CITOPATOLOGIA ONCÓTICA CERVICO-VAGINAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CITOPATOLOGIA ONCÓTICA CERVICO-VAGINAL"

Transcrição

1 Idade: 19ano(s) Sexo: F CITOPATOLOGIA ONCÓTICA CERVICO-VAGINAL Material: Esfregaço cérvico-vaginal. Método: Citopatologia convencional - Coloração de Papanicolaou. ADEQUALIDADE DA AMOSTRA: - Satisfatória EPITÉLIOS REPRESENTADOS NA AMOSTRA: - Escamoso - Glandular - Metaplásico MICROBIOLOGIA: - Lactobacillus sp DIAGNÓSTICO DESCRITIVO: - Alterações reativas e/ou reparativas. - Negativo para lesões intra epiteliais ou malignidade. Observação: Presença de hemácias. Citolise moderada. Nota: O parecer diagnóstico nos laudos de citologia oncótica está intimamente relacionado a diversas variáveis que não dependem exclusivamente da observação do médico anátomo-patologista ou citologista. A qualidade das amostras colhidas, a técnica de coleta, a fixação, a presença de situações com mascaramento de celularidade, como processo inflamatório, com leucócitos, hemácias e fibrina, assim como o tamanho e a localização das lesões e outros aspectos citados na literatura científica pertinente podem determinar a resultado positivo e falso negativo para o método Papanicolau. A presença de coilocitose celular, sugestiva de infecção por HPV, deve sempre ser acompanhada por outros testes complementares, como de captura híbrida e sub-tipagem viral para conclusão diagnóstica. As divergências clínicolaboratoriais devem sofrer processo de revisão, tendo em vista os fatores citados acima. Referência: Nomenclatura utilizada baseia-se no sistema Bethesda (2001). Conferido por: Lucas Garbini Cespedes CRBio-SP:109013/01-D Realizado/Lançado por: Lucas Garbini Cespedes Página: 1/1

2 Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 2849C647B9599AA4AF1C3FECB6A706EA F8749F A705E4627E23 Realizado/Lançado por: Lucas Garbini Cespedes Página: 2/17

3 HORMÔNIO FOLÍCULO ESTIMULANTE FSH: 3.37 mui/ml Método: Quimioluminescência Access 2 Crianças de 1 a 10 anos: Meninos: 0,60 a 4,60 mui/ml Meninas: 0,70 a 6,70 mui/ml Homens: 1,27 a 19,3 mui/ml Mulheres: Fase foliculares média: 3,85 a 8,78 mui/ml Pico do meio do ciclo : 4,54 a 22,5 mui/ml Fase lútea média : 1,79 a 5,12 mui/ml Pós menopausa : 16,7 a 113,6 mui/ml Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 4082D35BD D1783FE4044F1E5E74DEAD73B5689E67C384AE9B335C64DB Página: 3/17

4 HORMÔNIO LUTEINIZANTE - LH: 2,94 mui/ml Método: Quimioluminescência Crianças 1 a 10 anos: Meninos : Inferior a 3,60 mui/ml Meninas : Inferior a 3,90 mui/ml Mulheres com menstruação regular: Fase folicular : 2,12 a 10,89 mui/ml Meio de pico : 19,18 a 103,03 mui/ml Fase lútea : 1,20 a 12,86 mui/ml Gestantes : 10,87 a 58,64 mui/ml Pós-menopausa : Inferior a 1,50 mui/ml Uso de contraceptivo : 0,70 a 5,60 mui/ml Homens : 1,24 a 8,62 mui/ml Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: FB04C4328F24EF103B795DBD9894EBD6E3031B17D5D5706E9EFB19FB6F14D807 Página: 4/17

5 PROLACTINA: 16,1 ng/ml Método: Quimioluminescência - Access Beckman Coulter Homens : 2,5 A 17,0 ng/ml Mulheres: Ciclo mesntrual : 1,9 a 25,0 ng/ml Menopausa : 7,0 a 17,0 ng/ml Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 10D76681B613C3DE91F488533E177BFE3BA7D5F446BCF905A9DD8241B05B34ED Página: 5/17

6 TSH - HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE: 0,90 µui/ml Método: Quimioluminescência Prematuros (28 a 36 semanas): 0,70 a 27,00 μui/ml Recém nascidos (1 a 4 dias) : 1,00 a 39,00 μui/ml 2 a 20 semanas... : 1,70 a 9,10 μui/ml 5 meses a 20 anos... : 0,70 a 6,40 μui/ml Adultos: 0,34 a 5,60 μui/ml Gravidez: 1 trimestre: 0,10 a 2,50 μui/ml 2 trimestre: 0,20 a 3,00 μui/ml 3º trimestre: 0,30 a 3,00 μui/ml Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 42DFB58B75332F77E9DE7AF3CE8D49B1A FE2E80F27D6A D Página: 6/17

7 T4 - TIROXINA LIVRE: 0.94 ng/dl Método: Quimioluminescência 0,61 a 1,48 ng/dl Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 1DD393B7A576F8E0F12B34CF438F9B27A45F1077D59E1B9D778D36E6DC78DEDC VITAMINA D TOTAL 25 HIDROXI: 15,6 ng/ml Método: Quimioluminescência Access 2 Deficiência: < 20,0 ng/ml Insuficiência: de 20,0 a 29,0 ng/ml Suficiência: de 30,0 a 100,0 ng/ml Elevado: > 100,0 ng/ml Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: E246064AFAB1A9EF7AAFD4E0C2A1AB9F1022BD72C12584BF563EA C Página: 7/17

