIAL CNPJ Demonstrativo Anual Conclusões contidas no relatório da auditoria independente Demonstração do resultado atuarial e Conclusões do último estudo atuarial II INFORMAÇÕES SOBRE AS AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO EMPREENDIDAS

6 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações LISTA DE QUADROS Quadro A Identificação da UJ Relatório de Gestão Individual... 6 Quadro A Informações sobre áreas ou subunidades estratégicas...8 Quadro A Avaliação do Sistema de Controles Internos da UJ...32 Quadro A Remuneração dos Conselhos de Administração e Fiscal Quadro A Síntese da Remuneração dos Administradores Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Aquisição de um Satélite em Posição Orbital Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Bens Imóveis Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Bens Móveis, Veículos, Máquinas e Equipamentos Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Instalação de Edifício-Sede Quadro A.5.4 Indicadores de Desempenho Quadro A Programação de Despesas Quadro A Despesas por Modalidade de Contratação Créditos Originários - Total Quadro A Despesas executadas diretamente pela UJ, por modalidade de contratação - Créditos Originários..75 Quadro A.6.2 Despesas com Publicidade Quadro A Força de Trabalho da UJ Quadro A Distribuição da Lotação Efetiva Quadro A Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ...79 Quadro A Custos do pessoal...81 Quadro A Contratos de prestação de serviços de limpeza e higiene e vigilância ostensiva Quadro A Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Quadro A Composição do Quadro de Estagiários Quadro A Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial Locados de Terceiros Quadro A Contratos na área de Tecnologia da Informação em Quadro A Cumprimento das deliberações do TCU atendidas no exercício Quadro A Relatório de cumprimento das recomendações do órgão de controle interno Quadro A Situação das recomendações do OCI que permanecem pendentes de atendimento no exercício...92 Quadro A Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores da UJ, da obrigação de entregar a DBR Quadro A Declaração de inserção e atualização de dados no SIASG e SICONV...94 Quadro A Composição Acionária do Capital Social Quadro A Investimentos Permanentes em outras sociedades

7 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXOS (Nº de folha do processo) ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE ÁREAS OU SUBUNIDADES ESTRATÉGICAS... ANEXO II AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS DA UJ... ANEXO III REMUNERAÇÃO DOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL... ANEXO IV SÍNTESE DA REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES... ANEXO V QUADRO DEMONSTRATIVO CAPACITAÇÃO ANEXO VI DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS BENS IMÓVEIS DE USO ESPECIAL LOCADOS DE TERCEIRO... ANEXO VII CONTRATOS NA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM ANEXO VIII CUMPRIMENTO DAS DELIBERAÇÕES DO TCU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO... ANEXO IX RELATÓRIO DE CUMPRIMENTO DAS RECOMENDAÇÕES DO ÓRGÃO DE CONTROLE INTERNO... ANEXO X SITUAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES DO OCI QUE PERMANECEM PENDENTES DE ATENDIMENTO NO EXERCÍCIO... ANEXO XI DESCRIÇÃO DOS CENTROS DE CUSTO DA EMPRESA... ANEXO XII RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE ANEXO XIII - DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS... ANEXO XIV - NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS... ANEXO XV PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA DESTINAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DE ANEXO XVI - PARECER DO CONSELHO FISCAL... ANEXO XVII - PARECER DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO... ANEXO XVIII - DECLARAÇÃO DOS DIRETORES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS... ANEXO XIX - RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS E CONSOLIDADAS... ANEXO XX - DECLARAÇÃO DOS DIRETORES SOBRE O RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES... ANEXO XXI - VALOR TOTAL DO TIPO DE APLICAÇÃO E RESPECTIVA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL E AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR... ANEXO XXII CONCLUSÕES CONTIDAS NO RELATÓRIO DA AUDITORIA INDEPENDENTE... ANEXO XXIII DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ATUARIAL E CONCLUSÕES DO ÚLTIMO ESTUDO ATUARIAL... 5

8 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão 2014 está estruturado de acordo com as orientações presentes no Anexo II da DN TCU nº 134/2013. A estrutura do relatório encontra-se dividida em: parte A e parte B. A parte A contempla os itens aplicáveis às sociedades de economia mista, os quais estão indicados no Quadro A1, Relacionamento entre as Unidades Jurisdicionadas e os Conteúdos Gerais do Relatório de Gestão, do Anexo II da DN TCU nº 134/2013. Os itens do Anexo II, que de acordo com a decisão normativa não se aplicam à realidade da Telebras ou que apesar de se aplicarem à natureza da empresa, não apresentaram conteúdo a ser declarado em 2014, bem como os motivos da não aplicação, podem ser visualizados na tabela abaixo: Item 6.3 -Reconhecimento de passivos por insuficiência de créditos ou recursos Motivo de não aplicação A Telebras não tem contas a pagar. Todas são a vencer Movimentação e os saldos de restos a pagar de exercícios anteriores A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76 e portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e não é usuária do sistema SIAFI Transferência de Recursos A Telebras não apresentou transferência realizada no exercício de Suprimento de Fundos O quadro A1 do Anexo II da DN TCU nº 134/2013 dispensa a Telebras de apresentar tal informação, todavia o valor total do Suprimento de Fundos realizado no ano de 2014 pode ser observado no quadro A do Relatório de Gestão Renúncias sob a Gestão da UJ Não houve nenhuma renúncia sob a gestão da Telebras no ano de Gestão de Precatórios A Telebras não realizou Gestão de Precatórios no ano de Gestão do uso dos recursos renováveis e sustentabilidade ambiental A Telebras não realizou Gestão de uso dos recursos renováveis e sustentabilidade ambiental em Medidas adotadas para adoção de critérios e procedimentos estabelecidos pelas normas brasileiras de contabilidade aplicadas ao setor público A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76 e portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/ Conformidade Contábil 12.4 Declaração do contador atestando a conformidade das demonstrações contábeis

9 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Demonstrações contábeis e notas explicativas previstas na Lei nº 4.320/1964 e pela NBC t 16.6 aprovada pela Resolução CFC nº 1.133/2008 A parte B contempla o item 63 do Anexo II da DN TCU nº 134/2013. Apresenta informações sobre a Sistel, entidade fechada de previdência complementar patrocinada, além de informações sobre as ações de fiscalização empreendidas. Mesmo com dificuldades oriundas de um corpo operacional reduzido e limitações orçamentárias, em 2014, a Companhia, em estrita consonância com os seus objetivos institucionais, direcionou seus esforços no sentido de (i) intensificar a implantação da infraestrutura necessária ao Programa Nacional de Banda Larga PNBL Decreto 7.175/2010; (ii) estar cada vez mais apta a atender ao que determina o Decreto nº 8.135/2013; e (iii) ampliar sua carteira de clientes corporativos. Projetos Especiais também estiveram e estão no foco das ações da Telebras, são eles: (i) a aquisição do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (Projeto SGDC); (ii) o desenvolvimento do Projeto de Cabos Submarinos Internacionais. Por fim, o ano de 2014 representou um marco na história da Telebras: nunca uma Copa do Mundo de Futebol teve todos os seus jogos transmitidos a partir de uma rede de telecomunicações formada integralmente por fibras ópticas, sendo a Telebras protagonista deste feito.

10 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações I. PARTE A DO ANEXO II DA DN TCU Nº 134/2013 CONTEÚDO GERAL 1. IDENTIFICAÇÃO E ATRIBUTOS DAS UNIDADES JURISDICIONADAS CUJAS GESTÕES COMPÕEM O RELATÓRIO 1.1 Identificação da unidade jurisdicionada Poder: Executivo Quadro A Identificação da UJ Relatório de Gestão Individual Poder e Órgão de Vinculação Órgão de Vinculação: Ministério das Comunicações : 3159 Identificação da Unidade Jurisdicionada Denominação Completa: Telecomunicações Brasileiras S.A Denominação Abreviada: Telebras : 75 Código LOA: Código SIAFI: Não há Natureza Jurídica: Sociedade de Economia Mista CNPJ: / Principal Atividade: Provedor de Acesso a Rede de Telecomunicações Código CNAE: Telefones/Fax de contato: (061) (061) Endereço Eletrônico: Página na Internet: Endereço Postal: SCS Quadra 9, Bloco B, Salas 301 a 305 e 401 a 405 Edf. Parque Cidade Corporate Brasília - DF CEP: Normas de criação e alteração da Unidade Jurisdicionada Normas Relacionadas à Unidade Jurisdicionada Constituição: Lei nº 5.792, de 11 de julho de 1972 Cisão Parcial: Assembleia Geral Extraordinária de 22 de maio de 1998 Reativação: Decreto nº 7.175, de 12 de maio de 2010 Decreto nº 8.135, de 4 de novembro de 2013 Portaria Interministerial 141/2014 Outras normas infralegais relacionadas à gestão e estrutura da Unidade Jurisdicionada Estrutura atual: 96ª Assembleia Geral Extraordinária, de 28 de junho de 2013 e 380ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração, de 12 de novembro de 2013 Manuais e publicações relacionadas às atividades da Unidade Jurisdicionada Estatuto, Código de ética, Regimento Interno, Diretriz de Acompanhamento e fiscalização dos contratos administrativos, Diretriz de Contratação/aquisição de materiais, obras e serviços, Diretriz de Contratações diretas relacionadas à atividade fim da empresa, Diretriz Orçamentário-Financeira, Manual de Compras. Unidades Gestoras e Gestões relacionadas à Unidade Jurisdicionada Unidades Gestoras Relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome Não há Gestões Relacionadas à Unidade Jurisdicionada Código SIAFI Nome Não há 6

11 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Relacionamento entre Unidades Gestoras e Gestões Código SIAFI da Unidade Gestora Código SIAFI da Gestão Não há Não há 1.2 Finalidade e Competências Institucionais da Unidade A Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras, sediada no Setor Comercial Sul - SCS Quadra 9 Bloco B Salas 301 a 305e 401 a 405 Brasília-DF CEP (Edifício Parque Cidade Corporate Torre B), endereço eletrônico: CNPJ / , é uma empresa de economia mista de capital aberto vinculada ao Ministério das Comunicações, constituída em 9/11/1972, de acordo com a Lei 5.792, de 1/07/1972. Rege-se pela Lei 6.404/76 e por disposições especiais de leis federais e da Comissão de Valores Mobiliários - CVM, pela legislação de telecomunicações, pelas leis e usos do comércio e demais disposições legais aplicáveis. A partir da publicação do Decreto 7.175, de 12/05/2010, publicado no DOU de 13/05/2010, que instituiu o Programa Nacional de Banda Larga PNBL, a Empresa iniciou a sua reestruturação organizacional, visando o exercício das suas novas atribuições bem como a implantação das bases de suporte do referido programa. Conforme disposto no Decreto 7.175/2010, cabe à Empresa: (i) implementar a rede privativa de comunicação da Administração Pública Federal; (ii) prestar apoio e suporte a políticas públicas de conexão à Internet em banda larga para universidades, centros de pesquisa, escolas, hospitais, postos de atendimento, telecentros comunitários e outros pontos de interesse público; (iii) prover infraestrutura e redes de suporte a serviços de telecomunicações prestados por empresas privadas, Estados, Distrito Federal, Municípios e entidades sem fins lucrativos; e (iv) prestar serviço de conexão à internet em banda larga para usuários finais, apenas e tão somente em localidades onde inexista oferta adequada daqueles serviços. O Decreto 8.135/, de 04/11/2013, estabelece que o atendimento das comunicações de dados da administração pública federal direta, autárquica e fundacional deve ser realizado por redes estatais e, especialmente, dispensa de licitação a contratação desse serviço. A Portaria 141/2014 advém desse Decreto e o complementa, estabelecendo a necessidade de certificação de todos os equipamentos e sistemas que envolvem tecnologia da informação e comunicação a serem vendidos para o governo, garantindo proteção contra potenciais vulnerabilidades de segurança. A Telebras se torna elemento fundamental para consecução dos dispostos no Decreto e na Portaria, por apresentar uma rede de fibra óptica que se faz presente em todas as regiões brasileiras e que é capaz de garantir a segurança das comunicações do governo e proteção contra as ameaças de ciberespionagem internacionais. 7

12 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 1.3 Organograma Funcional Quadro A.1.3 Informações sobre áreas ou subunidades estratégicas Informação disponível no ANEXO I. 8

13 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 1.4 Macroprocessos Finalísticos No exercício de 2013, a cadeia de valor da Telebras foi redesenhada. Segue abaixo o primeiro nível desta cadeia. Processos de Planejamento Processos de Negócio Gerir Relação com Clientes Gerir Produtos e Serviços Gerir Planejamento de Ações e Programas Gerir Tecnologia da Informação Gerir Redes e Recursos Gerir Relação com Parceiros e Fornecedores Cada um dos macroprocessos da cadeia de valor da Telebras foi detalhado em uma cadeia de valor de segundo nível, demonstrando os processos que fazem parte do macroprocesso e as suas interligações. Uma boa parte dos processos da Cadeia de Valor da Telebras foi modelada, mas a maioria destes processos ainda não foi implantada formalmente. A execução dos processos nestes casos está sendo feito com base na experiência dos colaboradores envolvidos e no histórico de atuação da organização. Existem várias iniciativas de implantação formal de processos, culminando na sua normatização Gerir Planejamento de Ações e Programas Este macroprocesso é responsável pela análise do contexto da organização, pela elaboração dos planos orientadores plano de negócio, planos estratégico, tático e operacional, plano de novos negócios e pelo acompanhamento da execução destes planos. 9

14 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Processos de Planejamento Processos de Negócio Analisar Ambiente Externo e Competitividade Atualizar Plano de Negócios da TELEBRAS Gerir Planejamento de Ações e Programas Elaborar Plano Estratégico Elaborar Plano Tático e Operacional Acompanhar Execução do Planejamento Analisar Demandas Extraordinárias Elaborar Plano de Novos Negócios Os principais produtos deste macroprocesso são a análise do ambiente externo, o plano de negócios e os planos estratégico, tático e operacional que orientam a atuação da organização. A responsabilidade pela geração destes produtos é compartilhada entre as unidades da Telebras, tendo em visto que eles são fruto de discussões com participação de todas as áreas chave da organização, com destaque para a diretoria executiva, que provê as diretrizes iniciais e toma as decisões finais. Todas as unidades da organização são clientes deste macroprocesso, tendo que alinhar sua atuação com os objetivos estratégicos definidos. No exercício de 2014, foi feita uma revisão do Plano Estratégico, com os seus objetivos, iniciativas e projetos estratégicos. Além disso, foi iniciada a revisão do plano de negócios da Telebras. A elaboração dos planos táticos e operacionais foi feita por meio de uma projetização das iniciativas estratégicas, designando gestores de projeto que definam e acompanhem as ações dos projetos sem ser limitados pelas barreiras das unidades administrativas existentes. 10

15 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerir Relações com Clientes Este macroprocesso é responsável pela gestão do interface com o cliente, pela comercialização de produtos e serviços, pela iniciação da prestação de serviços e gestão de clientes após assinatura de contrato. Processos de Planejamento Processos de Negócio Gerir Interface com Cliente Realizar Atendimento Vendas e Aprovisionamento Atender ao Cliente Realizar Atendimento Técnico Realizar Atendimento Faturamento/Administrativo Planejar Interação com Clientes Analisar Clientes Reter e Fidelizar Clientes Gerir Interações dos Clientes Comercializar Produtos e Serviços Negociar Vendas Prospectar Clientes Avaliar Oportunidades de Negócio Elaborar Análise de Viabilidade e Pré-Projeto Acompanhar Ativação Participar em Licitação Planejar Vendas Administrar Portfolio de Clientes Administrar Força de Vendas Administrar Rentabilidade do Negócio Ativar Clientes Solicitar Ativação de Clientes Elaborar Projeto Técnico Instalar Última Milha Efetivar Ativação de Clientes Realizar Faturamento Os principais produtos deste macroprocesso são os contratos comerciais com os clientes, os serviços ativados para estes e a garantia de manter os mesmos fiéis e rentáveis. Os insumos para estes produtos são o Plano de Marketing como orientação e os insumos de instalação de última milha para ativação de clientes. A responsabilidade pela geração destes produtos é compartilhada entre a Diretoria Comercial, que conquista e gerencia os clientes, e a Diretoria Técnica, que ativa os serviços contratados. Os clientes deste macroprocesso são em primeira instância os clientes comerciais da Telebras, e por extensão a sociedade que se beneficia dos serviços prestados ao governo, ou como cliente final no contexto do PNBL. Em 2014, este macroprocesso foi responsável pela geração de 95,6% das receitas próprias operacionais geradas. Esta receita foi gerada principalmente pelo atendimento de clientes do setor de governo e dos provedores de serviços de telecomunicações locais, com acréscimo de banda ativada de 172% em comparação com

16 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerir Produtos e Serviços Este macroprocesso é responsável pela análise e suprimento das necessidades de marketing da organização o pelo desenvolvimento e gestão de produtos e serviços oriundos do seu posicionamento no mercado. Processos de Planejamento Processos de Negócio Desenvolver Produtos e Serviços Especificar Produtos e Serviços Precificar Produtos e Serviços Gerir Implantação de Produtos e Serviços Planejar Portfólio de Produtos e Serviços Gerir Desempenho dos Produtos e Serviços Gerir Ciclo de Vida dos Produtos e Serviços Gerir Marketing de Produtos e Serviços Executar Pesquisas de Mercado Definir e Segmentar Portfólio de Clientes Produtos/Serviços Gerir Campanhas de Marketing Gerir Inteligência de Mercado Elaborar Plano de Marketing Avaliar Desempenho do Plano e Campanhas de Marketing Gerir Marketing de Relacionamento 12

17 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Os principais produtos deste macroprocesso são os estudos do mercado, do comportamento e necessidades dos clientes, dos resultados dos esforços comerciais e de marketing. O Plano de Marketing que orienta a atuação comercial, a expansão da rede da Telebras e a gestão do portfólio de produtos e serviços, e estes produtos e serviços com as suas respectivas características e precificação. Os principais insumos para este macroprocesso são o Plano de Negócios e o Plano Estratégico, que orientam a atuação da organização A responsabilidade pela geração destes produtos é da Diretoria Comercial, com ênfase na Gerência de Engenharia Comercial. Os clientes deste macroprocesso são as unidades que interagem diretamente com o cliente, como a Gerência de Vendas Governo e Corporativo, os Escritórios Regionais e a Gerência de Pós-Venda, e a Gerência de Planejamento Técnico e Controle, que recebe a demanda de expansão de rede. Em 2014, foram iniciadas instâncias do processo de especificação de produtos e serviços para formalizar e documentar os produtos do portfólio atual da organização. Os produtos e serviços da Telebras, definidos por meio deste macroprocesso, podem sofrer um impacto de um trabalho paralelo que está sendo realizado para redesenhar o planejamento estratégico e o plano de negócios empresa, para o atendimento das exigências estabelecidas no Decreto 8.135/ Gerir Tecnologia da Informação Este macroprocesso é responsável pelo planejamento, provimento e suporte de soluções de TI, bem como pela gestão da governança e do monitoramento dos processos de TI. Gerir Governança de TI Processos de Planejamento Processos de Negócio Gerir Atividades de TI Planejar e Organizar TI Construir/Adquirir e Implantar Soluções de TI Entregar e Prover Suporte de TI Monitorar Processos de TI Os principais produtos deste macroprocesso são soluções de TI adequadas às necessidades dos usuários, e o devido suporte para garantir a sua continuidade e confiabilidade. A responsabilidade pela geração destas soluções é da Gerência de Tecnologia da Informação, enquanto a responsabilidade pelo provimento de suporte é da Gerência de Operação e Manutenção. Os clientes deste macroprocesso são todas as unidades da organização, na medida em que tenham as suas necessidades atendidas, e os clientes da Telebras que se beneficiem de serviços com maior valor agregado. Em 2014, deu-se prosseguimento à implementação de sistemas como o SAP (sistema integrado de gestão), envolvendo toda a organização, além de prover o suporte necessário aos sistemas que já se encontravam em uso na Telebras. A implantação do SAP já conta com vários módulos em fase de operação. Contudo, demandará esforço significativo para adequação e evolução nos próximos anos. 13

18 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerir Redes e Recursos Este macroprocesso é responsável pelo planejamento, construção, operação e manutenção da rede de telecomunicações da Telebras. Processos de Planejamento Processos de Negócio Planejar Rede Construir Rede Operar e Manter Rede Realizar Manutenção Preventiva da Rede Prospecção de Novas Tecnologias Testes e Homologação de Equipamentos de Rede Elaborar Projeto de Construção de Rede Instalar Infraestrutura da Rede Monitorar a Rede Gerir Rotas e Tráfego Realizar Manutenção Corretiva da Rede Gerir Arquitetura de TIC Planejar Expansão/ Evolução da Rede Administrar Força de Trabalho Controlar Inventário de Recursos de Rede Gerir Incidentes de Rede Administrar Desempenho e Qualidade de Rede Gerir problemas de Rede Administrar Segurança de Rede Gerir Configuração de Rede Gerir Mudanças e Rede 14

19 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Os principais produtos deste macroprocesso são a arquitetura de TIC, o planejamento de expansão da rede, o backbone e backhaul da Telebras, e a gestão adequada desta rede garantindo a sua continuidade e segurança. A responsabilidade da geração destes produtos é da Diretoria Técnica (Gerência de Planejamento Técnico e Controle, Gerências de Engenharia de Rede e Gerência de Operação e Manutenção). Os principais insumos são o Plano de Marketing, fibras cedidas pelos parceiros como as companhias elétricas e Petrobras, e os equipamentos e serviços de instalação adquiridos para equipar e expandir a rede. Os clientes deste macroprocesso são as unidades de venda que oferecem os produtos e serviços em cima da rede operacional. Um parceiro importante neste macroprocesso e a Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros, que negocia trechos necessários que não serão construídos neste momento com outros players do mercado. Em 2014, foram implantados 4,3 km adicionais de backbone e 92 novas estações. Além disso, houve avanços no nível de controle na operação da rede, e foram elaborados os projetos das redes metropolitanas que começarão a ser construídas a partir de Gerir Relações com Parceiros e Fornecedores Este macroprocesso é responsável pelo planejamento, seleção, acionamento e avaliação de parceiros e fornecedores e pela integração administrativa e gerencial com os demais processos da cadeia de valor. 15

20 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Processos de Planejamento Processos de Negócio Selecionar Parceiros e Fornecedores Negociar Acordo Contratar por Edital Gerenciar Requisições de Parceiros e Fornecedores Gerenciar Encontro de Contas Planejar Relações com Parceiros e Fornecedores Acompanhar Ativação de Acordos de Parceria Gerir Desempenho e Problemas de Parceiros e Fornecedores Gerir Interface com Parceiros Os principais produtos deste macroprocesso são fibras, circuitos e capacidades contratados de parceiros e operadoras para suprir necessidades da organização provenientes do planejamento técnico de expansão da rede ou de atendimento de clientes, além de serviços vendidos para estes intervenientes. A responsabilidade pela geração destes produtos é da Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros. Os clientes deste macroprocesso são a Gerência de Operação e Manutenção, responsável pela gestão da rede, e as gerências de venda, que precisam de circuitos para atender os clientes. Este macroprocesso gerou uma receita própria operacional de R$ ,56, representando 4,4% do total do exercício de 2014, fruto de contratos fechados com operadoras e parceiros. 16

21 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 2. INFORMAÇÕES SOBRE A GOVERNANÇA 2.1 Estrutura de Governança Conselhos de Administração e Fiscal A Telecomunicações Brasileiras S.A. - Telebras é uma sociedade anônima aberta, de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, sob controle da União. Possui um Conselho de Administração, composto por 8 membros, que se reúnem mensalmente, ordinariamente, podendo se reunir extraordinariamente quando necessário, tendo as seguintes competências contidas no Estatuto Social da Sociedade: I. - fixar a política de orientação geral dos negócios da Telebras e acompanhar sua execução; II. - convocar a Assembléia Geral; III. - aprovar e submeter à Assembléia Geral as demonstrações financeiras e o Relatório de Administração da Telebras, neles incluídas as demonstrações consolidadas; IV. - eleger e destituir, a qualquer tempo, os diretores da Telebras, fixando-lhes as atribuições, observadas as disposições legais e estatutárias; V. - aprovar, mediante proposta da Diretoria Executiva, a indicação ou destituição de titular da Auditoria Interna; VI. - aprovar os planos gerais da Telebras; VII. - resolver sobre as condições de emissão de debêntures, por delegação da Assembléia Geral; VIII. - aprovar o Regimento da telebras especificando as atribuições de cada diretor, observadas as disposições legais e estatutárias; IX. - autorizar a alienação dos bens imóveis da Telebras; X. - fiscalizar a gestão dos diretores, examinar, a qualquer tempo, os livros da Telebras, solicitar informações sobre contratos celebrados ou em via de celebração e quaisquer outros atos; XI. - escolher e destituir os auditores independentes; XII. - aprovar e alterar o Regimento Interno do Conselho; XIII. - conceder licença e férias aos membros da Diretoria, indicando o respectivo substituto. XIV. - aprovar a participação da Telebras no capital de outras empresas ou a cessação dessa participação e a constituição de empresas subsidiárias; XV. - autorizar a aquisição de ações de emissão da Telebras para efeito de cancelamento ou permanência em tesouraria e posterior alienação; XVI. - deliberar sobre os atos de fixação do quadro geral de pessoal, do plano de cargos e salários, de gratificações, direitos e vantagens, bem como a contratação, a termo, de profissionais, na forma da legislação pertinente; XVII. - autorizar a aquisição de bens ou serviços que ultrapassem o limite fixado nas normas internas e na legislação pertinente; XVIII. - aprovar, mediante proposta da Diretoria Executiva, a constituição de ônus reais e a prestação de garantias pela Telebras a obrigações de terceiros; e XIX. - executar outras atividades que lhe sejam cometidas pela lei, pelo Estatuto, pela Assembleia Geral ou pelo Ministério das Comunicações. 17

22 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A sociedade possui, ainda, um Conselho Fiscal, de caráter permanente, composto de 5 (cinco) membros efetivos e 5 (cinco) suplentes, acionistas ou não, eleitos pela Assembleia Geral Ordinária, sendo dois membros efetivos e respectivos suplentes indicados pelo Ministro de Estado das Comunicações, um membro efetivo e respectivo suplente indicados pelo Ministro de Estado da Fazenda, como representantes do Tesouro Nacional, bem como um eleito pelas ações ordinárias minoritárias e outro pelas ações preferenciais. Compete ao Conselho Fiscal, sem prejuízo de outras atribuições que lhe sejam conferidas em virtude de disposição legal ou por determinação de Assembleia Geral: I. - fiscalizar, por qualquer de seus membros, os atos dos administradores e verificar o cumprimento dos seus deveres legais e estatutários; II. - opinar sobre o relatório anual da administração, fazendo constar do seu parecer as informações complementares que julgar necessárias ou úteis à deliberação da Assembleia Geral; III. - opinar sobre as propostas dos órgãos da administração, a serem submetidas à Assembleia Geral, relativas à modificação do capital social, emissão de debêntures ou bônus de subscrição, planos de investimento ou orçamentos de capital, distribuição de dividendos, transformação, incorporação, fusão ou cisão da Telebras; IV. - denunciar, por qualquer de seus membros, aos órgãos de administração e, se estes não tomarem as providências necessárias para a proteção dos interesses da Telebras, à Assembleia Geral, os erros, fraudes ou crimes que descobrirem, e sugerir providências úteis à Sociedade; V. - convocar a Assembleia Geral Ordinária, se os órgãos da administração retardarem por mais de 1 (um) mês essa convocação, e a Extraordinária sempre que ocorrerem motivos graves ou urgentes, incluindo na pauta das Assembleias as matérias que considerar necessárias; VI. - analisar, pelo menos trimestralmente, o balancete e demais demonstrações financeiras elaboradas periodicamente pela Diretoria Executiva; VII. - examinar as demonstrações financeiras do exercício social e sobre elas opinar; e VIII. - exercer as atribuições previstas em lei ou definidas pela Assembleia Geral, no caso de liquidação da Telebras. Os membros do Conselho Fiscal participarão, obrigatoriamente, das reuniões do Conselho de Administração em que devam ser apreciadas as matérias referidas nos incisos II, III e VII deste artigo Auditoria Interna O Decreto nº 3.591, de 6 de setembro de 2000, estabeleceu que as entidades da Administração Pública Federal Indireta deverão organizar a respectiva unidade de auditoria interna, com o suporte necessário de recursos humanos e materiais, com objetivo de fortalecer a gestão e racionalizar as ações de controle. Estabeleceu, ainda, que a auditoria interna vincula-se ao Conselho de Administração ou a órgão de atribuições equivalentes. Assim, a unidade de Auditoria Interna da Telebras, nos termos do Estatuto Social, aprovado pela 90ª Assembléia Geral Extraordinária, realizada em 3 de agosto de 2010, e atualizado pelas 91ª, 92ª, 94ª e 96ª AGEs, está vinculada ao Conselho de Administração - CA, sendo que a designação, nomeação, exoneração ou dispensa do titular da Auditoria Interna será submetida, pelo Presidente da Empresa, à aprovação do CA, e, após, à aprovação da Controladoria-Geral da União. Regimentalmente, a Auditoria Interna está vinculada ao Conselho de Administração da Sociedade, respondendo à Presidência da Empresa para fins administrativos. A unidade de Auditoria, 18

23 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações constituída pelo Gerente e pessoal auxiliar, tem como responsabilidade básica executar as atividades de auditoria da Telebras. A atuação da Auditoria Interna visa, basicamente, aferir a legalidade e a legitimidade dos atos e o alcance dos resultados quanto à economicidade, à eficácia e à eficiência da gestão, de forma a fortalecer a gestão e racionalizar as ações de controle. A Auditoria Interna, conforme o artigo 16 do Regimento Interno da Sociedade, aprovado pela 380ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração, realizada em 12/11/2013, tem as seguintes atribuições: I. - assessorar a direção da Telebras, quando solicitado, no gerenciamento de riscos relativos às suas decisões; II. - elaborar e executar o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna - PAINT; III. - elaborar o Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna - RAINT; IV. - estabelecer normas e definir critérios para a sistematização e a padronização das técnicas e procedimentos utilizados pela Auditoria Interna; V. - estabelecer parcerias com órgãos e entidades Federais, Estaduais, Distritais e Municipais, com vistas à realização de auditorias integradas e ao aperfeiçoamento dos sistemas de controle interno, externo e social; VI. - auditar a aplicação dos recursos transferidos por meio de convênios e/ou instrumentos congêneres a órgãos ou entidades; VII. - elaborar relatórios sobre os trabalhos de auditoria realizados e acompanhar a implementação das recomendações; VIII. - avaliar a eficiência e eficácia dos controles internos, visando garantir: a salvaguarda dos ativos; a fidedignidade dos dados operacionais; a gestão orçamentária, financeira, administrativa, contábil, patrimonial e operacional; o cumprimento das leis, dos regulamentos, dos atos normativos estabelecidos; a melhoria das atividades operacionais; e a eficiência na aplicação dos recursos; IX. - acompanhar as ações, recomendações e determinações oriundas dos órgãos e unidades de controle interno e externo, verificando a implementação ou cumprimento destas, pelas unidades organizacionais responsáveis; X. - assistir aos órgãos e unidades de controle interno e externo no que se refere às solicitações e realizações de auditoria, facilitar eventuais inspeções, coordenando e acompanhando o resultado de seus exames, a prestação de contas, o suporte para a realização dos trabalhos de auditoria e a prestação de informações solicitadas; XI. - examinar e emitir parecer sobre a prestação de contas anual da Telebras e tomada de contas especiais; XII. - fornecer por meio de seus relatórios, entre outros, avaliações, sugestões e recomendações visando promover a melhoria e eficiência das atividades examinadas; e XIII. - realizar outras atividades que lhes forem atribuídas pelo Conselho de Administração da Telebras. Como instrumento de suporte a essas atividades é pretensão utilizar-se do monitoramento de dados, baseado em informações e dados econômico-financeiros e de alguns indicadores, para acompanhamento da gestão e do desempenho de atividades da Empresa. Por meio dessa ferramenta deverão ser acompanhadas e identificadas variações significativas na evolução dos dados operacionais, econômico-financeiros e administrativos, que irão orientar as ações da Auditoria, visando o direcionamento de trabalhos para os pontos julgados relevantes. Ainda dentro da estrutura de Governança, é importante mencionar sobre a aplicação das Resoluções nºs 02 e 03, de 31/12/2010, da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e da Administração de Participações Societárias da União CGPAR. A Telebras já vem atendendo os preceitos e as diretrizes estabelecidas nas citadas Resoluções. 19

24 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerência de Governança A Gerência de Governança tem como objetivo formalizar a governança corporativa e apoiar ou executar as atividades estruturantes de desempenho empresarial (planejamento estratégica; gestão de processos, de projetos, de riscos, de qualidade e de conteúdo; relações institucionais). As suas responsabilidades específicas na Governança Corporativa são as seguintes: I. - definir, implantar, avaliar e atualizar o modelo de Governança Corporativa e Controle de Conformidade (compliance); II. - zelar pelos interesses e garantir a transparência a todos que tenham interesse, interna e externamente, nos resultados da Telebras; III. - monitorar a aderência dos atos praticados na Telebras com o modelo de governança definido e com o arcabouço normativo interno e externo; IV. - preparar, coordenar e secretariar as reuniões dos fóruns deliberativos (Diretoria Executiva, Conselho de Administração e Fiscal, Assembleias Ordinárias e Extraordinárias), inclusive quanto aos aspectos logísticos, elaboração da agenda, pautas, atas, relatórios e outros; V. - acompanhar as ações, recomendações e determinações oriundas dos fóruns deliberativos, verificando a implementação ou o cumprimento destas pelas áreas responsáveis; VI. - definir diretrizes para a arquitetura empresarial e coordenar a atualização dos seus instrumentos (estatuto, regimentos internos existentes na organização, organograma); VII. - coordenar a identificação, a criação e a definição de atribuições de comissões e comitês, necessários para alcançar os objetivos estratégicos da Telebras; VIII. - acompanhar as mudanças na legislação e nas normas vigentes no setor de atuação da Telebras e divulgá-las para o público adequado dentro da organização; IX. - providenciar o registro e acompanhamento de atas, contratos e estatutos na Junta Comercial do Distrito Federal e demais órgãos governamentais; e X. - fazer cumprir a regulamentação do setor de telecomunicações e daqueles que afetem diretamente ou indiretamente a Telebras na sua atuação no mercado. No decorrer do ano 2013, instrumentos normativos foram elaborados e aprovados para padronizar a atuação em alguns dos aspectos de responsabilidade desta gerência, como a gestão do arcabouço normativo, a gestão de projetos e a gestão de riscos. A Gerência de Governança atua principalmente de forma orientadora e facilitadora. Ela participa na definição e suprimento das demandas de padronização e de gestão que recebe das unidades organizacionais ou da Diretoria Executiva, e pode até coordenar as atividades, mas a participação das unidades responsáveis pelas atividades que formam o escopo da demanda é essencial; o modelo é essencialmente descentralizado Comitê de Gestão da Segurança da Informação O Comitê de Gestão da Segurança da Informação - CGSI, com participação de membros de todas as diretorias, tem o objetivo de coordenar as atividades que garantem a segurança das informações e comunicações no âmbito da Telebras, e tem as seguintes atribuições: I. - submeter modelo de gestão corporativa de segurança da informação da Telebras e promover sua aplicação; 20

25 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações II. - propor e acompanhar estratégias, metas e ações de segurança da informação, bem como apresentar resultados decorrentes da implementação; III. - promover, orientar e supervisionar o orçamento destinado à implementação das ações que visem o aprimoramento da segurança da informação; IV. - propor a elaboração e a revisão de políticas, normas e procedimentos inerentes à segurança da informação; V. - desenvolver outras atividades inerentes à sua finalidade. No ano de 2014, foram elaborados os seguintes instrumentos normativos: Posic (Política de Segurança da Informação e Comunicações), Diretriz de Uso Aceitável de Recursos Computacionais e Diretriz de Uso do Correio Eletrônico que foram aprovados em Outros instrumentos normativos estão sendo elaborados debaixo da Posic, que orienta todo o arcabouço normativo de segurança. A CGSI atua de forma estruturante, definindo modelo de atuação e instrumentos normativos. A operacionalização do modelo é feito contando com o Escritório de Segurança (em implantação) e o ETIR (Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes em Redes Computacionais), conforme mostra a Figura abaixo. Presidente Escritório de Segurança CGSI DTO DC DA ETIR Comitê de Gestão de Tecnologia da Informação O Comitê de Gestão de Tecnologia da Informação - CGTI é composto da Diretoria Executiva e do Gerente de Tecnologia de Informação e possui caráter deliberativo para assuntos relativos à Tecnologia da Informação. As atribuições do CGTI são: I. - estabelecer as diretrizes para a formulação e revisão do Plano Diretor de Tecnologia da Informação da Telebras; II. - definir mecanismos de racionalização de gastos e de apropriação de custos na aplicação de recursos em tecnologia da informação e comunicação; 21

26 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações III. IV. - definir diretrizes e orientações para fins de proposição e revisão dos projetos e propostas orçamentárias relacionados com a aplicação de recursos, investimentos e custeio na área de tecnologia da informação e comunicação; - definir a ordem de prioridade de execução dos projetos definidos no Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI); V. - coordenar e articular as ações visando a prospecção e adoção de novas tecnologias; VI. VII. - acompanhar a execução dos projetos considerados prioritários; - criar grupos de trabalho e coordenar pesquisas para adoção de novas tecnologias. Estas atribuições e o funcionamento do CGTI foram formalizados no Regimento Interno do CGTI. O Comité vem atuando em reuniões mensais, definindo prioridades de atuação e acompanhando os principais projetos e demandas Comitê Gestor Orçamentário O Comitê Gestor Orçamentário - CGO tem como objetivo formular, acompanhar e propor alterações na programação orçamentária, no âmbito da Telebras, e tem as seguintes atribuições: I. propor as diretrizes e orientações para a formulação e acompanhamento da programação orçamentária e financeira da Telebras; II. III. IV. propor diretrizes e orientações para proposição de revisão e reprogramação orçamentária e financeira; propor mecanismos de racionalização de gastos e de redução de custos na aplicação dos recursos orçamentários e financeiros; propor prioridades na programação orçamentária e financeira; V. coordenar e articular as ações para levantamento da previsão dos investimentos em bens de capital (Capital Expenditure CAPEX) e nas despesas operacionais (Operational Expenditure OPEX); VI. VII. VIII. IX. propor diretrizes e orientações para acompanhamentos das realizações de Assunto Regimento Interno do Comitê Gestor Orçamentário Versão 1.0 Vigência 09/09/2014 Regimento 2 investimentos e despesas (Metas Físicas e Financeiras); coordenar e articular as ações para levantamento da previsão das receitas provenientes da prestação dos serviços (Receita Operacional), receitas provenientes de juros e rendimentos (Receita Financeira), adiantamentos que irão gerar prestações de serviços futuros (Receita Diferida) e demais receitas; propor diretrizes e orientações para acompanhamentos das receitas; criar grupos de trabalho e coordenar as ações que forem necessárias para elaboração, acompanhamento e execução orçamentária e financeira. X. propor a periodicidade do acompanhamento e revisão da execução (aprovado x planejado x realizado) e divulgação dos resultados; XI. XII. XIII. propor diretrizes e orientações para alinhamento do planejamento financeiro orçamentário com os ciclos de planejamento técnico-comercial-administrativo; - conferir unicidade aos relatórios gerenciais, no tocante às informações de Investimentos, Despesas, Metas Físicas e Receita; realizar outras atividades relacionadas com o objetivo do CGO-TB. 22

27 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Estas atribuições foram formalizados no Regimento Interno do Comitê Gestor Orçamentário. Além deste regimento, existem ainda a Política Orçamentária - Financeira e a Diretriz Orçamentária- Financeira, para orientar o processo orçamentário e o papel do CGO dentro deste processo. O CGO vem atuando em reuniões periódicas com representantes de todas as diretorias, trabalhando tanto as previsões de necessidades de orçamento para cada unidade, quanto acompanhando a realização orçamentária, para poder intervir quando necessário. 2.2 Atuação da Unidade de Auditoria Interna a) Estratégia de atuação em relação à unidade central e às unidades ou subunidades descentralizadas. Na Telebras a unidade de Auditoria Interna é centralizada na sede da Empresa e atua nas unidades da sede e, brevemente, nas unidades descentralizadas, ora em implantação. A atuação da Auditoria Interna é voltada para o atendimento do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna PAINT, elaborado anualmente pela Auditoria Interna com base nos normativos estabelecidos pela Controladoria-Geral da União e aprovado pelo seu Conselho de Administração. Para elaboração do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna PAINT, as tarefas a serem executadas são definidas com base em materialidade, temporalidade, risco e relevância inerente a cada objeto a ser auditado, do planejamento estratégico da empresa e, ainda, das sugestões, demandas de ações de auditoria, ou de outras ações requeridas formuladas pelas áreas da Empresa, bem como, em função dos itens constantes do art. 7º da IN CGU/SFC nº 01/2007. A atuação da Auditoria Interna visa obter, mesmo que de forma amostral, uma visão geral de todos os processos da empresa. b) Informações quantitativas e qualitativas (área de negócio, unidade regional, objeto etc.) das auditorias e/ou fiscalizações realizadas no exercício de referência do relatório de gestão. No exercício de 2014 a unidade de Auditoria Interna realizou 13 ações de auditoria, sendo 10 ações previstas no Plano Anual de Auditoria Interna PAINT e 3 ações não programadas. Na tabela seguinte consta o número do Relatório emitido, o assunto, a área de negócio, a área auditada e o item do Plano Anual. 23

28 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Nº Relatório Assunto Área de Negócio Área Auditada/Unidade Item do PAINT Parecer Parecer sobre o Processo de Prestação de Contas Anual da Telebras Prestação de Contas Telebras 3 01 Análise do Processo nº 055/2013 Adquirir Bens e Serviços DAFRI NP 02 Gestão de Documentos Documentação Telebras Parecer Segurança da Informação Telebras NP 04 Follow-Up 1 Controle Interno Telebras Processo 499_ NOC Operacional DTO NP 06 Contratações Diretas 1 Adquirir Bens e Serviços DAFRI Administração de Contratos Adquirir Bens e Serviços Telebras Licitações Adquirir Bens e Serviços DAFRI Follow-Up 2 Controle Interno Telebras Contratações Diretas 2 Adquirir Bens e Serviços DAFRI Faturamento e Arrecadação Faturamento e Cobrança DAFRI, DTO, DC Comercialização de Serviços Comercialização de Produtos e Serviços DAFRI, DTO, DC 04 DAFRI - Diretoria Administrativo-Financeira e de Relação com Investidores; DTO Diretoria Técnico-Operacional; DC Diretoria Comercial; NP Não Programado; PAINT - Plano Anual de Auditoria Interna. Além dos relatórios de auditoria descritos no quadro anterior, a Auditoria Interna da Telebras emitiu ainda sete Notas de Auditoria - NA, conforme relacionado no quadro seguinte: ASSUNTO Nº NA DEMANDANTE DATA Análise e posicionamento sobre a DEFESA apresentada à Telebras pela Empresa ÉTICA SERVIÇOS em função do Relatório de Auditoria nº 01/2014- AUD, tendo em vista que a DEFESA atacou pontos do mencionado Relatório de Auditoria. A defesa apresentada pela empresa Ética Serviços foi em função do Processo Administrativo nº 066/2014, aberto pela Telebras, com o objetivo de sancionar a referida empresa por descumprimento de cláusulas do contrato nº 048/2013 Processo licitatório nº 55/2013 Pregão nº 09/2013, conforme apresentado no Relatório de Auditoria mencionado. Dar conhecimento à Alta Administração da Telebras sobre a execução do Contrato Administrativo nº 170/2012/3000. Acompanhamento trimestral dos limites individuais de remuneração dos Dirigentes e Conselheiros de Administração e Fiscal da Telebras. Acompanhamento trimestral dos limites individuais de remuneração dos Dirigentes e Conselheiros de Administração e Fiscal da Telebras (abril a junho de 2014). 01 Auditoria Interna 25/04/ Auditoria Interna 09/06/ Conselho Fiscal 10/06/ Conselho Fiscal 25/08/

29 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Análise preliminar do processo licitatório nº 251/2013, relativo à contratação de Fábrica de Software Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas, relativo ao Pregão Eletrônico nº 028/2014, de 11/08/2014, e visa atender demanda da alta direção da Telebras. Apresentar à Administração da Telebras as tratativas relativas ao cancelamento da proposta de revisão do Regulamento do Plano PBS Telebras para fins de destinação e utilização da reserva especial para revisão de plano de benefícios, apresentado pela Fundação Sistel de Seguridade Social - Sistel. Acompanhamento trimestral dos limites individuais de remuneração dos Dirigentes e Conselheiros de Administração e Fiscal da Telebras (julho a setembro de 2014) Presidente da Telebras Presidente da Telebras 29/08/ /09/ Conselho Fiscal 26/11/2014 Mesmo não seguindo todos os ritos de um relatório padrão as Notas de Auditoria são enquadradas como uma ação de auditoria pontual que, pela necessidade de tomada de ação, são emitidas para dar celeridade à tomada de decisão ou dar conhecimento de um fato que não pode esperar o rito normal de um relatório de auditoria. c) Demonstração da execução do plano anual de auditoria, contemplando avaliação comparativa entre as atividades planejadas e realizadas, destacando os trabalhos mais relevantes, as principais constatações e as providências adotadas pela gestão da unidade jurisdicionada. O Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna da Telebras PAINT 2014 previa a execução de 10 ações de Auditoria. Todas as ações constantes no planejamento anual foram executadas. Foram executadas ainda 3 ações não programadas, demandadas pela alta administração da Empresa e pela própria Auditoria Interna. No exercício de 2014 foram emitidos 12 Relatórios de Auditoria, além do Parecer relativo às contas de 2013, conforme previsão constante no Parágrafo 6º, artigo 15, do Decreto nº 3.591, de 6 de setembro de 2000, no inciso X, artigo 36, do Estatuto Social da Sociedade. O resultado das atividades de auditoria planejadas e realizadas está demonstrado na tabela abaixo. Item do PAINT Assunto Nº Relatório Data do Relatório AÇÕES PROGRAMADAS E REALIZADAS EM Administração de Contratos 07 05/12/ Gestão de Documentos 02 10/03/ Prestação de Contas Parecer 05/05/ Comercialização de Serviços Licitações 08 31/12/ Faturamento e Arrecadação Contratações Diretas /10/2014 Contratações Diretas /01/

30 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Item do PAINT Assunto Nº Relatório Data do Relatório 08 Follow-Up /10/2014 Follow-Up /01/2015 AÇÕES NÃO PROGRAMADAS E REALIZADAS NP Análise do Processo nº 055/ /02/2014 NP Parecer /07/2014 NP Processo 499_ NOC 05 27/10/2014 NP Não Programado Conforme mencionado no item anterior, além dos relatórios de auditoria descritos na tabela anterior, a Auditoria Interna da Telebras emitiu ainda sete Notas de Auditoria NA. Elencamos a seguir as principais constatações dos trabalhos mais relevantes realizado no exercício de 2014 com as respectivas providências adotadas pela unidade jurisdicionada. a) Área Finalística Análise do Processo nº 499/ Contratação de Consultoria/Orientação Técnica para o planejamento, implantação e evolução do Centro Integrado de Gerência de Rede NOC. A ação de Auditoria foi realizada em função dos exames realizados pela Auditoria Interna para o cumprimento do item 1 do PAINT Ao analisar o Processo nº 499/2012 verificou-se a necessidade de uma análise detalhada, pois observou-se inconsistências que, naquele momento, justificavam uma análise com maior profundidade. Os resultados dos exames realizados demonstraram que a Telebras encontra-se operacionalmente, por meio do contrato nº 170/2012, recebendo a prestação dos serviços de SaaS dos softwares da CA Tecnology, mesmo esse serviço não tendo sido previsto na adesão à Ata de Registro de Preço nº Em função do relatado no parágrafo anterior, a Telebras está remunerando a empresa contratada, B2BR, pela prestação do serviço de SaaS, fazendo uso dos valores contratados como horas de Orientação Técnica, que em princípio deveriam ser destinadas ao repasse de conhecimento para otimizar a utilização de uma solução pelo corpo técnico da Empresa. Observou, para este caso, necessidade de melhorias na gestão contratual, principalmente quanto às capacitações constantes no objeto contratual. Foram feitas 11 recomendações no Relatório; 5 já foram atendidas. Faturamento e Arrecadação A ação de Auditoria está sendo realizada de forma conjunta com a Controladoria-Geral da União - CGU, conforme solicitação feita por meio do Ofício nº 26708/2014/DRCOM/DR/SFC/CG-PR, de 09/10/2014. O trabalho, conforme planejamento realizado, teve como objetivo avaliar, dentre outros, se os serviços trafegados nas redes da Empresa estão sendo controlados e faturados adequadamente. Dentre os serviços faturados, deve ser avaliada a utilização do Sistema informatizado adotado pela Telebras na gestão de seu Faturamento e Arrecadação, além da análise do sistema de faturamento e arrecadação da Empresa, verificando sua segurança e confiabilidade no tratamento e geração das 26

31 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações contas dos clientes, até sua entrega. Dentro dos objetivos consta ainda a verificação do tratamento dado à inadimplência e as providências adotadas. A ação de Auditoria, constante do item 6 do PAINT 2014, foi iniciada em 13 de outubro de 2014 e, em razão de férias dos auditores responsáveis pelos trabalhos, teve sua execução momentaneamente suspensa não estando, nesta data, ainda conclusa. Comercialização de Serviços A ação de Auditoria, prevista no item 4 do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna PAINT 2014, aprovado pelo Conselho de Administração em sua 148ª Reunião Extraordinária, realizada em 10/12/2013, conforme planejamento realizado, tem como objetivo comparar a disponibilidade de infraestrutura de rede da Telebras com a comercialização dos serviços, bem como avaliar a efetividade na conclusão dos contratos de clientes. A ação de Auditoria, com a previsão de execução de 612 horas, considerando dois auditores, teve início em 18 de agosto de 2014 com o planejamento e a execução dos programas necessários. Em razão de férias dos auditores responsáveis pelos trabalhos e outros atrasos, como a falta de acesso imediato às informações, teve sua execução momentaneamente suspensa não estando, nesta data, ainda conclusa. b) Área Meio Análise do Processo nº 055/ Contratação de empresa para fornecimento de endereço para constituição de empresa nos cadastros fiscais dos Estados e suas Capitais. Por ocasião dos exames realizados pela Auditoria para elaboração do Relatório nº 09/2013-AUD Licitações e Contratos, tivemos acesso ao Processo nº 055/2013, sendo observadas inconsistências que exigiriam exames de maior profundidade, incluindo a possibilidade de realizar diligências e pesquisas sobre a empresa contratada, a Auditoria optou em realizar essa análise em separado, como trabalho especial, não programado no Plano Anual. O Processo nº 055/2013, trata da contratação dos serviços relativos ao fornecimento de endereço para constituição de empresa nos cadastros fiscais dos Estados e suas Capitais, tratamento e encaminhamento de correspondências ( escritórios virtuais ). Os resultados dos exames realizados evidenciaram que o processo licitatório nº 055/2013 e o contrato 048/2013 apresentam vícios desde a parte inicial do processo até na fase de execução do contrato nº 048/2013. Diante das evidências mostradas, foi recomendado à administração da Telebras a adoção das medidas administrativas cabíveis, visando reparar as inconsistências apontadas, avaliando inclusive a possibilidade da aplicação de sanções previstas na legislação, tanto para a pessoa física quanto para a pessoa jurídica. A administração da Empresa constituiu Comissão para apurar os fatos e responsabilidades, conforme item 75 do Relatório de Auditoria nº 01/2014-AUD. A Comissão ainda não disponibilizou o seu relatório final. Gestão de Documentos Com o objetivo de dar cumprimento ao Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna PAINT/2014 foi realizada ação de auditoria com o objetivo de avaliar a Gestão de Documentos no âmbito da Empresa, assim como os normativos que regem a matéria, conforme previsão constante no item 2 do Plano Anual. Os resultados dos exames realizados demonstraram a necessidade de adoção de ações com vistas a dar celeridade ao processo de normatização das atividades de Protocolo e Gestão de Documentos, a definição de um padrão para os documentos gerados na Telebras, a restruturação do Protocolo e de suas respectivas atividades de modo que todo e qualquer documento encaminhado à Telebras 27

32 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações (recebido) seja protocolado por setor específico recebendo tratamento isonômico no que se refere à distribuição e identificação única e à adoção de sistema informatizado para a condução das atividades de Protocolo. Foi detectada a necessidade de melhorias nos controles das rotinas específicas para tratamento de correspondências sigilosas, para desfazimento, distribuição e monitoramento/rastreamento de documentos. A Auditoria Interna recebeu um Plano de Ação Gestão Documental, onde consta cronograma de entregáveis com prazos para conclusão variando entre 31/12/2014 a 29/05/2015. Avaliação sobre possível vazamento de documentos da Empresa, contendo informações sobre PCCS e PCR. Auditoria Interna foi demandada pelo Senhor Presidente da Empresa para avaliar possível extração não autorizada de documentos de uso interno, que foram utilizados em processo trabalhista contra a própria Telebras por ex-empregado. A Telebras editou o Parecer nº 161/2012/1200/CRP/TB e o documento denominado PCCS, PCR, PNBL e NECESSIDADE DE REENQUADRAMENTO Esclarecimentos Jurídicos Relevantes, sendo o último elaborado com o intuito de subsidiar a decisão da Diretoria e o Conselho de Administração da Empresa sobre a tomada de decisão quanto ao reenquadramento dos salários dos empregados da Telebras às vésperas da implantação do Plano de Carreira e Remuneração PCR. Tanto o Parecer nº 161/2012/1200/CRP/TB quanto os esclarecimentos jurídicos relevantes apareceram em pelo menos dois processos trabalhistas movidos por ex-empregado da Telebras. Os dois documentos transitaram dentro e fora da Empresa por meio físico e, principalmente, por e- mail. Conforme consta no Relatório 02/2014-AUD, que tratou sobre Gestão de Documentos (mencionado no tópico anterior), a Telebras não conta ainda com processos formalizados de gestão de documentos. Os documentos produzidos são editados e tramitados internos e externamente por vários meios, o que dificulta muito a rastreabilidade desses documentos. Das análises realizadas não foi possível identificar de onde os documentos, que serviram de suporte em processo contra a própria Empresa, foram extraídos, tendo em vista a falta de registros e as várias portas com possibilidade de extração dos documentos. Na nossa visão, quando adotadas as ações em atendimento às recomendações constantes do Relatório 02/2014-AUD, os riscos de uma extração não autorizada de documentos da Empresa devem ser menores ou, no mínimo, será possível seu rastreamento. Ações essas, como já mencionadas, estão sendo tomadas pela Administração da Empresa. Follow-Up A Auditoria Interna tem realizado regularmente reuniões com as Gerências da Empresa, onde são realizados pontos de controle sobre as ações e/ou dificuldades em relação ao atendimento das recomendações emanadas dos órgãos de controle. Esta ação tem total apoio da Alta Administração da Empresa, sendo inclusive acompanhada semanalmente nas Reuniões da Diretoria. Durante o ano de 2014, foram realizados dois trabalhos de Follow-Up, quando são relacionadas todas as recomendações e/ou decisões da Telebras, da CGU e do TCU e as providências adotadas pelas áreas responsáveis, momento em que são observadas se as providências atenderam às recomendações/decisões e, se for o caso, é dado baixa nas recomendações pendentes. Os resultados dos acompanhamentos das recomendações, quando demandados, são apresentados aos Senhores Diretores e aos Conselhos de Administração e Fiscal. 28

33 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Licitações e Contratos Em cumprimento ao Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna PAINT para o exercício de 2014, a Auditoria Interna realizou quatro ações de auditoria envolvendo licitações e contratos, conforme a seguir: Relatório nº 06/2014-AUD - Acompanhamento das Contratações Diretas (1ª avaliação); Relatório nº 07/2014-AUD - Administração de Contratos; Relatório nº 08/2014-AUD - Avaliação da adequacidade dos procedimentos licitatórios e competências aplicadas aos processos licitatórios no âmbito da Telebras; Relatório nº 10/2014-AUD - Acompanhamento das Contratações Diretas (2ª avaliação). Em função dos resultados das análises dos processos de aquisição e contratos, realizadas em quatro ações distintas, bem como das observações feitas durante o exercício de 2014 ficou demonstrado que houve uma sensível melhoria dos procedimentos de contratação e formalização dos processos, no entanto, foi ainda possível observar que persistem ocorrências que necessitam de atenção e correção. Dentre elas destacamos: falhas formais de instrução dos processos, atentar para a necessária justificativa dos atos, necessidade de ampliar os controles relativos à apresentação de garantias, de forma a evitar que as empresas contratadas não apresentem as garantias contratuais ou apresentem com atrasos, aperfeiçoamentos nos controles relacionados às pesquisas de preços e buscar formas de eliminar ou minimizar as possibilidades de que os fornecedores possam praticar o jogo de planilhas nos processos licitatórios da Telebras. Pelas análises realizadas foi também detectada a necessidade de melhoria nos controles relacionados aos bens e equipamentos da Telebras, melhor racionalização da atividade de fiscalização de contratos, buscando melhor comunicação, capacitação, orientação e aperfeiçoamento dos empregados indicados como fiscais, evitando também a nomeação de um único fiscal para diversos contratos, necessidade de melhorias no planejamento de contratações, visando evitar firmar contratos em valores relevantes, muito acima das necessidades da Telebras e com execução muito baixa, podendo vir a comprometer o orçamento da empresa. Visando aprimorar os controles, mesmo no curso dos procedimentos de auditoria, podemos notar que, por determinação da Diretoria Administrativo-Financeira, a Gerência de Compras implantou várias ações tendentes à eliminação dessas inconsistências, tais como, a implantação de check list com itens de observância obrigatória pelos integrantes da Gerência de Compras, para análise de processos administrativos internos relativos a editais de licitação, inexigibilidade de licitação, de dispensa, aditamentos contratuais; foram implantadas planilhas de controle sobre os processos em tramitação na Telebras, contendo várias informações gerenciais; foram publicadas normas e manuais, como a Diretriz nº 250, que trata sobre Contratações Diretas relacionadas à atividade fim da Empresa, o Guia orientador de Compras com foco no demandante da Telebras, entre outros. Atualmente, por determinação da Presidência, um Grupo de Trabalho ocupa-se de revisitar todos os fluxos de atuação da Gerência de Compras, tarefa coordenada com outras áreas da Companhia (demandantes), com vistas ao aperfeiçoamento dos procedimentos, sobretudo em face da recente entrada em operação do SAP e da necessidade de interfaces como a do ComprasNet. Recursos Humanos Na área de Recursos Humanos a Auditoria Interna, em atendimento à demanda do Conselho Fiscal, realizou no exercício de 2014 o acompanhamento dos limites individuais de remuneração dos Dirigentes e Conselheiros de Administração e Fiscal da Telebras. Foram emitidas as Notas de Auditoria nºs 03, 04 e 07/2014-AUD, de 10/06, 25/08 e 26/11/2014, respectivamente. Em função dos resultados obtidos, concluímos que os valores pagos aos membros da Diretoria Executiva e dos Conselheiros da Empresa no período de abril a setembro de 2014, não apresentaram divergências em relação aos valores aprovados pelo DEST. 29

34 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Foi verificada a necessidade de adequação da redação do Art. 34 do Estatuto Social da Empresa, ao disposto no inciso II do art. 6º da Lei /2013. Foi recomendado à Gerência de Gestão de Pessoas que doravante submeta à apreciação da Comissão de Ética Pública ou à Controladoria-Geral da União, os processos decorrentes de pedidos de dispensa, exoneração, destituição, demissão ou aposentadoria de dirigentes, onde fique configurada a existência de conflito de interesses. Para os dois itens mencionados acima, as providências já foram tomadas. O artigo 34 do Estatuto Social será contemplado na próxima revisão do Estatuto. Quanto à submissão à apreciação da Comissão de Ética Pública e/ou à Controladoria-Geral da União quando da demissão, dispensa exoneração, destituição ou aposentadoria de dirigentes, onde fique configurada a existência de conflito de interesses, conforme informado pela Administração, aqueles órgãos serão consultados. Controles Internos Quanto aos controles internos adotados pela Empresa verificamos, por intermédio dos trabalhos realizados ao longo do ano, o aperfeiçoamento dos sistemas de controle. Não obstante ainda merecem atenção os procedimentos relativos ao controle das informações produzidas na Empresa e a obrigatoriedade de aderência às normas vigentes, principalmente em função da falta, ou adequação, de seus sistemas informatizados o que, a nosso ver, devem ser minimizados com a utilização do SAP, já em uso por grande parte das Gerências da Empresa. Outra ação implantada na Empresa foi a adoção de um software para o controle das ações contenciosas, administrativas e consultivas da área jurídica da Telebras. Essa ferramenta visa garantir uma melhoria na gestão efetiva dos processos judiciais, administrativos e consultivos, desde sua abertura até o encerramento, além de proporcionar: 1) Melhoria no controle dos riscos dos processos, contingenciamento e probabilidade de êxito/perda; 2) Realização de atualização financeira automática e sistematizada; 3) Melhoria no controle de prazos através de agenda unificada; 4) Possibilidade de acesso remoto; 5) Redução de custos; 6) Melhoria do controle efetivo dos contratos; 7) Melhoria do controle efetivo das atividades desempenhadas pela área; e 8) Emissão de relatórios gerenciais automatizados. É notável o esforço que os dirigentes da Empresa vêm realizando para o fortalecimento dos seus controles internos, visando atender as recomendações dos órgãos de controle e o fortalecimento da gestão. d) eventuais redesenhos feitos recentemente na estrutura organizacional da unidade de auditoria, inclusive reposicionamento na estrutura da unidade jurisdicionada, demonstrando os ganhos operacionais deles decorrentes. No último ano não houve mudanças relacionadas à estrutura organizacional ou reposicionamento da unidade de Auditoria Interna. e) opinião do auditor interno sobre a qualidade dos controles internos relacionados à apuração dos resultados dos indicadores utilizados para monitorar e avaliar a governança e o desempenho operacional da unidade jurisdicionada 30

35 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Conforme já mencionado no item c, quanto aos controles internos adotados pela Empresa verificamos, por intermédio dos trabalhos realizados ao longo do ano, o aperfeiçoamento dos sistemas de controle. Foi observado que ainda merecem atenção os procedimentos relativos ao controle das informações produzidas na Empresa e a obrigatoriedade de aderência às normas vigentes, principalmente em função da falta, ou adequação, de seus sistemas informatizados o que, a nosso ver, devem ser minimizados com a utilização do SAP, já em uso por grande parte das Gerências da Empresa e com isso seus controles internos tendem a melhorar, além de propiciar maior transparência nas ações desenvolvidas. Todos os pontos de auditoria em aberto são controlados semanalmente pela Diretoria Executiva nas reuniões ordinárias. 2.3 Sistema de Correição Não existe estrutura orgânica implantada na Telebras para o desenvolvimento das ações relacionadas ao sistema de correição. Necessidades de apuração de eventos são tratados caso a caso, sendo criada uma comissão para cada sindicância que se fizer necessária, que após apresentação dos resultados é dissolvida. No ano de 2014, houve uma sindicância aberta para apuração de inconsistências identificadas pela Gerência de Auditoria Interna da Telebras constantes no Relatório nº 01/2014-AUD, datado de 14 de fevereiro de 2014 que recomendou em seu item V que fosse avaliado a possibilidade de aplicação de sanções previstas na legislação, tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica e na Nota de Auditoria nº 01/2014, de 07 de abril de A auditoria objeto do Relatório mencionado foi realizada no Processo Administrativo nº 055/2013, instaurado em 28 de fevereiro de 2013 que deu origem ao Contrato n 48/2013/2400-TB, assinado em 27 de junho de 2013, com a empresa ÉTICA SERVIÇOS DE CESSÃO E LOCAÇÃO DE MÃO DE OBRA. A Comissão de Sindicância foi designada pelo Senhor Presidente da Telecomunicações Brasileiras S.A. TELEBRAS, por intermédio da DEM nº 1000/7989 de 14 de maio de 2014, prorrogada pelas DEM nº 1000/ vigência: 15 de julho de 2014; DEM nº 1000/ vigência: 16 de setembro de 2014, DEM nº 1000/ vigência: 16 de novembro de 2014, DEM nº 1000/ vigência: 14 de janeiro de 2014 e pela por último pela DEM nº 1000/ vigência: 18 de março de A Comissão foi instituída com a finalidade se apurar fatos e responsabilidades, e foi instaurado o Processo n 152/2014 no dia 21 de maio de 2014, cuja natureza é de processo disciplinar principal e de caráter acusatório. Esta Comissão de Sindicância configura-se como Híbrida, ou seja, nasce como investigação e, com a identificação do fato e da autoria, transmuta-se em expediente processual sancionatório. Após o cumprimento de etapas inerentes a uma sindicância, esta Comissão chegou à autoria e identificação dos ex-empregados envolvidos e prováveis responsáveis. Foi elaborado e encaminhado aos respectivos ex-empregados o Termo de Instrução e Indiciação, com o prazo de 10 (dez) dias para apresentação da defesa escrita, momento em que poderão exercer o direito ao contraditório e a ampla defesa e, também, produzir novas provas, bem como contestar àquelas já constantes nos autos do Processo n 152/2014, na forma do art. 5, inciso LV da Constituição c/c com o art. 44 da Lei n 9.784, de 29 de janeiro de Após o recebimento e a análise das defesas escritas apresentadas, esta Comissão concluirá o Relatório Final no qual serão descritas as irregularidades cometidas pelos ex-empregados citados, as legislações por eles infringidas e as penalidades que, a critério da autoridade competente instauradora do Processo n 152/2014, poderão ser imputadas aos mesmos. 31

