Minuta de Contrato de Adesão ao Serviço de. Interruptibilidade. (ao abrigo da Portaria n.º 1309/2010)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Minuta de Contrato de Adesão ao Serviço de. Interruptibilidade. (ao abrigo da Portaria n.º 1309/2010)"

Transcrição

1 Minuta de Contrato de Adesão ao Serviço de Interruptibilidade (ao abrigo da Portaria n.º 1309/2010) Página 1 de 9

2 Condições Específicas do Contrato Entre A entidade identificada no Anexo e REN - Rede Eléctrica Nacional, S.A, com sede na Avenida dos Estados Unidos da América n.º 55, em Lisboa, com o capital social de euros, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com o número único de matrícula e de pessoa colectiva , como concessionária da Rede Nacional de Transporte de Electricidade (RNT), no âmbito da sua função de Gestão Global do Sistema e adiante designada como Operador da Rede de Transporte, doravante designados em conjunto como Partes, é celebrado o presente Contrato para a Prestação do Serviço de Interruptibilidade, adiante designado por Contrato. O Contrato aplica-se à instalação de consumo identificada no Anexo, com as condições aí estabelecidas e entra em vigor na data da sua aceitação por via electrónica, conforme previsto no artigo 2.º da Portaria n.º 1309/2010. Página 2 de 9

3 Condições Gerais do Contrato Cláusula 1. Objecto O presente Contrato e o seu Anexo têm por objecto estabelecer: a) Os direitos e obrigações do Prestador do Serviço e do Operador da Rede de Transporte no âmbito do serviço de interruptibilidade (adiante designado por o Serviço) previsto na Portaria n.º 1309/2010, de 23 de Dezembro, que estabelece as condições aplicáveis ao referido Serviço, o regime retributivo e as penalizações associadas a eventuais incumprimentos (adiante designada como Portaria); b) As condições técnicas que o Prestador do Serviço deve cumprir para poder prestar o Serviço. Cláusula 2. Duração 1. O Contrato tem a duração de um ano, considerando-se automática e sucessivamente renovado por iguais períodos, salvo denúncia, pelo Prestador do Serviço, comunicada por via electrónica, com a antecedência mínima de 60 (sessenta) dias em relação à data em que pretende cessar o Contrato. 2. O início e o termo do prazo contratual coincidirão com o dia 1 de Janeiro e o dia 31 de Dezembro, respectivamente, sem prejuízo do disposto no número seguinte. 3. Durante o ano 2011, o Contrato terá início na data constante da comunicação de aceitação do contrato, expedida por via electrónica pelo Operador da Rede de Transporte, a qual não poderá ser anterior à data de recepção de toda a informação do Anexo e respectivos comprovativos por via electrónica, e termo em 31 de Dezembro de 2011, independentemente da data que tenha sido requerida a adesão, de acordo com o previsto no n.º 5 do artigo 2.º da Portaria. Cláusula 3. Regras aplicáveis O Contrato submete-se às regras constantes na legislação, nos regulamentos e documentos aplicáveis (incluindo despachos e normativos da ERSE), em vigor, nomeadamente, os seguintes: a) Portaria, tal como definida na alínea a) da Cláusula 1.; b) Portaria n.º 592/2010, de 29 de Julho de 2010, nas disposições aplicáveis; c) Regulamento de Relações Comerciais; d) Regulamento da Rede de Transporte; Página 3 de 9

4 e) Regulamento da Rede de Distribuição; f) Regulamento de Operação das Redes; g) Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema. Cláusula 4. Retribuição do Serviço O Prestador do Serviço terá direito a receber a retribuição do Serviço prestado no âmbito do presente Contrato, nos termos fixados no artigo 3.º da Portaria. Cláusula 5. Condições Comerciais 1. As condições comerciais (facturação, prazos de pagamento e outras) são as constantes da Portaria n.º 592/2010, de 29 de Junho (adiante designada por Portaria 592/2010), do Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema e demais regulamentação aplicável. 2. A facturação do Serviço será emitida pelo Operador da Rede de Transporte, como adquirente dos bens ou dos serviços; 3. O Prestador do Serviço aceita que as facturas ou documentos equivalentes possam ser emitidos por via electrónica; 4. Até que esteja em serviço o equipamento referido na alínea c) da cláusula 6 deste Contrato, o Prestador do Serviço deve enviar mensalmente, por via electrónica, um comprovativo da potência tomada no mês findo, sem o que o pagamento do serviço de interruptibilidade não será efectuado. Cláusula 6. Obrigações Gerais do Prestador do Serviço São obrigações do Prestador de Serviço, para além das previstas nos artigos 6.º, 7.º, 8.º, 12.º e 14.º da Portaria 592/2010, as referidas na legislação e regulamentação aplicável e, em particular, as seguintes: a) Respeitar as disposições constantes do Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema e na demais legislação aplicável, em vigor; b) Cumprir as ordens de redução de potência emitidas pelo Operador da Rede de Transporte nos termos deste Contrato, do Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema e demais regulamentação aplicável; c) Adquirir, instalar e manter em bom estado de funcionamento os equipamentos e infraestruturas necessárias para a prestação do Serviço nomeadamente os equipamentos Página 4 de 9