8 HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue total Método: Automação - PENTRA 60 - ABX ERITROGRAMA Valores de Referencia Hemacias: 4,69 milhoes/mm3 4,5 a 6,1 milhoes/mm3 Hemoglobina: 12,7 g% 12,8 a 17,8 g% Hematocrito: 39,5 % 40,0 a 54,0 % VCM: 84,20 u3 80,0 a 98,0 u3 HCM: 27,10 pg 27,0 a 32,0 pg CHCM: 32,20 % 31,0 a 35,0 % RDW: 13,8 % 11,8 a 15,0 % Plaquetas: /mm a /mm3 LEUCOGRAMA Leucocitos: a Metamielocitos: 00 % 0,00 0 % 0 Bastonetes: 02 % 154,00 1 a 4 % 40 a 400 Segmentados: 69 % 5306,00 40 a 70 % a Eosinofilos: 01 % 77,00 1 a 6 % 100 a 600 Basofilos: 00 % 0,00 0 a 1 % 0 a 200 Linfocitos: 21 % 1615,00 18 a 48 % a Linfocitos atipicos: 00 % 0,00 0 % 0 Monocitos: 07 % 538,00 3 a 10 % 200 a Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: D209411F4AE FE9D5273FA347EBAAB7F2B4CA97D6084F8CD775132B0D Página: 8/17

9 GLICEMIA DE JEJUM: 84 mg/dl Material: Plasma fluoreto Método: Oxidase/Peroxidase - Selectra II Merck Normal : 65 a 99 mg/dl Pré Diabetes ou Glicemia de jejum inapropriada : 100 a 125 mg/dl Diabetes Mellitus : Igual ou acima de 126 mg/dl em duas ocasiões, igual ou acima de 200 mg/dl colhida em qualquer horário. Nota: Para o diagnóstico de intolerância a glicemia de jejum e/ou diabetes mellitus, é necessário que os valores da glicemia sejam confirmados no mínimo em duas amostras coletadas em dias diferentes. Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 22D65D17B14170FA19337DD0B64887D5C840E2470C4BDEECC4A272FEF343A06E UREIA: 19 mg/dl Método: Enzimático Colorimétrico - Selectra II Merck De 15 a 45 mg/dl Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: C968DF76E C2F7072C0AD142FA967148CFC94248FFB0F007240D3F3B67 Página: 9/17

10 CREATININA: 0,75 mg/dl Método: Enzimático Colorimétrico - Selectra II Merck Recém nascidos : 0,31 a 0,92 mg/dl 2 semanas a 1 ano : 0,16 a 0,39 mg/dl De 1 a 3 anos : 0,17 a 0,35 mg/dl De 3 a 5 anos : 0,26 a 0,46 mg/dl De 5 a 7 anos : 0,29 a 0,48 mg/dl De 7 a 9 anos : 0,34 a 0,55 mg/dl De 9 a 11 anos : 0,32 a 0,64 mg/dl De 11 a 13 anos : 0,42 a 0,71 mg/dl De 13 a 15 anos : 0,46 a 0,81 mg/dl Adultos : 0,40 a 1,40 mg/dl Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: FBF32CB1AD7FF944BCCDF682ABCDBEEBBD56080E09A5D85EF42828C70D1F0D2D Página: 10/17

11 ALANINA AMINOTRANSFERASE (ALT/TGP): 16 U/L Método: Cinético UV - Selectra II Merck Homens: Inferior a 42 U/L Mulheres: Inferior a 32 U/L Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: BDA58768FE A3BF66118D9C8782C392F6F2906A130539CF39E ÁCIDO ÚRICO: 4,0 mg/dl Método: Enzimático Colorimétrico - Selectra II Merck Homens: de 2,5 a 7,0 mg/dl Mulheres: de 1,5 a 6,0 mg/dl Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: E6E4F7701D825A27712B32DC11ACE59CABA456D9BBC0A7AA5B241D Página: 11/17

12 Idade: 19ano(s) Sexo: F POTÁSSIO: 3,6 meq/l Método: ISE - Ions Seletivos - AVL De 3,5 a 5,5 meq/l Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 3409DD5BC9D9D3E8C5238FC11990C100AD847441EB93ECC6FB1C8ED251A2B327 Página: 12/17

13 COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES Método: Enzimático Colorimétrico - Selectra II Merck COLESTEROL TOTAL: 211 mg/dl De 02 a 19 anos : Desejavel : Menor que 150 mg/dl Limitrofe : De 150 a 169 mg/dl Alto : Maior que 170 mg/dl Adultos: Desejavel : Menor que 200 mg/dl Limitrofe : De 200 a 239 mg/dl Alto : Maior que 240 mg/dl HDL COLESTEROL: 30 mg/dl De 02 a 19 anos : Maior ou igual a 45 mg/dl Adultos: Desejável : Maior que 60 mg/dl Baixo : Menor que 40 mg/dl Página: 13/17

14 COLESTEROL LDL: 161 mg/dl De 02 a 19 anos : Desejável : Menor que 100 mg/dl Limítrofe : De 100 a 129 mg/dl Alto : Maior que 130 mg/dl Adultos: Ótimo : Inferior a 100 mg/dl Desejável : De 100 a 129 mg/dl Limítrofe : De 130 a 159 mg/dl Alto : De 160 a 189 mg/dl Muito alto : Maior ou igual a 190 mg/dl COLESTEROL VLDL: 20 mg/dl Valor de Referência: Inferior a 30 mg/dl Nota: Valores de referência segundo a V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 5F35B1D353A9C6299FAF F5A08B63C328396FD19F15086AE2793FB488 Página: 14/17

15 TRIGLICÉRIDES: 99 mg/dl Método: Enzimático Colorimétrico - Selectra II Merck De 02 a 19 anos : Desejável : Menor que 100 mg/dl Limítrofe : De 100 a 129 mg/dl Alto : Maior que 130 mg/dl Adultos: Desejável : Menor que 150 mg/dl Limítrofe : De 150 a 200 mg/dl Alto : De 200 a 499 mg/dl Muito alto : Superior ou igual a 500 mg/dl Nota: Valores de referência segundo a V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 63993E5AB52FE90D6D D8E0FA680DF F9C24DA832CE8CE9BC535 Página: 15/17