36 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações MEMBROS DA COMISSÃO: Míriam de Souza Radicchi Presidente Rogério da Silva Barbosa Vogal e Secretário Henrique Soares Hebert Vogal A Comissão no final do exercício de 2014 ainda estava em fase de apuração dos fatos. 2.4 Avaliação do Funcionamento dos Controles Internos Quadro A.2.4 Avaliação do Sistema de Controles Internos da UJ Informação contida no ANEXO II 2.5 Remuneração Paga a Administradores Política de Remuneração dos Membros da Diretoria Estatutária e dos Conselhos de Administração e Fiscal 1) Remuneração paga aos Administradores A Telebras possui um Conselho de Administração composto de no mínimo 6 e no máximo de 8 membros, uma Diretoria-Executiva composta do Presidente e de até 4 Diretores. Possui também um Conselho Fiscal, de caráter permanente, composto de 5 membros efetivos e 5 suplentes. Um dos membros do Conselho de Administração integra a Diretoria-Executiva. As informações referem-se ao exercício ) Objetivos da política ou prática de remuneração A política ou prática de remuneração dos administradores da Telebras é definida pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão que, por meio do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, encaminha a planilha contendo a discriminação das parcelas que compõem a remuneração dos Administradores (Diretoria e Conselhos Fiscal e de Administração) desta empresa, remetida à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN, com vistas a subsidiar a decisão do acionista majoritário por ocasião da realização da Assembleia Geral de Acionistas. 3) Composição da Remuneração a) Descrição dos elementos da remuneração e os objetivos de cada um deles, conforme sugestão do DEST ao acionista majoritário Honorários: retribuição mensal; 13º Salário: honorário extra a ser concedido uma vez ao ano aos diretores e aos Conselheiros de Administração e Fiscal é pago mensalmente, pois entende-se por remuneração de conselheiros, honorário e 13 salário; Adicional de Férias: parcela correspondente a 1/3 do honorário a ser concedido ao diretor por ocasião de férias ou no mês de março ainda que o diretor não usufrua do benefício no período aquisitivo evitando a manutenção de saldo para o exercício seguinte; Remuneração Compensatória (Quarentena): valor correspondente a 6(seis) retribuições mensais de honorário de diretor, conforme previsto na Lei nº , art. 6º, inciso II, de 16 de maio de 2013; 32

37 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Ajuda de Custo: é a importância paga para indenizar despesas de viagem, mudança, instalação e outros gastos não previstos nos itens 4.04 e 4.05 da Diretriz nº 243, por ocasião do deslocamento para localidade onde prestará serviços e quando do retorno à localidade de origem; Despesas de Transportes: são aquelas relativas ao fornecimento de passagens aéreas, rodoviárias ou ferroviárias, bem como fretes e carretos para remoção de bagagens, móveis e utensílios e até 2 veículos, por ocasião do deslocamento para a localidade onde prestará serviços e quando do retorno à localidade de origem, abrangendo as pessoas da família; Auxílio Alimentação: parcela indenizatória e de natureza não salarial, o vale-alimentação/refeição será utilizado para ressarcimento de despesas com aquisição de refeições e alimentos; Auxílio Moradia: parcela indenizatória a ser concedida em conformidade com o Decreto nº 3.255, de ; Seguro de Vida em Grupo: parcela destinada a cobertura de 50% do valor do prêmio de seguro de vida em grupo; Plano de Saúde: parcelas destinadas a reembolso com despesas para o tratamento de saúde; FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço): importância creditada na conta vinculada do diretor. O benefício do FGTS é obrigatoriamente estendido aos diretores, conforme Decreto nº , de ; INSS - Patronal: valor calculado sobre os honorários dos diretores e conselheiros, gratificação natalina e adicional constitucional de férias (1/3 da remuneração) e que a empresa recolhe para a previdência. NOTA: Os honorários dos membros dos Conselhos de Administração e Fiscal são fixados em 10% da remuneração média mensal dos membros da Diretoria Executiva. A base de cálculo da remuneração média dos diretores inclui apenas os honorários. b) Proporção de cada elemento na remuneração total Honorários: 38,24% 13º Salário: 3,19% Adicional de Férias: 1,06% Remuneração Compensatória (Quarentena): 19,12% Indenização de Transferência (diretriz 243): 6,37% Auxílio Alimentação: 0,84% Auxílio Moradia: 1,91% Seguro de Vida em Grupo: 0,09% Plano de Saúde: 1,12% FGTS: 3,40% INSS Patronal (Diretoria): 8,50% Honorários do Conselho de Administração: 8,29% INSS Patronal do Conselho de Administração: 1,66% Honorários do Conselho Fiscal: 5,18% INSS Patronal do Conselho Fiscal: 1,03% 33

38 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações c) Metodologia de cálculo e de reajuste de cada um dos elementos da remuneração A política ou prática de remuneração dos administradores da Telebras é definida pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, por meio do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, em cumprimento ao disposto na alínea h, do inciso IV, do art. 8º, do Anexo I do Decreto nº 8.189, de 21 de janeiro de d) Razões que justificam a composição da remuneração A política ou prática de remuneração dos administradores da Telebras é definida pelo Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, por meio do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, em cumprimento ao disposto na alínea h, do inciso IV, do art. 8º, do Anexo I do Decreto nº 8.189, de 21 de janeiro de ) Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração A recomendação advinda do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST é no sentido de a Estatal não elaborar proposta acima da inflação do período anterior à data da Assembleia Geral Ordinária dos acionistas. O índice adotado, por recomendação do DEST, é o IPCA. 5) Como a remuneração é estruturada para refletir a evolução dos indicadores de desempenho Não se aplica, vez que o reajuste da remuneração obedece, tão somente, a recomendação do DEST: IPCA do período (12 meses anteriores à data da AGO). 6) Como a política ou prática de remuneração se alinha aos interesses da Telebras A remuneração dos Dirigentes e Conselheiros, como dito, obedece à recomendação do DEST. Ou seja, somente há recomposição do numerário anterior pela inflação do período. 7) Existência de remuneração suportada por subsidiárias, controladas ou controladores diretos ou indiretos Não aplicável. 8) Existência de qualquer remuneração ou benefício vinculado à ocorrência de determinado evento societário, tal como a alienação do controle societário da companhia Não aplicável. 9) Caso exista plano de remuneração dos membros da diretoria estatutária e do conselho de administração baseado em ações, descrever Não aplicável. 10) Comentários em relação à remuneração variável Não aplicável. 34

39 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Demonstrativo da Remuneração Mensal de Membros de Conselhos Quadro A Remuneração dos Conselhos de Administração e Fiscal Informação contida no ANEXO III Demonstrativo Sintético da Remuneração de Membros de Diretoria e de Conselhos Quadro A Síntese da Remuneração dos Administradores Informação contida no ANEXO IV Demonstrativo da Remuneração Variável dos Administradores Não se aplica à Telebras. 35

40 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 3. RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE 3.1 Canais de acesso do cidadão A Telebras possui o Fale Conosco que é o canal na Web de interação com a sociedade disponível em e no telefone: (61) ; entretanto, face ao modelo de atendimento, os dados recebidos por esse canal não são utilizados para gerar dados gerenciais e estatísticos. Além do canal Web, encontram-se à disposição do cidadão uma sala de atendimento presencial, para oferecer esclarecimentos nos assuntos de competência da unidade jurisdicionada. 3.2 Carta de Serviços ao Cidadão Não temos previsão para elaboração e divulgação da Carta de Serviços ao Cidadão. 3.3 Mecanismos para medir a satisfação dos produtos e serviços Não possuímos, ainda, mecanismos para medição da satisfação dos cidadãos-usuários ou clientes dos produtos e/ ou serviços. 3.4 Acesso às informações da unidade jurisdicionada O acesso se dá pelo portal em Acesso à informação e em Transparência Pública. As informações sobre prestação de contas da UJ poderão ser visualizadas em 3.5 Avaliação do desempenho da unidade jurisdicionada A Telebras ainda não realiza a avaliação de desempenho na prestação de serviços ao cidadãos. 3.6 Medidas Relativas à acessibilidade A Telebras aluga as salas 301 a 405 do Edifício Parque Cidade Corporate, localizado no Setor Comercial Sul Quadra 09, Bloco B, que cumpre as exigências da Lei /2000, o Decreto 5.296/2004 e as normas técnicas da ABNT aplicáveis. 36

41 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 4. AMBIENTE DE ATUAÇÃO 4.1 Informações do ambiente de atuação da unidade jurisdicionada a) Caracterização e o comportamento do mercado de atuação: A atuação da Telebrás é nacional, ou seja, presta serviços em todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal. Ofertando internet Banda Larga desde a publicação do decreto n 7175, em 12 de maio de Por participar do Programa Nacional de Banda Larga PNBL, instituído pelo Governo Federal, a Telebras atende Prestadoras de Serviços de Internet, além dos órgãos e entidades do Governo Federal, bem como empresas privadas. Com o Decreto 8135/2013 e a Portaria 141/2014, a Telebras deverá evoluir para uma evolução mais forte no mercado de varejo, atendendo pontos individuais de órgãos do governo, além da sua atuação no mercado de atacado, atendendo provedores de serviços de internet. b) Principais empresas que atuam ofertando produtos e serviços similares aos da unidade jurisdicionada: Oi, Telefônica/Vivo, América Móvil, GVT, Algar, Level 3 e TIM. c) Contextualização dos produtos e serviços ofertados pela unidade jurisdicionada em relação ao seu ambiente de atuação: Os produtos ofertados pela Telebras são: IP Telebras É o serviço de acesso à internet corporativa e compreende o provimento de toda a infraestrutura para o acesso à rede mundial de computadores. PONTO A PONTO O serviço de conexão ponto-a-ponto é uma solução escalável, de alta disponibilidade, que compreende o fornecimento de circuitos para órgãos ou entidades que necessitem montar seu próprio backbone seja ele metropolitano, regional ou nacional, com transparência e segurança. L3VPN (MPLS) O Serviço de Rede de Comutação de Pacotes L3VPN é uma solução que permite agregar diversos serviços para maximizar a comunicação entre os pontos de um cliente. É baseado na tecnologia MPLS, que combina a inteligência do roteamento com o desempenho da comutação. A tecnologia MPLS é utilizada para convergência de redes, para integração de aplicações de dados, voz e vídeo, usando classes de serviços diferenciados (QoS Quality of Service) e uma única estrutura, o que traz como ganho qualidade, gestão unificada e economia. É uma solução escalável, de alta disponibilidade e flexibilidade. A solução possibilita a criação de rede privativa virtual (VPN) conforme a necessidade do cliente. Essa característica garante que toda a informação dentro da VPN fique totalmente isolada de outras VPNs e da Internet dentro Backbone IP. 37

42 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Dentre suas aplicações, destacam-se a utilização para a interligação de filiais/ escritórios, interconexão de redes MAN/LAN, transporte para a transmissão de dados, voz, vídeo, videoconferência e outros serviços multimídia em geral. d) Ameaças e oportunidades observadas no seu ambiente de negócios: AMEAÇAS: - Preço praticado pela concorrência; - Construção das redes de acesso às regiões remotas; OPORTUNIDADES -Vendas para o mercado de governo por meio do Decreto 8.135/13; -Lançamento do satélite geoestacionário que irá atender regiões onde não há acesso ofertado. e) Informações gerenciais sucintas sobre o relacionamento da unidade jurisdicionada com os principais clientes de seus produtos e serviços: O relacionamento da Telebras com seus clientes se dá basicamente por meio de contratos de prestação de serviços. Estes serviços, já descritos, são contratados por dispensa de licitação, especificamente para o atendimento ao Decreto 8135/13 na formação de redes privativas de Governo para a Administração Pública Federal, Autárquicas e Fundacional, e por meio de contratos privados, quando o segmento atendido é o dos Provedores de serviço internet, empresas e corporações. Além da relação direta com o segmento de Governo e Provedores de Serviços de acesso à internet, a Telebras também se relaciona com empresas do setor de telecomunicações, atuando na venda de serviços de transporte em seu Backbone e em acordos comerciais de compartilhamento de infraestrutura. f) Descrição dos riscos de mercado e as estratégias para mitigá-los: As dificuldades para ingresso no mercado de Internet Banda Larga são basicamente as mesmas em todo o território nacional, tais como: infraestrutura limitada, rede legada, alto custo para construção de novas redes e novas linhas de energia elétrica, além de dificuldades na obtenção das licenças necessárias à expansão da rede e instalação de novos equipamentos junto aos órgãos governamentais. As dificuldades da Telebras para atuação no mercado brasileiro de oferta de internet Banda Larga são: ambiente altamente competitivo com custos cada vez menores, demandando investimentos constantes em tecnologia e novos processos de produção, a fim de disponibilizar produtos com custos inferiores aos dos concorrentes e, ao mesmo tempo, produtos diferenciados ao mercado, o que exige novas abordagens de posicionamento estratégico e competitivo. g) Principais mudanças de cenários ocorridas nos últimos exercícios: As mudanças principais que merecem destaque estão relacionadas ao surgimento de novos provedores de serviço de acesso à internet preocupados em agregar valor à sua cadeia de negócios, o que representa diretamente a Telebras uma necessidade de ampliar e fortalecer seu Backbone para garantir os novos níveis de serviços exigidos. 38

43 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Repensar suas atividades sempre, pois a dinâmica do mercado de Telecomunicações exige empresas ágeis, com níveis de serviço elevados e implementando novas tecnologias na prestação de serviço ao usuário final. O evento Copa do Mundo, a proximidade com as Olimpíadas e uma evolução natural do modelo de negócio dos provedores de acesso tem demonstrado uma tendência de que o acesso ao usuário seja sempre ofertado com altas velocidades e uma banda capaz de suportar aplicações. Isto tem impacto direto no investimento em redes de acesso que sejam flexíveis a mudança de tecnologia. Por fim, cabe ressaltar a publicação do Decreto 8135/13 que ratifica aquilo que já havia sido sinalizado na reativação da Telebras, ou seja, a necessidade de que a empresa possua uma rede, extremamente capilarizada e com capacidade de atender as demandas de Governo na formação de suas redes privativas. Esta diretriz de Estado certamente provoca uma mudança na estrutura de prestação de serviços, impondo uma nova logística de operação e investimentos na construção de redes onde houver a presença da Administração Pública, Direta, Autárquica e Fundacional. 39

44 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 5. PLANEJAMENTO DA UNIDADE E RESULTADOS ALCANÇADOS 5.1 Planejamento da unidade A Telebras tem um planejamento com horizonte de quatro anos, com revisões anuais. A última revisão deste planejamento o Conselho de Administração tomou conhecimento no dia nove de dezembro de Abaixo seguem Missão e Visão da organização, os seus Valores e Dimensões, Objetivos e Iniciativas Estratégicos. a) Missão e Visão: A Missão e a Visão da empresa permanecem: Missão: Fornecer soluções de telecomunicações que contribuam para o desenvolvimento e para a redução das desigualdades, de forma sustentável e com um elevado padrão de qualidade. Visão: Uma empresa sustentável e lucrativa, que atua como parceira confiável e competente de seus clientes. Fornecedora estratégica de soluções de telecomunicações para a Administração Pública e mercado, atuando como agente do desenvolvimento local e fomentando a democratização do acesso à informação. A Missão é o objetivo fundamental de uma organização, traduz a finalidade última da empresa e consiste na definição dos seus fins estratégicos gerais. A Telebras adotou sua Missão ressaltando 5 (cinco) temas em sua construção. São eles: telecomunicações define claramente seu escopo de atuação técnico; desenvolvimento com o objetivo de indústria tende a alavancar o desenvolvimento tecnológico nacional; redução das desigualdades envolvendo a dimensão social proporcionando a inclusão por meio do acesso à informação e ao conhecimento; sustentável dando um viés econômico responsável, buscando margens de receita que garantam o investimento sem prejudicar o ambiente onde está inserida e a qualidade que dá foco constante na evolução tecnológica e no uso das melhores práticas nas diversas linhas de gestão. A Visão é o estado futuro desejado, alinhado às aspirações da organização, define o norte próximo a ser alcançado orientado pela Missão. Nesta construção, a Telebras reforçou o norteamento dado pela Missão abordando os temas: confiável e competente, tratando das melhores práticas (Missão: qualidade ); sustentável e lucrativa, atendendo aos anseios econômicos com responsabilidade (Missão: sustentável ); telecomunicações, reforçando o escopo de atuação (Missão: telecomunicações ); Administração Pública e Mercado que reforça a atuação junto ao Governo e à iniciativa privada e desenvolvimento e acesso à informação, ambos objetivando a universalização do conhecimento e fomento ao desenvolvimento (Missão: desenvolvimento e redução das desigualdades ). b) Valores: Os Valores da Telebras são os mesmos definidos em 2010 a partir do levantamento das contribuições dos gerentes, que com suas equipes, sugeriram um conjunto de práticas que representam o esperado da atuação da empresa. São eles: Satisfação dos clientes: Os serviços prestados pela empresa devem atender plenamente às expectativas dos clientes e fortalecer os seus laços de confiança com a Telebras; Compromisso com resultados: Buscar atingir e exceder os resultados planejados, de forma a criar valor para os clientes, a empresa e a sociedade; 40

45 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Excelência Empresarial: Empregar práticas de gestão que assegurem os mais altos padrões disponíveis de qualidade e nível de serviço, procurando satisfazer nossos clientes e acionistas e maximizar o impacto da empresa no desenvolvimento; Excelência Tecnológica: Utilizar e estimular o desenvolvimento de tecnologias de alto desempenho, a partir de uma inteligência própria de engenharia; Valorização dos empregados: A Telebras deve proporcionar um ambiente de trabalho seguro e saudável, que reconheça com justiça o desempenho e estimule a iniciativa, a criatividade e o desenvolvimento dos empregados da empresa; Ética: Pautar as relações de trabalho e os relacionamentos empresariais por elevados padrões éticos, colocando a honestidade, a confiabilidade, a transparência e o respeito como marca das decisões e práticas cotidianas da empresa; Responsabilidade Social e Ambiental: Atuar com responsabilidade no sentido de promover o bem comum, avaliando as consequências das suas ações, de forma a evitar riscos e danos às pessoas, à cultura, à sociedade e ao meio ambiente. c) Dimensionamentos do Planejamento Estratégico O planejamento estratégico da Telebras tem a sua base metodológica no Balanced Score Card (BSC). As dimensões estratégicas adotadas são as seguintes: Em comparação com as dimensões tradicionais do BSC, foi incluída a dimensão Rede e TI pela sua importância vital para poder prestar os serviços que justificam a existência da organização. d) Objetivos Estratégicos Os objetivos estratégicos da organização seguem na página seguinte: 41

46 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Estes objetivos orientam a atuação da empresa, tanto na definição e execução de projetos de transformação, quanto na execução dos processos da organização. e) Iniciativas Estratégicas Para alcançar estes objetivos, iniciativas estratégicas foram definidas. Para cada uma, um responsável foi designado com a missão de desdobrar a sua iniciativa em projetos cuja execução conjunta resulta na realização do objetivo. As iniciativas são instrumentos importantes na tomada de decisão e na definição de necessidades de orçamento para os exercícios seguintes. Pela quantidade de iniciativas definidas e a capacidade de execução naturalmente limitada da organização, foi estabelecida uma priorização das iniciativas. As iniciativas priorizadas foram indicadas na coluna Priorizada abaixo. Objetivo Iniciativa Diretoria Responsavel Priorizada Mostrar potencial de valorização Se tornar auto sustentável Estruturar plano de comunicações Estruturar relação com investidores DAFRI DAFRI Promover a melhoria contínua dos indicadores econômicos e financeiros DAFRI S Buscar a rentabilização das EAs ativas comercialmente DC Rentabilizar produtos Rentabilizar clientes DAFRI DAFRI Buscar eficiência operacional DAFRI S Garantir contratos comerciais mais robustos DC S Atuar no mercado privado DC S 42

47 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Projeto copa 2014 DTO Prover um pacote robusto de serviços e com qualidade para todos os clientes Ser fornecedor relevante para o governo e para o PNBL Ter uma rede alinhada com as necessidades de todos os clientes Ser uma empresa inovadora Estimular a execução de planejamento e controle Trazer mais agilidade para os processos Revisar e ampliar portfólio de produtos e serviços DC S Preparar para ter produtos com alto teor de ti Estruturar para ser fornecedor de redes seguras para o governo DC S Ampliar o atendimento ao PNBL, mediante a descentralização comercial DC S Estruturar para ser fornecedor relevante para o ministério de defesa DC S Definir arquitetura de rede futura e plano de transição Expandir redes metropolitanas DTO S Aumentar confiabilidade da rede DTO S Aumentar capilaridade da rede para atendimento ao PNBL Internacionalização da rede Telebras PR S Projeto satélite 2016 DTO S Desenvolver produtos inovadores Agregar conhecimento estado da arte Estruturar atividade de planejamento empresarial PR S Estruturar atividade de controladoria DAFRI S Treinar e capacitar nas dimensões exigidas pela empresa DAFRI S Sedimentar iniciativa de marketing de produtos e serviços Integrar iniciativa de desenvolver produtos e serviços Melhorar gestão de pessoas (de forma centralizada e descentralizada) DAFRI S Revisar a estrutura negocial Melhorar processo e procedimentos de ativação de clientes DTO S Melhorar qualidade e agilidade de compras DAFRI S Dimensionar áreas da Telebras DAFRI S DC PR DC DC PR DC DC DC Aumentar capacidade de entrega por meio de parcerias DC S Implantar processos da organização PR S SAP DAFRI S Melhorar a qualidade e disponibilidade da informação Combinar dados em indicadores e relatórios gerenciais DAFRI Garantir a qualidade e rastreabilidade dos projetos PR S Melhorar a comunicação na empresa PR S 43

48 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações f) Projetos Estratégicos A forma definida para execução das iniciativas estratégicas na Telebras é através de projetos formalmente declarados. Estes projetos são atribuídos a um gestor de projeto, que é responsável pelo planejamento e execução do projeto com os recursos disponíveis, e pelos resultados deste projeto após a sua conclusão. g) Execução do Plano Estratégico No exercício 2014, houve uma mudança na metodologia do planejamento estratégico: em vez de desdobrar o planejamento em planos táticos e operacionais por unidade administrativa, evoluímos para uma projetização das iniciativas estratégicas, envolvendo as devidas unidades administrativas nos projetos, evitando a fragmentação das iniciativas e mantendo um foco nas necessidades e resultados das iniciativas. Para dar suporte para as unidades administrativas nesta mudança, foi criado o Escritório de Projetos, que desenvolveu a metodologia de gestão de projetos, elaborou instrumentos chave no ciclo de vida de um projeto e acompanha a execução dos projetos estratégicos. A organização está se adaptando a esta nova forma de atuação. A sua maturidade de gestão de projetos está evoluindo e esta evolução deve continuar no decorrer do tempo. No exercício de 2014, a execução do Plano Estratégico foi limitada por alguns fatores: A Telebras é uma organização bastante enxuta, com ingresso de muitos colaboradores novos durante o exercício. A limitação de capacidade de entrega em todos os sentidos causada pelo quadro reduzido afetou o avanço dos projetos estratégicos. O repasse de recursos aprovados na LOA 2014 sofreu atrasos (primeiro repasse foi realizado no dia 9/06/2014) impactando a execução dos projetos. Como exemplo, até o último trimestre (MP 662/2014 de 8/12/2014), não se tinha confirmação da disponibilidade dos recursos para honrar os compromissos assumidos para o projeto do satélite. 44

49 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 5.2 Programação orçamentária e financeira e resultados alcançados No tocante aos recursos orçamentários e financeiros, os esforços foram dirigidos ao gerenciamento dos recursos disponíveis e a realizar. Dentro desse contexto, mereceu especial atenção a gestão do orçamento controlado pelo Governo através do Programa de Dispêndios Globais PDG/2014, aprovado pelo Decreto nº 8.159, de 18 de dezembro de 2013, e alterado pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de Valores em R$ 1 FONTES E USOS PDG APROVADO 1 PDG % REALIZADO 2 REALIZAÇÃO FONTE DE RECURSOS % Receitas % Recursos para Aumento de Capital % Operação de Crédito % USO DE RECURSOS % Dispêndios Correntes % Dispêndios de Capital % Fonte: (1) Decreto nº 8.382/2014. (2) SIEST. O Orçamento de Investimento (OI) da Telebras para o exercício de 2014 teve a sua aprovação feita pela Lei Orçamentária (LOA/2014) nº , de 20 de janeiro de 2014, e seu limite final aprovado pelo Decreto nº 8.382/2014, conforme segue: Valores em R$ 1 Descrição Ações OI Aprovado 1 OI % Realizado 2 Realização Manutenção e Adequação de Bens Imóveis % Manutenção e Adequação de Bens Móveis % Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento % Instalação de Edifício Sede 111G 0 0 0% Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Implantação de Infraestrutura de Tecnologia da Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos 12OF % 147A % Lançamento de Satélite de Comunicação 146Z % Inversão Financeira % TOTAL % Fonte: (1) Decreto nº 8.382/2014. (2) SIEST e Balanço Patrimonial. A Ação 4101 (Manutenção e Adequação de Bens Imóveis) visa adequar as instalações físicas da Telebras, nos imóveis alugados pela Empresa (Sede e escritórios regionais), com realização de obras e estruturas. A Ação 4102 (Manutenção e Adequação de Bens Móveis) visa os investimentos que promovam o funcionamento operacional, a realização de serviços de manutenção e adequação nos bens móveis, veículos, máquinas e equipamentos de propriedade da Empresa. 45

50 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Ação 4103 (Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento) visa os investimentos em infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação necessária ao funcionamento da Empresa, com a aquisição de bens e serviços de manutenção e adequação de equipamentos das áreas de informática, informação e teleprocessamento. A Ação 111G (Instalação do Edifício Sede) visava construir o Edifício Sede para a Empresa, com realização de obras de alvenaria, de estruturas e instalações; obras de tubulações de água, esgoto, telefone e energia elétrica, etc. Em virtude do Ofício nº 1701/2013/SIRDE/SPU/DF, de 23 de outubro de 2013, a solicitação de disponibilização de um terreno para a construção do Edifício Sede da Telebras foi negada, diante disso, a ação foi descontinuada na reprogramação orçamentária. A Ação 12OF (Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga) visa a implantação da infraestrutura necessária para o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). O Decreto nº 7.175, de 12 de maio de 2010, estabeleceu que caberá à Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras, a consecução dos objetivos do PNBL. Para viabilizar o projeto é essencial a implantação da infraestrutura nas cinco regiões do País (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste). Para isso, é fundamental a aquisição, instalação e ativação de equipamentos de telecomunicações de fibras ópticas, com tecnologia DWDM (Dense Wavelenght Division Multiplexing), rede de transporte em rádio digital de alta velocidade para interligação de Pontos de Presença (POPs) aos municípios (backhaul), integração da rede aos pontos de troca de tráfego internet (PTTs), estruturação de rede IP para prestação de serviços multimídia e estabelecimento de parcerias para massificar o acesso em banda larga. A implantação da infraestrutura de backhaul compreende a disponibilização de capacidade de internet em banda larga, conforme as diretrizes do PNBL: Implementar a rede privativa de comunicação da administração pública federal; Prestar apoio e suporte às políticas públicas de conexão em banda larga para universidades, centros de pesquisa, escolas, hospitais, postos de atendimento, telecentros comunitários e outros pontos de interesse público; Prover infraestrutura e redes de suporte a serviços de telecomunicações prestados por empresas privadas, Estados, Distrito Federal, Municípios e entidades sem fins lucrativos; Prestar serviço de conexão à internet em banda larga para usuários finais, apenas e tão somente em localidades onde inexista oferta adequada daqueles serviços. A Ação 147A (Implantação de Infraestrutura de Tecnologia da Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos) visa cumprir a resolução do Grupo Executivo da Copa do Mundo FIFA GECOPA, que designa a Telebras para atender às demandas de infraestrutura de telecomunicações nos Estádios, Aeroportos, Centros de Treinamentos e demais pontos de interesse da FIFA nas localidades do evento. A Ação 146Z (Aquisição de um Satélite em Posição Orbital) visa assegurar ao Brasil sua independência internacional no segmento satelital, perdida quando da privatização do Sistema Telebras; garantir que o segmento de defesa e as comunicações estratégicas do país estejam sob controle nacional e atender ao restante dos municípios que não possuam cobertura terrestre do backbone da Telebras. O sistema satelital será composto de um único artefato espacial que atenderá os serviços de comunicação militar e comercial, operando respectivamente na Banda X e Ka. Serão implantadas 2 (duas) estações terrenas para controle, gerenciamento e monitoramento. Os equipamentos de terra serão definidos conforme a função da demanda apresentada. A posição orbital de 75 W será 46

51 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações coordenada com as administrações internacionais com a ajuda da Anatel/UIT, garantindo a posição no escasso arco geoestacionário. A inversão financeira referente ao Lançamento de Cabo Oceânico para Interconexão Brasil/Europa visa assegurar ao Brasil sua independência internacional, perdida quando da privatização do Sistema Telebras e garantir preços competitivos para acesso ao backbone internacional de internet. A classificação do investimento como inversão financeira justifica-se pela integralização do montante na companhia a ser criada entre a Telebras e parceiros privados. A constituição da empresa supramencionada ainda depende de negociações envolvendo os potenciais sócios. Os valores realizados constantes deste relatório tem como fonte o Balanço Patrimonial de 2014 da empresa, que apresenta diferença de valores constantes do Sistema de Informação das Estatais (SIEST) e do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP). Conforme Ofício Circular nº 65/DEST-MP, de 12 de dezembro de 2014, que trata da execução do Orçamento de Investimento das empresas estatais federais, o prazo para inserção dos dados do desempenho físico-financeiro referente ao exercício de 2014 findou-se em 20 de janeiro de Ocorre que a Telebras, ao longo do exercício de 2014, realizou o Acompanhamento dos Dispêndios Globais (ADG) com informações prévias (conforme alertado nos relatórios mensais). As informações definitivas foram obtidas a partir da finalização do Balanço Patrimonial de 2014, ocorrido somente no final do mês de março de 2014, conforme informado ao Conselho de Administração. Situações atípicas justificaram esse fechamento tardio: por força da implementação do Sistema SAP e da substituição dos auditores independentes (o que deverá ocorrer todo o ano, segundo orientação da CGU). As informações registradas no SIOP e no SIEST tiveram por base um balanço provisório. No Balanço Patrimonial de 2014, os investimentos no ativo imobilizado atingem o montante de R$ 883,0 MM, contra o valor lançado nos Sistemas SIEST e SIOP de R$ 772,0 MM, conforme consta no quadro resumo: Descrição Ações Valores em R$ 1 Valores SIOP 31/1/2015 Valores Balanço 31/3/2015 Manutenção e Adequação de Bens Imóveis Manutenção e Adequação de Bens Móveis Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Implantação de Infraestrutura de Tecnologia da Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos OF A Lançamento de Satélite de Comunicação 146Z TOTAL Fonte: Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP) e Balanço Patrimonial. 47

52 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Programa Temático A Telebras não tem Programa de Governo sob sua responsabilidade, estando suas ações orçamentárias vinculadas aos Programas de Governo sob a responsabilidade do Ministério das Comunicações Objetivo A Telebras não tem Objetivo de Governo sob sua responsabilidade, estando suas ações orçamentárias vinculadas aos Programas de Governo sob a responsabilidade do Ministério das Comunicações Ações Ações - OFSS A Telebras não tem ação do Orçamento Fiscal e de Seguridade Social Ações/Subtítulos - OFSS A Telebras não tem ação no Orçamento Fiscal e de Seguridade Social Ações não Previstas na LOA 2014 Restos a Pagar não Processados - OFSS A Telebras não tem ação no Orçamento Fiscal e de Seguridade Social. 48

53 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Ações - Orçamento de Investimento - OI Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Identificação da Ação Código 12OF Tipo: Projeto Título Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Ação Prioritária Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga 02YK Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Expandir a infraestrutura e os serviços de comunicação social eletrônica, telecomunicações e serviços postais, promovendo o acesso pela população e buscando as melhores condições de preço, cobertura e qualidade. Código: 0751 Comunicações para o Desenvolvimento, a Inclusão e a Democracia Código: 2025 Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Tipo: Temático ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramado Realizado Municípios Unitário Fonte: Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP) e Balanço Patrimonial 49

54 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos Identificação da Ação Código 147A Tipo: Projeto Título Iniciativa Objetivo Programa Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos 02YE Coordenar os investimentos em comunicações necessários para Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016 com as demandas futuras de desenvolvimento do setor Expandir a infraestrutura e os serviços de comunicação social eletrônica, telecomunicações e serviços postais, promovendo o acesso pela população e buscando as melhores condições de preço, cobertura e qualidade. Código: 0751 Comunicações para o Desenvolvimento, a Inclusão e a Democracia Código: 2025 Tipo: Temático Unidade Orçamentária Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Ação Prioritária ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado Percentual de rede implantada Percentual 34% 34% 21% Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Aquisição de um Satélite em Posição Orbital Identificação da Ação Código 146Z Tipo: Projeto Título Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Ação Prioritária Aquisição de um Satélite em Posição Orbital 02YT Lançamento de satélite para comunicações Expandir a infraestrutura e os serviços de comunicação social eletrônica, telecomunicações e serviços postais, promovendo o acesso pela população e buscando as melhores condições de preço, cobertura e qualidade. Código: 0751 Comunicações para o Desenvolvimento, a Inclusão e a Democracia Código: 2025 Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Tipo: Temático ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado Porcentagem do projeto Porcentagem 30% 32% 32% 50

55 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Bens Imóveis Identificação da Ação Código 4101 Tipo: Atividade Título Manutenção e Adequação de Bens Imóveis Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Código: Programa de Gestão e Manutenção de Infraestrutura de Empresas Estatais Federais Código: 0807 Tipo: Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Ação Prioritária ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Bens Móveis, Veículos, Máquinas e Equipamentos Identificação da Ação Código 4102 Tipo: Atividade Título Manutenção e Adequação de Bens Móveis, Veículos, Máquinas e Equipamentos Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Ação Prioritária Código: Programa de Gestão e Manutenção de Infraestrutura de Empresas Estatais Federais Código: 0807 Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Tipo: ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado

56 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento Identificação da Ação Código 4103 Tipo: Atividade Título Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Ação Prioritária Código: Programa de Gestão e Manutenção de Infraestrutura de Empresas Estatais Federais Código: 0807 Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Tipo: ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado Quadro A Ações do Orçamento de Investimento - Instalação de Edifício-Sede Identificação da Ação Código 111G Tipo: Atividade Título Instalação de Edifício-Sede Iniciativa Objetivo Programa Unidade Orçamentária Ação Prioritária Código: Programa de Gestão e Manutenção de Infraestrutura de Empresas Estatais Federais Código: 0807 Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Tipo: ( ) Sim ( X )Não Caso positivo: ( )PAC ( ) Brasil sem Miséria Execução Financeira e Física Execução Orçamentária e Financeira Execução Física - Meta Dotação Inicial Dotação Final Valor Realizado Descrição da Meta Unidade de medida Previsto Reprogramad o Realizado

57 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Análise Situacional Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à previsão orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 12OF foi de R$ 156,1 MM. Para obtenção do valor foram utilizadas como parâmetro as despesas com aquisição de equipamentos de tecnologia da informação e comunicação para implantação da infraestrutura da rede nacional de alta velocidade, obras civis e prestação de serviços necessários para a execução. Na reprogramação orçamentária, ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor total da Ação foi mantido, porém, com redistribuição entre as regiões. A alteração justifica-se pelo redimensionamento do cronograma de implantação e devido a obras iniciadas em exercícios anteriores e entregues no exercício de Quanto à realização orçamentária e financeira, o valor orçamentário realizado foi de R$ 109,5 MM e a execução financeira foi de R$ 84,7 MM. A diferença entre o orçamentário realizado e o financeiro executado é devida a diferença de conceito entre eles: o orçamento é pelo conceito de competência, semelhante ao da contabilidade (as despesas são apropriadas no período de sua realização, independente do seu efetivo pagamento); e o financeiro é pelo conceito de caixa (o registro dos valores efetivamente realizados no período) Capilarização da Rede: A rede nacional da Telebras utiliza infraestrutura existente de cabos ópticos de outras empresas, dentre as quais estão as redes da Eletrobras e da Petrobras disponibilizadas à Telebras, consoante às determinações contidas no Decreto nº 7.175, de 12 de maio de 2010, e também se vale de acordos, convênios e contratos com entes públicos e privados, que formalizam permutas realizadas com o objetivo de implantação desta rede. Em virtude de negociações realizadas em 2013 e 2014, que formalizaram a integração de redes e cessão recíproca de infraestrutura de telecomunicações, a Telebras deu prosseguimento ao processo de implantação de sua rede nacional, necessário ao atendimento do PNBL (Decreto nº 7.175, de 12 de maio de 2010), do Decreto nº 8.135, de 4 de novembro de 2013 e das demandas da Copa do Mundo FIFA Os investimentos realizados no ano possibilitaram a conclusão e ativação de mais 92 estações e outras 104 estações estão em fase de implantação. Desta forma, a rede de telecomunicações da Telebras finaliza 2014 com 321 estações em operação. A partir destas estações, que compõem o backbone e o backhaul da Telebras, se dá o atendimento aos clientes do programa PNBL. Em 31 de dezembro de 2014, a extensão do seu backbone de fibras ópticas em operação totalizou 21,0 mil km. Em comparação com 2013, são mais 4,3 mil km de fibras ópticas, fruto da execução dos investimentos previstos para o exercício. Neste exercício ocorreu o atendimento a mais uma capital da Região Norte, Manaus (AM). Este atendimento foi possível devido à construção e ativação de importante trecho de backbone da Telebras, interligando Tucuruí (PA) a Jurupari (PA) e Manaus (AM). Além da importância da entrada de mais uma operadora na região, o que promoveu uma queda real nos preços de acesso à internet, esta ativação foi utilizada na transmissão dos jogos da Copa do Mundo de 2014 ocorridos na cidade de Manaus. 53

58 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Ainda na Região Norte, foi iniciada a construção de outro trecho de backbone entre as cidades de Coari (AM) e Manaus (AM). Ao longo deste trecho serão construídas estações em sete diferentes cidades do estado do Amazonas. Também foram concluídas as obras de construção de redes de acesso de fibras ópticas em três destas cidades (Iranduba, Manacapuru e Caapiranga) e iniciadas as obras em outras duas cidades (Coari e Codajás). Com o início destas obras em 2014, este trecho de backbone será ativado em 2015, cobrindo uma região carente de atendimento de banda larga. Outro trecho de backbone construído e ativado em 2014 foi o trecho entre as cidades de Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT) e Rio Verde (GO), esta última já interligada à Brasília (DF). A ativação deste trecho permitiu a transmissão dos jogos da Copa do Mundo de 2014 ocorridos em Cuiabá. Também em 2014 foram concluídos dois outros trechos de backbone: ativação da rota de fibra óptica entre Presidente Dutra (MA) e São Luis (MA) e também a ativação da rota leste que interliga os estados de SP, PR, SC e RS, como parte do acordo entre Telebras e Eletrosul. A partir do Paraná, já existe em operação uma rota passando pelo lado oeste dos estados de PR, SC e RS, assim a conclusão da rota do lado leste possibilitará a implementação de um anel óptico, que trará mais confiabilidade e redundância para a rede na Região Sul do país. Ainda em 2014 foi iniciada a construção de trecho de backbone entre Umuarama (PR) e Cuiabá (MT), passando por Dourados (MS), Campo Grande (MS) e Rondonópolis (MT). Toda a parte de infraestrutura das estações já está concluída e em 2015 este trecho será ativado, permitindo que o estado de Mato Grasso do Sul também passe a ser atendido pela Telebras e a construção deste trecho possibilitará a implementação de mais um anel no backbone da Telebras, aumentando a confiabilidade e a redundância da rede Contratações de obras e equipamentos Com vistas a dar prosseguimento ao processo de implantação da rede nacional para atendimento ao PNBL e complementando as necessidades para a COPA do Mundo de 2014, a Telebras realizou novas contratações em 2014, tais como: Contratação de Extensão de Rede Elétrica: foram feitos contratos para prover a energia necessária às estações de telecomunicações que serão implantadas com os itens de infraestrutura, objeto de outras contratações. O objeto destes contratos é a prestação de serviços para fornecimento e instalação de extensão de redes elétricas em alta, médias e baixas tensões, para garantir a energização das estações de telecomunicações da rede nacional com o fornecimento de todos os materiais e acessórios necessários; Contratação de GMG: foi feito um contrato de fornecimento de Grupo Motor Gerador GMG para garantir o SLA das estações que compõem o backbone da Telebras, ou seja, em caso de queda da energia comercial, e esgotamento dos bancos de baterias, os GMGs são acionados de forma a garantir o fornecimento de energia necessário até que a energia comercial seja regularizada, o quê, em alguns pontos da rede pode demorar dias; Contratação de Rádio enlace de transmissão: foi feita a contratação de um segundo fornecedor de rádios e antenas de modo a propiciar melhores prazos para os atendimentos ao cronograma do PNBL; Foram efetivados contratos para a execução de serviços de instalação de fibras ópticas nos estados de GO, MG, SP, RJ e no DF. Estes contratos visam atender principalmente a construção de rede de acesso para atendimento de clientes; 54

59 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Contratação de empresa para fornecimento de cabo de fibras ópticas a ser instalado entre Campo Mourão e Umuarama, visando à interligação de novo trecho de backbone da Telebras (Umuarama Campo Grande Cuiabá); Contratação de duas empresas que atuarão em regiões distintas do país, para a prestação de serviços de avaliação técnica do valor de locais para locação ou para compra e venda, com a finalidade de implantarem-se estações, tanto de backbone, quanto de backhaul e também estações metropolitanas, em áreas de busca definidas, que satisfaçam a todos os requisitos técnicos e legais, definidos pela legislação aplicável e pela Telebras. Tais estações têm por objetivo dar continuidade à implantação do Programa Nacional de Banda Larga PNBL, em todos os estados do país e também ao Decreto nº 8.135/ Integração com outras redes: O objetivo principal da integração com outras redes é proporcionar a conexão e/ou compartilhamento de redes e de infraestruturas, visando a ampliar a capilaridade da rede de telecomunicações da Companhia. Em 2014, essa integração continuou a ser formalizada por meio de acordos de cooperação e termos de ajuste. Neste contexto, no ano de 2014, a Telebras celebrou novos acordos de parceria com a Infraero, Procempa, Prodepa, Prodam, TIM e Rede TV Amazonas. Também foram realizados contratos de Exploração Industrial de Linha Dedicada com operadoras de telecomunicações em atendimento aos objetivos societários da Companhia Realização Física: Em relação à previsão de realização física autorizada pela Lei nº /2014, para a Ação 12OF foi de 440 municípios. Na reprogramação orçamentária, a meta física foi alterada para 485 municípios. No exercício de 2014, 82 municípios foram entregues. A realização abaixo do previsto foi decorrente do entendimento do critério para a contagem dos municípios. Enquanto o critério considerado na reprogramação orçamentária foram todos os municípios que teriam comprometimento do orçamento no exercício de 2014, independente da conclusão dos investimentos, o critério para a meta prevista no PPA é rede implantada por município. Seguindo este critério chegou-se aos 82 municípios entregues. Dessa forma, tem-se as seguintes diferenças entre o previsto e o realizado, por região: Região Norte - de 64 para 3; Região Nordeste - de 143 para 30; Região Sudeste - de 149 para 20; Região Sul - de 67 para 26; Região Centro-Oeste - de 62 para 3. Quanto ao Sistema Integrado de Planejamento Orçamentário (SIOP), há uma diferença em relação ao quantitativo da realização física, pois foi usado como parâmetro a quantidade de estações (POP backbone, POP metropolitano, ETR e ERR) por região, conforme segue: Regiões Municípios Estações Norte 3 13 Nordeste Sudeste Sul

60 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Centro-Oeste 3 9 Total Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à previsão orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 147A foi de R$ 58,7 MM. Para obtenção do valor foram utilizadas como parâmetro as despesas com aquisição de equipamentos de tecnologia da informação e comunicação para implantação da infraestrutura da rede nacional de alta velocidade, obras civis e prestação de serviços necessários para a execução. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor da Ação não sofreu alteração. Quanto à realização orçamentária e financeira, o valor orçamentário realizado foi de R$ 30,4 MM, e o financeiro executado foi de R$ 24,3 MM. A diferença entre o orçamentário realizado e o financeiro executado é devida a diferença de conceito entre eles: o orçamento é pelo conceito de competência, semelhante ao da contabilidade (as despesas são apropriadas no período de sua realização, independente do seu efetivo pagamento); e o financeiro é pelo conceito de caixa (o registro dos valores efetivamente realizado no período). Entre 12 de junho e 13 julho de 2014, a Telebras viabilizou a transmissão de áudio e vídeo do evento Copa do Mundo 2014, o que concentrou esforços de fornecedores, parceiros e colaboradores na operação da rede de telecomunicações nas cidades-sede: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Cuiabá, Natal, São Paulo, Manaus e Curitiba. Nunca é demais lembrar que o evento serviu para ampliação das redes metropolitanas da Companhia nessas cidades, bem como e especialmente aos projetos perenes de ampliação da sua carteira de clientes. Além de atender às demandas de infraestrutura de telecomunicações nos estádios, a Telebras também foi responsável pelo atendimento de aeroportos e demais pontos de interesse nas localidades do evento. Para tanto, um plano especial de atendimento foi idealizado de modo a corresponder aos níveis de serviços demandados. A operação envolveu todo o backbone da Telebras e as redes metropolitanas nas doze cidades-sede. O evento foi considerado um sucesso, sem nenhuma falha sequer nas transmissões de áudio e vídeo, demonstrando a capacidade operativa da Companhia Aquisição de um Satélite em Posição Orbital: Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à previsão orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 146Z foi de R$ 270,6 MM. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor da Ação alterado para R$ 756,6 MM. 56

61 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quanto à realização orçamentária e financeira, o valor orçamentário realizado foi de R$ 740,5 MM, e o financeiro executado foi de R$ 564,5 MM. A diferença entre o orçamentário realizado e o financeiro executado é devida a diferença de conceito entre eles: o orçamento é pelo conceito de competência, semelhante ao da contabilidade (as despesas são apropriadas no período de sua realização, independente do seu efetivo pagamento); e o financeiro é pelo conceito de caixa (o registro dos valores efetivamente realizado no período) Contratar o desenvolvimento do primeiro satélite do Sistema Geoestacionário Brasileiro (SGB) Análise Situacional da Meta O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) é um projeto estratégico para as comunicações civis e militares brasileiras com vistas a garantir a soberania nacional e será usado para prestação de serviços de telecomunicações para o Ministério da Defesa (MD), especificamente para o Sistema Brasileiro de Comunicação Militar por Satélite - SISCOMIS e para o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), o que inclui as comunicações estratégicas do Governo Federal. O SGDC levará conexão de alta velocidade aos municípios mais remotos, aonde não chega a rede de fibra óptica da Telebras. Estima-se que o satélite servirá para atender a mais de 2 mil municípios, em especial na região Norte do País. O satélite vai garantir a segurança das comunicações na área do pré-sal, a chamada Amazônia Azul. O projeto envolve a aquisição, pela Telebras, e lançamento de um satélite geoestacionário, cujo desenvolvimento, construção e testes estão sendo acompanhados por uma empresa integradora nacional. Com esse objetivo, no dia 29 de maio de 2012 a Embraer e a Telebras criaram a Visiona Tecnologia Espacial S.A., uma joint-venture controlada pela Embraer Defesa e Segurança (51%) e com a participação da Telebras (49%). A constituição da Visiona, no lugar de uma simples aquisição de satélite no mercado internacional, visa possibilitar também a absorção e a transferência de tecnologia para o setor espacial brasileiro, criando condições para o País construir seus próprios satélites, no futuro. O satélite será de propriedade da Telebras que controlará as comunicações em banda Ka. A gestão do projeto é instruída pelo Decreto nº 7.769, de 28 de junho de 2012, e participam do projeto o Ministério das Comunicações com a atribuição da governança do projeto, da Defesa (MD) o qual participará da operação do satélite junto com a Telebras, e irá operar a carga em banda X e da Ciência, Tecnologia e Integração (MCTI) o qual irá conduzir o Plano de Absorção e Transferência de Tecnologia, elaborado pela Telebras e a Agência Espacial Brasileira AEB. Em 15 de fevereiro de 2013 a Visiona lançou o Request for Proposal (RFP, Requisição Formal de Proposta) para a contratação do SGDC. Trata-se de contratação de solução completa, incluindo o satélite, equipamentos de solo necessários para seu controle e o serviço de lançamento. Em 6 de agosto de 2013, como resultado do RFP, a Visiona definiu que a francesa Thales Alenia Space será a fornecedora do artefato satelital e que a Arianespace será a companhia que lançará o satélite ao espaço. A escolha foi referendada pelas duas empresas que controlam a Visiona: a Telebras e a Embraer. Em 14 de novembro de 2013 a Anatel aprovou as outorgas de direito de exploração do SGDC e o uso de radiofrequências associadas para a Telebras e o MD. Os direitos de exploração têm prazo de validade de 15 anos. Em 11 de setembro de 2014, a Telebras e o MD assinaram contrato de cessão de direito de uso futuro de infraestrutura do Satélite Geoestacionário para a Banda X, instrumento a partir do qual o MD poderá fazer uso da Banda X a partir do início da operação do satélite. O projeto prevê uma série de condições que possibilitam alavancar a indústria aeroespacial brasileira. Espera-se que a base industrial nacional seja fortalecida de forma a estar apta a fornecer 57

62 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações partes e peças para a construção dos próximos satélites brasileiros, bem como, fazer parte da cadeia de fornecimento de partes e peças para fabricação de satélites internacionais. O SGDC já está sendo construído na França e tem lançamento previsto para setembro de 2016, do centro espacial de Kourou, na Guiana Francesa. O satélite e os sistemas de solo estão sendo produzidos na França. O artefato pesará aproximadamente 5,6 toneladas, terá vida útil nominal de 15 anos e será operado de dois centros: do Centro de Controle (COPE) localizado em Brasília, pela Telebras em conjunto com o MD, e do backup no Rio de Janeiro. A fabricação do SGDC terá a duração de 32 meses, período durante o qual serão construídos a infraestrutura necessária para abrigar os equipamentos de solo, assim como serão definidos os próprios equipamentos utilizados nas estações terrenas (CPEs, gateways e sistemas). Ademais, possibilitará, além de outras implementações, o planejamento comercial e técnico da migração de clientes de outros satélites para o SGDC. Ainda em setembro de 2014 a Telebras lançou a licitação do projeto básico e executivo dos Centros de Operações (COPE) do satélite em Brasília e no Rio de Janeiro e, também, da gateway de Florianópolis, cujo processo somente foi retomado em dezembro de 2014, devido a atrasos na liberação de limites orçamentários e financeiros pelo governo federal, previstos para o projeto SGDC. A Telebras está preparando a licitação dos gateways, que são os equipamentos responsáveis pelo tráfego de dados dos futuros usuários do SGDC. A expectativa é que empresas nacionais participem desse processo, que será concluído em 2015, como fornecedoras de partes que comporão os terminais para atendimento aos usuários (CPEs). A preocupação com a segurança e canais de dados encriptados são pontos importante no projeto, para os contratantes. Todas essas comunicações estratégicas serão encriptadas entre os gateways e respectivos terminais, que são os pontos de comunicação entre o satélite e a rede terrestre da Telebras, e as CPEs (terminais de usuário) Manutenção e Adequação de Bens Imóveis Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à programação orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 4101 foi de R$ 0,1 MM. Para obtenção do valor foram utilizadas como parâmetros as despesas com aquisição materiais necessários para atender as necessidades operacionais da Sede da Telebras e nos escritórios regionais. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor da Ação aumentou para R$ 0,3 MM. O aumento no valor justificase, principalmente, pela necessidade da Telebras realizar reformas e manutenções para a instalação de escritórios regionais. Os escritórios de São Paulo, Rio de Janeiro e Belém tiveram investimentos de reformas e aquisição e instalação de ar condicionado, de forma a proporcionar a operacionalização das referidas regionais Manutenção e Adequação de Bens Móveis, Veículos, Máquinas e Equipamentos: Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à programação orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 4102 foi de R$ 0,3 MM. Para obtenção do valor foram utilizadas como 58

63 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações parâmetros as despesas com aquisição materiais necessários para atender as necessidades operacionais da Sede da Telebras e nos escritórios regionais. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor da Ação foi mantido. Os escritórios de São Paulo, Rio de Janeiro e Belém tiveram investimentos referentes à aquisição de mobiliário, de forma a proporcionar a operacionalização das referidas regionais Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento Realização Orçamentária e Financeira: Em relação à programação orçamentária, o montante autorizado pela Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, para a Ação 4103 foi de R$ 15,8 MM. Para obtenção do valor foram utilizadas como parâmetros as despesas com aquisição materiais necessários para atender as necessidades operacionais da Sede da Telebras e nos escritórios regionais. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, o valor da Ação foi mantido. Quanto à realização orçamentária e financeira, o valor orçamentário realizado foi de R$ 2,2 MM, e o financeiro executado foi de R$ 9.2 MM. A diferença entre o orçamentário realizado e o financeiro executado é devida a diferença de conceito entre eles: o orçamento é pelo conceito de competência, semelhante ao da contabilidade (as despesas são apropriadas no período de sua realização, independente do seu efetivo pagamento); e o financeiro é pelo conceito de caixa (o registro dos valores efetivamente realizado no período). O montante financeiro maior que o orçamentário é, principalmente, decorrente da entrega do Container Seguro Datacenter para atendimento da infraestrutura computacional da Telebras, com realização ocorrida no exercício de 2013 e pagamento executado no exercício de Sistemas Corporativos e Equipamentos: O ano de 2014 foi marcado pela busca do aumento de maturidade dos processos de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), com implementação de processos de governança e gestão, visando à definição de ações preditivas, não reativas e ao atendimento da continuidade do negócio. Para tanto, a Gerência de TI, em consonância com outras gerências da Telebras, participa da definição de arquitetura de TI, processos ITIL de gestão (como o de Mudanças), gestão de Riscos e Gestão de Contratos. Entre as iniciativas executadas, podemos citar: 1. Aquisição de solução de armazenamento, que visa atender os próximos cinco anos a necessidade de storage da empresa, possibilitando o registro e guarda de informações estratégicas da Telebras; 2. Aquisição de solução de videoconferência para interligação dos escritórios regionais (Belém, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Brasília) com a dependência sede, para diminuição de custos e melhora na comunicação empresarial; 3. Adquirido ativos de rede (switches) para compor redundância de rede do datacenter e aumentar a confiabilidade no acesso ao datacenter; 59

64 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 4. Negociado novo contrato de Fábrica de Software, com levantamento das demandas de negócio existentes. Para atender a esses objetivos estratégicos do Negócio, foram definidos critério de prioridade (criticidade e complexidade) e fluxo de aprovação; 5. Sistema de Controle de Ordens de Serviço (SICOS): Responsável por gerar e controlar todas as Ordens de Serviço emitidas pelas Áreas Técnicas da empresa; 6. Sistema de Indicadores (Anatel): Responsável por centralizar os indicadores mensais que a empresa deve encaminhar à Anatel; 7. Sistema de Service Desk (SDM): Responsável por controlar os tickets de incidentes e solicitações de microinformática da TI; 8. Sistema de Monitoramento e Controle de Obras (SIMEC): Evoluções de mecanismos de controle de cronogramas e acompanhamento das obras; e 9. Aquisição e implantação de software jurídico integrado para gerenciamento de processos judiciais e consultivos, para agilizar o controle de processos com interoperabilidade a todos os tribunais de todas as instâncias do país, permitindo ainda a inserção, extração, troca, armazenamento de informações, peças processuais, catalogação e sigilo das informações Instalação de Edifício-Sede: Em relação à Ação 111G, Instalação de Edifício-Sede, em virtude do Ofício nº 1701/2013/SIRDE/SPU/DF, de 23 de outubro de 2013, a solicitação de disponibilização de um terreno para a construção do Edifício Sede da Telebras foi negada. Na reprogramação orçamentária ocorrida em setembro de 2014, aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, a Ação foi descontinuada. 60

65 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 5.3 Informações sobre outros resultados da gestão Atividades Comerciais Em 2014, a Diretoria Comercial iniciou suas atividades descentralizadas, com a inauguração dos escritórios regionais de Brasília, Belém, Rio de Janeiro e São Paulo. Para o ano de 2015, estão previstas as inaugurações dos escritórios regionais de Fortaleza, esse já em fase final de implantação, Porto Alegre e Salvador. A implantação dos Escritórios Regionais permitiu também a convocação dos novos concursados aprovados no concurso realizado pela Companhia. a. Marketing No ano de 2014, a Telebras teve como objetivo a participação em eventos com foco comercial, no intuito não apenas de promover a marca, mas também de gerar oportunidades de negócios e de relacionamento por meio do contato com o público-alvo dos eventos (provedores, governo, mercado privado e fornecedores), aumentando o seu potencial estratégico, trazendo mais contatos e relacionamentos por meio de uma participação mais ativa e em linha com as principais empresas de telecomunicações. Os eventos comerciais que a Telebras participou em 2014 foram: 1. LAAD Security 8 a 10 de abril de 2014 Rio Centro Rio de Janeiro RJ; 2. 6º ISP Abrint 14 a 16 de maio de 2014 Maksoud Plaza São Paulo SP; 3. SECOP 28 a 30 de maio de 2014 Hotel Bourbon Cataratas Foz do Iguaçu PR; 4. Futurecom a 16 de outubro de 2014 Transamérica Expocenter São Paulo SP. Os eventos comerciais que a Telebras participou em 2014 reuniram as principais forças de mercado, proporcionaram um ambiente adequado e estimulante para o desenvolvimento de negócios, de relacionamentos, de conhecimentos e a participação em debates, nos quais se discute políticas de inclusão digital, a exemplo do contido no Programa Nacional de Banda Larga e no Decreto 8135/2013. Os principais resultados obtidos: 1. Geração de receita por meio de vendas diretas nos eventos e prospecções de vendas; 2. Criação de um banco de dados qualificado; 3. Geração de vendas/receita por meio do contato com clientes interessados; 4. Contato com fornecedores e empresas que possam gerar negócios e parcerias; 5. Visibilidade para a marca Telebras e a geração de mídia espontânea. Com o planejamento desenvolvido para o ano de 2014, a Telebras conquistou mais eficiência na participação nos eventos, destacando-se para a quantidade de visitantes atendidos nos estandes, estratégias de marketing, a rotatividade das equipes nos eventos, proporcionando um ambiente adequado para atendimento aos clientes e melhores oportunidades de negócios. b. Planejamento Durante o ano de 2014, foram desenvolvidas ações de planejamento de vendas, com criação de metas de receita por segmento (Governo/Parceiros/Interconexão e Escritórios Regionais - com foco no atendimento a prestadores do Serviço de Comunicação Multimídia regionais). Essas metas foram 61

66 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações controladas mensalmente e consolidadas trimestralmente de acordo com o planejamento previamente estabelecido. Outras ações estruturantes continuaram a ser desenvolvidas e aprimoradas, tais como a forma de auxiliar a Gerência de Planejamento quanto ao posicionamento das Estações de Atendimento (EA) e o traçado das redes metropolitanas dentro dos municípios abordados; o Projeto Cidades Digitais, 2012/2013 e 2014/2015, do Ministério das Comunicações, contou com a auxílio da Telebras para encontrar a melhor forma de atendimento para as cidades, a partir de ajustes na metodologia do Indicador Telebras de Ativação (ITA), em consonância com o Decreto nº 8.135/2013. O ITA também subsidiou o planejamento de rede para futuro atendimento às regiões metropolitanas, além de propiciar o aprofundamento dos estudos de mercado para o plano de negócios do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações SGDC. c. Vendas O ano de 2014 encerrou com 183 contratos comerciais e termos de aditamento assinados e mais de 30 Gbps de banda ativada. Isso representou um acréscimo de banda de cerca de 172% (cento e setenta e dois por cento) quando comparado ao ano de 2013 e consequentemente um aumento significativo na receita de serviços prestados. Deve-se destacar os contratos firmados com o Exército, com o Ministério das Comunicações e com diversas empresas para atendimento ao evento Copa do Mundo Como se disse, as solicitações de aumento de banda por parte da clientela demonstram a qualidade dos serviços prestados pela Telebras, aumentam a média de receita por contrato firmado e consolidam a relação entre a Companhia e seus clientes. d. Parcerias A Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros realiza a gestão dos instrumentos contratuais, tais como Termos de Cooperação Técnica, Contratos de Permuta, Acordos de Parceria Comercial e Contratos de Cessão de Infraestrutura, firmados com as operadoras de telecomunicações e parceiros privados e de governo, totalizando mais de 45 parcerias, que visam à solidificação do Backbone da Telebras, bem como o aumento da capilaridade da rede de telecomunicações da Companhia. De destacar-se por justo reconhecimento, a importância fundamental das parcerias para a realização da Copa do Mundo 2014, o que permitiu que a Telebras mantivesse a redundância e confiabilidade dos enlaces que serviram para o tráfego de áudio e vídeo dos jogos realizados nesse evento. Neste contexto, no ano de 2014, a Telebras celebrou novos acordos de parceria com a INFRAERO, PROCEMPA, PRODEPA, PRODAM, TIM e Rede TV Amazonas. Também foram realizados contratos de Exploração Industrial de Linha Dedicada com operadoras de telecomunicações em atendimento aos objetivos societários da Companhia Gerência Jurídica Durante o exercício de 2014, a Gerência Jurídica da Telebras deu continuidade ao processo de qualificação de sua equipe, empreendendo ações em dois grandes campos: (i) consultivo; e (ii) contencioso. 62

67 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações a. Consultivo A atividade consultiva, de forma ágil e eficiente, atuou em todos os processos licitatórios da Companhia, emitindo pareceres, orientações e despachos, relativos aos procedimentos de compras, parcerias, acordos de cooperação técnica, entre outros assuntos de interesse. O resultado do trabalho desenvolvido pela Gerência Jurídica em seu âmbito consultivo encontra-se espelhado no gráfico abaixo: Total de novos casos aceitos no exercício de 2014 (providência: parecer, chancela, despacho, etc): Σ 742 Total de pareceres emitidos no exercício de 2014: Σ 295 b. Contencioso A atuação contenciosa subdividiu-se em outros dois campos: (i) reativamente, na defesa incondicional dos interesses da Telebras em quaisquer tribunais; e (ii) pró-ativamente na contínua reanálise de todos os (hum mil, novecentos e quatro) processos judiciais e administrativos, promovendo o encerramento de 198 (cento e noventa e oito) ações em que a Telebras figurava no polo passivo, a revisão dos valores de contingência, dos prognósticos de perda, a readequação ou ratificação da condução processual de cada feito e, por vezes, a redefinição de estratégias. Com intuito de aprimorar a gestão relativa às contingências e provisões jurídicas, bem como elaborar e acompanhar as perícias judiciais realizadas em processos que a Telebras figura no polo ativo e passivo, a Gerência Jurídica constituiu no exercício de 2014 nova subárea Gestão de Riscos Processuais, que tem como objetivo: (i) analisar, juntamente com os advogados responsáveis pelo caso, o tipo de tratamento contábil que deverá ser atribuído a cada processo judicial e/ou administrativo; (ii) acompanhar, avaliar, atuar e emitir pareceres técnicos sobre laudos periciais relativos aos processos que envolve a Companhia; e (iii) tratar e gerir as informações referentes às contingências e provisões judiciais. 63

68 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Ademais, procedeu-se à revisão das teses e petições, despachos com magistrados, desembargadores, peritos do juízo e contadoria judicial, priorizando-se a atuação intensiva nas Comarcas com maior número de demandas (contencioso de massa), nos processos estratégicos da Companhia e com representação significativa no seu passivo, bem como nas ações trabalhistas, sempre visando à consolidação dos argumentos e teses da Telebras, atitude que refletiu na contenção do ingresso de novas demandas e/ou no encerramento de processos com decisão favorável à Telebras. Em casos excepcionais, diante de impossibilidade de reversão da condenação desfavorável à Telebras (sentença transitada em julgado), estrategicamente, com escopo de minimizar os impactos financeiros, optou-se por celebrar acordo, com as autorizações legais e de governança, impedindo bloqueios judiciais nas contas da Companhia. Noutro âmbito, cabe explicitar que as ações judiciais nas quais a Telebras é parte são registradas em ferramentas de controle e gestão processual interna e classificadas, segundo o critério de risco de perda, nas seguintes categorias: perda provável (provisionamento preventivo), perda possível (sem o provisionamento preventivo, mas com divulgação em nota explicativa) e perda remota (sem o provisionamento preventivo e sem divulgação). O referido passivo judicial é constantemente reavaliado por meio do acompanhamento e revisão sistemática dos processos, bem como pela adoção tempestiva das providências exigidas no âmbito processual e administrativo, de forma qualificada, pelos profissionais das áreas envolvidas. A Telebras responde por ações judiciais de natureza cível, trabalhista e tributária perante diversos tribunais. Em 31/12/2014, figurava como ré em ações, sendo cíveis, 84 trabalhistas e 10 ações tributárias. Além disso, a Telebras é autora em 46 ações, perfazendo um total de processos judiciais. O contencioso judicial encontra-se demonstrado no quadro a seguir: AÇÕES Cíveis AÇÕES JUDICIAIS - TELEBRAS RÉ (POR GRAU DE RISCO) R$ milhões Quant. Valor Part. % Quant. Valor Part. % Provável 92 82,1 46,7% ,7 54,8% Possível ,7 12,9% ,8 9,9% Remota ,3 19,0% ,5 16,1% Subtotal: ,1 78,6% ,0 80,8% Trabalhistas Provável 25 6,4 3,6% 37 8,2 4,3% Possível 26 1,9 1,1% 5 0,4 0,2% Remota 33 5,5 3,1% 41 5,8 3,1% Subtotal: 84 13,8 7,8% 83 14,4 7,6% Tributárias Provável 5 2,1 1,2% 5 1,2 0,6% Possível 5 21,7 12,4% 5 20,8 11,0% Remota 0 0,0 0,0% 0 0,0 0,0% Subtotal: 10 23,8 13,6% 10 22,0 11,6% Total por Grau de Risco: ,7 100% ,4 100% AÇÕES JUDICIAIS - TELEBRAS RÉ (POR CATEGORIA DE PERDA) 64

69 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações R$ milhões AÇÕES Quant. Valor Part. % Quant. Valor Part. % Provável ,6 51,6% ,1 59,7% Total Possível ,3 26,4% ,0 21,1% Remota ,8 22,0% ,3 19,2% Total por Categoria de Perda: ,7 100% ,4 100% Ainda em relação ao Contencioso, um dado interessante: Em 31/12/2011, o passivo classificado como provável era da ordem de R$ 322 milhões (passivo total R$ 344 milhões). Em 31/12/2014, o passivo total registrado é de R$ 175,7 milhões, enquanto que o caracterizado como provável atinge a importância de R$ 90,6 milhões, fruto do trabalho da Gerência Jurídica ao longo desses anos Projetos Estruturantes a. Sistema de Gestão Integrada SGI - SAP: Em novembro de 2013, deu-se o início da implantação de um sistema de gestão integrada (SAP), ferramenta que objetiva consolidar e aglutinar todas as informações operacionais e gerenciais necessárias para o aprimoramento da gestão da Telebras, instrumento que permeia os processos das Gerências de Gestão de Pessoas, Fiscal e de Controle (Contabilidade), Financeira e Orçamentária, Compras e Contratos, as Gerências da Diretoria Comercial e da Diretoria Técnico-Operacional. Apesar dos expressivos objetivos alcançados em 2014, mercê da atuação denodada de seus Colaboradores, a conclusão do processo de implantação do SAP ainda continuará exigindo o constante comprometimento de todos, o que não impede nem desautoriza a indiscutível constatação de que os controles internos da Companhia estão em outro patamar de segurança e confiabilidade, como comprovam as demonstrações financeiras anexas. b. Centro Integrado de Gerência de Rede CIGR/NOC (Network Operation Center) Gerência de Operação e Manutenção: No âmbito da Operação e Manutenção da rede de telecomunicações da Telebras, foi consolidada a implantação do Centro Integrado de Gerência de Rede CIGR/NOC, localizado em Brasília, responsável pelas atividades de monitoramento, desempenho e análise de tráfego, tratamento e escalonamento de incidentes, aceitação de estações, gestão de mudanças, ativação e configuração de clientes, com os respectivos níveis de serviço. O CICR/NOC foi fundamental para a gestão operacional da rede nacional de longa distância e as redes metropolitanas que atenderam o evento da Copa do Mundo de 2014, coordenando todas as atividades dos mais de duzentos profissionais próprios e terceirizados alocados regionalmente durante a operação do evento; c. Representado no gráfico seguinte, o crescimento dos equipamentos gerenciados na rede da Telebras foi expressivo, o que demonstra a complexidade operacional da planta da rede nacional de longa distância (Backbone) e das redes metropolitanas. 65