5 de medida, registo, controlo, equipamentos de comunicações associados e o relé de deslastre por frequência definidos pela ERSE e/ou na regulamentação aplicável; d) No caso do ponto de acesso às redes ser partilhado com uma Instalação de Cogeração, o Prestador de Serviço garante que a actuação do relé de deslastre por frequência não desliga a Instalação de Cogeração; e) Cumprir os requisitos técnicos e parametrizações definidas pelo Operador da Rede de Transporte e/ou pela ERSE, o que será comprovado através de meios de ensaio de funcionamento realizados pelo Operador da Rede de Transporte ou de entidades credenciadas para o efeito; f) Suportar os custos associados à aquisição, conservação e manutenção dos equipamentos e infra-estruturas indicadas nos pontos anteriores, nos termos do n.º 2 do artigo 8,º da Portaria n.º 592/2010; g) Reduzir voluntariamente o seu consumo para um valor inferior ou igual ao da potência residual em resposta a uma ordem do Operador da Rede de Transporte; h) Comunicar ao Operador da Rede de Transporte qualquer avaria ou indisponibilidade, logo que tenha conhecimento desta, dos equipamentos e das infra-estruturas necessárias para a prestação do Serviço. i) Pagar as penalidades devidas ao Operador da Rede de Transporte originadas pelo incumprimento de uma ordem de redução de potência; j) Não desenvolver uma actividade que inclua serviços essenciais em que a aplicabilidade do serviço de interruptibilidade possa pôr em risco a segurança das pessoas ou bens; k) Facilitar toda a informação que seja necessária para o cumprimento do disposto na Portaria n.º 592/2010, e regulamentação aplicável. Cláusula 7. Obrigações de Informação do Prestador do Serviço O Prestador do Serviço deve prestar a seguinte informação ao Operador da Rede de Transporte, contida no Anexo a este Contrato: a) As Potências tomadas mensais nos 12 meses do ano anterior, acompanhadas de comprovativo emitido pelo Operador da Rede de Distribuição ou pelo Comercializador; b) Código de acesso à Certidão Permanente do Registo Comercial; c) Informação necessária para efeitos de Liquidação e Facturação; d) Valor da potência máxima a consumir pelo Prestador do Serviço nos períodos em que o Operador da Rede de Transporte solicite a máxima redução de potência (potência residual máxima); Página 5 de 9

6 e) Identificação do Fornecedor de energia. Cláusula 8. Direitos do Operador da Rede de Transporte São direitos do Operador da Rede de Transporte, para além dos referidos na legislação e regulamentação aplicável, os seguintes: a) Emitir ordens de redução de potência de acordo com o estabelecido no presente Contrato e demais regulamentação aplicável, nomeadamente quanto ao tipo de redução de potência, tempo de pré-aviso e número de períodos de interrupção; b) Livre acesso, mediante pré-aviso e em horário a combinar, à instalação do Prestador do Serviço para inspecção e verificação das parametrizações dos equipamentos e infra-estruturas necessárias para a prestação do Serviço; c) Inspeccionar, directamente ou através de entidades credenciadas para o efeito, os equipamentos necessários para a prestação do Serviço e proceder às verificações e ensaios que entender convenientes; d) Verificar o cumprimento, por parte do Prestador do Serviço, das ordens de redução de potência emitidas pelo Operador da Rede de Transporte; e) Exigir comprovativos da informação recebida; f) Fazer cessar o presente Contrato de acordo com o estabelecido na Cláusula 11. Cláusula 9. Obrigações do Operador da Rede de Transporte São obrigações do Operador da Rede de Transporte, para além das previstas nos artigos 12.º e 14.º da Portaria 592/2010, as referidas na legislação e regulamentação aplicável e, em particular, as seguintes: a) Respeitar as disposições constantes do Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema e na demais legislação aplicável, em vigor; e b) Em caso de carência de energia, o Operador da Rede de Transporte deve seleccionar as instalações a reduzir consumo de acordo com os critérios pré estabelecidos no Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema, c) Prestar a informação solicitada para verificação e análise da facturação emitida, sendo que esta informação deve ser solicitada e prestada por via electrónica. Cláusula 10. Arredondamentos 1. Os arredondamentos da remuneração serão efectuados ao cêntimo de euro mais próximo. Página 6 de 9

7 2. Os valores de potência e de outros factores que influenciam a remuneração não estão sujeitos a arredondamento. Cláusula 11. Cessação do Contrato A cessação do Contrato ocorrerá nos casos previstos no artigo 11.º da Portaria 592/2010. Cláusula 12. Alteração do Contrato 1. Qualquer alteração dos elementos constantes do presente Contrato deve ser comunicada por via electrónica. 2. Qualquer alteração dos elementos constantes do presente Contrato, relativos ao NIF, Número Único de Matrícula e de Pessoa Colectiva do Prestador do Serviço, dados da instalação consumidora ou potência residual máxima, devem ser formalizadas em novo Contrato cuja aceitação será expedida por via electrónica pelo Operador da Rede de Transporte. 3. O Prestador do Serviço deve apresentar comprovativos da alteração verificada, quando tal lhe for solicitado pelo Operador da Rede de Transporte. 4. O incumprimento do estabelecido nos números anteriores constitui causa para a cessação do presente Contrato. Cláusula 13. Cedência da Posição Contratual O Prestador do Serviço não pode transmitir, no todo ou em parte, os direitos e obrigações derivados da aplicação do presente Contrato, salvo se existir alguma alteração da titularidade da Instalação Consumidora e o novo titular preencher os requisitos para a prestação do Serviço. Nesta situação, a posição contratual do presente Contrato será transmitida ao novo titular desde que o mesmo submeta por via electrónica a informação constante no Anexo e declare aceitar, expressamente e sem reservas, a totalidade dos direitos e obrigações estabelecidos no presente Contrato, assumindo a continuidade do mesmo desde a data de subscrição do anterior titular. Cláusula 14. Resolução de Conflitos Os eventuais conflitos que surjam entre as Partes em matéria de aplicação, interpretação ou integração das regras por que se rege o presente Contrato, serão resolvidos no âmbito da gestão de conflitos da ERSE. Página 7 de 9

8 Cláusula 15. Integração de Obrigações Legais e Regulamentares Salvo disposição legal em contrário, considera-se que o Contrato passa a integrar automaticamente as condições, direitos e obrigações, bem como todas as modificações decorrentes de normas legais e regulamentares aplicáveis, que sejam publicadas após a homologação da minuta do Contrato. Cláusula 16. Início do Contrato O presente Contrato entra em vigor na data indicada na comunicação de aceitação do Operador da Rede de Transporte, expedida por via electrónica. Página 8 de 9