16 Idade: 19ano(s) Sexo: F EXAME DE URINA TIPO I Material: Urina de jato médio Método: Microscopia EXAME FÍSICO-QUÍMICO Valores de referência Aspecto :Ligeiramente Turvo Límpido Densidade : a ph :6,0 5,0 a 7,0 Hemoglobina :Ausente Ausente Glicose :Ausente Ausente Bilirrubina :Ausente Ausente Cetonas :Ausente Ausente Proteínas :Ausente Ausente Urobilinogênio :Normal Normal Nitrito :Negativo Negativo MICROSCOPIA DO SEDIMENTO Células :1000 Ate Leucócitos :1000 Ate Hemácias :1000 Ate Cristais :Ausentes Ausentes Cilindros :Ausentes Ausentes Filamentos de muco :Ausentes Ausentes Flora bacteriana :Ausentes Ausentes Nota: A baixa densidade urinária é significativo de uma urina diluída, o que pode eventualmente falsear os resultados da sedimentoscopia e da cultura. Este laudo foi assinado digitalmente sob o nº: 0734C4F98D85DA5FF6B40218A5BF85ABAD0A0820BB4A5B96140C7AE6BEF6BFC9 Página: 16/17

17 Página: 17/17

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso 535C5710 «$E9T"J0 03.362451.01.41:15 Setor Técnico Urinalise Emissão 03/10/2008 SUMARIO DE URINA Coleta: 03/10/2008 ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS Valores de referência Cor Amarelo claro Amarelo claro - amarelo

Leia mais

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028 Telefone PABX (011) 3053-6611 e-mail hcor@hcor.com.br Dúvidas Técnicas Telefone PABX (011) 3053-6611 Ramal 2028 EQUIPE CLINIC CHECK UP Num. Pedido 050802886 10/08/2005 060000 Emissão 11/08/2005 135055

Leia mais

T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28. T3 LIVRE Coleta: 18/11/2005 06:28. T4 - TETRAIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28

T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28. T3 LIVRE Coleta: 18/11/2005 06:28. T4 - TETRAIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28 AUTENTICIDADE: 755339 Set.Tecnico Imunoensaio T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28 Resultado 108.6 ng/dl Referencial: Criancas ate 5 anos 105.0 a 269.0 ng/dl 5 a 10 anos 94.0 a 241.0 ng/dl Maiores

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância XE2100-Sysmex Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Unidade : GAMA LESTE Página: 1/5 HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Eritrograma Resultados Homens

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,08 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400 Resultados Página: 1/13 HEMOGRAMA ERITROGRAMA Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3 04.50 a 06.10 HEMOGLOBINA: 13.5 g/dl 13.00 a 16.50 HEMATOCRITO: 41.1 % 36.00 a 54.00 VCM:

Leia mais

SÓDIO: 140 meq/l [DATA DA COLETA : 19/11/13 07:00] Método...: Fotometria de chama Vlor. Ref.: 135 a 145 meq/l Material..: sangue

SÓDIO: 140 meq/l [DATA DA COLETA : 19/11/13 07:00] Método...: Fotometria de chama Vlor. Ref.: 135 a 145 meq/l Material..: sangue GLICEMIA DE JEJUM: 115 mg/dl Método...: Enzimático Vlor. Ref.: 65 a 99 mg/dl Material..: Plasma fluoretado RESULTADOS ANTERIORES: 06/09/13 = 110 mg/dl 02/08/13 = 97 mg/dl URÉIA: 32 mg/dl Método...: Enzimático

Leia mais

Parasitológico de Fezes

Parasitológico de Fezes Data de impressão: 03/04/2012 14:52:53 Parasitológico de Fezes Material: Fezes (a fresco) Método: HPJ e Microscopia Ótica Resultado: Análise Macroscópica: - Consistência: Pastosa - Coloração...: Castanho

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância XE2100-Sysmex Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Unidade :CRISPIM Página: 1/18 HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Eritrograma Valores de Referência

Leia mais

Resultados de Exames. Data do Exame: 16/04/2015. GASOMETRIA VENOSA Método: Potenciometria/Amperometria/Espectrofotometria

Resultados de Exames. Data do Exame: 16/04/2015. GASOMETRIA VENOSA Método: Potenciometria/Amperometria/Espectrofotometria Data do Exame: 16/04/2015 Paciente: CLAUDIA MACEDO Resultados de Exames GASOMETRIA VENOSA Método: Potenciometria/Amperometria/Espectrofotometria ph : 7,37 7,33 a 7,43 po2 : 157 mmhg 30 a 50 mmhg pco2:

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIDADE FUNCIONAL PATOLOGIA E MEDICINA LABORATORIAL

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIDADE FUNCIONAL PATOLOGIA E MEDICINA LABORATORIAL Emissão: 28/06/2015 às 17:45 Fl.: 1 PROLACTINA Método: ELETROQUIMILUMINESCÊNCIA RESULTADO: 10,3 ng/ml V.R.: Mulher não grávida: 3,0-18,6 ng/ml Homens: 3,7-17,9 ng/ml SÓDIO MATERIAL: SANGUE Método: POTENCIOMÉTRICO

Leia mais

ANÁLISES CLÍNICAS. conhecimento que trabalha com o estudo de. alguma substância de forma a coletar dados e

ANÁLISES CLÍNICAS. conhecimento que trabalha com o estudo de. alguma substância de forma a coletar dados e ANÁLISES CLÍNICAS ANÁLISES CLÍNICAS A análise clínica é o ramo de conhecimento que trabalha com o estudo de alguma substância de forma a coletar dados e apontar diagnósticos a respeito da saúde do paciente.