70 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações d. Aquisições de TI: No ano de 2014 foi marcado pela busca do aumento de maturidade dos processos de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), com implementação de processos de governança e gestão, visando à definição de ações preditivas, não reativas, e ao atendimento da continuidade e aperfeiçoamento dos negócios da Companhia. Para tanto, a Gerência de TI, em consonância com outras gerências da Telebras, participou da definição de arquitetura de TI, processos ITIL de gestão (como o de Mudanças), Gestão de Riscos e Gestão de Contratos. Entre as iniciativas executadas, destacam-se a aquisição de: 1. solução de armazenamento, que visa a atender, nos próximos cinco anos, a necessidade de armazenamento dos arquivos da Companhia, além de possibilitar melhorias no registro e guarda de informações estratégicas; 2. solução de videoconferência para interligação dos escritórios regionais (Belém, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Brasília) e a Matriz, sobretudo para a diminuição de custos e melhora na comunicação empresarial; 3. Switches, para compor redundância de rede do datacenter e aumentar a confiabilidade ao seu acesso; 4. Contrato de Fábrica de Software, a partir de levantamento das demandas de negócio existentes, que visa a atender objetivos estratégicos, definidos a partir de critérios de prioridade, criticidade e complexidade; 5. Sistema de Controle de Ordens de Serviço (SICOS): Responsável por gerar e controlar todas as ordens de serviço emitidas pelas áreas técnicas da Companhia; 6. Software jurídico integrado para gerenciamento de processos judiciais e consultivos, para agilizar o controle de processos, com interoperabilidade a todos os tribunais de todas as instâncias do país, permitindo ainda a inserção, extração, troca, armazenamento de informações, peças processuais, catalogação e sigilo das informações. 7. Além disso, outros sistemas estiveram em foco para constante aperfeiçoamento. De destacar-se o Sistema de Indicadores (Anatel), responsável por centralizar os indicadores mensais que a empresa deve encaminhar à Anatel; Sistema de Service Desk (SDM), responsável por 66

71 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações controlar os tickets de incidentes e solicitações de microinformática da TI; Sistema de Monitoramento e Controle de Obras (SIMEC), que propiciou evoluções de mecanismos de controle de cronogramas e acompanhamento das obras. e. Segurança da Informação e Comunicações: Com a elaboração da POSIC (Política de Segurança da Informação e Comunicação) e normas internas correlatas, intensificaram-se os processos de conscientização e capacitação dos colaboradores, a fim de garantir que a segurança da informação mantenha-se no mesmo e alto grau de atenção, numa dinâmica de constante aperfeiçoamento. A estrutura com ETIR (Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes de Segurança em Redes Computacionais), no nível operacional, o Escritório de Segurança (em fase de estruturação), no nível tático e a CGSI (Comitê Gestor da Segurança da Informação) no nível estratégico, são as Unidades Organizacionais Internas que tratam do tema da segurança da informação e comunicações de forma abrangente. f. Gerência Telebras Inovação: Na busca de melhor desempenhar suas novas competências relativas à arquitetura da rede de telecomunicações da Telebras, dentro do arcabouço conceitual de arquiteturas corporativas, pesquisou-se a metodologia mais adequada para o setor de telecomunicações, sendo adotada The Open Group Architecture Framework (TOGAF) para nortear as diretrizes e práticas sobre os domínios da Arquitetura Empresarial da Companhia, com minutas já elaboradas no exercício de A Gerência Telebras Inovação também atua junto às Gerências das Diretorias Comercial e Técnico- Operacional na prospecção de novas tecnologias e equipamentos de rede, na definição da arquitetura das redes metropolitanas e na elaboração de documentos normativos internos do segmento técnico de engenharia. 5.4 Informações sobre indicadores de desempenho operacional A Telebras iniciou um trabalho de medição por indicadores no exercício de O foco destes indicadores é de obter uma visão global dos resultados da empresa, para acompanhamento e eventual intervenção. Este trabalho ainda está incipiente, tendo como objetivo a vinculação com os objetivos estratégicos no exercício de 2015, a consequente ampliação do portfólio de indicadores e a definição de metas por indicador. Seguem os indicadores trabalhados em 2014 no Quadro A.5.4 seguinte. 67

72 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A.5.4 Indicadores de Desempenho Denominação Banda ativada (IP) Faturamento mensal Banda faturado por produto IP PNBL Banda faturado por produto IP Telebras Banda faturado por produto Ponto-a-ponto Receita bruta por banda faturada (Mbps) Banda por empregado Receita bruta por empregado Investimento Participação de grandes clientes Índice de Referência 9550 (12/2013) R$40.533m il (total 2013) Mbps (12/2013) Mbps (12/2013) 90 Mbps (12/2013) R$99,18 (12/2013) 36,86 Mbps (01/2014) R$4,3 mil (01/2014) R$ mil (01/2014) 27% (01/2014) Inademplência 97,7% Prazo médio de recebimento (12/2013) 25,3 dias (01/2014) Índice Previsto Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Meta não definida Índice Observado (12/2014) R$4.345 mil (12/2014) (07/2014) (07/2014) (07/2014) R$61,45 (07/2014) 71,98 Mbps (07/2014) R$20,8 mil (07/2014) R$ mil (06/2014) Periodicidade Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Fórmula de Cálculo Banda ativada acumulada dos produtos IP Faturamento no período Banda acumulada do produto IP PNBL no período Banda acumulada do produto IP Telebras no período Banda acumulada do produto Ponto-a-ponto no período Receita média por Mbps faturado (Faturamento bruto/banda ativada) Banda ativada/quantidade de empregados Receita bruta/quantidade de empregados Investimento no periódo 66% (07/2014) Mensal Receita originada de grandes clientes/ Receita global do período 10,3% (07/2014) 18,14 dias (07/2014) Mensal Mensal Soma de contas a receber com atraso superior a 30d/ Total de contas a receber do período Soma de (prazo de pagamento x valor fatura) / Total de faturas emitidas Os valores apurados acima mostram uma evolução no sentido positivo para a maior parte dos indicadores. É notável a evolução em banda ativada e faturamento: considerando que o valor de 2013 excluindo o faturamento da Copa de Confederações está em R$ mil, enquanto o valor de 2014 consolidado está em R$ mil, o crescimento atinge 153%. O valor de banda faturada (ponto a ponto) tem um valor fora da curva em julho de 2014 por causa da Copa do Mundo da Fifa. A tendência, porém, fazendo abstração desta anomalia, já é de aumento 68

73 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações significativo da banda ponto a ponto, como comprova a média de banda de ponto a ponto de março a junho que ultrapassa Mbps. Uma parte dos indicadores não teve seu valor apurado após julho de 2014, por causa do foco na implantação do sistema integrado de gestão da SAP e a consequente indisponibilidade temporária das informações. Com esta implantação, a apuração se torna mais ágil com resultados mais confiáveis. 5.5 Informações sobre custos de produtos e serviços A Telebras em 2014 formulou metodologia de apuração de custos dos produtos oferecidos. Esta metodologia se baseia na arquitetura de cada produto e nos custos indiretos apropriados, tendo como resultado o custo de 1 Mbps para cada produto trafegando na rede de telecomunicações. Desta forma, o custo do produto é composto de 2 categorias principais: Infraestrutura do Produto: Envolve todos os componentes de custo diretamente envolvidos no Produto. Está mais relacionado à própria arquitetura de rede; Custos da Empresa: Concentra todos os demais custos da empresa, dentre eles, os Administrativos, Vendas e até os que estejam diretamente relacionados com o produto, mas que não componham sua arquitetura de rede, a exemplo do NOC (Network Operation Center). Tem que ser considerado também o custo de ligação do cliente à rede, para que este possa desfrutar dos produtos oferecidos. Este custo é chamado de custo de acesso. Como o custo de acesso varia de cliente para cliente, dependendo da sua localização em relação à rede existente da Telebras e das circunstâncias locais que impactam a tecnologia de abordagem e consequentemente, está sendo desconsiderado no cálculo do custo do produto e analisado a parte caso a caso. Sendo assim, são introduzidos dois novos conceitos: Alçadas de Desconto Arquitetura da Rede e demais custos do Produto Componentes Econômicos Última Milha Cliente Custos da Empresa Porta Figura 1 - Definição de Porta e Acesso Acesso Acesso: que envolve os custos necessários à conexão da rede do cliente à rede da Telebras (Última Milha) conforme projeto específico, premissas e limitadores econômicos; Porta: que envolve todos os demais componentes de custo. Para definição do preço de venda mínimo com base no custo, devem ser considerados ainda os componentes econômicos como o custo do capital, índice de lucratividade exigido, etc. e as alçadas 69

74 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações de desconto. Estes componentes não fazem parte do custo do produto, razão pela qual não são detalhados nesta seção. A infraestrutura do produto, que define por quais equipamentos de rede o produto passa, é considerada a base do cálculo do custo. Com base na capacidade de cada um destes equipamentos e seu preço de aquisição, um valor é atribuído ao produto, que contempla custo de aquisição, reposição ao longo do tempo, custo de operação, etc. Com base nestas premissas, chegamos ao seguinte custo para 1 Mbps dos principais produtos da Telebras (custo total consiste das despesas mensais acrescentado do investimento inicial): Produto IP L2VPN L3VPN Despesas a.m. 17,62 5,02 1,58 Investimentos Serviços 28,43 82,68 28,20 Bens Patrimoniais Depreciação 5 anos 348, ,32 324,16 Depreciação 10 anos 77,55 232,66 39,38 Depreciação 20 anos 30,11 90,34 30,11 Total investimentos 484, ,99 421,85 Como o ano de 2014 foi o primeiro ano que a organização obteve visão realista do custo dos seus produtos, não tem como comparar com anos anteriores. 70

75 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 6. TÓPICOS ESPECIAIS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA: 6.1. Programação e Execução das Despesas Programação da Despesa Quadro A Programação de Despesas Unidade Orçamentária: Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras Código UO: UGO: Origem dos Créditos Orçamentários Grupos de Despesa Correntes 1 Pessoal e Encargos Sociais 2 Juros e Encargos da Dívida 3- Outras Despesas Correntes DOTAÇÃO INICIAL CRÉDITOS Outras Operações Suplementares Especiais Extraordinários Créditos Cancelados Abertos Reabertos Abertos Reabertos Dotação final 2014 (A) Dotação final 2013(B) Variação (B/A-1)*100 52% -20% Origem dos Créditos Orçamentários Grupos de Despesa Capital 9-6- Reserva 4 Investimen 5 Inversões Amortizaç de tos Financeiras ão da Contingên Dívida cia DOTAÇÃO INICIAL CRÉDITOS Outras Operações Suplementares Especiais Extraordinários Abertos Reabertos Abertos Reabertos Créditos Cancelados Dotação final 2014 (A) Dotação final 2013(B) Variação (A/B-1)*100 96% -93% Fonte: Decreto nº 8.174, de 26 de dezembro de 2013 (PDG/2013 Reprogramação); Decreto s/n, de 12 de novembro de 2014 (Crédito Suplementar); Medida Provisória nº 662, de 8 de dezembro de 2014 (Crédito Extraordinário); Decreto nº 71

76 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 8.382, de 29 de dezembro de 2014 (PDG/2014 Reprogramação); Medida Provisória nº 666, de 30 de dezembro de 2014 (Crédito Extraordinário/ Cancelamento) Análise Crítica As informações referentes à Pessoal e Encargos Sociais e Outras Despesas Correntes constam do Programa de Dispêndios Globais (PDG). Este é elaborado concomitantemente com o Orçamento de Investimento (OI) e integra, no primeiro momento, a Mensagem Presidencial que encaminha o Orçamento Geral da União e é aprovado por Decreto Presidencial. Tanto o OI quanto o PDG são elaborados segundo o regime de competência e buscam guardar absoluta compatibilidade com os dados contábeis, apurados de acordo com a Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de O PDG/2014 teve sua aprovação feita pelo Decreto nº 8.159, de 18 de dezembro de 2013, e a sua reprogramação aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, com os seguintes valores: Valor em R$ 1 Grupo de Despesa Corrente Dec /13 Programado Dec /14 Reprogramado Realizado Pessoal e Encargos Sociais Outras Despesas Correntes Total Em relação à Pessoal e Encargos Sociais, o aumento do valor na reprogramação decorre, principalmente, da entrada em exercício de novos concursados e da não adesão ao Programa de Indenização de Serviços Prestados (PISP), o que impacta nas despesas com pessoal e, consequentemente, aumento nas demais contas; Em relação à conta Outras Despesas Correntes, o aumento do valor na reprogramação orçamentária decorre, principalmente, das despesas com alugueis de circuitos de telecomunicações (ClearChannel), para transportes de protocolos, por ocasião da realização da Copa do Mundo 2014 e atualização de valores para fibras apagadas Cedentes; As informações referentes ao Orçamento de Investimentos (OI) constam da Lei Orçamentária Anual (LOA/2014), Lei nº , de 20 de janeiro de 2014, e do Programa de Dispêndios Globais (PDG/2014), aprovado pelo Decreto nº 8.159, de 18 de dezembro de 2013, e a sua reprogramação aprovada pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de 2014, com os seguintes valores: Grupo de Despesa Capital Investimentos no Ativo Imobilizado Decreto 8.159/13 Programado Decreto 8.382/14 Reprogramado Valor em R$ 1 Realizado Inversões Financeiras ,00 Total Em relação ao Investimento no Ativo Imobilizado, as alterações realizadas na reprogramação orçamentária aprovada no Decreto nº 8.382/2014 constamos os seguintes itens: 72

77 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações a) Ação 12OF, Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga, houve uma redistribuição física e orçamentária por região, porém sem alteração no valor total da Ação. O procedimento justifica-se por obras iniciadas em exercícios anteriores e entregues no exercício de b) Ação 147A, Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos, não houve alteração na programação inicial; c) Ação 4101, Manutenção e Adequação de Bens Imóveis, o aumento no valor justifica-se, principalmente, pela necessidade da Telebras realizar reformas e manutenções para a instalação de escritórios regionais e montagem de escritórios regionais e para o recebimento dos concursados aprovados. Os escritórios de São Paulo, Rio de Janeiro e Belém tiveram investimentos referentes a reformas e aquisição e instalação de ar condicionado, de forma a proporcionar a operacionalização das referidas regionais; d) Ação 4102, Manutenção e Adequação de Bens Móveis, Veículos, Máquinas e Equipamentos, não houve alteração na programação inicial; e) Ação 4103, Manutenção e Adequação de Ativos de Informática, Informação e Teleprocessamento, não houve alteração na programação inicial. Em relação às Inversões Financeiras referentes ao lançamento de cabos submarinos ligando o Brasil ao continente europeu, o projeto está entre as ações da Telebras para atender às necessidades estratégicas de comunicação no País, promovendo o escoamento do tráfego internacional do continente sul-americano para países da Europa, Oriente Médio, Ásia, Oceania e América do Norte, inclusive os EUA, porém sem passar inicialmente por este último. Desta forma, este cabo também desempenhará importante função de proteger as telecomunicações nacionais e do continente sul americano do risco de espionagem por outros países. Atualmente, cinco cabos submarinos ligam o Brasil ao exterior: quatro para os Estados Unidos e um para a Europa, este já completamente esgotado em sua capacidade de transmissão de dados. Todos os cabos são de propriedade de empresas privadas, controladas por grupos estrangeiros. O projeto Cabo Submarino da Telebras prevê a construção de um cabo que interligará o Brasil, a partir da cidade de Fortaleza, a Lisboa, em Portugal. Para viabilizar esse projeto, a Telebras desenvolveu ao longo de 2014 uma série de negociações com a empresa espanhola Islalink, com vistas à formação da JVCo (Joint-Venture Company), numa estrutura societária que prevê o controle nacional. A entrada em operação do cabo está prevista para o último trimestre de A capacidade total do cabo será de 30 terabits por segundo, iniciando a operação com 500 gigabits por segundo. O cabo submarino Brasil-Europa será interligado ao backbone da Telebras, que por sua vez terá conexão com a rede de fibra óptica dos países sul-americanos vizinhos. Em paralelo, continuamos evoluindo nos temas relativos aos terrenos para ancoragem dos cabos bem como também, na definição da cidade e eventuais parceiros para ancoragem do cabo no Continente Europeu. Todo o processo está em pleno curso. No tocante a constituição da Joint Venture, estamos encaminhando o tema para a obtenção das aprovações nas instâncias superiores que têm, em suas atribuições, tais competências Movimentação de Créditos Interna e Externa Programa de Dispêndios Globais (PDG 2012/2013) A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei 4.320/64 e no sistema SIAFI. 73

78 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Realização da Despesa Realização da Despesa com Créditos Originários Despesas Totais Por Modalidade de Contratação Créditos Originários Total Quadro A Despesas por Modalidade de Contratação Créditos Originários Total Unidade Orçamentária: Código UO: UGO: Modalidade de Contratação Despesa Contratada Despesa paga Modalidade de Licitação (a+b+c+d+e+f+g) a) Convite b) Tomada de Preços c) Concorrência d) Pregão e) Concurso f) Consulta g) Regime Diferenciado de Contratações Públicas 2. Contratações Diretas (h+i) h) Dispensa i) Inexigibilidade Regime de Execução Especial j) Suprimento de Fundos Pagamento de Pessoal (k+l) k) Pagamento em Folha l) Diárias Outros Total ( ) Fonte: Gerência de Compras e Contratos, Balanço Patrimonial e Sistema de Informação das Estatais (SIEST) Análise crítica da realização da despesa: Em relação à coluna Despesa Contratada, consta o somatório referente às contratações realizadas nos exercícios de 2013 e Em relação à coluna Despesa Paga, consta o somatório referente às realizações financeiras (caixa) nos exercícios de 2013 e Em relação à Tomada de Preços e a Concorrência, as Despesas Pagas são referentes a contratações realizadas no exercício de 2012, por isso não constam informações nas colunas referentes à Despesa Contratada. 74

79 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Concorrência: a realização é referente à infraestrutura para atender a Ação 12OF (Implantação da Infraestrutura da Rede Nacional de Banda Larga) e 147A (Implantação de Infraestrutura de Tecnologia de Informação e Comunicação para a Copa e Grandes Eventos). Pregão: estão sendo considerados os valores dos pregões realizados pela própria Telebras e a adesão a ata de registro de preço. As realizações são referentes a investimentos e despesas com materiais e produtos, serviços de terceiros e utilidades. Dispensa de Licitação: a maior realização é referente à Ação 146Z (Aquisição de um Satélite em Posição Orbital). As demais realizações são referentes, principalmente, as locações de terrenos/lotes (sites) e provimento de energia para os sites e compartilhamento de infraestrutura. Inexigibilidade: ocorre, principalmente, a necessidade de aluguel de circuitos, infraestrutura (fibra óptica, locação de postes e de espaço físico), capacitações e eventos. Pagamento em Folha: em Despesas Contratadas, está sendo considerado o valor referente à conta , Pessoal e Encargos Sociais, constante no Sistema de Informação das Estatais (SIEST), e para as Despesas Pagas, está sendo considerado o valor constante do fluxo de caixa, conta do SIEST. A realização financeira maior que a realização da despesa contratada é decorrente, principalmente, do Plano de Indenização por Serviços Prestados (PISP) não ter realização orçamentária, isso devido a Gerência Fiscal e de Controle ter realizado a apropriação do valor em exercícios anteriores e lançado na conta de passivo, agora, quando ocorre a adesão ao PISP, o efeito é apenas na realização financeira (caixa). Diárias: Despesas Contratadas está sendo considerado o valor constante no Balanço Patrimonial da empresa, e para Despesas Pagas, está sendo considerado o valor constante e no fluxo de caixa. Outros: Despesas Contratadas está sendo considerado o valor constante nas contas (Tributos e Encargos Parafiscais) constante do SIEST e a realização com honorários advocatícios. Quanto à Despesa Paga, a maior realização refere-se a recolhimentos realizados para a Secretaria da Receita Federal do Brasil, despesas com honorários advocatícios e pagamentos de impostos taxas e contribuições Despesas Totais por Modalidade de Contratação Créditos Originários Executados Diretamente pela UJ Quadro A Despesas executadas diretamente pela UJ, por modalidade de contratação Créditos Originários O quadro A se aplica ao quadro A Despesas por Grupo e Elemento de Despesa Créditos Originários - Total: Programa de Dispêndios Globais (PDG 2013 e 2014) A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e no sistema SIAFI Despesas por Grupo e Elemento de Despesa Créditos Originários Valores executados Diretamente pela UJ: Programa de Dispêndios Globais (PDG 2013 e 2014) A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e no sistema SIAFI. 75

80 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Despesas Totais por Modalidade de Contratação Créditos de Movimentação: A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e não é usuária do sistema SIAFI Despesas Totais por Grupo e Elemento de Despesa Créditos de Movimentação: Programa de Dispêndios Globais (PDG 2013 e 2014) A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e no sistema SIAFI Despesas com ações de publicidade e propaganda Quadro A.6.2 Despesas com Publicidade Publicidade Programa/Ação orçamentária Valores empenhados Valores pagos Institucional Legal Mercadológica Imprensa Nacional Empresa Brasisleira de Comunicação- EBC Por questões estratégicas, a Telebras optou pelo não investimento em Publicidade no ano de , ,40 Utilidade pública , Reconhecimento de passivos por insuficiência de créditos ou recursos A Telebras não tem contas à pagar. Todas são a vencer Movimentação e os saldos de restos a pagar de exercícios anteriores A Telebras é regida pela Lei nº 6.404/76, e, portanto, não se enquadra ao regime legal previsto na Lei nº 4.320/64 e não é usuária do sistema SIAFI Transferência de Recursos A Telebras não teve transferência realizada no exercício de Suprimento de Fundos (Não aplicável à Telebras) 6.7. Renúncias sob a Gestão da UJ (Não aplicável à Telebras) 6.8.Gestão de Precatórios (Não aplicável à Telebras) 76

81 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 7. GESTÃO DE PESSOAS, TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA E CUSTOS RELACIONADOS 7.1 Estrutura de pessoal da unidade A Telebras encerrou 2014 com um quadro de pessoal integrado por 356 (trezentos e cinquenta e seis) empregados, sendo 279 (duzentos e setenta e nove) prestando serviços nas unidades administrativas da Empresa, 55 (cinquenta e cinco) cedidos à ANATEL e 22 (vinte e dois) cedidos a outros órgãos governamentais. QUANTITATIVO DE PESSOAL EM 31/12/2014 A - Empregados em efetivo exercício na TELEBRAS 197 B - Cedidos à Anatel 55 C - Cedidos para outros Órgãos 22 D - Contratados Ad Nutum 82 SUB-TOTAL 356 E - Presidente e Diretores 4 F - Servidores e empregados de outros órgãos e esferas requisitados e cedidos para a Telebras Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas TOTAL GERAL QUADRO DE PESSOAL CEDIDO POSIÇÃO 31/12/2014 ANATEL 55 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - PR 10 PR - AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA - ABIN 2 PR - CENTRO GESTOR E OPERACIONAL DO SIPAM CENSIPAM 1 MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES 8 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES 1 TOTAL GERAL 77 Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas O quadro de pessoal sofreu um acréscimo de 6,58% comparativamente ao exercício anterior, sendo 62 (sessenta e dois) EGT - Especialista em Gestão de Telecomunicações e 3 (três) TGT - Técnico em Gestão de Telecomunicações, oriundos do concurso público homologado em 06 de maio de E 4 (quatro) empregados de livre provimento ( Ad nutum com cláusula demissível), com conhecimento técnico específico. Da composição do quantitativo total do quadro de pessoal da Telebras, em 31 de dezembro de 2014, 258 (duzentos e cinquenta e oito) pertencem ao Plano de Carreira e Remuneração - PCR, 16 (dezesseis) ao Plano de Classificação de Cargos e Salários - PCCS (plano em extinção) e 82 (oitenta e dois) Ad nutum. 77

82 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Demonstração e Distribuição da Força de Trabalho à Disposição da Unidade Jurisdicionada Quadro A Força de Trabalho da UJ Tipologias dos Cargos Autorizad a Lotação Efetiva Ingressos no Exercício Egressos no Exercício 1. Empregados em Cargos Efetivos ( ) Membros de poder e agentes públicos Não Há Empregados de Carreira ( ) Empregados de carreira vinculada ao órgão Empregados de carreira em exercício descentralizado Não Há Empregados de carreira em exercício provisório Não Há Servidores e empregados requisitados de outros órgãos e esferas Não Há Empregados com Contratos Temporários Não Há Empregados sem vínculo com a Administração Pública (*) Total de empregados (1+2+3) (*) Obs.: Para efeito da Telebras trata-se de ocupantes de cargos comissionados. Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas Quadro A Distribuição da Lotação Efetiva Tipologias dos Cargos Área Meio Lotação Efetiva Área Fim 1. Empregado de Carreira (1.1) Empregados de Carreira ( ) Empregados de carreira vinculada ao órgão Empregados de carreira em exercício descentralizado Empregados de carreira em exercício provisório Empregados requisitados de outros órgãos e esferas Empregados com Contratos Temporários Empregados sem Vínculo com a Administração Pública Total de Servidores (1+2+3) (*) Obs.: Para efeito da Telebras trata-se de empregado de Livre Provimento ( Ad nutum ). Fonte: Gestão de Pessoas 78

83 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ Tipologias dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas Lotação Autorizada Efetiva Ingressos no Exercício Egressos no Exercício 1. Cargos em Comissão Cargos Natureza Especial Não Há Grupo Direção e Assessoramento Superior ( ) Empregados de Carreira Vinculada ao Órgão Não Há Empregados de Carreira em Exercício Descentralizado Não Há Servidores de Outros Órgãos e Esferas Não Há Sem Vínculo (*) Aposentados Não Há Funções Gratificadas Não Há Empregados de Carreira Vinculada ao Órgão Não Há Empregados de Carreira em Exercício Descentralizado Não Há Servidores de Outros Órgãos e Esferas Não Há Total de Empregados e Servidores em Cargo e em Função (1+2) (*) Obs.: Para efeito da Telebras trata-se de empregados Ad Nutum. Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas Análise Crítica: Por meio da Portaria n de 2001, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão autorizou o quantitativo de 367 vagas para a composição do quadro de pessoal da Telebras. O Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, por meio do Ofício 47/DEST-MP de 06 de fevereiro de 2012 autorizou 117 vagas para cargos de Livre Provimento e posteriormente através do Ofício 940/DEST/SE-MP, de 17 de junho de 2014 autorizou o acréscimo de mais 4 (quatro) vagas, totalizando 121 (cento e vinte e uma) vagas. Dessas 121 vagas autorizadas, 7 (sete) estão ocupadas por empregados efetivos na função comissionada de Gerente de Unidade e 82 por empregados sem vínculo (livre provimento). Na área fim (Diretoria Comercial e Diretoria Técnico-Operacional) estão concentrados o maior volume de empregados ativos no órgão. 79

84 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A TELEBRAS encerrou 2014 com um quadro de pessoal integrado por 356 (trezentos e cinquenta e seis) empregados, sendo 274 (duzentos e setenta e quatro) empregados de carreira vinculados ao órgão e 82 empregados sem vínculo com a Administração Pública (livre provimento). Do total dos ingressos no exercício de 2014, 65 (sessenta e cinco) são oriundos de cargos efetivos e 4 (quatro) de livre provimento, sem vínculo com a Administração Pública. Dos egressos 25 (vinte e cinco) são de cargos efetivos e 22 (vinte e dois) de livre provimento, sem vínculo com a Administração Pública Qualificação e capacitação da Força de Trabalho No exercício de 2014 foram realizados 23 (vinte e três) cursos, entre qualificação, aperfeiçoamento e idiomas, onde 294 (duzentos e noventa e quatro) empregados, com repetição, foram contemplados. Como no exercício de 2014 não foi aplicado o Levantamento de Necessidade de Capacitação LNC, os cursos ofertados seguiram as demandas advindas dos Gestores das Unidades. Os cursos solicitados e efetivados procuraram suprir na forma de qualificação e/ou aperfeiçoamento os gaps entre os macros processos e as competências necessárias. Como se pode verificar no quadro em anexo, os eventos contratados condizem com as atividades desenvolvidas pelos empregados nesta empresa e a demanda das áreas foram todas atendidas. Tal informação está constante no ANEXO V. 80

85 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Custos de Pessoal Quadro A Custos do pessoal Tipologias/ Exercícios Exercícios Exercícios Exercícios Vencimentos e Vantagens Fixas Despesas Variáveis Retribuições Gratificações Adicionais Indenizações Benefícios Assistenciais e Previdenciários Membros de poder e agentes políticos Demais Despesas Variáveis Despesas de Exercícios Anteriores Decisões Judiciais 2014 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero 2013 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero Empregados de carreira vinculados ao órgão da unidade jurisdicionada , , , , , , ,88 zero , , , , , , , , ,78 zero , ,55 Empregados de carreira SEM VÍNCULO com o órgão da unidade jurisdicionada 2014 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero 2013 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero Empregados SEM VÍNCULO com a administração pública (exceto temporários) Exercícios ,70 zero , , , , ,64 zero zero , ,60 zero , , , , ,61 zero zero ,02 Empregados cedidos com ônus (Ministério das Comunicações) Exercícios ,18 zero , , , ,30 zero zero zero , ,86 zero ,99 867,20 zero ,39 zero zero zero ,44 Exercícios Empregados com contrato temporário 2014 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero 2013 zero zero zero zero zero zero zero zero zero zero Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas Total 81

86 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Irregularidades na área de pessoal Não há irregularidades de cargos Riscos identificados na gestão de pessoas A força de trabalho da Telebras apresenta uma evolução, por situação e movimentação, contratações, admissões e desligamentos. O desligamento dos 25 (vinte e cinco) empregados do quadro efetivo se deu por motivos diversos como aposentadorias e espontâneos para ingresso em outros órgãos da esfera federal direta. Já os 22 (vinte e dois) egressos dos empregados sem vínculo com a Administração Pública se deu pela substituição por empregados do quadro efetivo. O maior risco identificado é a substituição de empregados capacitados por empregados sem a qualificação necessária, todavia a Telebras procurará sanar este gap com um programa mais robusto de capacitação, principalmente para os empregados recém admitidos Indicadores Gerenciais sobre Recursos Humanos Os indicadores gerenciais estão interligados à operacionalização e implementação dos macros processos inerentes à Gerência de Gestão de Pessoas. Na junção das informações e dados do Planejamento Estratégico, os quais estão sendo estruturados por processos, áreas e grau de urgência, alinhados aos grandes desafios da empresa, o prazo de definição de indicadores organizacionais foi estendido para No exercício de 2014 foram 65 (sessenta e cinco) admissões provenientes do Concurso Público, cuja homologação ocorreu em maio de 2013, com validade por dois anos, podendo ser renovado por igual prazo. Até 31 de dezembro de 2014, dos 274 (duzentos e setenta e quatro) empregados efetivos, 109 (cento e nove) são oriundos do referido Concurso e encontram-se em efetivo exercício. Em abril de 2014 iniciou o processo de Migração do Plano de Classificação de Cargos e Salários PCCS (antigo plano de carreira, ora em extinção) para o atual plano vigente na Telebras: Plano de Carreira e Remuneração PCR. No processo de migração, 155 (cento e cinquenta e cinco) empregados optaram pela adesão ao novo plano. Assim sendo, no final do exercício de 2014, 259 (duzentos e cinquenta e nove) empregados efetivos estão vinculados ao Plano de Carreira e Remuneração - PCR. O referido Plano de Carreira e Remuneração teve sua homologação final junto ao DEST em dezembro de 2014 e ainda conta com a homologação do Ministério do Trabalho e Emprego. O Plano de Funções Gratificadas e Cargos Comissionados da Telebras continua pendente de aprovação pelo DEST, desde janeiro de O Processo de Progressão Funcional que comporta o Programa de Avaliação de Desempenho por Competências e Resultados, previsto no bojo do Plano de Carreira e Remuneração (PCR) será incrementado, implantado e operacionalizado em O Plano de Capacitação está em fase de restruturação, todavia no exercício de 2014 foram disponibilizados 23 eventos, entre cursos e congressos/seminários, onde 294 empregados, com repetição, foram contemplados. Os empregados capacitados pertencem às atividades finalísticas e as atividades meio. 82

87 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações No segundo semestre de 2014 foi elaborado o Levantamento das Necessidades de Capacitação - LNC, o que permitirá para o ano de 2015 a adoção de indicadores para essa atividade. A negociação coletiva de trabalho para fins de celebração do Acordo Coletivo de Trabalho-ACT 2014/2015 (vigência de 1º/11/2014 a 31/10/2015), chegou a bom termo entre as partes. A Assembleia Geral dos trabalhadores, em dezembro de 2014, aprovou a proposta final da Telebras. O reajuste salarial concedido foi o IPCA do período (12 meses anteriores à data-base: 1º/11), ou seja, 6,59% estendido aos demais benefícios econômicos (auxílio-creche, auxílio-medicamentos, reembolso de plano de saúde e auxílio-alimentação/refeição). A Telebras, em cumprimento à Portaria/DEST nº 27/2013, tramitará internamente o processo negocial com fins de encaminhamento ao Ministério Supervisor e DEST para análise de aprovação. Em seguida, o Acordo Coletivo de Trabalho será celebrado, com pagamento das diferenças salariais com efeitos financeiros retroativos a 1 /11/ Contração de mão de obra de apoio e de estagiários Contratação de Serviços de Limpeza, Higiene e Vigilância Quadro A Contratos de prestação de serviços de limpeza e higiene e vigilância ostensiva Unidade Contratante Nome: TELECOMUNICACOES BRASILEIRAS SA TELEBRAS UG/Gestão: GERÊNCIA DE LOGÍSTICA CNPJ: / Ano do Contra to 2013 Observações: Área L Naturez a O Identificaç ão do Contrato Contrato 77/2013 Informações sobre os Contratos Empresa Contratad a (CNPJ) / Período Contratual de Execução das Atividades Contratadas Nível de Escolaridade Exigido dos Trabalhadores Contratados F M S Início Fim P C P C P C 02/09/ /09/ 2015 Sit P LEGENDA Área: (L) Limpeza e Higiene; (V) Vigilância Ostensiva. Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. Nível de Escolaridade: (F) Ensino Fundamental; (M) Ensino Médio; (S) Ensino Superior. Situação do Contrato: (A) Ativo Normal; (P) Ativo Prorrogado; (E) Encerrado. Fonte: Gerência de Logística 83

88 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Locação de Mão de Obra para Atividades não Abrangidas pelo Plano de Cargos do Órgão Quadro A Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Unidade Contratante Nome: TELECOMUNICACOES BRASILEIRAS SA TELEBRAS UG/Gestão: GERÊNCIA DE LOGÍSTICA Ano do Contrat o Área Naturez a Identificação do Contrato CNPJ: / Informações sobre os Contratos Empresa Contratada (CNPJ) O 2600/05/ / O 2200/0054/ / O 2200/170/2011/TB / O 2200/152/ / O 2600/77/2012-TB / O 2200/159/ / Período Contratual de Execução das Atividades Contratadas Nível de Escolaridade Exigido dos Trabalhadores Contratados F M S Início Fim P C P C P C 28/01/11 27/11/ P 05/08/13 04/08/ P 17/02/12 28/02/ P 31/10/12 30/10/ P 27/07/12 25/07/ P 26/11/12 25/11/ P Observações: Foram consideradas, como início dos contratos, as datas de assinaturas. Já as datas de fim dos contratos, foram consideradas com base nos respectivos termos aditivos. LEGENDA Área: 1. Segurança; 2. Transportes; 3. Informática; 4. Copeiragem; 5. Recepção; 6. Reprografia; 7. Telecomunicações; 8. Manutenção de bens móveis 9. Manutenção de bens imóveis 10. Brigadistas 11. Apoio Administrativo Menores Aprendizes 12. Apoio Administrativo - Carregador Fonte: Gerência de Logística Análise Crítica dos itens e Serviço de Limpeza e Higiene. Sit. Natureza: (O) Ordinária; (E) Emergencial. Nível de Escolaridade: (F) Ensino Fundamental; (M) Ensino Médio; (S) Ensino Superior. Situação do Contrato: (A) Ativo Normal; (P) Ativo Prorrogado; (E) Encerrado. Quantidade de trabalhadores: (P) Prevista no contrato; (C) Efetivamente contratada. No decorrer do ano de 2014, os serviços de limpeza das estações de trabalho e das demais áreas de responsabilidade da Telebras vêm sendo executados de forma satisfatória com a nova empresa contratada a partir de setembro de Atividades não Abrangidas pelo Plano de Cargos do Órgão 84

89 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Manutenção e Carregadores: Pela falta de ferramenta informatizada para controle desses serviços, foi criado, ao final de 2014 um mapa para controle de atividades, com os seguintes itens: solicitantes de serviços, identificação da área, pequeno histórico das atividades, data, início e término da hora que foi realizado o atendimento. A respeito do serviço de limpeza, nos casos em que houve ausência do posto, a empresa foi notificada pelo fiscal. Já durante a execução do contrato de copeiragem, no qual a empresa também fornece o material para a execução dos serviços, houve um caso em que o café não foi entregue na quantidade prevista no contrato, da mesma forma em que a quantidade de algumas especialidades de chá não foram entregues. Entretanto, essas faltas não prejudicaram a manutenção dos serviços. Ademais, durante o ano de 2014, não foi identificado qualquer irregularidade quanto ao pagamento das verbas trabalhistas, o que se faz possível concluir que a execução dos contratos terceirizados durante o período em análise (2014) foi satisfatória Contratação de Estagiários Nível de escolaridade Quadro A Composição do Quadro de Estagiários Quantitativo de contratos de estágio vigentes Despesa no exercício 1º Trimestre 2º Trimestre 3º Trimestre 4º Trimestre (em R$ 1,00) 1. Nível superior , Área Fim , Área Meio ,85 2. Nível Médio , Área Fim , Área Meio ,92 3. Total (1+2) ,44 A Telebras admite os estudantes como estagiários, com o objetivo de proporcionar experiência prática na linha de formação, pelo prazo máximo de 24 meses. No ano de 2014 a seleção foi realizada por dois agentes integradores: de janeiro a agosto pela Super Estágios e, de setembro a dezembro, pelo Centro de Integração Empresa Escola (CIEE). Ambas as empresas foram contratadas, por meio de licitação pública, para a prestação de serviço, que propicia, com base na Lei nº de setembro de 2008, a plena operacionalização de estágio de estudantes que estejam frequentando ensino regular em instituições de ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional e de ensino nas diversas áreas da empresa. Ao final do ano de 2014, a Telebras contava com 24 estagiários de nível superior e 2 de nível médio, com bolsas de R$550,00 (quinhentos e cinquenta reais) para os estudantes de nível superior e jornada de 4 horas diárias e R$1.100,00 (mil e cem reais) para os estudantes de nível superior e com jornada de 6 horas diárias e de R$300,00 (trezentos reais) para os estudantes de nível médio. Todos os estagiários recebem auxílio transporte no valor de R$6,00 (seis reais) diários e os estagiários de nível superior com jornada de 6 horas diárias recebem um auxílio refeição no valor de R$11,36 (onze reais e trinta e seis centavos) diários. 85

90 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Considerando a forte necessidade de apoio pela qual vem passando a Telebras, principalmente em função da consecução dos objetivos do PNBL, percebe-se que houve uma demanda por estagiários de nível superior, como ficou acima demonstrado. 7.3 Desoneração da folha de pagamento Em 03/01/2014, por meio do Ofício Circular nº 01/2014/MP/SE/DEST a Telebras foi acionada para atendimento ao Acórdão 2859/2013 do Tribunal de Contas da União. Em 30/01/2014 recebemos o Ofício Circular nº 13/2014/MP/SE/DEST solicitando que os dados fossem encaminhados sob o processo de referência TC / Foi encaminhada a Carta Circular nº 001/2600/2014 de 10/02/2014 pela Gerência de Compras e Contratos (GCC) a todos os fornecedores relacionados informando os impactos da lei, os objetivos de ressarcimento e, principalmente, convocando todos a apresentarem planilha de custos atual em comparação com a apresentada por ocasião da contratação, considerando a desoneração fiscal. Na oportunidade foi solicitado que as empresas não enquadradas manifestassem isso por escrito. Em 21/02/2014 a GCC pediu apoio ao DEST em virtude da dificuldade que estávamos tendo para levantar dados da demanda uma vez que não tínhamos profissionais especializados na questão de, por exemplo, localizar CNAES. Tal demanda não foi respondida até o momento. Em 10/03/2014, atendendo ao prazo estipulado pelo DEST, encaminhamos a CT 15/2014/2600, que foi assinada pelo Diretor Administrativo-Financeiro Interino, relatando o que já havia sido feito, o que estava em andamento e os números dos quais já dispúnhamos. Conforme requisição, o mesmo conteúdo foi encaminhado ao TCU. Em 04/09/14, por meio do Despacho 853/2014, a GCC solicitou análise de cunho contábil à Gerência Fiscal e de Controle (GFC) sobre alegações de contratadas em relação à desoneração fiscal. Na ocasião informamos a relação de empresas que estariam englobadas na legislação da desoneração; Em 24/09/14 a GFC respondeu o Despacho 853/2014 por meio do MM 060/2014, onde entende que as justificativas (declarações) apresentadas pelas empresas não seriam suficientes para que a GFC analisasse seu vínculo ao plano Brasil Maior. Aquela área solicitou, ainda, que fosse requerido às empresas mencionadas no despacho da GCC que apresentassem os documentos que a GFC mencionou em seu MM 060/2014 e cita que a GCC deve providenciar demais procedimentos para atender a legislação da desoneração; Em 04/12/2014 a GCC preparou a CT Circular 04/2600/2014 e encaminhou a todas as empresas listadas no despacho 853/2014, em atendimento à primeira parte da sugestão da GFC, solicitando todos os documentos citados por aquela área Fiscal e de Controle. Na ocasião relacionou-se 13 (treze) empresas e o prazo dado para resposta foi 15/12/2014 passando o ônus da omissão ao fornecedor. Das 13 (treze) empresas que estariam enquadradas dentre os fornecedores da Telebras, temos que: 05 (cinco) empresas apresentaram a documentação relacionada pela GFC; 06 (seis) empresas foram notificadas, receberam a informação em AR (aviso de recebimento) e omitiram a documentação; 02 (duas) empresas estão incomunicáveis. Em 13/05/2015 os autos foram encaminhados para a GFC constando da documentação das 05 (cinco) empresas que se manifestaram no intuito de obtermos retorno ao despacho 853/2014, para as providências cabíveis. 86

91 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 8. GESTÃO DO PATRIMÔNIO MOBILIÁRIO E IMOBILIÁRIO 8.1 Gestão da Frota de Veículos Próprios e Contratados de Terceiros (Não aplicável à Telebras). 8.2 Gestão do Patrimônio Imobiliário A Sede da TELEBRAS localiza-se no Edifício Parque Cidade Corporate, setor comercial sul, Bloco B, salas 301 a 305 e 401 a 405. Para a estruturação da TELEBRAS o 3º andar do Bloco B foi locado em 2010, por meio do contrato de nº 2600/ TB, de julho de Em 2011 foi locado o 4º andar, contrato de nº 2600/01/2011-TB de janeiro de 2001 que foi necessário para alocação da área comercial e do núcleo operacional da Empresa. A Gestão Contratual é realizada pelas gerências de Contrato e de Logística sendo as questões legais tratadas pela primeira gerência e as operacionais pela segunda. Para a administração predial, na área comum encontram-se os elevadores e os banheiros masculinos e femininos. Por esta razão inicialmente, o consumo de água e os seus custos estavam atrelados ao condomínio e dessa forma eram rateados entre os condôminos. Deste o início de 2013, os controles (válvulas e relógios) foram individualizados, ficando a cargo de cada condômino (empresa/órgão) o controle do consumo interno. Em termos dos custos com refrigeração o prédio é atendido por um sistema centralizado e automatizado. Atualmente, os fatores financeiros controlados são o aluguel, o condomínio e o consumo de água e luz. Escritórios Regionais: A Telebrás possui atualmente 4 (quatro) escritórios regionais e 1 (um) Data Center, sendo que, três dos escritórios iniciaram suas atividades em 2014, os regionais de Belém, Rio de Janeiro e São Paulo, e um escritório em fase de implantação, que é o de Fortaleza, com início previsto das atividades para o segundo semestre de As localizações dos Escritórios e do Data Center estão assim distribuídos: Escritório Regional de Belém, localizado à Av. José Malcher, nº 937, salas 2401, 2403, 2405 e Edifício Real One - Bairro Nazaré - Belém/Pará. Escritório Regional do Rio de Janeiro, localizado na Rua Lauro Muller, nº 116, Sala Edifício Torre Rio Sul - Bairro de Botafogo - Rio de Janeiro/RJ. Escritório Regional de São Paulo, localizado na Rua Paes Leme, nº 524, sala 71 - Edifício Passarelli - Bairro de Pinheiros - São Paulo/SP. Escritório Regional de Fortaleza, localizado à Rua Costa Barros - Edifício Ébano - Fortaleza/CE. Data Center, localizado à SAI AE 01 FURNAS - Guará - Brasília/DF. Em 2013 o Data Center que se encontrava na sede da Telebras foi transferido para a estação de FURNAS em Brasília, para ficar junto com o pop BSB geral. A Telebras possui locação de 79 (setenta e nove) Sites, entendidos como: POP s, ETR s e ERR s, os quais servem de Ponto de Presença, Transmissão e Repetidora de Sinal via Rádio. 87

92 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial Não há Bens Imóveis de Uso Especial na Telebras Imóveis sob a Responsabilidade da UJ, exceto Imóvel Funcional Não há Imóveis Funcionais da União sob Responsabilidade da UJ Não há Análise Crítica (Não aplicável à Telebrás) 8.3 Bens Imóveis Locados de Terceiros O Quadro A.8.3 Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial Locados de Terceiros se encontra no ANEXO VI. 88

93 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 9. GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 9.1 Gestão da Tecnologia da Informação (TI) Os principais sistemas com indicação da sua função seguem na tabela abaixo: Sistema Função Descrição Wordpress Redmine SIMEC SICOS SICACC Sistema de gerenciamento de conteúdo na web Catálogo de Sistemas e Controle e Acompanhamento de Projetos Sistema de Monitoramento e Controle de Obras Sistema de Controle de Ordem de Serviço Sistema de Controle e Acompanhamento de Contratos e Convênios Gerenciar o conteúdo da Intranet e Site WEB. Disponibilizar um ponto de acesso central às informações relacionadas às aplicações utilizadas no dia-a-dia da TELEBRÁS e Gestão e Controle de Projetos Gerenciamento e Acompanhamento de Obras dos Sites da TELEBRAS Gerenciamento e controle das Ordens de Serviço emitidas pela Engenharia Gerenciamento e Controle de Contratos de Energia, Aluguel, Convênios, Licenças e Sessão de Uso de: Infraestrutura, Fibra, Enlace de Comunicação e Transito para Internet SI Sistema de Indicadores Sistema para acompanhamento e envio de Indicadores para ANATEL Joomla Sistema de Gerenciamento de Conteúdo Gerenciamento de Conteúdo interno - Base da Intranet SGF Spectrum Sistema de Gerência de Falhas SGD e-health Sistema de Gerência de Desempenho SGT NetQoS Sistema de Gerência de Trafego SGB SDM Sistema de Gerência de Bilhetes (Service Desk Management) SGNS BSI Sistema de Gerência de Níveis de Serviço BO BO Sistema de Geração de Relatórios CadInv Sistema de Cadastro de Inventário Cadastro de Inventário - Sistema base onde foi populado o inventário da Rede de Telecomunicações Físico e Lógico Portal de Acesso Portal de Acesso Gerenciamento de Credenciais (auto gestão de senha) SAP-CO Controladoria Realiza a gestão de custos e lucros SAP-FI AP Financeiro Gestão do Contas a Pagar SAP-FI AR Financeiro Gestão das Contas a Receber SAP-FI GL Contábil Gestão Contábil da Empresa SAP-FI AA Ativo Controle de Imobilizado (ativo fixo) SAP-FI TV Viagem Administração das solicitações e pagamentos de Diárias e Passagens SAP-HCM RH Gestão de Pessoas (Cadastro, Benefícios, Folha de Pagamento, Recrutamento e Seleção, Treinamento, Saúde e Segurança) SAP-Portal Portal do Empregado Auto atendimento de Empregados (Contracheque, Treinamentos, Férias) SAP-SD Faturamento Gestão de Vendas (Produtos, Contratos de Venda, Faturamento) SAP-FM Orçamentaria Gestão Orçamentaria de Custos e Investimento (OPEX/CAPEX) SAP-IM Orçamentaria Gestão de Orçamentos de projetos SAP-BPC Planejamento e Consolidação Modelos de Planejamento e Consolidação de informações Orçamentária, Obrigações Contábil e Fluxo de Caixa SAP-PI Integração Realiza a integração do SAP com outros sistemas Internos e Externos SAP-WF Workflow Responsável pelos fluxos de aprovação e validação SAP-BW Business Warehouse Responsável pela elaboração de Relatórios 89

94 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Sistema Função Descrição SAP-MM Compras Realiza a Gestão de Aquisições (Requisições, Materiais, Serviços) SAP-SRM Contratos Realiza a Gestão de Contratos de Compras SAP-PS PS Responsável pela Gestão Financeira de Projetos SAP-CRM CRM Responsável pelo Relacionamento com o Cliente SAP-TRM TRM Gestão de Aplicações, Empréstimos Além destes sistemas, existem demandas em fase de análise, dos quais os principais estão: Sistema de Gestão Arquivística de Documentos - Sistema informatizado de controle de documentos para produzir, receber, armazenar, dar acesso e destinar documentos arquivísticos em ambiente eletrônico incluindo protocolo informatizado; Sistemas de Suporte a Operação - Sistema responsável pelo gerenciamento da rede de telecomunicações, incluindo Gerência de Falhas, Desempenho, Problemas, Inventário e etc. Sistema de Avaliação de Desempenho Funcional - Sistema para gerir as avaliações de desempenho funcional e periódicas dos empregados da Telebras; Sistema de Gestão e Controle Patrimonial - Sistema para identificação, registro, definição de responsável, alienação, transferência entre outros requisitos dos bens materiais e mobilizáveis da Telebras; Sistema de Gestão Imóbiliária - Sistema para gestão de contratos relacionados a bens imóveis, sendo responsável por gerir Aluguéis, Energia/Água, Cessão de Torres e Fibras. Quadro A.9.1 Contratos na Área de Tecnologia da Informação em 2014 Informação contida no ANEXO VII. 90

95 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 10. GESTÃO DO USO DOS RECURSOS RENOVÁVEIS E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL 10.1 Gestão do Uso dos Recursos Renováveis e Sustentabilidade Ambiental (Não se aplica à Telebras) 91

96 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 11. ATENDIMENTO DE DEMANDAS DE ÓRGÃOS DE CONTROLE 11.1 Tratamento de deliberações exaradas em acórdão do TCU Deliberações do TCU Atendidas no Exercício Quadro A Cumprimento das deliberações do TCU atendidas no exercício Informação contida no ANEXO VIII Deliberações do TCU Pendentes de Atendimento ao Final do Exercício Não constam deliberações do TCU pendentes de atendimento no exercício Tratamento de Recomendações do Órgão de Controle Interno (OCI) Recomendações do Órgão de Controle Interno Atendidas no Exercício Quadro A Relatório de cumprimento das recomendações do órgão de controle interno Informação contida no ANEXO IX Recomendações do OCI Pendentes de Atendimento ao Final do Exercício Quadro A Situação das recomendações do OCI que permanecem pendentes de atendimento no exercício Informação contida no ANEXO X. 92

97 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 11.3 Declaração de Bens e Rendas Estabelecida na Lei n 8.730/ Situação do Cumprimento das Obrigações Impostas pela Lei 8.730/93 Quadro A.11.3 Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores da UJ, da obrigação de entregar a DBR. Detentores de Cargos e Funções Obrigados a Entregar a DBR Situação em Relação às Exigências da Lei nº 8.730/93 Momento da Ocorrência da Obrigação de Entregar a DBR Posse ou Início do Exercício de Cargo, Emprego ou Função Final do Exercício de Cargo,Empre go ou Função Final do Exercício Financeiro Autoridades (Incisos I a VI do art. 1º da Lei nº 8.730/93) Obrigados a entregar a DBR Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação Obrigados a entregar a DBR Cargos Eletivos Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação Funções Comissionadas (Cargo, Emprego, Função de Confiança ou em Comissão) Obrigados a entregar a DBR Entregaram a DBR Não cumpriram a obrigação Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas Situação do Cumprimento das Obrigações Compete à Gerência de Gestão de Pessoas da Telebras a responsabilidade pela obtenção, formalização, tratamento, controle e guarda das informações de que trata a Instrução Normativa nº 67, de 6 de julho de No sistema informatizado Systems, Applications and Products in Data Processing (SAP) implementado no âmbito da Telebras, há mecanismo de controle acerca da entrega da Declaração de Bens ou do documento Autorização de Acesso aos Dados de Bens e Rendas das Declarações de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física. 93

98 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 11.4 Medidas Adotadas em Caso de Dano ao Erário Não houve nenhum caso de dano ao erário comprovado em Alimentação SIASG E SICONV Quadro A.11.5 Declaração de inserção e atualização de dados no SIASG e SICONV 94

99 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 12. INFORMAÇÕES CONTÁBEIS 12.1 Medidas Adotadas para Adoção de Critérios e Procedimentos Estabelecidos pelas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (Não se aplica a Telebras.) 12.2 Apuração dos custos dos programas e das unidades administrativas Para que a empresa adote uma gestão inteligente, realista e inovadora dos seus custos, necessário se faz um gerenciamento desses recursos com eficácia e assertividade. A estrutura organizacional da empresa exige a sua integração com o sistema SAP (Sistema de Gestão Integrada adotado pela Telebras), permitindo que a alta administração tenha informações seguras dos gastos realizados por cada unidade administrativa. A forma idealizada para o conhecimento desses dispêndios, segundo a estrutura organizacional, é a alocação de gastos por centros de custos. Os Centros de Custos possibilitam também a alocação de gastos por filial e podem ser utilizados para elaboração e execução orçamentária. O objetivo é ter informações da cada área funcional, permitindo verificar a qualidade do gasto realizado, comparar com o planejado, estabelecer desvios e eventualmente analisar sua contribuição com a rentabilidade alcançada pela empresa. Os Centros de Custos da empresa, incluindo as unidades responsáveis pelo gerenciamento de custos, estão descritos no ANEXO XI e sua utilização pela alta administração da empresa tem permitido descartar gastos desnecessários com notáveis benefícios para a empresa Conformidade Contábil (Não aplicável à Telebras) 12.4 Declarção do Contador Atestando a Conformidade das Demonstrações Contábeis (Não aplicável à Telebras) 12.5 Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas previstas na Lei n 4.320/1964 e pela NBC t 16.6 aprovada pela Resolução CFC n 1.133/2008 (Não aplicável à Telebras) 12.6 Demonstrações Contábeis e Notas Explicativas exigidas pela Lei nº 6.404/1976 Informação contida nos ANEXOS XII, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII. 95

100 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 12.7 Composição Acionária das Empresas Estatais Composição Acionária do Capital Social como Investida Quadro A Composição Acionária do Capital Social UJ COMO INVESTIDA - POSIÇÃO EM 31/12/2014 Denominação completa TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - Telebras Ações Ordinárias (%) ACIONISTAS 31/12/ /12/ /12/2012 Tesouro Nacional 57,61% 57,61% 83,44% Free Float Governo Outras Entidades Governamentais 35,32% 35,32% 7,34% Fundos de Pensão que recebem recursos públicos Ações em Tesouraria % Governo 92,93% 92,93% 90,78% Pessoas Físicas 0,84% 0,83% 0,82% Pessoas Jurídicas 6,23% 6,24% 8,40% Capital Estrangeiro % free float 7,07% 7,07% 9,22% Subtotal Ordinárias (%) 100,00% 100,00% 100,00% Ações Preferenciais (%) ACIONISTAS 31/12/ /12/ /12/2012 Tesouro Nacional Free Float Governo Outras Entidades Governamentais Fundos de Pensão que recebem recursos públicos Ações em Tesouraria % Governo 0,00% 0,00% 0,00% Pessoas Físicas 68,94% 66,28% 64,87% Pessoas Jurídicas 30,31% 32,68% 33,21% Capital Estrangeiro 0,75% 1,04% 1,92% % free float 100,00% 100,00% 100,00% Subtotal Preferenciais (%) 100,00% 100,00% 100,00% Total 100% 100% 100% 96

101 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Composição Acionária da UJ como Investidora Quadro A Investimentos Permanentes em outras sociedades UJ COMO INVESTIDORA - POSIÇÃO EM 31/12/2014 Denominação Investidora TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S. A. Telebras Ações Ordinárias (% de participação) Empresa Investida 31/12/ /12/ /12/2012 VISIONA TECNOLOGIA ESPACIAL S.A. 49% 49% 49% TELEBRAS COPA S.A. 100% 100% ZERO Ações Preferenciais (% de participação) Empresa Investida 31/12/ /12/ /12/ Relatório de Auditoria Independente Informações contidas nos ANEXOS XIX e XX. Segundo o Parecer do Auditor Independente, as demonstrações financeiras e financeiras consolidadas referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Telebras. 97

102 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 13. OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO 13.1 Outras Informações Consideradas Relevantes pela UJ Não há outras informações consideradas relevantes. 98

103 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações II. PARTE B, ITEM 63 DO ANEXO II DA DN TCU Nº 134, DE 04/12/2013 I INFORMAÇÕES SOBRE AS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PATROCINADAS 1 NOME SISTEL 2 RAZÃO SOCIAL Fundação SISTEL de Seguridade Social 3 CNPJ / Demonstrativo Anual Valor total da folha de pagamento dos empregados participantes: Valores em R$ Salário de Participação - Posição DEZ/2014 PBS-TELEBRAS ,36 TELEBRASPREV ,18 O artigo 22 do Regulamento do Plano PBS-TELEBRAS conceitua o Salário-de-Participação do Participante Ativo como sendo o total das parcelas de sua remuneração, pagas pela Patrocinadora, limitado ao valor de R$ ,73 (doze mil, novecentos e quarenta e dois reais e setenta e três centavos). Tal limite será atualizado mensalmente, a partir da data base dezembro de 1999, pelo Índice Geral de Preços/Disponibilidade Interna da FGV IGP DI, ou por qualquer outro índice que venha a substituí-lo na forma da legislação vigente. O artigo 12 do Regulamento do Plano TELEBRASPREV dispõe que o Salário-de-Participação é a base mensal de incidência das contribuições do participante ao Plano em conformidade com as seguintes condições: I - para o participante vinculado, o total das parcelas salariais, de caráter remuneratório, que lhe forem pagas no mês pelo Patrocinador. Não serão computados como parcelas os auxílios, diárias, 99

104 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações participação em resultados, adicional de férias, lucros, bônus ou abonos indenizatórios de qualquer natureza. II - para o participante autopatrocinado ou optante pelo Benefício Proporcional Diferido (BPD), corresponde ao salário escolhido pelo participante desde que observado em um dos 3 (três) últimos meses precedentes ao do desligamento, reajustado em janeiro de cada ano pela variação acumulada não-negativa do INPC-IBGE Índice Nacional de Preços ao Consumidor do IBGE, ou outro índice que vier a substituí-lo; III - para o participante em benefício de suplementação de Auxílio-Doença ou Aposentadoria por Invalidez será a remuneração anterior à concessão do referido benefício, reajustada em janeiro de cada ano pela variação acumulada não-negativa do INPC-IBGE Índice Nacional de Preços ao Consumidor do IBGE, ou outro índice que vier a substituí-lo. Valor total das contribuições pagas pelos empregados participantes, pela patrocinadora e Valor total de outros recursos repassados pela patrocinadora: Valores em R$ Contribuições Jan a Dez/2014 PBS TELEBRAS TELEBRASPREV PATROCINADOR(ES) CONTRIBUIÇÕES MENSAIS ,34 CUSTEIO ADMINISTRATIVO ,62 PARTICIPANTES CONTRIBUIÇÕES MENSAIS 878,39 CUSTEIO ADMINISTRATIVO 79,06 CONTRIB. PATRONAL PAMA ,23 AUTOPATROCINADOS CONTRIBUIÇÕES MENSAIS 5.316,47 CUSTEIO ADMINISTRATIVO 480,18 Discriminação da razão ou motivo do repasse de recursos que não sejam contribuições: Não houve repasses dessa natureza. Valor total do tipo de aplicação e respectiva fundamentação legal e Avaliação da política de investimentos da entidade fechada de previdência complementar, evidenciando o retorno das aplicações, bem como sua conformidade com a Resolução 3792/2009, do Conselho Monetário Nacional: Informações contidas no ANEXO XXI. 100

105 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 5 Conclusões contidas no relatório da auditoria independente Informação contida no ANEXO XXII. 6 Demonstração do resultado atuarial e Conclusões do último estudo atuarial Informações contidas no ANEXO XXIII. II INFORMAÇÕES SOBRE AS AÇÕES DE FISCALIZAÇÃO EMPREENDIDAS Em 2014, a Telebras acompanhou sistematicamente as atividades da Fundação Sistel de Seguridade Social (Sistel), encarregada da administração dos planos de benefícios previdenciários de colaboradores e ex-colaboradores da Companhia. Em face das mudanças ocorridas no corpo diretivo da Sistel durante o ano de 2014, a Diretoria Executiva da Telebras tomou a iniciativa de estreitar as relações entre as entidades, com a realização de diversas reuniões, em cujas pautas constaram assuntos relacionados aos seguintes Planos de Benefícios: Telebras-Previ, PBS Telebras, PBS-A e PAMA. Ainda durante o exercício de 2014, a Companhia teve acesso e examinou os Planos de Investimentos da Sistel para os anos de 2014 e 2015, que enfocaram as ações da Fundação no tocante administração do patrimônio que gere e que dá sustentação aos respectivos planos de benefícios. Foram analisadas as Demonstrações Financeiras de 2014 dos referidos planos, sob a responsabilidade de auditores independentes, também com vistas a integrarem as próprias Demonstrações Financeiras da Telebras para o exercício encerrado em 31/12/2014. Como resultado da sua atuação junto às demais patrocinadoras e junto à própria Sistel em busca de um assento definitivo, a Telebras terá assegurada uma cadeira no Conselho Diretivo da Sistel a partir de abril 2015 e por um período de três anos. Por fim, cumpre informar que, a pedido da Diretoria Executiva da Telebras, a Presidência da Sistel comprometeu-se com uma agenda de apresentação dos principais números dos planos de benefícios que administra, não só para com a Diretoria da Telebras, mas também para com o Conselho de Administração da Companhia, reuniões que se realizarão em março, junho, setembro e dezembro de

106 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações CONSIDERAÇÕES FINAIS A Telebras realizou um papel fundamental na Copa do Mundo de Futebol de 2014, ao proporcionar pela primeira vez em uma copa, a transmissão de todos os jogos a partir de uma rede de telecomunicações formada integralmente por fibras ópticas. Ressalta-se que nenhuma falha foi verificada nas transmissões. Em 2014, houve ampliação do atendimento aos clientes corporativos e ao mercado governo. A receita de serviços foi mais que o dobro daquela apurada em 2013, quando se analisa os contratos perenes da Companhia. Não obstante, o comprometimento com seus objetivos institucionais e a obediência ao planejamento traçado determinam a continuidade dos projetos especiais e de algumas ações estratégicas, tais como a complementação de trechos de fibras ópticas de longa distância e o trabalho decapilarização da rede, empreendimentos que naturalmente serão traduzidos em ampliação do atendimento aos clientes de todos os segmentos deatuação da Companhia, e, por consequência, em maior rentabilização dos ativos. As dificuldades conjunturais da economia que já se fazem sentir nesse primeiro trimestre de 2015 apontam para um ano em que os esforços terão de ser redobrados para que as metas delineadas possam também ser comemoradas ao final do exercício. Mas, a julgar pela capacidade sobejamente demonstrada, a Equipe Telebras tem totais condições de concretizar os objetivos propostos em 2015.