9 < Anexo Interruptibilidade - Portaria 1309/2010 Informação a Prestar à REN - Rede Eléctrica Nacional, S.A. Dados do Prestador de Serviço Nome da Empresa*: Capital Social ( )*: NIF*: Conservatória Registo Comercial (local)*: Número Único de Matrícula e de Pessoa Colectiva*: Morada*: Código Postal*: Localidade*: Código de acesso à Certidão Permanente do Registo Comercial*: Fax (1) : (2) : (1) Fax utilizado para a comunicação de ordens de redução de potência em situações de emergência (2) Endereço de correio electrónico, até um máximo de três, para a comunicação de ordens de redução de potência em situações de emergência Dados da Instalação Consumidora Nome: CPE*: Morada*: Código Postal*: Localidade*: Nível de tensão: (MAT / AT / MT)*: (kv)*: Zona Eléctrica (3) Subestação de Ligação (4) O Ponto de Acesso a Rede é partilhado com uma Instalação de Cogeração?: (Sim/Não) (3) Informação a solicitar ao Operador da Rede a que o cliente está ligado - Injector do Operador da Rede de Transporte que fornece o consumidor CAE*: (4) Informação a solicitar ao Operador da Rede a que o cliente está ligado Identificação da(s) Pessoa(s) de Contacto 1 Nome: Morada: Código Postal: Localidade: Telefone: Telemóvel: Fax: 2 Nome: Morada: Código Postal: Localidade: Telefone: Telemóvel: Fax: Condições para a Prestação do Serviço de Interruptibilidade Potência Residual máxima [kw]*: Mês Pontência Máx. Interruptível [kw] (5) : 0 Janeiro (5) Corresponde a diferença entre a média anual das potências tomadas mensais e a potência residual máxima Fevereiro (6) Maior potência média de qualquer período de quinze minutos verificada em cada mês do ano anterior. Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Potência Tomada [kw] (6) Fornecedor de Energia Eléctrica Nome (7) : (7) Comprovativo da existência de contrato de fornecimento com um Comercializador Não Regulado (cópia do contrato ou cópia da última factura ou declaração do comercializador) Identificação da conta bancária para créditos Nome da Instituição Financeira Titular da conta: Morada do banco: Código SWIFT do banco: IBAN: Código Postal: Localidade: Morada para envio da Factura A atenção de: Morada: Telefone: Fax: Código Postal: Localidade: Verificação do equipamento necessário a prestação do serviço e parametrizações do relé de deslastre de frequência (8) (8) Aguarda aprovação e publicação oficial O Prestador do Serviço declara expressamente conhecer e aceitar, sem reservas, o contrato de adesão para a prestação do serviço de interruptibilidade homologado pelo Sr. Director-Geral de Energia e Geologia e a demais legislação e regulamentação aplicável ao serviço de interruptibilidade. Data: de de 201_ Pelo Prestador do Serviço (Cargo) Página 9 de 9

CONTRATO DE COMPRA e VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA e VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA e VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ], com sede em [ ], com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 2/2012

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 2/2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 2/2012 Condições gerais dos contratos de uso da rede de transporte de energia elétrica aplicável às instalações de produção Com a última revisão

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ]., com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula e pessoa colectiva

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SISTEMA DO ACERTO DE CONTAS

CONTRATO DE ADESÃO AO SISTEMA DO ACERTO DE CONTAS CONTRATO DE ADESÃO AO SISTEMA DO ACERTO DE CONTAS Condições Gerais do Contrato de Adesão ao Sistema do Acerto de Contas O presente Contrato é celebrado ao abrigo das normas legais, regulamentares e procedimentais

Leia mais

AJUSTE DIRECTO/2014/18

AJUSTE DIRECTO/2014/18 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E ALUGUER DE PALCOS, CAMARINS E OUTROS EQUIPAMENTOS PARA INICIATIVA "CAIS DE FADO" A INSTALAR NA SERRA DO PILAR E MARGINAL DE GAIA AJUSTE DIRECTO/2014/18 CONTRAENTES:

Leia mais

Atributos da Proposta Gás Natural

Atributos da Proposta Gás Natural Atributos da Proposta Gás Natural António José da Silva Coutinho, portador do cartão de cidadão nº. 08419828, com domicílio profissional na Rua Castilho, 165, 4º, 1070-050 Lisboa, na qualidade de representante

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2015 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA

CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2015 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2015 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Conteúdo Cláusula 1ª - Objeto do Contrato... 3 Cláusula 2ª - Contrato... 3 Cláusula 3ª - Prazo... 3 Cláusula 4ª Obrigações

Leia mais

CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL

CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL CONTRATO N.º 74 FORNECIMENTO DE CATETER DE ABLAÇÃO RENAL Entre Hospital Garcia de Orta, E.P.E., com sede na Av. Torrado da Silva, Pragal, 2801-951 Almada, pessoa colectiva n.º 506 361 470, registada na

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º B / 2002

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º B / 2002 ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Despacho n.º 2504 - B / 2002 A factura constitui um importante instrumento de comunicação em qualquer relacionamento comercial, designadamente no âmbito da prestação

Leia mais

Instalações de Microprodução Procedimentos de Certificação

Instalações de Microprodução Procedimentos de Certificação 1 Siglas e Definições 2 Limite anual de potência de ligação registada 3 Evolução da tarifa 3.1 Regime bonificado 3.2 Regime geral 4 Cálculo do valor da tarifa de venda de energia 5 Como proceder para inscrever

Leia mais

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM REGISTO PARA O EXERCÍCIO DA ATIVIDADE Pessoa Singular matriculada como Comerciante em Nome Individual (Decreto-Lei n.º 177/99, de 21 de maio,