Leia mais

Após a leitura deste texto não deixe de ler também nossas outras postagens sobre exames laboratoriais:

Após a leitura deste texto não deixe de ler também nossas outras postagens sobre exames laboratoriais: Aula Prática Profa. Dra. Fernanda Ayala O exame de urina é usado como método diagnóstico complementar desde o século II. Trata-se de um exame indolor e de simples coleta, o que o torna muito menos penoso

Leia mais

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas.

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas. HEMOGRAMA DEFINIÇÃO É o exame mais requisitado pela medicina e nele analisa-se as células sanguíneas. É comum você pegar um laudo dividido em três partes:eritrograma, parte que analisa as células vermelhas

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO ERITOGRAMA:

HEMOGRAMA COMPLETO ERITOGRAMA: HEMOGRAMA COMPLETO Método: Automação ERITOGRAMA: Referências Hemácias...: 4,58 milhões /mm3 4.00 a 5.20 milhôes/mm3 Hemoglobina...: 14,40 g % 11.7 a 15.7 g% Hematócrito...: 41,5 % 36.0 a 47.0 % Volume

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIDADE FUNCIONAL PATOLOGIA E MEDICINA LABORATORIAL

HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIDADE FUNCIONAL PATOLOGIA E MEDICINA LABORATORIAL Emissão: 28/06/2015 às 17:42 Fl.: 1 PROLACTINA Método: ELETROQUIMILUMINESCÊNCIA RESULTADO: 6,9 ng/ml V.R.: Mulher não grávida: 3,0-18,6 ng/ml Homens: 3,7-17,9 ng/ml GLICOSE RESULTADO: 92 mg/dl V.R.: Jejum:

Leia mais

Procedimentos Técnicos NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR

Procedimentos Técnicos NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Versão: 1 Pg: 1/6 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Ivo Fernandes Sobreiro Gerente da Qualidade 01/09/2009 DE ACORDO Renato de Lacerda Diretor Técnico 05/09/2009 APROVADO POR Jose Carlos Santos

Leia mais

Layout de Importação de Resultado de Exames

Layout de Importação de Resultado de Exames Nefrodata-ACD Automação para Centros de Hemodiálise Layout de Importação de Resultado de Exames O processo de atualização dos resultados de exames laboratoriais é uma tarefa extensa e exaustiva. Para tal,

Leia mais

Urinálise Sedimentoscopia Identificação

Urinálise Sedimentoscopia Identificação Caso Clínico Item EAS04 Mulher, 70 anos busca o serviço de emergência do hospital devido a perda de peso importante nos últimos 6 meses, e edema nas pernas e pálpebras. O médico solicitou exame comum de

Leia mais

Métodos de avaliação da função renal

Métodos de avaliação da função renal Métodos de avaliação da função renal Fernando Domingos Instituto de Fisiologia Faculdade de Medicina de Lisboa 2014 1 Avaliação clínica Medição da pressão arterial (pode estar elevada na doença renal)

Leia mais

Matriz/Analito. Gram - Esfregaço preparado a partir de crescimento bacteriano, na forma física e digitalizada.

Matriz/Analito. Gram - Esfregaço preparado a partir de crescimento bacteriano, na forma física e digitalizada. Folha: 1 de 19 BACTERIOLOGIA Bacterioscopia BAAR e Gram, identificação e teste de susceptibilidade a antimicrobianos de microrganismos ambulatoriais e hospitalares BAAR - Lâmina com esfregaço prepara com

Leia mais

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem fidedignidade aos resultados. Seu principal objetivo é assegurar

Leia mais

Tempo de Jejum para realização de Exames

Tempo de Jejum para realização de Exames Tempo de Jejum para realização de Exames Jejum não necessário Amilase, Bilirrubina, Células LE, CKMB, Coombs Direto, Coombs Indireto, CPK, Desidrogenase Lática, Gasometria, Pesquisa de Drepanócitos, Eletroforese

Leia mais

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

Leucocitoses: o que há além dos processos inflamatórios

Leucocitoses: o que há além dos processos inflamatórios Leucocitoses: o que há além dos processos inflamatórios Inflamação Leucocitose fisiológica (epinefrina) Dor, medo, exercício Leucograma de estresse (glicocorticoide) Hiperadrenocorticismo, corticoterapia,

Leia mais

Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário Grupo Sangüíneo Sangue total com EDTA e K3 Jejum desnecessário

Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário Grupo Sangüíneo Sangue total com EDTA e K3 Jejum desnecessário HEMATOLOGIA: Células LE Sangue sem anticoagulante Jejum desnecessário Coombs Direto Sangue total com EDTA Jejum desnecessário Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário

Leia mais

LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho

LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho M. V. do Serviço de Clínica Médica de Pequenos Animais HOVET FMVZ USP Residência em Clínica e Cirurgia de Pequenos animais HOVET FMVZ USP Especialização em Clínica Médica FMVZ

Leia mais

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma.

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma. Introdução O hemograma pode ser entendido como o exame do sangue periférico que permite fazer avaliação da série vermelha, série branca (leucócitos), e das plaquetas. Grosso modo, o sangue pode ser conceituado

Leia mais

Relatório de Caso Clínico

Relatório de Caso Clínico UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Veterinária Departamento de Patologia Clínica Veterinária Disciplina de Bioquímica e Hematologia Clínica (VET03121) http://www6.ufrgs.br/bioquimica

Leia mais

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL Bioquímica Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes Referências Bioquímica Clínica M A T Garcia e S Kanaan Bioquímica Mèdica J W Baynes e M H Dominiczack Fundamentos

Leia mais

Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015];

Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015]; Pag.: 1 de 7 GLICOSE (GLICEMIA JEJUM) 84.0 mg/dl MÉTODO:CINÉTICO ENZIMÁTICO - ADVIA 1800 - SIEMENS VALORES DE REFERÊNCIA: 60-99 mg/dl Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015];

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante.