107 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A.1.3 Informações sobre áreas ou subunidades estratégicas ANEXO I Áreas/ Subunidades Estratégicas Competências Titular Cargo Período de atuação Assembleia Geral - órgão superior da Telebras, com poderes para deliberar sobre todos os negócios relativos ao objeto social e tomar as providências que julgar convenientes à defesa e ao desenvolvimento da Sociedade. Acionistas - - Conselho de Administração - é o órgão de deliberação colegiada, integrado por oito membros, que exerce a administração superior da Telebras, sendo responsável por fixar a orientação geral dos negócios da Telebras, estabelecendo políticas, diretrizes e objetivos corporativos. 1) Maximiliano Salvadori Martinhão 2) Demi Getschko 3) Genildo Lins de A. Neto 4) Lauro Arcangelo Zanol 5) Luisa Amelia Tavares de Souza 6) Marcelo de Siqueira Freitas 7) Rafael Rodrigues Alves da Rocha Conselheiros Titulares 1)01/01/2014 a 31/12/2014 2)01/01/2014 a 31/12/2014 3) 01/01/2014 a 31/12/2014 4) 01/01/2014 a 31/12/2014 5) 01/01/2014 a 31/12/2014 6) 01/01/2014 a 31/12/2014 7) 01/01/2014 a 31/12/2014 Conselho Fiscal - órgão independente da administração e de caráter permanente e consultivo, que se compõe de cinco membros efetivos e cinco suplentes, eleitos pela Assembleia Geral Ordinária. Compete ao Conselho Fiscal fiscalizar os atos dos administradores e verificar o cumprimento dos seus deveres legais e estatutários. 1) Ulysses Cesar Amaro de Melo 2) Amir George Francis Matta 3) Antonio Carlos da Silva Estevão 4) Luciana Cortez Roriz Pontes 5) Marcia Ribeiro Abreu Conselheiros Titulares 1) 01/01/2014 a 31/12/2014 3) 01/01/2014 a 31/12/2014 4) 01/01/2014 a 31/12/2014 5) 01/01/2014 a 31/12/2014 1

108 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerência de Auditoria Interna - órgão independente com a finalidade de auxiliar, no que couber, o Conselho de Administração no exercício de suas funções e a administração em seu desempenho, auditando a aplicação de recursos financeiros, humanos e técnicos e recomendando ações para melhoria do funcionamento dos processos e controles da organização. Valter Rodrigues da Silva Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Ouvidoria - auxiliar, no que couber, o Conselho de Administração no exercício de suas funções, acolhendo, processando, analisando e encaminhando à Presidência e aos demais órgãos da empresa e as denúncias, reclamações ou sugestões que forem recebidas de órgãos do governo, de entidades privadas, de funcionários da Telebras e do público em geral. Não tem - - Diretoria Executiva - Compete à Diretoria Executiva estabelecer políticas específicas e diretrizes decorrentes da orientação geral dos negócios fixados pelo Conselho de Administração. Presidente, Diretores da Telebras 1)Francisco Ziober Filho - 1 e 2 2)Paulo Eduardo Henriques Kapp 3)Marcio Antônio Rodrigues Santos 1)Presidente 2) Diretor Comercial, 3) Diretor Tecnico Operacional 4) Diretor Administrativo- Financeiro 1)14/01/2014 a 31/12/2014 1) 17/09/2012 a 31/12/2014 2) 01/01/2014 a 31/12/2014 3) 01/01/2014 a 31/12/2014 Presidência - São atribuições da Presidência supervisionar todas as atividades da Telebras, informar permanentemente o Ministro das Comunicações acerca dos negócios da Telebras e acompanhar o cumprimento das diretrizes governamentais aplicáveis à Telebras. Francisco Ziober Filho Presidente 14/01/2014 a 31/12/2014 2

109 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerência Jurídica Gerência de Governança Gerência TELEBRAS Inovação São atribuições da Gerência Jurídica gerir os processos judiciais e administrativos, externos à organização, defendendo os interesses da Telebras nas ações em que for parte ou interessada, e contingenciando adequadamente os passivos envolvidos, e atuar de forma preventiva e consultiva em todos os procedimentos internos da Telebras que exijam o exame da sua legalidade, através de pareceres e orientações, bem como interagir com as demais unidades organizacionais para prestar assessoria jurídica. - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas à governança corporativa, planejamento estratégico, desempenho empresarial, gestão de riscos corporativos, gestão de conteúdo, relações institucionais, gestão de qualidade, escritório de processos e projetos e arquitetura empresarial. - Responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas à visão futura da arquitetura de rede de telecomunicações da Telebras e a inovação e evolução técnologica. Isabel Luíza R. M. dos Santos Gerente 01/06/2014 a 31/12/2014 Christophe Dessaux Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Antônio Roberto Zanoni Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Diretoria Administrativo- Financeira e de Relações com Investidores - Atribuição de dirigir as atividades administrativas de suporte aos órgãos de funcionamento da Telebras, abrangendo as áreas de relações com investidores, infraestrutura e logística, gestão financeira e orçamentária, arrecadação, faturamento e cobrança, gestão de pessoas, administração e compras e acompanhamento dos recursos materiais, bem como a coordenação, supervisão, acompanhamento e controle das atividades funcionais da sua área de competência. Márcio Antônio Rodrigues dos Santos Diretor 01/02/2014 a 31/12/2014 3

110 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Assessoria de Relacionamento com o Mercado Gerência de Logística - Responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle do relacionamento com investidores - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das atividades de logística e manutenção de infraestrutura. Lorival Souza da Silva Assessor 01/01/2014 a 31/12/2014 Welington Neville Ribeiro da Silva Gerente 01/10/2014 a 31/12/2014 Gerência Financeira e Orçamentária Gerência Fiscal e de Controle - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle da execução orçamentária e financeira, arrecadação e cobrança - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle da contabilidade, acompanhamento dos recursos materiais. Fabrício Santos Limoeiro Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Alberto Carlos Aguiar Rodrigues Gerente 19/03/2014 a 31/12/2014 Gerência de Gestão de Pessoas Gerência de Compras e Contratos - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas à administração, desenvolvimento, aquisição e retenção da força de trabalho e condução do modelo de gestão de pessoas. - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das aquisições de bens e materiais e da contratação de serviços, e pelas atividades inerentes à administração corporativa dos contratos Cirineu Roberto Pedrosa Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Karina Macedo Marra Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 4

111 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações administrativos. Diretoria Técnico- Operacional - tem a atribuição de dirigir as atividades técnicas de planejamento e engenharia, abrangendo o desenvolvimento e implementação de projetos, operação e manutenção da rede de telecomunicações e a gestão e provisão da tecnologia de informação, bem como a coordenação, supervisão, acompanhamento e controle das atividades funcionais da sua área de atribuição. Paulo E. Henrique Kapp Diretor 01/01/2014 a 31/12/2014 Gerência de Planejamento Técnico e Controle - responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle da expansão da rede de telecomunicações da Telebras. Reinaldo Bizerril Camargo Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Gerência de Engenharia de Redes de Acesso - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das atividades de engenharia de redes de acesso. Luiz Fernando de Passos Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Gerência de Engenharia de Redes de Transporte Gerência de Operação e Manutenção é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das atividades de engenharia de redes de transporte e metropolitanas - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das atividades de operação e manutenção. Emerson Baumgarten de Oliveira Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Henrique Primo Vieira Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 5

112 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Gerência de Tecnologia da Informação Gerência de Satélites - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das atividades de Tecnologia da Informação. - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, gerenciamento de recursos e operação das atividades de implantação e operação de satélites. Antônio Ferreira Monteiro Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Sebastião de Nascimento Neto Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Diretoria Comercial Gerência de Engenharia Comercial Gerência de Vendas Governo e Corporativo tem a atribuição de dirigir e promover a articulação e coordenação das atividades de planejamento comercial e comercialização junto aos setores público e privado, abrangendo: o desenvolvimento das estratégias de negócio, de produtos e serviços, de marketing, de vendas; a negociação com operadoras, parceiros e entes federados e o relacionamento com clientes, operadoras e parceiros; bem como a coordenação, supervisão, acompanhamento e controle das atividades funcionais da sua área de competência é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle do portfólio de produtos e serviços, dos estudos de viabilidade técnica de atendimento a clientes e da elaboração de projetos das soluções para o atendimento das necessidades dos clientes. - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das vendas de produtos e serviços destinados ao segmento de governo, na esfera federal, corporativo Francisco Ziober Filho Diretor 01/01/2014 a 31/12/2014 Roberto Tutomo Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Arthur Achilles Dayrel Santos Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 6

113 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações e dos projetos especiais para o plano de negócios da Telebras. Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros - - é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle das negociações comerciais com operadoras, órgãos de governo e organismos internacionais, bem como dos contratos de interconexão com prestadoras de serviços de telecomunicações. Willian Lima Vaz Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Gerência de Pós-Venda é responsável pela condução das atividades normativas e operativas relacionadas ao planejamento, acompanhamento e controle do desenvolvimento e implementação de métodos e procedimentos destinados ao relacionamento da Telebras com seus clientes, operadoras e demais parceiros para a entrega dos produtos e serviços contratados, bem como do gerenciamento dos requisitos contratuais relativos à qualidade de serviço, do nível de serviço acordado e da execução da atividade de faturamento. Fernando A. França Pádua Gerente 01/01/2014 a 31/12/2014 Escritórios Regionais a Telebras, com sede em Brasília, dispõe de escritórios regionais sediados nas cidades de Fortaleza, Salvador, Brasília, Belém, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Os escritórios regionais são responsáveis pela execução das atividades de comercialização junto aos setores privado e público, este último na esfera municipal e estadual, e pela realização de atividades delegadas técnico-operacionais, administrativo-financeiras e jurídicas. 1)Escritório de Belém Iugorou Ohara 2)Escritório Rio Soraia Emery de Carvalho Braga 3)Escritório Fortaleza Odorico Patrício Filho 4)Escritório de Brasília Luisa Amélia Tavares de Souza 5)Escritório de São Paulo Luiz Nelson F. Vergueiro Gerente Gerente Gerente Gerente Gerente 25/06/2014 a 31/12/ /02/2014 a 31/12/ /11/2014 a 31/12/ /07/2014 a 31/12/ /02/2014 a 31/12/2014 7

114 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO II (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Quadro A.2.4 Avaliação do Sistema de Controles Internos da UJ ELEMENTOS DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS A SEREM AVALIADOS VALORES Ambiente de Controle A alta administração percebe os controles internos como essenciais à consecução dos objetivos da unidade e dão suporte adequado ao seu funcionamento. 2. Os mecanismos gerais de controle instituídos pela UJ são percebidos por todos os servidores e funcionários nos diversos níveis da estrutura da unidade. 3. A comunicação dentro da UJ é adequada e eficiente. X 4. Existe código formalizado de ética ou de conduta. X 5. Os procedimentos e as instruções operacionais são padronizados e estão postos em documentos formais. 6. Há mecanismos que garantem ou incentivam a participação dos funcionários e servidores dos diversos níveis da estrutura da UJ na elaboração dos procedimentos, das instruções operacionais ou código de ética ou conduta. 7. As delegações de autoridade e competência são acompanhadas de definições claras das responsabilidades. 8. Existe adequada segregação de funções nos processos e atividades da competência da UJ. X 9. Os controles internos adotados contribuem para a consecução dos resultados planejados pela UJ. X Avaliação de Risco Os objetivos e metas da unidade jurisdicionada estão formalizados. X 11. Há clara identificação dos processos críticos para a consecução dos objetivos e metas da unidade. X 12. É prática da unidade o diagnóstico dos riscos (de origem interna ou externa) envolvidos nos seus processos estratégicos, bem como a identificação da probabilidade de ocorrência desses riscos e a consequente adoção de medidas para mitigá-los. 13. É prática da unidade a definição de níveis de riscos operacionais, de informações e de conformidade que podem ser assumidos pelos diversos níveis da gestão. 14. A avaliação de riscos é feita de forma contínua, de modo a identificar mudanças no perfil de risco da UJ ocasionadas por transformações nos ambientes interno e externo. 15. Os riscos identificados são mensurados e classificados de modo a serem tratados em uma escala de prioridades e a gerar informações úteis à tomada de decisão. 16. Não há ocorrência de fraudes e perdas que sejam decorrentes de fragilidades nos processos internos da unidade. 17. Na ocorrência de fraudes e desvios, é prática da unidade instaurar sindicância para apurar responsabilidades e exigir eventuais ressarcimentos. 18. Há norma ou regulamento para as atividades de guarda, estoque e inventário de bens e valores de responsabilidade da unidade. Procedimentos de Controle Existem políticas e ações, de natureza preventiva ou de detecção, para diminuir os riscos e alcançar os objetivos da UJ,claramente estabelecidas. 20. As atividades de controle adotadas pela UJ são apropriadas e funcionam consistentemente de acordo com um plano de longo prazo. 21. As atividades de controle adotadas pela UJ possuem custo apropriado ao nível de benefícios que possam derivar de sua aplicação. 22. As atividades de controle adotadas pela UJ são abrangentes e razoáveis e estão diretamente relacionadas com os objetivos de controle. Informação e Comunicação A informação relevante para UJ é devidamente identificada, documentada, armazenada e comunicada tempestivamente às pessoas adequadas. X X X X X X X X X X X X X X X X X 1

115 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 24. As informações consideradas relevantes pela UJ são dotadas de qualidade suficiente para permitirao gestor tomar as decisões apropriadas. 25. A informação disponível para as unidades internas e pessoas da UJ é apropriada, tempestiva, atual, precisa e acessível. 26. A Informação divulgada internamente atende às expectativas dos diversos grupos e indivíduos da UJ, contribuindo para a execução das responsabilidades de forma eficaz. 27. A comunicação das informações perpassa todos os níveis hierárquicos da UJ, em todas as direções, por todos os seus componentes e por toda a sua estrutura. Monitoramento O sistema de controle interno da UJ é constantemente monitorado para avaliar sua validade e qualidade ao longo do tempo. 29. O sistema de controle interno da UJ tem sido considerado adequado e efetivo pelas avaliações sofridas. 30. O sistema de controle interno da UJ tem contribuído para a melhoria de seu desempenho. X Análise crítica e comentários relevantes: Em comparação com a avaliação dos controles internos feita no exercício anterior, foi feita uma revisão para baixo de vários itens. Esta revisão não é resultado de um desempenho pior da organização no controle interno, muito pelo contrário: o avanço de maturidade no controle, nos processos de planejamento estratégico, de gestão de riscos e de outros processos essenciais para alcançar os objetivos da organização levou a um entendimento melhor das necessidades e exigências de controles internos, e a uma percepção clara que talvez as avaliações passadas, em retrospecto, estavam um pouco otimistas. Exemplos desta percepção: Item 10 com a evolução de maturidade do processo de planejamento estratégico obtida pela definição e implementação de iniciativas estratégicas, percebeu-se que as metas para os objetivos estratégicos não estavam bem definidas ainda. Por esta razão, apesar de ter observado um salto de qualidade nas metas definidas, foi rebaixada a pontuação do item. Com a criação de uma metodologia de gestão de riscos, a sua normatização e a sua implementação efetiva, obteve-se novamente a percepção de que a pontuação do exercício anterior deveria ter sido mais modesta. Por este motivo, foram rebaixados os itens 12, 13 e 14. Com o aumento de maturidade nos processos da organização, fica evidenciada a necessidade de informações cada vez mais confiáveis e de uma comunicação efetiva entre as áreas envolvidas nos processos. Novamente, esta visão Escala de valores da Avaliação: (1) Totalmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente não observado no contexto da UJ. (2) Parcialmente inválida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da UJ, porém, em sua minoria. (3) Neutra: Significa que não há como avaliar se o conteúdo da afirmativa é ou não observado no contexto da UJ. (4) Parcialmente válida: Significa que o conteúdo da afirmativa é parcialmente observado no contexto da UJ, porém, em sua maioria. (5) Totalmente válido. Significa que o conteúdo da afirmativa é integralmente observado no contexto da UJ. X X X X X X 2

116 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO III Quadro A Remuneração dos Conselhos de Administração e Fiscal Período de Exercício Conselho de Administração Remuneração Valores em reais (R$) Nome do Conselheiro Início Fim Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total Caio Cezar Bonilha Rodrigues - 14/01/ , ,07 Demi Getschko Francisco Ziober Filho Genildo Lins de A. Neto , , , , , , , , , , , , ,05 14/01/ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,05 Lauro Arcângelo Zanol , , , , , , , , , , , , ,05 Luisa Amélia Tavares de Souza 01/04/ , , , , , , , , , ,73 Marcelo de Siqueira Freitas , , , , , , , , , , , , ,05 Maximiliano Salvadori Martinhão , , , , , , , , , , , , ,05 Rafael Rodrigues Alves Rocha , , , , , , , , , , , , ,05 Silvinio Vergilio Bento - 31/03/ , , , ,32 Conselho Fiscal Nome do Conselheiro Período de Exercício Remuneração (T/S) Início Fim Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total Amir George Francis - - Matta 3.439, , , , , , , , , , , , ,05 Antonio Carlos da Silva - - Estevão 3.439, , , , , , , , , , , , ,05 Luciana Cortez Roriz - - Pontes 3.439, , , , , , , , , , , , ,05 1

117 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Márcia Ribeiro Abreu , , , , , , , , , , , , ,05 Ulysses Cesar Amaro de Melo , , , , , , , , , , , , ,05 2

118 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO IV (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) QUADRO A SÍNTESE DA REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES Órgão: DIRETORIA EXECUTIVA Remuneração dos Membros Identificação do Órgão EXERCÍCIO Número de membros: I - Remuneração Fixa (a+b+c+d) , , ,26 a) salário ou pró-labore , , ,23 b) benefícios diretos e indiretos , , ,03 c) remuneração por participação em comitês d) outros (Remuneração Compensatória/ Quarentena) , ,61 - II - Remuneração variável (e+f+g+h+i) e) bônus f) participação nos resultados g) remuneração por participação em reuniões h) comissões i) outros - - III - Total da Remuneração (I + II) , , ,26 IV - Benefícios pós-emprego V - Benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo VI - Remuneração baseada em ações Órgão: CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Remuneração dos Membros Identificação do Órgão EXERCÍCIO Número de membros: I - Remuneração Fixa (a+b+c+d) , , ,83 a) salário ou pró-labore , , ,83 b) benefícios diretos e indiretos - c) remuneração por participação em comitês - - d) outros - - II - Remuneração variável (e+f+g+h+i) - - e) bônus - - f) participação nos resultados - - g) remuneração por participação em reuniões - - h) comissões - - i) outros - - 1

119 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações III - Total da Remuneração (I + II) , , ,83 IV - Benefícios pós-emprego V - Benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo VI - Remuneração baseada em ações Órgão: CONSELHO FISCAL Remuneração dos Membros Identificação do Órgão EXERCÍCIO Número de membros: I - Remuneração Fixa (a+b+c+d) , , ,25 a) salário ou pró-labore , , ,25 b) benefícios diretos e indiretos c) remuneração por participação em comitês d) outros II - Remuneração variável (e+f+g+h+i) e) bônus f) participação nos resultados g) remuneração por participação em reuniões h) comissões i) outros III - Total da Remuneração (I + II) , , ,25 IV - Benefícios pós-emprego V - Benefícios motivados pela cessação do exercício do cargo VI - Remuneração baseada em ações Fonte: Gerência de Gestão de Pessoas Obs: Embora alguns números estejam discrepantes dos números apresentados no Relatório de Gestão de 2013, após análise, constatou-se que os dados apresentados no relatório deste ano estão corretos. 2

120 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO V (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) QUADRO DEMONSTRATIVO CAPACITAÇÃO 2014 EVENTO QTDE TREINANDO ÓRGÃO DEMANDANTE /POPULAÇÃO ALVO CARGA HORÁRIA Curso Prático de DIRF/ Regras para Retenção e Preenchimento 3 Gerência de Gestão de Pessoas 8h/a Capacity Latam Technology Workshop 1 Gabinete da Presidência 19h/a Seminário: Semana NIC.br de Metodologias de Pesquisa 1 Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros 20h/a II Congresso Brasileiro de Regime Diferenciado de Contratações - RDC 1 Gerência de Compras e Contratos 26h/a Curso CIPA Gestão 2014/ Membros da CIPA 20h/a Seminário Nacional - Dispensa e Inexigibilidade de Licitação - Como Formalizar o Procedimento e Gerir os Contratos Decorrentes de Contratação Direta 1 Gerência de Compras e Contratos 16h/a Curso e-social e DCTF-PREV 3 Gerência de Gestão de Pessoas 25h/a Seminário de Planejamento Estratégico Alinhado ao Gerenciamento de Projetos 1 Gabinete da Presidência 16h/a 40º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas - CONARH 1 Gerência de Gestão de Pessoas 47h/a Seminário HSM "The Best of Philip Kotler" 2 Curso Brigada de Incêndio 4 Gerências da Diretoria Comercial Escritório Regional de São Paulo 4h30/a 4h/a Seminário Internacional de Auditoria e Controle Interno 1 Auditoria 20h/a Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação pela Administração Pública - Instrução Normativa nº 4/2014/SLTI/MPOG, de 11/09/ Gerência de Tecnologia da Informação e Gerência de Compras e Contratos 24h/a Congresso Nacional de Estudos Avançados sobre Terceirização na Administração Pública 1 Gerência de Compras e Contratos 26h/a The Open Group Brazil Conference 2 Gerência Inovação Telebras 16h/a 24º EncontraRH 3 Gerência de Compras e Contratos 16h/a 1

121 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações EVENTO QTDE TREINANDO ÓRGÃO DEMANDANTE /POPULAÇÃO ALVO CARGA HORÁRIA Seminário Lei nº /14 - Medida Provisória nº 627 convertida em Lei 3 Auditoria 3h30 Seminário Internacional ABDTIC Gerência Jurídica 18h/a Seminário Nacional Revisão, Reajuste e Repactuação de Contratos Administrativos 1 Gerência Jurídica 16h/a II Seminário de Gestão de Riscos na Contratação Pública 2 Gerência de Compras e Contratos 24h/a Seminário de Sensibilização para Segurança da Informação 230 Gabinete da Presidência evento para todos empregados 3h/a IV Semana da Infraestrutura da Internet no Brasil - NIC.BR - GTER 38/GTS 2 Gerência de Tecnologia da Informação 16h/a Planejamento da Contratação Pública e Fiscalização de Contratos de Terceirização 21 Gerências que tenham empregados que fiscalizam contratos de terceirização 28h/a 2

122 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO VI (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Quadro A.8.3 Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial Locados de Terceiro BRASIL LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA Quantidade de Imóveis Locados de Terceiros dela UJ Exercício 2014 Exercício 2013 UF-DF 4 4 Asa Sul Brasília/DF (sede) 2 2 Guará- Brasília/DF (sede) 1 1 Santa Maria/DF 1 1 UF-AL 5 5 Igaci/AL 1 1 Messias/AL 1 1 Arapiraca/AL 1 1 Viçosa/AL 1 1 Mar Vermelho/AL 1 1 UF-BA 9 9 Valença/BA 1 1 Camacan/BA 1 1 Presidente Tancredo Neves/BA 1 1 Entre Rios/BA 1 1 Itapé/BA 1 1 São Gonçalo dos Campos/BA 1 1 Gandú/BA 1 1 Itabuna/BA 1 1 Porto Seguro/BA 1 1 UF-CE 3 3 Caucaia/CE 1 1 Itapajé/CE 1 1 Aracoiaba/CE 1 1 UF-ES 2 2 Itapemirim/ES 1 1 Conceição da Barra/ES 1 1 UF-GO Águas Lindas de Goiás/GO 1 1 Itumbiara/GO 2 2 Cidade Ocidental/GO 1 1 Goiatuba/GO 1 1 Nerópolis/GO 1 1 Caiapônia/GO 1 1 1

123 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Bom Jesus de Goiás/GO 1 1 Valparaíso de Goiás/GO 1 1 Niquelândia/GO 1 1 Goiânia/GO 1 1 Morrinhos/GO 1 1 UF-MA 3 3 Barra do Corda/MA 1 1 Sítio Novo/MA 1 1 Matões/MA 1 1 UF-MG 4 4 Divinópolis/MG 1 1 Prata/MG 1 1 Ibiraci/MG 1 1 Muzambinho/MG 1 1 UF-MS 1 0 Nova Alvorada do Sul/MS 1 0 UF-MT 1 1 Juscimeira/MT 1 1 UF-PA 3 3 Belém/PA (escritório regional) 1 1 Marituba/PA 1 1 Santa Bárbara do Pará/PA 1 1 UF-PB 4 4 Cuité/PB 1 1 Lagoa Seca/PB 1 1 Tacima/PB 1 1 Santa Rita/PB 1 1 UF-PE 1 1 Moreno/PE 1 1 UF-PI 7 7 Batalha/PI* 1 1 Piracuruca/PI 1 1 São João da Fronteira/PI 1 1 Campo Maior/PI 1 1 Demerval Lobão/PI 1 1 Lagoa São Francisco/PI 1 1 Brasileira/PI 1 1 UF-PR 3 2 Umuarama/PR 1 1 Campina da Lagoa/PR 1 0 Altamira do Paraná/PR 1 1 UF-RJ 2 2 2

124 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Rio de Janeiro/RJ (escritório regional) 1 1 Resende/RJ 1 1 UF-RN 2 2 Bodó/RN 1 1 Lagoa Nova/RN 1 1 UF-RS 1 1 Garibaldi/RS 1 1 UF-SE 3 3 Nossa Senhora da Glória/SE 1 1 Carira/SE 1 1 Laranjeiras/SE 1 1 UF-SP 5 4 São Paulo/SP (escritório regional) 1 1 Bauru/SP 1 1 Ituverava/SP 1 1 Itatiba/SP 1 0 Taubaté/SP 1 1 UF-TO Paraíso do Tocantins/TO 1 1 Araguaína/TO 2 2 Jaú do Tocantins/TO 1 1 Paraíso do Tocantins/TO 2 2 Porto Nacional Paraíso do Tocantins/TO 1 1 Guaraí/TO 1 1 Araguaína/TO 1 1 Nova Rosalândia/TO 1 1 Subtotal Brasil EXTERIOR PAÍS * Contrato de Locação sobjudice Fonte:Planilha de Controle Gerencia de Logística Subtotal Exterior 0 0 Total (Brasil + Exterior) Obs: Embora alguns números estejam discrepantes dos números apresentados no Relatório de Gestão de 2013, após análise, constatou-se que os dados apresentados no relatório deste ano estão corretos. 3

125 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Quadro A.9.1 Contratos na Área de Tecnologia da Informação em 2014 ANEXO VII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Nº do Contrato 164/2012/ / /2012/ /2012/3700 Objeto Vigência CNPJ Denominação Custo Fornecimento e integração de solução modular, escalável e móvel de Contêiner seguro para Data Center Fornecimento de materiais para atender o move dos equipamentos para o novo conteiner datacenter da Telebras Fornecimento de 20 licenças do software Microsoft Visio Profissional 2010 Fornecimento de licenças de uso de softwares de virtualização (oracle), suporte técnico e atualização de versão Contratação de serviços de suporte ON-SITE e manutenção corretiva de HARDWARE e SOFTWARE, com fornecimento integral de peças de reposição para equipamentos de infraestrutura de TI da Telebras 12/12/2014 a 16/12/ /02/2014 a 23/02/ /12/2012 a 30/12/ /10/2014 a 16/12/ /10/2014 a 01/01/2020 Valores Desembolsados / ACECO TI LTDA R$ ,72 R$ , / / ANDERSON PEREIRA LIMA - ME "CENTRAL CABOS' BRASOFTWARE INFORMATICA LTDA R$ 2.430,00 R$ 2.429,70 R$ , / R$ ,88 R$ , / COELCE R$ ,00-83/2014/3700 EMPRESA ESPECIALIZADA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTA DE REDES DE FIBRA ÓPTICAS NO ESTADO DE MINAS GERAIS 03/01/2014 a 03/10/ / CONECTEL CONSTRUÇÕES E CONEXÕES TELEFONICAS LTDA R$ ,35-16/2014/3700 Fornecimento e instalação de equipamentos de informática (Desktop), para atendimento das necessidades das regionais e da sede da Telebras 27/03/2014 a 26/03/ / DELL COMPUTADORES DO BRASIL LTDA R$ ,00 R$ ,00 1

126 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Nº do Contrato 3700/40/ /59/2012- TB Objeto Vigência CNPJ Denominação Custo Aquisição de licenças de sofware microsoft destinados aos equipamentos microcomputadores e servidores, com o respectivo fornecimento de mídias e garantia de atualização das versões. Execução de cadastramento de inventário Físico e Lógico de equipamentos da planta Telebras com fornecimento da respectiva base de dados padronizada, carregada, aberta, exportável e ainda com aplicativo de acesso e manipulação da base, de forma que possa ser aplicada a qualquer sistema futuro que atenderá às necessidades da Telebras quando da implantação do seu SISTEMA INTEGRADO DE GERÊNCIA DE REDE (SIGR). 27/04/2012 a 26/04/ /06/2012 a 08/03/ / / FÁTIMA HONORATO AGUIAR - ME FIBERWORK COMUNICAÇÕES ÓPTICAS LTDA Valores Desembolsados 2014 R$ ,00 - R$ ,00 R$ ,00 104/2013/3700 Contratação de software jurídico integrado para gerenciamento de processos judiciais e consultivos 26/11/2013 a 30/04/ / HASTINGS ENGENHARIA LTDA R$ ,70 R$ ,47 04/3700/2013 Prestação de serviços de Central de Serviços de TI, suporte tecnico remoto de 1º nivel, suporte presencial de 2º nivel, suporte presencial e serviços da rede local de dados 3 nivel 28/01/2013 a 26/01/ / HEPTA TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA R$ ,66 R$ ,83 88/2014 Prestação de serviços técnicos especializados na áreade Tecnologia da Informação. 21/11/2014 a 03/10/ / INDRA BRASIL SOLUÇÕES E SERVIÇOS TECNOLÓGICOS S.A R$ ,00-2

127 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Nº do Contrato 76/3700/2012 Objeto Vigência CNPJ Denominação Custo Aquisição de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (SIGE) ou Enterprise Resource Planning (ERP), que atenda as necessidades de automação e integração transversal dos diversos processos da Empresa (Pessoal, Finanças, Orçamento, Contabilidade, Patrimônio, Compras de Materiais, Contratação de Serviços de Logística). SAP. 27/07/2012 a 30/03/ / INDRA BRASIL SOLUÇÕES E SERVIÇOS TECNOLOGICOS S.A (POLITEC) Valores Desembolsados 2014 R$ ,82 R$ ,48 52/2013/3700 Aquisição de upgrade de licenças de uso para 500 caixas postais. 01/07/2013 a 30/06/ / INOVA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E REPRESENTAÇÕES LTDA R$ ,96 R$ 9.070,81 82/2014/3700 Supote na modalidade Zimbra Premium (24x7) para 625 caixas postais do software Zimbra Network Edition Professional. 09/10/2014 a 08/10/ / INOVA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E REPRESENTAÇÕES LTDA R$ ,00 R$ 1.798,32 33/2014/2600 Aquisição de licenças de uso para 125 caixas postais do software Zimbra Network Edition Professional. 2600/11/2010 Sistema de telefonia gatway tarifador 109/2013/3700 Aquisição de solução de segurança e gerência unificada para proteção e controle de estações de trabalho 15/09/2014 a 10/10/ /08/2010 a 19/08/ /12/2013 a 05/12/ / / / INOVA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E REPRESENTAÇÕES LTDA ISH TECNOLOGIA LTDA ISH TECNOLOGIA LTDA R$ ,00 R$ ,00 R$ ,95 - R$ ,00 R$ ,00 3

128 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Nº do Contrato 3700/42/ /3700/ /2014/ /2014/3700 Objeto Vigência CNPJ Denominação Custo Aquisição de licenças de sofware microsoft destinados aos equipamentos microcomputadores e servidores, com o respectivo fornecimento de mídias e garantia de atualização das versões. Prestação de serviços técnicos de assessoria técnica em tecnologia da informação (TI), visando auxiliar no uso de técnicas de análise de ponto de função e no suporte a identificação e aplicação de novas tecnologias e padrões emergentes em TI. Contratação de empresa especializada para fornecimento e instalação de equipamentos de informática e infraestrutura (Desktops, Notebooks, Monitores, Mouses e Teclados, Nobreaks) para atendimento das necessidades das regionais e da sede da TELEBRAS, contemplando todos os materias necessários para a instalação, a serem utilizados na Rede Nacional de Telecomunicações. Contratação mediante Ata de Registro de Preços nº 01/2013, do Edital de Pregão Eletronico do Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia de Mato Grosso nº 01/2013 para o fornecimento de equipamentos de informatica (notebooks, mousee, monitores e teclados) para atendimento das regionais e da sede Telebras 156/2012/3700 Aquisição de solução de virtualização 30/04/2012 a 29/04/ /08/20136 a 07/08/ /10/2014 a 08/10/ /03/2014 a 11/03/ /11/2012 a 07/11/ / / / / / LANLINK INFORMÁTICA LTDA. LIFE TECNOLOGIA E CONSULTORIA LTDA. M&C COMÉRCIO E SOLUÇÕES DE EQUIPAMENTOS LTDA. SEPROL COMPUTADORES E SISTEMAS LTDA SERVIX INFORMÁTICA LTDA. Valores Desembolsados 2014 R$ ,52 - R$ ,00 R$ ,95 R$ 8.456,97 R$ 5.637,98 R$ ,50 R$ ,50 R$ ,08-4

129 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Nº do Contrato 2600/029/2010 Locação de Equipamentos Multifuncionais. Objeto Vigência CNPJ Denominação Custo 08/12/2010 a 07/12/ / SIMPRESS COMÉRCIO, LOCAÇÃO E SERVIÇOS LTDA. Valores Desembolsados 2014 R$ ,56 R$ ,75 87/3700/2012 Prestação de serviços técnicos especializados em testes de sistemas, execução e evidenciação de teste sobre uma entrega parcial, execução e evidenciação de teste de aceite de um serviço de desenvolvimento e/ou manutenção de software, documentação dos resultados de teste, auditoria de código-fonte e verificação de conformidade dos demais artefatos. 09/08/2012 a 06/08/ / SYNOS CONSULTORIA E INFORMÁTICA LTDA R$ ,20 R$ ,52 095/ /2013/ /2014/3700 Fornecimento e instalação de Switches (Core e Topo de rack) para atendimento das necessidades da TELEBRAS contemplando todos os materiais necessários para a instalção. Contratação de serviços especialixados para a documentação, analise de riscos, planejamento e execução da movimentação fisica dos equipamentos do Data Center da sede da telebras. Aquisição de equipamentos de videoconferência para integração entre as regionais com a sede da TELEBRAS. 27/06/2013 a 19/12/ /06/2013 a 26/03/ /10/2015 a 07/10/ / / / SYSTEM IT SOLUTIONS LTDA TECNOCOMP TECNOLOGIA E SERVIÇOS LTDA TELTEC SOLUTIONS LTDA R$ ,92 - R$ ,00 R$ ,00 R$ ,28-5

130 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO VIII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Quadro A Cumprimento das deliberações do TCU atendidas no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 1 TC / /2014- Plenário DE 26/02/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação 9.2. determinar à Telebrás, com base no art. 250, inciso II, do Regimento Interno do TCU, que, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da ciência: disponibilize no Portal da Transparência da Copa do Mundo de 2014, de forma atualizada, dados orçamentários e de execução dos projetos para o Mundial de Futebol em que constem, pelo menos, recursos de cada contrato que são comuns ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e à Copa do Mundo, e recursos exclusivos para o megaevento, conforme o Decreto 7.034/2009. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Diretoria Administrativo-Financeira e de Relações com Investidores Síntese da Providência Adotada Em 24/03/2014, por meio da CT 36/0111/1000/2014, a Telebras encaminhou ao TCU o seguinte posicionamento :"... As informações disponibilizadas no Portal da Transparência da Copa do Mundo de 2014 foram atualizadas com as informações de 28 de fevereiro de 2014 e serão revistas mensalmente". Síntese dos Resultados Obtidos A Auditoria Interna considera atendida a recomendação; carecendo no entanto a atualização das informações. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 2 TC / /2014- Plenário DE 26/02/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação 1

131 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações 9.2. determinar à Telebrás, com base no art. 250, inciso II, do Regimento Interno do TCU, que, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da ciência: apresente ao Tribunal dados que evidenciem a evolução da alocação/execução dos recursos a ela destinados para a Copa do Mundo, ainda que também sejam relativos à implementação de ações do PNBL sob sua responsabilidade, discriminando-os, por exemplo, por contrato ou cidade-sede. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Diretoria Administrativo-Financeira e de Relações com Investidores Síntese da Providência Adotada Em 24/03/2014, por meio da CT 36/0111/1000/2014, a Telebras encaminhou ao TCU o seguinte posicionamento :"... Encaminhamos, nos anexos 01 e 02, as informações com os valores compromissados relativos aos exercícios de 2012, 2013 e aos meses de janeiro e fevereiro de 2014, evidenciando a evolução da alocação de recursos destinados à Copa do Mundo de 2014". Síntese dos Resultados Obtidos A Auditoria Interna considera atendida a recomendação; carecendo no entanto a atualização das informações. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 3 TC / /2014- Plenário 0 RE 26/02/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação 9.4. recomendar à Telebrás, com base no art. 250, inciso III, do Regimento Interno do TCU, que adote procedimento para dar maior transparência da sua participação na Copa do Mundo de 2014, como criar uma seção específica no seu sítio eletrônico ou adotar outro mecanismo de controle social, em que se registrem e se atualizem, pelo menos com base mensal, os recursos que estão sendo efetivamente alocados e despendidos, agregando-os por cidade-sede ou globalmente, conforme a natureza do dispêndio, bem como registrar valores ou ordem de valores que não serão desembolsados, conforme a proposta orçamentária inicial, como consequência de acordos de compartilhamento de infraestrutura ou outros. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Diretoria Administrativo-Financeira e de Relações com Investidores Síntese da Providência Adotada Em 24/03/2014, por meio da CT 36/0111/1000/2014, a Telebras encaminhou ao TCU o seguinte posicionamento :"... Em atendimento à recomendação, foi disponibilizado no sítio Eletrônico da Telebras (www.telebras.com.br) as informações sobre os dispêndios alocados pela Telebras, agregadas por cidades-sede, incluindo a evolução desde o exercício de Segue em anexo print da página mencionada. As informações constantes do sítio da Telebras serão, igualmente às informações do Portal da Transparência da Copa do Mundo de 2014, atualizadas mensalmente.". Síntese dos Resultados Obtidos 2

132 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Auditoria Interna considera atendida a recomendação; carecendo no entanto a atualização das informações. O TCU, por meio do Acórdão 1483/2014-Plenário, considerou a recomendação "Parcialmente Implementada", fazendo outras recomendações consoante itens e do AC Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 4 TC / /2014- Plenário DE 26/02/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação 9.2. determinar à Telebrás, com base no art. 250, inciso II, do Regimento Interno do TCU, que, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da ciência: apresente ao Tribunal dados que evidenciem a evolução da alocação/execução dos recursos a ela destinados para a Copa do Mundo, ainda que também sejam relativos à implementação de ações do PNBL sob sua responsabilidade, discriminando-os, por exemplo, por contrato ou cidade-sede. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Em 24/03/2014, por meio da CT 36/0111/1000/2014, a Telebras encaminhou ao TCU o seguinte posicionamento :" Encaminhamos, nos anexos 01 e 02, as informações com os valores compromissados relativos aos exercícios de 2012, 2013 e aos meses de janeiro e fevereiro de 2014, evidenciando a evolução da alocação de recursos destinados à Copa do Mundo de 2014". Além, a Telebras vem publicando no Portal da Transparência e no seu site as informações mensais evidenciando a evolução da alocação de recursos destinados à Copa do Mundo. Síntese dos Resultados Obtidos A Auditoria Interna considera atendida a recomendação. Posicionamento que poderá ser alterado, dependendo da avaliação do TCU. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada 3

133 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 5 TC / /2014- Plenário 9.4 RE 26/02/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação 9.4. recomendar à Telebrás, com base no art. 250, inciso III, do Regimento Interno do TCU, que adote procedimento para dar maior transparência da sua participação na Copa do Mundo de 2014, como criar uma seção específica no seu sítio eletrônico ou adotar outro mecanismo de controle social, em que se registrem e se atualizem, pelo menos com base mensal, os recursos que estão sendo efetivamente alocados e despendidos, agregando-os por cidade-sede ou globalmente, conforme a natureza do dispêndio, bem como registrar valores ou ordem de valores que não serão desembolsados, conforme a proposta orçamentária inicial, como consequência de acordos de compartilhamento de infraestrutura ou outros. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Em 24/03/2014, por meio da CT 36/0111/1000/2014, a Telebras encaminhou ao TCU o seguinte posicionamento :"... Em atendimento à recomendação, foi disponibilizado no sítio Eletrônico da Telebras (www.telebras.com.br) as informações sobre os dispêndios alocados pela Telebras, agregadas por cidades-sede, incluindo a evolução desde o exercício de Segue em anexo print da página mencionada. As informações constantes do sítio da Telebras serão, igualmente às informações do Portal da Transparência da Copa do Mundo de 2014, atualizadas mensalmente.". Síntese dos Resultados Obtidos A Auditoria Interna considera atendida a recomendação; carecendo no entanto a atualização das informações. O TCU, por meio do Acórdão 1483/2014-Plenário, considerou a recomendação "Parcialmente Implementada", fazendo outras recomendações consoante itens e do AC Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 6 TC / /2014-2ª Câmara 1.7 DE 03/11/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação 4

134 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Determinar à Telebras que, caso tenha bens imóveis da União classificados como de uso especial sob sua jurisdição, promova o registro desses bens no Sistema de Gerenciamento dos Imóveis de Uso Especial da União (SPIUnet), no prazo de 120 (cento e vinte) dias, em conformidade com os arts. 1º e 2º da Portaria Interministerial STN/SPU 322/2001. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Logística Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Por meio da CT 145/0111/1000/2014, de 7/11/2014, foi informado ao TCU que "Em atenção à determinação constante do item 1.7 do mencionado Acórdão, conforme informação constante do quadro A do Relatório de Gestão, relativo à prestação de contas de 2013 desta Empresa, não há bens imóveis de propriedade da União sob responsabilidade da Telebras". Síntese dos Resultados Obtidos Na visão da Auditoria Interna, considerando que não há bens imóveis de propriedade da União sob responsabilidade da Telebras, a determinação resta atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 7 TC / /2014-2ª Câmara 1.8 DE 03/11/2014 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação Determinar à Telebras que, envie a este Tribunal, no prazo de 60 (sessenta) dias, comprovante de registro, no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (SIASG), dos 40 (quarenta) contratos apontados pela Controladoria-Geral da União, no Relatório de Auditoria de Gestão nº , que totalizam R$ ,28 (noventa e sete milhões, setenta e dois mil, cinquenta reais e vinte e oito centavos), com fundamento no art. 19 da Lei nº /2009. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas 5

135 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Por meio da CT 145/0111/1000/2014, de 7/11/2014, foi encaminhado ao TCU cópia do Ofício 3453/2013/DRCOM/DR/SFC/CGU-PR onde consta: "Quanto ao item 1.8, que determinou o encaminhamento a esse Tribunal, no prazo de 60 (sessenta) dias, comprovante de registro, no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (SIASG), dos 40 (quarenta) contratos apontados pela Controladoria-Geral da União, no Relatório de Auditoria de Gestão nº , encaminhamos em anexo cópia do Ofício nº 3453/2013/DRCOM/DR/SFC/CGU-PR, de 06 de fevereiro de 2013, que encaminhou a esta Empresa a Nota Técnica nº 270/2013/DRCOM/DR/SFC/CGU-PR onde a CGU, ao analisar o item de seu relatório , assim pronunciou sobre o assunto Com o cadastro dos contratos no SIASG, os quais foram visualizados no ComprasNet ao se utilizar o Código Interno da Unidade com o valor 00 e UASG , a recomendação foi atendida. Assim, entendemos comprovado o registro no SIASG, conforme determinado por esse Tribunal". Síntese dos Resultados Obtidos Na visão da Auditoria Interna, considerando que a CGU já havia dado como atendida a recomendação, a determinação do TCU resta atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Deliberações do TCU Deliberações Expedidas pelo TCU Ordem Processo Acórdão Item Tipo Comunicação Expedida 8 TC / /2013-Plenário 0 RE 01/07/2013 Órgão/Entidade Objeto da Determinação e/ou Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação IV. à...telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebras), vinculada ao Ministério das Comunicações;... para que, quando da execução do Orçamento de Investimento, observem a dotação autorizada para as respectivas programações, em obediência à vedação estabelecida no inciso II do art. 167 da Constituição Federal; bem assim ao Ministério da Previdência e Assistência Social, ao Ministério das Comunicações e ao Ministério de Minas e Energia, no sentido de garantir a efetivação de tal cumprimento, com vistas a evitar a perda de controle dos gastos dessas entidades (item 3.3.4). Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Diretoria Administrativo-Financeira e de Relações com Investidores Síntese da Providência Adotada Por meio da CT 171/ /2000/1000, de 1/8/2013, a Telebras encaminhou à SEMAG os esclarecimentos sobre a execução orçamentária, indicando que Telebras manteve dentro do limite realizado em ternos de valores totais. Informa ainda sobre as ações e sistemas em fase de adoção na Empresa para melhor controle da Execução Orçamentária. Síntese dos Resultados Obtidos 6

136 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações No Relatório da Reunião do Conselho Fiscal de 07/02/2014 foi apresentado, na página 15, os valores do acompanhamento orçamentto de investimento por região, totalizando uma reprogramação de 162,2 milhoes e uma realização de 94,8 milhões, restando uma realização de 58,4% da reprogramação. A realização pareceu baixa em relação à reporgramação, mas guardou uma coerência de realização em todas as regiões, não havendo distorções significativas, conforme observou o TCU quando da análise. Assim, para efeito de acompanhamento, julgamos que a recomendação pode ser baixada das pendências, cabendo ao TCU novas avaliações. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 7

137 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO IX (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Quadro A Relatório de cumprimento das recomendações do órgão de controle interno Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação Que a unidade de auditoria inclua, nos planejamentos de suas ações, definição dos servidores responsáveis pela execução de cada um dos procedimentos definidos no programa de auditoria, assim como a definição da quantidade de homens-hora e recursos de materiais necessários para execução dos trabalhos. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado À CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "A inclusão do nome do Auditor responsável pela execução da avaliação, assim como as horas destinadas, já é uma praxe nos trabalhos da Auditoria Interna, conforme pode ser visualizado, por exemplo, no item 6 do Planejamento (fl 3) e no Programa de Auditoria (fl 4 a 8) do Relatório 02/2014-AUD, conforme processo constante do Anexo 01. Inclusive o requisito recomendado pela CGU já consta do nosso Procedimento Operacional AUD.PO. 002, à pagina 7 (Anexo 02)." Síntese dos Resultados Obtidos Na avaliação da Auditoria Interna a recomendação da CGU já encontrava atendida, constando inclusive de nossos controles. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação 1

138 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Descrição da Deliberação Promover a constituição de processo próprio para os papéis de trabalho referentes aos trabalhos da auditoria interna, em conformidade com as diretrizes estabelecidas pela Lei nº 9.784/99. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/ , de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado À CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "Todos os trabalhos da Auditoria Interna são formalizados em processos própios. Segue exemplo no anexo 01." Síntese dos Resultados Obtidos Na avaliação da Auditoria Interna esta recomendação resta atendida desde o recebimento do Relatório CGU nº Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Quando da elaboração do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna-2012, inserir ação de desenvolvimento institucional com o objetivo de aprimorar os procedimentos da Auditoria Interna quanto ao levantamento e mapeamento de riscos. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado À CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "Na elaboração do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna-2012 foi inserida ação de desenvolvimento institucional com o objetivo de aprimorar os procedimentos da Auditoria Interna, conforme pode ser visualizado na página 14 do PAINT 2012, constante do Anexo 04". Síntese dos Resultados Obtidos Como no PAINT 2012 encaminhado a essa CGU já contava com a indicação de ação de desenvolvimento, consideramos a recomendação atendida desde aquela época. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 2

139 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Não admitir, no âmbito das contratações da Telebrás, prorrogações dos contratos de serviços de auditoria independente, por não se caracterizarem como serviços a serem executados de forma contínua, não tendo, desta forma, amparo no art. 57, inciso II, da Lei 8.666/93. Setor Responsável pela Implementação Gerência Fiscal e de Controle Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Por meio da CT. 53/0111/1000/2013, de , foi apresentada a seguinte manifestação: Consoante entendimento dessa Controladoria, corroborado pelo Parecer nº 017/2012/1200/CJRL, de , cópia anexa, da Gerência Jurídica desta Empresa, os contratos de serviços de auditoria independente serão licitados anualmente. O referido Parecer nº 017/2012/1200/CJRL, de , contém os seguintes trechos: 20. De fato, a avença em questão não se constitui, a teor da legislação vigente e demais dispositivos legais aplicáveis em contrato de natureza continuada.(...) 21. Deste modo, em atenção ao contido no expediente da douta Controladoria-Geral da União, recomendamos que as licitações se realizem anualmente, por evento. V CONCLUSÃO 22. Assim, louvado no quanto exposto acima, levando em conta a complexidade do serviço a ser elaborado, cabe a Autoridade Administrativa deliberar quanto à escolha da modalidade licitatória apropriada para o feito, podendo ser: Pregão, Tomada de Preços, bem como Inexigibilidade. Por sua vez, através da CT. 90/0111/1000/2013, de , foi apresentada a seguinte manifestação: 2. Em complemento às informações encaminhadas a essa Secretaria por meio da CT. 50/0111/1000/2013, de 21 de março de 2013, encaminhamos em anexo mídia contendo o edital da Tomada de Preços nº 01/2013, cujo objeto é a contratação de Auditoria Independente para a execução dos serviços de auditoria das demonstrações contábeis da Telebras a serem emitidas durante o exercício de Encaminhamos, também em anexo, o aviso da mencionada Tomada de Preço publicado no DOU de 02/05/2013, seção 3. Síntese dos Resultados Obtidos A unidade declarou que licitará anualmente os contratos de serviços de auditoria independente, em alinhamento à recomendação. Ademais, apresentou a publicação, no DOU, do aviso da Tomada de Preços, dando inicio à primeira das licitações anuais. (Recomendação atendida). Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 3

140 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Encaminhar Edital de licitação para a contratação de serviços de auditoria independente ou o contrato firmado, caso já tenha sido efetivado a avença, comprovando a exclusão, no âmbito da contratação, dos serviços de consultoria. Setor Responsável pela Implementação Gerência Fiscal e de Controle Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Por meio da CT. 53/0111/1000/2013, de , foi apresentada a seguinte manifestação: O contrato vigente foi prorrogado até 15/07/2013. Dessa forma, os referidos serviços abrangerão o exame das Demonstrações Contábeis da Telebrás até o encerramento do primeiro trimestre de 2013, para envio das Informações Trimestrais à CVM/ Bovespa. Assim, como o contrato cobre até o evento acima citado, a contratação de nova Empresa para prestação dos referidos serviços deverá ocorrer no próximo mês de maio. Para o início do processo de aquisição foi elaborado o Termo de Referência cujo objeto é a contratação de Auditoria Independente para a execução dos serviços de auditoria das demonstrações contábeis da Telebras para o exercício de 2013, conforme cópia anexa. A modalidade de licitação a ser utilizada será a Tomada de Preços e o critério de seleção da proposta será a de técnica e preço. Por sua vez, através da CT. 90/0111/1000/2013, de , foi apresentada a seguinte manifestação: 2. Em complemento às informações encaminhadas a essa Secretaria por meio da CT. 50/0111/1000/2013, de 21 de março de 2013, encaminhamos em anexo mídia contendo o edital da Tomada de Preços nº 01/2013, cujo objeto é a contratação de Auditoria Independente para a execução dos serviços de auditoria das demonstrações contábeis da Telebras a serem emitidas durante o exercício de Encaminhamos, também em anexo, o aviso da mencionada Tomada de Preço publicado no DOU de 02/05/2013, seção 3. Síntese dos Resultados Obtidos Da leitura do Termo de Referência, encaminhado em anexo à CT. 53/0111/1000/2013, bem como da leitura do conteúdo da mídia anexa à CT. 90/0111/1000/2013, a qual contém o edital da Tomada de Preços nº 01/2013, observa-se a exclusão, no âmbito da contratação, dos serviços de consultoria. Desta forma, atendeu-se a recomendação em tela. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 4

141 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Estabelecer formalmente os acordos de níveis de serviço das soluções de TI da TELEBRAS oferecidas aos demandantes do serviço de forma a prover o alinhamento entre os serviços de TI e os respectivos requisitos do negócio. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas O posicionamento sobre este item consta da resposta à recomendação 1 do item do relatório Síntese dos Resultados Obtidos Em função do exposto pelo gestor em sua manifestação, procedeu-se à consulta à CT nº 140/0111/1000/2013, de , encaminhada em resposta ao Relatório de Auditoria nº , em que Telebras informa: Em atenção à recomendação, encaminhamos nos anexos 13 a 26 os arquivos: Catalogode Serviços NI, N2 e Supervisor.pdf; Hepta LTDA. Contrato W pdf; TR Service_Desk-AnexoI.pdf; TR Service_Desk-AnexoII.pdf; TR Service_Desk-AnexoIIl.pdf; TR Service_Desk-AnexoIV.pdf; TR Service_Desk-AnexoIX.pdf; TR Service_Desk-AnexoV.pdf; TR Service_Desk-AnexoVl.pdf; TR Service_Desk-AnexoVII.pdf; TR Service_Desk-AnexoVIlI.pdf; TR Service_Desk-AnexoX.pdf; TR Service_Desk-AnexoXI.pdf e TR Service_Desk-v9.pdf. As especificações do SLA foram localizadas nos anexos mencionados, em especial nos de nº 13, 14 e 17. Com isso, dá-se por atendida a recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Quando disponíveis, encaminhar procedimentos técnico-econômicos e demais normativos aprovados relativos a análise e tomada de decisão sobre a melhor opção entre: locação, aquisição, desapropriação ou compartilhamento de infraestrutura de terceiros. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas 5

142 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Em atendimento às recomendações 1, 2 e 3, encaminhamos no anexo 06 a Nota Técnica nº 174/2012, revista em 19/11/2012, acompanhada do Parecer Jurídico nº 338/2012/1200/GJRL/TELEBRAS. A mencionada Nota Técnica foi aprovada pela 1152ª Reunião Ordinária da Diretoria Colegiada, realizada em 11 de junho de 2013, cuja Ata também segue no mesmo anexo. Síntese dos Resultados Obtidos Tendo em vista a apresentação da Nota Técnica nº 174/2012, considera-se a recomendação atendida. O acompanhamento relacionado à reavaliação jurídica da matéria será feito no âmbito da Recomendação 001. Cumpre ressaltar a necessidade de que seja avaliado e comparado o custo-benefício das opções disponíveis para cada caso, motivando e formalizando a decisão por um ou outro procedimento de aquisição. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Encaminhar documentação comprobatória da tomada de ações visando a instituição da servidão administrativa e/ou da desapropriação de imóvel locado, gravado por hipoteca, conforme recomendado pelo Parecer Jurídico nº 97/2011, de , contido no Processo nº 101/2011-TB, folhas 75 a 77. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Em atendimento às recomendações 1, 2 e 3, encaminhamos no anexo 06 a Nota Técnica nº 174/2012, revista em 19/11/2012, acompanhada do Parecer Jurídico nº 338/2012/1200/GJRL/TELEBRAS. A mencionada Nota Técnica foi aprovada pela 1152ª Reunião Ordinária da Diretoria Colegiada, realizada em 11 de junho de 2013, cuja Ata também segue no mesmo anexo. Síntese dos Resultados Obtidos Em virtude dos novos acontecimentos, descritos na Recomendação 001, relacionados a entendimentos divergentes quanto à possibilidade legal de adoção pela Telebras dos institutos da desapropriação e servidão administrativa, a recomendação será cancelada. AUD: A CGU considerou a recomendação CANCELADA. Para efeito de controle interno esta AUD registrou a recomendação como "Perda de Objeto". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Denominação Completa Unidade Jurisdicionada 6

143 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Proceder consulta ao Departamento Jurídico da Telebrás com vistas a certificar-se da legalidade do condicionamento da apresentação de autorização de acesso da contratação para a contratação de empregados. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas O posicionamento da Gerência Jurídica foi realizado por meio do MM. 1200/472/2012/crp, de 24 de dezembro de Encaminhamos no anexo 02 a imagem do memorando mencionado. Síntese dos Resultados Obtidos Conforme MM. 1200/472/2012/crp, de , a apresentação de Declaração de Bens, no âmbito da Telebras, aplica-se a dirigentes e empregados em geral, sem exceções, devendo-se permitir a livre escolha da forma de apresentação, dentro das 3 (três) admissíveis: Declaração de Bens, cópia da Declaração de Ajuste Anual do IRPF ou Formulário de Autorização de Acesso às Declarações de Ajuste Anual do IRPF. Ao mesmo tempo, constam do documento os artigos da legislação que fixam as sanções a serem aplicadas aos agentes públicos que descumpram o inciso VII do art. 1º da Lei nº 8.730/93 e não apresentem a Declaração de Bens, conforme segue: a) Lei nº 8.429/1992, art. 13, 3º; b) Decreto nº 5.483/2005, art. 5º; e c) Lei nº 8.730/1993, art. 3º, parágrafo único e alíneas a e b; Tendo em vista a apresentação do documento solicitado, com posicionamento formal da Gerência Jurídica quanto à legalidade do procedimento de apresentação de Declaração de Bens, considera-se atendida a recomendação. Cumpre apenas ressaltar que a IN TCU Nº 65/2011, mencionada ao final do parecer, foi revogada pela IN Nº 67/2011, devendo, portanto, ser aplicada aos casos futuros. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação 7

144 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Apresentar cronograma prevendo as etapas para a elaboração, instituição e implantação dos indicadores a serem utilizados pela Empresa para medir os produtos, serviços e resultados alcançados pela sua gestão. Novo Texto em 06/02/2013: Que a Telebras apresente, em meio digital, um relatório para o período de a , contemplando gráficos com os dados dos indicadores utilizados pela Empresa para medir os produtos, serviços e resultados alcançados pela sua gestão. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Gabinete da Presidência Síntese da Providência Adotada Os resultados de medição para o referido período estão listados na apresentação constante do anexo 08. Síntese dos Resultados Obtidos No anexo 8, citado na manifestação, foi encaminhada a apresentação dos indicadores da Telebras, na data de , contemplando definição,forma de medição, responsável, gráfico com série histórica e metas a serem atingidas ao final de exercício de Com isso, atende-se à recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Observar os princípios da utilidade e mensurabilidade quando da elaboração dos indicadores institucionais. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Os indicadores institucionais estão listados na apresentação constante do anexo 08, explicitando sua utilidade e mensurabilidade. Os indicadores foram aprovados pela REDIR 1151 de 04/06/2013. Síntese dos Resultados Obtidos 8

145 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações O documento constante do anexo mencionado na manifestação descreve 8 (oito) indicadores adotados pela Telebras, contemplando definição, forma de medição, responsável, gráfico com série histórica e metas a serem atingidas ao final de exercício de 2014: Margem EBITDA; Receita Bruta; Receita de Grandes Clientes; TIR por EA; Índice de Reclamações; Índice de Inadimplência; Backlog de Implantação; Backlog de Implantação com Pendência Cliente. Nota-se que eles se relacionam à atividade fim da empresa, considerando-se, assim, atendida a recomendação. Cabe registrar que a aferição dos resultados e avaliação da utilidade desses indicadores ao processo de tomada de decisão gerencial poderão ser objeto de análise em auditoria futura. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Apresentar a esta CGU o Plano Estratégico da Telebras, a ser elaborado conforme informações constantes da CT. 1000/145/2011, de Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas O Planejamento Estratégico da Telebras, já revisado para o biênio 2013/2014, aprovado pela REDIR 1148, de 02/05/2013, consta do anexo 09. Síntese dos Resultados Obtidos O Planejamento Estratégico foi elaborado e encaminhado a esta CGU, atendendo-se à recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada 9

146 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Apresentar plano de trabalho, composto de produtos intermediários e respectivos prazos, com vistas à instituição do processo de gestão de acordos de níveis de serviço. Novo texto em 06/02/2013: Que a Telebras apresente a esta CGU, em meio digital, relatório para o período de a , contemplando gráficos com os dados das medições efetuadas para definir os SLAs. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Em atenção à recomendação, encaminhamos nos anexos 10, 11 e 12 os arquivos: GLPI-Estatísticas-2012.pdf; GLPI-Estatísticas- Junho-Outubro-2012.pdf e GLPI-Estatísticas-Setembro 2012.pdf. Síntese dos Resultados Obtidos A partir da documentação apresentada, contendo os gráficos com as medições para o período especificado, dá-se por atendida a recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação 10

147 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Apresentar cópia dos contratos citados no Anexo IX do Memorando /23-11, de forma a comprovar a utilização de acordos de nível de serviço no âmbito da gestão contratual dos serviços/compras da área de Tecnologia da Informação da Telebras. Novo texto: Incluir, sempre que possível, nos contratos com terceiros o Acordo de nível de serviço, contendo os indicadores e instrumentos de medição dos serviços prestados; os procedimentos de fiscalização da qualidade do serviço; a correlação entre o não atendimento das metas estabelecidas e os respectivos descontos nos pagamentos da contratada, bem como estabelecer limites/prazos objetivos para o início da aplicação de multas proporcionas à inadimplência da contratada. Novo texto em 06/02/2013: Que sejam apresentados: (1) o Termo de Referência definitivo, com os seus anexos que demonstrem os níveis de serviço estabelecidos, e o Contrato firmado com a empresa vencedora da licitação que prestará serviços continuados especializados em Tecnologia da Informação TI para a implantação e operação de uma Central de Serviços de TI e para serviços de Suporte Técnico Remoto de 1º Nível e Suporte Técnico Presencial de 2º Nível ; ou (2) algum outro Contrato/Termo de Referência firmado dentro do prazo proposto por esta CGU que comprove a instituição de acordos de nível de serviço. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Em atenção à recomendação, encaminhamos nos anexos 13 a 26 os arquivos: Catalogode Serviços NI, N2 e Supervisor.pdf; Hepta LTDA. Contrato W pdf; TR Service_Desk-AnexoI.pdf; TR Service_Desk-AnexoII.pdf; TR Service_Desk-AnexoIIl.pdf; TR Service_Desk-AnexoIV.pdf; TR Service_Desk-AnexoIX.pdf; TR Service_Desk-AnexoV.pdf; TR Service_Desk-AnexoVl.pdf; TR Service_Desk-AnexoVII.pdf; TR Service_Desk-AnexoVIlI.pdf; TR Service_Desk-AnexoX.pdf; TR Service_Desk-AnexoXI.pdf e TR Service_Desk-v9.pdf. Síntese dos Resultados Obtidos A especificação do SLA foi localizada, em especial nos anexos 13, 14 e 17. Com isso, dá-se por atendida a recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Que a Telebras institua formalmente, nos exatos termos do art. 1º da Resolução nº 3 CGPAR, a obrigatoriedade da segregação das funções de direção, evitando o acúmulo do cargo de Presidente do Conselho de Administração, ou assemelhado, e Diretor Presidente pela mesma pessoa, mesmo que interinamente, com o objetivo de impedir a concentração de poder. 11

148 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Setor Responsável pela Implementação Assessoria de Relacionamento com o Mercado Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Fazemos referência ao Relatório que, em seu item , foi recomendado "Que a Telebras institua formalmente, nos exatos termos do art. 1º da Resolução nº 3 CGPAR, a obrigatoriedade da segregação das funções de direção, evitando o acúmulo do cargo de Presidente do Conselho de Administração, ou assemelhado, e Diretor Presidente pela mesma pessoa, mesmo que interinamente, com o objetivo de impedir a concentração de poder". Em atendimento à recomendação, encaminhamos em anexo o Regimento Interno do Conselho de Administração, alterado na sua 382ª Reunião Ordinária realizada - em 14/01/ onde foi inserida no parágrafo 8º do Art. 3º a vedação, conforme recomendado. Síntese dos Resultados Obtidos O Regimento Interno do Conselho de Administração da Telebras, alterado em , conforme mencionado na manifestação, traz, no parágrafo 8º do art. 3º, as seguintes diretrizes: Art. 3º. - O Conselho de Administração será integrado por 8 (oito) membros eleitos pela Assembleia Geral, com prazo de gestão de 1 (um) ano, admitida reeleição, podendo ser destituídos a qualquer tempo. (...) 8º - O Conselho de Administração terá um presidente que deverá, obrigatoriamente, ser escolhido dentre os indicados pelo Ministro de Estado das Comunicações, na primeira reunião do Colegiado, excluído o presidente da TELEBRAS, que não poderá acumular, mesmo que interinamente, a Presidência do Conselho e a Presidência da Empresa. Assim, tendo em vista a inclusão explícita, no Regimento Interno do Conselho de Administração, da vedação de acúmulo do cargo de Presidente do Conselho de Administração e Diretor Presidente pela mesma pessoa, considera-se atendida a recomendação. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 16 NA / Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Encaminhar rol de responsáveis atualizado, contendo o(s) ocupante(s) do cargo de Presidente do Conselho de Administração no período de a Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas 12

149 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Por meio da CT 108/0111/1000/2014, de 15/08/2014, foi respondido: Em atendimento à recomendação, encaminhamos nova folha do Rol de Responsáveis onde constam as informações sobre o Presidente do Conselho de Administração, eleito em 09/07/2013, pela 376ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração, com período de gestão de 09/07/2013 a 31/12/2013. Síntese dos Resultados Obtidos AUD: Recomendação atendida Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 17 NA / Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação 2.3. Recomendação: Encaminhar rol de responsáveis atualizado, contendo o(s) ocupante(s) do cargo de Diretor Técnico- Operacional no período de a Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas Por meio da CT 108/0111/1000/2014, de 15/08/2014, foi respondido: Em atenção à recomendação informamos que, em função de erro material, o cargo ou função do senhor Paulo Eduardo Henrique Kapp foi grafado como Diretor Comercial, quando o correto seria Diretor Técnico-Operacional. Em anexo encaminhamos nova folha do Rol de Responsáveis relativo ao dirigente e com a correção de seu cargo. Síntese dos Resultados Obtidos AUD: Recomendação atendida Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Quando da utilização de técnicas de amostragem nos trabalhos de auditoria, que estabelece no âmbito do programa de auditoria os critérios para definição das amostras a serem utilizadas. 13

150 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado à CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "A recomendação já foi considerada atendida, conforme item Informação 03 do Relatório , Anexo 03." Síntese dos Resultados Obtidos Recomendação baixada em nossos controles como atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Implantar mecanismos que garantam a rastreabilidade das evidências que suportam as análises constantes dos relatórios emitidos pela auditoria interna. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/ , de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado À CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "A recomendação já foi considerada atendida, conforme item Informação 03 do Relatório , Anexo 03". Síntese dos Resultados Obtidos Recomendação baixada em nossos controles como atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI 14

151 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Deliberação Que a unidade de auditoria observe os prazos regulamentares estabelecidos para o encaminhamento de relatórios à respectiva unidade de controle interno conforme estabelecido no Art 8º da IN CGU 07/2006. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Auditoria Interna Síntese da Providência Adotada Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: Posicionamento encaminhado À CGU em 07/05/2014, por meio da CT 54/0111/1000/2014 "A recomendação já foi considerada atendida, conforme item Informação 03 do Relatório , Anexo 03". Síntese dos Resultados Obtidos Recomendação baixada em nossos controles como atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 15

152 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO X (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) Quadro A Situação das recomendações do OCI que permanecem pendentes de atendimento no exercício Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Avaliar a possibilidade de priorizar a aprovação das minutas da POSIC e demais políticas, de modo a conferir efetividade à Gestão de Segurança da Informação e Comunicação no âmbito da Telebras. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Conforme mencionado na Recomendação 1, da Constatação , diversos normativos estão em consulta interna para, após contribuição dos demais empregados da empresa, receber parecer da Gerência Jurídica e enfim serem publicados. Devido ao processo de tramitação interna dos normativos da Telebras, entendemos que a POSIC e demais políticas provavelmente devem estar aprovadas e implementadas até o final do mês de fevereiro de Prazo de Atendimento: 27/02/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Aguardamos a publicação dos normativos que estão em consulta interna. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Promover a adequação do processo de contratação de bens e serviços de tecnologia da informação, incluindo a necessidade de elaboração de planos de sustentação ou documentos equivalentes. Providências Adotadas 1