Leia mais

para a gestão de um sistema integrado de resíduos de embalagens, válida até 31

para a gestão de um sistema integrado de resíduos de embalagens, válida até 31 CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DA MARCA NOVO VERDE Entre: NOVO VERDE - SOCIEDADE GESTORA DE RESÍDUOS DE EMBALAGENS, S.A., sociedade comercial anónima, com sede no Centro Empresarial Ribeira da Penha Longa, Rua

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

D E CÂMARA MUNICIPAL DE AROUCA

D E CÂMARA MUNICIPAL DE AROUCA C A D E R N O D E E N C A R G O S 1 CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Objecto 1 - O presente compreende as cláusulas a incluir no contrato a celebrar na sequência do procedimento pré-contratual que tem por

Leia mais

Despacho n.º B/99

Despacho n.º B/99 ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Despacho n.º 21496-B/99 O Decreto-lei n.º 195/99, de 8 de Junho, estabelece o regime aplicável às cauções nos contratos de fornecimento aos consumidores dos serviços

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS O primeiro outorgante, o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P., doravante designado

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO PVE. (Artigo 2.º n.º2, do Decreto-Lei n. 170/2008, de 26 de agosto)

CONTRATO DE ADESÃO PVE. (Artigo 2.º n.º2, do Decreto-Lei n. 170/2008, de 26 de agosto) CONTRATO DE ADESÃO PVE (Artigo 2.º n.º2, do Decreto-Lei n. 170/2008, de 26 de agosto) Entre: Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. com sede em Alfragide, na Av. Leite de Vasconcelos,

Leia mais

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROTOCOLO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre: APAVT - Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, com sede em Lisboa, na Rua Duque de Palmela, 2-1º Dtº, pessoa colectiva n.º 500910839, adiante

Leia mais

ORDEM DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGULAMENTO DE ACREDITAÇÃO DE DIRETOR CLÍNICO

ORDEM DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGULAMENTO DE ACREDITAÇÃO DE DIRETOR CLÍNICO ORDEM DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS REGULAMENTO DE ACREDITAÇÃO DE DIRETOR CLÍNICO Ao abrigo do artigo 15.º, n.º 1, do Decreto-Lei n.º 184/2009, de 11 de agosto, e no uso da competência que lhe é conferida pela

Leia mais

AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março

AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março Publicado no Diário da República, I série, nº 61, de 29 de Março AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março Considerando a necessidade de se estabelecer os padrões para o exercício do serviço de remessas de valores

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º A/99

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º A/99 ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Despacho n.º 14030-A/99 O Regulamento de Relações Comerciais, aprovado através do Despacho n.º 16 288-A/98, de 15 de Setembro (2.ª série suplemento), prevê que os

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre, residente em com o número de contribuinte, adiante designado(a) abreviadamente por Produtor; e EDP Serviço Universal, S.A., com sede

Leia mais

O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico

O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico Breves notas O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico O aprofundamento dos esforços de criação do Mercado Eléctrico de Electricidade (MIBEL) prevê a necessidade de compatibilizar o quadro

Leia mais

ANEXO II MODELO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E LIMPEZA URBANA PELA EGEO TECNOLOGIA E AMBIENTE, S.A.

ANEXO II MODELO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E LIMPEZA URBANA PELA EGEO TECNOLOGIA E AMBIENTE, S.A. REGULAMENTO TARIFÁRIO E DE EXPLORAÇÃO DA CONCESSÃO DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA URBANA E RECOLHA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA APL -ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S.A. ANEXO II MODELO

Leia mais

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY 1) Objeto Pelo presente contrato, o Banco Popular Portugal S.A., adiante designado simplesmente por Banco, obriga-se a prestar ao Titular o Serviço

Leia mais

DIVISÃO DE AMBIENTE E GESTÃO URBANA

DIVISÃO DE AMBIENTE E GESTÃO URBANA A PREENCHER PELOS SERVIÇOS DESPACHO ENTRADA ENTRADA Nº. DATA REQUERIMENTO PROCESSO O FUNCIONÁRIO DIVISÃO DE AMBIENTE E GESTÃO URBANA MERA COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE ESTABELECIMENTO INDUSTRIAL DO TIPO 3 (SISTEMA

Leia mais

REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA

REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA O presente Regulamento tem por objecto regulamentar a vinculação

Leia mais

AUTORIZAÇÃO N.º ICP ANACOM - 2/ SP

AUTORIZAÇÃO N.º ICP ANACOM - 2/ SP AUTORIZAÇÃO N.º ICP ANACOM - 2/2012 - SP O Vice-Presidente do Conselho de Administração do ICP-Autoridade Nacional de Comunicações (ICP-ANACOM), decide, nos termos do artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 150/2001,

Leia mais

Convite para apresentação de proposta ao abrigo do Acordo Quadro ANCP

Convite para apresentação de proposta ao abrigo do Acordo Quadro ANCP «Empresa» «Morada1» «Cod_Postal» «Localidade» Nossa referência Assunto: Convite para apresentação de proposta ao abrigo do Acordo Quadro ANCP Aquisição de serviços de dados acesso à internet e conectividade

Leia mais

CAE Rev_3: 60200, 61100, 61200, e TELECOMUNICAÇÕES

CAE Rev_3: 60200, 61100, 61200, e TELECOMUNICAÇÕES O conteúdo informativo disponibilizado pela presente ficha não substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 60200, 61100, 61200, 61300 e 61900 TELECOMUNICAÇÕES ACTIVIDADES ABRANGIDAS: - Operador de Redes Públicas de Telecomunicações

Leia mais

Celebram entre si, livremente e de boa-fé, o presente contrato de alojamento e prestação de serviços, que se rege pelas cláusulas seguintes:

Celebram entre si, livremente e de boa-fé, o presente contrato de alojamento e prestação de serviços, que se rege pelas cláusulas seguintes: SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE PONTE DE LIMA CENTRO COMUNITÁRIO DE ARCOZELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA RESPOSTA SOCIAL SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO Entre: Santa Casa da Misericórdia de Ponte