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação O hemograma é um exame complementar muito importante. Doenças do sangue Anemias Doenças hemorrágicas: hemofilia, cirrosse hepática,

Leia mais

RELAÇÃO DE EXAMES REALIZADOS NO IBEx

RELAÇÃO DE EXAMES REALIZADOS NO IBEx 1 Ácido úrico 2 Albumina 3 Alfa 1 glicoproteína ácida 4 Alfa fetoproteína 5 Amilase 6 Androstenediona 7 Anticorpos Anti-HIV I, Western Blot 8 Anticorpos anti-hiv1 + HIV2 (Determinação Conjunta) ELISA 9

Leia mais

Citologia Clínica. Exame qualitativo da urina. Exame de urina de rotina. Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos

Citologia Clínica. Exame qualitativo da urina. Exame de urina de rotina. Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Citologia Clínica Aula 9 Exame qualitativo de Urina Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Exame qualitativo da urina Diagnóstico de doença renal, no trato urinário, sistêmicas não relacionadas com o rim.

Leia mais

Programações de Automação Biotécnica Clinline 150

Programações de Automação Biotécnica Clinline 150 Indice ÁCIDO ÚRICO - MONO 3 ALBUMINA 4 α-amilase 5 ALT / TGP 6 AST / TGO 7 BILIRRUBINA DIRETA 8 BILIRRUNINA TOTAL 9 CÁLCIO ASX 10 CÁLCIO 11 CK NAC 12 CK MB 13 CLORO 14 COLESTEROL 15 CREATININA 16 DESIDROGENASE

Leia mais

Como Interpretar um Boletim de Análises Clínicas

Como Interpretar um Boletim de Análises Clínicas um Boletim Cristina V. Almeida Análises - Definição Conjunto de exames e testes, realizados normalmente a pedido do médico, executados em laboratórios de análise clínica. Os produtos biológicos mais comuns

Leia mais

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS SBAC

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS SBAC QUIMIOLUMINESCÊNCIA pg/ml 5,6 1,9 ACTH B-HCG CALCITONINA CORTISOL ESTRADIOL DPC MEDLAB / IMMULITE / SIEMENS pg/ml 6,5 2,4 TODOS OS PARTICIPANTES pg/ml 6,7 2,5 TODOS OS ANALISADORES pg/ml 5,6 2,1 ELISA

Leia mais

Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015

Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015 Anexo I Relação de exames laboratoriais Pregão presencial nº 20/2015 ITEM CÓDIGO DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO VALOR 01 02.02.05.001-7 ANÁLISE DE CARACTERES FÍSICOS, 3,70 ELEMENTOS E SEDIMENTOS NA URINA (EQU)

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2014 (SRP)

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2014 (SRP) 14/10/2014 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Pregão Eletrônico CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2014 (SRP) Às 16:20 horas do dia 14

Leia mais

Hemograma Material...: SANGUE COM E.D.T.A. Equipamento: PENTRA 120 DX

Hemograma Material...: SANGUE COM E.D.T.A. Equipamento: PENTRA 120 DX Nº OS 912499 Animal Shipo Data 23/01/2016 Canina - - Raça Dachshund Responsável Cid Kaeriyama Sexo Femea Dt. Nasc. 13/08/2007 Idade 8a 5m 10d Requisitante Rodrigo Ubukata Provet - Divino Salvador Av Divino

Leia mais

Doença com grande impacto no sistema de saúde

Doença com grande impacto no sistema de saúde Por quê abordar a Doença Renal Crônica Cô? PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA Doença com grande impacto no sistema de saúde Acomete muitas pessoas Vem aumentando nos últimos anos Provavelmente continuará a aumentar

Leia mais

MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS

MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS O material coletado e conservado adequadamente torna-se de grande valor, proporcionando informações importantes para o clínico chegar a um diagnóstico. Uma coleta

Leia mais

Preparo para Exames Laboratoriais

Preparo para Exames Laboratoriais Preparo para Exames Laboratoriais Seção: Bioquímica 1) Dosagem de Colesterol 1.1) Dosagem de colesterol (sangue) :Dosagem de Colesterol Total 2.1) Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 a 14

Leia mais

Abordagem do Paciente Renal F J Werneck

Abordagem do Paciente Renal F J Werneck Síndromes Nefrológicas Síndrome infecciosa: Infecciosa Nefrítica Nefrótica Urêmica Hipertensiva Calculosa - infecção do trato urinário alta: pielonefrite - Infecção do trato urinário baixa: cistite, uretrite

Leia mais

Exames Laboratoriais. Especialização CTBMF - Fundecto - USP. Profº Coordenador: Dr. Marcos V. Gayotto Profº Preceptor: Dr. Almir A.