153 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento O processo atual de contração de bens e serviços de TI passa por revisões periódicas e a próxima revisão, onde será incluído o plano de sustentação, está prevista março de Prazo de Atendimento: 27/03/2015 Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamento encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Aguarda-se a revisão e apresentação do normativo contendo o plano de sustentação. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS implemente os indicadores de gestão de compras e contratações que possibilitem identificar e mitigar fragilidades dos processos. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Diante das alterações e adequações realizadas pela Gerência de Tecnologia da Informação na planilha de controle de contratos, a Gerência de Compras e Contratos solicitou alteração do prazo para 30/01/2015, conforme anexo. Todos os indicadores estão consolidados na planilha. Em 02/02/2015 a GCC pronunciou: "Ao indicadores serão apresentados quando a planilha for consolidada. Solicito prorrogação de prazo, tendo em vista que a planilha de controle de contratos teve inconsistências. A Gerência de TI ajustou a planilha, no entanto os dados ainda não foram totalmente inseridos. Solicito prorrogação de prazo para dia 30/03/2015". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor A GCC deve apresentar os indicadores informados, que não foram, neste momento, identificados. Prorroga-se o prazo, conforme solicitado. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação 2

154 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS conclua a revisão, a adequação e a implantação dos processos da Gerência de TI, em especial quanto à metodologia de aquisição, atentando para a obrigatoriedade de motivação das especificações técnicas das aquisições, de forma a tornar os normativos internos efetivamente aplicados em todas as contratações dessa natureza efetuadas pela entidade. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por meio do MM nº 46/2014/3700/3000, de 30/12/2014, a GTI assim posicionou: "Itens 2, 3 e 4 - tratam da revisão do processo de compras de Tecnologia da Informação, o qual encontra-se programada para finalizar em 26/03/2015". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Como a metodologia de compras de TI, mencionada na manifestação, ainda não foi aprovada e implantada, a recomendação não se encontra plenamente atendida. Assim, optamos para, neste momento, não encaminhar o posicionamneto à CGU. Assim, para efeito de controle prorroga-se o prazo de atendimento para 31/03/2015. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS, nas futuras adesões a atas de registro de preços, certifique-se da regularidade do termo de formalização da contratação, observando-se o disposto nos arts. 62 e 55 da Lei nº 8.666/93. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por meio do MM nº 46/2014/3700/3000, de 30/12/2014, a GTI assim posicionou: "Itens 2, 3 e 4 - tratam da revisão do processo de compras de Tecnologia da Informação, o qual encontra-se programada para finalizar em 26/03/2015". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Conforme descrito pelo gestor, tendo em vista que a revisão dos normativos internos de contratações da entidade ainda não foi finalizada, a recomendação não se encontra plenamente atendida. Assim, optamos para, neste momento, não encaminhar o posicionamento à CGU. Ressalta-se que após a aprovação dos normativos da GTI, os mesmos devem ser enviados à CGU. Proroga-se o seu prazo de atendimento para 31/03/

155 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS conclua a revisão, a adequação e a implantação dos processos da Gerência de TI, em especial quanto à metodologia de aquisição, ressaltando a obrigatoriedade de motivação dos quantitativos adquiridos, de forma a tornar os normativos internos efetivamente aplicados em todas as contratações dessa natureza efetuadas pela entidade. Providências Adotadas Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Por meio do MM nº 46/2014/3700/3000, de 30/12/2014, a GTI assim posicionou: "Após o recebimento do paracer jurídico firmado dia 18/12/2014 foi agendada reunião para o dia 05/01/2015 com a Empresa para comunicar sobre o complemento da glosa a ser efetuadao na última fatura do contrato". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Diante do posicionamento do Gestor, a revisão da metodologia da área de TI e à nova metodologia de Compras de TI não estão ainda aprovados e operantes, a recomendação será mantida, tendo o seu prazo de atendimento prorrogado para 31/03/2015. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Adequar o processo de planejamento de tecnologia da informação, nos níveis estratégico, tático e operacional, e formalizar os prazos para elaboração, vigência e revisão dos instrumentos de planejamento adotados pela empresa, para garantir efetividade às ações de planejamento de TI. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 4

156 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Em nível estratégico e operacional, a GTI irá elaborar cronograma para feitura e revisão periódica do PDTI (Plano Diretor de TI), alinhado com o PETI (Planejamento Estratégico de TI) e o PEI (Planejamento Estratégico Institucional). Em nível operacional, serão revistos os instrumentos atuais para tornar efetivo esse alinhamento. Prazo de Atendimento: 28/04/2015 Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamento encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras apresente os atos que regularizaram a situação da cessão de seus empregados ao MC nos períodos anteriores à Portaria MPOG nº 357, de Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A recomendação será cumprida até 30/06/2015, por se tratar de procedimentos que não estão totalmente ao alcance da Telebras, sobretudo por envolver ações que deverão partir do Ministério Supervisor e do MPOG. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS informe à CGU o cronograma previsto para implementação da gestão de riscos na área de compras e contratações. Providências Adotadas 5

157 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Em 4/1/2015 a GCC assim pronunciou sobre a recomendaçao: A GCC interagiu com a Gerência de Governança e apresentará a implantação de gestão de riscos até julho de Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Como o tema já foi apresentado à CGU e aquela Controladoria posicionou "Como o processo não está concluído, a recomendação permanece para efeito de acompanhamento da sua implementação, tendo o seu prazo de atendimento prorrogado" e considerando que ainda não houve evolução no atendimento, deixamos de reenviar à CGU neste momento. Devemos levar em conta que em 5/11/2013, por meio da CT 236/0111/1000/2013, a Telebras informou que "O processo de gestão de riscos já está pronto e a execução deste processo na área de compras depende do cronograma abaixo:". A última ação do cronograma anexado informava que a implantação dos indicadores se daria até 04/03/2014. Prorrogar o prazo para 07/2015 é extrapolar o planejamento em 14 meses. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras promova a adequação das atividades de gestão do Contrato nº 12/2013/3500, no tocante à aferição dos níveis de serviço e cômputo de sanções, quando for o caso, de acordo com as definições do instrumento contratual e do Termo de Referência, adotando as providências necessárias para regularizar tempestivamente as situações que impossibilitem a análise quanto à adequação da execução do contrato. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Operação e Manutenção Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por meio do MM 002/3500/2015, de 04/02/2015, a GOM encaminhou a esta Auditoria Interna o 2º TA ao Contrato nº 12/2013/3500, que tem como objeto a alteração dos níveis de serviços do contrato original, conforme consta da cláusula terceira do TA ora anexado. Referimo-nos ao item , recomendação 1, do Relatório que recomendou à Telebras: "Que a Telebras promova a adequação das atividades de gestão do Contrato nº 12/2013/3500, no tocante à aferição dos níveis de serviço e cômputo de sanções, quando for o caso, de acordo com as definições do instrumento contratual e do Termo de Referência, adotando as providências necessárias para regularizar tempestivamente as situações que impossibilitem a análise quanto à adequação da execução do contrato". Em complemento à resposta encaminhada a essa CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014, encaminhamos em anexo o segundo Termo Aditivo ao Contrato nº 012/2013/3500-TB, que tem como objeto a alteração dos níveis de serviços do contrato original, conforme consta da cláusula terceira do TA ora anexado. 6

158 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Aguarda a análise dessa CGU visando dar baixa na recomendação em comento. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Proceder a implantação do Plano de Ação com vista a reestruturação e fortalecimento da Gerência Jurídica, procedendo as devidas revisões do plano diante do posicionamento apresentado por entes externos. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Gerência Jurídica Justificativa para o seu não Cumprimento Foi entegue à CGU a CT 33/0111/1000/2014, de 14/03/2014, onde encontra-se toda uma explanação sobre o que já foi realizado para o atendimento da recomendação, mostrando o atual estágio, as ações realizadas, as enconomias já alcançadas e o próximos passos. Em 17/03/2014, quando da entrega ca CT, foi realizada reunião entre a CGU e Telebras onde foi feita explanação sobre as ações implementadas visando o atendimento da recomendação. Atualização do Posicionamento: Em 22/9/2014, por meio da CT 124/0111/1000/2014, foi encaminhado à CGU novo posicionamento: "Em complemento às informações enviadas a essa CGU por meio da CT 33/0111/1000/2014, de 14/03/2014, encaminhamos em anexo cópia do Memorando nº /0567, de 05 de setembro de 2014, onde a Gerência Jurídica desta Empresa presta outras informações demandadas recentemente". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Aguardando Posicionamento da CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que sejam apresentados os riscos inerentes às atividades da empresa e uma avaliação da relevância dos mesmos após o modelamento das áreas proposto. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Providências Adotadas 7

159 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Justificativa para o seu não Cumprimento Por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 a Telebras assim pronunciou: Segue em anexo (Doc. 01), posicionamento da Telebras sobre o Processo de Gestão de Riscos na Empresa. No posicionamento apresentado consta um cronograma indicando as áreas a serem modeladas e capacitadas (Diretrizes para processo de gestão de riscos, Riscos estratégicos, riscos de projeto e processo - item 5.4 do documento). Consta do mesmo documento a apresentação dos riscos inerentes às atividades da empresa e avaliação da relevância dos mesmos. Para melho ilustrar, em anexo ao mencionado documento, segue o desenho do processo de Gestão de Riscos da Telebras. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor A Telebras apresentou os riscos inerentes às atividades da Empresa e a avaliação da relevância dos mesmos. Neste sentido a recomendação resta atendida. No entanto, como o cronograma apresentado constam atividades a serem finalizadas em 31/12/2014, é recomendável que a Telebras informe os resultados finais. Razão pela qual, em nossa opinião, a recomendação deverá ser prorrogada somente para fins de acompanhamento. AGUARDANDO POSICIONAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que seja apresentado um cronograma indicando as áreas a serem modeladas e capacitadas. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014, a Telebras assim pronunciou: Segue em anexo (Doc. 01), posicionamento da Telebras sobre o Processo de Gestão de Riscos na Empresa. No posicionamento apresentado consta um cronograma indicando as áreas a serem modeladas e capacitadas (Diretrizes para processo de gestão de riscos, Riscos estratégicos, riscos de projeto e processo - item 5.4 do documento). Consta do mesmo documento a apresentação dos riscos inerentes às atividades da empresa e avaliação da relevância dos mesmos. Para melho ilustrar, em anexo ao mencionado documento, segue o desenho do processo de Gestão de Riscos da Telebras. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Como a recomendação da CGU foi "Que seja apresentado um cronograma indicando as áreas a serem modeladas e capacitadas" e o cronograma está apresentado no documento encaminhado, entendemos que foi cumprida a recomendação. Aguarda-se posicionamento da CGU. Unidade Jurisdicionada 8

160 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Encaminhar o cronograma referente à implantação do Sistema Integrado de Gestão Empresarial, conforme Processo nº 157/2012, Contrato nº 76/3700/2012. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: Conforme indicado na última resposta, o cronograma do CRM foi revisto e alinhado, de forma consensual, com a área demandante. O novo cronograma segue anexo (Doc. 06), indicando que o TRED somente será firmado quando da conclusão deste cronograma. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Conforme cronograma apresentado, o CRM tem previsão de término em 30/03/2015. Como o TRED somente será firmado ao término do cronograma apresentado, a recomendação ainda está em implantação, devendo ser prorrogada. AGUARDA POSICIONAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebrás, após a aprovação do Plano de Comunicação referente à recomendação anterior, encaminhe o resultado das ações implementadas no âmbito da Empresa. REVISÃO: Que a Telebrás, após a a conclusão do cronograma para aprovação do Plano de Comunicação da Telebras, encaminhe o resultado das ações implementadas no âmbito da Empresa, mormente os relativos à divulgação e conscientização dos empregados sobre os controles internos da empresa. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 9

161 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: A Comunicação da Telebras implementou um boletim interno com o objetivo de ampliar e melhorar o nível de informações entre os colaboradores da empresa. O BIT - Boletim Interno Telebras, contendo os principais assuntos da semana, é distribuído nas sextas-feiras a todos os empregados. Ele é constituído de duas chamadas sobre os principais assuntos semanais e remete o leitor para a Intranet, para o prosseguimento da leitura. O objetivo é fazer com que os colaboradores tomem conhecimento dos temas que envolvem a todos e também a empresa, passando a interagir mais com outras áreas e também tornar-se mais colaborativo. Exemplos em anexo. (Doc. 10) Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor A última análise do Controle Interno frisou que para o pleno atendimento da recomendação, aguardar-se-ia a estruturação do Boletim Informativo, mencionado pelo gestor, responsável pela divulgação periódica de informações aos empregados da empresa e que o mencionado Boletim já está estruturado e em uso na Empresa, entendemos que resta atendida a recomendação. AGUARDA-SE POSICIONAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Uma vez que está em fase de conclusão de elaboração a Nota Técnica da DTO que tem como Assunto: "Justificativa para ampliação das opções no seguimento acquisition de áreas para implantação de Estações Terminais Rádio (ETR),... e Pontos de Presença (POP), com proposição de procedimento técnico-econômico para análise e tomada de decisão sobre a melhor opção entre: locação, aquisição, desapropriação ou compartilhamento de infraestrutura de terceiros.", incluir nesta Nota Técnica da DTO a opção de instituição da servidão administrativa, opção registrada no Parecer Jurídico 97/2011. Nova Recomendação (004) Solicitar reavaliação jurídica, quanto à legalidade dos procedimentos descritos na Nota Técnica nº 174/2012, de modo a prevenir a adoção de práticas que possam vir a gerar ações judiciais em desfavor da Telebras, revisando o mencionado documento, se necessário. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: O assunto foi reavaliado pela Gerência Jurídica da Telebras. O resultado consta do Parecer nº /0442, de 31/07/2014, cuja cópia anexamos. Ato contínuo a Nota Técnica n 174/2012 também foi revisada, a fim de concordar com o posicionamento exarado pela Gerência Jurídica, dando origem à Nota Técnica nº 004/2014 (Doc. 01). Assim, garantiu-se a padronização de entendimentos para que seja possível elaborar os instrumentos normativos necessários. 10

162 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Análise da AUD Considerando que, em atendimento à recomendação, a Gerência Jurídica da Telebras reavaliou o entendimento jurídico, consoante o Parecer nº /0442, de 31/07/2014 e a Diretoria Técnico-Operacional já revisou a Nota Técnica 174/2012, dando origem à Nota Técnica 004/2014, de 27/08/2014, entendemos que a recomendação da CGU resta atendida. FALTA POSICIONAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS inclua nos processos de aquisições de TI avaliados neste tópico a motivação para os quantitativos adquiridos. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Atualização da Informação: A Telebrtas, por meio da CT 125/0111/1000/2014, de 22/09/2014 assim pronuncou: Em atenção à presente recomendação, esclarecemos que foram elaboradas notas técnicas complementares (Docs. 02, 03, 04 e 05), a fim de justificar os quantitativos então adquiridos. Tais notas foram juntadas aos respectivos processos administrativos, garantindo sua perfeita instrução. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Resposta enviada à CGU por meio da CT 125/0111/1000/2014, de 22/09/2014. Pela análise da Auditoria Interna a recomendação resta atendida, pois as justificativas sobre os quantitativos foram realizadas e, conforme consta das Notas Técnicas, anexadas aos autos. Aguardando pronunciamento da Controladoria. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 11

163 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS adote providências para que todos os processos de aquisição de sobressalentes, presentes ou futuros, sejam instruídos com a justificativa do quantitativo demandado, incluindo a memória de cálculo e premissas adotadas, se for o caso, ainda que a contratação destine-se à aquisição de para formação de estoque inicial. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Técnico-Operacional Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Em atendimento a presente Recomendação e a fim de garantir o melhor aproveitamento de recursos, garantindo o funcionamento da rede em conformidade com os níveis de disponibilidade exigidos, a Telebras elaborou a prática de Dimensionamento de Sobressalentes, que foi aprovada na 1220ª REDIR, de 17/11/2014, recebendo no nº PR-0021, com vigência a partir de 17/11/2014. Dessa forma, todas as aquisições de sobressalentes realizadas pela companhia passarão a obedecer o quanto disposto pela referida norma, que traz parâmetros objetivos, garantindo sua efetividade. Segue no Anexo 02 cópia da Prática nº PR-0021, de 17/11/2014 (Dimensionamento de Sobressalentes), que se encontra publicada na intranet desta Empresa. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Considerando que a Telebras elaborou a Prática nº PR-0021, com vigência a partir de 17/11/2014, na opinião da Auditoria Interna a recomendação resta atendida. Encaminharemos o posicionamento à CGU, órgão responsável pela recomendação, para o posicionamento final. A Prática nº PR Dimencionamentro de Sobressalentes, encontra-se publicada na intranet da Telebras, conforme pesquisa realizada em 01/01/2015. O posicionamento da Telebras foi encaminhado à CGU por meio da CT 12/0111/1000/20145, de 28/01/2015. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /06/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Definir, com o termo aditivo ao Contrato nº 80/3800/2012, um nível mínimo de serviço para as atividades de análise de métricas que vincule os pagamentos a uma produtividade aceitável nas contagens de pontos de função. Setor Responsável pela Implementação Gerência Tecnologia da Informação Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 12

164 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Telebras, por meio da CT 125/0111/1000/2014, de 22/09/2014, informa: A presente recomendação faz referência ao Contrato nº 80/3800/2012. Como informado em 16/06/2014, elaborou-se Termo Aditivo ao contrato, a fim de incluir um indicador de produtividade na contagem de Pontos de Função. A minuta deste aditivo chegou a ser encaminhada à empresa contratada. Entretanto, antes de sua devolução, a empresa solicitou à Telebras a repactuação do contrato. A repactuação não foi autorizada, como consta do Parecer nº /0484, razão pela qual o Contrato nº 80/3800/2012 se extinguiu pelo decurso de seu prazo de vigência. Assim sendo, resta prejudicado o objeto da presente recomendação (Doc. 01). Ademais, cabe salientar que, diante da extinção deste contrato, a Telebras está se preparando para lançar novo pregão para a contratação de objeto semelhante, sendo certo que indicadores de produtividade na contagem de Pontos de Função foram incluídos no Termo de Referência que instruirá a nova contratação (Anexos IA, IB e IC do TR do Processo Adm. nº 251/2013). Por fim, informa-se que as informações aqui prestadas podem ser verificadas por meio dos documentos anexos. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Resposta enviada à CGU. Na análise da Auditoria Interna a recomendação resta prejudicada, devendo ser registrada como "perda de objeto". Aguardando pronunciamento da Controladoria. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a alta administração da Telebras atue de forma efetiva no acompanhamento do desempenho da empresa ao longo do exercício, adotando e determinando providências que se façam necessárias para reverter resultados porventura insatisfatórios, e mantendo registro detalhado das decisões no intuito de viabilizar o seu acompanhamento e verificar sua implementação. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 13

165 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Telebras, por meio da CT 161/1100/2014, de 17/12/2014, encaminhou novo posicionamento à CGU, onde, em resumo, informou: Em complementação aos esclarecimentos e documentos já disponibilizados a esta Controladoria, a Telebras entende que a Alta Administração da empresa efetivamente acompanhou o desempenho da empresa no exercício de 2013, determinando as providências cabíveis e necessárias, sempre visando o seu objetivo institucional, o cumprimento do planejamento estratégico e a melhoria de seus resultados. Todo este acompanhamento, atuação e as imprescindíveis decisões tomadas pela Alta Administração no exercício de 2013 encontram-se devidamente registrados em diversos documentos, os quais oportunamente, passa-se a descrevê-los: a) ADG- Acompanhamento de Dispêndios Globais b) Relatório de Aplicações Financeiras c) Relatório de Arrecadação d) Relatório de Fluxo de Caixa e) Relatório de Administração (balanço) f) Acompanhamentos comerciais.... Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Aguarda-se o posicionamento da CGU sobre a recomendação. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Nomear o Gestor de Segurança da Informação e Comunicação, atribuindo-lhe as competências previstas na IN nº 01/2008- GSI/PR. Setor Responsável pela Implementação Gabinete da Presidência Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Em 05 de junho de 2014, a Telebras nomeou um Comitê de Gestão de Segurança da Informação composto por colaboradores de diversas áreas da companhia com a responsabilidade de estabelecer as estratégias de segurança corporativa incluindo a segurança da informação e comunicação. Cabe a este comitê, ainda, definir a Política de Segurança da Informação e Comunicações POSIC; Aplicar, adaptar e estabelecer instrumentos normativos de Segurança da Informação; Assessorar no aperfeiçoamento da Gestão de Segurança da Informação; Instituir grupos de trabalho específicos relacionados à Segurança da Informação; Propor alterações da Política de Segurança da Informação e Comunicações; Propor normas relativas à segurança da informação e comunicações e, por fim, determinar a estrutura necessária para esta área, que é de suma importância para a empresa. Portanto, somente após a conclusão deste trabalho inicial é que entendemos ser possível a incorporação das melhores práticas da IN nº 01/2008-GSI/PR e decidir sobre a necessidade da nomeação de um Gestor de Segurança da Informação e Comunicação. Prazo de Atendimento: 31/07/

166 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Apresentar, no prazo de 30 dias, plano de ação com vistas a regularizar as cessões dos empregados da Telebras, em exercício na Anatel, ao Decreto nº 4.050, contemplando prazos suficientes para que não haja descontinuidade das atividades da Anatel bem como impacto nas atividades da Telebras em especial as do PNBL. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 98/0111/1000/2014, de 7/8/2014, apresentou atualização da providência: Como é de conhecimento dessa CGU, muito se discutiu sobre a manutenção de cessões de empregados da Telebras à Anatel. O tema já foi abordado pela Gerência Jurídica desta Empresa por mais de uma vez, ficando pontuado que a LGT e legislação superveniente acerca das Agências Reguladoras, portanto lei específica, dão amparo à cessão dos empregados da Telebras à Anatel, independentemente de eles terem Função Gratificada, conforme posto no Parecer nº 295/2013/1200/CRP/TELEBRAS, de 24 de outubro de 2013, que anexamos a esta (Doc. 01). Assim sendo, considerando que a solução não depende somente da Telebras, solicitamos avaliar a possibilidade de dar baixa na presente recomendação, haja vista conforme entendimento da Gerência Jurídica desta Empresa - inexistir pendência. Em 23/10/2014 o DAFRI assim pronunciou: "Empregados cedidos à ANATEL. Regularidade. Pareceres Jurídicos Internos. Aguarda CGU" Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Manifestação enviada à CGU, por meio da CT 98/0111/1000/2014, de 7/8/2014. Aguarda posicionamento daquela Controladoria Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação 15

167 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Implantar funcionalidade de sistema de informática que permita o controle automatizado da entrega das declarações de bens e rendas dos empregados da Telebrás que são alcançados pelo inciso VII do art. 1º da Lei nº 8.730/93. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: A Telebras, por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014, informou a CGU sobre a inclusão de funcionalidade no SAP visando o controle das declarações. Segue em anexo a CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014 (Doc.09). Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Na opinião da AUD a recomendação está em condições de ser baixada, tendo em vista que hoje o SAP já conta com a funcionalidade recomendada. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS mantenha controle atualizado do nível de escolaridade dos seus empregados, certificando-se que o novo sistema em implantação(sap) permita a inclusão dessas informações. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014, assim manifestou: Além de o SAP estar, neste aspecto, concluído, a Gerência de Gestão de Pessoas, recentemente, implementou dados gerais dos empregados, incluindo escolaridade, para atender a Portaria nº 10, de 13 de março de 2014, emitida pelo Diretor do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, que define as regras para o fornecimento de informações, pelas empresas estatais federais, para o módulo PPE do sistema SIEST. Seguem em anexo (Doc. 03) três telas extraídas do SAP, onde pode ser observado que o sistema permite a inclusão de informações sobre os níveis de escolaridade dos empregados da Empresa e que, as informações são atualizadas periodicamente, considerando inclusive a necessidade de informar ao DEST no módulo PPE do sistema SIEST. As informações para o PPE são extraídas diretamente do SAP e transmitidas mensalmente ao DEST. Assim, entendemos que a recomendação da Contraoladoria resta atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 16

168 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Posicionamento enviado à CGU por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014. Na opinião da AUD, a recomendação resta atendida. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS avalie a necessidade de qualificação profissional nos diversos níveis de especialização do seu quadro de pessoal, de modo a uniformizar as oportunidades de desenvolvimento de todos os seus empregados, em consonância com as necessidades da UJ. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014 posicionou: Além das justificativas já apresentadas pelo Gerente de Gestão de Pessoas antecessor, soma-se o fato de que a capacitação profissional, estava atinente à Gerência Universidade (hoje Inovação) e que, pela alteração do Regimento Interno ocorrida em novembro de 2013, passou para a Gerência de Gestão de Pessoas. No entanto, a transmissão desta matéria ainda não pode ser adequadamente tratada, pela ausência de quantitativo de funcionários lotados na Gerência de Gestão de Pessoas. Há, no Plano de Trabalho entregue pelo atual Gerente à Diretoria correspondente, levantamento geral para a capacitação profissional. Pode-se destacar os seguintes critérios: a) capacitação inicial para todos os gerentes, titulares e substitutos, bem como talentos identificados com potencial para assumir gerências; b) identificação de necessidade de cursos em geral, com cada gerência; c) do levantamento anterior, serão traçados os cursos necessários e indispensáveis aos profissionais da Telebras, dividindo-se em: 1) cursos institucionais (obrigatórios e subdivididos em básico, intermediário e avançado, conforme o grau de aprendizado de cada profissional); 2) cursos facultativos, aqueles que agreguem efetivamente algo para o profissional e o ambiente de trabalho, desde que haja sobra orçamentária dos cursos institucionais. Serão criadas ou alteradas as regras existentes, por meio de normativos, com divulgação dos cursos, mas com coordenação da Gerência de Gestão de Pessoas atreladas as informações prestadas pelas gerências respectivas. Identificados os cursos necessários, serão buscados no mercado parcerias com Instituições Públicas ou Privadas; ou, se necessário, processos licitatórios ou equivalentes para aquisição dos cursos. Para que a Gerência de Gestão de Pessoas possa dar efetividade ao planejamento de capacitação profissional, necessário se faz ainda a autorização de reposição de mão de obra perdida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamento enviado à CGU. Aguarda posicionamento daquela Controladoria. Unidade Jurisdicionada 17

169 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS reavalie a legalidade das 5 (cinco) cessões, para que, se for o caso, sejam convalidadas por autoridade competente. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por meio da Portaria nº 517, de 22/12/2014, publicada no DOU em 23/12/2014, a Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão determinou a prorrogação do exercício temporário de 8 (oito) empregados da Telebras para desempenho de atividades no âmbito do Ministério das Comunicações. Encaminhamos no Anexo 09 a mencionada Portaria nº 517. Assim, ao nosso ver, a recomendação resta atendida. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamento enviado à CGU ppor meio da CT 12/0111/1000/2015, de 28/0/ Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS estabeleça indicadores e metas gerais de gestão de pessoas para a UJ, como, por exemplo, capacitação/treinamento, custo, absenteísmo, entre outras. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014, atualizou o posicionamento: A Gerência de Gestão de Pessoas, no segundo semestre de 2014, após a devida autorização da Diretoria Executiva e havendo orçamento respectivo, irá implantar a nova ferramenta de Avalição de Desempenho por Competências e Resultados. Esta importante ferramenta não só será o instrumento próprio e idôneo para eventual promoção por merecimento ou por antiguidade dos colaboradores, como também trará indicadores para capacitação profissional, qualidade do trabalho desenvolvido, absenteísmo etc. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 18

170 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Manifestação encaminhada à CGU por meio da CT 098/0111/1000/2014, de 7/8/2014. Aguardando o posicionamento daquela Controladoria. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras exija certidões negativas dos cartórios de imóveis do beneficiário, do cônjuge ou companheiro(a) atualizadas sempre que o benefício for concedido, renovado, prorrogado ou houver reajuste dos contratos de locação. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Como já informado anteriormente, os registros internos da Gerência de Gestão de Pessoas já contêm todas as certidões requeridas. Não obstante, se e quando for o caso de conceder, renovar, prorrogar, o procedimento será obedecido. A propósito, informa-se que o normativo interno, na parte que tratava do tema, foi revogado. Assim, a Telebras somente irá conceder ou renovar tal benefício exclusivamente à luz do Decreto 3255/1999. Prazo de Atendimento: Não se Aplica. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras suspenda o pagamento do auxílio moradia a todos os beneficiários que não sejam dirigentes da empresa. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 19

171 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações De acordo com o informado anteriormente (Minuta do Relatório), a partir do mês de dezembro de 2015, não haverá a concessão de benefício, senão à luz do Decreto 3255/1999. Prazo de Atendimento: Não se Aplica. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras restrinja, no texto da Diretriz nº 243, de , o pagamento de auxílio moradia aos seus dirigentes, conforme o teor do inciso II do art. 2º do Decreto nº 3.255/1999. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Já houve a restrição com a revogação do normativo, tal como informado anteriormente. Prazo de Atendimento: Não se Aplica. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que Telebras inste o MPOG a se manifestar, em suas Portarias de autorização de lotação provisória, a respeito da onerosidade do ato. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 20

172 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A recomendação será cumprida quando de eventual nova cessão. Prazo de Atendimento: Não se Aplica. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras notifique os órgãos inadimplentes com os reembolsos relativos à remuneração e benefícios de empregados requisitados, cedidos e lotados provisoriamente para devolverem os empregados à sua sede, aplicando as sanções previstas no Decreto nº Setor Responsável pela Implementação Gerência de Gestão de Pessoas Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Em que pese a Telebras tenha se manifestado no sentido de que a recomendação será cumprida (e será, no que depender da Telebras), esclarece-se que, antes da questão relativa à onerosidade ou não, a própria natureza da cessão está em xeque, uma vez que o Ministério Supervisor entende tratar-se de força de trabalho e, como tal, o órgão cedente teria, em tese, de assumir o ônus. A recomendação será atendida em até 30/06/2015, por se tratar de procedimentos que não estão totalmente ao alcance da Telebras, sobretudo por envolver ações que deverão partir do Ministério Supervisor e do MPOG. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação 21

173 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Encaminhar, em meio eletrônico e após a devida aprovação, os seguintes normativos: DD-Serviços de Reprografia, DD- Serviços de Transporte na Telebras, Prática de Circulação de Pessoas na Telebrás, DD-Controle de Bens Patrimoniais e Prática Controle de estoques e armazenamento. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Logística Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: A Gerência de Logística, por meio do MM 073/2014/2200, de 26/08/2014, assim pronunciou: "Encaminhado MM 072/2014/2200 (anexo) à Gerência de Inovação para providenciar a formação dos grupos e orientar a elaboração e atualização dos Instrumentos Normativos da Gerência de Logística. O prazo da demanda conforme a priorização dos grupos de trabalho foi de 90 dias do início dos trabalhos". Segue em anexo (Doc. 11) cópia do MM 072/2014/2200. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Conforme informação da Gerência de Logística, a solicitação de criação de grupos para o desenvolvimento dos normativos internos foram encaminhados à Gerência de Inovação, por meio do MM 072/2014/2200, de 25/08/2014. Está previsto um prazo de 90 dias, após o início, para a elaboração dos normativos. Assim, na opinião desta Auditoria Interna, a recomendação ainda permanece na condição de "em atendimento" devendo ser prorrogada por 120 dias. Considerando que a matéria encontra-se na CGU, aguarda-se o posicionamento daquela Controladoria. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Estabelecer rotina para preenchimento e atualização da execução das ações sob sua responsabilidade nos respectivos sistemas governamentais. Setor Responsável pela Implementação Gerência Financeira e Orçamentária Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 22

174 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 pronunciou: Conforme última análise do Controle Interno, para o atendimento da recomendação faltava a apresentação do Regimento Interno do CGO que, naquela época, estava em forma de minuta. O Regimento Interno do CGO foi aprovado na 1210º Reunião de Diretoria em 09/9/2014 (Item 2 da Ata). Segue em anexo o Regimento Interno do CGO, juntamente com a mencionada Ata (Doc. 04). A recomendação inicial indicava a necessidade de estabelecer rotina para preenchimento e atualização da execução das ações sob sua responsabilidade nos respectivos sistemas governamentais; esta rotina está descrita no item 5 da Diretriz Orçamentário-Financeira (Diretriz nº D-255), que também anexamos (Doc. 05). Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Considerando que a Telebras apresentou o Regimento Interno do Comitê Gestor Orçamentário e a Diretriz Orçamentário- Financeira (Diretriz nº D-255), onde estabelece rotina para preenchimento e atualização da execução das ações sob sua responsabilidade nos respectivos sistemas governamentais, entendemos que a recomendação resta atendida pela Telebras. AGUARDA-SE O PRONUNCIAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2012 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Encaminhar o documento de criação do Comitê Gestor Orçamentário, bem como os principais produtos dos trabalhos por ele realizado, de maneira a verificar sua atuação sobre o acompanhamento da execução física e financeira da Telebrás, bem como sua alimentação no SIOP. Setor Responsável pela Implementação Gerência Financeira e Orçamentária Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebras, por meio da CT 127/0111/1000/2014, de 30/09/2014 assim pronunciou: A última análise do Controle Interno mencionou que para o pleno atendimento da recomendação, seria necessário a apresentação do documento de criação do Comitê Gestor Orçamentário e os principais produtos por ele elaborados. O Comitê Gestor Orçamentário foi criado por decisão da 1112º Reunião de Diretoria, conforme item 4 constante da Ata (Doc. 07). Quanto aos principais produtos elaborados pelo Comitê podemos citar as Propostas Orçamentárias Anuais e as Reprogramações Oçamentária Anuais. Em anexo encaminhamos exemplos de Atas de Reunião do CGO onde os principais produtos foram tratados (Doc. 08). Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 23

175 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Considerando que foi apresentado o documento de criação do Comitê Gestor Orçamentário (Ata da 1112º Reunião de Diretoria), foi informado os principais produtos elaborados pelo Comitê, conforme atas de reuniões do CGO apresentadas, A AUD entende que a recomendação resta atendida. AGUARDA-SE O PRONUNCIAMENTO DA CGU Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS reveja as bases contratuais, considerando o saldo de 9,3 km de fibras ópticas metropolitanas em favor da UJ a ser fornecido pela CTBC. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Manifestação da Área (agosto/2014): O Saldo de 9,3 km de fibras ópticas em desfavor da TELEBRAS, foi obtido tomando-se como base uma análise financeira inicial, elaborada pela Gerência Financeira e Orçamentária, cujas quilometragens preliminares foram baseadas em dados empíricos, p.ex. mapas.kmz e em um quadro conservador na relação entre as fibras ópticas metropolitanas e fibras ópticas de longa distância constante do documento de referência Fiber Rate Study da UTC, de 2,92(1750/600). O mesmo documento também prevê que, que em regiões de alta competitividade ou escassez desse ativo, essa relação pode chegar a até a 7,5(4500/600). A contrapartida dos 162,51 Km efetivamente recebidos pela TELEBRAS na cidade de São Paulo é constituída de regiões de grande disputa do mercado de telecomunicações, destacando-se trechos na Avenida Paulista, região de Baruerí e as marginais, encontrando-se inseridas no conceito de alta escassez, principalmente pela ausência de oferta desse ativo pelas operadoras de telecomunicações que atuam nessas regiões. A rigor, diante dessas referências internacionais, a TELEBRAS deveria ceder à CTBC, como contrapartida à sua necessidade na cidade de São Paulo, cerca de km de fibras ópticas de longa distância de seu Backbone. Destarte, a troca de fibras ópticas realizadas através do Contrato 3000/019/2012-TB, foi altamente vantajosa para a TELEBRAS, porquanto foram cedidos 501 km de par de fibras ópticas de longa distância entre as localidades de Paulínia/SP e Curitiba/PR, e recebidos 162,51 km de par de fibras ópticas metropolitanas na cidade de São Paulo, resultando a relação de 3,08, portanto, bem inferior que a praticada em mercados competitivos de alta densidade e se aproximando do mercado conservador. Com base nessas considerações a Gerência Financeira e Orçamentária procedeu uma nova análise financeira de equilíbrio da parceria, considerando as informações efetivamente praticadas no contrato, como as quilometragens de fibras ópticas reais envolvidas, além dos parâmetros de mercado mais adequados ao caso em tela. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 24

176 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Analisando o posicionamento da Diretoria Comercial e o novo posicionamento da Gerência Financeira-Orçamentária, consoante o MM 031/2014-GFO, de 03 de setembro de 2014 onde, no item 3 aquela Gerência afirma que "Com base na proposta de cálculo acima, conclui-se que não há equilíbrio, havendo, em favor da Telebras, 717,83 Km (717,83+501,00=1.218,83) interurbanos contra os 162,51 Km fornecidos pela CTBC...", entendemos que o contrato original já era vantajoso para a Telebras, havendo equívoco no entendimento da análise do equilíbrio econômico do Contrato 3000/019/2012, firmado com a CTBC-Algar.Assim, o equilíbrio que, na análise inicial, indicava desvantagem para a Telebras, com a revisão levando em consideração as novas informações, tornou-se favorável à Telebras.Assim, ao nosso ver, a recomendação resta atendida ou perdeu-se o objeto. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Definir normativos e fluxogramas detalhados, contendo todas as etapas e os artefatos a serem produzidos por cada área responsável, de modo a orientar os processos de parceria firmados pela Telebras por meio de contrato de permuta, acordo de parceria comercial, termo de cooperação técnica, convênio com repasse de recurso. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 5, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 18/12/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação 25

177 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Instruir os processo adequadamente, inserindo todos os documentos gerados em cada uma das etapas dos processos de parceria firmados pela Telebras, a fim de evidenciá-las e formalizá-las, inclusive no que se refere à motivação e justificativa da seleção do parceiro. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Realizar avaliação da relação custo-benefício das opções técnicas de infraestrutura disponíveis (implantação/construção própria, locação, cessão), com vistas a justificar economicamente a escolha. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida 26

178 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras, nos próximos processos de celebração de parcerias, dê pleno conhecimento ao parceiro da demonstração do equilíbrio econômico-financeiro da avença, independentemente do instrumento utilizado. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Incluir, nos processos que envolvam cessão recíproca de infraestrutura, as datas previstas para disponibilização do objeto por ambas as partes, independentemente de as entregas serem feitas em períodos simultâneos ou não. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Denominação Completa Unidade Jurisdicionada 27

179 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Incluir o planejamento da Telebras para ativar as fibras ópticas apagadas cedidas pela empresa parceira, nos processos que envolvam esse objeto. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Incluir nos normativos que estão sendo elaborados/revisados a descrição do processo de acompanhamento da execução das parcerias formadas pela Telebras, indicando detalhadamente as áreas responsáveis, suas respectivas competências, modo de comprovação desse acompanhamento, entre outros aspectos relevantes. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 5, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 18/12/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 28

180 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Nos processos que envolvam cessão de infraestrutura por parte da Telebras, incluir documento que contenha análise que avalie se a infraestrutura a ser cedida não trará impactos à prestação de serviços pela UJ, considerando o período de vigência do instrumento. Setor Responsável pela Implementação Diretoria Comercial Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Apresentamos no documento denominado Plano de Trabalho Relatório CGU nº Contas de 2013, elaborado pela Gerência de Relacionamento com Operadores e Parceiros, item 6, as ações que serão tomadas e seus respectivos cronogramas, visando a atender à recomendação exarada por essa Controladoria Geral da União (Anexo 01). Prazo de Atendimento: 27/04/2015. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /01/1900 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Quando da aprovação da Diretriz de Aquisições e Contratações, observar a necessidade de que o documento estabeleça que: os objetos licitados sejam parcelados no maior número de itens possível; o orçamento seja detalhada conforme exigências da legislação vigente, tal como LDO, permitindo a comparação dos preços licitados com as listas de preços oficiais; as pesquisa de preços sejam feitas de maneira mais ampla e contemplando o maior número de fornecedores e fontes possível. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Providências Adotadas 29

181 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Justificativa para o seu não Cumprimento A TB, por meio da CT 127/0111/1000, de 30/09/2014 assim pronunciou: A Prática , de 28/05/2012, mencionada na resposta anterior, será susbtituída por um Manual de Compras. No plano de trabalho do grupo de compras prevê que o Manual de Compras será divulgado em 11/11/2014, conforme cópia anexa (Doc. 02). Segue em anexo, Doc. 03, a DEM -1000/8022, de 22/09/2014, que criou o Grupo de Trabalho de Compras. Em 23/10/2014 o DAFRI, por , assim pronunciou: "Remete à necessidade de Normativo. Tarefa atrasada. Também reflexo do CGO. Já na Governança: Guia Orientador de Compras e Manual de Termo de Referência". Foi negociado prazo até 21/11/2014. Em 13/11/2014 a GGC solicitou prorrogação de prazo para 30/11/2014. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Do exposto pelo gestor, percebe-se que ações vêm sendo adotadas visando o atendimento da recomendação. Foi criado um grupo de compras responsável pela análise de todo o processo de compras da Empresa e a normatização das atividades. Como mostrado no Plano de Trabalho a divulgação dos Processos Normatizados, juntamente com um manual de fiscalização têm previsão de término para 11/11/2014. Assim sugerimos a prorrogação da recomendação. AGUARDA-SE POSICIONAMENTO DA CGU. Como estamos aguardando o posicionamento da CGU, mantemos o status atual. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS oriente as áreas responsáveis pelas contratações, com vistas a garantir o cumprimento das formalidades exigidas pela legislação nos processos licitatórios, especialmente no que tange aos prazos previstos entre atos e documentos que devem constar do processo. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por a GCC assim pronunciou: A Diretriz aprovada na REDIR em 10/02/2015. A recomendação será atendida conforme item 7.1 da Diretriz em anexo. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor 30

182 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Em atendimento à recomendação foi inserido no item 7.1 da Diretriz 229: " 7.1. A Gerência de Compras e Contratos deverá cumprir as formalidades exigidas pela legislação nos processos licitatórios, especialmente no que tange aos prazos previstos entre atos e documentos que devem constar do processo e a exigência de garantia contratual, quando necessário". Assim, no entender da Auditoria Interna a recomendação resta atendida. O posicionamento foi enviado à CGU por meio da CT 16/0111/1000/2015, para análise. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS adote as providências necessárias para garantir o cumprimento do artigo 55, da Lei 8.666/93, que prevê as cláusulas necessárias a todos os contratos, inclusive o contrato relativo ao Processo nº 101/2012. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Por a GCC assim pronunciou: A Diretriz aprovada na REDIR em 10/02/2015. A recomendação será atendida conforme item 7.2 da Diretriz em anexo. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Em atendimento à recomendação foi inserido no item 7.2 da Diretriz 229: "7.2. As cláusulas contratuais deverão obedecer o artigo 55, da lei 8.666/93, em sua íntegra". O posicionamento foi enviado à CGU por meio da CT 16/0111/1000/2015, para análise. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS, nas futuras contratações de empresa especializada na prestação de serviços de fornecimento de passagens aéreas e terrestres, abstenha-se de incluir serviços que extrapolem o cumprimento do objeto e cujos gastos adicionais não possam ser estimados, com segurança, na formulação das propostas dos licitantes. Providências Adotadas 31

183 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento A Telebras, ao contratar nova empresa especializada na prestação de serviços de fornecimento de passagens aéreas e terrestres, corrigiu a falha recomendada por essa CGU, como pode ser observado no Edital do Pregão Eletrônico nº 014/2013-TB e seus anexos A, B e C, bem como o contrato nº 76/2200/2013- TB, que seguem no Anexo 05. Visando alertar a área responsável pela demanda dos serviços de fornecimento de passagens aéreas e terrestres na Telebras, foi enviado à Gerência de Logística o MM nº 124/2014/2600, conforme Anexo 06. Visando dar maior amplitude, de forma global, sobre o conteúdo de uma demanda do usuário, a Gerência de Compras e Contratos elaborou e publicou o Guia Orientador de Compras com foco no demandante da Telebras, onde são prestadas várias informações visando dar ao Gestor uma visão ampla de todos o processo de aquisição na Empresa. O item do mencionado guia trata sobre "o que o demandante tem que saber sobre o Termo de Referência, onde menciona sobre os elementos essenciais em uma demanda. Para conhecimento, encaminhamos no Anexo 07 o Guia de Compras. Assim, no nosso entendimento, resta atendida a recomendação dessa Controladoria. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posionamento enviado à CGU em 28/01/2015 por meio da CT 12/0111/1000/2015 Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS oriente as áreas responsáveis por contratações, para que incluam a definição do critério de julgamento de forma clara, objetiva e concisa. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas Conforme já mencionado no posicionamento sobre o item , a recomendação foi atendida com a publicação do Guia Orientador de Compras com foco no demandante da Telebras (Anexo 07) que, em seu item , trata sobre "Preocupação com a isonomia julgamento das propostas". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posionamento enviado à CGU em 28/01/2015 por meio da CT 12/0111/1000/2015 Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 32

184 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS adote providências para que seja incluída a justificativa do preço nos processos de contratação direta, de forma dar eficácia ao art. 26, p. único, III da Lei 8.666/93, observando ainda a Orientação Normativa nº 17/2009 da AGU, nos caso de inexigibildiade de licitação. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A GCC, por meio do MM 161/2600/2014-TB, assim pronunciou: "Orientação atendida por meio do item e do Guia de Compras e inclusão do check list". Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor A Gerência de Compras e Contratos publicou o Guia de Compras, onde são prestadas várias informações visando ao Gestor ter uma visão ampla de todos o processo de aquisição na Empresa. O Item e , informado pela Gerência, trata sobre "que o demandante tem que saber sobre o Termo de Referência?" e "Vou estimar o preço da minha demanda, preciso de ao menos uma proposta, e agora?". Como a recomendação foi elaborada pela CGU, o posicionamento foi encaminhado àquela Controladoria por meio da CT 12/2015/0111/1000, aguardando posicionamento. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2013 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a TELEBRAS adote providências, como, por exemplo, estabelecer check lists ou procedimentos operacionais, de modo a cumprir integralmente as disposições legais, para que todos os processos de contratação direta sejam instruídos com informação completa e suficiente sobre as razões de escolha do fornecedor. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas 33

185 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Visando assegurar que todos os processos de contratação direta sejam instruídos com as devidas e suficientes razões de escolha do fornecedor, foi incluído nos check list utilizados pela Gerência de Gestão de Contratos item específico sobre essa necessidade, conforme pode ser visualizado no item 12 dos formularios de acompanhamento dos processos, constantes do Anexo 08. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram / Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamento enviado à CGU por meio da CT 12/0111/1000/2015, de 28/0/ Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação Que a Telebras institua em seus normativos internos relativos à contratação de serviços continuados, a necessidade de se adotar unidades de medidas efetivas e condizentes com os serviços prestados e o estabelecimento de ANSs computáveis, apontando forma de avaliação alternativa para os casos em que o método de medição definido ainda não esteja implementado. Setor Responsável pela Implementação Providências Adotadas Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Por a GCC assim pronunciou: Item 7 da Diretriz 258 aprovada em 03/02/2015, conforme cópia anexa. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor A Diretriz 258, de 23/01/2015, que trata sobre "Elaborar Termo de Referência" com vigência em 01/02/2015, tratou do assunto objeto da recomendação da CGU em seu item 7.No entender da Auditoria Interna a recomendação resta atendida.o posicionamento foi enviado à CGU por meio da CT 16/0111/1000/2015, para análise. Unidade Jurisdicionada Denominação Completa Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Recomendações do OCI Recomendações Expedidas pelo OCI Ordem Identificação do Relatório de Auditoria Item do RA Comunicação Expedida /10/2014 Órgão/Entidade Objeto da Recomendação Telecomunicações Brasileiras S/A - Telebras 75 Descrição da Recomendação 34

186 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações Que a Telebras consulte ao Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (DEST) quanto à regularidade das contratações associadas aos Contratos nº 10/2013/3500 e nº 12/2013/3500, no tocante à conformidade da terceirização desses serviços e ao atendimento à determinações dos Acórdãos nº 2132/2010 e 2303/2012 TCU-Plenário. Caso se confirme a inadequação das contratações tratadas no fato, definir plano para sua regularização. Setor Responsável pela Implementação Gerência de Compras e Contratos Justificativa para o seu não Cumprimento Providências Adotadas A Telebrás, por meio da CT. Nº 66/2014/2000, de 26 de novembro de 2014, consultou o Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (DEST) quanto à regularidade das contratações associadas aos Contratos nº 10/2013/3500 e nº 12/2013/3500, no tocante à conformidade da terceirização desses serviços e ao atendimento à determinações dos Acórdãos nº 2132/2010 e 2303/2012 TCU-Plenário, conforme cópia anexa (Anexo 05). Prazo de Atendimento: De acordo com a resposta do DEST. Análise Crítica dos Fatores Positivos/Negativos que Facilitaram/Prejudicaram a Adoção de Providências pelo Gestor Posicionamentro encaminhado à CGU por meio da CT 149/0111/1000/2014, de 27/11/2014. (AUD) Aguarda-se a resposta do DEST para, se for o caso, definir plano para a regularização. 35

187 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XI (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) DESCRIÇÃO DOS CENTROS DE CUSTO DA EMPRESA

188 Gestor SÉRGIO BRUNACCI Gestor FABRÍCIO S. LIMOEIRO Cargo do Gestor MANUAL DE CENTROS DE CUSTO Gerente Fiscal e de Controle Cargo do Gestor Ger. Financeiro e Orçamentário Gestor Cargo do Gestor Data Aprovador BOLIVAR T. M. NETO Elaborador NADYR MARTINS DEVANIR JOSÉ BENATI VANDER ALVES DA SILVA Revisor EDUARDO NOGUEIRA DE CARVALHO Cargo do Aprovador Diretor Administ.-Financeiro Cargo do Elaborador Orion Consultoria Cargo do Elaborador Orion Consultoria Data Data Data Data Data Número do Documento Tipo MANUAL Atividade GESTÃO CONTÁBIL Visto Visto Visto Visto CONTEÚDO 1 OBJETIVO DO DOCUMENTO CAMPO DE APLICAÇÃO ÁREAS ENVOLVIDAS DEFINIÇÕES CONTABILIDADE DE CENTROS DE LUCRO (EC-PCA) CONTABILIDADE DE CENTROS DE CUSTO (CO-PA) DESCRIÇÃO DO PROCESSO ESTRUTURA DOS CENTROS DE CUSTO LOCALIZAÇÃO (UF) ESTRUTURA ORGANIZACIONAL PLANTA OU ATIVIDADE ESTRUTURA DE ATIVIDADE E CÓDIGO DE PLANTA DADOS MESTRE DOS CENTROS DE CUSTO NO SAP CÓDIGO DO CENTRO DE CUSTO DENOMINAÇÃO DESCRIÇÃO RESPONSÁVEL Manual de Centros de Custo - Página 1 de 6

189 5.3.5 DEPARTAMENTO TIPO DE CENTRO DE CUSTO VINCULAÇÃO DE CENTRO DE CUSTO AO CENTRO DE LUCRO HIERARQUIA RESPONSABILIDADES GERÊNCIA FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA GERÊNCIA FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA REFERÊNCIAS OBJETIVO DO DOCUMENTO Orientar a elaboração, a manutenção e a lógica de formação dos centros de custo, definir os procedimentos para a sua utilização no âmbito da Telebras e as regras para a sua parametrização no SAP. Os centros de custo têm por finalidade registrar na contabilidade, no Módulo CO do SAP-ECC, os gastos realizados pelos órgãos conforme definidos na estrutura organizacional da Telebras. Os centros de custos possibilitam a alocação de gastos por filial (UF) de acordo com a sua natureza. Podem ser utilizados para a elaboração do orçamento e para o acompanhamento de sua realização 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se à Telebras em seus processos de planejamento e controle orçamentário e de custos, bem como aos registros, na contabilidade, da execução orçamentária. 3 ÁREAS ENVOLVIDAS Este procedimento aplica-se a todas as áreas da empresa. 4 DEFINIÇÕES 4.1 CONTABILIDADE DE CENTROS DE LUCRO (EC-PCA) A Contabilidade de centro de lucro, no SAP-ECC, forma uma interface entre as aplicações do Módulo CO (Controlling Operativo) e o Módulo CE (Controlling Empresarial). Ela reflete os lançamentos reais e planejados dos componentes de controlling operativo e de amortização com os quais está integrada em tempo real. Ela sintetiza estes dados de acordo com os centros de lucro que refletem a estrutura interna de áreas de responsabilidade dentro da empresa. O Módulo EC-PCA serve primariamente para calcular resultados (planejados e reais) para os centros de lucro de acordo com a abordagem de cálculo do custo global por período. Se a área funcional é especificada pelos dados nos componentes de controlling, é possível analisar resultados usando a contabilidade de custo de vendas. Além disso, o EC-PCA possibilita a análise de certos itens de balanço por centro de lucro. Isto possibilita também o controle dos índices necessários para uma área de responsabilidade. A Contabilidade de centro de lucro é baseada em contas. Isso significa que os valores são atualizados no EC- PCA de acordo com a conta contábil (Plano de Contas). É possível, consequentemente, reconciliar os dados daqui com os da Contabilidade financeira do Módulo FI Manual de Centros de Custo - Página 2 de 6

190 4.2 CONTABILIDADE DE CENTROS DE CUSTO (CO-PA) A aplicação CO-PA permite o exame da rentabilidade de segmentos de mercado - estruturado de acordo com os produtos, clientes, pedidos, e síntese destas e outras características - e também das unidades organizacionais tais como a empresa ou as áreas comerciais. O objetivo é prover os empreendimentos de vendas, marketing, planejamento e administração com apoio à decisão de um ponto de vista orientado ao mercado. Esta aplicação pode ser utilizada por empresas de qualquer ramo da indústria (engenharia mecânica, atacado e varejo, química, indústrias de serviços e outras) e com qualquer tipo de produção (produção repetitiva, produção por ordem de cliente, produção por processo). Os dados podem ser examinados por período, ordem ou projeto. O EC-PCA e o CO-PA não devem ser considerados componentes alternativos. Ao contrário, eles se complementam e oferecem, em conjunto, uma ferramenta flexível e abrangente de contabilidade de controle de resultados, possibilitando uma perspectiva orientada para o mercado, e uma para as pessoas e responsabilidades. 5 DESCRIÇÃO DO PROCESSO 5.1 ESTRUTURA DOS CENTROS DE CUSTO A estrutura dos centros de custo foi concebida considerando três dimensões: localização (UF), estrutura organizacional (Órgãos) e atividades (Planta e Atividade). A combinação dessas três informações gera a codificação de cada centro de custo composta por 10 dígitos de acordo com a seguinte máscara: LOCALIZAÇÃO (UF) ÓRGÃO PLANTA OU ATIVIDADE 2 DÍGITOS 4 DÍGITOS 4 DÍGITOS ESTRUTURA DO CENTRO DE CUSTO: 10 DÍGITOS LOCALIZAÇÃO (UF) A localização identifica a área geográfica onde a Telebras opera e mantém os equipamentos instalados na planta. Por uma questão prática em gerar as informações ao nível desejado, quer seja de ordem interna ou externa, foram utilizados para a codificação das áreas geográficas os códigos de UF divulgados na tabela de municípios do IBGE. O termo Localização, neste contexto, tem o significado de FILIAL, e está diretamente relacionada a cada unidade federativa do Brasil (Estados e Distrito Federal). Foi acrescentado na tabela de codificação do IBGE um código específico para identificar a sede administrativa da Telebras ( UF 90 - Matriz), para diferenciá-la da filial operacional do Distrito Federal ESTRUTURA ORGANIZACIONAL O código organizacional corresponde ao código definido na estrutura organizacional da Telebras (organograma) Manual de Centros de Custo - Página 3 de 6

191 5.1.3 PLANTA OU ATIVIDADE A tabela de atividade ficou restrita à área operacional da planta (custos da planta), a qual segue a mesma estrutura definida para o controle do ativo imobilizado no Plano de Contas contábil. Para atender as demais estruturas: comercial, administrativa, atividades acessórias, projeto/implantação e outras, e para registrar os gastos de acordo com a estrutura básica do Plano de Contas (três primeiros dígitos do plano), foi criada uma codificação específica representada pela macroatividade de cada área organizacional. As macroatividades poderão a qualquer momento, e de acordo com a necessidade gerencial da Telebras, ser desdobradas e/ou complementadas, para contemplar uma codificação específica de cada atividade. 5.2 ESTRUTURA DE ATIVIDADE E CÓDIGO DE PLANTA CÓDIGO TÍTULO 1000 Custo dos Serviços Prestados 1xxx Custo de Operação e Manutenção da Planta 2000 Despesas Comerciais 3000 Despesas Gerais e Administrativas 4000 Custo de Projeto/Implantação - BIA 7xxx 8xxx 9xxx Despesas de Atividades Acessórias Custo de Ativo Intangível Custo de Apoio à Operação xxx de acordo com o detalhamento do imobilizado e intangível no Plano de Contas contábil 5.3 DADOS MESTRE DOS CENTROS DE CUSTO NO SAP O elenco completo obtido pela combinação dos atributos localização + órgão + atividade é utilizado para cadastramento dos centros de custos no SAP. O elenco final contempla apenas as combinações possíveis de acordo com a planta e atividades desenvolvidas pela Telebras em cada estado. A tabela completa contém centros de custos e consta de anexo a este documento. Além dos dados relacionados à codificação dos centros de custo, para efeito de cadastramento no SAP, tornase necessário adicionar outros atributos: CÓDIGO DO CENTRO DE CUSTO Identificação do código do centro de custo de acordo com a estrutura definida acima DENOMINAÇÃO Corresponde à descrição resumida do centro de custo, limitado a 20 caracteres DESCRIÇÃO Corresponde à descrição detalhada do centro de custo, limitado a 40 caracteres RESPONSÁVEL Identifica o responsável pelo centro de custo Manual de Centros de Custo - Página 4 de 6

192 5.3.5 DEPARTAMENTO Corresponde à área de subordinação ou hierarquia dentro da estrutura organizacional TIPO DE CENTRO DE CUSTO Corresponde ao tipo de centro de custo no conceito de macroatividade. A vinculação deste atributo aos centros de custos é de fundamental importância, pois garante que a contabilização dos gastos tenha sempre a mesma classificação contábil na estrutura básica do plano de contas (três primeiros dígitos da conta contábil). A caracterização do tipo de centro de centro está diretamente associada à combinação dos conceitos Organizacional x Atividade que correspondem aos oito últimos dígitos dos centros custo. O Plano de Contas da Telebras é estruturado logicamente pela combinação de Funções + Naturezas + Utilidades + detalhe composto por 10 dígitos de acordo com a seguinte máscara: CONECTOR NATUREZA UTILIDADE SEQUENCIAL 3 DÍGITOS 3 DÍGITOS 2 DÍGITOS 2 DÍGITOS O tipo de centro de custo combina com os Conectores do Plano de Contas (três primeiros dígitos). Os conectores representam as Funções. Para cada Função do Plano de Contas pode ser associado apenas um tipo de centro de custo; porém um mesmo centro de custo pode ser associado a mais de uma Função do plano. As Naturezas e as Utilidades do Plano de Contas são abertas de acordo com requisitos inerentes a cada estrutura básica do plano, sendo ainda detalhadas de 01 a 99 nos dois últimos dígitos da conta contábil. No quadro abaixo é demonstrada a regra de combinação (e de restrição) de cada tipo de centro de custo com cada função do Plano de Contas: TIPO DE CENTRO DE CUSTO VINCULAÇÃO À ESTRUTURA BÁSICA DO PLANO (FUNÇÃO) Tipo Descrição Função Descrição F Operação 322 Custo dos Serviços Prestados V Comercialização 331 Despesas Comerciais W Administração 332 Despesas Gerais e Administrativas 333 Outras Despesas Operacionais 334 Tributos sobre Outras Receitas Operacionais 335 Despesas Operacionais e Multas 336 Perdas Estimadas sobre Ativos H Atividades Acessórias 337 Baixas de Ativos 338 Perdas sobre Ativos 339 Custo de Alienação de Ativos 34x Despesas Financeiras 35x Outras Despesas sobre Ativo Fixo 36x Deduções sobre o Resultado E Implantação 91x Acumulador de Gastos Manual de Centros de Custo - Página 5 de 6

193 TIPO DE CENTRO DE CUSTO VINCULAÇÃO À ESTRUTURA BÁSICA DO PLANO (FUNÇÃO) Tipo Descrição Função Descrição Observação: as contas contábeis integrantes da estrutura das Funções 31x Deduções da Receita Bruta do Plano de Contas NÃO deverão ser criadas como Classe de Custo por terem status de contas de receitas. Deverão receber os mesmos centros de lucro do grupo de contas de receita 41x Receita Operacional Bruta VINCULAÇÃO DE CENTRO DE CUSTO AO CENTRO DE LUCRO Para todo Centro de Custo deverá ser feita a vinculação com o Centro de Lucro correspondente, para fins de apuração de resultado no Módulo PCA do SAP HIERARQUIA Corresponde ao código atribuído para a hierarquia dos Centros de Custo definida para as atividades relacionadas à manutenção/operação da planta e foi considerado o código da filial associado ao código organizacional e para as demais atividades foi considerado o código organizacional. A hierarquia define também o nível de detalhamento para o controle orçamentário da Telebras. 6 RESPONSABILIDADES 6.1 GERÊNCIA FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Providenciar a parametrização no SAP-ECC dos atributos previstos neste documento, referentes aos centsos de custo, necessários à gestão das atividades da Telebras, mantendo-os sempre atualizados; Manter informados os gestores da Telebras sobre os conceitos e aplicação dos códigos de centros de custo para o registro contábil e orçamentário dos custos e despesas; Aplicar, na escrituração contábil da Telebras, a estrutura de códigos de centros de custo prevista neste documento. 6.2 GERÊNCIA FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Fornecer as informações e orientar a Gerência Fiscal e de Controle sobre eventuais alterações no processo de orçamento que impliquem em manutenção na estrutura de Centros de Custos. 7 REFERÊNCIAS Plano de Contas da Telebras. Procedimento: Manual de Atividades e Códigos de Planta Procedimento: Manual de Centros de Lucro Manual de Centros de Custo - Página 6 de 6

194 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2014

195 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2014 Senhores Acionistas, A Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras, sediada no Setor Comercial Sul, SCS, Quadra 9, Bloco B, Salas 301 a 305, Brasília - DF, CEP , Edifício Parque Cidade Corporate, Torre B, endereço eletrônico inscrita no CNPJ sob o nº / , é uma sociedade empresária de economia mista e de capital aberto, vinculada ao Ministério das Comunicações, constituída em 9/11/1972, de acordo com a Lei nº 5.792, de 1/07/1972, devidamente autorizada pela ANATEL para a prestação do Serviço de Comunicação Multimídia, através do Termo PVST/SPV Nº 118/2011, publicado no DOU em 7/04/2011, portanto rege-se pela Lei nº 6.404/76, por disposições especiais de leis federais e da Comissão de Valores Mobiliários CVM, pela legislação de telecomunicações, pelas leis e usos do comércio e demais disposições legais aplicáveis (adiante simplesmente Telebras ou Companhia ). Em estrita consonância com os seus objetivos institucionais, a Companhia tem direcionado seus esforços no sentido de (i) intensificar a implantação da infraestrutura necessária ao Programa Nacional de Banda Larga PNBL Decreto 7.175/2010; (ii) estar cada vez mais apta a atender ao que determina o Decreto nº 8.135/2013; e (iii) ampliar sua carteira de clientes corporativos. Projetos Especiais também estiveram e estão no foco das ações da Telebras, são eles: (i) a aquisição do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (Projeto SGDC); e (ii) o desenvolvimento do Projeto de Cabos Submarinos Internacionais. O ano de 2014 representou um marco na história da Companhia: nunca uma copa do mundo de futebol teve todos os seus jogos transmitidos a partir de uma rede de telecomunicações formada integralmente por fibras ópticas e a Telebras foi a protagonista deste feito. I. SUMÁRIO EXECUTIVO Em 2014, dos objetivos estratégicos da Companhia, destacam-se: a. PNBL: A rede de telecomunicações da Telebras dispõe de 28,7 mil km de fibras ópticas, sendo que 21 mil km estavam em operação ao final de Em comparação com 2013, são mais 4,3 mil km de fibras ópticas, fruto da execução dos investimentos previstos para o exercício. Da totalidade, os demais 7,7 mil km referem-se a trechos detidos pela Telebras e que ainda estão em processo de projeto, implantação e aceitação; b. Estações em Operação: Em 31/12/2014, a Telebras estava presente em 23 dos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal. Ao todo, são 321 Estações, distribuídas pelo Território Nacional e que permitem o atendimento aos clientes da Companhia. Em relação a 2013, são 92 novas Estações;

196 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS c. Municípios Cobertos: Com a rede de telecomunicações ampliada, a Telebras pôde ofertar serviços diretamente a 412 municípios, com o que se atingiu cerca de 44% da população brasileira, equivalente a 25,5 milhões de domicílios; d. Atuação Comercial: O ano de 2014 encerrou com 183 contratos comerciais e termos de aditamentos assinados e mais de 30 Gbps de banda ativada. Isso representou um acréscimo de banda de cerca de 172% (cento e setenta e dois por cento) quando comparado ao ano de 2013 e consequentemente um aumento significativo na receita de serviços prestados, como se verá adiante. Deve-se destacar os contratos firmados com o Exército, com o Ministério das Comunicações e com diversas empresas para atendimento ao evento Copa do Mundo As solicitações de aumento de banda por parte dos clientes reafirmam a qualidade dos serviços prestados pela Telebras e consolidam a relação entre a Companhia e seus clientes. e. Projetos Especiais: 1. Projeto SGDC Assinado em novembro de 2013, o Contrato de Aquisição e Fornecimento, Integração, Lançamento e Operação Assistida do Sistema Satelital Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas com a VISIONA TECNOLOGIA ESPACIAL S.A. continua em pleno e regular curso e o lançamento do artefato está previsto para o último trimestre de 2016; 2. Copa do Mundo - A prestação dos serviços de telecomunicações permitiu a transmissão de áudio e vídeo a partir das doze sedes da Copa do Mundo e foi a demonstração inequívoca da maturidade da rede de telecomunicações da Telebras pelo grau de excelência com o qual os serviços foram prestados, motivo de elogio das partes envolvidas e abertura de oportunidades para novos negócios; f. Projetos Estruturantes: A atual Telebras conta com pouco mais de quatro (04) anos de atividade, e desde a sua reativação muitos foram e são os objetivos e as metas traçados, daí a necessidade de continuar a implantação e desenvolvimento de muitos projetos estruturantes que vão desde a gestão de pessoas à operação da rede, passando pelos necessários controles orçamentários, financeiros e administrativos. II. FINANÇAS a. Estrutura Patrimonial da Companhia Principais Rubricas 1. Recursos para Aumento de Capital No exercício de 2014, foram aportados recursos da ordem de R$ mil pelo Acionista Controlador para futuras incorporações ao capital social da Telebras, tudo em conformidade com as previsões constantes da execução orçamentária do Ministério das Comunicações. Tomando-se o saldo existente em 31/12/2013 (R$ mil), somados o aporte e a atualização pela Taxa SELIC (R$ mil), encontra-se o saldo atual de R$ mil. 2. A Estrutura Patrimonial Principais alterações e índices de evolução podem ser visualizados na tabela a seguir: Em milhões Exercícios Findos em: Rubricas Valor AV AH Valor AV AH Valor % % % % Ativo Circulante 326,9 17,8-43,1 574,3 49,0-10,5 641,3

197 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Ativo Não Circulante 1.506,5 82,2 151,6 598,7 51,0 73,3 345,5 Imobilizado 1.240,1 67,6 191,6 425,2 37,4 103,1 216,2 Ativo Total 1.833,5 100,0 56, ,1 100,0 18,8 986,8 Passivo Circulante 469,7 25,6 62,2 289,5 27,4 60,3 180,6 Passivo Não Circulante 1.361,9 74,3 77,5 767,0 72,6 75,4 543,7 Passivo Exigível 1.831,6 100,0 73, ,5 100,0 41,1 724,3 Patrimônio Líquido 1,9 0,1-98,4 116,6 9,9-54,6 262,5 Passivo Total 1.833,5 100,0 56, ,1 100,0 18,8 986,8 Análise Vertical (AV) = Participação percentual em relação ao agregado superior. Análise Horizontal (AH) = Evolução % em relação ao ano anterior. 3. Ativo Total (Bens e Direitos à Disposição da Companhia) Evolução. Crescimento da ordem de 56,3% em relação a Tal situação decorre basicamente da entrada de novos recursos do Acionista Controlador. ATIVO TOTAL Ativo Circulante e Ativo Não Circulante Ressalte-se que, enquanto os itens do Ativo Não Circulante apresentaram evolução da ordem de 151,6% em relação ao exercício anterior, o Ativo Circulante apresentou decréscimo de 43,1% no mesmo período, refletindo a transferência de recursos desse grupo para o do Imobilizado, que apresentou evolução da ordem de 191,6% no exercício, em outras palavras, a redução dos valores de liquidez imediata ensejou o aumento significativo dos ativos de expansão da rede de telecomunicações da Telebras. ATIVO CIRCULANTE ATIVO NÃO CIRCULANTE ATIVO IMOBILIZADO Imobilizado Essa evolução do Imobilizado, que já representa 67,6% do total do Ativo da Telebras, demonstra, ano a ano, o aumento dos investimentos da Companhia, visando à consecução dos seus objetivos institucionais.