Leia mais

Município da Nazaré Serviços Municipalizados da Nazaré

Município da Nazaré Serviços Municipalizados da Nazaré Município da Nazaré Serviços Municipalizados da Nazaré Projecto de Regulamento do Pagamento em Prestações de Dívidas referentes à Receita dos Serviços de Fornecimento de Água, de Drenagem de Águas Residuais

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTO MOBILIÁRIO ADMINISTRATIVO E DE ESCRITÓRIO PARA A UCCI BENTO XVI

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTO MOBILIÁRIO ADMINISTRATIVO E DE ESCRITÓRIO PARA A UCCI BENTO XVI CONTRATO DE FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTO MOBILIÁRIO ADMINISTRATIVO E DE ESCRITÓRIO PARA A UCCI BENTO XVI ENTRE: Primeiro Contraente: União das Misericórdias Portuguesas, com sede na Rua de Entrecampos,

Leia mais

1. O que são serviços de valor acrescentado baseados no envio de mensagem?

1. O que são serviços de valor acrescentado baseados no envio de mensagem? PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ) SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM 1. O que são serviços de valor acrescentado baseados no envio de mensagem? Os serviços de valor acrescentado baseados

Leia mais

a) Via para o endereço de correio eletrónico indicado pelo Aderente nas condições particulares;

a) Via  para o endereço de correio eletrónico indicado pelo Aderente nas condições particulares; CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre, IFTHENPAY, Lda Instituição de Pagamento autorizada e supervisionada pelo Banco de Portugal (registo nº 8707), com sede em Rua de S. José, 771 4535-404 Santa Maria

Leia mais

Aditamento à Proposta de Contrato do Serviço Móvel Compromisso de Permanência Preenchimento obrigatório dos campos assinalados com *

Aditamento à Proposta de Contrato do Serviço Móvel Compromisso de Permanência Preenchimento obrigatório dos campos assinalados com * Aditamento à Proposta de Contrato do Serviço Móvel Compromisso de Permanência Preenchimento obrigatório dos campos assinalados com * (a preencher pela Vodafone) Nº Págs. 1/ ID Proposta Simulador: ID Opty

Leia mais

Publicado em Diário da República Iª Série, nº 51 de 30 de Março de 2017 AVISO N.º 03/2017

Publicado em Diário da República Iª Série, nº 51 de 30 de Março de 2017 AVISO N.º 03/2017 Publicado em Diário da República Iª Série, nº 51 de 30 de Março de 2017 AVISO N.º 03/2017 ASSUNTO: POLÍTICA MONETÁRIA - ISENÇÃO DE COMISSÕES NO ÂMBITO DOS SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Considerando o desenvolvimento

Leia mais

SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS

SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS v Lei de defesa do consumidor -Lei nº 24/96 de 31 de Julho - Estabelece o regime legal aplicável à defesa dos consumidores. Revoga a Lei n.º 29/81, de 22 de Agosto, alterada

Leia mais

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Concurso para Apresentação de Propostas no âmbito de Selecção de um Fiscal Único Nº 02/2017 I. Entidade Contratante: Agencia de Aviação

Leia mais

REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS E LICENÇAS DA FREGUESIA DE CUBA PREÂMBULO

REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS E LICENÇAS DA FREGUESIA DE CUBA PREÂMBULO PREÂMBULO Com a Lei nº 53-E/2006, de 29 de Dezembro, regulam-se as relações jurídico-tributárias geradoras da obrigação de pagamento de taxas às autarquias locais pelas pessoas singulares ou colectivas

Leia mais

CONTRATO PAD Produção de Actividades Desportivas, SA Primeira Contratante Município de Felgueiras, Segunda Contratante Considerando que:

CONTRATO PAD Produção de Actividades Desportivas, SA Primeira Contratante Município de Felgueiras, Segunda Contratante Considerando que: CONTRATO Entre: PAD Produção de Actividades Desportivas, SA., com sede em Torres Vedras e escritórios centrais na Rua Fernão Mendes Pinto nº 42, 1400-146 Lisboa, com o n.º de contribuinte 504197088, matriculada

Leia mais

Orientação técnica n.º 1/2010

Orientação técnica n.º 1/2010 Orientação técnica n.º 1/2010 Plano de Promoção da Eficiência do Consumo de Energia Eléctrica PPEC 2011-2012 Nas Regras do plano de promoção da eficiência no consumo de energia eléctrica (PPEC), aprovadas

Leia mais

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE ELECTRICIDADE DESDE SETEMBRO DE 2006 PODE ESCOLHER O SEU FORNECEDOR DE ELECTRICIDADE

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE ELECTRICIDADE DESDE SETEMBRO DE 2006 PODE ESCOLHER O SEU FORNECEDOR DE ELECTRICIDADE LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE ELECTRICIDADE DESDE SETEMBRO DE 2006 PODE ESCOLHER O SEU FORNECEDOR DE ELECTRICIDADE LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE ENERGIA ELÉCTRICA Sabia que em Setembro de 2006 passou a ter

Leia mais

Anexo 1 à Informação Técnica 31/2014

Anexo 1 à Informação Técnica 31/2014 Anexo 1 à Informação Técnica 31/2014 Quadro Comparativo após a republicação do Despacho Normativo n.º 18 A/2010, de 1de julho, alterado pelo Despacho Normativo 17/2014 de 26 de dezembro Artigo 1.º Objecto

Leia mais

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA ENTRE:

CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA ENTRE: CONTRATO PROMESSA DE COMPRA E VENDA ENTRE: ------------------------------------------------------------------------------------------------------- PRIMEIRA CONTRATANTE: ------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo 1.º

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo 1.º A disponibilização para consulta do teor de diplomas legislativos não dispensa a consulta do Diário da República, não se responsabilizando a ERSE pelo seu conteúdo. Decreto-Lei n.º 184/2003, de 20 de Agosto

Leia mais

Concurso público para a aquisição de madeiras e similares para o Município do Funchal