Exames Laboratoriais. Especialização CTBMF - Fundecto - USP. Profº Coordenador: Dr. Marcos V. Gayotto Profº Preceptor: Dr. Almir A. Exames Laboratoriais Especialização CTBMF - Fundecto - USP Profº Coordenador: Dr. Marcos V. Gayotto Profº Preceptor: Dr. Almir A. Feitosa PRÉ-OPERATÓRIO PRÉ-OPERATÓRIO Anamnese Exame Físico Exames Complementares

Leia mais

COMO SÃO APROVADOS OS MEDICAMENTOS CONTRA O HIV?... 3 AS ANÁLISES DE LABORATÓRIO... 6 A BIOQUÍMICA DO SANGUE... 8

COMO SÃO APROVADOS OS MEDICAMENTOS CONTRA O HIV?... 3 AS ANÁLISES DE LABORATÓRIO... 6 A BIOQUÍMICA DO SANGUE... 8 COMO SÃO APROVADOS OS MEDICAMENTOS CONTRA O HIV?... 3 POR QUE DEMORA TANTO APROVAR NOVOS MEDICAMENTOS?... 3 QUAIS SÃO AS "FASES" DOS ENSAIOS CLÍNICOS?... 3 COMO SABEMOS SE UM MEDICAMENTO FUNCIONA?... 4

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 001/2012

PROCESSO SELETIVO Nº 001/2012 PROCESSO SELETIVO Nº 001/2012 O Instituto de Gestão e Humanização IGH, torna público para conhecimento dos interessados, que fará realizar Processo Seletivo objetivando a contratação de serviços laboratoriais

Leia mais

Dúvidas frequentes sobre exames laboratoriais.

Dúvidas frequentes sobre exames laboratoriais. Dúvidas frequentes sobre exames laboratoriais. Remédios interferem em exames laboratoriais? Alguns, sim. Os antibióticos e os anti-inflamatórios, por exemplo, interferem nos testes de coagulação do sangue,

Leia mais

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo Material Necessário Seringa 5ml com agulha 25x7 Alcool 70% (iodado) Garrote Tubo vacuun EDTA ( tampa roxa ) microscópio lâminas para microscopia

Leia mais

Assistência pré-natal Baixo risco. Rotina Laboratorial. < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal

Assistência pré-natal Baixo risco. Rotina Laboratorial. < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal Assistência pré-natal Baixo risco Rotina Laboratorial Calendário de consultas: < 32 semanas Mensal 32 a 36 semanas Quinzenal 36 semanas Semanal Exames complementares 1 a consulta (sempre aceitar exames

Leia mais

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/ANÁLISES CLÍNICAS 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 35

TÉCNICO DE LABORATÓRIO/ANÁLISES CLÍNICAS 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 35 TÉCNICO DE LABORATÓRIO/ANÁLISES CLÍNICAS 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 35 11. A coleta de sangue venoso deve ser cuidadosa e depende dos tipos de exames solicitados pelo prescritor. Alguns

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: INTERPRETAÇÃO DE EXAMES COMPLEMENTARES Código: ENF 313 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA LICA DIAGNÓSTICO HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA LICA DIAGNÓSTICO HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOENÇA A HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓ DIAGNÓSTICO HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOENÇA A HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓ ESTEATOSE ESTEATO-HEPATITE (NASH) FIBROSE

Leia mais

DEZ PASSOS NA INTERPRETAÇÃO LABORATORIAL NO VEGETARIANO PROF. ANTONIO CLÁUDIO GOULART DUARTE 2006

DEZ PASSOS NA INTERPRETAÇÃO LABORATORIAL NO VEGETARIANO PROF. ANTONIO CLÁUDIO GOULART DUARTE 2006 DEZ PASSOS NA INTERPRETAÇÃO LABORATORIAL NO VEGETARIANO PROF. ANTONIO CLÁUDIO GOULART DUARTE 2006 Agradecimento: A todos os pacientes e seus familiares que permitem que possamos usar seus exames laboratoriais

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS MATERIAL PRAZO DE ENTREGA ANIMAL PAT LAB HEMATOLOGIA

EXAMES LABORATORIAIS MATERIAL PRAZO DE ENTREGA ANIMAL PAT LAB HEMATOLOGIA TABELA DE EXAMES EXAMES LABORATORIAIS MATERIAL PRAZO DE ENTREGA Hemograma completo (eritrograma + leucograma + plaquetas + Ppt + Pesq hemoparasita) *** Exame encaminhado para laboratórios conveniados.

Leia mais

OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS

OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS OFICINA INTEGRADA DE DOENÇAS IMUNOPREVINÍVEIS DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DAS MENINGITES- ESTUDO DO LCR TÓPICOS A SEREM ABORDADOS : FASE PRÉ ANALÍTICA PROCESSAMENTO

Leia mais

Relatório de Caso Clínico

Relatório de Caso Clínico UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Veterinária Departamento de Patologia Clínica Veterinária Disciplina de Bioquímica e Hematologia Clínica (VET03121) http://www.ufrgs.br/favet/bioquimica

Leia mais

Relatório de Caso Clínico

Relatório de Caso Clínico UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Veterinária Departamento de Patologia Clínica Veterinária Disciplina de Bioquímica e Hematologia Clínica (VET03121) http://www.ufrgs.br/favet/bioquimica

Leia mais

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Há um desafio imposto a nós cooperados, de mantermos a anamnese e o exame físico como os pilares da avaliação médica, evitando

Leia mais

25 de janeiro de 2010

25 de janeiro de 2010 Pontifícia Universidade Católica do Paraná Processo Seletivo de Residência Médico Veterinária PUCPR Janeiro/2010 25 de janeiro de 2010 ESPECIALIDADE: PATOLOGIA E CLÍNICA VETERINÁRIA N.º DO CARTÃO NOME

Leia mais

ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS E DOS NÍVEIS DE FERRO SÉRICO EM GESTANTES DO CENTRO MUNICIPAL DE SAÚDE DE IJUÍ (RS)

ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS E DOS NÍVEIS DE FERRO SÉRICO EM GESTANTES DO CENTRO MUNICIPAL DE SAÚDE DE IJUÍ (RS) ANEXO B PLANILHA DE VERIFICAÇÃO DE REGISTRO JUNTO AO ÓRGÃO SANITÁRIO Número de registro no Ministério da Saúde: CNPJ completo: ANEXO C PLANILHA DE VERIFICAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DOS MEDICAMENTOS Monofitoterápico

Leia mais

Caso Clínico. Fernando Klein Março/2012

Caso Clínico. Fernando Klein Março/2012 Caso Clínico PET Medicina UFC Fernando Klein Março/2012 Identificação R.M.S., 44 anos, masculino, natural e procedente de Caucaia, em união estável há 8 anos, desempregado no momento (já trabalhou como

Leia mais

Anexo Técnico de Acreditação Nº E0009-1 Accreditation Annex nr.