198 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 6. Passivo Circulante e Passivo Não Circulante O Passivo Circulante apresentou aumento de 62,2% no período, em decorrência principalmente da majoração na Conta Fornecedores, que apresentou crescimento de 162,7% em relação a Já o Passivo Não Circulante apresentou um aumento de 77,5% por conta basicamente da obrigação da Companhia para com o Acionista Controlador (AFAC adiantamento para futuro aumento de capital), obrigação essa que será convertida em futuro aumento de capital. PASSIVO CIRCULANTE PASSIVO NÃO CIRCULANTE Ainda dentro do Passivo Não Circulante, a empresa realizou a captação de financiamento junto a FINEP Inovação e Pesquisa, no valor de R$ 240 milhões, para aplicação no projeto SGCD Sistema Geoestacionário de Defesa e Comunicação Estratégica, o que contribuiu para o seu crescimento. Do valor total do financiamento, foi recebida em 2014 a primeira parcela no valor de R$ mil. 7. Passivo Exigível e Ativo Total Quando se toma os dados relativos ao Passivo Exigível e do Ativo Total, observa-se que o grau de endividamento em 31/12/2014 é de 99%, enquanto que era de 90,1% no exercício findo em No entanto, excluindose os valores destinados ao aumento de capital, os dados apontam para um equilíbrio entre os graus de endividamento verificados nos exercícios de 2012 e 2013 e 2014 (56,75%, 54,27% e 55,8% respectivamente). PASSIVO EXIGÍVEL X ATIVO TOTAL Patrimônio Líquido A redução do Patrimônio Líquido em relação ao exercício anterior decorre do prejuízo apurado neste ano, que foi de R$ mil. Descrição Patrimônio Líquido Capital Social Prejuízos Acumulados ( ) ( ) Ajustes de Avaliação Patrimonial (705) Ações em Tesouraria (111) (111) b. Estrutura Econômica da Companhia Principais Rubricas 1. Receitas Operacionais Os números relativos às receitas operacionais devem ser analisados tendo-se em vista dois cenários distintos. Em números absolutos, apresentaram queda em relação ao exercício anterior da ordem de 26,4%. Ocorre que, em 2013, foi computada a receita proveniente dos serviços prestados quando da Copa das Confederações (aproximadamente R$ 30 milhões), enquanto que o faturamento relativo à Copa do Mundo pode ser observado através dos números da controlada Telebras Copa.

199 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS RECEITAS OPERACIONAIS Se, no entanto, observar-se as receitas operacionais perenes, isto é, aquelas decorrentes de contratos com clientes, excetuados os valores provenientes de dois contratos episódicos (Copa das Confederações e Copa do Mundo), tem-se um cenário de evolução consistente nos últimos três anos, a saber: RECEITAS OPERACIONAIS (EXCETO COPA) Custos dos Serviços Prestados e Despesas Operacionais O aumento significativo é consequência dos custos associados à manutenção do Backbone (rede de fibra óptica de longa distância) existente e ampliado em 2014, representado também pelo aumento das despesas relativas ao aluguel de infraestruturas, depreciação, custos com operação e manutenção de rede, que deve ser rentabilizada no decorrer de 2015 e em exercícios seguintes, com vistas à ampliação do faturamento. Dentro do contexto operacional da Companhia, as despesas administrativas estão consentâneas com as necessidades de expansão. c. Execução Orçamentária CUSTOS DOS SERVIÇOS PRESTADOS Dados da Execução Orçamentária Com base no Programa de Dispêndios Globais PDG/2014, aprovado pelo Decreto nº 8.382, de 29 de dezembro de Os valores realizados foram extraídos do SAP. Por dois anos consecutivos, vislumbra-se a capacidade de investir da Telebras, traduzido na aplicação responsável dos recursos que lhe são postos à disposição. Os números indicam o direcionamento dos valores disponíveis em investimentos rumo à consolidação e à rentabilização da sua rede de telecomunicações. III. MERCADO em R$ milhões FONTES E USOS PDG REALIZADO PDG APROVADO REALIZAÇÃO (%) FONTES DE RECURSOS 665,1 799,1 83% Receitas 233,8 175,0 134% Recursos para Aumento de Capital 328,7 348,8 94% Operação de Crédito 102,6 275,3 37% USOS DOS RECURSOS 1.234, ,4 92% Dispêndios Correntes 351,1 355,6 99% Dispêndios de Capital 883,0 992,7 89%

200 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS No ano 2014, segundo os comunicados feitos à CVM, a Telebras deixou de apresentar ao mercado as informações trimestrais em função do processo de implantação do seu sistema integrado de gestão. Superada as dificuldades, os três ITRs de 2014 foram inseridos no site da CVM respectivamente em 19/02/2015, 26/02/2015 e 09/03/2015. a. Ações Telebras ON e PN: As ações ordinárias nominativas ON e preferenciais nominativas PN de emissão da Telebras vêm sendo negociadas regularmente na BM&FBOVESPA, sob os símbolos TELB3 e TELB4. Em 2014, no mercado à vista, foi registrado um total de negócios, envolvendo uma quantidade de 10,9 milhões de ações e volume de recursos de R$ 24,1 milhões. O preço médio de fechamento durante 2014 foi de aproximadamente R$ 3,14 (três reais e quatorze centavos) por ação ON, e de R$ 2,16 (dois reais e dezesseis centavos) por ação PN. As ações da Companhia são custodiadas pelo Banco Bradesco S.A. IV. EXECUÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS a. PNBL 1. Dados da Rede Nacional: Como se disse, os investimentos em 2014 possibilitaram a conclusão de 92 novas Estações. O ano foi concluído com 104 estações ainda em fase de implantação. A rede de telecomunicações da Telebras finaliza 2014 com 321 Estações em operação. Em 31/12/2014, a extensão de toda a sua rede de longa distância (Backbone) em operação totaliza 21 mil km. O mapa a seguir ilustra o Backbone da Telebras até 31/12/2014 (em azul) e o planejado para 2015 (em vermelho):

201 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Legenda: Backbone implantado até 2014: 21 mil Km Backbone planejado para 2015: 28,7 mil Km b. Projetos Especiais 1. Copa do Mundo Entre 12 de junho e 13 julho de 2014, a Telebras viabilizou a transmissão de áudio e vídeo do evento Copa do Mundo 2014, o que concentrou esforços de fornecedores, parceiros e colaboradores na operação da rede de telecomunicações nas cidadessede: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Cuiabá, Natal, São Paulo, Manaus e Curitiba. Nunca é demais lembrar que o evento serviu para ampliação das redes metropolitanas da Companhia nessas cidades, bem como e especialmente aos projetos perenes de ampliação da sua carteira de clientes.

202 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Além de atender às demandas de infraestrutura de telecomunicações nos estádios, a Telebras também foi responsável pelo atendimento de aeroportos e demais pontos de interesse nas localidades do evento. Para tanto, um plano especial de atendimento foi idealizado de modo a corresponder aos níveis de serviços demandados. A operação envolveu todo o Backbone da Telebras e as redes metropolitanas nas doze cidadessede. O evento foi considerado um sucesso, sem nenhuma sequer falha nas transmissões de áudio e vídeo, demonstrando a capacidade operativa da Companhia. b. Projeto SGDC Como já é de conhecimento público, este Projeto tem como objetivos principais: assegurar ao Brasil sua independência internacional no segmento satelital; garantir que o segmento de defesa e as comunicações estratégicas do país estejam sob controle nacional; atender às necessidades de comunicação do Ministério da Defesa, por meio da qual trafegarão informações sensíveis e estratégicas para o país; ampliar atendimento às demandas do PNBL; estimular a transferência e absorção de tecnologias. O Cronograma do Projeto prevê a operação do Satélite já para c. Cabo Submarino Internacional O projeto objetiva assegurar ao Brasil sua independência internacional no acesso à Internet, garantir preços competitivos para acesso internacional à Internet. Para tanto, a Telebras pretende constituir uma empresa com o objetivo de construir e operar o cabo submarino a ser lançado entre o Brasil e a Europa. A previsão de investimentos no projeto é da ordem de US$ 185 milhões. d. Integração com Outras Redes O objetivo principal da integração com outras redes é proporcionar a conexão e/ou compartilhamento de redes e de infraestruturas, visando a ampliar a capilaridade da rede de telecomunicações da Companhia. Em 2014, essa integração continuou a ser formalizada por meio de acordos de cooperação e termos de ajuste. Neste contexto, no ano de 2014, a Telebras celebrou novos acordos de parceria com a INFRAERO, PROCEMPA, PRODEPA, PRODAM, TIM e Rede TV Amazonas. Também foram realizados contratos de Exploração Industrial de Linha Dedicada com operadoras de telecomunicações em atendimento aos objetivos societários da Companhia. V. ATIVIDADES COMERCIAIS Em 2014, a Diretoria Comercial iniciou suas atividades descentralizadas, com a inauguração dos escritórios regionais de Brasília, Belém, Rio de Janeiro e São Paulo. Para o ano de 2015, estão previstas as inaugurações dos escritórios regionais de Fortaleza, esse já em fase final de implantação, Porto Alegre e Salvador. A implantação dos Escritórios Regionais permitiu também a convocação dos novos concursados aprovados no concurso realizado pela Companhia.

203 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS a. Marketing No ano de 2014, a Telebras teve como objetivo a participação em eventos com foco comercial, no intuito não apenas de promover a marca, mas também de gerar oportunidades de negócios e de relacionamento por meio do contato com o públicoalvo dos eventos (provedores, governo, mercado privado e fornecedores), aumentando o seu potencial estratégico, trazendo mais contatos e relacionamentos por meio de uma participação mais ativa e em linha com as principais empresas de telecomunicações. Os eventos comerciais que a Telebras participou em 2014 foram: 1. LAAD Security 8 a 10 de abril de 2014 Rio Centro Rio de Janeiro RJ; 2. 6º ISP Abrint 14 a 16 de maio de 2014 Maksoud Plaza São Paulo SP; 3. SECOP 28 a 30 de maio de 2014 Hotel Bourbon Cataratas Foz do Iguaçu PR; 4. Futurecom a 16 de outubro de 2014 Transamérica Expocenter São Paulo SP. Os eventos comerciais que a Telebras participou em 2014 reuniram as principais forças de mercado, proporcionaram um ambiente adequado e estimulante para o desenvolvimento de negócios, de relacionamentos, de conhecimentos e a participação em debates, nos quais se discute políticas de inclusão digital, a exemplo do contido no Programa Nacional de Banda Larga e no Decreto 8135/2013. Os principais resultados obtidos: 1. Geração de receita por meio de vendas diretas nos eventos e prospecções de vendas; 2. Criação de um banco de dados qualificado; 3. Geração de vendas/receita por meio do contato com clientes interessados; 4. Contato com fornecedores e empresas que possam gerar negócios e parcerias; 5. Visibilidade para a marca Telebras e a geração de mídia espontânea. Com o planejamento desenvolvido para o ano de 2014, a Telebras conquistou mais eficiência na participação nos eventos, destacando-se para a quantidade de visitantes atendidos nos estandes, estratégias de marketing, como a distribuição de brindes/coquetel e rotatividade das equipes nos eventos, proporcionando um ambiente adequado para atendimento aos clientes e melhores oportunidades de negócios. b. Planejamento Durante o ano de 2014, foram desenvolvidas ações de planejamento de vendas, com criação de metas de receita por segmento (Governo/Parceiros/Interconexão e Escritórios Regionais - com foco no atendimento a prestadores do Serviço de Comunicação Multimídia regionais). Essas metas foram controladas mensalmente e consolidadas trimestralmente de acordo com o planejamento previamente estabelecido.

204 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Outras ações estruturantes continuaram a ser desenvolvidas e aprimoradas, tais como a forma de auxiliar a Gerência de Planejamento quanto ao posicionamento das Estações de Atendimento (EA) e o traçado das redes metropolitanas dentro dos municípios abordados; o Projeto Cidades Digitais, 2012/2013 e 2014/2015, do Ministério das Comunicações, contou com a auxílio da Telebras para encontrar a melhor forma de atendimento para as cidades, a partir de ajustes na metodologia do Indicador Telebras de Ativação (ITA), em consonância com o Decreto nº 8.135/2013. O ITA também subsidiou o planejamento de rede para futuro atendimento às regiões metropolitanas, além de propiciar o aprofundamento dos estudos de mercado para o plano de negócios do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações SGDC. c. Vendas O ano de 2014 encerrou com 183 contratos comerciais e termos de aditamento assinados e mais de 30 Gbps de banda ativada. Isso representou um acréscimo de banda de cerca de 172% (cento e setenta e dois por cento) quando comparado ao ano de 2013 e consequentemente um aumento significativo na receita de serviços prestados. Deve-se destacar os contratos firmados com o Exército, com o Ministério das Comunicações e com diversas empresas para atendimento ao evento Copa do Mundo Como se disse, as solicitações de aumento de banda por parte da clientela demonstram a qualidade dos serviços prestados pela Telebras, aumentam a média de receita por contrato firmado e consolidam a relação entre a Companhia e seus clientes; d. Parcerias A Gerência de Relacionamento com Operadoras e Parceiros realiza a gestão dos instrumentos contratuais, tais como Termos de Cooperação Técnica, Contratos de Permuta, Acordos de Parceria Comercial e Contratos de Cessão de Infraestrutura, firmados com as operadoras de telecomunicações e parceiros privados e de governo, totalizando mais de 45 parcerias, que visam à solidificação do Backbone da Telebras, bem como o aumento da capilaridade da rede de telecomunicações da Companhia. De destacar-se por justo reconhecimento, a importância fundamental das parcerias para a realização da Copa do Mundo 2014, o que permitiu que a Telebras mantivesse a redundância e confiabilidade dos enlaces que serviram para o tráfego de áudio e vídeo dos jogos realizados nesse evento. VI. PROJETOS ESTRUTURANTES Muitos são os projetos estruturantes em curso. Alguns deles: a. Gestão de Pessoas: Política de Gestão de Pessoas: (i) Plano de Carreira e Remuneração (PCR), aprovado em sua totalidade, com homologação pelo Ministério do Trabalho e Emprego; (ii) implantação do sistema de progressão funcional, através de criterioso processo de avaliação de desempenho por competências e resultados; (iii) dimensionamento da força de trabalho da Telebras em cada uma das suas gerências, com o estabelecimento das dotações necessárias a cada competência regimental; (iv) elaboração do programa de capacitação e desenvolvimento; e (v) continuidade da convocação gradativa dos aprovados para admissão a partir do Concurso Público realizado em 2013;

205 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS b. Gerência Jurídica: Consolidação da subequipe de gestão de riscos processuais, que tem como objetivo proporcionar segurança e rastreabilidade das informações relativas à contingência e provisão jurídica, bem como o controle mensal sistêmico dos processos judiciais e administrativos. c. Geral: 1. Escritórios Regionais: Consolidação dos Escritórios Regionais de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belém, com foco na atuação comercial, sem prejuízo da centralização em Brasília das principais atividades empresariais; 2. Sistema de Gestão Integrada SGI - SAP: Em novembro de 2013, deu-se o início da implantação de um sistema de gestão integrada (SAP), ferramenta que objetiva consolidar e aglutinar todas as informações operacionais e gerenciais necessárias para o aprimoramento da gestão da Telebras, instrumento que permeia os processos das Gerências de Gestão de Pessoas, Fiscal e de Controle (Contabilidade), Financeira e Orçamentária, Compras e Contratos, as Gerências da Diretoria Comercial e da Diretoria Técnico-Operacional. Apesar dos expressivos objetivos alcançados em 2014, mercê da atuação denodada de seus Colaboradores, a conclusão do processo de implantação do SAP ainda continuará exigindo o constante comprometimento de todos, o que não impede nem desautoriza a indiscutível constatação de que os controles internos da Companhia estão em outro patamar de segurança e confiabilidade, como comprovam as demonstrações financeiras anexas. d. Gerência de Operação e Manutenção 1. Centro Integrado de Gerência de Rede CIGR/NOC (Network Operation Center): No âmbito da Operação e Manutenção da rede de telecomunicações da Telebras, foi consolidada a implantação do Centro Integrado de Gerência de Rede CIGR/NOC, localizado em Brasília, responsável pelas atividades de monitoramento, desempenho e análise de tráfego, tratamento e escalonamento de incidentes, aceitação de estações, gestão de mudanças, ativação e configuração de clientes, com os respectivos níveis de serviço. O CICR/NOC foi fundamental para a gestão operacional da rede nacional de longa distância e as redes metropolitanas que atenderam o evento da Copa do Mundo de 2014, coordenando todas as atividades dos mais de duzentos profissionais próprios e terceirizados alocados regionalmente durante a operação do evento;

206 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 2. Representado no gráfico abaixo, o crescimento dos equipamentos gerenciados na rede da Telebras foi expressivo, o que demonstra a complexidade operacional da planta da rede nacional de longa distância (Backbone) e das redes metropolitanas. e. Gerência de TI: O ano de 2014 foi marcado pela busca do aumento de maturidade dos processos de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), com implementação de processos de governança e gestão, visando à definição de ações preditivas, não reativas, e ao atendimento da continuidade e aperfeiçoamento dos negócios da Companhia. Para tanto, a Gerência de TI, em consonância com outras gerências da Telebras, participou da definição de arquitetura de TI, processos ITIL de gestão (como o de Mudanças), Gestão de Riscos e Gestão de Contratos. Entre as iniciativas executadas, destacam-se a aquisição de: 1. solução de armazenamento, que visa a atender, nos próximos cinco anos, a necessidade de armazenamento dos arquivos da Companhia, além de possibilitar melhorias no registro e guarda de informações estratégicas; 2. solução de videoconferência para interligação dos escritórios regionais (Belém, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Brasília) e a Matriz, sobretudo para a diminuição de custos e melhora na comunicação empresarial; 3. Switches, para compor redundância de rede do datacenter e aumentar a confiabilidade ao seu acesso; 4. Contrato de Fábrica de Software, a partir de levantamento das demandas de negócio existentes, que visa a atender objetivos estratégicos, definidos a partir de critérios de prioridade, criticidade e complexidade; 5. Sistema de Controle de Ordens de Serviço (SICOS): Responsável por gerar e controlar todas as ordens de serviço emitidas pelas áreas técnicas da Companhia;

207 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 6. Software jurídico integrado para gerenciamento de processos judiciais e consultivos, para agilizar o controle de processos, com interoperabilidade a todos os tribunais de todas as instâncias do país, permitindo ainda a inserção, extração, troca, armazenamento de informações, peças processuais, catalogação e sigilo das informações. 7. Além disso, outros sistemas estiveram em foco para constante aperfeiçoamento. De destacar-se o Sistema de Indicadores (Anatel), responsável por centralizar os indicadores mensais que a empresa deve encaminhar à Anatel; Sistema de Service Desk (SDM), responsável por controlar os tickets de incidentes e solicitações de microinformática da TI; Sistema de Monitoramento e Controle de Obras (SIMEC), que propiciou evoluções de mecanismos de controle de cronogramas e acompanhamento das obras. f. Segurança da Informação e Comunicações: Com a elaboração da POSIC (Política de Segurança da Informação e Comunicação) e normas internas correlatas, intensificaram-se os processos de conscientização e capacitação dos colaboradores, a fim de garantir que a segurança da informação mantenha-se no mesmo e alto grau de atenção, numa dinâmica de constante aperfeiçoamento. A estrutura com ETIR (Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes de Segurança em Redes Computacionais), no nível operacional, o Escritório de Segurança (em fase de estruturação), no nível tático e a CGSI (Comité Gestor da Segurança da Informação) no nível estratégico, são as Unidades Organizacionais Internas que tratam do tema da segurança da informação e comunicações de forma abrangente. g. Gerência Telebras Inovação: Na busca de melhor desempenhar suas novas competências relativas à arquitetura da rede de telecomunicações da Telebras, dentro do arcabouço conceitual de arquiteturas corporativas, pesquisou-se a metodologia mais adequada para o setor de telecomunicações, sendo adotada The Open Group Architecture Framework (TOGAF) para nortear as diretrizes e práticas sobre os domínios da Arquitetura Empresarial da Companhia, com minutas já elaboradas no exercício de A Gerência Telebras Inovação também atua junto às Gerências das Diretorias Comercial e Técnico-Operacional na prospecção de novas tecnologias e equipamentos de rede, na definição da arquitetura das redes metropolitanas e na elaboração de documentos normativos internos do segmento técnico de engenharia. VII. GERÊNCIA JURÍDICA Durante o exercício de 2014, a Gerência Jurídica da Telebras deu continuidade ao processo de qualificação de sua equipe, empreendendo ações em dois grandes campos: (i) consultivo; e (ii) contencioso. a. Consultivo A atividade consultiva, de forma ágil e eficiente, atuou em todos os processos licitatórios da Companhia, emitindo pareceres, orientações e despachos, relativos aos procedimentos de compras, parcerias, acordos de cooperação técnica, entre outros assuntos de interesse.

208 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS O resultado do trabalho desenvolvido pela Gerência Jurídica em seu âmbito consultivo encontra-se espelhado no gráfico abaixo: Total de novos casos aceitos no exercício de 2014 (providência: parecer, chancela, despacho, etc): Σ 742 Total de pareceres emitidos no exercício de 2014: Σ 295 b. Contencioso A atuação contenciosa subdividiu-se em outros dois campos: (i) reativamente, na defesa incondicional dos interesses da Telebras em quaisquer tribunais; e (ii) pró-ativamente na contínua reanálise de todos os (hum mil, novecentos e quatro) processos judiciais e administrativos, promovendo o encerramento de 198 (cento e noventa e oito) ações em que a Telebras figurava no polo passivo, a revisão dos valores de contingência, dos prognósticos de perda, a readequação ou ratificação da condução processual de cada feito e, por vezes, a redefinição de estratégias. Com intuito de aprimorar a gestão relativa às contingências e provisões jurídicas, bem como elaborar e acompanhar as perícias judiciais realizadas em processos que a Telebras figura no polo ativo e passivo, a Gerência Jurídica constituiu no exercício de 2014 nova subárea Gestão de Riscos Processuais, que tem como objetivo: (i) analisar, juntamente com os advogados responsáveis pelo caso, o tipo de tratamento contábil que deverá ser atribuído a cada processo judicial e/ou administrativo; (ii) acompanhar, avaliar, atuar e emitir pareceres técnicos sobre laudos periciais relativos aos processos que envolvem a Companhia; e (iii) tratar e gerir as informações referentes às contingências e provisões judiciais.

209 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Ademais, procedeu-se à revisão das teses e petições, despachos com magistrados, desembargadores, peritos do juízo e contadoria judicial, priorizando-se a atuação intensiva nas Comarcas com maior número de demandas (contencioso de massa), nos processos estratégicos da Companhia e com representação significativa no seu passivo, bem como nas ações trabalhistas, sempre visando à consolidação dos argumentos e teses da Telebras, atitude que refletiu na contenção do ingresso de novas demandas e/ou no encerramento de processos com decisão favorável à Telebras. Em casos excepcionais, diante de impossibilidade de reversão da condenação desfavorável à Telebras (sentença transitada em julgado), estrategicamente, com escopo de minimizar os impactos financeiros, optou-se por celebrar acordo, com as autorizações legais e de governança, impedindo bloqueios judiciais nas contas da Companhia. Noutro âmbito, cabe explicitar que as ações judiciais nas quais a Telebras é parte são registradas em ferramentas de controle e gestão processual interna e classificadas, segundo o critério de risco de perda, nas seguintes categorias: perda provável (provisionamento preventivo), perda possível (sem o provisionamento preventivo, mas com divulgação em nota explicativa) e perda remota (sem o provisionamento preventivo e sem divulgação). O referido passivo judicial é constantemente reavaliado por meio do acompanhamento e revisão sistemática dos processos, bem como pela adoção tempestiva das providências exigidas no âmbito processual e administrativo, de forma qualificada, pelos profissionais das áreas envolvidas. A Telebras responde por ações judiciais de natureza cível, trabalhista e tributária perante diversos tribunais. Em 31/12/2014, figurava como ré em ações, sendo cíveis, 84 trabalhistas e 10 ações tributárias. Além disso, a Telebras é autora em 46 ações, perfazendo um total de processos judiciais. O contencioso judicial encontra-se demonstrado no quadro a seguir: AÇÕES JUDICIAIS - TELEBRAS RÉ (POR GRAU DE RISCO) R$ milhões AÇÕES Quant. Valor Part. % Quant. Valor Part. % Provável 92 82,1 46,7% ,7 54,8% Cíveis Possível ,7 12,9% ,8 9,9% Remota ,3 19,0% ,5 16,1% Subtotal: ,1 78,6% ,0 80,8% Provável 25 6,4 3,6% 37 8,2 4,3% Trabalhistas Possível 26 1,9 1,1% 5 0,4 0,2% Remota 33 5,5 3,1% 41 5,8 3,1% Subtotal: 84 13,8 7,8% 83 14,4 7,6% Tributárias Provável 5 2,1 1,2% 5 1,2 0,6%

210 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Possível 5 21,7 12,4% 5 20,8 11,0% Remota 0 0,0 0,0% 0 0,0 0,0% Subtotal: 10 23,8 13,6% 10 22,0 11,6% Total por Grau de Risco: ,7 100% ,4 100% AÇÕES JUDICIAIS - TELEBRAS RÉ (POR CATEGORIA DE PERDA) R$ milhões AÇÕES Quant. Valor Part. % Quant. Valor Part. % Provável ,6 51,6% ,1 59,7% Total Possível ,3 26,4% ,0 21,1% Remota ,8 22,0% ,3 19,2% Total por Categoria de Perda: ,7 100% ,4 100% Ainda em relação ao Contencioso, um dado interessante: Em 31/12/2011, o passivo classificado como provável era da ordem de R$ 322 milhões (passivo total R$ 344 milhões). Em 31/12/2014, o passivo total registrado é de R$ 175,7 milhões, enquanto que o caracterizado como provável atinge a importância de R$ 90,6 milhões, fruto do trabalho da Gerência Jurídica ao longo desses anos. VIII. GESTÃO DE PESSOAS a. Quadro de pessoal e remuneração A Telebras encerrou 2014 com um quadro de pessoal integrado por 356 (trezentos e cinquenta e seis) empregados, sendo 279 (duzentos e setenta e nove) prestando serviços nas unidades administrativas da Companhia, 55 (cinquenta e cinco) cedidos à ANATEL e 22 (vinte e dois) cedidos a diversos órgãos governamentais. O quadro abaixo apresenta a evolução da força de trabalho da Telebras, por situação e movimentação, contratações, admissões e desligamentos. Como se pode observar, o quadro de pessoal sofreu um acréscimo de 6,58% comparativamente ao exercício anterior, sendo 62 EGT (nível superior), 3 TGT (nível médio) e 4 ocupantes de Cargos Comissionados (livre provimento). Seguindo o planejamento feito, pouco a pouco, na medida das necessidades dos projetos internos, os empregados demissíveis ad nutum vão dando lugar aos aprovados no concurso público. Em fevereiro de 2014, o DEST aprovou a regra de migração do antigo plano de carreira (PCCS) para o novo plano (PCR). Nos meses de abril e maio de 2014, houve a migração espontânea de 155 empregados.

211 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Da composição do quantitativo total do quadro de pessoal da Telebras, em 31 de dezembro de 2014, 258 (duzentos e cinquenta e oito) empregados estavam vinculados ao Plano de Carreira e Remuneração PCR, 16 (dezesseis) empregados continuaram vinculados ao Plano de Classificação de Cargos e Salários (PCCS), plano em extinção, e 82 livre provimento (demissíveis ad nutum). Note-se: Situação Empregados em 31/12/2013 Contratações Desligamentos Empregados em 31/12/2014 Quadro Efetivo Ad Nutum TOTAL A remuneração paga a dirigentes e empregados observou os critérios estabelecidos na legislação vigente, Acordo Coletivo de Trabalho ACT, diretrizes da Telebras e manifestação do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST, em cumprimento ao disposto na alínea h, do inciso IV, do art. 8º, do Anexo I do Decreto no , de 21 de janeiro de No exercício de 2014, a maior e a menor remuneração paga a empregados do quadro de pessoal da Companhia, relativas ao mês de dezembro, foram de R$ ,84 e R$ 1.888,00, respectivamente, e a remuneração média foi de R$ ,92. Para os dirigentes, a maior remuneração paga, relativa ao mês de dezembro de 2014, foi de R$ ,69. b. Programa de Indenização por Serviços Prestados (PISP) Os valores relativos às respectivas rescisões estão contemplados nas Demonstrações Financeiras. c. Acordo Coletivo de Trabalho O Acordo Coletivo de Trabalho ACT 2013/ assinado entre a Telebras e o SINTTEL-DF - Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Distrito Federal - em 9 de outubro de 2014, apresentou cláusula de reajuste da tabela salarial na ordem de 5,8375% e vigência a partir de 1º de novembro de 2013 (data-base da categoria). O ACT relativo ao período de 1º/11/2014 a 31/10/2015, já com aprovação da Assembleia Geral dos trabalhadores realizada em 18 de dezembro de 2014, em 31/12/2014, pendia de autorização do DEST para sua assinatura. d. Medicina e Segurança do Trabalho Realizada em a eleição dos membros para instalação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Gestão 2014/2015, de acordo com a Norma Regulamentadora (NR-5) do Ministério do Trabalho e Emprego. Em foram empossados os novos representantes da CIPA (eleitos pelos empregados e representantes do empregador).

212 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Visando a atender ao estabelecido nos artigos 157 e 158 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, bem como consolidar as iniciativas de proteção aos seus empregados, em a Telebras celebrou o Segundo Termo de Aditamento ao Contrato Administrativo nº 2500/06/2012-TB (Hospital Dia Samdel), para prestar serviços de Medicina e Segurança do Trabalho. Entre as ações desenvolvidas ao longo do ano, destacam-se: 1. Continuidade do Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PCMSO Em 2014, foram realizados 63 (sessenta e três) exames admissionais, 45 (quarenta e cinco) demissionais, 11 (onze) de retorno ao trabalho e 155 (cento e cinquenta e cinco) homologações; 2. Realização de exames periódicos com emissão de Atestado de Saúde Ocupacional (empregados considerados aptos), compreendendo a avaliação clínica, exame físico, exame mental e exames complementares. Em 2014, foram realizados 161 (cento e sessenta e um) exames periódicos; 3. Ações de Promoção à Saúde Em 2014, foram realizadas 03 (três) palestras; a SIPAT (Semana Interna de Prevenção a Acidentes); Vacinação antigripal (113 doses). 4. Em 5 de fevereiro de 2014, foi firmado o Contrato nº 09/ TB entre a Telebras e a Qualité De Vie Cultura e Empreendimentos Ltda. para prestação de serviços de execução do Programa de Ginástica Laboral aos colaboradores. e. Fundação Sistel de Seguridade Social A Telebras é patrocinadora dos seguintes planos de Previdência Privada: PBS-A, PBS Telebras e Telebras-PREV e também do Fundo de Assistência Financeira à Saúde - PAMA. Nota explicativa específica às Demonstrações Financeiras traz os dados atuariais pertinentes, o respectivo parecer atuarial e a posição da Administração da Companhia a respeito. IX. LICITAÇÕES E CONTRATOS Em 2014, realizaram-se 116 contratos de aquisição de bens, produtos e serviços, distribuídos conforme tabela abaixo: MODALIDADE QUANTITATIVO % EM RELAÇÃO AO % EM RELAÇÃO VALOR - R$ DE COMPRAS QUANTITATIVO AO VALOR Dispensa de Licitação 61 R$ , Adesão à Ata de Registro de preços 2 R$ , Inexigibilidade 10 R$ , Pregão Eletrônico para Registro de Preços 15 R$ , Pregão Eletrônico 28 R$ , Tomada de Preço 0 R$ Concorrência 0 R$ TOTAL 116 R$ ,96 100,0 100,0

213 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Os casos de inexigibilidade e ou dispensa de licitação, explicam-se, entre outras razões, pelas contratações relativas à participação da Telebras em eventos que promoveram sua marca (ver item V); contratação de empresas para capacitação dos colaboradores; necessidade de locações de terrenos e fornecimento de energia elétrica e extensões de rede elétrica, nos quais a Telebras abriga suas Estações de Atendimento e Pontos de Presença, além de contratações referentes à atividade-fim da Companhia. X. AUDITORIA EXTERNA - INSTRUÇÃO CVM Nº 381/03, DE 14/01/2003 Oportunamente, ressalta-se que, em consonância com o Parecer Jurídico da Controladoria-Geral da União nº 55/2012/ASJUR/CGU-PR, datado de 04 de abril de 2012, corroborado pelo Parecer Jurídico interno nº 017/2012/1200/GJRL, tendo em vista que a análise das demonstrações contábeis por auditoria independente não é considerado serviço continuado, a teor do que conceitua a Instrução Normativa/MPOG nº 02, de 30 de abril de 2008, anualmente faz-se necessária a contratação de nova empresa especializada. Deste modo, em atenção aos termos da Instrução CVM 381/03, a Telebras esclarece que, para o exercício de 2014, contratou a empresa MACIEL AUDITORES S/S EPP, a qual prestou serviços de auditoria independente das demonstrações contábeis, ora apresentada ao mercado. XI. DECLARAÇÃO DOS DIRETORES Em cumprimento às disposições constantes no artigo 25 da Instrução CVM 480, os Diretores da Companhia declaram que discutiram, revisaram e concordaram com as opiniões expressas no relatório de auditoria da MACIEL AUDITORES S/S EPP, emitido em 18 de março de 2015, com as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31/12/2014.

214 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS XII. RELACIONAMENTO COM OS AUDITORES INDEPENDENTES Na contratação desses serviços, as políticas adotadas pela Companhia fundamentamse nos princípios que preservam a independência do auditor. Esses princípios consistem, de acordo com os padrões internacionalmente aceitos, em: (a) o auditor não deve auditar o seu próprio trabalho; (b) o auditor não deve exercer função de gerência no seu cliente; e (c) o auditor não deve representar legalmente os interesses de seus clientes. A MACIEL AUDITORES S/S EPP declarou que a prestação dos serviços foi feita em estrita observância das normas contábeis que tratam da independência dos auditores independentes em trabalhos de auditoria e não representaram situação que poderiam afetar a independência e a objetividade ao desempenho de seus serviços de auditoria externa. XIII. CONCLUSÃO 2014 foi o ano da Copa do Mundo no Brasil e foi o ano da Telebras na Copa do Mundo. Como se disse, a primeira em que todos os seus jogos foram transmitidos a partir de uma rede de telecomunicações formada integralmente por fibras ópticas. A exemplo do que já tinha acontecido quando da Copa das Confederações em 2013, nenhuma falha verificada nas transmissões. Somente por esse motivo já se poderia dar por vencidos os desafios de 2014, mas ainda se verificou a ampliação do atendimento aos clientes corporativos e ao mercado governo e a receita de serviços foi mais que o dobro daquela apurada em 2013, quando se analisa os contratos perenes da Companhia. Não obstante, o comprometimento com seus objetivos institucionais e a obediência ao planejamento traçado determinam a continuidade dos projetos especiais e de algumas ações estratégicas, tais como a complementação de trechos de fibras ópticas de longa distância e o trabalho de capilarização da rede, empreendimentos que naturalmente serão traduzidos em ampliação do atendimento aos clientes de todos os segmentos de atuação da Companhia, e, por consequência, em maior rentabilização dos ativos. As dificuldades conjunturais da economia que já se fazem sentir nesse primeiro trimestre de 2015 apontam para um ano em que os esforços terão de ser redobrados para que as metas delineadas possam também ser comemoradas ao final do exercício. Mas, a julgar pela capacidade sobejamente demonstrada, a Equipe Telebras tem totais condições de ganhar mais esta copa. A ADMINISTRAÇÃO

215 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XIII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

216 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta BALANÇOS PATRIMONIAIS Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Em milhares de reais) Controladora Consolidado Controladora Consolidado Notas Notas ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa Pessoal, Encargos e Benefícios Sociais Contas a Receber de Clientes Provisão Programa Indenização por Serviços Prestados Tributos Federais a Recuperar Fornecedores ICMS a Recuperar Provisão para Contingências Depósitos Judiciais Credores por Perdas Judiciais Dividendos a Receber Grupamento de Ações Outros Ativos Realizáveis Credores Empresas de Telecomunicações Processo de Cisão Outras Obrigações NÃO CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Aplicações Financeiras Empréstimos Tributos Federais a Recuperar Provisão para Contingências ICMS a Recuperar Credores por Perdas Judiciais Depósitos Judiciais Recursos para Aumento de Capital - AFAC Outros Ativos Realizáveis Receita Recebida Antecipadamente Outras Obrigações Investimentos Imobilizado Intangível PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Prejuízos Acumulados ( ) ( ) ( ) ( ) Ajustes de Avaliação Patrimonial (705) (705) Ações em Tesouraria 19.4 (111) (111) (111) (111) - - TOTAL TOTAL As notas explicativas são parte integrante destas demonstrações contábeis. BP-TELEBRAS

217 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Em milhares de reais) Notas 4º Trim./2014 4º Trim./2013 4º Trim./2014 4º Trim./ Controladora RECEITA OPERACIONAL BRUTA a Deduções da Receita Bruta (8.932) (13.116) (8.932) (13.116) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Custos dos Serviços Prestados b ( ) (47.044) ( ) (47.044) LUCRO BRUTO ( ) (17.924) (26.379) (16.193) RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS (60.291) (25.023) (62.022) Comercialização dos Serviços (9.934) (7.912) (9.934) (7.912) Despesas Gerais e Administrativas c (63.904) (46.182) (63.904) (46.182) Outras Receitas (Despesas) Operacionais, Líquidas d (5.379) (5.388) Resultado de Equivalência Patrimonial (818) (2.540) LUCRO/(PREJUÍZO) OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO (48.801) (78.215) (51.402) (78.215) FINANCEIRO Receitas (Despesas) Financeiras, Líquidas e (68.557) (67.531) (65.956) (67.531) LUCRO (PREJUÍZO) OPERACIONAL ( ) ( ) ( ) ( ) LUCRO (PREJUÍZO) ANTES DOS TRIBUTOS SOBRE O LUCRO ( ) ( ) ( ) ( ) Imposto de Renda e Contribuição Social Sobre o Lucro LUCRO (PREJUÍZO) LÍQUIDO DO PERÍODO ( ) ( ) ( ) ( ) Ações em Circulação na data do balanço Lucro (Prejuízo) Líquido Básico por ação (em R$) (0,99086) (1,23052) Lucro (Prejuízo) Líquido Diluído por ação (em R$) (0,99086) (1,23054) Consolidado As notas explicativas são parte integrante destas demonstrações contábeis.

218 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ABRANGENTE Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Em milhares de reais) Controladora Consolidado Resultado líquido apurado na Demonstração do Resultado ( ) ( ) ( ) ( ) Itens a serem posteriormente reclassificados para resultado (214) (214) Ganho Outros (perda) Resultados não realizado Abrangentes em ativos disponíveis para venda (210) (210) TOTAL DO RESULTADO ABRANGENTE DO EXERCÍCIO ( ) ( ) ( ) ( )

219 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta DEMONSTRAÇÕES DE VALORES ADICIONADOS Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 (Em milhares de reais) RECEITAS ,7 % ,3 % ,7 % ,4 % Venda de Serviços ,5 % ,7 % ,5 % ,8 % Outras Receitas ,2 % ,6 % ,2 % ,6 % INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS ( ) (195,8) % (25.101) (59,7) % ( ) (195,8) % (25.101) (59,7) % Materiais, Energia, Serv. de Terceiros e Outros ( ) (195,8) % (25.101) (59,7) % ( ) (195,8) % (25.101) (59,7) % VALOR ADICIONADO BRUTO (78.083) (137,1) % ,6 % (137,1) % % RETENÇÕES (41.815) (73,4) % ,0 % (41.815) (73,4) % ,0 % Depreciação e Amortização (64.520) (113,3) % (3.310) (7,9) % (64.520) (113,3) % (3.310) (7,9) % Provisões para Contingências ,9 % ,9 % ,9 % ,9 % VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO ( ) (210,5) % ,6 % (210,5) % ,7 % VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA ,5 % ,4 % ,5 % ,3 % Resultado da Equivalência Patrimonial ,4 % (818) (1,9) % ,4 % (2.540) (6,0) % Receitas Financeiras ,0 % ,1 % ,0 % ,1 % Aluguéis 37 0, , ,1 % 330 0,8 % Dividendos 68 0,1 % 169 0,4 % 68 0,1 % 169 0,4 % VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR ,0 % ,0 % ,0 % ,0 % DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO Controladora Consolidado 4º Trim./2014 4º Trim./2013 4º Trim./2014 4º Trim./2013 Remuneração pelo Trabalho ,9 % ,9 % ,9 % ,9 % Remuneração Direta ,1 % ,4 % ,1 % ,4 % Encargos, Benefícios e Outros ,8 % ,1 % ,8 % ,1 % Programa Indenização - Serviços Prestados - PISP ,4 % ,4 % Governo - Tributos ,0 % ,8 % ,0 % ,8 % Federais ,7 % ,4 % ,7 % ,4 % Estaduais ,0 % ,2 % ,0 % ,2 % Municipais 169 0,3 % 79 0,2 % 169 0,3 % 79 0,2 % Rentistas ,1 % ,9 % ,1 % ,9 % Aluguéis, Arredamentos e Seguros ,1 % ,9 % ,1 % ,9 % Despesas Financeiras ,3 % ,0 % ,3 % ,0 % Outras 424 0,7 % - - % 424 0,7 % - - % Acionistas ( ) (206,1) % ( ) (346,6) % ( ) (206,1) % ( ) (346,6) % Lucros Retidos/Prejuízo do Período ( ) (206,1) % ( ) (346,6) % ( ) (206,1) % ( ) (346,6) % VALOR ADICIONADO DISTRIBUÍDO ,0 % ,0 % ,0 % ,0 %

220 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 (Em milhares de reais) Capital Social Realizado Prejuízos Acumulados Ações em Tesouraria Outros Resultados Abrangentes Total SALDO EM 31/12/ ( ) (111) (491) Redução de Capital ( ) Prejuízo Líquido do Período - ( ) - - ( ) Outros resultados abrangentes reconhecidos no período (214) (214) Perdas não realizadas em ativos disponíveis para venda (210) (210) Participação no resultado abrangente das coligadas (4) (4) SALDO EM 31/12/ ( ) (111) (705) Prejuízo Líquido do Período - ( ) - - ( ) Outros resultados abrangentes reconhecidos no período Ganhos não realizadas em ativos disponíveis para venda SALDO EM 31/12/ ( ) (111)

221 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. - TELEBRAS CNPJ nº / Companhia Aberta DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 (Em milhares de reais) Controladora Consolidado ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro (Prejuízo) Antes do Imposto de Renda e Contribuição Social ( ) ( ) ( ) ( ) Itens de Resultado que não Afetam o Caixa (14.532) Depreciação e Amortização Provisões para Contingências Provisões PISP Equivalência Patrimonial ( ) 818 (25.416) Encargos Financeiros sobre Adiantamento para Aumento de Capital Rendimentos s/ Aplicações Financeiras (1.991) (80) (1.991) (80) Receita com Dividendos (68) (169) (68) (169) Apropriação de Juros s/ Empréstimos Outras Receitas / Despesas Mutações Patrimoniais (54.143) (55.952) Contas a Receber de Clientes (29.443) (31.174) Pessoal, Encargos e Benefícios Sociais Obrigações com Fornecedores (1.098) (1.098) Tributos Provisões para Contingências (6.654) ( ) (6.997) ( ) Depósitos Judiciais (32.036) (27.303) (32.036) (27.303) Outras Contas Ativas e Passivas Caixa Provenientes das Operações ( ) ( ) CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS ( ) ( ) ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Aplicações Financeiras - (20.000) - (20.000) Investimentos em Participações Societárias (3.530) (3.430) Imobilizado ( ) ( ) ( ) ( ) Dividendos Recebidos Dividendos Pagos - - (1.701) - FLUXO DE CAIXA APLICADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS ( ) ( ) ( ) ( ) ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Empréstimos e Financiamentos Recebimento Adiantamento p/ Futuro Aumento de Capital FLUXO DE CAIXA PROVENIENTE DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS FLUXO DE CAIXA DO PERÍODO ( ) ( ) ( ) ( ) CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Saldo Final Saldo Inicial AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA ( ) ( ) ( ) ( )

222 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XIV (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

223 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 1. CONTEXTO OPERACIONAL 1.1. A Companhia e suas operações A Telecomunicações Brasileiras S.A. Telebras, sediada no Setor Comercial Sul SCS Quadra 9 Bloco B Salas 301 a 305 Brasília (DF) CEP: (Edifício Parque Cidade Corporate Torre B), endereço eletrônico: CNPJ / , é uma sociedade empresária de economia mista e de capital aberto, vinculada ao Ministério das Comunicações, constituída em 9/11/1972, de acordo com a Lei 5.792, de 1/07/1972, devidamente autorizada pela ANATEL para a prestação do Serviço de Comunicação Multimídia (Termo PVST/SPV Nº 118/2011, publicado no DOU em 07/04/2011), portanto rege-se pela Lei 6.404/76, por disposições especiais de leis federais e da Comissão de Valores Mobiliários - CVM, pela legislação de telecomunicações, pelas leis e usos do comércio e demais disposições legais aplicáveis ( Telebras ou Companhia ). Em 31 de dezembro de 2014, a União detinha diretamente 57,61% das ações ordinárias com direito a voto (90,78% em 31/12/12) e 47,40% de seu capital total (74,68% em 31/12/13). Em 03/12/13, por meio de Decreto da Presidência da República, a União autorizou a transferência de ações de emissão da TELEBRAS, de sua titularidade, para a Financiadora de Estudos e Projetos FINEP, correspondente a 33,17% das ações ordinárias e 27,28% do capital social da Companhia. Resumo do quadro societário em 31/12/2014. ORDINÁRIAS NOMINATIVAS PORTADOR T O T A L ORDEM ACIONISTA QTDE AÇÕES % ACIONISTA QTDE AÇÕES ACIONISTA QTDE AÇÕES % 1 UNIAO FEDERAL ,61 UNIAO FEDERAL UNIAO ,4 2 FINEP ,17 FINEP - FINEP ,28 3 OUTROS ,22 OUTROS OUTROS ,32 TOTAL TOTAL TOTAL Em estrita consonância com os seus objetivos institucionais, a Companhia tem direcionado seus esforços no sentido de (i) intensificar a implantação da infraestrutura necessária ao Programa Nacional de Banda Larga PNBL Decreto 7.175/2010; (ii) estar cada vez mais apta a atender ao que determina o Decreto nº 8.135/2013; e (iii) ampliar sua carteira de clientes corporativos. Projetos Especiais também estiveram e estão no foco das ações da Telebras, são eles: (i) a aquisição do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (Projeto SGDC); e (ii) o desenvolvimento do Projeto de Cabos Submarinos Internacionais. 1

224 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS O ano de 2014 representou um marco na história da Companhia: nunca uma copa do mundo de futebol teve todos os seus jogos transmitidos a partir de uma rede de telecomunicações formada integralmente por fibras ópticas e a Telebras foi a protagonista deste feito Controlada e coligada Em 31/12/2014, a Companhia possuía participações societárias em empresa controlada direta (subsidiária integral) e coligada. a. Controlada direta (subsidiária integral): TELEBRAS COPA S.A. ( TELEBRAS COPA ou Controlada): sediada em Brasília, Distrito Federal, tem por objeto a prestação de serviços de telecomunicações à Fédération Internationale de Football Association FIFA e seus parceiros e conveniados. A subsidiária funcionará por tempo determinado, desde a data de sua criação, em 07/02/2013, até a data do término dos eventos da Copa do Mundo de Ocorre que, do ponto de vista da Controlada, os eventos ainda não terminaram, em virtude de possuir direitos a receber, discutidos administrativamente, portanto, o seu encerramento ainda não foi efetivado. As Atas da 1ª (primeira) Assembleia Geral Ordinária de Acionista (AGO) e da 1ª (primeira) Assembleia Geral Extraordinária de Acionista (AGE) de 31/10/2014, justamente pelo que aqui fica esclarecido, introduziram alteração do artigo 2º do seu Estatuto Social, que trata da Duração da Sociedade. Uma vez encerrada, a Controlada será incorporada pela Companhia, o que deve acontecer ainda em b. Coligada: VISIONA TECNOLOGIA ESPACIAL S.A. ( VISIONA ou Coligada), com sede na cidade de São José dos Campos, Estado de São Paulo, Brasil, tem por objeto atuar, no Brasil ou no exterior, nas atividades de pesquisa, especificação, projeto, desenvolvimento, certificação, fabricação, prestação de serviços de manutenção, de engenharia, modernização, seleção e contratação de fornecedores, integração, logística, treinamento, operação, comercialização, locação, importação e exportação de satélites, estações de terra e outros equipamentos e sistemas aeroespaciais, voltados, inclusive, para atividades relacionadas ao atendimento das necessidades do Governo Federal relativas ao plano de desenvolvimento de satélite brasileiro, em especial no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga PNBL, e à comunicação estratégica de defesa e governamental, no âmbito da Estratégia Nacional de Defesa, assim como (b) o suporte logístico contratado para as atividades mencionadas. A VISIONA foi contratada pela TELEBRAS para fornecer o sistema do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), nos termos do Decreto nº 7.769/ Resumo das Participações Societárias: Participação direta 31/12/ /12/2013 Subsidiária integral TELEBRAS COPA 100% 100% Coligada VISIONA 49% 49% 2

225 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2.1. Critérios de Elaboração a. Demonstrações Consolidadas As Demonstrações Financeiras Consolidadas, examinadas por auditores independentes, foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e conforme as normas internacionais de relatório financeiro (International Financial Reporting Standards IFRS ), emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB) e estão identificadas como Consolidado. As práticas contábeis, adotadas no Brasil, compreendem aquelas incluídas na legislação societária brasileira e os pronunciamentos, orientações e interpretações emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC e aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários CVM, aplicáveis ao exercício findo em 31/12/2014. A Companhia e sua Controlada mantêm práticas contábeis uniformes. A apresentação da Demonstração do Valor Adicionado (DVA), individual e consolidada, é requerida pela legislação societária brasileira e pelas práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis a companhias abertas. As normas IFRS não requerem a apresentação da DVA, que é apresentada como informação suplementar, sem prejuízo do conjunto das Demonstrações Contábeis. b. Demonstrações Individuais As Demonstrações Financeiras Individuais da Controladora foram elaboradas e são apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e estão identificadas como Controladora. Essas práticas diferem das IFRS, aplicáveis às demonstrações financeiras separadas, mas somente no que se refere à avaliação dos investimentos em companhias controladas e coligadas pelo método de equivalência patrimonial, enquanto que, para fins das IFRS, os investimentos deveriam ser avaliados pelo custo ou pelo valor justo. c. Moeda funcional A moeda funcional da Companhia, após a análise das operações e negócios pela Administração, é o Real (R$). d. Estimativas Contábeis A preparação das Demonstrações Financeiras da Controladora e Consolidadas requer o uso de estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e outras transações. Para efetuar estas estimativas, a Administração utilizou as melhores informações disponíveis na data de sua preparação, bem como experiência de eventos passados e/ou correntes, considerando ainda pressupostos relativos a eventos futuros. As estimativas e julgamentos são continuamente reavaliados. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores divergentes devido às incertezas inerentes ao processo de sua determinação. 3

226 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS As estimativas são utilizadas para determinar a vida útil do ativo imobilizado e intangível, avaliar o valor recuperável de ativos, projeções de lucros fiscais, contingências, determinação da valoração de ativos e passivos relacionados a benefícios a empregados, determinação do valor justo de instrumentos financeiros, mas não se limitam a isso. 3. RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS 3.1. Caixa e Equivalentes de Caixa Os equivalentes de caixa são mantidos com a finalidade de atender compromissos de caixa de curto prazo e não para investimento ou outros fins. As disponibilidades financeiras estão representadas por saldos positivos depositados em conta corrente e por aplicações financeiras de liquidez imediata (diária) no Banco do Brasil S.A., nos termos da legislação específica para as Sociedades de Economia Mista da Administração Federal. Estão registradas ao custo, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço, não excedendo o valor de mercado e com risco insignificante de mudança de seu valor. Vide Nota Explicativa nº 4. As aplicações financeiras de liquidez imediata diária são feitas em fundos de investimento financeiro extra mercado de renda fixa, em Títulos do Tesouro Nacional e CDB/RDB de emissão do Banco do Brasil e em Fundo de Investimento I Multimercado, destinados a acolher investimentos exclusivamente de pessoa jurídica integrante da Administração Federal Indireta, cuja carteira do Fundo é composta por títulos federais, em operações finais e/ou compromissadas e operações em mercados derivativos que serão utilizados para proteção, posicionamento e/ou alavancagem de sua carteira. Vide Nota Explicativa nº 4. A TELEBRAS realizou as seguintes aplicações financeiras: a) Fundo de Investimento de Renda Fixa essa aplicação tem remuneração atrelada à taxa do CDI, como garantia da transação parcial firmada com a PREVI Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil, em função de ação judicial com sentença transitada em julgado; b) Fundo de Investimento de Extra Mercado cuja remuneração está atrelada aos índices IMA- B e IRFM, e c) Fundo de Investimento Multimercado constituído com o objetivo de hedge cambial do Projeto SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas do Brasil). A TELEBRAS realizou aplicação em Fundo de Investimento de Renda Fixa com remuneração atrelada à taxa do CDI, como garantia da Transação Parcial firmada com a PREVI Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil, em função de ação judicial com sentença transitada em julgado. O saldo em 31/12/2014 é R$ mil (R$ mil em 2013) Tributos a Recuperar Os tributos a recuperar correspondem, na quase totalidade, ao saldo do imposto de renda pago a maior, ao imposto de renda retido na fonte sobre os rendimentos das aplicações financeiras e outros, a serem restituídos pelo Governo Federal, ou a serem compensados com tributos administrados pela Secretaria da Receita Federal e estão registrados ao valor esperado de recuperação. Vide Nota Explicativa nº 6. 4

227 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 3.3. Imposto de Renda e Contribuição Social A partir do exercício de 1998, a Companhia deixou de efetuar registros contábeis dos ativos fiscais diferidos de Imposto de Renda e Contribuição Social em relação às diferenças temporárias e aos prejuízos fiscais e a base negativa de Contribuição Social, dada a incerteza de suas recuperações futuras, ocasionada pelo processo de desestatização e a iminência de liquidação da TELEBRAS. A Companhia voltará a registrar contabilmente tais ativos na medida em que seja provável que a disponibilidade de lucros tributários futuros, contra os quais eles possam ser utilizados em função do normal cumprimento de suas novas atividades. Vide Nota Explicativa nº 6. O Imposto de Renda e a Contribuição Social são calculados com base em suas alíquotas efetivas sobre o lucro real e considera a compensação de prejuízos fiscais e a base negativa da contribuição social, quando aplicável, limitadas a 30% do lucro real, nos termos da lei Ativos Realizáveis - Créditos Representados preponderantemente por (1) gastos com salários e encargos sociais incorridos com o pessoal cedido, como suporte para o funcionamento da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) e outros Órgãos do Governo, de acordo com legislação específica, não reconhecidos como despesas na Companhia e sim como um direito a receber e (2) aplicações em ações de companhias abertas e títulos do Fundo de Investimento da Amazônia FINAM, avaliadas pelo valor de mercado, conforme a cotação informada pela Bolsa de Valores de São Paulo Demais Ativos Circulantes e Realizáveis a Longo Prazo São apresentados pelo valor provável de realização na data do Balanço Investimentos Os investimentos em empresas coligadas nas Demonstrações Financeiras Consolidadas encontram-se registrados pelo método da equivalência patrimonial, assim como as participações societárias em empresas controladas e coligadas estão avaliadas pelo método de equivalência patrimonial nas Demonstrações Financeiras da Controladora. Também com base no método de equivalência patrimonial, os investimentos são contabilizados no Balanço Patrimonial ao custo, ajustados periodicamente pelo valor correspondente à participação nos resultados líquidos destes em contrapartida de resultado de equivalência patrimonial e por outras variações ocorridas nos ativos líquidos adquiridos. Os ganhos e perdas não realizados em transações entre controladas e coligadas e a Companhia são eliminados proporcionalmente à participação nestas empresas. A demonstração do resultado reflete a parcela dos resultados das operações da Controlada e da Coligada. Vide Nota Explicativa nº Imobilizado Passados mais de quatro anos da publicação do Decreto 7.175/2010, por todos conhecidas são as atividades da Telebras frente à execução do Programa Nacional de Banda Larga PNBL e aos investimentos já efetuados para a sua implantação. A Telebras, ao elaborar os projetos para aquisição, construção e ou implantação dos bens, equipamentos e demais ativos de rede destinados à prestação de serviços de telecomunicações 5

228 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS vinculados ao PNBL ( Ativos de Rede ), planejou a sua instalação em todos os Estados da Federação.Tais Ativos de Rede foram e estão sendo instalados e remanejados para os mais diversos pontos de atendimento (estações, sites, etc.), nos quais a Telebras disponibiliza e irá disponibilizar os seus serviços. Considerando o que dispõe as Normas Contábeis com respeito aos critérios de alocação de custos com compras de Ativo Imobilizado e sua adequação ao valor justo, houve indiscutível necessidade de adequar os critérios de apropriação dos gastos, não somente à planta, mas também aos critérios praticados no mercado. Basicamente, a Telebras ocupa-se da prestação serviços de telecomunicações e de valor adicionado aos provedores de acesso à Internet, ao mercado corporativo em geral, bem como a administração pública federal. Em janeiro de 2013, entre a FIFA e Ministério das Comunicações, foi assinado Termo de Responsabilidade de disponibilização das redes de comunicações para transmissão de áudio e vídeo nos eventos da Copa do Mundo de 2014, responsabilidade esta que ficou a cargo da Telebras. Neste mesmo termo, foi acordado que toda a rede de comunicações seria disponibilizada para a FIFA iniciar os testes de transmissões de dados até 31/12/2013. Uma rede de transmissão ou rede de transporte de dados, incluindo-se aí a voz, é composta de sistemas de transmissão através dos quais são realizadas as interconexões entre pontos de emissão e recepcção de sinais. Os sistemas de transmissão utilizam meios para o envio de informações: meios físicos (par metálico, cabo coaxial e fibra óptica) e meios não-físicos, o espaço livre, no caso de utilização de rádio-frequência. Em síntese, a comunicação só é possível com o suporte de uma rede que transporte as informações. Estas redes podem ser classificadas em três grupos, conforme as suas características e finalidades: LANs (Local Area Network - Rede Local de Computadores), MANs (Metropolitan Area Network - Rede Metropolitana de Computadores) e WANs (Wide Area Network - Rede de Grandes Áreas). Devido à complexidade das variadas etapas do projeto e da extensão das plantas de redes, a Telebras investiu tempo e valores expressivos na construção da espinha dorsal de sua rede de telecomunicações, o que comumente se constuma chamar de backbone. As etapas da construção de redes de telecomunicações e comunicações de dados, considerando a expectativa de abrangência e alcance na prestação dos serviços, em muitos casos, se estendem por vários anos. Considerando a necessidade de atendimento do compromisso firmado entre a FIFA e Ministério das Comunicações, e considerando a necessidade de implantação das cargas dos ativos imobilizados no módulo FI_AA, do SAP, a Telebras, após confirmação da liberação para uso de sua rede, efetuou o registro dos ativos imobilizados organizados por classes de ativos com data de incorporação em 01/01/2014. A depreciação dos ativos é calculadamente mensalmente a partir da data de incorporação, considerando a atribuição de vida útil determinada pelas classes de ativo, rigorosamente considerados os conceitos expostos na Nota Técnica disponibilizada a Auditoria Independente. As classes de ativo foram organizadas obedecendo à utilização de cada classe de propriedade, considerando que a orientação de registrar o valor de um equipamento ou instalação no patrimônio da empresa deve ser decorrência de sua vida útil economicamente produtiva. Isso absolutamente não quer dizer que a Companhia não esteja com outros projetos em andamento, sobretudo no que diz respeito a reforço do seu backbone e todas as iniciativas do que se chama de capilarização de rede, justamente para atingir ainda mais e melhor os clientes-alvo da Telebras. 6

229 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS A estrutura de controle contábil de bens do imobilizado em empresas de telecomunicações adota um procedimento quase que universal devido às suas peculiaridades. No controle são adotados alguns conceitos próprios cujos teores são comentados na Nota Técnica colocada à disposição dos auditores independentes. A depreciação dos ativos é calculadamente mensalmente a partir da data de incorporação, considerando a atribuição de vida útil determinada pelas classes de ativo. As classes de ativo foram organizadas obedecendo à utilização de cada classe de propriedade, considerando que a orientação de registrar o valor de um equipamento ou instalação no patrimônio da empresa deve ser decorrência de sua vida útil economicamente produtiva. O Imobilizado está demonstrado pelo custo de aquisição deduzido da depreciação acumulada, sem quaisquer avaliações sobre seus valores recuperáveis, tendo em vista sua recente constituição. Não obstante, a TELEBRAS concluiu o processo de levantamento e adequação de seu imobilizado, possibilitando torná-lo aderente às normas específicas do setor de telecomunicações. Vide Nota Explicativa nº Intangível Refere-se aos direitos de uso de software e a licenças regulatórias, avaliados pelo custo de aquisição, deduzidos da amortização acumulada e perdas por redução do valor recuperável, quando aplicável. As licenças regulatórias são amortizadas pelo seu prazo de vigência, contratado junto ao órgão regulador. A amortização dos direitos de uso de software é calculada pelo método linear, baseado em projeções de benefícios econômicos futuros e não supera o prazo de cinco anos. Vide Nota Explicativa nº Provisões e Obrigações Trabalhistas As provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente como resultado de um acontecimento passado, a partir do qual é provável saída de recursos, envolvendo benefícios econômicos, seja necessária para liquidar a obrigação e uma estimativa razoável possa ser efetuada do montante dessa obrigação. Os valores relativos às provisões de férias e demais obrigações com empregados são apropriados mensalmente e estão apresentados no passivo circulante na rubrica Pessoal, Encargos e Benefícios Sociais. Vide Nota Explicativa nº Provisões para Contingências A Companhia é parte em demandas judiciais de natureza trabalhista, tributária, cível e societária, tendo sido constituída provisão contábil em relação a essas demandas, cuja probabilidade de perda foi classificada como provável. As provisões para demandas judiciais são determinadas com base nas opiniões da Administração da Companhia, de seus consultores jurídicos, experiências passadas e jurisprudências atualizadas. Os fundamentos e a natureza das provisões estão descritos na Nota Explicativa nº Planos de Benefícios Pós-emprego Os custos das contribuições dos planos de aposentadoria com benefícios definidos e de outros benefícios pós-emprego e o valor presente da obrigação de aposentadoria são determinados utilizando métodos de avaliação atuarial e contabilizados pelo regime de competência. A avaliação 7