Concurso público para a aquisição de madeiras e similares para o Município do Funchal Concurso público para a aquisição de madeiras e similares para o Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS Caderno de encargos Pag. nº1 Índice Cláusula 1ª - Objecto Cláusula 2ª - Contrato Cláusula 3ª -

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO

CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO As cláusulas gerais deste caderno de encargos aplicam-se ao contrato de aluguer a celebrar entre a União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e o

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Creche

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Creche Entre CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Creche PRIMEIRO OUTORGANTE: Centro Social Rocha Barros, Instituição Particular de Solidariedade Social, pessoa colectiva n.º 501182560 com sede em Góis, devidamente

Leia mais

Regulamento Cartão Jovem Municipal

Regulamento Cartão Jovem Municipal Regulamento Cartão Jovem Municipal Nota Justificativa O Cartão Jovem Municipal é uma iniciativa da Câmara Municipal de Vila do Porto, que visa proporcionar aos jovens vantagens, traduzidas num conjunto

Leia mais

1. O presente contrato tem por objecto o fornecimento de energia eléctrica pela EDP Serviço Universal 1.

1. O presente contrato tem por objecto o fornecimento de energia eléctrica pela EDP Serviço Universal 1. CONTRATO DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉCTRICA EM AT (Alta Tensão) CONDIÇÕES GERAIS 1ª Objecto do Contrato 1. O presente contrato tem por objecto o fornecimento de energia eléctrica pela EDP Serviço Universal

Leia mais

pedido de portabilidade e denúncia do contrato

pedido de portabilidade e denúncia do contrato pedido de portabilidade e denúncia do contrato ORIGINAL (tmn) 2. INFORMAÇÃO DE CONTACTO Morada Telemóvel contacto E-mail 3. DADOS DE PORTABILIDADE MÓVEL Para efeitos de portabilidade, procede-se à denúncia

Leia mais

Feira Viva Cultura e Desporto, EEM

Feira Viva Cultura e Desporto, EEM Concurso Público Caderno de Encargos Feira Viva Cultura e Desporto, EEM 1/6 CADERNO DE ENCARGOS CONCURSO PÚBLICO PARA ADJUDICAÇÃO DA CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO BAR/ESPLANADA DO PAVILHÃO MUNICIPAL DA LAVANDEIRA

Leia mais

ESTABELECIMENTO - MODIFICAÇÃO

ESTABELECIMENTO - MODIFICAÇÃO TIPO DE MODIFICAÇÃO Ampliação ou redução da área de venda ou de armazenagem Categoria de produtos comercializados Domicílio fiscal Método de venda Modalidade de venda Nome ou insígnia N.º de máquinas em

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE CILDOC e a UNIÃO DAS IPSS de SETÚBAL ASSOCIADOS

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE CILDOC e a UNIÃO DAS IPSS de SETÚBAL ASSOCIADOS PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE CILDOC e a UNIÃO DAS IPSS de SETÚBAL ASSOCIADOS 1 Protocolo de Cooperação Entre, CILDOC, LDA, com sede, em Lisboa, na Rua Professor Alfredo de Sousa, n.º 2, inscrita na Conservatória

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS PARA EFEITOS DE RECONHECIMENTO DAS ENTIDADES PRESTADORAS DO SERVIÇO DE ACONSELHAMENTO AGRÍCOLA PROCESSO DE RECONHECIMENTO

CADERNO DE ENCARGOS PARA EFEITOS DE RECONHECIMENTO DAS ENTIDADES PRESTADORAS DO SERVIÇO DE ACONSELHAMENTO AGRÍCOLA PROCESSO DE RECONHECIMENTO CADERNO DE ENCARGOS PARA EFEITOS DE RECONHECIMENTO DAS ENTIDADES PRESTADORAS DO SERVIÇO DE ACONSELHAMENTO AGRÍCOLA PROCESSO DE RECONHECIMENTO Lisboa, 2008 1 ÍNDICE DO CADERNO DE ENCARGOS CADERNO DE ENCARGOS...

Leia mais

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL E COMPUTADORES 1 Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação)

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO. 4. Por TITULAR entende-se a pessoa singular em nome do qual o Cartão é emitido e que ficará gravado no Cartão.

CONTRATO DE ADESÃO. 4. Por TITULAR entende-se a pessoa singular em nome do qual o Cartão é emitido e que ficará gravado no Cartão. CONTRATO DE ADESÃO CONCEITOS GERAIS 1. O Cartão Base União das Misericórdias a que se referem as presentes Condições Gerais de Utilização, adiante designado genericamente por Cartão, é propriedade da União

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO-PROGRAMA

MINUTA DE CONTRATO-PROGRAMA MINUTA DE CONTRATO-PROGRAMA (n.º 4 do art.º 23.º do D.L. n.º 57/2016, de 29 de agosto) Entre: 1) A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA, I.P., NIPC 503904040, pessoa coletiva de direito público, com

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2016 FORNECIMENTO DE GASÓLEO RODOVIÁRIO E GASOLINA SEM CHUMBO 95

CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2016 FORNECIMENTO DE GASÓLEO RODOVIÁRIO E GASOLINA SEM CHUMBO 95 CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Nº 01/2016 FORNECIMENTO DE GASÓLEO RODOVIÁRIO E GASOLINA SEM CHUMBO 95 Conteúdo Cláusula 1ª - Objeto do Contrato... 3 Cláusula 2ª Contrato... 3 Cláusula 3ª - Prazo...