Anexo Técnico de Acreditação Nº E0009-1 Accreditation Annex nr. Tel +351.212 948 21 Fax +351.212 948 22 Anexo Técnico de Acreditação Nº E9-1 A entidade a seguir indicada está acreditada como Laboratório Clínico, segundo a norma NP EN ISO 15189:27 Endereço Address Contacto

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS

PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS PRESCRIÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS Acadêmica de medicina: Jéssica Stacciarini Liga de diabetes 15/04/2015 Benefícios do exercício físico em relação ao diabetes mellitus:

Leia mais

Manual do Exame Médico

Manual do Exame Médico 1 Manual do Exame Médico Guia completo e atualizado de recomendações sobre a etapa do exame médico em concursos (com foco no concurso da Polícia Federal) Este material não deve ser comercializado em nenhuma

Leia mais

EXAMES CLASSIFICAÇÃO prazo material COLETA VETERINARIO. cloretos Bioquimico até 24h tubo vermelho R$ 20,00 R$

EXAMES CLASSIFICAÇÃO prazo material COLETA VETERINARIO. cloretos Bioquimico até 24h tubo vermelho R$ 20,00 R$ . TABELA DE PREÇOS 2015 EXAMES CLASSIFICAÇÃO prazo material COLETA VETERINARIO ácido úrico Bioquimico até 24h tubo vermelho R$ 20,00 R$ 14,00 Aplicação ACTH = R$ 15,00/Kg Hormonal ----------- -----------------

Leia mais

C ONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2014 (SRP)

C ONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2014 (SRP) 9/6/2014 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO C ONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2014 (SRP) Às 09:51 horas do dia 09 de junho de 2014, após

Leia mais

Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica

Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica Vamos lembrar Hipócrates Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja o seu remédio Integração É importante buscar um estado

Leia mais

Urocultura. Introdução

Urocultura. Introdução Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais http://www.icb.ufmg.br/mic Urocultura Introdução A infecção do trato urinário (ITU) situa-se entre as

Leia mais

Tecido sanguíneo. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto

Tecido sanguíneo. Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto Tecido sanguíneo Prof. Msc. Roberpaulo Anacleto Transporte Regulação Proteção Funções do Sangue Sangue É um tecido conjuntivo especializado pois apresenta sua matriz extracelular totalmente fluida. O sangue

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Hiperadrenocorticismo canino: relato de caso

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Hiperadrenocorticismo canino: relato de caso PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Hiperadrenocorticismo canino: relato de caso Mariane Pacheco dos Santos 1, Gabriela Morais Madruga 2, Renato Linhares Sampaio 3, Rodrigo Supranzetti

Leia mais

Relatório de Caso Clínico

Relatório de Caso Clínico UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Veterinária Departamento de Patologia Clínica Veterinária Disciplina de Bioquímica e Hematologia Clínica (VET03121) http://www.ufrgs.br/favet/bioquimica

Leia mais

Especificação Unid. Fornecedor Marca Ofer. Descto. (%) Preço Unitário DIAGNOSTICA CATARINENSE COMERCIO DE PRODUTOS LABOR (10792)

Especificação Unid. Fornecedor Marca Ofer. Descto. (%) Preço Unitário DIAGNOSTICA CATARINENSE COMERCIO DE PRODUTOS LABOR (10792) Página: 1/8 1 HDL COLESTEROL COLOR 50ML LIQUIDO PRECIPITANTE UNID ANALISA 0 15,0000 1 4 ASLO LATEX 2,5ML COMPLETO C/100 UNID BIOMARCHESINI PRODUTOS CIENTIFICOS LTDA (10129) EBRAM 0 61,3100 1 WAMA 0 106,5000

Leia mais

Instituto Veterinário de Imagem

Instituto Veterinário de Imagem Instituto Veterinário de Imagem Tabela de Preço ABRIL DE 2012 CARDIOLOGIA VALOR R$ Eletrocardiografia (E.C.G.) 98,00 Ecodopplercardiografia Colorido 138,00 Pressão Arterial 41,00 ULTRASSONOGRAFIA (U.S.G.)

Leia mais

ECLIPSE. Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4

ECLIPSE. Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4 Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4 α-amilase 5 BILIRRUBINA DIRETA 6 BILIRRUBINA TOTAL 7 CÁLCIO 8 CÁLCIO AZUL DE METILTIMOL 9 CLORETO 10 COLESTEROL 11 COLESTEROL HDL 12 CREATININA 13 CREATINO KINASE MB (CK-MB)

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS ESPÍRITO SANTO SAÚDE CONDIÇÕES Check-Up Hospital da Luz / Clínica Parque dos Poetas / Centro Clínico da Amadora Consultas > 45 anos < 45 anos Menopausa > 38 anos < 38 anos Consulta de Oftalmologia Consulta

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA PERFIL HEMATOLÓGICO E BIOQUÍMICO SÉRICO DE GATOS DOMÉSTICOS (Felis catus - Linnaeus, 1758), DA RAÇA PERSA E MESTIÇOS Álisson Souza Costa

Leia mais

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT Nomenclatura Brasileira Norma Imperio DIPAT O momento mais eletrizante de minha carreira foi quando descobri que era capaz de observar células cancerosas num colo do útero através do esfregaço George Nicholas

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE: Tomada de Preços

EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE: Tomada de Preços EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE: Tomada de Preços Processo nº...: 25/11 Modalidade...: Tomada de Preços nº 3/2011 Data de Recebimento dos Envelopes: 17/05/11 Horário...: 09:00 --------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Lista de Exercícios. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Ciências da Natureza - Biologia