230 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS atuarial envolve o uso de premissas sobre as taxas de desconto, taxas de retorno de ativos esperadas, aumentos salariais futuros, taxas de mortalidade e aumentos futuros de benefícios de aposentadorias e pensões. A obrigação de benefício definido é altamente sensível a mudanças nessas premissas. Todas as premissas são revisadas a cada data-base. A taxa de mortalidade se baseia em tábuas de mortalidade disponíveis no País. Aumentos futuros de salários e de benefícios de aposentadoria e de pensão se baseiam nas taxas de inflação futuras esperadas para o país Demais Passivos Circulantes e Exigíveis a Longo Prazo São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e variações monetárias incorridos até a data do balanço Apuração do Resultado O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência do exercício Receitas (despesas) Financeiras Representam juros e variações monetárias decorrentes de aplicações financeiras, tributos a recuperar, depósitos judiciais de obrigações, tais como: provisão para contingências passivas, perdas judiciais, recursos para futuro aumento de capital, empréstimos e financiamentos, credores (empresas de telecomunicações) e cauções de fornecedores. São reconhecidas pelo regime de competência quando ganhas ou incorridas pela Companhia Resultado Líquido por Ação e Valor Patrimonial por Ação VPA por Unidade de Ações Em 31/12/2014 e 31/12/2013, o Resultado Líquido por Ação e o Valor Patrimonial por Ação VPA por Unidade de Ações, foram calculados com base no número de ações em circulação na data do Balanço Patrimonial, sendo (líquida de ações em tesouraria) de ações ordinárias e de ações preferenciais, totalizando de ações. Vide Nota Explicativa nº Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC e Demonstração do Valor Adicionado DVA A Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) foi preparada conforme o IAS 7/CPC 03 e reflete as modificações que ocorreram nos exercícios apresentados utilizando-se o método indireto. A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) é apresentada de forma suplementar em atendimento à legislação societária brasileira e foi preparada seguindo o CPC 09 DVA. Essa demonstração tem por finalidade evidenciar a riqueza criada pela Companhia e sua distribuição durante determinado período e é apresentada conforme requerido pela legislação societária brasileira, como parte de suas Demonstrações Contábeis Individuais. A DVA foi preparada com base em informações obtidas dos registros contábeis, que servem de base de preparação das Demonstrações Contábeis e seguindo as disposições contidas no NBC TG 09 DVA. Em sua primeira parte, apresenta a riqueza criada pela Companhia, representada pelas receitas (receita bruta dos serviços, incluindo os tributos incidentes sobre as mesmas, as outras receitas e os efeitos da provisão de créditos de liquidação duvidosa); pelos insumos adquiridos de terceiros (custo dos serviços e aquisições de materiais, energia e serviços de 8

231 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS terceiros, incluindo os tributos incluídos no momento de aquisição e os efeitos das perdas e recuperação de valores ativos); pelas retenções (encargos de depreciação e provisão para contingências) e o valor adicionado recebido de terceiros (receitas financeiras e outras receitas). A segunda parte da DVA apresenta a distribuição da riqueza entre pessoal, governo (tributos), remuneração de capitais de terceiros e remuneração de capitais próprios RISCO OPERACIONAL PREJUIZO OPERACIONAL A Companhia apresentou Prejuízo Bruto de R$ mil em 2014, contra R$ mil em 2013, representando um crescimento de 730% em relação ao exercício anterior, em virtude do custo dos Serviços de Terceiros, que atingiu o montante de R$ mil., bem como da Depreciação, cujo valor no período foi de R$ mil, tendo em vista a entrada em operação dos ativos, tal como explicitado no item 3.7 acima. Já o Prejuízo Líquido do Exercício de 2014 atingiu o montante de R$ mil, queda de 19,5% em relação ao exercício anterior, cujo prejuízo foi de R$ Este foi significativamente constituído em decorrência da apropriação de despesas financeiras sobre os Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital no total de R$ mil. Risco operacional é o risco de prejuízos diretos ou indiretos decorrentes de uma variedade de causas associadas a processos, pessoal, tecnologia e infraestrutura da Companhia e a fatores externos, exceto riscos de crédito, mercado e liquidez, como aqueles decorrentes de exigências legais e regulatórias e de padrões geralmente aceitos de comportamento empresarial. Riscos operacionais surgem de todas as operações da Companhia. O objetivo da Administração da Companhia é administrar o risco operacional para evitar a ocorrência de prejuízos operacionais ou financeiros e danos à reputação da Companhia, buscar eficácia de custos e evitar procedimentos de controle que restrinjam a iniciativa e a criatividade. Neste sentido, a Companhia direciona seus esforços para implantar infraestrutura necessária ao Programa Nacional de Banda Larga, atender ao que determina o Decreto 8.135/2013 e ampliar sua carteira de clientes corporativos. Além deste aspecto, projetos especiais também estão no foco das ações da Telebrás, tais como a aquisição do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) e o desenvolvimento do Projeto de Cabos Submarinos Internacionais. Todas essas ações aliadas às ações de marketing têm por objetivo dar à Telebras o reconhecimento de uma empresa forte e competitiva no cenário nacional de telecomunicações, detentora de um backbone nacional de qualidade e de tecnologia modernas, promovendo o acesso aos melhores serviços de telecomunicações com qualidade e melhor relação custo/benefício. A conquista de novos mercados terá como consequência o expressivo aumento da receita operacional, a curto e médio prazos, com impactos positivos para o resultado da companhia. Ressalte-se que, em 16 de julho de 2014, a Diretoria Comercial encaminhou expediente, em atendimento ao pleito do Comitê de Gestão Orçamentária, de projeção da estimativa de receita até o ano de 2020, com as seguintes premissas para o alcance da meta projetada: a) Aquisição de roteadores para atendimento aos clientes do Decreto nº 8.135/2013; b) Conclusão das redes metropolitanas até 2016; c) SGDC em operação comercial até maio de 2017; 9

232 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS d) Capacidade ampliada para ativação, operação e manutenção dos clientes; e) Revisão nos custos e tecnologias adotadas nas portas (backbone/backhaull) e nos acessos (última milha). f) Cumprimento de Acordo de Nível de Serviços Contratados. A projeção das receitas decorre dos resultados de prospecções realizada em 2014, assim sendo, projetos especiais ou mudanças estratégicas poderão afetar diretamente a sua realização: Tipo RNP Regionais Grandes Clientes Interconexão TOTAL Redução ao Valor Recuperável de Ativos não Financeiros (impairment) Na data de cada balanço, a Administração avalia se há evidência objetiva de que um ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros está deteriorado. Um ativo ou grupo de ativos financeiros está deteriorado e as perdas por impairment são incorridas quando há evidência objetiva de impairment como resultado de um ou mais eventos ocorridos após o reconhecimento inicial dos ativos (um "evento de perda") e aquele evento ou eventos de perda, tem um impacto nos fluxos de caixa futuros estimados do ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros e que possa ser estimado de maneira confiável. Os critérios que a Companhia usa para determinar se há evidência objetiva de uma perda ou evento de perda por impairment incluem: a. dificuldade financeira relevante do emissor ou devedor; b. uma quebra de contrato, como inadimplência ou mora no pagamento dos juros ou principal; c. o grupo, por razões econômicas ou jurídicas relativas à dificuldade financeira do tomador de empréstimo, estende ao tomador uma concessão que um credor normalmente não consideraria; d. torna-se provável que o tomador declare falência ou outra reorganização financeira; e. o desaparecimento de um mercado ativo para aquele ativo financeiro devido às dificuldades financeiras ou f. dados observáveis indicam que há uma redução mensurável nos futuros fluxos de caixa estimados a partir de uma carteira de ativos financeiros desde o reconhecimento inicial daqueles ativos, embora a diminuição não possa ainda ser identificada com os ativos financeiros individuais na carteira, incluindo: mudanças adversas na situação do pagamento dos tomadores de empréstimo na carteira e condições econômicas nacionais ou locais que se correlacionam com as inadimplências sobre os ativos na carteira. O montante de perda por impairment, quando incorrido, é registrado no resultado e, se, no período subsequente, o valor da perda por impairment diminuir, essa diminuição puder ser relacionada objetivamente a um evento que ocorreu após o impairment ser reconhecido (como uma melhoria 10

233 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS na classificação de crédito do devedor), a reversão dessa perda reconhecida anteriormente poderá ser reconhecida na demonstração do resultado. Não foram identificadas quaisquer dessas circunstâncias que pudessem levar à Companhia a avaliar a necessidade de constituição de provisão para perda sobre o valor dos ativos não financeiros. A Companhia não possui ágio ou outros ativos intangíveis com vidas úteis indefinidas ou intangíveis em desenvolvimento, para os quais seriam requeridos testes de recuperação dos valores registrados. A propósito, para ativos tangíveis, a literatura não exige estudos de depreciação, acaso não verificadas premissas que indiquem ou demandem a sua realização. 4. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Controladora Consolidado Contas Bancárias e Fundo Fixo Numerários em Trânsito Aplicações Financeiras Total CONTAS A RECEBER DE CLIENTES Controladora Consolidado Ministério das Comunicações Outros Clientes Total Circulante TRIBUTOS A RECUPERAR No exercício, a movimentação da conta tributos a recuperar foi a seguinte: Controladora e Consolidado Saldo Adições Compensação Saldo 31/12/13 Principal Juros SELIC Débitos 31/12/14 Tributos Federais: IR a restituir/compensar e retenções IRRF s/ Juros s/ Capital Próprio JCP Contribuição Social sobre Lucro Líquido PIS e COFINS Outros (2.923) 14 Subtotal (2.923)

234 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Tributos Estaduais: ICMS a recuperar (15.593) Total (18.516) Circulante Não Circulante Do total dos créditos tributários em 31/12/2014, o valor de R$ (R$ em 31/12/2013) corresponde aos direitos creditícios cedidos à empresa VT UM PRODUÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA., que constaram de Termo de Transação e Outras Avenças. O referido crédito encontra-se sub judice na 9ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal nos autos da Ação Civil Pública ACP nº Decisão nº 202/2011-A de 08/04/2011. Por decisão da Diretoria, em face da orientação da Gerência Fiscal e de Controle, o valor referente ao ICMS a Recuperar, foi incorporado ao custo do imobilizado, em total consonância com a legislação, em especial a orientação da Norma CPC IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL 7.1 Demonstrativo do Imposto de Renda e Contribuição Social As despesas de Imposto de Renda e Contribuição Social de 2014 e 2013 foram apuradas conforme demonstrado a seguir: Imposto de Renda Controladora e Consolidado Contribuição Social Imposto de Renda Contribuição Social Resultado contábil antes do IR e da CS ( ) ( ) ( ) ( ) Adições permanentes Exclusões permanentes ( ) ( ) (1.891) (1.891) Subtotal ( ) ( ) ( ) ( ) Diferenças temporárias (8.885) (8.885) ( ) ( ) Adições temporárias: Provisão contingências e encargos Provisão PISP VM s/ Depósitos Judiciais Outras adições Exclusões temporárias: (42.327) (42.327) ( ) ( ) Baixa de provisão p/ contingências (13.102) (13.102) ( ) ( ) Baixa de provisão PISP (1.741) (1.741) (1.888) (1.888) VM s/ Depósitos Judiciais e outros (3.998) (3.998)

235 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Controladora e Consolidado Reversão prov contingências (23.486) (23.486) (49.210) (49.210) Reversão de provisão PISP - - (9.381) (9.381) Base de Cálculo Negativa ( ) ( ) ( ) ( ) 7.2 Créditos fiscais diferidos e não registrados Apresentamos a seguir o resumo dos créditos não registrados contabilmente: Imposto de Renda Base de cálculo Controladora e Consolidado Tributo de 25% 2014 Contribuição Social Base de cálculo Tributo de 9% Créditos fiscais não registrados Provisão para contingências Provisão PISP Prejuízo fiscal/base negativa Total Imposto de Renda Base de cálculo Controladora e Consolidado Tributo de 25% 2013 Contribuição Social Base de cálculo Tributo de 9% Créditos fiscais não registrados Provisão para contingências Provisão PISP Prejuízo fiscal/base negativa Outros Total De acordo com a legislação vigente, a compensação dos prejuízos fiscais relativos ao Imposto de Renda e da base de cálculo negativa da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, está limitada a 30% (trinta por cento) do lucro tributável (IR) e da base de cálculo positiva da Contribuição Social em cada período-base. 8. DEPÓSITOS JUDICIAIS A Companhia possui depósitos e bloqueios judiciais vinculados a processos cíveis, trabalhistas, tributários e societários. A composição dos depósitos judiciais vinculados e não vinculados às contingências passivas está assim distribuída: 13

236 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Natureza Vinculados Controladora e Consolidado Não vinculados A B A+B Cível Trabalhista Tributária Total Circulante Não Circulante Os depósitos judiciais e extrajudiciais não vinculados a itens contingentes referem-se a diversos processos em que a TELEBRÁS figura como ré ou autora. 9. OUTROS ATIVOS REALIZÁVEIS Controladora Consolidado Pessoal Cedido a Recuperar ANATEL Pessoal Cedido a Recuperar - Órgãos Govern Ações e Títulos Destinados à Venda Cauções Adiantamento a Empregados Outros Total Circulante Não Circulante O saldo a recuperar da ANATEL e de outros órgãos governamentais refere-se a salários e respectivos encargos e benefícios sociais relativos aos empregados cedidos. Nesse saldo, estão inclusos valores referentes às provisões de férias, décimo-terceiro e seus respectivos encargos, que são provisionados mensalmente, bem como a provisão relativa ao Programa de Indenização de Serviços Prestados PISP. O saldo referente às ações e títulos destinados à venda corresponde as ações em carteira própria de companhias abertas de empresas de telecomunicações, avaliadas pelo valor de mercado. Dividendos a Receber com a Controlada Telebrás Copa totaliza R$ mil e com a Coligada Visiona a importância de R$ ATIVO NÃO CIRCULANTE 10.1 Realizável a Longo Prazo Aplicações Financeiras Tributos Federais Tributos Estaduais ICMS

237 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Depósitos Judiciais Outros Total Investimentos a. Participação no Capital de Empresa Coligada A Companhia efetuou integralização de sua participação no capital da VISIONA em 2013 no valor de R$ (R$ em 2012), totalizando R$ 4.900, correspondentes a 49% (quarenta e nove por cento) do capital total, sendo os 51% restantes pertencentes à EMBRAER DEFESA E SEGURANÇA PARTICIPAÇÕES S.A. Em , apresentava um saldo líquido no investimento de R$ (R$ em 31/12/2013). As Demonstrações Contábeis da Coligada foram revisadas pela empresa KPMG Auditores Independentes. As informações financeiras da coligada VISIONA, avaliada por equivalência patrimonial, estão demonstradas a seguir: Ativo Circulante Não Circulante Total do ativo Passivo Circulante Patrimônio Líquido Total do passivo Demonstrações de Resultados Receita Operacional Líquida Custos dos Produtos e Serviços Vendidos (63.994) (10.289) Lucro Bruto Receitas (Despesas) Operacionais (2.975) Prejuízo Operacional Antes Receitas (Despesas) Financeiras (359) Receitas (Despesas) Financeiras, Líquidas Lucro/Prejuízo Operacional (161) Imposto de Renda e Contribuição Social s/ Lucro (11.258) (37) Lucro/Prejuízo Líquido do Exercício (198) Outros Resultados Abrangentes (8) Resultado Abrangente Total (206) b. Participação no Capital de Empresa Controlada Em 07/02/2013, foi constituída a empresa TELEBRAS COPA S.A. como subsidiária integral da TELEBRAS, com a finalidade específica de prestação de serviços nos eventos da Copa das Confederações de 2013 e Copa do Mundo de Nesta data, foi realizada a integralização inicial de seu capital, no valor de R$ ,00 (dez mil reais), correspondentes a 10% do capital total, de R$ ,00 (cem mil reais). 15

238 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS A Companhia integralizou, em 20/06/2013, os R$ (noventa mil reais) restantes de sua participação no capital da TELEBRAS COPA S.A., totalizando 100% de sua participação no capital subscrito da subsidiária integral. Em 31/12/2014, apresentava um saldo líquido no investimento de R$ mil, devido ao ganho líquido com equivalência patrimonial, motivada por faturamento resultante de prestação de serviços de telecomunicações quando da Copa do Mundo de 2014, que está representado no resultado da empresa em 31/12/2014. As Demonstrações Contábeis da Controlada foram revisadas pela empresa MACIEL AUDITORES S/S EPP. Em 31 de dezembro de 2014, a Companhia efetuou a consolidação de suas demonstrações contábeis individuais com as demonstrações contábeis de sua Controlada, TELEBRAS COPA S.A Imobilizado São bens destinados à manutenção das atividades da Telebras e estão registrados ao custo de aquisição, deduzidas das respectivas depreciações calculadas pelo método linear, mediante aplicação de taxas que levam em consideração a vida útil econômica dos bens. O saldo do imobilizado em 31/12/2014 é de R$ mil. Natureza do Imobilizado Taxa Anual Depreciação % Custos Controladora e Consolidado Depreciação Acumulada Valor Líquido 31/12/ /12/2013 Instalações Prediais (15.119) Mobiliário (1.356) Infraestrutura (7.909) Equipamentos de Tecnologia de Informação (3.100) Equipamentos de Transmissão e Comunicação de Dados (34.064) Outros Equipamentos (3.334) Imobilizado em Andamento Total (64.882) c. Movimentações Ocorridas no Imobilizado em 31/12/2014 Controladora e Consolidado Descrição Saldo Saldo Aquisições Depreciação 31/12/ /12/2014 Instalações Prediais (15.119) Mobiliário (362) Infraestrutura (7.909) Equipamentos de Tecnologia de Informação (1.589) Equipamentos de Transmissão e Comunicação de Dados (34.064) Outros Equipamentos (2.909) Imobilizado em Andamento Total (61.952)

239 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 10.4 Intangível Neste grupo são registrados os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da empresa ou exercidos com essa finalidade, deduzidas das respectivas amortizações. O saldo do grupo em 31/12/2014 é de R$ mil. O item Direitos sobre Autorizações refere-se ao valor pago a ANATEL pelo direito de exploração de satélite brasileiro para transporte de sinais de telecomunicações (Projeto SGDC), cuja amortização terá início a partir do momento em que o satélite entrar em operação em sua posição geoestacionária. Natureza do Intangível Taxa Anual Amortização % Custos Controladora e Consolidado Amortização Acumulada Valor Líquido 31/12/ /12/2013 Sistemas Aplicativos (5.251) Direitos sobre Autorizações Sistemas em Andamento Total (5.251) Movimentações Ocorridas no Intangível em 31/12/2014 Controladora e Consolidado Descrição Saldo Saldo Aquisições Amortização 31/12/ /12/2014 Sistemas Aplicativos (2.568) Direitos sobre Autorizações Sistemas em Andamento Total (2.568) PESSOAL, ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS Neste grupamento são registradas as obrigações com Pessoal, inclusive as provisões de férias e 13º salário e dos respectivos encargos sociais, exceto os encargos tributários a recolher que estão incluídos no grupo Tributos e Contribuições a Recolher. Controladora e Consolidado 31/12/ /12/2013 Salários e Honorários a Pagar Encargos Sociais a Pagar Benefícios Sociais a Pagar Mão-de-Obra Temporária Total Circulante

240 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 12 PROGRAMA DE INDENIZAÇÃO POR SERVIÇOS PRESTADOS (PISP) Desde 2013, a partir da definição do universo dos colaboradores que fariam jus à indenização decorrente do Programa, a Companhia mantém provisão no passivo circulante, no montante de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013). No exercício de 2014, para os colaboradores em exercício na Telebrás, não houve registro no resultado. Os valores correspondentes aos empregados cedidos à ANATEL e outros órgãos estão registrados em Outros Ativos Realizáveis. 13 FORNECEDORES Controladora e Consolidado 31/12/ /12/2013 Fornecedores de Operação Fornecedores de Expansão Total Circulante CONTINGÊNCIAS PASSIVAS Em 31/12/2014, a TELEBRÁS é ré em ações judiciais de natureza trabalhista, tributária, cível e societária (1.880 em 31/12/2013), perante diversos tribunais. Essas ações são permanentemente acompanhadas e avaliadas pela área jurídica da Empresa e a elas são atribuídas expectativas de perda. Com base na opinião dos seus consultores jurídicos, a Administração acredita que a resolução das questões a seguir relacionadas não produzirá efeito material adverso sobre sua condição financeira. A composição dos valores consolidados em discussão em diversas instâncias de processos, em 31 de dezembro de 2014, tinha o seguinte tratamento contábil: Expectativa da perda Critério contábil Quantidade de ações 31/12/ /12/2013 Provável Provisionar e divulgar em Notas Explicativas Possível Não provisionar, porém divulgar em Notas Explicativas. Remota Não provisionar nem divulgar em Notas Explicativas. Total Contingências de Perda Provável (provisionadas) a. Contingências Líquidas de Depósitos Judiciais 18

241 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Controladora e Consolidado 31/12/2014 Natureza Quantidade Depósitos Provisões de Ações Judiciais Líquido A B A-B Cível Trabalhista Tributária Total Circulante Não Circulante Controladora e Consolidado 31/12/2013 Quantidade de Depósitos Provisões Natureza Ações Judiciais Líquido A B A-B Cível Trabalhista Tributária Total Circulante Não Circulante b. Classe das Ações Judiciais Perdas Prováveis Classe das Ações Quantidade Provisões Depósitos Líquido 31/12/ /12/ /12/ /12/ /12/ /12/2013 A B A-B SALDO Cíveis Ilegalidade na venda de ações (1.050) Dividendos sobre o capital da TELEBRAS Diferença de ações - conversão de debêntures Diversas classes Total Trabalhistas Ganhos de produtividade Readmissão de pessoal Expurgos inflacionários multa de 40% - FGTS Responsabilidade subsidiária Diversas classes Total

242 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Tributárias Isenção de imposto de importação e IPI Diversas classes Total Total Geral Circulante Não Circulante c. Movimentação das Provisões para Contingências Controladora e Consolidado Saldo em 31/12/ Adições 52 Baixas (30.954) Reversões Liquidas (4.881) Atualizações Encargos Financeiros Saldo em 31/12/ d. Movimentação dos Depósitos Judiciais vinculados às Provisões para Contingências Controladora e Consolidado Saldo em 31/12/ Adições Líquidas Baixas - Provisões para Contingências (6.441) Atualização Encargos Financeiros 940 Saldo em 31/12/ Adições Líquidas Baixas - provisões para Contingências (14.090) Atualização Encargos Financeiros Saldo em 31/12/ Contingências de Perda Possível (não provisionadas) Controladora e Consolidado Quantidade de Ações Valor Natureza 31/12/ /12/ /12/ /12/2013 Cível Trabalhista Tributária Total

243 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS a. Classe das Ações Judiciais Quantidade Valor 31/12/ /12/ /12/ /12/2012 Cíveis Ressarcimento de lucros cessantes VPA S nas capitalizações por contratos de participação financeira-pf (autofinanciamento) Dividendos sobre o capital da TELEBRAS Ilegalidade na venda de ações Execução Fiscal Diversas classes Total Trabalhistas Ganhos de produtividade Pagamento de hora extra/reflexo verbas rescisórias Reconhecimento de direito sobre o Programa de Indenização por Serviços Prestados - PISP Diversas classes Total Tributárias Isenção de Imposto de Importação e IPI Pagamento de diferença referente à Taxa Referencial do exercício de Diversas classes Total Total Geral CREDORES POR PERDAS JUDICIAIS Controladora e Consolidado 31/12/ /12/2013 Créditos Tributários a Transferir Acordo Judicial a Pagar (PREVI) Total Circulante Não Circulante Os créditos tributários a transferir referem-se à obrigação formalizada por meio do Termo de Transação e Outras Avenças, homologado em juízo, firmado com a empresa VT UM 21

244 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS PRODUÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA., conforme fato relevante publicado em 14/06/2006, na Gazeta Mercantil. De acordo com as disposições do referido Termo, o valor dos direitos creditícios de natureza tributária vinculados a esta obrigação, no montante de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013), refere-se a saldos de créditos de processos de pedidos de restituição/compensação à Receita Federal, que somente serão transferidos ao credor após a efetivação das respectivas realizações financeiras, condicionadas ao sucesso dos pleitos no âmbito da Justiça Federal. No entanto, estes pleitos judiciais encontram-se suspensos após Decisão nº 202/2011-A de 08/04/2011, proferida nos autos da Ação Civil Pública nº , em trâmite perante a Nona Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, em que são discutidas as condições impostas pelo Termo de Transação e Outras Avenças supramencionado. Em outro processo, a Companhia firmou Transação Parcial com a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil PREVI para pagamento do valor da execução (valor incontroverso), decorrente de decisão judicial condenatória transitada em julgado. O saldo de R$ mil em 31/12/2014 será pago em 30 (trinta) prestações semestrais e sucessivas, sendo atualizado pelo índice de variação do INPC, acrescido de juros de 6% (seis por cento) ao ano. 16 RECURSOS CAPITALIZÁVEIS O saldo de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013), corrigido pela Taxa SELIC e classificado no passivo não circulante, será utilizado em futuro aumento de capital da TELEBRAS em favor da UNIÃO, conforme sua orientação. 17 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Em 11 de dezembro de 2014, a companhia assinou contrato de empréstimo com a Financiadora de Estudos e Projetos FINEP no total de R$ mil, com objetivo de custear, parcialmente, as despesas incorridas na elaboração e execução do Plano Estratégico de Inovação (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas SGDC). A primeira parcela do empréstimo foi depositada em 18 de dezembro de 2014, no valor de R$ e as outras conforme cronograma de desembolso aprovado nos termos da Decisão 46/2014, de 13/11/2014. Sobre o principal da dívida incidirá a Taxa Referencial pro rata tempore (TR), divulgada pelo Banco Central do Brasil, acrescida do spread de 5% (cinco por cento) ao ano. Os encargos devidos do contrato serão reduzidos em 2% (dois por cento) ao ano, não havendo inadimplência, resultando em juros de TR + 3% (três por cento) ao ano. O período de carência é de 36 (trinta e seis) meses, abrangendo o período compreendido entre a data da assinatura do contrato e a de vencimento da primeira parcela de amortização, sendo o principal parcelado em 85 (oitenta e cinco) parcelas mensais e sucessivas, com vencimento da primeira parcela ocorrendo em 15/12/2017 e a última em 15/12/

245 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 18 RECEITA RECEBIDA ANTECIPADAMENTE O total de R$ mil corresponde aos valores repassados pelo Ministério da Defesa - referentes à parte da antecipação do pagamento do direito de uso futuro da Banda X do Satélite (IRU, Projeto SGDC), conforme respectivo Contrato. 19. PATRIMÔNIO LÍQUIDO 19.1 Capital social O capital social, em 31/12/2014, no valor R$ (R$ em 31/12/2013), subscrito e integralizado, compõe-se de ( em 31/12/2013) unidade de ações sem valor nominal, assim distribuídas: Quantidade Unidade 31/12/ /12/2013 Capital total em ações Ordinárias Preferenciais Total Ações em tesouraria Ordinárias Total Ações em circulação Ordinárias Preferenciais Total Valor Patrimonial por ação em circulação 0, ,98432 A partir de 24/01/2011, as ações de emissão da TELEBRAS passaram a ser negociadas na BM&FBOVESPA (site: na forma unitária. Dessa forma o preço de 1 (uma) ação a partir de 24/01/2011 corresponde ao preço de (dez mil) ações anteriores ao agrupamento Dividendos Nos termos do Estatuto Social, a ação preferencial não tem direito a voto, exceto na situação prevista em lei, sendo a ela assegurada prioridade no reembolso do capital e no pagamento dos dividendos mínimos não cumulativos de 6% ao ano sobre o valor do capital social. Em decorrência de não haver reservas no patrimônio líquido da Companhia e a existência de prejuízos acumulados não foram efetuados o cálculo e distribuição de dividendos e a constituição de reservas. 23

246 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 19.3 Ajuste de Avaliação Patrimonial O valor referente ao Ajuste de Avaliação Patrimonial corresponde a perdas por ajuste ao valor de mercado de ações e títulos destinados à venda de R$ 701 mil em 31/12/2014 (R$ 701 mil em 31/12/2013). A TELEBRAS registrou o valor de R$ mil em 31/12/2014 (R$ 4 em 31/12/2013) referente à sua participação sobre o saldo de Ajuste de Avaliação Patrimonial da coligada VISIONA, avaliada por equivalência patrimonial Ações em Tesouraria O valor das Ações em Tesouraria corresponde ao saldo remanescente da cisão parcial da TELEBRAS, ocorrida em 22/05/ PARTES RELACIONADAS 20.1 TELEBRAS COPA A TELEBRAS possui saldos a receber da controlada TELEBRAS COPA, referente ao pagamento de despesas operacionais da Controlada, que serão reembolsadas e estão demonstradas no quadro a seguir. Controladora Descrição Saldo 31/12/2013 Adições Baixas Saldo 31/12/2014 Outros ativos VISIONA A Companhia possui saldo a pagar decorrente dos serviços prestados pela coligada VISIONA referente ao desenvolvimento do Projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas. Os valores a pagar e os saldos já incorporados ao Imobilizado estão apresentados a seguir. Controladora e Consolidado Descrição Saldo 31/12/2013 Saldo 31/12/2014 Imobilizado Fornecedores (29.805) ( ) 21 INSTRUMENTOS FINANCEIROS A Companhia possui aplicações financeiras de liquidez imediata de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013), as quais estão avaliadas ao custo, acrescidas de rendimentos até a data do Balanço. As taxas negociadas são compatíveis com as condições de mercado. Além disso, possui equivalentes à caixa de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013). 24

247 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS As operações em mercados derivativos serão utilizadas para proteção, posicionamento e/ou alavancagem de suas carteiras (Fundos aplicados no Banco do Brasil). Considerando o saldo remanescente da cisão parcial da TELEBRAS, ocorrida em 1998, o único ativo financeiro avaliado pelo valor de mercado acionário corresponde às ações destinadas à venda no montante de R$ mil em 31/12/2014 (R$ mil em 31/12/2013), que estão custodiadas na Companhia Brasileira de Liquidação e Custodia CBLC, conforme movimentação abaixo: 21.1 Movimentação das Ações e Títulos Destinados à Venda Ajuste de Avaliação Patrimonial Controladora e Consolidado Saldo em 31/12/ Perdas por ajuste ao valor de mercado (AVP) 0 Saldo em 31/12/ COMPOSIÇÃO DAS PRINCIPAIS RUBRICAS DA DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS a. Receita Operacional Reconhecimento das Receitas de Serviços de Telecomunicações A receita de serviços de telecomunicações é reconhecida à medida que os serviços são prestados, sendo o faturamento efetuado mensalmente. As receitas decorrentes da prestação de serviços de telecomunicações estão sendo apresentadas líquidas dos tributos e descontos concedidos (créditos por interrupção do serviço), incidentes sobre as mesmas. O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência de exercício: Controladora e Consolidado Receita Bruta de Serviços de Telecomunicações Tributos sobre Serviços de Telecomunicações (8.932) (13.116) Receita Líquida Total b. Custos dos Serviços Prestados Controladora e Consolidado Pessoal (5.423) (4.625) Materiais (629) (107) Serviços de Terceiros (81.475) (14.321) Aluguel, Arrendamentos e Seguros (20.323) (27.062) Tributos (529) (929) Depreciação/Amortização (62.718) 0 Total ( ) (47.044) 25

248 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS c. Despesas Gerais e Administrativas Controladora e Consolidado Pessoal (26.587) (27.110) Materiais (277) (216) Serviços de Terceiros (27.934) (9.822) Aluguel, Arrendamentos e Seguros (7.063) (5.578) Tributos (241) (146) Depreciação/Amortização (1.802) (3.310) Total (63.904) (46.182) d. Outras Receitas (Despesas) Operacionais, Líquidas Consolidado Contingências PISP-Programa de Indenização por Serviços Prestados 0 (20.341) Receitas Diversas Despesas Diversas (1.759) (99) Total (5.388) e. Receitas (Despesas) Financeiras, Líquidas Controladora e Consolidado Encargos sobre Contingências (32.236) (33.603) Juros s/ Recursos p/ Aumento de Capital (58.405) (22.650) Equivalentes de Caixa (17.905) Outras Receitas Outras Despesas (4.101) (7.434) Total (65.956) (67.531) f. REMUNERAÇÃO DE DIRIGENTES E EMPREGADOS A remuneração paga a dirigentes e empregados observa os critérios estabelecidos na legislação vigente e no Plano de Salários e Benefícios, aprovado pela TELEBRAS, em rigorosa observância ao que determina o Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais DEST. No exercício de 2014, a maior e a menor remuneração paga a empregados do quadro de pessoal da Companhia, relativas ao mês de dezembro, foram de R$ ,84 e R$ 1.888,00, respectivamente, e o salário médio foi de R$ ,92. Para os dirigentes, a maior remuneração paga, relativa ao mês de dezembro de 2014, foi de R$ ,23. 26

249 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 23. PLANOS DE BENEFÍCIOS PÓS-EMPREGO a. Fundação Sistel de Seguridade Social (SISTEL) A TELEBRAS e outras empresas do antigo Sistema TELEBRAS patrocinavam planos de previdência privada e de assistência médica aos aposentados, administrados pela Fundação Sistel de Seguridade Social (SISTEL). Em 28/12/1999, as patrocinadoras dos referidos planos negociaram condições para a criação de planos individualizados de aposentadoria por patrocinadora, resultando em uma proposta de reestruturação do Estatuto e Regulamento da SISTEL, que foi aprovada pela Secretaria de Previdência Complementar, em 13/01/2000. As modificações efetuadas no Estatuto da SISTEL visaram adequá-lo à administração de outros planos de benefícios, decorrentes da sua nova condição de entidade multipatrocinada, haja vista a realidade surgida com a desestatização do Sistema TELEBRAS. Tal versão estatutária contempla a reestruturação do Plano de Benefícios da SISTEL (PBS) em diversos planos, com a distribuição escritural dos encargos e a correspondente parcela patrimonial que compõe o patrimônio da SISTEL entre diversos planos de benefícios previdenciários, divididos em Plano PBS-A e Planos de Patrocinadoras. A segregação contábil dos referidos planos foi implementada pela SISTEL, a partir de 1º/02/2000. Assim, a TELEBRAS é patrocinadora dos seguintes planos: 1. PBS A É um plano de benefício definido, que, desde a sua criação, está totalmente integralizado em suas reservas matemáticas para assegurar os benefícios dos participantes assistidos e beneficiários. É composto por participantes oriundos do antigo Sistema TELEBRAS, assistidos do Plano de Benefícios da Sistel (PBS) já aposentados até 31/01/2000. O Plano apresenta superávit desde 2009, porém há controvérsia sobre a forma de sua distribuição. Os cálculos atuariais estão apresentados considerando a divisão da responsabilidade atuarial da TELEBRAS com as demais patrocinadoras. 2. PBS TELEBRAS É um plano de benefício definido e está sujeito a aportes de recursos da TELEBRAS e do participante, caso ocorra insuficiência de ativos para garantir a suplementação de aposentadoria dos participantes no futuro. É composto por participantes que ainda não estavam aposentados em 31/01/2000 e vinculados ao Plano da TELEBRAS. Em 26/9/2008, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria nº 2.537, da Secretaria de Previdência Complementar (SPC), que aprovou o novo regulamento do PBS-TELEBRAS, contemplando a distribuição do superávit do Plano, conforme dispõe o seu Capítulo XIV (Seções I, II, III e IV). Em 24/4/2009, o novo regulamento foi aprovado pelo Departamento de Coordenação e Controle das Empresas Estatais (DEST) por meio do Ofício nº 314/2009/MP/SE/DEST. O regulamento do PBS-TELEBRAS passou a ter um Capítulo específico tratando da distribuição dos recursos excedentes do Plano (Capítulo XIV). Com o superávit, foi possível efetuar a 27

250 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS suspensão das contribuições futuras da TELEBRAS, dos participantes (ativos e autopatrocinados) e dos assistidos, a partir de janeiro de 2009, bem como a criação de um benefício adicional. Anualmente, será realizada a reavaliação atuarial do Plano e, caso haja desequilíbrio atuarial no Plano PBS-TELEBRAS, a contribuição poderá ser reativada, no todo ou em parte, e a renda de benefício adicional ser suspensa, parcial ou integralmente. Em 31/12/2014, o Plano continua superavitário não ensejando no pagamento de contribuições por parte da TELEBRAS e ou dos participantes. PBS - TELEBRAS e PBS - A PBS - TELEBRAS PBS-A 31/12/ /12/ /12/ /12/2013 Provisões matemáticas e fundos Outros exigíveis Total das provisões/fundos e outros exigíveis (-) Total dos ativos dos planos (=) Superávit acumulado PAMA O Plano de Assistência Médica ao Aposentado (PAMA) é um fundo de assistência financeira que foi constituído a partir de junho de 1991 com a finalidade de proporcionar o atendimento médico hospitalar aos participantes aposentados/beneficiários dos Planos de Benefícios PBS - Assistidos e PBS - Patrocinadoras, a custos compartilhados, quando do uso dos benefícios. Conforme o seu regulamento, o plano é custeado por contribuições de cada uma das patrocinadoras, inclusive a TELEBRAS, à razão de 1,5% (um e meio por cento) sobre a folha salarial mensal dos participantes ativos vinculados aos planos PBS. 31/12/ /12/2013 Fundo de assistência financeira Outros exigíveis Total dos fundos e outros exigíveis Total dos ativos do plano

251 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 4. TELEBRASPREV É um plano misto de previdência complementar, implantado no primeiro semestre de 2003, aprovado pela Secretaria de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social em 3/12/2002, na modalidade de contribuição variável, para benefícios programáveis (aposentadorias) e benefícios definidos de riscos (auxílio-doença, invalidez e pensão por morte), sendo composto por participantes que estavam no plano PBS-TELEBRAS. É custeado pelos participantes e pela TELEBRAS, esta no limite de até 8% (oito por cento) dos salários de participação dos integrantes do Plano. Em 31/12/2014 e 31/12/2013, o plano apresentava as seguintes posições contábeis: 31/12/ /12/2013 Provisões matemáticas e fundos Outros exigíveis Total das provisões/fundos e outros exigíveis (-) Total dos ativos do plano (=) Superávit acumulado Durante o exercício de 2014, a Companhia efetuou contribuições no montante de R$ (R$ 934 em 2013). b. Informações sobre os Planos de Benefícios Pós-emprego. Movimentações das obrigações atuariais, do valor justo dos ativos e dos valores reconhecidos no Balanço. 1. Movimentação do Valor das Obrigações Atuariais QUADRO Nº 1 - VALOR JUSTO DOS ATIVOS DO PLANO ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Valor dos ativos a mercado , , ,63 2. Exigível operacional , , ,70 3. Exigível contingencial , , ,02 4. Fundos , , ,63 5. Valor justo dos ativos do plano , , ,28 (1) Valor informado pela Telebrás, o qual não foi objeto de avaliações por parte deste relatório. A parte relativa à Telebrás no plano PBS-A é de 8,61%. (2) Valores extraídos dos balancetes da SISTEL. 29

252 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS QUADRO Nº 2 - COMPOSIÇÃO DO VALOR JUSTO DOS ATIVOS DO PLANO ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Renda variável 6,70% 4,26% 5,25% 2. Renda fixa 95,55% 83,95% 78,55% 3. Fundos de investimentos - outros fundos - 3,34% 3,12% 4. Fundos emergentes - 0,29% 0,64% 5. Fundos de renda variável - 6,86% 8,54% 6. Fundos imobiliários Operações à vista 0,37% 4,35% 4,86% 8. Contas a pagar/receber -2,62% -3,05% -0,97% QUADRO Nº 3 - DADOS DE ENTRADA ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Taxa de desconto no início do exercício (custo dos juros) 12,71% 12,71% 12,71% 2. Tx. rendimento esperada s/ ativos do plano no início exercício 12,71% 12,71% 12,71% 3. Custo do serviço corrente , ,73 4. Benefícios pagos , , ,16 5. Contribuições recebidas pelo fundo , ,98 6. Despesas administrativas Valor presente da obrigação em 31/12/ , , ,81 8. Valor presente da obrigação em 31/12/ , , ,50 9. Valor justo dos ativos do plano em 31/12/ , , , Valor justo dos ativos do plano em 31/12/ , , ,28 QUADRO Nº 4 - CONCILIAÇÃO DA OBRIGAÇÃO ATUARIAL ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Valor presente da obrigação atuarial em 31/12/ , , ,81 2. Custo dos juros , , ,07 3. Custo do serviço corrente , ,73 4. Custo do serviço passado Benefícios pagos pelo fundo ( ,57) ( ,10) ( ,16) 6. Despesas administrativas pagas pelo fundo (Ganhos)/perdas atuariais sobre a obrigação atuarial , , ,05 8. Valor presente da obrigação em 31/12/ , , ,50 30

253 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS QUADRO Nº 5 - CONCILIAÇÃO DE ATIVOS DO PLANO ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Valor justo dos ativos do plano em 31/12/ , , ,99 2. Rendimento esperado dos ativos do plano , , ,03 3. Contribuições recebidas pelo fundo , ,98 4. Benefícios pagos pelo fundo ( ,57) ( ,10) ( ,16) 5. Despesas administrativas pagas pelo fundo Ganhos/(Perdas) atuariais s/ ativos do plano ( ,00) ( ,93) ( ,56) 7. Valor justo dos ativos do plano em 31/12/ , , ,28 QUADRO Nº 6 - GANHOS E PERDAS ATUARIAIS ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Valor Líquido acumulado dos ganhos e (perdas) atuariais e do serviço passado em 31/12/ Ganhos/(Perdas) atuariais não reconhecidos em 31/12/ Ganhos/(Perdas) atuariais para o ano sobre a obrigação ( ,68) ( ,31) ( ,05) 4. Ganhos/(Perdas) atuariais para o ano sobre os ativos do plano ( ,00) ( ,93) ( ,56) 5. Ganhos/(Perdas) atuariais do exercício ( ,68) ( ,24) ( ,61) 6. Ganhos/(perdas) atuariais e serviço passado não reconhecidos em 31/12/ QUADRO Nº 7 - CÁLCULO DA OBRIGACAO ATUARIAL DESCOBERTA ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Valor presente da obrigação em 31/12/ , , ,50 2. Valor justo dos ativos do plano em 31/12/2014 ( ,04) ( ,75) ( ,28) 3. Valor presente da obrigação descoberta QUADRO Nº 8 - CÁLCULO DA DESPESA DO EXERCÍCIO ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Custo do serviço corrente , ,73 2. Custo dos juros , , ,07 3. Rendimento esperado dos ativos do plano ( ,26) ( ,82) ( ,03) 4. Custo dos serviços passados (benefícios não adquiridos) Custo dos serviços passados (benefícios adquiridos) Despesa reconhecida na demonstração do resultado ( ,93) ( ,83) ( ,23) 31

254 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS QUADRO Nº 9 - MOVIMENTAÇÃO DO PASSIVO LÍQUIDO ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Passivo/(ativo) líquido reconhecido em 31/12/2013 ( ,81) ( ,80) ( ,18) 2. Despesa do ano ( ,93) ( ,83) ( ,23) 3. Pagamento de contribuições - (5.316,47) ( ,98) 4. Perdas/(ganhos) atuariais do exercício , , ,61 5. Passivo/(ativo) líquido em 31/12/2014 ( ,06) ( ,85) ( ,78) 5. Ajuste do teto de ativo , , ,78 6. Passivo/ativo líquido QUADRO Nº 10 - DESPESA PROJETADA PARA 2015 ESPECIFICAÇÃO PBS-A PBS-Telebrás Telebrás PREV 1. Juros sobre obrigações atuariais , , ,31 2. Rendimento esperado dos ativos ( ,62) ( ,88) ( ,02) 3. Custo do serviço corrente , ,71 4. Total da despesa ( ,39) ( ,30) ( ,00) QUADRO Nº 11 - OBRIGAÇÃO ATUARIAL, VALOR JUSTO DOS ATIVOS DO PLANO E SUPERÁVIT DO EXERCÍCIO ATUAL E ANTERIORES - PLANO DE BENEFÍCIOS PBS-A Valores em R$ milhões Rubrica Obrigação atuarial (A) 533,10 509,46 486,01 Valor justo (B) 682,63 644,40 597,69 Resultado (B - A) (+) Superávit/(-) Déficit 149,53 134,94 111,68 QUADRO Nº 12 - OBRIGAÇÃO ATUARIAL, VALOR JUSTO DOS ATIVOS DO PLANO E SUPERÁVIT DO EXERCÍCIO ATUAL E ANTERIORES - PLANO DE BENEFÍCIOS PBS-TELEBRAS Valores em R$ milhões Rubrica Obrigação atuarial (A) 145,93 131,70 145,86 Valor justo (B) 150,42 149,56 153,91 Resultado (B - A) (+) Superávit/(-) Déficit 4,49 17,86 8,05 32

255 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS QUADRO Nº 13 - OBRIGAÇÃO ATUARIAL, VALOR JUSTO DOS ATIVOS DO PLANO E SUPERÁVIT DO EXERCÍCIO ATUAL E ANTERIORES - PLANO DE BENEFÍCIOS TELEBRAS PREV Valores em R$ milhões Rubrica Obrigação atuarial (A) 288,19 263,33 274,25 Valor justo (B) 395,34 389,68 333,82 Resultado (B - A) (+) Superávit/(-) Déficit 107,15 126,35 59,57 QUADRO Nº 14 - Premissas Atuariais Plano PBS-A i) Premissas Biométricas:. Tábua de mortalidade geral: AT-2000 feminina. Tábua de entrada em invalidez: Não aplicável. Tábua de mortalidade de inválidos: RP-2000 Disabled feminina. Tábua de serviço - Combinação das tábuas de mortalidade geral e de entrada em invalidez, utilizando-se o Método dos Multidecrementos. ii) Premissas Econômicas:. Taxa real de desconto atuarial de longo prazo: 6,20%, obtida a partir da taxa de títulos públicos (NTN-B) registradas no final de 2014, com vencimento em 2024, por serem as mais compatíveis com o prazo de duração do passivo;. Taxa nominal de rendimento esperado para os ativos do plano: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47% ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivo e ativo no referido exercício;. Taxa nominal do custo dos juros: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47% ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivos e ativo no referido exercício.. Taxa de Rotatividade: 0,00%;. Taxa real de crescimento salarial: 0,00%. Taxa real de reajuste de benefícios: 0,00%. Taxa real de reajuste dos benefícios da Previdência Social: 0,00%. Fator de Capacidade para salários: 100,00%. Fator de Capacidade para benefícios: 100,00%. Taxa esperada de inflação no longo prazo: 6,74%, obtida em pesquisa no site do BAC EN 33

256 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Outras Premissas:. Hipótese sobre Gerações Futuras de Novos Entrados: Não usada. Hipótese sobre a Composição da Família de Pensionistas: considera-se que 95% dos participantes seja casados à data da aposentadoria, sendo os cônjuges do sexo feminino quatro anos mais jovens. São considerados, ainda, dois filhos com diferenças de idades para a mão de 20 e 22 anos. Plano PBS-Telebras iii) Premissas Biométricas:. Tábua de mortalidade geral: AT-2000 feminina. Tábua de entrada em invalidez: Light Fraca. Tábua de mortalidade de inválidos: RP-2000 Disabled feminina. Tábua de serviço - Combinação das tábuas de mortalidade geral e de entrada em invalidez, utilizando-se o Método dos Multidecrementos. iv) Premissas Econômicas:. Taxa real de desconto atuarial de longo prazo: 6,20%, obtida a partir da taxa de títulos públicos (NTN-B) registradas no final de 2014, com vencimento em 2024, por serem as mais compatíveis com o prazo de duração do passivo;. Taxa nominal de rendimento esperado para os ativos do plano: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47% ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivo e ativo no referido exercício;. Taxa nominal do custo dos juros: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47% ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivo e no ativo no referido exercício;. Taxa de Rotatividade: 0,00%;. Taxa real de crescimento salarial: 0,00%. Taxa real de reajuste de benefícios: 0,00%. Taxa real de reajuste dos benefícios da Previdência Social: 0,00%. Fator de Capacidade para salários: 100,00%. Fator de Capacidade para benefícios: 100,00%. Taxa esperada de inflação no longo prazo: 6,74% Outras Premissas:. Hipótese sobre Gerações Futuras de Novos Entrados: Não usada. Hipótese sobre a Composição da Família de Pensionistas: considera-se que 95% dos participantes sejam casados à data da aposentadoria, sendo os cônjuges do sexo femininos quatro anos mais jovens. São considerados, ainda, dois filhos com diferenças de idades para a mão de 20 e 22 anos. 34

257 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS Plano Telebrás PREV v) Premissas Biométricas:. Tábua de mortalidade geral: AT-2000 feminina. Tábua de entrada em invalidez: Light Fraca. Tábua de mortalidade de inválidos: RP-2000 Disabled feminina. Tábua de serviço - Combinação das tábuas de mortalidade geral e de entrada em invalidez, utilizando-se o Método dos Multidecrementos. vi) Premissas Econômicas:. Taxa real de desconto atuarial de longo prazo: 6,20%, obtida a partir da taxa de títulos públicos (NTN-B) registradas no final de 2014, com vencimento em 2024, por serem as mais compatíveis com o prazo de duração do passivo; Taxa nominal de rendimento esperado para os ativos do plano: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47% ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivo e ativo no referido exercício;. Taxa nominal do custo dos juros: 12,71%, composta pela inflação (5,86%) mais juros de 6,47& ao ano. Essa taxa foi definida na avaliação de 2013, como expectativa para 2014 e é usada para o cálculo das perdas e ganhos de passivo e ativo no referido exercício. Taxa de Rotatividade: 0%;. Taxa real de crescimento salarial: 0,00%. Taxa real de reajuste de benefícios: 0,00%. Taxa real de reajuste dos benefícios da Previdência Social: 0,00%. Fator de Capacidade para salários: 100,00%. Fator de Capacidade para benefícios: 100,00%. Taxa esperada de inflação no longo prazo: 6,74% Outras Premissas:. Hipótese sobre Gerações Futuras de Novos Entrados: Não usada. Hipótese sobre a Composição da Família de Pensionistas: considera-se que 95% dos participantes sejam casados à data da aposentadoria, sendo os cônjuges do sexo femininos quatro anos mais jovens. São considerados, ainda dois filhos com diferenças de idades para a mãe de 20 e 22 anos. 24 OUTRAS INFORMAÇÕES 24.1 Composição do Quadro de Pessoal da TELEBRAS incluindo empregados cedidos e requisitados Em 31/12/2014, estavam cedidos 55 empregados à ANATEL (58 em 31/12/2013) e 22 para outros órgãos governamentais (23 em 31/12/2013), com ônus para os cessionários, de acordo com o Decreto nº 4.050, de 12/12/2001, do total de 355 empregados da TELEBRAS. 35

258

259 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XV (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA DESTINAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DE 2014

260

261 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XVI (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) PARECER DO CONSELHO FISCAL

262

263 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XVII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) PARECER DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

264

265 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XVIII (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) DECLARAÇÃO DOS DIRETORES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

266

267 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XIX (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS E CONSOLIDADAS

268

269

270

271

272 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XX (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) DECLARAÇÃO DOS DIRETORES SOBRE O RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES

273

274 TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Vinculada ao Ministério das Comunicações ANEXO XXI (RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 TELEBRAS) VALOR TOTAL DO TIPO DE APLICAÇÃO E RESPECTIVA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL E AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

275 Relatório de Desempenho do Plano Telebrás Prev dezembro/2014 (R$ Mil) Balancete Sintético dez/2013 dez/2014 Variação (%) Ativo ,29% Disponível ,00% Realizável ,31% Gestão Previdencial ,82% Gestão Administrativa ,30% Investimentos ,31% Passivo ,29% Exigível Operacional ,78% Gestão Previdencial ,96% Investimentos ,30% Exigível Contingencial ,18% Gestão Previdencial ,18% Investimentos - - 0,00% Patrimônio Social ,33% Patrimônio de Cobertura do Plano ,14% Provisões Matemáticas ,59% Benefícios Concedidos ,63% Benefícios a Conceder ,51% Equilíbrio Técnico Acumulado - Superávit /(Déficit) ,14% Fundos ,15% Fundos Previdenciais ,76% Fundo Administrativo ,30% Fundo de Investimento ,97% Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas 150,59% 155,90% - (R$ Mil) Formação de Superávit /(Déficit) Técnico no Exercício Jan - Dez 2013 Jan - dez 2014 % Participação Jan - dez 2014 Superávit/(Déficit) Técnico (a+b) (75.082) ,00% Gestão Previdencial (a) (7.293) (17.557) -102,79% Receitas ,41% Contribuições ,41% Despesas (19.210) (13.230) -77,45% Pagamentos de Benefícios (12.414) (12.789) -74,87% Resgates e Portabilidade (6.796) (440) -2,58% Outras Despesas - - 0,00% (Constituições)/Reversões de Contingências Previdenciais (5.378) (312) -1,83% Custeio Administrativo Previdencial (90) (107) -0,63% (Constituições)/Reversões de Provisões Matemáticas (1.492) (1.801) -10,54% (Constituições)/Reversões de Fundos Previdenciais (4.397) -25,74% Resultado dos Investimentos (b) (67.789) ,79% (%) Indicadores dez/2014 Despesas Administrativas Despesas Administrativas Previdenciais / Fundo Administrativo 0,1228% Despesas Administrativas Previdenciais / Ativo Total 0,0142% Despesas Administrativas de Investimentos / Ativo Total 0,0176% (Quantidade) População dez/2014 Total 350 Participantes 225 Assistidos 119 Pensionistas 6

276 Relatório de Desempenho do Plano Telebrás Prev dezembro/2014 Rentabilidade, Referência de Rentabilidade e VaR Rentabilidade da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Ano 2014 Renda Fixa 0,32% 10,31% Renda Variável -6,03% -10,75% Investimentos Estruturados 2,22% 5,56% Imóveis - - Empréstimos 1,40% 11,83% Total -0,54% 6,51% Referência de Rentabilidade do Plano dezembro/2014 Ano 2014 IBrX-50 (Renda Variável) -8,61% -2,65% 120% INPC + 3,80% a.a. (Investimentos Estruturados) 1,12% 12,44% INPC + 3,80% a.a (Renda Fixa e Atuarial Plano) (1) 0,93% 10,26% CDI 0,95% 10,81% (1) A referência do segmento de renda fixa foi alterada a partir de fevereiro, conforme revisão da política de investimento aprovada pelo Conselho. Indicador de Risco (VaR) da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Política Invest Renda Fixa 2,78% 6,73% Renda Variável 6,77% 10,42% Plano de Benefícios 3,08% 6,63% Comentários sobre o Desempenho do Plano O Telebrás Prev é um plano de benefícios cujas provisões matemáticas estão segregadas em benefícios definidos (86%), com uma exigibilidade atuarial de INPC + 3,8% a.a. e contribuição definida (14%), que segue a variação da cota patrimonial do plano, ou seja, está atrelada a rentabilidade dos investimentos. Não obstante ao retorno apresentado pelo segmento de renda fixa até dezembro (10,31%), a volatilidade apresentada pelo mercado de ações prejudicou a rentabilidade acumulada do plano (6,51%) no período, que ficou abaixo da variação do índice de referência (10,26%). No entanto, o resultado do plano no ano é superavitário em R$ 17,1 milhões, com Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas em torno de 155,9%.

277 Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 Telebrás Prev Composição da Carteira de Investimentos do Plano TÍTULOS PÚBLICOS Letras do Tesouro Nacional - LTN Letras Financeiras do Tesouro - LFT Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B Notas do Tesouro Nacional Série F - NTN-F TOTAL TÍTULOS PRIVADOS Certificados de Depósito Bancário - CDB Letras Financeiras Debêntures TOTAL ATIVOS AÇÕES AMBEV S.A. Banco Bradesco S.A. Banco do Brasil S.A. Banco Itaú Holding Financeira S.A. BB Seguridade Participações S.A. BM&F BOVESPA S.A. Brasil Foods S.A. CETIP S.A. Mercados Organizados Cia Hering S.A. Cielo S.A. Companhia de Concessões Rodoviárias Companhia Energética de Minas Gerais S.A. - CEMIG CONTAX Participações S.A. EZ TEC Empreendimentos e Participações S.A. JSL S.A. Marfrig Alimentos S.A. Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobrás São Martinho S.A. Ser Educacional S.A. Telefonica Brasil S.A. Vale S.A. VALID Soluções Serviços Segurança Meios Pagamento Identificação S.A. Outros (2) TOTAL FUNDOS DE INVESTIMENTOS ESTRUTURADOS FIP BVEP Plaza Classe A FIP BVEP Plaza Classe B FIP Infraestrutura II FIP BNY Mellon GTDP TOTAL NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA R$ Mil % VAZIA ,41% ,30% ,28% ,37% ,36% VAZIA VAZIA ,23% ,84% ,57% ,64% VAZIA VAZIA ,44% ,49% 748 0,13% ,81% ,19% 938 0,17% ,24% ,44% ,52% ,51% ,48% 677 0,12% 869 0,15% ,78% 943 0,17% ,52% ,30% ,26% ,59% ,22% ,41% ,70% ,56% ,20% VAZIA ,75% ,26% ,99% 95 0,02% ,02% EMPRÉSTIMOS OUTROS TOTAL GERAL (1) (1) Total de Recursos Garantidores conforme Resolução nº 3.792/2009: + Disponível + Realizável de Investimentos - Exigível Operacional de Investimentos - Exigível Contingencial de Investimentos (2) Outros investimentos em ações que na data da posição apresentavam saldo com valor inferior a R$ NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA ,64% VAZIA ,14% VAZIA ,00% VAZIA VAZIA VAZIA VAZIA VAZIA

278 Participação do Plano no Fundo Administrativo (Plano Gestão Adm.-PGA) ATIVOS TÍTULOS PÚBLICOS Letras do Tesouro Nacional - LTN Letras Financeiras do Tesouro - LFT Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B Notas do Tesouro Nacional Série C - NTN-C Notas do Tesouro Nacional Série F - NTN-F TOTAL TÍTULOS PRIVADOS Certificados de Depósito Bancário - CDB Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Letras Financeiras Debêntures TOTAL OUTROS TOTAL DOS INVESTIMENTOS OUTROS VALORES A RECEBER/PAGAR PERMANENTE TOTAL DO FUNDO ADMINISTRATIVO Glossário Cota Patrimonial - Rentabilidade da cota apurada a partir do resultado dos investimentos, deduzida as contingências judiciais relativas ao Plano. Custeio Administrativo - Recursos para cobertura das despesas administrativas da entidade. Despesas Administrativas - Gastos realizados pela entidade na administração de seus planos de benefícios. DPGE - Aplicação que conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito até o valor de R$ 20 Milhões para casos como intervenção, liquidação extrajudicial, falência ou insolvência de Instituições Financeiras. Equilíbrio Técnico Acumulado - Apuração do equilíbrio patrimonial dos recursos garantidores em relação aos compromissos do Plano de Benefícios, denominando-se superávit para a situação de excedente para cobertura dos compromissos e déficit para a situação de insuficiência. Resultado dos Investimentos - Resultado líquido dos investimentos resultante das receitas dos investimentos deduzidas as despesas, os gastos para sua administração e a constituição ou reversão dos fundos contingenciais e de investimentos. Fundo Administrativo - Fundo de gestão administrativa - PGA para cobertura de despesas administrativas a serem realizadas pela entidade na administração dos seus planos de benefícios, na forma dos respectivos regulamentos. IBrX-50 - Índice apurado e divulgado pela BM&FBovespa que mede o retorno total de uma carteira teórica composta por 50 ações selecionadas entre as mais negociadas na bolsa em termos de liquidez, ponderadas na carteira pelo valor de mercado das ações disponíveis à negociação. IMA - Índices de renda fixa divulgados pela Anbima, calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos e classificados em: IMA-B Títulos públicos federais pós-fixados, série B, atrelados ao IPC-A (NTN-B); IMA-C Títulos públicos federais pós-fixados, série C, atrelados ao IGP-M (NTN-C); IMA-S Títulos públicos federais pós-fixados atrelados à Taxa SELIC (LFT); IRF-M Títulos públicos federais prefixados, série F (LTN e NTN-F). Índice de Cobertura de Provisões Matemáticas (ICPM) - Relação entre o patrimônio para cobertura do plano e a provisão matemática. Índice superior a 100% demonstra que o plano de benefício possui recursos acima das suas necessidades atuariais e, em caso oposto, ou seja, valores inferiores a 100%, que o plano não possui patrimônio suficiente para cobrir as provisões matemáticas. Marcação a Mercado(MtM) É uma metodologia utilizada pelo mercado e consiste na contabilização do valor de determinado ativo, dia a dia, pelo seu valor de mercado no dia, independentemente do valor ou da taxa contratada na data de sua aquisição. Quando a curva de juros sobe, há uma perda a ser registrada, porque os ativos perdem valor. E quando a curva de juros desce, o efeito é contrário, ou seja, os ativos ganham valor. Patrimônio Social - Recursos acumulados para fazer frente às obrigações do plano. Provisões Matemáticas - Representa o montante de recursos necessários para sustentação do benefício contratado até o final da vida do participante e de seu dependente. O cálculo é efetuado atuarialmente quando do fechamento do balancete mensal e a reavaliação das premissas atuariais é efetuada anualmente. Estas se dividem em: Benefício a Conceder - quando o participante ainda está em atividade e, neste caso, o valor da reserva é proporcional ao tempo que falta para a aposentadoria. Benefício Concedido - quando o participante está em gozo de aposentadoria ou pensão e a reserva está calculada para sustentar o benefício entre a data de cálculo e o final da vida prevista para o participante. Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 Telebrás Prev NÃO VAZIA NÃO VAZIA R$ Mil % NÃO VAZIA VAZIA 164 0,22% ,55% ,94% ,16% 23 0,03% ,92% NÃO VAZIA NÃO VAZIA VAZIA ,19% 128 0,17% 815 1,10% 59 0,08% ,55% NÃO VAZIA (13) -0,02% NÃO VAZIA ,45% NÃO VAZIA (93) -0,13% NÃO VAZIA ,68% NÃO VAZIA ,00% NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA

279 Relatório de Desempenho do Plano PBS Assistidos dezembro/2014 (R$ Mil) Balancete Sintético dez/2013 dez/2014 Variação (%) Ativo ,44% Disponível ,80% Realizável ,44% Gestão Previdencial ,61% Gestão Administrativa ,39% Investimentos ,45% Passivo ,44% Exigível Operacional ,02% Gestão Previdencial ,64% Investimentos ,84% Exigível Contingencial ,90% Gestão Previdencial ,25% Investimentos ,49% Patrimônio Social ,60% Patrimônio de Cobertura do Plano ,70% Provisões Matemáticas ,06% Benefícios Concedidos ,06% Equilíbrio Técnico Acumulado - Superávit /(Déficit) ,78% Fundos ,68% Fundos Previdenciais ,91% Fundo Administrativo ,39% Fundo de Investimento ,56% Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas 128,85% 134,71% - (R$ Mil) Formação de Superávit /(Déficit) Técnico no Exercício Jan - Dez 2013 Jan - dez 2014 % Participação Jan - dez 2014 Superávit/(Déficit) Técnico (a+b) ( ) ,00% Gestão Previdencial (a) ( ) ( ) -245,81% Receitas ,48% Contribuições ,38% Outras Receitas Previdenciais ,10% Despesas ( ) ( ) -122,54% Pagamentos de Benefícios ( ) ( ) -122,49% Resgates e Portabilidade - - 0,00% Outras Despesas - (222) -0,05% (Constituições)/Reversões de Contingências Previdenciais ( ) (24.501) -5,86% Custeio Administrativo Previdencial - - 0,00% (Constituições)/Reversões de Provisões Matemáticas (41.801) ( ) -31,33% (Constituições)/Reversões de Fundos Previdenciais ( ) -91,56% Resultado dos Investimentos (b) ( ) ,81% (%) Indicadores dez/2014 Despesas Administrativas Despesas Administrativas Previdenciais / Fundo Administrativo 1,2982% Despesas Administrativas Previdenciais / Ativo Total 0,0500% Despesas Administrativas de Investimentos / Ativo Total 0,0194% (Quantidade) População dez/2014 Total Participantes - Assistidos Pensionistas 5.087

280 Relatório de Desempenho do Plano PBS Assistidos dezembro/2014 Rentabilidade, Referência de Rentabilidade e VaR Rentabilidade da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Ano 2014 Renda Fixa -2,55% 14,20% Renda Variável -4,09% 11,70% Investimentos Estruturados 0,49% 147,30% Imóveis 0,78% 9,29% Empréstimos 1,00% 12,51% Total -2,50% 13,44% Referência de Rentabilidade do Plano dezembro/2014 Ano % IMA-B e 37% IMA-C (Renda Fixa) -1,90% 13,62% IBrX-50 (Renda Variável) -8,61% -2,65% INPC + 3,80% a.a (Investimentos Estruturados, Imóveis e Atuarial Plano) 0,93% 10,26% CDI 0,95% 10,81% Indicador de Risco (VaR) da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Política Invest Renda Fixa 4,34% 6,17% Renda Variável 7,04% 8,34% Plano de Benefícios 4,23% 6,17% Comentários sobre o Desempenho do Plano O PBS Assistidos é um plano de benefício definido cuja exigibilidade atuarial é de INPC + 3,8% a.a. A redução da taxa de juros continuou como o principal fator que impactou positivamente a precificação a mercado dos títulos públicos federais, que compõem o segmento de renda fixa. Quanto ao retorno acumulado da carteira de investimentos do plano de 13,44% encontrase acima da variação da meta atuarial do plano (10,26%), face às rentabilidades apresentadas pelos segmentos de renda fixa e variável no período, que também apresentaram variações superiores aos seus respectivos índices de referência. O resultado acumulado do plano no ano é superavitário em R$ 418,1 milhões, com Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas em torno de 134,7%.