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO PARA A CONCESSÃO DA EXPLORAÇÃO DOS CAMPOS DE PADEL DO COMPLEXO DESPORTIVO DO CIF

PROGRAMA DE CONCURSO PARA A CONCESSÃO DA EXPLORAÇÃO DOS CAMPOS DE PADEL DO COMPLEXO DESPORTIVO DO CIF PROGRAMA DE CONCURSO PARA A CONCESSÃO DA EXPLORAÇÃO DOS CAMPOS DE PADEL DO COMPLEXO DESPORTIVO DO CIF CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL Janeiro de 2016 1. ENTIDADE CONTRATANTE A entidade contratante é: CLUB

Leia mais

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas I - Matrículas 1. A matrícula é o acto administrativo, a realizar no início de cada ano lectivo e que confere ao estudante o direito a ingressar no estabelecimento

Leia mais

Caderno de Encargos AJUSTE DIRECTO N.º 2/2011 PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DOS PROFESSORES ARTIGO 1º IDENTIFICAÇÃO DO CONCURSO

Caderno de Encargos AJUSTE DIRECTO N.º 2/2011 PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DOS PROFESSORES ARTIGO 1º IDENTIFICAÇÃO DO CONCURSO Caderno de Encargos AJUSTE DIRECTO N.º 2/2011 PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DOS PROFESSORES ARTIGO 1º IDENTIFICAÇÃO DO CONCURSO O presente procedimento é um Ajuste Directo e tem a seguinte designação: AJUSTE

Leia mais

Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM)

Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) O Decreto Lei n.º 134/2005, de 16 de agosto, aprovou o regime de venda de medicamentos não sujeitos

Leia mais

Orientações EBA/GL/2015/

Orientações EBA/GL/2015/ EBA/GL/2015/19 19.10.2015 Orientações sobre as notificações de passaporte de intermediários de crédito que intervenham em operações de crédito abrangidas pela Diretiva de Crédito Hipotecário 1 1. Obrigações

Leia mais

ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de papel A4 Nº 1/2013

ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de papel A4 Nº 1/2013 À JOBRILE, LDA. Rua Monte dos Congregados, 70 4000-338 PORTO Porto, 24 de Abril de 2013 ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de papel A4 Nº 1/2013 1. Por decisão

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 13/2014. investidores privados externos

Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 13/2014. investidores privados externos Publicado no Diário da República, I série, nº 223, de 24 de Dezembro AVISO N.º 13/2014 ASSUNTO: OPERAÇÕES DE INVISÍVEIS CORRENTES - Transferências para o exterior de lucros ou dividendos dos investidores

Leia mais

EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA A intermediação de medicamentos é qualquer atividade ligada à venda ou compra de medicamentos, com exceção

Leia mais

EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS

EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS São considerados gases medicinais os gases ou mistura de gases, liquefeitos ou não, destinados a entrar em contacto directo

Leia mais

Minuta CONTRATO PROMESSA COMPRA E VENDA

Minuta CONTRATO PROMESSA COMPRA E VENDA Entre: ANEXO II DO PROCEDIMENTO 02/IPP/2017 Minuta CONTRATO PROMESSA COMPRA E VENDA PRIMEIRA Infraestruturas de Portugal, S.A., matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o número

Leia mais

MINUTA DO CONTRATO-PROGRAMA ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA E. (designação da entidade) No âmbito do Programa Investigador FCT

MINUTA DO CONTRATO-PROGRAMA ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA E. (designação da entidade) No âmbito do Programa Investigador FCT MINUTA DO CONTRATO-PROGRAMA ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA E (designação da entidade) No âmbito do Programa Investigador FCT Considerando que o investimento sustentável em investigação

Leia mais

Acordo Directo referente ao Contrato de Projecto e Construção

Acordo Directo referente ao Contrato de Projecto e Construção RODOVIAS Acordo Directo referente ao Contrato de Projecto e Construção Entre: (1) EP Estradas de Portugal. S.A., com sede na Praça da Portagem, Almada, com o capital social de 200.000.000, pessoa colectiva

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES Objecto O presente regulamento, elaborado nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 21.º a 23.º do Decreto Lei

Leia mais

Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM

Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM PREÂMBULO O projecto Cartão Barcelos Jovem é um documento emitido pela Casa da Juventude da Câmara Municipal de Barcelos, capaz de conceder benefícios na utilização de

Leia mais

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da

Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da 2016 Procedimento interno que regula o processo de integração dos Organismos que prestam serviços de Avaliação da conformidade no Sistema Nacional da Qualidade de Cabo Verde (SNQC) SUMÁRIO: O presente

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO ENTRE: CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO Ida e Volta Portugal, Lda., com sede em Rua do Forte, pessoa colectiva número XXX, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o mesmo número,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263) Direcção Regional de Educação do Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263) Escola Básica Rainha Santa Isabel Coimbra (342580) REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR Artigo 1º Objecto O presente

Leia mais

Protecção dos Utentes de Serviços Públicos Essenciais (Lei nº 23/96, de 23.7)

Protecção dos Utentes de Serviços Públicos Essenciais (Lei nº 23/96, de 23.7) Protecção dos Utentes de Serviços Públicos Essenciais (Lei nº 23/96, de 23.7) ÍNDICE Artigo 1.º Objecto e âmbito Artigo 2.º Direito de participação Artigo 3.º Princípio geral Artigo 4.º Dever de informação

Leia mais

REGULAMENTO DO PAGAMENTO A PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA

REGULAMENTO DO PAGAMENTO A PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA REGULAMENTO DO PAGAMENTO A PRESTAÇÕES DA RECEITA DO FORNECIMENTO DE ÁGUA Praça da República 7150-249 Borba Telf.: 268 891 630 Fax: 268 894 806 balcaounico@cm-borba.pt www.cm-borba.pt Contribuinte n.º 503

Leia mais

Importação: Regras básicas

Importação: Regras básicas Importação: Regras básicas Pagamentos de importação de mercadorias em Angola 1 Procure o Ministério do Comércio (MINCO) para proceder ao registo de Exportador e Importador (REI). 3 Negocie com seu Exportador/Fornecedor:

Leia mais

POLÍTICA ANTI-FRAUDE

POLÍTICA ANTI-FRAUDE 1/9 POLÍTICA ANTI-FRAUDE Índice 1. Objectivo.... 2 2. Âmbito de Aplicação... 2 3. Definições.... 2 4. Compromisso... 3 5. Formas de Actuação.... 3 5.1. Conflito de Interesses... 3 5.2. Decisões relativas