Lista de Exercícios. Pré Universitário Uni-Anhanguera. Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Ciências da Natureza - Biologia Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Ciências da Natureza - Biologia 1 1. Nos testes de gravidez, a substância cuja presença

Leia mais

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Departamento de Biologia Celular e Molecular Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Tema: Metabolismo do Ferro e Anemias Monitores:

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Instrumento de convênio que entre si fazem, de um lado a CNPJ nº, com sede social na CEP Nº inscrita no CREMEB-BA sob o Nº, Telefone, Endereço eletrônico, doravante denominado

Leia mais

O perfil do Citotecnologista em Angola

O perfil do Citotecnologista em Angola HOSPITAL MILITAR PRINCIPAL/ INSTITUTO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE ANATOMIA PATOLÓGICA O perfil do Citotecnologista em Angola Elaborado pela Alice Soares da Silva, Chefe técnica de citologia do Departamento

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Instrumento de convênio que entre si fazem, de um lado a CNPJ nº, com sede social na CEP Nº -inscrita no CREMEB-BA sob o Nº, Telefone ( ), Endereço eletrônico, doravante

Leia mais

PATOLOGIA CLÍNICA I. VCM = 90fl HCM = 30pg CHCM = 33% RDW = 13,5

PATOLOGIA CLÍNICA I. VCM = 90fl HCM = 30pg CHCM = 33% RDW = 13,5 PATOLOGIA CLÍNICA I CASO I Paciente do sexo masculino, peso = 70 kg, com hemorragia traumática. Hemograma realizado imediatamente após o sangramento mostrou: Hemácias = 5.000.000/mm 3 hemoglobina = 15g/dl

Leia mais

Protocolos de Aplicação

Protocolos de Aplicação Protocolos de Aplicação IN VITRO Diagnóstica MEGA Rua Cromita 278 - Distrito Industrial - Itabira - MG Telefax: 31 3834-6400 e.mail: dsa@invitro.com.br ÁCIDO ÚRICO ENZIMÁTICO Cat: 10687 Volume: 100 ml

Leia mais

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e CASO 01 - Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e muita sudoração. O médico examinou a paciente

Leia mais

PORTARIA Nº 3.193/GM DE 24 DEZEMBRO DE 2008.

PORTARIA Nº 3.193/GM DE 24 DEZEMBRO DE 2008. PORTARIA Nº 3.193/GM DE 24 DEZEMBRO DE 2008. Altera a Tabela de s, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde SUS. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

28.03. As plaquetas são os elementos figurados do sangue responsáveis pela coagulação sanguínea.

28.03. As plaquetas são os elementos figurados do sangue responsáveis pela coagulação sanguínea. BIO 10E aula 28 28.01. Para fazer a defesa do organismo, alguns leucócitos podem atravessar a parede dos vasos sanguíneos e atuar no tecido conjuntivo. Este processo é denominado diapedese. 28.02. A coagulação

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO 9º ano

TECIDO CONJUNTIVO 9º ano TECIDO CONJUNTIVO 9º ano O tecido conjuntivo apresenta células separadas por matriz intercelular. É quase sempre vascularizado. (exceção tecido cartilaginoso) TIPOS DE TECIDO CONJUNTIVO TCP D TCP D Frouxo

Leia mais

Tabela de Exames. Anatomia Patológica. Exame Amostra Valor Prazo Histopatológico. Citologia. Lâminas de punção aspirativa ou líquido refrigerado.

Tabela de Exames. Anatomia Patológica. Exame Amostra Valor Prazo Histopatológico. Citologia. Lâminas de punção aspirativa ou líquido refrigerado. Tabela de Exames - Novos valores válidos a partir de 01 de SETEMBRO de 2012 - Qualquer dúvida quanto ao acondicionamento e envio das amostras favor entrar em contato pelos nossos telefones (19) 3342-9312

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO PAULO Fundação Paulistana de Educação e Tecnologia da Faculdade e Escola Técnica de Saúde Pública Cidade Tiradentes

PREFEITURA DE SÃO PAULO Fundação Paulistana de Educação e Tecnologia da Faculdade e Escola Técnica de Saúde Pública Cidade Tiradentes PREFEITURA DE SÃO PAULO Fundação Paulistana de Educação e Tecnologia da Faculdade e Escola Técnica de Saúde Pública Cidade Tiradentes CONCURSO PÚBLICO 04. Professor de Ensino Técnico Análises Clínicas

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. URINÁLISE CONSENSOS E CONTROVÉRSIAS Exame Físico - Químico Kaline Maria Nogueira de Lucena Fonseca Centro de Patologia Clínica Natal - RN Exame de

Leia mais

Conversão de Exames Laboratoriais Armazenados em Texto Livre para XML: Uma Aplicação Para Telefones Celulares

Conversão de Exames Laboratoriais Armazenados em Texto Livre para XML: Uma Aplicação Para Telefones Celulares Conversão de Exames Laboratoriais Armazenados em Texto Livre para : Uma Aplicação Para Telefones Celulares Amir Neves Ferreira Velho Júlio César Bastos de Figueiredo Instituto do Coração (InCor) da Faculdade

Leia mais

Avaliação da Função Renal. Dr. Alexandre S. Fortini Divisão de Laboratório Central HC-FMUSP

Avaliação da Função Renal. Dr. Alexandre S. Fortini Divisão de Laboratório Central HC-FMUSP Avaliação da Função Renal Dr. Alexandre S. Fortini Divisão de Laboratório Central HC-FMUSP Funções do Rim Balanço hídrico e salino Excreção de compostos nitrogenados Regulação ácido-base Metabolismo ósseo

Leia mais