281 Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 PBS Assistidos Composição da Carteira de Investimentos do Plano ATIVOS R$ Mil % PATR-02-PBS - ASSISTIDOS TÍTULOS PÚBLICOS NÃO VAZIA VAZIA Letras do Tesouro Nacional - LTN ,14% Letras Financeiras do Tesouro - LFT ,69% Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B ,61% Notas do Tesouro Nacional Série C - NTN-C ,98% TOTAL ,41% NÃO VAZIA VAZIA TÍTULOS PRIVADOS NÃO VAZIA VAZIA Certificados de Depósito Bancário - CDB ,84% Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) ,15% Letras Financeiras ,76% Debêntures ,36% TOTAL ,11% NÃO VAZIA VAZIA AÇÕES NÃO VAZIA VAZIA AMBEV S.A ,03% Banco Bradesco S.A ,03% Banco Itaú Holding Financeira S.A ,09% BB Seguridade Participações S.A ,02% Bonaire Participações S.A ,12% Brasil Foods S.A ,94% CETIP S.A. Mercados Organizados ,04% COSAN S.A. Industria e Comércio ,01% CPFL Energia S.A ,06% Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - EMBRAER ,51% Iguatemi Empresa Shopping Centers S.A ,01% Iochpe Maxion S.A ,01% Itaúsa - Investimentos Itaú S.A ,01% JSL S.A ,02% Marfrig Alimentos S.A ,03% MILLS Estruturas Serviços Engenharia S.A ,01% Minerva S.A ,01% Paranapanema S.A ,17% Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobrás ,03% Renova Energia S.A ,01% Ultrapar Participações S.A ,02% Vale S.A ,03% Outros (2) ,24% TOTAL ,47% NÃO VAZIA VAZIA FUNDOS DE INVESTIMENTOS ESTRUTURADOS NÃO VAZIA VAZIA FII Centro Textil ,19% FII Geo Guararapes 155 0,00% FIP BNY Mellon GTDP ,02% TOTAL ,21% NÃO VAZIA VAZIA CARTEIRA IMOBILIÁRIA NÃO VAZIA VAZIA Centro Empresarial Internacional Rio ,89% Centro Empresarial Rio ,35% Edificio Afonso Pena ,24% Edificio Banlavoura ,20% Edificio Rio Metropolitan ,59% Edificio Birman X ,81% Edificio Birman IX (Herbert Levy) ,82% Empresarial Center Recife ,06% Barra Shopping ,29% Shopping Center Morumbi ,87% TOTAL ,12% NÃO VAZIA VAZIA EMPRÉSTIMOS ,06% NÃO VAZIA VAZIA OUTROS (46.951) -0,39% NÃO VAZIA VAZIA TOTAL GERAL (1) ,00% (1) Total de Recursos Garantidores conforme Resolução nº 3.792/2009: NÃO VAZIA VAZIA + Disponível NÃO VAZIA VAZIA + Realizável de Investimentos NÃO VAZIA VAZIA - Exigível Operacional de Investimentos NÃO VAZIA VAZIA - Exigível Contingencial de Investimentos NÃO VAZIA VAZIA (2) Outros investimentos em ações que na data da posição apresentavam saldo com valor inferior a R$

282 Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 PBS Assistidos Participação do Plano no Fundo Administrativo (Plano Gestão Adm.-PGA) NÃO VAZIA NÃO VAZIA ATIVOS R$ Mil % TÍTULOS PÚBLICOS NÃO VAZIA VAZIA Letras do Tesouro Nacional - LTN ,23% Letras Financeiras do Tesouro - LFT ,65% Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B ,85% Notas do Tesouro Nacional Série C - NTN-C ,61% Notas do Tesouro Nacional Série F - NTN-F 156 0,03% TOTAL ,36% NÃO VAZIA TÍTULOS PRIVADOS NÃO VAZIA VAZIA Certificados de Depósito Bancário - CDB ,23% Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) 853 0,18% Letras Financeiras ,12% Debêntures 394 0,08% TOTAL ,61% NÃO VAZIA OUTROS ,66% NÃO VAZIA TOTAL DOS INVESTIMENTOS ,63% NÃO VAZIA OUTROS VALORES A RECEBER/PAGAR (620) -0,13% NÃO VAZIA PERMANENTE ,50% NÃO VAZIA TOTAL DO FUNDO ADMINISTRATIVO ,00% NÃO VAZIA Glossário Cota Patrimonial - Rentabilidade da cota apurada a partir do resultado dos investimentos, deduzida as contingências judiciais relativas ao Plano. Custeio Administrativo - Recursos para cobertura das despesas administrativas da entidade. Despesas Administrativas - Gastos realizados pela entidade na administração de seus planos de benefícios. DPGE - Aplicação que conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito até o valor de R$ 20 Milhões para casos como intervenção, liquidação extrajudicial, falência ou insolvência de Instituições Financeiras. Equilíbrio Técnico Acumulado - Apuração do equilíbrio patrimonial dos recursos garantidores em relação aos compromissos do Plano de Benefícios, denominando-se superávit para a situação de excedente para cobertura dos compromissos e déficit para a situação de insuficiência. Resultado dos Investimentos - Resultado líquido dos investimentos resultante das receitas dos investimentos deduzidas as despesas, os gastos para sua administração e a constituição ou reversão dos fundos contingenciais e de investimentos. Fundo Administrativo - Fundo de gestão administrativa - PGA para cobertura de despesas administrativas a serem realizadas pela entidade na administração dos seus planos de benefícios, na forma dos respectivos regulamentos. IBrX-50 - Índice apurado e divulgado pela BM&FBovespa que mede o retorno total de uma carteira teórica composta por 50 ações selecionadas entre as mais negociadas na bolsa em termos de liquidez, ponderadas na carteira pelo valor de mercado das ações disponíveis à negociação. IMA - Índices de renda fixa divulgados pela Anbima, calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos e classificados em: IMA-B Títulos públicos federais pós-fixados, série B, atrelados ao IPC-A (NTN-B); IMA-C Títulos públicos federais pós-fixados, série C, atrelados ao IGP-M (NTN-C); IMA-S Títulos públicos federais pós-fixados atrelados à Taxa SELIC (LFT); IRF-M Títulos públicos federais prefixados, série F (LTN e NTN-F). Índice de Cobertura de Provisões Matemáticas (ICPM) - Relação entre o patrimônio para cobertura do plano e a provisão matemática. Índice superior a 100% demonstra que o plano de benefício possui recursos acima das suas necessidades atuariais e, em caso oposto, ou seja, valores inferiores a 100%, que o plano não possui patrimônio suficiente para cobrir as provisões matemáticas. Marcação a Mercado (MtM) É uma metodologia utilizada pelo mercado e consiste na contabilização do valor de determinado ativo, dia a dia, pelo seu valor de mercado no dia, independentemente do valor ou da taxa contratada na data de sua aquisição. Quando a curva de juros sobe, há uma perda a ser registrada, porque os ativos perdem valor. E quando a curva de juros desce, o efeito é contrário, ou seja, os ativos ganham valor. Patrimônio Social - Recursos acumulados para fazer frente às obrigações do plano. NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA Provisões Matemáticas - Representa o montante de recursos necessários para sustentação do benefício contratado até o final da vida do participante e de seu dependente. O cálculo é efetuado atuarialmente quando do fechamento do balancete mensal e a reavaliação das premissas atuariais é efetuada anualmente. Estas se dividem em: NÃO VAZIA Benefício a Conceder - quando o participante ainda está em atividade e, neste caso, o valor da reserva é proporcional ao tempo que falta para a aposentadoria. NÃO VAZIA

283 Relatório de Desempenho do Plano PBS Telebrás dezembro/2014 (R$ Mil) Balancete Sintético dez/2013 dez/2014 Variação (%) Ativo ,62% Disponível - - 0,00% Realizável ,62% Gestão Previdencial ,11% Gestão Administrativa ,14% Investimentos ,84% Passivo ,62% Exigível Operacional ,83% Gestão Previdencial ,74% Investimentos ,24% Exigível Contingencial ,65% Gestão Previdencial ,99% Investimentos ,96% Patrimônio Social ,71% Patrimônio de Cobertura do Plano ,29% Provisões Matemáticas ,04% Benefícios Concedidos ,97% Benefícios a Conceder ,08% Equilíbrio Técnico Acumulado - Superávit /(Déficit) ,33% Fundos ,80% Fundos Previdenciais ,19% Fundo Administrativo ,14% Fundo de Investimento ,48% Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas 123,19% 123,48% - (R$ Mil) Formação de Superávit /(Déficit) Técnico no Exercício Jan - Dez 2013 Jan - dez 2014 % Participação Jan - dez 2014 Superávit/(Déficit) Técnico (a+b) (26.561) ,00% Gestão Previdencial (a) (5.826) (20.952) -1121,63% Receitas 5 6 0,32% Contribuições 5 6 0,32% Despesas (21.072) (8.567) -458,62% Pagamentos de Benefícios (21.072) (8.567) -458,62% Resgates e Portabilidade - - 0,00% Outras Despesas - - 0,00% (Constituições)/Reversões de Contingências Previdenciais (3.206) (361) -19,33% Custeio Administrativo Previdencial - (1) -0,05% (Constituições)/Reversões de Provisões Matemáticas (6.105) -326,82% (Constituições)/Reversões de Fundos Previdenciais (5.924) -317,13% Resultado dos Investimentos (b) (20.735) ,63% (%) Indicadores dez/2014 Despesas Administrativas Despesas Administrativas Previdenciais / Fundo Administrativo 0,1418% Despesas Administrativas Previdenciais / Ativo Total 0,0143% Despesas Administrativas de Investimentos / Ativo Total 0,0177% (Quantidade) População dez/2014 Total 118 Participantes 25 Assistidos 86 Pensionistas 7

284 Relatório de Desempenho do Plano PBS Telebrás dezembro/2014 Rentabilidade, Referência de Rentabilidade e VaR Rentabilidade da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Ano 2014 Renda Fixa 0,28% 11,19% Renda Variável -6,11% -10,62% Investimentos Estruturados 2,19% 5,44% Imóveis - - Empréstimos 0,95% 11,97% Total -0,39% 8,01% Referência de Rentabilidade do Plano dezembro/2014 Ano 2014 IBrX-50 (Renda Variável) -8,61% -2,65% 120% INPC + 3,80% a.a. (Investimentos Estruturados) 1,12% 12,44% INPC + 3,80% a.a (Renda Fixa e Atuarial Plano) (1) 0,93% 10,26% CDI 0,95% 10,81% (1) A referência do segmento de renda fixa foi alterada a partir de fevereiro, conforme revisão da política de investimento aprovada pelo Conselho. Indicador de Risco (VaR) da Carteira de Investimentos dezembro/2014 Política Invest Renda Fixa 3,14% 4,92% Renda Variável 6,68% 10,44% Plano de Benefícios 3,32% 5,08% Comentários sobre o Desempenho do Plano O PBS Telebrás é um plano de benefícios cujas provisões matemáticas estão segregadas em benefícios definidos (93%), com uma exigibilidade atuarial de INPC + 3,8% a.a. e contribuição definida (7%), referente à parcela dos benefícios adicionais (distribuição de superávit), que segue a variação da cota patrimonial do plano, ou seja, está atrelada a rentabilidade dos investimentos. Não obstante ao retorno apresentado pelo segmento de renda fixa até dezembro (11,19%), a volatilidade apresentada pelo mercado de ações prejudicou a rentabilidade acumulada do plano (8,01%) no período, que ficou abaixo da variação da sua meta atuarial (10,26%). No entanto, o resultado do plano no ano é superavitário em R$ 1,9 milhões, com Índice de Cobertura das Provisões Matemáticas em torno de 123,5%.

285 Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 PBS Telebrás Composição da Carteira de Investimentos do Plano ATIVOS R$ Mil % PATR-09-PBS TELEBRAS TÍTULOS PÚBLICOS Letras do Tesouro Nacional - LTN Letras Financeiras do Tesouro - LFT Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B TOTAL TÍTULOS PRIVADOS Letras Financeiras Debêntures TOTAL AÇÕES AMBEV S.A. Banco Bradesco S.A. Banco do Brasil S.A. Banco Itaú Holding Financeira S.A. BB Seguridade Participações S.A. BM&F BOVESPA S.A. Brasil Foods S.A. CETIP S.A. Mercados Organizados Cia Hering S.A. Cielo S.A. Companhia de Concessões Rodoviárias Companhia Energética de Minas Gerais S.A. - CEMIG CONTAX Participações S.A. EZ TEC Empreendimentos e Participações S.A. Iguatemi Empresa Shopping Centers S.A. Iochpe Maxion S.A. JSL S.A. Marfrig Alimentos S.A. MILLS Estruturas Serviços Engenharia S.A. Minerva S.A. Paranapanema S.A. Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobrás Renova Energia S.A. São Martinho S.A. Ser Educacional S.A. Telefonica Brasil S.A. Vale S.A. VALID Soluções Serviços Segurança Meios Pagamento Identificação S.A. Outros (2) TOTAL FUNDOS DE INVESTIMENTOS ESTRUTURADOS FIP BVEP Plaza Classe A FIP BVEP Plaza Classe B FIP Infraestrutura II FIP BNY Mellon GTDP TOTAL NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA VAZIA ,32% ,58% ,63% ,54% VAZIA VAZIA ,91% ,76% ,67% VAZIA VAZIA ,35% ,39% 388 0,13% ,39% 441 0,15% 421 0,14% 452 0,15% ,42% ,36% ,39% ,34% 310 0,10% 322 0,11% ,54% 325 0,11% 338 0,11% 508 0,17% ,42% 298 0,10% 312 0,10% 283 0,09% 690 0,23% 298 0,10% 548 0,18% ,43% 542 0,18% 984 0,32% ,48% ,74% ,71% VAZIA ,87% 906 0,30% ,99% 56 0,02% ,17% EMPRÉSTIMOS OUTROS TOTAL GERAL (1) (1) Total de Recursos Garantidores conforme Resolução nº 3.792/2009: + Disponível + Realizável de Investimentos - Exigível Operacional de Investimentos - Exigível Contingencial de Investimentos (2) Outros investimentos em ações que na data da posição apresentavam saldo com valor inferior a R$ NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA ,28% VAZIA ,64% VAZIA ,00% VAZIA VAZIA VAZIA VAZIA VAZIA

286 Relatório Desempenho de Plano dezembro/2014 PBS Telebrás Participação do Plano no Fundo Administrativo (Plano Gestão Adm.-PGA) ATIVOS TÍTULOS PÚBLICOS Letras do Tesouro Nacional - LTN Letras Financeiras do Tesouro - LFT Notas do Tesouro Nacional Série B - NTN-B Notas do Tesouro Nacional Série C - NTN-C Notas do Tesouro Nacional Série F - NTN-F TOTAL TÍTULOS PRIVADOS Certificados de Depósito Bancário - CDB Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Letras Financeiras Debêntures TOTAL OUTROS TOTAL DOS INVESTIMENTOS OUTROS VALORES A RECEBER/PAGAR PERMANENTE TOTAL DO FUNDO ADMINISTRATIVO Glossário Cota Patrimonial - Rentabilidade da cota apurada a partir do resultado dos investimentos, deduzida as contingências judiciais relativas ao Plano. Custeio Administrativo - Recursos para cobertura das despesas administrativas da entidade. Despesas Administrativas - Gastos realizados pela entidade na administração de seus planos de benefícios. DPGE - Aplicação que conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito até o valor de R$ 20 Milhões para casos como intervenção, liquidação extrajudicial, falência ou insolvência de Instituições Financeiras. Equilíbrio Técnico Acumulado - Apuração do equilíbrio patrimonial dos recursos garantidores em relação aos compromissos do Plano de Benefícios, denominando-se superávit para a situação de excedente para cobertura dos compromissos e déficit para a situação de insuficiência. Resultado dos Investimentos - Resultado líquido dos investimentos resultante das receitas dos investimentos deduzidas as despesas, os gastos para sua administração e a constituição ou reversão dos fundos contingenciais e de investimentos. Fundo Administrativo - Fundo de gestão administrativa - PGA para cobertura de despesas administrativas a serem realizadas pela entidade na administração dos seus planos de benefícios, na forma dos respectivos regulamentos. IBrX-50 - Índice apurado e divulgado pela BM&FBovespa que mede o retorno total de uma carteira teórica composta por 50 ações selecionadas entre as mais negociadas na bolsa em termos de liquidez, ponderadas na carteira pelo valor de mercado das ações disponíveis à negociação. IMA - Índices de renda fixa divulgados pela Anbima, calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos e classificados em: IMA-B Títulos públicos federais pós-fixados, série B, atrelados ao IPC-A (NTN-B); IMA-C Títulos públicos federais pós-fixados, série C, atrelados ao IGP-M (NTN-C); IMA-S Títulos públicos federais pós-fixados atrelados à Taxa SELIC (LFT); IRF-M Títulos públicos federais prefixados, série F (LTN e NTN-F). Índice de Cobertura de Provisões Matemáticas (ICPM) - Relação entre o patrimônio para cobertura do plano e a provisão matemática. Índice superior a 100% demonstra que o plano de benefício possui recursos acima das suas necessidades atuariais e, em caso oposto, ou seja, valores inferiores a 100%, que o plano não possui patrimônio suficiente para cobrir as provisões matemáticas. Marcação a Mercado(MtM) É uma metodologia utilizada pelo mercado e consiste na contabilização do valor de determinado ativo, dia a dia, pelo seu valor de mercado no dia, independentemente do valor ou da taxa contratada na data de sua aquisição. Quando a curva de juros sobe, há uma perda a ser registrada, porque os ativos perdem valor. E quando a curva de juros desce, o efeito é contrário, ou seja, os ativos ganham valor. Patrimônio Social - Recursos acumulados para fazer frente às obrigações do plano. Provisões Matemáticas - Representa o montante de recursos necessários para sustentação do benefício contratado até o final da vida do participante e de seu dependente. O cálculo é efetuado atuarialmente quando do fechamento do balancete mensal e a reavaliação das premissas atuariais é efetuada anualmente. Estas se dividem em: Benefício a Conceder - quando o participante ainda está em atividade e, neste caso, o valor da reserva é proporcional ao tempo que falta para a aposentadoria. NÃO VAZIA NÃO VAZIA R$ Mil % NÃO VAZIA VAZIA 76 0,22% ,55% ,94% ,16% 11 0,03% ,92% NÃO VAZIA NÃO VAZIA VAZIA 751 2,19% 59 0,17% 378 1,10% 27 0,08% ,55% NÃO VAZIA (6) -0,02% NÃO VAZIA ,45% NÃO VAZIA (43) -0,13% NÃO VAZIA ,68% NÃO VAZIA ,00% NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA NÃO VAZIA

287 Relatório de Enquadramento dos Investimentos - PBS ASSISTIDOS Referencia 31/12/2014 Patrimônio Líquido...: ,76 Renda Fixa Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Enquadramento Renda Fixa - Títulos Públicos - Federais LFT ,90 5,69% LTN ,08 0,14% NTN_B ,51 45,61% NTN_C ,90 22,98% Total... : ,40 Renda Fixa - Títulos Públicos ,40 74,41% 100,00% Enquadrado Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de instituição financeira / poupança CDB ,81 1,84% DPGE ,84 0,15% LF ,49 0,76% Total... : ,14 Renda Fixa - Cotas de FIC/FI Curto Prazo, Referenciado, RF Cotas de FIC / FI Curto Prazo ,30 0,00% Total... : ,30 Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de companhias abertas / securitizadoras Debentures ,05 0,25% Total... : ,05 Renda Fixa - Títulos Privados ,48 3,00% 80,00% Enquadrado Renda Fixa ,89 77,42% 100,00% Enquadrado Renda Variável Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) AÇÕES DE MERCADO BOVESPA NIVEL ,59 0,21% 45,00% Enquadrado BOVESPA NIVEL ,50 0,01% 60,00% Enquadrado NOVO MERCADO ,88 14,03% 70,00% Enquadrado OUTROS ,93 0,20% 35,00% Enquadrado Total... : ,90 14,47% 70,00% Enquadrado Renda Variavel - Outros Ativos OUTROS ATIVOS Demais Ativos ,00 0,11% Total... : ,00 0,11% 3,00% Enquadrado Renda Variável ,90 14,58% 70,00% Enquadrado

288 Investimento Estruturado Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Investimentos Estruturados Fundos de Investimento em Participações ,19 0,02% Investimentos Estruturados Fundos Imobiliários ,49 0,19% Total... : ,49 0,19% 10,00% Enquadrado Investimento Estruturado ,68 0,21% 20,00% Enquadrado Imóveis Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Imóveis IMÓVEIS Imóveis - Aluguéis e Renda ,88 7,12% Imóveis ,88 7,12% 8,00% Enquadrado Empréstimo e Financiamento Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Empréstimos E Fin. Imobiliários Empréstimos ,30 1,06% Empréstimos e Financiamentos Imobiliários ,30 1,06% 15,00% Enquadrado Receitas e Despesas Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Contas Receber / Pagar Contas Receber / Pagar ,67-0,40% Caixa Caixa ,35 0,00% Caixa - Disponível - Fundação ,44 0,00% Contas Receber e Pagar ,88 Total Geral dos Ativos ,76 100,00%

289 Relatório Resumo de Enquadramento Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Tópico do Enquadramento Limite Aplicação Atual Valor Limite % Aplicado Status % do Segmento RF/PL PLANO 100,00% , ,76 77,42% Enquadrado % do PL em Títulos de emissão do Tesouro Nacional e/ou do BACEN 100,00% , ,76 74,41% Enquadrado % do PL em Títulos RF1, exceto títulos do Tesouro Nacional 80,00% , ,88 3,00% Enquadrado % do PL em FIDC 20,00% Verificar Rel. de Diversificação de FIDC s ,47 0,00% Enquadrado % do PL em uma mesma pessoa jurídica não-financeira 10,00% Verificar Rel. de Diversificação Inst. Não Financ ,74 0,00% Enquadrado % do PL em Instituições Financeiras 25,00% Verificar Rel. de Diversificação Inst. Financ ,19 0,00% Enquadrado % de uma mesma Série de Debêntures 25,00% Verificar Rel. de Diversificação Debêntures ,19 0,00% Enquadrado % do PL em RV 70,00% , ,26 14,58% Enquadrado % do capital votante de uma empresa 25,00% Verificar Rel. de Diversificação RV ,19 0,00% Enquadrado % do PL da Fundação em Investimentos Imobiliários 8,00% , ,07 7,12% Enquadrado % do PL da Fundação em Empréstimos 15,00% , ,75 1,06% Enquadrado % Investimento Estruturado 20,00% , ,47 0,21% Enquadrado % Investimento Exterior 10,00% 0, ,74 0,00% Enquadrado

290 Relatório de Diversificação - Debêntures Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo do Total da Emissão 25% Máximo do Total da Emissão - PI % Código Empresa QT em Carteira Total da Série % da Série Status CMDT33 CEMIG DISTRIBUICAO S/A , ,6150% Enquadrado

291 Relatório de Diversificação - FIDC's Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo Aplicado em FIDC - % do PL da Fundação 20% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL do Fundo 25% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL Emissor 10% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL do Fundo - PI % Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL do Fundo R$ % PL do Fundo Status Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL da Fundação R$ % PL da Fundação Status Fundação PL Total da Fundação - R$ Total Aplicado em FIDC R$ % PL da Fundação Fundação ,76-0,0000% Enquadrado Status

292 Relatório de Diversificação de Renda Fixa - Instituição não Financeira Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Emissão por Instit. não Financeira 10% Máximo de Emissão por outros Emissores (PF/PJ) 5% Máximo de Emissão por outros Emissores (PF/PJ) - PI % Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Total de Instituição não Financeira ,05 % Pl da Fundação 0,25% Papel Aplicação Atual % Aplicado Status Debentures ,05 0,25% GRUPO CEMIG ,05 0,25% Enquadrado

293 Resumo do Relatório de Diversificação de Renda Variável Limite Resolução % Máximo Aplicado em Ações 70,00% Máximo de Ações - Novo Mercado 70,00% Máximo de Ações - Nível 2 60,00% Máximo de Ações - Nível 1 45,00% Máximo de Ações - Bovespa Mais 50,00% Máximo de Ações - Demais Ações 35,00% Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Mercado Cód. Bovespa Valor Aplicado % PL Fundação Status Novo Mercado NM ,88 14,03% Enquadrado Nível 2 N ,50 0,01% Enquadrado Nível 1 N ,59 0,21% Enquadrado Bovespa Mais Mais 0,00 0,00% Enquadrado Demais Ações ,93 0,20% Enquadrado Total ,90 14,47% Enquadrado

294 Relatório de Diversificação de Renda Variável Limite Resolução % Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Votante da Companhia 25,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Total da Companhia 25,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - PL Fundação 10,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Votante da Companhia - PI ,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Total da Companhia - PI ,00% Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Cód Ação Empresa Mercado Valor Aplicado % PL Fundação Status Quantidade de Ações na Carteira % Capital Social Status ON PN Total ON Total ABEV AMBEV S.A. BOLSA ,99 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ABRE ABRIL EDUCAÇÃO S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,04% 0,04% Enquadrado ALLL ALL AMERICA LATINA LOGISTICA S.A. NOVO MERCADO 86,02 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ALPA ALPARGATAS S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ANIM GAEC EDUCAÇÃO S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,03% 0,03% Enquadrado BBAS BCO BRASIL S.A. NOVO MERCADO ,24 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BBDC BCO BRADESCO S.A. BOVESPA NIVEL ,93 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BBSE BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. NOVO MERCADO ,65 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BEEF MINERVA S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,09% 0,09% Enquadrado BRAP BRADESPAR S.A. BOVESPA NIVEL ,60 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BRFS BRF S.A. NOVO MERCADO ,63 3,94% Enquadrado ,85% 0,85% Enquadrado BRKM BRASKEM S.A. BOVESPA NIVEL 1 140,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BRML BR MALLS PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,76 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado BRSR BCO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BVMF BMFBOVESPA S.A. BOLSA VALORES MERC FUT NOVO MERCADO ,51 0,01% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado CCRO CCR S.A. NOVO MERCADO ,65 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CGRA GRAZZIOTIN S.A. BOLSA ,00 0,00% Enquadrado ,09% 0,03% Enquadrado CIEL CIELO S.A. NOVO MERCADO ,10 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CMIG CIA ENERGETICA DE MINAS GERAIS - CEMIG BOVESPA NIVEL ,24 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CPFE CPFL ENERGIA S.A. NOVO MERCADO ,15 7,19% Enquadrado ,95% 8,95% Enquadrado CPLE CIA PARANAENSE DE ENERGIA - COPEL BOVESPA NIVEL ,70 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CRUZ SOUZA CRUZ S.A. BOLSA ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CSAN COSAN S.A. INDUSTRIA E COMERCIO NOVO MERCADO ,29 0,01% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado CSNA CIA SIDERURGICA NACIONAL BOLSA ,66 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CTIP CETIP S.A. - MERCADOS ORGANIZADOS NOVO MERCADO ,40 0,04% Enquadrado ,06% 0,06% Enquadrado CYRE CYRELA BRAZIL REALTY S.A.EMPREEND E PART NOVO MERCADO ,24 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado DIRR DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. NOVO MERCADO ,50 0,01% Enquadrado ,07% 0,07% Enquadrado DTEX DURATEX S.A. NOVO MERCADO 361,35 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ECOR ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. NOVO MERCADO ,76 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado EMBR EMBRAER S.A. NOVO MERCADO ,98 2,51% Enquadrado ,66% 1,66% Enquadrado EQTL EQUATORIAL ENERGIA S.A. NOVO MERCADO ,10 0,01% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado ESTC ESTACIO PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado EVEN EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado FIBR FIBRIA CELULOSE S.A. NOVO MERCADO ,54 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GFSA GAFISA S.A. NOVO MERCADO ,20 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GGBR GERDAU S.A. BOVESPA NIVEL ,90 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GOAU METALURGICA GERDAU S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GUAR GUARARAPES CONFECCOES S.A. BOLSA ,00 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado HBOR HELBOR EMPREENDIMENTOS S.A. NOVO MERCADO ,50 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado HGTX CIA HERING NOVO MERCADO ,25 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado HYPE HYPERMARCAS S.A. NOVO MERCADO ,98 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado IGTA IGUATEMI EMPRESA DE SHOPPING CENTERS S.A NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,04% 0,04% Enquadrado IMCH INTERNATIONAL MEAL COMPANY HOLDINGS S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado ITSA ITAUSA INVESTIMENTOS ITAU S.A. BOVESPA NIVEL ,88 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ITUB ITAU UNIBANCO HOLDING S.A. BOVESPA NIVEL ,66 0,09% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado JBSS JBS S.A. NOVO MERCADO ,19 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado JSLG JSL S.A. NOVO MERCADO ,50 0,02% Enquadrado ,09% 0,09% Enquadrado KEPL KEPLER WEBER S.A. BOLSA ,00 0,01% Enquadrado ,08% 0,08% Enquadrado KLBN KLABIN S.A. BOVESPA NIVEL ,50 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado KROT KROTON EDUCACIONAL S.A. NOVO MERCADO ,99 0,01% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado LAME LOJAS AMERICANAS S.A. BOLSA ,92 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado LIGT LIGHT S.A. NOVO MERCADO 476,56 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado LREN LOJAS RENNER S.A. NOVO MERCADO ,04 0,01% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado MDIA M.DIAS BRANCO S.A. IND COM DE ALIMENTOS NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MILS MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. NOVO MERCADO ,50 0,01% Enquadrado ,13% 0,13% Enquadrado MMXM MMX MINERACAO E METALICOS S.A. NOVO MERCADO 7,10 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MRFG MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. NOVO MERCADO ,10 0,03% Enquadrado ,10% 0,10% Enquadrado MRVE MRV ENGENHARIA E PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MYPK IOCHPE MAXION S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,15% 0,15% Enquadrado NATU NATURA COSMETICOS S.A. NOVO MERCADO ,80 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado OIBR OI S.A. BOVESPA NIVEL ,53 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PCAR CIA BRASILEIRA DE DISTRIBUICAO BOVESPA NIVEL ,97 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PETR PETROLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS BOLSA ,83 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PMAM PARANAPANEMA S.A. NOVO MERCADO ,15 0,17% Enquadrado ,57% 2,57% Enquadrado POMO MARCOPOLO S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PTBL PORTOBELLO S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,12% 0,12% Enquadrado QGEP QGEP PARTICIPAÇÕES S.A. NOVO MERCADO ,60 0,00% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado QUAL QUALICORP S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RAPT RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPACOES BOVESPA NIVEL ,75 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RENT LOCALIZA RENT A CAR S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RLOG COSAN LOGISTICA S.A. NOVO MERCADO ,48 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado RNEW RENOVA ENERGIA S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,01% Enquadrado ,00% 0,01% Enquadrado RSID ROSSI RESIDENCIAL S.A. NOVO MERCADO 10,17 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado SBSP CIA SANEAMENTO BASICO EST SAO PAULO NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado SEER SER EDUCACIONAL S.A. NOVO MERCADO ,50 0,01% Enquadrado ,03% 0,03% Enquadrado STBP SANTOS BRASIL PARTICIPACOES S.A. BOVESPA NIVEL ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado SUZB SUZANO PAPEL E CELULOSE S.A. BOVESPA NIVEL ,99 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TIMP TIM PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,46 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TRPL CTEEP - CIA TRANSMISSÃO ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA BOVESPA NIVEL ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TUPY TUPY S.A. NOVO MERCADO ,50 0,00% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado UCAS UNICASA INDÚSTRIA DE MÓVEIS S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,36% 0,36% Enquadrado UGPA ULTRAPAR PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,95 0,02% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado USIM USINAS SID DE MINAS GERAIS S.A.-USIMINAS BOVESPA NIVEL ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado VAGR VANGUARDA AGRO S.A. NOVO MERCADO ,89 0,01% Enquadrado ,24% 0,24% Enquadrado VALE VALE S.A. BOVESPA NIVEL ,46 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado

295 VIVT TELEFÔNICA BRASIL S.A BOLSA ,20 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado VLID VALID SOLUÇÕES E SERV. SEG. MEIOS PAG. IDENT. S.A. NOVO MERCADO ,00 0,00% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado

296 Relatório de Diversificação de Renda Fixa - Instituição Financeira Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Emissão por Inst. Financeira 20% Máximo de Emissão por PL Inst. Financeira 25% Máximo de Emissão por Inst. Financeira - PI % Máximo de Emissão por PL Inst. Financeira - PI % Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Papel Aplicação Atual PL da Instituição % Instituição Status % Fundação Status BANCO BIC S/A DPGE ,84 Total , ,00 1,21% Enquadrado 0,15% Enquadrado BANCO BRADESCO S.A CDB ,43 Total , ,00 0,12% Enquadrado 0,80% Enquadrado BANCO HSBC S/A CDB ,71 Total , ,00 0,09% Enquadrado 0,07% Enquadrado BANCO ITAÚ S.A. CDB ,53 LF ,49 Total , ,00 0,21% Enquadrado 1,70% Enquadrado BANCO SAFRA S/A CDB ,15 Total , ,00 0,04% Enquadrado 0,03% Enquadrado

297 Relatório de Diversificação de Fundos de Investimentos Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo Aplicado em FUNDO - % do PL da Fundação 10% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL do Fundo 25% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL Emissor 10% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL do Fundo - PI % Máximo Aplicado por FUNDO DE ÍNDICE - % do PL do Fundo - PI % Máximo Aplicado por FUNDO QUE TENHA EM CARTEIRA ATIVOS NO EXTERIOR - % do PL do Fundo - PI % Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL do Fundo R$ BNY MELLON GTD FUNDO INVEST PARTICIPACOES BNY , ,60 7,1822% Enquadrado FUNDO INVEST IMOBILIARIO CENTRO TEXTIL INTERNACIONAL RIOBRAVODTVM , ,19 17,5966% Enquadrado FUNDO INVEST IMOBILIARIO GEO GUARARAPES BCV , ,88 16,5945% Enquadrado ITAU FEDERAL PROVISION CURTO PRAZO ITAU UNIBANCO , ,59 0,0179% Enquadrado MELLON CASH FUNDO INVEST FINANCEIRO Mellon DTVM , ,21 0,2056% Enquadrado % PL do Fundo Status Fundo Administrador Valor Aplicado R$ PL da Fundação R$ % PL da Fundação Status FUNDO INVEST IMOBILIARIO GEO GUARARAPES BCV , ,76 0,0013% Enquadrado BNY MELLON GTD FUNDO INVEST PARTICIPACOES BNY , ,76 0,0242% Enquadrado ITAU FEDERAL PROVISION CURTO PRAZO ITAU UNIBANCO , ,76 0,0001% Enquadrado MELLON CASH FUNDO INVEST FINANCEIRO Mellon DTVM , ,76 0,0035% Enquadrado FUNDO INVEST IMOBILIARIO CENTRO TEXTIL INTERNACIONAL RIOBRAVODTVM , ,76 0,1892% Enquadrado

298 Relatório de Alocação por Grupo Econômico Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Alocação por Grupo Econômico 10% Máximo de Alocação por Grupo Financeiro 20% Patrimônio Líquido da Fundação ,76 Grupo Econômico Aplicação Atual % Fundação Status Grupo Banco do Brasil Ações - BANCO DO BRASIL S.A ,24 Ações - BRASIL SEGURIDADE ON ,65 Ações - FIBRIA CELULOSE SA ,54 Total ,42 0,03% Enquadrado Grupo BR Foods Ações - BRF BRASIL FOODS SA ,63 Total ,63 3,94% Enquadrado Grupo Bradesco CDB - BANCO BRADESCO S.A ,43 Empréstimos - BANCO BRADESCO S.A ,99 Ações - BANCO BRADESCO S.A ,53 Ações - CIELO SA ,10 Total ,05 0,84% Enquadrado Grupo Cemig Debentures - GRUPO CEMIG ,05 Ações - GRUPO CEMIG ,24 Total ,29 0,25% Enquadrado Grupo Itaú CDB - BANCO ITAÚ S.A ,53 LF252 - BANCO ITAÚ S.A ,49 Empréstimos - BANCO ITAÚ S.A ,00 Ações - BANCO ITAÚ S.A ,54 Total ,55 1,80% Enquadrado Grupo Telemar Ações - OIBR ,53 Total ,53 0,00% Enquadrado Grupo Vale do Rio Doce Ações - VALE SA ,46 Total ,46 0,03% Enquadrado

299 Relatório de Enquadramento dos Investimentos - PBS TELEBRAS Referencia 31/12/2014 Patrimônio Líquido...: ,82 Renda Fixa Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Enquadramento Renda Fixa - Títulos Públicos - Federais LFT ,39 6,58% LTN ,47 10,32% NTN_B ,48 64,63% Total... : ,34 Renda Fixa - Títulos Públicos ,34 81,54% 100,00% Enquadrado Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de instituição financeira / poupança LF ,54 1,91% Total... : ,54 Renda Fixa - Cotas de FIC/FI Curto Prazo, Referenciado, RF Cotas Referenciados ,96 0,01% Cotas RF ,69 0,03% Total... : ,65 Renda Fixa - FIDC / FIC-FIDC Cotas FIDC ,78 1,04% Total... : ,78 1,04% 20,00% Enquadrado Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de companhias abertas / securitizadoras Debentures ,92 3,76% Total... : ,92 Renda Fixa - Títulos Privados ,88 6,75% 80,00% Enquadrado Renda Fixa ,22 88,29% 100,00% Enquadrado Renda Variável Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) AÇÕES DE MERCADO BOVESPA NIVEL ,13 2,57% 45,00% Enquadrado BOVESPA NIVEL ,07 0,37% 60,00% Enquadrado NOVO MERCADO ,13 5,84% 70,00% Enquadrado OUTROS ,44 0,93% 35,00% Enquadrado Total... : ,76 9,71% 70,00% Enquadrado Renda Variável ,76 9,71% 70,00% Enquadrado

300 Investimento Estruturado Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Investimentos Estruturados Fundos de Investimento em Participações ,74 2,17% Investimento Estruturado ,74 2,17% 20,00% Enquadrado Imóveis Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Imóveis IMÓVEIS Imóveis - Aluguéis e Renda 0,00 0,00% Imóveis 0,00 0,00% 8,00% Enquadrado Empréstimos E Fin. Imobiliários Empréstimo e Financiamento Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Empréstimos ,81 0,28% Empréstimos e Financiamentos Imobiliários ,81 0,28% 15,00% Enquadrado Contas Receber / Pagar Receitas e Despesas Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Contas Receber / Pagar ,22-0,45% Caixa Caixa 2.799,51 0,00% Contas Receber e Pagar ,72 Total Geral dos Ativos ,82 100,00%

301 Relatório Resumo de Enquadramento Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Tópico do Enquadramento Limite Aplicação Atual Valor Limite % Aplicado Status % do Segmento RF/PL PLANO 100,00% , ,82 88,29% Enquadrado % do PL em Títulos de emissão do Tesouro Nacional e/ou do BACEN 100,00% , ,82 81,54% Enquadrado % do PL em Títulos RF1, exceto títulos do Tesouro Nacional 80,00% , ,27 6,75% Enquadrado % do PL em FIDC 20,00% Verificar Rel. de Diversificação de FIDC s ,07 0,00% Enquadrado % do PL em uma mesma pessoa jurídica não-financeira 10,00% Verificar Rel. de Diversificação Inst. Não Financ ,53 0,00% Enquadrado % do PL em Instituições Financeiras 25,00% Verificar Rel. de Diversificação Inst. Financ ,71 0,00% Enquadrado % de uma mesma Série de Debêntures 25,00% Verificar Rel. de Diversificação Debêntures ,71 0,00% Enquadrado % do PL em RV 70,00% , ,96 9,71% Enquadrado % do capital votante de uma empresa 25,00% Verificar Rel. de Diversificação RV ,71 0,00% Enquadrado % do PL da Fundação em Investimentos Imobiliários 8,00% 0, ,92 0,00% Enquadrado % do PL da Fundação em Empréstimos 15,00% , ,43 0,28% Enquadrado % Investimento Estruturado 20,00% , ,07 2,17% Enquadrado % Investimento Exterior 10,00% 0, ,53 0,00% Enquadrado

302 Relatório de Diversificação - Debêntures Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo do Total da Emissão 25% Máximo do Total da Emissão - PI % Código Empresa QT em Carteira Total da Série % da Série Status CMDT33 CEMIG DISTRIBUICAO S/A 3.852, ,5926% Enquadrado JSML36 JSL S.A 2.918, ,5765% Enquadrado PDGP17 PDG REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES 1, ,9974% Enquadrado SBSPA9 CIA SANEAMENTO BASICO EST. SP - SABESP 81, ,1636% Enquadrado TPIS13 TPI - TRIUNFO PARTICIPACOES E INVESTIMENTOS S/A 1, ,7702% Enquadrado

303 Relatório de Diversificação - FIDC's Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo Aplicado em FIDC - % do PL da Fundação 20% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL do Fundo 25% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL Emissor 10% Máximo Aplicado por FIDC - % do PL do Fundo - PI % Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL do Fundo R$ BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS CREDITOS IMOBILIARIOS GRADUAL CCTVM , ,49 3,3060% Enquadrado BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS AGRONEGOCIO GRADUAL CCTVM , ,64 3,3060% Enquadrado FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS OMNI VEICULOS IX OLIVEIRA TRUST , ,41 1,9730% Enquadrado SUL INVEST BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS MULTISSETORIAL GRADUAL CCTVM , ,44 3,3060% Enquadrado % PL do Fundo Status Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL da Fundação R$ % PL da Fundação BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS AGRONEGOCIO GRADUAL CCTVM , ,82 0,3237% Enquadrado BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS CREDITOS IMOBILIARIOS GRADUAL CCTVM , ,82 0,3263% Enquadrado SUL INVEST BRZ FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS MULTISSETORIAL GRADUAL CCTVM , ,82 0,2804% Enquadrado FUNDO INVESTIMENTO DIREITOS CREDITORIOS OMNI VEICULOS IX OLIVEIRA TRUST , ,82 0,1130% Enquadrado Status Fundação PL Total da Fundação - R$ Total Aplicado em FIDC R$ % PL da Fundação Fundação , ,78 1,0435% Enquadrado Status

304 Relatório de Diversificação de Renda Fixa - Instituição não Financeira Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Emissão por Instit. não Financeira 10% Máximo de Emissão por outros Emissores (PF/PJ) 5% Máximo de Emissão por outros Emissores (PF/PJ) - PI % Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Total de Instituição não Financeira ,92 % Pl da Fundação 3,76% Papel Aplicação Atual % Aplicado Status Debentures ,92 3,76% COMPANHIA SANEAMENTO BASICO ESTADO SAO PAULO SABESP ,53 0,27% Enquadrado GRUPO CEMIG ,67 1,27% Enquadrado JSL SA ,96 1,06% Enquadrado PDG REALTY SA EMPREENDIMENTOS PARTICIPACOES ,37 0,57% Enquadrado TPI TRIUNFO PARTICIPACOES INVESTS SA ,39 0,59% Enquadrado

305 Resumo do Relatório de Diversificação de Renda Variável Limite Resolução % Máximo Aplicado em Ações 70,00% Máximo de Ações - Novo Mercado 70,00% Máximo de Ações - Nível 2 60,00% Máximo de Ações - Nível 1 45,00% Máximo de Ações - Bovespa Mais 50,00% Máximo de Ações - Demais Ações 35,00% Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Mercado Cód. Bovespa Valor Aplicado % PL Fundação Status Novo Mercado NM ,13 5,84% Enquadrado Nível 2 N ,07 0,37% Enquadrado Nível 1 N ,13 2,57% Enquadrado Bovespa Mais Mais 0,00 0,00% Enquadrado Demais Ações ,54 0,91% Enquadrado Total ,86 9,68% Enquadrado

306 Relatório de Diversificação de Renda Variável Limite Resolução % Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Votante da Companhia 25,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Total da Companhia 25,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - PL Fundação 10,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Votante da Companhia - PI ,00% Máximo Aplicado em Ações Mesma Companhia - Capital Total da Companhia - PI ,00% Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Cód Ação Empresa Mercado Valor Aplicado % PL Fundação Status Quantidade de Ações na Carteira % Capital Social Status ON PN Total ON Total ABCB BCO ABC BRASIL S.A. BOVESPA NIVEL ,50 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ABEV AMBEV S.A. BOLSA ,75 0,35% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ABRE ABRIL EDUCAÇÃO S.A. NOVO MERCADO ,97 0,08% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado ALPA ALPARGATAS S.A. BOVESPA NIVEL ,87 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ANIM GAEC EDUCAÇÃO S.A. NOVO MERCADO ,94 0,05% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado ARTR ARTERIS S.A. NOVO MERCADO ,60 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BBAS BCO BRASIL S.A. NOVO MERCADO ,71 0,13% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BBDC BCO BRADESCO S.A. BOVESPA NIVEL ,46 0,39% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BBSE BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. NOVO MERCADO ,20 0,15% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BEEF MINERVA S.A. NOVO MERCADO ,66 0,10% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado BRAP BRADESPAR S.A. BOVESPA NIVEL ,40 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BRFS BRF S.A. NOVO MERCADO ,92 0,15% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BRML BR MALLS PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,46 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BRSR BCO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S.A. BOVESPA NIVEL ,04 0,06% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado BVMF BMFBOVESPA S.A. BOLSA VALORES MERC FUT NOVO MERCADO ,55 0,14% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CCRO CCR S.A. NOVO MERCADO ,35 0,34% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CGRA GRAZZIOTIN S.A. BOLSA ,91 0,01% Enquadrado ,02% 0,01% Enquadrado CIEL CIELO S.A. NOVO MERCADO ,20 0,39% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CMIG CIA ENERGETICA DE MINAS GERAIS - CEMIG BOVESPA NIVEL ,46 0,10% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CPFE CPFL ENERGIA S.A. NOVO MERCADO ,49 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CSAN COSAN S.A. INDUSTRIA E COMERCIO NOVO MERCADO ,94 0,08% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CSMG CIA SANEAMENTO DE MINAS GERAIS-COPASA MG NOVO MERCADO ,34 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado CTAX CONTAX PARTICIPACOES S.A. BOVESPA NIVEL ,64 0,11% Enquadrado ,00% 0,01% Enquadrado CTIP CETIP S.A. - MERCADOS ORGANIZADOS NOVO MERCADO ,86 0,42% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado CYRE CYRELA BRAZIL REALTY S.A.EMPREEND E PART NOVO MERCADO ,22 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado DIRR DIRECIONAL ENGENHARIA S.A. NOVO MERCADO ,87 0,06% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado DTEX DURATEX S.A. NOVO MERCADO ,00 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ECOR ECORODOVIAS INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA S.A. NOVO MERCADO ,18 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado EMBR EMBRAER S.A. NOVO MERCADO ,80 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado EZTC EZ TEC EMPREEND. E PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,52 0,54% Enquadrado ,05% 0,05% Enquadrado GETI AES TIETE S.A. BOLSA ,88 0,05% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GGBR GERDAU S.A. BOVESPA NIVEL ,04 0,06% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GOAU METALURGICA GERDAU S.A. BOVESPA NIVEL ,57 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado GUAR GUARARAPES CONFECCOES S.A. BOLSA ,03 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado HGTX CIA HERING NOVO MERCADO ,11 0,36% Enquadrado ,03% 0,03% Enquadrado IGTA IGUATEMI EMPRESA DE SHOPPING CENTERS S.A NOVO MERCADO ,91 0,11% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado ITSA ITAUSA INVESTIMENTOS ITAU S.A. BOVESPA NIVEL ,90 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado ITUB ITAU UNIBANCO HOLDING S.A. BOVESPA NIVEL ,44 1,39% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado JSLG JSL S.A. NOVO MERCADO ,32 0,17% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado KEPL KEPLER WEBER S.A. BOLSA ,11 0,07% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado KLBN KLABIN S.A. BOVESPA NIVEL ,21 0,06% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado KROT KROTON EDUCACIONAL S.A. NOVO MERCADO ,00 0,05% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado LIGT LIGHT S.A. NOVO MERCADO ,08 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado LREN LOJAS RENNER S.A. NOVO MERCADO ,42 0,08% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MDIA M.DIAS BRANCO S.A. IND COM DE ALIMENTOS NOVO MERCADO ,05 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MILS MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. NOVO MERCADO ,81 0,10% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado MRFG MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. NOVO MERCADO ,32 0,42% Enquadrado ,04% 0,04% Enquadrado MULT MULTIPLAN - EMPREEND IMOBILIARIOS S.A. BOVESPA NIVEL ,60 0,08% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado MYPK IOCHPE MAXION S.A. NOVO MERCADO ,50 0,11% Enquadrado ,03% 0,03% Enquadrado NATU NATURA COSMETICOS S.A. NOVO MERCADO ,25 0,02% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PCAR CIA BRASILEIRA DE DISTRIBUICAO BOVESPA NIVEL ,56 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PETR PETROLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS BOLSA ,31 0,23% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado PMAM PARANAPANEMA S.A. NOVO MERCADO ,18 0,09% Enquadrado ,04% 0,04% Enquadrado PTBL PORTOBELLO S.A. NOVO MERCADO ,17 0,06% Enquadrado ,02% 0,02% Enquadrado QGEP QGEP PARTICIPAÇÕES S.A. NOVO MERCADO ,18 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RAPT RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPACOES BOVESPA NIVEL ,43 0,07% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RENT LOCALIZA RENT A CAR S.A. NOVO MERCADO ,64 0,04% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RLOG COSAN LOGISTICA S.A. NOVO MERCADO ,69 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado RNEW RENOVA ENERGIA S.A. BOVESPA NIVEL ,12 0,10% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado SEER SER EDUCACIONAL S.A. NOVO MERCADO ,41 0,43% Enquadrado ,04% 0,04% Enquadrado SMTO SAO MARTINHO S.A. NOVO MERCADO ,08 0,18% Enquadrado ,01% 0,01% Enquadrado TBLE TRACTEBEL ENERGIA S.A. NOVO MERCADO ,31 0,06% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TIMP TIM PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,76 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TRPL CTEEP - CIA TRANSMISSÃO ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA BOVESPA NIVEL ,95 0,03% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado TUPY TUPY S.A. NOVO MERCADO ,56 0,01% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado UCAS UNICASA INDÚSTRIA DE MÓVEIS S.A. NOVO MERCADO ,17 0,04% Enquadrado ,07% 0,07% Enquadrado UGPA ULTRAPAR PARTICIPACOES S.A. NOVO MERCADO ,55 0,08% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado VAGR VANGUARDA AGRO S.A. NOVO MERCADO ,68 0,06% Enquadrado ,05% 0,05% Enquadrado VALE VALE S.A. BOVESPA NIVEL ,01 0,32% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado VIVT TELEFÔNICA BRASIL S.A BOLSA ,55 0,18% Enquadrado ,00% 0,00% Enquadrado VLID VALID SOLUÇÕES E SERV. SEG. MEIOS PAG. IDENT. S.A. NOVO MERCADO ,19 0,48% Enquadrado ,06% 0,06% Enquadrado

307 Relatório de Diversificação de Renda Fixa - Instituição Financeira Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Emissão por Inst. Financeira 20% Máximo de Emissão por PL Inst. Financeira 25% Máximo de Emissão por Inst. Financeira - PI % Máximo de Emissão por PL Inst. Financeira - PI % Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Papel Aplicação Atual PL da Instituição % Instituição Status % Fundação Status BANCO ITAÚ S.A. LF ,54 Total , ,00 0,01% Enquadrado 1,91% Enquadrado

308 Relatório de Diversificação de Fundos de Investimentos Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo Aplicado em FUNDO - % do PL da Fundação 10% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL do Fundo 25% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL Emissor 10% Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL do Fundo - PI % Máximo Aplicado por FUNDO - % do PL do Fundo de Índice - PI % Máximo Aplicado por FUNDO QUE TENHA EM CARTEIRA ATIVOS NO EXTERIOR - % do PL do Fundo - PI % Fundo Instituição Proprietária Valor Aplicado R$ PL do Fundo R$ BNY MELLON GTD FUNDO INVEST PARTICIPACOES BNY , ,60 0,1377% Enquadrado BRZ RENDA FIXA FUNDO INVEST CREDITO PRIVADO BNY , ,67 0,0991% Enquadrado BTG PACTUAL INFRAESTRUTURA II FUNDO INVEST COTAS FUNDOS INVEST PARTIC CITIBANK DTVM , ,30 1,0253% Enquadrado FUNDO INVEST PARTICIPACOES BVEP PLAZA VOTORANTIM , ,57 2,8743% Enquadrado ISHARES IBOVESPA FUNDO INDICE , ,01 0,0053% Enquadrado MELLON FI REF DI LP IX MELLON SERVIÇOS 3.194, ,69 0,0056% Enquadrado MELLON FI REF DI LP VI MELLON SERVIÇOS 3.194, ,18 0,0056% Enquadrado MELLON FI REF DI LP VII MELLON SERVIÇOS 3.194, ,96 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP II MELLON SERVIÇOS 3.195, ,91 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP III MELLON SERVIÇOS 3.195, ,80 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP IV Mellon DTVM 3.194, ,71 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP V MELLON SERVIÇOS 3.194, ,99 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP VIII MELLON SERVIÇOS 3.194, ,81 0,0056% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP X MELLON SERVIÇOS 3.195, ,84 0,0056% Enquadrado MELLON FUNDO INVEST REFERENCIADO DI LONGO PRAZO MELLON SERVIÇOS 3.196, ,19 0,0008% Enquadrado % PL do Fundo Status Fundo Administrador Valor Aplicado R$ PL da Fundação R$ % PL da Fundação Status BNY MELLON GTD FUNDO INVEST PARTICIPACOES BNY , ,82 0,0183% Enquadrado BRZ RENDA FIXA FUNDO INVEST CREDITO PRIVADO BNY , ,82 0,0282% Enquadrado BTG PACTUAL INFRAESTRUTURA II FUNDO INVEST COTAS FUNDOS INVEST PARTIC CITIBANK DTVM , ,82 0,9912% Enquadrado FUNDO INVEST PARTICIPACOES BVEP PLAZA VOTORANTIM , ,82 1,1649% Enquadrado ISHARES IBOVESPA FUNDO INDICE , ,82 0,0246% Enquadrado MELLON FI REF DI LP IX MELLON SERVIÇOS 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REF DI LP VI MELLON SERVIÇOS 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REF DI LP VII MELLON SERVIÇOS 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP II MELLON SERVIÇOS 3.195, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP III MELLON SERVIÇOS 3.195, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP IV Mellon DTVM 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP V MELLON SERVIÇOS 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP VIII MELLON SERVIÇOS 3.194, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FI REFERENCIADO DI LP X MELLON SERVIÇOS 3.195, ,82 0,0011% Enquadrado MELLON FUNDO INVEST REFERENCIADO DI LONGO PRAZO MELLON SERVIÇOS 3.196, ,82 0,0011% Enquadrado

309 Relatório de Alocação por Grupo Econômico Referencia 31/12/2014 Limite Resolução % Máximo de Alocação por Grupo Econômico 10% Máximo de Alocação por Grupo Financeiro 20% Patrimônio Líquido da Fundação ,82 Grupo Econômico Aplicação Atual % Fundação Status Grupo Banco do Brasil Ações - BANCO DO BRASIL S.A ,71 Ações - BRASIL SEGURIDADE ON ,20 Total ,91 0,27% Enquadrado Grupo BR Foods Ações - BRF BRASIL FOODS SA ,92 Total ,92 0,15% Enquadrado Grupo Bradesco Ações - BANCO BRADESCO S.A ,86 Ações - CIELO SA ,20 Total ,06 0,79% Enquadrado Grupo Cemig Debentures - GRUPO CEMIG ,67 Ações - GRUPO CEMIG ,46 Total ,13 1,37% Enquadrado Grupo Itaú LF252 - BANCO ITAÚ S.A ,54 Ações - BANCO ITAÚ S.A ,34 Total ,88 3,35% Enquadrado Grupo Vale do Rio Doce Ações - VALE SA ,01 Total ,01 0,32% Enquadrado

310 Relatório de Enquadramento dos Investimentos - TELEBRAS PREV Referencia 31/12/2014 Patrimônio Líquido...: ,00 Renda Fixa Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) Enquadramento Renda Fixa - Títulos Públicos - Federais LFT ,28 27,30% LTN ,70 2,41% NTN_B ,64 44,28% NTN_F ,58 0,37% Total... : ,20 Renda Fixa - Títulos Públicos ,20 74,36% 100,00% Enquadrado Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de instituição financeira / poupança CDB ,74 0,23% LF ,04 4,84% Total... : ,79 Renda Fixa - Cotas de FIC/FI Curto Prazo, Referenciado, RF Cotas Referenciados ,41 0,01% Cotas RF ,92 0,03% Total... : ,33 Renda Fixa - FIDC / FIC-FIDC Cotas FIDC ,41 1,04% Total... : ,41 1,04% 20,00% Enquadrado Renda Fixa - Títulos Privados - TVM de companhias abertas / securitizadoras Debentures ,38 4,57% Total... : ,38 Renda Fixa - Títulos Privados ,90 10,72% 80,00% Enquadrado Renda Fixa ,10 85,08% 100,00% Enquadrado Renda Variável Valor Aplicado Aplicado (%) Limite (%) AÇÕES DE MERCADO BOVESPA NIVEL ,35 3,23% 45,00% Enquadrado BOVESPA NIVEL ,66 0,45% 60,00% Enquadrado NOVO MERCADO ,88 7,37% 70,00% Enquadrado OUTROS ,36 1,15% 35,00% Enquadrado Total... : ,25 12,20% 70,00% Enquadrado Renda Variável ,25 12,20% 70,00% Enquadrado

Subitem CONTEÚDOS DO RELATÓRIO DE GESTÃO Todas as unidades jurisdicionadas, exceto as relacionadas na Parte C.

Subitem CONTEÚDOS DO RELATÓRIO DE GESTÃO Todas as unidades jurisdicionadas, exceto as relacionadas na Parte C. ANEXO II À DECISÃO NORMATIVA-TCU Nº 134, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013 PARTE A CONTEÚDOS GERAIS Os conteúdos desta Parte A são aplicáveis às unidades jurisdicionadas relacionadas no Anexo I e não destacadas

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília - DF / 2014 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I - CONCEITO E FINALIDADE Art. 1º O Conselho de Administração é o órgão de orientação geral dos negócios e serviços da Caixa Econômica Federal, responsável

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. PALMAS-TO MARÇO 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 DA CATEGORIA... 2 FINALIDADE E OBJETIVOS...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Auditoria

Regimento Interno do Comitê de Auditoria 01. FINALIDADE Art. 1º O Comitê de Auditoria (Coaud) rege-se pela legislação aplicável, pelo Estatuto Social do Banco do Brasil, por seu Regimento Interno e por decisões do Conselho de Administração. Art.

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA Art. 1º. O Comitê de Auditoria ( Comitê ) é órgão estatutário de assessoramento vinculado diretamente ao Conselho de Administração, de caráter permanente, regido

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS

MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS MINUTA FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º A FUNDAÇÃO DE APOIO A SERVIÇOS TÉCNICOS, ENSINO E FOMENTO A PESQUISAS -

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA MG Adequado conforme Estatuto Social aprovado pela AGE de 28/03/2011 2 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COPASA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES ESTATUTOS TÍTULO I DO NOME, DA NATUREZA, DO OBJETO, DA SEDE e DO FORO Art. 1º - O INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA: Auditoria de Gestão EXERCÍCIO: 2010 PROCESSO: 00190-015347/2011-28

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO Artigo 1º Artigo 2º Artigo 3º I II COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET, é uma sociedade por ações, de economia mista, que se regerá

Leia mais

CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87. Comitê de Auditoria Estatutário. Regimento Interno. Capítulo I Introdução

CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87. Comitê de Auditoria Estatutário. Regimento Interno. Capítulo I Introdução PÁGINA 1 DE 7 DO PÁGINA 1 DE 7 DO CNPJ/MF nº 29.978.814/0001-87 Comitê de Auditoria Estatutário Regimento Interno Capítulo I Introdução Artigo 1º. O Comitê de Auditoria Estatutário ( Comitê ou CAE ) da

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CASA DA MOEDA DO BRASIL - CMB

REGIMENTO INTERNO DA CASA DA MOEDA DO BRASIL - CMB 1 DA CASA DA MOEDA DO BRASIL - CMB CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO Artigo 1º - A Casa da Moeda do Brasil - CMB, Empresa Pública Federal, criada pela Lei nº 5895, de 19 de junho de 1973, vinculada ao Ministério

Leia mais

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGIMENTO INTERNO DA UNIFEI CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º. A Auditoria Interna da Universidade Federal de Itajubá é um órgão técnico de assessoramento da gestão, vinculada ao Conselho de

Leia mais

Previdenciária Du Pont do Brasil

Previdenciária Du Pont do Brasil Estatuto da Sociedade Previdenciária Du Pont do Brasil Julho de 2014 Estatuto Duprev 1 Julho 2014 Estatuto Duprev Estatuto da sociedade PrEvidEnciária du Pont do Brasil Julho de 2014 Estatuto duprev 3

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

Brasileira (UNILAB).

Brasileira (UNILAB). RESOLUÇÃO N 029/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Aprova o Regimento da Unidade de Auditoria Interna da Brasileira (UNILAB). Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro- O VICE-REITOR, PRO

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

"DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta "DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 Companhia Aberta REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA ESTATUTÁRIO Este Regimento Interno dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU

PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU ANEXO I PEÇAS INTEGRANTES DO PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL DA ANA CONFORME IN/TCU nº 47, de 2004, DN/TCU nº 81, de 2006, e NE/CGU nº 03, de 2006, instituída pela Portaria CGU nº 555, de 2006 Discriminação

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005.

PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. PROJETO DE LEI Nº 1.870 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2005. Dispõe sobre a organização do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor, institui o Departamento de Defesa do Consumidor e o Fundo Municipal de Defesa

Leia mais

Modelo de estatuto de Associação

Modelo de estatuto de Associação Modelo de estatuto de Associação CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n.10, p. 1-3 em 16/01/2015 RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre as prerrogativas, as responsabilidades, a competência e a atuação da Secretaria de Controle Interno

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.582, DE 18 DE MARÇO DE 2005. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DA AGÊNCIA DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS DO ESTADO DE ALAGOAS AGESA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS Faço saber que

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DA BM&FBOVESPA 1. Objeto O presente Regimento Interno ( Regimento ) tem o escopo de disciplinar o funcionamento do Diretoria da

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP/CGE Nº 01/2014 A DESEMBARGADORA-PRESIDENTE do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, no uso de suas atribuições legais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP/CGE Nº 01/2014 A DESEMBARGADORA-PRESIDENTE do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, no uso de suas atribuições legais PORTARIA TRT 18ª GP/SGP/CGE Nº 01/2014 A DESEMBARGADORA-PRESIDENTE do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, no uso de suas atribuições legais e regimentais; Considerando o disposto na Instrução

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS - SEADE CAPÍTULO I Da Fundação e seus objetivos Artigo 1º - A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados SEADE, rege-se por estes Estatutos,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. outras providência s. CAPÍTULO I. Das disposições Gerais

LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. outras providência s. CAPÍTULO I. Das disposições Gerais LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. Dispõe sobre a Política de Assistência Social No Município, cria o Conselho Municipal de Assistência Social e o Fundo Municipal de Assistência Social

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua

ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua ANEXO I REGULAMENTO DO PRODESU Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Confea/Creas e Mútua CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Seção I Dos Objetivos Art. 1º O Programa de

Leia mais

PORTARIA ANAC Nº 2898, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA ANAC Nº 2898, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA ANAC Nº 2898, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe sobre orientações às unidades envolvidas na elaboração do Relatório de Gestão da ANAC referente ao exercício de 2014. O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO Artigo 1º - Sob a denominação de AGILE ALLIANCE BRAZIL, foi instituída em 14/11/2013, uma pessoa jurídica de direito

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

COMPETÊNCIAS E ATRIBUIÇÕES DOS CONSELHOS E DIRETORIA

COMPETÊNCIAS E ATRIBUIÇÕES DOS CONSELHOS E DIRETORIA 1. Introdução As Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), conhecidas também como Fundos de Pensão, são instituições sem fins lucrativos que mantêm planos de previdência coletivos. Os planos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE RESSEGUROS DO BRASIL P R E V I R B

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE RESSEGUROS DO BRASIL P R E V I R B ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO INSTITUTO DE RESSEGUROS DO BRASIL P R E V I R B (Aprovado pela Portaria PREVIC n o 372/2015, publicada no D.O.U. de 10/7/2015.) CAPÍTULO I DA CRIAÇÃO,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência Administrativa do Tribunal de Justiça e estabelece seu Regulamento. A CORTE SUPERIOR DO TRIBUNAL

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE MIMOSO DO SUL GABINETE DA PREFEITA

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE MIMOSO DO SUL GABINETE DA PREFEITA PROJETO DE LEI Nº /2013 DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MIMOSO DO SUL, ESTADO DO ESPÍRITO SANTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Título I Das Disposições Preliminares Art. 1º A organização

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMPANHIA DE SEGUROS DO ESTADO DE SÃO PAULO TÍTULO I. Regime Jurídico, Sede, Objeto e Duração

REGIMENTO INTERNO DA COMPANHIA DE SEGUROS DO ESTADO DE SÃO PAULO TÍTULO I. Regime Jurídico, Sede, Objeto e Duração REGIMENTO INTERNO DA COMPANHIA DE SEGUROS DO ESTADO DE SÃO PAULO TÍTULO I Regime Jurídico, Sede, Objeto e Duração Artigo 1º - A - COSESP é regida pelo Estatuto Social e pela legislação que lhe for aplicável,

Leia mais

REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA - NOR 902

REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA - NOR 902 REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA COD. 900 ASSUNTO: PROCEDIMENTOS DA AUDITORIA INTERNA APROVAÇÃO: Deliberação COADM nº 039/2011, de 27/10/2011 VIGÊNCIA: 27/10/2011 REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA - NOR

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

Regimento Interno da Unidade de Auditoria Interna

Regimento Interno da Unidade de Auditoria Interna CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA - UAUDI Regimento Interno da Unidade de Auditoria Interna Rio de Janeiro 2015 CAPÍTULO I DA MISSÃO E DO ESCOPO

Leia mais

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação s Possíveis Achados 1 As características da unidade de controle interno atendem aos preceitos normativos e jurisprudenciais? Ato que criou

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 57, DE 23 DE MAIO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 57, DE 23 DE MAIO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 57, DE 23 DE MAIO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 41ª Reunião Ordinária, realizada no dia 23 de maio de 2013, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 14/2011 Ver também IN 7/13 Disciplina a organização e a apresentação das contas anuais dos administradores e demais responsáveis por unidades jurisdicionadas das administrações direta

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DEZEMBRO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cgti@listas.ifbaiano.edu.br Site: http://www.ifbaiano.edu.br

Leia mais

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70

MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70 MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. NIRE 35.300.414.284 CNPJ/MF nº 08.795.211/0001-70 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO E FATO RELEVANTE DA MAESTRO LOCADORA DE VEÍCULOS S.A. A presente Política de Divulgação

Leia mais

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS.

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. Art. 1º - A Fundação Desenvolvimento Ambiental - Fundamental é pessoa jurídica de direito

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL (EMBRAPII) REGIMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL (EMBRAPII) REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL (EMBRAPII) REGIMENTO INTERNO Aprovado na 3ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da EMBRAPII, realizada em 25 de fevereiro de 2014 ÍNDICE

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. Dispõe sobre os critérios para a realização de investimentos pelas sociedades seguradoras, resseguradores locais,

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT

MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO DE 2015 dezembro/2014 PLANO

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 33/2012 Autoriza a criação do Comitê de Gestão e Tecnologia da Informação (CGTI), da Universidade Federal da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I DA ORIGEM E FINALIDADE Art. 1º A Auditoria Interna da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 110/2013, de 08/07/2013 REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.102, DE 6 DE SETEMBRO DE 2013 Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS)

REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º A Unidade de Auditoria

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.127, DE 09 DE FEVEREIRO DE 1998. (atualizada até a Lei nº 12.239, de 19 de janeiro de 2005) Institui o Sistema

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO (2ª Revisão)

REGIMENTO INTERNO (2ª Revisão) REGIMENTO INTERNO (2ª Revisão) Aprovado na 30 a Reunião do Conselho de Administração, realizada no dia 26 de novembro de 2014. 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 CAPÍTULO II DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2013 PROCESSO : 09144.000037/2014-14 RELATÓRIO : 06/2014 UNIDADE

Leia mais

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO

U N I R P A R A F O R T A L E C E R REGIMENTO INTERNO Artigo 1 - A Associação de Reflorestadores do Estado de Mato Grosso AREFLORESTA-MT, reger-se-á pelo seu ESTATUTO e por este REGIMENTO INTERNO. Finalidade Artigo 2 - O presente Regimento Interno tem por

Leia mais

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008.

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. Dispõe sobre modificações no processo de implantação do monitoramento dos programas e ações governamentais, no âmbito da Administração Pública do Estado de Mato

Leia mais