Leia mais

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 OBRIGAÇÕES RELATIVAS AO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) E IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLETIVAS

Leia mais

CLÁUSULA I Objecto do contrato. Cláusula II Direitos e deveres

CLÁUSULA I Objecto do contrato. Cláusula II Direitos e deveres CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE APOIO DOMICILIÁRIO Entre: Associação de Solidariedade Social As Costureirinhas de Cavernães, com sede em R. das Eiras, Nº 4, 3505-111 Cavernães, com o NIPC 503176605,

Leia mais

ARTIGO 1º Legislação Habilitante. ARTIGO 2º Objecto. ARTIGO 3º Âmbito de Aplicação. ARTIGO 4º Princípios

ARTIGO 1º Legislação Habilitante. ARTIGO 2º Objecto. ARTIGO 3º Âmbito de Aplicação. ARTIGO 4º Princípios ARTIGO 1º Legislação Habilitante O presente Regulamento tem suporte legal no n.º 4 do artigo 16.º da Lei n.º 2/2007, de15 de Fevereiro (Lei das Finanças Locais) e na alínea a) do n.º 2 do artigo 53.º e

Leia mais

Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública. Programa do Concurso

Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública. Programa do Concurso Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública Programa do Concurso ANCP Novembro de 2008 Índice Artigo 1.º Objecto do concurso... 3 Artigo 2.º Entidade pública contratante...

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL Convocatória

ASSEMBLEIA GERAL Convocatória INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, S.A. (sociedade aberta) Sede: Rua Braamcamp, n.º 40 9.º andar, 1250-050 Lisboa Capital social: 204 176 479,38 Número único de pessoa colectiva e de matrícula

Leia mais

Regulamento do Passatempo DIA DOS NAMORADOS 2017

Regulamento do Passatempo DIA DOS NAMORADOS 2017 Regulamento do Passatempo DIA DOS NAMORADOS 2017 1. Entidade Promotora 1.1 A Aliança Francesa de Lisboa, com sede na Av. 5 de Outubro, 124 Galeria 1050-061 Lisboa, com o número único de pessoa colectiva

Leia mais

TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2010

TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2010 TARIFÁRIO DE VENDA DE ENERGIA ELÉCTRICA A CLIENTES FINAIS 2010 Despacho nº 21/2009 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, RT Regulamento tarifário RRC Regulamento de Relações comerciais Tarifário

Leia mais

AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro

AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro Publicado no Diário da República, I série, nº 182, de 01 de Outubro AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro ASSUNTO: Sistemas de Pagamentos de Angola Autorização para a Constituição das Sociedades Prestadoras

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série, nº 21, de 03 de Fevereiro AVISO N.º 01/2017

Publicado no Diário da República, I série, nº 21, de 03 de Fevereiro AVISO N.º 01/2017 Publicado no Diário da República, I série, nº 21, de 03 de Fevereiro AVISO N.º 01/2017 ASSUNTO: REALIZAÇÃO DE INVESTIMENTOS NO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS POR ENTIDADES NÃO RESIDENTES CAMBIAIS Considerando

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Regulamento de Relações Comerciais

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Regulamento de Relações Comerciais ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Regulamento de Relações Comerciais Dezembro de 2001 Índice Capítulo I Disposições gerais... 1 Artigo 1.º Objecto... 1 Artigo 2.º Âmbito de aplicação... 1 Artigo

Leia mais

ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo

ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo ASSOL Outubro 2013 Caderno de Encargos Ajuste Directo Relativo à aquisição de combustíveis (gasóleo e gasolina sem chumbo 95) para as viaturas da ASSOL pela forma prevista neste Caderno de Encargos. Ajuste

Leia mais

REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO

REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO REGULAMENTO DE QUALIDADE DE SERVIÇO Relatório Anual ano 2015 ÍNDICE 1. Enquadramento... 2 2. Indicadores de Qualidade de Serviço Comercial... 3 2.1. Indicadores gerais... 3 2.2. Indicadores individuais...

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO

CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO ENTRE: CONTRATO DE TRABALHO A TERMO CERTO Ida e Volta Portugal, Lda., com sede em Rua do Forte, pessoa colectiva número XXX, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o mesmo número,

Leia mais

COMUNICADO II ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO CAMPANHA PROMOCIONAL JOGA COM OS TEUS HERÓIS ESTIMADOS CLIENTES,

COMUNICADO II ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO CAMPANHA PROMOCIONAL JOGA COM OS TEUS HERÓIS ESTIMADOS CLIENTES, COMUNICADO II ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO CAMPANHA PROMOCIONAL JOGA COM OS TEUS HERÓIS ESTIMADOS CLIENTES, Por deliberação interna da DIA PORTUGAL SUPERMERCADOS, SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA. (de ora em diante

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO TRANQUILIDADE.NET

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO TRANQUILIDADE.NET CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO TRANQUILIDADE.NET 1. Objeto O presente documento (doravante designado por Condições Gerais de Adesão) contem as cláusulas contratuais gerais que regulam

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Estabelece os critérios para a repercussão diferenciada dos custos decorrentes de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral na tarifa de uso global do

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Estabelece os critérios para a repercussão diferenciada dos custos decorrentes de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral na tarifa de uso global do

Leia mais

AVISO N.º 11/2016 ASSUNTO: ABERTURA E ENCERRAMENTO DE AGÊNCIAS E DEPENDÊNCIAS

AVISO N.º 11/2016 ASSUNTO: ABERTURA E ENCERRAMENTO DE AGÊNCIAS E DEPENDÊNCIAS AVISO N.º 11/2016 ASSUNTO: ABERTURA E ENCERRAMENTO DE AGÊNCIAS E DEPENDÊNCIAS Havendo necessidade de se estabelecer os procedimentos e requisitos a serem observados no âmbito do dever de informação inerente

Leia mais